CONCURSO PÚBLICO PREFEITURA MUNICIPAL PALMAS DE MONTE ALTO TÉCNICO EM AGROPECUÁRIA (CÓDIGO 206)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONCURSO PÚBLICO PREFEITURA MUNICIPAL PALMAS DE MONTE ALTO TÉCNICO EM AGROPECUÁRIA (CÓDIGO 206)"

Transcrição

1 Leia atentamente o texto a seguir para responder às questões de 01 a 04. TEXTO: 5 10 O homem, nos últimos dois séculos, vivenciou uma grande transformação, culminando em grandes descobertas científicas e invenções tecnológicas revolucionárias, como a teoria quântica, a lâmpada, o automóvel, o telefone e o transistor, que lhe proporcionaram mudanças no estilo e na qualidade de vida. Com esses progressos tecnológicos, a disponibilidade e a qualidade da medicina melhoraram, de forma espantosa, na metade do século 20, com a vacina, a anestesia, os raios X, a cultura de tecidos, os antibióticos e a estrutura do DNA. Sem falar de conquistas mais recentes, incluindo, entre outras, a terapia combinada que aumentou a sobrevida dos portadores de HIV; as descobertas do genoma humano chegando à beira do leito e a tecnologia da informação próxima a médicos e a pacientes. Esse conhecimento já nos permite viver mais e melhor, possibilitando, no último meio século, aumento da expectativa de vida em quase 50% em relação à anteriormente esperada. OLIVEIRA, Aracy Souza Bulle. Scientific American Brasil, São Paulo: Duetto, ano 8, n. 100, p , set Adaptado. Questão 01 (Peso 2) O texto tem como principal objetivo A) falar sobre as facilidades que a tecnologia da informação tem propiciado à humanidade. B) mostrar como a revolução tecnológica vem possibilitando a identificação de muitas enfermidades. C) apontar o conhecimento da estrutura do DNA como uma das conquistas científicas mais significativas. D) anunciar, embora indiretamente, o controle e a cura de muitas doenças graças ao progressos científico. E) destacar os avanços técnico-científicos como os pilares das transformações vivenciadas pelo homem atual. Questão 02 (Peso 3) O que se afirma sobre o fragmento destacado está correto em A) O homem, nos últimos dois séculos, vivenciou uma grande transformação (linha 1) revela, em outras palavras, que, antes, o ser humano não somou conquistas importantes em relação à época vivida. B) Com esses progressos tecnológicos, a disponibilidade e a qualidade da medicina melhoraram, de forma espantosa, na metade do século 20 (linhas de 4 e 5) retoma, através do termo esses, as conquistas citadas anteriormente para acrescentar outras. C) Sem falar de conquistas mais recentes (linha 6) reduz o valor das conquistas anteriores e sinaliza a importância das que serão anunciadas a seguir. D) as descobertas do genoma humano chegando à beira do leito (linhas 7 e 8) faz uma previsão pouco encorajadora sobre certas descobertas da ciência. E) e a tecnologia da informação próxima a médicos e a pacientes. (linha 8) se refere à falta de acesso à informação sobre alguns males que afetam a saúde humana. Questão 03 (Peso 2) No texto, o termo A) dois (linha 1) é o masculino, plural, de uma (linha 1). B) e (linha 2) liga orações da mesma natureza gramatical. C) como (linha 2) denota conformidade. D) recentes (linha 6) é um qualificador de conquistas (linha 6) e expressa a ideia de tempo. E) à beira do (linha 8) se opõe, quanto a seu significado, à palavra quase (linha 10). 1

2 Questão 04 (peso 3) Quanto aos elementos linguísticos que compõem o texto, está correto o que se afirma na alternativa A) A palavra transformação (linha 1) foi formada tão somente pelo processo de derivação prefixal. B) Os vocábulos tecnológicas (linha 2) e automóvel (linha 3) são acentuados pela mesma razão. C) O termo lhe (linha 3), complemento de proporcionaram (linha 3), está anteposto ao verbo pela presença do pronome que (linha 3). D) O advérbio mais (linha 6) exprime uma ideia diferente da expressa por mais (linha 9). E) A partícula a, em a tecnologia da informação próxima a médicos e a pacientes. (linha 8), nas três ocorrências, pertence à mesma classe de palavras. Leia atentamente o texto a seguir para responder às questões 05 e 06. TEXTO: Uma radiografia feita por Röntgen 5 Ao final do século 19, mais precisamente ao cair da tarde de uma sexta-feira, 8 de novembro de 1895, o professor Wilhelm Conrad Röntgen, no laboratório de Baviera, sul da Alemanha, descobriu os raios X. Observando a fluorescência de uma placa de papelão recoberta com platinocianeto de bário, na sala escura, esse professor, aos cinquenta anos de idade, investigador brilhante, perfeccionista e astuto, fez uma das mais importantes descobertas científicas da humanidade. RADIOLOGIA. Disponível em: < Acesso em: 14 set Adaptado. Questão 05 (Peso 1) O texto A) traça o perfil físico do descobridor da radiologia. B) informa quando e como foi a descoberta dos raios X. C) afirma sobre a persistência do professor em seu trabalho. D) destaca a astúcia do professor Röntgen como sua marca característica. E) explica o porquê da importância da sua descoberta para a humanidade. Questão 06 (Peso 2) Observando a fluorescência de uma placa de papelão recoberta com platinocianeto de bário, na sala escura, oração reduzida que inicia o segundo parágrafo, expressa a ideia de A) proporcionalidade. B) condicionalidade. C) consequência. D) concessão. E) causa. 2

3 Leia atentamente o cartum a seguir para responder às questões 07 e 08. TEXTO: JAGUAR. In: FARACO, Carlos Emílio; MOURA, Francisco Martho. Língua e literatura. São Paulo: Ática, v. 1, p. 22. Questão 07 (Peso 1) O efeito humorístico do cartum se deve ao fato de A) o cartunista ter representado visualmente, em sentido denotativo, uma expressão que deveria ser entendida em seu sentido conotativo, ou seja, senti-me aliviado. B) o personagem ao telefone não ser bastante claro sobre a relação existente entre a expressão lavei minha alma e o fato a que ela está relacionada. C) o emissor da mensagem se referir de modo tão informal a um acontecimento que deve ter tido singular importância para ele. D) o indivíduo ao telefone usar termos coloquiais, sem saber quem mais pode estar a escutá-lo do outro lado do fio. E) a simbologia usada para representação da alma do homem não corresponder à sua imagem física. Questão 08 (Peso 1) Nesse cartum, a fala do personagem A) apresenta riqueza de detalhes. B) é um exemplo de registro da oralidade linguística. C) denuncia o comportamento contraditório do homem. D) revela a dissimulação existente nas relações interpessoais. E) evidencia o desabafo como um demonstrativo do nível cultural do falante. 3

4 Leia atentamente o texto a seguir para responder às questões 09 e 10. TEXTO: 5 A inserção definitiva da carne bovina brasileira na economia mundial e o seu fortalecimento interno, nas próximas décadas, dependem da capacidade que os sistemas de produção e os demais segmentos da cadeia de produção tenham de disponibilizar produtos saudáveis; de utilizar de forma conservadora os recursos não renováveis; de garantir o bem-estar social; de aumentar a participação no mercado externo e de contribuir para a melhoria da equidade social. A pecuária de corte intensiva pode contribuir, de maneira significativa, para a promoção do desenvolvimento do setor de produção de carne bovina no país, uma vez que favorece a utilização racional dos fatores de produção e do potencial e da diversidade genética animal e vegetal. ALENCAR, Maurício Mello de; POTT, Edison Beno. Criação de bovinos de corte na Região Sudeste. Disponível em: < Acesso em: 15 set Adaptado. Questão 09 (Peso 2) A leitura do texto deixa evidente, dentre outras, uma preocupação dos autores com A) abastecimento de carne bovina da Região Sudeste. B) capital de que dispõem os sistemas de produção. C) mercado externo em detrimento do interno. D) crescimento da economia mundial. E) meio ambiente. Questão 10 (Peso 3) Sobre os recursos linguísticos usados no texto, é correto o que se afirma em A) da carne bovina brasileira (linha 1) exerce a mesma função sintática que a locução da capacidade (linha 2). B) dependem (linha 2) e favorece (linha 7) estão usados com a mesma regência. C) utilizar (linha 3) e contribuir (linha 5) exigem complementos classificados diferentemente. D) uma vez que (linha 7) introduz, no contexto, uma explicação. E) favorece (linha 7) está no singular, concordando com a promoção do desenvolvimento do setor de produção de carne bovina (linhas 6 e 7). Questão 11 (Peso 1) Sobre uma população de 25 mil pessoas, sabe-se que 50% têm mais de 21 anos e de cada 10 pessoas com mais de 21 anos 3 são analfabetas. De acordo com esses dados, o número de analfabetos com mais de 21 anos é igual a A) 1790 B) 2750 C) 2790 D) 3750 E)

