PREENCHIMENTO DA PLANILHA DO PROJETO EXPRESSO V 2.0

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PREENCHIMENTO DA PLANILHA DO PROJETO EXPRESSO V 2.0"

Transcrição

1 1. OBJETIVO Este informativo técnico tem como objetivo orientar o envio dos documentos e o preenchimento correto da planilha do Projeto Expresso v APLICAÇÃO O projeto expresso visa atender as ligações de entrada coletiva que atendam simultaneamente as seguintes condições: Empreendimento composto de apenas 1 caixa de medição coletiva com máximo de 12 medidores; Centro de medição localizado no máximo a 15 metros do limite da propriedade (ponto de entrega) até o centro da caixa de Proteção e Manobra, exceto para as caixas até 4 medidores que devem ser instalado no limite da propriedade; Ramal de Entrada Único; Não possuir nenhuma Medição Indireta. Obs.: O centro de medição poderá possuir adicionalmente, uma caixa de medição exclusiva para o sistema de bomba de incêndio. 3. DOCUMENTAÇÃO Para solicitação da analise do Projeto, o profissional deverá fornecer as seguintes informações em arquivo digital, via Planilha Projeto Expresso versão 2.0 preenchida corretamente; ART do Projeto de Entrada; Guia de Recolhimento da ART com o comprovante de pagamento; Procuração (carta do cliente autorizando a empresa/profissional responsável como seu representante). Em resposta a solicitação do futuro cliente ou seu representante legalmente designado, a EDP Bandeirante informará através de comunicação digital, via , o parecer técnico da Concessionária. 4. MONTAGEM DOS PADRÕES DE ENTRADA O Centro de Medição deverá ser construído conforme os desenhos do Padrão Técnico PT.PN Fornecimento de Energia Elétrica em Tensão Secundária de Distribuição Edificações Coletivas. Número do Desenho Descrição 12 Padrão para ligação de 2 clientes com caixa tipo "K" 13 Padrão para ligação até 4 clientes com caixa tipo "L" 14 Padrão para ligação até 6 clientes com caixa tipo "H" 15 Padrão para ligação até 8 clientes com caixa tipo "M" 16 Padrão para ligação até 12 clientes com caixa tipo "N" 17 Montagem da caixa tipo "porta base K" 18 Montagem da caixa tipo "T" Página 1 de 13

2 5. ENCAMINHAMENTO Após preparação de toda a Documentação, inclusive o preenchimento da planilha do projeto expresso 2.0, deverão ser encaminhados, via à EDP Bandeirante, nos seguintes endereços eletrônicos: Região do Alto Tietê Região do Vale do Paraíba Deverá ser enviado um (1) por projeto, inserindo no campo assunto : PROJETO EXPRESSO - endereço da obra, conforme modelo a seguir: 6. DESENVOLVIMENTO A planilha do Projeto Expresso é dividida em 5 abas: a) Projeto Automático; b) Relação de Carga; c) Croqui; d) Memorial; e) Centro de Medição. Observações gerais: Apenas será possível alteração nos campos da cor azul escuro. Os fatores de demanda e potência estão de acordo com o Padrão Técnico PT.PN Fornecimento de Energia Elétrica em Tensão Secundária de Distribuição Edificações Coletivas. Página 2 de 13

3 a) Projeto automático Nesta aba será informado se projeto está pronto para ser encaminhado para a EDP Bandeirante, caso não esteja, a planilha informará através de uma mensagem, quais itens deverão ser corrigidos ou se o Padrão Expresso não se aplica a esse caso. Quando o campo Check List estiver OK nos três itens, significa que o projeto está pronto para ser encaminhado à EDP Bandeirante. Página 3 de 13

4 b) Relação de Carga Nesta aba será definido o tipo de caixa, instalação e a relação de carga de cada unidade conforme segue: Preencher o tipo da caixa Selecionar o tipo da unidade Preencher a área (m²) de cada unidade, inclusive da Administração (se houver) Preencher o(s) campo(s) de iluminação(kw) OBS: Esse item possui 5 campos para diferentes tipos de lâmpadas, sendo dois destes pré-definidos e três campos livres: Tipo de Iluminação Iluminação Incandescente 1,00 Fator de potência Iluminação Fluorescente 0,55 Iluminação (demais tipos) Preencher o campo FP (fator de potência) de acordo com o especificado pelo Fabricante Página 4 de 13

5 Preencher a potência total das tomadas de cada unidade Preencher o(s) campo(s) destinados aos Equipamentos, respeitando as potências mínimas indicadas nas Tabelas da PT.PN Preencher a quantidade de motores trifásicos de cada unidade Página 5 de 13

6 Preencher a quantidade de motores monofásicos/bifásicos de cada unidade Preencher a quantidade de motores para bomba(s) de incêndio Página 6 de 13

7 c) Croqui Responsável: Nome do técnico ou engenheiro responsável Ex.: João da Silva. Endereço: Local da ligação Ex: Av. Marechal Floriano Peixoto, 416 Centro São José dos Campos. Telefone: Telefone do responsável para quaisquer esclarecimentos. Referência: Pontos próximos ao local. LOCAL Figura 1 - Mapa com no mínimo 3 ruas de referência e local indicado. Página 7 de 13

8 Ponto de Ligação Figura 2 - Foto da fachada do local com indicação do ponto de ligação. Página 8 de 13

9 Figura 3 - Inserir ponto de ligação com círculo vermelho, marcando as divisas do terreno e a distância do ponto de ligação das divisas. Assinatura Obs.: Caso não haja terrenos vizinhos, inserir dimensões de acordo com a(s) rua(s)s paralelas ao terreno. João da Silva Crea: Página 9 de 13

10 d) Memorial Descrição (informar nesse campo se é uma ligação nova): Caso já possua ligação no local, assinalar o tipo de solicitação como Modificação. Obs.: Para Modificações, responder se haverá necessidade de ligação provisória para a Construção do centro de medição e também o número de dias necessários (lembrando que o máximo é de 15 dias). Cliente: Na ordem de venda é verificada a rede no local e elaborado um projeto caso haja necessidade, sua resposta é válida por 30 dias, portanto, assinale esta alternativa caso o padrão de entrada seja construído dentro deste prazo. Página 10 de 13

11 Preencher os dados do cliente: Endereço da Obra: Responsável pelo Projeto (preencher os dados do projetista e endereço para correspondência): Página 11 de 13

