AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE BRITEIROS PLANO DE AÇÃO Teatro Amador de Briteiros - Escolar

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE BRITEIROS PLANO DE AÇÃO Teatro Amador de Briteiros - Escolar"

Transcrição

1 AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE BRITEIROS PLANO DE AÇÃO Teatro Amador de Briteiros - Escolar 1. FUNCIONAMENTO DO CLUBE 1.1. INTERVENIENTES E CARGA HORÁRIA SEMANAL Professor Oficina Tempo não lectivos semanais Maria da Conceição Gonçalves Expressão dramática 0 tempos semanais Maria da Conceição Ferreira Publicitação de eventos 0 tempos semanais Celeste Semanas Figurinos/ Caracterização 0 tempos semanais Belmira Baptista Figurinos/ Caracterização 0 tempos semanais Adriana Resende Produção e revisão de 0 tempos semanais texto Isabel Fonseca Cenografia 0 tempos semanais João Vieira Luz, Música 0 tempos semanais 1.2. RECURSOS FÍSICOS NECESSÁRIOS - Um espaço de trabalho e apresentações - Material de apoio (dossier, placares, computadores, materiais de desenho, cenários, adereços, outros...) 1.3. ACTIVIDADES a) Área de trabalhos científicos e experimentais, coordenado pela professora Estes ateliers constituem a principal atividade do clube, possibilitando desta forma um constante e dinâmico trabalho em grupo, criando e fortalecendo relações pedagógicas entre alunos e entre alunos e professores.

2 b) Área de formação para os membros do clube e atividades promovidas para a Escola e Comunidade em geral. As primeiras consistem sobretudo em visitas de estudo a locais de interesse histórico-patrimonial, teatros; contactos e colaboração com associações e instituições locais e regionais. O segundo tipo de atividades dedica-se sobretudo a divulgação do património cultural da região onde se insere a Escola, mas também de outros locais de âmbito nacional e internacional. Neste âmbito podem organizar-se peças de teatro apelando também a participação de toda a comunidade escolar e não-escolar. c) Área de informação e divulgação que serve, sobretudo, para divulgar as ações e o dinamismo do clube. Dentro desta área podem ser desenvolvidas atividades que se relacionam diretamente com o Jornal da Escola, colaborando com a produção de artigos, ou, mesmo, com a área de informática para ajudar os alunos do clube a divulgar informações e a promover o blogue do Clube. Aliás, o recurso às novas tecnologias também é uma forma de os cativar. Atividades 1º 2º 3º P E R Í O D O S Construção de cenários: Desenho Colagem, Pintura, Escultura. Construção de adereços: Desenho Colagem, Pintura, Escultura.

3 Publicitação e organização das actividades: Panfletos, Convites, Cartazes, Contactos com o exterior. Produção de textos. Expressão dramática: Expressão oral, Expressão corporal, Comunicação, Confiança em si, Abordagem cultural, Respiração. 2. COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER Desenvolvimento da concentração, utilização dos sentidos e a percepção do corpo no exercício da expressão dramática. Reforço da memória. Coordenar movimentos. Incentivo a experiências de carácter lúdico e socializante que permitam alicerçar o espírito de grupo Capacidade de selecionar técnicas de desenho, pintura, colagem, etc. no âmbito da construção de cenários e adereços. Aquisição de métodos de trabalho. Aquisição de capacidades de leitura e escrita. Melhoria da dicção. Exploração do mundo que nos rodeia.

4 Ajuda na desinibição pessoal. Montagem e produção do espetáculo escolar. Compreensão do texto dramático 3. PROCEDIMENTOS AVALIATIVOS - Avaliação periódica pelos alunos do clube. - Relatório a apresentar no final do ano letivo. 4. RELAÇÃO COM OUTROS PROJETOS Este Clube pode ser operacional com projetos da mesma escola e de outras escolas, nomeadamente pela coordenação com outros clubes existentes na Escola ou com outros clubes do mesmo tipo, existentes noutras escolas do país. Neste momento já está efetuada uma parceria com a Casa do Povo de Briteiros e Museu de Cultura Castreja. 5. IMPLICAÇÕES No projeto de intervenção da escola do Diretor Fernando Silva, em relação ao domínio artístico refere: O domínio artístico tem a ver com o desenvolvimento do sentido estético, com o saber apreciar e o saber criar com harmonia. Este domínio tem sido visto com alguma menoridade, própria de um Portugal subdesenvolvido, e exemplo disso é o diminuto espaço que ocupa nas competências gerais de ciclo. A não existência, na nossa escola, de um espaço amplo, com um palco permanente, que permita a apresentação pública de atividades artísticas (teatro, dança, música, etc.) contribui para o esquecimento destas atividades e para a desmotivação dos professores das áreas curriculares artísticas. (Silva, Fernando, 2009: 7). Consideramos pertinente a criação de um grupo de teatro escolar no nosso Agrupamento, para desenvolver nos nossos alunos diversas competências e permitir diversificar as suas experiências de vida. Esta oficina incluirá diversos espaços para permitirem aprendizagem e criação artística, como construção de cenários e adereços, organização e publicitação de eventos, expressão dramática e escrita criativa.

5 Como nos diz Constantin Stanislavski: O ator deve trabalhar, cultivar seu espírito, treinar sistematicamente os seus dons, desenvolver o seu carácter; jamais deverá desesperar e nunca renunciar a este objetivo primordial: amar a sua arte com todas as forças e sem egoísmo A coordenadora: Maria da Conceição Gonçalves

PROGRAMA AEC s Atividades Lúdico Expressivas 2015/2016

PROGRAMA AEC s Atividades Lúdico Expressivas 2015/2016 PROGRAMA AEC s Atividades Lúdico Expressivas 2015/2016 1º, 2º e 3º anos de escolaridade I-INTRODUÇÃO Segundo o Decreto-Lei nº 139/2012, de 5 de julho, as atividades lúdico-expressivas integram uma ou mais

Leia mais

Oficina de Teatro Ação de formação acreditada ( modalidade Curso) Conselho Científico da Formação Contínua/Acc /14

