HORTICULTURA EM MODO BIOLÓGICO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "HORTICULTURA EM MODO BIOLÓGICO"

Transcrição

1 HORTICULTURA EM MODO BIOLÓGICO

2 O SOLO 2

3 SOLO ARGILOSO 3

4 CARACTERÍSTICAS DE UM SOLO ARGILOSO São solos com teores de argila superiores a 35%. Possuem baixa permeabilidade e alta capacidade de retenção de água Apresentam maior força de coesão entre as partículas, o que além de dificultar a penetração, facilita a aderência do solo aos implementos, dificultando os trabalhos de mecanização. Embora sejam mais resistentes à erosão, são altamente susceptíveis Horticultura à compactação em MPB 4

5 SOLO ARGILO-LIMOSO 5

6 CARACTERÍSTICAS DE UM SOLO ARGILO-LIMOSO São solos que apresentam um determinado equilíbrio entre os teores de areia e argila. Normalmente, apresentam uma boa drenagem e uma boa capacidade de retenção de água 6

7 SOLO ARENOSO 7

8 CARACTERÍSTICAS DE UM SOLO ARENOSO Possuem teores de areia superiores a 70% e o de argila inferior a 15%; São permeáveis, leves, de baixa capacidade de retenção de água e de baixo teor de matéria orgânica. Altamente susceptíveis à erosão 8

9 FERTILIDADE DE UM SOLO Boas propriedades físicas Arejamento Humidade Facilidade de trabalho Boas propriedades químicas Boa fixação dos elementos nutritivos Boa troca entre solo e planta Boa capacidade de troca Boas propriedades biológicas Vida intensa, participando activamente na nutrição das plantas 9

10 TEXTURA DO SOLO Característica do solo Textura e seu efeito Permeabilidade e drenagem Argilosa Franca ou limosa Argilolimosa Francoarenosa Arenosa Arejamento Retenção de água Compactação e dificuldade de trabalho Temperatura

11 ESTRUTURA DO SOLO 11

12 TEXTURA ESTRUTURA Pouco podemos alterar Pode ser melhorada por acção do agricultor Sem grandes custos Transporte de terras 12

13 MEDIDAS E PRÁTICAS CULTURAIS QUE MAIS FAVORECEM A ESTRUTURA DO SOLO Baseiam-se em favorecer a acção dos organismos do solo e das raízes na estruturação do solo e em evitar destruir esse trabalho com máquinas e alfaias incorrectamente utilizadas 13

14 TÉCNICAS QUE CONTRIBUEM PARA UM SOLO SAUDÁVEL Rotação de culturas Utilização de fertilizantes orgânicos à base de estrume Restrição rigorosa ao uso de fertilizantes e pesticidas sintéticos Sementeira de culturas para adubação verde, que permitem a cobertura do solo após a colheita Plantação de sebes e prados As mobilizações do solo só quando necessário 14

15 MATÉRIA ORGÂNICA DO SOLO Constituída principalmente por húmus, resultante da decomposição de resíduos e fertilizantes de origem animal e vegetal Resíduos transformados pela acção dos organismos do solo Parte mineraliza-se e transforma-se em nutrientes solúveis Azoto, Fósforo, Potássio, Cálcio, etc. alimentando as plantas O restante sofre um processo de humificação e transforma-se em HÚMUS 15

16 A ACIDEZ E ALCALINIDADE O PH São medidas numa escala de 0 a 14 16

17 MEDIDORES DE PH 17

18 INFLUÊNCIA DO PH Torna os nutrientes mais ou menos solúveis, mais ou menos disponíveis para a planta. Favorece o crescimento de algumas espécies de plantas em relação a outras que não se adaptem aos mesmos valores de ph 18

19 ph Menor que 4,5 Efeito esperado Condições muito desfavoráveis 4,5 5,0 Possível toxicidade por alumínio 5,1 5,5 Excesso de: Cobre, Ferro, Manganês e Zinco Deficiência de: Cálcio, Potássio, Azoto, Magnésio, Fósforo e Enxofre Actividade bacteriana escassa 5,6 6,0 Bom para a maioria das culturas 6,1 6,5 Máxima disponibilidade dos nutrientes 6,6 7,3 Efeitos fitotóxicos mínimos ph menor que 7 não há carbonato de cálcio 7,4 7,8 Solos geralmente com carbonato de cálcio 7,9 8,4 Diminui a disponibilidade de Fósforo e Boro Deficiência crescente de Cobre, Ferro, Manganês e Zinco 8,5 9,0 Maiores problemas de clorose férrica 9,1 10 Presença de Carbonato de Sódio Maior que 10 Elevada percentagem de sódio de troca Toxicidade de Horticultura Sódio e Boro em MPB Actividade microbiana escassa Micronutrientes pouco disponíveis 19

20 CORRECÇÃO DO PH Se Muito Ácido Se Muito Alcalino Aplicação de Calcário Aplicação de Enxofre 20

21 Disponibilidade para as plantas de 12 elementos essenciais ao seu crescimento, em solos bem drenados 21

ACÇÃO de FORMAÇÃO em FERTILIDADE e SANIDADE do CASTANHEIRO. António Pedro Tavares Guerra ARBOREA, 13 de Fevereiro 2013

ACÇÃO de FORMAÇÃO em FERTILIDADE e SANIDADE do CASTANHEIRO. António Pedro Tavares Guerra ARBOREA, 13 de Fevereiro 2013 ACÇÃO de FORMAÇÃO em FERTILIDADE e SANIDADE do CASTANHEIRO António Pedro Tavares Guerra ARBOREA, 13 de Fevereiro 2013 SUMÁRIO SOLO NUTRIENTES PLANTA SOLO SOLO MATÉRIA ORGÂNICA ph do SOLO MATÉRIA ORGÂNICA