5 Questão 12 (Peso 2) Duas impressoras, operando ininterruptamente, podem imprimir x cópias de um texto em 1 hora e 20 minutos e em 2 horas, respectivamente. Operando simultaneamente e sem interrupção, elas podem imprimir esse mesmo número de cópias em um tempo mínimo de A) 38 min. B) 44 min. C) 48 min. D) 54 min. E) 60 min. Questão 13 (Peso 3) Nas últimas eleições, em um determinado município, foi verificada uma diferença igual a 560 entre o número de eleitores, que compareceram às urnas no primeiro e no segundo turno. No primeiro turno, os candidatos X e Y, concorrendo ao mesmo cargo, tiveram, respectivamente, 35% e 40% do total dos votos, sendo os restantes em branco, nulos ou para outros candidatos. No segundo turno, Y obteve o mesmo percentual de votos do primeiro turno, X obteve o mesmo número de votos do primeiro turno e os 2804 votos restantes foram em branco ou nulos. De acordo com essas informações, é correto afirmar que número de eleitores que votaram no primeiro turno foi A) B) 12, C) 1, D) 1, E) 0, Questão 14 (Peso 1) O custo médio diário por paciente atendido em uma enfermaria, em reais, pode ser estimado através da 20x fórmula C(x) =, sendo x o número de pacientes atendidos por dia. x O custo médio diário será inferior a R$ 34,00 quando o número de atendimentos for, A) exatamente, igual a 11. B) no mínimo, igual a 12. C) no mínimo, igual a 13. D) no máximo, igual a 12. E) no máximo, igual a 13. Questão 15 (Peso 2) Um fazendeiro tem 3 filhos de idades distintas e decidiu dividir 39km 2 de suas terras entre eles. A divisão foi feita segundo uma progressão geométrica crescente, de acordo com a idade de cada um, cabendo ao filho mais jovem um terreno com 4m 2 de área. A medida da área do terreno recebido pelo filho mais velho, em m 2, é dada por um número múltiplo inteiro de A) 2 B) 3 C) 5 D) 6 E) 7 5

6 Questão 16 (Peso 3) Um ônibus com 35 lugares costuma ser alugado a grupos que desejem visitar pontos turísticos de uma cidade. O valor cobrado pelo aluguel depende do número de integrantes de cada grupo e é calculado de tal forma que, se todos os 35 lugares forem ocupados, cada passageiro paga R$ 26,00 mas, se nem todos os lugares forem ocupados, cada passageiro pagará, além dos R$ 26,00, um adicional de R$ 2,00 por cada lugar vago. Nessas condições, os grupos que pagarão o maior valor pelo aluguel do ônibus devem ter um número de integrantes igual a A) 24 B) 27 C) 30 D) 32 E) 35 Questão 17 (Peso 3) Um grupo de estudantes concluiu, através de uma pesquisa escolar, que, no ano 2000, o número de habitantes das zonas urbana e rural era o mesmo e que, em 2009, na zona urbana, esse número evoluiu para Além disso, o grupo observou que as populações urbana e rural, a cada ano t, podem ser estimadas em milhares de habitantes, através das fórmulas kt P U(t) = 32 + b2, b, k R * 2 e P R(t) = t Sabendo-se que t = 0 corresponde ao ano 2000, pode-se afirmar que a diferença entre o número de habitantes da zona urbana e a da zona rural, em 2018, pode ser estimada em, aproximadamente, A) B) C) D) E) Questão 18 (Peso 2) Na figura, o segmento PQ representa uma parede vertical e o segmento PN, um painel afixado nessa parede. Para fotografar o painel, uma pessoa, parada a 3,0m de distância da parede, posiciona sua câmera, representada pelo ponto M, a 1,60m acima do solo, focalizando o ponto P segundo um ângulo θ = 30 o com a horizontal. Considerando 3 = 1,7 e a altura do painel PN = 80cm, pode-se afirmar que sua extremidade inferior está a uma distância do solo igual a A) 1,75m. B) 1,90m. C) 2,10m. D) 2,25m. E) 2,50m. 6

7 Questão 19 (Peso 1) Um técnico utiliza etiquetas numeradas para identificar cada raio-x de pacientes atendidos por ele durante o período de um mês. Sabe-se que, em cada etiqueta, é impresso um número distinto formado por 3 ou 4 algarismos diferentes do conjunto E = {1, 2, 3, 4, 5, 6} e que foi utilizada, nesse período, apenas a metade das etiquetas obtidas dessa forma. Nessas condições, pode-se afirmar que o número médio de raios X feitos, por dia, por esse técnico foi A) 8 B) 10 C) 12 D) 14 E) 16 Questão 20 (Peso 2) Idades dos alunos Número de alunos (em anos) Os dados na tabela se referem às idades dos alunos da 1ª série do Ensino Fundamental matriculados em uma escola da zona rural. Considerando-se X, Y e Z, respectivamente, a média, a mediana e a moda dessas idades, pode-se concluir que A) X < Y < Z B) X < Z < Y C) Y < Z < X D) Z < Y < X E) Z < X < Y Questão 21 (Peso 2) O crédito rural é o suprimento de recursos financeiros para aplicação nas finalidades e condições estabelecidas no Manual de Crédito Rural (MCR) e tem como objetivos A) incentivar a introdução de sistemas de produção, visando ao aumento da produtividade. B) favorecer o oportuno e adequado custeio da produção e da comercialização de produtos agropecuários. C) fortalecer o setor rural, notadamente no que se refere a pequenos, médios e grandes produtores. D) expandir as fronteiras agrícolas, estimulando o aumento da produção e melhorando o índice de desenvolvimento humano e social. E) estimular os investimentos rurais, sendo o armazenamento, o beneficiamento e a industrialização de produtos agropecuários efetuados somente pelo próprio produtor rural. 7

8 Questão 22 (Peso 1) Na região oeste da Bahia, encontra-se implantado um dos maiores plantios de soja, ocupando cerca de 930 mil hectares em 2009, segundo a CONAB. Para a implantação dessa e de outras culturas, deve-se observar, em ordem de prioridade, A) a produção regional, o solo e os recursos humanos. B) as empresas que compõem o mercado agrícola, o clima e o solo. C) o clima da região, o solo, o mercado e os recursos humanos. D) o acesso a insumos, o escoamento da produção e os recursos genéticos. E) a mão de obra local, a capacidade de produção da cultura e a viabilidade econômica. Questão 23 (Peso 2) Um dos grandes desafios da atualidade é a conservação dos recursos naturais. Para a agropecuária, o solo é um recurso natural de extrema importância, porém muito utilizado de forma incorreta, desgastando seu potencial produtivo e impactando-o, diminuindo, assim, a capacidade de se tornar agriculturável. São práticas de conservação do solo de caráter vegetativo, as indicadas em A) Reflorestamento, adubação mineral e cordões de vegetação. B) Reflorestamento, plantas de cobertura e culturas em faixa. C) Reflorestamento, adubação verde e adubação orgânica. D) Cordões de vegetação, adubação verde e controle do fogo. E) Terraços, adubação verde e reflorestamento. Questão 24 (Peso 2) Na bovinocultura, as clostridioses constituem um dos maiores problemas para atingir o melhor coeficiente zootécnico. Com base nos conhecimentos sobre patologia na bovinocultura, relacione as colunas, numerando a segunda de acordo com a primeira. (1) Clostridium perfrigens ( ) causa morte súbita, sem expressar sintomas. (2) Clostridium sordellii ( ) causa morte em bovinos de seis meses à dois anos. (3) Clostridium nouvyi ( ) é conhecida como doença de superalimentação. (4) Clostridium chauvoei ( ) assemelha-se a diarréia causada pela E. coli. A alternativa que contém a sequência correta, de cima para baixo, é a A) B) C) D) E)