12 e) Centro de Medição Esta aba mostrará o resultado final do centro de medição e todas as suas características para construção, que, para isto necessita de algumas informações a serem preenchidas conforme segue: Informar o sistema de atendimento (Estrela ou Delta), que poderá ser alterado pela Concessionária de acordo com o sistema de atendimento no local. Informar a entrada 3F+N ou 2F+N : Preencher se será utilizado poste, coluna ou fachada: Informar qual será o tipo de isolação de cada condutor do centro de medição: Página 12 de 13

13 Preencher o tipo de proteção geral que será utilizado: Informar se as unidades serão bifásicas ou trifásicas: Página 13 de 13

PREENCHIMENTO DA PLANILHA DO PROJETO EXPRESSO V 2.0

PREENCHIMENTO DA PLANILHA DO PROJETO EXPRESSO V 2.0 1. OBJETIVO Este informativo técnico tem como objetivo orientar o envio dos documentos e o preenchimento correto da planilha do Projeto Expresso v 2.0 - Caixas Metálicas e planilha do Projeto Expresso

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA MEMORIAL DESCRITIVO E JUSTIFICATIVO DE CÁLCULO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EM MÉDIA TENSÃO 13.8KV CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA RUA OSVALDO PRIMO CAXILÉ, S/N ITAPIPOCA - CE 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

Orientações Básicas para Análise e Tramitação de Projetos de Pesquisa pela Plataforma Brasil pelos Comitês de Ética em Pesquisa

Orientações Básicas para Análise e Tramitação de Projetos de Pesquisa pela Plataforma Brasil pelos Comitês de Ética em Pesquisa Orientações Básicas para Análise e Tramitação de Projetos de Pesquisa pela Plataforma Brasil pelos Comitês de Ética em Pesquisa Versão 1.2 Histórico de revisão Versão Autor Data Descrição Equipe suporte

Leia mais

Sistema Normativo Corporativo

Sistema Normativo Corporativo Sistema Normativo Corporativo PADRÃO TÉCNICO VERSÃO Nº ATA Nº DATA DATA DA VIGÊNCIA 01-15/11/2012 27/11/2012 APROVADO POR EDSON HIDEKI TAKAUTI SUMÁRIO 1. RESUMO... 4 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES... 4 3. OBJETIVO...

Leia mais

cesse: Downloads Manuais Tira-dúvidas

cesse: Downloads Manuais Tira-dúvidas para leigos cesse: Downloads gratuitos Manuais Tira-dúvidas E muito mais! O site Shammaluz está mais bonito e mais completo. Lá você encontra informações específicas para cada tipo de negócio que quer

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 02

COMUNICADO TÉCNICO Nº 02 COMUNICADO TÉCNICO Nº 02 Página 1 de 1 ALTERAÇÕES NAS TABELAS PARA DIMENSIONAMENTO DOS PADRÕES DE ENTRADA DE BAIXA TENSÃO DE USO INDIVIDUAL 1.OBJETIVO Visando a redução de custos de expansão do sistema

Leia mais

Simbologia de instalações elétricas

Simbologia de instalações elétricas Simbologia de instalações elétricas Os símbolos gráficos usados nos diagramas unifilar são definidos pela norma NBR5444, para serem usados em planta baixa (arquitetônica) do imóvel. Neste tipo de planta

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE APRESENTAÇÃO DE PROJETO ELÉTRICO À ENERSUL

PROCEDIMENTOS DE APRESENTAÇÃO DE PROJETO ELÉTRICO À ENERSUL PROCEDIMENTO DA DISTRIBUIÇÃO VERSÃO Nº R1 DATA DATA DA VIGÊNCIA 15/07/2013 Histórico de Revisões Revisão Alterações Data R0 - Versão Inicial. 21/06/2013 R1 - Acrescentado Medição Agrupada, Cabinas e Postos

Leia mais

Eficiência Energética Fundação Santo André - Professor Mario Pagliaricci

Eficiência Energética Fundação Santo André - Professor Mario Pagliaricci Fundação Santo André - Professor Mario Pagliaricci INSTALAÇÔES ELÉTRICAS 1 Apresentação 2 Circuitos Elétricos - Monofásicos 3 Circuitos Elétricos - Trifásicos 4 Cálculo de Correntes 5 Dimensionamento 1-

Leia mais

Realizar novas ligações. Executa ligação BT. HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação à edição anterior

Realizar novas ligações. Executa ligação BT. HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação à edição anterior Fornecimento de Energia Elétrica a Edificações de Múltiplas Unidades Consumidoras do Programa Minha Casa Minha Vida com Telemedição Processo Atividade Realizar novas ligações Executa ligação BT Código

Leia mais

CAPÍTULO VIII. Saídas de Emergência SEÇÃO I. Das condições

CAPÍTULO VIII. Saídas de Emergência SEÇÃO I. Das condições CAPÍTULO VIII Saídas de Emergência SEÇÃO I Das condições Art. 201 - Estas normas fixam as condiçöes exigíveis que devem possuir as edificaçöes a fim de que suas populaçöes possam abandoná-las, e para permitir

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO ENTRADA DE ENERGIA EM ALTA TENSÃO

MEMORIAL DESCRITIVO ENTRADA DE ENERGIA EM ALTA TENSÃO MEMORIAL DESCRITIVO ENTRADA DE ENERGIA EM ALTA TENSÃO Responsável Técnico: Proprietário / Responsável Legal: Marcos Antônio de Sordi Instituto Federal de Ciência e Eng.º Eletricista CREA PR-73895/D Tecnologia

Leia mais

CRM MITIS GERAR SMP PELO ASSISTENTE

CRM MITIS GERAR SMP PELO ASSISTENTE CRM MITIS GERAR SMP PELO ASSISTENTE INFORMAÇÕES INICIAIS... 3 PÁGINA INICIAL-CADASTRO DE VISITAS... 3 AGENDA DE VISITAS JANELA PRINCIPAL... 3 CADASTRO DE VISITAS... 3 GERAR SMP PELO ASSISTENTE... 4 PREENCHIMENTO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO RIO DE JANEIRO - CREA-RJ. Certidão de Acervo Técnico nº 59919/2014

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO RIO DE JANEIRO - CREA-RJ. Certidão de Acervo Técnico nº 59919/2014 PÁG: 1/ 9 Certidão de Acervo Técnico nº 59919/2014 Não há vinculação entre a presente Certidão e qualquer atestado (Artigo 30,P arágrafo 1º, Inciso I da Lei 8666/93), tendo sido a mesma emitida com a finalidade

Leia mais

Manual do Novo Pátio. Revenda. Versão 2.0

Manual do Novo Pátio. Revenda. Versão 2.0 Manual d Nv Páti Revenda Versã 2.0 1 Cnteúd INTRODUÇÃO... 3 1.LOGIN... 4 2.ANUNCIANTE... 4 2.1 Listar Usuáris... 4 2.2 Criar Usuári... 5 2.2.1 Permissões:... 6 3.SERVIÇOS... 7 3.1 Serviçs... 7 3.2 Feirã...

