CÓDIGO TÍTULO VERSÃO CONJUNTO BLINDADO PARA SUBESTAÇÃO DE ENTRADA DE ENERGIA ELÉTRICA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CÓDIGO TÍTULO VERSÃO CONJUNTO BLINDADO PARA SUBESTAÇÃO DE ENTRADA DE ENERGIA ELÉTRICA"

Transcrição

1 SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO ESPECIFICAÇÃO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO ES.DT.PDN APROVADO POR PAULO JORGE TAVARES DE LIMA ENGENHARIA - SP

2 SUMÁRIO 1. OBJETIVO HISTÓRICO DAS REVISÕES APLICAÇÃO REFERÊNCIAS EXTERNAS DEFINIÇÕES DESCRIÇÃO E RESPONSABILIDADES Condições Gerais Condições de Operação Características Construtivas Instruções Técnicas e desenhos Desvios à Especificação Embalagem e Transporte Processo de cadastramento do Fabricante e dos Produtos Análise do projeto e desenhos Análise e acompanhamento dos ensaios Apresentação e Demonstração do produto Mudança no projeto do protótipo Inspeção Generalidades Ensaios de Tipo Ensaios de Rotina Ensaios de Conformidade Relatórios de ensaios Garantia Cadastramento do fabricante e/ou produto Recadastramento do fabricante e/ou produto Responsabilidade do fabricante pelos conjuntos blindados instalados REGISTROS DA QUALIDADE ANEXOS... 8 PÁGINA 2 DE 8

3 1. OBJETIVO Estabelecer os critérios e as exigências técnicas mínimas aplicáveis à fabricação e ao recebimento dos Conjuntos Blindados destinados às Subestações de Energia Elétrica até a tensão de 34,5 kv dos Clientes da EDP Bandeirante. 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES Versão Início da Vigência Responsáveis Seções atingidas / Descrição 01 25/08/2015 Elaboração: - Edson Yakabi, Camila Volpi Pinto Aprovação: - Paulo Jorge Tavares de Lima Emissão inicial. Esse documento substitui a ES.PN APLICAÇÃO Esta especificação aplica-se à EDP Bandeirante. 4. REFERÊNCIAS EXTERNAS Os conjuntos blindados devem satisfazer às condições exigidas nesta Especificação e as seguintes Normas em sua última revisão: NBR IEC NBR Conjunto de manobra e controle de alta-tensão Parte 200: Conjunto de manobra e controle de alta-tensão em invólucro metálico para tensões acima de 1 kv até e inclusive 52 kv Instalações elétricas de Média Tensão de 1,0 kv a 36,2 kv 5. DEFINIÇÕES Para os efeitos desta Especificação Técnica são adotadas as definições: ART Anotação de Responsabilidade Técnica Concessionárias Documento a ser apresentado pelo profissional habilitado que comprove a sua responsabilidade pelo projeto e/ou execução da obra. Empresas Distribuidoras de Energia Elétrica do Grupo EDP no Brasil. 6. DESCRIÇÃO E RESPONSABILIDADES 6.1. Condições Gerais Condições de Operação O equipamento deve ser fornecido para utilização sob as seguintes condições ambientais: Altitude máxima de metros Temperatura mínima de 40 C Temperatura máxima de + 85 C 6.2. Características Construtivas O conjunto blindado deverá estar de acordo com a NBR IEC O compartimento para abrigar os instrumentos de medição da Concessionária deverá possuir comprimento mínimo de 750 mm e largura mínima de 1000 mm, suficiente para a instalação dos equipamentos. PÁGINA 3 DE 8

4 Na análise do compartimento dos instrumentos de medição serão considerados a facilidade de instalação, retirada, operação e manutenção dos instrumentos. Os componentes do conjunto que serão analisados são: Módulo de entrada; Módulo de medição; Módulo de proteção. A concepção e filosofia do conjunto blindado deverão estar de acordo com o Padrão Técnico de fornecimento de energia elétrica em tensão primária de distribuição. A caixa de medição deverá ser instalada no mesmo recinto e próximo do conjunto blindado (em frente ao módulo de medição), não sendo de análise desse processo Instruções Técnicas e desenhos O fabricante deve fornecer em arquivo digital, o projeto, instruções técnicas, catálogos e outros dados dos equipamentos, além de informações completas dos materiais usados na construção dos mesmos. Os fabricantes devem informar se alguns dos materiais utilizados necessitam de cuidados especiais durante a instalação, operação ou manutenção Desvios à Especificação Quando os equipamentos propostos apresentarem divergências em relação a esta especificação técnica, o interessado deverá submeter os desvios à prévia aprovação das Concessionárias. As Concessionárias não se responsabilizam pela fabricação dos equipamentos em desacordo com a presente especificação técnica Embalagem e Transporte A embalagem deve ser adequada para todos os tipos de transportes envolvidos entre o local de fabricação e entrega, evitando danos para qualquer parte do equipamento durante o mesmo. O fabricante deverá orientar e supervisionar a instalação do conjunto blindado Processo de cadastramento do Fabricante e dos Produtos O processo de cadastramento dos conjuntos blindados será composto das seguintes etapas: a) Análise prévia do projeto e desenhos b) Análise e acompanhamento dos ensaios c) Apresentação e demonstração do produto Caso todas as etapas sejam aprovadas pela EDP Bandeirante, o fabricante e os respectivos modelos dos conjuntos blindados serão cadastrados para fornecimento aos clientes da EDP Bandeirante. Ao final do processo, o Fabricante deverá enviar a Gestão de Engenharia toda a documentação com as alterações solicitadas e aprovadas pela EDP Bandeirante Análise do projeto e desenhos O fabricante deverá enviar o projeto, desenhos, catálogos e outros documentos técnicos do produto a ser cadastrado. Todos os documentos deverão ser em arquivo digital. Nessa etapa será analisada a concepção do projeto, a composição dos módulos e o sistema de fixação (instalação e retiradas) dos instrumentos de medição. Deverá ser apresentado o projeto detalhado do equipamento, diagrama unifilares, funcionais e de comando. No projeto deverão estar detalhados os seguintes módulos: Módulo de entrada; Módulo de medição; Módulo de proteção. Deverá ser enviado também a ART do produto e os dados cadastrais do fabricante. PÁGINA 4 DE 8

5 O projeto e a ART deverão ser unicamente para o cadastramento do equipamento Análise e acompanhamento dos ensaios O fabricante deverá enviar os relatórios de todos os ensaios exigidos nessa especificação técnica e os resultados deverão estar aprovados de acordo com a NBR IEC Os relatórios deverão ser em arquivo digital, em caso de dúvida será exigido o relatório original em papel, emitido pelo órgão oficial. A EDP Bandeirante reserva-se no direito de acompanhar os ensaios, conforme item 6.8 dessa especificação Apresentação e Demonstração do produto Será exigida a apresentação dos modelos a serem cadastrados pela EDP Bandeirante. Será analisado se o produto corresponde ao projeto apresentado e se o sistema de compartilhamento de medição satisfez as necessidades da área de medição, quanto ao seu sistema de fixação dos instrumentos e sistema de lacração. A apresentação e demonstração do produto deverão ser realizadas na fábrica do conjunto blindado ou uma das sedes do fabricante. No caso da fábrica situa-se na área de concessão da EDP Bandeirante ou na região da Grande São Paulo (Capital), os representantes da EDP Bandeirante irão deslocar-se até a fábrica. Entretanto se a fábrica localizar-se fora da região acima, ficam a expensas do fabricante todas as despesas de deslocamento e estadia do(s) representante(s) das Concessionárias. O fabricante deve comunicar às Concessionárias, com a antecedência mínima de 15 dias úteis, a data que o equipamento estará pronto para a inspeção Mudança no projeto do protótipo Qualquer alteração no projeto, desenho ou características do protótipo aprovado deverá ser comunicado às Concessionárias, que analisará as mudanças e caso julgue necessário exigirá o início do processo de cadastramento. A EDP Bandeirante reserva-se no direito de retirar do seu cadastro nos seguintes casos: a. Irregularidade encontrada no equipamento fornecido ao cliente; b. Itens em desacordo com essa especificação técnica ou com o padrão de fornecimento; c. Ocorrência de mau desempenho do produto, mesmo que tenha sido aprovado anteriormente Inspeção Generalidades Os ensaios deverão ser realizados nas instalações e laboratório do fabricante. Os equipamentos, ferramentas e instrumentos utilizados deverão ser certificados pela RBC (Rede Brasileira de Calibração). Quando não for possível realizar os ensaios de tipo nas instalações do fabricante, por qualquer motivo, os mesmos deverão ser realizados nos laboratórios pertencentes à RBLE - Rede Brasileira de Laboratórios de Ensaios. A EDP Bandeirante reserva-se o direito de enviar os representantes para acompanhar os ensaios. Em qualquer fase de fabricação, o inspetor deve ter acesso durante as horas de serviço, a todas as partes da fábrica onde os equipamentos estejam sendo fabricados. Em caso de dúvida, o inspetor reserva o direito de solicitar uma nova inspeção, bem como repetir qualquer ensaio sem ônus para as Concessionárias. Nos ensaios de rotina, o Fabricante deve propiciar, às suas expensas, todos os meios necessários, inclusive pessoal auxiliar, para que o inspetor possa certificar-se de que o material está de acordo com a presente especificação. Todas as despesas (incluindo deslocamento e estadia) do(s) representante(s) das concessionárias ficarão por conta do fabricante. Nos ensaios de tipo, ficam a expensas do fabricante todas as despesas decorrentes das amostras, equipamentos, acessórios, deslocamento, estadia do(s) representante(s) das Concessionárias, bem como, a realização dos ensaios previstos nesta Especificação, independente do local de realização dos mesmos. PÁGINA 5 DE 8

