Reavaliação toxicológica de agrotóxicos realizada pela Anvisa: atualização dos procedimentos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Reavaliação toxicológica de agrotóxicos realizada pela Anvisa: atualização dos procedimentos"

Transcrição

1 Reavaliação toxicológica de agrotóxicos realizada pela Anvisa: atualização dos procedimentos Camila Queiroz Moreira Coordenação de Reavaliação Gerência de Pós-registro Gerência Geral de Toxicologia 23 de setembro de 2016

2 DIGES Diretoria de Gestão Institucional DIREG Diretoria de Regulação Sanitária DIARE Diretoria de Autorização e Registro Sanitários DIMON Diretoria de Controle e Monitoramento Sanitários DSNVS Diretoria de Coord. e Art. do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária GGTOX Gerência Geral de Toxicologia GGTOX Unidade de Triagem COART Coordenação de Instrução e Análise de Recursos em Toxicologia GEAST Gerência de Avaliação de Segurança Toxicológica GEPOS Gerência de Pós Registro GPREQ Gerência de Produtos Equivalentes COPOS Coordenação de Pós Registro COARA Coordenação de Análise de Resíduos em Alimentos CREAV Coordenação de Reavaliação

3 Regulamentação de Agrotóxicos no Brasil LEI Nº 7.802, DE 11 DE JULHO DE Art. 3º Os agrotóxicos, seus componentes e afins, de acordo com definição do art. 2º desta Lei, só poderão ser produzidos, exportados, importados, comercializados e utilizados, se previamente registrados em órgão federal, de acordo com as diretrizes e exigências dos órgãos federais responsáveis pelos setores da saúde, do meio ambiente e da agricultura.

4 Registro de Agrotóxicos no Brasil Solicitação de Registro MAPA Avaliação Toxicológica Avaliação Eficiência Avaliação Ambiental REGISTRO

5 Diretrizes e Exigências da Saúde Portaria nº 03, de 16 de janeiro de 1992 Diretrizes e Exigências do Ministério da Saúde, Referentes à Autorização de Registro, Renovação de Registro e Extensão de Uso de Agrotóxicos e Afins. Revisão Consulta Pública nº 87, de 2 de outubro de 2015

6 Critérios Proibitivos de Registro de Agrotóxicos no Brasil Lei 7802/1989: Para os quais não haja antídoto ou tratamento eficaz no Brasil; Que revelem características teratogênicas, carcinogênicas ou mutagênicas; Que provoquem distúrbios reprodutor; hormonais e danos ao aparelho Que se revelem mais perigosos para o homem do que os testes de laboratório, com animais, tenham podido demonstrar.

7 Avaliação Toxicológica de Agrotóxicos Mutagenicidade Toxicocinética Toxicidade Subcrônica Oral Dérmica Inalatória Toxicidade Crônica: Neurotoxicidade Carcinogenicidade Toxicidade Reprodutiva e para o Desenvolvimento Desregulação Endócrina

8 Avaliação Toxicológica de Agrotóxicos Toxicidade Aguda (Oral, Dérmica, Inalatória) Irritação/Corrosão (Ocular, Dérmica) Sensibilização Dérmica Classificação Toxicológica

9 Avaliação Toxicológica de Agrotóxicos Estudos de resíduos Efeitos adversos relevantes dos estudos toxicológicos Estabelecimento Limite Máximo de Resíduos Ingestão Diária Aceitável

10 Registro de Agrotóxicos no Brasil Validade indeterminada: não há renovação/revalidação Lei 7802/1989; Decreto 4074/2002, INC 02/2006 Reavaliação Toxicológica de Agrotóxicos Quando surgirem indícios da ocorrência de riscos que desaconselhem o uso de produtos registrados.

11 Reavaliação Toxicológica de Agrotóxicos Seleção de Ingredientes Ativos Lei 7802/1989; Decreto 4074/2002, INC 02/2006 Alertas internacionais A qualquer tempo Análises internas Requisições da sociedade

12 Reavaliação Toxicológica de Agrotóxicos Seleção de Ingredientes Ativos

13 Processo de Reavaliação Toxicológica RDC n 48/ Publicação da reavaliação pela Anvisa por RDC Manifestação de interesse dos registrantes no IA e protocolo dos estudos toxicológicos Análise de estudos e elaboração da Nota Técnica, com apoio de instituição científica Consulta Pública para manifestação da sociedade Análise das contribuições à Consulta Pública e elaboração Nota Técnica Final pela Anvisa Comissão de Reavaliação Decisão final pela Diretoria Colegiada da Anvisa e publicação de RDC

14 Complexidade do Processo de Reavaliação Toxicológica Aspectos científicos e regulatórios Dados de: Experimentos em animais Estudos epidemiológicos Monitoramento em alimentos e água Biomonitoramento (amostras biológicas)

15 Reavaliações Concluídas pela Anvisa desde 2006 Resolução da Diretoria Colegiada Ingrediente Ativo Decisão Início Término Acefato RDC 10/2008 RDC 45/2013 Mantido com restrições no registro Cihexatina RDC 10/2008 RDC 34/2009 Proibido Endosulfam RDC 10/2008 RDC 28/2010 Proibido Forato RDC 10/2008 RDC 12/2015 Proibido Fosmete RDC 10/2008 RDC 36/2010 Mantido com restrições no registro Lactofem RDC 10/2008 RDC 92/2016 Mantido sem alterações no registro Lindano RDC 124A/2006 RDC 165/2006 Proibido Metamidofós RDC 10/2008 RDC 01/2011 Proibido Monocrotofós RDC 135/2002 RDC 215/2006 Proibido Parationa metílica RDC 10/2008 RDC 56/2015 Proibido Pentaclorofenol RDC 124A/2006 RDC 164/2006 Proibido Procloraz RDC 44/2013 RDC 60/2016 Proibido Triclorfom RDC 10/2008 RDC 37/2010 Proibido

16 Reavaliações em Andamento Abamectina Ácido 2,4-diclorofenoxiacético (2,4-D)* Carbofurano* Glifosato Tiram* Paraquate* *Reavaliações já submetidas à consulta pública.