Oficina de Teatro Ação de formação acreditada ( modalidade Curso) Conselho Científico da Formação Contínua/Acc /14 Oficina de Teatro Ação de formação acreditada ( modalidade Curso) Conselho Científico da Formação Contínua/Acc- 76517/14 Duração: 25 horas presenciais Número de Créditos: 1 Destinatários: Educadores de

Leia mais

Clube de Teatro Afonso de Paiva

Clube de Teatro Afonso de Paiva Agrupamento de Escolas Afonso de Paiva Escola Básica Afonso de Paiva Clube de Teatro Afonso de Paiva PROJETO PARA O ANO LETIVO 2016-2017 O teatro é a poesia que sai do livro e se faz humana. (Frederico

Leia mais

XXXI ENCONTRO NACIONAL DE TEATRO NA ESCOLA

XXXI ENCONTRO NACIONAL DE TEATRO NA ESCOLA ESCOLA BÁSICA 2,3/S DR. MANUEL RIBEIRO FERREIRA Projecto para a organização do XXXI ENCONTRO NACIONAL DE TEATRO NA ESCOLA Alvaiázere, 1. ENTIDADE PROMOTORA IDENTIFICAÇÃO: Escola Básica 2,3/S Dr. Manuel

Leia mais

PROTOCOLO Setúbal, 15 de Fevereiro de 2006

PROTOCOLO Setúbal, 15 de Fevereiro de 2006 PROTOCOLO Setúbal, 15 de Fevereiro de 2006 I Introdução A ACADEMIA MORANGOS é uma marca nacional de Academias Infantis. Através de espaços pensados especialmente para crianças dos 4 aos 12 anos, dotados

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM PLANIFICAÇAO DE OFICINA DE TEATRO ANO: 8º Ano ANO LECTIVO: 2008/2009 p.1/5

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM PLANIFICAÇAO DE OFICINA DE TEATRO ANO: 8º Ano ANO LECTIVO: 2008/2009 p.1/5 p.1/5 SÓCIO-AFECTIVA 1. Dinâmica do Grupo 2. Dinâmica Individual 0. Aprofundar a dinâmica do Grupo Reconhecimento da nova realidade do Grupo. Comunicação com o outro e com o Grupo. Argumentação e negociação

Leia mais

Escola Secundária de Penafiel BIBLIOTECA ESCOLAR PLANO ANUAL DE ATIVIDADES

Escola Secundária de Penafiel BIBLIOTECA ESCOLAR PLANO ANUAL DE ATIVIDADES Escola Secundária de Penafiel BIBLIOTECA ESCOLAR PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2013-2014 Formação do Utilizador APOIO AO DESENVOLVIMENTO CURRICULAR Área de Intervenção Atividades Objetivos Responsáveis Destinatários

Leia mais

Plano Anual de Actividades Projecto Museu Escolar Dinamizado por: Ano Lectivo 2010/2011

Plano Anual de Actividades Projecto Museu Escolar Dinamizado por: Ano Lectivo 2010/2011 Plano Anual de Actividades Projecto Museu Escolar Dinamizado por: António Inácio e António Montezo Ano Lectivo 2010/2011 CALENDARIZAÇÃO ACTIVIDADES OBJECTIVOS ARTICULAÇÃO INTERDISCIPLINAR PÚBLICO-ALVO

Leia mais

PLANO NACIONAL DE PROMOÇÃO DO SUCESSO ESCOLAR

PLANO NACIONAL DE PROMOÇÃO DO SUCESSO ESCOLAR MICROREDE DE ESCOLAS DO CFAC AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MOURE E RIBEIRA DO NEIVA - Medida : Pouca autonomia por parte dos alunos nas diversas disciplinas e falta de hábitos de autorregulação das suas aprendizagens

Leia mais

Disciplina: Teatro - Iniciantes

Disciplina: Teatro - Iniciantes Teatro - Iniciantes Disciplina: Teatro - Iniciantes Tema Transversal: Cultivar e guardar a Criação PLANEJAMENTO ANUAL 2017 Disciplina: Teatro - Iniciantes Ano: 4º, 5º e 6º EF Dia da aula: Segunda-feira

Leia mais

Critérios de Avaliação Jardim de Infância

Critérios de Avaliação Jardim de Infância CASA DE INFÂNCIA DE SANTO ANTÓNIO Departamento Curricular de Creche e Jardim de Infância Critérios de Avaliação Jardim de Infância Horta 2016/2017 2 Critérios de Avaliação Jardim de Infância A avaliação

Leia mais

ARTES CÊNICAS Cenografia: Segunda-feira 16h55 às 18h30 14 vagas Dramaturgia I: Segunda-feira 18h35 às 20h10 15 vagas Dramaturgia II:

ARTES CÊNICAS Cenografia: Segunda-feira 16h55 às 18h30 14 vagas Dramaturgia I: Segunda-feira 18h35 às 20h10 15 vagas Dramaturgia II: ARTES CÊNICAS Cenografia: A disciplina trabalhará a criação da cenografia para um espetáculo teatral. Desenvolverá os processos de análise dramatúrgica, pesquisa sobre as especificidades do texto teatral,

Leia mais

AGRUPAMENTO VERTICAL DE OURIQUE

AGRUPAMENTO VERTICAL DE OURIQUE AGRUPAMENTO VERTICAL DE OURIQUE Relatório de Reflexão Critica do Plano Anual de Atividades Ano Letivo 2011/2012 1ºPeríodo Índice Índice 2 Introdução 3 Grau execução e de satisfação 4 Participação dos agentes

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Pampilhosa Plano de Actividades do Núcleo de Estágio de Matemática Ano lectivo 2006 / 2007

Agrupamento de Escolas de Pampilhosa Plano de Actividades do Núcleo de Estágio de Matemática Ano lectivo 2006 / 2007 Agrupamento de Escolas de Pampilhosa Plano de Actividades do Núcleo de Estágio de Matemática Ano lectivo 2006 / 2007 Actividades Objectivos Descrição Dinamizadores Intervenientes Cartas Tio Papel Palestra

Leia mais

REGIMENTO DOS CONSELHOS DE DIRETORES DE TURMA DO 2º e 3º CICLOS DO ENSINO BÁSICO GERAL E DO ENSINO SECUNDÁRIO (CURSOS CIENTIFICO-HUMANÍSTICOS)

