15º Congresso Brasileiro de Mineração e EXPOSIBRAM 2013

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "15º Congresso Brasileiro de Mineração e EXPOSIBRAM 2013"

Transcrição

1 15º Congresso Brasileiro de Mineração e EXPOSIBRAM 2013 Subsecretaria de Mineração Secretaria de Energia do Estado de São Paulo São Paulo Setembro/2013

2 HISTÓRICO INSTITUCIONAL Até 1990, as políticas públicas estaduais para a mineração foram desenvolvidas no Estado de São Paulo pelo PRÓ-MINÉRIO Programa de Desenvolvimento de Recursos Minerais, sob os cuidados da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo. As mudanças de governo geraram uma paralização do programa, cuja memória foi preservada pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas - IPT até Ao longo dos sucessivos governos estaduais, a mineração passou a fazer parte do campo funcional da Secretaria de Saneamento, Recursos Hídricos e Energia, depois transformada em Secretaria de Energia e Saneamento, e em 2.011, criou-se novamente a Secretaria de Energia do Estado de São Paulo que manteve em seu campo funcional a mineração.

3 O PAPEL DO PODER LEGISLATIVO As atribulações naturais causadas por sucessivas reformulações institucionais limitaram a atuação do Estado na questão minerária. Por outro lado, atendendo a pleito do setor, o Deputado Estadual João Caramez propôs em a criação da FPAM Frente Parlamentar de Apoio à Mineração no âmbito da Assembléia Legislativa de São Paulo, com o objetivo de fomentar as atividades de mineração no Estado de São Paulo de maneira estável e harmônica com as demais formas de ocupação do uso do solo e atendimento à legislação ambiental. Rapidamente, o conjunto inicial de deputados empresários, associações e sindicatos da mineração paulista, apoiadores da FPAM, constataram a relevância e a urgência da criação de um órgão gestor específico para a formulação de políticas públicas para o setor mineral paulista.

4 O PAPEL DO PODER LEGISLATIVO Através da nova Secretaria de Energia do Estado de São Paulo, agora conduzida pelo Deputado Federal José Aníbal, criou-se em a Subsecretaria de Petróleo, Gás e Mineração. A importância da mineração paulista destacou-se da agenda do Petróleo e Gás, levando o Secretário de Energia José Aníbal a propor ao Governador Geraldo Alkmin a criação de uma subsecretaria específica para o assunto. Sensibilizado, o Governador criou em 3 de outubro de a Subsecretaria de Mineração.

5 A Subsecretaria de Mineração - Secretaria de Energia do Estado de São Paulo, detém as seguintes atribuições: I coordenar e participar do planejamento e da execução das políticas de mineração no Estado de São Paulo; II desenvolver, coordenar e estimular programas de aperfeiçoamento tecnológico no setor de mineração. Na prática, estas atribuições determinaram os seguintes objetivos:

6 I Planejar e executar políticas públicas de fomento à produção mineral em consonância com políticas ambientais e de uso e ocupação do solo.

7 II - Planejar e coordenar ações do poder público estadual para o desenvolvimento da indústria mineral, com vistas à garantia de suprimento futuro de recursos minerais para atender as demandas da construção civil, da indústria de transformação e da agricultura.

8 III Desenvolver e coordenar programas de Ordenamento Territorial Geominero - OTGM buscando a inserção das atividades de mineração nos Planos Diretores Municipais e nos Planos de Desenvolvimento Econômico e Social.

9 O Mapa da Produção Mineral do Estado de São Paulo funciona como instrumento de planejamento e permite nortear os trabalhos de OTGM a serem executados nos próximos anos em função das prioridades de Governo e do acervo já construído.

10 IV Estabelecer arranjos institucionais visando a ação integrada de órgãos federais, estaduais e municipais, que tenham competências legais direta e indiretamente relacionadas aos recursos minerais e ao desenvolvimento da indústria mineral.

11 V Desenvolver e coordenar programas de regularização de empreendimentos e formalização de mão-de-obra e programas de capacitação profissional em todos os níveis da indústria mineral paulista.

12 VI Desenvolver, coordenar e estimular programas de desenvolvimento tecnológico da pesquisa, da lavra e do beneficiamento mineral.

13 VII Assumir e desempenhar funções delegadas do Governo Federal, poder concedente, representado pelo Ministério das Minas e Energia - Departamento Nacional de Produção Mineral DNPM.

14 FEM FUNDO ESTADUAL DE MINERAÇÃO Apoio institucional e financeiro a programas, projetos e ações do setor. Dentro do planejamento das ações, a SSM-SEE está sendo criado o FEM FUNDO ESTADUAL DA MINERAÇÃO, tendo um colegiado com representação de pastas de estado e com agendas transversais da mineração (meio ambiente, transportes, energia, fazenda, ciência e tecnologia, etc.), também com representantes dos trabalhadores, dos parlamentares e da classe empresarial. Viabilizado com recursos da cota-parte da CFEM para os Estados, o Fundo terá por objetivo prestar apoio financeiro às ações da SSM-SEE em programas e projetos que atendam o interesse público a partir da inserção da mineração nos processos de desenvolvimento econômico e social.

