O IMPACTO DA FORMAÇÃO CONTINUADA NA APRENDIZAGEM DE LEITURA DOS ALUNOS DO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO NO MUNICÍPIO DE COCAL DE TELHA.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O IMPACTO DA FORMAÇÃO CONTINUADA NA APRENDIZAGEM DE LEITURA DOS ALUNOS DO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO NO MUNICÍPIO DE COCAL DE TELHA."

Transcrição

1 O IMPACTO DA FORMAÇÃO CONTINUADA NA APRENDIZAGEM DE LEITURA DOS ALUNOS DO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO NO MUNICÍPIO DE COCAL DE TELHA. Vanessa Cristiane dos Santos 1 Silvania Uchôa de Castro 2 GT3: Políticas e práticas de formação dos docentes e dirigentes escolares Introdução Este estudo visa analisar a contribuição da formação continuada na aprendizagem de leitura dos alunos do ciclo de alfabetização (do 1º ao 3º ano) no município de Cocal de Telha, realizando a análise sobre a influência na aprendizagem, a partir da implantação do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa-PNAIC, por meio de pesquisa realizada com professores da rede pública municipal que atuam no ciclo da alfabetização, especificamente no campo da leitura. Objetivo Este estudo visa analisar a contribuição da formação continuada do PNAIC na aprendizagem da leitura dos alunos do ciclo de alfabetização no município de Cocal de Telha -PI, além de realizar pesquisa de cunho bibliográfico sobre os direitos de aprendizagem no ciclo da alfabetização. 1 Pós Graduanda em Gestão da Educação Municipal - Pradime, pela Universidade Federal do Piauí - UFPI. 2 Professora Orientadora do curso em Gestão da Educação Municipal - Pradime, pela Universidade Federal do Piauí - UFPI.

2 Sobre o Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa Criado em 2012, o Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa - PNAIC é um compromisso formal assumido pelos governos federal, dos estados e municípios de assegurar que todas as crianças estejam alfabetizadas até os oito anos de idade, ao final do 3º ano do ensino fundamental. O objetivo, de acordo com o Ministério da Educação, é formar educadores críticos, que proponham soluções criativas para os problemas enfrentados pelas crianças em processo de alfabetização. Além de esperar que haja uma maior relação entre as escolas com a comunidade para se ter um espaço mais colaborativo, estreitando a relação entre ambas. O programa apoia as escolas públicas através da formação continuada de professores alfabetizadores, com bolsas de estudos e materiais didáticos e pedagógicos específicos para alfabetização. O PNAIC possui quatro eixos de atuação: 1º - Formação continuada de professores alfabetizadores; 2º - materiais didáticos e pedagógicos; 3º - avaliações (sistemáticas) e 4º - Gestão, controle social e mobilização. O presente estudo restringe-se à Formação continuada de professores alfabetizadores, que recebem formação anual de 120 horas, baseada no programa Pró - Letramento, cuja metodologia é constituída por estudos e tarefas práticas. Em Cocal de Telha - PI, o PNAIC oferta formação continuada em matemática, língua portuguesa e ciências aos 18 professores atuantes no ciclo da alfabetização da rede pública municipal. Neste estudo, enfatizamos o ensino da Língua Portuguesa, com foco no ensino de leitura. Considerando que a leitura amplia o conhecimento do aluno, reforçando suas ideias e ações. Através dela, se aprimora o vocabulário, o raciocínio, melhora a comunicação; há uma maior possibilidade do aluno se sentir pertencente à sua sociedade, já que desperta o senso crítico. Por esta razão, cabe à escola a função de desenvolver o estímulo pela leitura, através das mais variadas técnicas para que não se torne algo repetitivo e enfadonho: (...) entendemos que o ensino de leitura deve ir além do ato monótono que é aplicado em muitas escolas, de forma mecânica e muitas vezes descontextualizado, mas um processo que deve contribuir para a formação de pessoas críticas e conscientes, capazes de interpretar a realidade, bem como participar ativamente da sociedade. (OLIVEIRA E QUEIROZ, 2009, p.2).

3 Nesta concepção, o PNAIC propõe atividades dinâmicas, por meio de projetos e sequências didáticas que permitem a elaboração de contextos de produção e leitura de forma precisa e mais eficaz, proporcionando o prazer de descobrir a leitura como algo natural para o desenvolvimento de sua percepção individual na sociedade. Embora haja a formação contínua, acompanhamento pedagógico, momentos de análises de resultados, e intervenções, por que ainda existe dificuldade em leitura no ciclo da alfabetização? Os professores que participam do programa de formação oferecido, no decorrer da carreira docente percebem mudanças no desenvolvimento de seu trabalho? Qual a contribuição e resultados da formação continuada para a realização da prática pedagógica no ensino de leitura? São estes questionamentos que tentaremos responder no decorrer deste estudo. O PNAIC em Cocal de Telha-PI O Pacto Nacional Pela Alfabetização Na Idade Certa foi lançado oficialmente no mês de abril de 2013 no município de Cocal de Telha-PI, com a presença de autoridades locais, com os principais componentes práticos: Formação continuada de professores alfabetizadores; Incentivo aos professores para participar da formação; Distribuição de acervos para alunos e professores e caixa matemática; Mobilização da sociedade e comunidade escolar; Monitoramento e acompanhamento pelos conselhos de educação e escolares; Aplicação de avaliação diagnóstica (Provinha Brasil) pelas próprias redes, com retorno de resultados no início e final do 2º Ano; Realização de avaliações externas anuais para todos os alunos concluintes do 3º ano; Apoio pedagógico complementar por meio do programa mais educação; Incentivo para as escolas que mais avançarem face aos objetivos de alfabetização; Gestão e monitoramento do programa em colaboração com os estados e municípios. Cocal de Telha é uma cidade pequena, localizada no interior do Estado do Piauí (125 km de Teresina) emancipada em 1997 e desmembrada do município de Campo Maior. Apresenta uma população de habitantes, de acordo com o Censo 2015, sendo maior a