9 Questão 25 (Peso 3) é um agente para as mudanças sociais e ecológicas complexas que tenham necessidade de ocorrer no futuro, a fim de levar a agricultura para uma base verdadeiramente sustentável. Essa citação se refere à A) agricultura orgânica. B) agricultura verde. C) agroecologia. D) permacultura. E) agricultura biológica. Questão 26 (Peso 2) A utilização de excrementos da avicultura de corte, como fonte de nutrientes de forma orgânica, na agricultura, é uma realidade. Sabe-se que uma ave excreta cerca de 2 kg por período de produção. A capacidade de produção de excremento em um galpão com 130m de comprimento, 12 m de largura e densidade de 14 aves/m 2, é de A) 52,68 ton. B) 44,32 ton. C) 43,68 ton. D) 23,48 ton. E) 21,84 ton. Questão 27 (Peso 2) Os corretivos da acidez do solo são produtos capazes de neutralizar (diminuir ou eliminar) a acidez dos solos e ainda levar nutrientes aos vegetais, principalmente cálcio e magnésio. Relacione o produto com a sua origem e obtenção, indicando com V as alternativas verdadeiras e com F, as falsas. ( ) O calcário é obtido pela moagem da rocha calcária. ( ) A cal virgem agrícola é obtido pela calcinação ou queima completa do calcário. ( ) A cal hidratada agrícola é obtida através da hidratação do calcário. ( ) O calcário calcinado é obtido através queima parcial do calcário. ( ) A escória básica da siderurgia é obtida através dos subprodutos aço e ferro laminado. A alternativa que contém a sequência correta de cima para baixo, é a A) V F V V F B) V V F V F C) F V F V V D) F F V V F E) V V F V V Questão 28 (Peso 1) São aparelhos utilizados para a realização das previsões climáticas: A) Termômetros, tensiômetros, anemômetros, anemógrafos e barômetros. B) Anemômetros, anemógrafos, tensiômentros, barômetros e termômetros. C) Higrômetros, termômetros, barômetros, anemômetros e anemógrafos. D) Termômetros, tensiômetros, barômetros, anemógrafos e anemômetros. E) Pluviômetros, tensiômetros, barômetros, higrômetros e anemômetros. 9

10 Questão 29 (Peso 3) A adubação começa com a análise do solo, continua com a correção da acidez e termina quando se aplica o adubo. Com relação à amostragem do solo, é correto afirmar: A) As subamostras, quando misturadas, formam uma amostra simples. B) As subamostras são coletadas, anualmente, nas profundidades de 0-20 e 20-40cm. C) As glebas devem ser divididas uniformemente, de acordo com a cor, textura do solo, topografia, profundidade e culturas anteriores. D) A coleta de 10 subamostras é feita em glebas menores que 10 ha e de 20 subamostras, em glebas maiores que 10 ha. E) A retirada da vegetação de cobertura, durante a coleta do solo, não se faz necessária. Questão 30 (Peso 3) No manejo e na produção dos animais de interesse zootécnico, a alimentação e a nutrição são uns dos fatores mais importantes para atingir o pico máximo da produção. Sobre os alimentos, pode-se afirmar que A) os concentrados possuem baixas concentrações de lipídios em sua constituição. B) os proteicos possuem mais de 20% de proteínas em sua constituição, sendo estas de origem animal e/ou vegetal. C) os volumosos, além de alto teor de FDA, possuem alta taxa de EM. D) os energéticos possuem altas concentrações de FDN E) os que possuem altas concentrações de CNF são denominados de fibrosos. Questão 31 (Peso 2) Sobre a ação dos fertilizantes, relacione as colunas numerando a segunda de acordo com a primeira. 1. Nitrogênio ( ) faz parte dos aminoácidos. 2. Fósforo ( ) necessário para o desenvolvimento das raízes. 3. Potássio ( ) faz parte da constituição do DNA e do ATP. 4. Cálcio ( ) atua na atividade enzimática. A alternativa que contém a sequencia correta, de cima para baixo, é a A) B) C) D) E) Questão 32 (Peso 2) O solo é a coleção de corpos naturais que ocupam porções de superfície da Terra, que sustentam plantas e que têm propriedades devidas ao efeito integrado do clima e dos organismos, atuando sobre o material de origem, sendo que esse efeito é condicionado pelo relevo durante períodos de tempo (Soil Survey Staff, 1951) Sobre os fatores que influenciam a formação do solo, pode-se afirmar que A) a zoosfera não atua na decomposição da matéria orgânica. B) o tempo é um dos fatores mais ativos na formação do solo. C) o relevo possui ação direta sobre a dinâmica da água e do clima. D) os organismos atuam como protetores da ação intempérica. E) o clima constitui o mais ativo e importante fator de formação do solo. 10

11 Questão 33 (Peso 3) A uniformidade de distribuição e a eficiência refletem a performance num sistema de irrigação. A respeito dos fatores que influenciam a uniformidade de distribuição e a eficiência, identifique com V os itens verdadeiros e com F, os falsos. ( ) Pressão de operação. ( ) Textura e estrutura do solo. ( ) Espaçamento. ( ) Velocidade do vento. ( ) Lamina de irrigação. A) V V V V V B) F V V V F C) F F V V F D) V F V V V E) V F V V F Questão 34 (Peso 1) São equipamentos que constituem um sistema de irrigação por aspersão: A) Conjunto motobomba, canalização, aspersores e gotejadores. B) Aspersores, canalização, reservatórios e gotejadores. C) Conjunto motobomba, gotejadores, aspersores e reservatórios. D) Aspersores, conjunto motobomba, elevadores e gotejadores. E) Conjunto motobomba, aspersores, canalização e sistema de deslocamento. Questão 35 (Peso 1) Na caprinocultura, após o dia de pastoreio dos animais, o criador deve conduzir os caprinos para local seguro e que os previna contra doenças e parasitas oportunos. Essa construção rural é denominada de A) curral. B) brete. C) aprisco. D) tronco. E) galpão. 11

CONCURSO PÚBLICO PREFEITURA MUNICIPAL PALMAS DE MONTE ALTO AGENTE ADMINISTRATIVO (CÓDIGO 201)

CONCURSO PÚBLICO PREFEITURA MUNICIPAL PALMAS DE MONTE ALTO AGENTE ADMINISTRATIVO (CÓDIGO 201) Leia atentamente o texto a seguir para responder às questões de 01 a 04. TEXTO: 5 10 O homem, nos últimos dois séculos, vivenciou uma grande transformação, culminando em grandes descobertas científicas

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PREFEITURA MUNICIPAL PALMAS DE MONTE ALTO PROFESSOR NÍVEL 1 (CÓDIGO 207)

CONCURSO PÚBLICO PREFEITURA MUNICIPAL PALMAS DE MONTE ALTO PROFESSOR NÍVEL 1 (CÓDIGO 207) Leia atentamente o texto a seguir para responder às questões de 01 a 04. TEXTO: 5 10 O homem, nos últimos dois séculos, vivenciou uma grande transformação, culminando em grandes descobertas científicas

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PREFEITURA MUNICIPAL PALMAS DE MONTE ALTO TÉCNICO EM RADIOLOGIA (CÓDIGO 205)

CONCURSO PÚBLICO PREFEITURA MUNICIPAL PALMAS DE MONTE ALTO TÉCNICO EM RADIOLOGIA (CÓDIGO 205) Leia atentamente o texto a seguir para responder às questões de 01 a 04. TEXTO: 5 10 O homem, nos últimos dois séculos, vivenciou uma grande transformação, culminando em grandes descobertas científicas

Leia mais

Nutrição, Adubação e Calagem

Nutrição, Adubação e Calagem Nutrição, Adubação e Calagem Importância da nutrição mineral Embora o eucalipto tenha rápido crescimento, este é muito variável. Os principais fatores que interferem no crescimento estão relacionados com

Leia mais

MANEJO DA FERTILIDADE DO SOLO: Amostragem, interpretação, recomendação de calagem e adubação.

MANEJO DA FERTILIDADE DO SOLO: Amostragem, interpretação, recomendação de calagem e adubação. MANEJO DA FERTILIDADE DO SOLO: Amostragem, interpretação, recomendação de calagem e adubação. A produção agrícola depende de uma série de fatores bióticos e abióticos. Dentre os fatores mais importantes

Leia mais

Planejamento e instalação de pomares

Planejamento e instalação de pomares Universidade Federal de Rondônia Curso de Agronomia Fruticultura I Planejamento e instalação de pomares Emanuel Maia emanuel@unir.br www.lahorta.acagea.net Perguntas iniciais O que plantar? Qual o mercado?