17 Ações Judiciais 8/14 das reavaliações estabelecidas pela Anvisa em 2008 não concluídas até 2014/2015 Justiça Federal determinou a finalização em 3 meses (2015)

18 NÃO IMPORTANTE IMPORTANTE Matriz de Priorização Reestruturação Urgente e Importante Fazer já! URGENTE Urgente, mas Não Importante Não Urgente, mas Importante Planejar para o mais rápido possível! NÃO URGENTE Não Urgente e Não Importante Priorizar reavaliações de agrotóxicos que representam maior risco à saúde Delegar Abandonar ou postergar

19 Revisão da RDC nº 48/2008 Detalhamento Definição de Critérios Procedimentos Transparência Previsibilidade Substitutos

20 Muitas informações sobre riscos de agrotóxicos à saúde

21 Critérios para Iniciar as Reavaliações Agrotóxicos com indícios de alteração dos riscos à saúde humana Risco (Perigo X Exposição) Agrotóxicos prioritários para reavaliação

22 Dados de Exposição Volume de Vendas Resíduos de Agrotóxicos em Água (Vigiagua) Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos (PARA) Registros de Intoxicações Humanas

23 Procedimentos de Reavaliação Toxicológica Estabelecimento de diretrizes, responsabilidades, abrangência e do passo a passo do processo de reavaliação. Manual para orientação do setor regulado: forma de apresentação de documentos (modelo de relatório de análise crítica dos dados disponíveis sobre o agrotóxico).

24 Possíveis Resultados da Reavaliação Decreto 4074/ Art. 19: Manter o registro sem alterações; Propor a mudança da formulação, da dose ou do método de aplicação; Restringir a produção, a importação, a comercialização ou o uso; Proibir ou suspender a importação ou uso; Cancelar o registro.

25 Outras Consequências da Reavaliação Programas de Disseminação de Boas Práticas Agrícolas (Pesticide Stewardship Programs): complementam as normas e decisões estabelecidas pelas ações regulatórias e de registro. Programas de Biomonitoramento. Monitoramento da efetividade pela Anvisa

26 Situação da Revisão da RDC nº 48/2008

27 Missão Proteger e promover e a saúde da população, mediante a intervenção nos riscos decorrentes da produção e do uso de produtos e serviços sujeitos à vigilância sanitária, em ação coordenada e integrada no âmbito do Sistema Único de Saúde Valores Ética e responsabilidade como agente público Capacidade de articulação e integração Excelência na gestão com foco em resultados Conhecimento como fonte para a ação Transparência

28 Muito Obrigada! SIA Trecho 5 - Área especial 57 - Lote 200 CEP: Brasília - DF Telefone: Anvisa Atende:

Registro de Agrotóxicos no Brasil

Registro de Agrotóxicos no Brasil Produtos Fitossanitários Registro de Agrotóxicos no Brasil HELEN CALAÇA 02/08/2016 O que é um agrotóxico? Produtos correlatos Impurezas FORMULAÇÃO INGREDIENTE ATIVO Produto Formulado Produto Comercial

Leia mais

Estrutura da GGMED e Perspectivas Regulatórias para Registro e Pós-registro de Medicamentos

Estrutura da GGMED e Perspectivas Regulatórias para Registro e Pós-registro de Medicamentos Estrutura da GGMED e Perspectivas Regulatórias para Registro e Pós-registro de Medicamentos Patrícia Ferrari Andreotti Gerência Geral de Medicamentos e Produtos Biológicos GGMED/DIARE/ANVISA Brasília,

Leia mais

Vantagens do registro de produtos biológicos de controle de pragas. Exigências legais do MAPA. Jaguariúna SP junho de 2009

Vantagens do registro de produtos biológicos de controle de pragas. Exigências legais do MAPA. Jaguariúna SP junho de 2009 Vantagens do registro de produtos biológicos de controle de pragas Exigências legais do MAPA Jaguariúna SP junho de 2009 REGULAMENTAÇÃO Histórico da Legislação 1934: Decreto que aprova o Regulamento de

Leia mais

Contaminação de alimentos com agrotóxicos: riscos à segurança alimentar.

Contaminação de alimentos com agrotóxicos: riscos à segurança alimentar. FÓRUM PERMANENTE DE ADEQUAÇÃO FITOSSANITÁRIA EMBRAPA MEIO AMBIENTE Agrotóxicos: onde estamos? Contaminação de alimentos com agrotóxicos: riscos à segurança alimentar. Dr. Fernando Ferreira Carneiro Qual

Leia mais

Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos PARA. Minuta de Nota Técnica para divulgação dos resultados do PARA

Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos PARA. Minuta de Nota Técnica para divulgação dos resultados do PARA Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos PARA Brasília 10 de abril de 2008 Minuta de Nota Técnica para divulgação dos resultados do PARA 1- O Sistema Nacional de Vigilância Sanitária

Leia mais

XXX Congresso Brasileiro da Ciência das Plantas Daninhas Curitiba/PR, 23 de agosto de 2016

XXX Congresso Brasileiro da Ciência das Plantas Daninhas Curitiba/PR, 23 de agosto de 2016 PAINEL Aspectos Regulatórios da Área de Agrotóxicos: Processo de Reavaliação de Herbicidas no Brasil Avaliação e Reavaliação de Herbicidas: como funciona e o que o MAPA pode fazer. XXX Congresso Brasileiro

Leia mais

II - marcas comerciais registradas que utilizam o ingrediente ativo, os números de seus registros e seus respectivos titulares; e

II - marcas comerciais registradas que utilizam o ingrediente ativo, os números de seus registros e seus respectivos titulares; e INSTRUÇÃO NORMATIVA No- 17, DE 29 DE MAIO DE 2009 O Presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis - IBAMA, no uso das atribuições que lhe confere o inciso V, art.

Leia mais

NOTA TÉCNICA 04/2016 Esclarecimentos sobre capina química em ambiente urbano de intersecção com outros ambientes.

NOTA TÉCNICA 04/2016 Esclarecimentos sobre capina química em ambiente urbano de intersecção com outros ambientes. NOTA TÉCNICA 04/2016 Esclarecimentos sobre capina química em ambiente urbano de intersecção com outros ambientes. Gerência Geral de Toxicologia - GGTOX Gerência de Saneantes - GESAN Diretoria de Autorização

Leia mais

Perspectiva dos ensaios clínicos

Perspectiva dos ensaios clínicos Regulação de Produtos Biológicos no Brasil Perspectiva dos ensaios clínicos Fanny Nascimento Moura Viana Especialista em Regulação e Vigilância Sanitária COPEC/GGMED 27 de outubro de 2016 1. Regulamento

Leia mais

Leticia Rodrigues da Silva Gerência Geral de Toxicologia

Leticia Rodrigues da Silva Gerência Geral de Toxicologia Reavaliação de Agrotóxicos no Brasil Leticia Rodrigues da Silva Gerência Geral de Toxicologia Bases para a Reavaliação Lei 7.802/89 Quando organizações internacionais responsáveis pela saúde, alimentação

Leia mais

Histórico, Evolução e Conceitos Básicos da Toxicologia... 1

Histórico, Evolução e Conceitos Básicos da Toxicologia... 1 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... PREFÁCIO... IX XI CAPÍTULO 1 Histórico, Evolução e Conceitos Básicos da Toxicologia.... 1 1.1 CONCEITOS E ELEMENTOS BÁSICOS.... 5 1.1.1 A Substância... 6 1.1.2 O Organismo Afetado....

