Condutores, Fornecimento de Tensão e Padrão de Entrada. Instalações Hidráulicas e Elétricas - Profª Bárbara Silvéria

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Condutores, Fornecimento de Tensão e Padrão de Entrada. Instalações Hidráulicas e Elétricas - Profª Bárbara Silvéria"

Transcrição

1 Condutores, Fornecimento de Tensão e Padrão de Entrada Instalações Hidráulicas e Elétricas - Profª Bárbara Silvéria

2 Condutores e Isolantes Isolantes Materiais que não conduzem eletricidade; Condutores Materiais com capacidade de conduzir eletricidade; Os condutores elétricos, fios e cabos, tem como função transportar a energia elétrica;

3 Condutores e Isolantes Tipos de condutores Fios Quando existe apenas um fio de forma isolada e seção constante; Cabos Formado pelo encordoamento de vários fios;

4 Condutores e Isolantes Tipos de condutores Classes Classe 1 = Fio sólido -> 1 fio Classe 2 = Cabo rígido -> 7 fios Classe 4 ou 5 = Cabo flexível -> 45 fios e 75 fios Obs.: Filamentos para seção de 10 mm²

5 Condutores e Isolantes Seções nominais e aplicações indicadas Seção de 1,5 mm² Seção de 4,0 mm² Seção de 2,5 mm² Seção de 6,0 mm²

6 Condutores e Isolantes Seções nominais e aplicações indicadas Seção de 10 mm² Seção de 15 mm² Seção de 35 mm² Seção de 50 a 70 mm²

7 Condutores e Isolantes Condutores de Alimentação Fase: Por onde chega a corrente (onde há tensão); Neutro: Condutor que não possui tensão; Terra: Condutor de proteção (PE); Retorno: Condutor entre a lâmpada e o interruptor;

8 Condutores e Isolantes Padrão de cores: Condutor Neutro: Azul claro Condutor de Proteção: Verde e amarelo Condutor Fase Qualquer cor diferente das anteriores A única cor que não deve ser usada é a amarela Obs.: A norma não sugere cor para o condutor de retorno.

9 Tipos de Fornecimento de Tensão As condições para o fornecimento de energia elétrica foram estabelecidas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). Segundo a ANEEL a instalação deve ser dividida o quanto for necessária, porém deve atender aos seguintes requisitos da norma: Segurança; Conservação de energia; Funcionais; De produção De manutenção

10 Fornecimento Monofásico Realizados a dois fios (F + N) Utilizado quando a potência ativa total da instalação é inferior a 15 KW;

11 Fornecimento Bifásico Realizados a três fios (2F + N) Utilizado quando a potência ativa total da instalação é maior que 15 KW e inferior a 25 KW;

12 Fornecimento Trifásico Realizados a quatro fios (3F + N) Utilizado quando a potência ativa total da instalação é superior a 25 KW ou quando houver motores trifásicos ligados à instalação;

13 Padrão de entrada Recebe a chegada de energia de uma residência, sendo o ponto inicial do sistema de instalação elétrica de um imóvel; O padrão de entrada também é o conjunto composto por: Ramal; Roldana Poste com isolador de roldana; Bengala; Caixa de Medição; e Haste de Terra. Bengala Caixa de medição Haste de terra

14 Padrão de entrada

15 Padrão de entrada Ramal Conjunto de condutores e acessórios no treco que sai da companhia e vai até o poste do cliente; Deve seguir as seguintes características: A instalação é realizada pela concessionária de energia; Não deve passar por terrenos ou construções de terceiros; Comprimento máximo de 30 metros; Deve ser conectado ao poste colocado na frente da unidade; Não deve cruzar com condutor de terceiros;

16 Padrão de entrada Poste com isolador de Roldana Poste do consumidor, ancorado com a finalidade de elevar o ramal de ligação por meio aéreo; Bengala É o eletroduto que leva o condutor da entrada do poste até o medidor; Caixa de Medição Local (caixa) onde o medidor será instalado;

17 Quadro de distribuição É o centro de distribuição de toda a instalação elétrica de uma residência e recebe todos os fios que vem do medidor; Local onde encontra-se os dispositivos de proteção; De onde partem os circuitos terminais, que alimentam diretamente as lâmpadas, tomadas e aparelhos elétricos;

18 Quadro de distribuição

19 Quadro de distribuição Segundo a NBR 5410, na instalação de um novo quadro, deve-se prever ainda uma reserva de circuitos para futuras instalações: Quadro com 6 circuitos: reserva mínima de 2 circuitos; Quadro com 7 a 12 circuitos: reserva mínima de 3 circuitos; Quadro com 13 a 30 circuitos: reserva mínima de 4 circuitos; Quadro com mais de 30 circuitos: reserva mínima de 15 % do total instalado;

20 Dispositivos de proteção Disjuntor termomagnético

21

22 Dispositivos de proteção Disjuntor diferencial residual

23

24

25 Referências NBR 5410:2004; NBR 5456:2010 Eletricidade geral Terminologia; NBR 5471:1986 Condutores elétricos; Material eletrônico disponível em: < df> Acesso em: 03 de fevereiro de 2016; Manual de instalações elétricas prediais. Material eletrônico disponível em: < Acesso em: 03 de fevereiro de 2016;

26 Bons estudos! Pois tu és a minha esperança, ó Soberano Senhor, em ti está a minha confiança desde a juventude. (Salmos 71:5)

Curso Técnico em Eletroeletrônica Instalações Elétricas

Curso Técnico em Eletroeletrônica Instalações Elétricas Curso Técnico em Eletroeletrônica Instalações Elétricas Aula 03 Padrão de entrada. Ramal de ligação, poste particular e pontalete. Quadro de medição. Quadro de distribuição. Prof. Dra. Giovana Tripoloni

Leia mais

Curso Técnico em Eletroeletrônica Instalações Elétricas

Curso Técnico em Eletroeletrônica Instalações Elétricas Curso Técnico em Eletroeletrônica Instalações Elétricas Aula 05 Circuito de distribuição e Circuitos terminais Prof. Dra. Giovana Tripoloni Tangerino 2016 CIRCUITOS ELÉTRICOS Circuitos elétricos Em uma