15 Obrigado! José Aníbal Secretário de Estado de Energia José Fernando Bruno Subsecretário de Mineração Secretaria de Energia do Estado de São Paulo Rua Boa Vista, º Andar São Paulo /5320

Histórico Institucional

Histórico Institucional Histórico Institucional Até 1990, as políticas públicas estaduais para a mineração foram desenvolvidas no Estado de São Paulo pelo PRÓ-MINÉRIO Programa de Desenvolvimento de Recursos Minerais, sob os cuidados

Leia mais

AÇÕES DA SUBSECRETARIA DE MINERAÇÃO PARA O FORTALECIMENTO DA POLÍTICA ESTADUAL DE MINERAÇÃO

AÇÕES DA SUBSECRETARIA DE MINERAÇÃO PARA O FORTALECIMENTO DA POLÍTICA ESTADUAL DE MINERAÇÃO AÇÕES DA PARA O FORTALECIMENTO DA POLÍTICA ESTADUAL DE MINERAÇÃO 2012-2015 Ações Institucionais De acordo com o Decreto Lei 57.394/11 Cabe ao corpo técnico da SSM/SEE: Coordenar e participar do planejamento

Leia mais

Ministério de de Minas Minas e e Energia PROPOSTA DE NOVO MARCO DA MINERAÇÃO

Ministério de de Minas Minas e e Energia PROPOSTA DE NOVO MARCO DA MINERAÇÃO Ministério de de Minas Minas e PROPOSTA DE NOVO MARCO DA MINERAÇÃO 18 de Junho de 2013 Sumário 1 1. OBJETIVOS DA PROPOSTA 2. MODIFICAÇÕES INSTITUCIONAIS CONSELHO NACIONAL DE POLÍTICA MINERAL (CNPM) PODER

Leia mais

REGIMENTO DA SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS CAPÍTULO I FINALIDADE E COMPETÊNCIA

REGIMENTO DA SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS CAPÍTULO I FINALIDADE E COMPETÊNCIA REGIMENTO DA SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS CAPÍTULO I FINALIDADE E COMPETÊNCIA Art. 1º - A Secretaria de Relações Institucionais SERIN, criada pela Lei nº 10.549, de 28 de dezembro de 2006, tem

Leia mais

COMISSÃO ESPECIAL DE MINERAÇÃO DA CNI

COMISSÃO ESPECIAL DE MINERAÇÃO DA CNI 5ª reunião ordinária da Comissão Especial de Mineração da CNI. Data: 03/9/2009 Atualização das ações da CNI: Área jurídica atualização sobre ações judiciais e apresentação de parecer da Superintendência

Leia mais

Lei do Estado de Pernambuco nº , de

Lei do Estado de Pernambuco nº , de Lei do Estado de Pernambuco nº 13.490, de 01.07.2008 Cria o Conselho Estadual das Cidades do Estado de Pernambuco ConCidades-PE, e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DE PERNAMBUCO: Faço saber

Leia mais

Regimento Interno do Campus Bento Gonçalves do IFRS

Regimento Interno do Campus Bento Gonçalves do IFRS Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Bento Gonçalves Regimento Interno do Campus Bento

Leia mais

26º Congresso Técnico. A Crise da Água e suas Consequências no Século XXI

26º Congresso Técnico. A Crise da Água e suas Consequências no Século XXI 26º Congresso Técnico A Crise da Água e suas Consequências no Século XXI Serviços Públicos de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário Saúde, Meio Ambiente, Educação, Indústria, Comércio, Serviços,

Leia mais

Painel: Desafios e Caminhos para a Operação das Instalações Elétricas e do SIN

Painel: Desafios e Caminhos para a Operação das Instalações Elétricas e do SIN Ministério de Secretaria de Energia Elétrica Painel: Desafios e Caminhos para a Operação das Instalações Elétricas e do SIN 7º SENOP Brasília, junho de 2016. 1 Ambiente Institucional 2 Ambiente Institucional

Leia mais

Fechamento de Mina Aspectos Ambientais e Sócio-econômicos

Fechamento de Mina Aspectos Ambientais e Sócio-econômicos Fechamento de Mina Aspectos Ambientais e Sócio-econômicos Centro Mineiro de Referência em Resíduos, Belo Horizonte 28 e 29 de maio de 2008 João César de Freitas Pinheiro Geólogo, Ph.D. Diretor Geral Adjunto

Leia mais

SENHOR PRESIDENTE, SENHORAS E SENHORES DEPUTADOS,

SENHOR PRESIDENTE, SENHORAS E SENHORES DEPUTADOS, DISCURSO PROFERIDO, EM PLENÁRIO, SOBRE A PORTARIA DO MINISTÉRIO DO TRABALHO QUE DISCIPLINA O REGISTRO ELETRÔNICO DE PONTO AUTOR: DEPUTADO LAERCIO OLIVEIRA PR/SE. SENHOR PRESIDENTE, SENHORAS E SENHORES

Leia mais

Indústria Química, Sociedade e Território: novos desafios para o Grande ABC

Indústria Química, Sociedade e Território: novos desafios para o Grande ABC Indústria Química, Sociedade e Território: novos desafios para o Grande ABC Luis Paulo Bresciani Consórcio Intermunicipal Grande ABC Universidade Municipal de São Caetano do Sul ciclo de debates A indústria

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE MINERAÇÃO ANM

AGÊNCIA NACIONAL DE MINERAÇÃO ANM AGÊNCIA NACIONAL DE MINERAÇÃO ANM MP n. 791 de 25/07/2017 14 de Setembro 2017 Cronologia DNPM / ANM 1934 - Criação do Departamento Nacional da Produção Mineral (DNPM) (Decreto 23.9790); 1960 criação do

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 55, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2005

RESOLUÇÃO N o 55, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2005 MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DE RECURSOS HÍDRICOS RESOLUÇÃO N o 55, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2005 (Publicada do DOU em 08/02/06) Estabelece diretrizes para elaboração do Plano de Utilização

Leia mais

XIII Seminário Nacional de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral

XIII Seminário Nacional de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral XIII Seminário Nacional de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral Painel II Ordenamento Territorial Geomineiro (OTGM) em APL de Base Mineral como um Modelo para Subsidiar Planos Desenvolvimentistas

Leia mais

Art. 2º O Conselho Estadual de Cultura tem por competências: II - acompanhar e fiscalizar a execução do Plano Estadual de Cultura;

Art. 2º O Conselho Estadual de Cultura tem por competências: II - acompanhar e fiscalizar a execução do Plano Estadual de Cultura; DECRETO Nº 24.720 DE 3 DE NOVEMBRO DE 2008 Dispõe sobre a composição e o funcionamento do Conselho Estadual de Cultura - CONSEC, de que trata a Lei nº 8.319, de 12 de dezembro de 2005, e dá outras providências.