REGIMENTO DOS CONSELHOS DE DIRETORES DE TURMA DO 2º e 3º CICLOS DO ENSINO BÁSICO GERAL E DO ENSINO SECUNDÁRIO (CURSOS CIENTIFICO-HUMANÍSTICOS) REGIMENTO DOS CONSELHOS DE DIRETORES DE TURMA DO 2º e 3º CICLOS DO ENSINO BÁSICO GERAL E DO ENSINO SECUNDÁRIO (CURSOS CIENTIFICO-HUMANÍSTICOS) Preâmbulo De acordo com a legislação em vigor e o regulamento

Leia mais

Avaliação Interna. Agrupamento de Escolas de Briteiros 2013/ 2017

Avaliação Interna. Agrupamento de Escolas de Briteiros 2013/ 2017 Avaliação Interna Agrupamento de Escolas de Briteiros 2013/ 2017 Apresentação da Equipa Agradecemos a todos os Alunos, Assistentes Operacionais Administrativos, Docentes, Pais e Encarregados de Educação,

Leia mais

ARTE EDUCAÇÃO E ARTETERAPIA NO AMBIENTE ESCOLAR MÓDULO I: OFICINA DE TEATRO

ARTE EDUCAÇÃO E ARTETERAPIA NO AMBIENTE ESCOLAR MÓDULO I: OFICINA DE TEATRO ARTE EDUCAÇÃO E ARTETERAPIA NO AMBIENTE ESCOLAR MÓDULO I: OFICINA DE TEATRO Profa. Ms. Ana Cláudia Ramos OFICINA DE TEATRO NO CONTEXTO ESCOLAR Como o teatro vem sendo concebido na escola? Qual a importância

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES (PAA) Adenda n.º 1. Viagens na minha Terra 2014/2015

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES (PAA) Adenda n.º 1. Viagens na minha Terra 2014/2015 PLANO ANUAL DE ATIVIDADES (PAA) Adenda n.º 1 Viagens na minha Terra 2014/2015 1 Tabela XXIII- Departamento curricular da Educação Pré-escolar Celebrar o Natal ida ao circo Destinatários: alunos da educação

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL

PLANEJAMENTO ANUAL Teatro Iniciantes Coordenadora de Área: Ana Loureiro Quarta-feira Série/Ensino: 4ª, 5ª e 6ª séries Data: 01/03/11 Professor: Marcelo Oliveira Área: DEFA Disciplina: Teatro INTENÇÃO FORMADORA DA ÁREA: PLANEJAMENTO

Leia mais

Plano Anual de Atividades Sociopedagógicas C. A. T. L.

Plano Anual de Atividades Sociopedagógicas C. A. T. L. Ano Letivo: 2015/2016 Data Comemoração Objetivos Atividades/Local 1 a 30 de setembro Receção e integração das crianças Promover o conhecimento entre colegas; Conhecer as regras do C.A.T.L; Conhecer os

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES

PLANO DE ATIVIDADES DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES Agrupamento de Escolas de Grândola PLANO DE ATIVIDADES DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES 2015/2016 Pág.1/ 7 INTRODUÇÃO O Plano Anual de das s Escolares do Agrupamento de Escolas de Grândola atende à especificidade

Leia mais

RESULTADOS DO INQUÉRITO AOS EMPREGADORES. Caracterização das entidades empregadoras

RESULTADOS DO INQUÉRITO AOS EMPREGADORES. Caracterização das entidades empregadoras Aplicado em maio de 0 Total de respondentes: entidades (num universo de 06 convidadas a responder). Caracterização das entidades empregadoras Caracterização das entidades empregadoras Fundação/Instituição/Associação

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. FR ANCISCO FERNANDES LOPES BIBLIOTECA ESCOLAR PLANO DE ACÇÃO

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. FR ANCISCO FERNANDES LOPES BIBLIOTECA ESCOLAR PLANO DE ACÇÃO ESCOLA SECUNDÁRIA DR. FR ANCISCO FERNANDES LOPES BIBLIOTECA ESCOLAR PLANO DE ACÇÃO 2009-2013 Introdução O Plano de Acção da Biblioteca Escolar para o quadriénio 2009/2013 encontra-se dividido em quatro

Leia mais

O ontem e o hoje no ensino de artes, suas diretrizes curriculares e as competências atuais do professor desta disciplina.

O ontem e o hoje no ensino de artes, suas diretrizes curriculares e as competências atuais do professor desta disciplina. O ontem e o hoje no ensino de artes, suas diretrizes curriculares e as competências atuais do professor desta disciplina. Daniela Pedroso Secretaria Municipal da Educação de Curitiba EQUIPE CLEONICE DOS

Leia mais

Agrupamento de Escolas de São Gonçalo

Agrupamento de Escolas de São Gonçalo Taxa média de retenção no 2.º ano de escolaridade de 12% no ano letivo 2014/2015 e de 11,6% no ano letivo 2015/2016. 1.º e 2.º anos. 3. Designação da Apoio educativo coadjuvante nas turmas de 1.º e 2.º

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Águeda PLANO DE ATIVIDADES Biblioteca Escolar 2013/2014 PLANO DE ATIVIDADES 2013/2014

Agrupamento de Escolas de Águeda PLANO DE ATIVIDADES Biblioteca Escolar 2013/2014 PLANO DE ATIVIDADES 2013/2014 PLANO DE ATIVIDADES 2013/2014 1 DOMÍNIO A Apoio ao desenvolvimento curricular SUBDOMÍNIO: A.1. Curricular da BE com as Estruturas de Coordenação Educativa e Supervisão Pedagógica e os Docentes Escola/comunid.