Leia mais

Fornecimento de Energia Elétrica em Tensão Secundária Rede de Distribuição Aérea - Edificações Individuais

Fornecimento de Energia Elétrica em Tensão Secundária Rede de Distribuição Aérea - Edificações Individuais ND-5.1 Companhia Energética de Minas Gerais Norma de Distribuição Fornecimento de Energia Elétrica em Tensão Secundária Rede de Distribuição Aérea - Edificações Individuais Belo Horizonte - Minas Gerais

Leia mais

APOSTILA DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

APOSTILA DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS APOSTILA DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Engenharia Elétrica - UniFOA 7 Período Professor Paulo André Dias Jácome Engenheiro Eletricista CREA-RJ 168734/D Bibliografia: Básica: - Instalações Elétricas Hélio Creder

Leia mais

PROGRAMA IMOBILIG - MANUAL DE ORIENTAÇÃO E PROCEDIMENTOS

PROGRAMA IMOBILIG - MANUAL DE ORIENTAÇÃO E PROCEDIMENTOS PROGRAMA IMOBILIG - MANUAL DE ORIENTAÇÃO E PROCEDIMENTOS Sumário 1. Objetivo... 3 2. Premissas básicas... 3 3. Compromissos da CEEE-D... 3 4. Compromissos da Imobiliária... 3 5. Serviços disponíveis através

Leia mais

TLA-Capacitores 1 NORMA PARA INSTALAÇÃO DE BANCO DE CAPACITORES EM BAIXA TENSÃO ÍNDICE PÁG.

TLA-Capacitores 1 NORMA PARA INSTALAÇÃO DE BANCO DE CAPACITORES EM BAIXA TENSÃO ÍNDICE PÁG. ÍNDICE 1. OBJETIVO...2 2. RESPONSABILIDADES...2 3. CONCEITUAÇÃO...2 3.1 CAPACITOR...2 3.2 CARGAS NÃO LINEARES...2 3.3 BANCO CAPACITIVO...2 3.4 CARGA INSTALADA...2 3.5 POTÊNCIA ATIVA...2 3.6 POTÊNCIA...2

Leia mais

Simbologia de instalações elétricas

Simbologia de instalações elétricas Simbologia de instalações elétricas Os símbolos gráficos usados nos diagramas unifilar são definidos pela norma NBR5444, para serem usados em planta baixa (arquitetônica) do imóvel. Neste tipo de planta

Leia mais

Relação de Documentos necessários para Aprovação de Projetos Particulares. Check-List. Gerência de Serviços Técnicos - Departamento de Projeto

Relação de Documentos necessários para Aprovação de Projetos Particulares. Check-List. Gerência de Serviços Técnicos - Departamento de Projeto Relação de Documentos necessários para Aprovação de Projetos Particulares Check-List Gerência de Serviços Técnicos - Departamento de Projeto Diretoria de Serviços Operacionais 1. RESUMO Relação de documentos

Leia mais

Instalações Elétricas Prediais A

Instalações Elétricas Prediais A Instalações Elétricas Prediais A ENG04482 Prof. Luiz Fernando Gonçalves AULA 7 Simbologia de Projetos Elétricos Porto Alegre - 2012 Tópicos Projeto de instalações elétricas prediais Simbologia para instalações

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU 019

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU 019 NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU 019 EXIGÊNCIAS MÍNIMAS PARA INTERLIGAÇÃO DE GERADOR DE CONSUMIDOR PRIMÁRIO COM A REDE DE DISTRIBUIÇÃO DA ENERGISA COM PARALELISMO PERMANENTE SUMÁRIO 1.INTRODUÇÃO...

Leia mais

CEABS Sistema de Monitoramento Manual de Utilização CSM

CEABS Sistema de Monitoramento Manual de Utilização CSM CEABS Sistema de Monitoramento Manual de Utilização CSM SUMÁRIO Apresentação... - ACESSANDO O SISTEMA... 3 - FUNCIONALIDADES DAS ABAS DO SISTEMA... 6. - VISUALIZANDO ÚLTIMA POSIÇÃO DO OBJETO RASTREADO...

Leia mais

Indice. 2. Menu sistema...08

Indice. 2. Menu sistema...08 Indice 1. Acesso, login e senha...03 2. Menu sistema...08 3. Cadastro...09 3.1.Configurações do cliente...10 3.2.Definição de agrupamentos...11 3.3.Definição de Cargos...12 3.4.Criação de perfis...13 3.5.Cadastro

Leia mais

1. Objetivo: Lançar novo produto para bloqueio do veículo via celular GSM e rastreador GSM com localização por GPS.

1. Objetivo: Lançar novo produto para bloqueio do veículo via celular GSM e rastreador GSM com localização por GPS. Históric de Revisões Revisã Data Descriçã da Revisã Mtiv da Revisã 11 20/08/09 Ajustes de hardware dispar Sirene PST 12 14/11/09 AJUSTES SOFTWARE 13 25/11/09 Ajustes de hardware, falha n mdul GSM na trca

Leia mais

Sistema Normativo Corporativo

Sistema Normativo Corporativo Sistema Normativo Corporativo ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA VERSÃO Nº ATA Nº DATA DATA DA VIGÊNCIA 00-06/11/2009 06/11/2009 APROVADO POR José Rubens Macedo Junior SUMÁRIO 1. RESUMO... 3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES...

Leia mais

Manual de utilização do. sistema integrado de controle médico WWW.ISA.NET.BR

Manual de utilização do. sistema integrado de controle médico WWW.ISA.NET.BR Manual de utilização do sistema integrado de controle médico WWW.ISA.NET.BR Sistema integrado de controle médico Acesso... 3 Menu principal... 4 Cadastrar... 6 Cadastro de pacientes... 6 Convênios... 10

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PROPRIETÁRIO AUTARQUIA MUNICIPAL DE TURISMO - GRAMADOTUR

MEMORIAL DESCRITIVO PROPRIETÁRIO AUTARQUIA MUNICIPAL DE TURISMO - GRAMADOTUR MEMORIAL DESCRITIVO PROPRIETÁRIO AUTARQUIA MUNICIPAL DE TURISMO - GRAMADOTUR OBRA...CONTRATAÇÃO DE EMPRESA HABILITADA PARA EXECUÇÃO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS NAS ESTRUTURAS DENOMINADAS COMETAS CONFORME

Leia mais

Prestar assistencia tecnica no conserto e reparo de equipamentos eletronicos, domesticos, microprocessadores e microcontrolados.