6 O fabricante deve comunicar às Concessionárias, com a devida antecedência, a data que o equipamento estará pronto para a inspeção. Os ensaios de tipo realizados por organismos internacionais também poderão ser aceitos, a critério do Grupo EDP no Brasil, entretanto os relatórios devem ser traduzidos para a língua portuguesa Ensaios de Tipo Antes de qualquer fornecimento, o protótipo deve ser avaliado através da realização dos ensaios de tipo indicados abaixo, cabendo às empresas Distribuidoras do Grupo EDP no Brasil o direito de designar um inspetor para acompanhá-los. Os ensaios de tipo são conforme item 6 da NBR IEC Os roteiros de testes e ensaios deverão ser detalhados e não depender de consulta a outros documentos técnicos Ensaios de Rotina Os ensaios de rotina são conforme item 7 da NBR IEC Ensaios de Conformidade A EDP Bandeirante poderá solicitar a qualquer momento, ensaios de conformidade no equipamento, para verificar a qualidade estabelecida nos ensaios de tipo Relatórios de ensaios 6.9. Garantia Devem ser encaminhados a Concessionária os laudos dos ensaios. Devem constar dos relatórios, no mínimo, as seguintes informações: a) Nome e/ou marca comercial do fabricante; b) Identificação do laboratório de ensaio; c) Identificação completa do material ensaiado; d) Relação, descrição e resultado dos ensaios executados e respectivas normas utilizadas; e) Referência a esta norma; f) Data de início e de término de cada ensaio; g) Documentação fotográfica de perfil de cada produto ensaiado (destacando logomarca de fabricante e lote de fabricação, mostrando em foto única). h) Nomes legíveis e assinaturas dos respectivos representantes do fabricante, representante do Laboratório, do inspetor da Concessionária e data de emissão do relatório. Os conjuntos blindados deverão ser garantidos pelo fabricante contra falhas ou defeitos de projeto que venham a ocorrer no período mínimo de 24 (vinte e quatro) meses contados a partir da data da entrega ao cliente comprador. No decurso do prazo de garantia, o fabricante se compromete a reparar todos os defeitos de fabricação que venham a ocorrer e, se necessário, a substituir o conjunto blindado defeituoso às suas expensas, responsabilizando-se por todos os custos decorrentes, sejam de material, de mão-de-obra ou de transporte. Se a falha ou defeito constatado for oriundo de erro de projeto ou de produção, tal que comprometa todas as unidades do lote, o fabricante deverá substituí-los a qualquer tempo, independentemente da ocorrência de defeito em cada um deles e independentemente dos prazos de garantia estipulados. O não cumprimento de qualquer condição relacionada à garantia do produto se constituirá em motivo para descadastramento permanente do produto e do fabricante Cadastramento do fabricante e/ou produto O cadastramento do fabricante e/ou produto será realizado mediante o atendimento as características construtivas constantes nesta especificação. PÁGINA 6 DE 8

7 De igual modo, o fornecedor deverá atender os requisitos de avaliação fabril e atendimento às normas indicadas pela EDP Bandeirante. A relação completa de exigências para o cadastramento do fabricante e/ou produto serão disponibilizadas no site da distribuidora e/ou enviadas ao fabricante após solicitação formal, realizada pelo O cadastramento do fabricante e/ou produto deverá ser solicitado pelo Recadastramento do fabricante e/ou produto O fabricante deverá efetuar obrigatoriamente o recadastramento anualmente. Para o recadastramento o fabricante deverá encaminhar, entre o período do 4º mês ao 6º mês do ano vigente, os seguintes documentos: Termo de responsabilidade com Reconhecimento de Firma; Cópia Autenticada da Certidão de Registro de Pessoa Jurídica atualizada do fabricante (expedido pelo CREA); Cópia Autenticada da Anotação de Responsabilidade Técnica atualizada do Engenheiro Responsável pelo produto (expedido pelo CREA); Caso haja alguma alteração nos dados cadastrais encaminhar Ficha Cadastral preenchida de modo perfeitamente legível; No caso de solicitação da Concessionária cópia autenticada dos Laudos de Ensaios dos produtos a serem recadastrados; Caso o prazo de validade da certificação NBR ISO 9001 esteja vencido, o fabricante também deverá fornecer cópia autenticada desses documentos com a devida atualização. Caso algum documento relacionado nessa especificação não seja encaminhado no prazo determinado no mesmo e/ou, seja encaminhado documento em desconformidade (desatualizado, não autenticado e/ou prazo de validade expirado), a Concessionária reserva o direito de Excluí-lo da Relação dos Fabricantes Cadastrados, sem prévio aviso. Toda e qualquer alteração do conjunto blindado deverá ser comunicada à Concessionária para análise e aprovação da mesma. Caso seja detectada qualquer não conformidade do(s) produto(s) com esta especificação, os laudos de ensaios serão invalidados automaticamente e o cadastro do fabricante e seus produtos serão suspensos, inclusive do site da Concessionária. Caso o fabricante não apresente em 6 (seis) meses justificativas válidas quanto a não conformidade, a Concessionária reserva o direito de Excluí-lo em Caráter Definitivo da Relação dos Fabricantes Cadastrados, sem prévio aviso. A Concessionária reserva o direito de descadastrar automaticamente o Fabricante e seus produtos cadastrados, quando o mesmo não atender a algum item dessa especificação Responsabilidade do fabricante pelos conjuntos blindados instalados Não serão aceitos conjuntos blindados construídos com material de fabricantes não cadastrados na Concessionária. Constatada a comercialização dos conjuntos blindados que não atendam aos requisitos desta especificação, a Concessionária reserva o direito de descadastrar o fabricante e todas as ligações que por ventura venha a ocorrer com esse material serão rejeitadas, ficando sob a responsabilidade do fabricante a substituição das mesmas, e todo custo inerente aos clientes envolvidos e/ou terceiros. Havendo prejuízos causados a terceiros ou a Concessionária em decorrência de falha de material, fabricação e/ou método de instalação utilizado pelo fabricante, este responderá pelos danos físicos e materiais, bem como por qualquer demanda judicial, civil ou criminal. 7. REGISTROS DA QUALIDADE Não aplicável. PÁGINA 7 DE 8

8 8. ANEXOS Não aplicável. PÁGINA 8 DE 8

Sistema Normativo Corporativo

Sistema Normativo Corporativo Sistema Normativo Corporativo ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA VERSÃO Nº ATA Nº DATAA DATA DA VIGÊNCIA 00-30/07/2012 30/07/2012 APROVADO POR Edson Hideki Takauti SUMÁRIO 1. RESUMO... 3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES...

