Augusto Mendonça Presidente

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Augusto Mendonça Presidente"

Transcrição

1 Augusto Mendonça Presidente

2 Quem somos ABENAV - Associação Brasileira das Empresas de Construção Naval e Offshore A ABENAV foi criada por uma iniciativa do SINAVAL e os principais estaleiros nacionais com o objetivo de agregar todos os participantes do setor Naval e Offshore com interesse na exploração e produção do Pré-sal, com foco na cadeia fornecedora..

3 Diferença de Atividades SINAVAL ABENAV É uma entidade sindical restrita a somente empresas classificadas como estaleiros. É uma associação com maior liberdade de ação para acrescentar, além dos estaleiros, todas as empresas na cadeia de fornecedores Uma complementa a outra.

4 Associados Estaleiros ALIANÇA. BRASFELS. CAMARGO CORRÊA. CMO. CONSTRUCAP CCPS. ODEBRECHT. QUEIROZ GALVÃO. DETROIT. DOCKSHORE. DSN. EASA. EBR. ECOVIX. EISA. RENAVE. ENAVAL. RG Estaleiro. Estaleiro ATLÂNTICO SUL. Estaleiro BIBI. Estaleiro ITAJAÍ. Estaleiro JURONG Aracruz. Estaleiro MAUÁ. Estaleiro NAVSHIP. Estaleiro PROMAR Estaleiro RIO MAGUAR. ETP Engenharia Ltda. IESA. INTECNIAL. KEPPEL. MAC LAREN. NAPROSERVICE. Navegação SÃO MIGUEL. NITSHORE. OSX. P2 Estaleiro. QUIP. R.G. Estaleiros. RIO NAVE. SERMETAL. SETAL. SRD Offshore. STX Brazil Electro Ltda. STX OSV Niterói S. A. SUPERPESA. TRIUNFO. TWB S. A. UTC Engenharia. VELLROY. WILSON, SONS Total de Estaleiros: 26 em operação 11 em implantação 4

5 Associados da cadeia de Fornecedores 5

6 Missão 1. Defender os interesses das indústrias deste setor e participar de grupos de estudos em órgãos governamentais e instituições de ensino e pesquisa. 2. Acompanhar a implantação e exploração do Pré-sal em todas as etapas: Regulamentação, Novas tecnologias, implantação, operação e etc 3. Garantir a competitividade e presença da indústria brasileira em todas as fases de exploração e produção da mais nova fonte de riqueza: o petróleo do Présal. 4. Auxiliar as empresas brasileiras a estarem preparadas para competir com companhias estrangeiras com base em qualidade, preço e prazo. 5. Defender junto aos governos estaduais, municipais e federal incentivos fiscais e tributárias, novas condições de apoio para as empresas do setor, semelhantes aos existentes em outros países. 6. Criar uma indústria nacional sólida, usando como exemplo os incentivos adotados pela Noruega, Grã Bretanha, Coréia e Cingapura.

7 A Indústria Naval e Offshore A indústria naval, é estratégica para qualquer país do mundo, por isto é apoiada e incentivada fortemente pelos governos mais conscientes; Representa a mobilização de grandes contingentes de mão de obra e de vastos recursos financeiros; Influi na economia dos países pelo alto fator de multiplicação que proporciona ao longo de sua cadeia produtiva; É um elo vital na inserção dos países na economia mundial. Cerca de 95% do comércio mundial é feito por via marítima ou por hidrovias; O crescimento da exploração e produção de petróleo e gás natural em alto mar, offshore, tornou este segmento, nos últimos dez anos, um importante mercado para o setor. A indústria naval e offshore do Brasil, após ter chegado a ser a 2ª do mundo nos anos 1970, entrou em colapso nos anos 1980 e 1990; A partir dos anos 2000, o setor vem sendo retomado graças a uma demanda nos mercados tanto interno, como externo; No passado, o setor esteve fortemente concentrado na região Sudeste, particularmente no Rio de Janeiro; Na fase atual, as perspectivas são de descentralização do segmento, com a implantação de grandes estaleiros nas regiões Nordeste e Sul.

8 Novos estaleiros no Brasil Estaleiro Estado Tipo de Projeto Estaleiro Rio Tietê São Paulo Nova Planta Industrial Estaleiro Inhaúma Rio de Janeiro Nova Planta Industrial Estaleiros do Brasil - EBR Rio Grande do Sul Nova Planta Industrial Estaleiro Enseada do Paraguaçu Bahia Nova Planta Industrial Estaleiro Vard Promar Pernambuco Nova Planta Industrial Estaleiro Oceana (P2) Santa Catarina Nova Planta Industrial Estaleiro CMO Pernambuco Nova Planta Industrial Wilson, Sons Rio Grande do Sul Nova Planta Industrial OSX Rio de Janeiro Nova Planta Industrial Jurong Espirito Santo Nova Planta Industrial Mauá Rio de Janeiro Expansão Renave Rio de Janeiro Expansão Estaleiro Rio Grande Rio Grande do Sul Expansão Keppel Singmarine Santa Catarina Expansão 10 Novas Unidades 4 Projetos de Expansão da Planta Atual Novos Projetos para atender a demanda de t/ano. Fonte: Sinaval/Abenav

9 Cenário atual Capacidade dos Estaleiros Cenário Atual Cenário em 2016 Estaleiros no Brasil (mais representativos) 26 em operação 11 em implantação 37 em operação Capacidade de Processamento de Aço t/ano t/ano Empregos diretos Obras em andamento 373 -

10 Carteira de Encomendas Atual As descobertas do pré-sal devem, pelo menos, representar mais 20 anos de investimento e encomendas. 1º Trimestre Em todos os cenários internacionais, é surpreendente o forte crescimento do setor marítimo, até

11 Demanda Potencial para a indústria naval e offshore Equipamentos Total até 2020 Valor Total (US$ bilhões) Plataformas de Produção e Sondas de Perfuração +81* 97,0 Embarcações Especializadas (PSVs, AHTSs e OSRVs) ,0 PROMEF e EBN - Petroleiros +72* 7,0 TOTAL DE OBRAS CONTRATADAS 344 * O total de unidades, considera as obras em carteira dos estaleiros e as obras a serem contratas.

12 Geração de Empregos no Setor Geração de Emprego Direto na Indústria Naval e Offshore (* Com a Industria Náutica) (*92.000) (* ) (* ) (* ) (* ) (* )

13 A importância do PRÉ-SAL

14 Bilhões de Barris Importância do Pré-sal

15 Bilhões de Barris Milhões de barris por dia Importância do Pré-sal

16 A Importância do Pré-sal Estimativa de Descobertas na área do Pré-sal Estimativa de Campo Reservas (bilhões de barris) Lula (Tupi) 6,5 Azulão 4 Carioca 5,5 Caxaréu 1 Cermanbi 1,5 Franco 4 Guará 2 Iara 4 Jubarte 1,5 Jupiter 1,8 Libra 12 Peroba 2 Estimativa Total 44,8

17 O Conteúdo Local

18 Conteúdo Local O conteúdo local é uma politica de governo criada a partir de Na 5 rodada, em 2003, a oferta de conteúdo local ganhou peso importante na formação do preço final do lance. Na exploração do pré-sal em "regime de Partilha de Produção", esta obrigação foi definida por lei e sujeita a grandes multas. Objetivos: Desenvolvimento da Industria Nacional Geração de Empregos Crescimento da Economia