Leia mais

O SOLO COMO F0RNECEDOR DE NUTRIENTES

O SOLO COMO F0RNECEDOR DE NUTRIENTES O SOLO COMO F0RNECEDOR DE NUTRIENTES LIQUIDA (SOLUÇÃO DO SOLO) ÍONS INORGÂNICOS E ORGÂNICOS/MICROPOROS SÓLIDA - RESERVATORIO DE NUTRIENTES - SUPERFÍCIE QUE REGULA A CONCENTRAÇÃO DOS ELEMENTOS NA SOLUÇÃO

Leia mais

SOLO. Matéria orgânica. Análise Granulométrica

SOLO. Matéria orgânica. Análise Granulométrica SOLO ph Matéria orgânica Análise Granulométrica Disponibilidade dos nutrientes em função do ph Os nutrientes necessários aos vegetais são divididos em duas categorias: Macronutrientes - N, P, K, Ca, Mg,

Leia mais

6 CALAGEM E ADUBAÇÃO

6 CALAGEM E ADUBAÇÃO CULTURA DO MILHO 6 CALAGEM E ADUBAÇÃO 6.1 - CALAGEM -Neutralização do Al; -Buscando atingir 70% da saturação de bases corrige a camada de incorporação; -Correção mais profunda incorporação mais profunda

Leia mais

Clima(s) CLIMAS - SOLOS E AGRICULTURA TROPICAL. Mestrado em Direito à Alimentação e Desenvolvimento Rural UC: Agricultura Tropical.

Clima(s) CLIMAS - SOLOS E AGRICULTURA TROPICAL. Mestrado em Direito à Alimentação e Desenvolvimento Rural UC: Agricultura Tropical. CLIMAS - SOLOS E AGRICULTURA TROPICAL Mestrado em Direito à Alimentação e Desenvolvimento Rural UC: Agricultura Tropical Óscar Crispim Machado (omachado@esac.pt) ESAC, abril de 2012 Clima(s) Aula 5 Zonas

Leia mais

AS RELAÇÕES ENTRE MACRONUTRIENTES E MICRONUTRIENTES E A FERTILIDADE DO SOLO Pedro Lopes Ferlini Salles Orientadora: Marisa Falco Fonseca Garcia

AS RELAÇÕES ENTRE MACRONUTRIENTES E MICRONUTRIENTES E A FERTILIDADE DO SOLO Pedro Lopes Ferlini Salles Orientadora: Marisa Falco Fonseca Garcia AS RELAÇÕES ENTRE MACRONUTRIENTES E MICRONUTRIENTES E A FERTILIDADE DO SOLO Pedro Lopes Ferlini Salles Orientadora: Marisa Falco Fonseca Garcia Coorientador: Flávio Ferlini Salles RELEVÂNCIA O solo é importante

Leia mais

Preparação da amostra (Secagem e crivagem) 4,50

Preparação da amostra (Secagem e crivagem) 4,50 LABORATÓRIO DE SOLOS E FERTILIDADE Análises de solos Designação da análise Método Preparação da amostra (Secagem e crivagem) 4,50 Terra Fina (T.F.) Norma ISO 11465:1993 Método Gravimétrico 3,50 ph (H 2

Leia mais

Fertilidade do Solo e Nutrição do Castanheiro

Fertilidade do Solo e Nutrição do Castanheiro Fertilidade do Solo e Nutrição do Castanheiro Fertilidade do Solo e Nutrição do Castanheiro Margarida Arrobas & Manuel Ângelo Rodrigues Centro de Investigação de Montanha Escola Superior Agrária de Bragança

Leia mais

Tipos de solo e suas características

Tipos de solo e suas características O solo SOLO Parte mais superficial e fina da crosta terrestre. Trata-se de um complexo composto de mineral, material orgânico e gases. É fundamental para a vida de todos os seres vivos do nosso planeta.

Leia mais

Eco new farmers. Módulo 1 - Introdução á agricultura biológica. Sessão 2 Princípios da agricultura biológica

Eco new farmers. Módulo 1 - Introdução á agricultura biológica. Sessão 2 Princípios da agricultura biológica Eco new farmers Módulo 1 - Introdução á agricultura biológica Sessão 2 Princípios da agricultura biológica Módulo 1 Introdução à agricultura biológica Sessão 2 Princípios da agricultura biológica www.econewfarmers.eu

Leia mais

Apresentação de Resultados FERTILIDADE DO SOLO

Apresentação de Resultados FERTILIDADE DO SOLO Agro Vale Longo, Lda. Sociedade Agrícola Saramago de Brito, Lda. Apresentação de Resultados FERTILIDADE DO SOLO Isabel Guerreiro (IPBeja/ESA) Manuel Patanita (IPBeja/ESA) EDIA, Beja, 17 dezembro 2014 PARÂMETROS

Leia mais

5. INTERPRETAÇÃO DOS RESULTADOS DAS ANÁLISES DE SOLOS

5. INTERPRETAÇÃO DOS RESULTADOS DAS ANÁLISES DE SOLOS 5. INTERPRETAÇÃO DOS RESULTADOS DAS ANÁLISES DE SOLOS Victor Hugo Alvarez V. 1 Roberto Ferreira de Novais 2 Nairam Félix de Barros 3 Reinaldo Bertola Cantarutti 4 Alfredo Scheid Lopes 5 Os critérios a

Leia mais

Quadro 1 - Fatores para conversão de unidades antigas em unidades do Sistema Internacional de Unidades.

