EXPERIÊNCIA COMO ORIENTADORA DO PACTO NACIONAL PELA IDADE CERTA EM CATALÃO-GO.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EXPERIÊNCIA COMO ORIENTADORA DO PACTO NACIONAL PELA IDADE CERTA EM CATALÃO-GO."

Transcrição

1 EXPERIÊNCIA COMO ORIENTADORA DO PACTO NACIONAL PELA IDADE CERTA EM CATALÃO-GO. SILVA, Gislene de Sousa Oliveira 1 Universidade Federal de Goiás Regional Catalão-GO. FIRMINO, Janaina Karla Pereira da S. R. 2 Universidade Federal de Goiás Regional Catalão-GO. Grupo de Trabalho: Instituições, culturas e práticas escolares Resumo: Este trabalho tem o propósito de apresentarmos nossa experiência quanto a orientação do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa, em Catalão-GO com turmas de 2º ano do Ensino Fundamental, da Rede Municipal de Educação da cidade citada. Pretende-se utilizar-se de uma metodologia de estudos bibliográficos e do relato de experiência contemplando o diálogo e discussão sobre os objetivos do Pacto para alfabetização das crianças do Bloco de Alfabetização até os oito anos de idade e as implicações na realidade educacional das turmas de 2º não, bem com, os impactos da formação dos professores ao longo do ano de Será feito um relato sobre os trabalhos realizados na orientação, através de encontros de capacitação, apresentação de estratégias utilizadas nos encontros com os professores e ainda uma reflexão sobre o trabalho realizado na Rede Municipal. Palavras-chave: Pacto, Orientação, Formação de professores, Alfabetização. 1. INTRODUÇÃO Fomos orientadoras de estudos do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa, na Rede Municipal de Educação de Catalão-GO, desde o ano de 2013 ano de implantação deste programa. Segundo o Ministério da Educação, MEC, o PNAIC é um compromisso formal assumido pelos governos federal, do Distrito Federal, dos estados e dos municípios de 256

2 assegurar que todas as crianças estejam alfabetizadas até os oito anos de idade, ao final do 3º ano do Ensino Fundamental. Este Pacto vem ao encontro do Decreto nº 6.094, de 24/04/2007 que define, no inciso II do art. 2º: a responsabilidade dos entes governamentais de alfabetizar as crianças até, no máximo, os oito anos de idade, aferindo os resultados por exame periódico específico E a meta 5 do projeto de lei que trata sobre o Plano Nacional de Educação também reforça este aspecto ao determinar a necessidade de alfabetizar todas as crianças até, no máximo, os oito anos de idade. Foram dois anos participando das Capacitações em Goiânia e após, repassando aos professores e professoras alfabetizadoras, através de encontros de formação. Pretendemos fazer um relato de experiência, contemplando o diálogo e discussão, sobre os objetivos do Pacto para alfabetização das crianças do Bloco de Alfabetização até os oito anos de idade e as implicações na realidade educacional das turmas de 2º não, bem com, os impactos da formação dos professores ao longo do ano de E ainda sobre os trabalhos realizados na orientação, através de encontros de capacitação, apresentação de estratégias utilizadas nos encontros com os professores e ainda uma reflexão sobre o trabalho realizado na Rede Municipal. 2. DESENVOLVIMENTO O Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa PNAIC é implantado com o intuito de contribuir para a garantia do direito de Alfabetizar todas as crianças, sem exceção, e no momento certo: até o final do terceiro ano do ensino fundamental, quando elas completam oito anos de idade. Compromisso do Plano de Desenvolvimento da Educação, o PDE de 2007, firmado por todos os estados e municípios com o governo federal e meta do novo Plano Nacional de Educação, em discussão no Congresso Nacional. (BRASIL, 2012) 257

3 Nas propostas formativas, segundo Imbernóm (2010) é importante considerar o contexto no qual se dão as práticas educativas e formativas, e, a partir daí, planejar uma ação destacando a potencialização da autoestima e habilidades sociais, o favorecer da aprendizagem coletiva, de troca de experiências e a interação entre os pares; o compartilhar das boas práticas; execução de estratégias formativas pelo debate; valorização de diferentes experiências e o trabalho com a leitura para compreensão dos fenômenos estudados. A formação continuada era estruturada da seguinte forma: as universidades, secretarias de educação e escolas articuladas para a realização do processo formativo dos professores alfabetizadores. O Professor formador vinculado às Universidades Públicas Brasileiras responsáveis por realizar a formação dos orientadores de estudo. Por sua vez, o orientador de estudos era responsável pela formação dos professores alfabetizadores dos três primeiros anos ( 1º, 2º e 3 do E.F). A formação, no total somaria 120 horas para Língua Portuguesa e 120 horas para Matemática. Os Cadernos de Formação do PNAIC foram organizados por temas a serem trabalhados e em duas fases: o primeiro ano (de 2013) foi Formação em Língua Portuguesa, o segundo ano (de 2014) está sendo trabalhada a Matemática e mais a Retomada da Linguagem. E ainda, foram divididos por Unidades e por ano/série. Cada tema de Linguagem ou de Matemática abordado nos Anos 1 (correspondente ao 1º ano/série do bloco de alfabetização); Ano 2 (2º ano/série), Ano 3 (3º ano/série) e Educação do Campo (anos 1,2 e 3) é/foi trabalhado por uma Unidade. Ao todo são sete unidades de Linguagem e sete unidades de Matemática. Alguns princípios do trabalho pedagógico, para o trabalho com os professores, foram respeitados (segundo a proposta do PNAIC), a saber: Sistema de Escrita Alfabética que exige um ensino sistemático e problematizador; Leitura e de produção de textos com proposta de ser trabalhada durante todo o processo de escolarização e deve ser iniciado logo no início da Educação Básica; garantia do direito das crianças ouvirem, falarem, lerem, escreverem, sobre temas diversos e agir na sociedade; Ludicidade e o cuidado como condições básicas nos processos de ensino e de aprendizagem. Em cada unidade de formação (em Linguagem e de Matemática) trabalhada e ainda, no material do aluno, diversos são os autores citados. O Material de estudo, era organizado por unidade, segundo (BRASIL, 2012): 258