19 Conteúdo Local Histórico 1 a 4 Rodadas Livre oferta de conteúdo local 5 e 6 Rodadas Introdução de conteúdo local mínimo a 10 Rodadas Bens e serviços 60% Certificado por terceiros Cessão Onerosa 11 e 12 Rodadas Partilha (Libra)

20 Conteúdo Local Navios Petroleiros Importado Nacional 50,4% 100% 29,2% 70,8% 21,9% 4,5% 1,8% 2,7% 5,6% 2,1% 3,5% 2,5% 1,9% 2,2% 0,2% 2,3% 0,8% 2,2% 1,1% 11,0% 5,3% 19,0% 2,9% 5,7% Estrutura Maquinas Redes e Tubulações Eletricidade Acessório Casco e Convés Acabamento Tratamento e Pintura Produção Estaleiro Total Importado Nacional Fonte: Sinaval

21 Conteúdo Local Embarcações Especializadas Importado 43,7% 100% 39,0% Nacional 11,6% 3,3% 0,9% 2,4% 2,7% 1,1% 0,8% 1,1% 1,9% 43,7% 61,0% 30,3% 4,8% 0,8% 4,0% 6,9% 4,7% 2,5% 0,5% 2,0% 29,1% 1,2% Estrutura Maquinas Redes e Tubulações Eletricidade Acessório Casco e Convés Acabamento Tratamento e Pintura Produção Estaleiro Total Importado Nacional Fonte: Sinaval

22 Conteúdo Local FPSOs (módulos e integração) Importado 36,2% 100% 35,8% Nacional 4,9% 35,8% 3,9% 1,6% 2,3% 4,3% 1,5% 2,8% 1,0% 0,9% 0,1% 5,4% 3,5% 1,9% 0,8% 0,2% 0,6% 0,4% 0,2% 0,2% 0,4% 0,1% 0,3% 7,5% 1,7% 5,8% 31,3% 64,2% 21,1% 4,3% 0,1% 4,2% 14,7% Total Importado Nacional Fonte: Sinaval

23 Conteúdo Local Plataformas Petrobras Fonte: Petrobras P-54-68% conteúdo local Estaleiro Mauá

24 Conteúdo Local Plataformas Petrobras Fonte: Petrobras P-56-73% conteúdo local Estaleiro Brasfels

25 Conteúdo Local Navios Navio Celso Furtado 74% de conteúdo Local Estaleiro Mauá 25

26 Conteúdo Local Embarcações Especializadas PVS % de conteúdo local alcançados Fonte: Petrobras

27 Conteúdo Local Sondas de Perfuração 30 Sondas de perfuração previstas para construção em estaleiros brasileiros. Sete Brasil: 30 navios sonda Estaleiro Atlântico Sul (PE): 7 Estaleiro Enseada do Paraguaçu (BA): 6 Estaleiro Jurong Aracruz (ES): 7 Estaleiro BrasFELS (RJ): 7 Rio Grande Estaleiros (RS): 3 Imagem: Petrobras Exigência de Conteúdo Local mínimo: 55% (Inicio) - 65%

28 Competitividade 1. Temos estaleiros suficientes para produzir. 2. Estamos atingindo os níveis de conteúdo local requisitados. 3. Precisamos trabalhar a competitividade nos setores: Construção Offshore. Embarcação especializada de produção. Navios de transporte de carga. 28

29 Quem deve ser competitivo? Estaleiros Fornecedores de Equipamentos Fornecedores de Materiais TODA A CADEIA DE PRODUÇÃO!

30 Política Industrial em outros países Reino Unido Desenvolvimento da indústria para exploração e produção do Mar do Norte Ações de Governo Resultados É a 2 a indústria do mundo no setor de Óleo e Gás em novas tecnologias Noruega Forte Política Industrial Ações de Governo Resultados Líder mundial na fabricação de barcos de apoio Coréia Forte Política Industrial Ações de Governo Resultados A maior indústria naval do mundo. Hoje a China é a Maior. Forte indústria offshore. Cingapura Forte apoio Governamental Resultados Lider mundial na indústria Offshore.

31 O Brasil vive um Momento Mágico 1. Existe mercado (oportunidades) 2. Governo está incentivando 3. Petrobras está apoiando 4. O Sistema financeiro está participando 5. Políticos estão se envolvendo 6. A indústria está estruturalmente preparada 7. A indústria internacional quer vir (diversas formas)

32 Algumas Metas Alcançadas na Politica Industrial do Setor Desoneração fiscal nos fornecimentos para a construção naval (IPI, PIS/PASEP e COFINS): Decreto nº 6.704, de 19/12/2008, que trata da desoneração do IPI para o fornecimento de materiais para a construção naval, e Lei nº , de 17/09/2008, que trata da redução a zero das alíquotas de PIS/PASEP e COFINS sobre equipamentos destinados à construção naval. Criação do Fundo Garantidor da Construção Naval FGCN : Em 25/09/2008, pela Lei nº , complementada pela Lei nº , de 13/10/2009, com destinação de R$ 5 bilhões para formação do patrimônio do Fundo. Retira a cobrança de imposto de renda das aplicações financeiras para manutenção do Fundo. Financiamentos para Investimentos pelo FMM (Fundo da Marinha Mercante) e BNDES a custos diferenciados. PROGREDIR - Baseado na concessão de crédito até o 3º/4º elo da cadeia produtora, lastreado nos recebíveis da Petrobras com custos inferiores do mercado financeiro (Bradesco, Banco do Brasil, Santander, CEF, HSBC e Itaú Unibanco S.A.)

33 Ações Importantes Diversas participações dentro do Programa Brasil Maior: Coordenação do - GT Inovação / Modernização da Gestão e Aumento da Produtividade e Competitividade dos Estaleiros Nacionais; Objetivo: Incentivar os estaleiros a atingir níveis de produtividade e competitividade comparáveis aos benchmarks (Coréia e Cingapura) internacionais. Coordenação do PPP do Prominp, que busca o aprimoramento da forma de articulação da cadeia (Comitê Setorial:IND P&G 76); Objetivo: Ganho de produtividade e competitividade através do aprimoramento da forma de articulação da cadeia de fornecimento para os mercados de plataformas e embarcações especializadas. Participação no P&G 75 - (APLs); Participação no PPP do Prominp sobre o Centro Tecnológico da Industria Naval e Offshore (CTNO); Objetivo: Criação de um centro tecnológico para a indústria naval e offshore no Brasil. 33

34 Visão de Longo Prazo As reservas brasileiras de Óleo e Gás são capazes de garantir um mercado importante por mais 50 anos. A competitividade vai garantir a sustentabilidade do setor. As encomendas do setor representam a segunda maior carteira de contratos do mundo. IIE (International Institute of Energy) prevê um crescimento da demanda mundial de energia de mais de 50% até

35 Conclusões A retomada da Construção Naval no Brasil, impulsionou o desenvolvimento dos polos regionais e vem estimulando os investimentos de grandes grupos internacionais que acreditam neste segmento industrial e aderiram ao programa de conteúdo local. Os objetivos são, principalmente: Ter capacidade própria estratégica de construção e reparo local de navios e plataformas Offshore; Criar um setor competitivo, tendo por base os Benchmarks Internacionais; Formar uma rede de fornecedores locais, mais competitiva com a continuidade dos contratos; e Abrir oportunidade para uma nova categoria profissional de trabalhadores, com empregos especializados, bem remunerados e com sustentabilidade para os próximos 20 anos, pelo menos. 35

