ULTRASSOM NO TRATAMENTO DE FIBROEDEMA GELÓIDE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ULTRASSOM NO TRATAMENTO DE FIBROEDEMA GELÓIDE"

Transcrição

1 ULTRASSOM NO TRATAMENTO DE FIBROEDEMA GELÓIDE Brenda Camile Kuhle 1, Silvia Patrícia de Oliveira 2 1 Acadêmica do curso de Tecnologia em Estética e Cosmética da Universidade Tuiuti do Paraná (Curitiba, PR); 2 Fisioterapeuta, especialista em fisioterapia dermato funcional. Prof. Msc. Universidade Tuiuti do Paraná. Endereço para correspondência: Brenda Camile Kuhle, RESUMO: A fibroedema gelóide consiste numa infiltração edematosa do tecido conjuntivo subcutâneo, não inflamatório, seguido da polimerização da substância fundamental, que se infiltra nas tramas, causando uma reação fibrótica consecutiva. Acomete cerca de 90% das mulheres e pode ser identificada através do teste casca de laranja.o ultrassom é um recurso utilizado para essa desarmonia corporal. É um aparelho que emite ondas ultrassonoras e é utilizado na estética com a frequência de 3MHz. Esta pesquisa tem por objetivo avaliar os efeitos do ultrassom terapêutico no tratamento de fibroedema gelóide. Para isto, foi realizada uma revisão bibliográfica utilizando artigos publicados entre os anos de 2002 e 2013 e com livros sobre o tema proposto. Palavras-chave: ultrassom, fibroedema gelóide. ABSTRACT: The fibroedema geloide is a edematous infiltration of the subcutaneous tissue, not inflammatory, followed by polymerization of the fundamental substance that infiltrates in the plots, causing a consecutive fibrotic reaction. It affects about 90% of women and can be identified by testing "orange peel". Ultrasound is a resource used for this body disharmony. It's a device that emits ultrassonoras waves and is used in aesthetics with the frequency of 3MHz. This research aims to evaluate the effects of therapeutic ultrasound in the treatment of fibroedema geloide For this, a literature review was performed using articles published between the years 2002 and 2013 and with books on the theme. Keywords: ultrasound, fibroedema geloide. 1

2 INTRODUÇÃO O conjunto de alterações inestéticas se chama síndrome da desarmonia corporal, e nela estão presentes a adiposidade localizada, a fibroedema gelóide, aumento da gordura corporal total e flacidez muscular, e normalmente estão associadas (MACHADO, et al. 2011). A fibroedema gelóide (FEG) é uma afecção provocada pela deficiência na circulação linfática e sanguínea. É um problema que acomete cerca de 90% das mulheres e pode causar problemas estéticos, psicológicos e sociais (OENNING, 2002). Segundo Menezes e Silva (2009), a FEG é considerada multifatorial por ser determinada por fatores genéticos, hormonais, maus hábitos alimentares, obesidade, sedentarismo e tabagismo. É caracterizado por pequenas depressões na pele, conhecido como aspecto de casca de laranja, e os lugares mais acometidos são coxas, glúteos e abdômen. Para o tratamento dessa desarmonia corporal, o ultrassom é um recurso utilizado com frequência. O ultrassom é um aparelho que emite ondas sonoras, mas por serem em frequência mais alta, ficam fora da audição, sendo assim, chamadas de ondas ultrassonoras. O ultrassom terapêutico pode ser encontrado no mercado com frequência de 1,0 ou 3,0 megahertz (KUHNEN, 2010). O objetivo deste estudo é realizar uma revisão bibliográfica de recursos terapêuticos, focando nos efeitos do ultrassom, no tratamento da fibroedema gelóide. Para isso, foi realizada a pesquisa teórica e científica, uma vez que a profissão visa melhorar a qualidade de vida e o bem estar dos clientes. Fibroedema Gelóide De acordo com Mendonça et al. (2007), a fibroedema gelóide pode ser definida como uma alteração fisiológica de acúmulo a nível de interstício celular e células adiposas. Segundo o autor, ocorre uma linfoestase cutânea regional, que interferem nos mecanismos contráteis dos vasos linfáticos e linfangions. A interferência seria em nível de transmissão de estímulos neurológicos que envolvem a estrutura contrátil dos linfangions. 2

3 A FEG é considerada uma infiltração edematosa do tecido conjuntivo subcutâneo, não inflamatório, seguido de polimerização da substância fundamental que se infiltra nas tramas, causando uma reação fibrótica consecutiva. (CIPORKIN E PASCHOAL. 1992). Para Guirro e Guirro (2002), a FEG se apresenta em forma de nódulos ou placas de variadas extensões e localizações, por isso é denominada de fibroedema gelóide. Os aspectos clínicos e morfológicos do quadro sugerem a associação da fibroedema gelóide com insuficiência venosa crônica no nível de membros inferiores: pelos sintomas de parestesias, câimbras, sensação de peso, dor à palpação local e diminuição da temperatura tecidual nos locais afetados. Segundo Bacelar e Vieira (2006), a fibroedema gelóide se apresenta em forma de nódulos, e é um espessamento não inflamatório das camadas subepidérmicas e pode ser doloroso conforme o grau em que se encontra. E de acordo com a sua evolução, a FEG pode ser classificada em três graus, conforme o quadro a seguir: Quadro 1: Grau da FEG Grau da FEG: Características: Grau I Só é visível com a compressão do tecido durante a avaliação e não há presença de fibrose. Grau II É visível com ou sem compressão do tecido ou contração muscular. Nesse caso a FEG já se apresenta com fibrose e leve alteração na sensibilidade. Grau III Apresenta grave alteração cutânea, tanto em posição ortostática quanto em posição deitada, é visível depressões na pele com aparência flácida e enrugada, conhecida popularmente como "casca de laranja". Fonte: Bacelar e Vieira (2006) Para Luz e Silva (2010), a FEG pode ser classificada em quatro tipos: dura, flácida, edematosa e mista. A dura é comum entre pacientes jovens que praticam atividade física. A flácida acomete mulheres sedentárias, e é frequente após a terceira idade. A edematosa acometem mulheres jovens que fazem o uso de anticoncepcional. A mista é caracterizado quando há mais de um tipo de FEG. A fibrodema gelóide pode ser dividido em três classes de acordo com os fatores que desencadeiam o processo, são eles: os fatores predisponentes, fatores determinantes e fatores condicionantes (KUHNEN, 2010). 3

4 Quadro 2: Fatores da FEG: Fatores predisponentes: Fatores determinantes: Fatores condicionantes: Fonte: Kuhnen (2010) São fatores que podem predispor o aparecimento da FEG, e somando uns aos outros, tem probabilidade de ocorrer a FEG. Esses fatores são caracterizados pela genética, sexo, idade e desequilíbrio hormonal. Nessa classificação estão os maus hábitos de saúde que fazem com que apareça quadro de FEG. Esses maus hábitos estão citados problemas como estresse, uso do tabaco, sedentarismo, diabetes, má alimentação, disfunção hepática e desequilíbrios glandulares. Devido aos fatores citados anteriormente, ocorre perturbações hemodinâmicas locais, ocasionando no aumento da pressão dos capilares, dificultando a circulação linfática e sanguínea. Ultrassom No tratamento com ultrassom, ocorrem vibrações de alta frequência, com ondas ultrassônicas, a propagação de onda é longitudinal, onde as partículas vibram paralelamente à direção em que a onda é propagada (BEM, et al, 2010). Essas vibrações são conduzidas ao cabeçote, o qual é constituído com um cristal piezelétrico, que ao receber a corrente elétrica, muda a sua espessura na mesma frequência das oscilações elétricas recebidas, resultando na emissão de ondas ultrassonoras (BORGES, 2012). O ultrassom terapêutico pode ser encontrado em frequências de 1,0 ou 3,0MHz, dependendo da profundidade que quer ser alcançada. Enquanto o ultrassom de frequência 1MHz alcança entre 2,5 e 5,0 cm, o de frequência 3MHz varia entre 0,8 e 1,6 cm (GUIRRO e GUIRRO, 2004). A energia terapêutica é gerada por um transdutor que transforma a em energia elétrica em energia mecânica, e para o uso do ultrassom, o cabeçote, deve estar acoplado a pele, pois se tratando de ondas mecânicas, as ondas emitidas são propagadas somente em contato com um meio. As vibrações geradas causam uma agitação nos adipócitos fazendo com que as membranas das células sejam rompidas (OLSSON, 2008). O uso do ultrassom é importante em todas fases da fibroedema gelóide, devido ao aquecimento das estruturas construídas pelo tecido fibroso (ALMEIDA, 2005). 4