4

5

6 Dessa forma, é propósito deste trabalho, apresentar nossa experiência, como orientadoras do PNAIC em Catalão, discutindo sobre os principais resultados obtidos em decorrência das formações oferecidas aos professores e professoras alfabetizadoras do 2º ano do bloco de alfabetização, dentre eles: o envolvimento dos professores com a formação continuada (em serviço); a troca de Experiências e aprendizagem proporcionada nos debates; o reflexo em sala de aula (da formação) quanto ao trabalho realizado; o destaque dos professores à importância da leitura; a compreensão dos professores em relação à proposta de Alfabetizar e letrar ; o trabalho dos professores com sequências didáticas; a ressignificação da prática aliada à teoria; a ocorrência, em sala de aula de atividades com o uso de materiais didáticos concretos, na Matemática e a qualificação, em serviço, dos professores e professoras alfabetizadoras. 3- Considerações Finais Algumas dificuldades foram identificadas desde o ano de implantação , até a presente data de sua continuidade, no ano vigente. Muita insegurança quanto à eficácia dos professores e professoras alfabetizadoras em garantir esse direito às crianças de estarem alfabetizadas ao final do ciclo, a saber, no 3º ano da primeira fase do Ensino Fundamental; controvérsias em relação à idade certa para estar alfabetizado; discussões sobre o que se enfrentava no cotidiano da sala de aula, tais como: crianças com dificuldades de aprendizagem ou que não conseguem aprender; Dúvidas quanto à utilização, em sala de aula, do material complementar oferecido pelo Ministério da Educação, por ocasião do PNAIC; Falta de apoio dos familiares ou responsáveis; compromisso da equipe gestora em contribuir para o sucesso do pacto; entre outros. Estas questões foram amplamente discutidas durante o período de formação dos professores e professoras alfabetizadoras, sempre respeitando o direito do professor expor suas angústias e receios diante das dificuldades encontradas em sala de aula. Porém, este assunto não se esgotou e os problemas extra-escolares continuarão a interferir na prática do professor e na aprendizagem das crianças. Assim, faz-se necessária que a reflexão e a busca de alternativas sejam objetos constantes no cotidiano do professor e nas discussões no âmbito escolar. 261

7 Por tudo o que fora destacado acima, entendemos que as dificuldades acerca da Alfabetização precisam ser mais bem investigadas para a contribuição da melhoria da aprendizagem de nossas crianças, Levando em consideração as análises de Magda Becker Soares sobre letramento e alfabetização, essa diz que: Se alfabetizar significa orientar a criança para o domínio da tecnologia da escrita, letrar significa levá-la ao exercício das práticas sociais de leitura e de escrita. Uma criança alfabetizada é uma criança que sabe ler e escrever; uma criança letrada (tomando este adjetivo no campo semântico de letramento e de letrar, e não com o sentido que tem tradicionalmente na língua, este dicionarizado) é uma criança que tem o hábito, as habilidades e até mesmo o prazer de leitura e de escrita de diferentes gêneros de textos, em diferentes suportes ou portadores, em diferentes contextos e circunstâncias (Soares 2004). Entendemos que as formações possam ter contribuído para reflexão sobre a prática, porém, cada professor e professora alfabetizadora, precisa continuar o trabalho de pesquisa e estudo, buscando aperfeiçoar-se para um melhor trabalho em sala de aula com os alfabetizandos, com o olhar atento para as especificidades de cada um e objetivando o letramento dessas crianças como requisito essencial para inserção na sociedade. 4- REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Acesso em 29 de outubro de 2014 às 21h33min; Acesso em 12 de maio de 2015, às 23h36min. Acesso em 13 de maio de 2015 às 23h39min. Acesso em 14 de maio de 2015, às 23h36min. Acesso em 14 de maio de 2015, às 23h40min. 262

8 Acesso em 27 de maio de 2015, às 20h46. SOARES, Magda. Alfabetização e Letramento. 1ª Ed. São Paulo: Contexto,

PNAIC Uma síntese Nilcéa Lemos Pelandré Coordenadora Geral PNAIC/UFSC Portaria No.816/GR/UFSC/2016

PNAIC Uma síntese Nilcéa Lemos Pelandré Coordenadora Geral PNAIC/UFSC Portaria No.816/GR/UFSC/2016 PNAIC Uma síntese Nilcéa Lemos Pelandré Coordenadora Geral PNAIC/UFSC Portaria No.816/GR/UFSC/2016 O Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa é um compromisso formal assumido pelos governos federal,

Leia mais

Avaliação Nacional da Alfabetização ANA

Avaliação Nacional da Alfabetização ANA Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Avaliação Nacional da Alfabetização ANA Diretoria de Avaliaçaõ da Educação Básica CGEC DAEB - INEP Maio de

Leia mais

PNAIC Uma síntese Nilcéa Lemos Pelandré Coordenadora da Formação PNAIC/UFSC/2017

PNAIC Uma síntese Nilcéa Lemos Pelandré Coordenadora da Formação PNAIC/UFSC/2017 PNAIC Uma síntese Nilcéa Lemos Pelandré Coordenadora da Formação PNAIC/UFSC/2017 Objetivo: Fazer um resgate do PNAIC em nosso Estado, apresentar o novo modelo e refletir sobre os desafios que se apresentam.

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA PARA PROFESSORES DOS ANOS INICIAIS EM ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO

FORMAÇÃO CONTINUADA PARA PROFESSORES DOS ANOS INICIAIS EM ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA FORMAÇÃO

Leia mais

O que nós gestores temos com isto?

O que nós gestores temos com isto? O que nós gestores temos com isto? PRESSUPOSTO DE GARANTIA DE DIREITOS HUMANOS Art. 1º Fica instituído o Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa, pelo qual o Ministério da Educação (MEC) e as

Leia mais

PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA: FORMAÇÃO CONTINUADA NUMA PERSPECTIVA DIFERENCIADA DE ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO

PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA: FORMAÇÃO CONTINUADA NUMA PERSPECTIVA DIFERENCIADA DE ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA: FORMAÇÃO CONTINUADA NUMA PERSPECTIVA DIFERENCIADA DE ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO Nilvânia Cardoso Almeida - SEEDF/PNAIC ncmz@ig.com.br Resumo Os professores,

Leia mais

RELATOS DE EXPERIÊNCIA: UMA ANÁLISE DA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES-PNAIC

RELATOS DE EXPERIÊNCIA: UMA ANÁLISE DA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES-PNAIC RELATOS DE EXPERIÊNCIA: UMA ANÁLISE DA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES-PNAIC Juscinária Tavares da Silva Universidade Estadual de Roraima- UERR RESUMO O presente trabalho trata-se de um relato de experiência

Leia mais

RECONHECENDO AS PRINCIPAIS CARACTERISTICAS DA AVALIAÇÃO NACIONAL DA ALFABETIZAÇÃO

RECONHECENDO AS PRINCIPAIS CARACTERISTICAS DA AVALIAÇÃO NACIONAL DA ALFABETIZAÇÃO RECONHECENDO AS PRINCIPAIS CARACTERISTICAS DA AVALIAÇÃO NACIONAL DA ALFABETIZAÇÃO Patrícia dos Santos Zwetsch- Apresentadora (UFSM) Rosane Carneiro Sarturi- Orientadora (UFSM) INTRODUÇÃO Este trabalho

Leia mais

PNAIC/2015 TERCEIRO CICLO DE FORMAÇÃO. Caderno de Apresentação

PNAIC/2015 TERCEIRO CICLO DE FORMAÇÃO. Caderno de Apresentação PNAIC/2015 TERCEIRO CICLO DE FORMAÇÃO Caderno de Apresentação Contextos de Criação do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa - Elaine Constant Implantação de programas de formação continuada

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Alfabetização e Letramento Código da Disciplina: EDU328 Curso: Pedagogia Semestre de oferta da disciplina: 5º Faculdade responsável: Pedagogia Programa em vigência a