Leia mais

1. PÁTIO DE LAVAGEM 2. RESERVATÓRIO DE DECANTAÇÃO 3. CONJUNTO MOTOBOMBA 4. OZONIZADOR (1g de ozônio/hora) 5. RESERVATORIO DE OXIDAÇÃO (500 L PVC) 6.

1. PÁTIO DE LAVAGEM 2. RESERVATÓRIO DE DECANTAÇÃO 3. CONJUNTO MOTOBOMBA 4. OZONIZADOR (1g de ozônio/hora) 5. RESERVATORIO DE OXIDAÇÃO (500 L PVC) 6. Defensivos Agrícolas, Produtos Fitossanitários, Agrotóxicos ou Pesticidas? FCA / UNESP Campus de Botucatu DPV Defesa Fitossanitária raetano@fca.unesp.br TERMINOLOGIA Agrotóxicos: Lei dos Agrotóxicos 7.802/89

Leia mais

Remediação de Solo e Diretrizes para Gestão de Aguas Subterrâneas

Remediação de Solo e Diretrizes para Gestão de Aguas Subterrâneas RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS - IBAMA DIRETORIA DE QUALIDADE AMBIENTAL - DIQUA Seminário FIESP Cooperação Brasil-Holanda: Remediação de Solo e Diretrizes para Gestão de Aguas Subterrâneas Recuperação de

Leia mais

Gerência de Medicamentos Específicos, Fitoterápicos, Dinamizados, Notificados e Gases Medicinais (GMESP)

Gerência de Medicamentos Específicos, Fitoterápicos, Dinamizados, Notificados e Gases Medicinais (GMESP) Gerência de Medicamentos Específicos, Fitoterápicos, Dinamizados, Notificados e Gases Medicinais (GMESP) GERÊNCIA GERAL DE MEDICAMENTOS E PRODUTOS BIOLÓGICOS GERÊNCIA DE MEDICAMENTOS ESPECÍFICOS, FITOTERÁPICOS,

Leia mais

Registro e Fiscalização de Agrotóxicos e Afins

Registro e Fiscalização de Agrotóxicos e Afins Registro e Fiscalização de Agrotóxicos e Afins Coordenação-Geral de Agrotóxicos e Afins Departamento de Fiscalização de Insumos Agrícolas Secretaria de Defesa Agropecuária Luís Eduardo Pacifici Rangel

Leia mais

Componentes aromatizantes provenientes de espécies botânicas regionais para uso em alimentos. Gerência Geral de Alimentos - GGALI Agosto de 2016

Componentes aromatizantes provenientes de espécies botânicas regionais para uso em alimentos. Gerência Geral de Alimentos - GGALI Agosto de 2016 Componentes aromatizantes provenientes de espécies botânicas regionais para uso em alimentos Gerência Geral de Alimentos - GGALI Agosto de 2016 Espécies botânicas regionais Processo n. 25351.396498/2013-85;

Leia mais

A Proteção de Dados Como Incentivo à Inovação na Defesa Vegetal

A Proteção de Dados Como Incentivo à Inovação na Defesa Vegetal A Proteção de Dados Como Incentivo à Inovação na Defesa Vegetal José Eduardo Vieira de Moraes ANDEF Associação Nacional de Defesa Vegetal São Paulo, 25 de agosto de 2014 Desafios Por que Precisamos das

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Simpósio Novas Fronteiras Farmacêuticas nas Ciências da Regulamentação, Tecnologia e Sistema da Qualidade

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Simpósio Novas Fronteiras Farmacêuticas nas Ciências da Regulamentação, Tecnologia e Sistema da Qualidade AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA ANVISA Simpósio Novas Fronteiras Farmacêuticas nas Ciências da Regulamentação, Tecnologia e Sistema da Qualidade Dirceu Barbano Diretor-Presidente Brasília, 25

Leia mais

RDC 39/2008 ANVISA. Patrícia Ferrari Andreotti. Coordenação de Pesquisas e Ensaios Clínicos

RDC 39/2008 ANVISA. Patrícia Ferrari Andreotti. Coordenação de Pesquisas e Ensaios Clínicos RDC 39/2008 Nova Regulamentação em Pesquisa Clínica ANVISA Patrícia Ferrari Andreotti Coordenação de Pesquisas e Ensaios Clínicos - CEPEC Gerência de Pesquisas, Ensaios Clínicos, Medicamentos Biológicos

Leia mais

declaração do registrante contendo o nome dos produtos a serem formulados e o destino do produto, enquanto vigorar o registro do produto. 2ºOs dados b

declaração do registrante contendo o nome dos produtos a serem formulados e o destino do produto, enquanto vigorar o registro do produto. 2ºOs dados b Senado Federal ANVISA Banco Central Sec. do Tesouro Nacional IBAMA Palácio do Planalto Ajuda Situação: Vigente Instrução Normativa Conjunta Nº 2, DE 20 DE JUNHO DE 2008 Publicado no Diário Oficial da União

Leia mais

LISTA PRELIMINAR DOS TEMAS DA AGENDA REGULATÓRIA (54 temas/102 subtemas)

LISTA PRELIMINAR DOS TEMAS DA AGENDA REGULATÓRIA (54 temas/102 subtemas) CONTROLE ADMINISTRATIVO ALIMENTOS LISTA PRELIMINAR DOS TEMAS DA AGENDA REGULATÓRIA 2015-2016 (54 temas/102 subtemas) Temas Migrados da AR 2013-2014 Processos em Andamento - Fora da AR 2013/2014 Novos Temas

Leia mais

Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Consulta Pública n 262, de 10 de outubro de 2016 D.O.U de 11/10/2016

Agência Nacional de Vigilância Sanitária.  Consulta Pública n 262, de 10 de outubro de 2016 D.O.U de 11/10/2016 Agência Nacional de Vigilância Sanitária www.anvisa.gov.br Consulta Pública n 262, de 10 de outubro de 2016 D.O.U de 11/10/2016 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso

Leia mais

Revisão da RDC 54/2013 Rastreabilidade de Medicamentos

Revisão da RDC 54/2013 Rastreabilidade de Medicamentos Diretoria de Gestão Institucional DIGES Revisão da RDC 54/2013 Rastreabilidade de Medicamentos Brasília, 07/12/2016 AUDIÊNCIA PÚBLICA Objetivos do SNCM: Ferramenta útil contra a falsificação e o roubo

Leia mais

Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Consulta Pública n 323, de 21 de março de 2017 D.O.U de 22/03/2017

Agência Nacional de Vigilância Sanitária.  Consulta Pública n 323, de 21 de março de 2017 D.O.U de 22/03/2017 Agência Nacional de Vigilância Sanitária www.anvisa.gov.br Consulta Pública n 323, de 21 de março de 2017 D.O.U de 22/03/2017 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso das

Leia mais

Descarte de Medicament os. Responsabilidade compartilhada

Descarte de Medicament os. Responsabilidade compartilhada Descarte de Medicament os Responsabilidade compartilhada Descarte de Medicamentos Aspectos gerais Situação atual... No Brasil ainda não se tem uma regulamentação específica no âmbito nacional relacionada

Leia mais

PROGRAMA DE ANÁLISE DE RESÍDUOS DE AGROTÓXICOS EM ALIMENTOS PARA

PROGRAMA DE ANÁLISE DE RESÍDUOS DE AGROTÓXICOS EM ALIMENTOS PARA PROGRAMA DE ANÁLISE DE RESÍDUOS DE AGROTÓXICOS EM ALIMENTOS PARA RELATÓRIO DAS ANÁLISES DE AMOSTRAS MONITORADAS NO PERÍODO DE 2013 A 2015 Gerência-Geral de Toxicologia Brasília, 25 de novembro de 2016.

Leia mais

Ciência Regulatória: a regulação como instrumento de fomento às pesquisas de novas tecnologias em saúde. Brasília, 22/06/2016

Ciência Regulatória: a regulação como instrumento de fomento às pesquisas de novas tecnologias em saúde. Brasília, 22/06/2016 Ciência Regulatória: a regulação como instrumento de fomento às pesquisas de novas tecnologias em saúde. JARBAS BARBOSA Diretor-Presidente ANVISA Brasília, 22/06/2016 A ANVISA Primeira Agência da área

Leia mais

PESQUISA CLÍNICA NO ÂMBITO DA ANVISA

PESQUISA CLÍNICA NO ÂMBITO DA ANVISA PESQUISA CLÍNICA NO ÂMBITO DA ANVISA COORDENAÇÃO DE PESQUISA E ENSAIOS CLÍNICOS - COPEM GERÊNCIA-GERAL DE MEDICAMENTOS GGMED MISSÃO PROTEGER E PROMOVER A SAÚDE DA POPULAÇÃO GARANTINDO A SEGURANÇA SANITÁRIA

Leia mais

SUMED/ANVISA. Processo de Reestruturação. Superintendência de Medicamentos e Produtos Biológicos

SUMED/ANVISA. Processo de Reestruturação. Superintendência de Medicamentos e Produtos Biológicos SUMED/ANVISA Processo de Reestruturação Superintendência de Medicamentos e Produtos Biológicos Objetivos da reestruturação Uniformizar e aprimorar os procedimentos administrativos e técnicos; Promover

Leia mais

ANVISA - Toxicologia

ANVISA - Toxicologia Gerência Geral de Toxicologia ANVISA - Toxicologia Prevenção e Controle dos agrotóxicos Luiz Cláudio Meirelles Brasília, 23 setembro de 2009 APRESENTAÇÃO Registro de Agrotóxicos 1. 2. 3. 4. Marco legal

Leia mais

Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Consulta Pública n 260, de 10 de outubro de 2016 D.O.U de 11/10/2016

Agência Nacional de Vigilância Sanitária.  Consulta Pública n 260, de 10 de outubro de 2016 D.O.U de 11/10/2016 Agência Nacional de Vigilância Sanitária www.anvisa.gov.br Consulta Pública n 260, de 10 de outubro de 2016 D.O.U de 11/10/2016 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso

Leia mais

Registro de Agrotóxicos no Brasil parte II

Registro de Agrotóxicos no Brasil parte II Produtos Fitossanitários Registro de Agrotóxicos no Brasil parte II HELEN CALAÇA 23/08/2016 O que é um agrotóxico? Produtos correlatos Impurezas FORMULAÇÃO INGREDIENTE ATIVO Produto Formulado Produto Comercial

Leia mais

Resolução nº 55 de 17/03/2005 / ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária (D.O.U. 21/03/2005)

Resolução nº 55 de 17/03/2005 / ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária (D.O.U. 21/03/2005) Resolução nº 55 de 17/03/2005 / ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária (D.O.U. 21/03/2005) Fica estabelecidos, por meio do presente regulamento, os requisitos mínimos relativos à obrigatoriedade,

Leia mais

Avaliação de risco toxicológico

Avaliação de risco toxicológico Avaliação de risco toxicológico UFVJM Mestrado SaSA Disciplina de Toxicologia ambiental e de alimentos Prof. Dr. Antonio Sousa Santos A avaliação do risco é dividida em quatro momentos: Identificação do

Leia mais

PAINEL Produtos (princípios ativos) reavaliados pela ANVISA, IBAMA e MAPA. XXXV Ciclo de Reuniões da CSM/PR Foz do Iguaçú/PR, 24 de agosto de 2016

PAINEL Produtos (princípios ativos) reavaliados pela ANVISA, IBAMA e MAPA. XXXV Ciclo de Reuniões da CSM/PR Foz do Iguaçú/PR, 24 de agosto de 2016 PAINEL Produtos (princípios ativos) reavaliados pela ANVISA, IBAMA e MAPA XXXV Ciclo de Reuniões da CSM/PR Foz do Iguaçú/PR, 24 de agosto de 2016 RESUMO Legislação Federal de Agrotóxicos Necessidade do

Leia mais

Avaliação ambiental e a atuação do IBAMA no registro de agrotóxicos

Avaliação ambiental e a atuação do IBAMA no registro de agrotóxicos INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS VEIS - IBAMA Avaliação ambiental e a atuação do IBAMA no registro de agrotóxicos Reunião da Câmara Temática de Insumos Agropecuários

Leia mais

Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos PARA

Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos PARA Gerência Geral de Toxicologia Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos PARA Rejeane Gonçalves Silva Especialista em Regulação e Vigilância Sanitária Gerência Geral de Toxicologia Goiânia,

Leia mais

Proposições Legislativas que alteram a Lei nº 7.802, de 1989 Lei dos Agrotóxicos. Marcus Peixoto Consultor Legislativo