Quadro 1 - Fatores para conversão de unidades antigas em unidades do Sistema Internacional de Unidades. Informação sobre interpretação de Análise de Solo, segundo o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Solos e Recursos Ambientais, Instituto Agronômico de Campinas. Quadro 1 - Fatores para conversão de

Leia mais

Adubação de Plantas Ornamentais. Professora Juliana Ferrari

Adubação de Plantas Ornamentais. Professora Juliana Ferrari Adubação de Plantas Ornamentais Professora Juliana Ferrari Indícios que a planta pode precisar de nutrientes O crescimento se torna lento; Adubação É o método de corrigir as deficiências de nutrientes

Leia mais

Nutrição, Adubação e Calagem

Nutrição, Adubação e Calagem Nutrição, Adubação e Calagem Importância da nutrição mineral Embora o eucalipto tenha rápido crescimento, este é muito variável. Os principais fatores que interferem no crescimento estão relacionados com

Leia mais

CURSO SOBRE PRODUÇÃO DE MORANGO Cultivo em Semi-Hidroponia. Eng.-Agr. Luciano Ilha Eng.-Agr. Cristina Gadea EMATER/RS-ASCAR

CURSO SOBRE PRODUÇÃO DE MORANGO Cultivo em Semi-Hidroponia. Eng.-Agr. Luciano Ilha Eng.-Agr. Cristina Gadea EMATER/RS-ASCAR CURSO SOBRE PRODUÇÃO DE MORANGO Cultivo em Semi-Hidroponia Eng.-Agr. Luciano Ilha Eng.-Agr. Cristina Gadea EMATER/RS-ASCAR VI Seminário Brasileiro sobre Pequenas Frutas Vacaria/RS - 2011 Cultivo em semi-hidroponia:

Leia mais

O SOLO E SUA COMPOSIÇÃO. O gráfico abaixo mostra a composição física média de um solo com boas condições de cultivo (% do volume).

O SOLO E SUA COMPOSIÇÃO. O gráfico abaixo mostra a composição física média de um solo com boas condições de cultivo (% do volume). O SOLO E SUA COMPOSIÇÃO O gráfico abaixo mostra a composição física média de um solo com boas condições de cultivo (% do volume). Composição Volumétrica de um solo com boas condições Solos Tropicais Cultivados

Leia mais

Actividade Prática nº 3 O Guião da Compostagem

Actividade Prática nº 3 O Guião da Compostagem Actividade Prática nº 3 O Guião da Compostagem Página 1 de 7 O que é a compostagem? A compostagem é um processo biológico em que os microrganismos transformam a matéria orgânica, como estrume, folhas,

Leia mais

CURSO DE AGRONOMIA FERTILIDADE DO SOLO

CURSO DE AGRONOMIA FERTILIDADE DO SOLO CURSO DE AGRONOMIA FERTILIDADE DO SOLO Prof. Leandro Souza da Silva Prof. Carlos Alberto Ceretta Prof. Danilo R. dos Santos Aula 1 Bases conceituais à fertilidade do solo Fertilidade do solo Solo -Sistema

Leia mais

Agentes causadores. Mecanização agrícola. Compactação sob as rodas dos veículos distribuição de pressão no solo.

Agentes causadores. Mecanização agrícola. Compactação sob as rodas dos veículos distribuição de pressão no solo. Agentes causadores Mecanização agrícola Compactação sob as rodas dos veículos distribuição de pressão no solo. Peso do veículo que determinará o total da força exercida Tamanho da área de contato entre

Leia mais

DEPARTAMENTO DE AGRONOMIA ADUBOS E ADUBAÇÃO CALAGEM

DEPARTAMENTO DE AGRONOMIA ADUBOS E ADUBAÇÃO CALAGEM DEPARTAMENTO DE AGRONOMIA ADUBOS E ADUBAÇÃO CALAGEM Prof. Dr. Gaspar H. Korndörfer Universidade Federal de Uberlândia PORQUE OS SOLOS ÁCIDOS DEVEM RECEBER CALAGEM? A acidez do solo afeta o crescimento

Leia mais

DIAGNÓSTICO E AVALIAÇÃO DA EVOLUÇÃO DOS ATRIBUTOS QUÍMICOS DOS SOLOS DA REGIÃO DO MÉDIO ALTO URUGUAI - RS 1

DIAGNÓSTICO E AVALIAÇÃO DA EVOLUÇÃO DOS ATRIBUTOS QUÍMICOS DOS SOLOS DA REGIÃO DO MÉDIO ALTO URUGUAI - RS 1 DIAGNÓSTICO E AVALIAÇÃO DA EVOLUÇÃO DOS ATRIBUTOS QUÍMICOS DOS SOLOS DA REGIÃO DO MÉDIO ALTO URUGUAI - RS 1 FABBRIS, Cristiano 2 ; CHERUBIN, Maurício Roberto 2 ; WEIRICH, Sidinei Wolnei 2 ; MORAES, Moacir

Leia mais

Condições edáficas do Nordeste para empreendimentos florestais. Prof. Paulo Rogério Soares de Oliveira UFRN

Condições edáficas do Nordeste para empreendimentos florestais. Prof. Paulo Rogério Soares de Oliveira UFRN Condições edáficas do Nordeste para empreendimentos florestais Prof. Paulo Rogério Soares de Oliveira UFRN Dezembro de 2011 Introdução Edafologia é a ciência que trata da influência dos solos em seres

Leia mais

Recomendação de Correção de Solo e Adubação de Feijão Ac. Felipe Augusto Stella Ac. João Vicente Bragança Boschiglia Ac. Luana Machado Simão

Recomendação de Correção de Solo e Adubação de Feijão Ac. Felipe Augusto Stella Ac. João Vicente Bragança Boschiglia Ac. Luana Machado Simão UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DO SOLO LSO526 Adubos e Adubações Recomendação de Correção de Solo e Adubação de Feijão Ac. Felipe Augusto

