O Sistema de Controle de Egressos utilizado pelo Instituto Metodista Granbery: uma ferramenta de acompanhamento e relacionamento

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O Sistema de Controle de Egressos utilizado pelo Instituto Metodista Granbery: uma ferramenta de acompanhamento e relacionamento"

Transcrição

1 Revista Eletrônica da Faculdade Metodista Granbery - ISSN Curso de Sistemas de Informação - N. 7, JUL/DEZ 2009 O Sistema de Controle de Egressos utilizado pelo Instituto Metodista Granbery: uma ferramenta de acompanhamento e relacionamento Luiz Fernando Velloso Botti, Rubens Sequeiros de Vasconcellos Neto, Alessandreia Marta de Oliveira Julio, Karen Estefan Dutra Faculdade Metodista Granbery FMG Rua Batista de Oliveira, 1145 CEP: Juiz de Fora - MG Resumo A Tecnologia da Informação (TI) está cada vez mais presente em nosso dia-a-dia, proporcionando inúmeras vantagens, como a facilidade e rapidez a qual são manipulados grandes volumes de informações com segurança. Este trabalho tem como objetivo justificar o desenvolvimento do sistema de controle de egressos utilizado pelo Instituto Metodista Granbery por meio da utilização de recursos proporcionados pela TI. Palavras-Chave: Tecnologia da Informação, Sistemas de Informação, Software, Controle de Egressos, Sistema de Controle de Egressos. Abstract The Information Technology (IT) is increasingly present in our day-to-day, providing numerous benefits such as ease and speed with which it handles large volumes of information with security. This article aims to justify the development of the control of egress system used by the Instituto Metodista Granbery by using resources provided by IT. Keywords: Information Technology, Information Systems, Control of Egress, Control of egress system, Software. 1. INTRODUÇÃO A Tecnologia da Informação (TI) tornou-se uma grande aliada no processo de controle de grandes volumes de dados, permitindo manipulá-los rapidamente,

2 proporcionando maior segurança e agilidade no acesso às informações. A TI vem contribuindo também no relacionamento de pessoas, possibilitando a criação de pontos de encontros virtuais, onde são disponibilizadas informações pessoais e profissionais. Devido aos benefícios proporcionados pela TI citados no parágrafo anterior, é possível obter informações sobre antigos conhecidos, estabelecer contato com os mesmos, fazer novas amizades, além da possibilidade de disponibilizar dados próprios, com segurança e facilidade. Este artigo tem como objetivo apresentar o Sistema de Controle de Egressos (SCE) desenvolvido pela Granbery Consultoria Júnior (GCJ) assim como suas funcionalidades e benefícios proporcionados ao Instituto Metodista Granbery (IMG). Esse sistema administrativo, também utilizado como área de relacionamentos, facilita no acompanhamento de egressos realizado pelo IMG, possibilitando também que os mesmos se relacionem via Web, disponibilizando e visualizando informações. Para isso, o artigo está organizado da seguinte forma: Na Seção 2, é apresentada a atividade de controle de egressos; na Seção 3 as tecnologias empregadas no desenvolvimento do sistema; na Seção 4 a maneira como surgiu o SCE; na 5 Cinco são destacadas suas principais funcionalidades; na Seção6 as conclusões finais e por fim, os agradecimentos e referências bibliográficas. 2. CONTROLE DE EGRESSOS Egresso para o MEC Ministério da Educação é todo aluno que foi graduado no Ensino Superior. Para a Associação dos Granberyenses, constam como egressos aqueles que foram diplomados pelo Instituto Metodista Granbery. O acompanhamento de egressos é uma recomendação do MEC para as instituições de ensino superior e em uma instituição centenária como o Instituto Metodista Granbery, o controle de egressos torna-se difícil sem o auxílio de um sistema de informação adequado. Porém, controlar não é somente cadastrar, mas também manter atualizados os dados dos granberyenses já cadastrados. A cada ano, o número de egressos cresce e isso torna o controle ainda mais difícil. Com o objetivo de melhorar tal processo, foi desenvolvido o Sistema de Controle de 2

3 Egressos (SCE) com funcionalidades específicas para aprimoramento de cadastros e atualizações dos dados. 3. TECNOLOGIAS EMPREGADAS NO SCE O desenvolvimento do SCE foi realizado por intermédio da utilização de linguagens de programação e marcação, sendo elas: PHP5 (PHP Hypertext Preprocessor), JavaScript, CSS (Cascading Style Sheets) e HTML. Como Sistema de Gerenciamento de Banco de Dados foi adotado o MySQL. Segundo WELLING e THOMSON (2005) o MySQL é um sistema de gerenciamento de banco de dados relacional (relational database management system) poderoso e muito rápido. O PHP é uma das linguagens mais utilizadas no mundo devido à facilidade em criar aplicações dinâmicas com suporte à maioria dos bancos de dados existentes e ao conjunto de funções que permitem desde a criação de simples portais até complexos sistemas de informação. A orientação a objetos, presente no PHP5, juntamente com o emprego de boas práticas de programação possibilita manter um ritmo sustentável no desenvolvimento de aplicações. (DALL OGLIO, 2007). O HTML (HyperText Markup Language) é uma linguagem de marcação de documentos com hipertexto, que funciona como se fossem sinais de trânsito para um página Web, enviando para o navegador comandos de formatação que informam de que maneira os dados devem ser exibidos na tela. (OLIVEIRO, 2004). Desse modo, pode-se afirmar que a utilização de recursos da Tecnologia de Informação trouxe como resultado, para o processo de controle de egressos, maior organização e eficiência, além de tornar o mesmo um ponto de encontro virtual dos granberyenses. 4. A CONCEPÇÃO DO SISTEMA DE CONTROLE DE EGRESSOS Num primeiro momento, foi desenvolvido um sistema com o propósito de cadastrar dados pessoais dos granberyenses. Porém, tratave-se um sistema disponível apenas para a 3

4 Associação dos Granberyenses, não funcionando como uma rede de relacionamentos. Foi então que surgiu a idéia de melhorar o sistema, disponibilizando-o na Web e transformando-o num ponto de encontro virtual dos granberyenses, no qual os mesmos poderiam cadastrar históricos e dados curriculares, a fim de torná-los visíveis para os outros usuários do sistema. Através de um acordo, foi decidido que a nova versão do Sistema de Controle de Egressos seria desenvolvida pela Granbery Consultoria Júnior (GCJ). Sendo assim, foram realizadas diversas reuniões entre os consultores da GCJ com a Associação dos Granberyenses para a elaboração do documento de requisitos baseado no modelo IEEE STD 830 (1998) cuja estrutura é apresentada na Figura 1. Figura 1. Estrutura de um documento de requisitos (IEEE STD 830, 1998) De acordo com o levantamento de requisitos, identificaram-se como indispensáveis as seguintes funcionalidades: cadastro de egressos, cadastro de históricos e dados curriculares e por fim, geração de etiquetas e relatórios pelo administrador. 5. FUNCIONALIDADES DO SCE Nesta seção são apresentadas as principais funcionalidades do SCE, utilizando como exemplo o cadastro de um Egresso, assim como as ações realizadas pelo 4

