CONHEÇA AQUI O PADRÃO PARA NOVA LIGAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONHEÇA AQUI O PADRÃO PARA NOVA LIGAÇÃO"

Transcrição

1 CONHEÇA AQUI O PADRÃO PARA NOVA LIGAÇÃO

2 Para que a Celpa ligue a sua luz pela primeira vez, você precisa estar com o padrão de entrada de energia instalado corretamente. Chamamos de Padrão de Entrada Celpa o conjunto de instalações composto de caixa de medição, sistema de aterramento, condutores e acessórios indispensáveis para que a sua ligação seja realizada. Com a correta instalação, você economiza tempo, dinheiro e evita danos nos eletrodomésticos. Observe o tipo de carga, disjuntores e condutores na tabela abaixo, pois o dimensionamento correto destes materiais é fundamental para a manutenção da qualidade e segurança no fornecimento de energia. Tabela 01 CARGA INSTALADA (KW) DISJUNTOR TERMOMAGNÉTICO (A) DIÂMETRO NOMINAL Ø ELETRODUTO DE AÇO GALVANIZADO (pol) CONDUTOR DE ATERRAMENTO (COBRE ISOLADO) (mm²) DIÂMETRO NOMINAL Ø ELETRODUTO ATERRAMENTO (pol) CONDUTOR COBRE ISOLADO MÍNIMO DO CLIENTE (mm²) Até 4 30 ou 32A (MONO) 1 6 1/2 6 (6) 4,1 a 63 ou 70A (MONO) 1 1/2 () BIFÁSICO,1 até 15 40A (BI) 60A (BI) 1 1/2 1 1/2 1/2 1/2 () () 15 40A (TRI) 2 1/2 () 15,1 até 27 70A (TRI) /2 16 (16) 27,1 até 38 0A (TRI) (25) 38,1 até 47 5A (TRI) (25) 47,1 até A (TRI) (25) 57,1 até A (TRI) (35) 66,1 até A (TRI) (35)

3 Multiplicando a quantidade de equipamentos da coluna 1 com a potência dos mesmos informada na coluna 2, você obterá a carga total do referido equipamento na coluna 3. Somando todos os itens da coluna 3, você obterá a carga total da sua instalação. Tabela 02

4 TODO PADRÃO DE ENTRADA DEVE SER INSTALADO NO LIMITE DA VIA PÚBLICA COM O IMÓVEL, CONFORME MOSTRAM OS DESENHOS A SEGUIR 1.1 Ligação monofásica ou bifásica em poste auxiliar (lado da rede ou lado oposto à rede) Poste de Aço Quadrado com Capacete * Caixa para Medidor Monofásico ou Polifásico ** Disjuntor Termomagnético (veja tabela 01) Fio de Cobre Isolado para 750V (veja tabela 01) *Quando a ligação for do mesmo lado da rede, o tamanho do Poste de aço será de 70x70x5.000mm. *Quando a ligação for do outro lado da rede, o tamanho do Poste de aço será de 70x70x7.000mm. **Caixa em policarbonato com tampa transparente resistente a raios ultravioletas.

5 1.2 Ligação monofásica no muro com eletroduto de aço (lado da rede ou lado oposto à rede) 01, , ,50 1, Capacete 180º para eletroduto de Aço de Ø 1 Eletroduto, aço zincado, de Ø 1 * Abraçadeira Tipo D, com cunha, para Eletroduto de Ø 1 Luva de emenda, PVC Rígido Roscável, de Ø 1 Curva de 90, PVC Rígido Roscável, de Ø 1 Bucha para Eletroduto de Ø 1 Arruela para Eletroduto de Ø 1 Caixa de Medição Monofásica ** Disjuntor Termomagnético Monopolar (Ver Tabela 1) Bucha para Eletroduto de Ø 1/2 Arruela para Eletroduto de Ø 1/2 Abraçadeira Tipo D, com cunha, para Eletroduto de Ø 1/2 Eletroduto de PVC Rígido Roscável de Ø 1/2 Fio de Cobre Isolado para 750V (Ver Tabela 1) Conector Cunha Haste de Aterramento Haste de Terra em Aço Cobreado, Ø 16 x mm Parafuso Rosca Soberba 4,8 x 50 mm e bucha nº 8 Parafuso Rosca Soberba 6,1 x 65 mm e bucha nº Niple 1 Arruela Redonda Ø Interno de 5mm e Ø Externo de 15mm 1,5m 2,5m 06 und 03 und *Quando a ligação for do mesmo lado da rede, o tamanho do eletroduto será de 1 x2.400 mm. *Quando a ligação for do outro lado da rede, o tamanho do eletroduto será de 1 x4.000 mm. **Caixa em policarbonato com tampa transparente resistente a raios ultravioletas. NOTA: O padrão poderá ser embutido ou aparente.

6 1.3 Ligação monofásica na parede com eletroduto de aço (lado da rede ou lado oposto à rede) 01, , ,50 1, Capacete 180º para eletroduto de Aço de Ø 1 2 Eletroduto, aço zincado, de Ø 1 * 3 Abraçadeira Tipo D, com cunha, para Eletroduto de Ø 1 4 Luva de emenda, PVC Rígido Roscável, de Ø 1 5 Curva de 90, PVC Rígido Roscável, de Ø 1 6 Bucha para Eletroduto de Ø 1 7 Arruela para Eletroduto de Ø 1 8 Caixa de Medição Monofásica ** 9 Disjuntor Termomagnético Monopolar (Ver Tabela 1) Arruela para Eletroduto de Ø 1/2 Bucha para Eletroduto de Ø 1/2 Abraçadeira Tipo D, com cunha, para Eletroduto de Ø 1/2 Eletroduto de PVC Rígido Roscável de Ø 1/2 Fio de Cobre Isolado para 750V (Ver Tabela 1) 15 Conector Cunha Haste de Aterramento 16 Haste de Terra em Aço Cobreado, Ø 16 x 1.500mm 17 Niple 1 18 Arruela Redonda Ø Interno de 5mm e Ø Externo de 15mm 19 Parafuso Rosca Soberba 4,8 x 50 mm e bucha nº 8 20 Parafuso Rosca Soberba 6,1 x 65 mm e bucha nº *Quando a ligação for do mesmo lado da rede, o tamanho do eletroduto será de 1 x2.400 mm. *Quando a ligação for do outro lado da rede, o tamanho do eletroduto será de 1 x4.000 mm. **Caixa em policarbonato com tampa transparente resistente a raios ultravioletas. 1,5m 2,5m 06 und 03 und

7 1.4 Ligação polifásica na parede com eletroduto de aço (lado da rede ou lado oposto à rede) 01, ,50 5, ,50 1,30,50 1, Capacete 180º para eletroduto de Aço, (Ø Ver Tabela 1) Eletroduto, aço zincado, (Ø Ver Tabela 1) Abraçadeira Tipo D, com cunha, para Eletroduto, (Ø Ver Tabela 1) Luva de emenda, PVC Rígido Roscável, (Ø Ver Tabela 1) Curva de 90, PVC Rígido Roscável, (Ø Ver Tabela 1) Bucha para Eletroduto de aço galvanizado (Ø Ver Tabela 1) Arruela para Eletroduto de aço galvanizado (Ø Ver Tabela 1) Caixa de Medição Polifásica ** Disjuntor Termomagnético, (Ø Ver Tabela 1) Arruela para Eletroduto de PVC (Ø Ver Tabela 1) Bucha para Eletroduto de PVC (Ø Ver Tabela 1) Abraçadeira Tipo D, com cunha, para Eletroduto, (Ø Ver Tabela 1) Eletroduto de PVC Rígido Roscável, (Ø Ver Tabela 1) Fio de Cobre Isolado para 750V (Ver Tabela 1) Conector Cunha Haste de Aterramento Haste de Terra em Aço Cobreado, Ø 16 x 1.500mm Niple (mesmo diâmetro do eletroduto de entrada - tabela 1) Arruela Redonda Ø Interno de 5mm e Ø Externo de 15mm Parafuso Rosca Soberba 4,8 x 50 mm e bucha nº 8 Parafuso Rosca Soberba 6,1 x 65 mm e bucha nº 1,5m 2,5m 06 und 03 und * Quando a ligação for do mesmo lado da rede, o tamanho do eletroduto será de Ø x2.400 mm. * Quando a ligação for do outro lado da rede, o tamanho do eletroduto será de Ø x4.000 mm. ** Caixa em policarbonato com tampa transparente resistente a raios ultravioletas. NOTA: O padrão poderá ser embutido ou aparente.

