AÇÃO EDUCATIVA DA REDE DE MEDIADORES DA GALERIA DE ARTE LOIDE SCHWAMBACH FUNDARTE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AÇÃO EDUCATIVA DA REDE DE MEDIADORES DA GALERIA DE ARTE LOIDE SCHWAMBACH FUNDARTE"

Transcrição

1 1 AÇÃO EDUCATIVA DA REDE DE MEDIADORES DA GALERIA DE ARTE LOIDE SCHWAMBACH FUNDARTE Patriciane Teresinha Born 1 Palavras-chave: Ação educativa. Mediação. 3º Salão de Arte 10 x INTRODUÇÃO Este texto apresenta a Rede de Mediadores da Galeria de Arte Loide Schwambach - FUNDARTE, bem como a ação educativa que promove a cada exposição realizada na Galeria. Tal ação é composta pela mediação, que se constitui de quatro etapas: o acolhimento, o passeio pela galeria, o espaço para perguntas e informações sobre os artistas participantes, além da proposição de uma proposição prática realizada posteriormente à mediação. Neste texto, o enfoque dado foi na ação educativa realizada no 3º Salão FUNDARTE/SESC de Arte 10 x 10, evento ocorrido em outubro de FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA A mediação de exposições é uma constante em distintos espaços expositivos, já que se configura como um agente de infinitas interlocuções com a obra de arte e com o campo de conhecimento que ela instaura. Conforme indica a pesquisadora Miriam Celeste Martins (2005), existem muitos teóricos que, por caminhos diversos, fundamentam as relações entre as obras de arte e seus leitores, sejam crianças, adultos, leigos ou não, com estudos e pesquisas instigantes, tais como os pesquisadores Michel Parsons e Abgail Housen, como também as brasileiras Ana Mae Barbosa e Analice Dutra Pillar, que enfocam as diferentes metodologias aplicadas às ações educativas em Escolas e Museus de Arte. 1 Artista visual e professora, mestre em Educação (UFRGS) e licenciada em Artes Visuais (UERGS). Coordenadora da Galeria de Arte Loide Schwambach da Fundação Municipal de Artes de Montenegro FUNDARTE.

2 2 Desse modo, a exemplo de museus de arte, centros culturais e eventos artísticos como bienais de artes visuais, a Rede de Mediadores 2, projeto desenvolvido pela Galeria de Arte Loide Schwambach da FUNDARTE, tem por objetivo maior divulgar as exposições e proporcionar uma visita mediada aos alunos e alunas das diversas escolas do município de Montenegro e comunidade em geral, além de dar mais visibilidade ao espaço, à produção de artistas e a exposição como um meio de formação e difusão do pensamento artístico e humano. Como lembra Martins (2005), mediação é ir ao encontro do repertório cultural e dos interesses dos outros, e é por meio dessa ação que se estimula a freqüentação, a fruição e os processos reflexivos e práticos possíveis de realizar por meio da produção artística em exposição. A figura do mediador, então, se caracteriza como um fomentador de fruições; ele não orienta a fruição estética, mas a estimula, provocando saberes da arte e da vida, comumente utilizados e reinventados pelo artista. Nos encontros do Projeto Rede de Mediadores, além da pesquisa, leitura e reflexão sobre o tema da mediação, foi criada uma trajetória de ações que orienta as práticas da rede. A cada nova exposição, procura-se conhecer o processo de criação e as atividades do/a artista, as possíveis falas na obra, para então, constituir uma lista de questões que mobilizem a percepção e que permitam falar sobre o campo da arte e da vida. Como culminância da ação, é planejada uma proposição prática em que os alunos possam produzir a partir do que experimentaram no espaço expositivo. Como a mediação é a troca de informações e experiências entre o educador e o educando, pois o estudo, as visitas periódicas a eventos e exposições afetam a ambos, provocando reflexão através da experiência (MARTINS, 2005, p. 36), os mediadores envolvidos nessas proposições, como estudantes de arte, também estarão ampliando seus campos de atuação e outros meios de constituir saberes. Desse modo, o planejamento e a execução de ações pedagógicas a partir das exposições da galeria se configuram como uma experiência significativa na formação de 2 A Rede de Mediadores foi criada como Projeto de Extensão pela então professora do Curso de Graduação em Artes Visuais: licenciatura da FUNDARTE/UERGS e também coordenadora da galeria, Eduarda Gonçalves, no ano de O projeto continua sendo desenvolvido atualmente, sob a coordenação da professora do Curso Básico de Artes Visuais da FUNDARTE, Patriciane T. Born. Participam do projeto acadêmicos do curso de Graduação em Artes Visuais: licenciatura da UERGS, os quais atuam como mediadores no atendimento ao público escolar e comunidade em geral.

3 3 estudantes de Artes Visuais, já que os mediadores participantes da Rede são acadêmicos na Graduação em licenciatura em Artes Visuais da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul UERGS, cuja unidade de Montenegro situa-se no prédio da FUNDARTE, o que possibilita o frequente contato entre seus alunos mediadores e a Galeria. 3 METODOLOGIA A preparação das ações educativas acontece nos encontros entre a coordenadora e os participantes da Rede de Mediadores, realizados quinzenalmente nas dependências da FUNDARTE. Realizam-se leituras e discussões a partir da proposta artística a ser exposta, bem como o conhecimento da carreira artística de seu proponente. Também são realizadas leituras sistemáticas e debates sobre a temática em questão a mediação. Na preparação da ação educativa para o 3º Salão FUNDARTE/SESC de Arte 10 x 10, foram consultados os projetos de cada um dos vinte e três artistas participantes, numa roda de discussão entre os mediadores. A presença na abertura da exposição, como também a conversa com os artistas presentes também fez parte desse processo. Após a abertura, foi realizada uma reunião no próprio espaço da galeria para discutir as questões pertinentes à exposição, bem como as atividades práticas a serem desenvolvidas na ação educativa. 4 RESULTADOS No 3º Salão de Arte 10 x 10, foram realizadas diversas sessões de mediação, já previamente agendadas. Foram recebidos visitantes de diferentes repertórios e faixas etárias que, em sua maioria, agiram de forma interessada e participativa. As mediações realizadas no evento em questão, como acontecem nas mediações de outras exposições, basearam-se em quatro preceitos ou passos principais, podendo ser variáveis, dependendo da idade ou do grupo atendido. O primeiro é o acolhimento do grupo no espaço expositivo, momento em que brevemente é explicada a função da galeria, bem

