UTILIZAÇÃO DA TÉCNICA DO ANAGLIFO EM BENS PATRIMONIAIS: REVISÃO DE LITERATURA E APLICAÇÕES.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UTILIZAÇÃO DA TÉCNICA DO ANAGLIFO EM BENS PATRIMONIAIS: REVISÃO DE LITERATURA E APLICAÇÕES."

Transcrição

1 p UTILIZAÇÃO DA TÉCNICA DO ANAGLIFO EM BENS PATRIMONIAIS: REVISÃO DE LITERATURA E APLICAÇÕES. Mestranda LUDMILLA DE OLIVEIRA CALADO 1 Prof. Dr. CARLOS ALBERTO BORBA SCHULER 2 Universidade Federal de Pernambuco - UFPE Centro de Tecnologia e Geociências - CTG Programa de Pós-Graduação em Ciências Geodésicas e Tecnologias da Geoinformação - PPGCGTG, Recife, PE 1 2 RESUMO A fotogrametria possui uma diversidade de áreas de aplicação, tornando-a uma excelente ferramenta de monitoramento, análise, quantificação e qualificação. Partindo deste princípio, torna-se importante a investigação de técnicas fotogramétricas aplicadas a áreas de análises que necessitem de tais procedimentos. O anaglifo se adequa a este modelo de análise, pois, além de ser considerado de baixo custo e fácil obtenção e manuseio, permite que o usuário observe e analise objetos em imagens tridimensionais, como as características estruturais dos bens patrimoniais. Com este intuito, o presente artigo tem como alvo a revisão de literatura e aplicações da técnica do anaglifo, comparando o seu emprego em diferentes bens patrimoniais históricos, apoiadas em materiais e métodos diferenciados, analisando, desta forma, a sua eficiência. ABSTRACT - Photogrammetry has a diverse range of application areas, making it an excellent tool for monitoring, analysis, quantification and qualification. With this assumption, it is important to photogrammetric research techniques applied to areas of analysis that require such procedures. The anaglyph is suitable for this type of analysis because, in addition to lower cost and easy handling, it allows the user to monitor and review images from three-dimensional objects, such as structural features of the property. This paper aims to review the state-of-the-art and applications of anaglyph techniques, comparing the use of the same technique in different historical heritages, with supporting materials and different methods, thus analyzing the efficiency of this technique. 1 INTRODUÇÃO A análise e monitoramento da estrutura física de bens patrimoniais é um problema recorrente enfrentado por diversos pesquisadores em todo o mundo. A grande maioria das edificações centenárias passa por degradações ocorridas pela falta de monitoramento, conservação e preservação. Esta problemática poderia ser solucionada com a intervenção em suas estruturas que recuperam as estruturas de suas construções, mas que também podem causar danos caso sejam conduzidas de formas inadequadas. Seguindo neste contexto insere-se a fotogrametria, que serve como ferramenta para o monitoramento das estruturas arquitetônicas dos bens patrimoniais, registrando tridimensionalmente os objetos a serem analisados e fornecendo uma visualização e verificação das reais condições de uma edificação. Uma das técnicas utilizadas é o anaglifo, procedimento estereoscópico que permite a observação de imagens tridimensionais, sendo este o método utilizando em duas pesquisas elaboradas pelos autores Schuler et al (2008) e Habeyche & Méndez (2007), ambos utilizando bens patrimoniais como objetos de análise. Desta forma, o presente artigo tem como foco a revisão de literatura sobre o temário proposto e a avaliação da eficácia do método estereoscópico por anaglifo baseando-se em duas experiências realizadas em patrimônios históricos distintos, observando a instrumentação e resultados observados em cada pesquisa. 2 REFERENCIAL TEÓRICO A fotogrametria, derivada das palavras gregas photos (luz), gramma (algo desenhado ou escrito) e metron (medir), tem como significado a medição gráfica utilizando a luz (TOMMASELLI et al, 1999). Para a American Society of Photogrammetry and Remote Sensing, ASPRS, a fotogrametria é definida como a arte, ciência e tecnologia de obter informações confiáveis

2 p sobre objetos físicos e o meio ambiente através de processos de registro, medições e interpretações das imagens fotográficas e padrões de energia eletromagnética radiante e outros fenômenos (ARAUJO, 2005). Para Araujo (2005), a fotogrametria tem como alvo a reconstrução de espaço tridimensional (espaçoobjeto) a partir de imagens bidimensionais (espaçoimagem), possuindo duas áreas distintas de atuação: a fotogrametria métrica e a fotogrametria interpretativa. A primeira relaciona-se a medição precisa a partir da fotografia determinando distâncias, ângulos, volumes, entre outros. Já a fotogrametria interpretativa foca-se no reconhecimento e interpretação do espaço através de análise. Em função do posicionamento espacial da câmara e a finalidade, adotou-se na fotogrametria uma classificação para os tipos de obtenção das fotografias, que são a fotogrametria orbital, uma técnica que abrange os casos de fotografias ou imagens extraterrestres onde a câmara pode ser fixada em um satélite artificial; a fotogrametria aérea (aerofotogrametria), envolvida com a geomática onde as fotografias do terreno são tomadas por uma câmara de precisão acoplada a uma aeronave; e a fotogrametria terrestre na qual as fotografias são tomadas de uma posição fixa no terreno (TOMMASELLI et al, 1999). A fotogrametria à curta distância encaixa-se na Fotogrametria Terrestre com o conceito da proximidade entre a câmara e o objeto a ser fotografado (TOMMASELLI et al, 1999). Segundo Cooper & Robson (1996), esta técnica foca na reconstrução de superfícies de objetos cuja distância entre ele e a câmara seja inferior a 100 metros. É uma técnica que vem sendo aplicada em diversas áreas como arquitetura, controle industrial, engenharia civil, artes plásticas e medicina (BRITO & COELHO, 2002). A estereoscopia, segundo Amorim (2000), trata de um fenômeno natural resultante do emprego dos princípios da visão binocular à visualização de duas fotografias de um mesmo objeto, obtidas de pontos de vista diferentes, fazendo com que cada imagem seja vista com um olho, resultando na percepção de profundidade ou terceira dimensão. Existem diversos métodos de obtenção da visão estereoscópica como o estereoscópio de lente, o estereoscópio de reflexão, luz polarizada, cintilamento, holografia, lenticular e anaglifo, sendo este último o método utilizado nesta pesquisa (ARAUJO, 2005). O anaglifo consiste no uso de filtros de cores complementares, usualmente vermelho e azul ou verde, no par de fotografias estereoscópicas para separar as projeções da esquerda e direita. Admite-se que o filtro azul ou verde é colocado sobre a fonte de luz do projetor esquerdo simultaneamente ao uso do filtro vermelho no projetor direito, o que permite que o operador, utilizando o óculos com lentes vermelha e azul ou verde, observe a imagem projetada em terceira dimensão (SCHULER & ARAUJO, 2005). A Figura 1 mostra um modelo desse óculos. Figura 1: óculos para visualização da imagem anaglifo. O uso deste método pode ser aplicado nas fotografias aéreas com foco no planejamento e estudo de áreas ocupadas, e também nas fotografias terrestres a curta distância com o uso nas áreas de medicina, engenharia civil e arquitetura. Existem grandes vantagens no uso desta técnica como o baixo custo de sua tecnologia e a visualização e análise do material por várias pessoas ao mesmo tempo e em um mesmo local (ARAUJO, 2005). A Figura 2 exemplifica esse tipo de imagem.

