DIREITO CIVIL III - CONTRATOS CONTRATOS TEORIA GERAL DOS. Interpretação Contratual (Hermenêutica) 24/09/09 Prof a. Esp.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DIREITO CIVIL III - CONTRATOS CONTRATOS TEORIA GERAL DOS. Interpretação Contratual (Hermenêutica) 24/09/09 Prof a. Esp."

Transcrição

1 DIREITO CIVIL III - CONTRATOS TEORIA GERAL DOS CONTRATOS Interpretação Contratual (Hermenêutica) 24/09/09 Prof a. Esp. Helisia Góes

2 CONCEITOS RELEVANTES INTERPRETAR é estender ou explicar o sentido, as idéias ias de... INTERPRETAÇÃO CONTRATUAL é a busca do significado jurídico do conteúdo do contrato. como consiste, em duas distintas declarações de vontade que se integram, contrato requer sempre interpretação, mormente quando são obscuras, ambíguas ou duvidosas. Interpretar um contrato é, afinal, esclarecer o sentido dessas declarações e determinar o significado do acordo ou consenso. GOMES (Contratos, 1999, p. 198)

3 OBJETIVOS DA INTERPRETAÇÃO Entender/esclarecer o significado e a extensão jurídica da manifestação de vontade realizada pelos contratantes. Investigar a vontade objetiva no conteúdo contratual. PARA: determinar-se os efeitos juridicamente relevantes do contrato. Interpretar o negócio jurídico é, portanto, precisar o sentido e alcance do conteúdo da declaração de vontade. Busca-se apurar a vontade concreta das partes, não a vontade interna, psicológica, mas a vontade objetiva, o conteúdo, as normas que nascem da sua declaração. GONÇALVES; STOLZE (2009, pág. 41)

4 PRESSUPOSTO DA INTERPRETAÇÃO CONTROVÉRSIA instaurada e não resolvida pelos contratantes. DIVERGÊNCIA acerca do sentido, extensão ou intensidade dos efeitos do conteúdo contratual. A referida controvérsia/divergência decorre, normalmente, da utilização de palavras ou frases confusas, obscuras, duvidosas ou ambíguas.

5 ESPÉCIES DE INTERPRETAÇÃO SUBJETIVA OBJETIVA busca aferir a intenção comum das partes (vontade real dos contratantes). busca o esclarecimento dos sentidos das declarações que sejam ambíguas, confusas ou obscuras no contrato. Observação - devem ser aplicados: Princípio da Investigação da Vontade Real Interpr. Subjetiva Princípio da Conservação do Contrato Interpretação Objetiva

6 FORMAS DE INTERPRETAÇÃO DECLARATÓRIA CONSTRUTIVA ou INTEGRATIVA verificação da intenção comum dos contratantes no momento da celebração contratual. (Interpretação Subjetiva). aproveitamento do contrato, com o suprimento de lacunas e pontos omissos deixados pelas partes. (Interpretação Objetiva)...dizer se a vontade declarada ou a vontade real irá prevalecer é algo que só o caso concreto permitirá julgar. FIUZA, 2007

7 INTÉRPRETE Quem deve interpretar os contratos? Partes Contratantes Como o intérprete deve atuar? Poder Judiciário (Revisão dos Contratos) deve buscar a vontade das partes ( espírito das regras formuladas); deve evitar o subjetivismo de sua análise; deve pautar-se nas bases principiológicas vigentes. A hermenêutica contratual ganha importância quando as partes se desentendem, cabendo ao interprete desvendar os meandros do contrato, sua causa, motivo, fim suas bases objetivas e subjetivas, a fim de compor o conflito. FIUZA (2007, pág. 439)

8 REGRAS LEGAIS DE INTERPRETAÇÃO (CÓDIGO CIVIL 2002) Reserva Mental não impede a eficácia cia da vontade declarada (art. 110, CC) Anuência decorrente do silêncio de uma das partes (art. 111, CC) - Manifestada Tácita da Vontade; Prevalência da intenção das partes sobre o conteúdo literal do contrato (art. 112, CC); Boa-fé objetiva e probidade (arts. 113, 1ª parte e 422, CC); Usos e costumes do lugar da celebração (arts. 113, 2ª parte, CC) ;

9 REGRAS LEGAIS DE INTERPRETAÇÃO (CÓDIGO CIVIL 2002) Função social (art. 421, CC); Limitação aos contratos de adesão (art. 423, CC); Limitação dos negócios jurídicos benéficos e da renúncia (art. 114, CC); Limitação da transação (art. 843, CC); Limitação da fiança a (art. 819, CC); Conservação ou aproveitamento do contrato. Ou seja, se uma cláusula contratual permitir mais de uma interpretação, deve-se aplicar aquela que torne o contrato útil, que lhe garanta a efetividade.

10 REGRAS GERAIS DE INTERPRETAÇÃO APLICADAS AOS CONTRATOS 1) Interessa mais a intenção das partes do que o sentido literal das palavras; 2) Quando uma cláusula possuir dois sentidos, deve ser interpretada de modo a produzir algum efeito; 3) As expressões de duplo sentido interpretam-se de acordo com o objeto do contrato; 4) As expressões ambíguas interpretam-se de acordo com os costumes do lugar da formação do contrato; 5) Na dúvida, d os contratos interpretam-se contra o estipulante, ou seja, contra a parte que fez a proposta inicial; 6) As cláusulas contratuais devem ser interpretadas umas em relação às s outras, ou seja, em conjunto

11 REGRAS GERAIS DE INTERPRETAÇÃO APLICADAS AOS CONTRATOS 7) As cláusulas compreendem apenas o objeto do contrato, e não as coisas não cogitadas; 8) Os bens singulares estão todos englobados e seguem os universais; 9) Se para explicar determinada cláusula, as partes aduzirem exemplo, isso não significará que a cláusula só se aplicará ocorrendo o fato, objeto do exemplo; 10) Uma cláusula expressa no plural decompõe-se muitas vezes em cláusulas singulares; 11) O que está no fim do período relaciona-se com todo ele e não sós com a parte antecedente, se com aquele concordar em número n e gênero;

12 REGRAS GERAIS DE INTERPRETAÇÃO APLICADAS AOS CONTRATOS 12) Toda cláusula será interpretada contra o contratante de má-fé; m 13) Expressões inócuas consideram-se se não escritas; 14) As disposições contratuais visam, em regra, a objetivo econômico; 15) Ninguém m contrata para se prejudicar; 16) A interpretação deve ser menos onerosa para o devedor; 17) Se um contrato se segue de outro que o modifica sós em parte, devem ser interpretados em conjunto; 18) Entre cláusula impressa e datilografada ou manuscrita, prevalecem as últimas; 19) A onerosidade é geralmente presumida.