Leia mais

VISÃO EMPRESARIAL DO FOMENTO GOVERNAMENTAL À EXPLORAÇÃO MINERAL NO BRASIL. Elmer Prata Salomão Maio 2010

VISÃO EMPRESARIAL DO FOMENTO GOVERNAMENTAL À EXPLORAÇÃO MINERAL NO BRASIL. Elmer Prata Salomão Maio 2010 VISÃO EMPRESARIAL DO FOMENTO GOVERNAMENTAL À EXPLORAÇÃO MINERAL NO BRASIL Elmer Prata Salomão Maio 2010 Fomento governamental à exploração mineral: Conceito É o conjunto articulado de políticas públicas

Leia mais

ASSOCIAÇÃO UNIFICADA PAULISTA DE ENSINO RENOVADO OBJETIVO ASSUPERO INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO RIO GRANDE DO NORTE - IESRN

ASSOCIAÇÃO UNIFICADA PAULISTA DE ENSINO RENOVADO OBJETIVO ASSUPERO INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO RIO GRANDE DO NORTE - IESRN ASSOCIAÇÃO UNIFICADA PAULISTA DE ENSINO RENOVADO OBJETIVO ASSUPERO INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO RIO GRANDE DO NORTE - IESRN COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INTERNA CPA REGULAMENTO INTERNO CPA/IESRN A

Leia mais

Programa EaD em REDE

Programa EaD em REDE Programa EaD em REDE Regulamento Interno Regulamenta o Programa EaD em Rede da Associação Brasileira de Reitores das Universidades Estaduais e Municipais - ABRUEM. CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS Art.

Leia mais

AULA 3 DIREITO À SAÚDE SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE

AULA 3 DIREITO À SAÚDE SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE FACULDADE CATÓLICA RAINHA DO SERTÃO CURSO DE FARMÁCIA DISCIPLINA: INTRODUÇÃO ÀS CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS PROFESSOR: MÁRCIO BATISTA AULA 3 DIREITO À SAÚDE SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE DIREITO À SAÚDE DIREITO À

Leia mais

Decreto Nº 353 DE 04/07/2016

Decreto Nº 353 DE 04/07/2016 Decreto Nº 353 DE 04/07/2016 Publicado no DOE em 5 jul 2016 Institui o Comitê Gestor da Rede para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios do Estado de Minas Gerais - REDESIM-MG.

Leia mais

PORTARIA Nº 2.164, 30 de Setembro de Aprova o Regimento Interno da Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos.

PORTARIA Nº 2.164, 30 de Setembro de Aprova o Regimento Interno da Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos. PORTARIA Nº 2.164, 30 de Setembro de 2011 Aprova o Regimento Interno da Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos. O MINISTRO DE ESTADO DA JUSTIÇA, no uso de suas atribuições que lhes

Leia mais

Política Governamental Brasileira de Fomento à Exploração Mineral e Propostas de Aprimoramento

Política Governamental Brasileira de Fomento à Exploração Mineral e Propostas de Aprimoramento Política Governamental Brasileira de Fomento à Exploração Mineral e Propostas de Aprimoramento Claudio Scliar Secretário de Geologia, Mineração e Transformação Mineral / MME 24 de Maio POLÍTICA MINERAL

Leia mais

JusBrasil - Legislação

JusBrasil - Legislação 1 of 5 6/11/2013 14:26 JusBrasil - Legislação 06 de novembro de 2013 Lei 8275/93 Lei nº 8.275, de 29 de Março de 1993 Publicado por Governo do Estado de São Paulo (extraído pelo JusBrasil) - 20 anos atrás

Leia mais

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Ministério do Meio Ambiente

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Ministério do Meio Ambiente Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação Ministério do Meio Ambiente O Projeto TerraClass é resultado da integração de esforços entre o MAPA, o MCTI

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO CORREGEDORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO CORREGEDORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO DECRETO Nº 61.035, DE 1º DE JANEIRO DE 2015 Dispõe sobre as alterações de denominação, transferências e extinções que especifica e dá providências correlatas GERALDO ALCKMIN, Governador do Estado de São

Leia mais

Procuradoria Geral do Município

Procuradoria Geral do Município LEI Nº 2.336, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2010 Cria o Conselho Municipal da Cidade de Petrolina CONCIDADE/Petrolina, o Fundo Municipal de Habitação de Interesse Social FMHIS, e dá outras providências. O PREFEITO

Leia mais

Danilo de Castro Renata Maria Paes de Vilhena Alberto Duque Portugal "ANEXO XXXII (a que se refere o parágrafo único do art. 33 do Estatuto da UEMG ap

Danilo de Castro Renata Maria Paes de Vilhena Alberto Duque Portugal ANEXO XXXII (a que se refere o parágrafo único do art. 33 do Estatuto da UEMG ap Decreto nº 44.919, de 14 de Outubro de 2008. Altera o Decreto nº 36.898, de 24 de maio de 1995, que aprova o Estatuto da Universidade do Estado de Minas Gerais, e o Decreto nº 44.466, de 16 de fevereiro

Leia mais

REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA FACULDADE ESTÁCIO DO AMAPÁ ESTÁCIO AMAPÁ

REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA FACULDADE ESTÁCIO DO AMAPÁ ESTÁCIO AMAPÁ REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA FACULDADE ESTÁCIO DO AMAPÁ ESTÁCIO AMAPÁ MACAPÁ-AP MARÇO DE 2015 0 CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO Art. 1º A COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO da Faculdade Estácio

Leia mais

PARTICIPAÇÃO SOCIAL NO COMITÊ TÉCNICO DE SANEAMENTO AMBIENTAL E OS TEMAS

PARTICIPAÇÃO SOCIAL NO COMITÊ TÉCNICO DE SANEAMENTO AMBIENTAL E OS TEMAS Painel 6: A efetividade do Controle Social nas Políticas Públicas de Saneamento. Estudo de caso: A PARTICIPAÇÃO SOCIAL NO COMITÊ TÉCNICO DE SANEAMENTO AMBIENTAL E OS TEMAS DA LEGISLAÇÃO Alexandre Araujo