Leia mais

PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA - PNAIC

PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA - PNAIC PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA - PNAIC CHAMADA PARA COMPOSIÇÃO DA EQUIPE DE SUPERVISORES E PROFESSORES FORMADORES PARA O PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA - PNAIC A Coordenação

Leia mais

Projeto TRILHAS Conjunto de materiais elaborados para instrumentalizar e apoiar o trabalho docente no campo da leitura, escrita e oralidade, com

Projeto TRILHAS Conjunto de materiais elaborados para instrumentalizar e apoiar o trabalho docente no campo da leitura, escrita e oralidade, com Projeto TRILHAS Conjunto de materiais elaborados para instrumentalizar e apoiar o trabalho docente no campo da leitura, escrita e oralidade, com crianças de 6 anos, com o objetivo de inseri-las em um universo

Leia mais

Avaliação no Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa PNAIC

Avaliação no Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa PNAIC Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Avaliação no Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa PNAIC Coordenação Geral de Concepções e Análises

Leia mais

SEMINÁRIO DE ENCERRAMENTO/2014 UEMG/SEE/MEC

SEMINÁRIO DE ENCERRAMENTO/2014 UEMG/SEE/MEC SEMINÁRIO DE ENCERRAMENTO/2014 UEMG/SEE/MEC PACTO/2014 NÚMEROS DA ALFABETIZAÇÃO NO BRASIL Nº escolas com matrículas no 1º, 2º, 3º ano e multisseriadas/ multietapa: 108.733 Nº de turmas do 1º, 2º, 3º ano

Leia mais

Palavras-chave: Alfabetização Matemática. Letramento Matemático. Formação inicial de professores.

Palavras-chave: Alfabetização Matemática. Letramento Matemático. Formação inicial de professores. A ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA NA PERSPECTIVA DE FUTUROS PROFESSORES Resumo Jéssica da Costa Ricordi 1 - UFPR Neila Tonin Agranionih 2 UFPR O artigo objetiva apresentar e analisar concepções de acadêmicos

Leia mais

PNAIC ELIANA HARA DE CARVALHO RABELLO COORDENADORA PNAIC - UNDIME SP

PNAIC ELIANA HARA DE CARVALHO RABELLO COORDENADORA PNAIC - UNDIME SP PNAIC 2017 ELIANA HARA DE CARVALHO RABELLO COORDENADORA PNAIC - UNDIME SP Eliana_rabello@yahoo.com.br 018 3704-4789 FOCO PNAIC 2017 ser alfabetizada é direito da criança foco nos estudantes da pré-escola

Leia mais

FORMAÇÃO à DISTÂNCIA (Encontros OEs + PAs)

FORMAÇÃO à DISTÂNCIA (Encontros OEs + PAs) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA PNAIC EM AÇÃO 2016/2017 PREVISÃO FORMAÇÃO ORIENTADORES DE ESTUDO E PROFESSORES

Leia mais

Poemas Problemas: Uma experiência de formação continuada para o Ciclo de Alfabetização

Poemas Problemas: Uma experiência de formação continuada para o Ciclo de Alfabetização Poemas Problemas: Uma experiência de formação continuada para o Ciclo de Alfabetização Andrea Paula Monteiro de Lima Universidade Federal de Pernambuco Brasil aappml@gmail.com Resumo Este trabalho refere-se

Leia mais

AVALIAÇÃO NACIONAL DA ALFABETIZAÇÃO (ANA) Profa. Ivana de Oliveira Carvalho FaE/UEMG

AVALIAÇÃO NACIONAL DA ALFABETIZAÇÃO (ANA) Profa. Ivana de Oliveira Carvalho FaE/UEMG AVALIAÇÃO NACIONAL DA ALFABETIZAÇÃO (ANA) Profa. Ivana de Oliveira Carvalho FaE/UEMG PAUTA Apresentação geral. Concepções de alfabetização e letramento. Detalhamento dos procedimentos avaliativos. Análise

Leia mais

CURSO: ACOMPANHAMENTO DA PRÁTICA EDUCATIVA

CURSO: ACOMPANHAMENTO DA PRÁTICA EDUCATIVA CURSO: ACOMPANHAMENTO DA PRÁTICA EDUCATIVA Introdução Uma pesquisa realizada pela Fundação Carlos Chagas indica que a maioria dos coordenadores pedagógicos deixam de fazer o acompanhamento da prática educativa

Leia mais

ALFABETIZAR PARA E PELA EDUCAÇÃO DO CAMPO: UM DESAFIO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

ALFABETIZAR PARA E PELA EDUCAÇÃO DO CAMPO: UM DESAFIO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES ALFABETIZAR PARA E PELA EDUCAÇÃO DO CAMPO: UM DESAFIO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES Ana Raquel de Sousa Poubaix Diniz Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro - UENF / arpourbaix@gmail.com

Leia mais

PRIMEIRO DIA/ MATUTINO

PRIMEIRO DIA/ MATUTINO PROGRAMA BRASIL ALFABETIZADO MEC / FNDE GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO - PROEX NÚCLEO DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

Leia mais

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Diretoria de Formação de Professores para a Educação Básica DEB PIBID 2016/2017

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Diretoria de Formação de Professores para a Educação Básica DEB PIBID 2016/2017 Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Diretoria de Formação de Professores para a Educação Básica DEB PIBID 2016/2017 2016 OBJETIVO DO PIBID O Programa Institucional de Iniciação

Leia mais

O IMPACTO DA FORMAÇÃO CONTINUADA NA APRENDIZAGEM DE LEITURA DOS ALUNOS DO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO NO MUNICÍPIO DE COCAL DE TELHA.

O IMPACTO DA FORMAÇÃO CONTINUADA NA APRENDIZAGEM DE LEITURA DOS ALUNOS DO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO NO MUNICÍPIO DE COCAL DE TELHA. O IMPACTO DA FORMAÇÃO CONTINUADA NA APRENDIZAGEM DE LEITURA DOS ALUNOS DO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO NO MUNICÍPIO DE COCAL DE TELHA. Vanessa Cristiane dos Santos 1 van.213@hotmail.com Silvania Uchôa de Castro

Leia mais

PNAIC/2016. Módulo I Analisando o Boletim da ANA

PNAIC/2016. Módulo I Analisando o Boletim da ANA PNAIC/2016 Módulo I Analisando o Boletim da ANA Objetivos: Compreender o papel da Avaliação Nacional da Alfabetização ANA no contexto das avaliações de aprendizagem no ciclo da alfabetização; Conhecer

Leia mais

A AVALIAÇÃO DA ALFABETIZAÇÃO REALIZAÇÕES E DESAFIOS

A AVALIAÇÃO DA ALFABETIZAÇÃO REALIZAÇÕES E DESAFIOS A AVALIAÇÃO DA ALFABETIZAÇÃO REALIZAÇÕES E DESAFIOS Contexto, políticas e avaliação A partir de 1995, o SAEB retrata dificuldade na promoção de avanço sustentável nos resultados de Leitura e Matemática.