Leia mais

Plano de Intervenção

Plano de Intervenção Plano de Intervenção 201415 Os agrupamentos de escolas que já integram a Rede aler+ são convidados a apresentarem um Plano de Intervenção que evidencie a centralidade da leitura e envolva os jardins de

Leia mais

OBJETIVOS ATIVIDADES INTERVENIENTES ESPAÇO

OBJETIVOS ATIVIDADES INTERVENIENTES ESPAÇO CALENDARIZAÇÃO E TEMÁTICA Setembro / Outubro Integração das crianças no Outubro / Novembro O Outono Outubro Dia Mundial da Alimentação OBJETIVOS ATIVIDADES INTERVENIENTES ESPAÇO - Organizar o ambiente

Leia mais

Fotografar olhos e dedos de alunos (formas de ler visão e Braille)

Fotografar olhos e dedos de alunos (formas de ler visão e Braille) Ação 1 Leio-te Promover a formação do utilizador. Integrar os novos alunos na dinâmica das BE. Criar uma dinâmica renovada no espaço das bibliotecas. Renovar o ambiente, tornando-o mais apelativo e sugestivo.

Leia mais

Agrupamento de Escolas Fragata do Tejo, Moita Escola Básica dos 2º e 3º ciclos Fragata do Tejo

Agrupamento de Escolas Fragata do Tejo, Moita Escola Básica dos 2º e 3º ciclos Fragata do Tejo Agrupamento de Escolas Fragata do Tejo, Moita Escola Básica dos 2º e 3º ciclos Fragata do Tejo MELHORAR RESULTADOS EDUCATIVOS E ESCOLARES EM HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL PLANO DE AÇÃO Julho de 2014

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2014-2015 Com vista ao sucesso escolar dos alunos e ao desejo da melhoria do serviço prestado pelo Agrupamento de Escolas Pedro Alexandrino, é elaborado este Plano Anual de Atividades

Leia mais

PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES

PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES Departamento: BIBLIOTECA ESCOLAR Eio de Intervenção: (Nº) 1;2 Plano Melhoria: Ação/Atividade Objetivos Coordenador/ Colaboradores Público-alvo Calendarização Actividade CNL Actividade

Leia mais

Critérios Específicos de Avaliação Ano letivo de 2012/2013

Critérios Específicos de Avaliação Ano letivo de 2012/2013 Departamento de Expressões e Representação Ano Letivo 2012/2013 Disciplina de Modelação e Animação 3D - 11º e 12º ano Critérios Específicos de Avaliação Ano letivo de 2012/2013 1. Introdução à disciplina

Leia mais

1º Período Recursos materiais

1º Período Recursos materiais Actividades de Enriquecimento Curricular no 1º Ciclo - Animação Cultural Plano de Actividades 2010/2011 Calendarização Actividades Objectivos Intervenientes 1º Período Setembro (Outono), a partir do dia

Leia mais

PLANO DE ACTIVIDADES DA BIBLIOTECA ESCOLAR / CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS 2008/2009

PLANO DE ACTIVIDADES DA BIBLIOTECA ESCOLAR / CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS 2008/2009 DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DO NORTE CENTRO DE ÁREA EDUCATIVA DE VILA REAL Cod. 345696 AGRUPAMENTO VERTICAL DO BAIXO BARROSO PLANO DE ACTIVIDADES DA BIBLIOTECA ESCOLAR / CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS

Leia mais

Centro Social de Santa Maria de Sardoura Plano Anual de Atividades - Prolongamento Escolar

Centro Social de Santa Maria de Sardoura Plano Anual de Atividades - Prolongamento Escolar Ano Letivo: 2015 /2016 Data Comemoração Objetivos Atividades/Local Recursos Humanos e Materiais (Internos/Externos) Observações 01 a 30 de setembro Receção e integração das crianças Promover o conhecimento

Leia mais

ABADE DE BAÇAL

ABADE DE BAÇAL ABADE DE BAÇAL 1865-1947 TRANSMONTANO HISTORIADOR AUTODIDATA ARQUEÓLOGO DIRETOR DO MUSEU DO ABADE DE BAÇAL 1925 14 SALAS Arqueologia, Epigrafia, Arte Sacra, Pintura, Ourivesaria, Numismática, MUSEU CENTENÁRIO

Leia mais

Bem-vindo(a)s Encarregados de Educação 12 e 13 de outubro 2015

Bem-vindo(a)s Encarregados de Educação 12 e 13 de outubro 2015 Bem-vindo(a)s Encarregados de Educação 12 e 13 de outubro 2015 Agenda Preparação do trabalho a realizar no ano letivo 2015/2016 Regulamento Interno disponível no portal do agrupamento www.esvalongo.org

Leia mais

Associação de Professores de Teatro-Educação Rua Cidade da Horta, 54 2º direito Lisboa E- Mail:

Associação de Professores de Teatro-Educação Rua Cidade da Horta, 54 2º direito Lisboa E- Mail: A Revisão da Estrutura Curricular (APROTED Associação de Professores de Teatro - Educação) 1 Associação de Professores de Teatro-Educação Rua Cidade da Horta, 54 2º direito 1000-103 Lisboa E- Mail: teatronaeducacao@gmail.com

Leia mais

NA MATEMÁTICA TU CONTAS

NA MATEMÁTICA TU CONTAS PLANO AÇÃO ESTRATÉGICA 41ª MEDIDA NA MATEMÁTICA TU CONTAS OBJETIVO Melhorar o sucesso em Matemática. ANO(S) ESCOLARIDA A ABRANGER - Do 1.º ao 9.º de escolaridade. ATIVIDAS A SENVOLVER NO ÂMBITO DA MEDIDA:

Leia mais

A Escola João Afonso de Aveiro está inserida no Agrupamento de Escolas de Aveiro.