Leia mais

INTERACÇÃO ÁGUA-ROCHA O caso das rochas ígneas, sedimentares e metamórficas

INTERACÇÃO ÁGUA-ROCHA O caso das rochas ígneas, sedimentares e metamórficas INTERACÇÃO ÁGUA-ROCHA O caso das rochas ígneas, sedimentares e metamórficas As rochas apresentam composições mineralógicas variáveis, As condições climáticas, a composição da água de recarga, o tempo de

Leia mais

IFRN CICLOS BIOGEOQUÍMICOS

IFRN CICLOS BIOGEOQUÍMICOS IFRN CICLOS BIOGEOQUÍMICOS Prof. Hanniel Freitas Ciclos biogeoquímicos Elementos químicos tendem a circular na biosfera. Ciclagem de nutrientes - movimento desses elementos e compostos inorgânicos essenciais

Leia mais

Manejo de Solos. Curso de Zootecnia Prof. Etiane Skrebsky Quadros

Manejo de Solos. Curso de Zootecnia Prof. Etiane Skrebsky Quadros Manejo de Solos Curso de Zootecnia Prof. Etiane Skrebsky Quadros Aula 6: Acidez e calagem Acidez Acidez Acidez Faixa de acidez e alcalinidade encontradas na maioria dos solos agrícolas Acidez Acidez Amplitude

Leia mais

Requisitos de Clima e Solo da espécie

Requisitos de Clima e Solo da espécie Requisitos de Clima e Solo da espécie Clima O amendoim forrageiro apresenta ampla faixa de adaptação, desenvolvendo-se bem desde o nível do mar até aproximadamente 1.800 m de altitude, em áreas com precipitação

Leia mais

1) Introdução CONCEITO:

1) Introdução CONCEITO: Rafael Montanari SOLOS 1) Introdução CONCEITO: Coleção de corpos naturais, constituido por partes sólidas, líquidas e gasosas, tridimensionais, dinâmicos. Formado por partes minerais e orgânicas, ocupando

Leia mais

Sintomas de deficiência de alguns nutrientes na cultura do milho

Sintomas de deficiência de alguns nutrientes na cultura do milho Sintomas de deficiência de alguns nutrientes na cultura do milho Prof. Luiz Duarte Silva Júnior Os nutrientes são elementos importantes no desenvolvimento das plantas para que elas possam completar o ciclo

Leia mais

PARTICIPAÇÃO DOS NUTRIENTES NO METABOLISMO VEGETAL. Enga Agra Clélia Maria Mardegan

PARTICIPAÇÃO DOS NUTRIENTES NO METABOLISMO VEGETAL. Enga Agra Clélia Maria Mardegan PARTICIPAÇÃO DOS NUTRIENTES NO METABOLISMO VEGETAL Enga Agra Clélia Maria Mardegan COMO FAZER PARA AUMENTAR NOSSA PRODUTIVIDADE? Nitrogênio Funções - faz parte da composição das proteínas (estrutural);

Leia mais

4º DIA DE CAMPO SODEPAC Tratos Culturais para Qualidade da Sementeira. Fazenda Quizenga

4º DIA DE CAMPO SODEPAC Tratos Culturais para Qualidade da Sementeira. Fazenda Quizenga 4º DIA DE CAMPO SODEPAC Tratos Culturais para Qualidade da Sementeira Fazenda Quizenga Sistematização da área Conservam a cobertura vegetal do solo É essencial para correcções de áreas íngremes Conservar

Leia mais

Fatores de Formação de Solos

Fatores de Formação de Solos Fatores de Formação de Solos De onde vem o solo? O solo resulta da ação simultânea do clima e organismos que atuam sobre um material de origem (rocha), que ocupa determinada paisagem ou relevo, durante

Leia mais

Construção da fertilidade do solo no ambiente Cerrado. Carlos Alberto Silva (UFLA) Paulo T. G. Guimarães (EPAMIG)

Construção da fertilidade do solo no ambiente Cerrado. Carlos Alberto Silva (UFLA) Paulo T. G. Guimarães (EPAMIG) Construção da fertilidade do solo no ambiente Cerrado Carlos Alberto Silva (UFLA) Paulo T. G. Guimarães (EPAMIG) Parte I Solo fértil? Solos do Brasil sob condições naturais: grau de fetilidade Solo ph

Leia mais

MATÉRIA ORGÂNICA DO SOLO (MOS) Fertilidade do Solo Prof. Josinaldo

MATÉRIA ORGÂNICA DO SOLO (MOS) Fertilidade do Solo Prof. Josinaldo MATÉRIA ORGÂNICA DO SOLO (MOS) Fertilidade do Solo Prof. Josinaldo 1 ASPECTOS GERAIS - MOS todos os compostos orgânicos do solo - Influência os atributos do solo - Teor no solo amplamente variável (0,5

Leia mais

FERTILIZANTE COMPOSTO DE LIBERTAÇÃO CONTROLADA TEMPO DE LIBERTAÇÃO 8 MESES

FERTILIZANTE COMPOSTO DE LIBERTAÇÃO CONTROLADA TEMPO DE LIBERTAÇÃO 8 MESES SURA- 11-22-9+1,5 FERTILIZANTE COMOSTO DE LIBERTAÇÃO CONTROLADA TEMO DE LIBERTAÇÃO 8 MESES LANTACOTE SURA - 8 M é um fertilizante de libertação controlada composto por uma combinação de grânulos encapsulados

Leia mais

- Para compreender os solos (conceitos e processos importantes)

- Para compreender os solos (conceitos e processos importantes) Os Solos - Para compreender os solos (conceitos e processos importantes) - Solo: camada superficial, resultante de rocha decomposta ou triturada. Mistura-se a matéria orgânica. - Intemperismo: ação decompositora