4 4 como o porquê de seu nome. No passeio pela galeria, os participantes da mediação estabelecem um primeiro contato com as obras expostas. Neste caso, este contato precisou ter um tempo maior, visto que o Salão era composto por 49 trabalhos de 23 artistas diferentes. Nessa etapa, a particularidade dos trabalhos ali expostos chamava a atenção dos participantes: todos eles não ultrapassavam dez centímetros de altura, largura ou profundidade o que justifica o nome do concurso. A partir deste passeio, no qual os sentidos eram provocados pelas diversas manifestações artísticas em tamanho tão reduzido, o mediador (ou a dupla de mediadores) já abria espaço para quem gostaria de expressar suas primeiras impressões, bem como provocar a discussão do grupo a partir de algumas perguntas ou comentários. 5 DISCUSSÃO É válido ressaltar que, devido ao grande número de trabalhos, tão distintos entre si, os mediadores faziam uma seleção de apenas alguns trabalhos a serem discutidos na mediação, conforme a faixa etária e o interesse do grupo por determinadas obras. A discussão era conduzida pelos mediadores, mas protagonizada pelos participantes, na qual eram visíveis as relações estabelecidas entre a exposição e o repertório dos alunos e alunas. Desse modo, nenhuma mediação foi igual à outra, visto os diferentes rumos que a conversa tomava, a depender do grupo que estava sendo atendido. Após a mediação, o público participante era convidado a dirigir-se a uma sala nas dependências da FUNDARTE, onde era proposta uma ação prático-reflexiva, podendo então o mediado elaborar seu próprio trabalho. Tais trabalhos foram desenvolvidos em linguagens artísticas como desenho, pintura, colagem e dobradura, com materiais oferecidos pela Rede de Mediadores. Nessa proposição, não se privilegia a tentativa de cópia das obras presentes na exposição, mas sim, procura-se ressaltar as relações que foram estabelecidas entre a(s) obra(s) e o visitante, a partir de suas experiências, memórias e repertório.

5 5 6 CONSIDERAÇÕES FINAIS Após esta breve descrição das ações Rede de Mediadores, em especial no 3º Salão FUNDARTE/SESC de Arte 10 x 10, ressalta-se a satisfação da coordenação e dos participantes da Rede em atuar na mediação de exposições artísticas, acreditando que a ponte que se constrói entre obra e público, a cada mediação, pode contribuir com a disseminação da arte em nossa sociedade, atingindo públicos que talvez passem a manter um vínculo maior com a arte, em especial com a arte contemporânea. REFERÊNCIAS MARTINS, Mirian celeste (Org.). Mediação: provocações estéticas. São Paulo: Unesp, º SALÃO FUNDARTE/SESC de Arte 10 x 10. Catálogo. Editora da FUNDARTE, 2011.

Ação educativa na Galeria de Arte Loide Schwambach - Programa Mais Cultura nas Escolas

Ação educativa na Galeria de Arte Loide Schwambach - Programa Mais Cultura nas Escolas Ação educativa na Galeria de Arte Loide Schwambach - Programa Mais Cultura nas Escolas Andreia Salvadori 1 Jéssica Pinheiro 2 Lucas Pacheco Brum 3 Tatiane dos Passos de Oliveira 4 Patriciane Born 5 patti.born@gmail.com

Leia mais

ARTEBR LIVRO CONVERSAS COM A ARTE BRASILEIRA

ARTEBR LIVRO CONVERSAS COM A ARTE BRASILEIRA ARTEBR LIVRO CONVERSAS COM A ARTE BRASILEIRA A empresa ARTEBR desenvolve projetos em arte, educação e literatura para diversas instituições culturais brasileiras. Atua nas áreas de consultoria e assessoria

Leia mais

1º encontro das ações educativas em museus da cidade de São Paulo

1º encontro das ações educativas em museus da cidade de São Paulo 1º encontro das ações educativas em museus da cidade de São Paulo exposições de artes visuais caráter temporário: 3 exposições ao ano duração média de 3 meses equipe e horários de atendimento variável

Leia mais

Regulamento da Galeria de Artes da Faculdade de Artes Visuais da Universidade Federal de Goiás ESPAÇO ANTÔNIO HENRIQUE PECLÁT

Regulamento da Galeria de Artes da Faculdade de Artes Visuais da Universidade Federal de Goiás ESPAÇO ANTÔNIO HENRIQUE PECLÁT Regulamento da Galeria de Artes da Faculdade de Artes Visuais da Universidade Federal de Goiás ESPAÇO ANTÔNIO HENRIQUE PECLÁT Aprovada pelo Conselho Diretora da Unidade em 09/10/2007. GALERIA DA FACULDADE

Leia mais

CONCEITOS FUNDAMENTAIS DA ARTE CONTEMPORÂNEA. Ingresso Janeiro Informações: (51)

CONCEITOS FUNDAMENTAIS DA ARTE CONTEMPORÂNEA. Ingresso Janeiro Informações: (51) CONCEITOS FUNDAMENTAIS DA ARTE CONTEMPORÂNEA Ingresso Janeiro 2014 Informações: (51) 3218-1400 - www.espm.br/cursosdeferias Conceitos fundamentais da Arte Contemporânea O que é Arte? Para que ela serve?

Leia mais

PROGRAMA DE COMPONENTE CURRICULAR

PROGRAMA DE COMPONENTE CURRICULAR ! UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS, AMBIENTAIS E BIOLÓGICAS COORDENAÇÃO ACADÊMICA FORMULÁ RIO R0092 PROGRAMA DE COMPONENTE CURRICULAR COMPONENTE CURRICULAR CÓDIGO

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA EDUCATIVA DO PROJETO VIVENDO LEITURA NA EJA UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO LEITORA NO COTIDIANO ESCOLAR.

RELATO DE EXPERIÊNCIA EDUCATIVA DO PROJETO VIVENDO LEITURA NA EJA UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO LEITORA NO COTIDIANO ESCOLAR. RELATO DE EXPERIÊNCIA EDUCATIVA DO PROJETO VIVENDO LEITURA NA EJA UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO LEITORA NO COTIDIANO ESCOLAR. Autora: Vilma Helena Malaquias SEMEC- Secretaria Municipal de Educação e Cultura.

Leia mais

Minha, tua, nossa cadeira: desdobramentos do objeto

Minha, tua, nossa cadeira: desdobramentos do objeto Minha, tua, nossa cadeira: desdobramentos do objeto Ana Lúcia Pereira Ferreira de Quadros 1 aninha-q@hotmail.com Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-Rio-Grandense - IFSUL Resumo: Este

Leia mais

Programa Educativo 2012

Programa Educativo 2012 Programa Educativo 2012 NA FUNDAÇÃO IBERÊ CAMARGO SEU INVESTIMENTO SOCIAL ESTARÁ ASSOCIADO À QUALIDADE E CREDIBILIDADE Apóie nossos programas culturais e educativos. A Fundação Iberê Camargo A Fundação

Leia mais

História e Cultura Indígenas na Escola: Subsídios Sócio-Antropológicos para Professores da Educação Básica

História e Cultura Indígenas na Escola: Subsídios Sócio-Antropológicos para Professores da Educação Básica UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA REDE UNEB 2000 História e Cultura Indígenas na Escola: Subsídios Sócio-Antropológicos para Professores da Educação Básica Proponente: Professor Doutor Marcos Luciano Lopes

Leia mais

O Regimento Escolar é o documento que estabelece as diretrizes administrativas, as orientações, as regras de convivência, os direitos e deveres de

O Regimento Escolar é o documento que estabelece as diretrizes administrativas, as orientações, as regras de convivência, os direitos e deveres de O Regimento Escolar é o documento que estabelece as diretrizes administrativas, as orientações, as regras de convivência, os direitos e deveres de todos que convivem no ambiente escolar. A rede pode ter

Leia mais

BEM-VINDO AO ESPAÇO DO PROFESSOR. interação e inter-relação que esperamos potencializar.