13 APLICAÇÃO PRÁTICA DAS REGRAS DE INTERPRETAÇÃO DOS CONTRATOS 1) Na dúvida, d interpreta-se a favor do devedor; 2) Na dúvida, d interpreta-se a favor do consumidor; 3) Na dúvida, d interpreta-se a favor do aderente; 4) Na dúvida, d interpreta-se a favor da parte mais fraca; 5) Na dúvida, d interpreta-se a favor do empregado; 6) Na dúvida, d interpreta-se a favor do locatário.

14 REGRAS GERAIS DE INTERPRETAÇÃO DOS CONTRATOS NO CDC Art. 46. Os contratos que regulam as relações de consumo não obrigarão os consumidores,, se não lhes for dada a oportunidade de tomar conhecimento prévio de seu conteúdo, ou se os respectivos instrumentos forem redigidos de modo a dificultar a compreensão de seu sentido e alcance. Art. 47. As cláusulas contratuais serão interpretadas de maneira mais favorável vel ao consumidor.

15 REVISÃO DOS CONTRATOS Resulta da mitigação dos princípios pios da Autonomia da Vontade e do Pacta Sunt Servanda. Pautado, essencialmente, no Princípio rebus sic stantibus,, que permite a revisão dos contratos ante a modificação das circunstâncias existentes no momento da celebração; O equilíbrio contratual deve existir na formação do contrato, sendo mantido em toda a sua execução; A relativização do contrato encontra fundamento no princípio da conservação do negócio jurídico, o que se torna possível mediante a sua revisão, cujo desiderato é a promoção do reequilíbrio do ajuste originalmente estabelecido, restituindo-se as partes à comutatividade originária, quando da conclusão do contrato. SENISE (2004, pág. 148)

16 REVISÃO DOS CONTRATOS TEORIA DA IMPREVISÃO O contrato só poderá ser mantido se as circunstâncias ou acontecimentos posteriores não o mudarem; Esta teoria é pressuposto da revisão judicial do contrato, com base: no equilíbrio dos contratos; no restabelecimento da comutatividade das prestações contratuais afetadas por eventos que as tornem excessivamente onerosas; na manutenção da base negocial sobre a qual se firmou o contrato; na equidade, na boa-fé, na moralidade e na confiança.

17 REVISÃO DOS CONTRATOS TEORIA DA IMPREVISÃO NO CC 2002 Resolução por onerosidade excessiva (arts. 478 a 480, CC); Fatos Supervenientes, de caráter extraordinário e imprevisível; Desequilíbrio contratual - onerosidade excessiva; A revisão (em lugar da resolução) por onerosidade excessiva superveniente está condicionada a ato de vontade do réu no sentido de oferecer a modificação eqüitativa da equação contratual (art. 479, CC). Deverá se privilegiar a manutenção do contrato, por meio de sua revisão e adequação (art. 421, CC). A Resolução somente deve ser aplicada se não for possível a revisão.

18 OBRIGADA!!!!

DOS NEGÓCIOS JURÍDICOS

DOS NEGÓCIOS JURÍDICOS DOS NEGÓCIOS JURÍDICOS CLASSIFICAÇÃO DOS NEGÓCIOS JURÍDICOS: (a) unilaterais bilaterais e plurilaterais; (b) gratuitos e onerosos neutros e bifrontes; (c) inter vivos e mortis causa ; (d) principais e

Leia mais

MATERIAL DE APOIO 06. Efeitos do contrato relativamente a terceiros. Estipulação em favor de terceiro (arts )

MATERIAL DE APOIO 06. Efeitos do contrato relativamente a terceiros. Estipulação em favor de terceiro (arts ) 1 MATERIAL DE APOIO 06 RELATIVIDADE E EFEITOS DOS CONTRATOS Principal efeito: criar obrigações, estabelecendo um vínculo jurídico entre as partes contratantes contrato = fonte de obrigações. Como REGRA

Leia mais

PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM

PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM SUPERINTENDÊNCIA ACADÊMICA DIRETORIA DE GRADUAÇÃO Área de Ciências Humanas, Sociais e Aplicadas DISCIPLINA: Dos Contratos CÓDIGO CRÉDITOS CARGA HORÁRIA H119749 04 80 PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM EMENTA

Leia mais

Direito Civil IV Aula 22. Foed Saliba Smaka Jr. Curso de Direito ISEPE Guaratuba 2015/2

Direito Civil IV Aula 22. Foed Saliba Smaka Jr. Curso de Direito ISEPE Guaratuba 2015/2 Direito Civil IV Aula 22 Foed Saliba Smaka Jr. Curso de Direito ISEPE Guaratuba 2015/2 Aula 22 07/10/2015 Início 2º Bimestre. Atributos do Contrato: Existência, Validade e Eficácia complexidade nem todo

Leia mais

Direito Civil. Dos Contratos I. Prof. Marcio Pereira

Direito Civil. Dos Contratos I. Prof. Marcio Pereira Direito Civil Dos Contratos I Prof. Marcio Pereira Conceito É o acordo de duas ou mais vontades, na conformidade da ordem jurídica, destinado a estabelecer uma regulamentação de interesses entre as partes,

Leia mais

Obrigações e contratos

Obrigações e contratos Obrigações e contratos Prof. Rafael Mafei Deveres e obrigações O O Direito subjetivo deveres de terceiros Obrigações: deveres de natureza patrimonial O Dois sujeitos: credor e devedor O Objeto: prestação

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO DE TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO

CURSO DE FORMAÇÃO DE TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO CURSO DE FORMAÇÃO DE TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO MÓDULO DE LEGISLAÇÃO AULA 1 NOÇÕES BÁSICAS Profa.: Ivna Cavalcanti Feliciano Oficiala de Justiça do Tribunal de Justiça do Estado de Pernambuco TJPE. Mestranda

Leia mais

Conteúdos/ Matéria. Categorias/ Questões. Habilidades e Competências. Textos, filmes e outros materiais. Tipo de aula. Semana

Conteúdos/ Matéria. Categorias/ Questões. Habilidades e Competências. Textos, filmes e outros materiais. Tipo de aula. Semana PLANO DE CURSO DISCIPLINA: DIREITO CONTRATUAL (CÓD. ENEX 60119) ETAPA: 4ª TOTAL DE ENCONTROS: 15 SEMANAS Semana Conteúdos/ Matéria Categorias/ Questões Tipo de aula Habilidades e Competências Textos, filmes

Leia mais

Direito Civil. Disposições Gerais Negócio Jurídico. Professora Tatiana Marcello.