Leia mais

Apresentação. Geek Educacional

Apresentação. Geek Educacional Apresentação Geek Educacional Geek Educacional 02 Geek Educacional 03 Geek Educacional A Geek Educacional é uma empresa especializada em pesquisas e desenvolvimento de soluções, que viabilizam um melhor

Leia mais

Secretaria de Estado de Educação Subsecretaria de Educação Básica SEMINÁRIO DE ENCERRAMENTO PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE

Secretaria de Estado de Educação Subsecretaria de Educação Básica SEMINÁRIO DE ENCERRAMENTO PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE Secretaria de Estado de Educação Subsecretaria de Educação Básica SEMINÁRIO DE ENCERRAMENTO PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA A/2014 Abril de 2015 Secretaria de Estado de Educação Subsecretaria

Leia mais

Teste Cognitivo do Programa Brasil Alfabetizado (Leitura, escrita e matemática)

Teste Cognitivo do Programa Brasil Alfabetizado (Leitura, escrita e matemática) Teste Cognitivo do Programa Brasil Alfabetizado (Leitura, escrita e matemática) Congreso Iberoamericano de Educación Permanente y técnico profisional Asunción, Paraguay 27 y 28 de setiembre de 2011 Dra.

Leia mais

MODELOS DIDÁTICOS: UMA PROPOSTA PARA ALFABETIZAR LETRANDO

MODELOS DIDÁTICOS: UMA PROPOSTA PARA ALFABETIZAR LETRANDO MODELOS DIDÁTICOS: UMA PROPOSTA PARA ALFABETIZAR LETRANDO Autor (1):Juscinária Tavares da Silva Universidade Estadual de Roraima, juscinariatsa@hotmail.com Co-autor (1): Larissa Almeida da Silva Universidade

Leia mais

Gilmara Teixeira Costa Professora da Educação Básica- Barra de São Miguel/PB )

Gilmara Teixeira Costa Professora da Educação Básica- Barra de São Miguel/PB ) GT 4 LINGUAGENS, LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO. Gilmara Teixeira Costa (gilmara-teixeira-01@hotmail.com/ Professora da Educação Básica- Barra de São Miguel/PB ) Juliana Maria Soares dos Santos (PPGFP UEPB)¹

Leia mais

BRINCAR PARA LETRAR: A LUDICIDADE DO CURRÍCULO DAS CRIANÇAS NO PRIMEIRO CICLO

BRINCAR PARA LETRAR: A LUDICIDADE DO CURRÍCULO DAS CRIANÇAS NO PRIMEIRO CICLO BRINCAR PARA LETRAR: A LUDICIDADE DO CURRÍCULO DAS CRIANÇAS NO PRIMEIRO CICLO D ANDREA, Crystina Di Santo - SMED/PMPA -crysdandrea@ibest.com.br GARCEZ, Sabrina SMED/PMPA sasagarcez@gmail.com Eixo Temático:

Leia mais

CICLO DE Aprendizagem DESAFIOS E PERSPECTIVAS

CICLO DE Aprendizagem DESAFIOS E PERSPECTIVAS CICLO DE Aprendizagem DESAFIOS E PERSPECTIVAS O QUE É CICLO? Utiliza-se na Educação brasileira a palavra ciclo para designar cada um dos níveis em que se divide o tempo do ensino público. Orientase pela

Leia mais

O que é EAD? Quais as competências necessárias ao professor e tutor para a EAD?

O que é EAD? Quais as competências necessárias ao professor e tutor para a EAD? O que é EAD? Quais as competências necessárias ao professor e tutor para a EAD? Educação à distância A educação a distância (EaD) é definida como [...] o aprendizado planejado que ocorre normalmente em

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES E DESAFIOS DO PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA

CONTRIBUIÇÕES E DESAFIOS DO PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA CONTRIBUIÇÕES E DESAFIOS DO PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA Sheila Pedroso da Conceição Bruna Pires dos Santos de Menezes Giovana dos Santos Rodrigues Paula Pires da Silva Suzane da Rocha

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO

ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO INTRODUÇÃO As diferentes unidades que compõem o conjunto de cadernos, visam desenvolver práticas de ensino de matemática que favoreçam as aprendizagens dos alunos. A

Leia mais

Narrativas de Professores Alfabetizadores sobre o PNAIC de Alfabetização Matemática: Desafios e Possibilidades

Narrativas de Professores Alfabetizadores sobre o PNAIC de Alfabetização Matemática: Desafios e Possibilidades Narrativas de Professores Alfabetizadores sobre o PNAIC de Alfabetização Matemática: Desafios e Possibilidades Edicléia Xavier da Costa 1 GD1 Educação Matemática nos anos iniciais do Ensino Fundamental.

Leia mais

Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso

Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso AUTO-AVALIAÇAO INSTITUCIONAL DO CURSO DE PEDAGOGIA FACED-UFAM / Alunos Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso Indicador Objetivos do Curso 02 - Conheço o Projeto Pedagógico do Curso e os

Leia mais

A FORMAÇÃO INICIAL DO ALFABETIZADOR: UMA ANÁLISE NOS CURSOS DE PEDAGOGIA

A FORMAÇÃO INICIAL DO ALFABETIZADOR: UMA ANÁLISE NOS CURSOS DE PEDAGOGIA A FORMAÇÃO INICIAL DO ALFABETIZADOR: UMA ANÁLISE NOS CURSOS DE PEDAGOGIA RESUMO O estudo focaliza a formação inicial do professor para atuar como alfabetizador nos anos iniciais do ensino fundamental.

Leia mais

7º ENCONTRO INTERNACIONAL DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES - ENFOPE 8º FÓRUM PERMANENTE DE INOVAÇÃO EDUCACIONAL - FOPIE

7º ENCONTRO INTERNACIONAL DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES - ENFOPE 8º FÓRUM PERMANENTE DE INOVAÇÃO EDUCACIONAL - FOPIE 7º ENCONTRO INTERNACIONAL DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES - ENFOPE 8º FÓRUM PERMANENTE DE INOVAÇÃO EDUCACIONAL - FOPIE Aracaju, 5 de JUNHO de 2014 Programa Brasil Alfabetizado Prof.ª MSc. Kelly Araújo Valença

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE EDUCAÇÃO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO. Relatório para Bolsistas OBEDUC-Pacto

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE EDUCAÇÃO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO. Relatório para Bolsistas OBEDUC-Pacto MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE EDUCAÇÃO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO Relatório para Bolsistas OBEDUC-Pacto 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Nome do bolsista: Ellem Rudijane Moraes

Leia mais

Manual Geral de Aplicação Universal Entrada 2008

Manual Geral de Aplicação Universal Entrada 2008 Universal Entrada 2008 Programa Programa - Manual do Aplicador Teste Universal - 2008 Teste Cognitivo Leitura/Escrita e Matemática Caro alfabetizador(a): Se você está recebendo este material, é porque

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Julio de Mesquita Filho Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa PLANO DE FORMAÇÃO PNAIC