Leia mais

Curso Técnico em Eletroeletrônica Instalações Elétricas

Curso Técnico em Eletroeletrônica Instalações Elétricas Curso Técnico em Eletroeletrônica Instalações Elétricas Laboratório 05 Divisão de circuitos terminais Prof. Dra. Giovana Tripoloni Tangerino 2016 Lab05: Divisão de circuitos terminais Tarefa: Montar a

Leia mais

CNPJ: / INSC. EST.: CRITÉTRIOS CONSTRUTIVOS DO PADRÃO DE ENTRADA

CNPJ: / INSC. EST.: CRITÉTRIOS CONSTRUTIVOS DO PADRÃO DE ENTRADA Notas: CRITÉTRIOS CONSTRUTIVOS DO PADRÃO DE ENTRADA A fiação do ramal de saída deve ser a mesma fiação do ramal de entrada; O padrão de entrada na zona rural deverá ficar no mínimo de 10 metros e no máximo

Leia mais

CNPJ: / INSC. EST.: CRITÉTRIOS CONSTRUTIVOS DO PADRÃO DE ENTRADA

CNPJ: / INSC. EST.: CRITÉTRIOS CONSTRUTIVOS DO PADRÃO DE ENTRADA Notas: CRITÉTRIOS CONSTRUTIVOS DO PADRÃO DE ENTRADA A fiação do ramal de saída deve ser a mesma fiação do ramal de entrada; O padrão de entrada na zona rural deverá ficar no mínimo de 10 metros e no máximo

Leia mais

Projetos Elétricos. Divisão dos Circuitos, Quadro Geral e Eletrodutos. Evandro Junior Rodrigues. Novembro /07/ / 49

Projetos Elétricos. Divisão dos Circuitos, Quadro Geral e Eletrodutos. Evandro Junior Rodrigues. Novembro /07/ / 49 Projetos Elétricos Divisão dos Circuitos, Quadro Geral e Eletrodutos Novembro 2016 01/07/2016 1 / 49 Introdução Simbologia; Desenho das iluminações e tomadas em uma planta baixa; Quadro Geral Critérios

Leia mais

CONHEÇA AQUI O PADRÃO PARA NOVA LIGAÇÃO

CONHEÇA AQUI O PADRÃO PARA NOVA LIGAÇÃO CONHEÇA AQUI O PADRÃO PARA NOVA LIGAÇÃO Para que a Celpa ligue a sua luz pela primeira vez, você precisa estar com o padrão de entrada de energia instalado corretamente. Chamamos de Padrão de Entrada Celpa

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS DE ELETRICIDADE

CONCEITOS BÁSICOS DE ELETRICIDADE CONCEITOS BÁSICOS DE ELETRICIDADE Nos fios existem partículas invisíveis chamadas de elétrons livres que, assim como os planetas ao redor do sol, giram ao redor do núcleo dos átomos. Quando uma força,

Leia mais

[Ano] Levantamento de Cargas. Campus Virtual Cruzeiro do Sul

[Ano] Levantamento de Cargas. Campus Virtual Cruzeiro do Sul [Ano] Levantamento de Cargas Unidade - Levantamento de Cargas MATERIAL TEÓRICO Revisão Textual: Profa. Dr. Patricia Silvestre Leite Di Iorio 2 Apresentação Como apresentado, os conceitos vistos na Unidade

Leia mais

Padrões de Entradas de Serviço para Atendimento à Resolução ANEEL 384/2009 e Programa Luz Legal

Padrões de Entradas de Serviço para Atendimento à Resolução ANEEL 384/2009 e Programa Luz Legal Padrões de Entradas de Serviço para Atendimento à Resolução ANEEL 384/2009 e Programa Luz Legal DDI/SCD/SED Maio/2010 Notas sobre esta revisão (maio/2010) Este manual, originalmente desenvolvido para Entrada

Leia mais

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA - IRRIGANTES NTD

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA - IRRIGANTES NTD Página: 1 de 5 1. Objetivo Este documento define os critérios e padrões dos sistemas de medições a serem observados no fornecimento de energia elétrica para unidades consumidoras classificadas como rural

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 05 ALTERAÇÕES NAS TABELAS PARA DIMENSIONAMENTO DOS PADRÕES DE ENTRADA DE BAIXA TENSÃO DE USO INDIVIDUAL

COMUNICADO TÉCNICO Nº 05 ALTERAÇÕES NAS TABELAS PARA DIMENSIONAMENTO DOS PADRÕES DE ENTRADA DE BAIXA TENSÃO DE USO INDIVIDUAL Página 1 de 2 COMUNICADO TÉCNICO Nº 05 ALTERAÇÕES NAS TABELAS PARA DIMENSIONAMENTO DOS PADRÕES DE ENTRADA DE BAIXA TENSÃO DE USO INDIVIDUAL 1. OBJETIVO Visando a redução de custos de expansão do sistema

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPA-CEAP Curso de arquitetura e urbanismo. INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS ELéTRICOS Parte ii Profº MSc.

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPA-CEAP Curso de arquitetura e urbanismo. INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS ELéTRICOS Parte ii Profº MSc. CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPA-CEAP Curso de arquitetura e urbanismo INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS ELéTRICOS Parte ii Profº MSc. espíndola Potência de alimentação- Demanda Nas instalações elétricas nem

Leia mais

SELEÇÃO DO QUADRO GERAL DE DISTRIBUIÇÃO

SELEÇÃO DO QUADRO GERAL DE DISTRIBUIÇÃO UNIDADE V SELEÇÃO DO QUADRO GERAL DE DISTRIBUIÇÃO 1. INTRODUÇÃO O fornecimento de eletricidade para uma moradia ou comercio é medido e controlado a partir de um quadro de entrada localizado no exterior

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 03

COMUNICADO TÉCNICO Nº 03 Página 1 de 1 COMUNICADO TÉCNICO Nº 03 ALTERAÇÕES NAS TABELAS PARA DIMENSIONAMENTO DOS PADRÕES DE ENTRADA DE BAIXA TENSÃO DE USO COLETIVO 1.OBJETIVO Visando a redução de custos de expansão do sistema elétrico

Leia mais

UNIDADE MÓVEL SOBRE A PLATAFORMA DE UM ÔNIBUS BIARTICULADO. Módulo 2

UNIDADE MÓVEL SOBRE A PLATAFORMA DE UM ÔNIBUS BIARTICULADO. Módulo 2 UNIDADE MÓVEL SOBRE A PLATAFORMA DE UM ÔNIBUS BIARTICULADO Módulo 3 Módulo FRENTE MEDIDAS: Comprimento Total 2,0 m Comprimento módulo, m Comprimento módulo 2,00 m Comprimento módulo 3,0 m Largura 2,3 m

Leia mais

Instalações Elétricas Prediais. Condutores Elétricos. Prof. Msc. Getúlio Teruo Tateoki

Instalações Elétricas Prediais. Condutores Elétricos. Prof. Msc. Getúlio Teruo Tateoki Prof. Msc. Getúlio Teruo Tateoki Conceito -É assim chamado todo material que possui a propriedade de conduzir ou transportar energia elétrica. -Os condutores devem ser analisados sobre seguintes aspectos.