Leia mais

POLÍTICA MINERAL & NOVO MARCO REGULATÓRIO DA MINERAÇÃO

POLÍTICA MINERAL & NOVO MARCO REGULATÓRIO DA MINERAÇÃO Seminário Novo Marco Regulatório da Mineração Os interesses em jogo na hora da verdade POLÍTICA MINERAL & NOVO MARCO REGULATÓRIO DA MINERAÇÃO Telton Elber Corrêa Secretaria de Geologia, Mineração e Transformação

Leia mais

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL POLO NAVAL E OFFSHORE DE RIO GRANDE E ENTORNO. Rio Grande, 29 de outubro de 2013

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL POLO NAVAL E OFFSHORE DE RIO GRANDE E ENTORNO. Rio Grande, 29 de outubro de 2013 ARRANJO PRODUTIVO LOCAL POLO NAVAL E OFFSHORE DE RIO GRANDE E ENTORNO Rio Grande, 29 de outubro de 2013 SUMÁRIO 1) Histórico do APL, Modelo de Governança e Projetos Prioritários 2) Plano de Desenvolvimento

Leia mais

NRM - Normas Regulamentadoras da Mineração - Especificidade na Indústria de Areia e Brita NRM 02. Lavra a Céu Aberto

NRM - Normas Regulamentadoras da Mineração - Especificidade na Indústria de Areia e Brita NRM 02. Lavra a Céu Aberto NRM - Normas Regulamentadoras da Mineração - Especificidade na Indústria de Areia e Brita NRM 02 Lavra a Céu Aberto Introdução NRM 02 2.1 Generalidades 2.2 Bancadas e Taludes 2.3 Controle Topográficos

Leia mais

LEI Nº 760 DE 18 DE ABRIL DE 2011

LEI Nº 760 DE 18 DE ABRIL DE 2011 LEI Nº 760 DE 18 DE ABRIL DE 2011 Dispõe sobre o Fundo Municipal de Meio Ambiente do Município de Paranatinga. CAPÍTULO I Do Fundo Municipal de Meio Ambiente Art. 1º Fica instituído o Fundo Municipal de

Leia mais

Comunicação & Relações Governamentais

Comunicação & Relações Governamentais Plano de Ação Comunicação & Relações Governamentais Data: 06.dezembro.2013 Eng. Antonio E. F. Müller Presidente História Associação Brasileira de Engenharia Industrial Entidade civil sem fins lucrativos

Leia mais

LEGISLAÇÃO MINERÁRIA BRASILEIRA: Avaliação e Perspectivas. ANA SALETT MARQUES GULLI Procuradora-Chefe/DNPM

LEGISLAÇÃO MINERÁRIA BRASILEIRA: Avaliação e Perspectivas. ANA SALETT MARQUES GULLI Procuradora-Chefe/DNPM LEGISLAÇÃO MINERÁRIA BRASILEIRA: Avaliação e Perspectivas ANA SALETT MARQUES GULLI Procuradora-Chefe/DNPM Junho/2010 Relevância da atividade mineral A atividade mineral apresenta-se como uma atividade

Leia mais

GRUPO DE TRABALHO EDUCAÇÃO AMBIENTAL. Kharen Teixeira (coord.) Uberlândia, 29/04/15

GRUPO DE TRABALHO EDUCAÇÃO AMBIENTAL. Kharen Teixeira (coord.) Uberlândia, 29/04/15 GRUPO DE TRABALHO EDUCAÇÃO AMBIENTAL Kharen Teixeira (coord.) Uberlândia, 29/04/15 Portaria CTPI 23/2013 Atribuições: I Propor diretrizes e ações de Educação Ambiental relacionadas aos recursos hídricos

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 599, DE 31 DE JULHO DE 2017.

LEI COMPLEMENTAR Nº 599, DE 31 DE JULHO DE 2017. RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 599, DE 31 DE JULHO DE 2017. Dispõe sobre o Programa do Artesanato do Estado do Rio Grande do Norte (PROARTE-RN), e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO

Leia mais

Art. 1º Na Lei n.º , de 15 de setembro de 2015, ficam introduzidas as seguintes alterações:

Art. 1º Na Lei n.º , de 15 de setembro de 2015, ficam introduzidas as seguintes alterações: Projeto de Lei nº 247 /2016 Poder Executivo Altera a Lei n.º 14.733, de 15 de setembro de 2015, que dispõe sobre a estrutura administrativa e diretrizes do Poder executivo do Rio Grande do Sul e dá outras

Leia mais

Agenda. Contexto. O Nordeste Territorial. Fórum de Governança da Atividade Econômica. Formas de Financiamento

Agenda. Contexto. O Nordeste Territorial. Fórum de Governança da Atividade Econômica. Formas de Financiamento Agenda Contexto O Nordeste Territorial Fórum de Governança da Atividade Econômica Formas de Financiamento Área de atuação do BNB Nordeste: 1.554,4 mil Km 2 Semi-árido: 974,4 mil Km 2 (62,7% do território

Leia mais

ÜÍFERO GUARANI. MESA REDONDA Projeto Sistema Aqüífero Guarani II SIMPÓSIO DE HIDROGEOLOGIA DO SUDESTE

ÜÍFERO GUARANI. MESA REDONDA Projeto Sistema Aqüífero Guarani II SIMPÓSIO DE HIDROGEOLOGIA DO SUDESTE PROJETO DE PROTEÇÃO AMBIENTAL E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DO SISTEMA AQÜÍ ÜÍFERO GUARANI MESA REDONDA Projeto Sistema Aqüífero Guarani II SIMPÓSIO DE HIDROGEOLOGIA DO SUDESTE Júlio Thadeu da S. Kettelhut

Leia mais

CONGRESSO INTERNACIONAL DE DIREITO MINERÁRIO

CONGRESSO INTERNACIONAL DE DIREITO MINERÁRIO ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO - AGU POTENCIAL CONFLITO DA MINERAÇÃO COM ÁREAS ESPECIAIS/ RESTRITAS CRISTINA CAMPOS ESTEVES Julho/2009 CONGRESSO INTERNACIONAL DE DIREITO MINERÁRIO Salvador, 7 a 9 de junho de

Leia mais

Atribuições da ANM: Compatibilização DNPM/ANM. Victor Hugo Froner Bicca Diretor-Geral do DNPM

Atribuições da ANM: Compatibilização DNPM/ANM. Victor Hugo Froner Bicca Diretor-Geral do DNPM Atribuições da ANM: Compatibilização DNPM/ANM Victor Hugo Froner Bicca Diretor-Geral do DNPM Brasília, 29 de junho de 2017 SUMÁRIO 1. Natureza Jurídica da ANM; 2. Autonomia Político-administrativa; 3.