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Julio de Mesquita Filho Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa PLANO DE FORMAÇÃO PNAIC UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Julio de Mesquita Filho Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa PLANO DE FORMAÇÃO PNAIC - 2016 1) OBJETIVO GERAL O Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa

Leia mais

SALAS DE APOIO À APRENDIZAGEM DE LÍNGUA PORTUGUESA DE 6º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL: CONTRIBUIÇÕES PARA O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO

SALAS DE APOIO À APRENDIZAGEM DE LÍNGUA PORTUGUESA DE 6º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL: CONTRIBUIÇÕES PARA O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA (X) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA SALAS DE APOIO À APRENDIZAGEM DE LÍNGUA

Leia mais

Pedagogia Licenciatura S-20 - Educação e Diversidade S-20 - Filosofia Geral

Pedagogia Licenciatura S-20 - Educação e Diversidade S-20 - Filosofia Geral Página 0001 de 0004 1º Período 6387-02S-20 - Educação e Diversidade 0 40-040 0491-02S-20 - Filosofia Geral 0 40-040 PED 0845-02S-20 - História da Educação I 0 40-040 PED 0752-02S-20 - Introdução à 0 40-040

Leia mais

A ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA NA PERSPECTIVA DO PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA

A ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA NA PERSPECTIVA DO PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA A ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA NA PERSPECTIVA DO PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA Francisco Guimarães de Assis Universidade Estadual da Paraíba/PPGECM franciscoguimaraes@gmail.com Alexsandra

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA/UFSC/SC. RELATÓRIO SUCINTO: MÊS março

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA/UFSC/SC. RELATÓRIO SUCINTO: MÊS março 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA/UFSC/SC 1. Dados do Município ou GERED a) Município: Florianópolis b)município/gered: Secretaria Municipal RELATÓRIO

Leia mais

FRACASSO ESCOLAR NA ALFABETIZAÇÃO/LETRAMENTO

FRACASSO ESCOLAR NA ALFABETIZAÇÃO/LETRAMENTO FRACASSO ESCOLAR NA ALFABETIZAÇÃO/LETRAMENTO Autor: Rosimeire Farinelli Aluna do Programa de Pós-Graduação stricto sensu em Educação Nível de mestrado - Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul (UEMS/Paranaíba

Leia mais

FORMAÇÃO PNAIC. Ceale* Centro de Alfabetização, Leitura e Escrita. Faculdade de Educação (FaE) UFMG

FORMAÇÃO PNAIC. Ceale* Centro de Alfabetização, Leitura e Escrita. Faculdade de Educação (FaE) UFMG FORMAÇÃO PNAIC Ceale* Centro de Alfabetização, Leitura e Escrita Faculdade de Educação (FaE) UFMG OBJETIVOS DA FORMAÇÃO PNAIC Formar orientadores de estudo que se constituam como formadores para atuar

Leia mais

A ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA PARA CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL CONGÊNITA E ADQUIRIDA ATRAVÉS DE JOGOS PEDAGÓGICOS.

A ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA PARA CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL CONGÊNITA E ADQUIRIDA ATRAVÉS DE JOGOS PEDAGÓGICOS. A ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA PARA CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL CONGÊNITA E ADQUIRIDA ATRAVÉS DE JOGOS PEDAGÓGICOS. Luciana Barros Farias Lima Instituto Benjamin Constant Práticas Pedagógicas Inclusivas

Leia mais

Educação no Brasil para o século XXI. Claudia Costin

Educação no Brasil para o século XXI. Claudia Costin Educação no Brasil para o século XXI Claudia Costin Avanços e Desafios Brasil é a 6ª economia no mundo, mas apenas a 53ª em Educação (PISA 2009) Por que? Alguns dados sobre a Educação no Brasil Brasil

Leia mais

PÚBLICO ALVO: ALUNOS DO 3º ANO ( COM ADAPTAÇÕES E VARIAÇÕES PARA OS ALUNOS DO INFANTIL E FUNDAMENTAL I)

PÚBLICO ALVO: ALUNOS DO 3º ANO ( COM ADAPTAÇÕES E VARIAÇÕES PARA OS ALUNOS DO INFANTIL E FUNDAMENTAL I) FORMADORA: VANESSA VERÍSSIMO PROFESSORA: MARCELA JACOB LIRA PÚBLICO ALVO: ALUNOS DO 3º ANO ( COM ADAPTAÇÕES E VARIAÇÕES PARA OS ALUNOS DO INFANTIL E FUNDAMENTAL I) EIXO TEMÁTICO: MATEMÁTICA CONSTRUINDO

Leia mais

PNAIC: O USO DA LITERATURA INFANTIL COMO MEDIAÇÃO PARA A FORMAÇÃO DO PROFESSOR ALFABETIZADOR

PNAIC: O USO DA LITERATURA INFANTIL COMO MEDIAÇÃO PARA A FORMAÇÃO DO PROFESSOR ALFABETIZADOR PNAIC: O USO DA LITERATURA INFANTIL COMO MEDIAÇÃO PARA A FORMAÇÃO DO PROFESSOR ALFABETIZADOR Cíntia Franz UFSC Joanildes Felipe UFSC Maira Gledi Freitas Kelling Machado UFSC Resumo O Pacto Nacional pela

Leia mais

ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO: CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA UMA TURMA DE 5 ANO

ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO: CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA UMA TURMA DE 5 ANO ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO: CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA UMA TURMA DE 5 ANO BARBOSA, Maria Julia de Araújo. Pedagogia - UEPB/Campus I SILVA, Hayana Crislayne Benevides. Pedagogia - UEPB/Campus I GUEDES,

Leia mais

A utilização do IDEB na gestão e na avaliação de programas e projetos no 3º setor. Patrícia Diaz Carolina Glycerio

A utilização do IDEB na gestão e na avaliação de programas e projetos no 3º setor. Patrícia Diaz Carolina Glycerio A utilização do IDEB na gestão e na avaliação de programas e projetos no 3º setor Patrícia Diaz Carolina Glycerio Quem somos A Comunidade Educativa CEDAC possibilita que profissionais da educação pratiquem

Leia mais

JOGOS E SEQUÊNCIAS LÚDICAS PARA O ENSINO DO SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA COM CRIANÇAS DOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

JOGOS E SEQUÊNCIAS LÚDICAS PARA O ENSINO DO SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA COM CRIANÇAS DOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL JOGOS E SEQUÊNCIAS LÚDICAS PARA O ENSINO DO SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA COM CRIANÇAS DOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL Aline Rafaela Lima e Silva UFPE alyne_rafaella@yahoo.com.br Ana Catarina dos

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Estágio Curricular Supervisionado em Educação Infantil I Código da Disciplina: EDU Curso: Pedagogia Semestre de oferta da disciplina: 5º Faculdade responsável: Pedagogia

Leia mais

VIVÊNCIAS NO PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA EXPERIENCES IN NATIONAL PACT FOR LITERACY AT THE RIGHT AGE