Leia mais

O que é Padrão de Entrada?

O que é Padrão de Entrada? 1 O que é Padrão de Entrada? O padrão de entrada é o conjunto de condutores, eletrodutos, poste, caixa de medição e demais acessórios utilizados na sua montagem, padronizados pela Cosern e de acordo com

Leia mais

MANUAL PARA INSTALAÇÃO ELÉTRICA RESFRIADOR DE ÁGUA SERIE POLAR MODELOS: PA-01 ~ PA-120 PW-09 ~ PW-120 PRECAUÇÕES INFORMAÇÕES GERAIS DE SEGURANÇA

MANUAL PARA INSTALAÇÃO ELÉTRICA RESFRIADOR DE ÁGUA SERIE POLAR MODELOS: PA-01 ~ PA-120 PW-09 ~ PW-120 PRECAUÇÕES INFORMAÇÕES GERAIS DE SEGURANÇA MANUAL PARA INSTALAÇÃO ELÉTRICA RESFRIADOR DE ÁGUA SERIE POLAR MODELOS: PA-01 ~ PA-120 PW-09 ~ PW-120 PRECAUÇÕES INFORMAÇÕES GERAIS DE SEGURANÇA ÍNDICE INFORMAÇÕES GERAIS...3 QUADRO ELÉTRICO...3 DIMENSIONAMENTO

Leia mais

ECOM EMPRESA DE CONSTRUÇÕES, CONSULTORIA E MEIO AMBIENTE LTDA.

ECOM EMPRESA DE CONSTRUÇÕES, CONSULTORIA E MEIO AMBIENTE LTDA. PROJETO DE INSTALAÇÕES ELETRICAS DE BAIXA TENSÃO MERCADO DO SÃO JOAQUIM BAIRRO SÃO JOAQUIM, TERESINA - PI TERESINA PI AGOSTO/2014 MEMORIAL DESCRITIVO INST. ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO 1.0 IDENTIFICAÇÃO Obra:

Leia mais

lectra Material Didático INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Centro de Formação Profissional

lectra Material Didático  INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Centro de Formação Profissional lectra Centro de Formação Profissional Material Didático INSTALAÇÕES ELÉTRICAS WWW.ESCOLAELECTRA.COM.BR ÍNDICE 1 Introdução - 5 Definição de eletricidade. Causas e efeitos da eletricidade. Geração, transmissão

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO Quadra Poliesportiva Padrão 1A - 19m x 32,90m

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO Quadra Poliesportiva Padrão 1A - 19m x 32,90m MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO Quadra Poliesportiva Padrão 1A - 19m x 32,90m Proprietário: Secretaria de Estado de Goiás Autora: LUCIANA DUTRA MARTINS - Engenheira Eletricista - CREA_8646/D Sumário:

Leia mais

Capítulo 2 - Símbolos Gráficos para Instalações Elétricas Prediais 2.1. Simbologia Padronizada

Capítulo 2 - Símbolos Gráficos para Instalações Elétricas Prediais 2.1. Simbologia Padronizada Capítulo 1 - Conceitos Básicos de Eletricidade para Aplicação em Instalações Elétricas 1.1. Tipos e Formas de Distribuição de Energia 1.1.1. Energia 1.2. Geração de Energia Elétrica 1.2.1. Barragem 1.2.2.

Leia mais

Instalações Elétricas Prediais. Redes de Instalação Elétrica. Prof. Msc. Getúlio Tateoki

Instalações Elétricas Prediais. Redes de Instalação Elétrica. Prof. Msc. Getúlio Tateoki Redes de Instalação Elétrica Redes de Instalação Elétrica Produção Usinas Hidroelétricas, Termoelétricas, eólicas, etc. Transmissão Transporte de energia elétrica gerada até centros consumidores. Distribuição

Leia mais

26/01/2017. Dimensionamento de eletrodutos Dimensionamento de dispositivos de proteção

26/01/2017. Dimensionamento de eletrodutos Dimensionamento de dispositivos de proteção Dimensionamento de eletrodutos Dimensionamento de dispositivos de proteção 1 Para instalações simples, nas quais o comprimento do trecho de eletrodutos esteja dentro dos limites anteriores e para a instalação

Leia mais

Prefeitura Municipal de Não-Me-Toque Secretaria da Fazenda [daianeluisa] Anexo Itens Página : 1 de 4 Tomada de Preços N 9/2015 ITEM QTD UN ESPECIFICAÇÃO DO MATERIAL/SERVIÇO MARCA PR.UN TOTAL 1 3 UN CENTRO

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 46

COMUNICADO TÉCNICO Nº 46 Página 1 de 11 COMUNICADO TÉCNICO Nº 46 LIGAÇÕES ESPECIAIS NA VIA PÚBLICA COM MEDIÇÃO Diretoria de Planejamento e Planejamento Gerência de Engenharia Página 2 de 11 ÍNDICE OBJETIVO...3 1. APLICAÇÃO...4

Leia mais

Instalações Elétricas Prediais A ENG04482

Instalações Elétricas Prediais A ENG04482 Instalações Elétricas Prediais A ENG04482 Prof. Luiz Fernando Gonçalves AULA 13 Dimensionamento de Condutores (Critério do Limite de Queda de Tensão) Porto Alegre - 2012 Tópicos Critério do limite de queda

Leia mais

Laboratório de Instalações Elétricas Circuitos de Luz e Força e Previsão da Carga

Laboratório de Instalações Elétricas Circuitos de Luz e Força e Previsão da Carga Laboratório de Instalações Elétricas Circuitos de Luz e Força e Previsão da Carga Prof. Lia Mota (Noturno) Prof. Alexandre Mota (Matutino) 1s2011 Circuitos Conjunto de condutores que distribuem energia