3 p Figura 2 Imagem anaglifo da fachada de uma edificação (Disperatti e Filho, 2005) Sendo utilizado como objeto de análise deste artigo, o Patrimônio, termo originado da palavra pater que significa pai ou paterno, representa os bens de herança que são transmitidos aos filhos, contudo ao longo do tempo, este significado foi estendido aos bens de determinados grupos social passados para gerações futuras como forma de transmissão de conhecimentos (MURGUIA & YASSUDA, 2007). Segundo Santos (2001), apenas no final do século XVIII que o patrimônio detém a idéia de um item comum a um grupo social, definidor de sua identidade. Um importante grupo que se destaca é a Igreja que, durante a Idade Média, possuía objetos de altíssimo valor material que representavam a fé cristã. Muitos desses objetos formavam parte dos tesouros da Igreja e outros eram passados de geração a geração como verdadeiras relíquias. Além dos objetos, observa-se que os cultos, as vestimentas, as cerimônias, foram preservados pela Igreja, mantendo-se, dessa forma, o patrimônio da tradição cristã (MURGUIA & YASSUDA, 2007). Só a partir da segunda década do século XIX que o valor artístico dos bens patrimoniais passou a ser reconhecido com o critério de preservação. Segundo Choay ( 2001 apud MURGUIA & YASSUDA, 2007), essa mudança ocorreu durante a Revolução Francesa quando os bens da nobreza e clero foram confiscados tendo diversos destinos; bens móveis em museus e bens imóveis receberiam nova utilização. A partir disto, foi necessário que existissem regras quanto a administração destes monumentos, o que originou a Comissão dos monumentos responsável pelo tombamento e inventariado destes bens. Desta forma, os bens foram preservados em locais protegidos, garantindo assim a sua conservação. Outro ponto de grande importância para a história do patrimônio refere-se à carta de Veneza, resultado de um evento ocorrido em maio de 1964, o Congresso Internacional de Arquitetos e Técnicos do Monumento Histórico. Baseada na defesa da grande relevância de preservação mundial, a Carta de Veneza estabeleceu princípios que guiavam à preservação e restauração de monumentos históricos tendo cada país a responsabilidade de administrar sua cultura e tradição. Em território brasileiro, a história de defesa do patrimônio surge na Constituição de 1934 cabendo a União e os Estados a proteção das belezas naturais e monumentos de valor histórico e artístico. Alguns anos após, o Decreto-Lei nº 25 de oficializou o

4 p resguardo dos bens naturais sendo a primeira lei nacional de proteção ao patrimônio no Brasil. Seguindo esta linha, a fotogrametria se encaixa como ferramenta de análise, contribuindo na pesquisa e identificação de bens patrimoniais além de colaborar na utilização adequada e sustentável de cada monumento, possibilitando a interação dos usuários com um registro preciso e especializado. 3 TRABALHOS SEMELHANTES Considerando a ainda pequena contribuição de artigos relacionados ao uso da técnica fotogramétrica do anaglifo aplicado a bens patrimoniais, destacam-se as publicações de Schuler et al (2008) e Habeyche e Mendéz (2007). Em seu artigo, Schuler et al. utilizaram, como área de análise, o Convento de São Francisco, formado pelo complexo arquitetônico constituído pela Igreja de Nossa Senhora das Neves, Capela de São Roque e o Cruzeiro, instalado no pátio, em frente ao convento. Esse complexo está localizado no município de Olinda, PE, integrado ao Sítio Histórico que é protegido pela UNESCO desde 1982, quando o município obteve o título de Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade. Em sua pesquisa esses autores tiveram como foco o registro de imagens empregando a técnica fotogramétrica do anaglifo nos altares principal e lateral e no Cruzeiro. Utilizando uma câmara fotográfica analógica; foram obtidos pares de fotografias à curta distância, pancromáticas coloridas e, posteriormente, digitalizadas. As tomadas entre as fotografias da esquerda e da direita foram feitas com uma distância de 20 cm entre elas para conduzir a um adequado recobrimento estereoscópico. Além disto, foi realizado o georreferenciamento do conjunto arquitetônico com fins de localização geral da área de análise. Os autores afirmam ter obtido como resultado a verificação da riqueza dos aspectos visuais do material analisado, comprovando a eficácia do anaglifo como método no registro de patrimônios históricos. As figuras 3 e 4 mostram os resultados obtidos. Figura 3 Registro fotográfico do par estereoscópico do Convento de São Roque, Olinda / PE (Schuler et al., 2008)

5 p Figura 4 Anaglifo do altar principal do Convento de São Roque Olinda/PE (Schuler et al., 2008) A pesquisa efetuada por Habeyche e Méndez (2007) utilizou, como área de análise, um importante patrimônio histórico do Rio Grande do Sul, a Catedral de São Francisco de Paula. Os autores também utilizaram a técnica fotogramétrica do anaglifo, mas com aplicações e equipamentos diferenciados. Para a realização do trabalho, foram utilizadas duas câmaras separadas por um pequeno suporte metálico que simulava a distância dos dois olhos. No registro fotográfico panorâmico do local, foi realizada uma seqüência de tomadas de pares estereoscópicos feitos com a câmara apoiada em um tripé. Na Figura 5 é possível visualizar o equipamento e, nas Figuras 6 e 7 os resultados obtidos. Figura 5- Equipamento utilizado por Habeyche e Méndez.

6 p BRITO, J. N.; COELHO, L. Fotogrametria Digital. Instituto Militar de Engenharia. 1ª ed. Rio de Janeiro, Brasil: p. Figura 6 Conjunto de fotos utilizado no registro panorâmico de Habeyeche e Méndez (2007) CHOAY, F. A alegoria do patrimônio. São Paulo: Editora UNESP p. COOPER, M.A.R., ROBSON, S. Theory of close range photogrammetry. In: Close range photogrammetry and machine vision Whittles Publishing. DISPERATI, A.A., OLIVEIRA FILHO, P.C.O. Uso de anaglifos digitais como ferramenta auxiliar na fotointerpretação ambiental. Revista de Ciências Exatas e Naturais. Vol. 7, Nº 2, Jul/Dez Figura 7 Resultado do anaglifo realizado por Habeyeche e Méndez (2007) O foco dado e alcançado nessa pesquisa foi a obtenção de fotografias estereoscópicas panorâmicas de todo o salão da Catedral, observando a questão da profundidade e, com isso, percebendo a melhoria na observação dos detalhes arquitetônicos do local. 4 CONCLUSÕES O registro do patrimônio histórico é muito deficiente no Brasil. Assim, para suprir esta lacuna, buscou-se com esse artigo realizar o levantamento bibliográfico do temário que envolve a técnica do anaglifo e suas aplicações em bens patrimoniais. Após análise em diversas fontes bibliográficas, conclui-se que a produção literária sobre o temário geral é densa, entretanto ainda é bastante escassa a produção de pesquisas utilizando aplicações neste âmbito. Além disto, trata-se de uma contribuição a literatura desta área por existirem poucas pesquisas e análises envolvendo o uso desta técnica em bens patrimoniais. 5 REFERÊNCIAS AMORIM, A. Utilização de Modelos Estereoscópicos Híbridos na Atualização Cartográfica. Tese de Doutorado, Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo. São Carlos - SP, p. ARAUJO, L.L.. Avaliação da dinâmica de áreas urbanas ocupadas por assentamentos irregulares utilizando visão estereoscópica por imagens anaglifo. Recife: O Autor, p. HABEYCHE, S.C.., MÉNDEZ, R.B.. A arquitetura para fins arquitetônicos e urbanísticos. GRÁPHICA XVIII Simpósio Nacional de Geometria Descritiva e Desenho Técnico. Curitiba Paraná MURGUIA, Eduardo I., YASSUDA, Silvia N. Patrimônio Histórico-Cultural: critérios para tombamento de bibliotecas pelo IPHAN. Perspectivas em Ciência da Informação. V. 12, p.64-82, 2007 SANTOS, Cecilia H. G. R. dos. Novas fronteiras e novos pactos para o patrimônio cultural. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v. 15, n. 02, p , SCHULER, Carlos. A. B.; ARAUJO, L. L. Detecção de Assentamentos Irregulares em Áreas de Risco e Classificação das Habitações Utilizando Imagens Anaglifo Uma Forma de Apoiar o Planejamento Urbano. In: Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, 12, (SBSR), de abril 2005, Goiânia. Anais. São José dos Campos: INPE, Artigos. CD- ROM, On line. ISBN SCHULER, C. A. B., SILVA, V, FORMIGA, M. Visualização em 3D das características arquitetônicas de monumentos históricos georreferenciados utilizando imagens anaglifo. II Simpósio Brasileiro de Ciências Geodésicas e Tecnologias da Geoinformação. Recife de setembro de 2008 TOMMASELLI, A. M. G.; SILVA, J. F. C da; HASEGAWA, J. K.; GALO, M.; DAL POZ, A. P. Fotogrametria: aplicações a curta distância. In: MENEGUETE Jr, M.; ALVES, N. (organizadores), FCT 40 anos, Perfil Científico Educacional, Presidente Prudente SP, p , 1999