36 Augusto Mendonça Presidente OBRIGADO!

Augusto Mendonça Presidente

Augusto Mendonça Presidente Augusto Mendonça Presidente Quem somos SINAVAL - Sindicato Nacional da Indústria da Construção e Reparação Naval e Offshore O SINAVAL é a instituição que representa os estaleiros do setor Naval e Offshore

Leia mais

Augusto Mendonça Presidente

Augusto Mendonça Presidente Augusto Mendonça Presidente Quem somos ABENAV - Associação Brasileira das Empresas de Construção Naval e Offshore A ABENAV foi criada por uma iniciativa do SINAVAL e os principais estaleiros nacionais

Leia mais

Augusto Mendonça Presidente

Augusto Mendonça Presidente Augusto Mendonça Presidente Quem somos ABENAV - Associação Brasileira das Empresas de Construção Naval e Offshore A ABENAV foi criada por uma iniciativa do SINAVAL e os principais estaleiros nacionais

Leia mais

Indústria Naval e Offshore no Brasil

Indústria Naval e Offshore no Brasil Indústria Naval e Offshore no Brasil Agenda 1. A Política de Conteúdo Local e a Retomada da Indústria Naval no Brasil. 2. Cadeia Produtiva do Setor Naval (Navipeças). 3. Produtividade da Indústria Naval

Leia mais

CODIN COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

CODIN COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CODIN COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Panorama da Indústria Naval e Offshore 26.03.2013 Indústria Naval Brasileira Source: SINAVAL RIO GRANDE DO SUL EBR Estaleiros do

Leia mais

SINAVAL SINDICATO NACIONAL DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO E REPARAÇÃO NAVAL E OFFSHORE. Apresentação SINAVAL

SINAVAL SINDICATO NACIONAL DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO E REPARAÇÃO NAVAL E OFFSHORE. Apresentação SINAVAL Apresentação SINAVAL Conteúdo Demandas a atender pela Indústria Naval nacional Recursos humanos Conteúdo local Ações institucionais SINAVAL Norte e Nordeste Visão geral dos estaleiros do Brasil Conteúdo

Leia mais

A Indústria naval e offshore no Estado do Rio De Janeiro

A Indústria naval e offshore no Estado do Rio De Janeiro A Indústria naval e offshore no Estado do Rio De Janeiro Rio de Janeiro Localização Sudeste do Brasil (56% do PIB nacional) Área 43.90 km 2 (0,5% do território brasileiro) População 5,4 Mi (8,4% do total)

Leia mais

Rodrigo Matos Huet de Bacellar Superintendente Área de Insumos Básicos Junho / 2014

Rodrigo Matos Huet de Bacellar Superintendente Área de Insumos Básicos Junho / 2014 Os Desafios do Pré-Sal: Riscos e Oportunidades para o País As Políticas Industrial e de Inovação no setor de Petróleo e Gás Rodrigo Matos Huet de Bacellar Superintendente Área de Insumos Básicos Junho

Leia mais

SINDICATO NACIONAL DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO E REPARAÇÃO NAVAL E OFFSHORE Resultados da Indústria da Construção Naval Brasileira 2010

SINDICATO NACIONAL DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO E REPARAÇÃO NAVAL E OFFSHORE Resultados da Indústria da Construção Naval Brasileira 2010 1 Carteiras de encomendas dos estaleiros brasileiros 2010 Obras em andamento Carteiras de encomendas dos estaleiros RJ Empreendimentos TPB Particip. % Rio de Janeiro EISA 26 1.276.600 Rio Nave 2 3.000

Leia mais

Desenvolvimento da Construção Naval brasileira

Desenvolvimento da Construção Naval brasileira III BALANÇO DO SETOR NAVAL E OFFSHORE NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO FIRJAN, Rio de Janeiro 06/06/2014 Plataforma P-58 Plataforma P-63 (fotos: Agência Petrobras) Desenvolvimento da Construção Naval brasileira

Leia mais

A Construção Naval e Offshore brasileira

A Construção Naval e Offshore brasileira SINAVAL - Cenário do 3º. trimestre de 2013 A Construção Naval e Offshore brasileira Plataforma P-58 Plataforma P-55 (fotos: Agência Petrobras) Conteúdo Posicionamento Emprego Carteira de encomendas Recursos

Leia mais

Impacto na formação de RH nos estaleiros e a curva de aprendizado Apresentação Navalshore 02 de agosto de 2012

Impacto na formação de RH nos estaleiros e a curva de aprendizado Apresentação Navalshore 02 de agosto de 2012 Impacto na formação de RH nos estaleiros e a curva de aprendizado Apresentação Navalshore 02 de agosto de 2012 SINAVAL julho 2012 1 Impacto na formação de Recursos Humanos nos estaleiros e a curva de aprendizado

Leia mais

Produtos e Serviços para a Construção Naval e a Indústria Offshore

Produtos e Serviços para a Construção Naval e a Indústria Offshore Produtos e Serviços para a Construção Naval e a Indústria Offshore Condições de Financiamento Luiz Marcelo Martins (luizmarcelo@bndes.gov.br) Março 2011 Crescimento Brasileiro e Investimentos Crescimento

Leia mais

RECUPERAR E FORTALECER OS EMPREGOS NO BRASIL. A importância dos setores de petróleo, gás, construção e naval

RECUPERAR E FORTALECER OS EMPREGOS NO BRASIL. A importância dos setores de petróleo, gás, construção e naval RECUPERAR E FORTALECER OS EMPREGOS NO BRASIL A importância dos setores de petróleo, gás, construção e naval RECUPERAR E FORTALECER OS EMPREGOS NO BRASIL 1 A importância dos setores de petróleo, gás, construção

Leia mais

Cenário da Construção Naval Balanço de 2014 Visão de 2015 Conteúdo

Cenário da Construção Naval Balanço de 2014 Visão de 2015 Conteúdo Cenário da Construção Naval Balanço de 2014 Visão de 2015 Conteúdo Apresentação FMM Navios de apoio marítimo Navios petroleiros Plataformas offshore Comboios fluviais Carteira de encomendas mundial Petroleiro

Leia mais

Obtenção de Embarcações. no Brasil

Obtenção de Embarcações. no Brasil Obtenção de Embarcações no Brasil Construção Importação Afretamento Nelson Luiz Carlini Engenheiro Naval 12 Agosto 2009 Mercado Brasileiro de CN OFERTA 26 estaleiros de grande e médio porte; 630 mil toneladas/ano

Leia mais

INDÚSTRIA NAVAL NO BRASIL

INDÚSTRIA NAVAL NO BRASIL INDÚSTRIA NAVAL NO BRASIL DÉCADA DE 70 E 80 O BRASIL CHEGOU A SER O 2º PRODUTOR MUNDIAL DE EMBARCAÇÕES EMPREGAVA 40 MIL TRABALHADORES DIRETOS E CERCA DE 160 MIL INDIRETOS DÉCADA DE 90 Abertura indiscriminada

Leia mais

Painel 13. Desafios, Necessidades e Perspectivas na Formação e Capacitação de Recursos Humanos na Área Aeronáutica e Aquaviária.