Leia mais

Química Ambiental Aula 09 Química dos Solos - parte I

Química Ambiental Aula 09 Química dos Solos - parte I Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) Instituto de Ciências Exatas Departamento de Química Química Ambiental Aula 09 Química dos Solos - parte I Solos e sedimentos - Definição e composição química

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO - NÍVEL DE APERFEIÇOAMENTO, EM NUTRIÇÃO E ADUBAÇÃO RACIONAL DE CULTURAS DE LAVOURA

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO - NÍVEL DE APERFEIÇOAMENTO, EM NUTRIÇÃO E ADUBAÇÃO RACIONAL DE CULTURAS DE LAVOURA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO - NÍVEL DE APERFEIÇOAMENTO, EM NUTRIÇÃO E ADUBAÇÃO RACIONAL DE CULTURAS DE LAVOURA PROMOÇÃO Instituto de Ciências Agronômicas Professor Elmar Luiz Floss Instituto Incia Passo Fundo-RS

Leia mais

ADUBOS FLUÍDOS (líquidos)

ADUBOS FLUÍDOS (líquidos) Universidade Federal do Paraná Departamento de Solos e Engenharia Agrícola Volnei Pauletti ADUBOS FLUÍDOS (líquidos) Conceitos Uso Vantagens Matérias primas Fabricação 1 Adubos líquidos ou fluídos: CONCEITOS

Leia mais

Gestão dos solos em viticultura de encosta

Gestão dos solos em viticultura de encosta Workshop Gestão dos solos em viticultura de encosta Pinhão, 28 de outubro de 2013 Sérgio Vieira Inicio de atividade no ano de 2005 Localizada na Zona Industrial de Vila Real Atua na comercialização de

Leia mais

Nutrição do cafeeiro e uso de Sódio S na agricultura. de Oliveira Silva Guilherme Maluf Breno Geraldo Rabelo Leblon Urbano Guimarães

Nutrição do cafeeiro e uso de Sódio S na agricultura. de Oliveira Silva Guilherme Maluf Breno Geraldo Rabelo Leblon Urbano Guimarães Nutrição do cafeeiro e uso de Sódio S na agricultura Júlio César C de Oliveira Silva Guilherme Maluf Breno Geraldo Rabelo Leblon Urbano Guimarães Sumário 1. História do café no Brasil 2. Conceitos e legislação

Leia mais

Cultura da Soja Recomendação de Correção e Adubação

Cultura da Soja Recomendação de Correção e Adubação Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Departamento de Ciência dos Solos LSO 0526 Adubos e Adubação Cultura da Soja Recomendação de Correção e Adubação Lucas Papadópoli

Leia mais

Contribuição dos Alimentos Orgânicos para a Segurança Alimentar e Nutricional

Contribuição dos Alimentos Orgânicos para a Segurança Alimentar e Nutricional Contribuição dos Alimentos Orgânicos para a Segurança Alimentar e Nutricional Dra. Regilda Saraiva dos Reis Moreira-Araújo Professora Associada (DN/CCS/UFPI) Alimentos Orgânicos e Qualidade de Vida Na

Leia mais

Manejo do solo AGRICULTURA GERAL ESCOLHA DO LOCAL ESCOLHA DO LOCAL ESCOLHA DO LOCAL LIMPEZA DA ÁREA POMBAL PB

Manejo do solo AGRICULTURA GERAL ESCOLHA DO LOCAL ESCOLHA DO LOCAL ESCOLHA DO LOCAL LIMPEZA DA ÁREA POMBAL PB AGRICULTURA GERAL Manejo do solo POMBAL PB ESCOLHA DO LOCAL - Mercado Quem vai comprar ou consumir o nosso produto? Proximidade e tamanho do meu centro consumidor ou indústria Quanto devo produzir? - Logística

Leia mais

II. FERTILIDADE DO SOLO

II. FERTILIDADE DO SOLO II. FERTILIDADE DO SOLO.0. 1. O CONHECIMENTO DO SOLO O solo possui uma série de características, físicas, químicas e biológicas, que condicionam a sua aptidão para dar rendimentos elevados, quer dizer,

Leia mais

Bernardo Sabugosa Portal Madeira Doutorado pela FC-UP

Bernardo Sabugosa Portal Madeira Doutorado pela FC-UP Bernardo Sabugosa Portal Madeira Doutorado pela FC-UP www.contamaisconsultoria.wordpress.com Contactos: Sede : Ponte da Barca Região NORTE : Telf: 258 488 341 Tlm: 96827 17 30 e-mail: cconta.mais@gmail.com

Leia mais

CULTURA DA SOJA: NUTRIÇÃO E ADUBAÇÃO. Disciplina: Culturas de Plantas Oleaginosas Curso: Agronomia Responsável: Fernando Celoto

CULTURA DA SOJA: NUTRIÇÃO E ADUBAÇÃO. Disciplina: Culturas de Plantas Oleaginosas Curso: Agronomia Responsável: Fernando Celoto CULTURA DA SOJA: NUTRIÇÃO E ADUBAÇÃO Disciplina: Culturas de Plantas Oleaginosas Curso: Agronomia Responsável: Fernando Celoto P fonte de energia; K parede celular; Ca comunicação da chegada de inóculo

Leia mais

Determinação de cinzas em alimentos

Determinação de cinzas em alimentos UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS DEPARTAMENTO DE ALIMENTOS E NUTRIÇÃO EXPERIMENTAL DISCIPLINA: BROMATOLOGIA BÁSICA (FBA-201) Determinação de cinzas em alimentos Elizabete W