5 administrador. O SCE é um sistema Web, sendo assim, estão disponibilizadas algumas informações sobre a Associação dos Granberyenses. A Figura 2 mostra os links do menu Sobre Associação. Figura 2. Links do menu Sobre Associação (GCJ, 2009) Os links disponíveis no menu Consulta, ilustrados na figura anterior, variam de acordo com a pessoa autenticada no sistema. Caso seja o administrador, por exemplo, são exibidos os links Egressos, Meu Perfil, Gerar Relatórios, Gerar Etiquetas e Consultar Recém cadastrados. O primeiro é disponível para todos, estando autenticados ou não; o segundo é disponível para qualquer pessoa que esteja autenticada; os demais, apenas para o administrador do sistema. A Figura 3 apresenta a página principal de cadastro, onde o Egresso informa seus dados pessoais e respectivo endereço. Deve informar também um login e uma senha, para que futuramente possa acessar seu perfil. 5

6 Figura 3. Interface de Cadastro (GCJ, 2009) Na Figura 4 é apresentada a tela seguinte ao cadastro principal. Nela, o Egresso pode cadastrar seu histórico colegial, caso haja. Em seguida, é redirecionado para as páginas de cadastro de graduação, pós-graduação, atividades extras, cursos complementares e experiências profissionais. 6

7 Figura 4. Cadastro de Históricos (GCJ, 2009) Após feito o cadastro, o Egresso é redirecionado para a página de seu perfil, como mostra a Figura 5, onde pode acessar seus dados pessoais previamente cadastrados. Caso tenha marcado, ao se cadastrar, a opção que permite a terceiros visualizarem seu perfil, esta página é acessível a todos, caso contrário, pode ser acessada somente por si próprio e pelo administrador do sistema. Constam na página de perfil, links nos quais o Egresso pode alterar todos os dados cadastrados inicialmente, assim como excluí-los e cadastrar novos. 7

8 Figura 5. Página de Perfil (GCJ, 2009) Para que possa se identificar novamente no sistema e acessar seu perfil, o Egresso necessita de aprovação. A Figura 6 mostra como o administrador tem acesso à lista de egressos recém-cadastrados, cabendo a ele decidir se aprova ou exclui os mesmos. Qualquer que seja a ação, o Egresso receberá um sendo notificado. Figura 6. Lista de Egressos recém-cadastrados (GCJ, 2009) A Figura 7 apresenta uma área restrita ao administrador do sistema. Nela, ele cadastra dados financeiros de egressos que fazem doações para a Associação dos 8

9 Granberyenses. Esses dados não podem ser visualizados por ninguém, pois são apenas para controle interno da Associação. Figura 7. Cadastro de Dados Financeiros (GCJ, 2009) A Figura 8 ilustra a maneira como os dados financeiros são listados e exibidos. O fato de esses dados serem compostos por apenas dois campos (Doação e Forma de doação) não exige que sejam exibidos separadamente. 9

10 Figura 8. Listagem e Exibição de dados financeiros (GCJ, 2009) A Figura 9 apresenta outra área restrita ao administrador. Nela, ele pode filtrar os egressos cadastrados selecionando os dados que desejar, para gerar relatórios ou etiquetas. Figura 9. Filtros para geração de relatórios e etiquetas (GCJ, 2009) Após filtrados, os egressos são listados para que o administrador selecione quais serão gerados no relatório ou nas etiquetas. Caso ele tenha optado por gerar relatório, ele pode escolher o que deseja incluir no mesmo, podendo selecionar dados pessoais, endereço, dados financeiros, cursos realizados ou experiências profissionais, como mostra a Figura 10. Pode escolher também se deseja exibir apenas um Egresso por página. Caso ele tenha optado por gerar etiquetas, aparecerem apenas os egressos filtrados. 10

11 Figura 10. Resultado dos filtros e opções de geração de relatório (GCJ, 2009) As figuras 11 e 12 ilustram, respectivamente, como são gerados os relatórios e etiquetas. Foram marcados todos os dados para a geração do relatório ilustrado. Ambos são gerados no formato PDF. Figura 11. Relatório de Egressos (GCJ, 2009) 11

12 Figura 12. Etiquetas (GCJ, 2009) As funcionalidades a seguir são acessíveis a qualquer pessoa, cadastrada no sistema ou não. A Figura 13 exibe a tela de listagem de egressos. Todos aqueles que ao se cadastrarem, marcaram a opção que permite a terceiros visualizarem seu perfil, aparecem na lista. O campo busca permite ao usuário realizar uma busca por nome. Figura 13. Lista de egressos cadastrados (GCJ, 2009) Como pode-se notar na figura anterior, para cada Egresso listado há um ícone de editar e de excluir. Isso acontece quando a pessoa autenticada é o administrador do sistema. Se ao cadastrar históricos, o Egresso marcou a opção que permite a terceiros visualizarem os dados cadastrados, os mesmos são disponibilizados em sua página de perfil, como mostram as Figuras 14 e 15. Na primeira imagem, é mostrada a maneira com que os dados são listados. Já na segunda, como cada um é exibido. 12

13 Figura 14. Lista de históricos cadastrados (GCJ, 2009) Figura 15. Visualização de históricos (GCJ, 2009) 13

14 6. CONSIDERAÇÕES FINAIS Os sistemas de informação informatizados são peças fundamentais para controle de grandes quantidades de informação. Nesse artigo foram apresentadas cronologicamente as etapas mais importantes que fizeram parte do desenvolvimento do SCE, bem como suas principais funcionalidades e tecnologias que foram utilizadas no seu desenvolvimento. A tecnologia de informação teve um papel de destaque nesse processo, sendo indispensável na concepção e produção do sistema, para que o mesmo atingisse os objetivos pretendidos pela instituição com sua entrada em funcionamento. O SCE, funcionando via Web, serve não só como um sistema de armazenamento de dados de egressos, mas como um programa de acompanhamento dinâmico entre a Associação dos Granberyenses e os próprios granberyenses e principalmente, uma boa rede de relacionamentos, onde é possível obter informações pessoais e profissionais sobre antigos conhecidos. Visando melhorar o sistema desenvolvido, foram realizadas mais reuniões com a Associação dos Granberyenses para a elaboração de um documento de requisitos para uma nova versão do SCE. AGRADECIMENTOS A Associação dos Granberyenses e todo o Instituto Metodista Granbery pela confiança depositada na Granbery Consultoria Júnior (GCJ) para o desenvolvimento do projeto. À própria GCJ, por ter acreditado no potencial de seus consultores que participaram diretamente do processo de análise e criação do SCE. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS IEEE STD 830, IEEE Recommended Practice for Software Requirements Specifications, GCJ. Documentação do Sistema. Granbery Consultoria Júnior

15 WELLING, Luke; THOMSON, Laura. PHP e MySQL: Desenvolvimento Web. Rio de Janeiro: Campus, DALL OGLIO, Pablo. PHP: Programando com Orientação a Objetos. São Paulo: Novatec, OLIVEIRO, Carlos Antonio José. HTML: Orientado por Projeto. São Paulo: Érica,