5 Borges (2012) afirma que o ultrassom possui efeitos fisiológicos como efeitos mecânicos, efeitos térmicos, vasodilatação, aumento da permeabilidade da membrana, aumento do fluxo sanguíneo, aumento do metabolismo, aumento das atividades dos fibroblastos, da síntese de colágeno e proteínas. O ultrassom, se for usado da forma correta, pode ser um tratamento efetivo com vários benefícios, mas também pode ser um risco em potencial se usado do modo errado. Nas contra indicações incluem: útero em gestação, gônadas, lesões malignas e pré cancerígenas, tecidos que foram tratados anteriormente com raios X profundo ou outros tipos de radiação, trombose, embolia, arterosclerose, infecções agudas, área cardíaca na doença cardíaca avançada, olhos, gânglios estrelado, hemofílicos não protegidos por reposição de fator, áreas sobre proeminência ósseas subcutâneas, placas epifisárias, medula espinhal pós laminectomia, nervos subcutâneos principais, crânio e áreas anestésicas (KITCHEN, 2003). Uma das técnicas de aplicação do ultrassom é feita por contato direto. É indicado quando a superfície é plana, sem muitas irregularidades, onde o cabeçote consegue ter um bastante contato com o tecido. Deve ser usado gel a base de água para um melhor acoplamento e os movimentos são feitos em forma de círculo, lenta e uniforme (BORGES, 2012). Fonoforese Além dos efeitos fisiológicos do ultrassom na fibroedema gelóide, há outro modo de aplicação que é a fonoforese. Esta técnica consiste na aplicação tópica de ativos, o qual se dirigem para os tecidos subjacentes através do ultrassom (JESUS, et al. 2006). Muitos trabalhos a qual se caracteriza por uma técnica que tem como objetivo de introduzir substâncias cosmético medicamentosa através da pele, geralmente são usados produtos lipolíticos e estimulante da circulação. É uma das técnicas mais utilizadas na estética quando se trata de fibroedema gelóide. Uma das vantagens de se utilizar a técnica da fonoforese é a ação local do cosmético, fazendo com que reduzam as chances de efeitos colaterais decorrente da ação sistêmica (BORGES, 2012). Para Luz e Silva (2010) a eficácia da fonoforese, além de depender do da frequência, intensidade e 5

6 duração do tratamento, depende também da natureza do ativo que será utilizado. METODOLOGIA Este trabalho constitui-se numa revisão bibliográfica, realizada através de pesquisa em algumas bases de dados como Scielo, Revista Inspirar e Fisioterapia Brasil, em edições publicadas no período de 1992 a 2013, tendo como palavras chave para pesquisa: ultrassom e fibroedema gelóide. Utilizouse artigos em português e livros com conteúdo de relevância, e em pesquisa no Google Acadêmico, foram encontrados sites de universidades com artigos sobre o tema proposto. DISCUSSÃO Para Silvestre e Zanon (2009), com o uso do ultrassom no tratamento da fibroedema gelóide, ocorre uma liberação de mediadores químicos e neovascularização, como consequência disso, há um aumento da circulação, rearranjo e aumento da extensibilidade das fibras colágenas e também melhora as propriedades mecânicas do tecido. Mendonça, et al (2007) define a FEG como sendo uma doença de acúmulo em nível interstício celular e células adiposas. Além disso, traz a FEG como sendo irrelevante e não muito valorizada. E afirma que para alguns estudiosos, além da FEG ser irrelevante e não muito valorizada, a FEG não é considerada digna de estudos nosológicos, pois é considerado uma expressão normal do corpo da mulher. Para Luz e Silva (2010) a FEG é uma afecção multifatorial. Segundo Parienti (2001), a sessão de tratamento utilizando ultrassom não pode ultrapassar mais que 10 minutos e sua zona de atuação é 10x15cm. Mas para Longo (2001), a sessão não pode passar de 15 a 20 minutos contínuos, devido aos efeitos colaterais que podem ocorrer, como: vertigem, estresse e tontura. Para Guirro e Guirro (2004), a aplicação do ultrassom deve ser de 3 a 5 minutos numa região de 10cm, não podendo ultrapassar 20 minutos da sessão 6

7 completa. Porém, Batista (2005) aplicou o ultrassom Avatar durante 15 minutos em cada hemicorpo. Machado, et al. (2011) publicou um estudo sobre o tratamento usando o ultrassom terapêutico na FEG com 24 voluntárias. Foram realizadas 10 sessões do tratamento proposto com gel sem nenhum ativo. O tratamento foi realizado bilateralmente, dividindo-se a região glútea em quatro quadrantes, com o ultrassom no modo contínuo na frequência de 3MHz e intensidade de 1,0Wcm² por dois minutos em cada área de 10cm. Após o tratamento, verificou-se que 68,18% das voluntárias tiveram melhora no aspecto epitelial da fibroedema gelóide. Fonseca, et al (2013) realizou um estudo de caso numa paciente que apresentava FEG na região glútea. Foi utilizado ultrassom terapêutico com frequência de 3MHz, na intensidade de 0,5Wcm², no modo contínuo, utilizando um transdutor com ERA de 4cm². A técnica utilizada foi a fonoforese com substância de acoplamento composto por arnica, algas marinhas, centella asiática, castanha da índia, cavalhinha, hera, erva mate, laranja amarga, chá verde, gengibre e L- carnitina. No início do tratamento, a paciente estava com FEG grau III, e após 20 sessões do tratamento, a paciente já apresentava a FEG em grau I. Também houve melhora na aparência da pele e na contração do glúteo. A paciente relatou que sentiu melhora e ficou satisfeita com o resultado. Federico, et al (2006) utilizou a técnica de fonoforese com ativos como centella asiática e castanha da índia em 5 pacientes divididos em 2 grupos. O primeiro grupo ultrassom de ERA de 8,5cm² com 1,1Watts/cm² e o segundo grupo com ultrassom de ERA de 4cm² com 1,5Watts/cm² com frequência de 3MHz no modo contínuo. No total, foram realizadas 16 sessões, 4 vezes por semana. O resultado foi satisfatório para apenas 1, das 5 participantes. No estudo de Luz e Silva (2010), foi relatado pela paciente que houve melhora após as 20 sessões. As sessões foram realizadas três vezes por semana com duração de 8 minutos cada uma, as aplicações equivaleram ao tempo de 1 minuto em cada quadrante. O tratamento foi realizado numa área total de 36cm² e foi dividida em quadrante, resultando em 9cm² cada região a ser trabalhada. Foi utilizado o aparelho de ultrassom Avatar na frequência de 3 Mhz na intensidade de 0,8Watts/cm², utilizando três transdutores com ERA de 7

8 6cm². Neste estudo, utilizou-se a técnica de aplicação de fonoforese com ativos de cafeína, centella asiática, equisetum, ginkgo biloba, castanha da índia e algas marinhas. Segundo o autor, não houve melhora no grau da FEG, apenas na aparência. Ainda de acordo com o autor, se fossem realizadas mais sessões com os mesmos ativos, o resultado obtido seria melhor em relação ao grau da FEG, se a paciente tivesse hábitos alimentares saudáveis. CONSIDERAÇÕES FINAIS Para a maioria das mulheres, a FEG causa um grande aspecto inestético, e cada vez mais elas se submetem aos tratamentos com o objetivo de melhorar a aparência. Além de causar problemas na aparência, a FEG também compromete a autoestima. De acordo com esta pesquisa, verificou-se que o ultrassom pode ser eficaz no tratamento da fibroedema gelóide, é capaz de diminuir o grau da FEG e melhorar a aparência da pele. 8