4 concentração na zona urbana. Com o Índice de Desenvolvimento Humano Médio de 0,6 e índice de Desenvolvimento de Infância 0,49, caracteriza-se como uma cidade tranquila. A rede pública municipal de ensino de Cocal de Telha é formada por 7 (sete) escolas, sendo 3 (três) na zona urbana e 4 (quatro) na zona rural. No ano de 2015 a matrícula contabilizou alunos, para 86 professores. Isso dá uma média de 16 alunos por professor, o que indica que a quantidade de matrícula é relativamente baixa. A rede pública municipal oferece o ensino fundamental de 1º ao 9º ano, com a maior concentração de alunos no Ensino fundamental menor; apenas uma escola atende o ensino fundamental maior. O presente estudo se deu por meio de análise bibliográfica e coleta de dados através de pesquisa, com aplicação de questionário, por amostra, com professores que atuam no ciclo da alfabetização. O cenário da pesquisa é a Escola Municipal Costa e Silva, fundada em 1969, quando Cocal de Telha ainda era povoado, pertencente a Campo Maior. A escola atendeu, no ano de 2015, 364 alunos, sendo 8 (oito) turmas do ciclo de alfabetização: 02 (dois ) 1º Ano, 3 (três) 2º Ano e 03 (três ) 3ºAno. Foi realizado um trabalho com 03 professores da E.M. Costa e Silva, localizada na sede do município; os professores que responderam ao questionário e atuam no ciclo da alfabetização são efetivos, possuem mais de dez anos de atuação como docentes, além do hábito de ler, confessam que as metodologias do PNAIC são diferentes do que eles costumavam praticar em sala de aula. De acordo com Russo (2012), pág. 23, É preciso que o professor perceba a diferença entre rotina de trabalho e horário de aulas. A rotina deve atender à necessidade e ao interesse da classe, sendo portanto, mutável e passível de alterações. As atividades podem ser modificadas ou transferidas para outro dia, mas os alunos sempre devem tomar conhecimento das alterações e dos motivos que a determinam. Ao se implantar uma rotina em sala de aula, há uma transferência maior de segurança para o aluno, que se sente participante e confortável no processo de ensino-aprendizagem, sabendo quais atividades estão previstas. Neste caso, organizar uma rotina não significa executar as mesmas ações frequentemente, mas estabelecer um certo critério na aplicação das atividades.

5 Resultados As formações do PNAIC, juntamente com as atividades práticas foram consideradas bastante importantes para o aperfeiçoamento profissional, porém fica evidente que mesmo com a metodologia e atividades propostas, o docente pode ainda considerar que pode ter ocorrido que sua metodologia não tenha sido eficaz para a aprendizagem do aluno. É importante ressaltar que os recursos pedagógicos ampliam a possibilidade de obtenção de sucesso no ensino de leitura. É importante destacar que na matrícula do ciclo existe um percentual considerável de crianças com algum transtorno de aprendizagem. Todos os professores foram enfáticos em relação ao benefício educacional que PNAIC proporciona tanto aos professores que conseguem evoluir profissionalmente, quanto aos alunos, que em meio aos dilemas sociais e morais procuram algumas vezes na imagem do professor, conforto e segurança no aprendizado. Considerações finais Através do estudo é notório que o PNAIC contribuiu para a consolidação de práticas pedagógicas que muitas vezes passavam despercebidas para os professores do ciclo da alfabetização. A execução de projetos e sequências didáticas, além da rotina e do ambiente alfabetizador são importantes para um bom desempenho na aprendizagem da leitura por parte dos alunos. Por outro lado, é fundamental o exercício de busca de conhecimento e a capacidade de inserir novas técnicas na rotina, apesar de que nem sempre é possível o desenvolvimento profissional do professor, já que essa decisão de melhorar o desempenho é restrita a ele apenas. Algumas vezes, o professor tem baixa participação nas atividades formativas, demonstrando algum desinteresse, consequentemente causando certo conflito com os responsáveis pela formação, que anseiam pela prática e por ações positivas. Observamos, ainda, nesta pesquisa que o desenvolvimento de leitura é estimulado pelos professores atuantes do ciclo de alfabetização, de maneira diversificada, seja através de

6 cantinhos de leitura, sacola de leitura, leituras coletivas ou apontadas, estabelecendo as diferenças daqueles que colocam o Programa em ação na sua prática pedagógica dos que apenas frequentam a formação e continuam com a prática tradicional. O importante é buscar meios para que o aluno seja bem estimulado a aprender nas séries iniciais, momento considerado mais importante na educação, quando se constrói a base do conhecimento. A articulação teoria e prática e inovações metodológicas do PNAIC só funcionará se o docente estiver disposto a se transformar e mudar a sua prática e o seu ambiente de ensino e aprendizagem. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BRASIL. Secretaria de Educação Básica. Diretoria de Apoio à Gestão Educacional. Pacto nacional pela alfabetização na idade certa: formação de professores no pacto nacional pela alfabetização na idade certa / Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, Diretoria de Apoio à Gestão Educacional. - Brasília : MEC, SEB, p. BRASIL. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa. Entendendo o Pacto/Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa. Disponível em Acesso em 06/02/2016). BRASIL. Referencial curricular nacional para a educação infantil / Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, vol. COCAL DE TELHA. História de Cocal de Telha. Disponível em: em:08/02/2016). FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler em três artigos que se completam. 23ª Ed. São Paulo: Cortez, GONÇALVES, Debora Souza Neves. A importância da leitura nos anos iniciais escolares / 2013.Disponível em : Acesso em:10/03/2016.

7 OLIVEIRA, Cláudio Henrique. QUEIROZ, Cristina Maria de. Leitura em sala de aula: a formação de leitores proficientes. RN, Disponível em: Acesso em 10 de outubro de RUSSO, Maria de Fátima. Alfabetização: um processo em construção.6ª ed., São Paulo: Saraiva, 2012.

A utilização do IDEB na gestão e na avaliação de programas e projetos no 3º setor. Patrícia Diaz Carolina Glycerio

A utilização do IDEB na gestão e na avaliação de programas e projetos no 3º setor. Patrícia Diaz Carolina Glycerio A utilização do IDEB na gestão e na avaliação de programas e projetos no 3º setor Patrícia Diaz Carolina Glycerio Quem somos A Comunidade Educativa CEDAC possibilita que profissionais da educação pratiquem

Leia mais

AVALIAÇÃO NACIONAL DA ALFABETIZAÇÃO (ANA) Profa. Ivana de Oliveira Carvalho FaE/UEMG

AVALIAÇÃO NACIONAL DA ALFABETIZAÇÃO (ANA) Profa. Ivana de Oliveira Carvalho FaE/UEMG AVALIAÇÃO NACIONAL DA ALFABETIZAÇÃO (ANA) Profa. Ivana de Oliveira Carvalho FaE/UEMG Estrutura da Apresentação Cenário das Avaliações em larga escala, no Brasil, implementadas pela União, no contexto da

Leia mais

PROVINHA BRASIL Orientações para Secretarias de Educação Primeiro Semestre

PROVINHA BRASIL Orientações para Secretarias de Educação Primeiro Semestre PROVINHA BRASIL Orientações para Secretarias de Educação Primeiro Semestre - 2010 INFORME GESTOR teste capa verde.indd 1 13/1/2010 08:40:47 Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação

Leia mais

ANEXO I ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS ESPECIFICAÇÃO DO CARGO DE PROFESSOR

ANEXO I ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS ESPECIFICAÇÃO DO CARGO DE PROFESSOR Cargo: Professor Classe: A,B,C,D, ANEXO I ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS ESPECIFICAÇÃO DO CARGO DE PROFESSOR Orientar a aprendizagem dos alunos; Participar das atividades da escola: Organizar as operações inerentes

Leia mais

Cenário atual e perspectiva para a formação continuada de professores do Ensino Médio no âmbito do PNEM. Programas Integrados

Cenário atual e perspectiva para a formação continuada de professores do Ensino Médio no âmbito do PNEM. Programas Integrados MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA DIRETORIA DE FORMULAÇÃO DE CONTEÚDOS EDUCACIONAIS Cenário atual e perspectiva para a formação continuada de professores do Ensino Médio no âmbito do