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 21 PROCEDIMENTOS PARA HOMOLOGAÇÃO DE CON- JUNTOS BLINDADOS PARA UTILIZAÇÃO EM SEE

COMUNICADO TÉCNICO Nº 21 PROCEDIMENTOS PARA HOMOLOGAÇÃO DE CON- JUNTOS BLINDADOS PARA UTILIZAÇÃO EM SEE 1 COMUNICADO TÉCNICO Nº 21 PROCEDIMENTOS PARA HOMOLOGAÇÃO DE CON- JUNTOS BLINDADOS PARA UTILIZAÇÃO EM SEE 2 1. OBJETIVO Comunicar os procedimentos que devem ser adotados para homologação de conjuntos blindados

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA HOMOLOGAÇÃO DE CONJUNTOS BLINDADOS DE MÉDIA TENSÃO PARA UTILIZAÇÃO EM SEE

PROCEDIMENTO PARA HOMOLOGAÇÃO DE CONJUNTOS BLINDADOS DE MÉDIA TENSÃO PARA UTILIZAÇÃO EM SEE CT-21 PROCEDIMENTO PARA HOMOLOGAÇÃO DE CONJUNTOS BLINDADOS DE MÉDIA TENSÃO PARA UTILIZAÇÃO EM SEE Comunicado Técnico Diretoria de Planejamento, Engenharia e Obras da Distribuição Gerência de Tecnologia

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA POSTES DE CONCRETO ARMADO PARA REDE DE DISTRIBUIÇÃO

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA POSTES DE CONCRETO ARMADO PARA REDE DE DISTRIBUIÇÃO Sistema Normativo Corporativo ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA VERSÃO Nº ATA Nº DATA DATA DA VIGÊNCIA 02-13/01/2010 13/01/2010 APROVADO POR Sebastião J. Santolin SUMÁRIO 1. RESUMO... 3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES...

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO ES.DT.PDN ISOLADORES TIPO ROLDANA EM PORCELANA 01

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO ES.DT.PDN ISOLADORES TIPO ROLDANA EM PORCELANA 01 SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO ES.DT.PDN.01.01.093 01 APROVADO POR MARCELO POLTRONIERI ENGENHARIA-ES PAULO J. TAVARES LIMA ENGENHARIA-SP SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES...

Leia mais

DIRETORIA SUPERINTENDENTE EIP GERÊNCIA DE SUPRIMENTOS 01 ESPECIFICAÇÃO DE IDENTIFICAÇÃO 02-18/03/96 PRODUTO CONTROLE DE DISTRIBUIÇÃO

DIRETORIA SUPERINTENDENTE EIP GERÊNCIA DE SUPRIMENTOS 01 ESPECIFICAÇÃO DE IDENTIFICAÇÃO 02-18/03/96 PRODUTO CONTROLE DE DISTRIBUIÇÃO GERÊNCIA DE SUPRIMENTOS 01 CONTROLE DE DISTRIBUIÇÃO ÁREA SIGLA DATA DISTRIBUIÇÃO Compras Suc GERÊNCIA DE SUPRIMENTOS 02 GERÊNCIA DE SUPRIMENTOS 01/01 ÍNDICE DE REVISÕES REVISÃO DATA MOTIVO/DESCRIÇÃO 0

Leia mais

Sistema Normativo Corporativo

Sistema Normativo Corporativo Sistema Normativo Corporativo ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA POSTES DE VERSÃO Nº ATA Nº DATAA DATA DA VIGÊNCIA 01-24/08/2012 24/08/2012 APROVADO POR Edson Hideki Takauti SUMÁRIO 1. RESUMO... 3 2. HISTÓRICO DAS

Leia mais

Número: EEM Rev.: 0 Fl. 1/6

Número: EEM Rev.: 0 Fl. 1/6 Número: EEM 80998 Rev.: 0 Fl. 1/6 REV DATA HISTÓRICO DAS REVISÕES EMITIDO APROVADO 00 06/10/2015 Emissão inicial em substituição a especificação EEM 80998 Rev07 Gerson Andreoti Coordenador CQ Mário Alonso

Leia mais

S i s t e m a N o r m a t i vo Corporativo

S i s t e m a N o r m a t i vo Corporativo S i s t e m a N o r m a t i vo Corporativo PADRÃO TÉCNICO VERSÃO Nº DELIBERAÇÃO Nº APROVAÇÃO DATA DATA DE PUBLICAÇÃO 01-06/08/2014 06/08/2014 APROVADO POR RODNEY PEREIRA MENDERICO JÚNIOR DTES-BD SUMÁRIO

Leia mais

Sistema Normativo Corporativo

Sistema Normativo Corporativo Sistema Normativo Corporativo ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA POSTE DE AÇO QUADRADO PARA ENTRADA DE CLIENTES VERSÃO Nº ATA Nº DATA DATA DA VIGÊNCIA 00-30/04/2009 30/04/2009 APROVADO POR José Rubens Macedo Junior

Leia mais

HOMOLOGAÇÃO DE MARCAS DE TUBOS E CONEXÕES DE PVC

HOMOLOGAÇÃO DE MARCAS DE TUBOS E CONEXÕES DE PVC PROCEDIMENTO GERÊNCIA DE LOGÍSTICA DIVISÃO DE SUPRIMENTOS Data de Aprovação: 11.10.2006 Doc. de Aprovação:Res. nº 4720/2006 HOMOLOGAÇÃO DE MARCAS DE TUBOS E CONEXÕES DE PVC SUMÁRIO 1- OBJETIVO...02 2-

Leia mais

DIRETORIA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS ESO TECNOLOGIA 01 ESPECIFICAÇÃO DE SUPRIMENTO 06-31/05/00 DE OPERAÇÃO CONTROLE DE DISTRIBUIÇÃO

DIRETORIA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS ESO TECNOLOGIA 01 ESPECIFICAÇÃO DE SUPRIMENTO 06-31/05/00 DE OPERAÇÃO CONTROLE DE DISTRIBUIÇÃO TECNOLOGIA 01 CONTROLE DE DISTRIBUIÇÃO ÁREA SIGLA DATA DISTRIBUIÇÃO Suprimentos As Geraldo Fernandes - Ot Maria Célia Abreu - Ot TECNOLOGIA 1/06 ÍNDICE DE REVISÕES REVISÃO DATA MOTIVO/DESCRIÇÃO 00 12/07/89

Leia mais

Número: EMP Rev.: 0 Fl. 1/5

Número: EMP Rev.: 0 Fl. 1/5 Número: EMP 82501 Rev.: 0 Fl. 1/5 REV DATA HISTÓRICO DAS REVISÕES EMITIDO APROVADO 00 26/07/2016 Emissão inicial. Robson Rodrigues Qualidade do Material Mário César Engenharia de Produto Número: EMP 82501

Leia mais

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO REDES DE DISTRIBUIÇÃO CONDIÇÕES ESPECÍFICAS PARA CONDOMÍNIOS E LOTEAMENTOS FECHADOS

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO REDES DE DISTRIBUIÇÃO CONDIÇÕES ESPECÍFICAS PARA CONDOMÍNIOS E LOTEAMENTOS FECHADOS SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO PADRÃO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO PT.DT.PDN.03.05.021 PARA CONDOMÍNIOS E LOTEAMENTOS FECHADOS 01 APROVADO POR PAULO JORGE TAVARES DE LIMA ENGENHARIA - SP SUMÁRIO 1. OBJETIVO...

Leia mais

DIRETORIA GERAL NÚMERO EEM TECNOLOGIA FOLHA 1/13 ESPECIFICAÇÃO DE EMBALAGEM ÍNDICE DE REVISÃO

DIRETORIA GERAL NÚMERO EEM TECNOLOGIA FOLHA 1/13 ESPECIFICAÇÃO DE EMBALAGEM ÍNDICE DE REVISÃO TECNOLOGIA FOLHA /3 ÍNDICE DE REVISÃO REVISÃO DATA MOTIVO/DESCRIÇÃO 00 4/03/94 EMISSÃO ORIGINAL. 0 0/07/94 ALT. NOS ITENS 2.6 E 2.7 E ANEXO 2; INC. DO FORN. HOMOL..3.; 02 08/08/05 ALT DO DOCUMENTO PARANOVAFORMATAÇÃO;

Leia mais

NORMA DA DISTRIBUIÇÃO 6.002

NORMA DA DISTRIBUIÇÃO 6.002 Página 1 de 12 NORMA DA DISTRIBUIÇÃO 6.002 APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE INSTALAÇÃO DE GRUPOS GERADORES PARTICULARES Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Planejamento do Sistema Gerência da

Leia mais

DIRETORIA OPERACIONAL NÚMERO EMP TECNOLOGIA FOLHA 1/5 ESPECIFICAÇÃO DE MATÉRIA-PRIMA REV DATA 21-19/12/06 REVISÃO DATA MOTIVO/DESCRIÇÃO

DIRETORIA OPERACIONAL NÚMERO EMP TECNOLOGIA FOLHA 1/5 ESPECIFICAÇÃO DE MATÉRIA-PRIMA REV DATA 21-19/12/06 REVISÃO DATA MOTIVO/DESCRIÇÃO TECNOLOGIA FOLHA 1/5 ÍNDICE DE REVISÕES REVISÃO DATA MOTIVO/DESCRIÇÃO 12 26/04/00 ALT. ITEM 3 (PROPRIEDADES - DIÂMETRO DAS CPC S 81409, 81412, 81415, 81439, 81443, 81444, 81448, 81416 E EXCL. UNIFORM.