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO SUPRIMENTO DE ENREGIA ELÉTRICA AO EDIFÍCIO CREA - PI INSTALAÇÃO ELÉTRICA DE BAIXA TENSÃO

MEMORIAL DESCRITIVO SUPRIMENTO DE ENREGIA ELÉTRICA AO EDIFÍCIO CREA - PI INSTALAÇÃO ELÉTRICA DE BAIXA TENSÃO MEMORIAL DESCRITIVO SUPRIMENTO DE ENREGIA ELÉTRICA AO EDIFÍCIO CREA - PI INSTALAÇÃO ELÉTRICA DE BAIXA TENSÃO Teresina Piauí Março 2017 MEMORIAL DESCRITIVO EDIFÍCIO CREA - PI INTALAÇÕES ELÉTRICAS BAIXA

Leia mais

DIMENSIONAMENTO DOS CONDUTORES

DIMENSIONAMENTO DOS CONDUTORES DIMENSIONAMENTO DOS CONDUTORES 1. Introdução - O dimensionamento dos condutores deve ser realizado seguindo as seguintes etapas: a) cálculo da corrente de projeto; b) dimensionamento pelo critério da máxima

Leia mais

Instalação Elétrica em casa

Instalação Elétrica em casa 2 Instalação Elétrica em casa Introdução do autor Dedicado aos meus filhos Esse manual é entregue gratuitamente para todas as pessoas interessadas em mantêr suas familhas em segurança. O objetivo desta

Leia mais

NOVOS PROCEDIMENTOS PARA ATENDIMENTO DE SOLICITAÇÕES TÉCNICAS PARA ATENDER A RESOLUÇÃO NORMATIVA ANEEL N 670 DE 14 DE JULHO DE 2015

NOVOS PROCEDIMENTOS PARA ATENDIMENTO DE SOLICITAÇÕES TÉCNICAS PARA ATENDER A RESOLUÇÃO NORMATIVA ANEEL N 670 DE 14 DE JULHO DE 2015 CT-63 NOVOS PROCEDIMENTOS PARA ATENDIMENTO DE SOLICITAÇÕES TÉCNICAS PARA ATENDER A RESOLUÇÃO NORMATIVA ANEEL N 670 DE 14 DE JULHO DE 2015 Norma Técnica da AES Eletropaulo Diretoria de Planejamento, Engenharia

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO. Título

PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO. Título PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO Título ATENDIMENTO DE LIGAÇÃO DE CONSUMIDORES JUNTO À FAIXA DE PRAIA DA ORLA MARÍTIMA Código NTD-00.074 Data da emissão 05.12.2005 Data da última revisão 18.01.2008 Folha

Leia mais

UNIVERSIDADE CEUMA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL EXERCICIOS DE INSTALAÇÕES ELETRICAS

UNIVERSIDADE CEUMA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL EXERCICIOS DE INSTALAÇÕES ELETRICAS Questão 1- Um eletricista ganhou a concorrência para fazer toda instalação elétrica de um conjuntode casas populares de 2 dormitórios, sala, cozinha, banheiro área de serviços e garagem.nessa concorrência

Leia mais

Estabelecer as condições que as instalações elétricas de baixa tensão devem satisfazer a fim de garantir a segurança de pessoas e animais

Estabelecer as condições que as instalações elétricas de baixa tensão devem satisfazer a fim de garantir a segurança de pessoas e animais OBJETIVO Estabelecer as condições que as instalações elétricas de baixa tensão devem satisfazer a fim de garantir a segurança de pessoas e animais Garantir o funcionamento adequado da instalação e a conservação

Leia mais

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA ESTIMATIVA

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA ESTIMATIVA MÊS DE REFERÊNCIA DOS S: MAIO / 2009 ITEM MATERIAL UN QUANT. 1 REDE DE DISTRIBUIÇÃO: Rede de distribuição a ser executada parte no sistema embutido e parte no sistema aparente com eletroduto de pvc, fiação,

Leia mais

Capítulo 03 Levantamentos de carga instalada das instalações elétricas, divisão de circuitos de iluminação, força e divisão de cargas:

Capítulo 03 Levantamentos de carga instalada das instalações elétricas, divisão de circuitos de iluminação, força e divisão de cargas: MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA Capítulo 03 Levantamentos de carga instalada das instalações elétricas, divisão de circuitos de iluminação, força e divisão de cargas:

Leia mais

Sequência para projeto de instalações 1. Determinar as áreas dos cômodos, com base na planta baixa arquitetônica 2. A partir da entrada de energia,

Sequência para projeto de instalações 1. Determinar as áreas dos cômodos, com base na planta baixa arquitetônica 2. A partir da entrada de energia, Projeto de instalações residenciais Um projeto de instalações elétricas possui, basicamente, 4 partes: Memorial técnico projetista justifica e descreve sua solução Conjunto de plantas, esquemas e detalhes

Leia mais

INSTALAÇÃO ELÉTRICA E HIDRÁULICA

INSTALAÇÃO ELÉTRICA E HIDRÁULICA INSTALAÇÃO ELÉTRICA E HIDRÁULICA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS E HIDRÁULICAS Quadro de tomadas andares Instale no mínimo duas tomadas: monofásicas de 127V; bifásicas de 220V; trifásicas de 220V. Ligue as tomadas

Leia mais

CC-MD10 INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

CC-MD10 INSTALAÇÕES ELÉTRICAS CC-MD10 INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INTRODUÇÃO O presente Memorial descreve e especifica os requisitos mínimos para o fornecimento de materiais e serviços para Desativação com remoção de dois transformadores

Leia mais

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO PADRÃO DE ENTRADA COM CAIXA DE MEDIÇÃO COM LEITURA ATRAVÉS DE LENTE SÃO PAULO

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO PADRÃO DE ENTRADA COM CAIXA DE MEDIÇÃO COM LEITURA ATRAVÉS DE LENTE SÃO PAULO SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO PT.DT.PDN.03.14.002 LEITURA ATRAVÉS DE LENTE SÃO PAULO 02 APROVADO POR JOSELINO SANTANA FILHO ENGENHARIA E DESENVOLVIMENTO TECNÓLOGICO SUMÁRIO 1. OBJETIVO...