Leia mais

Análise química do solo: amostras para análise

Análise química do solo: amostras para análise Análise química do solo: Amostragem de solos e Preparo das amostras para análise Análise do solo A análise de solo conjunto de procedimentos físicos e químicos que visam avaliar as características e propriedades

Leia mais

Recomendação de calagem e adubação

Recomendação de calagem e adubação Recomendação de calagem e adubação Na agricultura, a recomendação de calagem e adubação para as culturas é geralmente efetuada com base nas doses de corretivos e fertilizantes que assegurem entre 80% e

Leia mais

VIABILIDADE ECONÔMICA DO SISTEMA DE PRODUÇÃO SOJA- MILHO SAFRINHA 1.INTRODUÇÃO

VIABILIDADE ECONÔMICA DO SISTEMA DE PRODUÇÃO SOJA- MILHO SAFRINHA 1.INTRODUÇÃO VIABILIDADE ECONÔMICA DO SISTEMA DE PRODUÇÃO SOJA- MILHO SAFRINHA Alceu Richetti 1 1.INTRODUÇÃO No cenário nacional, o Estado de Mato Grosso do Sul é o terceiro maior produtor de milho safrinha e o quinto

Leia mais

ADUBAÇÃO VERDE E BANCO DE SEMENTES Uma alternativa para o agricultor familiar

ADUBAÇÃO VERDE E BANCO DE SEMENTES Uma alternativa para o agricultor familiar ADUBAÇÃO VERDE E BANCO DE SEMENTES Uma alternativa para o agricultor familiar Lucas Alves Jural¹; Thais Monteiro de Souza²; Isabelle Sá e Silva Rangel³; Sandra Barros Sanchez 4 RESUMO O trabalho aqui apresentado

Leia mais

Corretivos Adubos e Adubações. Prof. ELOIR MISSIO

Corretivos Adubos e Adubações. Prof. ELOIR MISSIO Corretivos Adubos e Adubações Prof. ELOIR MISSIO ADUBAÇÃO ORGÂNICA Fertilidade dos solos e manejo da adubação de culturas. Carlos A. Bissani; Clesio Gianello; Marino J. Tedesco; Flávio A. O. Camargo. Porto

Leia mais

Manejo de Solos. Curso de Zootecnia Prof. Etiane Skrebsky Quadros

Manejo de Solos. Curso de Zootecnia Prof. Etiane Skrebsky Quadros Manejo de Solos Curso de Zootecnia Prof. Etiane Skrebsky Quadros Aula 6: Acidez e calagem Acidez Acidez Acidez Faixa de acidez e alcalinidade encontradas na maioria dos solos agrícolas Acidez Acidez Amplitude

Leia mais

MANEJO DO SOLO PARA O CULTIVO DE HORTALIÇAS

MANEJO DO SOLO PARA O CULTIVO DE HORTALIÇAS MANEJO DO SOLO PARA O CULTIVO DE HORTALIÇAS Vinícius Macedo Msc. em Agroecologia SOLO Ao longo da história da humanidade, o homem sempre conviveu com o solo. No começo, ele apenas colhia os produtos da

Leia mais

22/2/2012. Universidade Federal de Campina Grande Centro de Ciências e Tecnologia Agroalimentar. Introdução. Coeficiente de esgotamento (f)

22/2/2012. Universidade Federal de Campina Grande Centro de Ciências e Tecnologia Agroalimentar. Introdução. Coeficiente de esgotamento (f) Universidade Federal de Campina Grande Centro de Ciências e Tecnologia Agroalimentar Aula 8: Projeto Agronômico Disciplina: Irrigação e drenagem Prof.: Marcos Eric Barbosa Brito Introdução Necessidade

Leia mais

Manejo da adubação nitrogenada na cultura do milho

Manejo da adubação nitrogenada na cultura do milho Manejo da adubação nitrogenada na cultura do milho Atualmente, pode-se dizer que um dos aspectos mais importantes no manejo da adubação nitrogenada na cultura do milho refere-se à época de aplicação e

Leia mais

Exercitando Ciências Tema: Solos. Esta lista de exercícios aborda o conteúdo curricular Solos Origem e Tipos de solos.

Exercitando Ciências Tema: Solos. Esta lista de exercícios aborda o conteúdo curricular Solos Origem e Tipos de solos. Exercitando Ciências Tema: Solos Esta lista de exercícios aborda o conteúdo curricular Solos Origem e Tipos de solos. 1. O solo é um componente terrestre essencial para os seres vivos e também para a realização

Leia mais

Geologia e conservação de solos. Luiz José Cruz Bezerra

Geologia e conservação de solos. Luiz José Cruz Bezerra Geologia e conservação de solos Luiz José Cruz Bezerra SOLO É a parte natural e integrada à paisagem que dá suporte às plantas que nele se desenvolvem. Parte mais superficial e fina da crosta terrestre.

Leia mais

Produtividade: Interação entre Adubação Fosfatada de Pastagens e Suplementação Mineral

Produtividade: Interação entre Adubação Fosfatada de Pastagens e Suplementação Mineral 0 Produtividade: Interação entre Adubação Fosfatada de Pastagens e Suplementação Mineral Paulo Rodrigo Santos de Souza Zootecnista, Msc. Produção Animal 1 Pecuária Brasileira no Mundo Brasil é o maior

Leia mais

Fundação de Apoio e Pesquisa e Desenvolvimento Integrado Rio Verde

Fundação de Apoio e Pesquisa e Desenvolvimento Integrado Rio Verde PARCERIIA FUNDAÇÃO RIIO VERDE - SN CENTRO Lucas do Rio, Outubro de 2007 PLANO DE PARCERIA FUNDAÇÃO RIIO VERDE - SN CENTRO TECNOLOGIAS DE NUTRIÇÃO DE SISTEMAS PRODUTIVOS LINHA DE PESQUISA: Avaliação de

Leia mais

11 dicas sobre amostragem do solo agrícola.

11 dicas sobre amostragem do solo agrícola. 11 dicas sobre amostragem do solo agrícola. 1 Encontre o começo. 2 Faça a sua escolha e aproveite bem os serviços. 3 Conheça as condições. 4 Seja cauteloso. 5 Delimite a área. 6 Conheça os critérios. 7

Leia mais

PRONAF - AGRICULTURA FAMILIAR ANO AGRÍCOLA 2015/2016

PRONAF - AGRICULTURA FAMILIAR ANO AGRÍCOLA 2015/2016 PRONAF - AGRICULTURA FAMILIAR ANO AGRÍCOLA 2015/2016 Linha Risco Beneficiários (1) Finalidade Limites (R$) Juros Prazo/Carência CUSTEIO Pronaf Custeio Grupo "A/C" (2) /FCO Assentados da Reforma Agrária

Leia mais

431 - AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE MILHO EM DIFERENTES DENSIDADES DE PLANTIO EM SISTEMA ORGÂNICO DE PRODUÇÃO

431 - AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE MILHO EM DIFERENTES DENSIDADES DE PLANTIO EM SISTEMA ORGÂNICO DE PRODUÇÃO Manejo de Agroecosistemas Sustentaveis Monferrer 431 - AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE MILHO EM DIFERENTES DENSIDADES DE PLANTIO EM SISTEMA ORGÂNICO DE PRODUÇÃO José C. Cruz 1 ; Israel A. Pereira Filho 1 ;

Leia mais

Banco do Brasil. Setembro 2012

Banco do Brasil. Setembro 2012 Banco do Brasil Setembro 2012 2011/2012 Atuação do BB na Safra 2011/2012 Volume de crédito rural desembolsado R$ 48,2 bilhões CRESCIMENTO de 23% Atuação do BB na Safra 2011/2012 Comparativo: Safras 2010/2011

Leia mais

Feijão. 9.3 Calagem e Adubação

Feijão. 9.3 Calagem e Adubação Feijão 9.3 Calagem e Adubação Fonte: Fageria et al. (1996). 1996 CORREÇÃO DO SOLO -CALAGEM -GESSAGEM -SILICATAGEM CALAGEM -Aumento da eficiência dos adubos -Produtividade -Rentabilidade Agropecuária. Lopes

Leia mais

ASPECTOS GENÉRICOS DA TECNOLOGIA DE ALIMENTOS

ASPECTOS GENÉRICOS DA TECNOLOGIA DE ALIMENTOS ASPECTOS GENÉRICOS DA TECNOLOGIA DE ALIMENTOS O campo da ciência dos alimentos não é novo, estando nos dias de hoje a se desenvolver como uma importante ciência aplicada. Ela tem recebido novas dimensões

Leia mais

DINÂMICA DO POTÁSSIO NO SISTEMA SOJA-MILHO EM ÁREA DE ALTA PRODUTIVIDADE EM SORRISO-MT.

