BEM-VINDO AO ESPAÇO DO PROFESSOR. interação e inter-relação que esperamos potencializar.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BEM-VINDO AO ESPAÇO DO PROFESSOR. interação e inter-relação que esperamos potencializar."

Transcrição

1 BEM-VINDO AO ESPAÇO DO PROFESSOR interação e inter-relação que esperamos potencializar. Tendo como ponto de partida algumas obras expostas na 29ª Bienal, pretendemos tecer uma rede de ideias enquanto refletimos juntos sobre os seguintes recortes, fundamentais quando se trata de arte contemporânea: APRESENTAÇÃO Nosso objetivo é inaugurar um espaço virtual para o encontro, o diálogo e a troca de experiências. Em 7 encontros, vamos discutir sobre arte, o ensino da arte e as possibilidades do olhar contemporâneo. A cada encontro, uma conversa. Conversas interligadas, que se expandem em outras, sempre em movimento. Estas conversas vão se tornando cada vez mais complexas, não apenas pelo grau de entrelaçamento dos conteúdos apresentados, mas pelas possibilidades de UMA CONVERSA SOBRE A ARTE DE HOJE BIENAL E BIENAIS CURADORIA E EIXOS CONCEITUAIS PLURALIDADE LUGAR DA ARTE SISTEMA DA ARTE CAMINHOS DA ARTE O ESPAÇO DO EDUCADOR está em conexão direta com a sala de aula, por isso vamos abordar questões recorrentes no ensino de arte contemporânea, abrindo possibilidades de investigações para traçar novos percursos e trajetórias da arte na escola. Boa investigação!

2 Encontro 1 UMA CONVERSA SOBRE A ARTE DE HOJE A arte precisa de público e as pessoas podem se tornar mais sensíveis quando em contato com a arte. O binômio arte-público está presente em vários âmbitos da arte. Neste encontro, vamos apresentar algumas ideias importantes para aquecer o debate sobre as relações entre obra, artista e público, as quais são indissociáveis na produção artística.

3 QUANDO VOCÊ PENSA EM ARTE VOCÊ PENSA EM QUÊ? A relação produção de arte e público nem sempre anda no mesmo compasso. As expectativas do público dependem de suas experiências anteriores com a arte e os critérios acionados para estabelecer relações podem mostrar-se insuficientes se não houver abertura para o novo, o inusitado. Algumas expectativas em relação à arte contemporânea A arte contemporânea pode nos surpreender. O espectador pode se relacionar com as obras de arte com a mesma liberdade com que o artista cria. Sua relação também pode ser criadora, um exercício experimental de liberdade. A ARTE CONTEMPORÂNEA PODE NOS SURPREENDER Uma obra de arte deve corresponder a um objeto acabado? Deve ser única, original e autêntica? ARTE COMO IDEIA, AÇÃO, PROCESSO, SITUAÇÃO, PROJETO, EXPERIÊNCIA PERFORMANCE, FOTOGRAFIA, VÍDEO COMO POSSIBILIDADES DA ARTE Só é possível encontrar obras de arte em museus, centros culturais e galerias? Deve ser produto das mãos do artista e demonstrar uma maestria técnica digna de admiração? Composta por materiais nobres, próprios ao campo da arte? Toda obra de arte é autônoma? AMPLIAÇÃO DO CIRCUITO DA ARTE MAESTRIA TÉCNICA NÃO MAIS EM PRIMEIRO PLANO A ARTE PODE ESTAR CONECTADA À VIDA COTIDIANA QUALQUER MATERIAL É MATERIAL DE ARTE

4 ALGUMAS CARACTERÍSTICAS DA ARTE CONTEMPORÂNEA Ao entrar em qualquer espaço que mostra arte contemporânea, o olhar é tomado por uma profusão se informações, inicialmente visuais, de diferentes naturezas. O que a percepção capta revela algumas características da arte atual: pluralidade, incomunicabilidade, relação entre arte e vida, estranhamento. PLURALIDADE Instalação, performance, fotografia, pintura, vídeo. Objetos, intervenções, desenhos, esculturas, grafite e gravuras. Isto quando não nos deparamos com as categorias misturadas, e não conseguimos definir o que é ou do que é feito o trabalho. Desde os anos 60, com o surgimento de tendências como a pop art, o minimalismo, a performance e a arte conceitual, a produção artística toma rumos variados. As novas propostas denunciavam o esgotamento da arte moderna. Fernanda Albuquerque INCOMUNICABILIDADE A arte não necessariamente comunica algo. Assim, ao se deparar com uma obra de arte, cada um se relaciona de um modo, não existe um único significado para ela. Esta incomunicabilidade gera diferentes pontos de vista e debate. Para Agnaldo Farias, precisamos garantir a existência daquilo que não entendemos. RELAÇÃO ENTRE VIDA E ARTE A criação artística atual flexibiliza as fronteiras entre o que é e o que não é arte. Objetos do cotidiano podem se converter em obras de arte e, por outro lado, as obras de arte passaram a habitar a paisagem do dia a dia. A fronteira entre a arte e a vida é mais permeável. ESTRANHAMENTO O estranhamento surge com a arte moderna, quando o artista passa a ser impulsionado a buscar o novo, ou seja, o desconhecido. Desde então, a sensação de estranhamento, de incompletude e de inquietação acompanha a produção artística. Esta característica não é tão atual, e até hoje ainda não nos acostumamos com ela, mas é ela que desafia a pensar. A arte sempre exigiu um entendimento sofisticado. É como qualquer outra área do conhecimento. Agnaldo Farias

5 O QUE A EDUCAÇÃO TEM A VER COM TUDO ISTO? É preciso cultivar o hábito de estar em contato com a criação contemporânea. Construir uma postura de INVESTIGAÇÃO: ler, trocar ideias, ouvir e dizer pontos de vistas diferentes, conhecer História, visitar exposições. DESLOCAMENTO As produções contemporâneas tratam de assuntos políticos, sociais, estéticos, éticos e filosóficos, despertando no visitante novas possibilidades de se perceber em um mundo que permanece em constante reconfiguração. INVESTIGAÇÃO O encontro com a arte ativa no indivíduo seu manancial de experiências: memórias dos lugares por onde andou, das pessoas que conheceu, das coisas de que mais gosta e dos embates sociais dos quais faz parte. É por produzir incômodos e encantamentos, que revitalizam as nossas vivências, que a arte se mostra mais potente. CONTATO ESTRANHAMENTO