Leia mais

(DESENVOLVIMENTO, QUALIFICAÇÃO, MANUTENÇÃO E CONTROLE)

(DESENVOLVIMENTO, QUALIFICAÇÃO, MANUTENÇÃO E CONTROLE) 1/9 (DESENVOLVIMENTO, QUALIFICAÇÃO, MANUTENÇÃO E CONTROLE) Elaborado Aprovado Adilson Ferreira Nunes (Gestor do SGQ) Mauricio de Souza (Supervisor Compras) 2/9 Índice 1. O MANUAL DO FORNECEDOR... 3 INTRUDUÇÃO...

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 46

COMUNICADO TÉCNICO Nº 46 Página 1 de 11 COMUNICADO TÉCNICO Nº 46 LIGAÇÕES ESPECIAIS NA VIA PÚBLICA COM MEDIÇÃO Diretoria de Planejamento e Planejamento Gerência de Engenharia Página 2 de 11 ÍNDICE OBJETIVO...3 1. APLICAÇÃO...4

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 57

COMUNICADO TÉCNICO Nº 57 Página 1 de 14 COMUNICADO TÉCNICO Nº 57 ALTERAÇÃO DO PADRÃO DE CONJUNTOS BLINDADOS PARA LIGAÇÃO DE CLIENTES ATENDIDOS EM MT Diretoria de Engenharia e Serviços Gerência de Engenharia da Distribuição ELABORADO

Leia mais

Processo de Certificação Eletrodomésticos e Similares

Processo de Certificação Eletrodomésticos e Similares Processo de Certificação Eletrodomésticos e Similares Portaria nº 371, de 29 de dezembro de 2009 Objetivo: Avaliação de aparelhos eletrodomésticos e similares, com foco em requisitos de segurança, visando

Leia mais

DIRETORIA GERAL NÚMERO EMP TECNOLOGIA FOLHA 1/05 ESPECIFICAÇÃO DE MATÉRIA-PRIMA REV DATA 14-10/10/06

DIRETORIA GERAL NÚMERO EMP TECNOLOGIA FOLHA 1/05 ESPECIFICAÇÃO DE MATÉRIA-PRIMA REV DATA 14-10/10/06 TECNOLOGIA FOLHA 1/05 ÍNDICE DE REVISÕES REVISÃO DATA MOTIVO/DESCRIÇÃO 07 10/07/00 ALT. NO ITEM 2 (EXCL. DA PROP. COR PADRÃO FICAP S.A. E ALT. NA PROP. COR E APARÊNCIA NA CPC 88017 QUE PASSA PARA COR NATURAL).

Leia mais

REGULAMENTO DE CONFORMIDADE TÉCNICA DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS

REGULAMENTO DE CONFORMIDADE TÉCNICA DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS REGULAMENTO DE CONFORMIDADE TÉCNICA DE (versão 03) MAIO / 2012 Página 1 DIRETORIA DE GESTÃO EMPRESARIAL DGE GERÊNCIA DE LOGÍSTICA GELOG SUPERVISÃO DE CONTROLE DE QUALIDADE DE MATERIAIS SCQ Página 2 SUMÁRIO

Leia mais

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0071 FUSÍVEIS TIPO NH DE BAIXA TENSÃO

Leia mais

SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA CÓDIGO TÍTULO VERSÃO ES.DT.PDN QUADRO DE DISTRIBUIÇÃO COMPACTO (QDC) 01

SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA CÓDIGO TÍTULO VERSÃO ES.DT.PDN QUADRO DE DISTRIBUIÇÃO COMPACTO (QDC) 01 SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO ES.DT.PDN.01.10.002 01 APROVADO POR PAULO J. TAVARES LIMA ENGENHARIA - SP SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 4 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES... 4 3. APLICAÇÃO... 4 4.

Leia mais

NORMA DA DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-011 HOMOLOGAÇÃO DE FORNECEDORES DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS

NORMA DA DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-011 HOMOLOGAÇÃO DE FORNECEDORES DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS NORMA DA DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-011 HOMOLOGAÇÃO DE FORNECEDORES DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS APROVAÇÃO Júlio Cesar Ragone Lopes Diretor Corporativo de Engenharia e Construção Grupo Energisa Gioreli

Leia mais

Número: EEM Rev.: 2 Fl. 1/14

Número: EEM Rev.: 2 Fl. 1/14 Número: EEM-80779 Rev.: 2 Fl. 1/14 REV DATA HISTÓRICO DAS REVISÕES EMITIDO APROVADO 0 06/06/2013 1 15/07/2013 Emissão Inicial, em substituição ao documento EEM80779 revisão 14. Alteração das CPC s 80767

Leia mais

Obtenção de Certificado de Conformidade

Obtenção de Certificado de Conformidade 1/6 Palavras-chave: Certificação, Certificado, Conformidade. Exemplar nº: Sumário 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Documentos complementares 4 Definições 5 Procedimento 6 Formulários 1 Objetivo Este Procedimento

Leia mais

QUALIFICAÇÃO DE EMPRESAS INTERESSADAS EM DESENVOLVER E HOMOLOGAR LIMITADOR HÍBRIDO DE BAIXA TENSÃO.

QUALIFICAÇÃO DE EMPRESAS INTERESSADAS EM DESENVOLVER E HOMOLOGAR LIMITADOR HÍBRIDO DE BAIXA TENSÃO. PROJETO BÁSICO Nº 28/13 UO SEITEC SSituação Recebido pelo SECOM Objeto Data da Criação: 18/12/2013 Data da Autorização pela UO: 01/09/2015 QUALIFICAÇÃO DE EMPRESAS INTERESSADAS EM DESENVOLVER E HOMOLOGAR

Leia mais

PREENCHIMENTO DA PLANILHA DO PROJETO EXPRESSO V 2.0

PREENCHIMENTO DA PLANILHA DO PROJETO EXPRESSO V 2.0 1. OBJETIVO Este informativo técnico tem como objetivo orientar o envio dos documentos e o preenchimento correto da planilha do Projeto Expresso v 2.0. 2. APLICAÇÃO O projeto expresso visa atender as ligações

Leia mais

Obtenção de Certificado de Conformidade

Obtenção de Certificado de Conformidade 1/6 Palavras-chave: Certificação, Certificado, Conformidade. Exemplar nº: Sumário 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Documentos complementares 4 Definições 5 Procedimento Anexo A Formulários 1 Objetivo Este Procedimento

Leia mais

REVISÃO DO LIG AT 2017 ITENS 12.7, 14.1 E

REVISÃO DO LIG AT 2017 ITENS 12.7, 14.1 E CT-69 REVISÃO DO LIG AT 2017 ITENS 12.7, 14.1 E 20. Comunicado Técnico Diretoria de Planejamento, Engenharia e Obras da Distribuição Gerencia de Tecnologia da Distribuição 2 de 10 FOLHA DE CONTROLE Comunicado

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 414/2010 CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO

RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 414/2010 CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 414/2010 CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO Atualizada até a REN 499/2012 Resolução Normativa nº 414 AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL A ANEEL consolidou os direitos e deveres

Leia mais

PQ /04/

PQ /04/ PQ.06 03 02/04/2013 1-5 1. OBJETIVO Estabelecer sistematica para o processo de solicitação, análise crítica e preparação para a avaliação da conformidade. 2. DEFINIÇÕES Modelo de Avaliação da Conformidade:

Leia mais

SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA CÓDIGO TÍTULO VERSÃO ES.DT.PDN POSTE DE CONCRETO COM CAIXA INCORPORADA (PCI) 01

SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA CÓDIGO TÍTULO VERSÃO ES.DT.PDN POSTE DE CONCRETO COM CAIXA INCORPORADA (PCI) 01 SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO ES.DT.PDN.01.10.006 01 APROVADO POR PAULO J. TAVARES LIMA ENGENHARIA - SP SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 4 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES... 4 3. APLICAÇÃO... 4 4.