Leia mais

SEDUC SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO ESCOLA ESTADUAL DOMINGOS BRIANTE ELIANE CALHEIROS

SEDUC SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO ESCOLA ESTADUAL DOMINGOS BRIANTE ELIANE CALHEIROS SEDUC SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO ESCOLA ESTADUAL DOMINGOS BRIANTE ELIANE CALHEIROS OLIVIA EVANGELISTA BENEVIDES THIANE ARAUJO COSTA TRABALHANDO A MATEMÁTICA DE FORMA DIFERENCIADA A

Leia mais

CURSO: ACOMPANHAMENTO DA PRÁTICA EDUCATIVA

CURSO: ACOMPANHAMENTO DA PRÁTICA EDUCATIVA CURSO: ACOMPANHAMENTO DA PRÁTICA EDUCATIVA Introdução Uma pesquisa realizada pela Fundação Carlos Chagas indica que a maioria dos coordenadores pedagógicos deixam de fazer o acompanhamento da prática educativa

Leia mais

SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAIS

SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAIS INTRODUÇÃO SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAIS Thialy Thaís da Silva Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) thialy_thais@hotmail.com As Salas de Recursos Multifuncionais (SRMF) foram instituídas pelo Programa

Leia mais

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Diretoria de Formação de Professores para a Educação Básica DEB PIBID 2016/2017

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Diretoria de Formação de Professores para a Educação Básica DEB PIBID 2016/2017 Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Diretoria de Formação de Professores para a Educação Básica DEB PIBID 2016/2017 2016 OBJETIVO DO PIBID O Programa Institucional de Iniciação

Leia mais

Oficina de Apropriação de Resultados PAEBES 2013

Oficina de Apropriação de Resultados PAEBES 2013 Oficina de Apropriação de Resultados PAEBES 2013 Oficina de Apropriação de Resultados de BIOLOGIA Dinâmica Eu não sou eu.sou o momento:passo. Mario Quintana Objetivos: Interpretar os resultados da avaliação

Leia mais

Prova Brasil e SAEB (Sistema de Avaliação da Educação Básica) - Parte 2

Prova Brasil e SAEB (Sistema de Avaliação da Educação Básica) - Parte 2 Prova Brasil e SAEB (Sistema de Avaliação da Educação Básica) - Parte 2 INEP Ana Djéssika Silva Cruz Vidal UFJF Abril 2012 MSI Tech Support (Institute) ECONS - Laboratório de Economia 23/04 1 / 12 Realização

Leia mais

NOME DO CURSO: Acessibilidade na Atividade Física Escolar Nível: Aperfeiçoamento Modalidade: A distância

NOME DO CURSO: Acessibilidade na Atividade Física Escolar Nível: Aperfeiçoamento Modalidade: A distância NOME DO CURSO: Acessibilidade na Atividade Física Escolar Nível: Aperfeiçoamento Modalidade: A distância Parte 1 Código / Área Temática Código / Nome do Curso Etapa de ensino a que se destina Educação

Leia mais

Prova Brasil e SAEB (Sistema de Avaliação do Ensino Básico) - Parte 1

Prova Brasil e SAEB (Sistema de Avaliação do Ensino Básico) - Parte 1 Prova Brasil e SAEB (Sistema de Avaliação do Ensino Básico) - Parte 1 INEP Ana Djéssika Silva Cruz Vidal Abril 2012 UFJF (Institute) ECONS - Laboratório de Economia 23/04 1 / 10 Introdução Sistema de Avaliação

Leia mais

Política Educacional: A experiência de Sobral/CE. Sobral - Ceará

Política Educacional: A experiência de Sobral/CE. Sobral - Ceará Política Educacional: A experiência de Sobral/CE Sobral - Ceará Ponto de partida Resultado da avaliação de leitura com alunos de 2ª série Final de 2000 48% não liam textos, frases e nem palavras 48,0%

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Fundamentos e Metodologia em Educação Infantil II Código da Disciplina: EDU 334 Curso: Pedagogia Período de oferta da disciplina: 6º Faculdade responsável: PEDAGOGIA

Leia mais

NA MATEMÁTICA TU CONTAS

NA MATEMÁTICA TU CONTAS PLANO AÇÃO ESTRATÉGICA 41ª MEDIDA NA MATEMÁTICA TU CONTAS OBJETIVO Melhorar o sucesso em Matemática. ANO(S) ESCOLARIDA A ABRANGER - Do 1.º ao 9.º de escolaridade. ATIVIDAS A SENVOLVER NO ÂMBITO DA MEDIDA:

Leia mais

Educador A PROFISSÃO DE TODOS OS FUTUROS. Uma instituição do grupo

Educador A PROFISSÃO DE TODOS OS FUTUROS. Uma instituição do grupo Educador A PROFISSÃO DE TODOS OS FUTUROS F U T U R O T E N D Ê N C I A S I N O V A Ç Ã O Uma instituição do grupo CURSO 2 CURSO OBJETIVOS Oferecer aos alunos e profissionais interessados no assunto, subsídios

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL TIA ANA

CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL TIA ANA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BRUSQUE - UNIFEBE CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL TIA ANA Coordenador Institucional: Marcilene Pöpper Gomes Coordenadora de Área: Clarice Pires Professor(a) Supervisor(a): Fabiana Veríssimo

Leia mais

ALIANDO A TEORIA E A PRÁTICA DOCENTE NO COTIDIANO DA ESCOLA ATRAVÉS DO PIBID

ALIANDO A TEORIA E A PRÁTICA DOCENTE NO COTIDIANO DA ESCOLA ATRAVÉS DO PIBID ALIANDO A TEORIA E A PRÁTICA DOCENTE NO COTIDIANO DA ESCOLA ATRAVÉS DO PIBID 2 ALIANDO A TEORIA E A PRÁTICA DOCENTE NO COTIDIANO DA ESCOLA ATRAVÉS DO PIBID BORGES Maria Jesus da Cunha 1 MORAES Adriana

Leia mais

Gestão da política educacional: o caso do município do Rio

Gestão da política educacional: o caso do município do Rio Gestão da política educacional: o caso do município do Rio Claudia Costin Diagnóstico da rede do Rio de Janeiro em 2009 IDEB bom, mas notas da Prova Brasil em queda Professores de bom nível mas insuficientes

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Fundamentos e Metodologia nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental II Código da Disciplina: EDU 325 Curso: Pedagogia Semestre de oferta da disciplina: 5º Faculdade responsável:

Leia mais

CURRÍCULO ESCOLAR VMSIMULADOS

CURRÍCULO ESCOLAR VMSIMULADOS CURRÍCULO ESCOLAR 01. Segundo a LDB (Lei no 9394/96), os currículos do ensino fundamental e médio devem ter uma base nacional comum, a ser complementada, em cada sistema de ensino e estabelecimento escolar,

Leia mais

SILVA, Samara de O. Orientadora do TCC no Curso de Especialização em Gestão da Educação Municipal PRADIME/MEC/UFPI.E-

SILVA, Samara de O. Orientadora do TCC no Curso de Especialização em Gestão da Educação Municipal PRADIME/MEC/UFPI.E- ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA (IDEB): contextos de implantação de Políticas Educacionais voltadas para elevação da qualidade do ensino nos municípios de Cocal dos Alves e Caxingó (PI). Darkson

Leia mais

Pedagogia. 1º PERÍODO Carga Horária e Creditação

Pedagogia. 1º PERÍODO Carga Horária e Creditação Cep: 37200000 Pedagogia Matriz Curricular 1 (entrada no mês de Fevereiro) Nivelamentos Leitura e Produção de textos 60 Gramática 60 Carga Horária Total 120 Educação a Distância: Primeiras Aproximações

Leia mais

FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA CURSO DE PEDAGOGIA. PORTARIA NORMATIVA 3, de 18 de fevereiro de 2010.

FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA CURSO DE PEDAGOGIA. PORTARIA NORMATIVA 3, de 18 de fevereiro de 2010. FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA CURSO DE PEDAGOGIA PORTARIA NORMATIVA 3, de 18 de fevereiro de 2010. Institui as orientações e as atividades aprovadas para a realização da carga horária de Estágio Supervisionado

Leia mais

ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA PARA SURDOS: DEFINIÇÃO DE ETAPAS PARA A PRODUÇÃO DE TEXTO ARGUMENTATIVO

ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA PARA SURDOS: DEFINIÇÃO DE ETAPAS PARA A PRODUÇÃO DE TEXTO ARGUMENTATIVO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA PARA SURDOS: DEFINIÇÃO DE ETAPAS PARA A PRODUÇÃO DE TEXTO ARGUMENTATIVO Vivian Cristina Jacomite de Souza 1 Luis Mateus da Silva Souza 2 Universidade do Sagrado Coração - USC

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Estágio Curricular Supervisionado em Educação Infantil I Código da Disciplina: EDU Curso: Pedagogia Semestre de oferta da disciplina: 5º Faculdade responsável: Pedagogia

Leia mais

Limites e possibilidades de uma política pública de avaliação da educação profissional e tecnológica na perspectiva emancipatória

Limites e possibilidades de uma política pública de avaliação da educação profissional e tecnológica na perspectiva emancipatória Limites e possibilidades de uma política pública de avaliação da educação profissional e tecnológica na perspectiva emancipatória Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Brasília/DF, jun. 2015

Leia mais

IV Encontro Pedagógico do IFAM 2016 DIRETORIA DE ENSINO MÉDIO E TÉCNICO SISTÊMICA DET/PROEN

IV Encontro Pedagógico do IFAM 2016 DIRETORIA DE ENSINO MÉDIO E TÉCNICO SISTÊMICA DET/PROEN DIRETORIA DE ENSINO MÉDIO E TÉCNICO SISTÊMICA DET/PROEN AVALIAÇÃO DOS CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO DO IFAM Lei Nª 11.872/2008 Art. 7ª - Objetivos dos Institutos Federais: I - ministrar educação profissional

Leia mais

A BIBLIOTECA ESCOLAR: LOCALIZANDO O ESPAÇO DO LIVRO INFANTIL NA ESCOLA PÚBLICA EM HUMAITÁ

A BIBLIOTECA ESCOLAR: LOCALIZANDO O ESPAÇO DO LIVRO INFANTIL NA ESCOLA PÚBLICA EM HUMAITÁ 00086 A BIBLIOTECA ESCOLAR: LOCALIZANDO O ESPAÇO DO LIVRO INFANTIL NA ESCOLA PÚBLICA EM HUMAITÁ Francisca Chagas da Silva Barroso e-mail: fsilvabarroso@yahoo.com.br Universidade Federal do Amazonas RESUMO

Leia mais

Unidade Universitária: CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE. Disciplina: Projetos Educacionais para o Ensino de Biologia

Unidade Universitária: CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE. Disciplina: Projetos Educacionais para o Ensino de Biologia Unidade Universitária: CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE Curso: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Disciplina: Projetos Educacionais para o Ensino de Biologia Professor(es): Rosana dos Santos Jordão Carga horária:

Leia mais

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO METODOLOGIA DA PESQUISA EM MATEMÁTICA PARA TCC CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM MATEMÁTICA

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO METODOLOGIA DA PESQUISA EM MATEMÁTICA PARA TCC CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM MATEMÁTICA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO METODOLOGIA DA PESQUISA EM MATEMÁTICA PARA TCC CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM MATEMÁTICA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO (TIC) NA SALA DE AULA DE MATEMÁTICA Bruno

Leia mais

SUPERVISÃO EDUCACIONAL

SUPERVISÃO EDUCACIONAL SUPERVISÃO EDUCACIONAL OBJETIVO: Subsidiar o trabalho nas Diretorias Regionais da Educação e as Unidades Escolares, de modo a observar, analisar, orientar, intervir e encaminhar as demandas nas seguintes

Leia mais

e educação de jovens e adultos

e educação de jovens e adultos Formação de neoleitores e educação de jovens e adultos Tancredo Maia Filho III Fórum do Plano Nacional do Livro e Leitura III Seminário Internacional de Bibliotecas Públicas e Comunitárias 20 de agosto

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO RESULTADO DA 1ª ETAPA DO PROCESSO SELETIVO EDITAL NPGED/POSGRAP Nº 01/2014 VAGAS INSTITUCIONAIS

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Avaliação Educacional Código da Disciplina: EDU 340 Curso: Pedagogia Semestre de oferta da disciplina: 7º Faculdade responsável: Pedagogia Programa em vigência a partir

Leia mais

República Federativa do Brasil Governo Federal. Educação a Distância. e as novas tecnologias

República Federativa do Brasil Governo Federal. Educação a Distância. e as novas tecnologias República Federativa do Brasil Governo Federal Ministério da Educação Educação a Distância e as novas tecnologias Educação Personalizada Vencendo as Barreiras Geográficas e Temporais EAD NO ENSINO PRESENCIAL

Leia mais

Palavras-chave: Salas de Recursos Multifuncionais. Alunos com Necessidades Educacionais especiais. Avaliação.

Palavras-chave: Salas de Recursos Multifuncionais. Alunos com Necessidades Educacionais especiais. Avaliação. 01191 AVALIAÇÃO PARA O PLANEJAMENTO EDUCACIONAL INDIVIDUALIZADO: INSTRUMENTO NECESSÁRIO À INCLUSÃO DOS ALUNOS COM NEEs NA REDE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE IMPERATRIZ RESUMO MSc Rita Maria Gonçalves de Oliveira

Leia mais

É um projeto da sociedade, uma Política Pública de Qualidade (PPQ), focada na escola, na promoção e no acompanhamento do ensino e da aprendizagem.