A Escola João Afonso de Aveiro está inserida no Agrupamento de Escolas de Aveiro. A Escola João Afonso de Aveiro está inserida no Agrupamento de Escolas de Aveiro. 1 / 6 Somos uma Escola com excelentes horários e diversos apoios ao estudo: de Salas de Estudo em grupo, Aulas de Apoio

Leia mais

Agrupamento de Escolas Verde Horizonte Projeto Educativo (Anexo3)

Agrupamento de Escolas Verde Horizonte Projeto Educativo (Anexo3) Agrupamento de Escolas Verde Horizonte Projeto Educativo (Anexo3) 2016-2019 Anexo 3 (Plano de Ação Estratégica) (PNPSE) 1 Introdução O Projeto Educativo do AEVH define como uma das principais áreas de

Leia mais

PLANO ANUAL 2014/2015

PLANO ANUAL 2014/2015 PLANO ANUAL 2014/2015 ATIVIDADES DE ANIMAÇÃO DE APOIO À FAMÍLIA ATIVIDADES DE ANIMAÇÃO DE APOIO À FAMÍLIA A Componente de Apoio à Família é um projeto de Educação que visa proporcionar às crianças do Jardim

Leia mais

PLANO DE FORMAÇÃO 2014/2017

PLANO DE FORMAÇÃO 2014/2017 Agrupamento de Escolas Vasco Santana Código 171840 PLANO DE FORMAÇÃO 2014/2017 Aprovado em conselho pedagógico de 22 de janeiro 2015. Índice NOTA INTRODUTÓRIA... 3 PÚBLICO-ALVO... 3 OBJETIVOS GERAIS...

Leia mais

Plano de melhoria (2015/16)

Plano de melhoria (2015/16) Plano de melhoria (2015/16) Introdução Agrupamento Vertical de Portel Escola EB 2,3 de D. João de Portel Quatro domínios de ação da Biblioteca Escolar: A. Currículo, literacias e aprendizagem B. Leitura

Leia mais

Sala: CATL. Educadora: Helena Salazar Professora: Elisabete Oliveira

Sala: CATL. Educadora: Helena Salazar Professora: Elisabete Oliveira Sala: CATL Educadora: Helena Salazar Professora: Elisabete Oliveira CALENDARIZAÇÃO TEMAS/CONTEÚDOS OBJETIVOS ATIVIDADES SETEMBRO Receção e integração das crianças Conhecer os diferentes espaços da instituição

Leia mais

estudo das cores e as formas formas geométricas.

estudo das cores e as formas formas geométricas. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA CEDUC - CENTRO DE EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO GERAL DA EDUCAÇÃO BÁSICA COLÉGIO DE APLICAÇÃO PLANO BIMESTRAL 1º BIMESTRE DISCIPLINA SÉRIE (S) TURMA (S) Arte

Leia mais

Afetos intergeracionais - Visita a um lar de idosos; - Elaboração e oferta de um presente simbólico; - Partilha de saberes.

Afetos intergeracionais - Visita a um lar de idosos; - Elaboração e oferta de um presente simbólico; - Partilha de saberes. Direcção Regional de Educação do Norte AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE VIEIRA DE ARAÚJO EB/S VIEIRA DE ARAÚJO - 343389 PLANIFICAÇÃO DE ACTIVIDADES 2014/2015 DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES PROJECTO EDUCATIVO

Leia mais

PLANO DE ARTICULAÇÃO. Agrupamento de Escolas Rio Arade. Ano letivo 2012/2013 [Escolha a data] Plano de Articulação / 2013

PLANO DE ARTICULAÇÃO. Agrupamento de Escolas Rio Arade. Ano letivo 2012/2013 [Escolha a data] Plano de Articulação / 2013 Agrupamento de Escolas Rio Arade PLANO DE ARTICULAÇÃO Ano letivo 2012/2013 [Escolha a data] 1 / 9 Índice Nota introdutória... 3 Objetivos Gerais... 4 Estratégias de intervenção... 5 Organização... 6 Procedimentos

Leia mais

CURSO: ARTE EM AÇÃO - LITERATURA

CURSO: ARTE EM AÇÃO - LITERATURA CURSO: ARTE EM AÇÃO - LITERATURA Docente: Mariana Felix de Oliveira Carga Horária Total do Projeto: 295 hrs Resumo: A oficina de literatura é uma das três vertentes que compõe o projeto Arte em ação. Terá

Leia mais

7. Participar em atividades (efemérides, palestras, eventos de leitura, sessões formativas, projetos, clubes, outras)

7. Participar em atividades (efemérides, palestras, eventos de leitura, sessões formativas, projetos, clubes, outras) QA Questionário aos alunos 17 Escola: 1 Identificação: Data: Masculino 2 Frequentas o Feminino Ensino Básico: 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º Outros cursos Ensino Secundário: 10.º 11.º 12.º Curso profissional Outros

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DE COIMBRA

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DE COIMBRA ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DE COIMBRA PLANO DE ATIVIDADES CONSELHO PEDAGÓGICO ANO LETIVO 2013/2014 COIMBRA, 2013 ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DE COIMBRA PLANO DE ATIVIDADES CONSELHO PEDAGÓGICO ANO

Leia mais

período 5º Semana anterior ao Carnaval espírito natalício período 6º Promover o contacto com a cultura Norte-Americana

período 5º Semana anterior ao Carnaval espírito natalício período 6º Promover o contacto com a cultura Norte-Americana INGLÊS 2º CICLO PLANO DE ATIVIDADES DO DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS 2012-2014-2015 ANO ATIVIDADE OBJETIVOS/ OPERACIONALIZAÇÃO CALENDARIZAÇÃO Christmas Cards / Christmas Promover o contacto com a cultura anglo-saxónica,

Leia mais

PLANO DE ACTIVIDADES 2010/2011

PLANO DE ACTIVIDADES 2010/2011 PLANO DE ACTIVIDADES 2010/2011 O Plano Anual de Actividades deve ser entendido como o instrumento da planificação das actividades es, para um ano lectivo, no qual estão plasmadas as decisões sobre os objectivos

Leia mais

CONSERVATÓRIO DE MÚSICA CALOUSTE GULBENKIAN DE BRAGA

CONSERVATÓRIO DE MÚSICA CALOUSTE GULBENKIAN DE BRAGA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA CALOUSTE GULBENKIAN DE BRAGA PLANO DE MELHORIA 2014 / 2016 ÍNDICE Introdução 3 Resultados da Avaliação Externa 4 Ações a contemplar no Plano de Melhoria 5 Conclusão 7 2 Introdução

Leia mais

CLUBE de Informática e Robótica

CLUBE de Informática e Robótica (A PREENCHER PELA COMISSÃO DO PAA) Atividade Nº AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE FRAGOSO Projeto CLUBE de Informática e Robótica (CIR) Equipa Dinamizadora: Clara Fernandes Marina Ribeiro Ano letivo 2016/2017