Direito Civil. Disposições Gerais Negócio Jurídico. Professora Tatiana Marcello. Direito Civil Disposições Gerais Negócio Jurídico Professora Tatiana Marcello www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Aula Civil XX LEI Nº 10.406, DE 10 DE JANEIRO DE 2002 Institui o Código Civil. O PRESIDENTE

Leia mais

TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica O CONTRATO DE ADESÃO NAS RELAÇÕES DE CONSUMO. Letícia Mariz de Oliveira Advogada

TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica O CONTRATO DE ADESÃO NAS RELAÇÕES DE CONSUMO. Letícia Mariz de Oliveira Advogada TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica O CONTRATO DE ADESÃO NAS RELAÇÕES DE CONSUMO Letícia Mariz de Oliveira Advogada Numa economia de escala, cada vez mais globalizada, diante da necessidade de simplificação

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE COACHING

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE COACHING CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE COACHING Base Legal Artigos 593 a 609 Novo Código Civil; Código de Defesa do Consumidor Art. 593. A prestação de serviço, que não estiver sujeita às leis trabalhistas

Leia mais

DOS CONTRATOS NO DIREITO CIVIL BRASILEIRO DE 2002: PRINCÍPIOS BASILARES

DOS CONTRATOS NO DIREITO CIVIL BRASILEIRO DE 2002: PRINCÍPIOS BASILARES 18 DOS CONTRATOS NO DIREITO CIVIL BRASILEIRO DE 2002: PRINCÍPIOS BASILARES RESUMO SILVEIRA, Susani Trovo¹ GRAUPPE, Stefanie Alessandra² LUCATELLI, Isabella³ O objetivo principal do trabalho é, de forma

Leia mais

PRINCÍPIOS CONTRATUAIS

PRINCÍPIOS CONTRATUAIS AULA 04 PONTO: 04 Objetivo da aula: Teoria geral dos contratos. Teoria geral dos contratos. Perfil e princípios. Formação defeito e extinção. Classificação e interpretação. Garantias legais específicas.

Leia mais

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação.

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação. PLANO DE CURSO 2014/02 Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação. DISCIPLINA: DIREITO CIVIL III PROFESSORA: IVANA BONESI RODRIGUES LELLIS TURMA: 4º AM / BM

Leia mais

AULA 10: NOÇÕES GERAIS DE CONTRATOS

AULA 10: NOÇÕES GERAIS DE CONTRATOS AULA 10: Prof. Thiago Gomes VOCÊ JÁ CONTRATOU HOJE? 1 O QUE É O CONTRATO? Para suprir suas necessidades o homem interage com seus semelhantes das mais variadas formas, entre elas, o contrato. CONCEITO

Leia mais

TÍTULO: CONFLITO ENTRE A TEORIA DA IMPREVISÃO E TEORIA DA BASE DO NEGÓCIO JURÍDICO

TÍTULO: CONFLITO ENTRE A TEORIA DA IMPREVISÃO E TEORIA DA BASE DO NEGÓCIO JURÍDICO TÍTULO: CONFLITO ENTRE A TEORIA DA IMPREVISÃO E TEORIA DA BASE DO NEGÓCIO JURÍDICO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: DIREITO INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DE RIO PRETO

Leia mais

Direito Civil. Da Extinção do Contrato. Professora Tatiana Marcello.

Direito Civil. Da Extinção do Contrato. Professora Tatiana Marcello. Direito Civil Da Extinção do Contrato Professora Tatiana Marcello www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Aula Civil XX LEI Nº 10.406, DE 10 DE JANEIRO DE 2002 Institui o Código Civil. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA

Leia mais

Hugo Goes Direito Previdenciário Módulo 02 Aula Direito Previdenciário para o Concurso do INSS

Hugo Goes Direito Previdenciário Módulo 02 Aula Direito Previdenciário para o Concurso do INSS Hugo Goes Direito Previdenciário Módulo 02 Aula 001-005 Direito Previdenciário para o Concurso do INSS Fontes Hierarquia (ordem de graduação) Autonomia (entre os diversos ramos) Aplicação (conflitos entre

Leia mais

DIREITO DO TRABALHO PRINCÍPIOS DO DIREITO DO TRABALHO

DIREITO DO TRABALHO PRINCÍPIOS DO DIREITO DO TRABALHO DIREITO DO TRABALHO PRINCÍPIOS DO DIREITO DO TRABALHO Atualizado em 13/01/2016 PRINCÍPIOS DO DIREITO DO TRABALHO PRINCÍPIO PROTETOR Nas relações empregatícios sempre existe o conflito entre o detentor

Leia mais

Avaliação do Desequilíbrio Econômico- Financeiro em Contratos de Construções

Avaliação do Desequilíbrio Econômico- Financeiro em Contratos de Construções Avaliação do Desequilíbrio Econômico- Financeiro em Contratos de Construções Equilíbrio Econômico-Financeiro Definição manutenção da relação estabelecida inicialmente pelas partes contratantes que deverá

Leia mais

Quanto NULO ANULÁVEL A quem diz respeito

Quanto NULO ANULÁVEL A quem diz respeito 1 DIREITO CIVIL PONTO 1: Nulidades PONTO 2: Diferença entre Nulo e Anulável PONTO 3: Análise do Art. 166 do CC PONTO 4: Defeitos do Negócio Jurídico 1.NULIDADES Nulidades, a princípio, podem ser questionadas

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br Breves Comentários sobre a Função Social dos Contratos Alessandro Meyer da Fonseca* O Código Civil, composto de uma parte geral e cinco partes especiais, estabelece as regras de

Leia mais

Aula 11 1) RELAÇÃO ENTRE A FUNÇÃO SOCIAL DOS CONTRATOS E OS DEMAIS PRINCÍPIOS

Aula 11 1) RELAÇÃO ENTRE A FUNÇÃO SOCIAL DOS CONTRATOS E OS DEMAIS PRINCÍPIOS Turma e Ano: CAM MASTER B 2015 Matéria / Aula: Direito Civil Obrigações e Contratos Aula 11 Professor: Rafael da Mota Mendonça Monitor: Mário Alexandre de Oliveira Ferreira Aula 11 1) RELAÇÃO ENTRE A FUNÇÃO

Leia mais

Tópico do plano de ensino: Formação dos contratos: proposta e aceitação (teorias). FORMAÇÃO DOS CONTRATOS

Tópico do plano de ensino: Formação dos contratos: proposta e aceitação (teorias). FORMAÇÃO DOS CONTRATOS AULA 06 PONTO: 06 Objetivo da aula: Teoria geral dos contratos. Perfil e princípios. Formação defeito e extinção. Classificação e interpretação. Garantias legais específicas. Tópico do plano de ensino:

Leia mais

FUTURO TENDÊNCIAS INOVAÇÃO PARA QUEM BUSCA SUCESSO NA CARREIRA JURÍDICA, PRATICAR É LEI. Uma instituição do grupo

FUTURO TENDÊNCIAS INOVAÇÃO PARA QUEM BUSCA SUCESSO NA CARREIRA JURÍDICA, PRATICAR É LEI. Uma instituição do grupo FUTURO TENDÊNCIAS INOVAÇÃO PARA QUEM BUSCA SUCESSO NA CARREIRA JURÍDICA, PRATICAR É LEI. Uma instituição do grupo PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO CONTRATUAL OBJETIVOS: O curso aprofunda a discussão de conhecimentos