Uma Perspectiva sobre o Sistema de Controle de Eventos utilizado pela Faculdade Metodista Granbery

Uma Perspectiva sobre o Sistema de Controle de Eventos utilizado pela Faculdade Metodista Granbery Revista Eletrônica da Faculdade Metodista Granbery http://re.granbery.edu.br - ISSN 1981 0377 Curso de Sistemas de Informação - N. 4, JAN/JUN 2008 Uma Perspectiva sobre o Sistema de Controle de Eventos

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN José Agostinho Petry Filho 1 ; Rodrigo de Moraes 2 ; Silvio Regis da Silva Junior 3 ; Yuri Jean Fabris 4 ; Fernando Augusto

Leia mais

Documentos IMAGEM. Sistema Web para Cadastro de Funcionários da Embrapa Pecuária Sul: Manual do Usuário. ISSN 1982-5390 Agosto, 2009

Documentos IMAGEM. Sistema Web para Cadastro de Funcionários da Embrapa Pecuária Sul: Manual do Usuário. ISSN 1982-5390 Agosto, 2009 Documentos ISSN 1982-5390 Agosto, 2009 82 Sistema Web para Cadastro de Funcionários da Embrapa Pecuária Sul: Manual do Usuário IMAGEM ISSN 1982-5390 Agosto, 2009 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária

Leia mais

Desenvolvendo para WEB

Desenvolvendo para WEB Nível - Básico Desenvolvendo para WEB Por: Evandro Silva Neste nosso primeiro artigo vamos revisar alguns conceitos que envolvem a programação de aplicativos WEB. A ideia aqui é explicarmos a arquitetura

Leia mais

Manual da Turma Virtual: MATERIAIS. Para acessar a turma virtual com o perfil Docente, siga o caminho indicado abaixo:

Manual da Turma Virtual: MATERIAIS. Para acessar a turma virtual com o perfil Docente, siga o caminho indicado abaixo: Manual da Turma Virtual: MATERIAIS Para acessar a turma virtual com o perfil Docente, siga o caminho indicado abaixo: MENU TURMA VIRTUAL MENU MATERIAIS CONTEÚDO/PÁGINA WEB Esta operação possibilita que

Leia mais

SGCD 2.0 Sistema Gerenciador de Conteúdo Dinâmico

SGCD 2.0 Sistema Gerenciador de Conteúdo Dinâmico Sistema Gerenciador de Conteúdo Dinâmico Atualizado em 24/08/2011 No final de 2007, o Serviço Técnico de Informática da UNESP Marília, disponibilizou para a comunidade acadêmica e administrativa o Sistema

Leia mais

Sistema de Ordens de Serviço HDA Soluções em Informática

Sistema de Ordens de Serviço HDA Soluções em Informática UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO Curso Superior de Graduação em ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Sistema de Ordens de Serviço HDA Soluções em Informática Por AUGUSTO CARRICONDE

Leia mais

Estatística Básica via MySQL para Pesquisas On-Line

Estatística Básica via MySQL para Pesquisas On-Line Estatística Básica via MySQL para Pesquisas On-Line Gabriel Ramos Guerreiro - DEs, UFSCar 1 2 Anderson Luiz Ara-Souza - DEs, UFSCar 1 3 Francisco Louzada-Neto - DEs, UFSCar 1 4 1. INTRODUÇÃO Segundo Cavalcanti

Leia mais

Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Cookies e Sessões. Prof. MSc. Hugo Souza

Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Cookies e Sessões. Prof. MSc. Hugo Souza Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Cookies e Sessões Prof. MSc. Hugo Souza Se você precisar manter informações sobre seus usuários enquanto eles navegam pelo seu site, ou até quando eles saem

Leia mais

SGCD 2.2. Sistema Gerenciador de Conteúdo Dinâmico

SGCD 2.2. Sistema Gerenciador de Conteúdo Dinâmico Atualizado em 13/AGO/2012 Sistema Gerenciador de Conteúdo Dinâmico No final de 2007, o Serviço Técnico de Informática da UNESP Marília, disponibilizou para a comunidade acadêmica e administrativa o Sistema

Leia mais

CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA ETEC PROF. MÁRIO ANTÔNIO VERZA CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA PARA INTERNET

CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA ETEC PROF. MÁRIO ANTÔNIO VERZA CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA PARA INTERNET CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA ETEC PROF. MÁRIO ANTÔNIO VERZA CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA PARA INTERNET WEBSITE MUNDO MULHER GABRIELA DE SOUZA DA SILVA LUANA MAIARA DE PAULA SILVA

Leia mais

FACULDADE DO LITORAL SUL PAULISTA FALS JEAN CARLOS RAMOS LOPES SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE VENDA LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO

FACULDADE DO LITORAL SUL PAULISTA FALS JEAN CARLOS RAMOS LOPES SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE VENDA LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO FACULDADE DO LITORAL SUL PAULISTA FALS JEAN CARLOS RAMOS LOPES SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE VENDA LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO PRAIA GRANDE 2010 1 JEAN CARLOS RAMOS LOPES SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE VENDA LINGUAGEM

Leia mais

Prefeitura de Belo Horizonte. Sistema de Controle de Protocolo

Prefeitura de Belo Horizonte. Sistema de Controle de Protocolo Prefeitura de Belo Horizonte Sistema de Controle de Protocolo Relatório apresentado para concorrer ao 2º Prêmio Inovar BH conforme Edital SMARH nº 001/2014 Belo Horizonte Julho de 2014 Resumo Sendo grande

Leia mais

Portal Contador Parceiro

Portal Contador Parceiro Portal Contador Parceiro Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa 1. Portal Contador Parceiro... 03 2. Acesso ao Portal... 04 3. Profissionais...11 4. Restrito...16 4.1 Perfil... 18 4.2 Artigos...

Leia mais

Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais.

Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais. Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais. Tales Henrique José MOREIRA 1 ; Gabriel da SILVA 2 ; 1 Estudante de Tecnologia em Sistemas para

Leia mais

CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA ETEC PROF. MÁRIO ANTÔNIO VERZA CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA PARA INTERNET

CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA ETEC PROF. MÁRIO ANTÔNIO VERZA CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA PARA INTERNET 1 CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA ETEC PROF. MÁRIO ANTÔNIO VERZA CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA PARA INTERNET DST S A PREVENÇÃO É O MELHOR REMÉDIO - UM NOVO ATRATIVO DE CONHECIMENTO -

Leia mais

APERFEIÇOAMENTO DE PROCEDIMENTOS ESTATÍSTICOS PARA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL ONLINE: IMPLANTAÇÃO DE RELATÓRIOS ARMAZENÁVEIS

APERFEIÇOAMENTO DE PROCEDIMENTOS ESTATÍSTICOS PARA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL ONLINE: IMPLANTAÇÃO DE RELATÓRIOS ARMAZENÁVEIS APERFEIÇOAMENTO DE PROCEDIMENTOS ESTATÍSTICOS PARA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL ONLINE: IMPLANTAÇÃO DE RELATÓRIOS ARMAZENÁVEIS Marina Pasquali Marconato Mancini CER, DEs, UFSCar 1 2 Anderson Luiz Ara-Souza