VIVÊNCIAS NO PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA EXPERIENCES IN NATIONAL PACT FOR LITERACY AT THE RIGHT AGE VIVÊNCIAS NO PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA EXPERIENCES IN NATIONAL PACT FOR LITERACY AT THE RIGHT AGE Maria José de Pinho (Universidade Federal do Tocantins) Tatiane da Costa Barros

Leia mais

Palabras clave: experiência de formação continuada; professores alfabetizadores

Palabras clave: experiência de formação continuada; professores alfabetizadores A POLÍTICA DE FORMAÇÃO DO PNAIC E AS IMPLICAÇÕES EM ÂMBITO MUNICIPAL Infanger Campos, Patrícia Regina; Barbosa Boscolo; Eliana Aparecida; Munhoz Arduino, Kelly Cristina Formadora do PNAIC. Prefeitura Municipal

Leia mais

O LÚDICO NO PROCESSO DE FORMAÇÃO DO PROFESSOR ALFABETIZADOR i

O LÚDICO NO PROCESSO DE FORMAÇÃO DO PROFESSOR ALFABETIZADOR i O LÚDICO NO PROCESSO DE FORMAÇÃO DO PROFESSOR ALFABETIZADOR i Tatiana Andrade FERNANDES, Universidade Estadual Paulista (UNESP- Rio Claro-SP) Profª. Drª. Andréia OSTI, Universidade Estadual Paulista (UNESP-

Leia mais

SUPERVISÃO EDUCACIONAL

SUPERVISÃO EDUCACIONAL SUPERVISÃO EDUCACIONAL OBJETIVO: Subsidiar o trabalho nas Diretorias Regionais da Educação e as Unidades Escolares, de modo a observar, analisar, orientar, intervir e encaminhar as demandas nas seguintes

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Formação continuada. Formação de alfabetizadores. PNAIC.

PALAVRAS-CHAVE Formação continuada. Formação de alfabetizadores. PNAIC. 14. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido - ISSN 2238-9113 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO

Leia mais

difusão de idéias A AVALIAÇÃO COMO UMA CONQUISTA Glória Maria Lima: as políticas de avaliação do ensino são um direito da sociedade.

difusão de idéias A AVALIAÇÃO COMO UMA CONQUISTA Glória Maria Lima: as políticas de avaliação do ensino são um direito da sociedade. Fundação Carlos Chagas Difusão de Idéias dezembro/2006 página 1 A AVALIAÇÃO COMO UMA CONQUISTA Glória Maria Lima: as políticas de avaliação do ensino são um direito da sociedade. Fundação Carlos Chagas

Leia mais

Semelhanças e diferenças entre o SAEB e a Prova Brasil.(Acesse o SOLAR)

Semelhanças e diferenças entre o SAEB e a Prova Brasil.(Acesse o SOLAR) Aula 03: Política educacional. Gestão educacional. Financiamento da Educação. Avaliação do sistema escolar brasileiro Tópico 04: Avaliação do sistema escolar brasileiro No contexto educacional, compreende-se,

Leia mais

SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. 3. ed. Belo Horizonte, Autêntica, 2009.

SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. 3. ed. Belo Horizonte, Autêntica, 2009. SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. 3. ed. Belo Horizonte, Autêntica, 2009. 1º TEXTO: PRODUZIDO PARA LEITOR- PROFESSOR COM O OBJETIVO DE ESCLARECER O SIGNIFICADO DE LETRAMENTO. Letramento

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA E MATEMÁTICA CADERNO 1

LÍNGUA PORTUGUESA E MATEMÁTICA CADERNO 1 PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINAS SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO 2008 ETAPA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO 2º ANO - CICLO II LÍNGUA PORTUGUESA E MATEMÁTICA CADERNO 1 ESCOLA: NOME: TURMA:

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA E MATEMÁTICA CADERNO 2

LÍNGUA PORTUGUESA E MATEMÁTICA CADERNO 2 PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINAS SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO 2008 ETAPA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO 2º ANO - CICLO II LÍNGUA PORTUGUESA E MATEMÁTICA CADERNO 2 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO

Leia mais

ALUNO DIGITAL Formação para Estudantes Monitores do PROUCA Ensino Fundamental 6º, 7º e 8º 30 horas Erechim, maio de 2014.

ALUNO DIGITAL Formação para Estudantes Monitores do PROUCA Ensino Fundamental 6º, 7º e 8º 30 horas Erechim, maio de 2014. ALUNO DIGITAL Formação para Estudantes Monitores do PROUCA Ensino Fundamental 6º, 7º e 8º 30 horas Erechim, maio de 2014. Prefeitura de Erechim Prefeito Paulo Alfredo Polis Vice-Prefeita Ana Lúcia de Oliveira

Leia mais

PROJETO DE EXTENSÃO ALFABETIZAÇÃO EM FOCO NO PERCURSO FORMATIVO DE ESTUDANTES DO CURSO DE PEDAGOGIA

PROJETO DE EXTENSÃO ALFABETIZAÇÃO EM FOCO NO PERCURSO FORMATIVO DE ESTUDANTES DO CURSO DE PEDAGOGIA PROJETO DE EXTENSÃO ALFABETIZAÇÃO EM FOCO NO PERCURSO FORMATIVO DE ESTUDANTES DO CURSO DE PEDAGOGIA Maria de Fátima Pereira Carvalho - UNEB, SME, NEPE Sandra Alves de Oliveira UNEB, CMAJO, NEPE Resumo

Leia mais

Educador A PROFISSÃO DE TODOS OS FUTUROS. Uma instituição do grupo

Educador A PROFISSÃO DE TODOS OS FUTUROS. Uma instituição do grupo Educador A PROFISSÃO DE TODOS OS FUTUROS F U T U R O T E N D Ê N C I A S I N O V A Ç Ã O Uma instituição do grupo CURSO 2 CURSO OBJETIVOS Oferecer aos alunos e profissionais interessados no assunto, subsídios

Leia mais

Universidade de São Paulo Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto Enf. Psiquiátrica e Ciências Humanas. Profa. Karina de M. Conte

Universidade de São Paulo Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto Enf. Psiquiátrica e Ciências Humanas. Profa. Karina de M. Conte Universidade de São Paulo Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto Enf. Psiquiátrica e Ciências Humanas Profa. Karina de M. Conte 2017 DIDÁTICA II Favorecer a compreensão do processo de elaboração, gestão,

Leia mais

CABE A ESCOLA TANTO A APRENDIZAGEM DAS HABILIDADES BÁSICAS DE LEITURA E ESCRITA (Alfabetização), QUANTO O DESENVOLVIMENTO, PARA ALÉM DESSA HABILIDADE

CABE A ESCOLA TANTO A APRENDIZAGEM DAS HABILIDADES BÁSICAS DE LEITURA E ESCRITA (Alfabetização), QUANTO O DESENVOLVIMENTO, PARA ALÉM DESSA HABILIDADE CABE A ESCOLA TANTO A APRENDIZAGEM DAS HABILIDADES BÁSICAS DE LEITURA E ESCRITA (Alfabetização), QUANTO O DESENVOLVIMENTO, PARA ALÉM DESSA HABILIDADE BÁSICA, DAS HABILIDADES, DOS CONHECIMENTOS E DAS ATITUDES