Leia mais

2.2 Preparação do solo Margarida Arrobas e Ermelinda Pereira

2.2 Preparação do solo Margarida Arrobas e Ermelinda Pereira 2.2 Preparação do solo Margarida Arrobas e Ermelinda Pereira O solo é o local onde se desenvolve a vegetação. É um sistema complexo de material sólido, acompanhado de um espaço poroso onde circula água

Leia mais

Fertilidade do solo e nutrição das plantas

Fertilidade do solo e nutrição das plantas Ciclo de Colóquios comemorativos do Ano Internacional do Solo Fertilidade do solo e nutrição das plantas F. Calouro Fertilidade do solo e nutrição das plantas Oeiras, 22 de setembro de 2015 Fertilidade

Leia mais

Escola Portuguesa do Lubango Hélder Giroto Paiva ROCHAS BIOGÉNICAS

Escola Portuguesa do Lubango Hélder Giroto Paiva ROCHAS BIOGÉNICAS Escola Portuguesa do Lubango Hélder Giroto Paiva ROCHAS BIOGÉNICAS Rochas biogénicas 2 De precipitação CALCÁRIO Carbonatadas De acumulação CALCÁRIO CONQUÍFERO Rochas Biogénicas De edificação CALCÁRIO RECIFAL

Leia mais

NUTRIÇÃO DE PLANTAS PIMENTÃO. Romério José de Andrade Engº Agrônomo EMATER/DF - GAMA Fone: (61)

NUTRIÇÃO DE PLANTAS PIMENTÃO. Romério José de Andrade Engº Agrônomo EMATER/DF - GAMA Fone: (61) NUTRIÇÃO DE PLANTAS CULTURA DE PIMENTÃO Romério José de Andrade Engº Agrônomo EMATER/DF - GAMA Fone: (61) 3556-4323 e-mail: romerioandrade@ig.com.br set/2009 ANÁLISE DE SOLO: EQUILÍBRIO DE BASES. Cálcio

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA TRANSFORMAÇÕES DA MATÉRIA E QUANTIDADES LICENCIATURA EM CIÊNCIAS DA NATUREZA. Uruguaiana, maio de 2016.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA TRANSFORMAÇÕES DA MATÉRIA E QUANTIDADES LICENCIATURA EM CIÊNCIAS DA NATUREZA. Uruguaiana, maio de 2016. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA TRANSFORMAÇÕES DA MATÉRIA E QUANTIDADES LICENCIATURA EM CIÊNCIAS DA NATUREZA CICLOS BIOGEOQUÍMICOS Uruguaiana, maio de 2016. 1 Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo

Leia mais

ABSORÇÃO FOLIAR. Prof. Josinaldo Lopes Araujo. Plantas cultivadas dividem-se em: Folhas Caule Raízes

ABSORÇÃO FOLIAR. Prof. Josinaldo Lopes Araujo. Plantas cultivadas dividem-se em: Folhas Caule Raízes ABSORÇÃO FOLIAR Prof. Josinaldo Lopes Araujo 1 INTRODUÇÃO Plantas cultivadas dividem-se em: Folhas Caule Raízes Cada parte tem uma função definida As folhas absorvem água e nutrientes Porque essa capacidade?

Leia mais

A Fertilização do mirtilo em modo de produção biológico

A Fertilização do mirtilo em modo de produção biológico A Fertilização do mirtilo em modo de produção biológico BioBaga Produção de Comercialização de pequenos frutos Objetivos BIOBAGA onde se localiza? BIOBAGA Certificações FERTILIZAÇÃO Fertilidade é a capacidade

Leia mais

MÉTODOS DE CORREÇÃO DO SOLO

MÉTODOS DE CORREÇÃO DO SOLO MÉTODOS DE CORREÇÃO DO SOLO O laudo (Figura 1) indica os valores determinados no laboratório para cada camada do perfil do solo, servindo de parâmetros para direcionamento de métodos corretivos. Figura

Leia mais

Tipos e classificação FORMAÇÃO DOS SOLOS

Tipos e classificação FORMAÇÃO DOS SOLOS Tipos e classificação FORMAÇÃO DOS SOLOS PRIMEIRA CLASSIFICAÇÃO Baseia-se principalmente nos fatores de clima, tempo e relevo em que se encontram os solos. solos zonais são aqueles em relevos estáveis,

Leia mais

Carlos Alberto Vasconce//os Hélio Lopes dos Santos Gonçalo Evangelista de França 1. INTRODUÇÃO

Carlos Alberto Vasconce//os Hélio Lopes dos Santos Gonçalo Evangelista de França 1. INTRODUÇÃO ADUBAÇÃO E CALAGEM 1. INTRODUÇÃO Carlos Alberto Vasconce//os Hélio Lopes dos Santos Gonçalo Evangelista de França O milho pode ser cultivado em diferentes tipos de solo. Entretanto, os rendimentos serão

Leia mais

COMPOSTAGEM DE VERDES A EXPERIÊNCIA DA ALGAR

COMPOSTAGEM DE VERDES A EXPERIÊNCIA DA ALGAR COMPOSTAGEM DE VERDES A EXPERIÊNCIA DA ALGAR 19 de Maio de 2006 COMPOSTAGEM DE VERDES: A EXPERIÊNCIA DA ALGAR 1. ALGAR : sistema de gestão integrada de RSU 2. Compostagem de Resíduos Verdes Processo Qualidade

Leia mais

Avaliação do estado nutricional dos citrinos - a análise foliar e a análise dos solos

Avaliação do estado nutricional dos citrinos - a análise foliar e a análise dos solos Avaliação do estado nutricional dos citrinos - a análise foliar e a análise dos solos José Carlos Tomás (*) (*) Técnico da DRAPALG 1) Introdução O diagnóstico de possíveis problemas nutricionais deve ser