Leia mais

USCS. Universidade Municipal de São Caetano do Sul. Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Mestrado em Comunicação

USCS. Universidade Municipal de São Caetano do Sul. Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Mestrado em Comunicação USCS Universidade Municipal de São Caetano do Sul Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Mestrado em Comunicação Sub-Projeto de Pesquisa Evolução na Comunicação: estudos em sites da Internet

Leia mais

MANUAL Credenciados SGMC Sistema de Gestão de Modalidades de Credenciamento

MANUAL Credenciados SGMC Sistema de Gestão de Modalidades de Credenciamento MANUAL Credenciados SGMC Sistema de Gestão de Modalidades de Credenciamento SEBRAE-GO 1 Sumário Introdução... 3 1) Acesso ao Sistema... 4 1.1. LOGIN... 4 1.2. ALTERAR SENHA... 7 1.3. RECUPERAR SENHA...

Leia mais

Programando em PHP. Conceitos Básicos

Programando em PHP. Conceitos Básicos Programando em PHP www.guilhermepontes.eti.br lgapontes@gmail.com Conceitos Básicos Todo o escopo deste estudo estará voltado para a criação de sites com o uso dos diversos recursos de programação web

Leia mais

SISTEMA DE GERENCIAMENTO E CONTROLE DE DOCUMENTOS DE TCC E ESTÁGIO

SISTEMA DE GERENCIAMENTO E CONTROLE DE DOCUMENTOS DE TCC E ESTÁGIO SISTEMA DE GERENCIAMENTO E CONTROLE DE DOCUMENTOS DE TCC E ESTÁGIO Marcelo Karpinski Brambila 1, Luiz Gustavo Galves Mahlmann 2 1 Acadêmico do Curso de Sistemas de Informação da ULBRA Guaíba < mkbrambila@terra.com.br

Leia mais

FCT Faculdade de Ciências e Tecnologia Serviço Técnico de Informática STI SGCD Sistema Gerenciador de Conteúdos Dinâmicos

FCT Faculdade de Ciências e Tecnologia Serviço Técnico de Informática STI SGCD Sistema Gerenciador de Conteúdos Dinâmicos FCT Faculdade de Ciências e Tecnologia Serviço Técnico de Informática STI SGCD Sistema Gerenciador de Conteúdos Dinâmicos Manual do Usuário Presidente Prudente, outubro de 2010 Índice 1. Introdução e Instruções

Leia mais

VEXPRESSCRM. Manual do Usuário. Automação da força de vendas. MR Consultoria e Assessoria em Informática Desenvolvimento de Sistemas WEB Versão 2.

VEXPRESSCRM. Manual do Usuário. Automação da força de vendas. MR Consultoria e Assessoria em Informática Desenvolvimento de Sistemas WEB Versão 2. 1 Manual do Usuário VEXPRESSCRM Automação da força de vendas MR Consultoria e Assessoria em Informática Desenvolvimento de Sistemas WEB Versão 2.0 2 Acesso Para acessar o sistema VEXPRESS-CRM é necessário

Leia mais

Proposta Loja Virtual. Schmitt Tricot

Proposta Loja Virtual. Schmitt Tricot Proposta Loja Virtual Schmitt Tricot Apresentação: Atualmente atuo no mercado de sites e lojas virtuais desde 2010, desenvolvendo novas ideias, trabalhando com agilidade, para sempre atender a todas as

Leia mais

Sistema de Gerenciamento Remoto www.pevermelho.art.br

Sistema de Gerenciamento Remoto www.pevermelho.art.br Sistema de Gerenciamento Remoto www.pevermelho.art.br 1 - SOBRE O SGR Este manual irá lhe ajudar a entender o funcionamento do SGR (Sistema de Gerenciamento Remoto) permitindo assim que você possa atualizar

Leia mais

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider Ferramenta: Spider-CL Manual do Usuário Versão da Ferramenta: 1.1 www.ufpa.br/spider Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 14/07/2009 1.0 15/07/2009 1.1 16/07/2009 1.2 20/05/2010 1.3 Preenchimento

Leia mais

Documentos. ISSN 1982-5390 Dezembro, 2007. Sistema de Gestão de Licitações do Site da Embrapa Pecuária Sul Licitações 1.0 - Manual do Usuário

Documentos. ISSN 1982-5390 Dezembro, 2007. Sistema de Gestão de Licitações do Site da Embrapa Pecuária Sul Licitações 1.0 - Manual do Usuário Documentos ISSN 1982-5390 Dezembro, 2007 Sistema de Gestão de Licitações do Site da Embrapa Pecuária Sul Licitações 1.0 - Manual do Usuário 68 ISSN 1982-5390 Dezembro, 2007 Empresa Brasileira de Pesquisa

Leia mais

A REALIDADE VIRTUAL APLICADA AO CONTROLE E AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS PÚBLICAS

A REALIDADE VIRTUAL APLICADA AO CONTROLE E AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS PÚBLICAS A REALIDADE VIRTUAL APLICADA AO CONTROLE E AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS PÚBLICAS Gláucio Alves Oliveira; Ildeberto de Genova Bugatti Resumo O trabalho utilizou técnicas de integração entre tecnologia de Realidade

Leia mais

DESCRIÇÃO DA PLATAFORMA

DESCRIÇÃO DA PLATAFORMA DESCRIÇÃO DA PLATAFORMA Descrição da plataforma A efaculdade é uma plataforma de aprendizagem a distância, desenvolvida por profissionais brasileiros com o intuito de atender às necessidades de nossas

Leia mais

Manual de Utilização Moodle

Manual de Utilização Moodle Manual de Utilização Moodle Perfil Professor Apresentação Esse manual, baseado na documentação oficial do Moodle foi elaborado pela Coordenação de Tecnologia de Informação CTI do câmpus e tem como objetivo

Leia mais

Manual do Usuário. Manual do Usuário - Versão 1.0. 1

Manual do Usuário. Manual do Usuário - Versão 1.0. 1 Manual do Usuário Manual do Usuário - Versão 1.0. 1 Índice 1. Visão Geral... 3 2. Acessar o sistema... 3 3. Módulo Inicial... 6 3.1. Cabeçalho do sistema... 6 3.2. Fale Conosco... 6 3.3. Meu Cadastro...

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Manual de Utilização Google Grupos Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Utilização do Google Grupos Introdução... 3 Página

Leia mais

Centro de Agricultura Alternativa CAA Manual do Usuário do Portal Ypadê Balaio Digital Tecnologia em Gestão Ltda ME. Manual do Usuário Portal Ypadê

Centro de Agricultura Alternativa CAA Manual do Usuário do Portal Ypadê Balaio Digital Tecnologia em Gestão Ltda ME. Manual do Usuário Portal Ypadê Centro de Agricultura Alternativa CAA Manual do Usuário Portal Ypadê Montes Claros, 16 de Julho de 2011 Revisão 3 Sumário 1. Apresentação do portal e escopo deste documento... 2 2. Acessando o Portal Ypadê...