6 Para saber mais: Vídeos Relacionados CANAL 29 Educativo Tão perto Tão longe vídeo 1 Semana dos professores mesa 13: Marilena Chauí Conceito Vizinhanças de artistas e obras Artistas Henrique Oliveira em revista Inserções por Cildo Meireles Tatiana Blass em revista Jonathas de Andrade em revista Cotidiano Balé da Cidade de São Paulo A pré-abertura da 29ª Bienal de São Paulo Abertura da 29ª Bienal de São Paulo Jonathas de Andrade e Gabriela Salgado Máquina de desenhar Michel Groisman Pedra por Pontogor Recepção para o nada por Marco Paulo Rolaa

BEM-VINDO AO ESPAÇO DO PROFESSOR

BEM-VINDO AO ESPAÇO DO PROFESSOR BEM-VINDO AO ESPAÇO DO PROFESSOR APRESENTAÇÃO Nosso objetivo é inaugurar um espaço virtual para o encontro, o diálogo e a troca de experiências. Em seis encontros, vamos discutir sobre arte, o ensino da

Leia mais

O ontem e o hoje no ensino de artes, suas diretrizes curriculares e as competências atuais do professor desta disciplina.

O ontem e o hoje no ensino de artes, suas diretrizes curriculares e as competências atuais do professor desta disciplina. O ontem e o hoje no ensino de artes, suas diretrizes curriculares e as competências atuais do professor desta disciplina. Daniela Pedroso Secretaria Municipal da Educação de Curitiba EQUIPE CLEONICE DOS

Leia mais

ESCOLA DE ARTES VISUAIS DO PARQUE LAGE

ESCOLA DE ARTES VISUAIS DO PARQUE LAGE ESCOLA DE ARTES VISUAIS DO PARQUE LAGE NOVOS CURSOS POESIA * PINTURA, LANTERNAGEM E MECÂNICA DO TEXTO ARTES GRÁFICAS LINHA IMAGINÁRIA ! i í 11 «X ESCOLA DE ARTES VISUAIS DO PARQUE LAGE PROFESSOR POESIA

Leia mais

A poética das paisagens ambulantes

A poética das paisagens ambulantes A poética das paisagens ambulantes Luís Marques Martinelli Artista Plástico RESUMO: A partir daquilo que não mais interessa, produção feita com objetos coletados, exploro paisagens ambulantes em que formas,

Leia mais

O JOGO DA PINTURA Wagner Barja 1

O JOGO DA PINTURA Wagner Barja 1 ensaio visual Elyeser Szturm, criador do projeto gráfico da Revista UFG, é artista plástico. Nascido em Goiânia, 1958, vive e trabalha em Brasília onde é professor da UnB. Principais prêmios: Prêmio de

Leia mais

ARTEBR LIVRO CONVERSAS COM A ARTE BRASILEIRA

ARTEBR LIVRO CONVERSAS COM A ARTE BRASILEIRA ARTEBR LIVRO CONVERSAS COM A ARTE BRASILEIRA A empresa ARTEBR desenvolve projetos em arte, educação e literatura para diversas instituições culturais brasileiras. Atua nas áreas de consultoria e assessoria

Leia mais

ANEXO I. QUADRO DE OFICINAS INTEGRANTES DOS PROGRAMAS DE FORMAÇÃO ARTÍSTICA DO CUCA (COM EMENTAS) Categoria I

ANEXO I. QUADRO DE OFICINAS INTEGRANTES DOS PROGRAMAS DE FORMAÇÃO ARTÍSTICA DO CUCA (COM EMENTAS) Categoria I ANEXO I QUADRO DE OFICINAS INTEGRANTES DOS PROGRAMAS DE FORMAÇÃO ARTÍSTICA DO CUCA (COM EMENTAS) Categoria I Desemho básico Desemho intermediário Desemho básico de observação Desenho de observação Fotografia

Leia mais

Abra os seus olhos. Descubra lugares e coisas que ama com cada foto que faz! PLANOS DE AULAS

Abra os seus olhos. Descubra lugares e coisas que ama com cada foto que faz! PLANOS DE AULAS Abra os seus olhos. Descubra lugares e coisas que ama com cada foto que faz! PLANOS DE AULAS REFERENCIAL 01 e REFERENCIAL 02 Curso Referencial Um. Fotografia para Câmeras DSLR Curso de Fotografia em Salvador.

Leia mais

A Exposição. Equipes, Elaboração, Etapas do Trabalho

A Exposição. Equipes, Elaboração, Etapas do Trabalho A Exposição Equipes, Elaboração, Etapas do Trabalho Quadro Geral da Disciplina Museológica 1 Museologia Geral Teoria museológica (fato museológico) História dos museus Administração museológica Curadoria

Leia mais

Quem faz arte? O homem criou objetos para satisfazer as suas necessidades práticas, como as ferramentas para cavar a terra e os utensílios de

Quem faz arte? O homem criou objetos para satisfazer as suas necessidades práticas, como as ferramentas para cavar a terra e os utensílios de ROTULAÇÃO Rotulação na arte A arte é uma criação humana com valores estéticos (beleza, equilíbrio, harmonia, revolta) que sintetizam as suas emoções, sua história, seus sentimentos e a sua cultura. É um

Leia mais

MATERIAIS EDUCATIVOS MAR MUSEU DE ARTE DO RIO

MATERIAIS EDUCATIVOS MAR MUSEU DE ARTE DO RIO MATERIAIS EDUCATIVOS MAR MUSEU DE ARTE DO RIO Livros do aluno Escola do olhar Rio de imagens uma paisagem em construção A apresentação de paisagens do Rio de Janeiro em diferentes épocas, representadas

Leia mais

QUEM E COMO CONSEGUIMOS CONECTAR?