Geomática Aplicada à Engenharia Civil. 1 Fotogrametria

Geomática Aplicada à Engenharia Civil. 1 Fotogrametria Geomática Aplicada à Engenharia Civil 1 Fotogrametria Conceitos 2 Segundo Wolf (1983), a Fotogrametria pode ser definida como sendo a arte, a ciência e a tecnologia de se obter informações confiáveis de

Leia mais

Universidade do Estado de Santa Catarina Departamento de Engenharia Civil TOPOGRAFIA II. Profa. Adriana Goulart dos Santos

Universidade do Estado de Santa Catarina Departamento de Engenharia Civil TOPOGRAFIA II. Profa. Adriana Goulart dos Santos Universidade do Estado de Santa Catarina Departamento de Engenharia Civil TOPOGRAFIA II Profa. Adriana Goulart dos Santos Aerofotogrametria Fotogrametria é a ciência aplicada que se propõe a registrar,

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE PHOTOMODELER NA PRODUÇÃO DE ORTOFOTO DO MONUMENTO EM HOMENAGEM A JOAQUIM AMAZONAS LOCALIZADO NA AV. DOS REITORES -UFPE

UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE PHOTOMODELER NA PRODUÇÃO DE ORTOFOTO DO MONUMENTO EM HOMENAGEM A JOAQUIM AMAZONAS LOCALIZADO NA AV. DOS REITORES -UFPE p. 001-006 UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE PHOTOMODELER NA PRODUÇÃO DE ORTOFOTO DO MONUMENTO EM HOMENAGEM A JOAQUIM AMAZONAS LOCALIZADO NA AV. DOS REITORES -UFPE CAROLINE MARTINS PEREIRA ALBINO FERREIRA DE FRANÇA

Leia mais

Dados para mapeamento

Dados para mapeamento Dados para mapeamento Existem dois aspectos com relação aos dados: 1. Aquisição dos dados para gerar os mapas 2. Uso do mapa como fonte de dados Os métodos de aquisição de dados para o mapeamento divergem,

Leia mais

III Simpósio Brasileiro de Ciências Geodésicas e Tecnologias da Geoinformação Recife - PE, 27-30 de Julho de 2010 p. 001-007

III Simpósio Brasileiro de Ciências Geodésicas e Tecnologias da Geoinformação Recife - PE, 27-30 de Julho de 2010 p. 001-007 p. 001-007 IMAGENS ANAGLIFO GEORREFERENCIADAS PARA ANÁLISE EM 3D DAS CARACTERÍSTICAS ARQUITETÔNICAS DA IGREJA DE SÃO GONÇALO NO MUNICÍPIO DO RECIFE (PE) COM OS SOFTWARES ANAMAKER E PHOTOSHOP Mestranda

Leia mais

SENSORIAMENTO REMOTO APLICADO AO CADASTRO URBANO

SENSORIAMENTO REMOTO APLICADO AO CADASTRO URBANO SENSORIAMENTO REMOTO APLICADO AO CADASTRO URBANO 04/04/2013 Leonardo Scharth Loureiro Silva Sumário 1 Fundamentos básicos de Sensoriamento Remoto 2 Levantamento aerofotogramétrico para fins de cadastro

Leia mais

Reabilitação e Reforço de Estruturas

Reabilitação e Reforço de Estruturas Mestrado em Engenharia Civil 2011 / 2012 Reabilitação e Reforço de Estruturas Aula 06: Métodos de inspecção e diagnóstico. 6.2. Aplicação da tecnologia laser scanning à reabilitação do espaço construído.

Leia mais

Eixo Temático ET-02-001 - Gestão de Áreas Protegidas A FOTOGRAFIA NA GESTÃO DOS IMÓVEIS DE PROTEÇÃO DE ÁREA VERDE DO RECIFE-PE

Eixo Temático ET-02-001 - Gestão de Áreas Protegidas A FOTOGRAFIA NA GESTÃO DOS IMÓVEIS DE PROTEÇÃO DE ÁREA VERDE DO RECIFE-PE 141 Eixo Temático ET-02-001 - Gestão de Áreas Protegidas A FOTOGRAFIA NA GESTÃO DOS IMÓVEIS DE PROTEÇÃO DE ÁREA VERDE DO RECIFE-PE Yasodhara Silva Lacerda; Mônica de Moraes Barbosa; Adriana Carla Pontes

Leia mais

Fotogrametria (definição clássica):

Fotogrametria (definição clássica): Fotogrametria (definição clássica): Pode ser definida como a Ciência, Arte e Tecnologia de se obterem Medidas dignas de confiança por meios de Fotografias É derivada de três palavras de origem grega que

Leia mais

Sistemas Sensores. Introdução

Sistemas Sensores. Introdução Sistemas Sensores 5ª Aulas Introdução O sol foi citado como sendo uma fonte de energia ou radiação. O sol é uma fonte muito consistente de energia para o sensoriamento remoto (REM). REM interage com os

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE FOTOGRAMETRIA TERRESTRE PARA MODELAGEM 3D DE IMÓVEIS NA CIDADE DE JOÃO PESSOA - PB.

UTILIZAÇÃO DE FOTOGRAMETRIA TERRESTRE PARA MODELAGEM 3D DE IMÓVEIS NA CIDADE DE JOÃO PESSOA - PB. p. 001-006 UTILIZAÇÃO DE FOTOGRAMETRIA TERRESTRE PARA MODELAGEM 3D DE IMÓVEIS NA CIDADE DE JOÃO PESSOA - PB. AYOBAMI IWA ZENABU BADIRU ANNA RAQUEL DIONÍSIO RAMOS LUCIANNY ROBERTA DAMASCENA DOS SANTOS GLAUCIENE

Leia mais

FOTOGRAMETRIA DIGITAL. Rogério Mercandelle Santana Universidade Federal de Viçosa Departamento de Solos

FOTOGRAMETRIA DIGITAL. Rogério Mercandelle Santana Universidade Federal de Viçosa Departamento de Solos FOTOGRAMETRIA DIGITAL Rogério Mercandelle Santana Universidade Federal de Viçosa Departamento de Solos O que é Fotogrametria? A Fotogrametria é, segundo a American Society for Photogrammetry and Remote

Leia mais

E D I T A L. 2 - Da documentação exigida para inscrição no Exame de Seleção e Admissão:

E D I T A L. 2 - Da documentação exigida para inscrição no Exame de Seleção e Admissão: SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE TECNOLOGIA E GEOCIÊNCIAS Programa de Pós-Graduação em Ciências Geodésicas e Tecnologias da Geoinformação - Curso de Mestrado (Aprovado

Leia mais

1 bethqueiroz@gmail.com 2 cschuler@ufpe.br

1 bethqueiroz@gmail.com 2 cschuler@ufpe.br APLICAÇÃO DE IMAGEM 3D, ATRAVÉS DE ANAGLIFO, PARA FINS DE OBSERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO CULTURAL RELIGIOSO EM RECIFE PE Universidade Federal de Pernambuco UFPE Programa de Pós-Graduação em Ciências Geodésicas

Leia mais

MAPEAMENTO FLORESTAL

MAPEAMENTO FLORESTAL MAPEAMENTO FLORESTAL ELISEU ROSSATO TONIOLO Eng. Florestal Especialista em Geoprocessamento OBJETIVO Mapear e caracterizar a vegetação visando subsidiar o diagnóstico florestal FUNDAMENTOS É uma ferramenta

Leia mais

UFPB PRG X ENCONTRO DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA

UFPB PRG X ENCONTRO DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA 2CTDAMT06.P METODOLOGIAS DE INVENTÁRIO PARA RESTAURO DE EDIFICAÇÕES DE VALOR PATRIMONIAL Carolina Marques Chaves (2) ; Maria Berthilde Moura Filha (3) Centro de Tecnologia/Departamento de Arquitetura e

Leia mais

Prof. Marcelo Henrique dos Santos

Prof. Marcelo Henrique dos Santos POR QUE ESTUDAR COMPUTAÇÃO GRÁFICA? Quem quiser trabalhar em áreas afins: Entretenimento Jogos e filmes Visualização Simulação de fenômenos físicos Arte computadorizada Educação e treinamento Processamento

Leia mais

Grupo: Irmandade Bruna Hinojosa de Sousa Marina Schiave Rodrigues Raquel Bressanini Thaís Foffano Rocha

Grupo: Irmandade Bruna Hinojosa de Sousa Marina Schiave Rodrigues Raquel Bressanini Thaís Foffano Rocha Projeto de Engenharia Ambiental Sensoriamento remoto e Sistema de Informação Geográfica Grupo: Irmandade Bruna Hinojosa de Sousa Marina Schiave Rodrigues Raquel Bressanini Thaís Foffano Rocha Sensoriamento

Leia mais

Forma de Captura de Imagens Digitais:

Forma de Captura de Imagens Digitais: Forma de Captura de Imagens Digitais: - Câmaras Digitais. -Videografia. - Scanner Normal. - Scanner plano B/P (tons de cinza). - Scanner plano Colorido. - Scanner plano profissional. - Scanner de tambor.