Leia mais

Sistema de Gerenciamento do Protocolo Geral da FAPERGS

Sistema de Gerenciamento do Protocolo Geral da FAPERGS Sistema de Gerenciamento do Protocolo Geral da FAPERGS Alcides Vaz da Silva 1 Luiz Gustavo Galves Mählmann 2 Newton Muller 3 RESUMO Este artigo apresenta o projeto de desenvolvimento de um Sistema de Informação

Leia mais

MANUAL DO PVP SUMÁRIO

MANUAL DO PVP SUMÁRIO Manual PVP - Professores SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 6 2 ACESSANDO O PVP... 8 3 TELA PRINCIPAL... 10 3.1 USUÁRIO... 10 3.2 INICIAL/PARAR... 10 3.3 RELATÓRIO... 10 3.4 INSTITUIÇÕES... 11 3.5 CONFIGURAR... 11

Leia mais

Smart Laudos 1.9. A Forma Inteligente de Criar seus Laudos Médicos. Manual do Usuário

Smart Laudos 1.9. A Forma Inteligente de Criar seus Laudos Médicos. Manual do Usuário Smart Laudos 1.9 A Forma Inteligente de Criar seus Laudos Médicos Manual do Usuário Conteúdo 1. O que é o Smart Laudos?... 3 2. Características... 3 3. Instalação... 3 4. Menu do Sistema... 4 5. Configurando

Leia mais

Plano de Carreira Sistema de Apoio à Gestão de Planos de Carreira

Plano de Carreira Sistema de Apoio à Gestão de Planos de Carreira Plano de Carreira Sistema de Apoio à Gestão de Planos de Carreira Manual do Usuário Página1 Sumário 1 Configurações Recomendadas... 4 2 Objetivos... 4 3 Acesso ao Sistema... 5 3.1. Acessar 6 3.2. Primeiro

Leia mais

1. Introdução pág.3 2. Apresentação do sistema Joomla! pág.4 3. Acessando a administração do site pág.4 4. Artigos 4.1. Criando um Artigo 4.2.

1. Introdução pág.3 2. Apresentação do sistema Joomla! pág.4 3. Acessando a administração do site pág.4 4. Artigos 4.1. Criando um Artigo 4.2. 1. Introdução pág.3 2. Apresentação do sistema Joomla! pág.4 3. Acessando a administração do site pág.4 4. Artigos 4.1. Criando um Artigo 4.2. Editando um Artigo 4.3. Excluindo um Artigo 4.4. Publicar

Leia mais

Acessibilidade nos sites das Instituições da Rede Federal de EPT

Acessibilidade nos sites das Instituições da Rede Federal de EPT Acessibilidade nos sites das Instituições da Rede Federal de EPT Maurício Covolan Rosito Gerente do Núcleo de Bento Gonçalves do projeto de Acessibilidade Virtual da RENAPI Everaldo Carniel Pesquisador

Leia mais

SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DE FLUXO DE CAIXA DO SETOR DE APOIO FINANCEIRO (ULBRA GUAÍBA)

SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DE FLUXO DE CAIXA DO SETOR DE APOIO FINANCEIRO (ULBRA GUAÍBA) SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DE FLUXO DE CAIXA DO SETOR DE APOIO FINANCEIRO (ULBRA GUAÍBA) Alessandra Lubbe 1 Alexandre Evangelista 2 Jeandro Perceval 3 José Ramiro Pereira 4 Luiz Gustavo Mahlmann 5 RESUMO

Leia mais

CURSO : Empreendedorismo 40 Hrs aulas

CURSO : Empreendedorismo 40 Hrs aulas CURSO : Empreendedorismo 40 Hrs aulas Empreendedorismo o O que é empreendedorismo? o Síndrome do empregado o Os mandamentos do empreendedor de sucesso o E o que não é empreendedorismo? Traçando o perfil

Leia mais

SAPENS - Sistema Automático de Páginas de Ensino

SAPENS - Sistema Automático de Páginas de Ensino SAPENS - Sistema Automático de Páginas de Ensino Eduardo Kokubo kokubo@inf.univali.br Fabiane Barreto Vavassori, MSc fabiane@inf.univali.br Universidade do Vale do Itajaí - UNIVALI Centro de Ensino Superior

Leia mais

Manual do Usuário Cidadão SIC Serviço de informação ao cidadão

Manual do Usuário Cidadão SIC Serviço de informação ao cidadão Manual do Usuário Cidadão SIC Serviço de informação ao cidadão NOVOSIS 3ª Versão Conteúdo Introdução... 3 Principais recursos:... 4 Para o cidadão:... 4 Para os órgãos públicos:... 4 Como Utilizar o SIC...

Leia mais

Usuários. Manual. Pergamum

Usuários. Manual. Pergamum Usuários Manual Pergamum Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 1-2 2 CADASTRANDO UM NOVO USUÁRIO/OPERADOR... 2-1 3 UTILIZANDO O MÓDULO DE USUÁRIOS... 3-2 3.1 CONFIGURAÇÃO DE GUIAS NO EXPLORER... 3-3 4 CADASTRO...

Leia mais

Ministério da Cultura

Ministério da Cultura Ministério da Cultura MANUAL DO PROPONENTE: PROPOSTAS VERSÃO 1.1 HISTÓRICO DE REVISÃO Data Versão Descrição Autor 10/11/2011 1.0 Criação do documento. Aline Oliveira - MINC 07/01/2013 1.1 Atualização do

Leia mais

WordPress Institucional UFPel Guia Rápido

WordPress Institucional UFPel Guia Rápido GABINETE DO REITOR COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NÚCLEO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO SEÇÃO DE TECNOLOGIAS PARA WEBSITES WordPress Institucional UFPel Guia Rápido Versão 2.0.1 Março de 2015 Introdução

Leia mais

Guia de Inicialização para o Windows

Guia de Inicialização para o Windows Intralinks VIA Versão 2.0 Guia de Inicialização para o Windows Suporte 24/7/365 da Intralinks EUA: +1 212 543 7800 Reino Unido: +44 (0) 20 7623 8500 Consulte a página de logon da Intralinks para obter

Leia mais

Geração do Portal CPCX - UFMS pelo UNION: Um Estudo de Caso

Geração do Portal CPCX - UFMS pelo UNION: Um Estudo de Caso Geração do Portal CPCX - UFMS pelo UNION: Um Estudo de Caso Lourival dos Santos Pires Júnior, Tony Carlos Bignardi dos Santos, Amaury Antônio de Castro Junior, Carlos Alberto da Silva, Leila Lisiane Rossi

Leia mais

SISTEMA UNIFICADO DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA SUAP

SISTEMA UNIFICADO DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA SUAP INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SISTEMA UNIFICADO DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA SUAP MANUAL DO