QUEM E COMO CONSEGUIMOS CONECTAR? QUEM E COMO CONSEGUIMOS CONECTAR? Escola do Olhar > Programa de Visitas Educativas > Programa de Formação com Professores > Programa Arte e Cultura Visual > Programa MAR na Academia > Programa Biblioteca

Leia mais

COLÉGIO CENECISTA DR. JOSÉ FERREIRA LUZ, CÂMERA, REFLEXÃO

COLÉGIO CENECISTA DR. JOSÉ FERREIRA LUZ, CÂMERA, REFLEXÃO COLÉGIO CENECISTA DR. JOSÉ FERREIRA LUZ, CÂMERA, REFLEXÃO UBERABA - 2015 PROJETO DE FILOSOFIA Professor coordenador: Danilo Borges Medeiros Tema: Luz, câmera, reflexão! Público alvo: Alunos do 9º ano do

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARA INSTITUTO DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO GRUPO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO, CULTURA E MEIO AMBIENTE GEAM

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARA INSTITUTO DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO GRUPO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO, CULTURA E MEIO AMBIENTE GEAM UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARA INSTITUTO DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO GRUPO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO, CULTURA E MEIO AMBIENTE- GEAM PROJETO I ENCONTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA UFPA: OS DEZ ANOS DO GRUPO DE ESTUDOS

Leia mais

LIVRO FOTOGRAFIA FINE ART

LIVRO FOTOGRAFIA FINE ART Release LIVRO FOTOGRAFIA FINE ART Brasil ganha o primeiro livro de Fotografia Fine Art A obra Fotografia Fine Art, da fotógrafa Danny Bittencourt, ensina como desenvolver a fotografia artística através

Leia mais

E.E. Professora Lurdes Penna Carmelo Sala 1/ Sessão 1

E.E. Professora Lurdes Penna Carmelo Sala 1/ Sessão 1 Debate Regrado - desenvolvendo a argumentação e promovendo o protagonismo dos alunos E.E. Professora Lurdes Penna Carmelo Sala 1/ Sessão 1 Professor Apresentador: Celina Aparecida Rodrigues Machado dos

Leia mais

PLANEJAMENTO 2º TRIMESTRE

PLANEJAMENTO 2º TRIMESTRE Disciplina: Educação Artística Despertar a capacidade de observação e de criticidade a partir de diferentes obras e perante suas criações; Respeitar as diferentes culturas e os diferentes olhares perante

Leia mais

Introdução a Ergonomia e Usabilidade

Introdução a Ergonomia e Usabilidade Introdução a Ergonomia e Usabilidade Projeto de Interface Homem- Máquina Prof. Esp. MBA Heuber G. F. Lima Aula 1 Agenda Apresentação Definições Gerais Importância Usabilidade e Ergonomia Engenharia da

Leia mais

A MEDIDA DO TEMPO ...

A MEDIDA DO TEMPO ... A MEDIDA DO TEMPO A cada segundo nascem 4,1 seres humanos e morre 1,8 seres humanos. Há um saldo positivo de 2,3 seres humanos por segundo. Desenhe um cronômetro numa folha de papel e desmonte-o. Depois

Leia mais

Educação continuada para professores de inglês da rede pública - ECOPLI

Educação continuada para professores de inglês da rede pública - ECOPLI Educação continuada para professores de inglês da rede pública - ECOPLI Universidade Federal do Espírito Santo. CCHN DLL. Abril 2012. Segundo encontro: Formação continuada de professores de inglês. The

Leia mais

Vamos discutir que temas, histórias e atores gostaríamos de ver nesse filme.

Vamos discutir que temas, histórias e atores gostaríamos de ver nesse filme. O mundo digital promoveu significativa redução das fronteiras entre os povos e uma aproximação entre as pessoas nas grandes metrópoles. Na cidade do Rio de Janeiro as fronteiras sociais, principalmente

Leia mais

O TRABALHO NA DIALÉTICA MARXISTA: UMA PERSPECTIVA ONTOLÓGICA.

O TRABALHO NA DIALÉTICA MARXISTA: UMA PERSPECTIVA ONTOLÓGICA. O TRABALHO NA DIALÉTICA MARXISTA: UMA PERSPECTIVA ONTOLÓGICA. SANTOS, Sayarah Carol Mesquita UFAL sayarahcarol@hotmail.com INTRODUÇÃO Colocamo-nos a fim de compreender o trabalho na dialética marxista,

Leia mais

Maria Pia Banchieri Publicitária, Docente, Redatora e Consultora na área de Comunicação e Marketing

Maria Pia Banchieri Publicitária, Docente, Redatora e Consultora na área de Comunicação e Marketing CRIAÇÃO PUBLICITÁRIA AULA 1 Maria Pia Banchieri Publicitária, Docente, Redatora e Consultora na área de Comunicação e Marketing Aula 1 - Conteúdo Apresentação do Docente e do Conteúdo Programático Conceitos

Leia mais

Pela linha do tempo da história da arte

Pela linha do tempo da história da arte O processo artístico de ensino/aprendizagem orientado pela Profa. Kenia Olympia Fontan Ventorim, desenvolvido no ano de 2015 com os alunos do ensino médio do Instituto Federal do Espírito Santo Campus

Leia mais

Minha, tua, nossa cadeira: desdobramentos do objeto

Minha, tua, nossa cadeira: desdobramentos do objeto Minha, tua, nossa cadeira: desdobramentos do objeto Ana Lúcia Pereira Ferreira de Quadros 1 aninha-q@hotmail.com Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-Rio-Grandense - IFSUL Resumo: Este

Leia mais

Foto Carga Horária: 15h presenciais. Facilitador: Sandro Barros. Objetivo:

Foto Carga Horária: 15h presenciais. Facilitador: Sandro Barros. Objetivo: Foto Calabor@tiva Carga Horária: 15h presenciais Facilitador: Sandro Barros Objetivo: O objetivo é estimular crianças e jovens a utilizar a linguagem fotográfica como elemento alternativo e visual, despertando

Leia mais

Índice. 1. O Alfabetizador Ao Desenhar, A Criança Escreve?...5

Índice. 1. O Alfabetizador Ao Desenhar, A Criança Escreve?...5 GRUPO 5.4 MÓDULO 2 Índice 1. O Alfabetizador...3 1.1. Contribuições ao Educador-Alfabetizador... 4 1.2. Ações do professor alfabetizador... 4 2. Ao Desenhar, A Criança Escreve?...5 2 1. O ALFABETIZADOR

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE PTD

PLANO DE TRABALHO DOCENTE PTD Professor-Carlos Juscimar de Souza Série: 1º Turma:D Período:NOTURNO Ano: 2014 ESTRUTURANTE: ESPECÍFICO: Objetivo/Justificativa Metodologia Critério de. História Conhecer, contextualizar e da Arte: desenvolver