8 1.5 Ligação Polifásica no muro com eletroduto de aço (lado da rede ou lado oposto à rede) 18 01, ,50 5, ,50 1, ,50 1, ENTRADA Capacete 180º para eletroduto de Aço, (Ø Ver Tabela 1) Eletroduto, aço zincado, (Ø Ver Tabela 1)* Luva de emenda, PVC Rígido Roscável, (Ø Ver Tabela 1) Curva de 90, PVC Rígido Roscável, (Ø Ver Tabela 1) Bucha para Eletroduto de aço galvanizado (Ø Ver Tabela 1) Arruela para Eletroduto de aço galvanizado (Ø Ver Tabela 1) Caixa de Medição Polifásica ** Bucha para Eletroduto de PVC (Ø Ver Tabela 1) Arruela para Eletroduto de PVC (Ø Ver Tabela 1) Disjuntor Termomagnético (Ver Tabela 1) Eletroduto de PVC Rígido Roscável (Ø Ver Tabela 1) Fio de Cobre Isolado para 750V (Ver Tabela 1) Conector Cunha Haste de Aterramento Haste de Terra em Aço Cobreado, Ø 16 x mm Niple (mesmo diâmetro do eletroduto de entrada (tabela 1) *Quando a ligação for do mesmo lado da rede, o tamanho do eletroduto será de Ø x2.400 mm. *Quando a ligação for do outro lado da rede, o tamanho do eletroduto será de Ø x4.000 mm. **Caixa em policarbonato com tampa transparente resistente a raios ultravioletas. 1,5m 2,5m

9 1.6 Ligação monofásica padrão alternativo de ligação (mesmo lado da rede) 1 Curva Eletroduto PVC 180º Entrada ¾ 2 Abraçadeira Tipo D, com cunha, para Eletroduto 3/4 3 Eletroduto PVC 3/4 4 Luva Eletroduto PVC 3/4 5 Curva Eletroduto PVC 3/4 90º 6 Arruela Metálica 3/4 7 Bucha metálica 3/4 8 Caixa de Medição Monofásica* 9 Bucha Metálica 1/2 Arruela Metalica 1/2 Disjuntor Termomagnético 30A Abraçadeira Tipo D, com cunha, para Eletroduto 1/2 Eletroduto PVC 1/2 Fio de Cobre Isolado para 750V (6 ) 15 Conector Haste Aterramento 16 Haste Cobreado de 16 mm x mm 17 Borracha Vedação em forma de Arruela 3/4 18 Isolador Pimentão 19 Niple 3/4 * Caixa em policarbonato com tampa transparente resistente a raios ultravioletas. 1 peça 03und 2,5m

10 1.7 Ligação monofásica padrão alternativo de ligação (lado oposto à rede) , ,50 1, Curva Eletroduto PVC 180º Entrada 3/4 2 Abraçadeira Tipo D, com cunha, para Eletroduto 3/4 3 Eletroduto PVC 3/4 4 Luva Eletroduto PVC 3/4 5 Curva Eletroduto PVC 3/4 90º 6 Arruela Metálica 3/4 7 Bucha metálica 3/4 8 Caixa de Medição Monofásica* 9 Disjuntor Termomagnetico 30A Arruela Metalica 1/2 Bucha Metálica 1/2 Abraçadeira Tipo D, com cunha, para Eletroduto 1/2 Eletroduto PVC 1/2 Fio de Cobre Isolado para 750V (6 ) 15 Conector Haste Aterramento 16 Haste Cobreado de 16 mm x mm 17 Borracha Vedação em forma de Arruela 3/4 18 Pontalete Sustentação Ramal 3,200 mm 19 Niple 3/4 * Caixa em policarbonato com tampa transparente resistente a raios ultravioletas. 1 peça 03 und 03 und 2,5m

11 Como solicitar uma ligação nova É necessário ir até uma agência de atendimento Celpa e informar ao atendente os seguintes dados: Dados pessoais (nome completo, data de nascimento, telefone e endereço). Número do CPF e do RG (pessoa física), CNPJ (pessoa jurídica) ou RANI (no caso de índios). Carga detalhada (relação dos aparelhos elétricos que serão utilizados na Unidade Consumidora). Tipo de ligação (monofásico, bifásico ou trifásico). Endereço completo e ponto de referência do local a ser ligado. Atividade desenvolvida na unidade consumidora. Atenção: o padrão de entrada deverá estar de acordo com as normas técnicas e de segurança e com livre acesso aos funcionários da concessionária. - Vistoria: 03 dias úteis em áreas urbanas e 05 dias úteis em área rural (a partir da data de solicitação). - Ligação: 02 dias úteis em áreas urbanas e 05 dias úteis em área rural (a partir da data de aprovação pela vistoria). Obs.: Para cargas maiores que 22 kw deve haver estudo para ligação do cliente ao sistema da concessionária. Acima de 75kW o cliente deve ser atendido em média tensão - NT Para as solicitações de fornecimento de energia realizadas por consumidores cujo atendimento se dará em área rural por meio de ligação monofásica ou bifásica e que estejam enquadrados no Art. º da Resolução Normativa 488/20, a instalação do padrão de entrada, ramal de conexão e kit de instalação interna serão realizados pela Celpa de forma gratuita.

12 Entrada Celpa

13 1 Furando caixa com "serra copos"; 2 Fixando a caixa na parede; 3 Fixando a braçadeira na parede e o eletroduto nas braçadeiras; 4 Instalação de haste de aterramento; 5 Encaixando a curva de 180 ; 6 Encaixando disjuntor na caixa; 7 Fixando isolador pimentão; 8 Fixando cantoneira; PAREDE 15 mm CAIXA BORDA DA CAIXA 9 Caixa embutida na parede; Detalhe caixa embutida.

14 Ligação com Necessidade de Estudo e Casos Especiais São elaborados estudos para verificar a necessidade de reforço de rede e evitar possíveis perturbações nos seguintes casos: a) Para as ligações trifásicas com demanda maior ou igual a 22 kva ou se estiver declarado pelo cliente um dos seguintes equipamentos: Máquina de solda, Betoneira ou entrada de ar; b) Motor elétrico monofásico com potência maior ou igual a 2CV. c) Motor elétrico bifásico com potência maio ou igual a 3CV. d) Motor elétrico trifásico com potência maior ou igual a 15CV. e) Ligações com maior motor ou máquina de solda a motor superior a: 2 cv por fase na tensão de 220 V. 3 cv por fase nas tensões de 380/220 V. f) Ligações com cargas perturbadoras tipo Raios-X ou máquinas de solda a transformador, independente da potência. g) Ligações provisórias para atender a eventos, com carga instalada superior a 6 kw. h) Casos Especiais: Aparelhos Elétricos Especiais Instalações que possuem motores elétricos, máquinas de soldas e/ou aparelhos de Raios-X, com potências superiores

15 as estabelecidas nesta Norma, ou quaisquer outros aparelhos elétricos, cujo regime de funcionamento possa causar perturbação ao suprimento normal de energia dos demais consumidores, terão ligação considerada especial, sujeita a estudo prévio para cada caso, pelo setor competente da concessionária. Praça e Jardins Aplicam-se todas as disposições já estabelecidas para o fornecimento em baixa tensão pela presente Norma, acrescidas do que estabelecem as Normas NBR s 51 e 54 da ABNT, última versão vigente. As cargas, que segundo a legislação em vigor, são classificadas como de Iluminação Pública, deverão ter circuitos independentes das unidades consumidoras, e terão a medição de energia instalada pela CONCESSIONÁRIA. As cargas não classificadas como Iluminação Pública (fontes luminosas, holofotes de monumentos, motores de sanitários públicos, etc.), deverão possuir a entrada da instalação consumidora, conforme as exigências gerais da presente Norma. Excepcionalmente, neste caso pode ser instalada a medição no poste da concessionária. Iluminação Festiva e Semáforos São considerados como cargas especiais, cuja ligação e instalação deverá ser motivo de contratos específicos entre órgãos competentes, e terão a medição de energia instalada pela concessionária.