Painel 13. Desafios, Necessidades e Perspectivas na Formação e Capacitação de Recursos Humanos na Área Aeronáutica e Aquaviária. Senado Federal AUDIÊNCIA PÚBLICA P DA COMISSÃO DE INFRAESTRUTURA Painel 13 Desafios, Necessidades e Perspectivas na Formação e Capacitação de Recursos Humanos na Área Aeronáutica e Aquaviária Luiz Felipe

Leia mais

O Marco Regulatório do Pré-Sal e a Cadeia Produtiva da Industria: Desafios e Oportunidades

O Marco Regulatório do Pré-Sal e a Cadeia Produtiva da Industria: Desafios e Oportunidades O Marco Regulatório do Pré-Sal e a Cadeia Produtiva da Industria: Desafios e Oportunidades Construção de uma Política Industrial Setorial Eloi Fernández y Fernández Diretor Geral ONIP Brasilia, 3 de outubro

Leia mais

Isaias Quaresma Masetti. Gerente Geral de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica masetti@petrobras.com.br

Isaias Quaresma Masetti. Gerente Geral de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica masetti@petrobras.com.br Inovação Tecnológica Frente aos Desafios da Indústria Naval Brasileira Isaias Quaresma Masetti Gerente Geral de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica masetti@petrobras.com.br ... O maior obstáculo à indústria

Leia mais

1º Workshop Tecnológico PLATEC Sondas de Perfuração Marítima Vitoria/ES

1º Workshop Tecnológico PLATEC Sondas de Perfuração Marítima Vitoria/ES 1º Workshop Tecnológico PLATEC Sondas de Perfuração Marítima Vitoria/ES FEV - 2013 Mercado de atuação do EEP descobertas do pré-sal: o Brasil se transformou no grande mercado para diversos equipamentos

Leia mais

A INDÚSTRIA DE PETRÓLEO & GÁS NO ESTADO DO RJ. CAMPUS 2014 Brésil Internacional

A INDÚSTRIA DE PETRÓLEO & GÁS NO ESTADO DO RJ. CAMPUS 2014 Brésil Internacional A INDÚSTRIA DE PETRÓLEO & GÁS NO ESTADO DO RJ CAMPUS 2014 Brésil Internacional Agenda PetróleoeGásNaturalnoBrasileRiodeJaneiro Situação da Indústria Naval Sistema FIRJAN: Soluções para Indústria de P&G

Leia mais

INDÚSTRIA NAVAL BRASILEIRA

INDÚSTRIA NAVAL BRASILEIRA UM NOVO MOMENTO DA INDÚSTRIA NAVAL BRASILEIRA ENSEADA. A QUALIDADE, A PRODUTIVIDADE E A TECNOLOGIA DOS MELHORES ESTALEIROS DO MUNDO AGORA NO BRASIL Resultado da associação entre Odebrecht, OAS, UTC e Kawasaki,

Leia mais

Carteira de encomendas dos estaleiros

Carteira de encomendas dos estaleiros Carteira de encomendas dos estaleiros RIO DE JANEIRO Estaleiro Aliança Niterói RJ PSV 4500 3 4.500 13.500 Subtotal 3 13.500 EISA - Estaleiro Ilha S/A Rio de Janeiro RJ Navio de produtos 7 47.000 329.000

Leia mais

Cenário da Construção Naval Brasileira

Cenário da Construção Naval Brasileira Cenário da Construção Naval Brasileira Balanço, perspectivas e defesa do setor Reunião com a Bancada Federal Sindicato Nacional da Indústria da Construção e Reparação Naval e Offshore (SINAVAL) Ariovaldo

Leia mais

Seminário sobre Construção Naval

Seminário sobre Construção Naval Seminário sobre Construção Naval 26/03/2013 Hotel Sofitel Rio de Janeiro Situação atual e perspectivas da Indústria Naval e Offshore brasileira Sergio Leal Secretário-Executivo do SINAVAL 1 Cenário da

Leia mais

O desenvolvimento da indústria fornecedora de bens e serviços para petróleo e gás no Brasil e o BNDES

O desenvolvimento da indústria fornecedora de bens e serviços para petróleo e gás no Brasil e o BNDES Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social O desenvolvimento da indústria fornecedora de bens e serviços para petróleo e gás no Brasil e o BNDES 20.10.2009 Luciano Coutinho Mensagem Inicial Pré-sal:

Leia mais

APLs como Estratégia de Desenvolvimento: Inovação e conhecimento. CNI e o Projeto de APLs Petróleo e Gás

APLs como Estratégia de Desenvolvimento: Inovação e conhecimento. CNI e o Projeto de APLs Petróleo e Gás APLs como Estratégia de Desenvolvimento: Inovação e conhecimento CNI e o Projeto de APLs Petróleo e Gás Dezembro 2013 Tópicos Cenário P&G Rede de Núcleos de P&G - CNI e Federações Desenvolvimento de APLs

Leia mais

Conselho de Administração do EEP e acionistas em dois momentos. No alto, em encontro com o Sr. Norberto Odebrecht durante a oficialização de parceria

Conselho de Administração do EEP e acionistas em dois momentos. No alto, em encontro com o Sr. Norberto Odebrecht durante a oficialização de parceria Conselho de Administração do EEP e acionistas em dois momentos. No alto, em encontro com o Sr. Norberto Odebrecht durante a oficialização de parceria tecnológica com a Kawasaki na sede da Odebrecht S.A.

Leia mais

Indústria Oceânica (offshore) do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, Agosto de 2011 Rev. 6

Indústria Oceânica (offshore) do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, Agosto de 2011 Rev. 6 Indústria Oceânica (offshore) do Rio Grande do Sul Porto Alegre, Agosto de 2011 Rev. 6 Panorama Ciclo econômico do Pré-Sal Prioridade de Governo Sustentabilidade socioeconômica e ambiental Indústria offshore

Leia mais

Oportunidades e desafios de qualificação profissional. III Balanço do Setor Naval e Offshore do Rio de Janeiro FIRJAN - 06/06/2014

Oportunidades e desafios de qualificação profissional. III Balanço do Setor Naval e Offshore do Rio de Janeiro FIRJAN - 06/06/2014 Oportunidades e desafios de qualificação profissional III Balanço do Setor Naval e Offshore do Rio de Janeiro FIRJAN - 06/06/2014 Petrobras Plano de Negócios 2014-2018 Inovação e Desenvolvimento Tecnológico

Leia mais

Conteúdo Local na Construção Naval e Offshore Brasileira: O papel da ANP

Conteúdo Local na Construção Naval e Offshore Brasileira: O papel da ANP Conteúdo Local na Construção Naval e Offshore Brasileira: O papel da ANP Coordenadoria de Conteúdo Local Marintec South America / 12ª Navalshore, 12/08/15 A Política de Conteúdo Local Definição: Política

Leia mais

Legislação de Cabotagem no Brasil: oportunidades e entraves para a indústria de construção naval. São Paulo, 23 de outubro de 2007