Leia mais

DEZ 2005 DEZ 2009 JUL Aproximadamente 50% das empresas do Estado são sindicalizadas. Empresas associadas representam 80% da produção do Estado

DEZ 2005 DEZ 2009 JUL Aproximadamente 50% das empresas do Estado são sindicalizadas. Empresas associadas representam 80% da produção do Estado A MINERAÇÃO DE AREIA PAULISTA Porto Alegre 12/0582016 QUEM SOMOS! COMO ATUAMOS! ASSOCIADOS DO SINDAREIA 170 160 150 140 140 130 120 110 129 100 90 80 70 81 60 50 40 30 20 10 0 DEZ 2005 DEZ 2009 JUL 2016.

Leia mais

SECRETARIA DE ENERGIA Subsecretaria de Petróleo e Gás. Série Informações Energéticas, 004. Resumo Executivo. Petróleo e Gás

SECRETARIA DE ENERGIA Subsecretaria de Petróleo e Gás. Série Informações Energéticas, 004. Resumo Executivo. Petróleo e Gás 2º trimestre/2013 R SECRETARIA DE ENERGIA Subsecretaria de Petróleo e Gás Série Informações Energéticas, 004 Resumo Executivo Petróleo e Gás Resumo Executivo São Paulo V.02 02/2013 agosto / 2013 Resumo

Leia mais

Adriano Venturieri. Chefe Geral Embrapa Amazônia Oriental

Adriano Venturieri. Chefe Geral Embrapa Amazônia Oriental Adriano Venturieri Chefe Geral Embrapa Amazônia Oriental Brasília, 12 dezembro de 2014 Desafios e perspectivas para pesquisa em apoio ao desenvolvimento sustentável amazônico Sistema Embrapa de Inteligência

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS RESOLUÇÃO N o 14/2013, DE 02 DE JULHO DE 2013 Reedita, com alterações, a Resolução n o 03/2006, de 29 de junho de 2006, que aprovou o Regimento do Centro de Microscopia da UFMG. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO

Leia mais

APLs como Estratégia de Desenvolvimento Atuação do Governo Federal nos últimos 12 anos

APLs como Estratégia de Desenvolvimento Atuação do Governo Federal nos últimos 12 anos XIII Seminário Nacional de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral X Encontro do Comitê Temático Rede Brasileira de APL de Base Mineral - CT RedeAPLmineral APLs como Estratégia de Desenvolvimento Atuação

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 46/2011, de 03 de novembro de 2011.

RESOLUÇÃO Nº 46/2011, de 03 de novembro de 2011. RESOLUÇÃO Nº 46/2011, de 03 de novembro de 2011. O Presidente do Conselho Superior do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos : formulação e diretrizes. Deputado Arnaldo Jardim

Política Nacional de Resíduos Sólidos : formulação e diretrizes. Deputado Arnaldo Jardim SEMINÁRIO POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOSS Política Nacional de Resíduos Sólidos : formulação e diretrizes Deputado Arnaldo Jardim 21.07.11 Política Nacional de Resíduos SólidosS Diretrizes Internalizar

Leia mais

Peculiaridades do setor elétrico brasileiro

Peculiaridades do setor elétrico brasileiro Peculiaridades do setor elétrico brasileiro Dependência Hidráulica: o setor elétrico é extremamente dependente da disponibilidade de água para geração de energia Longas linhas de transmissão Sistema Interligado

Leia mais

11º FIIEE Minas Gerais. Inventário do Potencial Hidrelétrico Do País

11º FIIEE Minas Gerais. Inventário do Potencial Hidrelétrico Do País 11º FIIEE Minas Gerais Inventário do Potencial Hidrelétrico Do País Modelo do Setor Elétrico do Brasil Leis 10847 e 10848 de 2004 Princípios Promover a Modicidade Tarifária Garantir a Segurança do Suprimento

Leia mais

MINERAÇÃO REGIME LEGAL

MINERAÇÃO REGIME LEGAL MINERAÇÃO REGIME LEGAL Adriano Drummond Cançado Trindade Faculdade de Direito Universidade de Brasília Setembro/2014 Recursos Minerais Conteúdo econômico Conteúdo político/estratégico Conteúdo jurídico

Leia mais

GERENCIAMENTO DE BACIAS HIDROGRÁFICAS

GERENCIAMENTO DE BACIAS HIDROGRÁFICAS GERENCIAMENTO DE BACIAS HIDROGRÁFICAS Política Nacional de Recursos Hídricos Lei Federal Nº 9.433/97 A partir da década de 1990: a legislação propõe substituir um sistema centralizador e setorial por outro

Leia mais

INCENTIVOS À INDÚSTRIA DE MINERAÇÃO

INCENTIVOS À INDÚSTRIA DE MINERAÇÃO INCENTIVOS À INDÚSTRIA DE MINERAÇÃO Ministério de Minas e Energia FERNANDO NOBREGA Diretor Março de 2017 Sumário Plano de Ação: Propostas em elaboração Propostas da Indústria: Em análise 2 PLANO DE AÇÃO

Leia mais

Práticas de controle e fiscalização da CFEM

Práticas de controle e fiscalização da CFEM Práticas de controle e fiscalização da CFEM Marcos Antonio Cordeiro / DNPM-PA Eng. de Minas Belém-PA março de 2013 CONSTITUIÇÃO FEDERAL 1988: Art. 20 - São bens da União: IX - os recursos minerais, inclusive