BEM-VINDO AO ESPAÇO DO PROFESSOR. interação e inter-relação que esperamos potencializar. BEM-VINDO AO ESPAÇO DO PROFESSOR interação e inter-relação que esperamos potencializar. Tendo como ponto de partida algumas obras expostas na 29ª Bienal, pretendemos tecer uma rede de ideias enquanto refletimos

Leia mais

PROJETO. AÇÕES MULTIPLICADORAS: o museu e a inclusão sociocultural 2009

PROJETO. AÇÕES MULTIPLICADORAS: o museu e a inclusão sociocultural 2009 PROJETO AÇÕES MULTIPLICADORAS: o museu e a inclusão sociocultural 2009 Roteiro de Sistematização da Experiência na Formação em Arte Educação do Estado de São Paulo 2009 1. Justificativa O curso Ações Multiplicadoras

Leia mais

PLANO DE AULAS. P3) Montagem de painel criativo com o tema educação ambiental e ocupação urbana. Valor 10 pontos.

PLANO DE AULAS. P3) Montagem de painel criativo com o tema educação ambiental e ocupação urbana. Valor 10 pontos. PLANO DE AULAS 1 IDENTIFICAÇÃO Curso: Licenciatura em Matemática Componente Curricular/Disciplina: Leitura, Interpretação e Produção de Textos Carga Horária Total: 63,3h - Aulas semanais: 4 Professor(es)

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO E ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO E ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO E ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO PALMAS/2011 SUMÁRIO CAPÍTULO I - DA NATUREZA...03 CAPÍTULO II - DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO...03 Seção I - Da

Leia mais

Implantação de Núcleos de Ação Educativa em Museus 1/33

Implantação de Núcleos de Ação Educativa em Museus 1/33 Implantação de Núcleos de Ação Educativa em Museus 1/33 Desafios da Educação em Museus. 2/33 Quais estratégias o museu deve utilizar para cumprir o seu papel social? 3/33 Esse papel foi bem enfatizado

Leia mais

FACULDADE SUMARÉ COORDENAÇÃO DE PESQUISA PROGRAMA DE PESQUISA - INICIAÇÃO CIENTÍFICA EDITAL DE INSCRIÇÃO Nº 01/2017

FACULDADE SUMARÉ COORDENAÇÃO DE PESQUISA PROGRAMA DE PESQUISA - INICIAÇÃO CIENTÍFICA EDITAL DE INSCRIÇÃO Nº 01/2017 FACULDADE SUMARÉ COORDENAÇÃO DE PESQUISA PROGRAMA DE PESQUISA - INICIAÇÃO CIENTÍFICA EDITAL DE INSCRIÇÃO Nº 01/2017 A Coordenação de Pesquisa da Faculdade Sumaré torna público o presente Edital para abertura

Leia mais

Projeto Pedagógico do Curso de Formação Inicial e Continuada em. Desenho Artístico. na modalidade presencial. 30h (40h/a)

Projeto Pedagógico do Curso de Formação Inicial e Continuada em. Desenho Artístico. na modalidade presencial. 30h (40h/a) Projeto Pedagógico do Curso de Formação Inicial e Continuada em Desenho Artístico na modalidade presencial 30h (40h/a) 1. Dados gerais do curso Nome do curso Eixo tecnológico Características do curso Número

Leia mais

MEU ALFABETO //////////////// oficina de desenho de letras PRONAC

MEU ALFABETO //////////////// oficina de desenho de letras PRONAC MEU ALFABETO //////////////// oficina de desenho de letras PRONAC 164289 #arteeducação #tipografia #infantojuvenil #letras O projeto Meu Alfabeto apresenta oficinas de desenho de letras voltadas para o

Leia mais

PROGRAMA ESPORTE E LAZER DA CIDADE

PROGRAMA ESPORTE E LAZER DA CIDADE 1 PROGRAMA ESPORTE E LAZER DA CIDADE MINISTÉRIO DO ESPORTE SECRETARIA NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DO ESPORTE E DO LAZER DEPARTAMENTO DE POLÍTICAS SOCIAIS DO ESPORTE E DO LAZER ROTEIRO DA FORMAÇÃO DE AGENTES

Leia mais

TÍTULOS LANÇADOS PELA EDUNEB CATÁLOGO 2010 Síntese dos Dados e Resumos referentes a cada Obra XXI BIENAL DO LIVRO EM SÃO PAULO 13/08/2010

TÍTULOS LANÇADOS PELA EDUNEB CATÁLOGO 2010 Síntese dos Dados e Resumos referentes a cada Obra XXI BIENAL DO LIVRO EM SÃO PAULO 13/08/2010 TÍTULOS LANÇADOS PELA EDUNEB CATÁLOGO 2010 Síntese dos Dados e Resumos referentes a cada Obra XXI BIENAL DO LIVRO EM SÃO PAULO 13/08/2010 01 Língua e Literatura Márcia Rios Linguística, Letras e Artes

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia. Apresentação do Projeto - Ação Educativa no Museu Universitário de Arte.

Universidade Federal de Uberlândia. Apresentação do Projeto - Ação Educativa no Museu Universitário de Arte. AÇÃO EDUCATIVA NO MUSEU UNIVERSITÁRIO DE ARTE: RELATO DE EXPERIÊNCIA DE MONITORES Mila de Paula Souza 1 milocaps@hotmail.com Sérgio Ricardo Fernandes Rodrigues 2 sergiorrrodrigues@yahoo.com.br Universidade

Leia mais

EXPRESSÕES GRÁFICAS: DESENHO E ESCULTURA

EXPRESSÕES GRÁFICAS: DESENHO E ESCULTURA 1 EXPRESSÕES GRÁFICAS: DESENHO E ESCULTURA Nilda Griza de Carli 1 Adilson Luciano das Chagas 2 Angelica Herthal Lim 3 Joice Idaiane da Silva 4 Sandra Maria Silveira Fleck 5 Caroline Bertani da Silva (orientador)

Leia mais

Breves notas sobre a conquista da formação de diversos públicos para os museus de Arte Contemporânea: foco nas crianças, ações para todos

Breves notas sobre a conquista da formação de diversos públicos para os museus de Arte Contemporânea: foco nas crianças, ações para todos Breves notas sobre a conquista da formação de diversos públicos para os museus de Arte Contemporânea: foco nas crianças, ações para todos Cristiane Mabel Medeiros MAMAM no Pátio - Pernambuco A forma só

Leia mais

Planejamento Anual

Planejamento Anual Planejamento Anual - 2016 GRUPO: HISTORIA ELABORADO PELO(S) TUTOR(ES) LUCIANA ROSAR FORNAZARI KLANOVICZ (28/02/2013) - Tutor(a) Atual Informações do Planejamento Planejamento quanto à participação/contribuição

Leia mais

REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA

REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA I - DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO Art. 1º. O presente regulamento interno disciplina a organização, o funcionamento e as atribuições da Comissão Própria

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ INSTITUTO DE LINGUÍSTICA, LETRAS E ARTES FACULDADE DE ESTUDOS DA LINGUAGEM CURSO DE LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO REGULAMENTO DE