É um projeto da sociedade, uma Política Pública de Qualidade (PPQ), focada na escola, na promoção e no acompanhamento do ensino e da aprendizagem. É um projeto da sociedade, uma Política Pública de Qualidade (PPQ), focada na escola, na promoção e no acompanhamento do ensino e da aprendizagem. Está pautada no compromisso, no diálogo, no planejamento

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL LUIS VAZ DE CAMÕES FEIRA DE CIÊNCIAS NA ESCOLA: O PRAZER DE DEMONSTRAR OS CONHECIMENTOS IPEZAL-DISTRITO DE ANGÉLICA/MS

ESCOLA ESTADUAL LUIS VAZ DE CAMÕES FEIRA DE CIÊNCIAS NA ESCOLA: O PRAZER DE DEMONSTRAR OS CONHECIMENTOS IPEZAL-DISTRITO DE ANGÉLICA/MS ESCOLA ESTADUAL LUIS VAZ DE CAMÕES FEIRA DE CIÊNCIAS NA ESCOLA: O PRAZER DE DEMONSTRAR OS CONHECIMENTOS IPEZAL-DISTRITO DE ANGÉLICA/MS MAIO/2012 ESCOLA ESTADUAL LUIS VAZ DE CAMÕES FEIRA DE CIÊNCIAS NA

Leia mais

Professores do PED criam Mestrado Profissional em Educação: Formação de Formadores. Marli Eliza Dalmazo Afonso de André

Professores do PED criam Mestrado Profissional em Educação: Formação de Formadores. Marli Eliza Dalmazo Afonso de André Compartilhando... Professores do PED criam Mestrado Profissional em Educação: Formação de Formadores Marli Eliza Dalmazo Afonso de André Com muitos anos de experiência na formação de mestrandos e doutorandos

Leia mais

A Dicotomia da Alfabetização:

A Dicotomia da Alfabetização: A Dicotomia da Alfabetização: Paulo Henrique Lohn Endereço Eletrônico: pauloh_lohn@hotmailcom 1 INTRODUÇÃO se, tor maravilhoso Todavia o desafio de ensinar a ler e escrever, pois são as teorias relacionadas

Leia mais

A ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA PARA CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL CONGÊNITA E ADQUIRIDA ATRAVÉS DE JOGOS PEDAGÓGICOS.

A ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA PARA CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL CONGÊNITA E ADQUIRIDA ATRAVÉS DE JOGOS PEDAGÓGICOS. A ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA PARA CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL CONGÊNITA E ADQUIRIDA ATRAVÉS DE JOGOS PEDAGÓGICOS. Luciana Barros Farias Lima Instituto Benjamin Constant Práticas Pedagógicas Inclusivas

Leia mais

Características Educação SESI

Características Educação SESI EDUCAÇÃO SESI Características Educação SESI Atendimento prioritário ao Trabalhador da indústria e seus dependentes Gratuidade nos cursos EJA Atuação nas 27 Unidades Federativas 32% de evasão na EJA Cenário

Leia mais

CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CRÉDITO: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 NOME DA DISCIPLINA: FUNDAMENTOS TEÓRICO-METODOLÓGICOS DA HISTÓRIA

CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CRÉDITO: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 NOME DA DISCIPLINA: FUNDAMENTOS TEÓRICO-METODOLÓGICOS DA HISTÓRIA 1. IDENTIFICAÇÃO PERÍODO: 4º CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CRÉDITO: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 NOME DA DISCIPLINA: FUNDAMENTOS TEÓRICO-METODOLÓGICOS DA HISTÓRIA NOME DO CURSO: PEDAGOGIA 2. EMENTA História:

Leia mais

GINÁSIO CARIOCA Um m salto na qualidade do ensino do 6º 6 ao 9º 9 ano

GINÁSIO CARIOCA Um m salto na qualidade do ensino do 6º 6 ao 9º 9 ano GINÁSIO CARIOCA Um m salto na qualidade do ensino do 6º 6 ao 9º 9 ano Rio de Janeiro, agosto de 2010 Prefeitura do Rio de Janeiro Secretaria da Casa Civil 0 Prefeitura do Rio de Janeiro- Secretaria de

Leia mais

FACULDADE DO VALE DO JAGUARIBE FVJ COORDENAÇÃO DOS CURSOS DE LETRAS E DE PEDAGOGIA

FACULDADE DO VALE DO JAGUARIBE FVJ COORDENAÇÃO DOS CURSOS DE LETRAS E DE PEDAGOGIA FACULDADE DO VALE DO JAGUARIBE FVJ COORDENAÇÃO DOS CURSOS DE LETRAS E DE PEDAGOGIA PROJETO DE EXTENSÃO ACADÊMICA ENSINANDO PARA APRENDER: CAMINHOS DA PROFISSÃO Edital 006/2015 FVJ Seleção de alunos dos

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS DE DIAMANTINO. 12 (doze) meses. 12 (doze) meses. 12 (doze) meses. 12 (doze) meses.

FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS DE DIAMANTINO. 12 (doze) meses. 12 (doze) meses. 12 (doze) meses. 12 (doze) meses. FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS DE DIAMANTINO 3.1.1.1. Organização Didático-Pedagógica (3) (4) (5) previsão de alunos por turma em disciplina teórica de, no máximo, 80. relação aluno por docente,

Leia mais

OFERTA DE DISCIPLINAS ALUNOS REGULARES

OFERTA DE DISCIPLINAS ALUNOS REGULARES UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO OFERTA DE DISCIPLINAS 2015.1 ALUNOS REGULARES DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS (ALUNOS REGULARES): MESTRADO

Leia mais

FUNDAMENTOS DA SUPERVISÃO ESCOLAR

FUNDAMENTOS DA SUPERVISÃO ESCOLAR FUNDAMENTOS DA SUPERVISÃO ESCOLAR Profª. Carla Verônica AULA 03 SUPERVISÃO E PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO Identificar os princípios da gestão participativa; Analisar a dialética do ambiente escolar; Perceber

Leia mais

Unidade 1 Sobre o Trabalho de conclusão de curso

Unidade 1 Sobre o Trabalho de conclusão de curso Unidade 1 Sobre o Trabalho de conclusão de curso O Trabalho de Conclusão de Curso TCC é um requisito obrigatório para a conclusão do curso, realizada no final do Curso de Licenciatura em Pedagogia da Universidade

Leia mais

Avaliação e Monitoramento do PME. Professora Marcia Adriana de Carvalho

Avaliação e Monitoramento do PME. Professora Marcia Adriana de Carvalho Avaliação e Monitoramento do PME Professora Marcia Adriana de Carvalho TEMAS 1 Por que avaliar e monitorar o PME 2 Qual a diferença entre avaliar e monitorar 3 4 Como definir plano de ações para o período

Leia mais

LDB Lei de Diretrizes e Bases

LDB Lei de Diretrizes e Bases PEDAGOGIA LDB Lei de Diretrizes e Bases Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional O pedagogo estuda as teorias da ciência da educação e do ensino É

Leia mais

PLANO DE AÇÃO DA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA

PLANO DE AÇÃO DA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO CULTURA ESPORTE TURISMO E LAZER ESCOLA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO BÁSICA 13 DE MAIO PLANO DE AÇÃO DA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA SÔNIA CRISTINA DE SOUZA ARAÚJO

Leia mais

Parte 1 Código / Área Temática. Educação Especial

Parte 1 Código / Área Temática. Educação Especial NOME DO CURSO: O Ensino de Língua Portuguesa como segunda língua para estudantes surdos e/ou com deficiência auditiva Nível: Especialização Modalidade: A distância Parte 1 Código / Área Temática Código