DINÂMICA DO POTÁSSIO NO SISTEMA SOJA-MILHO EM ÁREA DE ALTA PRODUTIVIDADE EM SORRISO-MT. DINÂMICA DO POTÁSSIO NO SISTEMA SOJA-MILHO EM ÁREA DE ALTA PRODUTIVIDADE EM SORRISO-MT. Projeto Agrisus No: 1225/13 Coordenador do projeto: Prof. Dr. Anderson Lange. Instituição: Universidade Federal de

Leia mais

Nutrição Vegetal e Maneio dos Povoamentos Jovens i (Aspectos Práticos) José Rafael

Nutrição Vegetal e Maneio dos Povoamentos Jovens i (Aspectos Práticos) José Rafael Nutrição Vegetal e Maneio dos Povoamentos Jovens i (Aspectos Práticos) José Rafael Lisboa, 15 nov 2016 Problemas 1. Baixo rendimento unitário Baixa produtividade Fogos Pragas e doenças 2. Pouca partilha

Leia mais

NUTRIÇÃO MINERAL GÊNESE DO SOLO. Rochas da Litosfera expostas ao calor, água e ar. Alterações físicas e químicas (intemperismo)

NUTRIÇÃO MINERAL GÊNESE DO SOLO. Rochas da Litosfera expostas ao calor, água e ar. Alterações físicas e químicas (intemperismo) NUTRIÇÃO MINERAL GÊNESE DO SOLO Rochas da Litosfera expostas ao calor, água e ar Alterações físicas e químicas (intemperismo) Físico (Altera o tamanho) Químico (Altera a composição) Intemperismo Físico

Leia mais

AS RELAÇÕES ENTRE MACRONUTRIENTES E MICRONUTRIENTES E A FERTILIDADE DO SOLO Pedro Lopes Ferlini Salles Orientadora: Marisa Falco Fonseca Garcia

AS RELAÇÕES ENTRE MACRONUTRIENTES E MICRONUTRIENTES E A FERTILIDADE DO SOLO Pedro Lopes Ferlini Salles Orientadora: Marisa Falco Fonseca Garcia AS RELAÇÕES ENTRE MACRONUTRIENTES E MICRONUTRIENTES E A FERTILIDADE DO SOLO Pedro Lopes Ferlini Salles Orientadora: Marisa Falco Fonseca Garcia Coorientador: Flávio Ferlini Salles RELEVÂNCIA O solo é importante

Leia mais

GESTÃO DE DEJETOS DE BOVINOS, CASCA SECA E ÚMIDA DE CAFÉ ( Coffea arabica L.) ATRAVÉS DO PROCESSO DE VERMICOMPOSTAGEM

GESTÃO DE DEJETOS DE BOVINOS, CASCA SECA E ÚMIDA DE CAFÉ ( Coffea arabica L.) ATRAVÉS DO PROCESSO DE VERMICOMPOSTAGEM GESTÃO DE DEJETOS DE BOVINOS, CASCA SECA E ÚMIDA DE CAFÉ ( Coffea arabica L.) ATRAVÉS DO PROCESSO DE VERMICOMPOSTAGEM Rildo Araújo Leite 1 Roberta de Castro Pereira 2 João Augusto Ferreira Marques 2 Pedro

Leia mais

Julio Cesar P. Palhares Suínos e Aves

Julio Cesar P. Palhares Suínos e Aves Zoneamento da produção animal: viabilização ambiental de territórios, bacias hidrográficas e propriedades rurais Julio Cesar P. Palhares Suínos e Aves Introdução Suínos e Aves Em dez anos, as exportações

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MANEJO DE SOLO E ÁGUA

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MANEJO DE SOLO E ÁGUA PROGRAMA ANALÍTICO DE DISCIPLINA IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA CÓDIGO NOME NATUREZA PMS0030 TÓPICOS ESPECIAIS EM MANEJO DE SOLO E ÁGUA I: MANEJO ECOLÓGICO DO SOLO PROFESSOR Neyton de Oliveira Miranda [ ]

Leia mais

CAPÍTULO 3 - AGROPECUÁRIA E AGRONEGÓCIO PROFESSOR LEONAM JUNIOR COLÉGIO ARI DE SÁ 7º ANO

CAPÍTULO 3 - AGROPECUÁRIA E AGRONEGÓCIO PROFESSOR LEONAM JUNIOR COLÉGIO ARI DE SÁ 7º ANO CAPÍTULO 3 - AGROPECUÁRIA E AGRONEGÓCIO PROFESSOR LEONAM JUNIOR COLÉGIO ARI DE SÁ 7º ANO QUEM SÃO OS TRABALHADORES BRASILEIROS E ONDE DESENVOLVEM SUAS ATIVIDADES ECONÔMICAS P. 37 PEA do Brasil: 100 milhões

Leia mais

Otimização do Uso da Água na Agricultura Irrigada

Otimização do Uso da Água na Agricultura Irrigada São Mateus, ES 02 de setembro de 2016 Otimização do Uso da Água na Agricultura Irrigada Prof. Ds. Robson Bonomo Programa de Pós-graduação em Agricultura Tropical Departamento de Ciências Agrárias e Biológicas

Leia mais

Continente asiático maior produtor (80%) Arroz sequeiro perdendo área para milho e soja

Continente asiático maior produtor (80%) Arroz sequeiro perdendo área para milho e soja Alimento de importância mundial Continente asiático maior produtor (80%) Brasil 9º país produtor RS - 70% da produção nacional Arroz sequeiro perdendo área para milho e soja CONAB Nitrogênio é bastante

Leia mais

ESTIMATIVA DA QUANTIDADE E DESTINO DE RESÍDUOS ORGÂNICOS DE AVIÁRIOS PRODUZIDOS NA REGIÃO SUDOESTE DO PARANÁ

ESTIMATIVA DA QUANTIDADE E DESTINO DE RESÍDUOS ORGÂNICOS DE AVIÁRIOS PRODUZIDOS NA REGIÃO SUDOESTE DO PARANÁ 1 II CONGRESSO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA UTFPR CÂMPUS DOIS VIZINHOS ESTIMATIVA DA QUANTIDADE E DESTINO DE RESÍDUOS ORGÂNICOS DE AVIÁRIOS PRODUZIDOS NA REGIÃO SUDOESTE DO PARANÁ Fabio César Bratti 1, Laércio

Leia mais

Solos e suas várias importâncias

Solos e suas várias importâncias SOLOS Solos e suas várias importâncias Fornecer alimentos, madeira e terra para construções. Capacidade de decompor resíduos e purificar a água. Capacidade de regular as enchentes. Na paisagem, produzindo

Leia mais

Tecnologias da Geoinformação aplicadas a Agricultura de Precisão. EAD CR Campeiro7 Edição 2015

Tecnologias da Geoinformação aplicadas a Agricultura de Precisão. EAD CR Campeiro7 Edição 2015 Tecnologias da Geoinformação aplicadas a Agricultura de Precisão EAD CR Campeiro7 Edição 2015 Fonte - AGCO Como a agricultura de precisão ainda é considerada por muitos no Brasil A agricultura de precisão

Leia mais

GERAÇÃO DE UM ÍNDICE DE FERTILIDADE PARA DEFINIÇÃO DE ZONAS DE MANEJO EM AGRICULTURA DE PRECISÃO

GERAÇÃO DE UM ÍNDICE DE FERTILIDADE PARA DEFINIÇÃO DE ZONAS DE MANEJO EM AGRICULTURA DE PRECISÃO GERAÇÃO DE UM ÍNDICE DE FERTILIDADE PARA DEFINIÇÃO DE ZONAS DE MANEJO EM AGRICULTURA DE PRECISÃO ¹L.M.Gimenez, ²J.P. Molin (orientador): Departamento de Engenharia Rural ESALQ/USP RESUMO: A realização

Leia mais

Poder de neutralização

Poder de neutralização LCE-108 Química Inorgânica e Analítica Poder de neutralização Wanessa Melchert Mattos Poder de neutralização Corretivos de acidez dos solos são produtos capazes de neutralizar (diminuir ou eliminar) a

Leia mais

Prof. Clésio Farrapo

Prof. Clésio Farrapo Prof. Clésio Farrapo Podemos dividir a área agrícola em dois tipos de Iavoura: cultura permanente e cultura temporária. No primeiro caso, as culturas Ievam mais de um ano para produzir; podem ser retiradas

Leia mais

MANEJO DA ADUBAÇÃO. Prof. Dr. Danilo Eduardo Rozane.