Leia mais

Eletricista Instalador Predial Plano de Aula - 16 Aulas (Aulas de 1 Hora)

Eletricista Instalador Predial Plano de Aula - 16 Aulas (Aulas de 1 Hora) 5596 - Eletricista Instalador Predial Plano de Aula - 16 Aulas (Aulas de 1 Hora) Aula 1 Capítulo 1 - Conceitos Fundamentais 1.1. Matéria......21 1.2. Circuito Elétrico...22 1.2.1. Dispositivo de Manobra...23

Leia mais

Instalações Elétricas Prediais A ENG04482

Instalações Elétricas Prediais A ENG04482 Instalações Elétricas Prediais A ENG04482 Prof. Luiz Fernando Gonçalves AULA 12 Dimensionamento de Condutores (Critério da capacidade de corrente) Porto Alegre - 2012 Tópicos Dimensionamento de condutores

Leia mais

GERÊNCIA DE NORMAS E PADRÕES ORIENTAÇÃO TÉCNICA OT-003/2015 (NT , NT , NT

GERÊNCIA DE NORMAS E PADRÕES ORIENTAÇÃO TÉCNICA OT-003/2015 (NT , NT , NT 1 OBJETIVO A presente Orientação Técnica altera e complementa as normas de fornecimento contemplando as mudanças ocorridas em conformidade com as alterações da REN 414/2010 da ANEEL, implementadas através

Leia mais

Curso Técnico em Eletroeletrônica Instalações Elétricas

Curso Técnico em Eletroeletrônica Instalações Elétricas Curso Técnico em Eletroeletrônica Instalações Elétricas Aula 06 Esquema de ligação dos condutores Diagramas multifiliar e unifiliar Prof. Dra. Giovana Tripoloni Tangerino 2016 Condutores Geralmente, a

Leia mais

05/01/2017. Introdução Previsão de carga de iluminação Previsão de tomadas de uso geral Previsão de tomadas de uso específico

05/01/2017. Introdução Previsão de carga de iluminação Previsão de tomadas de uso geral Previsão de tomadas de uso específico Introdução Previsão de carga de iluminação Previsão de tomadas de uso geral Previsão de tomadas de uso específico Previsão de cargas Demanda e padrão de entrada Simulador de consumo Copel As cargas de

Leia mais

PAPER. Título As Subestações de Entrada de Energia e entradas de Serviço no Brasil um estudo das possíveis configurações.

PAPER. Título As Subestações de Entrada de Energia e entradas de Serviço no Brasil um estudo das possíveis configurações. Título As Subestações de Entrada de Energia e entradas de Serviço no Brasil um estudo das possíveis configurações. Propuesta de sesión * 1 Introdução Autores del Trabajo Fernando Reis da Cunha Brasil cunhac3e@yahoo.com.br

Leia mais

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS. Kathiane Queiroz

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS. Kathiane Queiroz INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Kathiane Queiroz Esquemático Simplificado Instalação residencial 3-Medidor 1-levantamento das potências (cargas) a serem instaladas na residência. NT-001 NT-001 Potência Total instalada

Leia mais

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Dispositivos de Proteção Dimensionamento dos Condutores do Circuito Uma vez feita a divisão dos circuitos... Chega a hora de dimensionar a proteção e os condutores! 2 Dispositivos

Leia mais

Pois é turma, agora que já foram estudados, os conceitos sobre eletricidade, o como se realiza o levantamento das potências e os dispositivos de

Pois é turma, agora que já foram estudados, os conceitos sobre eletricidade, o como se realiza o levantamento das potências e os dispositivos de Pois é turma, agora que já foram estudados, os conceitos sobre eletricidade, o como se realiza o levantamento das potências e os dispositivos de proteção que alimentam os circuitos terminais, pode-se dizer

Leia mais

COMPREENSÃO DE PROJETOS (PARTE II - Teoria)

COMPREENSÃO DE PROJETOS (PARTE II - Teoria) UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL COMPREENSÃO DE PROJETOS (PARTE II - Teoria) Projeto Elétrico TC_042 - CONSTRUÇÃO CIVIL IV PROFESSORA: ELAINE SOUZA MARINHO CONCEITOS INICIAIS

Leia mais

Padrão de entrada PCI-3

Padrão de entrada PCI-3 Padrão de entrada PCI-3 padrão de entrada Relação de Materiais Item Qtde. Un. Descrição 01 01 pç 02 Fornecido e instalado pela EDP 03 Variável m Poste com caixa incorporada tipo PCI-3 (ver nota 4) Ramal

Leia mais

SELEÇÃO DOS CONDUTORES

SELEÇÃO DOS CONDUTORES SELEÇÃO DOS CONDUTORES UNIDADE III 1. INTRODUÇÃO Um correto dimensionamento dos condutores é tão importante quanto o próprio condutor utilizado. Realizar o cálculo e a seleção é necessário quando são instalados

Leia mais

Manual do Usuário. MAIN POWER Módulo Fonte Módulo Disjuntor POR FAVOR, LEIA COM ATENÇÃO ANTES DE USAR O PRODUTO

Manual do Usuário. MAIN POWER Módulo Fonte Módulo Disjuntor POR FAVOR, LEIA COM ATENÇÃO ANTES DE USAR O PRODUTO Manual do Usuário MAIN POWER Módulo Fonte Módulo Disjuntor POR FAVOR, LEIA COM ATENÇÃO ANTES DE USAR O PRODUTO Introdução O seu Módulo Fonte ou Módulo Disjuntor reúnem o que há de mais recente em tecnologia

Leia mais

A melhor opção em quadros de distribuição de energia

A melhor opção em quadros de distribuição de energia A melhor opção em quadros de distribuição de energia Fabricado no Brasil SIMBOX XF Quadros de distribuição de energia www.siemens.com.br/simboxxf SIMBOX XF Por fora, muito design... Primeira linha de quadros

Leia mais

ELETRICIDADE E INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

ELETRICIDADE E INSTALAÇÕES ELÉTRICAS ELETRICIDADE E INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 6.5.4.7 Nos quadros de distribuição, deve ser previsto espaço reserva para ampliações futuras, com base no número de circuitos com que o quadro for efetivamente equipado,

Leia mais

DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES

DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES Os seis critérios de dimensionamento de circuitos de BT: 1. Seção mínima; 2. Capacidade de condução de corrente; 3. Queda de tensão; 4. Proteção contra sobrecargas; 5. Proteção

Leia mais

Prática 1: Dispositivos de Comando de Iluminação

Prática 1: Dispositivos de Comando de Iluminação Prática 1: Dispositivos de Comando de Iluminação 1 Objetivo básico Conhecer os principais dispositivos de acionamento de iluminação. Fundamentos teóricos Uma instalação elétrica residencial deve disponibilizar

Leia mais

NOÇÕES ELÉTRICAS. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho

NOÇÕES ELÉTRICAS. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho NOÇÕES ELÉTRICAS Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho Ramal de Ligação É o conjunto de condutores e acessórios instalados pela CEMIG entre o ponto de derivação da rede secundária e o ponto de entrega.