Leia mais

Escola Superior de Educação Almeida Garrett

Escola Superior de Educação Almeida Garrett Escola Superior de Educação Almeida Garrett Regulamento Interno do Gabinete de Formação Contínua Preâmbulo O Gabinete de Formação Contínua (adiante designado por GFC) da Escola Superior de Educação Almeida

Leia mais

Programa de Desenvolvimento Sustentável da Escola (PDSE) Instituto Brasil Solidário

Programa de Desenvolvimento Sustentável da Escola (PDSE) Instituto Brasil Solidário Apresentação Neste ano, sua escola e comunidade receberão diversas atividades com a chegada do Programa de Desenvolvimento Sustentável da Escola (PDSE) no seu município, com o Instituto Brasil Solidário

Leia mais

Recreio Interativo no Jardim de Infância

Recreio Interativo no Jardim de Infância Recreio Interativo no Jardim de Infância Para efeito de Candidatura ao Orçamento Participativo 2012 Câmara Municipal de Odemira Projeto de Requalificação do espaço de recreio do Jardim de Infância de Vila

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Alcabideche Escola Básica de Alcabideche PLANO ANUAL DE ATIVIDADES ANO LETIVO

Agrupamento de Escolas de Alcabideche Escola Básica de Alcabideche PLANO ANUAL DE ATIVIDADES ANO LETIVO BIBLIOTECA ESCOLAR - ALCABIDECHE E ALTO DA PEÇA - GLOBAL Data Atividades Reuniões entre a Professora Bibliotecária/Coordenadora da Biblioteca Escolar () o Diretor do Agrupamento (DA) e/ou a Coordenadora

Leia mais

Plano Anual de Atividades

Plano Anual de Atividades Plano Anual de Atividades 2014 / 2015 APAEA Índice 1. NOTA INTRODUTÓRIA... 1 2. RELAÇÃO COM OS PAIS/ENCARREGADOS DE EDUCACAÇÃO E SOCIOS... 2 3. REPRESENTAÇÃO NOS ORGÃOS DO AGRUPAMENTO... 3 4. MELHORIA

Leia mais

TEATRO UNIVERSITÁRIO SECULT-ARTE UFC. Seminário Avaliação / Acompanhamento Gestão 2012/16

TEATRO UNIVERSITÁRIO SECULT-ARTE UFC. Seminário Avaliação / Acompanhamento Gestão 2012/16 TEATRO UNIVERSITÁRIO SECULT-ARTE UFC 1 Teatro Universitário Paschoal Carlos Magno Inauguração (1965) Av. da Universidade, 2210, Benfica. Gestão atual (2011 2014) Secretaria de Cultura Artística 2015-50

Leia mais

INFÂNCIA. PLANO ANUAL DE ATIVIDADES Ano Letivo 2015/2016

INFÂNCIA. PLANO ANUAL DE ATIVIDADES Ano Letivo 2015/2016 INFÂNCIA PLANO ANUAL DE ATIVIDADES Ano Letivo 2015/2016 Plano aprovado em reunião de Direção de 24 de setembro de 2015 Plano elaborado e proposto pelo Corpo Docente em reunião de 14 de setembro de 2015

Leia mais

Cursos do Conservatório Vocacionais. Cursos Profissionais

Cursos do Conservatório Vocacionais. Cursos Profissionais Cursos do Conservatório Vocacionais Piano, Canto, Violino, Guitarra, Saxofone, Harpa e de um modo geral todos os instrumentos de orquestra. Cursos Profissionais A Escola Profissional das Artes da Madeira

Leia mais

Clube Atelier de Artes 2. in Currículo Nacional do Ensino Básico Competências Essenciais

Clube Atelier de Artes 2. in Currículo Nacional do Ensino Básico Competências Essenciais As artes são elementos indispensáveis no desenvolvimento da expressão pessoal, social e cultural do aluno. São formas de saber que articulam imaginação, razão e emoção. Elas perpassam as vidas das pessoas,

Leia mais

Introdução. 2. O domínio da Língua Portuguesa, ferramenta essencial de acesso ao conhecimento

Introdução. 2. O domínio da Língua Portuguesa, ferramenta essencial de acesso ao conhecimento Agrupamento de Escolas de Torre de Dona Chama Biblioteca Escolar/Área de Projecto Novas leituras, outros horizontes Ano Lectivo 2010/2011 ÍNDICE Introdução 3 1. A Escola novos desafios 3 2. O domínio da

Leia mais

CURRICULUM VITAE [ IDENTIFICAÇÃO [ HABILITAÇÕES ACADÉMICAS [ ACTIVIDADE DOCENTE. Nome: CARLOS MANUEL DE CAMPOS MAGALHÃES COSTA

CURRICULUM VITAE [ IDENTIFICAÇÃO [ HABILITAÇÕES ACADÉMICAS [ ACTIVIDADE DOCENTE. Nome: CARLOS MANUEL DE CAMPOS MAGALHÃES COSTA CURRICULUM VITAE [ IDENTIFICAÇÃO Nome: CARLOS MANUEL DE CAMPOS MAGALHÃES COSTA [ HABILITAÇÕES ACADÉMICAS Licenciatura em Ciências Farmacêuticas (Opção de Análises Químico-Biológicas) pela Faculdade de

Leia mais

PAA BE-EB 2,3 Aradas Ano Letivo 2016 / 2017

PAA BE-EB 2,3 Aradas Ano Letivo 2016 / 2017 PAA BE-EB 2,3 Aradas Ano Letivo 2016 / 2017 - Ao longo do ano - Manutenção do blogue da BE - Divulgar as actividades no blogue - Promover a integração da BE na Escola -Difusão da informação educativa -

Leia mais

Inês Isabel Falé Cipriano. Educação / Formação / Animação Sócio-Cultural

Inês Isabel Falé Cipriano. Educação / Formação / Animação Sócio-Cultural INFORMAÇÃO PESSOAL Inês Isabel Falé Cipriano Rua 25 de Abril Nº17, 2580-401 Atalaia, Alenquer 913448834 ines_cipriano1987@hotmail.com Sexo Feminino Data de nascimento 08 de Outubro 1987 Nacionalidade Portuguesa