16 Central de Atendimento Atendimento gratuito 24h Não jogue este impresso em vias públicas.

O que é Padrão de Entrada?

O que é Padrão de Entrada? 1 O que é Padrão de Entrada? O padrão de entrada é o conjunto de condutores, eletrodutos, poste, caixa de medição e demais acessórios utilizados na sua montagem, padronizados pela Cosern e de acordo com

Leia mais

Padrões de Entradas de Serviço para Atendimento à Resolução ANEEL 384/2009 e Programa Luz Legal

Padrões de Entradas de Serviço para Atendimento à Resolução ANEEL 384/2009 e Programa Luz Legal Padrões de Entradas de Serviço para Atendimento à Resolução ANEEL 384/2009 e Programa Luz Legal DDI/SCD/SED Maio/2010 Notas sobre esta revisão (maio/2010) Este manual, originalmente desenvolvido para Entrada

Leia mais

Condutores, Fornecimento de Tensão e Padrão de Entrada. Instalações Hidráulicas e Elétricas - Profª Bárbara Silvéria

Condutores, Fornecimento de Tensão e Padrão de Entrada. Instalações Hidráulicas e Elétricas - Profª Bárbara Silvéria Condutores, Fornecimento de Tensão e Padrão de Entrada Instalações Hidráulicas e Elétricas - Profª Bárbara Silvéria Condutores e Isolantes Isolantes Materiais que não conduzem eletricidade; Condutores

Leia mais

GERÊNCIA DE NORMAS E PADRÕES ORIENTAÇÃO TÉCNICA OT-003/2015 (NT , NT , NT

GERÊNCIA DE NORMAS E PADRÕES ORIENTAÇÃO TÉCNICA OT-003/2015 (NT , NT , NT 1 OBJETIVO A presente Orientação Técnica altera e complementa as normas de fornecimento contemplando as mudanças ocorridas em conformidade com as alterações da REN 414/2010 da ANEEL, implementadas através

Leia mais

Padrão de entrada PCI-3

Padrão de entrada PCI-3 Padrão de entrada PCI-3 padrão de entrada Relação de Materiais Item Qtde. Un. Descrição 01 01 pç 02 Fornecido e instalado pela EDP 03 Variável m Poste com caixa incorporada tipo PCI-3 (ver nota 4) Ramal

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 05 ALTERAÇÕES NAS TABELAS PARA DIMENSIONAMENTO DOS PADRÕES DE ENTRADA DE BAIXA TENSÃO DE USO INDIVIDUAL

COMUNICADO TÉCNICO Nº 05 ALTERAÇÕES NAS TABELAS PARA DIMENSIONAMENTO DOS PADRÕES DE ENTRADA DE BAIXA TENSÃO DE USO INDIVIDUAL Página 1 de 2 COMUNICADO TÉCNICO Nº 05 ALTERAÇÕES NAS TABELAS PARA DIMENSIONAMENTO DOS PADRÕES DE ENTRADA DE BAIXA TENSÃO DE USO INDIVIDUAL 1. OBJETIVO Visando a redução de custos de expansão do sistema

Leia mais

Título do Documento: Tipo: FECO-NT-01/14. Alterações FECO-D-04 e Compartilhamento de Infra-Estrutura. Nota Técnica

Título do Documento: Tipo: FECO-NT-01/14. Alterações FECO-D-04 e Compartilhamento de Infra-Estrutura. Nota Técnica Título do Documento: Alterações FECO-D-04 e Tipo: FECO-NT-01/14 Nota Técnica Alterações FECO-D-04 e Compartilhamento de Infra-Estrutura NOTA TÉCNICA FECO-NT-01/2014 1 - Alteração da Norma Técnica FECO-D-04,

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 46

COMUNICADO TÉCNICO Nº 46 Página 1 de 11 COMUNICADO TÉCNICO Nº 46 LIGAÇÕES ESPECIAIS NA VIA PÚBLICA COM MEDIÇÃO Diretoria de Planejamento e Planejamento Gerência de Engenharia Página 2 de 11 ÍNDICE OBJETIVO...3 1. APLICAÇÃO...4

Leia mais

Padrão Técnico Distribuição Caixa de Medição Tipo IV

Padrão Técnico Distribuição Caixa de Medição Tipo IV 1- ÂMBITO DE APLICAÇÃO: Esta padronização se aplica a entradas de consumidores polifásicos onde o padrão de entrada tem medição voltada para a calçada, atendidos em tensão secundária de distribuição das

Leia mais

Item (Pág. 26) Foi inserida a Norma NR 10 Segurança em instalações e serviços em eletricidade.

Item (Pág. 26) Foi inserida a Norma NR 10 Segurança em instalações e serviços em eletricidade. O presente documento contém as alterações, correções e inclusões da versão anterior, contempladas na versão 1.2, que entrará em vigor a partir de 1º de novembro de 2014. TEXTO Item 10.3.2 (Pág. 26) Foi

Leia mais

NORMA TÉCNICA SUMÁRIO 1 FINALIDADE CAMPO DE APLICAÇÃO RESPONSABILIDADES DEFINIÇÕES... 7

NORMA TÉCNICA SUMÁRIO 1 FINALIDADE CAMPO DE APLICAÇÃO RESPONSABILIDADES DEFINIÇÕES... 7 16/06/2014 1 de 95 SUMÁRIO 1 FINALIDADE... 6 2 CAMPO DE APLICAÇÃO... 6 3 RESPONSABILIDADES... 6 4 DEFINIÇÕES... 7 4.1 Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL... 7 4.2 Associação Brasileira de Normas

Leia mais

Padrão Técnico Distribuição Caixa de Medição Tipo II

Padrão Técnico Distribuição Caixa de Medição Tipo II 1- ÂMBITO DE APLICAÇÃO: Esta padronização se aplica a entradas de consumidores monofásicos e bifásicos onde o padrão de entrada tem medição voltada para o terreno, atendidos em tensão secundária de distribuição

Leia mais

Padrão Técnico Distribuição Caixa de Medição Tipo V

Padrão Técnico Distribuição Caixa de Medição Tipo V 1- ÂMBITO DE APLICAÇÃO: Esta padronização se aplica a entradas de consumidores polifásicos onde o padrão de entrada tem medição voltada para a calçada atendidos em tensão secundária de distribuição das

Leia mais

NOVOS PROCEDIMENTOS PARA ATENDIMENTO DE SOLICITAÇÕES TÉCNICAS PARA ATENDER A RESOLUÇÃO NORMATIVA ANEEL N 670 DE 14 DE JULHO DE 2015