Leia mais

ORGANISYS SOFTWARE LTDA ME CONTRATO DE PARCERIA PARA INDICAÇÕES CONDIÇÕES GERAIS

ORGANISYS SOFTWARE LTDA ME CONTRATO DE PARCERIA PARA INDICAÇÕES CONDIÇÕES GERAIS ORGANISYS SOFTWARE LTDA ME CONTRATO DE PARCERIA PARA INDICAÇÕES CONDIÇÕES GERAIS 1. O presente CONTRATO DE PARCERIA PARA INDICAÇÕES é um acordo legal celebrado entre ORGANISYS SOFTWARE LTDA ME, pessoa

Leia mais

Direito Administrativo

Direito Administrativo Direito Administrativo Princípios constitucionais da Administração Pública Professora Tatiana Marcello www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Administrativo PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS DA ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica ONEROSIDADE EXCESSIVA NOS CONTRATOS E A REVISÃO DA CLÁUSULA PENAL. Orlando Spinetti Advogado

TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica ONEROSIDADE EXCESSIVA NOS CONTRATOS E A REVISÃO DA CLÁUSULA PENAL. Orlando Spinetti Advogado TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica ONEROSIDADE EXCESSIVA NOS CONTRATOS E A REVISÃO DA CLÁUSULA PENAL Orlando Spinetti Advogado O nosso objetivo no presente trabalho é analisar a possibilidade de revisão

Leia mais

Aula 17 11) EXTINÇÃO DOS CONTRATOS ANULAÇÃO RESCISÃO RESILIÇÃO RESOLUÇÃO

Aula 17 11) EXTINÇÃO DOS CONTRATOS ANULAÇÃO RESCISÃO RESILIÇÃO RESOLUÇÃO Turma e Ano: CAM MASTER B 2015 Matéria / Aula: Direito Civil Obrigações e Contratos Aula 17 Professor: Rafael da Mota Mendonça Monitor: Mário Alexandre de Oliveira Ferreira Aula 17 Continuação de Modalidades

Leia mais

Tribunais Lei de Introdução às Normas do Direito Brasileiro Direito Civil Nilmar de Aquino

Tribunais Lei de Introdução às Normas do Direito Brasileiro Direito Civil Nilmar de Aquino Tribunais Lei de Introdução às Normas do Direito Brasileiro Direito Civil Nilmar de Aquino 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. 1. Introdução Lei que regulamenta

Leia mais

Aula 10 CLASSIFICANDO O CONTRATO DE DOAÇÃO SIMPLES UNILATERAL

Aula 10 CLASSIFICANDO O CONTRATO DE DOAÇÃO SIMPLES UNILATERAL Turma e Ano: CAM MASTER B 2015 Matéria / Aula: Direito Civil Obrigações e Contratos Aula 10 Professor: Rafael da Mota Mendonça Monitor: Mário Alexandre de Oliveira Ferreira Aula 10 CLASSIFICANDO O CONTRATO

Leia mais

Período 5º Período. Eixo de Formação EIXO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Docente: Prof. Me. ANGELO JUNQUEIRA GUERSONI

Período 5º Período. Eixo de Formação EIXO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Docente: Prof. Me. ANGELO JUNQUEIRA GUERSONI Página 1 de 7 Disciplina DE GRADUACÃO Curso Semestral Código DIREITOS DOS CONTRATOS 088 Curso Graduação Período 5º Período Turma (s) A, B, D Eixo de Formação EIXO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL Docente: Prof.

Leia mais

Teoria económica dos contratos VS Teoria jurídica dos contratos

Teoria económica dos contratos VS Teoria jurídica dos contratos Teoria económica dos contratos VS Teoria jurídica dos contratos O CC estabelece uma teoria geral dos contratos arts. 405 a 456º - e regula depois, em especial, alguns tipos contratuais -arts 874º a 1250º.

Leia mais

Ana Flávia Penido 2. Penido, Ana Flávia. Execução de contrato não cumprido / Ana Flávia Penido. Varginha, f.

Ana Flávia Penido 2. Penido, Ana Flávia. Execução de contrato não cumprido / Ana Flávia Penido. Varginha, f. 1 Penido, Ana Flávia. P411e Execução de contrato não cumprido / Ana Flávia Penido. Varginha, 2015. 8 f. Sistema requerido: Adobe Acrobat Reader Modo de Acesso: World Wide Web 1. Quebra de contrato. 2.

Leia mais

Prof a.: Helisia Góes Disciplina: DIREITO CIVIL III CONTRATOS Turmas: 5º DIV e 5º DIN Data: 13/08/10. Aula 04

Prof a.: Helisia Góes Disciplina: DIREITO CIVIL III CONTRATOS Turmas: 5º DIV e 5º DIN Data: 13/08/10. Aula 04 CURSO DE DIREITO - 2º SEMESTRE/2010 1 Prof a.: Helisia Góes Disciplina: DIREITO CIVIL III CONTRATOS Turmas: 5º DIV e 5º DIN Data: 13/08/10 Aula 04 DIREITO DOS CONTRATOS II - TEORIA GERAL DO DIREITO DOS

Leia mais

Prof. Me. Edson Guedes. Unidade II INSTITUIÇÕES DE DIREITO

Prof. Me. Edson Guedes. Unidade II INSTITUIÇÕES DE DIREITO Prof. Me. Edson Guedes Unidade II INSTITUIÇÕES DE DIREITO 5. Direito Civil Unidade II 5.1 Da validade dos negócios jurídicos; 5.2 Responsabilidade civil e ato ilícito; 5. Direito Civil 5.1 Da validade

Leia mais

Planejamento Tributário

Planejamento Tributário Planejamento Tributário rio Análise da Legitimidade Critérios rios Jurídicos Claudemir Rodrigues Malaquias claudemir.malaquias malaquias@carf.fazenda.gov.br 1 Sumário Contexto Patologias do Negócio Jurídico

Leia mais

DIPu_08 - TRATADOS INTERNACIONAIS

DIPu_08 - TRATADOS INTERNACIONAIS DIPu_08 - TRATADOS INTERNACIONAIS 1 1. CONCEITO DE TRATADO: É um acordo formal concluído entre os sujeitos de Direito Internacional Público, destinado a produzir efeitos jurídicos na órbita internacional.

Leia mais

JOSÉ FERNANDO LUTZ COELHO Advogado; Professor de Direito; Mestre em Integração Latino-Americana da UFSM ; Consultor jurídico na área imobiliária.