Leia mais

Produto IV: ATU SAAP. Manual de Referência

Produto IV: ATU SAAP. Manual de Referência Produto IV: ATU SAAP Manual de Referência Pablo Nogueira Oliveira Termo de Referência nº 129275 Contrato Número 2008/000988 Brasília, 30 de outubro de 2008 1 Sistema de Apoio à Ativideade Parlamentar SAAP

Leia mais

Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning

Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning www.pwi.com.br 1 Volpe Enterprise Resource Planning Este manual não pode, em parte ou no seu todo, ser copiado, fotocopiado,

Leia mais

ÍNDICE. Página 2 de 21

ÍNDICE. Página 2 de 21 Página 1 de 21 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 3 2. MINHA CONTA... 3 2.1. Introdução... 3 2.2. Telas do Menu Minha Conta... 4 2.2.1. Tela de Dados Cadastrais... 4 2.2.2. Tela Gerenciar Contatos... 5 2.2.3. Tela

Leia mais

Sistema de Acompanhamento ao Desempenho do Aluno

Sistema de Acompanhamento ao Desempenho do Aluno Sistema de Acompanhamento ao Desempenho do Aluno Manoel Cardoso da Silveira Neto 1, Luciana Vescia Lourega 1 1 Instituto Federal Farroupilha Campus Júlio de Castilhos RS - Brasil Caixa Postal 38 98.130-000

Leia mais

Manual do Painel Administrativo

Manual do Painel Administrativo Manual do Painel Administrativo versão 1.0 Autores César A Miggiolaro Marcos J Lazarin Índice Índice... 2 Figuras... 3 Inicio... 5 Funcionalidades... 7 Analytics... 9 Cidades... 9 Conteúdo... 10 Referência...

Leia mais

SUMÁRIO Acesso ao sistema... 2 Atendente... 3

SUMÁRIO Acesso ao sistema... 2 Atendente... 3 SUMÁRIO Acesso ao sistema... 2 1. Login no sistema... 2 Atendente... 3 1. Abrindo uma nova Solicitação... 3 1. Consultando Solicitações... 5 2. Fazendo uma Consulta Avançada... 6 3. Alterando dados da

Leia mais

IOB Mitrius WWW.IOB.COM.BR/SOLUCOES. Software de auditoria eletrônica de arquivos digitais de SPED. O que faz: O que oferece:

IOB Mitrius WWW.IOB.COM.BR/SOLUCOES. Software de auditoria eletrônica de arquivos digitais de SPED. O que faz: O que oferece: IOB Mitrius Software de auditoria eletrônica de arquivos digitais de SPED O que faz: Valida os arquivos digitais através de regras automatizadas e constantemente validadas / aprimoradas; Antecipa a análise

Leia mais

Documentação do Sistema de Reserva de Salas da Intranet do ICMC-USP

Documentação do Sistema de Reserva de Salas da Intranet do ICMC-USP UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Departamento de Ciências da Computação e Estatística Documentação do Sistema de Reserva de Salas da Intranet do ICMC-USP André

Leia mais

Anderson Corrêa Carraro 1, Fernando Alves Rodrigues 2, Silvio Francisco dos Santos 3

Anderson Corrêa Carraro 1, Fernando Alves Rodrigues 2, Silvio Francisco dos Santos 3 DESENVOLVIMENTO E IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA INFORMATIZADO PARA O CONTROLE DE PROCESSOS DA QUALIDADE NA DIRETORIA DE METROLOGIA CIENTÍFICA E INDUSTRIAL DIMCI/INMETRO. Anderson Corrêa Carraro 1, Fernando

Leia mais

MANUAL DO ACADÊMICO. de Utilização do Sistema de Requerimentos Online CEAD. Débora Soares Silva Thiago Mendes Borges

MANUAL DO ACADÊMICO. de Utilização do Sistema de Requerimentos Online CEAD. Débora Soares Silva Thiago Mendes Borges MANUAL DO ACADÊMICO de Utilização do Sistema de Requerimentos Online CEAD Débora Soares Silva Thiago Mendes Borges Débora Soares Silva Thiago Mendes Borges Manual do Acadêmico de Utilização do Sistema

Leia mais

Construtor de sites SoftPixel GUIA RÁPIDO - 1 -

Construtor de sites SoftPixel GUIA RÁPIDO - 1 - GUIA RÁPIDO - 1 - Sumário Introdução...3 Por que utilizar o Construtor de Sites?...3 Vantagens do Construtor de Sites...3 Conceitos básicos...3 Configuração básica do site...5 Definindo o layout/template

Leia mais

Navegando no produto e utilizando esse material de apoio, você descobrirá os benefícios do IOB Online Regulatório, pois só ele é:

Navegando no produto e utilizando esse material de apoio, você descobrirá os benefícios do IOB Online Regulatório, pois só ele é: 1. CONCEITO Completo, prático e rápido. Diante do aumento da complexidade da tributação e do risco fiscal, pelos desafios de conhecimento e capacitação e pela velocidade para acompanhar mudanças na legislação,

Leia mais

CPP. Sistema de Cadastro de Projetos de Pesquisa. Manual do Software

CPP. Sistema de Cadastro de Projetos de Pesquisa. Manual do Software CPP Sistema de Cadastro de Projetos de Pesquisa Manual do Software Maio 2015 1 Sistema de Cadastro de Projetos de Pesquisa Manual do Software Manual de uso do software SCPP Sistema de Cadastro de Projetos

Leia mais

(STUDY OF AGILITY IN SOFTWARE DEVELOPMENT PROCESS WITH TEAMS AT DIFFERENT WORK UNITS USING A ON-LINE MANAGEMENT TOOL)

(STUDY OF AGILITY IN SOFTWARE DEVELOPMENT PROCESS WITH TEAMS AT DIFFERENT WORK UNITS USING A ON-LINE MANAGEMENT TOOL) ESTUDO DE AGILIDADE NO PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE COM EQUIPES EM DIFERENTES UNIDADES DE TRABALHO UTILIZANDO UMA FERRAMENTA DE GERENCIAMENTO ON-LINE (STUDY OF AGILITY IN SOFTWARE DEVELOPMENT

Leia mais

[SITE FÁCIL CDL MANUAL DO USUÁRIO]

[SITE FÁCIL CDL MANUAL DO USUÁRIO] Câmara de Dirigentes Lojistas [SITE FÁCIL CDL MANUAL DO USUÁRIO] Sumário 1. Controle de versão... 3 2. Objetivo... 4 3. Site fácil... 4 4. Acessando o sistema de gestão de conteúdo (SGC)... 5 5. Páginas

Leia mais

Introdução à Tecnologia Web. Tipos de Sites. Profª MSc. Elizabete Munzlinger www.elizabete.com.br

Introdução à Tecnologia Web. Tipos de Sites. Profª MSc. Elizabete Munzlinger www.elizabete.com.br IntroduçãoàTecnologiaWeb TiposdeSites ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger www.elizabete.com.br ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger www.elizabete.com.br TiposdeSites Índice 1 Sites... 2 2 Tipos de Sites... 2 a) Site