NOVOS PROCEDIMENTOS PARA ATENDIMENTO DE SOLICITAÇÕES TÉCNICAS PARA ATENDER A RESOLUÇÃO NORMATIVA ANEEL N 670 DE 14 DE JULHO DE 2015 CT-63 NOVOS PROCEDIMENTOS PARA ATENDIMENTO DE SOLICITAÇÕES TÉCNICAS PARA ATENDER A RESOLUÇÃO NORMATIVA ANEEL N 670 DE 14 DE JULHO DE 2015 Norma Técnica da AES Eletropaulo Diretoria de Planejamento, Engenharia

Leia mais

CNPJ: / INSC. EST.: CRITÉTRIOS CONSTRUTIVOS DO PADRÃO DE ENTRADA

CNPJ: / INSC. EST.: CRITÉTRIOS CONSTRUTIVOS DO PADRÃO DE ENTRADA Notas: CRITÉTRIOS CONSTRUTIVOS DO PADRÃO DE ENTRADA A fiação do ramal de saída deve ser a mesma fiação do ramal de entrada; O padrão de entrada na zona rural deverá ficar no mínimo de 10 metros e no máximo

Leia mais

CNPJ: / INSC. EST.: CRITÉTRIOS CONSTRUTIVOS DO PADRÃO DE ENTRADA

CNPJ: / INSC. EST.: CRITÉTRIOS CONSTRUTIVOS DO PADRÃO DE ENTRADA Notas: CRITÉTRIOS CONSTRUTIVOS DO PADRÃO DE ENTRADA A fiação do ramal de saída deve ser a mesma fiação do ramal de entrada; O padrão de entrada na zona rural deverá ficar no mínimo de 10 metros e no máximo

Leia mais

NORMA TÉCNICA NTE PADRÃO PRÉ-FABRICADO. Cuiabá Mato Grosso - Brasil

NORMA TÉCNICA NTE PADRÃO PRÉ-FABRICADO. Cuiabá Mato Grosso - Brasil NORMA TÉCNICA NTE - 011 PADRÃO PRÉ-FABRICADO Cuiabá Mato Grosso - Brasil 1. OBJETIVO Esta norma tem por objetivo padronizar, especificar e fixar os critérios e as exigências técnicas mínimas relativas

Leia mais

Diretoria Técnica Planejamento e Engenharia Engenharia e Obra

Diretoria Técnica Planejamento e Engenharia Engenharia e Obra PADRÃO DE MEDIÇÃO INDIVIDUAL DE CLIENTES EM BAIXA TENSÃO COMUNICADO A Ampla Energia e Serviços S/A comunica que visando favorecer ao consumidor na construção de instalação para medição de energia em baixa

Leia mais

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA - IRRIGANTES NTD

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA - IRRIGANTES NTD Página: 1 de 5 1. Objetivo Este documento define os critérios e padrões dos sistemas de medições a serem observados no fornecimento de energia elétrica para unidades consumidoras classificadas como rural

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DE ENTRADA DE ENERGIA ELÉTRICA DE UNIDADES CONSUMIDORAS DE BAIXA TENSÃO E

PADRONIZAÇÃO DE ENTRADA DE ENERGIA ELÉTRICA DE UNIDADES CONSUMIDORAS DE BAIXA TENSÃO E PADRONIZAÇÃO DE ENTRADA DE ENERGIA ELÉTRICA DE UNIDADES CONSUMIDORAS DE BAIXA TENSÃO E - 3 2 1. 0 0 0 1 N O V E M B R O 2 0 0 7 PADRONIZAÇÃO DE ENTRADA DE ENERGIA ELÉTRICA DE UNIDADES CONSUMIDORAS DE BAIXA

Leia mais

Fornecimento Provisório de Energia Elétrica em Baixa Tensão (Procedimento Interno Uso Exclusivo da Ampla)

Fornecimento Provisório de Energia Elétrica em Baixa Tensão (Procedimento Interno Uso Exclusivo da Ampla) ITA - 010 Rev. 0 MAIO / 2005 Praça Leoni Ramos n 1 São Domingos Niterói RJ Cep 24210-205 http:\\ www.ampla.com Fornecimento Provisório de Energia Elétrica em Baixa Tensão (Procedimento Interno Uso Exclusivo

Leia mais

ECOM EMPRESA DE CONSTRUÇÕES, CONSULTORIA E MEIO AMBIENTE LTDA.

ECOM EMPRESA DE CONSTRUÇÕES, CONSULTORIA E MEIO AMBIENTE LTDA. PROJETO DE INSTALAÇÕES ELETRICAS DE BAIXA TENSÃO MERCADO DO SÃO JOAQUIM BAIRRO SÃO JOAQUIM, TERESINA - PI TERESINA PI AGOSTO/2014 MEMORIAL DESCRITIVO INST. ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO 1.0 IDENTIFICAÇÃO Obra:

Leia mais

ANEXO II PLANILHA DE QUANTITATIVOS E PREÇOS DOS SERVIÇOS

ANEXO II PLANILHA DE QUANTITATIVOS E PREÇOS DOS SERVIÇOS 1 REDE ELÉTRICA 13105.8.6.1 ATERRAMENTO completo para pára-raios, com hastes de cobre com alma de UN 30,00 417,99 12.539,70 16120.3.2.1 aço tipo "Copperweld" Cabo de cobre nu (seção transversal: 25 mm²)

Leia mais

NORMA TÉCNICA CELG D. Ligações Especiais para Atendimento em Baixa Tensão NTC-74

NORMA TÉCNICA CELG D. Ligações Especiais para Atendimento em Baixa Tensão NTC-74 NORMA TÉCNICA CELG D Ligações Especiais para Atendimento em Baixa Tensão NTC-74 ÍNDICE SEÇÃO TÍTULO PÁGINA 1. INTRODUÇÃO 1 2. OBJETIVO 2 3. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 3 4. CONDIÇÕES GERAIS DE

Leia mais

LIGAÇÃO NOVA OU ALTERAÇÃO DE CARGA PARA UNIDADES CONSUMIDORAS COMPREENDIDAS EM VIA PÚBLICA

LIGAÇÃO NOVA OU ALTERAÇÃO DE CARGA PARA UNIDADES CONSUMIDORAS COMPREENDIDAS EM VIA PÚBLICA LIGAÇÃO NOVA OU ALTERAÇÃO DE CARGA PARA UNIDADES CONSUMIDORAS COMPREENDIDAS EM VIA PÚBLICA Condições de atendimento Coordenação de Engenharia Gerência de Planejamento da Expansão e Engenharia da Distribuição

Leia mais

Principais alterações:

Principais alterações: 2 Principais alterações: Quantidade de medições De 1 a 2 medições no mesmo terreno Norma Norma número 13 Fornecimento em Tensão Secundária de Distribuição De 3 a 12 medições Unidade consumidora pertencente

Leia mais

Padrão de entrada para baixa tensão 380/220v

Padrão de entrada para baixa tensão 380/220v Padrão de entrada para baixa tensão 380/220v DESENHO 1: padrão ligação monofásica - instalação na parede com ramal de entrada aéreo, edificação do mesmo lado da rede e na divisa com o passeio público.