Prestar assistencia tecnica no conserto e reparo de equipamentos eletronicos, domesticos, microprocessadores e microcontrolados. PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 500702 - ELETROTECNICA - MOD. Nivel: Tecnico Area Profissional: 0047 - ELETRICA-ELETRONICA-TEC Area de Atuacao: 0349 - ASSIST.TEC./ELETR.-TEC

Leia mais

No decorrer deste manual, serão detalhados os procedimentos adotados para cada banco abaixo:

No decorrer deste manual, serão detalhados os procedimentos adotados para cada banco abaixo: 1 ÍNDICE Sumário INTRODUÇÃO... 3 BANCO BMG... 4 BANCO ITAÚ... 5 BANCO BONSUCESSO... 6 BV FINANCEIRA... 7 BANCO DAYCOVAL... 8 BANCO MATONE... 9 BANCO PARANÁ... 10 BANCO PAN... 11 BANCO SAFRA... 12 BANCO

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU - 020

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU - 020 NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU - 020 EXIGÊNCIAS MÍNIMAS PARA INTERLIGAÇÃO DE GERADOR DE CONSUMIDOR PRIMÁRIO COM A REDE DE DISTRIBUIÇÃO DA ENERGISA COM PARALELISMO MOMENTÂNEO SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO...

Leia mais

Cálculo de Demanda Rede para Acréscimo de Novas Cargas na Rede de Distribuição de Baixa Tensão. Gerência Executiva de Planejamento e Engenharia

Cálculo de Demanda Rede para Acréscimo de Novas Cargas na Rede de Distribuição de Baixa Tensão. Gerência Executiva de Planejamento e Engenharia NT-2.018 álculo de Demanda Rede para Acréscimo de Novas argas na Rede de Distribuição de Baixa Tensão Nota Técnica Gerência Executiva de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia da Distribuição

Leia mais

Gestão inteligente de documentos eletrônicos

Gestão inteligente de documentos eletrônicos Gestão inteligente de documentos eletrônicos MANUAL DE UTILIZAÇÃO VISÃO DE EMPRESAS VISÃO EMPRESAS - USUÁRIOS (OVERVIEW) No ELDOC, o perfil de EMPRESA refere-se aos usuários com papel operacional. São

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 001/2011 SENAI-DR-RN/CTGÁS-ER PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. CARGO: INSTRUTOR DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLOGIAS I Nível O

PROCESSO SELETIVO 001/2011 SENAI-DR-RN/CTGÁS-ER PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. CARGO: INSTRUTOR DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLOGIAS I Nível O 2 PROCESSO SELETIVO 001/2011 SENAI-DR-RN/CTGÁS-ER PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CARGO: INSTRUTOR DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLOGIAS I Nível O CÓDIGO DO CARGO/VAGA: V0013 1) Considere um transformador

Leia mais

COORDENADORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Suporte técnico

COORDENADORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Suporte técnico COORDENADORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Suprte técnic O serviç de suprte técnic tem pr bjetiv frnecer atendiment as usuáris de prduts e serviçs de infrmática da Defensria Pública. Este serviç é prvid

Leia mais

Prof. Manuel A Rendón M

Prof. Manuel A Rendón M Prof. Manuel A Rendón M Regras práticas para projeto elétrico Iluminação, TUG, TUE Recomendações práticas Alguns símbolos diferentes (outra concessionária) Página do Professor - Manuel Rendón UFJF Manual

Leia mais

ANEXO 1 CADASTRO DE SUBESTAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA PARTE I - INFORMAÇÕES GERAIS SEÇÃO 1: DADOS DE IDENTIFICAÇÃO SEÇÃO 2: DADOS ADMINISTRATIVOS

ANEXO 1 CADASTRO DE SUBESTAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA PARTE I - INFORMAÇÕES GERAIS SEÇÃO 1: DADOS DE IDENTIFICAÇÃO SEÇÃO 2: DADOS ADMINISTRATIVOS ANE 1 CADASTR DE SUBESTAÇÃ DE ENERGIA ELÉTRICA PARTE I - INFRMAÇÕES GERAIS SEÇÃ 1: DADS DE IDENTIFICAÇÃ DENMINAÇÃ LCAL Nº BAIRR MUNICÍPI CEP NME D REPRESENTANTE E-MAIL: CARG TEL. E RAMAL SEÇÃ 2: DADS ADMINISTRATIVS

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA INSCRIÇÕES NOS CURSOS ABERTOS

ORIENTAÇÕES PARA INSCRIÇÕES NOS CURSOS ABERTOS Centro Regional de Treinamento da ESAF em Pernambuco - CENTRESAF/PE ORIENTAÇÕES PARA INSCRIÇÕES NOS CURSOS ABERTOS 1. CADASTRO Para participar dos Cursos Abertos do CENTRESAF/PE, o interessado deverá acessar

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE APRESENTAÇÃO DE PROJETO ELÉTRICO À ENERSUL

PROCEDIMENTOS DE APRESENTAÇÃO DE PROJETO ELÉTRICO À ENERSUL PROCEDIMENTO DA DISTRIBUIÇÃO VERSÃO Nº R0 DATA DATA DA VIGÊNCIA 15/07/2013 Histórico de Revisões Revisão Alterações Data R0 - Versão Inicial. 21/06/2013 Página 2 de 10 1. ENCAMINHAMENTO Para apresentação

Leia mais

CÓDIGO DA VAGA: TP07 QUESTÕES DE MÚLTIPLAS ESCOLHAS

CÓDIGO DA VAGA: TP07 QUESTÕES DE MÚLTIPLAS ESCOLHAS QUESTÕES DE MÚLTIPLAS ESCOLHAS 1. A alternativa que NÃO se coaduna com o conceito de qualidade na gestão pública, implementado a partir do início dos anos 90, com o Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade

Leia mais

1 Componentes da Rede Gestun

1 Componentes da Rede Gestun PROCEDIMENTO PARA DETECÇÃO DE FALHAS EM REDES DATA: 23/06/14. Controle de Alterações DATA 23/06/14 MOTIVO Versão Inicial RESPONSÁVEL Márcio Correia 1 Componentes da Rede Gestun -Módulo de comunicação:

Leia mais

Instalações Elétricas Prediais A

Instalações Elétricas Prediais A Instalações Elétricas Prediais A ENG04482 Prof. Luiz Fernando Gonçalves AULA 9 Divisão da Instalação em Circuitos Porto Alegre - 2012 Tópicos Quadros de distribuição Disjuntores Divisão da instalação elétrica

Leia mais

CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL. CERBERUS Manual do sistema Versão 1.0

CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL. CERBERUS Manual do sistema Versão 1.0 CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL CERBERUS Manual do sistema HISTÓRICO DA REVISÃO Data Versão Descrição Autor 07/08/2014 1.0 Criação do documento Antonio Rogério da Costa Silva LISTA DE FIGURAS

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE APRESENTAÇÃO DE PROJETO ELÉTRICO À ENERSUL

PROCEDIMENTOS DE APRESENTAÇÃO DE PROJETO ELÉTRICO À ENERSUL T Í T U L O ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO Nº APROVAÇÃO DATA DATA DA R3 DCMD 01/09/2014 01/10/2014 CONTROLE DE REVISÃO Data Responsáveis Descrição 01/09/2014 R3 Elaboração: Eng. Alberto J.