Leia mais

M986e CDU Índice para catálogo sistemático: Educação e arte 37+7 Catalogação na publicação: Bibliotecária: Andréa da Silva Barboza CRB7/6354

M986e CDU Índice para catálogo sistemático: Educação e arte 37+7 Catalogação na publicação: Bibliotecária: Andréa da Silva Barboza CRB7/6354 ário ntade, ção e Semin Suste bilida Educa e Art M986e Museu de Arte do Rio Escola do Olhar : práticas educativas do Museu de Arte do Rio 2013-2015 ; Seminário Sustentabilidade, Educação e Arte / [organização]

Leia mais

Material de divulgação da Editora Moderna

Material de divulgação da Editora Moderna Material de divulgação da Editora Moderna Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

Luiza Alcântara expõe Adro no Plugminas

Luiza Alcântara expõe Adro no Plugminas Luiza Alcântara expõe Adro no Plugminas Enviado por Pessoa Comunicação e Relacionamento 12-Mai-2014 Pessoa Comunicação e Relacionamento O PlugMinas - Centro de Formação e Experimentação Digital recebe

Leia mais

Colégio Nossa Senhora da Piedade

Colégio Nossa Senhora da Piedade Colégio Nossa Senhora da Piedade Dados de identificação: Curso: Ensino Fundamental II Série: 6 Ano Professora: Denise dos Santos Silva Rocha Disciplina: Ensino Religioso Ano: 2016. Plano de curso 1-Objetivo

Leia mais

17º CONCURSO NACIONAL MUSEU DA IMPRENSA

17º CONCURSO NACIONAL MUSEU DA IMPRENSA Ficha de inscrição 17º CONCURSO NACIONAL MUSEU DA IMPRENSA 2014/2015 Categoria Artigo Jornalístico Nível superior Tema: A importância dos museus na formação cultural do país Aluna: Janaina Bárbara Bolonezi

Leia mais

RUA GUMERCINDO SARAIVA, 54 JARDIM EUROPA / SÃO PAULO / BRASIL GALERIALUME.COM GAL OPPIDO SENTIDOS DA PELE

RUA GUMERCINDO SARAIVA, 54 JARDIM EUROPA / SÃO PAULO / BRASIL GALERIALUME.COM GAL OPPIDO SENTIDOS DA PELE SENTIDOS DA PELE MAI 17 - JUN 18, 2016 LUCIANA E A LEI DA GRAVIDADE, 1990 30 X 30 CM GOSDP01 CORPO VAGO (1), 2014 30 X 30 CM GOSDP02 CORPO VAGO (2), 2014 30 X 30 CM GOSDP03 PRATA SOBRE PRATA SOBRE PRATA,

Leia mais

Índice. 1. Práticas de Administração Gestão Escolar Administração, Gestão, Direção: Resgatando Alguns Conceitos Introdução...

Índice. 1. Práticas de Administração Gestão Escolar Administração, Gestão, Direção: Resgatando Alguns Conceitos Introdução... GRUPO 6.4 MÓDULO 1 Índice 1. Práticas de Administração Gestão Escolar...3 1.1. Introdução... 3 2. Administração, Gestão, Direção: Resgatando Alguns Conceitos...3 2 1. PRÁTICAS DE ADMINISTRAÇÃO GESTÃO ESCOLAR

Leia mais

A contribuição do movimento humano para a ampliação das linguagens

A contribuição do movimento humano para a ampliação das linguagens A contribuição do movimento humano para a ampliação das linguagens Movimento humano e linguagens A linguagem está envolvida em tudo o que fazemos, ela é peça fundamental para a expressão humana. Na Educação

Leia mais

CADERNO DE ENCENAÇÃO. Publicação do Curso de Graduação em Teatro Escola de Belas Artes/ UFMG

CADERNO DE ENCENAÇÃO. Publicação do Curso de Graduação em Teatro Escola de Belas Artes/ UFMG CADERNO DE ENCENAÇÃO Publicação do Curso de Graduação em Teatro Escola de Belas Artes/ UFMG Volume 2 - número 9 2009 CADERNO DE ENCENAÇÃO / publicação do Curso de Graduação em Teatro. - v. 2, n. 9 ( set.

Leia mais

Uma empresa dedicada ao desenvolvimento humano e organizacional

Uma empresa dedicada ao desenvolvimento humano e organizacional Uma empresa dedicada ao desenvolvimento humano e organizacional Quem somos Nossas soluções objetivam a transformação humana e das culturas organizacionais, fortalecendo laços entre organizações e colaboradores.

Leia mais

Guião de Entrevista Semi-Estruturada A crianças/jovens sobredotados

Guião de Entrevista Semi-Estruturada A crianças/jovens sobredotados Guião de Entrevista Semi-Estruturada A crianças/jovens sobredotados Entrevista nº Data: / / Código: 1. Nome: 2. Idade: 1ª PARTE Questionário Caracterização do Percurso Individual Os dados recolhidos contribuirão

Leia mais

Vamos dar uma olhada nos Processos de Produção Musical mas, antes, começaremos com alguns Conceitos Básicos.

Vamos dar uma olhada nos Processos de Produção Musical mas, antes, começaremos com alguns Conceitos Básicos. Vamos dar uma olhada nos Processos de Produção Musical mas, antes, começaremos com alguns Conceitos Básicos. O processo da produção musical tem sete pontos bem distintos. Antes de entender melhor os sete

Leia mais

VI Encontro Mineiro Sobre Investigação na Escola /II Seminário Institucional do PIBID-UNIUBE TITULO O FOLCLORE BRASILEIRO DENTRO DA EDUCAÇÃO

VI Encontro Mineiro Sobre Investigação na Escola /II Seminário Institucional do PIBID-UNIUBE TITULO O FOLCLORE BRASILEIRO DENTRO DA EDUCAÇÃO VI Encontro Mineiro Sobre Investigação na Escola /II Seminário Institucional do PIBID-UNIUBE TITULO O FOLCLORE BRASILEIRO DENTRO DA EDUCAÇÃO Rosimeire Cristina da silva rosicristinadasilva@gmail.com Linha

Leia mais

Cidadania e Educação das Relações étnico-raciais.