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO Quadra Poliesportiva Padrão 1A - 19m x 32,90m

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO Quadra Poliesportiva Padrão 1A - 19m x 32,90m MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO Quadra Poliesportiva Padrão 1A - 19m x 32,90m Proprietário: Secretaria de Estado de Goiás Autora: LUCIANA DUTRA MARTINS - Engenheira Eletricista - CREA_8646/D Sumário:

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA

ESTADO DE SANTA CATARINA Folha: 1/10 (As propostas serão abertas para julgamento às 09:15 horas do dia 23/05/2011). Fornecedor:... Endereço:... Cidade:... Estado:... Telefone: CNPJ / CPF:... Inscrição Estadual:... Fax: Validade

Leia mais

CÓPIA NÃO CONTROLADA

CÓPIA NÃO CONTROLADA Título: FORNECIMENTO DE E. E. EM BAIXA TENSÃO NT - 05.001.00 1 de 80 ÍNDICE 1 FINALIDADE... 4 2 CAMPO DE APLICAÇÃO... 4 3 REFERÊNCIAS... 4 4 DEFINIÇÕES... 4 4.1 Aterramento... 4 4.2 Agência Nacional de

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO SUPRIMENTO DE ENREGIA ELÉTRICA AO EDIFÍCIO CREA - PI INSTALAÇÃO ELÉTRICA DE BAIXA TENSÃO

MEMORIAL DESCRITIVO SUPRIMENTO DE ENREGIA ELÉTRICA AO EDIFÍCIO CREA - PI INSTALAÇÃO ELÉTRICA DE BAIXA TENSÃO MEMORIAL DESCRITIVO SUPRIMENTO DE ENREGIA ELÉTRICA AO EDIFÍCIO CREA - PI INSTALAÇÃO ELÉTRICA DE BAIXA TENSÃO Teresina Piauí Março 2017 MEMORIAL DESCRITIVO EDIFÍCIO CREA - PI INTALAÇÕES ELÉTRICAS BAIXA

Leia mais

S i s t e m a N o r m a t i vo Corporativo

S i s t e m a N o r m a t i vo Corporativo S i s t e m a N o r m a t i vo Corporativo PADRÃO TÉCNICO VERSÃO Nº DELIBERAÇÃO Nº APROVAÇÃO DATA DATA DE PUBLICAÇÃO 01-06/08/2014 06/08/2014 APROVADO POR RODNEY PEREIRA MENDERICO JÚNIOR DTES-BD SUMÁRIO

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE SPDA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS - CAMPUS SENADOR CANEDO-GO

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE SPDA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS - CAMPUS SENADOR CANEDO-GO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS SENADOR CANEDO -GO MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE SPDA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS - CAMPUS SENADOR CANEDO-GO

Leia mais

FINALIDADE RAMO DE ATIVIDADE. Pré-moldados CARGA INSTALADA

FINALIDADE RAMO DE ATIVIDADE. Pré-moldados CARGA INSTALADA FINALIDADE Este memorial refere-se ao projeto(de acordo com a NT-002/2011 R03 da COELCE) de implantação de uma subestação aérea de 225kVA, atendendo à BM Pré-Moldados LTDA. Localidade:, Rodovia BR 222,

Leia mais

Sumário. CÓDIGO: NTD DATA DE VIGÊNCIA: 10/07/2012 TÍTULO: Estrutura do SEMTS na Rede de MT VERSÃO NORMA: 1.1

Sumário. CÓDIGO: NTD DATA DE VIGÊNCIA: 10/07/2012 TÍTULO: Estrutura do SEMTS na Rede de MT VERSÃO NORMA: 1.1 Sumário 1 Objetivo... 2 2 Âmbito de aplicação... 2 3 Norma complementar... 2 4 Diretrizes para elaboração do projeto... 2 4.1 Local da aplicação... 2 4.2 Escolha do poste de concreto... 2 4.3 Estrutura

Leia mais

MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO. PROJETO: Pontos de Força para ar condicionado e complementações elétricas e de aterramento em geral.

MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO. PROJETO: Pontos de Força para ar condicionado e complementações elétricas e de aterramento em geral. MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO PROJETO: Pontos de Força para ar condicionado e complementações elétricas e de aterramento em geral. LOCAL : Pavilhões do Banrisul na BAGERGS ENDEREÇO: Av. GETÚLIO VARGAS, 8201

Leia mais

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO DE DISTRIBUIÇÃO SECUNDÁRIA - 220/127 V

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO DE DISTRIBUIÇÃO SECUNDÁRIA - 220/127 V MANUAL TÉCNICO DE DISTRIBUIÇÃO TENSÃO DE DISTRIBUIÇÃO SECUNDÁRIA - VERSÃO Nº ATA Nº DATA DATA DA VIGÊNCIA R2 01/02/2011 ITEM ASSUNTO PÁGINA 01 FINALIDADE... 02 02 ÂMBITO DE APLICAÇÃO... 02 03 CONCEITOS

Leia mais

DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES

DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES Os seis critérios de dimensionamento de circuitos de BT: 1. Seção mínima; 2. Capacidade de condução de corrente; 3. Queda de tensão; 4. Proteção contra sobrecargas; 5. Proteção

Leia mais

CUIDADO! ELETRICIDADE CUIDADO! ELETRICIDADE CUIDADO! ELETRICIDADE CUIDADO! ELETRICIDADE PLANTA BAIXA MEDIDAS EM: cm BEP 1 x Ø4" VISTA FRONTAL MEDIDAS EM: cm VISTA CORTE LATERAL: A-A" MEDIDAS EM: cm Av.

Leia mais

TABELA IZA PVC METAIS

TABELA IZA PVC METAIS TABELA IZA PVC METAIS ABRAÇADEIRA "D" COM CUNHA 287 ABRAÇADEIRA "D" COM CUNHA 1/2 288 ABRAÇADEIRA "D" COM CUNHA 3/4 289 ABRAÇADEIRA "D" COM CUNHA 1 290 ABRAÇADEIRA "D" COM CUNHA 1 1/4 291 ABRAÇADEIRA "D"

Leia mais

DIMENSIONAMENTO DOS CONDUTORES

DIMENSIONAMENTO DOS CONDUTORES DIMENSIONAMENTO DOS CONDUTORES 1. Introdução - O dimensionamento dos condutores deve ser realizado seguindo as seguintes etapas: a) cálculo da corrente de projeto; b) dimensionamento pelo critério da máxima

Leia mais

1. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL DA BAHIA PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E ADMINISTRAÇÃO Diretoria de Infraestrutura

1. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL DA BAHIA PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E ADMINISTRAÇÃO Diretoria de Infraestrutura 1. FINALIDADE MEMORIAL DESCRITIVO Fornecimento de energia elétrica a três edifícios da Universidade Federal do Sul da Bahia, com a sede sendo a Reitoria localizada na Rua Itabuna, s/n, Rod. Ilhéus Vitória

Leia mais

Fornecimento de Energia Elétrica em Tensão Secundária de Distribuição. Norma Técnica N

Fornecimento de Energia Elétrica em Tensão Secundária de Distribuição. Norma Técnica N Fornecimento de Energia Elétrica em Tensão Secundária de Distribuição Norma Técnica N-321.0001 Edição: Setembro de 2015 Apresentação Esta Norma Técnica apresenta os requisitos mínimos e as diretrizes necessárias

Leia mais

PADRÃO TÉCNICO SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA PT.DT.PDN COM CABOS BAIXA TENSÃO PRÉ-REUNIDOS

PADRÃO TÉCNICO SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA PT.DT.PDN COM CABOS BAIXA TENSÃO PRÉ-REUNIDOS SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO PADRÃO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO PT.DT.PDN.03.05.009 01 APROVADO POR PAULO JORGE TAVARES DE LIMA ENGENHARIA E CADASTRO-SP SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES...