Legislação de Cabotagem no Brasil: oportunidades e entraves para a indústria de construção naval. São Paulo, 23 de outubro de 2007 Legislação de Cabotagem no Brasil: oportunidades e entraves para a indústria de construção naval São Paulo, 23 de outubro de 2007 O transporte por cabotagem cresce solidamente no Brasil Milhões de Toneladas

Leia mais

Encontro para fomento da Micro e Pequena Empresa no entorno do EEP SICM Salvador - 04/06/2013

Encontro para fomento da Micro e Pequena Empresa no entorno do EEP SICM Salvador - 04/06/2013 Encontro para fomento da Micro e Pequena Empresa no entorno do EEP SICM Salvador - 04/06/2013 Gerente de Relações Institucionais Marcio Mendonça Cruz Revitalização Revitalização da da indústria indústria

Leia mais

Apoio para fornecedores do setor de Petróleo & Gás em São Paulo

Apoio para fornecedores do setor de Petróleo & Gás em São Paulo Apoio para fornecedores do setor de Petróleo & Gás em São Paulo Ubirajara Sampaio de Campos Subsecretário de Petróleo e Gás Secretaria de Energia do Estado de São Paulo Santos Offshore 09 Abril 2014 Indústria

Leia mais

Paulínia Petróleo, Gás e Energia. Cenários e Oportunidades do Setor de Petróleo e Gás Natural

Paulínia Petróleo, Gás e Energia. Cenários e Oportunidades do Setor de Petróleo e Gás Natural Paulínia Petróleo, Gás e Energia Como tornar-se fornecedor da cadeia produtiva Cenários e Oportunidades do Setor de Petróleo e Gás Natural Paulínia 25/out/2011 Agenda 1) O CIESP 2) PETROBRAS - Plano de

Leia mais

Política de Conteúdo Local - Oportunidades de Negócios para Pequenas Empresas. 19 de novembro de 2013

Política de Conteúdo Local - Oportunidades de Negócios para Pequenas Empresas. 19 de novembro de 2013 Política de Conteúdo Local - Oportunidades de Negócios para Pequenas Empresas 19 de novembro de 2013 Agenda PNG 2013-2017 Política de Conteúdo Local da Petrobras Oportunidades de Negócio Ações de Fomento

Leia mais

construção naval e offshore no Brasil

construção naval e offshore no Brasil construção naval e offshore no Brasil 1 agenda a indústria naval e offshore no Brasil a indústria naval e offshore no mundo visão do negócio empresas Brasileiras demanda Petrobras gestão de engenharia

Leia mais

Carteira de encomendas dos estaleiros SINAVAL Cenário 4º Trimestre Balanço 2011

Carteira de encomendas dos estaleiros SINAVAL Cenário 4º Trimestre Balanço 2011 Carteira de encomendas dos estaleiros SINAVAL Cenário 4º Trimestre Balanço 2011 RIO DE JANEIRO Estaleiro Aliança Niterói RJ P SV 3000 2 3.400 6.800 Estaleiro em expansão, PSV 4500 3 4.500 13.500 Construindo

Leia mais

Cenário da Construção Naval brasileira

Cenário da Construção Naval brasileira Cenário da Construção Naval brasileira 1º trimestre de 2012 Conteúdo Skandi Iguaçu João Cândido Sumário executivo Desembolsos do FMM Novos estaleiros Plataformas de produção Sondas de perfuração Obras

Leia mais

Polo Produtivo 2 de Julho

Polo Produtivo 2 de Julho Polo Produtivo 2 de Julho Cadeia de Óleo & Gás offshore, onshore e Indústria Naval Recôncavo - Bahia Apoio: OBJETIVO Implantação de um complexo Industrial para atender a crescente demanda da Indústria

Leia mais

NAGI PG. As Oportunidades do Pré-sal: Como minha indústria pode participar deste mercado. Eng. Virgilio Calças Filho Sorocaba 27/02/2014

NAGI PG. As Oportunidades do Pré-sal: Como minha indústria pode participar deste mercado. Eng. Virgilio Calças Filho Sorocaba 27/02/2014 NAGI PG NÚCLEO DE APOIO À GESTÃO DA INOVAÇÃO NA CADEIA DE PETRÓLEO E GÁS As Oportunidades do Pré-sal: Como minha indústria pode participar deste mercado Eng. Virgilio Calças Filho Sorocaba 27/02/2014 Em

Leia mais

Projetos Atuais e Futuros da CAIXA RS junto ao mercado Naval e Portuário. Porto Alegre, agosto de 2010.

Projetos Atuais e Futuros da CAIXA RS junto ao mercado Naval e Portuário. Porto Alegre, agosto de 2010. Projetos Atuais e Futuros da CAIXA RS junto ao mercado Naval e Portuário Porto Alegre, agosto de 2010. APOIO AO Polo Naval - Rio Grande Atuação integrada do Governo, por meio da SEINFRA e SEDAI, voltada

Leia mais

O PRÉ SAL E SEUS DESAFIOS. Carlos Tadeu da Costa Fraga Gerente Executivo do Centro de Pesquisas da PETROBRAS

O PRÉ SAL E SEUS DESAFIOS. Carlos Tadeu da Costa Fraga Gerente Executivo do Centro de Pesquisas da PETROBRAS O PRÉ SAL E SEUS DESAFIOS Carlos Tadeu da Costa Fraga Gerente Executivo do Centro de Pesquisas da PETROBRAS 1 Pré-sal História geológica 164 130 122 108 152 Milhões Milhões Milhões Forma atual de de anos

Leia mais

Indústria brasileira da construção e reparação naval e offshore visão geral

Indústria brasileira da construção e reparação naval e offshore visão geral Março 2012 Indústria brasileira da construção e reparação naval e offshore visão geral Plataforma de produção P-56 Navio de produtos Rômulo Almeida Porta-contêineres Log-In Jacarandá 1 Conteúdo P-56 Rômulo

Leia mais

SINAVAL Sindicato Nacional da Indústria da Construção e Reparação Naval e Offshore

SINAVAL Sindicato Nacional da Indústria da Construção e Reparação Naval e Offshore SINAVAL Sindicato Nacional da Indústria da Construção e Reparação Naval e Offshore Cenário da construção naval brasileira Balanço de 2014 e visão para 2015 Conteúdo Página Apresentação 2 FMM 6 Navios de

Leia mais

Programa Indústria Marítima

Programa Indústria Marítima Programa Indústria Marítima Relatório de Acompanhamento de Execução da Agenda de Ação Atualização: Maio/2008 Março/2010 Gestor: Carlos Eduardo Macedo Coordenador-Geral das Indústrias de Transporte Aéreo

Leia mais

EXPLORAÇÃO & PRODUÇÃO EXPLORAÇÃO & PRODUÇÃO

EXPLORAÇÃO & PRODUÇÃO EXPLORAÇÃO & PRODUÇÃO Objetivo Maximizar a participação da indústria nacional de bens e serviços, em bases competitivas e sustentáveis, na implantação de projetos de óleo e gás no Brasil e no exterior. 1 Desafios Históricos:

Leia mais

O Polo Naval de Rio Grande e Entorno

O Polo Naval de Rio Grande e Entorno O Polo Naval de Rio Grande e Entorno O Polo Naval e Offshore de Rio Grande e Entorno é composto pelos Estaleiros Rio Grande - ERG 1 e 2, Honório Bicalho e Estaleiros do Brasil EBR, e vem sendo um dos principais