Cidadania e Educação das Relações étnico-raciais. Cidadania e Educação das Relações étnico-raciais. Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 10.639, DE 9 DE JANEIRO DE 2003. Mensagem de veto Altera a Lei n o 9.394,

Leia mais

PEB II - ARTES PROFESSOR EM EDUCAÇÃO BÁSICA II DE ARTES

PEB II - ARTES PROFESSOR EM EDUCAÇÃO BÁSICA II DE ARTES PEB II - ARTES PROFESSOR EM EDUCAÇÃO BÁSICA II DE ARTES 01. A arte na contemporaneidade (e seu ensino) busca ser conectada à cultura e sua diversidade. Nesse sentido, para uma educação multicultural, é

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL JULHO 2013

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL JULHO 2013 APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL JULHO 2013 Fundado em 2003, Instituto Escola São Paulo é uma instituição sem fins lucrativos que tem como objetivo ampliar o acesso à cultura e à educação, promovendo atividades

Leia mais

Como escrever um conteúdo altamente persuasivo com zero manipulação. VIVER DE BLOG Página 1

Como escrever um conteúdo altamente persuasivo com zero manipulação. VIVER DE BLOG Página 1 Como escrever um conteúdo altamente persuasivo com zero manipulação VIVER DE BLOG Página 1 Olá, tudo bem? Aqui quem fala é o Henrique Carvalho, criador do Viver de Blog, o site especializado em Marketing

Leia mais

Afinal, quem manda aqui?!

Afinal, quem manda aqui?! Afinal, quem manda aqui?! Poder e liderança na sala de aula. Júlio César Furtado julio@juliofurtado.com.br Poder Produz efeitos Relação Social Controle !" O poder está no tambor de um revólver. Mao Tsé

Leia mais

Fundação Darcy Ribeiro

Fundação Darcy Ribeiro I Fundação Darcy Ribeiro ATUAÇÃO DOS EDUCADORES PONTOS ESSENCIAIS DA PROPOSTA Vídeo 05 Coordenação Nacional Formação Inicial e Continuada do Educador do ProJovem: o especialista, o pensador, o cidadão

Leia mais

TÍTULO DO TRABALHO EM LETRA MAIÚSCULA, FONTE GARAMOND 14, CENTRALIZADO, NEGRITO, ESPAÇAMENTO SIMPLES ENTRE LINHAS

TÍTULO DO TRABALHO EM LETRA MAIÚSCULA, FONTE GARAMOND 14, CENTRALIZADO, NEGRITO, ESPAÇAMENTO SIMPLES ENTRE LINHAS TÍTULO DO TRABALHO EM LETRA MAIÚSCULA, FONTE GARAMOND 14, CENTRALIZADO, NEGRITO, ESPAÇAMENTO SIMPLES ENTRE LINHAS Nome Completo do Autor Principal 1 ; Nome Completo 2 ; Nome Completo 3 Nome do orientador:

Leia mais

OFICINA DAS CORES. Eduardo Dias Mattos. Artes Visuais. Professor. Escola Estadual Júlio Conceição Cubatão / SP. DER-Santos

OFICINA DAS CORES. Eduardo Dias Mattos. Artes Visuais. Professor. Escola Estadual Júlio Conceição Cubatão / SP. DER-Santos OFICINA DAS CORES Professor Eduardo Dias Mattos Escola Estadual Júlio Conceição Cubatão / SP DER-Santos 2016 Artes Visuais Introdução O Projeto foi criado em 2006 pelo Arte Educador, Professor Eduardo

Leia mais

Projeto Natal Solidário 2013 Colégio La Salle Esteio e Sapucaia. Cuidar é sinal de amor e de solidariedade.

Projeto Natal Solidário 2013 Colégio La Salle Esteio e Sapucaia. Cuidar é sinal de amor e de solidariedade. Projeto Natal Solidário 2013 Colégio La Salle Esteio e Sapucaia Titulo do Projeto: Cuidar é sinal de amor e de solidariedade. Equipe Organizadora Ir. Junior Schnorrenberger Coordenador de Pastoral de Esteio

Leia mais

CONHECENDO A GRÉCIA POR MEIO DE TÉCNICAS MULTIDISCIPLINARES

CONHECENDO A GRÉCIA POR MEIO DE TÉCNICAS MULTIDISCIPLINARES CONHECENDO A GRÉCIA POR MEIO DE TÉCNICAS MULTIDISCIPLINARES O conhecimento do ser humano começa a partir do primeiro dia de vida, onde as descobertas os levam a coisas novas, e a vontade de conhecer e

Leia mais

Externato de Santa Margarida. Rua Manuel Ribeiro de Almeida, 141 Quinta da Azenha S. Cosme- Gondomar Tel Fax.

Externato de Santa Margarida. Rua Manuel Ribeiro de Almeida, 141 Quinta da Azenha S. Cosme- Gondomar Tel Fax. Externato de Santa Margarida Rua Manuel Ribeiro de Almeida, 141 Quinta da Azenha 4420-195-S. Cosme- Gondomar Tel. 224830104 Fax. 224837223 Ano Letivo 2016/2017 Plano anual de atividades SETEMBRO Dia 2

Leia mais

A filosofia de Espinosa

A filosofia de Espinosa A filosofia de Espinosa Para tratar de qualquer âmbito da filosofia de Espinosa, é necessário de antemão compreender a imagem de Deus feita pelo filósofo, bem como a importância d Ele para sua filosofia.

Leia mais

TRABALHO DE PROJETO ORGANIZAÇÃO E TRATAMENTO DE DADOS

TRABALHO DE PROJETO ORGANIZAÇÃO E TRATAMENTO DE DADOS TRABALHO DE PROJETO ORGANIZAÇÃO E TRATAMENTO DE DADOS Num trabalho de projeto, normalmente, são consideradas as seguintes etapas: 1- Identificação da Área do Problema 2- Identificação e formulação de problemas

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS EDITAL Nº 162/2014 ARTES ÁREA 1

CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS EDITAL Nº 162/2014 ARTES ÁREA 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS CÂMPUS CONGONHAS CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS EDITAL

Leia mais

Um encontro com a obra dois sobre dois de Ricardo Ventura

Um encontro com a obra dois sobre dois de Ricardo Ventura Um encontro com a obra dois sobre dois de Ricardo Ventura Bebel Kastrup e Virgínia Mota Coordenadora de produção e artista/educadora do Núcleo Experimental de Educação e Arte No trabalho do Núcleo Experimental