Leia mais

Curso Técnico em Eletroeletrônica Instalações Elétricas

Curso Técnico em Eletroeletrônica Instalações Elétricas Curso Técnico em Eletroeletrônica Instalações Elétricas Aula 03 Padrão de entrada. Ramal de ligação, poste particular e pontalete. Quadro de medição. Quadro de distribuição. Prof. Dra. Giovana Tripoloni

Leia mais

Padrão de Entrada COELBA. Padrão de Entrada Monofásico

Padrão de Entrada COELBA. Padrão de Entrada Monofásico Padrão de Entrada COELBA Informações do site www.coelba.com.br Padrão de Entrada é o conjunto de instalações composto de caixa de medição, sistema de aterramento, condutores e outros acessórios indispensáveis

Leia mais

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PREDIAIS CÁLCULO DA DEMANDA E OUTRAS PROVIDÊNCIAS

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PREDIAIS CÁLCULO DA DEMANDA E OUTRAS PROVIDÊNCIAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PREDIAIS CÁLCULO DA DEMANDA E OUTRAS PROVIDÊNCIAS Prof. Marcos Fergütz Outubro/2016 INTRODUÇÃO Para a elaboração de um projeto para edifício de uso coletivo, em Santa Catarina, deve-se

Leia mais

MÉTODO DE INSTALAÇÃO (Tabela 33 da NBR5410/2004)

MÉTODO DE INSTALAÇÃO (Tabela 33 da NBR5410/2004) MÉTODO DE INSTALAÇÃO (Tabela da NBR5410/004) Método de Método de instalação Esquema ilustrativo Descrição instalação a utilizar número: para a capacidade de condução de corrente 1 1 Condutores isolados

Leia mais

CATÁLOGO DE MATERIAIS

CATÁLOGO DE MATERIAIS CATÁLOGO DE MATERIAIS CENTRO DE MEDIÇÃO E ENTRADAS DE ENERGIA OBJETIVO Montagem e execução de entradas de energias Montagem de Caixas de Luz Data: 2014 Página 2 SUMÁRIO Produtos Caixa de luz para 1 Relógio

Leia mais

Prefeitura Municipal de Não-Me-Toque Secretaria da Fazenda [daianeluisa] Anexo Itens Página : 1 de 4 Tomada de Preços N 9/2015 ITEM QTD UN ESPECIFICAÇÃO DO MATERIAL/SERVIÇO MARCA PR.UN TOTAL 1 3 UN CENTRO

Leia mais

Sumário ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD REDE CONVENCIONAL ENTRADA CLIENTE

Sumário ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD REDE CONVENCIONAL ENTRADA CLIENTE Sumário 1. Objetivo 2. Âmbito de Aplicação 3. Documentos de Referência 4. Requisitos Ambientais 5. Condições Gerais 6. Ramal de Entrada Subterrâneo de Cliente 6.1. Ramal Simples em Estrutura M1 6.2. Ramal

Leia mais

COMPREENSÃO DE PROJETOS (PARTE II - Teoria)

COMPREENSÃO DE PROJETOS (PARTE II - Teoria) UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL COMPREENSÃO DE PROJETOS (PARTE II - Teoria) Projeto Elétrico TC_042 - CONSTRUÇÃO CIVIL IV PROFESSORA: ELAINE SOUZA MARINHO CONCEITOS INICIAIS

Leia mais

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. A caixa do disjuntor deve ficar junto à caixa de medição

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. A caixa do disjuntor deve ficar junto à caixa de medição Fornecimento de Energia Elétrica em Tensão Secundária de Distribuição a Edificações Individuais Processo Realizar novas ligações Atividade Executar ligação BT Código Edição Data SM04.14-01.001 13ª Folha

Leia mais

Perfilados e Ferragens

Perfilados e Ferragens Telefones: (11) 2126-3333, (11) 5641-5090 Perfilados e Ferragens Perfil estrutural conformado em chapas de aço carbono SE 1008/1010, conforme normas NBR 11888-2 e NBR 7013. Dimensões padrões que podem

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-001

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-001 NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-001 FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO SECUNDÁRIA EDIFICAÇÕES INDIVIDUAIS OU AGRUPADAS ATÉ 3 UNIDADES CONSUMIDORAS APROVAÇÃO Júlio César Ragone Lopes Diretor

Leia mais

ENERGIA EM SUA CASA CONHEÇA AS NORMAS E FAÇA UMA INSTALAÇÃO CORRETA E 100% SEGURA Recon BT_Energia em Casa_10x21.indd 1 12/22/15 3:31 PM

ENERGIA EM SUA CASA CONHEÇA AS NORMAS E FAÇA UMA INSTALAÇÃO CORRETA E 100% SEGURA Recon BT_Energia em Casa_10x21.indd 1 12/22/15 3:31 PM ENERGIA EM SUA CASA Recon BT/2013 Regulamentação para o Fornecimento de Energia Elétrica a Consumidores em Baixa Tensão CONHEÇA AS NORMAS E FAÇA UMA INSTALAÇÃO CORRETA E 100% SEGURA. 499-008 Recon BT_Energia

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS DE ELETRICIDADE

CONCEITOS BÁSICOS DE ELETRICIDADE CONCEITOS BÁSICOS DE ELETRICIDADE Nos fios existem partículas invisíveis chamadas de elétrons livres que, assim como os planetas ao redor do sol, giram ao redor do núcleo dos átomos. Quando uma força,

Leia mais

ESTRUTURAS DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO - MULTIPLEXADA NTD SUMÁRIO

ESTRUTURAS DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO - MULTIPLEXADA NTD SUMÁRIO Página: 1 de 15 SUMÁRIO.001 - REDE SECUNDARIA MULTIPLEXADA INSTALAÇÕES E AMARRAÇÕES... 1.002 - REDE SECUNDARIA MULTIPLEXADA INSTALAÇÕES BÁSICA... 2.003 - REDE SECUNDARIA MULTIPLEXADA INSTALAÇÕES BÁSICA...

Leia mais

Potência total de iluminação prevista (VA) = 900 (VA)

Potência total de iluminação prevista (VA) = 900 (VA) MEMORAL DESCRTVO E DE CÁLCULO PROJETO......... ELÉTRCO PREDAL RESDECAL ORA............FSC. LOCALDADE...... Rua Pavão, 13,37 Costa e Silva - Joinville. PROPREDADE..... Dilma Rousseff. OJETVO........ APROVAÇÃO

Leia mais

LINHA DE PRODUTOS 2015

LINHA DE PRODUTOS 2015 LINHA DE PRODUTOS 2015 MISSÃO Desenvolvimento de soluções na área de medição e distribuição de energia elétrica e hidráulica. VISÃO Ser referência de qualidade na área de medição e distribuição de energia

Leia mais

CT Caixas de Policarbonato para Padrão de Entrada de Baixa Tensão com Leitura Voltada para a Via Pública. Comunicado Técnico

CT Caixas de Policarbonato para Padrão de Entrada de Baixa Tensão com Leitura Voltada para a Via Pública. Comunicado Técnico CT - 67 Caixas de Policarbonato para Padrão de Entrada de Baixa Tensão com Leitura Voltada para a Via Pública Comunicado Técnico Diretoria de Engenharia Gerência de Serviços Técnicos Página 2 de 24 FOLHA

Leia mais

Quadros de Distribuição Caixas Versáteis Acessórios para Disjuntores

Quadros de Distribuição Caixas Versáteis Acessórios para Disjuntores Caixas Versáteis Acessórios para Disjuntores Proteção, Segurança e Confiança Material Elétrico é De Embutir Os Quadros de Distribuição de Embutir possuem acabamento brilhante, permitindo a combinação perfeita

Leia mais

NORMA TÉCNICA NTC 015

NORMA TÉCNICA NTC 015 COMPANHIA CAMPOLARGUENSE DE ENERGIA COCEL NORMA TÉCNICA 015 POSTE DE DIVISA Divisão de medição e fiscalização Emissão: 2015 Versão : 01/2015 1 2 Sumário 1. OBJETIVO... 4 2. INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES...