Leia mais

Planificação Anual Disciplina - Expressões - 4 º Ano. Ano letivo: 2017/2018. Expressão Físico- Motora

Planificação Anual Disciplina - Expressões - 4 º Ano. Ano letivo: 2017/2018. Expressão Físico- Motora Planificação Anual Disciplina - Expressões - 4 º Ano Ano letivo: 2017/2018 Calendarização Bloco/Conteúdos N.º de aulas Expressão Físico- Motora Ginástica - Realização de habilidades gímnicas básicas em

Leia mais

Escola Básica do 1º Ciclo c/ Jardim de Infância do Reguengo

Escola Básica do 1º Ciclo c/ Jardim de Infância do Reguengo Escola Básica do 1º Ciclo c/ Jardim de Infância do Reguengo Actividades Recepção aos novos alunos - Promover a integração dos novos alunos; Início do ano lectivo 15/09/2003 algumas regras de convivência

Leia mais

Respostas da entrevista A - Diretora. Tema: Compreender o processo de autoavaliação do agrupamento e perspetivar oportunidades de melhoria.

Respostas da entrevista A - Diretora. Tema: Compreender o processo de autoavaliação do agrupamento e perspetivar oportunidades de melhoria. Respostas da entrevista A - Diretora Tema: Compreender o processo de autoavaliação do agrupamento e perspetivar oportunidades de melhoria. Pergunta de partida: Com vista à promoção da melhoria das práticas

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular

Ficha de Unidade Curricular Ficha de Unidade Curricular Unidade Curricular Designação: Projecto de Design Industrial I Área Científica: Design de Produto (DP) Ciclo de Estudos: Licenciatura Carácter: Obrigatória Semestre: 2º ECTS:

Leia mais

PLANO TIC 1

PLANO TIC 1 2015-2016 PLANO TIC 1 Agrupamento de Escolas de Fornos de Algodres Estrada Nacional n.º 16 6370-147 Fornos de Algodres Tel.: 271700110 Fax: 271700118 www.ae-fa.pt e-mail: aefa.og@ae-fa.pt 2 Equipa PTE

Leia mais

A Educação Especial na Escola

A Educação Especial na Escola A Educação Especial na Escola O currículo escolar consiste em todas as atividades planificadas ou encorajadas por forma a promover o desenvolvimento intelectual, pessoal, social e físico dos alunos. Inclui

Leia mais

Atividades de Apoio Educativo

Atividades de Apoio Educativo Plano Curricular 2012 2013 Plano Anual de Atividades Atividades de Apoio Educativo Departamento/Estrutura: Orientações para as Atividades de Apoio Educativo Receção Biblioteca Manuel Monteiro Zonas de

Leia mais

Plano. para a Implementação Vertical. Ensino Experimental das Ciências

Plano. para a Implementação Vertical. Ensino Experimental das Ciências Plano para a Implementação Vertical Ensino Experimental das Ciências Panoias - Braga 2010/2011 ÍNDICE 1-INDRODUÇÃO--------------------------------------------------------------------------------- 3 2-OBJECTIVOS

Leia mais

Descrição do Perfil de Aprendizagem

Descrição do Perfil de Aprendizagem Critérios de Avaliação das Disciplinas de Tecnologias de Informação e Comunicação e de Oficinas de Multimédia 3º ciclo do Ensino Básico Departamento de Matemática e Informática Grupo 550-Informática Descrição

Leia mais

Deste modo o domínio privilegiado este ano é o Domínio A- Apoio ao desenvolvimento curricular

Deste modo o domínio privilegiado este ano é o Domínio A- Apoio ao desenvolvimento curricular 1º Período BibliotecaEscolar Agrupamento de Escolasde Águeda PLANO DE ACTIVIDADES 2010/2011 As actividades dinamizadas pela BE em articulação com os diferentes departamentos curriculares têm em vista a

Leia mais

Educação Pré-Escolar

Educação Pré-Escolar Educação Pré-Escolar Sendo a primeira etapa na educação básica, as competências gerais para a Educação Pré Escolar constituem um conjunto de princípios para apoiar o Educador de Infância na sua prática,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 055/2005-COU/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 055/2005-COU/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 055/2005-COU/UNICENTRO ESTA RESOLUÇÃO ESTÁ REVOGADA PELA RESOLUÇÃO Nº 23/2009-COU/ UNICENTRO. Aprova o Currículo do Curso de Graduação em Arte-Educação da UNICENTRO, Campus Universitário de

Leia mais

Projecto aler

Projecto aler Área de incidência Estratégia para envolver toda a escola Actividades para envolver toda a comunidade educativa profissional contínuo Relações interdisciplinares Projecto aler+ 2010-2011 Lançamento Uma

Leia mais

USO DE ATIVIDADES INVESTIGATIVAS NAS AULAS DE FÍSICA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA PARA O ESTUDO DA GRAVITAÇÃO

USO DE ATIVIDADES INVESTIGATIVAS NAS AULAS DE FÍSICA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA PARA O ESTUDO DA GRAVITAÇÃO USO DE ATIVIDADES INVESTIGATIVAS NAS AULAS DE FÍSICA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA PARA O ESTUDO DA GRAVITAÇÃO Maria Betania Guedes Cândido 1 ; Alessandro Frederico da Silveira 2 1 Escola Estadual de Ensino

Leia mais

Teatro para todos EMEIEF Prof. Ernesto Marcondes Rangel

Teatro para todos EMEIEF Prof. Ernesto Marcondes Rangel Teatro para todos EMEIEF Prof. Ernesto Marcondes Rangel Professor(es) Apresentador(es): Plinio de Oliveira Macedo Junior Realização: Foco do Projeto O fazer teatral é uma ferramenta pedagógica de grande

Leia mais

Associação de Pais e Encarregados de Educação do Jardim de Infância dos Olivais PLANO DE ATIVIDADES 2015/2016

Associação de Pais e Encarregados de Educação do Jardim de Infância dos Olivais PLANO DE ATIVIDADES 2015/2016 Associação de Pais e Encarregados de Educação do Jardim de Infância dos Olivais PLANO DE ATIVIDADES 2015/2016 O ano letivo 2015/2016 será um ano de implementação da Associação de Pais e Encarregados de

Leia mais

Escola Secundária José Saramago Mafra. Plano Estratégico

Escola Secundária José Saramago Mafra. Plano Estratégico Escola Secundária José Saramago Mafra Plano Estratégico 2014/2015 Preâmbulo O Plano Estratégico para 2014/2015 visa dar cumprimento ao disposto no artigo 15º do despacho normativo nº 6/2014, de 26 de maio.