Leia mais

Site do Advogado Manual

Site do Advogado Manual Site do Advogado Manual Acesso ao site www.seudominio.com.br (em breve) www.siteadv.com.br/seudominio Para acessar a área administrativa, utilize o seguinte endereço: www.seudominio.com.br/restrito (em

Leia mais

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ÍNDICE INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ACESSO ÀS FERRAMENTAS 9 FUNÇÕES 12 MENSAGENS 14 CAMPOS OBRIGATÓRIOS

Leia mais

ANEXO 11. - Conteúdos em formato de texto puro e listas; - Conteúdos em formato de texto puro e conteúdo categorizado;

ANEXO 11. - Conteúdos em formato de texto puro e listas; - Conteúdos em formato de texto puro e conteúdo categorizado; ANEXO 11 O CMS PROCERGS Para o desenvolvimento de sites, objeto deste edital, a empresa contratada obrigatoriamente utilizará uma ferramenta CMS (Content Management Systems ou Sistema de Gestão de Conteúdo)

Leia mais

MANUAL DE SISTEMA. SisFies FIES Pós-graduação. Página1. Manual de Adesão

MANUAL DE SISTEMA. SisFies FIES Pós-graduação. Página1. Manual de Adesão SisFies FIES Pós-graduação Manual de Adesão Página1 Sumário 1 Configurações recomendadas... 3 2 Objetivos... 3 3 Acesso ao sistema... 4 3.1. Acessar com certificado digital 5 3.2. Acessar com CPF/CNPJ

Leia mais

MANUAL DO ALUNO. Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA. http://www.fgf.edu.br

MANUAL DO ALUNO. Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA. http://www.fgf.edu.br MANUAL DO ALUNO Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA http://www.fgf.edu.br Sala Virtual TelEduc O TelEduc é um ambiente virtual desenvolvido Unicamp para apoiar professores

Leia mais

SISDEX SISTEMA DE CONTROLE DE DOCUMENTOS EXPEDIDOS

SISDEX SISTEMA DE CONTROLE DE DOCUMENTOS EXPEDIDOS - MDA - SPOA - CGMI SISDEX SISTEMA DE CONTROLE DE DOCUMENTOS EXPEDIDOS MANUAL DO USUÁRIO Pesquisa no Sistema BRASÍLIA, AGOSTO DE 2007 Versão 1.0 SISDEX SISTEMA DE CONTROLE DE DOCUMENTOS EXPEDIDOS MANUAL

Leia mais

Tutorial Administrativo (Backoffice)

Tutorial Administrativo (Backoffice) Manual - Software ENTRANDO NO SISTEMA BACKOFFICE Para entrar no sitema Backoffice, digite no seu navegador de internet o seguinte endereço: http://pesquisa.webbyapp.com/ Entre com o login e senha. Caso

Leia mais

BVS Site. Aplicativo para geração de portais BVS. Cláudia Guzzo Patrícia Gaião

BVS Site. Aplicativo para geração de portais BVS. Cláudia Guzzo Patrícia Gaião BVS Site Aplicativo para geração de portais BVS Cláudia Guzzo Patrícia Gaião Gerência de Produção de Fontes de Informação / Projetos e Instâncias da BVS BIREME/OPAS/OMS Biblioteca Virtual em Saúde (BVS)

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA. Sistema de Gerenciamento Eletrônico de Documentos

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA. Sistema de Gerenciamento Eletrônico de Documentos UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA Sistema de Gerenciamento Eletrônico de Documentos Autor: Evandro Bastos Tavares Orientador: Antônio Claudio Gomez

Leia mais

Cetac - Centro de Ensino e Treinamento em Anatomia e Cirurgia Veterinária Manual Técnico do Sistema Administrativo do site Cetacvet.com.

Cetac - Centro de Ensino e Treinamento em Anatomia e Cirurgia Veterinária Manual Técnico do Sistema Administrativo do site Cetacvet.com. Manual Técnico do Sistema Administrativo do site Cetacvet.com.br SÃO PAULO - SP SUMÁRIO Introdução... 3 Autenticação no sistema administrativo... 4 Apresentação do sistema administrativo... 5 Gerenciamento

Leia mais

Gerenciador de Congressos de Iniciação Científica Manual de Instruções

Gerenciador de Congressos de Iniciação Científica Manual de Instruções Pág. 1 Autores Gerência de Redes e Sistemas Versão Data 1. Apresentação Este é um produto desenvolvido pela equipe da Gerência de Redes e Sistemas da FARN, atualmente estruturada com o

Leia mais

EIMOBILE INSTITUIÇÕES DE ENSINO MOBILE

EIMOBILE INSTITUIÇÕES DE ENSINO MOBILE UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EIMOBILE INSTITUIÇÕES DE ENSINO MOBILE por Miguel Aguiar Barbosa Trabalho de curso II submetido como

Leia mais

MANUAL SCCARD. Rev.00 Aprovação: 16/08/2010 Página 1 de 19

MANUAL SCCARD. Rev.00 Aprovação: 16/08/2010 Página 1 de 19 Rev.00 Aprovação: 16/08/2010 Página 1 de 19 UNIMED BLUMENAU COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO SCCard Sistema de Autorização On-Line O SCCard é a interface web do sistema de autorização da Unimed Blumenau

Leia mais

índice I. Introdução Procedimentos básicos V. Prontuário Configurações VII. Medicamentos VIII. Tags

índice I. Introdução Procedimentos básicos V. Prontuário Configurações VII. Medicamentos VIII. Tags Manual Versão Web índice I. Introdução II. III. IV. Procedimentos básicos A agenda Clientes V. Prontuário VI. Configurações VII. Medicamentos VIII. Tags IX. Contato I Introdução O que é o JustDoctor? O

Leia mais

Desenvolvendo Websites com PHP

Desenvolvendo Websites com PHP Desenvolvendo Websites com PHP 2ª Edição Juliano Niederauer Novatec Copyright 2009, 2011 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida a reprodução

Leia mais

GPA (Gerenciador de Pedidos de Afastamentos)

GPA (Gerenciador de Pedidos de Afastamentos) GPA (Gerenciador de Pedidos de Afastamentos) Manual versão 1.2 Sistema de gerenciamento de pedidos de afastamento de Magistrados do Estado do Tocantins. 27/8/2013 Sumário 1. Introdução... 2 2. Definindo

Leia mais

Manual de Instalação, Administração e Uso do Sistema Elétric

Manual de Instalação, Administração e Uso do Sistema Elétric Manual de Instalação, Administração e Uso do Sistema Elétric Versão 1.0 Autores Bruna Cirqueira Mariane Dantas Milton Alves Robson Prioli Nova Odessa, 10 de Setembro de 2013 Sumário Apoio 1. Licença deste

Leia mais

Manual do Usuário Central de Agendamento. Versão 1.1

Manual do Usuário Central de Agendamento. Versão 1.1 Manual do Usuário Central de Agendamento Versão 1.1 Maio, 2014 Central de Agendamento Manual de utilização Tribunal de Justiça do Estado da Bahia Setor: Coordenação de Sistemas - COSIS Histórico de Revisões