9 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ALMEIDA, D. C. B. et al. Parâmetros de aplicabilidade do ultra-som no tratamento da lipodistrofia ginóide. Revista Fisioterapia Brasil, BACELAR, V. C. F; VIEIRA, M, E, S. Importância da vacuoterapia no fibroedema gilóide. Madrid, BATISTA, M. C. Efeitos obtidos com a aplicação do ultra som associado à fonoforese no tratamento do fibro edema gelóide BEM, D, M. et al. Análise histológica em tecido epitelial sadio de ratos Wistar (in vivo) irradiados com diferentes intensidades de ultrassom. Revista Brasileira de Fisioterapia. São Carlos, BORGES, F. S. Modalidades terapêuticas nas disfunções estéticas. 2 ed. São Paulo, CIPORKIN, I.; PASCHOAL, L. H. Atualização terapêutica e fisiopatogênica da lipodistrofia genóide. 5. ed. São Paulo: Santos, FEDERICO, M. R. et al. Tratamento de celulite (Paniculopatia Edemato Fibroesclerótica) utilizando fonoforese com substâncias acoplante à base de hera, centella asiática e castanha da índia. Fisioterapia Ser, FONSECA, N. H. et al. A aplicabilidade do ultra-som no tratamento do fibro edema gelóide (FEG) na região glútea. Acta Biomedica Brasiliensia, GUIRRO, E; GUIRRO, R. Fisioterapia Dermato-Funcional. 3 ed. Editora Manole, GUIRRO, E; GUIRRO, R. Fisioterapia Dermato-Funcional. 3 ed. Editora Manole, JESUS, G. S. et al. Fonoforese X permeação cutânea. Curitiba, KITCHEN, S. Eletroterapia: prática baseada em evidências. 2. ed., Barueri- SP: Manole,

10 KUHNEN, A. P. Efeitos fisiológicos do ultra-som terapêutico no tratamento do fibro-edema gelóide. Florianópolis, Sana Catarina, LONGO, G. J. Ultra-som: um recurso muito valioso LUZ, A. S; SILVA, R. P. A aplicabilidade do ultra som avatar IV esthétic associado à fonoforese no tratamento da fibro edema gelóide (FEG). Revista Eletrônica Saúde CESUC, Dispinível em: < /dff46a8e774221ceaa0d07dbb2a978c2.pdf> MACHADO, G. C. et al. Análise dos efeitos do ultrassom terapêutico e da eletrolipoforese nas alterações decorrentes do fibroedema gelóide. Curitiba, MENDONÇA, K. M. P. P. et al. Ressonância Magnética: um processo na avaliação objetiva do fibro edema gelóide. Natal MENEZES, R. C; SILVA, S. G. Ultra-som no tratamento de fibro edema gelóide. Curitiba, OENNING, E. P. Efeitos obtidos com a aplicação do ultra-som no tratamento do fibro edema gelóide - FEG (celulite). Trabalho de Conclusão do Curso de Fisioterapia da Universidade do Sul de Santa Catarina Disponível em: artigoelainepickleroenning.pdf> OLSSON, D. C. Ultra-som terapêutico na cicatrização tecidual. Santa Maria, PARIENTI, I. J. A Celulite. In. Medicina Estética. São Paulo: Andrei, SILVESTRE, CP. P; ZANON, C, S. O uso do ultra-som associado com a drenagem linfática manual do tratamento do fibro edema gelóide. Ágora,

Protocolo Corporal para Redução de Medidas e Celulite com Endermoterapia.

Protocolo Corporal para Redução de Medidas e Celulite com Endermoterapia. Protocolo Corporal para Redução de Medidas e Celulite com Endermoterapia. www.lavertuan.com.br Gordura Localizada Gordura é o que chamamos de tecido subcutâneo ou tecido adiposo, é a camada mais profunda

Leia mais

Capítulo 2 Aspectos Histológicos

Capítulo 2 Aspectos Histológicos 5 Capítulo 2 Aspectos Histológicos Alguns conceitos básicos sobre histologia humana, a caracterização dos tecidos, a regeneração e reparação dos mesmos em lesões e a cicatrização de feridas são aspectos

Leia mais

APLICAÇÃO DA FONOFORESE NO TRATAMENTO DO FIBRO EDEMA GELÓIDE NA REGIÃO ABDOMINAL RESUMO

APLICAÇÃO DA FONOFORESE NO TRATAMENTO DO FIBRO EDEMA GELÓIDE NA REGIÃO ABDOMINAL RESUMO APLICAÇÃO DA FONOFORESE NO TRATAMENTO DO FIBRO EDEMA GELÓIDE NA REGIÃO ABDOMINAL Ohanna Daher de Paula FELIPE 1, Wálace Érick de Medeiros MOURA 1*, Silvani Barreto Assumpção CARDOSO 1, Júlio Correa de

Leia mais

A APLICABILIDADE DO ULTRA SOM AVATAR IV ESTHÉTIC ASSOCIADO À FONOFORESE NO TRATAMENTO DO FIBRO EDEMA GELÓIDE (FEG) 1 RESUMO

A APLICABILIDADE DO ULTRA SOM AVATAR IV ESTHÉTIC ASSOCIADO À FONOFORESE NO TRATAMENTO DO FIBRO EDEMA GELÓIDE (FEG) 1 RESUMO A APLICABILIDADE DO ULTRA SOM AVATAR IV ESTHÉTIC ASSOCIADO À FONOFORESE NO TRATAMENTO DO FIBRO EDEMA GELÓIDE (FEG) 1 RESUMO Andressa da Silva Luz 2 Roberta Pires da Silva 3 Prof. Adriana Caixeta 4 O fibro

Leia mais

MODELO FORMATIVO. DATA DE INíCIO / FIM / Manhã - 09h30-13h30 Tarde - 14h30-19h30 INVESTIMENTO

MODELO FORMATIVO. DATA DE INíCIO / FIM / Manhã - 09h30-13h30 Tarde - 14h30-19h30 INVESTIMENTO FISIOTERAPIA DERMATOFUNCIONAL - FEG E ESTRIAS (OUT 2014) - PORTO Sabe como atuar com eficácia perante a celulite e as estrias? O fibroedema gelóide (FEG) refere-se a uma condição clínica e estética que

Leia mais

A APLICAÇÃO DO ULTRASSOM TERAPÊUTICO NO TRATAMENTO DO FIBRO EDEMA GELÓIDE

A APLICAÇÃO DO ULTRASSOM TERAPÊUTICO NO TRATAMENTO DO FIBRO EDEMA GELÓIDE A APLICAÇÃO DO ULTRASSOM TERAPÊUTICO NO TRATAMENTO DO FIBRO EDEMA GELÓIDE Renata Cappellazzo 1, Cleide Batista 2, Daiane Aparecida Marcelino 3, Fabiana Nonino 4, Michelle Cardoso Machado 5, Ana Lúcia de

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DA DRENAGEM LINFÁTICA MANUAL NO TRATAMENTO DO FIBRO EDEMA GELÓIDE 1 RESUMO

A UTILIZAÇÃO DA DRENAGEM LINFÁTICA MANUAL NO TRATAMENTO DO FIBRO EDEMA GELÓIDE 1 RESUMO A UTILIZAÇÃO DA DRENAGEM LINFÁTICA MANUAL NO TRATAMENTO DO FIBRO EDEMA GELÓIDE 1 Patrícia Paola Pieri 2 Karina Brongholi 3 RESUMO O fibro edema gelóide é uma das principais alterações das características

Leia mais

Os benefícios do Ultrassom 3MHz no tratamento do fibro edema gelóide

Os benefícios do Ultrassom 3MHz no tratamento do fibro edema gelóide 1 Os benefícios do Ultrassom 3MHz no tratamento do fibro edema gelóide Resumo Silvia Regina de Andrade 1 silviaujiyo@terra.com Dayana Priscila Maia Mejia 2 Pós-Graduação em Fisioterapia Dermato-Funcional_