Leia mais

6.3 CALAGEM E ADUBAÇÃO

6.3 CALAGEM E ADUBAÇÃO 6.3 CALAGEM E ADUBAÇÃO 6.3.1 - CALAGEM Estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina A quantidade de corretivo de acidez a ser usada varia conforme o Índice SMP determinado na análise do solo e a dose

Leia mais

ARBORICULTURA II. Manutenção do Solo 1ªParte

ARBORICULTURA II. Manutenção do Solo 1ªParte ARBORICULTURA II Manutenção do Solo 1ªParte 2004-2005 As técnicas de manutenção do solo Mobilização Solo sem vegetação Sem mobilização Herbicida total Orgânico Mulching Inerte Solo coberto Cobertura vegetal

Leia mais

1.1 Conceitos em nutrição de plantas. Outros elementos químicos de interesse na nutrição vegetal.

1.1 Conceitos em nutrição de plantas. Outros elementos químicos de interesse na nutrição vegetal. 1. CONCEITOS 1.1 Conceitos em nutrição de plantas. 1.2 Conceito de nutrientes e critérios de essencialidade. 1.3 Composição relativa das plantas. Outros elementos químicos de interesse na nutrição vegetal.

Leia mais

Recomendação de calagem e adubação

Recomendação de calagem e adubação Recomendação de calagem e adubação Na agricultura, a recomendação de calagem e adubação para as culturas é geralmente efetuada com base nas doses de corretivos e fertilizantes que assegurem entre 80% e

Leia mais

Insumos Agropecuários: Fertilizantes. Cadeias Produtivas Agrícolas

Insumos Agropecuários: Fertilizantes. Cadeias Produtivas Agrícolas Insumos Agropecuários: Fertilizantes Cadeias Produtivas Agrícolas Insumos Agropecuários Segundo dados da Associação Nacional dos Distribuidores de Insumos Agrícolas e Veterinários, o mercado distribuidor

Leia mais

Matéria Orgânica do solo (m.o.s)

Matéria Orgânica do solo (m.o.s) Matéria Orgânica do solo (m.o.s) Objetivos Proporcionar conhecimentos básicos sobre a origem e dinâmica da m.o. do solo; Conhecer suas características e propriedades; Discutir como algumas propriedades

Leia mais

ARBORICULTURA II NUTRIÇÃO MINERAL

ARBORICULTURA II NUTRIÇÃO MINERAL ARBORICULTURA II NUTRIÇÃO MINERAL 2003-2004 Particularidades da Nutrição Mineral em Fruteiras Tal como já viram na adubação de fundo, também a aplicação anual de nutrientes em plantas perenes segue princípios

Leia mais

TRABALHO DE BIOLOGIA QUÍMICA DA VIDA

TRABALHO DE BIOLOGIA QUÍMICA DA VIDA TRABALHO DE BIOLOGIA QUÍMICA DA VIDA Água Sais minerais Vitaminas Carboidratos Lipídios Proteínas Enzimas Ácidos Núcleos Arthur Renan Doebber, Eduardo Grehs Água A água é uma substância química composta

Leia mais

ANEXO A5.1. Interpretação Areia Terra arenosa Terra orgânica. Peneiração expedita Argilosa Arenosa Pedregoso

ANEXO A5.1. Interpretação Areia Terra arenosa Terra orgânica. Peneiração expedita Argilosa Arenosa Pedregoso ANEXO A5.1 Tabela A5.1 - Registo e interpretação dos ensaios de avaliação qualitativa das propriedades da terra, adaptado de [Neves et al, 2009] Nome da amostra Localização Operador C2 Penajóia-Lamego

Leia mais

Enxofre Nutrição Mineral de Plantas ENXOFRE. Prof. Volnei Pauletti. Departamento de Solos e Engenharia Agrícola

Enxofre Nutrição Mineral de Plantas ENXOFRE. Prof. Volnei Pauletti. Departamento de Solos e Engenharia Agrícola ENXOFRE Prof. Volnei Pauletti Departamento de Solos e Engenharia Agrícola vpauletti@ufpr.br REPRESENTAÇÃO ESQUEMÁTICA DOS PRINCIPAIS COMPONENTES E PROCESSOS DO CICLO DO ENXOFRE. Enxofre S -fontes Matéria

Leia mais

LINHA CO N DIC IO NAD O R D E S O LO E

LINHA CO N DIC IO NAD O R D E S O LO E LINHA CO N DIC IO NAD O R D E S O LO E F E RT I L I ZAN TE S O R GAN O M I N E R AI S LINHA ORGAMAX Os produtos da linha ORGAMAX são classificados em dois grupos de fertilizantes: condicionadores de solos

Leia mais

ATIVIDADES DE ESTUDO. Camadas da Terra

ATIVIDADES DE ESTUDO. Camadas da Terra Atividade de Ciências 4º ano Nome: ATIVIDADES DE ESTUDO Camadas da Terra O que é importante saber: A crosta é a camada mais fina. É nela que se desenvolve a vida do nosso planeta: plantas, animais, microorganismos.