Leia mais

Tecnologias Digitais de Geoprocessamento

Tecnologias Digitais de Geoprocessamento Gilberto Pessanha Ribeiro Engenheiro Cartógrafo - UERJ Mestre em Ciências Geodésicas - UFPR Doutor em Geografia UFF Especialista em Geologia do Quaternário Museu Nacional/UFRJ gilberto@eng.uerj.br gilberto@globalgeo.com.br

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA-PRP Instituto de Física Gleb Wataghin IFGW

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA-PRP Instituto de Física Gleb Wataghin IFGW UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA-PRP Instituto de Física Gleb Wataghin IFGW Montagem e Alinhamento de Sistemas de Imagens Tridimensionais João Guilherme Silva Ribeiro Bolsista

Leia mais

AVALIAÇÃO DA POTENCIALIDADE DE IMAGENS TRIDIMENSIONAIS EM MEIO DIGITAL PARA O MAPEAMENTO GEOMORFOLÓGICO

AVALIAÇÃO DA POTENCIALIDADE DE IMAGENS TRIDIMENSIONAIS EM MEIO DIGITAL PARA O MAPEAMENTO GEOMORFOLÓGICO AVALIAÇÃO DA POTENCIALIDADE DE IMAGENS TRIDIMENSIONAIS EM MEIO DIGITAL PARA O MAPEAMENTO Tissiana de Almeida de Souza Universidade Estadual de Campinas tissianasouza@ige.unicamp.br Regina Célia de Oliveira

Leia mais

RESOLUÇÃO. Artigo 3º - O Plano de Implantação, Conteúdo Programático e demais características do referido Curso constam do respectivo Processo.

RESOLUÇÃO. Artigo 3º - O Plano de Implantação, Conteúdo Programático e demais características do referido Curso constam do respectivo Processo. RESOLUÇÃO CONSEPE 59/2001 ALTERA O CURRÍCULO DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO, DO CÂMPUS DE ITATIBA, DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE,

Leia mais

Inovação Tecnológica no Cadastro Técnico Multifinalitário

Inovação Tecnológica no Cadastro Técnico Multifinalitário Inovação Tecnológica no Cadastro Técnico Multifinalitário Amilton Amorim Universidade Estadual Paulista - UNESP. Departamento de Cartografia Presidente Prudente SP. Grupo de Pesquisa em Aquisição e Representação

Leia mais

044.ASR.SRE.16 - Princípios Físicos do Sensoriamento Remoto

044.ASR.SRE.16 - Princípios Físicos do Sensoriamento Remoto Texto: PRODUTOS DE SENSORIAMENTO REMOTO Autor: BERNARDO F. T. RUDORFF Divisão de Sensoriamento Remoto - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais São José dos Campos-SP - bernardo@ltid.inpe.br Sensoriamento

Leia mais

The use of 3D Laser Scanning for lifting facades of the historic center of Porto Nacional TO

The use of 3D Laser Scanning for lifting facades of the historic center of Porto Nacional TO 88 A utilização do 3D Laser Scanning para levantamento de fachadas do Centro Histórico de Porto Nacional TO The use of 3D Laser Scanning for lifting facades of the historic center of Porto Nacional TO

Leia mais

GEONFORMAÇÃO PARA NÃO ESPECIALISTAS

GEONFORMAÇÃO PARA NÃO ESPECIALISTAS GEONFORMAÇÃO PARA NÃO ESPECIALISTAS - Produtos Cartográficos - Geoprocessamento - Sistemas de Informações Geográficas (GIS) - Serviços de Mapas - Demo de um GIS aplicado na PMSP CARTOGRAFIA (conceitos)

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 17 DE JUNHO DE 2010 (*)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 17 DE JUNHO DE 2010 (*) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 17 DE JUNHO DE 2010 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de graduação em Arquitetura

Leia mais

A ANÁLISE E A IMPLEMENTAÇÃO DE UM AMBIENTE COMPUTACIONAL TRIDIMENSONAL DE ENTRETENIMENTO DIGITAL

A ANÁLISE E A IMPLEMENTAÇÃO DE UM AMBIENTE COMPUTACIONAL TRIDIMENSONAL DE ENTRETENIMENTO DIGITAL V Mostra Interna de Trabalhos de Iniciação Científica 26 a 29 de outubro de 2010 ISBN 978-85-61091-69-9 A ANÁLISE E A IMPLEMENTAÇÃO DE UM AMBIENTE COMPUTACIONAL TRIDIMENSONAL DE ENTRETENIMENTO DIGITAL

Leia mais

www.efoto.eng.uerj.br PROJETO E-FOTO: UMA ESTAÇÃ EDUCACIONAL EM AMBIENTE DE SOFTWARE LIVRE

www.efoto.eng.uerj.br PROJETO E-FOTO: UMA ESTAÇÃ EDUCACIONAL EM AMBIENTE DE SOFTWARE LIVRE Autores: Grupo de Pesquisa Multidisciplinar em Geomática: Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) Programa de Mestrado Acadêmico em Engenharia de Computação Área de Concentração: GEOMÁTICA (Departamento

Leia mais

1º SEMESTRE. 1. Análise e Percepção da Forma da Arquitetura 05 75h - 2. Desenho I 05 75h - 4. Geometria Descritiva 05 75h -

1º SEMESTRE. 1. Análise e Percepção da Forma da Arquitetura 05 75h - 2. Desenho I 05 75h - 4. Geometria Descritiva 05 75h - V- MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE BACHARELADO EM ARQUITETURA E URBANISMO 1º SEMESTRE 1. Análise e Percepção da Forma da Arquitetura 05 75h - 2. Desenho I 05 75h - 3. Estética e História das Artes 05 75h

Leia mais

Disciplina: Leituras Cartográficas e Interpretações Estatísticas II Carga Horária total 75H

Disciplina: Leituras Cartográficas e Interpretações Estatísticas II Carga Horária total 75H Disciplina: Leituras Cartográficas e Interpretações Estatísticas II Carga Horária total 75H PLANO DE CURSO I - EMENTA Gráficos e diagramas; Cartogramas; Nivelamento topográfico; Interpretação de imagens;

Leia mais

UTILIZAÇÃO DA TECNOLOGIA LIDAR EM PROJETOS DE ENGENHARIA DE INFRAESTRUTURA VIÁRIA

UTILIZAÇÃO DA TECNOLOGIA LIDAR EM PROJETOS DE ENGENHARIA DE INFRAESTRUTURA VIÁRIA XI CONGRESSO NACIONAL Y VIII LATINOAMERICANO DE AGRIMENSURA UTILIZAÇÃO DA TECNOLOGIA LIDAR EM PROJETOS DE ENGENHARIA DE INFRAESTRUTURA VIÁRIA Eng. Cart. Bruno da Cunha Bastos (1) Eng. Cart. MSc. Leonardo

Leia mais

Integração Laser Scanner - BIM

Integração Laser Scanner - BIM Fernando Cesar Ribeiro Toppar Engenharia de Levantamentos Marcelo Nepomuceno Uso da nuvem de pontos geradas em levantamentos por Laser Scanner para modelagem de geometria e informações para construção

Leia mais

APLICAÇÕES DO LASER SCANNER EM TOPOGRAFIA E GEOMÁTICA

APLICAÇÕES DO LASER SCANNER EM TOPOGRAFIA E GEOMÁTICA APLICAÇÕES DO LASER SCANNER EM TOPOGRAFIA E GEOMÁTICA Adriano Scheuer Gerente de Contas FARO Laser Scanner 08/05/2014. AGENDA 1. Introdução sobre a FARO 2. Apresentação básica sobre a tecnologia de Scanner