Leia mais

Fundamentos. Prof. Dr. Gustavo Della Colletta 1 / 27

Fundamentos. Prof. Dr. Gustavo Della Colletta 1 / 27 Fundamentos Prof. Dr. Gustavo Della Colletta Universidade federal de Itajubá-UNIFEI 1 / 27 Agenda 1 Introdução Definições 2 Legislação NBR 5410 Normas específicas 3 Componentes das instalações Componente

Leia mais

Fornecimento Provisório de Energia Elétrica em Baixa Tensão (Procedimento Interno Uso Exclusivo da Ampla)

Fornecimento Provisório de Energia Elétrica em Baixa Tensão (Procedimento Interno Uso Exclusivo da Ampla) ITA - 010 Rev. 0 MAIO / 2005 Praça Leoni Ramos n 1 São Domingos Niterói RJ Cep 24210-205 http:\\ www.ampla.com Fornecimento Provisório de Energia Elétrica em Baixa Tensão (Procedimento Interno Uso Exclusivo

Leia mais

DETERMINAÇÃO DA CARGA INSTALADA E DA DEMANDA

DETERMINAÇÃO DA CARGA INSTALADA E DA DEMANDA Profª Cida Medeiros 2 Determinação da carga instalada: Define o tipo de fornecimento; Somatório das potências (kw) dos aparelhos ligados a unidade consumidora; Os cálculos devem considerar aparelhos com

Leia mais

Transformações da energia elétrica. Maria do Anjo Albuquerque

Transformações da energia elétrica. Maria do Anjo Albuquerque Transformações da energia elétrica A passagem da corrente elétrica nos condutores produz efeitos cuja aplicabilidade prática É IMPORTANTÍSSIMA. Identifica os efeitos magnéticos, químicos e térmico que

Leia mais

Instalações Elétricas

Instalações Elétricas Instalações Elétricas Condutores Elétricos (Parte 2) Prof. Gilmário Lima SELEÇÃO E DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES Chama-se de dimensionamento técnico de um circuito à aplicação dos diversos itens da NBR

Leia mais

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INDUSTRIAIS DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS INTRODUÇÃO

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INDUSTRIAIS DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS INTRODUÇÃO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INDUSTRIAIS DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS INTRODUÇÃO Os fatores básicos que envolvem o dimensionamento de um condutor são: tensão nominal; frequência nominal; potência ou

Leia mais

PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Fontes de Energia As fontes de energia podem ser dividas em renováveis e não renováveis. As fontes de energia renováveis são todas as fontes de energia que podem ser utilizadas

Leia mais

Primeira Prova de EDI 36

Primeira Prova de EDI 36 Primeira Prova de EDI 36 2/09/2.006 Nome:... A prova é sem consulta. O entendimento do enunciado faz parte da avaliação. O tempo de duração da prova é de 2:00 hora, sem tempo adicional. ā Questão Dada

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ANGELO RS TIC Tecnologia da Informação e Comunicações Departamento de Processamento de Dados

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ANGELO RS TIC Tecnologia da Informação e Comunicações Departamento de Processamento de Dados PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO ANEXO-I Especificação técnica mínimas dos serviços a serem realizados Projeto EDUCAR José Fioravante Schneider 09/09/2014 Página 1 de 14 ANEXO-I Especificação técnica

Leia mais

Instalações e Máquinas Elétrica

Instalações e Máquinas Elétrica Instalações e Máquinas Elétrica Professor: Vanderley vanderley@actire.com.br Material de circulação interna, pode ser usado por terceiros, desde que citado o autor. Dispositivos de Proteção para Instalações

Leia mais

η= = VALORES NOMINAIS DOS MOTORES POTÊNCIA CORRENTE (A) NO EIXO ABSORVIDA FP η (220 V) (CV) DA REDE (KW)

η= = VALORES NOMINAIS DOS MOTORES POTÊNCIA CORRENTE (A) NO EIXO ABSORVIDA FP η (220 V) (CV) DA REDE (KW) (c) Rendimento É a relação entre a potência fornecida ao eixo e a potência elétrica de entrada, ou seja, (Veja Tabela 3), P P util η= = total P P mecanica eletrica (d) Fator de potência Relação entre a

Leia mais

Medição agrupada para fornecimento em tensão secundária de distribuição SUMÁRIO

Medição agrupada para fornecimento em tensão secundária de distribuição SUMÁRIO SUMÁRIO 1. OBJETIVO 2. CAMPO DE APLICAÇÃO 3. REFERÊNCIAS 4. TERMINOLOGIA 5. CONDIÇÕES GERAIS 6. LIMITE DE LIGAÇÃO 7. DIMENSIONAMENTO 8. ESQUEMA DE LIGAÇÃO 9. APRESENTAÇÃO DE PROJETOS E DOCUMENTOS TÉCNICOS

Leia mais

Normalização Aplicável a Instalações Elétricas de Interiores - Brasil

Normalização Aplicável a Instalações Elétricas de Interiores - Brasil Normalização Aplicável a Instalações Elétricas de Interiores - Brasil Descrevem-se a seguir os Regulamentos e Normas Técnicas vigentes. Qualquer referência posterior deve ser verificada pela possibilidade

Leia mais

AF2 Cursos Online AF2 Engenharia e Projetos PROJETO ELÉTRICO

AF2 Cursos Online  AF2 Engenharia e Projetos  PROJETO ELÉTRICO PROJETO ELÉTRICO 1 Sumário Conceitos Básicos... 3 Tensão e Corrente Elétrica... 3 Potência Elétrica... 3 Tipos de Potência... 4 Triângulo das Potências... 6 Fator de Potência... 6 Tipos de Ligação... 7

Leia mais

Projetos Elétricos. Esquemas Unifilares e Multifilares Dimensionamento dos Condutores e Proteção.