Leia mais

Saiba se injeções antigordura para secar a barriga valem a pena

Saiba se injeções antigordura para secar a barriga valem a pena Terra - SP 19/08/2014-12:34 Saiba se injeções antigordura para secar a barriga valem a pena Agência Hélice FXQuadro / Shutterstock As injeções antigordura (ou queima gordura) são opção para quem não consegue

Leia mais

Métodos: Bolsas térmicas Banhos (frios, quentes, de parafina) Lâmpadas de Infravermelhos Gelo (massagem, saco de gelo) Spray de frio Compressas frias

Métodos: Bolsas térmicas Banhos (frios, quentes, de parafina) Lâmpadas de Infravermelhos Gelo (massagem, saco de gelo) Spray de frio Compressas frias Daniel Gonçalves Objectivos: Aliviar dor Alterar o processo de cicatrização dos tecidos Alterar as propriedades plásticas dos tecidos conectivos (músculo, tendão, ligamento e cápsula articular) Métodos:

Leia mais

Cursos de Extensão. Técnicas Miofasciais (Tratamento da Disfunção dos Tecidos Moles)

Cursos de Extensão. Técnicas Miofasciais (Tratamento da Disfunção dos Tecidos Moles) Cursos de Extensão Técnicas Miofasciais (Tratamento da Disfunção dos Tecidos Moles) Duração do Curso: - 2 dias, horário integral, perfazendo a carga horária de 20 horas de teoria e prática, sendo 80% prático;

Leia mais

combinação para o seu corpo.

combinação para o seu corpo. A combinação para o seu corpo. A BIOSET, pautada incondicionalmente na experiência e seriedade, que há 22 anos norteiam suas ações e destacam a sua vanguarda no desenvolvimento de tecnologias e novos produtos,

Leia mais

Processo Inflamatório e Lesão Celular. Professor: Vinicius Coca

Processo Inflamatório e Lesão Celular. Professor: Vinicius Coca Processo Inflamatório e Lesão Celular Professor: Vinicius Coca www.facebook.com/profviniciuscoca www.viniciuscoca.com O que é inflamação? INFLAMAÇÃO - Inflamare (latim) ação de acender, chama FLOGOSE phlogos

Leia mais

BTL-6000 Lymphastim SISTEMA DE PRESSOTERAPIA DA BTL PARA A ÁREA DE MEDICINA ESTÉTICA E REABILITAÇÃO

BTL-6000 Lymphastim SISTEMA DE PRESSOTERAPIA DA BTL PARA A ÁREA DE MEDICINA ESTÉTICA E REABILITAÇÃO BTL-6000 Lymphastim SISTEMA DE PRESSOTERAPIA DA BTL PARA A ÁREA DE MEDICINA ESTÉTICA E REABILITAÇÃO TECNOLOGIA O sistema linfático humano é responsável por remover o fluido intersticial dos tecidos. Ele

Leia mais

FISIOTERAPIA DERMATOFUNCIONAL COM PATRICIA FROES (NOV 2016) - PORTO

FISIOTERAPIA DERMATOFUNCIONAL COM PATRICIA FROES (NOV 2016) - PORTO FISIOTERAPIA DERMATOFUNCIONAL COM PATRICIA FROES (NOV 2016) - PORTO Esta é uma formação bastante completa na área de corporal e facial que está estruturada sob uma perspetiva de revolução de conceitos

Leia mais

Protocolo do Accent XL

Protocolo do Accent XL Protocolo do Accent XL O Accent XL é um equipamento de radiofreqüência, que opera na faixa 40.68MHZ, freqüência esta liberada para uso médico, podendo-se usar com altas energias. Dentre várias ponteiras

Leia mais

Dra Letícia Guimarães

Dra Letícia Guimarães Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica Residência em Dermatologia

Leia mais

APLICAÇÃO DO ULTRASSOM NA ESTÉTICA CORPORAL NO TRATAMENTO DO FIBRO EDEMA GELÓIDE (FEG).

APLICAÇÃO DO ULTRASSOM NA ESTÉTICA CORPORAL NO TRATAMENTO DO FIBRO EDEMA GELÓIDE (FEG). APLICAÇÃO DO ULTRASSOM NA ESTÉTICA CORPORAL NO TRATAMENTO DO FIBRO EDEMA GELÓIDE (FEG). Cintia Tosoni Leonardo Ribeiro (*) Monia Luci Pawlowski (*) Tatiane Costa de Sousa (*) (*) Acadêmicas do CST em Estética

Leia mais

NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO DOS SERES VIVOS E PRINCIPAIS TIPOS DE TECIDOS

NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO DOS SERES VIVOS E PRINCIPAIS TIPOS DE TECIDOS NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO DOS SERES VIVOS E PRINCIPAIS TIPOS DE TECIDOS Profª MSc Monyke Lucena Átomos Compostos químicos Célula Tecidos Órgão Sistema Organismo Os animais apresentam diferentes tipos de tecidos,

Leia mais

Sistema inovador 6x1. A melhor solução para cuidar do corpo e da pele. Contorno corporal perfeito. Redução da Celulite. Redução de medidas

Sistema inovador 6x1. A melhor solução para cuidar do corpo e da pele. Contorno corporal perfeito. Redução da Celulite. Redução de medidas A melhor solução para cuidar do corpo e da pele Sistema inovador 6x1 Poderosa cavitação, RF multipolar LED e vácuo Contorno corporal perfeito Redução da Celulite Redução de medidas Skin Tightening O que

Leia mais

09/03/2015. Profa. Esp. Elaine Cristina Sabino Ovalle

09/03/2015. Profa. Esp. Elaine Cristina Sabino Ovalle Profa. Esp. Elaine Cristina Sabino Ovalle 1 2 3 4 5 6 7 8 9 -A luz de wood é um método de observação para diagnóstico de determinadas superfícies, através de uma luz fluorescente, possibilitando um preciso

Leia mais

TERAPIA VIBRO-OSCILATÓRIA.

TERAPIA VIBRO-OSCILATÓRIA. TERAPIA VIBRO-OSCILATÓRIA www.ibramed.com.br/modellata Terapia vibro-oscilatória. Custo acessível. Máxima transferência de vibração para o paciente (motor no equipamento e não no aplicador). Aplicador

Leia mais

Tratamento de Vulvodínea com ácido hialurônico

Tratamento de Vulvodínea com ácido hialurônico Tratamento de Vulvodínea com ácido hialurônico injeções de ácido hialurônico na vulva permitem alcançar a reparação desta área e cicatrização das fissuras melhorando a atrofia, reduzindo inflamação local,

Leia mais

ODONTOLOGIA PREVENTIVA. Saúde Bucal. Periodontite. Sua saúde começa pela boca!

ODONTOLOGIA PREVENTIVA. Saúde Bucal. Periodontite. Sua saúde começa pela boca! ODONTOLOGIA PREVENTIVA Saúde Bucal Periodontite. Sua saúde começa pela boca! O que é doença periodontal ou periodontite? ESMALTE DENTINA GENGIVAS POLPA PERIODONTITE OSSO ALVEOLAR CEMENTO NERVOS E VASOS

Leia mais

Avaliação clínica da utilização do Ultra Cavity como tratamento não invasivo para redução de perimetria e modelagem corporal.