Leia mais

Cadastro Técnico do patrimônio histórico da cidade de João Pessoa-PB utilizando técnicas de Geoprocessamento

Cadastro Técnico do patrimônio histórico da cidade de João Pessoa-PB utilizando técnicas de Geoprocessamento Anais XV Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto - SBSR, Curitiba, PR, Brasil, 30 de abril a 05 de maio de 2011, INPE p.4428 Cadastro Técnico do patrimônio histórico da cidade de João Pessoa-PB utilizando

Leia mais

A LEI CIDADE LIMPA EM LONDRINA E AS POSSIBILIDADES DE PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO-CULTURAL

A LEI CIDADE LIMPA EM LONDRINA E AS POSSIBILIDADES DE PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO-CULTURAL 1 A LEI CIDADE LIMPA EM LONDRINA E AS POSSIBILIDADES DE PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO-CULTURAL Colégio Londrinense Alunos(as): Natalia Bergamini da Silva Lucas Tsuchya Hubacek Nasser Nasser Orientadora

Leia mais

USO DO MATLAB NA GERAÇÃO DE IMAGEM SINTÉTICA COM MENOR PROPORÇÃO DE NUVEM

USO DO MATLAB NA GERAÇÃO DE IMAGEM SINTÉTICA COM MENOR PROPORÇÃO DE NUVEM p.001 de 005 USO DO MATLAB NA GERAÇÃO DE IMAGEM SINTÉTICA COM MENOR PROPORÇÃO DE NUVEM JOSÉ ARIMATÉIA BARROSO NETO ANA LÚCIA BEZERRA CANDEIAS Universidade Federal de Pernambuco - UFPE Centro de Tecnologia

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 6, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 6, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 6, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1 Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de graduação em Arquitetura

Leia mais

Técnicas de Cartografia Digital

Técnicas de Cartografia Digital Técnicas de Cartografia Digital Maria Cecília Bonato Brandalize 2011 Aula 8 1. Vetoriais 2. Matriciais 3. Vantagens e Desvantagens 1. Vetoriais 2. Matriciais 3. Vantagens e Desvantagens Como são representados

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA (I)

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA (I) UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE BIOSSISTEMAS DISCIPLINA: LEB450 TOPOGRAFIA E GEOPROCESSAMENTO II PROF. DR. CARLOS ALBERTO VETTORAZZI

Leia mais

RBMC-IP. Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo dos Sistemas GNSS em Tempo Real. Diretoria de Geociências DGC Coordenação de Geodésia - CGED

RBMC-IP. Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo dos Sistemas GNSS em Tempo Real. Diretoria de Geociências DGC Coordenação de Geodésia - CGED RBMC-IP Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo dos Sistemas GNSS em Tempo Real Diretoria de Geociências DGC Coordenação de Geodésia - CGED 06 de Maio de 2009 Sumário Sistema GPS Técnica de Posicionamento

Leia mais

Departamento de Engenharia Civil Caixa Postal 476 - CEP:88010/970 - Florianópolis, SC {lia, lapolli, franzoni}@ecv.ufsc.br

Departamento de Engenharia Civil Caixa Postal 476 - CEP:88010/970 - Florianópolis, SC {lia, lapolli, franzoni}@ecv.ufsc.br O Ensino de Sensoriamento Remoto, Sistema de Informações Geográficas e Fotogramentria nos Cursos de Graduação e Pós-Graduação em Engenharia Civil na UFSC LIA CAETANO BASTOS 1 ÉDIS MAFRA LAPOLLI 1 ANA MARIA

Leia mais

Compreendendo os Efeitos da Projeção nas Imagens Aéreas

Compreendendo os Efeitos da Projeção nas Imagens Aéreas Compreendendo os Efeitos da Projeção nas Imagens Aéreas Introdução Com a atual popularização dos sistemas CAD, ficou muito fácil para usuários de cartografia carregarem um arquivo vetorial, oriundo de

Leia mais

A EVOLUÇÃO DOS MÉTODOS DE VISUALIZAÇÃO DO ESPAÇO URBANO COM BASE NA FOTOGRAFIA

A EVOLUÇÃO DOS MÉTODOS DE VISUALIZAÇÃO DO ESPAÇO URBANO COM BASE NA FOTOGRAFIA A EVOLUÇÃO DOS MÉTODOS DE VISUALIZAÇÃO DO ESPAÇO URBANO COM BASE NA FOTOGRAFIA Fabiana Silva de Garcia Ricardo Brod Méndez UCPEL - Universidade Católica de Pelotas, Escola de Engenharia e Arquitetura,

Leia mais

10 FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM COMPARAÇÃO DE FUSÃO ENTRE AS IMAGENS DO SATÉLITE RAPID EYE, CBERS E SPOT.

10 FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM COMPARAÇÃO DE FUSÃO ENTRE AS IMAGENS DO SATÉLITE RAPID EYE, CBERS E SPOT. 10 FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM COMPARAÇÃO DE FUSÃO ENTRE AS IMAGENS DO SATÉLITE RAPID EYE, CBERS E SPOT. Thalita Dal Santo 1 Antonio de Oliveira¹ Fernando Ricardo dos Santos² A técnica de fusão

Leia mais

VANTAGENS NO USO DAS IMAGENS DA CÂMARA ADS40

VANTAGENS NO USO DAS IMAGENS DA CÂMARA ADS40 VANTAGENS NO USO DAS IMAGENS DA CÂMARA ADS40 O constante desenvolvimento de sistemas aerotransportados para captação de imagens finalmente trouxe ao mercado os modernos sensores para captação de imagens

Leia mais

SIG APLICADO AO MEIO AMBIENTE

SIG APLICADO AO MEIO AMBIENTE SIG APLICADO AO MEIO AMBIENTE Prof. Luciene Delazari Grupo de Pesquisa em Cartografia e SIG da UFPR SIG Aplicado ao Meio Ambiente - 2011 GA020- SIG APLICADO AO MEIO AMBIENTE Prof. Luciene S. Delazari -

Leia mais

PLANEJAMENTO PARA O RECOBRIMENTO FOTOGRAMÉTRICO DA FACHADA PRINCIPAL DA BASÍLICA DE NOSSA SENHORA DO CARMO EM RECIFE PE, BRASIL

PLANEJAMENTO PARA O RECOBRIMENTO FOTOGRAMÉTRICO DA FACHADA PRINCIPAL DA BASÍLICA DE NOSSA SENHORA DO CARMO EM RECIFE PE, BRASIL p. 001-009 PLANEJAMENTO PARA O RECOBRIMENTO FOTOGRAMÉTRICO DA FACHADA PRINCIPAL DA BASÍLICA DE NOSSA SENHORA DO CARMO EM RECIFE PE, BRASIL BETÂNIA QUEIROZ DA SILVA CLAYTON GUERRA MAMEDE MIRELE VIEGAS SILVA

Leia mais

Fotogrametria aplicada à análise de homologia harmônica de frontispícios de templo com valor histórico e artístico

Fotogrametria aplicada à análise de homologia harmônica de frontispícios de templo com valor histórico e artístico Fotogrametria aplicada à análise de homologia harmônica de frontispícios de templo com valor histórico e artístico Betânia Queiroz da Silva 1 Carlos Alberto Borba Schuler 2 Universidade Federal de Pernambuco

Leia mais

Sistemas de Informação Geográfica Prof. Tiago Eugenio de Melo, MSc.