Leia mais

Professores do PED criam Mestrado Profissional em Educação: Formação de Formadores. Marli Eliza Dalmazo Afonso de André

Professores do PED criam Mestrado Profissional em Educação: Formação de Formadores. Marli Eliza Dalmazo Afonso de André Compartilhando... Professores do PED criam Mestrado Profissional em Educação: Formação de Formadores Marli Eliza Dalmazo Afonso de André Com muitos anos de experiência na formação de mestrandos e doutorandos

Leia mais

OS DESAFIOS DA PESQUISA NA FORMAÇÃO DOS ESTUDANTES DO CURSO DE PEDAGOGIA OFERECIDO PELA PLATAFORMA FREIRE, NO MUNICÍPIO DE BOM JESUS DA LAPA BA

OS DESAFIOS DA PESQUISA NA FORMAÇÃO DOS ESTUDANTES DO CURSO DE PEDAGOGIA OFERECIDO PELA PLATAFORMA FREIRE, NO MUNICÍPIO DE BOM JESUS DA LAPA BA 03137 OS DESAFIOS DA PESQUISA NA FORMAÇÃO DOS ESTUDANTES DO CURSO DE PEDAGOGIA OFERECIDO PELA PLATAFORMA FREIRE, NO MUNICÍPIO DE BOM JESUS DA LAPA BA RESUMO Isaura Francisco de Oliveira UNEB- Professora

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO PAULO - FATEC-SP. CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares

REGULAMENTO INTERNO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO PAULO - FATEC-SP. CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares REGULAMENTO INTERNO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO PAULO - FATEC-SP CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares Art. 1º O presente regulamento interno disciplina a organização,

Leia mais

Índice. 1. Professor-Coordenador e suas Atividades no Processo Educacional Os Saberes dos Professores...4

Índice. 1. Professor-Coordenador e suas Atividades no Processo Educacional Os Saberes dos Professores...4 GRUPO 5.3 MÓDULO 4 Índice 1. Professor-Coordenador e suas Atividades no Processo Educacional...3 2. Os Saberes dos Professores...4 2.1. O Papel do Coordenador Pedagógico... 5 2 1. PROFESSOR-COORDENADOR

Leia mais

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE BRITEIROS PLANO DE AÇÃO Teatro Amador de Briteiros - Escolar

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE BRITEIROS PLANO DE AÇÃO Teatro Amador de Briteiros - Escolar AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE BRITEIROS PLANO DE AÇÃO 2014-2015 Teatro Amador de Briteiros - Escolar 1. FUNCIONAMENTO DO CLUBE 1.1. INTERVENIENTES E CARGA HORÁRIA SEMANAL Professor Oficina Tempo não

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N , DE 13 DE JUNHO DE 2012

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N , DE 13 DE JUNHO DE 2012 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.297, DE 13 DE JUNHO DE 2012 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em,

Leia mais

Mandalas & Móbiles. E.E. Antônio Alves Cruz. Profª Narahan Dib Fracalanza. Professor(es) Apresentador(es): Realização:

Mandalas & Móbiles. E.E. Antônio Alves Cruz. Profª Narahan Dib Fracalanza. Professor(es) Apresentador(es): Realização: Mandalas & Móbiles E.E. Antônio Alves Cruz Professor(es) Apresentador(es): Profª Narahan Dib Fracalanza Realização: Foco do Projeto Há pessoas que transformam o sol numa simples mancha amarela, mas há

Leia mais

IX Seminário de Ensino de Línguas Estrangeiras (SELES) V Seminário de Ensino de Língua Materna (SELM)

IX Seminário de Ensino de Línguas Estrangeiras (SELES) V Seminário de Ensino de Língua Materna (SELM) IX Seminário de Ensino de Línguas Estrangeiras (SELES) V Seminário de Ensino de Língua Materna (SELM) I Seminário Nacional Integrado da Área das Linguagens, Códigos e suas Tecnologias: Língua Portuguesa,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N , DE 22 DE JANEIRO DE 2014

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N , DE 22 DE JANEIRO DE 2014 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.478, DE 22 DE JANEIRO DE 2014 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em

Leia mais

CONSELHO CIENTÍFICO PEDAGÓGICO DA FORMAÇÃO CONTÍNUA. O potencial dos instrumentos de percussão tradicionais portugueses S E M I N Á R I O

CONSELHO CIENTÍFICO PEDAGÓGICO DA FORMAÇÃO CONTÍNUA. O potencial dos instrumentos de percussão tradicionais portugueses S E M I N Á R I O O potencial dos instrumentos de percussão tradicionais portugueses no ensino da música S E M I N Á R I O. acção de formação 2 D I A S 1 2 H O R A S R U I J Ú N I O R formador ObJECTIvOS O seminário tem

Leia mais

CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO

CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO 1 / 6 CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO Jovens Curadores: Galerias Municipais EGEAC 1. Enquadramento É intuito das Galerias Municipais acolher, divulgar e apoiar a produção e pensamento artístico contemporâneo

Leia mais

FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA CURSO DE PEDAGOGIA. PORTARIA NORMATIVA 3, de 18 de fevereiro de 2010.

FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA CURSO DE PEDAGOGIA. PORTARIA NORMATIVA 3, de 18 de fevereiro de 2010. FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA CURSO DE PEDAGOGIA PORTARIA NORMATIVA 3, de 18 de fevereiro de 2010. Institui as orientações e as atividades aprovadas para a realização da carga horária de Estágio Supervisionado

Leia mais

Monitoramento do Uso dos Indicadores da Qualidade na Educação Infantil. Valéria Virginia Lopes

Monitoramento do Uso dos Indicadores da Qualidade na Educação Infantil. Valéria Virginia Lopes Monitoramento do Uso dos Indicadores da Qualidade na Educação Infantil Valéria Virginia Lopes INDICADORES DA Coordenação Fundação Orsa, UNDIME, Unicef, Ação Educativa e Coedi/SEB/MEC. Grupo Técnico Ação

Leia mais

ARTE CONTEMPORÂNEA, PÚBLICO E MEDIAÇÃO RIBEIRO, Susan Kelen 1. Palavras-chave: arte contemporânea, mediação, formação continuada.