JOSÉ FERNANDO LUTZ COELHO Advogado; Professor de Direito; Mestre em Integração Latino-Americana da UFSM ; Consultor jurídico na área imobiliária. JOSÉ FERNANDO LUTZ COELHO Advogado; Professor de Direito; Mestre em Integração Latino-Americana da UFSM ; Consultor jurídico na área imobiliária. CONTRATOS AGRÁRIOS Uma visão neo-agrarista Juruá Editora

Leia mais

Prof. Ricardo Torques

Prof. Ricardo Torques Revisão de Filosofia do Direito para o XXI Exame de Ordem Prof. Ricardo Torques www.fb.com/oabestrategia INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA FILOSOFIA CONCEITO GERAL DE FILOSOFIA: refletir e questionar o saber instituído,

Leia mais

CONCEITO DE IMPREVISIBILIDADE NO ÂMBITO DO ORDENAMENTO JURÍDICO BRASILEIRO

CONCEITO DE IMPREVISIBILIDADE NO ÂMBITO DO ORDENAMENTO JURÍDICO BRASILEIRO REVISTA PRÁTICA JURÍDICA ONLINE Aula Maior Walter Douglas Stuber Advogado especializado em Direito Empresarial, com ênfase em Societário, Financeiro e Mercado de Capitais e sócio fundador do escritório

Leia mais

Teoria do Estado e da Constituição Prof. Dr. João Miguel da Luz Rivero ENTRADA EM VIGOR DE UMA NOVA CONSTITUIÇÃO

Teoria do Estado e da Constituição Prof. Dr. João Miguel da Luz Rivero ENTRADA EM VIGOR DE UMA NOVA CONSTITUIÇÃO Teoria do Estado e da Constituição Prof. Dr. João Miguel da Luz Rivero jmlrivero@gmail.com ENTRADA EM VIGOR DE UMA NOVA CONSTITUIÇÃO Vicente Paulo e Marcelo Alexandrino As normas de uma nova Constituição

Leia mais

CURSO DE EXTENSÃO EM DIREITO IMOBILIÁRIO.

CURSO DE EXTENSÃO EM DIREITO IMOBILIÁRIO. CURSO DE EXTENSÃO EM DIREITO IMOBILIÁRIO. Aula Ministrada pelo Prof. Durval Salge Junior 1-) Proposta e Aceitação: a) Proposta: Previsão está no art. 427 do C.C. Art. 427. A proposta de contrato obriga

Leia mais

AULA 12: DIREITO DO CONSUMIDOR II

AULA 12: DIREITO DO CONSUMIDOR II AULA 12: DIREITO DO CONSUMIDOR II Prof. Thiago Gomes Nas aulas anteriores... Evolução Histórica do Direito do Consumidor Conceitos de Consumidor, Fornecedor, Produto e Serviço Direitos do Consumidor I

Leia mais

Direito Civil II Direito das Obrigações

Direito Civil II Direito das Obrigações Direito Civil II Direito das Obrigações Elementos Constitutivos das Obrigações 2 Elementos Constitutivos das Obrigações Elemento Subjetivo Vimos que uma relação obrigacional possui sempre os mesmos elementos,

Leia mais

IUS RESUMOS. Interpretação e Integração da Lei Penal. Organizado por: Samille Lima Alves

IUS RESUMOS. Interpretação e Integração da Lei Penal. Organizado por: Samille Lima Alves Interpretação e Integração da Lei Penal Organizado por: Samille Lima Alves SUMÁRIO I. INTERPRETAÇÃO E INTEGRAÇÃO DA LEI PENAL... 3 1. Entendo o que é a interpretação... 3 1.1 Espécies de interpretação...

Leia mais

NOÇÕES PRELIMINARES SOBRE A TEORIA GERAL DOS CONTRATOS.

NOÇÕES PRELIMINARES SOBRE A TEORIA GERAL DOS CONTRATOS. NOÇÕES PRELIMINARES SOBRE A TEORIA GERAL DOS CONTRATOS. ALIELE ANTONIETE MAO 1 RESUMO: O presente trabalho pretendeu discorrer sobre a teoria geral dos contratos a partir dos aspectos conceituais, bem

Leia mais

Aula I. Des. Maldonado de Carvalho. TEMA Princípios Gerais do CDC e Direitos básicos do consumidor. distribuição e o consumo em massa.

Aula I. Des. Maldonado de Carvalho. TEMA Princípios Gerais do CDC e Direitos básicos do consumidor. distribuição e o consumo em massa. Aula I Des. Maldonado de Carvalho TEMA Princípios Gerais do CDC e Direitos básicos do consumidor. - distribuição e o consumo em massa. justamente o que possui o conhecimento e a informação adequada sumidor.

Leia mais

MANIFESTAÇÃO DE VONTADE NAS RELAÇÕES DE CONSUMO

MANIFESTAÇÃO DE VONTADE NAS RELAÇÕES DE CONSUMO Revista das Faculdades Integradas Claretianas Vol. 1 janeiro/dezembro de 2008 MANIFESTAÇÃO DE VONTADE NAS RELAÇÕES DE CONSUMO Julio César Altarugio Costa Faculdades Integradas Claretianas super_trumpho@ig.com.br

Leia mais

O TÍTULO EXECUTIVO EUROPEU. Jogo de damas - Abel Manta 1927 Fonte: Wilkipédia.org (obra no domínio público)

O TÍTULO EXECUTIVO EUROPEU. Jogo de damas - Abel Manta 1927 Fonte: Wilkipédia.org (obra no domínio público) O TÍTULO EXECUTIVO EUROPEU Jogo de damas - Abel Manta 1927 Fonte: Wilkipédia.org (obra no domínio público) O REGULAMENTO (CE) Nº 805/2004 DE 21.4.2004 QUE CRIA O TÍTULO EXECUTIVO EUROPEU O contributo dado

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br A Teoria dos Freios e Contrapesos no Direito Civil Marcelo Augusto Paiva Pereira Como citar este comentário: PEREIRA, Marcelo Augusto Paiva. A Teoria dos Freios e Contrapesos no

Leia mais

Gratuito Só poderá ser chamado de gratuito quando uma pessoa entrega para outra e aquele que recebeu não terá ônus. Ex.

Gratuito Só poderá ser chamado de gratuito quando uma pessoa entrega para outra e aquele que recebeu não terá ônus. Ex. O que são negócios jurídicos unilaterais? Quais as modalidades de negócios jurídicos unilaterais? Unilateral - Quando as clausulas contratuais forem estabelecidas por apenas uma das partes. Ex. promessa

Leia mais

Aula 00. Contratação de Bens e Serviços p/transpetro. Cargo: Auditor Júnior. Teoria e Exercícios. Professor: Carlos Antônio Bandeira

Aula 00. Contratação de Bens e Serviços p/transpetro. Cargo: Auditor Júnior. Teoria e Exercícios. Professor: Carlos Antônio Bandeira s Aula 00 Contratação de Bens e Serviços p/transpetro Professor: Carlos Antônio Bandeira www.pontodosconcursos.com.br 1 AULA DEMONSTRATIVA MAPA DA AULA 1. INTRODUÇÃO... 3 1.1. Cronograma do Curso... 3

Leia mais

REVISÃO E RESOLUÇÃO JUDICIAL DOS CONTRATOS COM BASE NAS TEORIAS ADOTADAS PELO CÓDIGO CIVIL DE 2002 E PELO CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR 1

REVISÃO E RESOLUÇÃO JUDICIAL DOS CONTRATOS COM BASE NAS TEORIAS ADOTADAS PELO CÓDIGO CIVIL DE 2002 E PELO CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR 1 1 REVISÃO E RESOLUÇÃO JUDICIAL DOS CONTRATOS COM BASE NAS TEORIAS ADOTADAS PELO CÓDIGO CIVIL DE 2002 E PELO CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR 1 ANA PAULA BOHN THEWES 2 RESUMO O presente trabalho visa analisar

Leia mais

Março/2011. Prof a. Mestre Helisia Góes

Março/2011. Prof a. Mestre Helisia Góes DIREITO CIVIL III - CONTRATOS TEORIA GERAL DOS CONTRATOS Extinção dos Contratos (Desfazimento da Relação Contratual) Março/2011 Prof a. Mestre Helisia Góes TRANSITORIEDADE CONTRATO EXTINÇÃO como toda obrigação,

Leia mais

A Adesão Informada. José Carlos Maldonado de Carvalho Desembargador do TJ/RJ.