Projetos Elétricos. Esquemas Unifilares e Multifilares Dimensionamento dos Condutores e Proteção. Projetos Elétricos Esquemas Unifilares e Multifilares Dimensionamento dos Condutores e Proteção. Dezembro 2016 02/12/2016 1 / 31 Introdução Esquemas Unifilares e Multifilares Dimensionamento dos Condutores

Leia mais

Disciplina: Eletrificação Rural. Unidade 5 Instalações para iluminação e aparelhos domésticos.

Disciplina: Eletrificação Rural. Unidade 5 Instalações para iluminação e aparelhos domésticos. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE SOLOS E ENGENHARIA AGRÍCOLA Disciplina: Eletrificação Rural Unidade 5 Instalações para iluminação e aparelhos domésticos. Prof.

Leia mais

UNIVERSIDADE CEUMA COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA CIVIL CAMPUS ANIL / RENASCENÇA. Professor Leonardo Gonsioroski

UNIVERSIDADE CEUMA COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA CIVIL CAMPUS ANIL / RENASCENÇA. Professor Leonardo Gonsioroski UNIVERSIDADE CEUMA COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA CIVIL CAMPUS ANIL / RENASCENÇA Professor Leonardo Gonsioroski O que é uma Instalação Elétrica? Uma instalação elétrica é definida pelo conjunto de materiais

Leia mais

Serviços & Treinamentos Técnicos Rua 2, n 233 Conforto Volta Redonda RJ Telefax: (24)

Serviços & Treinamentos Técnicos Rua 2, n 233 Conforto Volta Redonda RJ Telefax: (24) AULA 05/25 DE COMANDOS ELÉTRICOS ASSUNTO: AULA 01/03 DE INSTALAÇÕES PREDIAIS 1 INSTALAÇÕES PREDIAIS Interruptor de três seções 1.1 SIMBOLOGIA Ponto de luz no teto Interruptor bipolar Luminária Fluorescente

Leia mais

ENERGIA EM SUA CASA CONHEÇA AS NORMAS E FAÇA UMA INSTALAÇÃO CORRETA E 100% SEGURA Recon BT_Energia em Casa_10x21.indd 1 12/22/15 3:31 PM

ENERGIA EM SUA CASA CONHEÇA AS NORMAS E FAÇA UMA INSTALAÇÃO CORRETA E 100% SEGURA Recon BT_Energia em Casa_10x21.indd 1 12/22/15 3:31 PM ENERGIA EM SUA CASA Recon BT/2013 Regulamentação para o Fornecimento de Energia Elétrica a Consumidores em Baixa Tensão CONHEÇA AS NORMAS E FAÇA UMA INSTALAÇÃO CORRETA E 100% SEGURA. 499-008 Recon BT_Energia

Leia mais

Instalações Elétricas de Baixa Tensão. Divisão das Instalações em Circuitos

Instalações Elétricas de Baixa Tensão. Divisão das Instalações em Circuitos Divisão das Instalações em Roteiro - Calcular a previsão de carga - Locar os pontos de iluminação, TUG, TUE e QDLF. - Dividir os terminais - Balancear as fases NBR 5444 - Símbolos Gráficos para Instalações

Leia mais

1. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL DA BAHIA PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E ADMINISTRAÇÃO Diretoria de Infraestrutura

1. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL DA BAHIA PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E ADMINISTRAÇÃO Diretoria de Infraestrutura 1. FINALIDADE MEMORIAL DESCRITIVO Fornecimento de energia elétrica a três edifícios da Universidade Federal do Sul da Bahia, com a sede sendo a Reitoria localizada na Rua Itabuna, s/n, Rod. Ilhéus Vitória

Leia mais

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PREDIAIS / INDUSTRIAIS

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PREDIAIS / INDUSTRIAIS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PREDIAIS / INDUSTRIAIS Flexibilidade Os cabos flexíveis estão substituindo, com vantagens, os cabos rígidos tradicionais. Veja porque: a construção do condutor, a parte metálica do

Leia mais

PREENCHIMENTO DA PLANILHA DO PROJETO EXPRESSO V 2.0

PREENCHIMENTO DA PLANILHA DO PROJETO EXPRESSO V 2.0 1. OBJETIVO Este informativo técnico tem como objetivo orientar o envio dos documentos e o preenchimento correto da planilha do Projeto Expresso v 2.0. 2. APLICAÇÃO O projeto expresso visa atender as ligações

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: GUARITA E BALANÇA ELETRÔNICA PARA PESAGEM DE CAMINHÕES LOCAL: IMPLANTAÇÃO DE TRANSBORDO

MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: GUARITA E BALANÇA ELETRÔNICA PARA PESAGEM DE CAMINHÕES LOCAL: IMPLANTAÇÃO DE TRANSBORDO MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: GUARITA E BALANÇA ELETRÔNICA PARA PESAGEM DE CAMINHÕES LOCAL: IMPLANTAÇÃO DE TRANSBORDO LOGRADOURO: ERS 344/Km 89 Distrito Restinga Seca/Linha Maria Luiza CIDADE: SANTO ÂNGELO

Leia mais

1 - PROJEÇÕES ORTOGONAIS

1 - PROJEÇÕES ORTOGONAIS 1 - PROJEÇÕES ORTOGONAIS PROJEÇÕES ORTOGONAIS PROJEÇÕES ORTOGONAIS PROJEÇÕES ORTOGONAIS PROJEÇÕES ORTOGONAIS Exercício resolvido: Desenhar as 6 vistas da peça. PROJEÇÕES ORTOGONAIS Resposta: PROJEÇÕES

Leia mais

Qual a norma vigente para instalações elétricas de piscinas? NBR 5410:2004 Instalações elétricas de baixa tensão

Qual a norma vigente para instalações elétricas de piscinas? NBR 5410:2004 Instalações elétricas de baixa tensão Qual a norma vigente para instalações elétricas de piscinas? NBR 5410:2004 Instalações elétricas de baixa tensão 9.2.1 Campo de aplicação As prescrições complementares desta subseção são aplicáveis aos