Avaliação clínica da utilização do Ultra Cavity como tratamento não invasivo para redução de perimetria e modelagem corporal. ------------------------------------------------------------- Avaliação clínica da utilização do Ultra Cavity como tratamento não invasivo para redução de perimetria e modelagem corporal. -------------------------------------------------------------

Leia mais

NUTRIÇÃO E SUAS DEFINIÇÕES

NUTRIÇÃO E SUAS DEFINIÇÕES FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA Departamento de Educação Física NUTRIÇÃO E SUAS DEFINIÇÕES Disciplina Nutrição aplicada à Educação Física e ao Esporte Prof. Dr. Ismael Forte Freitas Júnior HISTÓRICO

Leia mais

~ 5 ~ A EFETIVIDADE DAS TÉCNICAS DE ISOSTRETCHING E ALOGAMENTO ESTÁTICO NA LOMBALGIA

~ 5 ~ A EFETIVIDADE DAS TÉCNICAS DE ISOSTRETCHING E ALOGAMENTO ESTÁTICO NA LOMBALGIA ~ 5 ~ A EFETIVIDADE DAS TÉCNICAS DE ISOSTRETCHING E ALOGAMENTO ESTÁTICO NA LOMBALGIA Isadora Carneiro Kovalhuk 1 Daniela dos Santos 2 Recebido em: 20.10.2013 Aceito em: 20.11.2013 Resumo: Lombalgia é o

Leia mais

COMO CHEGAR De metro: estação Saldanha (linha amarela ou vermelha), ou estação S. Sebastião (linha Azul ou vermelha)

COMO CHEGAR De metro: estação Saldanha (linha amarela ou vermelha), ou estação S. Sebastião (linha Azul ou vermelha) FISIOTERAPIA DERMATOFUNCIONAL FACIAL (DEZ 2014) - LISBOA Gostava de trabalhar na área facial mas tem receio de arriscar? O Curso de Fisioterapia Dermato-funcional Facial pelos seus conteúdos relevantes

Leia mais

UNISALESIANO. Profª Tatiani

UNISALESIANO. Profª Tatiani UNISALESIANO Profª Tatiani CONTROLE DAS FUNÇÕES DO CORPO.BIOFEEDBACK As diversas funções do corpo humano são decorrentes de processos físico-químicos que continuamente ocorrem em aproximadamente 100 trilhões

Leia mais

Hipertensão Arterial Sistêmica

Hipertensão Arterial Sistêmica Hipertensão Arterial Sistêmica Pressão alta merece atenção. o que É HiPerteNsão ArteriAL sistêmica (HAs)? É uma doença crônica caracterizada por níveis elevados e sustentados de Pressão Arterial (PA),

Leia mais

Protocolo Pós-Cirúrgico Corporal La Vertuan.

Protocolo Pós-Cirúrgico Corporal La Vertuan. www.lavertuan.com.br A cirurgia plástica busca proporcionar a cada indivíduo sua satisfação pessoal, a harmonia com seu corpo. Os tempos modernos transformam a beleza estética em "objeto de desejo. O Brasil

Leia mais

EFEITOS DA CORRENTE RUSSA NO TRATAMENTO DE FIBRO EDEMA GELÓIDE NA REGIÃO GLÚTEA

EFEITOS DA CORRENTE RUSSA NO TRATAMENTO DE FIBRO EDEMA GELÓIDE NA REGIÃO GLÚTEA EFEITOS DA CORRENTE RUSSA NO TRATAMENTO DE FIBRO EDEMA GELÓIDE NA REGIÃO GLÚTEA EFFECTS OF CURRENT RUSSIAN TREATMENT OF FIBRO GELOID EDEMA IN THE GLUTEAL REGION Alessandra Brunel Paes 1 Ana Paula Vieira

Leia mais

ELETROANALGESIA (BAIXA FREQUÊNCIA T.E.N.S.) Prof. Thiago Yukio Fukuda

ELETROANALGESIA (BAIXA FREQUÊNCIA T.E.N.S.) Prof. Thiago Yukio Fukuda ELETROANALGESIA (BAIXA FREQUÊNCIA T.E.N.S.) Prof. Thiago Yukio Fukuda FISIOLOGIA DA DOR EXPERIÊNCIA SENSORIAL E EMOCIONAL DESAGRADÁVEL ASSOCIADA COM UM DANO TISSULAR REAL OU POTENCIAL Merskey, 1990 Resumo

Leia mais

Aterosclerose. Aterosclerose

Aterosclerose. Aterosclerose ATEROSCLEROSE TROMBOSE EMBOLIA Disciplinas ERM 0207/0212 Patologia Aplicada à Enfermagem Profa. Dra. Milena Flória-Santos Aterosclerose Departamento de Enfermagem Materno-Infantil e Saúde Pública Escola

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ COORDENADORIA DE CONCURSOS CCV

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ COORDENADORIA DE CONCURSOS CCV A Comissão Examinadora da Prova para cargo de Fisioterapeuta efetuou a análise do Conhecimentos Específicos - QUESTÃO 22 O requerente está se referindo ao item correto como sendo a letra E. A respiração

Leia mais

NR-10 CHOQUE ELÉTRICO

NR-10 CHOQUE ELÉTRICO NR-10 CHOQUE ELÉTRICO Prof. Pedro Armando da Silva Jr. Engenheiro Eletricista, Dr. pedroarmando@ifsc.edu.br Definição CHOQUE ELÉTRICO É a perturbação de natureza e efeitos diversos que se manifesta no

Leia mais

HISTOLOGIA TECIDO NERVOSO

HISTOLOGIA TECIDO NERVOSO HISTOLOGIA TECIDO NERVOSO Classificação SNC corpos celulares dos neurônios (substância cinzenta) prolongamentos (substância branca) SNP Nervos sensitivos (aferentes) Entrada Saída Nervos cranianos e nervos

Leia mais

OS TECIDOS PROF LUIS BRUNO

OS TECIDOS PROF LUIS BRUNO OS TECIDOS PROF.: LUIS BRUNO HISTOLOGIA E TECIDOS Histologia (do grego hystos = tecido + logos = estudo) é o estudo dos tecidos biológicos, sua formação, estrutura e função. Tecidos, é um conjunto de células

Leia mais

A Savita apresenta um conceito inovador em reeducação corporal no Recife.

A Savita apresenta um conceito inovador em reeducação corporal no Recife. A Savita apresenta um conceito inovador em reeducação corporal no Recife. Contamos com uma equipe de especialistas em Fisioterapia e Educação Física sob a coordenação técnica da fisioterapeuta Fátima Tedim,

Leia mais

Epiderme: Encontra-se na camada papilar da derme e pode adquirir espessuras diferentes em determinadas partes do corpo humano.

Epiderme: Encontra-se na camada papilar da derme e pode adquirir espessuras diferentes em determinadas partes do corpo humano. Sistema Tegumentar Epiderme: Encontra-se na camada papilar da derme e pode adquirir espessuras diferentes em determinadas partes do corpo humano. Esse sistema do corpo humano, também conhecido como pele,

Leia mais

Ondulatória Parte 1. Física_9 EF. Profa. Kelly Pascoalino

Ondulatória Parte 1. Física_9 EF. Profa. Kelly Pascoalino Ondulatória Parte 1 Física_9 EF Profa. Kelly Pascoalino Nesta aula: Introdução; Ondas mecânicas; Ondas sonoras. INTRODUÇÃO Ondas de vários tipos estão presentes em nossas vidas. Lidamos com os mais diversos

Leia mais

ENDERMOTERAPIA INSTITUTO LONG TAO

ENDERMOTERAPIA INSTITUTO LONG TAO ENDERMOTERAPIA INSTITUTO LONG TAO Melissa Betel Tathiana Bombonatti A endermoterapia foi criada na França em 1970 por Louis Paul Guitay. Ele sofreu um grave acidente de carro que causou queimaduras de

Leia mais

Conheça algumas doenças tipicamente femininas

Conheça algumas doenças tipicamente femininas Uol - SP 03/12/2014-11:51 Conheça algumas doenças tipicamente femininas Da Redação ANSIEDADE: este transtorno mental é caracterizado por preocupações, tensões ou medos exagerados, sensação contínua de

Leia mais

1. Benefícios da atividade física

1. Benefícios da atividade física 1. Benefícios da atividade física "ATIVIDADE FÍSICA É UM DIREITO DE TODOS E UMA NECESSIDADE BÁSICA" (UNESCO). O ser humano, na sua preocupação com o corpo, tem de estar alerta para o fato de que saúde