A Adesão Informada. José Carlos Maldonado de Carvalho Desembargador do TJ/RJ. A Adesão Informada José Carlos Maldonado de Carvalho Desembargador do TJ/RJ. 1. INTRODUÇÃO A celeridade com que o mercado de consumo vem se desenvolvendo neste Século inaugural de um terceiro milênio,

Leia mais

PROGRAMA DE INCENTIVO DE LONGO PRAZO COM ACOES RESTRITAS RAIA DROGASIL S.A.

PROGRAMA DE INCENTIVO DE LONGO PRAZO COM ACOES RESTRITAS RAIA DROGASIL S.A. PROGRAMA DE INCENTIVO DE LONGO PRAZO COM ACOES RESTRITAS DA RAIA DROGASIL S.A. Aprovada na Assembleia Geral Extraordinária realizada em 23 de abril de 2014 1 PROGRAMA DE INCENTIVO DE LONGO PRAZO COM ACOES

Leia mais

O PRINCIPIO DA BOA-FÉ E A FUNÇÃO SOCIAL DOS CONTRATOS

O PRINCIPIO DA BOA-FÉ E A FUNÇÃO SOCIAL DOS CONTRATOS O PRINCIPIO DA BOA-FÉ E A FUNÇÃO SOCIAL DOS CONTRATOS Caroline Dias Raimundo 1 RESUMO: Este trabalho se propõe a levantar e analisar os conceitos que delineiam os princípios da boa-fé, a importância destes

Leia mais

BOA-FÉ: UM ELEMENTO FUNDAMENTAL NAS RELAÇÕES JURÍDICAS

BOA-FÉ: UM ELEMENTO FUNDAMENTAL NAS RELAÇÕES JURÍDICAS BOA-FÉ: UM ELEMENTO FUNDAMENTAL NAS RELAÇÕES JURÍDICAS Miguel Coca GIMENEZ 1 RESUMO: Um dos princípios mais importantes do Direito é o da boa-fé. A boa-fé possui como idéia geral que nas relações jurídicas

Leia mais

Com a aprovação da Emenda Constitucional n. 22/2015 e da Lei Estadual n /2015 extingue-se a licença prêmio?

Com a aprovação da Emenda Constitucional n. 22/2015 e da Lei Estadual n /2015 extingue-se a licença prêmio? 13.471/2015 extingue-se a licença prêmio? O direito a licença prêmio em conformidade com o quanto previsto no art. 3º da Lei Estadual n. 13.471.2015, apenas será garantido aos servidores ocupantes de cargo

Leia mais

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA A NOVA PETIÇÃO INICIAL DO NOVO CPC

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA A NOVA PETIÇÃO INICIAL DO NOVO CPC A NOVA PETIÇÃO INICIAL DO NOVO CPC 1. Conceito Art. 319 do CPC A petição inicial é o ato formal do autor que dá início à causa. É um requerimento que contém a exposição do fato e dos fundamentos jurídicos

Leia mais

DIREITO DO TRABALHO. Fontes formais autônomas: elaboradas pelos próprios interessados em aplicá-las. (grupos sociais = sindicatos)

DIREITO DO TRABALHO. Fontes formais autônomas: elaboradas pelos próprios interessados em aplicá-las. (grupos sociais = sindicatos) DIREITO DO TRABALHO FONTES DO DIREITO DO TRABALHO: MATERIAIS: FORMAIS: Fontes formais autônomas: elaboradas pelos próprios interessados em aplicá-las. (grupos sociais = sindicatos) Convenções coletivas

Leia mais

CONVENÇÃO ARBITRAL TÁCITA? CISG, ART. 9º (2) Eduardo Talamini

CONVENÇÃO ARBITRAL TÁCITA? CISG, ART. 9º (2) Eduardo Talamini CONVENÇÃO ARBITRAL TÁCITA? CISG, ART. 9º (2) Eduardo Talamini 1 Introdução CISG, Artigo 9º (1) As partes se vincularão pelos usos e costumes em que tiverem consentido e pelas práticas que tiverem estabelecido

Leia mais

Sumário Capítulo 1 Introdução ao direito do ConsumIdor Introdução... 1

Sumário Capítulo 1 Introdução ao direito do ConsumIdor Introdução... 1 Sumário Capítulo 1 Introdução ao Direito do Consumidor... 1 1.1. Introdução... 1 1.1.1. Origem histórica... 2 1.1.2. A proteção constitucional do direito do consumidor... 5 Capítulo 2 A Relação Jurídica

Leia mais

Prof. MARCELO JESUS PARTE GERAL DOS CONTRATOS CONTRATOS EM ESPÉCIE

Prof. MARCELO JESUS PARTE GERAL DOS CONTRATOS CONTRATOS EM ESPÉCIE Prof. MARCELO JESUS PARTE GERAL DOS CONTRATOS CONTRATOS EM ESPÉCIE PARTE GERAL DOS CONTRATOS CONCEITO: acordo de duas ou mais vontades, na conformidade da ordem jurídica, com o escopo de adquirir, modificar

Leia mais

Os 10 Anos do Código Civil

Os 10 Anos do Código Civil Os 10 Anos do Código Civil 273 Viviane Tovar de Mattos Abrahão 1 INTRODUÇÃO A primeira questão que se coloca é a de se saber se, na verdade, temos um novo Código Civil ou se, ao contrário, uma atualização

Leia mais

Princípios da Administração Pública

Princípios da Administração Pública Princípios da Administração Pública PRINCÍPIO DA LEGALIDADE Conceito: Ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei (art. 5º, II da CF). O Princípio da legalidade

Leia mais

PLANO DAS AULAS DO 2º SEMESTRE (2016) 1 DIREITO CIVIL II - CONTRATOS

PLANO DAS AULAS DO 2º SEMESTRE (2016) 1 DIREITO CIVIL II - CONTRATOS 1 AGOSTO PLANO DAS AULAS DO 2º SEMESTRE (2016) 1 DIREITO CIVIL II - CONTRATOS Profa. Associada Cíntia Rosa Pereira de Lima e Profa. Dra. Cláudia Berbert Campos 03 Quarta-feira 04 Quinta-feira 1 - Apresentação

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br (Artigos) como funciona a revisão dos contratos administrativos? Maiana Vaz do Amaral Barbosa 1. INTRODUÇÃO A revisão é um instituto de direito administrativo que prevê o re-equilíbrio

Leia mais

HERMENÊUTICA JURÍDICA: Alguns aspectos relevantes da hermenêutica constitucional.