Leia mais

MÉTODO DE INSTALAÇÃO (Tabela 33 da NBR5410/2004)

MÉTODO DE INSTALAÇÃO (Tabela 33 da NBR5410/2004) MÉTODO DE INSTALAÇÃO (Tabela da NBR5410/004) Método de Método de instalação Esquema ilustrativo Descrição instalação a utilizar número: para a capacidade de condução de corrente 1 1 Condutores isolados

Leia mais

Risco não é rabisco: Acidentes domésticos com eletricidade. Acidentes domésticos com eletricidade

Risco não é rabisco: Acidentes domésticos com eletricidade. Acidentes domésticos com eletricidade Acidentes domésticos com eletricidade 1 Acidentes fatais devido à choque elétrico, provocaram em 2016, quase duas mortes por dia em todo Brasil, segundo dados da Abracopel. O que pouca gente sabe, é que

Leia mais

Diretoria Técnica Planejamento e Engenharia Engenharia e Obra

Diretoria Técnica Planejamento e Engenharia Engenharia e Obra PADRÃO DE MEDIÇÃO INDIVIDUAL DE CLIENTES EM BAIXA TENSÃO COMUNICADO A Ampla Energia e Serviços S/A comunica que visando favorecer ao consumidor na construção de instalação para medição de energia em baixa

Leia mais

2º Bimestre. Prof. Evandro Junior Rodrigues. Agosto Evandro Junior Rodrigues

2º Bimestre. Prof. Evandro Junior Rodrigues. Agosto Evandro Junior Rodrigues 2º Bimestre Prof. Evandro Junior Rodrigues Agosto 2016 Evandro Junior Rodrigues Robôs M óveis e sua Aplicação em Sumário Transformadores Geração + Transmissão + Distribuição Proteção contra sobrecorrente

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPA-CEAP Curso de arquitetura e urbanismo INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS ELéTRICOS Parte iii Profº MSc.

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPA-CEAP Curso de arquitetura e urbanismo INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS ELéTRICOS Parte iii Profº MSc. CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPA-CEAP Curso de arquitetura e urbanismo INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS ELéTRICOS Parte iii Profº MSc. espíndola Disjuntores Termomagnéticos CERTIFICAÇÃO INMETRO Obrigatório

Leia mais

A base de um projeto de instalação elétrica consiste em:

A base de um projeto de instalação elétrica consiste em: A base de um projeto de instalação elétrica consiste em: Previsão e dimensionamento das cargas elétricas (Máquinas, tomadas Tug s, tomadas Tue s e iluminação) no local desejado; Dimensionar e especificar

Leia mais

S i s t e m a N o r m a t i vo Corporativo

S i s t e m a N o r m a t i vo Corporativo S i s t e m a N o r m a t i vo Corporativo PADRÃO TÉCNICO VERSÃO Nº DELIBERAÇÃO Nº APROVAÇÃO DATA DATA DE PUBLICAÇÃO 01-06/08/2014 06/08/2014 APROVADO POR RODNEY PEREIRA MENDERICO JÚNIOR DTES-BD SUMÁRIO

Leia mais

CAPÍTULO 4- INSTALAÇÕES EM RESIDÊNCIAS 4.1- ELEMENTOS COMPONENTES DE UMA INSTALAÇÃO ELÉTRICA

CAPÍTULO 4- INSTALAÇÕES EM RESIDÊNCIAS 4.1- ELEMENTOS COMPONENTES DE UMA INSTALAÇÃO ELÉTRICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE TECNOLOGIA FACULDADE DE ENGENHARIA ELÉTRICA DISCIPLINA: INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Prof.a : CARMINDA CÉLIA M. M. CARVALHO CAPÍTULO 4- INSTALAÇÕES EM RESIDÊNCIAS 4.1-

Leia mais

CUIDADO! ELETRICIDADE CUIDADO! ELETRICIDADE CUIDADO! ELETRICIDADE CUIDADO! ELETRICIDADE PLANTA BAIXA MEDIDAS EM: cm BEP 1 x Ø4" VISTA FRONTAL MEDIDAS EM: cm VISTA CORTE LATERAL: A-A" MEDIDAS EM: cm Av.

Leia mais

CURSO: Técnico Integrado em Eletroeletrônica PROFESSOR: Ana Barbara K. Sambaqui UNIDADE CURRICULAR: Projetos e Instalações Elétricas Prediais ALUNA:

CURSO: Técnico Integrado em Eletroeletrônica PROFESSOR: Ana Barbara K. Sambaqui UNIDADE CURRICULAR: Projetos e Instalações Elétricas Prediais ALUNA: INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA CAMPUS JOINVILLE CURSO: Técnico Integrado em Eletroeletrônica MÓDULO: VI PROFESSOR: Ana Barbara K. Sambaqui UNIDADE CURRICULAR: Projetos

Leia mais

Aula 1 Filosofia de Projeto

Aula 1 Filosofia de Projeto Aula 1 Filosofia de Projeto PESQUISA Quantidade de disjuntores Ponto de aterramento Instalação monofásica, bifásica ou trifásica (potência) Metodologia de divisão dos circuitos 1 Um projeto é a apresentação

Leia mais

Dimensionamento de condutores

Dimensionamento de condutores Dimensionamento de condutores Tipos de Condutores Condutores isolados Condutores unipolar Condutores multipolar Critérios para dimensionamento: Capacidade de condução de corrente; Queda de Tensão; Seção

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPA-CEAP Curso de arquitetura e urbanismo INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS ELéTRICOS Parte iii Profº MSc.

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPA-CEAP Curso de arquitetura e urbanismo INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS ELéTRICOS Parte iii Profº MSc. CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPA-CEAP Curso de arquitetura e urbanismo INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS ELéTRICOS Parte iii Profº MSc. espíndola Disjuntores Termomagnéticos CERTIFICAÇÃO INMETRO Obrigatório

Leia mais

MÓDULO III SISTEMAS DE ATERRAMENTO

MÓDULO III SISTEMAS DE ATERRAMENTO MÓDULO III SISTEMAS DE ATERRAMENTO Versão 2.0 Direitos Reservados PROCOBRE 2009 CONTEÚDO Capítulo 1: Finalidade de um sistema de aterramento. Capítulo 2: Resistência e resistividade do terreno. Capítulo

Leia mais