Proposições Legislativas que alteram a Lei nº 7.802, de 1989 Lei dos Agrotóxicos. Marcus Peixoto Consultor Legislativo Proposições Legislativas que alteram a Lei nº 7.802, de 1989 Lei dos Agrotóxicos Marcus Peixoto Consultor Legislativo Lei nº 7.802, de 11 de julho de 1989 Conhecida como Lei dos Agrotóxicos, dispõe sobre:

Leia mais

KAREN FRIEDRICH ABRASCO FIOCRUZ UNIRIO

KAREN FRIEDRICH ABRASCO FIOCRUZ UNIRIO KAREN FRIEDRICH ABRASCO FIOCRUZ UNIRIO NOVEMBRO 2016 OGM NO BRASIL: SAÚDE E MEIO AMBIENTE 2º maior consumidor de sementes transgênicas > 40 mi ha plantados OGM NO BRASIL: SAÚDE E MEIO AMBIENTE 2º maior

Leia mais

Programa de avaliação, reavaliação e controle de resíduos de agrotóxicos em alimentos

Programa de avaliação, reavaliação e controle de resíduos de agrotóxicos em alimentos Gerência Geral de Toxicologia Seminário Nacional de Política de Alimentação e Nutrição no SUS Painel 2 :A Política de Alimentação e Nutrição e a Regulação de alimentos Programa de avaliação, reavaliação

Leia mais

Dossiê Técnico RDC nº 36/15

Dossiê Técnico RDC nº 36/15 Dossiê Técnico RDC nº 36/15 Marcella Melo Vergne de Abreu GERÊNCIA DE PRODUTOS PARA DIAGNÓSTICO IN VITRO Itens relacionados no formulário do peticionamento Apresentação comercial Composição Amostra Informações

Leia mais

Sumário RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA RDC Nº 23 DE 4 DE ABRIL DE CAPÍTULO I... 1 DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS... 1 CAPÍTULO III...

Sumário RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA RDC Nº 23 DE 4 DE ABRIL DE CAPÍTULO I... 1 DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS... 1 CAPÍTULO III... RDC Nº 23 /2012 Dispõe sobre a obrigatoriedade de execução e notificação de ações de campo por detentores de registro de produtos para a saúde no Brasil. Sumário RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA RDC Nº

Leia mais

RESOLUÇÃO-RDC N 21, DE 10 DE ABRIL DE 2013 Altera a RDC nº 45, de 23 de junho de 2008, que dispõe sobre o procedimento administrativo relativo à prévia anuência da Anvisa para a concessão de patentes para

Leia mais

PROGRAMA SEMINÁRIO DE SAÚDE VIGILÂNCIA SANITÁRIA

PROGRAMA SEMINÁRIO DE SAÚDE VIGILÂNCIA SANITÁRIA PROGRAMA SEMINÁRIO DE SAÚDE VIGILÂNCIA SANITÁRIA Q UA LIDA DE REG ULATÓ R I A R E G U L A Ç Ã O E V I G I L Â N C I A S A N I TÁ R I A : O P R O G R A M A D E M E L H O R I A D O P R O C E S S O D E R

Leia mais

RELATÓRIO- GERÊNCIA GERAL DE TOXICOLOGIA- 2016

RELATÓRIO- GERÊNCIA GERAL DE TOXICOLOGIA- 2016 RELATÓRIO- GERÊNCIA GERAL DE TOXICOLOGIA- 2016 Principais ações, resultados e perspectivas www.anvisa.gov.br Brasília, 04 de janeiro 2017 GERÊNCIA GERAL DE TOXICOLOGIA Titular: Meiruze Sousa Freitas Assessoria

Leia mais

1º do art. 1º, vigentes na data de entrada em vigor desta Resolução, serão automaticamente cancelados.

1º do art. 1º, vigentes na data de entrada em vigor desta Resolução, serão automaticamente cancelados. RESOLUÇÃO - RDC Nº 145, DE 21 DE MARÇO DE 2017 Proíbe em todo o território nacional a fabricação, importação e comercialização, assim como o so em serviços de saúde, dos termômetros e esfigmomanômetros

Leia mais

Avanços e Desafios. Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos PARA. Gerência Geral de Toxicologia

Avanços e Desafios. Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos PARA. Gerência Geral de Toxicologia Gerência Geral de Toxicologia Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos PARA Avanços e Desafios Carlos Alexandre Oliveira Gomes Especialista em Regulação e Vigilância Sanitária Gerência

Leia mais

MISTURAS DE DEFENSIVOS

MISTURAS DE DEFENSIVOS MISTURAS DE DEFENSIVOS AGRÍCOLAS EM TANQUE Ac. Albert Kenji Hirose Ac. André Hiroshi Kobayashi Ac. Fausto Nimer Terrabuio Ac. Gustavo Takeshi Hacimoto INTRODUÇÃO Misturas em tanque associações de dois

Leia mais

Agência Nacional de Vigilância. Sanitária Consulta Pública n 87, de 2 de outubro e 2015 D.O.U de 5/10/2015

Agência Nacional de Vigilância. Sanitária  Consulta Pública n 87, de 2 de outubro e 2015 D.O.U de 5/10/2015 Agência Nacional de Vigilância Sanitária www.anvisa.gov.br Consulta Pública n 87, de 2 de outubro e 2015 D.O.U de 5/10/2015 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso das

Leia mais

Recolhimento e Destinação de Embalagens de Sementes Tratadas. Edivandro Seron

Recolhimento e Destinação de Embalagens de Sementes Tratadas. Edivandro Seron Recolhimento e Destinação de Embalagens de Sementes Tratadas Edivandro Seron Foz do Iguaçu, 25 de agosto de 2016 Aplicação da Legislação Lei nº 7.802 de 11 de julho de 1989 Decreto nº 4.074 de 4 de janeiro

Leia mais

Sessão de visão comum CABO VERDE. Cabo Verde Maio/2010

Sessão de visão comum CABO VERDE. Cabo Verde Maio/2010 Sessão de visão comum CABO VERDE Cabo Verde Maio/2010 Desempenho Determina o nivel actual do sistema de inocuidade de alimentos Visão Crear uma visao compartida de todos os integrantes do sistema Estrategia:

Leia mais

Ministério da Saúde - MS Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA. (Publicada em DOU nº 181, de 18 de setembro de 2003)

Ministério da Saúde - MS Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA. (Publicada em DOU nº 181, de 18 de setembro de 2003) RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA RDC Nº 252, DE 16 DE SETEMBRO DE 2003 (Publicada em DOU nº 181, de 18 de setembro de 2003) A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso da

Leia mais

Informe Técnico n. 65, de 23 de fevereiro de Assunto: Esclarecimentos sobre o uso de enzimas em alimentos e bebidas.