Leia mais

Peeling Químico - Superficial

Peeling Químico - Superficial Peeling Químico - Superficial Os peelings químicos são um dos procedimentos cosméticos não invasivos mais populares realizados para rejuvenescer a aparência da pele. Com o tempo, fatores como danos causados

Leia mais

19/04/2016. Profª. Drª. Andréa Fontes Garcia E -mail:

19/04/2016. Profª. Drª. Andréa Fontes Garcia E -mail: Profª. Drª. Andréa Fontes Garcia E -mail: andrea@salesiano-ata.br 1 A Obesidade Definida como doença crônica caracterizada pelo excesso de peso corporal Decorre na maior parte dos casos de um desequilíbrio

Leia mais

Tema B TECIDO CONJUNTIVO

Tema B TECIDO CONJUNTIVO Tema B TECIDO CONJUNTIVO 1 Características gerais 2 Características dos principais tipos de tecido conjuntivo 2.1 Tecido conjuntivo propriamente dito 2.1.1 Laxo 2.1.2 Denso: modulado e não modulado 2.2

Leia mais

LEGANCE (Butylene glycol Zingiber zerumbet Extract)

LEGANCE (Butylene glycol Zingiber zerumbet Extract) LEGANCE (Butylene glycol Zingiber zerumbet Extract) TRATAMENTO GLOBAL PARA BELEZA DAS PERNAS: TESTADO POR ANGIOLOGISTA AVALIAÇÃO DA MICROCIRCULAÇÃO POR LASER DOPPLER PRÉ E PÓS CIRURGIAS VASCULARES E TRATAMENTO

Leia mais

número 25- julho/2016 RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS

número 25- julho/2016 RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS número 25- julho/2016 RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RADIOTERAPIA INTRAOPERATÓRIA PARA O TRATAMENTO DE ESTÁDIOS INICIAIS

Leia mais

Revista Científica da FHO UNIARARAS v. 3, n. 1/2015

Revista Científica da FHO UNIARARAS v. 3, n. 1/2015 COMPARAÇÃO ENTRE A ENDERMOTERAPIA E O ULTRASSOM NO TRATAMENTO DO FIBRO EDEMA GELOIDE COMPARISON OF ENDERMOTHERAPY AND ULTRASOUND IN THE TREATMENT OF FIBRO EDEMA GELOID Taila Priscila de ALMEIDA 1; 2 ;

Leia mais

Peeling Químico - Médio

Peeling Químico - Médio Peeling Químico - Médio Os peelings químicos são um dos procedimentos cosméticos não invasivos mais populares realizados para rejuvenescer a aparência da pele. Com o tempo, fatores como danos causados

Leia mais

TÍTULO: ELETROLIPÓLISE NO TRATAMENTO DE GORDURA LOCALIZADA ABDOMINAL

TÍTULO: ELETROLIPÓLISE NO TRATAMENTO DE GORDURA LOCALIZADA ABDOMINAL 16 TÍTULO: ELETROLIPÓLISE NO TRATAMENTO DE GORDURA LOCALIZADA ABDOMINAL CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FISIOTERAPIA INSTITUIÇÃO: FACULDADES INTEGRADAS DE FERNANDÓPOLIS

Leia mais

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE UNIDADE ACADÊMICA DE CIÊNCIAS DE SAÚDE CURSO DE FISIOTERAPIA GÉSSICA SPADER SIMON

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE UNIDADE ACADÊMICA DE CIÊNCIAS DE SAÚDE CURSO DE FISIOTERAPIA GÉSSICA SPADER SIMON UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE UNIDADE ACADÊMICA DE CIÊNCIAS DE SAÚDE CURSO DE FISIOTERAPIA GÉSSICA SPADER SIMON MANTHUS NO FIBRO EDEMA GELÓIDE: ANÁLISE ENTRE MODO CONTÍNUO E PULSADO CRICIÚMA,

Leia mais

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE ATIVIDADE FÍSICA

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE ATIVIDADE FÍSICA O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE ATIVIDADE FÍSICA 1 a Atividade Física 2013.indd 1 09/03/15 16 SEDENTARISMO é a falta de atividade física suficiente e pode afetar a saúde da pessoa. A falta de atividade física

Leia mais

REDUÇÃO & REEDUCAÇÃO PROGRAMA DE EMAGRECIMENTO

REDUÇÃO & REEDUCAÇÃO PROGRAMA DE EMAGRECIMENTO Go Mag R do o Os Efeitos negativos da Obesidade na sua saúde e na sua vida: Menor expectativa de vida Baixa autoestima Mobilidade limitada Problemas nas articulações Ataque cardíaco Pressão alta 2R QUE

Leia mais

Sonic Compact. Alta Tecnologia em Ultrassom Portátil. Conecção para Terapia combinada potência de 21W

Sonic Compact. Alta Tecnologia em Ultrassom Portátil. Conecção para Terapia combinada potência de 21W Alta Tecnologia em Ultrassom Portátil Conecção para Terapia combinada potência de 21W Protocolos pré-definidos Leve e portátil Facilidade de operação Emissão de onda contínua e pulsada Aplicador ergonômico

Leia mais

TÍTULO: ALIMENTAÇÃO COMO FATOR CONTRIBUINTE NA PREVENÇÃO DA HIDROLIPODISTROFIA GINOIDE NA ADOLESCÊNCIA

TÍTULO: ALIMENTAÇÃO COMO FATOR CONTRIBUINTE NA PREVENÇÃO DA HIDROLIPODISTROFIA GINOIDE NA ADOLESCÊNCIA 16 TÍTULO: ALIMENTAÇÃO COMO FATOR CONTRIBUINTE NA PREVENÇÃO DA HIDROLIPODISTROFIA GINOIDE NA ADOLESCÊNCIA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FISIOTERAPIA INSTITUIÇÃO: FACULDADES

Leia mais

Universidade Federal do Ceará Faculdade de Medicina Liga de Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Jônatas Catunda de Freitas

Universidade Federal do Ceará Faculdade de Medicina Liga de Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Jônatas Catunda de Freitas Universidade Federal do Ceará Faculdade de Medicina Liga de Cirurgia de Cabeça e Pescoço Jônatas Catunda de Freitas Fortaleza 2010 Lesões raras, acometendo principalmente mandíbula e maxila Quadro clínico

Leia mais

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE DOENÇA METABÓLICA

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE DOENÇA METABÓLICA O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE DOENÇA METABÓLICA ENTENDENDO a doença metabólica A doença metabólica, também chamada de síndrome metabólica ou ainda de plurimetabólica, em geral faz parte de um conjunto de

Leia mais

Histologia. Professora Deborah

Histologia. Professora Deborah Histologia Professora Deborah Histologia Histologia (do grego hystos = tecido + logos = estudo) é o estudo dos tecidos biológicos, sua formação, estrutura e função. Tecidos É um conjunto de células que

Leia mais

QUALIFICAÇÃO PROFISSINAL DAS ACADÊMICAS DO CURSO DE ESTÉTICA E COSMÉTICA ATRAVES DE AÇÕES VOLTADAS À COMUNIDADE

QUALIFICAÇÃO PROFISSINAL DAS ACADÊMICAS DO CURSO DE ESTÉTICA E COSMÉTICA ATRAVES DE AÇÕES VOLTADAS À COMUNIDADE QUALIFICAÇÃO PROFISSINAL DAS ACADÊMICAS DO CURSO DE ESTÉTICA E COSMÉTICA ATRAVES DE AÇÕES VOLTADAS À COMUNIDADE HANSEN, Dinara 1 ; GIACOMOLLI, Cristiane Maria Hagmann 2 ; REIS, Gislaine 3 ; DEUSCHLE, Viviane

Leia mais

Doença de Addison DOENÇA DE ADDISON

Doença de Addison DOENÇA DE ADDISON Enfermagem em Clínica Médica Doença de Addison Enfermeiro: Elton Chaves email: eltonchaves76@hotmail.com DOENÇA DE ADDISON A insuficiência adrenal (IA) primária, também denominada doença de Addison, geralmente

Leia mais

ECOGRAFIAS. Ecografias. Imagens estruturais, baseadas na reflexão dos ultra-sons nas paredes dos tecidos.