ARTE CONTEMPORÂNEA, PÚBLICO E MEDIAÇÃO RIBEIRO, Susan Kelen 1. Palavras-chave: arte contemporânea, mediação, formação continuada. ARTE CONTEMPORÂNEA, PÚBLICO E MEDIAÇÃO RIBEIRO, Susan Kelen 1 Palavras-chave: arte contemporânea, mediação, formação continuada. Introdução O presente trabalho é um relato das experiências vivenciadas

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS AFRO-BRASILEIROS E INDÍGENAS DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MATO GROSSO DO SUL (Neabi)

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS AFRO-BRASILEIROS E INDÍGENAS DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MATO GROSSO DO SUL (Neabi) REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS AFRO-BRASILEIROS E INDÍGENAS DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MATO GROSSO DO SUL (Neabi) CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente

Leia mais

O PRESÉPIO DO PIPIRIPAU COMO AGENTE DE COMUNICAÇÃO PÚBLICA DA CIÊNCIA

O PRESÉPIO DO PIPIRIPAU COMO AGENTE DE COMUNICAÇÃO PÚBLICA DA CIÊNCIA O PRESÉPIO DO PIPIRIPAU COMO AGENTE DE COMUNICAÇÃO PÚBLICA DA CIÊNCIA Apoio: Visitas Mediadas no MHNJB Área Temática: Educação Orientador: Antônio Gilberto Costa 1 Autor: Lucas Felipe Almeida Athayde 2

Leia mais

CONTRAPARTIDAS DOS MUNICÍPIOS

CONTRAPARTIDAS DOS MUNICÍPIOS CONTRAPARTIDAS DOS MUNICÍPIOS O Ciência Móvel: Arte e Ciência sobre Rodas é oferecido gratuitamente pelo Museu da Vida/Casa de Oswaldo Cruz/Fundação Oswaldo Cruz Fiocruz e seus apoiadores à população.

Leia mais

Bacharelado Interdisciplinar em Ciências Humanas

Bacharelado Interdisciplinar em Ciências Humanas UNIVERSIDADE DA INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL DA LUSOFONIA AFRO-BRASILEIRA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE ENSINO COORDENAÇÃO DE CURSO Bacharelado Interdisciplinar em Ciências Humanas 1. Perfil do

Leia mais

Resolução nº 014, de 06 de dezembro de 2010.

Resolução nº 014, de 06 de dezembro de 2010. Resolução nº 014, de 06 de dezembro de 2010. Resolução nº 014, de 06 de dezembro de 2010. A Presidenta do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da Universidade Federal do Acre, no uso de suas atribuições

Leia mais

Gilmara Teixeira Costa Professora da Educação Básica- Barra de São Miguel/PB )

Gilmara Teixeira Costa Professora da Educação Básica- Barra de São Miguel/PB ) GT 4 LINGUAGENS, LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO. Gilmara Teixeira Costa (gilmara-teixeira-01@hotmail.com/ Professora da Educação Básica- Barra de São Miguel/PB ) Juliana Maria Soares dos Santos (PPGFP UEPB)¹

Leia mais

Descrição dos Estágios do Núcleo 3-8º per./2017

Descrição dos Estágios do Núcleo 3-8º per./2017 para o Objetivo do Manhãs e tardes a combinar Escolas de Educação Infantil, Berçário Creche (CEI), EMEF Nilo Peçanha, Escola de Estadual de Ensino Fundamental 16h20m às 19h10m às O tempo médio dedicado

Leia mais

PREPARAÇÃO DE PROJETOS, FORMAS DE REGISTRO E AVALIAÇÃO

PREPARAÇÃO DE PROJETOS, FORMAS DE REGISTRO E AVALIAÇÃO PREPARAÇÃO DE PROJETOS, FORMAS DE REGISTRO E AVALIAÇÃO Profª. Ms. Fabiana Chinalia FACULDADES COC 11 e 12 de maio http://verainfedu.files.wordpress.com/2008/10/legal1.gif Vamos conversar um pouco sobre

Leia mais

REGULAMENTO GERAL CONCURSO DE CARTÕES DE NATAL Capítulo I Da Finalidade. Capítulo II Das Disposições Preliminares

REGULAMENTO GERAL CONCURSO DE CARTÕES DE NATAL Capítulo I Da Finalidade. Capítulo II Das Disposições Preliminares REGULAMENTO GERAL CONCURSO DE CARTÕES DE NATAL - 2016 Capítulo I Da Finalidade Art. 1º - O Concurso Nacional de Cartões de Natal tem por finalidade escolher 10 (dez) trabalhos para ilustração de Cartões

Leia mais

MAIS RESENHA: UMA PROPOSTA PARA FORMAÇÃO DO LEITOR CRÍTICO NA ESCOLA

MAIS RESENHA: UMA PROPOSTA PARA FORMAÇÃO DO LEITOR CRÍTICO NA ESCOLA MAIS RESENHA: UMA PROPOSTA PARA FORMAÇÃO DO LEITOR CRÍTICO NA ESCOLA Adriana Letícia Torres da Rosa adrianarosa100@gmail.com Cristina Lúcia de Almeida krisluci@yahoo.com.br José Batista de Barros Instituto

Leia mais

Serviço Educativo da Galeria dos Prazeres Estímulo e aprendizagem num encontro com a Arte

Serviço Educativo da Galeria dos Prazeres Estímulo e aprendizagem num encontro com a Arte Rua da Igreja - 9370-626 Prazeres - Calheta Madeira Portugal servicoeducativo@galeriadosprazeres.pt www.galeriadosprazeres.pt www.facebook.com/galeriadosprazeres Serviço Educativo da Galeria dos Prazeres

Leia mais

UMA NOVA EXPERIÊNCIA DE CONSELHO PARTICIPATIVO NA ESCOLA DE ENSINO INTEGRAL. Sala 11 Temas Diversos EF II Integral

UMA NOVA EXPERIÊNCIA DE CONSELHO PARTICIPATIVO NA ESCOLA DE ENSINO INTEGRAL. Sala 11 Temas Diversos EF II Integral UMA NOVA EXPERIÊNCIA DE CONSELHO PARTICIPATIVO NA ESCOLA DE ENSINO INTEGRAL Sala 11 Temas Diversos EF II Integral E.E.CARLOS MAXIMILIANO PEREIRA DOS SANTOS Professores Apresentadores: M Maria Emilia A.S.

Leia mais

29º Seminário de Extensão Universitária da Região Sul VIVÊNCIAS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES NO MUNICÍPIO DE SARANDI: O PROJETO BRINCADEIRAS EM AÇÃO

29º Seminário de Extensão Universitária da Região Sul VIVÊNCIAS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES NO MUNICÍPIO DE SARANDI: O PROJETO BRINCADEIRAS EM AÇÃO 29º Seminário de Extensão Universitária da Região Sul VIVÊNCIAS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES NO MUNICÍPIO DE SARANDI: O PROJETO BRINCADEIRAS EM AÇÃO Área temática: Direitos Humanos e Justiça Verônica Regina

Leia mais

Em busca da Felicidade E.E. Profª Irene Ribeiro

Em busca da Felicidade E.E. Profª Irene Ribeiro Em busca da Felicidade E.E. Profª Irene Ribeiro Professor(es) Apresentador(es): Tatiana Yukie Nakamoto Elenice Fernandes Realização: Foco do Projeto A cultura circense foi trazida para o contexto escolar

Leia mais

ADAPTAÇÃO CURRICULAR: CONTRIBUIÇÕES DA FONOAUDIOLOGIA EDUCACIONAL

ADAPTAÇÃO CURRICULAR: CONTRIBUIÇÕES DA FONOAUDIOLOGIA EDUCACIONAL ADAPTAÇÃO CURRICULAR: CONTRIBUIÇÕES DA FONOAUDIOLOGIA EDUCACIONAL Marta Gertel RESUMO: Nos últimos anos, a proposta de inclusão escolar tem gerado uma modalidade de atividades cujo objetivo principal é

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA DE GRADUAÇÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA DE GRADUAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 13/2013 CONSUNI/CGRAD Institui o Núcleo de Apoio Pedagógico (NAP) da UFFS. A Câmara de Graduação do Conselho Universitário CGRAD/CONSUNI, da Universidade Federal da Fronteira Sul UFFS, no

Leia mais

O evento tem a parceria do DESIGN+ (UFSM) e conta com apoio de ampla rede de colaboradores, bem como fomento da CAPES, da FAPEMIG e da PROPPG/UEMG.