Leia mais

DECRETO DE 21 DE JULHO DE 2008 (DOU 22/07/2008)

DECRETO DE 21 DE JULHO DE 2008 (DOU 22/07/2008) 1 DECRETO DE 21 DE JULHO DE 2008 (DOU 22/07/2008) Cria a Comissão Nacional de Combate à Desertificação - CNCD e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2015

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2015 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2015 1. Identificação Denominação completa: CONSELHO REGIONAL DE FONOAUDIOLOGIA DA 5ª REGIÃO Denominação abreviada: CRFa 5ª. R Situação: Ativa Natureza Jurídica: 110-4 Autarquia

Leia mais

Resolução n 225, de 21 de junho R E S O L V E: Art. 1º - Alterar a redação do parágrafo 2º artigo 12 do Regimento Geral da Universidade:

Resolução n 225, de 21 de junho R E S O L V E: Art. 1º - Alterar a redação do parágrafo 2º artigo 12 do Regimento Geral da Universidade: Resolução n 225, de 21 de junho 2016. Aprova emendas ao Regimento Geral da Universidade, cria setores e dá outras providências. O Conselho Universitário CONSUNI, da Universidade do Planalto Catarinense

Leia mais

PREVENÇÃO. You created this PDF from an application that is not licensed to print to novapdf printer (http://www.novapdf.com)

PREVENÇÃO. You created this PDF from an application that is not licensed to print to novapdf printer (http://www.novapdf.com) PREVENÇÃO I CONTEXTO II A PRÁTICA III DESAFIOS I CONTEXTO I CONTEXTO 1. LEI Nº 9.433/1997 - Política Nacional de Recursos Hídricos - PNR Art. 1º Fundamentos... Bacia hidrográfica unidade territorial para

Leia mais

Análise dos impactos socioeconômicos e ambientais do complexo minero-siderúrgico de Mato Grosso do Sul (CMS-MS)

Análise dos impactos socioeconômicos e ambientais do complexo minero-siderúrgico de Mato Grosso do Sul (CMS-MS) Análise dos impactos socioeconômicos e ambientais do complexo minero-siderúrgico de Mato Grosso do Sul (CMS-MS) André Carvalho Deborah Baré Hubner Mario Monzoni FGV-EAESP Centro de Estudos em Sustentabilidade

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSUNI-ILACVN Nº 06/2017, de 29 de junho de 2017.

RESOLUÇÃO CONSUNI-ILACVN Nº 06/2017, de 29 de junho de 2017. RESOLUÇÃO CONSUNI-ILACVN Nº 06/2017, de 29 de junho de 2017. Dispõe sobre a criação do Núcleo de Informática em Ciências da Saúde, bem como aprova seu Regimento Interno. O CONSELHO DO INSTITUTO LATINO-AMERICANO

Leia mais

Barragens de Rejeitos de Mineração: Cenário Atual e Proposições

Barragens de Rejeitos de Mineração: Cenário Atual e Proposições Barragens de Rejeitos de Mineração: Cenário Atual e Proposições A Mineração A mineração é a atividade destinada a pesquisar, descobrir, extrair e transformar os recursos minerais em benefícios econômicos

Leia mais

Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora

Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador Coordenação Geral de Saúde do Trabalhador Política Nacional de Saúde do Trabalhador

Leia mais

Escrito por Administrator Seg, 22 de Novembro de :55 - Última atualização Seg, 22 de Novembro de :09

Escrito por Administrator Seg, 22 de Novembro de :55 - Última atualização Seg, 22 de Novembro de :09 MISSÃO O Serviço Social tem como missão dar suporte psico-social e emocional ao colaborador e sua família. Neste sentido, realiza o estudo de casos, orientando e encaminhando aos recursos sociais da comunidade,

Leia mais

Parceria entre Codevasf e Mapa beneficiará irrigantes com apoio

Parceria entre Codevasf e Mapa beneficiará irrigantes com apoio Cerca de 11 mil produtores agrícolas dos projetos públicos de irrigação mantidos pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) serão beneficiados com acordo de cooperação

Leia mais

ANEXO III DA RESOLUÇÃO 009/09/DPR GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO DE EXPANSÃO - GPLAN

ANEXO III DA RESOLUÇÃO 009/09/DPR GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO DE EXPANSÃO - GPLAN ANEXO III DA RESOLUÇÃO 009/09/DPR GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO DE EXPANSÃO - GPLAN 1.0 Objetivo Promover o planejamento físico-financeiro, acompanhamento e controle das ações de implantação, ampliação e melhoria

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL COMISSÃO INTERGESTORES TRIPARTITE

Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL COMISSÃO INTERGESTORES TRIPARTITE Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL COMISSÃO INTERGESTORES TRIPARTITE Resolução nº XX, de 21 de outubro de 2016 Pactua o desenho do Programa Criança

Leia mais

Política pública do MME para

Política pública do MME para Ministério de Minas e Energia Secretaria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral Política pública do MME para a exploração mineral Brasília II Encontro de Gerentes de Exploração Desafios das Gerências

Leia mais

Processo de planejamento participativo do Plano Diretor Aspectos metodológicos

Processo de planejamento participativo do Plano Diretor Aspectos metodológicos Processo de planejamento participativo do Plano Diretor Aspectos metodológicos Não existe no Estatuto das Cidades uma discrição minuciosa de um procedimento a ser seguido para elaboração dos Planos Diretores,

Leia mais

ATER DE QUALIDADE E EM QUANTIDADE PARA O DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL EM MINAS GERAIS

ATER DE QUALIDADE E EM QUANTIDADE PARA O DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL EM MINAS GERAIS SINDICATO DOS TRABALHADORES EM ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS ATER DE QUALIDADE E EM QUANTIDADE PARA O DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL EM MINAS GERAIS DESAFIOS E PERSPECTIVAS

Leia mais

SISEMA. Sistema Estadual de Meio Ambiente. POLÍCIA MILITAR D E M I N A S G E R A I S Nossa profissão, sua vida.