Leia mais

Clientes gerentes Usuarios finais do sistema Clientes engenheiros Gerentes contratantes Arquitetos do sistema. Definicao de requisitos

Clientes gerentes Usuarios finais do sistema Clientes engenheiros Gerentes contratantes Arquitetos do sistema. Definicao de requisitos А А А А Definicao de de do software Clientes gerentes Usuarios finais Clientes engenheiros Gerentes contratantes Arquitetos Usuarios finais Clientes engenheiros Arquitetos Desenvolvedores de software Clientes

Leia mais

Manual para Envio de Petição Inicial

Manual para Envio de Petição Inicial Manual para Envio de Petição Inicial 1. Após abrir a página do PROJUDI, digite seu usuário e senha 1.1. Para advogados o usuário é o cpf.adv (ex: 12345678900.adv) 1.2. Após digitar os dados (login e senha),

Leia mais

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PREDIAIS

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PREDIAIS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PREDIAIS CÁLCULO DA DEMANDA E OUTRAS PROVIDÊNCIAS Prof. Marcos Fergütz Outubro/2012 INTRODUÇÃO Para a elaboração de um projeto para edifício de uso coletivo, em Santa Catarina, deve-se

Leia mais

E&L Controle de Frotas. Perguntas Frequentes

E&L Controle de Frotas. Perguntas Frequentes E&L Controle de Frotas Perguntas Frequentes 1. Quando ocorre a integração com o patrimônio e no cadastro de veículos na aba patrimônio o veículo não aparece, qual o procedimento a ser feito para que o

Leia mais

Fornecemos energia que gera desenvolvimento e segurança de forma inteligente e sustentável. A P3 Engenharia Elétrica é especializada no

Fornecemos energia que gera desenvolvimento e segurança de forma inteligente e sustentável. A P3 Engenharia Elétrica é especializada no Energia ao seu alcance Fornecemos energia que gera desenvolvimento e segurança de forma inteligente e sustentável. A P3 Engenharia Elétrica é especializada no desenvolvimento de projetos elétricos, laudos,

Leia mais

O que é APR (Análise Preliminar de Risco)? Objetivos da APR Entre os principais objetivos da análise preliminar de risco, podemos destacar:

O que é APR (Análise Preliminar de Risco)? Objetivos da APR Entre os principais objetivos da análise preliminar de risco, podemos destacar: O que é APR (Análise Preliminar de Risco)? A expressão APR significa Análise Preliminar de Risco é muito utilizada no dia-a-dia dos profissionais da área de segurança e saúde do trabalho. APR é uma técnica

Leia mais

LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE ENTRADA CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO SOLAR DAS LARANJEIRAS

LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE ENTRADA CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO SOLAR DAS LARANJEIRAS LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE ENTRADA DO CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO SOLAR DAS LARANJEIRAS 1 INDICE 1 OBJETIVO 2 NORMAS APLICÁVEIS 3 GENERALIDADES 4 METODOLOGIA 5 MEDIÇÕES DE GRANDEZAS

Leia mais

Catálogo Técnico 2013

Catálogo Técnico 2013 Catálogo Técnico 2013 Design e Sofisticação com Personalidade Esquemas de Ligação Interruptor Simples - 16A/250V~ Interruptor Simples: 2 Bornes para conexão elétrica. Permite comandar uma ou mais lâmpadas

Leia mais

Sumário. 1. Tutorial para cadastramento dos jesuítas no catálogo online...02. 2. Tela do e-mail...02. 3. Login...03. 4. Página pessoal...

Sumário. 1. Tutorial para cadastramento dos jesuítas no catálogo online...02. 2. Tela do e-mail...02. 3. Login...03. 4. Página pessoal... Sumário 1. Tutorial para cadastramento dos jesuítas no catálogo online...02 2. Tela do e-mail...02 3. Login...03 4. Página pessoal...04 5. Dados pessoais...05 6. Contatos...06 7. Telefone...14 8. Foto...16

Leia mais

SAN.T.IN.NT 31. Os barramentos instalados em subestações e/ou cubículos deverão ser pintados em toda sua extensão, exceto nos pontos de conexão.

SAN.T.IN.NT 31. Os barramentos instalados em subestações e/ou cubículos deverão ser pintados em toda sua extensão, exceto nos pontos de conexão. 1 / 7 SUMÁRIO: 1. FINALIDADE 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO 3. CONCEITOS BÁSICOS 4. PROCEDIMENTOS 5. REFERÊNCIAS 6. ANEXOS 1. FINALIDADE Esta norma tem como finalidade regulamentar os princípios básicos e procedimentos

Leia mais

3 Resumo de dados com Tabelas e Gráficos dinâmicos

3 Resumo de dados com Tabelas e Gráficos dinâmicos 3 Resumo de dados com Tabelas e Gráficos dinâmicos Vinicius A. de Souza va.vinicius@gmail.com São José dos Campos, 2011. 1 Sumário Tópicos em Microsoft Excel 2007 Tabela dinâmica...3 Processo de construção...3

Leia mais

Legenda da Mensagem de Resposta à Verificação de Elegibilidade (respostaelegibilidade)

Legenda da Mensagem de Resposta à Verificação de Elegibilidade (respostaelegibilidade) Legenda da Mensagem de Respsta à Verificaçã de Elegibilidade (respstaelegibilidade) Mensagem : Respta à verificaçã de elegibilidade (respstaelegibilidade) - Flux : Operadra para Prestadr Códig da mensagem

Leia mais

Boletim técnico informativo Nº 006

Boletim técnico informativo Nº 006 Boletim técnico informativo Nº 006 Estamos apresentando uma NOVA família de transformadores eletrônicos, especificamente projetados para a área de dimerização. A família compõe-se de dois tipos de transformadores