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Santiago do Cacém Plano de Atividades Férias da Páscoa 2015

Agrupamento de Escolas de Santiago do Cacém Plano de Atividades Férias da Páscoa 2015 Agrupamento de Escolas de Santiago do Cacém Plano de s Férias da Páscoa 2015 Plástica alusiva à Primavera Os desenhos mágicos motricidade fina e a destreza manual Desenvolver o sentido cromático Assinalar

Leia mais

Projeto Pedagógico e de Animação Campos de Férias Tá a Mexer

Projeto Pedagógico e de Animação Campos de Férias Tá a Mexer Projeto Pedagógico e de Animação Campos de Férias Tá a Mexer 1 Caraterização da Associação Juvenil Tá a Mexer A Associação Juvenil Tá a Mexer é uma associação sem fins lucrativos, sediada no concelho da

Leia mais

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR Curso Mestrado em Educação Pré-Escolar e Ano letivo 2015/2016 Ensino do 1.º ciclo do Ensino Básico Unidade Curricular Didática das Expressões ECTS 7 Regime Obrigatório Ano 1.º Semestre 2º semestre Horas

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Departamento da Educação Pré-Escolar Planificação Mensal Ano Letivo 2015/2016

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Departamento da Educação Pré-Escolar Planificação Mensal Ano Letivo 2015/2016 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Departamento da Educação Pré-Escolar Planificação Mensal Ano Letivo 2015/2016 MÊS: maio Área de Conteúdo Domínio Objetivos Estratégias Formação Pessoal e Social

Leia mais

6236 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. 4. o. Portaria n. o 1172/97

6236 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. 4. o. Portaria n. o 1172/97 6236 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o 266 17-11-1997 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Portaria n. o 1172/97 de 17 de Novembro Sob proposta do e da sua ; Ao abrigo do disposto no artigo 4. o do Decreto-Lei n. o

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ANADIA Critérios Gerais de Avaliação 1º Ciclo do Ensino Básico 2011/2012. Critérios Gerais de Avaliação 1º CEB

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ANADIA Critérios Gerais de Avaliação 1º Ciclo do Ensino Básico 2011/2012. Critérios Gerais de Avaliação 1º CEB Critérios Gerais de Avaliação 1º CEB 0 Introdução No Ensino Básico A avaliação constitui um processo regulador das aprendizagens, orientador do percurso escolar e certificador das diversas aquisições realizadas

Leia mais

PROJECTO DE CRIAÇÃO DE UM GRUPO DE BOMBOS

PROJECTO DE CRIAÇÃO DE UM GRUPO DE BOMBOS PROJECTO DE CRIAÇÃO DE UM GRUPO DE BOMBOS DINAMIZADORES: Rodrigo Barreto / Susana Malaínho / Teresa Barbosa ANO LECTIVO: 2010/2011 Índice 1- Apresentação do projecto: Criação de um Grupo de Bombos 2- Objectivos

Leia mais

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. Documento de Apoio: Desagregação das medidas e das tipologias de atividades

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. Documento de Apoio: Desagregação das medidas e das tipologias de atividades Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento Documento de Apoio: Desagregação das medidas e das tipologias de atividades Desagregação das medidas e das tipologias de atividades ESTRATÉGIA NACIONAL

Leia mais

Plano Anual de Atividades 2016/ 2017

Plano Anual de Atividades 2016/ 2017 Plano Anual de Atividades 2016/ 2017 Setembro Dia 02 Para além de criar um Acolhimento em cada sala, Receção das crianças ambiente acolhedor, fazer de cada criança, dando-lhe a sentir às crianças o conhecer

Leia mais

PLANO TIC E D U C A Ç Ã O P RÉ- E S C O L A R E 1 º C I C L O D O E N S I N O B Á S I C O 2012/2013. O Coordenador TIC. Manuel José Gouveia Alves

PLANO TIC E D U C A Ç Ã O P RÉ- E S C O L A R E 1 º C I C L O D O E N S I N O B Á S I C O 2012/2013. O Coordenador TIC. Manuel José Gouveia Alves PLANO TIC 2012/2013 E D U C A Ç Ã O P RÉ- E S C O L A R E 1 º C I C L O D O E N S I N O B Á S I C O O Coordenador TIC Manuel José Gouveia Alves [1] CARACTERIZAÇÃO DA ESCOLA ESCOLA Escola Básica do 1º Ciclo

Leia mais

Autonomia e Flexibilidade. 2 de maio de 2017

Autonomia e Flexibilidade. 2 de maio de 2017 Autonomia e Flexibilidade 2 de maio de 2017 1 Ponto de partida Alargamento da escolaridade obrigatória para 12 anos. Promoção de melhores aprendizagens no âmbito do Programa Nacional de Promoção do Sucesso

Leia mais

OBJETIVOS DO PLANO ANUAL DE ATIVIDADES

OBJETIVOS DO PLANO ANUAL DE ATIVIDADES OBJETIVOS DO PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2012-2013 Promover o sucesso académico Reforçar a organização, coordenação e articulação curricular Promover a participação dos Encarregados de Educação no processo

Leia mais

Programa BIP/ZIP 2016

Programa BIP/ZIP 2016 Programa BIP/ZIP 2016 FICHA DE CANDIDATURA Refª: 051 BOUTIQUE DO BAIRRO Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060 Lisboa Telefone:

Leia mais

Centro Social Monsenhor Júlio Martins

Centro Social Monsenhor Júlio Martins Centro Social Monsenhor Júlio Martins Plano Anual de Atividades 2014/2015 Tema do Projeto Educativo: Brincar a Aprender Tema do Projeto Curricular de Turma: Descobrir com as emoções Sala dos 3,4 e 5 anos

Leia mais