Leia mais

EDITAL DE PADRONIZAÇÃO E CADASTRO DE MARCAS DE REAGENTES PARA ANÁLISES QUÍMICAS, DE USO PELO DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTOS - DMAE

EDITAL DE PADRONIZAÇÃO E CADASTRO DE MARCAS DE REAGENTES PARA ANÁLISES QUÍMICAS, DE USO PELO DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTOS - DMAE GERÊNCIA DE LICITAÇÕES E CONTRATOS EDITAL DE PADRONIZAÇÃO E CADASTRO DE MARCAS DE REAGENTES PARA ANÁLISES QUÍMICAS, DE USO PELO - DMAE PROCESSO ADMINISTRATIVO N.º 003.000422.13.4 O (DMAE), através da Gerência

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Item Descrição Unid. BATERIA 12v 100 A/H RT 100 LE, para caminhão VOLKSWAGEM MODELO 13180, ano fabricação 2008.

TERMO DE REFERÊNCIA. Item Descrição Unid. BATERIA 12v 100 A/H RT 100 LE, para caminhão VOLKSWAGEM MODELO 13180, ano fabricação 2008. FUNDO NACION DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA. OBJETO. Aquisição de BATERIA 2v, 00 a/h RT 00 LE, para uso em veículo oficial pesado, de acordo com os critérios estabelecidos neste Termo

Leia mais

DIRETORIA GERAL NÚMERO EMP TECNOLOGIA FOLHA 1/07 ESPECIFICAÇÃO DE MATÉRIA-PRIMA

DIRETORIA GERAL NÚMERO EMP TECNOLOGIA FOLHA 1/07 ESPECIFICAÇÃO DE MATÉRIA-PRIMA TECNOLOGIA FOLHA 1/07 ÍNDICE DE REVISÕES REVISÃO DATA MOTIVO/DESCRIÇÃO 02 02/02/88 INCL. DO FORNECEDOR APROVADO N O 3. 03 23/03/89 ALT. GERAL DA ESPECIFICAÇÃO. 04 22/06/89 ALT. NA NUMERAÇÃO DA EMP; ALT.

Leia mais

a) NBR Medidores eletrônicos de energia elétrica Especificação; b) NBR Medidores eletrônicos de energia elétrica Método de Ensaio;

a) NBR Medidores eletrônicos de energia elétrica Especificação; b) NBR Medidores eletrônicos de energia elétrica Método de Ensaio; MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE SERVIÇOS E CONSUMIDORES SUBSISTEMA MEDIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-321.0014 REQUISITOS GERAIS PARA MEDIDORES ELETRÔNICOS DE ENERGIA ELÉTRICA 1/14 1. FINALIDADE Estabelecer os requisitos

Leia mais

ANEXO B CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE LABORATÓRIOS NÃO ACREDITADOS

ANEXO B CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE LABORATÓRIOS NÃO ACREDITADOS Rev. Outubro/2011 Página 1 de 6 Conforme anexo B da NIT DICOR 024 rev. 03 de fevereiro/2010 - Critérios para a Acreditação de Organismo de Certificação de Produto e de Verificação de Desempenho de Produto.

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE PERNAMBUCO DIRETORIA DE INFRAESTRUTURA. ANEXO l TERMO DE REFERÊNCIA

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE PERNAMBUCO DIRETORIA DE INFRAESTRUTURA. ANEXO l TERMO DE REFERÊNCIA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE PERNAMBUCO DIRETORIA DE INFRAESTRUTURA ANEXO l TERMO DE REFERÊNCIA AQUISIÇÃO DE MATERIAIS ELETRICOS A SEREM UTILIZADOS NA CENTRAL DE AUDIÊNCIAS ALA NORTE DO 5 PAVIMENTO

Leia mais

Submódulo 1.1 Adesão à CCEE. Módulo 2 Medição. Submódulo 2.1 Coleta e ajuste de dados de medição

Submódulo 1.1 Adesão à CCEE. Módulo 2 Medição. Submódulo 2.1 Coleta e ajuste de dados de medição Submódulo 1.1 Adesão à CCEE Módulo 2 Medição Submódulo 2.1 Coleta e ajuste de dados de medição 1 Submódulo 2.1 Coleta e ajuste ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. OBJETIVO 3. PREMISSAS 4. LISTA DE DOCUMENTOS 5. FLUXO

Leia mais

PADRÃO TÉCNICO SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA PT.DT.PDN COM CABOS BAIXA TENSÃO PRÉ-REUNIDOS

PADRÃO TÉCNICO SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA PT.DT.PDN COM CABOS BAIXA TENSÃO PRÉ-REUNIDOS SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO PADRÃO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO PT.DT.PDN.03.05.009 01 APROVADO POR PAULO JORGE TAVARES DE LIMA ENGENHARIA E CADASTRO-SP SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES...

Leia mais

REGULAMENTO PROGRAMA FIDELIDADE PROTENSE

REGULAMENTO PROGRAMA FIDELIDADE PROTENSE REGULAMENTO PROGRAMA FIDELIDADE PROTENSE PROTENSE SOLUÇÕES EMPRESARIAIS LTDA, pessoa jurídica de direito privado, devidamente inscrita no CNPJ/MF sob o nº 13.036.592/0001-43, com sede na Rua Santa Cruz,

Leia mais

Leitor LE230 VERSÃO DO MANUAL

Leitor LE230 VERSÃO DO MANUAL Leitor LE230 VERSÃO DO MANUAL 1.2 de 18/11/2013 8748 Sumário 1. Apresentação... 3 2. Itens que Acompanham... 3 3. Especificações Técnicas... 3 4. Características Gerais... 4 5. Visão geral do Equipamento...

Leia mais

Procedimento Operacional Nome do procedimento: Calibração, Aferição, Instrumentação e Ferramentaria Data da Revisão: 24/04/2012

Procedimento Operacional Nome do procedimento: Calibração, Aferição, Instrumentação e Ferramentaria Data da Revisão: 24/04/2012 Data da 1/ 7 Nº revisão Descrição da Revisão 00 Elaboração inicial do documento 01 Alteração dos números dos Registros e inclusão do Item 4 Diretoria de Negócio Vendas Service SGI Qualidade Suprimentos

Leia mais

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S.A. CERON PREGÃO MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA ANEXO XIII DO EDITAL

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S.A. CERON PREGÃO MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA ANEXO XIII DO EDITAL Eletrobrás MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA ANEXO XIII DO EDITAL Anexo XIII do Pregão Eletrônico n 029/2009 Página 1 de 11 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA TRANSFORMADORES DE CORRENTE AUXILIARES 0,6 KV USO INTERIOR

Leia mais

Título do Documento: Tipo: FECO-NT-01/14. Alterações FECO-D-04 e Compartilhamento de Infra-Estrutura. Nota Técnica

Título do Documento: Tipo: FECO-NT-01/14. Alterações FECO-D-04 e Compartilhamento de Infra-Estrutura. Nota Técnica Título do Documento: Alterações FECO-D-04 e Tipo: FECO-NT-01/14 Nota Técnica Alterações FECO-D-04 e Compartilhamento de Infra-Estrutura NOTA TÉCNICA FECO-NT-01/2014 1 - Alteração da Norma Técnica FECO-D-04,

Leia mais

DIRETORIA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS CONTROLE DE DISTRIBUIÇÃO

DIRETORIA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS CONTROLE DE DISTRIBUIÇÃO DIRETORIA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS EEM.89236 TECNOLOGIA 01 CONTROLE DE DISTRIBUIÇÃO ÁREA SIGLA DATA DISTRIBUIÇÃO Suprimentos As Sandra Tostes - Ot Maria Célia Abreu - Ot TECNOLOGIA 1/7 ÍNDICE DE REVISÕES

Leia mais

ORIENTAÇÕES QUANTO A DOCUMENTOS QUE DEVEM INSTRUIR O REQUERIMENTO DE HOMOLOGAÇÃO DE PRODUTOS PARA TELECOMUNICAÇÕES.