Leia mais

Plano de Ações de Melhoria

Plano de Ações de Melhoria Plano de Ações de Escola Básica Elias Garcia Escola Básica Miquelina Pombo J. I. da Sobreda 2014/2015 1 INTRODUÇÃO O presente plano de ações de melhoria 2014/15 - resulta da avaliação do plano de ações

Leia mais

EDUCAÇÃO, TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: CULTURA, CIÊNCIA, TECNOLOGIA, SAÚDE, MEIO AMBIENTE DOCUMENTO REFERÊNCIA

EDUCAÇÃO, TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: CULTURA, CIÊNCIA, TECNOLOGIA, SAÚDE, MEIO AMBIENTE DOCUMENTO REFERÊNCIA EIXO III EDUCAÇÃO, TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: CULTURA, CIÊNCIA, TECNOLOGIA, SAÚDE, MEIO AMBIENTE DOCUMENTO REFERÊNCIA SUGESTÃO Desde os anos 1980, observam-se transformações significativas

Leia mais

Política Educacional: A experiência de Sobral/CE. Sobral - Ceará

Política Educacional: A experiência de Sobral/CE. Sobral - Ceará Política Educacional: A experiência de Sobral/CE Sobral - Ceará Ponto de partida Resultado da avaliação de leitura com alunos de 2ª série Final de 2000 48% não liam textos, frases e nem palavras 48,0%

Leia mais

1988 Constituição Federal Conteúdos Mínimos. LDB (Lei 9394/1996) - BNCC PCN. Currículo em Movimento e Indagações sobre o Currículo 1ª CONAE

1988 Constituição Federal Conteúdos Mínimos. LDB (Lei 9394/1996) - BNCC PCN. Currículo em Movimento e Indagações sobre o Currículo 1ª CONAE LINHA DO TEMPO 1988 Constituição Federal Conteúdos Mínimos 1996 LDB (Lei 9394/1996) - BNCC 1997 a 2000 PCN 2008 a 2010 Currículo em Movimento e Indagações sobre o Currículo 2010 1ª CONAE 2002 a 2012 Diretrizes

Leia mais

TEXTO 2 EDUCAÇÃO DE QUALIDADE UM DIREITO SOCIAL

TEXTO 2 EDUCAÇÃO DE QUALIDADE UM DIREITO SOCIAL Curso Gestão para Educação de Qualidade 1 TEXTO 2 EDUCAÇÃO DE QUALIDADE UM DIREITO SOCIAL Sonia Balzano... a escola de qualidade é aquela que tem como valor fundamental a garantia dos direitos de aprendizagem

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE EDUCAÇÃO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE EDUCAÇÃO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE EDUCAÇÃO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO Roteiro de Relatório para Bolsistas OBEDUC-Pacto 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Nome do bolsista: Liliana

Leia mais

OBJETIVOS DO CADERNO

OBJETIVOS DO CADERNO 1 AUTORES 2 OBJETIVOS DO CADERNO Contribuir para a construção do novo desenho curricular do ensino médio com base nas DCNEM (Parecer CNE/CEB nº 05/2011 e Resolução CNE/CEB nº 02/2012 e outras legislações

Leia mais

ALIANDO A TEORIA E A PRÁTICA DOCENTE NO COTIDIANO DA ESCOLA ATRAVÉS DO PIBID

ALIANDO A TEORIA E A PRÁTICA DOCENTE NO COTIDIANO DA ESCOLA ATRAVÉS DO PIBID ALIANDO A TEORIA E A PRÁTICA DOCENTE NO COTIDIANO DA ESCOLA ATRAVÉS DO PIBID 2 ALIANDO A TEORIA E A PRÁTICA DOCENTE NO COTIDIANO DA ESCOLA ATRAVÉS DO PIBID BORGES Maria Jesus da Cunha 1 MORAES Adriana

Leia mais

FORMAÇÃO DE PROFESSORES ALFABETIZADORES: CONCEPÇÃO E PRÁTICA DE ALFABETIZAÇÃO EM QUESTÃO NO ÂMBITO DO PIBID

FORMAÇÃO DE PROFESSORES ALFABETIZADORES: CONCEPÇÃO E PRÁTICA DE ALFABETIZAÇÃO EM QUESTÃO NO ÂMBITO DO PIBID FORMAÇÃO DE PROFESSORES ALFABETIZADORES: CONCEPÇÃO E PRÁTICA DE ALFABETIZAÇÃO EM QUESTÃO NO ÂMBITO DO PIBID Resumo: Ângela Helena Bona Josefi Professora do Departamento de Pedagogia; Coordenadora de área

Leia mais

O PAPEL DO PROFESSOR DE ESCOLA PUBLICA NO ENSINO DA LÍNGUA ESPANHOLA

O PAPEL DO PROFESSOR DE ESCOLA PUBLICA NO ENSINO DA LÍNGUA ESPANHOLA O PAPEL DO PROFESSOR DE ESCOLA PUBLICA NO ENSINO DA LÍNGUA ESPANHOLA Magda Cristina COSTA magdacosta18@hotmail.com Andreza Araújo LIMA andreza.cfd@hotmail.com.br Susy Darley Gomes SILVA suzy_darleygomes@hotmail.com

Leia mais

Alfabetização e letramento : influências da relação pedagógica no processo ensino-aprendizagem.

Alfabetização e letramento : influências da relação pedagógica no processo ensino-aprendizagem. Alfabetização e letramento : influências da relação pedagógica no processo ensino-aprendizagem. valdeci_loch@hotmail.com 1 Relação Pedagógica segundo Estrela (2002 ) é o contato interpessoal que se gera

Leia mais

PROVINHA BRASIL Orientações para Secretarias de Educação Primeiro Semestre

PROVINHA BRASIL Orientações para Secretarias de Educação Primeiro Semestre PROVINHA BRASIL Orientações para Secretarias de Educação Primeiro Semestre - 2010 INFORME GESTOR teste capa verde.indd 1 13/1/2010 08:40:47 Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação

Leia mais

PORTARIA Nº 155, DE 22 DE MARÇO DE 2016

PORTARIA Nº 155, DE 22 DE MARÇO DE 2016 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 155, DE 22 DE MARÇO DE 2016 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO DOU de 23/03/2016 (nº 56, Seção 1, pág. 19) Altera a Portaria MEC nº 1.458,

Leia mais

O PLANO DE AÇÕES ARTICULADAS (PAR) ENQUANTO SUPORTE AO PLANEJAMENTO DAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS EM ESCOLAS PÚBLICAS DO MUNICÍPIO DE DOURADOS-MS

O PLANO DE AÇÕES ARTICULADAS (PAR) ENQUANTO SUPORTE AO PLANEJAMENTO DAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS EM ESCOLAS PÚBLICAS DO MUNICÍPIO DE DOURADOS-MS O PLANO DE AÇÕES ARTICULADAS (PAR) ENQUANTO SUPORTE AO PLANEJAMENTO DAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS EM ESCOLAS PÚBLICAS DO MUNICÍPIO DE DOURADOS-MS Maria Isabel Soares Feitosa 1 Universidade Federal da Grande