ECOGRAFIAS. Ecografias. Imagens estruturais, baseadas na reflexão dos ultra-sons nas paredes dos tecidos. ECOGRAFIAS Ecografias Imagens estruturais, baseadas na reflexão dos ultra-sons nas paredes dos tecidos. Imagens dinâmicas baseadas no efeito de Doppler aplicado ao movimento sanguíneo. ULTRA-SONS, ECOS

Leia mais

Prof. Kemil Rocha Sousa

Prof. Kemil Rocha Sousa Prof. Kemil Rocha Sousa Miostática (miogênica)- A unidade musculotendínea está adaptativamente encurtada com perda significativa de ADM, mas sem patologia muscular específica. Embora possa haver uma redução

Leia mais

20/01/2014 ONDAS 1. INTRODUÇÃO

20/01/2014 ONDAS 1. INTRODUÇÃO ONDAS 1. INTRODUÇÃO Quando uma pessoa liga um aparelho de rádio ou de televisão, imediatamente recebe a mensagem emitida pela estação de rádio ou TV (música, voz do locutor, imagens). Esses aparelhos foram

Leia mais

Actigym. O seu personal trainer secreto

Actigym. O seu personal trainer secreto Actigym O seu personal trainer secreto Potencializa os resultados da academia Promove redução das medidas do abdômen, braços e glúteos Define a silhueta Aumenta a tonicidade muscular, melhorando a firmeza

Leia mais

ODONTOLOGIA PREVENTIVA. Saúde Bucal. Dores na mandíbula e na face.

ODONTOLOGIA PREVENTIVA. Saúde Bucal. Dores na mandíbula e na face. ODONTOLOGIA PREVENTIVA Saúde Bucal Dores na mandíbula e na face. O que é ATM? ATM significa articulação temporomandibular, que é a articulação entre a mandíbula e o crânio. Portanto, temos duas ATM, cada

Leia mais

Eletrofisiologia 13/03/2012. Canais Iônicos. Proteínas Integrais: abertas permitem a passagem de íons

Eletrofisiologia 13/03/2012. Canais Iônicos. Proteínas Integrais: abertas permitem a passagem de íons Eletrofisiologia Proteínas Integrais: abertas permitem a passagem de íons Seletividade Alguns íons podem passar outros não Tamanho do canal Distribuição de cargas Aberto ou fechado Proteínas Integrais:

Leia mais

LIPOASPIRAÇÃO 01) P: QUANTOS QUILOS VOU EMAGRECER COM A LIPOASPIRAÇÃO?

LIPOASPIRAÇÃO 01) P: QUANTOS QUILOS VOU EMAGRECER COM A LIPOASPIRAÇÃO? LIPOASPIRAÇÃO Este procedimento cirúrgico tem a finalidade de remodelar o contorno corporal, através da remoção por aspiração controlada a vácuo, de gordura localizada em diferentes regiões do corpo, que

Leia mais

VARIZES DE MEMBROS INFERIORES. Dr Otacilio Camargo Junior Dr George Kalil Ferreira

VARIZES DE MEMBROS INFERIORES. Dr Otacilio Camargo Junior Dr George Kalil Ferreira VARIZES DE MEMBROS INFERIORES Dr Otacilio Camargo Junior Dr George Kalil Ferreira Definição Dilatação, alongamento, tortuosidade com perda funcional, com insuficiência valvular Incidência: 3/1 sexo feminino;75%

Leia mais

Fonte: Anatomia Humana 5 edição: Johannes W. Rohen

Fonte: Anatomia Humana 5 edição: Johannes W. Rohen Prof. Bruno Pires MORFOLOGIA Divisões: Sistema Nervoso Central: formado por encéfalo e medula espinhal Encéfalo: Massa de tecido nervoso presente na região do crânio. Composta por tronco encefálico, cérebro

Leia mais

ENVELHECIMENTO. Definições do Envelhecimento, Acne e Lesões de conteúdo liquido. Envelhecimento cutâneo. Envelhecimento Intrínseco (fisiológico)

ENVELHECIMENTO. Definições do Envelhecimento, Acne e Lesões de conteúdo liquido. Envelhecimento cutâneo. Envelhecimento Intrínseco (fisiológico) Definições do Envelhecimento, Acne e Lesões de conteúdo liquido ENVELHECIMENTO Envelhecimento cutâneo O conceito de beleza atualmente em vigor e procurado pela grande maioria das pessoas é o da pele jovem,

Leia mais

ISO-SLIMCOMPLEX ANTICELULÍTICO E REDUTOR

ISO-SLIMCOMPLEX ANTICELULÍTICO E REDUTOR ISO-SLIMCOMPLEX ANTICELULÍTICO E REDUTOR Isoflavonas da soja para um corpo perfeito Iso-SlimComplex é um ingrediente tanto redutor quanto anticelulitico, a base de genisteína, ingrediente biologicamente

Leia mais

AUTOR(ES): NATÁLIA MAIRA DA SILVA PEREIRA, ÉVELYN DAIANE DA SILVA MELO, SILVANA DOMINGOS ROSSI CERAZE, THAIS FERNANDES LEMES

AUTOR(ES): NATÁLIA MAIRA DA SILVA PEREIRA, ÉVELYN DAIANE DA SILVA MELO, SILVANA DOMINGOS ROSSI CERAZE, THAIS FERNANDES LEMES Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: UTILIZAÇÃO DA RADIOFREQUÊNCIA NA ATENUAÇÃO DAS RUGAS FACIAIS CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS

Leia mais

MESOTERAPIA NO DESPORTO (JUL 2016) - LISBOA

MESOTERAPIA NO DESPORTO (JUL 2016) - LISBOA MESOTERAPIA NO DESPORTO (JUL 2016) - LISBOA A mesoterapia com produtos homeopáticos é um recurso extremamente seguro e com efeitos bastante rápidos no alívio da dor, recuperação física e resolução de processos

Leia mais

Introdução ao estudo de neurofisiologia

Introdução ao estudo de neurofisiologia Introdução ao estudo de neurofisiologia Introdução ao estudo de neurofisiologia Peixe Réptil Ave Boi Humano Por que os cérebros são diferentes entre as espécies? Introdução ao estudo de neurofisiologia

Leia mais

EXAMES LABORATORIAIS PROF. DR. CARLOS CEZAR I. S. OVALLE

EXAMES LABORATORIAIS PROF. DR. CARLOS CEZAR I. S. OVALLE EXAMES LABORATORIAIS PROF. DR. CARLOS CEZAR I. S. OVALLE EXAMES LABORATORIAIS Coerências das solicitações; Associar a fisiopatologia; Correlacionar os diversos tipos de exames; A clínica é a observação

Leia mais

Cardiologia. Prof. Claudia Witzel

Cardiologia. Prof. Claudia Witzel Cardiologia Introdução Disfunções circulatórias levam as pessoas a adoecerem. Origem congênita ( já nasce com a doença, como a deficiência na formação de válvulas cardíacas) Origem infecciosa ( bactérias

Leia mais

SISTEMA CARDIOVASCULAR. Prof. Jair

SISTEMA CARDIOVASCULAR. Prof. Jair SISTEMA CARDIOVASCULAR Prof. Jair FUNÇÕES Transporte de gases dos pulmões aos tecidos e dos tecidos aos pulmões Transporte dos nutrientes das vias digestivas aos tecidos Transporte de toxinas Distribuição

Leia mais

Exercícios de Coordenação Nervosa

Exercícios de Coordenação Nervosa Exercícios de Coordenação Nervosa 1. Observe a estrutura do neurônio abaixo e marque a alternativa correta: Esquema simplificado de um neurônio a) A estrutura indicada pelo número 1 é o axônio. b) A estrutura