Leia mais

PROGRAMA QPP - QUALIDADE NA PRÁTICA PEDAGÓGICA LIVROS NAS CRECHES

PROGRAMA QPP - QUALIDADE NA PRÁTICA PEDAGÓGICA LIVROS NAS CRECHES PROGRAMA QPP - QUALIDADE NA PRÁTICA PEDAGÓGICA Ana Paula Dias Torres Maria Lucia de A. Machado São Paulo dezembro 2015 1 LIVRO É OBJETO PORTADOR DE CULTURA Dentre os diversos instrumentos do homem, o livro

Leia mais

Prof. Jairo Molina - Gestão em Petróleo e Gás. Entendendo a Administração. Prof. Jairo Molina

Prof. Jairo Molina - Gestão em Petróleo e Gás. Entendendo a Administração. Prof. Jairo Molina Entendendo a Administração Prof. Jairo Molina 1 Entendendo a Administração Metas principais: 1) Entender o significado da palavra administração. 2) A importância da administração para as diferentes organizações

Leia mais

Instância Terciária. Culturais/Sociais. ESSÊNC IA Substâncias da Expressão. Valores. Estéticos

Instância Terciária. Culturais/Sociais. ESSÊNC IA Substâncias da Expressão. Valores. Estéticos Instância Terciária 3 ESSÊNC IA Substâncias da Expressão Valores Estésic os Estéticos Culturais/Sociais Esta terceira instância procura dar conta dos elementos de significação específicos, afetivos e cognitivos,

Leia mais

O Espaço Cultural da Eseba/UFU

O Espaço Cultural da Eseba/UFU Profª Paula Amaral Faria Escola de Educação Básica da Universidade Fe deral de Uberlând Sala do Espaço Cultural da Escola de Educação Básica da Universidade Federal de Uberlândia. Atende alunos da Educação

Leia mais

DADOS DO COMPONENTE CURRICULAR

DADOS DO COMPONENTE CURRICULAR DADOS DO COMPONENTE CURRICULAR Disciplina: Artes Curso: Técnico Em Eletromecânica Integrado Ao Ensino Médio Série: 1º Carga Horária: 67 h.r Docente Responsável: EMENTA O universo da arte, numa abordagem

Leia mais

A Educação Médica entre o Tecnicismo e o Humanismo

A Educação Médica entre o Tecnicismo e o Humanismo A Educação Médica entre o Tecnicismo e o Humanismo Abram Eksterman A. Einstein Nem tudo que conta pode ser contado; e nem tudo que pode ser contado, conta. A. Einstein Educação é o que permanece depois

Leia mais

HISTÓRIAS DA CLÉO. Proposta de projeto literário em dois atos

HISTÓRIAS DA CLÉO. Proposta de projeto literário em dois atos HISTÓRIAS DA CLÉO Proposta de projeto literário em dois atos 1. Intervenção artística literária Histórias da Cléo 2. Palestra Leitura literária, promoção e formação do mediador Aspectos Gerais 1 - Apresentação:

Leia mais

Publico alvo: alunos do 1º ao 9º ano E.E. Otávio Gonçalves Gomes

Publico alvo: alunos do 1º ao 9º ano E.E. Otávio Gonçalves Gomes Projeto Brasil misturado Duração: 01/11/12 a 30/11/12 Publico alvo: alunos do 1º ao 9º ano E.E. Otávio Gonçalves Gomes Culminância: Dia 30 de novembro Característica: Projeto interdisciplinar, envolvendo

Leia mais

Filosofia Moderna: a nova ciência e o racionalismo.

Filosofia Moderna: a nova ciência e o racionalismo. FILOSOFIA MODERNA Filosofia Moderna: a nova ciência e o racionalismo. Período histórico: Idade Moderna (século XV a XVIII). Transformações que podemos destacar: A passagem do feudalismo para o capitalismo

Leia mais

FILOSOFIA 11º ano O CONHECIMENTO E A RACIONALIDADE CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA

FILOSOFIA 11º ano O CONHECIMENTO E A RACIONALIDADE CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA FILOSOFIA 11º ano O CONHECIMENTO E A RACIONALIDADE CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA Governo da República Portuguesa Descrição e interpretação da atividade cognoscitiva 1.1 Estrutura do ato de conhecer 1.2 Análise

Leia mais

Elas: mulheres artistas no acervo do MAB

Elas: mulheres artistas no acervo do MAB CARTA DO SETOR EDUCATIVO MAB/FAAP ÀS ESCOLAS Exposição Elas: mulheres artistas no acervo do MAB Ação Educativa entre 23 de abril e 26 de junho de 2016 Alice Brill, Sem título, 1983. Acrílica sobre tela

Leia mais

Gestão de Eventos AULA 1. Temas: Gestão de Eventos Conceito de Evento Perfil Profissional do Promotor de Eventos

Gestão de Eventos AULA 1. Temas: Gestão de Eventos Conceito de Evento Perfil Profissional do Promotor de Eventos Gestão de Eventos AULA 1 Temas: Gestão de Eventos Conceito de Evento Perfil Profissional do Promotor de Eventos Gestão de Eventos A Gestão de Eventosestá relacionada a diversas áreas de trabalho, como

Leia mais

II Seminário de Metodologia do Ensino de Educação Física da FEUSP 2008 Relato de experiência

II Seminário de Metodologia do Ensino de Educação Física da FEUSP 2008 Relato de experiência CORPO E AUTO-IMAGEM: UM DIÁLOGO ENTRE EDUCAÇÃO FÍSICA E ARTES MARANTE, W.O. Laboratório de Pedagogia do Movimento Humano Escola de Educação Física e Esporte USP LAPEM EEFEUSP RESUMO Este relato tem por

Leia mais

HISTÓRIA DA ARTE. Pré-História e Antiguidade O mundo antigo. Professor Isaac Antonio Camargo

HISTÓRIA DA ARTE. Pré-História e Antiguidade O mundo antigo. Professor Isaac Antonio Camargo HISTÓRIA DA ARTE Pré-História e Antiguidade O mundo antigo Professor Isaac Antonio Camargo 1 4 O MUNDO ANTIGO Encontramos a arte na antigüidade dentro de civilizações mais preparadas técnica e socialmente,