SISEMA. Sistema Estadual de Meio Ambiente. POLÍCIA MILITAR D E M I N A S G E R A I S Nossa profissão, sua vida. SISEMA Sistema Estadual de Meio Ambiente POLÍCIA Reunião Ordinária da Plenária do Conselho Estadual de Política Ambiental - COPAM Fechamento de Mina: Deliberação Normativa 127/2008. Caio Márcio Rocha Julho

Leia mais

Avaliação do Estado Sobre a Aplicação do Conceito de Ordenamento Territorial Geomineiro para Mineração no Estado de São Paulo

Avaliação do Estado Sobre a Aplicação do Conceito de Ordenamento Territorial Geomineiro para Mineração no Estado de São Paulo XIII Seminário Nacional de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral X Encontro do Comitê Temático Rede Brasileira de APL de Base Mineral Comitê Temático RedeAPLmineral Avaliação do Estado Sobre a Aplicação

Leia mais

IV Encontro de Recursos Hídricos em Sergipe 22 a 25 de março. Pacto das Águas. Antonio Martins da Costa

IV Encontro de Recursos Hídricos em Sergipe 22 a 25 de março. Pacto das Águas. Antonio Martins da Costa IV Encontro de Recursos Hídricos em Sergipe 22 a 25 de março Pacto das Águas Antonio Martins da Costa O Pacto das Águas foi um processo de articulação social e política com objetivo de: Dotar o Estado,

Leia mais

Projeto ARRANJO PRODUTIVO DE PLANTAS MEDICINAIS E FITOTERÁPICOS DO RIO GRANDE DO SUL

Projeto ARRANJO PRODUTIVO DE PLANTAS MEDICINAIS E FITOTERÁPICOS DO RIO GRANDE DO SUL Projeto ARRANJO PRODUTIVO DE PLANTAS MEDICINAIS E FITOTERÁPICOS DO RIO GRANDE DO SUL Estrutura da apresentação: Antecedentes Fórum pela Vida Cenário Atual Rede Fito RS Objetivos Organização Atores participantes

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSU Nº. 41/2013 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2013

RESOLUÇÃO CONSU Nº. 41/2013 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2013 RESOLUÇÃO CONSU Nº. 41/2013 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2013 A Presidente do Conselho Superior Universitário da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas, no uso de suas atribuições regimentais, considerando

Leia mais

Por todo o Estado, com todos os mineiros.

Por todo o Estado, com todos os mineiros. Por todo o Estado, com todos os mineiros. Fóruns Regionais: a voz de Minas Gerais São espaços que vão reunir a sociedade civil e representantes dos governos estadual e municipal para apontar e debater,

Leia mais

Gestor dos Recursos Minerais do Brasil Compete ao Departamento Nacional de Produção Mineral a execução do Código de Mineração e dos seus Diplomas

Gestor dos Recursos Minerais do Brasil Compete ao Departamento Nacional de Produção Mineral a execução do Código de Mineração e dos seus Diplomas Gestor dos Recursos Minerais do Brasil Compete ao Departamento Nacional de Produção Mineral a execução do Código de Mineração e dos seus Diplomas Legais Complementares Departamento Nacional de Produção

Leia mais

CDIF. Comissão Permanente para o Desenvolvimento e a Integração da Faixa de Fronteira

CDIF. Comissão Permanente para o Desenvolvimento e a Integração da Faixa de Fronteira Ministério da Integração Nacional Secretaria de Desenvolvimento Regional CDIF Comissão Permanente para o Desenvolvimento e a Integração da Faixa de Fronteira Fort de France, 28 de novembro de 2013 Ministério

Leia mais

CONTROLE SOCIAL POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL

CONTROLE SOCIAL POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL CONTROLE SOCIAL NA POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL LINHA DO TEMPO 1988 1993 2004 2005 2006 Constituição Federal, Art. 203 e 204 Lei Orgânica da Assistência Social- LOAS- LEI Nº 8.742 Política Nacional de

Leia mais

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS EDUCAÇÃO BÁSICA ENSINO SUPERIOR EDUCAÇÃO NÃO-FORMAL EDUCAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DO SISTEMA DE JUSTIÇA E SEGURANÇA EDUCAÇÃO E MÍDIA Comitê Nacional de Educação

Leia mais

ORDENAMENTO TERRITORIAL DA MINERAÇÃO. Engenheiro de Minas Ayrton Sintoni Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo IPT

ORDENAMENTO TERRITORIAL DA MINERAÇÃO. Engenheiro de Minas Ayrton Sintoni Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo IPT ORDENAMENTO TERRITORIAL DA MINERAÇÃO Engenheiro de Minas Ayrton Sintoni Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo IPT 1. Fundamentos Constitucionais Art.21: Compete à União..., inciso

Leia mais

USO E COBERTURA DA TERRA NA AMAZÔNIA BRASILEIRA

USO E COBERTURA DA TERRA NA AMAZÔNIA BRASILEIRA USO E COBERTURA DA TERRA NA AMAZÔNIA BRASILEIRA Alexandre C. Coutinho Embrapa Informática Agropecuária Workshop: Geointeligência em Agricultura e Meio Ambiente MundoGEO#Connect 2014 08 de maio de 2014

Leia mais

SEMINÁRIO DO SETOR PLÁSTICO DO BRASIL

SEMINÁRIO DO SETOR PLÁSTICO DO BRASIL SEMINÁRIO DO SETOR PLÁSTICO DO BRASIL VANDERLEI SIRAQUE Deputado Federal-PT-SP Presidente da Frente Parlamentar ABIPLAST Associação Brasileira da Indústria do Plástico ALESP Assembleia Legislativa de São

Leia mais

Claudio Scliar Secretário de Geologia, Mineração e Transformação Mineral. Curitiba, 26 de agosto de 2010.