Leia mais

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO SECUNDÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO A EDIFICAÇÕES INDIVIDUAIS

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO SECUNDÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO A EDIFICAÇÕES INDIVIDUAIS 00 1/110 1 OBJETIVO Estabelecer as condições para o fornecimento de energia elétrica para as unidades consumidoras individuais em tensão secundária de distribuição. 2 RESPONSABILIDADES Compete aos órgãos

Leia mais

2º Bimestre. Prof. Evandro Junior Rodrigues. Agosto Evandro Junior Rodrigues

2º Bimestre. Prof. Evandro Junior Rodrigues. Agosto Evandro Junior Rodrigues 2º Bimestre Prof. Evandro Junior Rodrigues Agosto 2016 Evandro Junior Rodrigues Robôs M óveis e sua Aplicação em Sumário Transformadores Geração + Transmissão + Distribuição Proteção contra sobrecorrente

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 414/2010 CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO

RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 414/2010 CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 414/2010 CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO Atualizada até a REN 499/2012 Resolução Normativa nº 414 AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL A ANEEL consolidou os direitos e deveres

Leia mais

5 CONDIÇÕES ESPECÍFICAS 5.1 Material: A armação da caixa deve ser feita com cantoneiras de aço-carbono, ABNT 1010 a 1020, laminado.

5 CONDIÇÕES ESPECÍFICAS 5.1 Material: A armação da caixa deve ser feita com cantoneiras de aço-carbono, ABNT 1010 a 1020, laminado. 1 OBJETIVO Esta Norma padroniza as dimensões e estabelece as condições gerais e específicas da caixa de medição a ser utilizada para alojar TCs e TPs empregados na medição de unidades consumidoras do Grupo

Leia mais

Perfilados e Ferragens

Perfilados e Ferragens PERFILDOS E FERRGENS Perfilados e Ferragens Perfil estrutural conformado em chapas de aço carbono SE 1008/1010, conforme normas NBR 11888-2 e NBR 7013. Dimensões padrões que podem ser de 19x38 mm, 38x38

Leia mais

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO SECUNDÁRIA EDIFICAÇÕES INDIVIDUAIS

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO SECUNDÁRIA EDIFICAÇÕES INDIVIDUAIS SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO PADRÃO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO PT.DT.PDN.03.14.014 SECUNDÁRIA EDIFICAÇÕES INDIVIDUAIS 01 APROVADO POR MARCELO POLTRONIERI ENGENHARIA-ES SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 4 2. HISTÓRICO

Leia mais

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I Folha: 0001 Objeto: Aquisição de Material de e Permanente(Material de Construção e Elétrico) 001 1190 Transformador em poste de 11,5 KVA-15KV, 60Hz alta tensão 1, ZKV, baixa tensão 0/17V. LOTE 001 / SETOR

Leia mais

CATÁLOGO DE PRODUTO.

CATÁLOGO DE PRODUTO. CATÁLOGO DE PRODUTO www.paraeng.com.br Captor Tipo Franklin Rosca 3/4" Latão niquelado PPR-0101 1 descida 250mm PPR-0102 1 descida 300mm PPR-0103 1 descida 350mm PPR-0104 2 descida 250mm PPR-0105 2 descida

Leia mais

POSTES DE DIVISA - ALTERNATIVAS E ORIENTAÇÕES

POSTES DE DIVISA - ALTERNATIVAS E ORIENTAÇÕES 1. Objetivo Complementar as normas referentes ao atendimento e ao fornecimento de energia elétrica em baixa tensão, quanto aos aspectos de localização e disposição dos materiais e equipamentos nas montagens

Leia mais

A N E X O VI M Ó D U L O S C O N S T R U T I V O S D E M E D I Ç Ã O D E E N E R G I A

A N E X O VI M Ó D U L O S C O N S T R U T I V O S D E M E D I Ç Ã O D E E N E R G I A A N E X O VI M Ó D U L O S C O N S T R U T I V O S D E M E D I Ç Ã O D E E N E R G I A C A T Á L O G O R E F E R E N C I A L DE M Ó D U L O S P A D R Õ E S D E C O N S T R U Ç Ã O D E S U B E S T A Ç Õ

Leia mais

SUMÁRIO 1 FINALIDADE... 5 2 CAMPO DE APLICAÇÃO... 5 3 RESPONSABILIDADES... 5 4 DEFINIÇÕES... 6. 4.1 Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL...

SUMÁRIO 1 FINALIDADE... 5 2 CAMPO DE APLICAÇÃO... 5 3 RESPONSABILIDADES... 5 4 DEFINIÇÕES... 6. 4.1 Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL... 01/06/2005 1 de 77 SUMÁRIO 1 FINALIDADE... 5 2 CAMPO DE APLICAÇÃO... 5 3 RESPONSABILIDADES... 5 4 DEFINIÇÕES... 6 4.1 Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL... 6 4.2 Associação Brasileira de Normas

Leia mais

MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO

MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO Obra: Mirante de Santo Antônio Finalidade: Projeto de instalações elétricas de baixa tensão Local: Sítio Jatobá Piancó - PB Proprietário: Prefeitura Municipal de Piancó - PB

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD REDE COMPACTA ENTRADA CLIENTE. Sumário

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD REDE COMPACTA ENTRADA CLIENTE. Sumário Sumário 1. Objetivo 2. Âmbito de Aplicação 3. Documentos de Referência 4. Requisitos Ambientais 5. Condições Gerais 6. Ramal de Entrada Subterrâneo 6.1. CE2H ES Poste de Concreto de Seção Circular 6.2.

Leia mais

Aula 1 Filosofia de Projeto

Aula 1 Filosofia de Projeto Aula 1 Filosofia de Projeto PESQUISA Quantidade de disjuntores Ponto de aterramento Instalação monofásica, bifásica ou trifásica (potência) Metodologia de divisão dos circuitos 1 Um projeto é a apresentação

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 02

COMUNICADO TÉCNICO Nº 02 COMUNICADO TÉCNICO Nº 02 Página 1 de 1 ALTERAÇÕES NAS TABELAS PARA DIMENSIONAMENTO DOS PADRÕES DE ENTRADA DE BAIXA TENSÃO DE USO INDIVIDUAL 1.OBJETIVO Visando a redução de custos de expansão do sistema

Leia mais

SUBESTAÇÃO AÉREA 225KVA PNT IND E COM DE PLASTICOS LTDA.

SUBESTAÇÃO AÉREA 225KVA PNT IND E COM DE PLASTICOS LTDA. Memorial descritivo e de cálculo SUBESTAÇÃO AÉREA 225KVA PNT IND E COM DE PLASTICOS LTDA. 1 ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO 2. IDENTIFICAÇÃO 3. CARACTERÍSTICAS DA SUBESTAÇÃO 4. PROJETO ELÉTRICO MEMORIAL DESCRITIVO

Leia mais

REDES DE DISTRIBUIÇÃO ADENDO 1 MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO

REDES DE DISTRIBUIÇÃO ADENDO 1 MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO MPN-DP-/MN-002 MANUAL DE Página 1 de 26 08/03/26 RES nº. 053/26, 08/03/26 MANUAL DE ADENDO 1 MPN-DP-/MN-002 Página 2 de 26 08/03/26 RES nº. 053/26, 08/03/26 Sumário 1. OBJETIVO... 3 2. APLICAÇÃO... 3 3.

Leia mais

Capítulo 2 - Símbolos Gráficos para Instalações Elétricas Prediais 2.1. Simbologia Padronizada

Capítulo 2 - Símbolos Gráficos para Instalações Elétricas Prediais 2.1. Simbologia Padronizada Capítulo 1 - Conceitos Básicos de Eletricidade para Aplicação em Instalações Elétricas 1.1. Tipos e Formas de Distribuição de Energia 1.1.1. Energia 1.2. Geração de Energia Elétrica 1.2.1. Barragem 1.2.2.