O evento tem a parceria do DESIGN+ (UFSM) e conta com apoio de ampla rede de colaboradores, bem como fomento da CAPES, da FAPEMIG e da PROPPG/UEMG. Entre os dias 25 e 27 de outubro de 2017, no auditório da Escola Guignard (UEMG), acontece o Seminário de Artes' Digitais (SAD). A terceira edição do evento tem como tema "Intermitências nas artes". O

Leia mais

MEDIAÇÃO E EDUCAÇÃO EM MUSEUS: NOVOS OLHARES

MEDIAÇÃO E EDUCAÇÃO EM MUSEUS: NOVOS OLHARES MEDIAÇÃO E EDUCAÇÃO EM MUSEUS: NOVOS OLHARES CONVOCATÓRIA O projeto Mediação e Educação em Museus: Novos Olhares tem por objetivo a realização de encontro entre educadores com a finalidade de divulgar

Leia mais

Contacto imprensa Ana Vale Costa

Contacto imprensa Ana Vale Costa Olhar o passado para construir o futuro é o tema da XVIII Bienal Internacional de Arte de Cerveira, que irá decorrer de 18 julho a 19 setembro de 2015, para apresentar 300 artistas de 33 países, cerca

Leia mais

SUMÁRIO Apresentação... 5 Fundamentação Legal... 7 Objetivos... 8 Planejamento... 9 Competência: Do Professor de Estágio Curricular em Educação da UNISUAM... 10 Do Aluno... 10 Da Central de Estágios...

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESS DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL EDITAL Nº 02/2009 CAPES/DEB PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BELÉM SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - SEMEC CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2011 EDITAL N.º 01/2011, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011.

PREFEITURA MUNICIPAL DE BELÉM SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - SEMEC CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2011 EDITAL N.º 01/2011, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011. DA 1 / 14 PREFEITURA MUNICIPAL DE BELÉM EDITAL N.º 01/2011, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011. Cargo 01 PROFESSOR LICENCIADO PLENO PEDAGOGIA MAGISTÉRIO PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL E SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL.

Leia mais

PATRIMÔNIO ARTÍSTICO NAS PRAÇAS DE IVOTI

PATRIMÔNIO ARTÍSTICO NAS PRAÇAS DE IVOTI PATRIMÔNIO ARTÍSTICO NAS PRAÇAS DE IVOTI Cecília Luiza Etzberger 1 Caroline Bertani da Silva 2 Palavras-chaves: Patrimônio artístico. Arte-educação. Interdisciplinaridade. Arte local. 1 INTRODUÇÃO O projeto

Leia mais

VII SALÃO DE EXTENSÃO Unidade de Canoas 20/10/2015 e 21/10/2015

VII SALÃO DE EXTENSÃO Unidade de Canoas 20/10/2015 e 21/10/2015 VII SALÃO DE EXTENSÃO Unidade de Canoas 20/10/2015 e 21/10/2015 1. Apresentação O Salão de Extensão constitui-se em espaço para a divulgação, promoção e acompanhamento dos projetos de extensão no campus

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BELÉM SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - SEMEC CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2011

PREFEITURA MUNICIPAL DE BELÉM SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - SEMEC CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2011 CONCURSOPÚBLICON.º01/2011DASECRETARIAMUNICIPALDEEDUCAÇÃO SEMEC 1 / 15 PREFEITURA MUNICIPAL DE BELÉM, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2011. ANEXO 03 INFORMAÇÕES DOS CARGOS Cargo 01 PROFESSOR LICENCIADO PLENO PEDAGOGIA

Leia mais

A DOCÊNCIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL COMO FOCO DE EXPERIÊNCIAS FORMATIVAS NA IMPLEMENTAÇÃO DO PIBID

A DOCÊNCIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL COMO FOCO DE EXPERIÊNCIAS FORMATIVAS NA IMPLEMENTAÇÃO DO PIBID A DOCÊNCIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL COMO FOCO DE EXPERIÊNCIAS FORMATIVAS NA IMPLEMENTAÇÃO DO PIBID Graziela Escandiel de Lima Professora Doutora - Departamento de Metodologia do Ensino/UFSM Coordenadora de

Leia mais

IMAGEM, TECNOLOGIAS E INFANCIAS Coordenadora: Gerda Margit Schutz Foerste Universidade Federal do Espírito Santo /UFES/PPGE

IMAGEM, TECNOLOGIAS E INFANCIAS Coordenadora: Gerda Margit Schutz Foerste Universidade Federal do Espírito Santo /UFES/PPGE IMAGEM, TECNOLOGIAS E INFANCIAS Coordenadora: Gerda Margit Schutz Foerste Universidade Federal do Espírito Santo /UFES/PPGE Este grupo de pesquisa desenvolve estudos na interface das pesquisas sobre imagens/

Leia mais

O ensino da música através da criação e sonorização de uma história para a produção de um vídeo educativo

O ensino da música através da criação e sonorização de uma história para a produção de um vídeo educativo O ensino da música através da criação e sonorização de uma história para a produção de um vídeo educativo Paulo Ricardo Ulrich 1 Israel Silva de Oliveira 2 Cristina Rolim Wolffenbüttel 3 cristina-wolffenbuttel@uergs.edu.br

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BLUMENAU FUNDAÇÃO CULTURAL DE BLUMENAU

PREFEITURA MUNICIPAL DE BLUMENAU FUNDAÇÃO CULTURAL DE BLUMENAU EDITAL Nº 005/2010 - EXPOSIÇÕES TEMPORÁRIAS MAB PERÍODO 2011. PREFEITURA MUNICIPAL DE BLUMENAU, ATRAVÉS DA FUNDAÇÃO CULTURAL DE BLUMENAU DECLARA: ABERTO EDITAL DO MUSEU DE ARTE DE BLUMENAU - MAB - EXPOSIÇÕES

Leia mais

23 a 27 de outubro de 2017 NORMAS PARA SUBMISSÃO DE PROJETOS

23 a 27 de outubro de 2017 NORMAS PARA SUBMISSÃO DE PROJETOS I Semana do Conhecimento VI SEMCITEC Semana de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento de Guarulhos 23 a 27 de outubro de 2017 NORMAS PARA SUBMISSÃO DE PROJETOS I. A SEMCITEC A SEMCITEC - Semana

Leia mais

Curso de Capacitação para Museus Módulo IV Ação Educativa 1/27

Curso de Capacitação para Museus Módulo IV Ação Educativa 1/27 Curso de Capacitação para Museus Módulo IV Ação Educativa 1/27 Avaliação: uma importante ferramenta para ações educativas. 2/27 O que é avaliação? 3/27 É um processo para se obter informações que essencialmente