Leia mais

Tutorial Sistema de Administração de Sites - SAS

Tutorial Sistema de Administração de Sites - SAS Tutorial Sistema de Administração de Sites - SAS Este tutorial visa esclarecer dúvidas quanto ao sistema desenvolvido na DATI para o gerenciamento de conteúdos dos sites da instituição. Antes de conhecer

Leia mais

Tópicos de Ambiente Web. Modulo 2 Processo de desenvolvimento de um site Professora: Sheila Cáceres

Tópicos de Ambiente Web. Modulo 2 Processo de desenvolvimento de um site Professora: Sheila Cáceres Tópicos de Ambiente Web Modulo 2 Processo de desenvolvimento de um site Professora: Sheila Cáceres Roteiro Motivação Desenvolvimento de um site Etapas no desenvolvimento de software (software:site) Analise

Leia mais

Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação. MANUAL DE USO Sistema de Reserva de Salas INTRANET - ICMC-USP

Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação. MANUAL DE USO Sistema de Reserva de Salas INTRANET - ICMC-USP Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação ISSN - 0103-2569 MANUAL DE USO Sistema de Reserva de Salas INTRANET - ICMC-USP André Pimenta Freire Renata Pontin de M. Fortes N 0 213 RELATÓRIOS TÉCNICOS

Leia mais

MANUAL DO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM - ALUNO

MANUAL DO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM - ALUNO MANUAL DO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM - ALUNO 0800 703 3180 SUMÁRIO Apresentação Ambiente Virtual de Aprendizagem 1. Primeiro Acesso 1.1 Navegar em cursos 1.2 Enquete 1.3 Dados Cadastrais 2. Cursos

Leia mais

Geris Engenharia e Serviços

Geris Engenharia e Serviços Geris Engenharia e Serviços Sistema administrativo Manual do Usuário Produzido por: Favus Interactive Editoração Eletrônica Ltda - ME Endereço eletrônico: w ww.gerisengenharia.com.br/admin Apresentação

Leia mais

1.1 Objetivo 1 1.2 Características 1

1.1 Objetivo 1 1.2 Características 1 Introdução 1. INTRODUÇÃO 1 1.1 Objetivo 1 1.2 Características 1 2. AUTORIZAÇÃO DE ACESSO A SISTEMA 2 2.1 Endereço WEB do SCPA Módulo Sistema 2 2.2 Pré-requisitos para acesso: 2 2.3 Tela inicial: 3 2.4

Leia mais

Manual do Sistema Carteira do Idoso

Manual do Sistema Carteira do Idoso Manual do Sistema Carteira do Idoso SUMÁRIO Manual do Sistema Carteira do Idoso... 3 1. Acessando o Sistema... 3 2. Tela Inicial... 4 2.1. Início... 5 2.2. Pesquisar Idoso... 5 2.2.1. Como pesquisar o

Leia mais

Manual de Usuário Versão 3.0

Manual de Usuário Versão 3.0 Manual de Usuário Versão 3.0 Objetivo Este Manual de Usuário é destinado a todos os usuários do website VisionLink que necessitam monitorar localização, horímetro e condições vitais do equipamento: Clientes

Leia mais

Modelo R02 - Volume 4 - Aplicativo Web Embarcado

Modelo R02 - Volume 4 - Aplicativo Web Embarcado Modelo R02 - Volume 4 - Aplicativo Web Embarcado INTRODUÇÃO O equipamento Prisma Super Fácil foi desenvolvido com a finalidade de registrar a frequência dos colaboradores obedecendo às especificações da

Leia mais

1 Sumário... 2. 2 O Easy Chat... 3. 3 Conceitos... 3. 3.1 Perfil... 3. 3.2 Categoria... 3. 4 Instalação... 5. 5 O Aplicativo... 7 5.1 HTML...

1 Sumário... 2. 2 O Easy Chat... 3. 3 Conceitos... 3. 3.1 Perfil... 3. 3.2 Categoria... 3. 4 Instalação... 5. 5 O Aplicativo... 7 5.1 HTML... 1 Sumário 1 Sumário... 2 2 O Easy Chat... 3 3 Conceitos... 3 3.1 Perfil... 3 3.2 Categoria... 3 3.3 Ícone Específico... 4 3.4 Janela Específica... 4 3.5 Ícone Geral... 4 3.6 Janela Geral... 4 4 Instalação...

Leia mais

BEM VINDOS AO DHL WEB SHIPPING GUIA DE USO

BEM VINDOS AO DHL WEB SHIPPING GUIA DE USO Envio de Remessas Online BEM VINDOS AO DHL WEB SHIPPING GUIA DE USO webshipping.dhl.com ACESSE O DHL WEB SHIPPING DE QUALQUER LUGAR DO MUNDO. Ideal para qualquer empresa com acesso à internet, o DHL Web

Leia mais

O Blog do Conhecimento (http://blog.df.sebrae.com.br/ugc), desenvolvido pela UGC, é uma

O Blog do Conhecimento (http://blog.df.sebrae.com.br/ugc), desenvolvido pela UGC, é uma MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO BLOG DO CONHECIMENTO APRESENTAÇÃO O Blog do Conhecimento (http://blog.df.sebrae.com.br/ugc), desenvolvido pela UGC, é uma ferramenta de COLABORAÇÃO que tem como objetivo facilitar

Leia mais

INTRODUÇÃO... 3 ACESSO AO SISTEMA BANCA VIRTUAL... 3 BANCA VIRTUAL PARA O AVALIADOR... 6 AVALIAÇÃO DE TRABALHOS...6 CONSIDERAÇÕES FINAIS...

INTRODUÇÃO... 3 ACESSO AO SISTEMA BANCA VIRTUAL... 3 BANCA VIRTUAL PARA O AVALIADOR... 6 AVALIAÇÃO DE TRABALHOS...6 CONSIDERAÇÕES FINAIS... SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 ACESSO AO SISTEMA BANCA VIRTUAL... 3 BANCA VIRTUAL PARA O AVALIADOR... 6 AVALIAÇÃO DE TRABALHOS...6 CONSIDERAÇÕES FINAIS... 9 2 INTRODUÇÃO O sistema Banca Virtual possibilita que

Leia mais

Ministério da Cultura

Ministério da Cultura Ministério da Cultura MANUAL DO PROPONENTE: ADMINISTRATIVO VERSÃO 1.0 HISTÓRICO DE REVISÃO Data Versão Descrição Autor 08/01/2013 1.0 Criação do documento. Aline Oliveira - MINC 3 ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO...

Leia mais

Afinal o que é HTML?

Afinal o que é HTML? Aluno : Jakson Nunes Tavares Gestão e tecnologia da informacão Afinal o que é HTML? HTML é a sigla de HyperText Markup Language, expressão inglesa que significa "Linguagem de Marcação de Hipertexto". Consiste

Leia mais

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA Guia rápido A PLATAFORMA MOODLE Moodle (Modular Object Oriented Distance LEarning) é um Sistema para Gerenciamento de Cursos (SGC). Trata-se de um programa para computador

Leia mais