Leia mais

CARTILHA. Solicitação de Produtos - Almoxarifado -

CARTILHA. Solicitação de Produtos - Almoxarifado - CARTILHA Solicitação de Produtos - Almoxarifado - Elaborada por: DIRETORIA DE PROCESSAMENTO DE DADOS - DIRPD UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA JUNHO/2007 SOLICITAÇÃO DE PRODUTOS Este procedimento tem

Leia mais

COMO MANTER INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PROVISÓRIAS SEGURAS EM CANTEIROS DE OBRAS

COMO MANTER INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PROVISÓRIAS SEGURAS EM CANTEIROS DE OBRAS COMO MANTER INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PROVISÓRIAS SEGURAS EM CANTEIROS DE OBRAS GONZALEZ CÁCERES, João Rafael Engenheiro Eletricista Centro Universitário de Lins (UNILINS) Aluno de pós-graduação em Engenharia

Leia mais

Sumário. Instalações Elétricas II

Sumário. Instalações Elétricas II Sumário 1 Introdução... 3 1.1 Definições... 3 1.2 Partes componentes de um projeto elétrico... 3 2 Modalidade de ligações... 3 3 Ramais... 4 4 Etapas de um projeto... 5 4.1 Determinação da carga estimada...

Leia mais

Proprietário Página 1 de 6

Proprietário Página 1 de 6 MEMORIAL DESCRITIVO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO ACOPIARA PREFEITURA MUNICIPAL DE ACOPIARA(CE) DATA 10/11/2011 MEMORIAL DESCRITIVO E JUSTIFICATIVO DE CÁLCULO DO PROJETO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 013/DAT/CBMSC) SINALIZAÇÃO PARA ABANDONO DE LOCAL

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 013/DAT/CBMSC) SINALIZAÇÃO PARA ABANDONO DE LOCAL ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS - DAT NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 013/DAT/CBMSC)

Leia mais

SEI UFRGS MANUAL DO USUÁRIO

SEI UFRGS MANUAL DO USUÁRIO PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E ADMINISTRAÇÃO Índice 1. ORIENTAÇÕES GERAIS... 4 1.1. Acesso... 4 1.2. Tela Inicial... 4 1.3. Barra de Ferramentas... 5 1.4. Controle de Processos... 6 1.5. Vídeos Tutoriais...

Leia mais

ORÇAMENTO ESTIMATIVO DETALHADO

ORÇAMENTO ESTIMATIVO DETALHADO ORÇAMENTO ESTIMATIVO DETALHADO ITEM ATIVIDADES UNIDADE QUANTIDADE PREÇO UNITÁRIO PREÇO TOTAL OBSERVAÇÕES 4.1 SERVIÇOS DE LEVANTAMENTO PLANIALTIMÉTRICO 4.1.1 LOCAÇÃO DE EQUIPE DE TOPOGRAFIA PARA EXECUÇÃO

Leia mais

INFORMAÇÕES TÉCNICAS TERMINOLOGIA (parte integrante do site www.cocel.com.br)

INFORMAÇÕES TÉCNICAS TERMINOLOGIA (parte integrante do site www.cocel.com.br) INFORMAÇÕES TÉCNICAS TERMINOLOGIA (parte integrante do site www.cocel.com.br) 1. Concessionária ou Permissionária - Agente titular de concessão ou permissão federal para explorar a prestação de serviços

Leia mais

Passo a Passo do Fluxo de Caixa no SIGLA Digital

Passo a Passo do Fluxo de Caixa no SIGLA Digital Página 1 de 9 Passo a Passo do Fluxo de Caixa no SIGLA Digital Este é um dos principais módulos do Sigla Digital. Ferramenta de controle financeiro das empresas cadastradas no Sigla Digital. Por essa ferramenta

Leia mais

AULA 02 REVISÃO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS TRANSFORMADORES DE MEDIDAS DISJUNTORES DE POTÊNCIA

AULA 02 REVISÃO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS TRANSFORMADORES DE MEDIDAS DISJUNTORES DE POTÊNCIA AULA 02 REVISÃO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS TRANSFORMADORES DE MEDIDAS DISJUNTORES DE POTÊNCIA ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 1 TRANSFORMADORES DE MEDIDAS

Leia mais

Proteção Primária ria para Transformadores da Rede de Distribuição Subterrânea

Proteção Primária ria para Transformadores da Rede de Distribuição Subterrânea Proteção Primária ria para Transformadores da Rede de Distribuição Subterrânea Gerência de Redes Subterrâneas Diretoria Regional II Rafael Moreno Engenheiro Eletricista Campo rafael.moreno@aes.com Charles

Leia mais

SUMÁRIO 5- CONSULTA PRELIMINAR/ESTUDO DE VIABILIDADE PARA DETERMINAÇÃO DO TIPO DE FORNECIMENTO

SUMÁRIO 5- CONSULTA PRELIMINAR/ESTUDO DE VIABILIDADE PARA DETERMINAÇÃO DO TIPO DE FORNECIMENTO SUMÁRIO 1- FINALIDADE 2- ÂMBITO DE APLICAÇÃO 3- REFERÊNCIAS 4- CONSIDERAÇÕES GERAIS 5- CONSULTA PRELIMINAR/ESTUDO DE VIABILIDADE PARA DETERMINAÇÃO DO TIPO DE FORNECIMENTO 6- PROCEDIMENTOS DE ENTRADA DA

Leia mais

Módulo Ambulatório Atendimento médico AGHU AGHU. Manual do Usuário. Módulo de Ambulatório Atendimento médico. Versão atualizada em

Módulo Ambulatório Atendimento médico AGHU AGHU. Manual do Usuário. Módulo de Ambulatório Atendimento médico. Versão atualizada em AGHU Manual do Usuário Módulo de Ambulatório Atendimento médico Versão atualizada em 20 de setembro de 2011 1. Manual do usuário do Módulo de Prescrição Médica AGHU Este manual pretende orientar o uso

Leia mais

Catálogo de Formação. Estabelecemos Parcerias orientadas para a criação de valor, baseado no desenvolvimento do Capital Humano da sua Empresa

Catálogo de Formação. Estabelecemos Parcerias orientadas para a criação de valor, baseado no desenvolvimento do Capital Humano da sua Empresa Catálogo de Formação Estabelecemos Parcerias orientadas para a criação de valor, baseado no desenvolvimento do Capital Humano da sua 1. Apresentação 2. Plano de formação 2.1 Condutores/manobradores de

Leia mais

Os eletrodutos são as canalizações que contém os condutores (item 6.2.11.1). Os eletrodutos podem ser de aço ou de PVC 70 o C.