Leia mais

Formador Residente, Maurício Ferreira

Formador Residente, Maurício Ferreira A Compreensão do Oral A compreensão do oral consiste na atribuição de significado a cadeias fónicas produzidas de acordo com a gramática da língua. Formador Residente, Maurício Ferreira Factores de compreensão

Leia mais

Revisão da literatura / Fundamentação teórica

Revisão da literatura / Fundamentação teórica Revisão da literatura / Fundamentação teórica Reunir obras relevantes Descrever o objeto analisado Expôr o que se pensa sobre o objeto Criticar o que se pensa sobre o objeto Página 1 PARTES PRINCIPAIS

Leia mais

Alunos do 3º Ano do Ensino Médio 4 Bimestre de escolas estaduais

Alunos do 3º Ano do Ensino Médio 4 Bimestre de escolas estaduais OBJETIVO Esta sequencia didática abordara a temática magnetismo, tendo como objetivo a inserção da Física Quântica na explicação atômica da magnetização da matéria, utilizando para isso a evolução dos

Leia mais

Às voltas com as palavras

Às voltas com as palavras Às voltas com as palavras Brochura 8 Definição verbal II Susana Pereira Ana Rita Santos Mariana Pinto Encarnação Silva Adriana Cardoso Às voltas com as palavras Percursos didáticos para a explicitação

Leia mais

Competências Digitais para Professores. 3ª Edição. Ana Reto

Competências Digitais para Professores. 3ª Edição. Ana Reto Competências Digitais para Professores 3ª Edição Ana Reto Artefacto 2 Resolução de situações Problemáticas aplicadas ao dia-a-dia. PROBLEMA DO MÊS Resolução de situações Problemáticas na disciplina de

Leia mais

Como usar os recursos e o website da Maior Lição do Mundo

Como usar os recursos e o website da Maior Lição do Mundo Guia do Educador Como usar os recursos e o website da Maior Lição do Mundo Na sexta-feira, 25 de setembro, as Nações Unidas anunciarão os Objetivos Globais para o Desenvolvimento Sustentável. A ideia da

Leia mais

Aula10 O USO DO DICIONÁRIO. Izabel Silva Souza D Ambrosio. META Conscientizar os alunos do uso apropriado do dicionário

Aula10 O USO DO DICIONÁRIO. Izabel Silva Souza D Ambrosio. META Conscientizar os alunos do uso apropriado do dicionário Aula10 O USO DO DICIONÁRIO META Conscientizar os alunos do uso apropriado do dicionário OBJETIVOS Ao final desta aula, o aluno deverá: Espero que você saiba quando recorrer ao dicionário e consiga, levando

Leia mais

A noção agostiniana de Tempo. Colégio Cenecista Dr. José Ferreira Filosofia Professor Uilson Fernandes

A noção agostiniana de Tempo. Colégio Cenecista Dr. José Ferreira Filosofia Professor Uilson Fernandes A noção agostiniana de Tempo. Colégio Cenecista Dr. José Ferreira Filosofia Professor Uilson Fernandes Tempo como sucessão... A ideia de tempo surge a partir da distinção entre passado presente e futuro.

Leia mais

PLANO DE CURSO DISCIPLINA:Geografia ÁREA DE ENSINO: Fundamental I SÉRIE/ANO: 5 ANO DESCRITORES CONTEÚDOS SUGESTÕES DE PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS

PLANO DE CURSO DISCIPLINA:Geografia ÁREA DE ENSINO: Fundamental I SÉRIE/ANO: 5 ANO DESCRITORES CONTEÚDOS SUGESTÕES DE PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS UNIDADE 1 BRASIL: UM PAIS DE MUITAS DIVERSIDADES *Conhecer e compreender a diversidade de paisagens do Brasil *Conhecer a diversidade da população brasileira. *Perceber os contrastes sociais existentes

Leia mais

Ação Educativa em Museus de Arte: uma proposta para o MUnA

Ação Educativa em Museus de Arte: uma proposta para o MUnA Ação Educativa em Museus de Arte: uma proposta para o MUnA Dorcas Weber Professora do ensino de arte - PMU Comunicação - Relato de Pesquisa O conceito de museu e o alcance de suas ações foram os principais

Leia mais

DE 09 A 16 JAN SEMANA COMEMORATIVA. 132 ANOS VIV A SOARES Quem somos, quem fomos. Professores e alunos da Soares.

DE 09 A 16 JAN SEMANA COMEMORATIVA. 132 ANOS VIV A SOARES Quem somos, quem fomos. Professores e alunos da Soares. 2017 EXPOSIÇÕES Exposição de cartazes de filmes Local Pequeno Auditório Exposição de Desenho A Local Piso 0 / Galeria Piso 1 Quem somos, quem fomos. Professores e alunos da Soares. Local Vitrinas da Máquina

Leia mais

DE 09 A 16 JAN SEMANA COMEMORATIVA. 132 ANOS VIV A SOARES 2017 QUEM SOMOS, QUEM FOMOS. PROFESSORES E ALUNOS DA SOARES.

DE 09 A 16 JAN SEMANA COMEMORATIVA. 132 ANOS VIV A SOARES 2017 QUEM SOMOS, QUEM FOMOS. PROFESSORES E ALUNOS DA SOARES. 2017 EXPOSIÇÕES EXPOSIÇÃO DE CARTAZES DE FILMES Local Pequeno Auditório EXPOSIÇÃO DE DESENHO A Local Piso 0 / Galeria Piso 1 QUEM SOMOS, QUEM FOMOS. PROFESSORES E ALUNOS DA. Local Vitrinas da Máquina Fotográfica

Leia mais

Conteúdo Básico Comum (CBC) de Artes do Ensino Fundamental do 6º ao 9º ano Exames Supletivos / 2013

Conteúdo Básico Comum (CBC) de Artes do Ensino Fundamental do 6º ao 9º ano Exames Supletivos / 2013 SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MINAS GERAIS SUBSECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DO ENSINO MÉDIO DIRETORIA DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Conteúdo

Leia mais

Desenvolvimento do trabalho

Desenvolvimento do trabalho Desenvolvimento do trabalho Manhã do dia 28.03 Conceitos e características da avaliação em larga escala. Principais aspectos do delineamento de uma proposta de avaliação. Desenvolvimento do trabalho Tarde

Leia mais

Cuidado e desmedicalização na atenção básica

Cuidado e desmedicalização na atenção básica Rio de Janeiro, agosto de 2012 Cuidado e desmedicalização na atenção básica Laura Camargo Macruz Feuerwerker Profa. Associada FSP-USP Medicalização e a disputa pela vida Movimento de compreender todos

Leia mais

Formação Transversal em Relações Étnico-Raciais, História da África e Cultura Afro-Brasileira

Formação Transversal em Relações Étnico-Raciais, História da África e Cultura Afro-Brasileira Formação Transversal em Relações Étnico-Raciais, História da África e Cultura Afro-Brasileira Professor Departamento Local/sala UNI 068 História e cultura afro-brasileira 60 40 53 20 3ª 19:00 22:30 Alexandre

Leia mais

Dica: Antes de fazer as atividades abaixo, leia o documento Pretérito perfeito do indicativo, no Banco de Gramática.