Informe Técnico n. 65, de 23 de fevereiro de Assunto: Esclarecimentos sobre o uso de enzimas em alimentos e bebidas. Informe Técnico n. 65, de 23 de fevereiro de 2015. Assunto: Esclarecimentos sobre o uso de enzimas em alimentos e bebidas. I. Introdução. Recentemente, a ANVISA publicou a Resolução de Diretoria Colegiada

Leia mais

Seção Judiciária do Distrito Federal Processo n

Seção Judiciária do Distrito Federal Processo n JUSTIÇA FEDERAL 21ª VARA FEDERAL SEÇÃO JUDICIÁRIA DO DISTRITO FEDERAL MANDADO DE SEGURANÇA SENTENÇA: 455/2008 PROCESSO n.: 2007.34.00.042525-4 IMPETRANTE: Arysta Lifescience do Brasil Indústria Química

Leia mais

Ações da Anvisa na segurança dos serviços de saúde"

Ações da Anvisa na segurança dos serviços de saúde Ações da Anvisa na segurança dos serviços de saúde" QUALIHOSP São Paulo 18/04/2011 Maria Angela da Paz Gerência Geral de Tecnologia em Serviço de Saúde - GGTES - ANVISA AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA

Leia mais

Renato Alencar Porto Brasília 23, de junho, de 2016

Renato Alencar Porto Brasília 23, de junho, de 2016 Desafios e Estratégias adotadas pela ANVISA para promover a convergência regulatória internacional e facilitar a inserção de produtos brasileiros em mercados de interesse. Renato Alencar Porto Brasília

Leia mais

Evaluación y clasificación toxicológica de plaguicidas no Brasil

Evaluación y clasificación toxicológica de plaguicidas no Brasil Oficina Intercambio de informações sobre avaliação toxicológica para registro de agrotóxicos Evaluación y clasificación toxicológica de plaguicidas no Brasil Gerência-Geral de Toxicologia Rio de janeiro

Leia mais

Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Consulta Pública n 246, de 5 de setembro de 2016 D.O.U de 6/09/2016

Agência Nacional de Vigilância Sanitária.  Consulta Pública n 246, de 5 de setembro de 2016 D.O.U de 6/09/2016 Agência Nacional de Vigilância Sanitária www.anvisa.gov.br Consulta Pública n 246, de 5 de setembro de 2016 D.O.U de 6/09/2016 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso

Leia mais

Anteprojeto de Lei. que dispõe sobre o. cadastro, a avaliação e o controle de substâncias químicas industriais.

Anteprojeto de Lei. que dispõe sobre o. cadastro, a avaliação e o controle de substâncias químicas industriais. Anteprojeto de Lei que dispõe sobre o cadastro, a avaliação e o controle de substâncias químicas industriais. 22-SET-2016 Resumo Sistemas internacionais de referência para controle de ingredientes químicos

Leia mais

Controle sanitário de agrotóxicos no Brasil: o caso do Metamidofós

Controle sanitário de agrotóxicos no Brasil: o caso do Metamidofós Controle sanitário de agrotóxicos no Brasil: o caso do Metamidofós Sanitary pesticides control in Brazil: the case of methamidophos Control Sanitario de los pesticidas en Brasil: el caso de Metamidofos

Leia mais

Departamento de Sanidade Vegetal DSV. Análise de Risco de Pragas

Departamento de Sanidade Vegetal DSV. Análise de Risco de Pragas Departamento de Sanidade Vegetal DSV Análise de Risco de Pragas Análise de risco de pragas Organização Mundial do Comércio OMC Acordo sobre Aplicação de Medidas Sanitárias e Fitossanitárias (SPS) Convenção

Leia mais

VIGILÂNCIA EM SAÚDE DE POPULAÇÕES EXPOSTAS A AGROTÓXICOS

VIGILÂNCIA EM SAÚDE DE POPULAÇÕES EXPOSTAS A AGROTÓXICOS Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador Coordenação Geral de Saúde do Trabalhador - CGST VIGILÂNCIA EM SAÚDE DE POPULAÇÕES

Leia mais

Proposta de Biblioteca de temas de Portos, Aeroportos e Fronteiras

Proposta de Biblioteca de temas de Portos, Aeroportos e Fronteiras Proposta de Biblioteca de temas de Portos, Aeroportos e Fronteiras Sumário TEMAS DO MACROTEMA PORTOS, AEROPORTOS E FRONTEIRAS... 3 TEMAS DE CARACTERÍSTICA GERAL... 4 1. Vigilância Epidemiológica em Portos,

Leia mais

Elaboração dos Processos de Registro e Pós Registro de Alimentos para Nutrição Enteral. GENE Grupo Estratégico de Nutrição Especializada

Elaboração dos Processos de Registro e Pós Registro de Alimentos para Nutrição Enteral. GENE Grupo Estratégico de Nutrição Especializada Elaboração dos Processos de Registro e Pós Registro de Alimentos para Nutrição Enteral GENE Grupo Estratégico de Nutrição Especializada Apresentação Joana Aranha Formada em Engenheira de Alimentos pela

Leia mais

Atual Cenário da Avaliação de Risco para Polinizadores no Brasil. Fórum de Especialistas CGEE 15/09/2016

Atual Cenário da Avaliação de Risco para Polinizadores no Brasil. Fórum de Especialistas CGEE 15/09/2016 Atual Cenário da Avaliação de Risco para Polinizadores no Brasil Fórum de Especialistas CGEE 15/09/2016 Karina Cham Analista Ambiental Carlos Tonelli Analista Ambiental Programação Papel do Ibama no Registro

Leia mais

O CONTROLE SANITÁRIO DE ALIMENTOS: a atuação da SNVS

O CONTROLE SANITÁRIO DE ALIMENTOS: a atuação da SNVS AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA ANVISA O CONTROLE SANITÁRIO DE ALIMENTOS: a atuação da SNVS João Tavares Neto Superintendente de Correlatos e Alimentos Agência Nacional de Vigilância Sanitária

Leia mais

Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Consulta Pública n 344, de 06 de junho de 2017 D.O.U de 07/06/2017

Agência Nacional de Vigilância Sanitária.  Consulta Pública n 344, de 06 de junho de 2017 D.O.U de 07/06/2017 Agência Nacional de Vigilância Sanitária www.anvisa.gov.br Consulta Pública n 344, de 06 de junho de 2017 D.O.U de 07/06/2017 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso das