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL TENENTE JOSÉ LUCIANO Projeto: JOGAR, DIVERTIR E APRENDER COM A DONA MATEMÁTICA

ESCOLA ESTADUAL TENENTE JOSÉ LUCIANO Projeto: JOGAR, DIVERTIR E APRENDER COM A DONA MATEMÁTICA ESCOLA ESTADUAL TENENTE JOSÉ LUCIANO Projeto: JOGAR, DIVERTIR E APRENDER COM A DONA MATEMÁTICA - 2015...o brinquedo desperta interesse e curiosidade... Rubem Alves Autora: Rita Siqueira Público alvo: alunos

Leia mais

O PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DE DUAS ESCOLAS PÚBLICAS DO INTERIOR DO MATO GROSSO DO SUL: ANÁLISE DOS ASPECTOS INCLUSIVOS

O PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DE DUAS ESCOLAS PÚBLICAS DO INTERIOR DO MATO GROSSO DO SUL: ANÁLISE DOS ASPECTOS INCLUSIVOS O PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DE DUAS ESCOLAS PÚBLICAS DO INTERIOR DO MATO GROSSO DO SUL: ANÁLISE DOS ASPECTOS INCLUSIVOS Clarice Karen de Jesus Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul Palavras chave:

Leia mais

PERFIL DO DIRETOR ESCOLAR. Realização: Ibope

PERFIL DO DIRETOR ESCOLAR. Realização: Ibope PERFIL DO DIRETOR ESCOLAR Realização: Ibope A Fundação Victor Civita, que tem por missão contribuir para a melhoria da qualidade da Educação Básica no Brasil, produzindo publicações, sites, material pedagógico,

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB RECONHECIDA PELA PORTARIA MINISTERIAL Nº 909 DE DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO/CAMPUS II ALAGOINHAS

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB RECONHECIDA PELA PORTARIA MINISTERIAL Nº 909 DE DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO/CAMPUS II ALAGOINHAS UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB RECONHECIDA PELA PORTARIA MINISTERIAL Nº 909 DE 31 07 95 DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO/CAMPUS II ALAGOINHAS PROJETO DE EXTENSÃO CURSO: O ENSINO DE LEITURA E PRODUÇÃO DE

Leia mais

CURSO: PEDAGOGIA EMENTAS º PERÍODO

CURSO: PEDAGOGIA EMENTAS º PERÍODO CURSO: PEDAGOGIA EMENTAS - 2016.1 1º PERÍODO DISCIPLINA: HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO Estudo da história geral da Educação e da Pedagogia, enfatizando a educação brasileira. Políticas ao longo da história engendradas

Leia mais

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO UnC Curso de Ciências Sociais REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO UnC Curso de Ciências Sociais REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS UNIVERSIDADE DO CONTESTADO UnC Curso de Ciências Sociais REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - O Estágio

Leia mais

BRINCAR PARA LETRAR: A LUDICIDADE DO CURRÍCULO DAS CRIANÇAS NO PRIMEIRO CICLO

BRINCAR PARA LETRAR: A LUDICIDADE DO CURRÍCULO DAS CRIANÇAS NO PRIMEIRO CICLO BRINCAR PARA LETRAR: A LUDICIDADE DO CURRÍCULO DAS CRIANÇAS NO PRIMEIRO CICLO D ANDREA, Crystina Di Santo - SMED/PMPA -crysdandrea@ibest.com.br GARCEZ, Sabrina SMED/PMPA sasagarcez@gmail.com Eixo Temático:

Leia mais

AS DIFICULDADES DO PROFESSOR NO ENSINO DA GEOMETRIA ESPACIAL NAS ESCOLAS ESTADUAIS NO MUNICÍPIO DE SANTA CRUZ

AS DIFICULDADES DO PROFESSOR NO ENSINO DA GEOMETRIA ESPACIAL NAS ESCOLAS ESTADUAIS NO MUNICÍPIO DE SANTA CRUZ AS DIFICULDADES DO PROFESSOR NO ENSINO DA GEOMETRIA ESPACIAL NAS ESCOLAS ESTADUAIS NO MUNICÍPIO DE SANTA CRUZ Rosângela Araújo da Silva Instituto Federal do Rio Grande do Norte rosangela.silva@ifrn.edu.br

Leia mais

PROJETOS COM OBJETIVOS QUE INTEGRAM ENSINO. Claudianny Amorim Noronha

PROJETOS COM OBJETIVOS QUE INTEGRAM ENSINO. Claudianny Amorim Noronha PROJETOS COM OBJETIVOS QUE INTEGRAM ENSINO Claudianny Amorim Noronha A PERSPECTIVA DE ENSINO NO EDITAL DE AÇÕES INTEGRADAS Melhoria do processo de ensino e aprendizagem dos cursos de graduação e pós-graduação,

Leia mais

PESQUISA SOBRE O NÍVEL DE SATISFAÇÃO DOS PROFESSORES COM OS CURSOS DE CAPACITAÇÃO

PESQUISA SOBRE O NÍVEL DE SATISFAÇÃO DOS PROFESSORES COM OS CURSOS DE CAPACITAÇÃO PESQUISA SOBRE O NÍVEL DE SATISFAÇÃO DOS PROFESSORES COM OS CURSOS DE CAPACITAÇÃO Kelvin Henrique Correia de Holanda; Ademária Aparecida de Sousa Universidade Federal de Alagoas; kelvinhenrique16@hotmail.com;

Leia mais

CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CRÉDITO: 04

CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CRÉDITO: 04 1. IDENTIFICAÇÃO PERÍODO: IV CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CRÉDITO: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 NOME DA DISCIPLINA: FUNDAMENTOS TEÓRICO-METODOLÓGICOS DA GEOGRAFIA NOME DO CURSO: PEDAGOGIA 2. EMENTA Geografia:

Leia mais

BERÇARISTA. CURSO 180h: CURSO 260h:

BERÇARISTA. CURSO 180h: CURSO 260h: ARTES ENSINO FUNDAMENTAL Histórico do ensino da arte no brasil. Educação por meio da arte. Histórico do ensino da arte no brasil. Educação por meio da arte. Artes e educação, concepções teóricas. Histórico

Leia mais

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE BARRETOS, ESTADO DE SÃO PAULO: Professor II: (NR) V -...