Dica: Antes de fazer as atividades abaixo, leia o documento Pretérito perfeito do indicativo, no Banco de Gramática. Fim de semana Gramática: atividades Dica: Antes de fazer as atividades abaixo, leia o documento Pretérito perfeito do indicativo, no Banco de Gramática. Dois programas diferentes 1. Complete as lacunas

Leia mais

CURSO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM. AULA 1 Busca de materiais pedagógicos na Internet e sua aplicação em sala de aula

CURSO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM. AULA 1 Busca de materiais pedagógicos na Internet e sua aplicação em sala de aula CURSO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM Lisiane Cristina Amplatz CRTE Toledo AULA 1 Busca de materiais pedagógicos na Internet e sua aplicação em sala de aula Navegando pelo Portal Dia a dia Educação www.diaadia.pr.gov.br

Leia mais

Disciplinar na Adolescência: Onde está o manual de instruções?

Disciplinar na Adolescência: Onde está o manual de instruções? Disciplinar na Adolescência: Onde está o manual de instruções? Disciplinar na Adolescência: Onde está o manual de instruções? Na adolescência (autonomia, responsabilidade, relação pais filhos, regras e

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA DIVISÃO DE ASSUNTOS ACADÊMICOS Secretaria Geral de Cursos PROGRAMA DE DISCIPLINA DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO CÓDIGO: EDU519 DISCIPLINA: PRATICA EDUCATIVA I - DIDÀTICA CARGA HORÁRIA: 75h EMENTA: OBJETIVOS:

Leia mais

Plano Anual de Atividades 2014/2015 (C.A.T.L)

Plano Anual de Atividades 2014/2015 (C.A.T.L) Plano Anual de Atividades 2014/2015 (C.A.T.L) Data Tema Objetivos Atividades Recursos ou materiais setembro Integração de crianças e jovens Reunião de pais Promover uma integração plena das novas crianças

Leia mais

PLANO DE CURSO I EMENTA

PLANO DE CURSO I EMENTA Disciplina: Leituras Cartográficas e Interpretações Estatísticas I Carga horária total: 75 H PLANO DE CURSO I EMENTA Definições e esboço histórico da cartografia; Representações da Terra; Coordenadas;

Leia mais

PESQUISA: é a busca organizada da resposta de alguma questão estabelecida.

PESQUISA: é a busca organizada da resposta de alguma questão estabelecida. INVESTIGANDO A PESQUISA: é a busca organizada da resposta de alguma questão estabelecida. DOCUMENTO: é toda fonte de informação verídica que pode servir para consulta, podendo ser escrita ou não escrita,

Leia mais

Unidade 01. Prof.ª Fernanda Mendizabal Instituto de Educação Superior de Brasília

Unidade 01. Prof.ª Fernanda Mendizabal Instituto de Educação Superior de Brasília Unidade 01 Prof.ª Fernanda Mendizabal Instituto de Educação Superior de Brasília Afirmar a importância do estudo da história para a compreensão da Psicologia contemporânea. Destacar a relevância das forças

Leia mais

Ensino fundamental. Ciclo 1. Balanços intermédios. do desenvolvimento das competências

Ensino fundamental. Ciclo 1. Balanços intermédios. do desenvolvimento das competências Ensino fundamental Ciclo 1 Balanços intermédios do desenvolvimento das competências Caros pais e encarregados de educação: O balanço intermédio que acabam de receber permite acompanhar o desenvolvimento

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Departamento da Educação Pré-Escolar Planificação Mensal Ano Letivo 2015/2016

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Departamento da Educação Pré-Escolar Planificação Mensal Ano Letivo 2015/2016 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Departamento da Educação Pré-Escolar Planificação Mensal Ano Letivo 2015/2016 MÊS: maio Área de Conteúdo Domínio Objetivos Estratégias Formação Pessoal e Social

Leia mais

DICAS PARA FACILITAR SEU ESTUDO

DICAS PARA FACILITAR SEU ESTUDO Nome Nº Série Ensino Turma 1ª Medio Disciplina Professora Natureza Código / Tipo Trimestre / Ano Data Educação Artística Cátia Roteiro 2 o / 2016 05/08/2016 Tema VALOR: Roteiro de estudos 5,0 NOTA DICAS

Leia mais

11º CONGRESSO INTERNACIONAL DA REDE UNIDA. Mobilizar o Brasil para FORTALEZA 2014

11º CONGRESSO INTERNACIONAL DA REDE UNIDA. Mobilizar o Brasil para FORTALEZA 2014 Mobilizar o Brasil para FORTALEZA 2014 QUEM SOMOS A Associação Brasileira Rede Unida (ou para os íntimos Rede Unida) reúne projetos, instituições e pessoas interessadas na mudança da formação dos profissionais

Leia mais

Análise dos descritores da APR II 4ª série/5º ano Matemática

Análise dos descritores da APR II 4ª série/5º ano Matemática Análise dos descritores da APR II 4ª série/5º ano Matemática D10 Num problema, estabelecer trocas entre cédulas e moedas do sistema monetário brasileiro, em função de seus valores. O que é? Por meio deste

Leia mais

Planos e Ângulos Prof. Dr. Isaac A. Camargo

Planos e Ângulos Prof. Dr. Isaac A. Camargo Planos e Ângulos Prof. Dr. Isaac A. Camargo a- Conceito de Planos e características técnicas b- Angulação: Enquadramento e efeitos de sentido Conceito de Planos e características técnicas A idéia de Planificação

Leia mais