Sistemas de Informação Geográfica Prof. Tiago Eugenio de Melo, MSc. Sistemas de Informação Geográfica Prof. Tiago Eugenio de Melo, MSc. SUMÁRIO Apresentação da ementa Introdução Conceitos Básicos de Geoinformação Arquitetura de SIGs Referências Bibliográficas APRESENTAÇÃO

Leia mais

FOTOGRAMETRIA I Prof Felipe: Aulas 1 e 2. 2- Câmaras Fotogramétricas

FOTOGRAMETRIA I Prof Felipe: Aulas 1 e 2. 2- Câmaras Fotogramétricas FOTOGRAMETRIA I Prof Felipe: Aulas 1 e 2 2- Câmaras Fotogramétricas Generalidades (fotografia) Elementos Fotografia aérea Espectro Eletromagnético 1 Fotogrametria é a arte, ciência, e tecnologia de obtenção

Leia mais

METODOLOGIA PARA AQUISIÇÃO DE POLÍGONOS 3D A PARTIR DA CLASSIFICAÇÃO E DO TRATAMENTO DE NUVENS DE PONTOS LIDAR

METODOLOGIA PARA AQUISIÇÃO DE POLÍGONOS 3D A PARTIR DA CLASSIFICAÇÃO E DO TRATAMENTO DE NUVENS DE PONTOS LIDAR METODOLOGIA PARA AQUISIÇÃO DE POLÍGONOS 3D A PARTIR DA CLASSIFICAÇÃO E DO TRATAMENTO DE NUVENS DE PONTOS LIDAR RAFAEL COSTA CAVALCANTI ANA LÚCIA BEZERRA CANDEIAS JOÃO RODRIGUES TAVARES JÚNIOR Universidade

Leia mais

O SENSORIAMENTO REMOTO E SUAS TÉCNICAS DE ANÁLISE: UMA COMPARAÇÃO ENTRE NOVAS E VELHAS TECNOLOGIAS, UM ESTUDO DE CASO SOBRE A TECNOLOGIA LIDAR.

O SENSORIAMENTO REMOTO E SUAS TÉCNICAS DE ANÁLISE: UMA COMPARAÇÃO ENTRE NOVAS E VELHAS TECNOLOGIAS, UM ESTUDO DE CASO SOBRE A TECNOLOGIA LIDAR. O SENSORIAMENTO REMOTO E SUAS TÉCNICAS DE ANÁLISE: UMA COMPARAÇÃO ENTRE NOVAS E VELHAS TECNOLOGIAS, UM ESTUDO DE CASO SOBRE A TECNOLOGIA LIDAR. (O mapeamento de território através das arvores). Diogo Caio

Leia mais

Preservação Digital de Património: paradigmas, estratégias e instrumentos no âmbito da DGPC

Preservação Digital de Património: paradigmas, estratégias e instrumentos no âmbito da DGPC Preservação Digital de Património: paradigmas, estratégias e instrumentos no âmbito da DGPC Paulo Ferreira da Costa Divisão do Património Imóvel, Móvel e Imaterial / Departamento dos Culturais 1.º Seminário

Leia mais

Potencial do uso da banda do infravermelho próximo na classificação de imagens adquiridas por câmaras digitais

Potencial do uso da banda do infravermelho próximo na classificação de imagens adquiridas por câmaras digitais Potencial do uso da banda do infravermelho próximo na classificação de imagens adquiridas por câmaras digitais Lauriana Rúbio Sartori Nilton Nobuhiro Imai Antônio Maria Garcia Tommaselli Roberto da Silva

Leia mais

O SITE CICLOVIAS DE CURITIBA, DO PLANEJAMENTO A EXECUÇÃO.

O SITE CICLOVIAS DE CURITIBA, DO PLANEJAMENTO A EXECUÇÃO. O SITE CICLOVIAS DE CURITIBA, DO PLANEJAMENTO A EXECUÇÃO. INTRODUÇÃO Criar um site sobre as ciclovias da cidade de Curitiba. A idéia surgiu no ano de 2010 a partir de uma conversa entre alguns colaboradores

Leia mais

MONTAGEM DE SISTEMAS DE IMAGENS TRIDIMENSIONAIS

MONTAGEM DE SISTEMAS DE IMAGENS TRIDIMENSIONAIS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS UNICAMP INSTITUTO DE FÍSICA GLEB WATAGHIN PROGRAMA DE FORMAÇÃO INTERDICIPLINAR SUPERIOR - PROFIS RELATORIO FINAL DE PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA MONTAGEM DE SISTEMAS

Leia mais

CAPÍTULO I INTRODUÇÃO 1.1 FOTOGRAMETRIA

CAPÍTULO I INTRODUÇÃO 1.1 FOTOGRAMETRIA CAPÍTULO I INTRODUÇÃO 1.1 FOTOGRAMETRIA O termo fotogrametria deriva das palavras gregas photos, que significa luz, gramma, que significa algo desenhado ou escrito e metron, que significa "medir". Portanto,

Leia mais

15- Representação Cartográfica - Estudos Temáticos a partir de imagens de Sensoriamento Remoto

15- Representação Cartográfica - Estudos Temáticos a partir de imagens de Sensoriamento Remoto 15- Representação Cartográfica - Estudos Temáticos a partir de imagens de Sensoriamento Remoto O Sensoriamento Remoto é uma técnica que utiliza sensores, na captação e registro da energia refletida e emitida

Leia mais

Os mapas são a tradução da realidade numa superfície plana.

Os mapas são a tradução da realidade numa superfície plana. Cartografia Desde os primórdios o homem tentou compreender a forma e as características do nosso planeta, bem como representar os seus diferentes aspectos através de croquis, plantas e mapas. Desenhar

Leia mais

Geoprocessamento e Cartografia Prof. MSc. Alexander Sergio Evaso

Geoprocessamento e Cartografia Prof. MSc. Alexander Sergio Evaso Geoprocessamento e Cartografia Prof. MSc. Alexander Sergio Evaso Aula 02 Componentes de um GIS (SIE, ou SIG) Ideias dependem de pessoas. Pessoas trazem o conhecimento para uma equipe, que engendra ideias.

Leia mais

COMPUTAÇÃO GRÁFICA O QUE É?

COMPUTAÇÃO GRÁFICA O QUE É? COMPUTAÇÃO GRÁFICA O QUE É? Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA SUMÁRIO O que é COMPUTAÇÃO GRÁFICA Áreas relacionadas

Leia mais

Patrimônio virtual e história digital: essência e representação FOTOGRAMETRIA DE CURTA DISTÂNCIA E DIGITALIZAÇÃO POR LASER 3

Patrimônio virtual e história digital: essência e representação FOTOGRAMETRIA DE CURTA DISTÂNCIA E DIGITALIZAÇÃO POR LASER 3 Patrimônio virtual e história digital: essência e representação FOTOGRAMETRIA DE CURTA DISTÂNCIA E DIGITALIZAÇÃO POR LASER 3 Gilson Dimenstein Koatz, DSc, Laboratório de Análise Urbana e Representação

Leia mais

MEMÓRIA URBANA DE PALMAS-TO: LEVANTAMENTO DE INFORMAÇÕES E MATERIAL SOBRE O PLANO DE PALMAS E SEUS ANTECEDENTES

MEMÓRIA URBANA DE PALMAS-TO: LEVANTAMENTO DE INFORMAÇÕES E MATERIAL SOBRE O PLANO DE PALMAS E SEUS ANTECEDENTES MEMÓRIA URBANA DE PALMAS-TO: LEVANTAMENTO DE INFORMAÇÕES E MATERIAL SOBRE O PLANO DE PALMAS E SEUS ANTECEDENTES Tânia de Sousa Lemos 1 ; Ana Beatriz Araujo Velasques 2 1 Aluna do Curso de Arquitetura e

Leia mais

MEMÓRIA URBANA DE PALMAS-TO: LEVANTAMENTO DE INFORMAÇÕES E MATERIAL SOBRE O PLANO DE PALMAS E SEUS ANTECEDENTES

MEMÓRIA URBANA DE PALMAS-TO: LEVANTAMENTO DE INFORMAÇÕES E MATERIAL SOBRE O PLANO DE PALMAS E SEUS ANTECEDENTES MEMÓRIA URBANA DE PALMAS-TO: LEVANTAMENTO DE INFORMAÇÕES E MATERIAL SOBRE O PLANO DE PALMAS E SEUS ANTECEDENTES Nome dos autores: Gislaine Biddio Rangel¹; Ana Beatriz Araujo Velasques². 1 Aluna do Curso

Leia mais

LEVANTAMENTOS TOPOGRÁFICOS ESTAÇÃO TOTAL x GPS RTK

LEVANTAMENTOS TOPOGRÁFICOS ESTAÇÃO TOTAL x GPS RTK LEVANTAMENTOS TOPOGRÁFICOS ESTAÇÃO TOTAL x GPS RTK Douglas Luiz Grando 1 ; Valdemir Land 2, Anderson Clayton Rhoden 3 Palavras-chave: Topografia; Geodésia; GPS de Precisão. INTRODUÇÃO Com a evolução das