MANEJO DA ADUBAÇÃO. Prof. Dr. Danilo Eduardo Rozane. CURSO DE FORMAÇÃO DE RESPONSÁVEIS TÉCNICOS E AUDITORES EM PI MÓDULO GOIABA CATI - CAMPINAS 07 a 11 de novembro de 2011 MANEJO DA ADUBAÇÃO Prof. Dr. Danilo Eduardo Rozane danilorozane@registro.unesp.br

Leia mais

Quadro resumo do crédito do Pronaf

Quadro resumo do crédito do Pronaf Pronaf custeio Quadro resumo do crédito do Pronaf 2016-2017 Linha Finalidade/empreendimento Condições Encargos (taxa de juros) Para financiamentos destinados ao cultivo de arroz, feijão, mandioca, feijão

Leia mais

AGRICULTURA DE PRECISÃO

AGRICULTURA DE PRECISÃO AGRICULTURA DE PRECISÃO AGRICULTURA DE PRECISÃO A agricultura de precisão C.Vale é uma atividade que tem como objetivo aperfeiçoar o uso dos insumos agrícolas dentro da propriedade. Permite aplicação localizada

Leia mais

ASPERSOR RECICLÁVEL UMA ALTERNATIVA ECONÔMICA PARA AGRICULTURA FAMILIAR

ASPERSOR RECICLÁVEL UMA ALTERNATIVA ECONÔMICA PARA AGRICULTURA FAMILIAR ASPERSOR RECICLÁVEL UMA ALTERNATIVA ECONÔMICA PARA AGRICULTURA FAMILIAR Mikaella Da Silva CARVALHO 1, Luciana Da Silva TEIXEIRA 1, Luis Carlos Estrella SARMENTO 2 1 Alunas do Ensino Nédio Integrado ao

Leia mais

4 Reciclagem do lodo para utilização final na agricultura

4 Reciclagem do lodo para utilização final na agricultura 24 4 Reciclagem do lodo para utilização final na agricultura A reciclagem agrícola tem proporcionado inúmeros benefícios tanto para o homem quanto a natureza, logo a reciclagem transforma um simples resíduo

Leia mais

Bancos de proteína abandonados o que fazer frente aos desafios e inovações atuais do setor?

Bancos de proteína abandonados o que fazer frente aos desafios e inovações atuais do setor? Bancos de proteína abandonados o que fazer frente aos desafios e inovações atuais do setor? Francisco Eden Paiva Fernandes Zootecnista Embrapa Caprinos Esquema Contexto Banco de proteína conceitos, implantação

Leia mais

Desprezando todo tipo de atrito, se as esferas forem soltas em um mesmo instante, é CORRETO afirmar que:

Desprezando todo tipo de atrito, se as esferas forem soltas em um mesmo instante, é CORRETO afirmar que: 6 GAB. 1 1 o DIA PASES 1 a ETAPA TRIÊNIO 005-007 FÍSICA QUESTÕES DE 11 A 0 11. Três esferas pequenas de massas e raios iguais encontram-se em repouso a uma altura (h) nas extremidades de três trilhos (I,

Leia mais

01- Analise a figura abaixo e aponte as capitais dos 3 estados que compõem a Região Sul.

01- Analise a figura abaixo e aponte as capitais dos 3 estados que compõem a Região Sul. PROFESSOR: EQUIPE DE GEOGRAFIA BANCO DE QUESTÕES - GEOGRAFIA - 7º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL - PARTE 1 ============================================================================================= 01- Analise

Leia mais

Café. Amostragem do solo. Calagem. Gessagem. Produtividade esperada. Espaçamento (m)

Café. Amostragem do solo. Calagem. Gessagem. Produtividade esperada. Espaçamento (m) Café Produtividade esperada Sistema Stand (plantas/ha) Espaçamento (m) Produtividade Média (Sc/ha) Tradicional Até 2.500 3,5 a 4,0 x 1,0 a 2,0 20 a 30 Semi-Adensado 2.500 a 5.000 2,5 a 4,0 x 0,5 a 1,0

Leia mais

Viabilidade Econômica da Cultura do Milho Safrinha 2018, em Mato Grosso do Sul

Viabilidade Econômica da Cultura do Milho Safrinha 2018, em Mato Grosso do Sul 231 ISSN 1679-0472 Dezembro, 2017 Dourados, MS Foto: Alceu Richetti Viabilidade Econômica da Cultura do Milho Safrinha 2018, em Mato Grosso do Sul 1 Alceu Richetti Introdução As análises de viabilidade

Leia mais

Quais os benefícios ao patrocinar um curso online?

Quais os benefícios ao patrocinar um curso online? Quais os benefícios ao patrocinar um curso online? Reforço da marca no mercado; Relacionamento estreito com o público alvo; Destaque da expertise da organização ao contribuir com conhecimentos e tecnologias

Leia mais

HORTICULTURA EM MODO BIOLÓGICO

HORTICULTURA EM MODO BIOLÓGICO HORTICULTURA EM MODO BIOLÓGICO O SOLO 2 SOLO ARGILOSO 3 CARACTERÍSTICAS DE UM SOLO ARGILOSO São solos com teores de argila superiores a 35%. Possuem baixa permeabilidade e alta capacidade de retenção de

Leia mais

ORIGEM DA AGRICULTURA E DA PECUÁRIA

ORIGEM DA AGRICULTURA E DA PECUÁRIA ORIGEM DA AGRICULTURA E DA PECUÁRIA PRIMEIROS CAMPONESES Os primeiros camponeses foram caçadores e coletores, ou seja, eram somente extrativistas: retiravam os alimentos da natureza, sem qualquer controle

Leia mais

CRÉDITO RURAL PRINCÍPIOS E APLICAÇÃO NO BRASIL

CRÉDITO RURAL PRINCÍPIOS E APLICAÇÃO NO BRASIL CRÉDITO RURAL PRINCÍPIOS E APLICAÇÃO NO BRASIL Crédito Rural Conceito Suprimento de recursos financeiros pelo SNCR, para aplicação exclusiva nas finalidades e condições do MCR (MCR 1-1) Elemento unificador

Leia mais

Importância do Manejo de Solos

Importância do Manejo de Solos CENTRO UNIVERSITÁRIO DO TRIÂNGULO IMPORTÂNCIA DO SOLO O seu uso adequado, além de garantir o suprimento de água para Importância do Manejo de Solos as culturas, criações e comunidades; previne a erosão

Leia mais

Agenda. Contexto. O Nordeste Territorial. Fórum de Governança da Atividade Econômica. Formas de Financiamento

Agenda. Contexto. O Nordeste Territorial. Fórum de Governança da Atividade Econômica. Formas de Financiamento Agenda Contexto O Nordeste Territorial Fórum de Governança da Atividade Econômica Formas de Financiamento Área de atuação do BNB Nordeste: 1.554,4 mil Km 2 Semi-árido: 974,4 mil Km 2 (62,7% do território

Leia mais

EXERCÍCIOS. Questão 03 (INSS) A razão entre o número de homens e de mulheres, funcionários de uma firma, é de 5

EXERCÍCIOS. Questão 03 (INSS) A razão entre o número de homens e de mulheres, funcionários de uma firma, é de 5 EXERCÍCIOS Questão 01 (Banco do Brasil) Uma empresa possui atualmente.100 funcionários. Se a relação entre o número de efetivos e contratados é de 5 para, quantos são os efetivos? a) 600 b) 1.000 c) 1.500

Leia mais

Resumo Expandido. Título da Pesquisa: UTILIZAÇÃO DE RESÍDUOS DA INDÚSTRIA FRIGORÍFICA NA FERTILIZAÇÃO DE PLANTAS FORRAGEIRAS DO GÊNERO BRACHIÁRIA

Resumo Expandido. Título da Pesquisa: UTILIZAÇÃO DE RESÍDUOS DA INDÚSTRIA FRIGORÍFICA NA FERTILIZAÇÃO DE PLANTAS FORRAGEIRAS DO GÊNERO BRACHIÁRIA Resumo Expandido Título da Pesquisa: UTILIZAÇÃO DE RESÍDUOS DA INDÚSTRIA FRIGORÍFICA NA FERTILIZAÇÃO DE PLANTAS FORRAGEIRAS DO GÊNERO BRACHIÁRIA Palavras-chave: brachiária, adubação, conteúdo ruminal.