Leia mais

Didática e Formação de Professores: provocações. Bernardete A. Gatti Fundação Carlos Chagas

Didática e Formação de Professores: provocações. Bernardete A. Gatti Fundação Carlos Chagas Didática e Formação de Professores: provocações Bernardete A. Gatti Fundação Carlos Chagas Vivemos tensões nas propostas e concretizações da formação inicial de professores, com padrões culturais formativos

Leia mais

2 Com base nas considerações sobre a alfabetização no ciclo, nas perspectivas teóricas atuais de alfabetização e na construção de saberes e fabricação

2 Com base nas considerações sobre a alfabetização no ciclo, nas perspectivas teóricas atuais de alfabetização e na construção de saberes e fabricação PRÁTICAS DE LEITURA E ESCRITA NO 1º CICLO: DESAFIOS DO ALFABETIZAR LETRANDO CRUZ, Magna do Carmo Silva UFPE magna_csc@yahoo.com.br GT: Alfabetização, Leitura e Escrita / n.10 Agência Financiadora: Sem

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Educação Inclusiva Código da Disciplina: EDU 319 Curso: Pedagogia Semestre de oferta da disciplina: 2015/1 Faculdade responsável: Pedagogia Programa em vigência a partir

Leia mais

População de origem indígena (Apurinã e Jamamadi), nordestina, gaúcha, portuguesa, etc.

População de origem indígena (Apurinã e Jamamadi), nordestina, gaúcha, portuguesa, etc. População 30.632 habitantes LOCALIZAÇÃO IBGE / 2010 Economia: Pecuária População de origem indígena (Apurinã e Jamamadi), nordestina, gaúcha, portuguesa, etc. NO CAMPO EDUCACIONAL A Educação Municipal

Leia mais

Política Nacional da Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva. Três Corações Minas Gerais Julho de 2011

Política Nacional da Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva. Três Corações Minas Gerais Julho de 2011 Política Nacional da Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva Três Corações Minas Gerais Julho de 2011 Do ponto de vista político... O movimento mundial pela inclusão é uma ação política,

Leia mais

Tremembé tem Mais Educação Histórico e monitoramento Victor Narezi

Tremembé tem Mais Educação Histórico e monitoramento Victor Narezi Tremembé tem Mais Educação O ideal da Educação Integral traduz a compreensão do direito de aprender como inerente ao direito à vida, à saúde, à liberdade, ao respeito, à dignidade e à convivência familiar

Leia mais

ARTE-MÚSICA NAS PROPOSTAS CURRICULARES ELABORADAS PELAS SECRETARIAS ESTADUAIS E MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO

ARTE-MÚSICA NAS PROPOSTAS CURRICULARES ELABORADAS PELAS SECRETARIAS ESTADUAIS E MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO ARTE-MÚSICA NAS PROPOSTAS CURRICULARES ELABORADAS PELAS SECRETARIAS ESTADUAIS E MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO Margarete Arroyo Gisela de Oliveira Gasques Angélica Beatryz Medeiros etearroyo@gmail.com giselagasques@yahoo.com.br

Leia mais

NEPA - NÚCLEO DE ESTUDOS PEDAGÓGICOS AVANÇADOS: ALGUNS RESULTADOS JÁ ALCANÇADOS

NEPA - NÚCLEO DE ESTUDOS PEDAGÓGICOS AVANÇADOS: ALGUNS RESULTADOS JÁ ALCANÇADOS 150 NEPA - NÚCLEO DE ESTUDOS PEDAGÓGICOS AVANÇADOS: ALGUNS RESULTADOS JÁ ALCANÇADOS Raimundo Nonato Teixeira Criado em 1995, através da Ata n. 01, no dia 09/05, o NEPA - Núcleo de Estudos Pedagógicos Avançados

Leia mais

Formador Escolar: acompanhamento do uso coletivo do material Trilhas

Formador Escolar: acompanhamento do uso coletivo do material Trilhas Instrumento para acompanhar o uso coletivo do conjunto de material TRILHAS, as práticas de leitura realizadas e o acesso das crianças aos livros. Verificar a circulação dos materiais na escola, o planejamento

Leia mais

POLÍTICAS DE ALFABETIZAÇÃO: AVANÇOS E ESTAGNAÇÕES. Instituto Ayrton Senna Outubro/2013

POLÍTICAS DE ALFABETIZAÇÃO: AVANÇOS E ESTAGNAÇÕES. Instituto Ayrton Senna Outubro/2013 POLÍTICAS DE ALFABETIZAÇÃO: AVANÇOS E ESTAGNAÇÕES Instituto Ayrton Senna Outubro/2013 Cidades em números (Censo Escolar 2012) Pré-escola (4 e 5 anos) Total de matrículas 4.754.721 Municipal 3.526.373 (74,2%)

Leia mais

EXPERIÊNCIAS E DESAFIOS DAS LICENCIATURAS EM EDUCAÇÃO DO CAMPO NO MARANHÃO RESUMO

EXPERIÊNCIAS E DESAFIOS DAS LICENCIATURAS EM EDUCAÇÃO DO CAMPO NO MARANHÃO RESUMO EXPERIÊNCIAS E DESAFIOS DAS LICENCIATURAS EM EDUCAÇÃO DO CAMPO NO MARANHÃO Marly Cutrim de Menezes RESUMO O estudo refere-se ao O Programa de Apoio à Formação Superior em Licenciatura em Educação do Campo

Leia mais

O TEXTO JORNALÍSTICO NA SALA DE AULA TEMA: MUNDO DO TRABALHO

O TEXTO JORNALÍSTICO NA SALA DE AULA TEMA: MUNDO DO TRABALHO CAMPUS BAGÉ CURSO DE LICENCIATURA EM LETRAS PIBID LETRAS 2014 O TEXTO JORNALÍSTICO NA SALA DE AULA TEMA: MUNDO DO TRABALHO Bolsista: Pâmela Oliveira de Castro. Coordenadora: Fabiana Giovani Supervisora:

Leia mais

O USO DO CINEMA COMO RECURSO DIDÁTICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

O USO DO CINEMA COMO RECURSO DIDÁTICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL O USO DO CINEMA COMO RECURSO DIDÁTICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Emanuela Suassuna de Araújo (1); Vanessa da Silva Santos (1) Universidade Federal da Paraíba, suassuna.emanuela@gmail.com (1); Universidade Federal

Leia mais

Oficina de Apropriação de Resultados de Matemática. Paebes 2013

Oficina de Apropriação de Resultados de Matemática. Paebes 2013 Oficina de Apropriação de Resultados de Matemática Paebes 2013 Paebes 2013 Conhecendo o outro.. Expectativas... Paebes 2013 OBJETIVOS DA OFICINA Objetivo geral: Analisar e interpretar resultados da avaliação

Leia mais