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE BARRETOS, ESTADO DE SÃO PAULO: Professor II: (NR) V -... LEI COMPLEMENTAR N.º 176, DE 04 DE ABRIL DE 2012. ALTERA E REVOGA DISPOSITIVOS QUE ESPECIFICA DA LEI COMPLEMENTAR N.º 45, DE 26 DE FEVEREIRO DE 2004, COM ALTERAÇÕES SUBSEQUENTES. O PREFEITO DO MUNICÍPIO

Leia mais

Oficina de Apropriação de Resultados para Professores PAEBES Língua Portuguesa

Oficina de Apropriação de Resultados para Professores PAEBES Língua Portuguesa Oficina de Apropriação de Resultados para Professores PAEBES 2014 Língua Portuguesa Momentos de formação 1º Momento: Avaliação Externa e em Larga Escala. 2º Momento: Resultados. 2 1º Momento Avaliação

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO ESTÁGIO NA FORMAÇÃO DO LICENCIANDO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS: ANSEIOS E DIFICULDADES

A IMPORTÂNCIA DO ESTÁGIO NA FORMAÇÃO DO LICENCIANDO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS: ANSEIOS E DIFICULDADES A IMPORTÂNCIA DO ESTÁGIO NA FORMAÇÃO DO LICENCIANDO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS: ANSEIOS E DIFICULDADES Mauricio André Morales Garcia 1 Simone Medianeira Franzin 2 Resumo: O estágio em qualquer curso superior

Leia mais

EMENTA SEQUÊNCIA DIDÁTICA

EMENTA SEQUÊNCIA DIDÁTICA Disciplina: Estágio Supervisionado IV Curso: História Carga horária: 120h Número de Créditos: Professora: Zélia Almeida de Oliveira Obrigatória: Sim ( ) Nâo ( ) EMENTA 6 EMENTA: Planejamento, execução

Leia mais

PROJETO BRINCANDO SE APRENDE

PROJETO BRINCANDO SE APRENDE PROJETO BRINCANDO SE APRENDE COLÉGIO ESTADUAL PROFESSOR EDGARD SANTOS APRESENTAÇÃO A Matemática e a Língua Portuguesa são vistas como disciplinas de difícil aprendizagem, muitas vezes até rejeitada pelos

Leia mais

Educador A PROFISSÃO DE TODOS OS FUTUROS. Uma instituição do grupo

Educador A PROFISSÃO DE TODOS OS FUTUROS. Uma instituição do grupo Educador A PROFISSÃO DE TODOS OS FUTUROS F U T U R O T E N D Ê N C I A S I N O V A Ç Ã O Uma instituição do grupo CURSO 2 OBJETIVOS O curso objetiva a formação de docentes capacitados para atuar no ensino

Leia mais

CURRÍCULO E AVALIAÇÃO: Poucos Avanços

CURRÍCULO E AVALIAÇÃO: Poucos Avanços CURRÍCULO E AVALIAÇÃO: Poucos Avanços DESAFIOS NEM SEMPRE ATUAIS PROFA. DRA. MARIA INÊS FINI Currículo (implícito ou explícito) Brasil Avaliação da Educação Básica Prova Série Regularidade Foco Resultados

Leia mais

Pontos importantes da metodologia - EI e EF I

Pontos importantes da metodologia - EI e EF I Pontos importantes da metodologia - EI e EF I Cada segmento tem sua característica Educação Infantil: - desenvolvimento dos padrões de aprendizagem. Ensino Fundamental: - domínio de conceitos essenciais

Leia mais

DCN DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS

DCN DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DCN DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS 01. As Diretrizes Curriculares Nacionais para EJA (CNE,2000) preconizam princípios norteadores da ação pedagógica da escola: (A) éticos, políticos e estéticos; (B)

Leia mais

INDEPAC MISSÃO VISÃO

INDEPAC MISSÃO VISÃO O INDEPAC é especializado em serviços de Consultoria e Assessoria Educacional, nas dimensões: administrativa, jurídica e pedagógica, além de oferecer cursos de formação em serviço, voltados para o aprimoramento

Leia mais

ACOMPANHAMENTO DA AÇÃO EDUCATIVA RELATÓRIO DA 3ª INTERVENÇÃO. Início 21 de junho de Fim 23 de junho de 2016

ACOMPANHAMENTO DA AÇÃO EDUCATIVA RELATÓRIO DA 3ª INTERVENÇÃO. Início 21 de junho de Fim 23 de junho de 2016 RELATÓRIO DA 3ª INTERVENÇÃO Área territorial da IGEC SUL Agrupamento ou Escola Data da intervenção Código 170574 Designação AE Vale Aveiras Início 21 de junho de 2016 Fim 23 de junho de 2016 PLANEAMENTO

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: Ensino Superior Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Bacharelado em Sistemas de Informação FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( x ) bacharelado ( ) licenciatura (

Leia mais

PNAIC: O USO DA LITERATURA INFANTIL COMO MEDIAÇÃO PARA A FORMAÇÃO DO PROFESSOR ALFABETIZADOR

PNAIC: O USO DA LITERATURA INFANTIL COMO MEDIAÇÃO PARA A FORMAÇÃO DO PROFESSOR ALFABETIZADOR PNAIC: O USO DA LITERATURA INFANTIL COMO MEDIAÇÃO PARA A FORMAÇÃO DO PROFESSOR ALFABETIZADOR Cíntia Franz UFSC Joanildes Felipe UFSC Maira Gledi Freitas Kelling Machado UFSC Resumo O Pacto Nacional pela

Leia mais

161-1 LICENCIATURA PLENA EM PEDAGOGIA Regime Regular NÚMERO MÍNIMO DE PERÍODOS 1 DISCIPLINA CARGA HORÁRIA TIPO

161-1 LICENCIATURA PLENA EM PEDAGOGIA Regime Regular NÚMERO MÍNIMO DE PERÍODOS 1 DISCIPLINA CARGA HORÁRIA TIPO PÁGINA: 1 INGRESSOS DE 20041 161-1 LICENCIATURA PLENA EM PEDAGOGIA Regime Regular NÚMERO MÍNIMO DE PERÍODOS 1 NÚMERO MÁXIMO DE PERÍODOS 9 CARGA HORÁRIA 3640 1 132 FUNDAMENTOS ÉTICOS DE EDUCAÇÃO 30 OBRIGATORIA

Leia mais

EDUCAÇÃO INCLUSIVA NO ENSINO MÉDIO EM UMA ESCOLA PARTICULAR: VISÃO DA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA.

EDUCAÇÃO INCLUSIVA NO ENSINO MÉDIO EM UMA ESCOLA PARTICULAR: VISÃO DA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA. EDUCAÇÃO INCLUSIVA NO ENSINO MÉDIO EM UMA ESCOLA PARTICULAR: VISÃO DA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA. Beatriz A. Barboza do Nascimento Universidade Estadual Júlio de Mesquita Filho UNESP Mestranda do programa

Leia mais

Ensino de Ciências por Investigação. Acervo

Ensino de Ciências por Investigação. Acervo Ensino de Ciências por Investigação. Acervo 2010-2015. Junho 2016 EDUCAÇÃO CIENTÍFICA E ENSINO DE CIÊNCIAS - Experiências Formativas das Formadoras. - Experiências Formativas com Professoras e Professores

Leia mais

Eletiva A volta ao mundo através dos jogos

Eletiva A volta ao mundo através dos jogos Eletiva A volta ao mundo através dos jogos E.E. Princesa Isabel Sala 14 / 2ª. Sessão Professor(es) Apresentador(es): Cristina Viecelli Costa do Nascimento Jairo Augusto Fernandes Realização: Foco Por meio

Leia mais

SELEÇÃO E USO DE LIVROS DIDÁTICOS DE CIÊNCIAS E BIOLOGIA POR PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA: RESULTADOS PRELIMINARES