Leia mais

Boas Práticas de Fabricação de Produtos para a Saúde. Coordenação de Inspeção de Produtos CPROD Alba Pismel

Boas Práticas de Fabricação de Produtos para a Saúde. Coordenação de Inspeção de Produtos CPROD Alba Pismel Boas Práticas de Fabricação de Produtos para a Saúde Coordenação de Inspeção de Produtos CPROD Alba Pismel Coordenação de Inspeção de Produtos Nova estrutura administrativa Principais atribuições Legislação

Leia mais

Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora

Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador Coordenação Geral de Saúde do Trabalhador Política Nacional de Saúde do Trabalhador

Leia mais

Análise de Resíduos de Pesticidas Geisa Resende Novembro/2011

Análise de Resíduos de Pesticidas Geisa Resende Novembro/2011 Análise de Resíduos de Pesticidas Geisa Resende Novembro/2011 Agenda 1. Definição de Resíduos de Pesticidas / Agrotóxicos 2. Estudos de Resíduos 3. Métodos Analíticos: Validação; LOQ / LOD; 4. Expressão

Leia mais

Avaliação de Alegações Propriedades Funcionais e ou de Saúde e Registro de Produtos com Alegações

Avaliação de Alegações Propriedades Funcionais e ou de Saúde e Registro de Produtos com Alegações WORKSHOP SOBRE ANTIOXIDANTES ILSI BRASIL Avaliação de Alegações Propriedades Funcionais e ou de Saúde e Registro de Produtos com Alegações Ana Paula de R. Peretti Giometti GPESP / GGALI / ANVISA São Paulo,

Leia mais

RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 38, DE 21 DE MARÇO DE 2001

RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 38, DE 21 DE MARÇO DE 2001 RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 38, DE 21 DE MARÇO DE 2001 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso da atribuição que lhe confere o art. 11, inciso IV, do Regulamento

Leia mais

RETIFICAÇÕES. 7º À Diretoria de Regulação Sanitária são subordinadas as seguintes Unidades Administrativas:

RETIFICAÇÕES. 7º À Diretoria de Regulação Sanitária são subordinadas as seguintes Unidades Administrativas: RETIFICAÇÕES Na Resolução - RDC Nº 6/ANVISA, de 03 de fevereiro de 206, publicada no Diário Oficial da União nº 25, de 05 de fevereiro de 206. "Art. 4º. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária terá

Leia mais

Impactos do uso de Produtos Veterinários e de Alimentos para Animais na produção de alimentos seguros

Impactos do uso de Produtos Veterinários e de Alimentos para Animais na produção de alimentos seguros Impactos do uso de Produtos Veterinários e de Alimentos para Animais na produção de alimentos seguros MARCOS VINÍCIUS DE S. LEANDRO Jr. Médico Veterinário Fiscal Federal Agropecuário Ministério da Agricultura,

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Fiscalização de atividades com organismos geneticamente modificados 15 Artigo Técnico 2 Fiscalização de Atividades

Leia mais

CONTRADIÇÕES DO CAPITALISMO NO CAMPO: O USO DE AGROTÓXICOS E OS DESAFIOS À SAÚDE HUMANA

CONTRADIÇÕES DO CAPITALISMO NO CAMPO: O USO DE AGROTÓXICOS E OS DESAFIOS À SAÚDE HUMANA Angélica Karina Dillenburg Horii CONTRADIÇÕES DO CAPITALISMO NO CAMPO: O USO DE AGROTÓXICOS E OS DESAFIOS À SAÚDE HUMANA CONTRADICTIONS OF CAPITALISM IN THE FIELD: THE USE OF PESTICIDES AND CHALLENGES

Leia mais

Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Consulta Pública n 261, de 10 de outubro de 2016 D.O.U de 11/10/2016

Agência Nacional de Vigilância Sanitária.  Consulta Pública n 261, de 10 de outubro de 2016 D.O.U de 11/10/2016 Agência Nacional de Vigilância Sanitária www.anvisa.gov.br Consulta Pública n 261, de 10 de outubro de 2016 D.O.U de 11/10/2016 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso

Leia mais

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 58, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2013.

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 58, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2013. ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 58, DE 20 DE DEZEMBRO

Leia mais

Debater o uso da fosfoetanolamina sintética para o tratamento do câncer

Debater o uso da fosfoetanolamina sintética para o tratamento do câncer Debater o uso da fosfoetanolamina sintética para o tratamento do câncer Audiência Pública Comissão de Seguridade Social e Família Meiruze Sousa Freitas Superintendente de Medicamentos e Produtos Biológicos

Leia mais

Projeto de Lei nº... de 2016 (Projeto de Iniciativa Popular)

Projeto de Lei nº... de 2016 (Projeto de Iniciativa Popular) Projeto de Lei nº... de 2016 (Projeto de Iniciativa Popular) Institui a Política Nacional de Redução de Agrotóxicos PNARA, e dá outras providencias. CAPITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1 Esta Lei institui

Leia mais

Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Consulta Pública n 284, de 13 de janeiro de 2017 D.O.U de 16/01/2017

Agência Nacional de Vigilância Sanitária.  Consulta Pública n 284, de 13 de janeiro de 2017 D.O.U de 16/01/2017 Agência Nacional de Vigilância Sanitária www.anvisa.gov.br Consulta Pública n 284, de 13 de janeiro de 2017 D.O.U de 16/01/2017 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso

Leia mais

ORIENTAÇÃO SOBRE ANÁLISE DE RESÍDUO DE AGROTÓXICOS PELA GMESP

ORIENTAÇÃO SOBRE ANÁLISE DE RESÍDUO DE AGROTÓXICOS PELA GMESP ORIENTAÇÃO SOBRE ANÁLISE DE RESÍDUO DE AGROTÓXICOS PELA GMESP 17/02/2016 O uso de agrotóxicos em plantas medicinais e a presença de seus resíduos em fitoterápicos é assunto de discussão constante e preocupação

Leia mais

O Paradoxo do Controle fitossanitário: conceito legal e prático. Luís Eduardo Pacifici Rangel Coordenação-Geral de Agrotóxicos e Afins

O Paradoxo do Controle fitossanitário: conceito legal e prático. Luís Eduardo Pacifici Rangel Coordenação-Geral de Agrotóxicos e Afins O Paradoxo do Controle fitossanitário: conceito legal e prático. Luís Eduardo Pacifici Rangel Coordenação-Geral de Agrotóxicos e Afins A Origem do Controle Parte do processo evolutivo da agricultura. Primeiros