ORIENTAÇÕES QUANTO A DOCUMENTOS QUE DEVEM INSTRUIR O REQUERIMENTO DE HOMOLOGAÇÃO DE PRODUTOS PARA TELECOMUNICAÇÕES. AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES SUPERINTENDÊNCIA DE RADIOFREQÜÊNCIA E FISCALIZAÇÃO GERÊNCIA GERAL DE CERTIFICAÇÃO E ENGENHARIA DO ESPECTRO GERÊNCIA DE CERTIFICAÇÃO INSTRUMENTO DE GESTÃO DOC.IG/06

Leia mais

REGULAMENTO DE ASSOCIAÇÃO A ABF CATEGORIA FRANQUEADO

REGULAMENTO DE ASSOCIAÇÃO A ABF CATEGORIA FRANQUEADO REGULAMENTO DE ASSOCIAÇÃO A ABF CATEGORIA FRANQUEADO A SUA EMPRESA NA ABF Obrigado pelo seu interesse em associar a ABF. Este documento contém o Regulamento do Processo de Associação e a descrição detalhada

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Estão discriminados no ANEXO - I do Termo de Referência contido nos autos do processo.

TERMO DE REFERÊNCIA. Estão discriminados no ANEXO - I do Termo de Referência contido nos autos do processo. 1 OBJETO TERMO DE REFERÊNCIA Contratação de empresa especializada na prestação de serviços de Engenharia para Reforma da Casa da Gestante, com fornecimento de material e mão de obra, situado na Avenida

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA LIGAÇÕES PROVISÓRIAS

PROCEDIMENTO PARA LIGAÇÕES PROVISÓRIAS PROCEDIMENTO PARA LIGAÇÕES PROVISÓRIAS 1. Da Resolução Art. 44. É de responsabilidade exclusiva do interessado o custeio das obras realizadas a seu pedido nos seguintes casos: I extensão de rede de reserva;

Leia mais

Termo de Referência 15/2016

Termo de Referência 15/2016 (ISO Em Processo de Implantação) Itapira, 23 de março de 2016. Termo de Referência 15/2016 1. OBJETO Contratação de empresa especializada para a realização de serviços de manutenção eletromecânica preventiva

Leia mais

SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO PADRÃO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO PT.DT.PDN GERAÇÃO INCENTIVADA 01 MARCELO POLTRONIERI ENGENHARIA-ES (DEEE)

SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO PADRÃO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO PT.DT.PDN GERAÇÃO INCENTIVADA 01 MARCELO POLTRONIERI ENGENHARIA-ES (DEEE) SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO PT.DT.PDN.03.05.025 01 APROVADO POR MARCELO POLTRONIERI ENGENHARIA-ES (DEEE) SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES... 3 3. APLICAÇÃO... 3

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA AQUISIÇÃO DE SELOS DE IDENTIFICAÇÃO DA CONFORMIDADE DE PRODUTOS E SERVIÇOS COM CONFORMIDADE AVALIADA

PROCEDIMENTO PARA AQUISIÇÃO DE SELOS DE IDENTIFICAÇÃO DA CONFORMIDADE DE PRODUTOS E SERVIÇOS COM CONFORMIDADE AVALIADA PROCEDIMENTO PARA AQUISIÇÃO DE SELOS DE IDENTIFICAÇÃO DA CONFORMIDADE DE PRODUTOS E SERVIÇOS COM CONFORMIDADE AVALIADA NORMA Nº NIE-DQUAL-142 APROVADA EM NOV/2009 Nº 1/5 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação

Leia mais

trabalho a seguir trata-se de um modelo da parte técnica de um edital de licitação para uma concorrência, tomada de preços ou carta

trabalho a seguir trata-se de um modelo da parte técnica de um edital de licitação para uma concorrência, tomada de preços ou carta O trabalho a seguir trata-se de um modelo da parte técnica de um edital de licitação para uma concorrência, tomada de preços ou carta convite para fornecimento de aduelas (galerias celulares), de concreto

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DOS REPRESENTANTES COMERCIAIS NO ESTADO DA BAHIA CORE-BA. Relação de Serviços e Prazos de Atendimento

CONSELHO REGIONAL DOS REPRESENTANTES COMERCIAIS NO ESTADO DA BAHIA CORE-BA. Relação de Serviços e Prazos de Atendimento Relação de Serviços e Prazos de Atendimento Registros Presencial: 02-dias (certidão) e 15 dias (carteirinha ou certificado). Certidões Imediata Alteração contratual 05 dias úteis Cancelamento de Registro

Leia mais

PROCEDIMENTO CADASTRAL

PROCEDIMENTO CADASTRAL PROCEDIMENTO CADASTRAL SERVIÇOS DE LIMPEZA CONTROLE DE PRAGAS COLETA, TRANSPORTE E DESTINAÇÃO DE RESÍDUOS COLETA, TRANSPORTE E DESTINAÇÃO DE PILHAS E BATERIAS COLETA, TRANSPORTE DESCONTAMINAÇÃO E DESTINAÇÃO

Leia mais

ADEQUAÇÃO DO SISTEMA DE MEDIÇÃO PARA FATURAMENTO DE CLIENTES OPTANTES AO MERCADO LIVRE

ADEQUAÇÃO DO SISTEMA DE MEDIÇÃO PARA FATURAMENTO DE CLIENTES OPTANTES AO MERCADO LIVRE ADEQUAÇÃO DO SISTEMA DE MEDIÇÃO PARA FATURAMENTO DE CLIENTES OPTANTES AO MERCADO LIVRE Junho/2016 1 Objetivo Este documento tem por objetivo estabelecer os procedimentos técnicos relativos à adequação

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE RIO NEGRINHO

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE RIO NEGRINHO EDITAL Nº 005/2016 EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE PESSOAS FÍSICAS E JURÍDICAS PARA INSCRIÇÃO OU RENOVAÇÃO NO CADASTRO DE FORNECEDORES DA. De conformidade com o disposto no artigo 34 da Lei Federal nº 8666, de

Leia mais

GERÊNCIA DE NORMAS E PADRÕES ORIENTAÇÃO TÉCNICA OT-003/2015 (NT , NT , NT

GERÊNCIA DE NORMAS E PADRÕES ORIENTAÇÃO TÉCNICA OT-003/2015 (NT , NT , NT 1 OBJETIVO A presente Orientação Técnica altera e complementa as normas de fornecimento contemplando as mudanças ocorridas em conformidade com as alterações da REN 414/2010 da ANEEL, implementadas através

Leia mais

COTAÇÃO ELETRÔNICA: 053/2012 COMPRASNET. Termo de Referência para Ar Condicionado DESINSTALAÇÃO E INSTALAÇÃO

COTAÇÃO ELETRÔNICA: 053/2012 COMPRASNET. Termo de Referência para Ar Condicionado DESINSTALAÇÃO E INSTALAÇÃO COTAÇÃO ELETRÔNICA: 053/2012 COMPRASNET Termo de Referência para Ar Condicionado DESINSTALAÇÃO E INSTALAÇÃO Unidade Pedro de Toledo Gerência de Serviços ESPECIFICAÇÃO TECNICA DO OBJETO 1- OBJETO Contratação

Leia mais

CONTRATO DE PARTICIPAÇÃO NO PROJETO BÔNUS PARA MOTORES EFICIENTES

CONTRATO DE PARTICIPAÇÃO NO PROJETO BÔNUS PARA MOTORES EFICIENTES CONTRATO Nº CONTRATO DE PARTICIPAÇÃO NO PROJETO BÔNUS PARA MOTORES EFICIENTES A COMPANHIA ENERGÉTICA DE PERNAMBUCO - CELPE, concessionária do serviço público de distribuição de energia elétrica, inscrita

Leia mais

MANUAL DE CONTRATAÇÃO E MONITORAMENTO DE AGENTE DE DEPÓSITO PARA FIDCS

MANUAL DE CONTRATAÇÃO E MONITORAMENTO DE AGENTE DE DEPÓSITO PARA FIDCS MANUAL DE CONTRATAÇÃO E MONITORAMENTO DE AGENTE DE DEPÓSITO PARA FIDCS VERSÃO: DEZEMBRO/2015 Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. PROCESSO DE CONTRATAÇÃO DO AGENTE DE DEPÓSITO... 3 2.1 DA SELEÇÃO... 3 2.2 DOS