SELEÇÃO E USO DE LIVROS DIDÁTICOS DE CIÊNCIAS E BIOLOGIA POR PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA: RESULTADOS PRELIMINARES SELEÇÃO E USO DE LIVROS DIDÁTICOS DE CIÊNCIAS E BIOLOGIA POR PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA: RESULTADOS PRELIMINARES Diego Machado de Lima (Curso de Ciências Biológicas, Licenciatura, UFPB) Ageu Santos

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC REGULAMENTO

CURSO DE PEDAGOGIA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC REGULAMENTO CURSO DE PEDAGOGIA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC REGULAMENTO DAS CONDIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Este Regulamento apresenta a definição, os objetivos, a caracterização e a explicitação das condições

Leia mais

PROGRAMA FORMAÇÃO PARA A DOCÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR CURSO DOCÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR ESTÁGIO PROBATÓRIO

PROGRAMA FORMAÇÃO PARA A DOCÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR CURSO DOCÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR ESTÁGIO PROBATÓRIO PROGRAMA FORMAÇÃO PARA A DOCÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR CURSO DOCÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR ESTÁGIO PROBATÓRIO 2012-1 Avaliação curso Docência no Ensino Superior Estágio Probatório 2012-1 Noturno Campus Goiânia

Leia mais

Sala 8 Gestão Pedagógica E. E. PROFA. NIDELSE MARTINS DE ALMEIDA

Sala 8 Gestão Pedagógica E. E. PROFA. NIDELSE MARTINS DE ALMEIDA Expectativas de aprendizagem: transposição do currículo prescrito para a prática docente Sala 8 Gestão Pedagógica E. E. PROFA. NIDELSE MARTINS DE ALMEIDA Professor(es) Apresentador(es): ALEX SILVIO DE

Leia mais

Videoconferência Apresentação do Projeto Aventuras Currículo+ aos Diretores Escolares CETEC/CGEB. 23/03/ h30 17h30

Videoconferência Apresentação do Projeto Aventuras Currículo+ aos Diretores Escolares CETEC/CGEB. 23/03/ h30 17h30 Videoconferência Apresentação do Projeto Aventuras Currículo+ aos Diretores Escolares CETEC/CGEB 23/03/2015 15h30 17h30 Roteiro 1. Apresentação: Projeto Aventuras Currículo+ 2. Apresentação: diretrizes

Leia mais

TEXTO 2 EDUCAÇÃO DE QUALIDADE UM DIREITO SOCIAL

TEXTO 2 EDUCAÇÃO DE QUALIDADE UM DIREITO SOCIAL Curso Gestão para Educação de Qualidade 1 TEXTO 2 EDUCAÇÃO DE QUALIDADE UM DIREITO SOCIAL Sonia Balzano... a escola de qualidade é aquela que tem como valor fundamental a garantia dos direitos de aprendizagem

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO CONCURSO PÚBLICO - EDITAL 050/2014. Anexo 2 Atribuições dos Cargos

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO CONCURSO PÚBLICO - EDITAL 050/2014. Anexo 2 Atribuições dos Cargos SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO CONCURSO PÚBLICO - EDITAL 050/2014 Anexo 2 Atribuições dos Cargos AGENTE DE APOIO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL Acompanhar, auxiliar e orientar os alunos nas Atividades de Vida

Leia mais

Educador A PROFISSÃO DE TODOS OS FUTUROS. Uma instituição do grupo

Educador A PROFISSÃO DE TODOS OS FUTUROS. Uma instituição do grupo Educador A PROFISSÃO DE TODOS OS FUTUROS F U T U R O T E N D Ê N C I A S I N O V A Ç Ã O Uma instituição do grupo CURSO 2 CURSO OBJETIVOS Oferecer aos participantes uma visão completa e profunda das tendências,

Leia mais

Pró-Ciência 2008: uma avaliação preliminar

Pró-Ciência 2008: uma avaliação preliminar Pró-Ciência 2008: uma avaliação preliminar 1 - O Pró-Ciência 2008 O PRÓ-CIÊNCIA 2008 surge como um programa da Secretaria de Estado da Educação (SEE-MG), em parceria com a UFV, com o objetivo de resgatar

Leia mais

PROJETO LIBRAS. 1. TÍTULO Curso de Formação Continuada em Língua Brasileira de Sinais:

PROJETO LIBRAS. 1. TÍTULO Curso de Formação Continuada em Língua Brasileira de Sinais: 3 PROJETO LIBRAS 1. TÍTULO Curso de Formação Continuada em Língua Brasileira de Sinais: 2. NATUREZA DO PROJETO Curso de Extensão 3. IDENTIFICAÇÃO DO PROPONENTE Professor Sérgio Vaz Mendes 4. ÁREA RESPONSÁVEL

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR - LICENCIATURA EM PEDAGOGIA

MATRIZ CURRICULAR - LICENCIATURA EM PEDAGOGIA MATRIZ CURRICULAR - LICENCIATURA EM PEDAGOGIA 1 a FASE CÓD DISCIPLINAS EIXO C/H Créditos Filosofia da I Epistemologia Introdução à Ciência Epistemologia Científica educativa Português Comunicação e expressão

Leia mais

EDITAL DE TURMA ESPECIAL

EDITAL DE TURMA ESPECIAL Edital N 0122/ 2016. Cacoal, 07 de Outubro de 2016. EDITAL DE TURMA ESPECIAL A Faculdade de Ciências Biomédicas de Cacoal FACIMED, no uso de suas atribuições legais, e tendo presente o disposto no Art.

Leia mais

Alunos, professores, demais profissionais da educação e de outras áreas interessadas nos temas.

Alunos, professores, demais profissionais da educação e de outras áreas interessadas nos temas. A Educação Especial é definida pela LDBEN 9394/96 como modalidade de educação escolar que permeia todas as etapas e níveis do ensino. As escolas especiais assumem um papel importante, no sentido de apoiar

Leia mais

MEC. Censo Escolar 2015 Notas Estatísticas. Brasília-DF março de 2016

MEC. Censo Escolar 2015 Notas Estatísticas. Brasília-DF março de 2016 MEC Censo Escolar 215 Notas Estatísticas Brasília-DF março de 216 MEC Agenda O desafio da universalização Educação infantil Creche e Pré-escola Ensino fundamental Anos iniciais e anos finais Ensino médio

Leia mais

MEI Agenda de Aprimoramento de Recursos Humanos para Inovação

MEI Agenda de Aprimoramento de Recursos Humanos para Inovação MEI Agenda de Aprimoramento de Recursos Humanos para Inovação Proposta de Trabalho Brasília, 30 de novembro de 2012 São Paulo, Agosto 2011 Apresentação do projeto HORÁCIO PIVA 1 Recursos humanos qualificados

Leia mais

Avaliação em Políticas Públicas e em Educação

Avaliação em Políticas Públicas e em Educação Avaliação em Políticas Públicas e em Educação Claudia Costin Requisitos para uma política pública eficaz Capacidade de formulação, a partir de problemas que a realidade apresenta. Fixação de metas mensuráveis,

Leia mais