Leia mais

Língua e Literacia(s) no Século XXI Maputo, 4 e 5 de maio de 2017

Língua e Literacia(s) no Século XXI Maputo, 4 e 5 de maio de 2017 Língua e Literacia(s) no Século XXI Maputo, 4 e 5 de maio de 2017 1. Introdução Adquirir e desenvolver as competências de literacia exigidas atualmente pela sociedade, em geral, e pelas universidades,

Leia mais

ARTE CONTEMPORÂNEA NAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

ARTE CONTEMPORÂNEA NAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL ARTE CONTEMPORÂNEA NAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL Caroline de Azambuja¹, Ursula Rosa da Silva² ¹Graduada em Artes Visuais - modalidade licenciatura pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel),

Leia mais

EDITAL 010/2017 Câmpus Araraquara SELEÇÃO DE BOLSISTAS - BOLSA EXTENSÃO

EDITAL 010/2017 Câmpus Araraquara SELEÇÃO DE BOLSISTAS - BOLSA EXTENSÃO EDITAL 010/2017 Câmpus Araraquara SELEÇÃO DE BOLSISTAS - BOLSA EXTENSÃO ABERTURA O Diretor Geral do Câmpus Araraquara do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo, torna pública,

Leia mais

O Palco é Aqui Itinerante 1. Jamile Santos 2 Universidade Federal da Bahia, BA

O Palco é Aqui Itinerante 1. Jamile Santos 2 Universidade Federal da Bahia, BA O Palco é Aqui Itinerante 1 Jamile Santos 2 Universidade Federal da Bahia, BA RESUMO O Palco é Aqui Itinerante, projeto realizado na Universidade Federal da Bahia, teve como temática a produção cultural

Leia mais

FORMAÇÃO DE AGENTES SOCIAIS DE ESPORTE E LAZER PROGRAMAÇÃO (X) PELC TODAS AS IDADES ( ) PELC VIDA SAUDÁVEL ( ) PELC PRONASCI CONSIDERAÇÕES:

FORMAÇÃO DE AGENTES SOCIAIS DE ESPORTE E LAZER PROGRAMAÇÃO (X) PELC TODAS AS IDADES ( ) PELC VIDA SAUDÁVEL ( ) PELC PRONASCI CONSIDERAÇÕES: MINISTÉRIO DO ESPORTE SECRETARIA NACIONAL DE ESPORTE, EDUCAÇÃO, LAZER E INCLUSÃO SOCIAL PROGRAMA ESPORTE E LAZER DA CIDADE PELC FORMAÇÃO DE AGENTES SOCIAIS DE ESPORTE E LAZER PROGRAMAÇÃO 1 - IDENTIFICAÇÃO:

Leia mais

A DISCIPLINA DE DIDÁTICA NO CURSO DE PEDAGOGIA: SEU PAPEL NA FORMAÇÃO DOCENTE INICIAL

A DISCIPLINA DE DIDÁTICA NO CURSO DE PEDAGOGIA: SEU PAPEL NA FORMAÇÃO DOCENTE INICIAL A DISCIPLINA DE DIDÁTICA NO CURSO DE PEDAGOGIA: SEU PAPEL NA FORMAÇÃO DOCENTE INICIAL Kelen dos Santos Junges - UNESPAR/Campus de União da Vitória Mariane de Freitas - UNESPAR/Campus de União da Vitória

Leia mais

ARTE E COMUNICAÇÃO: UM ESTUDO JUNTO A PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

ARTE E COMUNICAÇÃO: UM ESTUDO JUNTO A PESSOAS COM DEFICIÊNCIA ARTE E COMUNICAÇÃO: UM ESTUDO JUNTO A PESSOAS COM DEFICIÊNCIA Luciane de Oliveira (PIBIC/FA/Uem), Nerli Nonato Ribeiro Mori (Orientadora), e-mail: nnrmori@uem.br Universidade Estadual de Maringá / Centro

Leia mais

Plano de Ensino Docente

Plano de Ensino Docente Plano de Ensino Docente IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Matemática FORMA/GRAU: ( ) integrado ( ) subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado (x) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE: ( x ) Presencial

Leia mais

Prêmio Energias na Arte 5ª edição 2016/2017 Regulamento da Premiação

Prêmio Energias na Arte 5ª edição 2016/2017 Regulamento da Premiação Prêmio Energias na Arte 5ª edição 2016/2017 Regulamento da Premiação 1 Apresentação O Instituto Tomie Ohtake e o Instituto EDP realizam, desde 2009, o Prêmio Energias na Arte. Assim como nas últimas edições,

Leia mais

Questões Nota % DE NOTAS 4 e 5

Questões Nota % DE NOTAS 4 e 5 O conhecimento adquirido no curso com relação às suas necessidades profissionais (as suas necessidades profissionais foram atendidas com o conhecimento adquirido? Pontue de 1 a 5) 1 - Um - Fraco - 12 (2.19%)

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA SOBRE O PROCESSO EDUCATIVO PARA A PROMOÇÃO DA EDUCAÇÃO AMBIENTALPOR INTERMÉDIO DA ALFABETIZAÇÃO CIENTÍFICA

RELATO DE EXPERIÊNCIA SOBRE O PROCESSO EDUCATIVO PARA A PROMOÇÃO DA EDUCAÇÃO AMBIENTALPOR INTERMÉDIO DA ALFABETIZAÇÃO CIENTÍFICA RELATO DE EXPERIÊNCIA SOBRE O PROCESSO EDUCATIVO PARA A PROMOÇÃO DA EDUCAÇÃO AMBIENTALPOR INTERMÉDIO DA ALFABETIZAÇÃO CIENTÍFICA Relatório de Experiência Denise Bezerra Rodrigues Gomes 1 Resumo O projeto

Leia mais

Curso: Pedagogia Componente Curricular: Psicologia da Educação Carga Horária: 50 horas. Semestre letivo/ Módulo. Professor(es):

Curso: Pedagogia Componente Curricular: Psicologia da Educação Carga Horária: 50 horas. Semestre letivo/ Módulo. Professor(es): FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO Curso: Pedagogia Componente Curricular: Psicologia da Educação Carga Horária: 50 horas Semestre letivo/ Módulo Professor(es): Período: 1º Semestre / 2015 Ementa s Estudos

Leia mais

NÚCLEOS DE ENSINO Edital 2016

NÚCLEOS DE ENSINO Edital 2016 NÚCLEOS DE ENSINO Edital 2016 A Reitoria, por intermédio da Pró-Reitoria de Graduação PROGRAD, torna público e CONVIDA os professores da UNESP, interessados em Educação, a apresentarem propostas para obtenção

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense - Campus Sombrio

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense - Campus Sombrio PLANO DE ENSINO Curso Disciplina/Carga horária Professor Responsável Licenciatura em Matemática ESTG 03- Estágio Supervisionado III (60h.a) Nome: Marleide Coan Cardoso email:marleide@ifc-sombrio.edu.br

Leia mais

PNAIC Uma síntese Nilcéa Lemos Pelandré Coordenadora Geral PNAIC/UFSC Portaria No.816/GR/UFSC/2016