HERMENÊUTICA JURÍDICA: Alguns aspectos relevantes da hermenêutica constitucional. 23 HERMENÊUTICA JURÍDICA: Alguns aspectos relevantes da hermenêutica constitucional. Renata Coelho Padilha Gera Juíza Federal Substituta no Espírito Santo; Mestre em Direito Constitucional; Especialista

Leia mais

Ex Vi Legis CONTRATOS - EVOLUÇÃO, FUNÇÃO SOCIAL E PRINCÍPIOS

Ex Vi Legis  CONTRATOS - EVOLUÇÃO, FUNÇÃO SOCIAL E PRINCÍPIOS CONTRATOS - EVOLUÇÃO, FUNÇÃO SOCIAL E PRINCÍPIOS EVOLUÇÃO HISTÓRICA O Direito romano distinguia contrato de convenção. A convenção representava o gênero, do qual o contrato e o pacto eram espécies. O Código

Leia mais

SUMÁRIO. Parte I NOÇÕES GERAIS

SUMÁRIO. Parte I NOÇÕES GERAIS SUMÁRIO Parte I NOÇÕES GERAIS I Noção de contrato 25 2 Origens e evolução histórica do direito dos contratos 31 2 I Historicidade do contrato 32 22 O direito romano 33 23 O direito inglês medieval 34 3

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO 1ª CÂMARA DE DIREITO PRIVADO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO 1ª CÂMARA DE DIREITO PRIVADO ACÓRDÃO Registro: 2011.0000336971 Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 9101235-42.2009.8.26.0000, da Comarca de São Caetano do Sul, em que é apelante CLAUDIO FERNANDES sendo apelado

Leia mais

REVISÃO E EXTINÇÃO DO CONTRATO REVISÃO TEORIA DA IMPREVISÃO

REVISÃO E EXTINÇÃO DO CONTRATO REVISÃO TEORIA DA IMPREVISÃO AULA 11 PONTOS: 13. 14. 15 Objetivo da aula: Teoria geral dos contratos. Teoria geral dos contratos. Perfil e princípios. Formação defeito e extinção. Classificação e interpretação. Garantias legais específicas.

Leia mais

UNIFESO PROFª LIDIA CALDEIRA TEORIA GERAL DO NEGÓCIO JURÍDICO 1ª aula

UNIFESO PROFª LIDIA CALDEIRA TEORIA GERAL DO NEGÓCIO JURÍDICO 1ª aula UNIFESO PROFª LIDIA CALDEIRA TEORIA GERAL DO NEGÓCIO JURÍDICO 1ª aula CONCEITOS BASILARES AO CONHECIMENTO DAS RELAÇÕES JURÍDICAS FATO, ATO E NEGÓCIO JURÍDICO FATO é qualquer ocorrência que interessa ou

Leia mais

Direito internacional público. Aula 3 As fontes de DIP

Direito internacional público. Aula 3 As fontes de DIP Direito internacional público Aula 3 As fontes de DIP Plano de aula As fontes do DIP Estatuto CIJ Novas fontes e meios auxiliares DIP Fontes 1 o art. 38, Estatuto CIJ 1. A Corte, cuja função seja decidir

Leia mais

DECADÊNCIA E PRESCRIÇÃO NO CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR Genesio Aires de Siqueira - 1 RESUMO

DECADÊNCIA E PRESCRIÇÃO NO CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR Genesio Aires de Siqueira - 1 RESUMO DECADÊNCIA E PRESCRIÇÃO NO CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR Genesio Aires de Siqueira - 1 RESUMO Este artigo traz algumas considerações sobre os conceitos e aplicação da prescrição e decadência do CDC, trazendo

Leia mais

Unidade I. Instituições de Direito Público e Privado. Profª. Joseane Cauduro

Unidade I. Instituições de Direito Público e Privado. Profª. Joseane Cauduro Unidade I Instituições de Direito Público e Privado Profª. Joseane Cauduro Estrutura da Disciplina Unidade I Conceitos Gerais de Direito O Direito e suas divisões, orientações e a Lei jurídica Unidade

Leia mais

Direito Civil. Extinção das Obrigações II. Prof. Marcio Pereira

Direito Civil. Extinção das Obrigações II. Prof. Marcio Pereira Direito Civil Extinção das Obrigações II Prof. Marcio Pereira Consignação em pagamento É o depósito judicial ou em estabelecimento bancário da dívida. Tal depósito é feito ou porque há dúvida com relação

Leia mais

O título executivo europeu. Jogo de damas - Abel Manta 1927 Fonte: Wilkipédia.org

O título executivo europeu. Jogo de damas - Abel Manta 1927 Fonte: Wilkipédia.org O título executivo europeu Jogo de damas - Abel Manta 1927 Fonte: Wilkipédia.org Objectivos do Regulamento (CE) nº 805/2004 de 21.4.2004 NOÇÃO DE CONSUMIDOR: O CONTRIBUTO DADO PELA JURISPRUDÊNCIA DO TJUE

Leia mais

CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE

CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE As normas elaboradas pelo Poder Constituinte Originário são colocadas acima de todas as outras manifestações de direito. A própria Constituição Federal determina um procedimento

Leia mais

Parte I Filosofia do Direito. Teoria Geral do Direito e da Política

Parte I Filosofia do Direito. Teoria Geral do Direito e da Política S u m á r i o Parte I Filosofia do Direito. Teoria Geral do Direito e da Política CAPÍTULO I Filosofia do Direito I: O Conceito de Justiça, O Conceito de Direito, Equidade, Direito e Moral...3 I. O conceito

Leia mais

Etapas da Pesquisa. 1 Etapas da Pesquisa. Especialização em Engenharia de Soldagem

Etapas da Pesquisa. 1 Etapas da Pesquisa. Especialização em Engenharia de Soldagem Etapas da Pesquisa 1 Etapas da Pesquisa Sumário Introdução Etapas do planejamento da pesquisa 2 Etapas da Pesquisa Introdução Planejamento e execução da pesquisa (etapas) Escolha do tema; Revisão de literatura;

Leia mais

PLANO DE ENSINO EMENTA

PLANO DE ENSINO EMENTA PLANO DE ENSINO FACULDADE: Faculdade de Ciências Jurídicas e Sociais CURSO: DIREITO Período: 4º DEPARTAMENTO: DIREITO PRIVADO Ano: 2016 DISCIPLINA: DIREITO CIVIL (Obrigações II) CARGA HORÁRIA: 80 PRÉ-REQUISITO:

Leia mais

Proteção Contratual. Contratos no CDC Princípios dos contratos Cláusulas Abusivas Garantia contratual