Leia mais

MILHO PARA SILAGEM E SEU EFEITO SOBRE O MANEJO DO SOLO. Dr. Rodrigo Pizzani

MILHO PARA SILAGEM E SEU EFEITO SOBRE O MANEJO DO SOLO. Dr. Rodrigo Pizzani MILHO PARA SILAGEM E SEU EFEITO SOBRE O MANEJO DO SOLO Dr. Rodrigo Pizzani Cenário atual: desafios para agricultura Alimentar 9 bilhões de pessoas em 2050 Contornar problemas: Fatores-chaves para atingir

Leia mais

Redução da dependência de insumos agropecuários não renováveis e o aproveitamento de resíduos

Redução da dependência de insumos agropecuários não renováveis e o aproveitamento de resíduos Redução da dependência de insumos agropecuários não renováveis e o aproveitamento de resíduos *Alfredo José Barreto Luiz & Claudio Aparecido Spadotto Foto: Eliana Lima. A cada 4 anos, por meio do planejamento

Leia mais

9 IRRIGAÇÃO POR ASPERSÃO CONVENCIONAL

9 IRRIGAÇÃO POR ASPERSÃO CONVENCIONAL 9 IRRIGAÇÃO POR ASPERSÃO CONVENCIONAL 9.1 TIPOS DE SISTEMAS FIXOS PERMANENTES FIXOS TEMPORÁRIOS SEMIFÍXOS PORTÁTEIS 9.2 VANTAGENS, LIMITAÇÕES E PESRPECTIVAS VANTAGENS Dispensa sistematização ou uniformização

Leia mais

BRASIL: ESPAÇO AGRÁRIO E PROBLEMAS SÓCIOAMBIENTAIS

BRASIL: ESPAÇO AGRÁRIO E PROBLEMAS SÓCIOAMBIENTAIS BRASIL: ESPAÇO AGRÁRIO E PROBLEMAS SÓCIOAMBIENTAIS AGRICULTURA: HISTÓRICO Os primeiros camponeses (habitantes do campo) foram caçadores e coletores, ou seja, eram somente extrativistas: retiravam os alimentos

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO - NÍVEL DE APERFEIÇOAMENTO, EM NUTRIÇÃO E ADUBAÇÃO RACIONAL DE CULTURAS DE LAVOURA

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO - NÍVEL DE APERFEIÇOAMENTO, EM NUTRIÇÃO E ADUBAÇÃO RACIONAL DE CULTURAS DE LAVOURA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO - NÍVEL DE APERFEIÇOAMENTO, EM NUTRIÇÃO E ADUBAÇÃO RACIONAL DE CULTURAS DE LAVOURA PROMOÇÃO Instituto de Ciências Agronômicas Professor Elmar Luiz Floss Instituto Incia Passo Fundo-RS

Leia mais

APRESENTAÇÃO: FERTILIZANTE TERRAPLANT

APRESENTAÇÃO: FERTILIZANTE TERRAPLANT APRESENTAÇÃO: FERTILIZANTE TERRAPLANT DESCRIÇÃO DO PRODUTO Fertilizante proveniente de cama de aviário; Fonte de macro e micro nutrientes; Fonte excepcional de matéria orgânica. DESCRIÇÃO DO PRODUTO Para

Leia mais

Sintomas de deficiência de alguns nutrientes na cultura do milho

Sintomas de deficiência de alguns nutrientes na cultura do milho Sintomas de deficiência de alguns nutrientes na cultura do milho Prof. Luiz Duarte Silva Júnior Os nutrientes são elementos importantes no desenvolvimento das plantas para que elas possam completar o ciclo

Leia mais

FUNDAMENTOS EM AGROECOLOGIA

FUNDAMENTOS EM AGROECOLOGIA Especialização Latu Sensu em Agroecologia 2017-1 FUNDAMENTOS EM AGROECOLOGIA Professor: Roberto Akitoshi Komatsu roberto.komatsu@ifsc.edu.br (49) 9.9152-9081 FUNDAMENTOS EM AGROECOLOGIA - Transferência

Leia mais

UBERABA, 13 A 15 DE FEVEREIRO DE 2017

UBERABA, 13 A 15 DE FEVEREIRO DE 2017 DISCURSO DE S.E. NELSON COSME, EMBAIXADOR DE ANGOLA NO BRASIL NA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DA CPLP, SOBRE DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO E ERRADICAÇÃO DA POBREZA POR MEIO DA AGRICULTURA UBERABA, 13 A 15 DE

Leia mais

Cultivo e utilização da alfafa em pastejo para alimentação de vacas leiteiras

Cultivo e utilização da alfafa em pastejo para alimentação de vacas leiteiras Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Cultivo e utilização da alfafa em pastejo para alimentação de vacas leiteiras Reinaldo de Paula Ferreira

Leia mais

CAPÍTULO 27 O MEIO RURAL E SUAS TRANSFORMAÇÕES

CAPÍTULO 27 O MEIO RURAL E SUAS TRANSFORMAÇÕES Disciplina - Geografia 2 a Série Ensino Médio CAPÍTULO 27 O MEIO RURAL E SUAS TRANSFORMAÇÕES Professor: Gelson Alves Pereira 1- INTRODUÇÃO Revolução Neolítica Importância Em primeiro plano fornecer alimentos.

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE DOSES DE AGROSILÍCIO COMO FERTILIZANTE NA CULTURA DO MILHO

UTILIZAÇÃO DE DOSES DE AGROSILÍCIO COMO FERTILIZANTE NA CULTURA DO MILHO UTILIZAÇÃO DE DOSES DE AGROSILÍCIO COMO FERTILIZANTE NA CULTURA DO MILHO Bruno Martins Pereira (1), Jeferson Antônio de Souza (2,3), José Mauro Valente Paes (2,3), Roberto Kazuhiko Zito (2), João Victor

Leia mais

ESTRATÉGIAS ECONÔMICAS EM MANEJO DE PASTAGENS

ESTRATÉGIAS ECONÔMICAS EM MANEJO DE PASTAGENS ESTRATÉGIAS ECONÔMICAS EM MANEJO DE PASTAGENS II SIMPÓSIO DE ADUBAÇÃO E MANEJO DE PASTAGENS. UNESP/DRACENA, 18 DE MAIO DE 2013. JOÃO MANETTI FILHO (FEIS/UNESP). a) PRODUÇÃO DE FORRAGEM b) AQUISIÇÃO DE

Leia mais

Construção e M anejo de Tanques em Piscicultura. Z ootec. M S c. Daniel M ontagner

Construção e M anejo de Tanques em Piscicultura. Z ootec. M S c. Daniel M ontagner Construção e M anejo de Tanques em Piscicultura Z ootec. M S c. Daniel M ontagner Principais f atores determinantes Planejamento: ações e etapas de implantação do empreendimento. Avaliação e seleção das

Leia mais

AMOSTRAGEM DE SOLO. Pedro Marques da Silveira. III Encontro de Laboratório do PAQLF. Goiânia GO 16/09/2009

AMOSTRAGEM DE SOLO. Pedro Marques da Silveira. III Encontro de Laboratório do PAQLF. Goiânia GO 16/09/2009 AMOSTRAGEM DE SOLO Pedro Marques da Silveira III Encontro de Laboratório do PAQLF Goiânia GO 16/09/2009 ANÁLISE DO SOLO: OBJETIVO: Conhecer o grau de fertilidade para uma adequada recomendação de corretivos

Leia mais

Mercado Internacional

Mercado Internacional A Força do Agronegócio no Mercado Internacional O Brasil que alimenta o mundo 1 27 FEDERAÇÕES ESTADUAIS +2mil SINDICATOS RURAIS +5milhões PRODUTORES RURAIS Fundada em 1951, a Confederação da Agricultura

Leia mais

RESULTADOS TÉCNICOS E ECONÔMICOS URT DE COMBINADO FAZENDA PARAISO

RESULTADOS TÉCNICOS E ECONÔMICOS URT DE COMBINADO FAZENDA PARAISO RESULTADOS TÉCNICOS E ECONÔMICOS URT DE COMBINADO FAZENDA PARAISO Equipe Técnica Responsável técnico RURALTINS Carlos Rodrigo Xavier Oliveira Técnico/Tecnólogo em Agropecuária Responsável técnico EMBRAPA

Leia mais

Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil

Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Programa ABC Plano Setorial de Mitigação e de Adaptação às Mudanças Climáticas visando à Consolidação de uma Economia de Baixa Emissão de Carbono na Agricultura

Leia mais

O AGRONEGÓCIO: Sua Relevância e a Infraestrutura Logística de Suporte no Estado de São Paulo