Leia mais

Sensoriamento Remoto I. José Antonio Pacheco de Almeida Paulo José de Oliveira

Sensoriamento Remoto I. José Antonio Pacheco de Almeida Paulo José de Oliveira José Antonio Pacheco de Almeida Paulo José de Oliveira São Cristóvão/SE 2010 Elaboração de Conteúdo José Antonio Pacheco de Almeida Paulo José de Oliveira Projeto Gráfico e Capa Hermeson Alves de Menezes

Leia mais

Bases de Dados Geoespaciais: Conceitos e Tendências. Paulo Costa Paulo.fernando.costa@vale.com

Bases de Dados Geoespaciais: Conceitos e Tendências. Paulo Costa Paulo.fernando.costa@vale.com Paulo Costa Paulo.fernando.costa@vale.com Sumário Dados e informações Base de dados Normatização dos Dados Banco de dados único Interoperabilidade de dados Tendências DADOS E INFORMAÇÕES Dados são observações

Leia mais

Universidade Federal do Ma Pós-Graduação em Eng. Elétrica

Universidade Federal do Ma Pós-Graduação em Eng. Elétrica Universidade Federal do Ma Pós-Graduação em Eng. Elétrica Computação Gráfica II Sistemas de Informação Geográfica Prof. Anselmo C. de Paiva Depto de Informática Introdução aos Sistemas de Informação Geografica

Leia mais

Capítulo 1 - Introdução:

Capítulo 1 - Introdução: Capítulo 1 - Introdução: Todo desenho comunica uma ideia e a expressão gráfica é uma linguagem que passa o pensamento para o papel ou computador, facilitando a comunicação de quem envia ou recebe uma informação.

Leia mais

CARTILHA D. JOTINHA A ORIENTAÇÃO DO PROFESSOR DE ARTES VISUAIS SOBRE A CONSERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO ARTÍSTICO E CULTURAL

CARTILHA D. JOTINHA A ORIENTAÇÃO DO PROFESSOR DE ARTES VISUAIS SOBRE A CONSERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO ARTÍSTICO E CULTURAL CARTILHA D. JOTINHA A ORIENTAÇÃO DO PROFESSOR DE ARTES VISUAIS SOBRE A CONSERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO ARTÍSTICO E CULTURAL Universidade Federal de Goiá/Faculdade de Artes Visuais Rodrigo Cesário RANGEL Rodrigoc_rangel@hotmail.com

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO DE FERRAMENTAS COMPUTACIONAIS QUE UTILIZAM GEOPROCESSAMENTO E TECNOLOGIA BIM PARA DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE ENGENHARIA CIVIL

ESTUDO COMPARATIVO DE FERRAMENTAS COMPUTACIONAIS QUE UTILIZAM GEOPROCESSAMENTO E TECNOLOGIA BIM PARA DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE ENGENHARIA CIVIL ESTUDO COMPARATIVO DE FERRAMENTAS COMPUTACIONAIS QUE UTILIZAM GEOPROCESSAMENTO E TECNOLOGIA BIM PARA DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE ENGENHARIA CIVIL 1. INTRODUÇÃO E REFERENCIAL TEÓRICO A área de geoprocessamento

Leia mais

PERFIL DO CURSO INFORMAÇÕES SOBRE AS ATRIBUIÇÕES DOS ARQUITETOS E URBANISTAS INFORMAÇÕES SOBRE O MERCADO DE TRABALHO

PERFIL DO CURSO INFORMAÇÕES SOBRE AS ATRIBUIÇÕES DOS ARQUITETOS E URBANISTAS INFORMAÇÕES SOBRE O MERCADO DE TRABALHO UNIÃO DE ENSINO E CULTURA DE GUARAPUAVA - UNIGUA FACULDADE GUARAPUAVA CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO PERFIL DO CURSO INFORMAÇÕES SOBRE AS ATRIBUIÇÕES DOS ARQUITETOS E URBANISTAS INFORMAÇÕES SOBRE O MERCADO

Leia mais

CAPACITAÇÃO PARA IMPLANTAÇÃO DE CADASTRO TÉCNICO MULTIFINALITÁRIO EM MUNICÍPIOS DA PARAÍBA

CAPACITAÇÃO PARA IMPLANTAÇÃO DE CADASTRO TÉCNICO MULTIFINALITÁRIO EM MUNICÍPIOS DA PARAÍBA CAPACITAÇÃO PARA IMPLANTAÇÃO DE CADASTRO TÉCNICO MULTIFINALITÁRIO EM MUNICÍPIOS DA PARAÍBA XAVIER, Ana Paula Campos 1 COSTA, Antônio Carlos Brito Vital 2 DANTAS, José Carlos 3 OLIVEIRA, Nádja Melo 4 SILVA,

Leia mais

RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES

RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES ARQUITETURA E URBANISMO RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES ATIVIDADE 1 O trecho a seguir apresenta algumas diretrizes de Lúcio Costa para a composição do Centro de Governo e Administração da Capital do país.

Leia mais

FOTOINTERPRETAÇÃO. Interpretação e medidas. Dado qualitativo: lago

FOTOINTERPRETAÇÃO. Interpretação e medidas. Dado qualitativo: lago FOTOINTERPRETAÇÃO a) conceito A fotointerpretação é a técnica de examinar as imagens dos objetos na fotografia e deduzir sua significação. A fotointerpretação é bastante importante à elaboração de mapas

Leia mais

Anuário do Instituto de Geociências - UFRJ www.anuario.igeo.ufrj.br

Anuário do Instituto de Geociências - UFRJ www.anuario.igeo.ufrj.br Anuário do Instituto de Geociências - UFRJ www.anuario.igeo.ufrj.br Uso de Anaglifos como Alternativa para Práticas de Estereoscopia em Sensoriamento Remoto Use of Anaglyphs as an Alternative for Stereoscopic

Leia mais

Costa, B.L. 1 ; Faria, R.A.M²; Marins, L.S.³. ²Universidade do Estado do Rio de Janeiro / Faculdade de Formação de Professores - rfariageo@hotmail.

Costa, B.L. 1 ; Faria, R.A.M²; Marins, L.S.³. ²Universidade do Estado do Rio de Janeiro / Faculdade de Formação de Professores - rfariageo@hotmail. GERAÇÃO DE MAPA DE USO E COBERTURA DE SOLO UTILIZANDO IMAGENS DE SATÉLITE LANDSAT 8 PARA O SUPORTE AO PLANEJAMENTO MUNICIPAL DO MUNICÍPIO DE NITERÓI RJ. Costa, B.L. 1 ; Faria, R.A.M²; Marins, L.S.³ 1 Universidade

Leia mais

Leica Geosystems HDS High Definition Surveying Inovação, Tecnologia e Precisão

Leica Geosystems HDS High Definition Surveying Inovação, Tecnologia e Precisão Leica Geosystems HDS High Definition Surveying Inovação, Tecnologia e Precisão Seminário Geomática nas Obras de Engenharia e Infraestrutura 27 de Outubro de 2011, São Paulo Irineu da Silva Miguel Menegusto

Leia mais

Boas práticas do uso da técnica de Structure from Motion. Bruna Lopes de Paoli 1 Carlos Alberto Trindade 2

Boas práticas do uso da técnica de Structure from Motion. Bruna Lopes de Paoli 1 Carlos Alberto Trindade 2 Boas práticas do uso da técnica de Structure from Motion Bruna Lopes de Paoli 1 Carlos Alberto Trindade 2 1 Universidade FUMEC Rua Cobre, 200, Cruzeiro, Belo Horizonte MG brunadepaoli@gmail.com 2 Setor

Leia mais

GERAÇÃO DE MAPAS DIGITAIS E MODELOS TRIDIMENSIONAIS DE SUPERFÍCIES. Manoel Silva Neto Engenheiro Cartógrafo

GERAÇÃO DE MAPAS DIGITAIS E MODELOS TRIDIMENSIONAIS DE SUPERFÍCIES. Manoel Silva Neto Engenheiro Cartógrafo GERAÇÃO DE MAPAS DIGITAIS E MODELOS TRIDIMENSIONAIS DE SUPERFÍCIES Manoel Silva Neto Engenheiro Cartógrafo Com um novo conceito enraizado na inovação, a Droneng busca integrar a multidisciplinaridade no