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título CORDOALHA DE AÇO

ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título CORDOALHA DE AÇO ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título CORDOALHA DE AÇO Código ETD-00.010 Data da emissão 24.11.1986 Data da última revisão 31.03.2008 Folha 1 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Normas Complementares 3 Definições 4 Condições

Leia mais

CT - 56 SOLICITAÇÃO DE ATENDIMENTO TÉCNICO ATRAVÉS DOS CANAIS DE ATENDIMENTO ELETRÔNICO. Comunicado Técnico. Gerência de Tecnologia da Distribuição

CT - 56 SOLICITAÇÃO DE ATENDIMENTO TÉCNICO ATRAVÉS DOS CANAIS DE ATENDIMENTO ELETRÔNICO. Comunicado Técnico. Gerência de Tecnologia da Distribuição CT - 56 SOLICITAÇÃO DE ATENDIMENTO TÉCNICO ATRAVÉS DOS CANAIS DE ATENDIMENTO ELETRÔNICO Comunicado Técnico Gerência de Tecnologia da Distribuição Gerência de Canais de Relacionamento Gerencia de Clientes

Leia mais

NOVOS PROCEDIMENTOS PARA ATENDIMENTO DE SOLICITAÇÕES TÉCNICAS PARA ATENDER A RESOLUÇÃO NORMATIVA ANEEL N 670 DE 14 DE JULHO DE 2015

NOVOS PROCEDIMENTOS PARA ATENDIMENTO DE SOLICITAÇÕES TÉCNICAS PARA ATENDER A RESOLUÇÃO NORMATIVA ANEEL N 670 DE 14 DE JULHO DE 2015 CT-63 NOVOS PROCEDIMENTOS PARA ATENDIMENTO DE SOLICITAÇÕES TÉCNICAS PARA ATENDER A RESOLUÇÃO NORMATIVA ANEEL N 670 DE 14 DE JULHO DE 2015 Norma Técnica da AES Eletropaulo Diretoria de Planejamento, Engenharia

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA PARA AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE PARA AS EMPRESAS DISTRIBUIDORAS DE GÁS LIQUEFEITO DE PETRÓLEO (GLP) SUMÁRIO & '!

INSTRUÇÃO TÉCNICA PARA AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE PARA AS EMPRESAS DISTRIBUIDORAS DE GÁS LIQUEFEITO DE PETRÓLEO (GLP) SUMÁRIO & '! Página 1 de 11 SUMÁRIO! " #$ % & $! & '! $ " () % %% % ($)& $ Página 2 de 11 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS PÁGINA SUMÁRIO DE MUDANÇA DATA ELABORADO APROVADO Todas Liberação do documento 07/07/2001 Todas Todas

Leia mais

PADRÕES DE ENTRADA MONTADOS PARA LIGAÇÕES INDIVIDUAIS E CAIXAS DE MEDIÇÃO AGRUPADAS PARA LIGAÇÕES COLETIVAS GERÊNCIA DE ENGENHARIA DE DISTRIBUIÇÃO

PADRÕES DE ENTRADA MONTADOS PARA LIGAÇÕES INDIVIDUAIS E CAIXAS DE MEDIÇÃO AGRUPADAS PARA LIGAÇÕES COLETIVAS GERÊNCIA DE ENGENHARIA DE DISTRIBUIÇÃO Página 1 de 24 NTE 8.324 PADRÕES DE ENTRADA MONTADOS PARA LIGAÇÕES INDIVIDUAIS E CAIXAS DE MEDIÇÃO AGRUPADAS PARA LIGAÇÕES COLETIVAS ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DIRETORIA DE ENGENHARIA GERÊNCIA DE ENGENHARIA

Leia mais

E-QP-EIF-062 REV. D 31/Jan/2013 PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO DE FABRICAÇÃO - INSTRUÇÕES AO CANDIDATO GERAL -

E-QP-EIF-062 REV. D 31/Jan/2013 PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO DE FABRICAÇÃO - INSTRUÇÕES AO CANDIDATO GERAL - ETM-CORP ENGENHARIA, TECNOLOGIA E MATERIAIS CORPORATIVO PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO DE FABRICAÇÃO - INSTRUÇÕES AO CANDIDATO GERAL - Os comentários e sugestões referentes a este documento devem ser encaminhados

Leia mais

Prestação de serviço de manutenção e reparo em equipamentos de rede Roteadores.

Prestação de serviço de manutenção e reparo em equipamentos de rede Roteadores. TERMO DE REFERÊNCIA DADOS CADASTRAIS 1-IDENTIFICAÇÃO SOLICITANTE 1.1 Diretoria DR 1.2 Unidade SOR-PB 1.3 Endereço completo da unidade solicitante: AV. Presidente Carlos Luz, 1275 1.5 - Cidade: 1.6 - UF:

Leia mais

Comunicado MS/PM - 051/2016. Assunto: Procedimento para tratamento de obras de Iluminação Pública via modalidade PART.

Comunicado MS/PM - 051/2016. Assunto: Procedimento para tratamento de obras de Iluminação Pública via modalidade PART. Comunicado MS/PM - 051/2016 Assunto: Procedimento para tratamento de obras de Iluminação Pública via modalidade PART. Prezados Senhores, Este comunicado cancela e substitui o Comunicado MS/PG - 043/2016

Leia mais

Projeto Básico CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM RECARGA DE EXTINTORES DE INCÊNDIO

Projeto Básico CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM RECARGA DE EXTINTORES DE INCÊNDIO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo Campus Cubatão Projeto Básico CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM RECARGA DE EXTINTORES DE INCÊNDIO 1. OBJETO

Leia mais

Manutenção Revisão: 02 Página 1 de 6

Manutenção Revisão: 02 Página 1 de 6 Manutenção Revisão: 02 Página 1 de 6 1. HISTÓRICO DE REVISÕES DATA REVISÃO RESUMO DE ALTERAÇÕES 20.08.2013 00 Emissão inicial. Revisão para maior clareza no texto do documento. Adequação da responsabilidade

Leia mais

CERTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA DE COLCHÕES E COLCHONETES DE ESPUMA

CERTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA DE COLCHÕES E COLCHONETES DE ESPUMA CERTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA DE COLCHÕES E COLCHONETES DE ESPUMA Com a publicação da Portaria INMETRO nº 79 - REQUISITOS DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE PARA COLCHÕES E COLCHONETES DE ESPUMA FLEXÍVEL DE POLIURETANO,

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 175, de 19 de outubro de 2004. O PRESIDENTE

Leia mais

Reunião com Associações de Empresas de Produtos para Saúde

Reunião com Associações de Empresas de Produtos para Saúde Reunião com Associações de Empresas de Produtos para Saúde Atualização de Requisitos para Regularização de Produtos REGULAMENTO TÉCNICO DE PRODUTOS MÉDICOS RDC Nº 40/2015 GEMAT Gerência de Tecnologia de

Leia mais

SECRETARIA DE POLÍTICAS DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL SECRETARIA DE PLANEJAMENTO E FORMULAÇÃO DE POLÍTICAS PROJETO BÁSICO

SECRETARIA DE POLÍTICAS DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL SECRETARIA DE PLANEJAMENTO E FORMULAÇÃO DE POLÍTICAS PROJETO BÁSICO 1 SECRETARIA DE POLÍTICAS DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL SECRETARIA DE PLANEJAMENTO E FORMULAÇÃO DE POLÍTICAS PROJETO BÁSICO 1 DO OBJETO 1.1 Aquisição de umidificadores de ar destinados a atender às demandas

Leia mais

ANEXO XV - PROJETO BÁSICO

ANEXO XV - PROJETO BÁSICO CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA PARA REFORMULAÇÃO DA ILUMINAÇÃO PÚBLICA DA RUA PADRE CHAGAS E PROXIMIDADES ANEXO XV - PROJETO BÁSICO 1) GENERALIDADES O presente Projeto Básico tem como objetivo estabelecer