O AGRONEGÓCIO: Sua Relevância e a Infraestrutura Logística de Suporte no Estado de São Paulo Cosag Conselho Superior do Agronegócio O AGRONEGÓCIO: Sua Relevância e a Infraestrutura Logística de Suporte no Estado de São Paulo Palestrante: Duarte Nogueira Secretário de Logística e s do Estado de

Leia mais

Uso racional de nutrientes na agricultura e pecuária

Uso racional de nutrientes na agricultura e pecuária Uso racional de nutrientes na agricultura e pecuária Rogério de Paula Lana 1, Geicimara Guimarães 1 Professor do DZO/UFV. Bolsista 1B do CNPq. rlana@ufv.br 1. Introdução (Mb/d) = milhões de barris/dia

Leia mais

ALTIMETRIA. O que é topografia? PLANIMETRIA. A topografia divide-se em em:

ALTIMETRIA. O que é topografia? PLANIMETRIA. A topografia divide-se em em: ALTIMETRIA O que é topografia? É a ciência que tem como objetivo representar, no papel, a configuração de uma porção de terreno com as benfeitorias que estão em sua superfície. Permite a representação

Leia mais

Moacyr Bernardino Dias-Filho

Moacyr Bernardino Dias-Filho Moacyr Bernardino Dias-Filho Embrapa Amazônia Oriental www.diasfilho.com.br O estigma da pecuária desenvolvida a pasto Na pecuária é possível produzir (embora com baixa eficiência) extensivamente Áreas

Leia mais

Insumos Agropecuários: Fertilizantes. Cadeias Produtivas Agrícolas

Insumos Agropecuários: Fertilizantes. Cadeias Produtivas Agrícolas Insumos Agropecuários: Fertilizantes Cadeias Produtivas Agrícolas Insumos Agropecuários Segundo dados da Associação Nacional dos Distribuidores de Insumos Agrícolas e Veterinários, o mercado distribuidor

Leia mais

Biodigestores. Profa. Dra. Letícia Ane Sizuki Nociti

Biodigestores. Profa. Dra. Letícia Ane Sizuki Nociti Biodigestores Profa. Dra. Letícia Ane Sizuki Nociti 1. Considerações iniciais A utilização de biodigestores: assunto atualmente em evidência pela importância Mais uma fonte alternativa para geração de

Leia mais

ORIGEM DA AGRICULTURA E DA PECUÁRIA

ORIGEM DA AGRICULTURA E DA PECUÁRIA ORIGEM DA AGRICULTURA E DA PECUÁRIA PRIMEIROS CAMPONESES Os primeiros camponeses foram caçadores e coletores, ou seja, eram somente extrativistas: retiravam os alimentos da natureza, sem qualquer controle

Leia mais

Departamento do Agronegócio Segurança Alimentar: O Desafio de Abastecer o Mundo com Sustentabilidade

Departamento do Agronegócio Segurança Alimentar: O Desafio de Abastecer o Mundo com Sustentabilidade Segurança Alimentar: O Desafio de Abastecer o Mundo com Sustentabilidade O Mundo atravessa um período de aumento expressivo do consumo de alimentos, impulsionado pela melhora da renda das famílias dos

Leia mais

Otimizando o uso da cana de açúcar fresca em fazendas leiteiras de pequeno porte. Thiago Bernardes

Otimizando o uso da cana de açúcar fresca em fazendas leiteiras de pequeno porte. Thiago Bernardes Otimizando o uso da cana de açúcar fresca em fazendas leiteiras de pequeno porte Thiago Bernardes II SIMLEITE Dracena, SP 07 de setembro de 2013 Área plantada (milhões ha) 1. A cana agrícola 28 27,7 24

Leia mais

Água no Solo. V. Infiltração e água no solo Susana Prada. Representação esquemática das diferentes fases de um solo

Água no Solo. V. Infiltração e água no solo Susana Prada. Representação esquemática das diferentes fases de um solo V. Infiltração e água no solo Susana Prada Água no Solo ROCHA MÃE SOLO TEMPO Meteorização Química Física + Actividade orgânica Os Solos actuam na fase terrestre do ciclo hidrológico como reservatórios

Leia mais

RecursosAmbientais: Disponibilidade e distribuição

RecursosAmbientais: Disponibilidade e distribuição PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Disciplina: Ciências do Ambiente ENG 4201 RecursosAmbientais: Disponibilidade e distribuição A vida no planeta existe há cerca de 3,5 bilhões de anos, porém a

Leia mais

"Economia Verde nos Contextos Nacional e Global" - Desafios e Oportunidades para a Agricultura -

Economia Verde nos Contextos Nacional e Global - Desafios e Oportunidades para a Agricultura - "Economia Verde nos Contextos Nacional e Global" - Desafios e Oportunidades para a Agricultura - Maurício Antônio Lopes Diretor Executivo de Pesquisa e Desenvolvimento Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária

Leia mais

Otrigo é uma das principais culturas para produção

Otrigo é uma das principais culturas para produção 171 Manejo da fertilidade do solo na cultura de trigo Geraldino Peruzzo Sirio Wiethölter Otrigo é uma das principais culturas para produção de grãos no inverno. Em adição, ele tem muita importância para

Leia mais

CARTILHA DE APRESENTAÇÃO IRMÃOS MOTTIN LTDA CAL MORRO BRANCO

CARTILHA DE APRESENTAÇÃO IRMÃOS MOTTIN LTDA CAL MORRO BRANCO CARTILHA DE APRESENTAÇÃO IRMÃOS MOTTIN LTDA CAL MORRO BRANCO APRESENTAÇÃO A Irmãos Mottin Ltda atua há mais de setenta anos no fornecimento de insumos e serviços para os diversos setores da construção

Leia mais

Cana-de-açúcar na alimentação de vacas leiteiras. Lucas Teixeira Costa Doutor em Zootecnia

Cana-de-açúcar na alimentação de vacas leiteiras. Lucas Teixeira Costa Doutor em Zootecnia Cana-de-açúcar na alimentação de vacas leiteiras Lucas Teixeira Costa Doutor em Zootecnia ltcosta80@yahoo.com.br Capacidade agrícola Balança comercial Brasileira Qual o objetivo com sua empresa rural?

Leia mais

ANÁLISE DE SOLO E FOLIAR: INÍCIO DO SUCESSO DA LAVOURA

ANÁLISE DE SOLO E FOLIAR: INÍCIO DO SUCESSO DA LAVOURA ANÁLISE DE SOLO E FOLIAR: INÍCIO DO SUCESSO DA LAVOURA André Guarçoni M. D.Sc. Solos e Nutrição de Plantas Pesquisador do Incaper Dentro do processo produtivo de qualquer cultura, uma etapa de extrema

Leia mais

Planejamento e Instalação de Pomares

Planejamento e Instalação de Pomares Universidade Federal do Vale do São Francisco Campus de Ciências Agrárias Curso de Engenharia Agronômica Disciplina: Fruticultura I Planejamento e Instalação de Pomares Docente responsável: Prof. Dr. Ítalo

Leia mais

FACULDADE DE AGRONOMIA

FACULDADE DE AGRONOMIA FACULDADE DE AGRONOMIA MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE AGRONOMIA (Adequada conforme as exigências da Resolução CNE/CES n. 1, de 2 de fevereiro de 2006) PRIMEIRO PERÍODO NDC113 Biologia Celular 72 60 - AGR151

Leia mais

VIABILIDADE ECONÔMICA DE SISTEMAS DE CULTIVO DE MILHO SAFRINHA

VIABILIDADE ECONÔMICA DE SISTEMAS DE CULTIVO DE MILHO SAFRINHA VIABILIDADE ECONÔMICA DE SISTEMAS DE CULTIVO DE MILHO SAFRINHA Alceu Richetti 1 Introdução O milho safrinha é cultivado em pequenas, médias e grandes propriedades, onde o nível de investimento (adubação,

Leia mais

Fís. Leonardo Gomes (Arthur Ferreira Vieira)

Fís. Leonardo Gomes (Arthur Ferreira Vieira) Semana 11 Leonardo Gomes (Arthur Ferreira Vieira) Este conteúdo pertence ao Descomplica. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados. CRONOGRAMA

Leia mais

Percursos 27 e 28 Expedições Geográficas - 6ºano Profª Bruna Andrade

Percursos 27 e 28 Expedições Geográficas - 6ºano Profª Bruna Andrade AGRICULTURA E PECUÁRIA Percursos 27 e 28 Expedições Geográficas - 6ºano Profª Bruna Andrade AGRICULTURA CONDIÇÕES NATURAIS: Apesar do grande desenvolvimento técnico e científico ela ainda depende do solo,

Leia mais