Leia mais

Anais XVI Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto - SBSR, Foz do Iguaçu, PR, Brasil, 13 a 18 de abril de 2013, INPE

Anais XVI Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto - SBSR, Foz do Iguaçu, PR, Brasil, 13 a 18 de abril de 2013, INPE Modelo tridimensional da edificação Fundação Casa de Jorge Amado através do levantamento por medidor eletrônico de distância para fins de turismo virtual Elaine Gomes Vieira de Jesus 1 Alexandre Aquino

Leia mais

Seminário de Geomática nas Obras de Engenharia e Infraestrutura. Tecnologia Laser Scanning

Seminário de Geomática nas Obras de Engenharia e Infraestrutura. Tecnologia Laser Scanning Seminário de Geomática nas Obras de Engenharia e Infraestrutura Tecnologia Laser Scanning Histórico da Empresa Empresa Hojuara As Built 3D Ltda. 2003. Macaé Rio de Janeiro. Atividade Levantamento Tridimensional

Leia mais

PROCESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS

PROCESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS PROCESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS Motivado por duas principais aplicações: Melhorar a informação da imagem para interpretação humana Processamento de cenas para percepção de máquinas (Visão Computacional)

Leia mais

PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO DOCUMENTAL DO INPE: DESAFIOS E SOLUÇÕES ENCONTRADAS

PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO DOCUMENTAL DO INPE: DESAFIOS E SOLUÇÕES ENCONTRADAS PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO DOCUMENTAL DO INPE: DESAFIOS E SOLUÇÕES ENCONTRADAS Marciana Leite Ribeiro Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais SubSIGA/INPE I Ciclo de Palestras sobre Gestão Arquivística

Leia mais

Universidade de Brasília. Departamento de Ciência da Informação e Documentação

Universidade de Brasília. Departamento de Ciência da Informação e Documentação Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Profa.: Lillian Alvares Aspectos Gerais O uso da tecnologia digital traz grandes perspectivas de trabalho para os arquivos

Leia mais

Workshop - R.U.A. Realidade Urbana Aumentada: Cartografias Inventadas Ministrante: Profª. Drª. Lilian Amaral IA/UNESP

Workshop - R.U.A. Realidade Urbana Aumentada: Cartografias Inventadas Ministrante: Profª. Drª. Lilian Amaral IA/UNESP Workshop - R.U.A. Realidade Urbana Aumentada: Cartografias Inventadas Ministrante: Profª. Drª. Lilian Amaral IA/UNESP Atividade de Extensão Integrante do Zonas de Compensação coordenado por Profª. Drª.

Leia mais

Metodologia para Representação da Estruturação de Dados Geoespacial Vetorial (EDGV) em Bancos de Dados Geográficos Relacionais

Metodologia para Representação da Estruturação de Dados Geoespacial Vetorial (EDGV) em Bancos de Dados Geográficos Relacionais Metodologia para Representação da Estruturação de Dados Geoespacial Vetorial (EDGV) em Bancos de Dados Geográficos Relacionais Rogério Luís Ribeiro Borba 3, Guilherme L. A. Mota 1,3, Jorge Luís Nunes e

Leia mais

IMAGENS NO ENSINO DE MATEMÁTICA

IMAGENS NO ENSINO DE MATEMÁTICA IMAGENS NO ENSINO DE MATEMÁTICA Simone da Silva Soria Medina, Ana Maria Petraitis Liblik, Zuleica Faria de Medeiros moni@ufpr.br, ampliblik@gmail.com, zmedeiro@ufpr.br Universidade Federal do Paraná Brasil

Leia mais

A Preservação do Patrimônio Cultural na Esfera Municipal

A Preservação do Patrimônio Cultural na Esfera Municipal A Preservação do Patrimônio Cultural na Esfera Municipal 1. Introdução O patrimônio cultural de cada comunidade pode ser considerado a sua cédula de identidade. Por isso, cada vez mais os municípios necessitam

Leia mais

Fotografia aérea e foto-interpretação

Fotografia aérea e foto-interpretação Fotografia aérea e foto-interpretação Fotografias aéreas e foto-interpretação são elementos e técnicas de trabalho fundamentais para um conhecimento aprofundado do território e para a elaboração ou actualização

Leia mais

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE. Correção geométrica de imagens

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE. Correção geométrica de imagens Correção geométrica de imagens O georreferenciamento descreve a relação entre os parâmetros de localização dos objetos no espaço da imagem e no sistema de referência, transformando as coordenadas de cada

Leia mais

Introdução ao Processamento de Imagens

Introdução ao Processamento de Imagens Introdução ao PID Processamento de Imagens Digitais Introdução ao Processamento de Imagens Glaucius Décio Duarte Instituto Federal Sul-rio-grandense Engenharia Elétrica 2013 1 de 7 1. Introdução ao Processamento

Leia mais

MODERNAS TECNOLOGIAS PARA COLETA DE INFORMAÇÕES ESPACIAIS. Antonio Maria Garcia Tommaselli 1

MODERNAS TECNOLOGIAS PARA COLETA DE INFORMAÇÕES ESPACIAIS. Antonio Maria Garcia Tommaselli 1 MODERNAS TECNOLOGIAS PARA COLETA DE INFORMAÇÕES ESPACIAIS Antonio Maria Garcia Tommaselli 1 Abstract: The aim of this paper is to present the current status of the sensors for spatial data acquisition

Leia mais

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO / DIURNO PROGRAMA DE DISCIPLINA

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO / DIURNO PROGRAMA DE DISCIPLINA CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO / DIURNO PROGRAMA DE DISCIPLINA DISCIPLINA: CARTOGRAFIA E TOPOGRAFIA CÓDIGO: CRT003 CLASSIFICAÇÃO: Obrigatória PRÉ-REQUISITO: não tem CARGA HORÁRIA: TÉORICA : 30 horas

Leia mais

O USO DO SIG NA ADMINISTRAÇÃO E AVALIAÇÃO DE IMÓVEIS DA COMPANHIA IMOBILIÁRIA DE BRASÍLIA TERRACAP

O USO DO SIG NA ADMINISTRAÇÃO E AVALIAÇÃO DE IMÓVEIS DA COMPANHIA IMOBILIÁRIA DE BRASÍLIA TERRACAP O USO DO SIG NA ADMINISTRAÇÃO E AVALIAÇÃO DE IMÓVEIS DA COMPANHIA IMOBILIÁRIA DE BRASÍLIA TERRACAP Thais Borges Sanches Lima e Bruno Tamm Rabello Setembro/2012 Introdução 1. Experiência de um grupo de

Leia mais

Análise dos Indicadores de Sustentabilidade na Cidade de Serafina Corrêa - RS

Análise dos Indicadores de Sustentabilidade na Cidade de Serafina Corrêa - RS Análise dos Indicadores de Sustentabilidade na Cidade de Serafina Corrêa - RS Daniela Maroni (1) Denize Fabiani (2) Malu Durante (3) Tatiana Chiodi (4) (1) Aluna da Escola de Arquitetura e Urbanismo, IMED,

Leia mais

PAISAGEM URBANA A IDENTIDADE CULTURAL E SOCIAL LAPEANA, ATRAVÉS DO PATRIMÔNIO EDIFICADO DA CIDADE DA LAPA

PAISAGEM URBANA A IDENTIDADE CULTURAL E SOCIAL LAPEANA, ATRAVÉS DO PATRIMÔNIO EDIFICADO DA CIDADE DA LAPA PAISAGEM URBANA A IDENTIDADE CULTURAL E SOCIAL LAPEANA, ATRAVÉS DO PATRIMÔNIO EDIFICADO DA CIDADE DA LAPA Karin Comerlatto da Rosa kcomerlattodarosa@yahoo.com.br Resumo: A história da Lapa está presente

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS UNICAMP. vi.unicamp2010@gmail.com

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS UNICAMP. vi.unicamp2010@gmail.com UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS UNICAMP e-mail: vi.unicamp2010@gmail.com ANÁLISE DOS CONFLITOS ENTRE ÁREAS DE USO E OCUPAÇÃO DOS SOLOS E ÁREAS DE CONSERVAÇÃO NO MUNICÍPIO DE ILHA COMPRIDA (SP). Viviane

Leia mais