Os eletrodutos são as canalizações que contém os condutores (item 6.2.11.1). Os eletrodutos podem ser de aço ou de PVC 70 o C. 1 Os eletrodutos são as canalizações que contém os condutores (item 6.2.11.1). Os eletrodutos podem ser de aço ou de PVC 70 o C. Mangueiras plásticas NÃO são eletrodutos. 2 3 Nas extremidades dos eletrodutos

Leia mais

Manual. Pedido Eletrônico

Manual. Pedido Eletrônico Manual Pedido Eletrônico ÍNDICE 1. Download... 3 2. Instalação... 4 3. Sistema de Digitação SantaCruz... 8 3.1. Configuração... 8 4. Utilização do Sistema Digitação SantaCruz... 11 4.1. Atualizar cadastros...11

Leia mais

MANUAL DE PREENCHIMENTO

MANUAL DE PREENCHIMENTO MANUAL DE PREENCHIMENTO - ORÇAMENTOS - CRONOGRAMAS - PLANILHA DE LEVANTAMENTO DE SERVIÇOS - PLS - RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO EMPREENDIMENTO - RAE CRÉDITO IMOBILIÁRIO - FINANCIAMENTO À PRODUÇÃO PESSOA

Leia mais

Manual do Usuário. Pré-Cadastro de Participantes. 08.11.2004 Versão 1.1

Manual do Usuário. Pré-Cadastro de Participantes. 08.11.2004 Versão 1.1 Manual do Usuário Pré-Cadastro de Participantes 08.11.2004 Versão 1.1 Índice 1. Introdução ao Pré-Cadastro...3 1.1. Pré-Cadastro de pessoa Física...3 1.1.1. Termo...3 1.1.2. Dados de identificação...4

Leia mais

Associação Educacional Dom Bosco Curso de Engenharia 1º ano

Associação Educacional Dom Bosco Curso de Engenharia 1º ano Formatação condicional utilizando o valor da célula O que é? Algumas vezes é preciso destacar os valores, ou seja, como colocar em vermelho ou entre parênteses, os negativos, e de outra cor os positivos,

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Manual de Instalaçã Prdut: n-hst Versã d prdut: 4.1 Autr: Aline Della Justina Versã d dcument: 1 Versã d template: Data: 30/07/01 Dcument destinad a: Parceirs NDDigital, técnics de suprte, analistas de

Leia mais

APOSTILA LIVRO DE PONTO DOCENTE

APOSTILA LIVRO DE PONTO DOCENTE APOSTILA LIVRO DE PONTO DOCENTE Diretoria Regional de Educação Campo Limpo RH - Pagamento Jun / 2011 Livro de Ponto Docente Base de Dados Antes de Iniciar a digitação dos dados dos professores, não se

Leia mais

FORMULÁRIO CREDENCIAMENTO DE MONTADORA. Solicitamos o credenciamento da Empresa Montadora abaixo relacionada, AUTORIZADA a realizar os

FORMULÁRIO CREDENCIAMENTO DE MONTADORA. Solicitamos o credenciamento da Empresa Montadora abaixo relacionada, AUTORIZADA a realizar os CREDENCIAMENTO DE MONTADORA FRANCAL FEIRAS DEPARTAMENTO DE OPERAÇÕES Solicitamos o credenciamento da Empresa Montadora abaixo relacionada, AUTORIZADA a realizar os serviços de MONTAGEM, DECORAÇÃO, MANUTENÇÃO

Leia mais

Redes de Distribuição Áreas Urbanas - RDAU

Redes de Distribuição Áreas Urbanas - RDAU Redes de Distribuição Áreas Urbanas - RDAU Normas CEMIG ND2.1 - Instalações Básicas de Redes de Distribuição Áreas Urbanas ND3.1 - Projetos de Redes de Distribuição Aéreas Urbanas RDU Rede de Distribuição

Leia mais

28/03/2014. Membros do CRE:

28/03/2014. Membros do CRE: COMITÊ ADMINISTRADOR DO PROGRAMA DE REVISÃO EXTERNA DE QUALIDADE Membr do CRE: Rogério Rokembach - Coornador Antonio Humberto d Sant Clóvis Ailton Maira Danilo Siman Simões Olímpio Carl Teixeira Paulo

Leia mais

EDI-34 Instalações Elétricas

EDI-34 Instalações Elétricas EDI-34 Instalações Elétricas Plano de Disciplina 2º semestre de 2015 1. Identificação Sigla e título: EDI-34 Instalações Elétricas Curso de Engenharia Civil-Aeronáutica Instituto Tecnológico de Aeronáutica

Leia mais

Índice 1. OBJETIVO... 5 2. CAMPO DE APLICAÇÃO... 5 3. REFERÊNCIAS... 6 3.1 - NORMAS DA ABNT... 6 3.2 - OUTRAS... 6 4. TERMINOLOGIA E DEFINIÇÕES...

Índice 1. OBJETIVO... 5 2. CAMPO DE APLICAÇÃO... 5 3. REFERÊNCIAS... 6 3.1 - NORMAS DA ABNT... 6 3.2 - OUTRAS... 6 4. TERMINOLOGIA E DEFINIÇÕES... Índice 1. OBJETIVO... 5 2. CAMPO DE APLICAÇÃO... 5 3. REFERÊNCIAS... 6 3.1 - NORMAS DA ABNT... 6 3.2 - OUTRAS... 6 4. TERMINOLOGIA E DEFINIÇÕES... 7 4.1 - ATERRAMENTO... 7 4.2 - CAIXA DE MEDIÇÃO... 7 4.3

Leia mais

Cadastro Técnico de Sistemas de Abastecimento de Água

Cadastro Técnico de Sistemas de Abastecimento de Água 1 NORMA GT/FE/ Número / versão / ano ENG/CA/049/01/08 Data de aprovação 05 /11 / 2008 Doc. de aprovação Resolução nº 4950/2008 Cadastro Técnico de Sistemas de Abastecimento de Água SUMÁRIO 1 OBJETIVO...