Leia mais

PLATEC FPSO. 1º WORKSHOP TECNOLÓGICO Campinas 24 e 25/04/2012. Floating Production Storage and Offloading. Realização: Apoio:

PLATEC FPSO. 1º WORKSHOP TECNOLÓGICO Campinas 24 e 25/04/2012. Floating Production Storage and Offloading. Realização: Apoio: Floating Production Storage and Offloading 1º WORKSHOP TECNOLÓGICO Campinas 24 e 25/04/2012 Realização: Apoio: Brasil - mundo Demanda brasileira nos estaleiros do mundo PLATEC FPSO 2 Plataformas Tecnológicas

Leia mais

OPORTUNIDADES NO ESPÍRITO SANTO Fórum de Desenvolvimento do Turismo Náutico

OPORTUNIDADES NO ESPÍRITO SANTO Fórum de Desenvolvimento do Turismo Náutico OPORTUNIDADES NO ESPÍRITO SANTO Fórum de Desenvolvimento do Turismo Náutico Duarte Aquino Secretaria de Desenvolvimento do Estado do Espírito Santo Vitória, 22/09/2011 POR QUE INVESTIR NO ESPÍRITO SANTO?

Leia mais

O potencial do Rio Grande do Sul na indústria de Petróleo, Gás, Naval e Offshore. Comitê de Competitividade em Petróleo, Gás, Naval e Offshore

O potencial do Rio Grande do Sul na indústria de Petróleo, Gás, Naval e Offshore. Comitê de Competitividade em Petróleo, Gás, Naval e Offshore O potencial do Rio Grande do Sul na indústria de Petróleo, Gás, Naval e Offshore Comitê de Competitividade em Petróleo, Gás, Naval e Offshore Porto Alegre, 27 de julho de 2011 Panorama Brasileiro Novo

Leia mais

OPORTUNIDADES NO ESPÍRITO SANTO

OPORTUNIDADES NO ESPÍRITO SANTO OPORTUNIDADES NO ESPÍRITO SANTO Seminário A competitividade do comércio exterior capixaba: infraestrutura logística e controle aduaneiro Cristina Vellozo Santos Subsecretária de Estado de Desenvolvimento

Leia mais

PLATEC Plataformas Tecnológicas

PLATEC Plataformas Tecnológicas Programa de Desenvolvimento de Fornecedores para o Setor de Óleo e Gás - MULTIFOR PLATEC Plataformas Tecnológicas Barcos de Apoio Offshore Porto Alegre - RS em 26/03/2013 ONIP - MULTIFOR PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Cenário da construção naval brasileira SINAVAL Cenário do 4º Triomestre Balanço 2011

Cenário da construção naval brasileira SINAVAL Cenário do 4º Triomestre Balanço 2011 Cenário da construção naval brasileira SINAVAL Cenário do 4º Triomestre Balanço 2011 Emprego nos estaleiros Os dados estatísticos sobre produção e emprego levantados pelo SINAVAL no quarto trimestre de

Leia mais

PROJETO IND P&G 6.1 PROMINP. Workshop Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores SP 25/outubro/2011

PROJETO IND P&G 6.1 PROMINP. Workshop Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores SP 25/outubro/2011 PROJETO IND P&G 6.1 PROMINP Workshop Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores SP 25/outubro/2011 AGENDA 1 O SETOR DE PETRÓLEO E GÁS 2 O CONVÊNIO PETROBRAS-SEBRAE 3 GESTÃO E RESULTADOS DOS PROJETOS CENÁRIO

Leia mais

SINAVAL. Cenário da construção naval - 1º semestre de 2015

SINAVAL. Cenário da construção naval - 1º semestre de 2015 SINAVAL Cenário da construção naval - 1º semestre de 2015 Apresentação 2 Carteira de encomendas 5 Navios petroleiros 6 Navios de apoio marítimo 7 Plataformas de produção 8 Sondas de perfuração 9 Comboios

Leia mais

Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica

Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica Painel: A CADEIA PRODUTIVA - desenvolvimento da indústria do petróleo e gás no Brasil e o desenvolvimento da indústria de equipamentos e ferramentas

Leia mais

Pré-sal, Desenvolvimento Industrial e Inovação

Pré-sal, Desenvolvimento Industrial e Inovação Pré-sal, Desenvolvimento Industrial e Inovação André Tosi Furtado Departamento de Política Científica e Tecnológica Instituto de Geociências UNICAMP VIII Congresso Brasileiro de Planejamento Energético

Leia mais

SINAVAL Cenário do 1º trimestre de 2013

SINAVAL Cenário do 1º trimestre de 2013 Apresentação Sindicato Nacional da Indústria da Construção e Reparação Naval e Offshore SINAVAL Petroleiro Zumbi dos Palmares Plataforma P-61 SINAVAL maio 2013 1 Conteúdo Sindicato Nacional da Indústria

Leia mais

SINAVAL Cenário do 2º trimestre de 2011

SINAVAL Cenário do 2º trimestre de 2011 SINAVAL Cenário do 2º trimestre de 2011 ÍNDICE Sumário executivo 2 Cenário da economia brasileira 2º 4 trimestre de 2011 Cenário da construção naval brasileira 6 Plataformas de produção de petróleo 16

Leia mais

Certificação de Conteúdo Local Serviços de Petróleo e Gás

Certificação de Conteúdo Local Serviços de Petróleo e Gás Certificação de Conteúdo Local Serviços de Petróleo e Gás O que é? Conteúdo Local é a relação entre o valor dos bens produzidos e serviços prestados no país para executar o contrato e o valor total dos

Leia mais

Odebrecht Mobilidade: mais investimentos em transporte público

Odebrecht Mobilidade: mais investimentos em transporte público nº 345 novembro 2014 Odebrecht Mobilidade: mais investimentos em transporte público Odebrecht 70 anos: histórico e perspectivas em Óleo e Gás Foz Saneatins passa a se chamar Odebrecht Ambiental Saneatins

Leia mais

Pré-sal: A nova era do petróleo no Brasil. Helder Queiroz Diretor

Pré-sal: A nova era do petróleo no Brasil. Helder Queiroz Diretor Pré-sal: A nova era do petróleo no Brasil Helder Queiroz Diretor Agosto 2013 Agenda 1 2 3 4 Evolução recente do setor de O&G no Brasil Pré-Sal: Desafios e Oportunidades Rodadas de Licitação Considerações

Leia mais

Workshop Sistema Indústria Núcleos de Petróleo e Gás nos Estados

Workshop Sistema Indústria Núcleos de Petróleo e Gás nos Estados Workshop Sistema Indústria Núcleos de Petróleo e Gás nos Estados Maurício Reis Santos AIB/DECAPEG Área de Insumos Básicos Departamento da Cadeia Produtiva de Petróleo e Gás DEMANDA POR PETRÓLEO: aumento

Leia mais

INVESTIMENTOS NO ESPÍRITO SANTO OPORTUNIDADES PARA A INDÚSTRIA DO CIMENTO Encontro Nacional da Indústria de Produtos de Cimento