PNAIC Uma síntese Nilcéa Lemos Pelandré Coordenadora Geral PNAIC/UFSC Portaria No.816/GR/UFSC/2016 PNAIC Uma síntese Nilcéa Lemos Pelandré Coordenadora Geral PNAIC/UFSC Portaria No.816/GR/UFSC/2016 O Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa é um compromisso formal assumido pelos governos federal,

Leia mais

O ESTUDO DE CASO COMO ESTRATÉGIA DE ENSINO SOBRE EQUILÍBRIO QUÍMICO E VALORIZAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO CRÍTICO DE ESTUDANTES DO ENSINO MÉDIO

O ESTUDO DE CASO COMO ESTRATÉGIA DE ENSINO SOBRE EQUILÍBRIO QUÍMICO E VALORIZAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO CRÍTICO DE ESTUDANTES DO ENSINO MÉDIO O ESTUDO DE CASO COMO ESTRATÉGIA DE ENSINO SOBRE EQUILÍBRIO QUÍMICO E VALORIZAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO CRÍTICO DE ESTUDANTES DO ENSINO MÉDIO Carla Roane de Souza Santana¹; Raimundo Jefter²; Albertina Marilia

Leia mais

CHAMAMENTO PÚBLICO PARA SELEÇÃO DE ARTISTAS ORIENTADORES PARA O PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO EM ARTES TEATRO - EDIÇÃO 2018

CHAMAMENTO PÚBLICO PARA SELEÇÃO DE ARTISTAS ORIENTADORES PARA O PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO EM ARTES TEATRO - EDIÇÃO 2018 CHAMAMENTO PÚBLICO PARA SELEÇÃO DE ARTISTAS ORIENTADORES PARA O PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO EM ARTES TEATRO - EDIÇÃO 2018 A POIESIS Organização Social de Cultura, por meio da Secretaria de Estado da Cultura,

Leia mais

O ontem e o hoje no ensino de artes, suas diretrizes curriculares e as competências atuais do professor desta disciplina.

O ontem e o hoje no ensino de artes, suas diretrizes curriculares e as competências atuais do professor desta disciplina. O ontem e o hoje no ensino de artes, suas diretrizes curriculares e as competências atuais do professor desta disciplina. Daniela Pedroso Secretaria Municipal da Educação de Curitiba EQUIPE CLEONICE DOS

Leia mais

COMPESQ/DIR - CAAR REGULAMENTO

COMPESQ/DIR - CAAR REGULAMENTO XII SALÃO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FACULDADE DE DIREITO COMPESQ/DIR - CAAR 04 A 08 DE OUTUBRO DE 2010. REGULAMENTO 1. Do Salão de Iniciação Científica 1.1 O Salão de Iniciação Científica da Faculdade

Leia mais

Shanna Duarte Lima Estagiária do Curso de Bacharelado em Turismo. Equipe: Ivone Maio Gerente Roque Lemanski Guia de Turismo

Shanna Duarte Lima Estagiária do Curso de Bacharelado em Turismo. Equipe: Ivone Maio Gerente Roque Lemanski Guia de Turismo A Escola Social de Turismo de Porto Alegre atua desde 2011 para a qualificação profissional e a sensibilização turística de residentes. As atividades são desenvolvidas por meio de palestras, encontros

Leia mais

O desafio da construção e o uso de indicadores culturais

O desafio da construção e o uso de indicadores culturais diálogo O desafio da construção e o uso de indicadores culturais Gabriela Aidar Coordenadora dos Programas Educativos Inclusivos Núcleo de Ação Educativa gaidar@pinacoteca.org.br Programas do Núcleo de

Leia mais

PIBID UMA BREVE REFLEXÃO ENTRE TEORIA E PRÁTICA DOCENTE

PIBID UMA BREVE REFLEXÃO ENTRE TEORIA E PRÁTICA DOCENTE PIBID UMA BREVE REFLEXÃO ENTRE TEORIA E PRÁTICA DOCENTE Andrieli Petrouski Guardacheski Acadêmica do Curso de Pedagogia da Universidade Estadual do Centro- Oeste/Irati bolsista do PIBID CAPES Rejane Klein,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE GUAÍRA SP PROCESSO SELETIVO EDITAL 001/2017

PREFEITURA MUNICIPAL DE GUAÍRA SP PROCESSO SELETIVO EDITAL 001/2017 PRIMEIRA RETIFICAÇÃO A Prefeitura Municipal de Guaíra, Estado de São Paulo, torna público que realizará por meio do INSTITUTO EXCELÊNCIA LTDA - ME, na forma prevista no artigo 37, inciso IX, da Constituição

Leia mais

EDITAL EXPOSIÇÕES TEMPORÁRIAS 2016

EDITAL EXPOSIÇÕES TEMPORÁRIAS 2016 EDITAL 01.2016 EXPOSIÇÕES TEMPORÁRIAS 2016 1. MTB - MUSEU THÉO BRANDÃO DE ANTROPOLOGIA E FOLCLORE O Museu Théo Brandão de Antropologia e Folclore (MTB), da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), criado

Leia mais

PROJETO DE EXTENSÃO ALFABETIZAÇÃO EM FOCO NO PERCURSO FORMATIVO DE ESTUDANTES DO CURSO DE PEDAGOGIA

PROJETO DE EXTENSÃO ALFABETIZAÇÃO EM FOCO NO PERCURSO FORMATIVO DE ESTUDANTES DO CURSO DE PEDAGOGIA PROJETO DE EXTENSÃO ALFABETIZAÇÃO EM FOCO NO PERCURSO FORMATIVO DE ESTUDANTES DO CURSO DE PEDAGOGIA Maria de Fátima Pereira Carvalho - UNEB, SME, NEPE Sandra Alves de Oliveira UNEB, CMAJO, NEPE Resumo

Leia mais

ANEXO I CARGO: PROFESSOR ATRIBUIÇÕES:

ANEXO I CARGO: PROFESSOR ATRIBUIÇÕES: ANEXO I CARGO: PROFESSOR ATRIBUIÇÕES: a) Descrição Sintética: Orientar a aprendizagem do aluno; participar no processo de planejamento das atividades da escola; organizar as operações inerentes ao processo

Leia mais

MACROPROCESSO INFORMAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO. Conceber e assegurar a execução dos planos anuais das Atividades de Dinamização e Extensão Cultural.

MACROPROCESSO INFORMAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO. Conceber e assegurar a execução dos planos anuais das Atividades de Dinamização e Extensão Cultural. PÁGINA 1 DE 6 1. OBJETIVO E ÂMBITO Conceber e assegurar a execução dos planos anuais das Atividades de Dinamização e Extensão Cultural. a) Arte na Biblioteca: contribuir para a educação estética e artística

Leia mais

MEDIAÇÃO E EDUCAÇÃO EM MUSEUS: NOVOS OLHARES

MEDIAÇÃO E EDUCAÇÃO EM MUSEUS: NOVOS OLHARES MEDIAÇÃO E EDUCAÇÃO EM MUSEUS: NOVOS OLHARES CONVOCATÓRIA O projeto Mediação e Educação em Museus: Novos Olhares tem por objetivo a realização de encontro entre educadores com a finalidade de divulgar

Leia mais