Leia mais

Manual de Formatação de Tabelas, Figuras e Gráficos para Envio de Artigos à Revista ABC

Manual de Formatação de Tabelas, Figuras e Gráficos para Envio de Artigos à Revista ABC Manual de Formatação de Tabelas, Figuras e Gráficos para Envio de Artigos à Revista ABC Sumário 1. Formatação de Tabelas... 03 2. Formatação de Figuras... 03 3. Formatação de Gráficos... 04 4. Anexo 1

Leia mais

ENGENHARIA E PROJETOS ELÉTRICOS LTDA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO

ENGENHARIA E PROJETOS ELÉTRICOS LTDA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO OBRA: SUBESTAÇÃO 500KVA PROPRIETÁRIO: TRT TRIBUNAL REGIONALDO TRABALHO 12ºREGIÃO RESPONSÁVEL TÉCNICO: ENG. EMERSON CESAR PADOIN PADOIN ENGENHARIA E PROJETOS LTDA MEMORIAL

Leia mais

Número PE030/2014. Fornecedor. Pregão. Item Descrição do Material UF Quantidade Preço Unitário Preço Total Marca / Modelo Prazo Entrega

Número PE030/2014. Fornecedor. Pregão. Item Descrição do Material UF Quantidade Preço Unitário Preço Total Marca / Modelo Prazo Entrega Folha 1 1 SOLDA, de estanho, liga 60/40. Embalagem: rolo com 100 metros, com peso 500 g, com dados de identificacao do produto e marca do Rl 2,00 fabricante. Ref. SAEB => 34.39.00.00038889-0 2 FERRO, de

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS SISTEMA DE SERVIÇOS E CONSUMIDORES SUBSISTEMA MEDIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA I-321.00XX MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA PEP 1/27 1- OBJETIVO O presente manual tem o objetivo de orientar

Leia mais

NORMAS E PROCEDIMENTOS

NORMAS E PROCEDIMENTOS NORMAS E PROCEDIMENTOS 1. FINALIDADE Estabelecer as diretrizes e procedimentos a serem seguidos para reembolso de despesas, contratação de novos colaboradores e prestação de contas decorrentes de viagens

Leia mais

Guia Sphinx: Instalação, Reposição e Renovação

Guia Sphinx: Instalação, Reposição e Renovação Guia Sphinx: Instalaçã, Repsiçã e Renvaçã V 5.1.0.8 Instalaçã Antes de instalar Sphinx Se vcê pssuir uma versã anterir d Sphinx (versões 1.x, 2.x, 3.x, 4.x, 5.0, 5.1.0.X) u entã a versã de Demnstraçã d

Leia mais

ABAS Associação Brasileira de Águas Subterrâneas QUALIFICAÇÃO DE EMPRESAS NAS ATIVIDADES DE HIDROGEOLOGIA E ÁGUAS SUBTERRÂNEAS

ABAS Associação Brasileira de Águas Subterrâneas QUALIFICAÇÃO DE EMPRESAS NAS ATIVIDADES DE HIDROGEOLOGIA E ÁGUAS SUBTERRÂNEAS ABAS Associação Brasileira de Águas Subterrâneas QUALIFICAÇÃO DE EMPRESAS NAS ATIVIDADES DE HIDROGEOLOGIA E ÁGUAS SUBTERRÂNEAS CREDENCIAMENTO E SELO DE QUALIDADE Prezado(a) Colega, Segue abaixo o manual

Leia mais

Microsoft Outlook 2003

Microsoft Outlook 2003 Todos os direitos reservados. Imprensa Oficial do Estado S.A. 2010 página 1 de 12 1) Com o programa aberto e com seu Certificado Digital reconhecido no sistema (certificado de assinatura de e-mail emitido),

Leia mais

Emissão do Conhecimento de Transporte Eletrônico - CT-e

Emissão do Conhecimento de Transporte Eletrônico - CT-e Emissão do Conhecimento de Transporte Eletrônico - CT-e Sumário: 1. Orientações Gerais:... 3 1.1 Cadastros Básicos:... 3 1.2 Conhecimento de Transporte Eletrônico CTe:... 3 2. Tela inicial:... 4 3. CT-e

Leia mais

Leandro N.Alem 1351/53 -(1871)- Dock Sud Buenos Aires - Argentina T.E.:4201-5316 / 4222-9821 FAX:4222-9821 Web:www.ingecozs.

Leandro N.Alem 1351/53 -(1871)- Dock Sud Buenos Aires - Argentina T.E.:4201-5316 / 4222-9821 FAX:4222-9821 Web:www.ingecozs. Leandr N.Alem 1351/53 -(1871)- Dck Sud Buens Aires - Argentina T.E.:4201-5316 / 4222-9821 FAX:4222-9821 Web:www.ingeczs.cm ALM1 N480-I MANUAL DE OPERAÇÃO ÍNDICE 1. INSTALAÇÃO...3 1.1 MONTAGEM EM PAINEL...3

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA Manual de Us (Para Detentres de Bens) Infrmações adicinais n Prtal da Crdenaçã de Patrimôni: www.cpa.unir.br 2013 Cnteúd O que papel Detentr de Bem pde fazer?... 2 Objetiv...

Leia mais

Manual Ponto System CB7 WWW.PONTOSYSTEM.COM.BR. Telefones: (041) 3333-4740

Manual Ponto System CB7 WWW.PONTOSYSTEM.COM.BR. Telefones: (041) 3333-4740 Manual Ponto System CB7 WWW.PONTOSYSTEM.COM.BR Telefones: (041) 3333-4740 1 ÍNDICE Instalação do Sistema... 3 Atualização do Sistema... 4 Acesso ao Sistema... 5 Janela principal... 6 Cadastros Cadastro

Leia mais

UNESP Universidade Estadual Paulista Faculdade de Ciências Farmacêuticas

UNESP Universidade Estadual Paulista Faculdade de Ciências Farmacêuticas CURSO DE EXCEL - 1 - ÍNDICE PLANILHAS, COLUNAS, LINHAS E CÉLULAS....3 PLANILHAS...3 COLUNAS...3 LINHAS...4 PREENCHIMENTO AUTOMÁTICO...5 REFERÊNCIAS RELATIVAS...6 REFERÊNCIAS ABSOLUTAS...7 FORMATAÇÃO DE

Leia mais

Número de cédula profissional (se médico); Nome completo; 20/06/2014 1/7

Número de cédula profissional (se médico); Nome completo; 20/06/2014 1/7 Mdel de Cmunicaçã Sistema Nacinal de Vigilância Epidemilógica Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes d Sistema Nacinal de Vigilância Epidemilógica.

Leia mais

Sistema Auto Frota. Itaú Seguros de Auto e Residência S.A. Itaú Seguros de Auto e Residência S.A.

Sistema Auto Frota. Itaú Seguros de Auto e Residência S.A. Itaú Seguros de Auto e Residência S.A. Sistema Auto Frota Itaú Seguros de Auto e Residência S.A Como Acessar Acesse o Portal do corretor www.itauseguros.com.br/portal, no caminho: Home> Meus Negócios> Cotações e Propostas> Auto Frota> Cotação

Leia mais