Leia mais

Solicitação de registro dos novos medicamentos

Solicitação de registro dos novos medicamentos Terceiro Congresso das Hepatites Virais Solicitação de registro dos novos medicamentos Ricardo Borges Gerente Geral de Medicamentos Agência Nacional de Vigilância Sanitária -ANVISA João Pessoa, 18 de novembro

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte lei:

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte lei: ANTEPROJETO DE LEI Dispõe sobre o cadastro, a avaliação e o controle de substâncias químicas industriais. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte

Leia mais

Distribuição Gratuita

Distribuição Gratuita Distribuição Gratuita 2 2 SUMÁRIO 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 APRESENTAÇÃO O QUE É UMA ÁREA CONTAMINADA? O QUE É AGENTE TÓXICO? O QUE É ROTA DE EXPOSIÇÃO? ONDE PODEM ESTAR OS CONTAMINANTES? O QUE SÃO

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS EM TOXICOLOGIA

CONCEITOS BÁSICOS EM TOXICOLOGIA CONCEITOS BÁSICOS EM TOXICOLOGIA Conceitos básicos TOXICOLOGIA: Agente tóxico Organismo vivo efeito nocivo 1 Transdisciplinaridade Patologia Saúde Pública Química Física Estatística TOXICOLOGIA Farmacologia

Leia mais

O PAPEL DA ANVISA NA ALIMENTOS NO BRASIL

O PAPEL DA ANVISA NA ALIMENTOS NO BRASIL AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA O PAPEL DA ANVISA NA FISCALIZAÇÃO DA SEGURANÇA A DOS ALIMENTOS NO BRASIL III SEMINÁRIO PRO TESTE DE DEFESA DO CONSUMIDOR Alimentos: o consumidor está seguro? Gerência

Leia mais

Audiência Pública - Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara Dos Deputados (CSSF/CD) - Procedimentos da Anvisa para registro de agrotóxicos

Audiência Pública - Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara Dos Deputados (CSSF/CD) - Procedimentos da Anvisa para registro de agrotóxicos Audiência Pública - Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara Dos Deputados (CSSF/CD) - Procedimentos da Anvisa para registro de agrotóxicos ANTECEDENTES - Proposta de Fiscalização e Controle nº

Leia mais

Insumos Naturais: conceitos de registro e controle de qualidade. Luís Eduardo Pacifici Rangel Coordenação-Geral de Agrotóxicos e Afins

Insumos Naturais: conceitos de registro e controle de qualidade. Luís Eduardo Pacifici Rangel Coordenação-Geral de Agrotóxicos e Afins Insumos Naturais: conceitos de registro e controle de qualidade. Luís Eduardo Pacifici Rangel Coordenação-Geral de Agrotóxicos e Afins A Origem do Controle Parte do processo evolutivo da agricultura. Primeiros

Leia mais

Agência Nacional de Vigilância Sanitária www.anvisa.gov.br Consulta Pública n 9, de 01 de abril de 2013 D.O.U de 02/04/2013 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso das

Leia mais

V Reunião Ordinária da Comissão Interinstitucional para o Controle dos Distúrbios por Deficiência de Iodo

V Reunião Ordinária da Comissão Interinstitucional para o Controle dos Distúrbios por Deficiência de Iodo Secretaria de Políticas de Saúde Ministério da Saúde V Reunião Ordinária da Comissão Interinstitucional para o Controle dos Distúrbios por Deficiência de Iodo Brasília, 04 de Abril de 2001 Esta V Reunião

Leia mais

Controvérsias sobre agrotóxicos no Brasil. Leticia Rodrigues da Silva Brasília, 20 de setembro de 2012

Controvérsias sobre agrotóxicos no Brasil. Leticia Rodrigues da Silva Brasília, 20 de setembro de 2012 Controvérsias sobre agrotóxicos no Brasil Leticia Rodrigues da Silva Brasília, 20 de setembro de 2012 Algum mau-olhado fôra atirado àquela comunidade. Por tôda parte se via uma sombra de morte. Os lavradores

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA Nota Técnica nº 134-02 SJ-CFM Interessado: Comissão de Licitação da Prefeitura de Campinas SP Assunto: Registro de empresa fabricante de órteses e próteses Ref.: Protocolo

Leia mais

Multi-Uso Utilizável em qualquer tipo de superfície e equipamento.

Multi-Uso Utilizável em qualquer tipo de superfície e equipamento. Detergente Vero Plus Detergente de Uso Geral Econômico A concentração de ativos torna o Detergente Vero Plus um produto econômico no uso, requerendo uma pequena quantidade para uma limpeza eficiente. Versátil

Leia mais

Capacitação em Eventos

Capacitação em Eventos Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador Coordenação Geral de Vigilância em Saúde Ambiental Capacitação em Eventos VIGILÂNCIA

Leia mais

Fundação Nacional de Saúde - Funasa Departamento de Saúde Ambiental Coordenação de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico Funasa/Desam/Copet

Fundação Nacional de Saúde - Funasa Departamento de Saúde Ambiental Coordenação de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico Funasa/Desam/Copet Fundação Nacional de Saúde - Funasa Departamento de Saúde Ambiental Coordenação de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico Funasa/Desam/Copet PROJETO REMEDIAR Histórico SUCAM FUNASA Ratificação Convenção

Leia mais

Inspeção e Fiscalização de Alimentos Enterais

Inspeção e Fiscalização de Alimentos Enterais Workshop Alimentos Enterais: Segurança desde a matéria-prima até o consumidor 04 de julho de 2017 Inspeção e Fiscalização de Alimentos Enterais Claudia Darbelly Cavalieri de Moraes Gerência de Inspeção

Leia mais

Portaria nº 152, de 26 de fevereiro de 1999 (Publicada no DOU - Poder Executivo, 01 de março de 1999)

Portaria nº 152, de 26 de fevereiro de 1999 (Publicada no DOU - Poder Executivo, 01 de março de 1999) Portaria nº 152, de 26 de fevereiro de 1999 (Publicada no DOU - Poder Executivo, 01 de março de 1999) Alteração: ** Resolução nº 150, de 28 de maio de 1999, autoriza a inclusão da substância ÁCIDO DICLOROISOCIANÚRICO

Leia mais

Diário Oficial Imprensa Nacional.Nº 62 DOU 29/03/12 seção 1 - p.104

Diário Oficial Imprensa Nacional.Nº 62 DOU 29/03/12 seção 1 - p.104 Diário Oficial Imprensa Nacional.Nº 62 DOU 29/03/12 seção 1 - p.104 REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL BRASÍLIA - DF MINISTÉRIO DA SAÚDE AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA RESOLUÇÃO - RDC Nº 21, DE 28

Leia mais