INVESTIMENTOS NO ESPÍRITO SANTO OPORTUNIDADES PARA A INDÚSTRIA DO CIMENTO Encontro Nacional da Indústria de Produtos de Cimento INVESTIMENTOS NO ESPÍRITO SANTO OPORTUNIDADES PARA A INDÚSTRIA DO CIMENTO Encontro Nacional da Indústria de Produtos de Cimento Márcio Félix Secretário de Estado de Desenvolvimento Vitória, 04 de outubro

Leia mais

Encomendas previstas a estaleiros brasileiros Abril 2010

Encomendas previstas a estaleiros brasileiros Abril 2010 1 Encomendas previstas a estaleiros brasileiros Abril 2010 A indústria brasileira de construção naval emprega diretamente mais de 46 mil pessoas. Considerando os empregos indiretos, na indústria fornecedora

Leia mais

A INDÚSTRIA NAVAL NO BRASIL

A INDÚSTRIA NAVAL NO BRASIL A INDÚSTRIA NAVAL NO BRASIL SUMÁRIO O Potencial do Setor de Óleo e Gás no Brasil Renascimento da Indústria Naval Brasileira Setor Naval Brasileiro Uma Realidade Desaceleração da Economia e Impacto no Setor

Leia mais

Panorama do setor de construção naval e offshore: balanço e perspectivas.

Panorama do setor de construção naval e offshore: balanço e perspectivas. 12ª Navalshore Maritech South America Panorama do setor de construção naval e offshore: balanço e perspectivas. Enseada Indústria Naval S.A. Humberto Rangel - Diretor de Relações Institucionais e de Sustentabilidade

Leia mais

REDE PETRO BRASIL. A Rede das Redes Petro. Eng. Ana Maria Mendonça Rede PETROGÁS Sergipe Presidente da PENSE

REDE PETRO BRASIL. A Rede das Redes Petro. Eng. Ana Maria Mendonça Rede PETROGÁS Sergipe Presidente da PENSE REDE PETRO BRASIL A Rede das Redes Petro Eng. Ana Maria Mendonça Rede PETROGÁS Sergipe Presidente da PENSE as redes Amazonas Ceará Rio Grande do Norte Pernambuco Alagoas Sergipe Bahia Minas Gerais Bacia

Leia mais

A capacidade produtiva dos estaleiros ARIOVALDO ROCHA Presidente do SINAVAL

A capacidade produtiva dos estaleiros ARIOVALDO ROCHA Presidente do SINAVAL A capacidade produtiva dos estaleiros ARIOVALDO ROCHA Presidente do SINAVAL 11 de novembro de 2008 1 SINAVAL Cenário 2008 A capacidade d produtiva dos estaleiros Visão da capacidade Visão da demanda -

Leia mais

Ciclo de. Presidente Maria das Graças as Silva Foster. Coletiva de Imprensa. Rio de Janeiro, 05 de Março de 2012

Ciclo de. Presidente Maria das Graças as Silva Foster. Coletiva de Imprensa. Rio de Janeiro, 05 de Março de 2012 Lançamento amento do 6º 6 Ciclo de Qualificação do Prominp Coletiva de Imprensa Presidente Maria das Graças as Silva Foster Rio de Janeiro, 05 de Março de 2012 Política de Conteúdo Local da Petrobras Aprovada

Leia mais

Criada para participar ativamente do desenvolvimento do país. Empresa de investimentos especializada em gestão de portfólio de

Criada para participar ativamente do desenvolvimento do país. Empresa de investimentos especializada em gestão de portfólio de Criada para participar ativamente do desenvolvimento do país Empresa de investimentos especializada em gestão de portfólio de ativos voltados para o setor de petróleo e gás na área offshore no Brasil,

Leia mais

XII SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE ENERGIA

XII SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE ENERGIA XII SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE ENERGIA Painel: Desenvolvimento da Indústria de Óleo e Gás Os Próximos 10 Anos Organização BRITCHAM 07/08/2014 Centro de Convenções do RB1 Rio de Janeiro Conteúdo Apresentação

Leia mais

Conteúdo local e neoliberalismo neodesenvolvimentista: a indústria da construção naval e a política de compras da Petrobras durante os governos Lula.

Conteúdo local e neoliberalismo neodesenvolvimentista: a indústria da construção naval e a política de compras da Petrobras durante os governos Lula. Conteúdo local e neoliberalismo neodesenvolvimentista: a indústria da construção naval e a política de compras da Petrobras durante os governos Lula. Julia Gomes e Souza 1 O presente trabalho busca contribuir

Leia mais

Exigências de Conteúdo Local no Setor de Petróleo e Gás

Exigências de Conteúdo Local no Setor de Petróleo e Gás Exigências de Conteúdo Local no Setor de Petróleo e Gás São Paulo, 12/04/2013 Estrutura da Política de CL MME/CNPE Estratégias e Política de Conteúdo Local ANP Regulamentação Monitoramento Fiscalização

Leia mais

SINDICATO NACIONAL DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO E REPARAÇÃO NAVAL E OFFSHORE

SINDICATO NACIONAL DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO E REPARAÇÃO NAVAL E OFFSHORE 1 A demanda por plataformas de produção de petróleo Abril 2010 A demanda por plataformas de produção de diversos tipos é estimada em cerca de 150 unidades até 2020. A demanda estimada da Petrobras é de

Leia mais

Ata da 2ª Reunião do Comitê de Petróleo e Gás do Sistema FIESC

Ata da 2ª Reunião do Comitê de Petróleo e Gás do Sistema FIESC Ata da 2ª Reunião do Comitê de Petróleo e Gás do Sistema FIESC Data: 18/04/2013 Horário: 14 às 17h30 Local: Sede do Sistema FIESC Objetivo do Comitê de Petróleo e Gás do Sistema FIESC: Incrementar e Promover

Leia mais

Demanda de recursos humanos na construção naval e offshore

Demanda de recursos humanos na construção naval e offshore Demanda de recursos humanos na construção naval e offshore Item Cargo ou função Quantidade estimada 1 Mecânico, Ajustador Mecânico, Mecânico de Refrigeração 1.500 2 Carpinteiro, Marceneiro 400 3 Chapeador/Montador

Leia mais

Willis Latin American Energy Conference

Willis Latin American Energy Conference Willis Latin American Energy Conference Planejamento Financeiro e Gestão de Riscos outubro 2012 Cátia Diniz Gerente Setorial de Seguros Internacionais Estas apresentações podem conter previsões acerca

Leia mais

SINAVAL Cenário do 4º Trimestre de 2012 Balanço Anual Dezembro 2012

SINAVAL Cenário do 4º Trimestre de 2012 Balanço Anual Dezembro 2012 SINAVAL Cenário do 4º Trimestre de 2012 Balanço Anual Dezembro 2012 Conteúdo Páginas Sumário executivo 2 Desembolsos do FMM 6 Pólos de Construção Naval 7 Obras e Empregos 9 Segurança e saúde do trabalhador

Leia mais

Painel I: Os investimentos necessários para seguirmos crescendo

Painel I: Os investimentos necessários para seguirmos crescendo Painel I: Os investimentos necessários para seguirmos crescendo José Sergio Gabrielli de Azevedo Presidente da Petrobras São Paulo, 24 de novembro de 2010 1 Plano de Negócios 2010-2014 Grandes Oportunidades