Leia mais

Remoção de entulho de obra com caçamba metálica - material volumoso misturado por alvenaria, terra, madeira, papel, plástico e metal. total 10.

Remoção de entulho de obra com caçamba metálica - material volumoso misturado por alvenaria, terra, madeira, papel, plástico e metal. total 10. PREFEITURA MUNICIPAL ARTUR NOGUEIRA PREFEITURA PREFEITURA MUNICIPAL MUNICIPAL ARTUR FONTE CÓDIGO ÍTEM SCRIÇÃO UNID. QUANT. VALOR VALOR TOTAL 1- Serviço Preliminar 20308 1.1 Fechamento provisório de vãos

Leia mais

PLANILHA DE SERVIÇOS DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

PLANILHA DE SERVIÇOS DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 9 INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 9.1 RAMAIS ALIMENTADORES 9.1.1 Barramento de cobre Ø5,16mm (0,187kg/m) m 10,00 25,20 252,00 1,69 9.1.2 Chave seccionadora de média tensão, com fusível incorporado, sem carga, uso

Leia mais

REDE COMPACTA PARA-RAIOS. Sumário

REDE COMPACTA PARA-RAIOS. Sumário Sumário 1. Objetivo 2. Âmbito de Aplicação 3. Documentos de Referência 4. Requisitos Ambientais 5. Condições Gerais 6. Estruturas de Transição Rede Compacta Rede Nua com Para-Raios 6.1. Estrutura CE3.N3

Leia mais

ND CÁLCULO DE DEMANDA

ND CÁLCULO DE DEMANDA ND-5-2 5-1 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS CÁLCULO DE DEMANDA O dimensionamento dos componentes de entrada de serviço (ramais de ligação e de entrada, alimentadores) das edificações de uso coletivo e dos agrupamentos

Leia mais

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-RE- 007

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-RE- 007 NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-RE- 007 INSTALAÇÃO DE RELIGADOR AUTOMÁTICO NOJA - POWER DIRETORIA DE ENGENHARIA CORPORATIVA DEPARTAMENTO DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA - DPE 1- OBJETIVO Padronizar a estrutura

Leia mais

S I G A E S S A E N E RG I A

S I G A E S S A E N E RG I A LINHA DE PRODUTOS 2016 S I G A E S S A E N E RG I A CONHEÇA A TAF MISSÃO Desenvolvimento de soluções na área de medição e distribuição de energia elétrica e hidráulica. VISÃO Ser referência de qualidade

Leia mais

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA ESTIMATIVA

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA ESTIMATIVA MÊS DE REFERÊNCIA DOS S: MAIO / 2009 ITEM MATERIAL UN QUANT. 1 REDE DE DISTRIBUIÇÃO: Rede de distribuição a ser executada parte no sistema embutido e parte no sistema aparente com eletroduto de pvc, fiação,

Leia mais

Medição agrupada para fornecimento em tensão secundária de distribuição SUMÁRIO

Medição agrupada para fornecimento em tensão secundária de distribuição SUMÁRIO SUMÁRIO 1. OBJETIVO 2. CAMPO DE APLICAÇÃO 3. REFERÊNCIAS 4. TERMINOLOGIA 5. CONDIÇÕES GERAIS 6. LIMITE DE LIGAÇÃO 7. DIMENSIONAMENTO 8. ESQUEMA DE LIGAÇÃO 9. APRESENTAÇÃO DE PROJETOS E DOCUMENTOS TÉCNICOS

Leia mais

CC-MD10 INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

CC-MD10 INSTALAÇÕES ELÉTRICAS CC-MD10 INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INTRODUÇÃO O presente Memorial descreve e especifica os requisitos mínimos para o fornecimento de materiais e serviços para Desativação com remoção de dois transformadores

Leia mais

O presente documento contém as alterações, correções e inclusões da versão anterior, contempladas na versão 1.2, de junho de 2014.

O presente documento contém as alterações, correções e inclusões da versão anterior, contempladas na versão 1.2, de junho de 2014. O presente documento contém as alterações, correções e inclusões da versão anterior, contempladas na versão 1.2, de junho de 2014. TEXTO 3.16 Condutor de proteção Condutor que liga as massas e os elementos

Leia mais

Convite: 073/2011 ABERTURA REALIZADA

Convite: 073/2011 ABERTURA REALIZADA Públicas Estado do Rio Grande do Sul Prefeitura Municipal Do Rio Grande Gabinete de Compras e Licitações Convite: 073/2011 ABERTURA REALIZADA Em: 12/ 09 / 2011 14:00 horas Transcrevemos abaixo M A o P

Leia mais

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD - 3.06 PADRÃO DE CAIXAS DE MEDIÇÃO, PROTEÇÃO E DERIVAÇÃO PARA MEDIÇÃO INDIVIDUAL E AGRUPADA 2ª EDIÇÃO JULHO - 2012 DIRETORIA DE ENGENHARIA SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO

Leia mais

[Ano] Levantamento de Cargas. Campus Virtual Cruzeiro do Sul

[Ano] Levantamento de Cargas. Campus Virtual Cruzeiro do Sul [Ano] Levantamento de Cargas Unidade - Levantamento de Cargas MATERIAL TEÓRICO Revisão Textual: Profa. Dr. Patricia Silvestre Leite Di Iorio 2 Apresentação Como apresentado, os conceitos vistos na Unidade

Leia mais

Banco de Reguladores de Tensão para Rede de Distribuição

Banco de Reguladores de Tensão para Rede de Distribuição INSTALAÇÃO FASE A: N O Data Revisões Visto Vanderlei Robadey Página 1 de 6 INSTALAÇÃO FASE B: N O Data Revisões Visto Vanderlei Robadey Página 2 de 6 INSTALAÇÃO FASE C: N O Data Revisões Visto Vanderlei

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA MEMORIAL DESCRITIVO E JUSTIFICATIVO DE CÁLCULO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EM MÉDIA TENSÃO 13.8KV CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA RUA OSVALDO PRIMO CAXILÉ, S/N ITAPIPOCA - CE 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO DE T Í T U L O NORMA DE DISTRIBUIÇÃO FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO DE VERSÃO Nº APROVAÇÃO DATA DATA DA VIGÊNCIA FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA

Leia mais

ENERGIA EM SUA CASA CONHEÇA AS NORMAS E FAÇA UMA INSTALAÇÃO CORRETA E 100% SEGURA.

ENERGIA EM SUA CASA CONHEÇA AS NORMAS E FAÇA UMA INSTALAÇÃO CORRETA E 100% SEGURA. ENERGIA EM SUA CASA Recon BT/2013 Regulamentação para o Fornecimento de Energia Elétrica a Consumidores em Baixa Tensão CONHEÇA AS NORMAS E FAÇA UMA INSTALAÇÃO CORRETA E 100% SEGURA. Regulamentação para

Leia mais

A melhor opção em quadros de distribuição de energia

A melhor opção em quadros de distribuição de energia A melhor opção em quadros de distribuição de energia Fabricado no Brasil SIMBOX XF Quadros de distribuição de energia www.siemens.com.br/simboxxf SIMBOX XF Por fora, muito design... Primeira linha de quadros

Leia mais

UNIDADE MÓVEL SOBRE A PLATAFORMA DE UM ÔNIBUS BIARTICULADO. Módulo 2

UNIDADE MÓVEL SOBRE A PLATAFORMA DE UM ÔNIBUS BIARTICULADO. Módulo 2 UNIDADE MÓVEL SOBRE A PLATAFORMA DE UM ÔNIBUS BIARTICULADO Módulo 3 Módulo FRENTE MEDIDAS: Comprimento Total 2,0 m Comprimento módulo, m Comprimento módulo 2,00 m Comprimento módulo 3,0 m Largura 2,3 m

Leia mais