Claudio Scliar Secretário de Geologia, Mineração e Transformação Mineral. Curitiba, 26 de agosto de 2010. A importância da mineração para o Brasil III Seminário da Indústria Mineral sustentável do PR IX Reunião dos Produtores Nacionais de Calcário ANEPAC Assembléia Geral administrativa Claudio Scliar Secretário

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: Engenharia Civil Cabo Frio SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Missão O Curso de Engenharia Civil da Universidade Estácio de Sá tem por missão formar profissionais com sólidos conhecimentos tecnológicos

Leia mais

CAPÍTULO III DO FINANCIAMENTO

CAPÍTULO III DO FINANCIAMENTO PROJETO DE LEI Institui o Plano Estadual de Cultura da Bahia e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DA BAHIA, faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO

Leia mais

Normas e Julgados do Setor de Mineração

Normas e Julgados do Setor de Mineração Normas e Julgados do Setor de Mineração - 2010 (p. 193-208) 193 Normas e Julgados do Setor de Mineração - 2010 2010 Statutes, Administrative Regulations and Judicial Decisions of the Mining Sector Organizadores

Leia mais

REGIMENTO DA SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS - SERIN CAPÍTULO I -FINALIDADE E COMPETÊNCIAS

REGIMENTO DA SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS - SERIN CAPÍTULO I -FINALIDADE E COMPETÊNCIAS DECRETO Nº 16.294 DE 26 DE AGOSTO DE 2015 Aprova o Regimento da Secretaria de Relações Institucionais - SERIN. O GOVERNADOR DO ESTADO DA BAHIA, no uso da atribuição que lhe confere o inciso XIX do art.

Leia mais

Projeto de lei para florestas plantadas no Rio Grande do Sul

Projeto de lei para florestas plantadas no Rio Grande do Sul SECRETARIA DA AGRICULTURA E PECUÁRIA CÂMARA SETORIA DA CADEIA PRODUTIVA DE FLORESTAS PLANTADAS Projeto de lei para florestas plantadas no Rio Grande do Sul Congresso Florestal Nova Prata Maio 2015 Migração

Leia mais

MINAS GERAIS Sistema Estadual de Gerenciamento de Recursos Hídricos SEGRH: Desafios da implementação dos Planos de Bacia e Financiamento de projetos

MINAS GERAIS Sistema Estadual de Gerenciamento de Recursos Hídricos SEGRH: Desafios da implementação dos Planos de Bacia e Financiamento de projetos MINAS GERAIS Sistema Estadual de Gerenciamento de Recursos Hídricos SEGRH: Desafios da implementação dos Planos de Bacia e Financiamento de projetos Novembro de 2016 ESTRUTURA DO SINGREH FORMULAÇÃO DA

Leia mais

MINISTERIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO N 128, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2011.

MINISTERIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO N 128, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2011. Dispõe sobre a instituição e definição das atribuições do Comitê de Extensão Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba. O Presidente do DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E

Leia mais

MINUTA EM CONSTRUÇÃO

MINUTA EM CONSTRUÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR UNIVERSITÁRIO MINUTA EM CONSTRUÇÃO RESOLUÇÃO POLÍTICA DE AÇÕES AFIRMATIVAS E PROMOÇÃO DA IGUALDADE ÉTNICO-RACIAL Institui a Política de Ações Afirmativas

Leia mais

Atribuições. Qualificar os profissionais Monitorar e avaliar resultados. Contratar serviços. Credenciar entidades públicas e privadas

Atribuições. Qualificar os profissionais Monitorar e avaliar resultados. Contratar serviços. Credenciar entidades públicas e privadas Atribuições Contratar serviços Qualificar os profissionais Monitorar e avaliar resultados Credenciar entidades públicas e privadas Acreditar as entidades quanto a qualidade do serviço prestado Características

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR 1. Título do Projeto: Aprimoramento da sistemática de

Leia mais

Clipping Sindiminério

Clipping Sindiminério Clipping Sindiminério Mineradores de MT participam de audiência com o ministro Edison Lobão Jornal Expressão http://www.expressaonoticias.com.br/?pg=noticia&idn=8329 Dia 08/10/3013 Mineradores de Mato

Leia mais

CÂMARA BRITÂNICA DE COMÉRCIO E INDÚSTRIA NO BRASIL

CÂMARA BRITÂNICA DE COMÉRCIO E INDÚSTRIA NO BRASIL CÂMARA BRITÂNICA DE COMÉRCIO E INDÚSTRIA NO BRASIL TÍTULO: O Novo Marco Regulatório da Mineração Brasileira. Por: Hildebrando Herrmann Local: Rua da Candelária, 09, Centro - Rio de Janeiro - RJ Data: 10

Leia mais

DECRETO RIO Nº DE 4 DE ABRIL DE 2017(PUBLICADO NO DO DE 05/04/2017) O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais, e

DECRETO RIO Nº DE 4 DE ABRIL DE 2017(PUBLICADO NO DO DE 05/04/2017) O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais, e DECRETO RIO Nº 42995 DE 4 DE ABRIL DE 2017(PUBLICADO NO DO DE 05/04/2017) Dispõe sobre a estrutura organizacional da Secretaria Municipal de Cultura - SMC. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso

Leia mais

ÁREAS DE ATUAÇÃO PROFISSIONAL DE CIÊNCIAS SOCIAIS

ÁREAS DE ATUAÇÃO PROFISSIONAL DE CIÊNCIAS SOCIAIS Mesa Redonda Possibilidades de atuação para o bacharel em Ciências Sociais ÁREAS DE ATUAÇÃO PROFISSIONAL DE CIÊNCIAS SOCIAIS Paulo A. Melo do Nascimento Sociólogo Especialista em Gestão Ambiental Mestre

Leia mais

Alterações ao Código de Mineração Promovidas pela MP Nº 790/2017

Alterações ao Código de Mineração Promovidas pela MP Nº 790/2017 ENCONTRO DE DIRIGENTES DO DNPM Alterações ao Código de Mineração Promovidas pela MP Nº 790/2017 José Antonio Alves dos Santos Brasília, 26 de julho de 2017 MOTIVAÇÃO DA ALTERAÇÃO O atual Código de Mineração,

Leia mais