Leia mais

CERTIFICADO DE CONFORMIDADE. N : 11-IEx-0074

CERTIFICADO DE CONFORMIDADE. N : 11-IEx-0074 Pagina 1/5 Solicitante / Endereço: Applicant / Address Solicitante / Dirección Produto / Modelo / Marca: Product / Model / Trademark Producto / Modelo / Marca Família de Produto: Product s Family Familia

Leia mais

PORTARIA ANP Nº 202, DE DOU REPUBLICADA DOU

PORTARIA ANP Nº 202, DE DOU REPUBLICADA DOU PORTARIA ANP Nº 202, DE 30.12.1999 - DOU 31.12.1999 - REPUBLICADA DOU 3.5.2004 Estabelece os requisitos a serem cumpridos para acesso a atividade de distribuição de combustíveis líquidos derivados de petróleo,

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ANEXO II MEMORIAL DESCRITIVO Sistema de Ar-Condicionado Tipo Split. ÌNDICE 1. INTRODUÇÃO 1.1 NORMAS TÉCNICAS 1. 2 ORIENTAÇÕES INICIAIS 2. SERVIÇOS 3. EQUIPAMENTOS E MATERIAIS 4. REQUISITOS PARA FORNECEDORES

Leia mais

CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA PARA SISTEMAS E EQUIPAMENTOS PARA AQUECIMENTO SOLAR DE ÁGUA

CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA PARA SISTEMAS E EQUIPAMENTOS PARA AQUECIMENTO SOLAR DE ÁGUA CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA PARA SISTEMAS E EQUIPAMENTOS PARA AQUECIMENTO SOLAR DE ÁGUA Revisão I 27/02/2007 ELETROBRÁS/PROCEL DTD DEPARTAMENTO DE DESENVOLVIMENTO DA

Leia mais

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO FORNECEDORES CADASTRADOS PARA FORNECIMENTO DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL PARA REDE DE DISTRIBUIÇÃO SUBTERRÂNEA

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO FORNECEDORES CADASTRADOS PARA FORNECIMENTO DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL PARA REDE DE DISTRIBUIÇÃO SUBTERRÂNEA SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO CD.PN.01.42.0001 DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL PARA REDE DE 05 APROVADO POR PAULO JORGE TAVARES DE LIMA ENGENHARIA SP SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3 2. HISTÓRICO

Leia mais

PROCEDIMENTO GERAL GRUPO DE CALIBRAÇÃO E ENSAIOS - ANFAVEA. AVALIAÇÃO EM LABORATÓRIOS DE CALIBRAÇÃO E ENSAIO

PROCEDIMENTO GERAL GRUPO DE CALIBRAÇÃO E ENSAIOS - ANFAVEA. AVALIAÇÃO EM LABORATÓRIOS DE CALIBRAÇÃO E ENSAIO -. 1 de 6 1. OBJETIVO Estabelecer a sistemática de Avaliação e Qualificação de laboratórios a fim de habilitálos a integrar o grupo de Laboratórios considerados aptos a oferecer serviços de Calibração

Leia mais

Manual do técnico/usuário:

Manual do técnico/usuário: Manual do técnico/usuário: Produto: Placa I/O Semáforo PLACA VERSÃO 1 Versão deste manual: 1 Revisão deste manual: 0 Data do manual: 08/08/2009 M.c.u Tecnologia www.mcu.com.br 1 Histórico de Revisões:

Leia mais

Procedimento para ligações provisórias

Procedimento para ligações provisórias Procedimento para ligações provisórias Da Resolução Art. 44. É de responsabilidade exclusiva do interessado o custeio das obras realizadas a seu pedido nos seguintes casos: I extensão de rede de reserva;

Leia mais

Sobre o Cancelamento de Gravames. Cancelamento de Reserva de Gravames - DETRAN/RS

Sobre o Cancelamento de Gravames. Cancelamento de Reserva de Gravames - DETRAN/RS Sobre o Cancelamento de Gravames Cancelamento de Reserva de Gravames - DETRAN/RS Procedimentos para solicitação do desbloqueio de cancelamento de gravame. (Versão Atualizada 2015) De acordo com a portaria

Leia mais

POCKET PCS GARANTIA LIMITADA MUNDIAL E SUPORTE TÉCNICO

POCKET PCS GARANTIA LIMITADA MUNDIAL E SUPORTE TÉCNICO POCKET PCS GARANTIA LIMITADA MUNDIAL E SUPORTE TÉCNICO Condições gerais EXCETO CONFORME EXPRESSAMENTE ESPECIFICADO ADIANTE NESTA GARANTIA LIMITADA, A HP NÃO DÁ NENHUMA OUTRA GARANTIA OU FAZ CONDIÇÕES,

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA LIGAÇÕES PROVISÓRIAS

PROCEDIMENTO PARA LIGAÇÕES PROVISÓRIAS PROCEDIMENTO PARA LIGAÇÕES PROVISÓRIAS 1. Da Resolução (414/2010 - ANEEL) Art. 44. O interessado, individualmente ou em conjunto, e a Administração Pública Direta ou Indireta, são responsáveis pelo custeio

Leia mais

Rodrigo Vides Cunha AOI/DEMAQ

Rodrigo Vides Cunha AOI/DEMAQ Área de Operações Indiretas Departamento de Credenciamento e Financiamento a Máquinas e Equipamentos Apresentação ABIMAQ - Credenciamento Rodrigo Vides Cunha AOI/DEMAQ Atividades das Gerências de Credenciamento

Leia mais

Regras Específicas para a Certificação de Equipamentos Eletromédicos

Regras Específicas para a Certificação de Equipamentos Eletromédicos Regras Específicas para a Certificação de Equipamentos Eletromédicos 1 OBJETIVO Esta Norma estabelece as condições para a certificação compulsória ou voluntária de equipamentos eletromédicos. 2 CAMPO DE

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - MDIC Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial Inmetro

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - MDIC Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial Inmetro Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - MDIC Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial Inmetro Portaria nº 50, de 28 de março de 2002 O PRESIDENTE DO

Leia mais

INSTRUÇÃO ADMINISTRATIVA

INSTRUÇÃO ADMINISTRATIVA INSTRUÇÃO ADMINISTRATIVA IA-32.006 Requisitos Mínimos para o Procedimento de Homologação de Materiais, Aprovação de Marcas e Análise de Amostras Processo: Suprimentos Versão: 0.0 Início de Vigência: 04-01-2016

Leia mais

Manual de instruções Carga Resistiva

Manual de instruções Carga Resistiva Manual de instruções Carga Resistiva OP: Série: Mod: Cliente: Localidade: 433 433 EIA 1-5/8" Líquido de arrefecimento FUSÍVEL 5A LIGA/DESLIGA DISPLAY 924 Entrada 220 VAC Ref. TX NF-NA-CO MANTER DESOBSTRUÍDA

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DE SERVIÇOS DE ODONTOLOGIA

MANUAL DE INSTRUÇÕES DE SERVIÇOS DE ODONTOLOGIA MANUAL DE INSTRUÇÕES DE SERVIÇOS DE ODONTOLOGIA 1 NORMAS GERAIS DE ATENDIMENTO OBJETIVO Orientar os recursos credenciados no atendimento prestado aos usuários da Mogidonto e seus dependentes. 1. Cartão

Leia mais

Prefeitura do Município de Piracicaba Secretaria Municipal de Administração Departamento de Material e Patrimônio Divisão de Compras

Prefeitura do Município de Piracicaba Secretaria Municipal de Administração Departamento de Material e Patrimônio Divisão de Compras O, por intermédio da, comunica que, de acordo com o que dispõe a Lei Federal nº 8.666/93 e suas alterações, os Srs. Fornecedores da Prefeitura do Município de Piracicaba que desejarem se inscrever no CERTIFICADO

Leia mais

Leitor LE230 Manual Versão 1.3 Revisão 0 Outubro/2014

Leitor LE230 Manual Versão 1.3 Revisão 0 Outubro/2014 Leitor LE230 Manual Versão 1.3 Revisão 0 Outubro/2014 Sumário 1. Apresentação... 3 2. Itens que Acompanham... 3 3. Especificações Técnicas... 3 4. Características Gerais... 4 5. Visão geral do Equipamento...

Leia mais

Manual de Referência e Instalação

Manual de Referência e Instalação ELOCK-B100 Manual de Referência e Instalação Características A série das fechaduras Elock-B100 eletromagnéticas oferece soluções de baixo custo e de fácil instalação. Adequado para várias aplicações. Não

Leia mais