Leia mais

TRATAMENTO COM ELETROLIPOFORESE PARA FIBRO EDEMA GELÓIDE EM REGIÃO GLÚTEA

TRATAMENTO COM ELETROLIPOFORESE PARA FIBRO EDEMA GELÓIDE EM REGIÃO GLÚTEA TRATAMENTO COM ELETROLIPOFORESE PARA FIBRO EDEMA GELÓIDE EM REGIÃO GLÚTEA RINALDI, C. L.W.; SPESSATO, L. C. Resumo: O objetivo do presente estudo foi avaliar o benefício da eletrolipoforese no tratamento

Leia mais

FASES DO FEG Primeira fase: Congestiva simples

FASES DO FEG Primeira fase: Congestiva simples FIBRO EDEMA GELÓIDE DEFINIÇÃO O FEG é uma disfunção localizada que afeta a derme e o tecido subcutâneo, com alterações vasculares e lipodistrofia com resposta esclerosante. FASES DO FEG Primeira fase:

Leia mais

ENVELHECIMENTO CUTÂNE0. Professora: Erika Liz

ENVELHECIMENTO CUTÂNE0. Professora: Erika Liz ENVELHECIMENTO CUTÂNE0 Professora: Erika Liz Introdução O envelhecimento é um processo biológico e dinâmico que ocorre desde o dia em que nascemos. Os tecidos gradualmente passam por mudanças de acordo

Leia mais

PROBLEMAS NUTRICIONAIS EM CÃES E GATOS OBESIDADE VISÃO GERAL

PROBLEMAS NUTRICIONAIS EM CÃES E GATOS OBESIDADE VISÃO GERAL PROBLEMAS NUTRICIONAIS EM CÃES E GATOS OBESIDADE VISÃO GERAL Prof. Roberto de Andrade Bordin DMV, M.Sc. Setor de Nutrição e Metabolismo Animal Medicina Veterinária Universidade Anhembi Morumbi São Paulo,

Leia mais

COLÉGIO EQUIPE DE JUIZ DE FORA. Listão de Férias ano

COLÉGIO EQUIPE DE JUIZ DE FORA. Listão de Férias ano Listão de Férias 2016 8 ano 1) Indique a alternativa que não apresenta informações corretas sobre o sistema urinário humano. a) A filtração do sangue ocorre em uma estrutura chamada néfron. b) O sistema

Leia mais

Microdermoabrasão

Microdermoabrasão Microdermoabrasão A microdermoabrasão é um dos procedimentos cosméticos mais populares e não invasivos realizados atualmente. Com o tempo, fatores como envelhecimento, fatores genéticos, danos causados

Leia mais

DOS TECIDOS BUCAIS. Periodontopatias. Pulpopatias. Periapicopatias TIPOS: -INCIPIENTE -CRÔNICA -HIPERPLÁSICA. Causada pelo biofilme bacteriano

DOS TECIDOS BUCAIS. Periodontopatias. Pulpopatias. Periapicopatias TIPOS: -INCIPIENTE -CRÔNICA -HIPERPLÁSICA. Causada pelo biofilme bacteriano LESÕES INFLAMATÓRIAS DOS TECIDOS BUCAIS PERIODONTOPATIAS PERIODONTOPATIAS DOENÇAS DO PERIODONTO Periodontopatias Pulpopatias Periapicopatias Inflamação limitada aos tecidos moles que circundam os dentes(tec.peridentais).

Leia mais

ULTRA-SOM THIAGO YUKIO FUKUDA

ULTRA-SOM THIAGO YUKIO FUKUDA ULTRA-SOM THIAGO YUKIO FUKUDA Freqüência > 20kHz Depende de um meio para se propagar O que acontece quando a onda atinge um novo material? Refração: mudança na direção da onda sonora. Reflexão: A onda

Leia mais

Histologia. Leonardo Rodrigues EEEFM GRAÇA ARANHA

Histologia. Leonardo Rodrigues EEEFM GRAÇA ARANHA Histologia. Leonardo Rodrigues EEEFM GRAÇA ARANHA Histologia Ramo da Biologia que estuda os tecidos; Tecido - é um conjunto de células, separadas ou não por substâncias intercelulares e que realizam determinada

Leia mais

PROVA DE BIOLOGIA 3 o TRIMESTRE DE 2015

PROVA DE BIOLOGIA 3 o TRIMESTRE DE 2015 PROVA DE BIOLOGIA 3 o TRIMESTRE DE 2015 PROFa. FLÁVIA CARLETE NOME Nº 8º ANO A prova deve ser feita com caneta azul ou preta. É terminantemente proibido o uso de corretor. Respostas com corretor serão

Leia mais

União das Associações de Portadores de Psoríase do Brasil. Cenário da Psoríase no Brasil: Uma revisão necessária

União das Associações de Portadores de Psoríase do Brasil. Cenário da Psoríase no Brasil: Uma revisão necessária União das Associações de Portadores de Psoríase do Brasil Cenário da Psoríase no Brasil: Uma revisão necessária Comissão de Assuntos Sociais Senado Federal Brasília, 03 de Junho de 2015 PSORÍASE BRASIL:

Leia mais

Aluna: Laise Souza Mestranda em Alimentos e Nutrição

Aluna: Laise Souza Mestranda em Alimentos e Nutrição PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ALIMENTOS E NUTRIÇÃO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Aluna: Laise Souza Mestranda em Alimentos e Nutrição glicose

Leia mais

Colágeno

Colágeno Colágeno Os preenchimentos injetáveis são umas das técnicas de rejuvenescimento facial mais populares. À medida que envelhecemos, os tecidos subjacentes que mantêm nossa pele com aparência jovem e firme

Leia mais

CENÁRIO DO CÂNCER DE MAMA

CENÁRIO DO CÂNCER DE MAMA OUTUBRO ROSA Outubro Rosa é uma campanha de conscientização que tem como objetivo principal alertar as mulheres e a sociedade sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama.

Leia mais

número 29 - setembro/2016 RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS

número 29 - setembro/2016 RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS número 29 - setembro/2016 RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS INSULINAS ANÁLOGAS RÁPIDAS NO TRATAMENTO DO DIABETES MELLITUS

Leia mais

FUNÇÕES HIPOTALÂMICAS

FUNÇÕES HIPOTALÂMICAS Os mecanismos hipotalâmicos agem em conjunto, no sentido de preservar a homeostasia. ANATOMIA FUNCIONAL DO HIPOTÁLAMO O hipotálamo exerce sua influência sobre o meio interno através de três sistemas: Sistema

Leia mais

Fisiologia do Sistema Cardiovascular. Profa. Deise Maria Furtado de Mendonça

Fisiologia do Sistema Cardiovascular. Profa. Deise Maria Furtado de Mendonça Fisiologia do Sistema Cardiovascular Profa. Deise Maria Furtado de Mendonça Introdução ao Sistema Cardiovascular Coração e sistema fechado de vasos. Sangue move-se continuamente por gradiente de pressão.

Leia mais

INFLAMAÇÃO & REPARO TECIDUAL

INFLAMAÇÃO & REPARO TECIDUAL UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA UnB PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOLOGIA MOLECULAR INFLAMAÇÃO & REPARO TECIDUAL Mestranda: Diane Oliveira Sumário 1) Inflamação 1.1- Visão geral 1.2- Inflamação Aguda Estímulos

Leia mais

POSTPARTUM DEEP OSCILLATION PERSONAL POSTPARTUM

POSTPARTUM DEEP OSCILLATION PERSONAL POSTPARTUM POSTPARTUM DEEP OSCILLATION PERSONAL POSTPARTUM Seguro e altamente eficaz no da dor dos seios pós parto e dos canais de leite tapados. Alivio de dor, cicatrização mais rápida e melhoria da ferida cirúrgica

Leia mais

AULA: 5 - Assíncrona TEMA: Cultura- A pluralidade na expressão humana.

AULA: 5 - Assíncrona TEMA: Cultura- A pluralidade na expressão humana. : 5 - Assíncrona TEMA: Cultura- A pluralidade na expressão humana. Conteúdo: Doenças relacionadas ao sedentarismo Diabetes. Doenças relacionadas ao sedentarismo Hipertensão arterial e dislipidemias. Habilidades:

Leia mais