Leia mais

BNDES Financiamento à Indústria de Base Florestal Plantada. Outubro de 2014

BNDES Financiamento à Indústria de Base Florestal Plantada. Outubro de 2014 BNDES Financiamento à Indústria de Base Florestal Plantada Outubro de 2014 Agenda 1. Aspectos Institucionais 2. Formas de Atuação 3. Indústria de Base Florestal Plantada 1. Aspectos Institucionais Linha

Leia mais

Máquinas e Equipamentos de Qualidade

Máquinas e Equipamentos de Qualidade Máquinas e Equipamentos de Qualidade 83 A indústria brasileira de máquinas e equipamentos caracteriza-se pelo constante investimento no desenvolvimento tecnológico. A capacidade competitiva e o faturamento

Leia mais

FOCOS DE ATUAÇÃO. Tema 8. Expansão da base industrial

FOCOS DE ATUAÇÃO. Tema 8. Expansão da base industrial FOCOS DE ATUAÇÃO Tema 8. Expansão da base industrial Para crescer, a indústria capixaba tem um foco de atuação que pode lhe garantir um futuro promissor: fortalecer as micro, pequenas e médias indústrias,

Leia mais

CAMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO

CAMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO CAMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO REQUERIMENTO Nº DE 2015 (Do Sr. Nelson Marchezan Júnior) Requer a realização de Audiência Pública, para debater a crise da indústria naval no Brasil.

Leia mais

Ana Lúcia Vitale Torkomian. Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia

Ana Lúcia Vitale Torkomian. Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia Sessão Plenária 5: Programas Nacionais de Estímulo e Apoio às Incubadoras de Empresas e Parques Tecnológicos Ana Lúcia Vitale Torkomian Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério

Leia mais

3. TURISMO EM AMBIENTES AQUÁTICOS. 3.3 Mercado de turismo náutico no Brasil;

3. TURISMO EM AMBIENTES AQUÁTICOS. 3.3 Mercado de turismo náutico no Brasil; 3. TURISMO EM AMBIENTES AQUÁTICOS 3.3 Mercado de turismo náutico no Brasil; Breve panorama do mercado de turismo náutico (ou das atividades de lazer náutico?) no Brasil O mercado náutico de lazer envolve

Leia mais

Oportunidades para a cadeia de suprimentos em E&P

Oportunidades para a cadeia de suprimentos em E&P Oportunidades para a cadeia de suprimentos em E&P Seminário BNDES: Desenvolvimento da cadeia de fornecedores de petróleo e gás Guilherme Estrella Diretor de E&P Rio Rio de de Janeiro, 1º 1º de de setembro

Leia mais

Sistema Indústria. 28 Áreas de atuação 730 Unidades de Operação 4 Milhões de matrícula/ano (2014), mais de 57 milhões de alunos capacitados

Sistema Indústria. 28 Áreas de atuação 730 Unidades de Operação 4 Milhões de matrícula/ano (2014), mais de 57 milhões de alunos capacitados Sistema Indústria CNI 27 Federações de Indústrias 1.136 Sindicatos Associados 622.874 Indústrias SENAI SESI IEL 28 Áreas de atuação 730 Unidades de Operação 4 Milhões de matrícula/ano (2014), mais de 57

Leia mais

Contribuição para o Aperfeiçoamento de uma Política para a Indústria Naval e a Marinha Mercante

Contribuição para o Aperfeiçoamento de uma Política para a Indústria Naval e a Marinha Mercante Contribuição para o Aperfeiçoamento de uma Política para a Indústria Naval e a Marinha Mercante NOVAS CONSTRUÇÕES Eng. Agenor C. Junqueira Leite Presidente Trabalhos Publicados -Política Governamental

Leia mais

A costa da África pode ser um foco da indústria no futuro próximo;

A costa da África pode ser um foco da indústria no futuro próximo; Fleury Pissaia * Entre 2011 e 2015, investimento previsto no setor industrial é de R$ 600 bilhões. Desse montante, indústria do petróleo representa 62%. No mesmo período, R$ 750 bilhões serão alocados

Leia mais

Agentes Governamentais. Indústria Nacional. Operadoras de P&G

Agentes Governamentais. Indústria Nacional. Operadoras de P&G Agentes Governamentais Indústria Nacional Operadoras de P&G Missão Promover a maximização dos benefícios decorrentes da expansão da indústria petrolífera para toda a sociedade brasileira Estimular novos

Leia mais

Desenvolvimento de Fornecedores para o Setor Petróleo e Gás

Desenvolvimento de Fornecedores para o Setor Petróleo e Gás Desenvolvimento de Fornecedores para o Setor Petróleo e Gás Santos Offshore Alfredo Renault Santos, 10 de abril de 2014. Sumário I PERSPECTIVAS E INVESTIMENTOS DO SETOR II A CADEIA DE FORNECEDORES III

Leia mais

2011/2014. Medidas. Agendas Estratégicas Setoriais. medidas em destaque. Estímulos ao Investimento e à Inovação Comércio Exterior

2011/2014. Medidas. Agendas Estratégicas Setoriais. medidas em destaque. Estímulos ao Investimento e à Inovação Comércio Exterior Medidas Estímulos ao Investimento e à Inovação Comércio Exterior Plano Competitividade Brasil Exportadora Maior Financiamento à Exportação 2011/2014 Defesa Comercial Defesa da Indústria e do Mercado Interno

Leia mais

PROGRAMAS PARA CONSOLIDAR E EXPANDIR A LIDERANÇA PETRÓLEO, GÁS NATURAL E PETROQUÍMICA

PROGRAMAS PARA CONSOLIDAR E EXPANDIR A LIDERANÇA PETRÓLEO, GÁS NATURAL E PETROQUÍMICA Programas para consolidar e expandir a liderança PROGRAMAS PARA CONSOLIDAR E EXPANDIR A LIDERANÇA PETRÓLEO, GÁS NATURAL E PETROQUÍMICA 1 Petróleo, Gás Natural e Petroquímica Estratégias: liderança mundial

Leia mais

PROPOSTAS DA INDÚSTRIA PARA AS ELEIÇÕES 2014

PROPOSTAS DA INDÚSTRIA PARA AS ELEIÇÕES 2014 PROPOSTAS DA INDÚSTRIA PARA AS ELEIÇÕES 2014 Propostas para os candidatos Desde as eleições de 1994, a CNI apresenta à sociedade e aos candidatos sugestões para melhorar o desempenho da economia. Propostas

Leia mais

Rio de Janeiro: o melhor lugar para a sua empresa no Brasil

Rio de Janeiro: o melhor lugar para a sua empresa no Brasil Rio de Janeiro: o melhor lugar para a sua empresa no Brasil Thayne Garcia, Assessora-Chefe de Comércio e Investimentos (tgarcia@casacivil.rj.gov.br) Luciana Benamor, Assessora de Comércio e Investimentos

Leia mais

The Oil Finance Specialists

The Oil Finance Specialists Release 18 th March 2013 O Renascimento da Construção Naval Brasileira Posição do Brasil no mercado mundial O cenário da construção naval mundial se mostra cada vez mais volátil, com a China e Coréia se

Leia mais

A indústria de construção naval brasileira

A indústria de construção naval brasileira A indústria de construção naval brasileira Apresentação ao BNDES Cenário Nacional O mercado: o segmento offshore Plataformas fixas Plataformas semi-submersíveis - FPU FPSO FSO José Roberto Simas e Alberto

Leia mais