Proteção Contratual. Contratos no CDC Princípios dos contratos Cláusulas Abusivas Garantia contratual Proteção Contratual Contratos no CDC Princípios dos contratos Cláusulas Abusivas Garantia contratual Contratos de adesão Nas últimas décadas, a produção em massa e a comercialização em grande escala geraram

Leia mais

Regularização de IVA de créditos de cobrança duvidosa e créditos incobráveis

Regularização de IVA de créditos de cobrança duvidosa e créditos incobráveis Regularização de IVA de créditos de cobrança duvidosa e créditos incobráveis Com a aprovação da lei do Orçamento do Estado para 2013 foram introduzidos no Código do IVA quatro novos artigos (78.º-A a 78.º-D)

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA A CESSÃO DE EXPLORAÇÃO DO ESTABELECIMENTO DA PADARIA DO CORVO, PARA EFEITOS DA ACTIVIDADE DE PANIFICAÇÃO

CONCURSO PÚBLICO PARA A CESSÃO DE EXPLORAÇÃO DO ESTABELECIMENTO DA PADARIA DO CORVO, PARA EFEITOS DA ACTIVIDADE DE PANIFICAÇÃO MUNICÍPIO DO CORVO CONCURSO PÚBLICO PARA A CESSÃO DE EXPLORAÇÃO DO ESTABELECIMENTO DA PADARIA DO CORVO, PARA EFEITOS DA ACTIVIDADE DE PANIFICAÇÃO CADERNO DE ENCARGOS QUADRO LEGAL Artigos 4º/2, alínea c),

Leia mais

A CELEBRAÇÃO E A EXTINÇAÕ DE CONTRATOS

A CELEBRAÇÃO E A EXTINÇAÕ DE CONTRATOS A CELEBRAÇÃO E A EXTINÇAÕ DE CONTRATOS Renata Medina DUARTE 1 RESUMO: O presente artigo procura demonstrar a importância das relações jurídicas diante de um contrato, o dever de cumprimento que consta

Leia mais

PONTO 1: FORMAÇÃO DE CONTRATOS. PONTO 3: b)vício REDIBITÓRIO. Ambos institutos acima tem responsabilidade civil aquiliana.

PONTO 1: FORMAÇÃO DE CONTRATOS. PONTO 3: b)vício REDIBITÓRIO. Ambos institutos acima tem responsabilidade civil aquiliana. 1 CONTRATOS PONTO 1: FORMAÇÃO DE CONTRATOS PONTO 2: a) FORMAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO PONTO 3: b)vício REDIBITÓRIO FORMAÇÃO TRATATIVAS -Proposta individual: Art. 427 CC 1 obriga o proponente. O descumprimento

Leia mais

Contratualismo e Teoria Geral dos Contratos Privados Prof. Darcy Paulo Gonzales de Moraes

Contratualismo e Teoria Geral dos Contratos Privados Prof. Darcy Paulo Gonzales de Moraes Contratualismo e Teoria Geral dos Contratos Privados Prof. Darcy Paulo Gonzales de Moraes Ante certas peculiaridades do texto, poder existir certa dificuldade em distinguir o que seja a noção contratualista

Leia mais

Objetividade do conhecimento nas ciências sociais. - primeiro passo: evitar confusões entre juízos de fato e juízos de valor.

Objetividade do conhecimento nas ciências sociais. - primeiro passo: evitar confusões entre juízos de fato e juízos de valor. Objetividade do conhecimento nas ciências sociais Objetividade +> rejeição à posição positivista no que se refere à neutralidade valorativa: rígida separação entre fatos e valores; => demarcação entre

Leia mais

Ana Flávia Penido 2. Penido, Ana Flávia. P411e Extinção do contrato / Ana Flávia Penido. Varginha, f.

Ana Flávia Penido 2. Penido, Ana Flávia. P411e Extinção do contrato / Ana Flávia Penido. Varginha, f. 1 Penido, Ana Flávia. P411e Extinção do contrato /. Varginha, 2015. 9 f. Sistema requerido: Adobe Acrobat Reader Modo de Acesso: World Wide Web 1. Contrato Rescisão. 2. Direito. I. Título. II. Fundação

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA... CÍVEL DO FORO...

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA... CÍVEL DO FORO... EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA... CÍVEL DO FORO... ª VARA PROCEDIMENTO ORDINÁRIO Proc. nº...... (nome da parte), por seu Advogado e procurador abaixo assinado, nos autos da presente ação

Leia mais

OS DIREITOS E OBRIGAÇÕES DOS SÓCIOS

OS DIREITOS E OBRIGAÇÕES DOS SÓCIOS OS DIREITOS E OBRIGAÇÕES DOS SÓCIOS O contrato social é o regulador das relações obrigacionais entre os sócios, alicerçada na Constituição Federal, nas leis e nos princípios gerais do Direito, sendo os

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular TEORIA GERAL DAS OBRIGAÇÕES Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular TEORIA GERAL DAS OBRIGAÇÕES Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular TEORIA GERAL DAS OBRIGAÇÕES Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Direito (1º Ciclo) 2. Curso Direito 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular TEORIA GERAL DAS OBRIGAÇÕES

Leia mais

Direito e legislação. Tópico III Direito das obrigações Contratos

Direito e legislação. Tópico III Direito das obrigações Contratos Direito e legislação Tópico III Direito das obrigações Contratos Direito das Obrigações Credor Devedor Espécies das Obrigações Obrigação de dar (certa e incerta) Coisa Certa é aquela em que o devedor se

Leia mais

Regular a vida humana em sociedade, estabelecendo, para esse fim, normas de conduta, que devem ser observadas pelas pessoas.

Regular a vida humana em sociedade, estabelecendo, para esse fim, normas de conduta, que devem ser observadas pelas pessoas. TEORIA DO DIREITO Conceito Celso, no Direito Romano Arte do bom e do equitativo. Miguel Reale Vinculação bilateral atributiva da conduta para a realização ordenada dos valores de convivência. Direito é

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br A revisão do contrato no Código de Defesa do Consumidor e a suposta adoção da Teoria da Imprevisão. Visão frente ao princípio da função social do contrato. Flávio Tartuce* Como é

Leia mais

Conforme nos ensina o constitucionalista J. J. Gomes Canotilho,

Conforme nos ensina o constitucionalista J. J. Gomes Canotilho, Interpretação da Constituição Vicente Paulo & Marcelo Alexandrino Prof. Dr. João Miguel da Luz Rivero jmlrivero@gmail.com (19) 8130-5005 Interpretação da Constituição. Interpretar as normas constitucionais

Leia mais

PREPARATÓRIO RIO EXAME DA OAB 6ª PARTE RIA. Prof. JOSÉ HABLE

PREPARATÓRIO RIO EXAME DA OAB 6ª PARTE RIA. Prof. JOSÉ HABLE PREPARATÓRIO RIO EXAME DA OAB 6ª PARTE LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA RIA Prof. JOSÉ HABLE www.josehable.adv.br johable@gmail.com A Legislação tributária ria A palavra lei, como tantas outras usadas na linguagem

Leia mais