Leia mais

Claudinei Kurtz Eng Agr MSc Epagri EE Ituporanga Fertilidade do Solo e Nutrição de Plantas. Governo do Estado

Claudinei Kurtz Eng Agr MSc Epagri EE Ituporanga Fertilidade do Solo e Nutrição de Plantas. Governo do Estado NUTRIÇÃO E ADUBAÇÃO DA CULTURA DA CEBOLA Claudinei Kurtz Eng Agr MSc Epagri EE Ituporanga Fertilidade do Solo e Nutrição de Plantas Governo do Estado AMOSTRAGEM DO SOLO Solo da camada 0-20cm 1ha = 2000

Leia mais

79 ISSN Dezembro, 2009 Corumbá, MS

79 ISSN Dezembro, 2009 Corumbá, MS 79 ISSN 98-723 Dezembro, 2009 Corumbá, MS Análise de Solos: Finalidade e Procedimentos de Amostragem Evaldo Luis Cardoso Ana Helena Bergamim Marozzi Fernandes 2 Fernando Antonio Fernandes 3 Introdução

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES

PERGUNTAS FREQUENTES PERGUNTAS FREQUENTES Qual é a diferença entre um bioestimulante, um fertilizante foliar e um hormônio vegetal? Bioestimulante: Estimula os processos naturais para reforçar/beneficiar a absorção de nutrientes,

Leia mais

Composição do solo. 3 partes: Física: granulometria, porosidade, textura, dadas principalmente pelos. Químico: nutrientes disponíveis e ph

Composição do solo. 3 partes: Física: granulometria, porosidade, textura, dadas principalmente pelos. Químico: nutrientes disponíveis e ph JARDINAGEM O que é solo? O solo é a camada superficial da crosta terrestre, sendo formado basicamente por aglomerados minerais, matéria orgânica oriunda da decomposição de animais e plantas e organismos

Leia mais

FATORES LIMINTANTES PARA O CESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO DE ÁRVORES EM REGIÕES ÁRIDAS E SEMI-ÁRIDAS DO NORDESTE BRASILEIRO

FATORES LIMINTANTES PARA O CESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO DE ÁRVORES EM REGIÕES ÁRIDAS E SEMI-ÁRIDAS DO NORDESTE BRASILEIRO FATORES LIMINTANTES PARA O CESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO DE ÁRVORES EM REGIÕES ÁRIDAS E SEMI-ÁRIDAS DO NORDESTE BRASILEIRO INTRODUÇÃO Antonio Natal Gonçalves * O principal objetivo dos dados abordados neste

Leia mais

APRESENTAÇÃO: FERTILIZANTE TERRAPLANT

APRESENTAÇÃO: FERTILIZANTE TERRAPLANT APRESENTAÇÃO: FERTILIZANTE TERRAPLANT DESCRIÇÃO DO PRODUTO Fertilizante proveniente de cama de aviário; Fonte de macro e micro nutrientes; Fonte excepcional de matéria orgânica. DESCRIÇÃO DO PRODUTO Para

Leia mais

Calagem e Adubação. Nand Kumar Fageria (In memoriam) Maria da Conceição Santana Carvalho Itamar Pereira de Oliveira

Calagem e Adubação. Nand Kumar Fageria (In memoriam) Maria da Conceição Santana Carvalho Itamar Pereira de Oliveira 5 Calagem e Adubação Nand Kumar Fageria (In memoriam) Maria da Conceição Santana Carvalho Itamar Pereira de Oliveira 96 Em que situações a calagem é recomendada para a cultura do feijoeiro? A calagem é

Leia mais

CHUVA ÁCIDA. - Causas e consequências; - Controlar e corrigir as chuvas ácidas; - Impacto da chuva ácida em alguns. materiais.

CHUVA ÁCIDA. - Causas e consequências; - Controlar e corrigir as chuvas ácidas; - Impacto da chuva ácida em alguns. materiais. CHUVA ÁCIDA - Causas e consequências; - Controlar e corrigir as chuvas ácidas; - Impacto da chuva ácida em alguns materiais. FORMAÇÃO DE CHUVA ÁCIDA A chuva torna-se ácida porque dissolve o dióxido de

Leia mais

Tipos e classificação FORMAÇÃO DOS SOLOS

Tipos e classificação FORMAÇÃO DOS SOLOS Tipos e classificação FORMAÇÃO DOS SOLOS PRIMEIRA CLASSIFICAÇÃO Baseia-se principalmente nos fatores de clima, tempo e relevo em que se encontram os solos. solos zonais são aqueles em relevos estáveis,

Leia mais

DIAGNOSE FOLIAR EM MILHO E SORGO

DIAGNOSE FOLIAR EM MILHO E SORGO I Simpósio Paulista Sobre Nutrição de Plantas Jaboticabal - SP, 15 a 17 de Abril de 2008 DIAGNOSE FOLIAR EM MILHO E SORGO ANTÔNIO MARCOS COELHO ESTRATÉGIAS DE MANEJO PARA ALTA PRODUTIVIDADE João Lorenti

Leia mais

SISTEMA CULTURAL EM MODO DE PRODUÇÃO BIOLÓGICA

SISTEMA CULTURAL EM MODO DE PRODUÇÃO BIOLÓGICA DIREÇÃO REGIONAL DE AGRICULTURA E PESCAS DO CENTRO DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE DESENVOLVIMENTO AGROALIMENTAR, RURAL E LICENCIAMENTO DIVISÃO DE APOIO À AGRICULTURA E PESCAS SISTEMA CULTURAL EM MODO DE PRODUÇÃO

Leia mais

15º Encontro Técnico Internacional de Alto Nível: Compostagem em Escala Industrial

15º Encontro Técnico Internacional de Alto Nível: Compostagem em Escala Industrial 15º Encontro Técnico Internacional de Alto Nível: Compostagem em Escala Industrial Da Torta de Filtro ao Fertilizante Organomineral Estudo de Caso do Setor Sucroalcooleiro. Engª Agrª Camila Martinez Guidi

Leia mais

Nossos Produtos. Fazem Você. Ganhar

Nossos Produtos. Fazem Você. Ganhar Nossos Produtos + Fazem Você Ganhar Quer aumentar a produtividade da sua Lavoura? É uma tecnologia desenvolvida pela Fertilizantes Heringer, que incorpora substâncias orgânicas complexas com micronutrientes

Leia mais

Funções e Importância da Água Regulação Térmica Manutenção dos fluidos e eletrólitos corpóreos Reações fisiológicas e metabólicas do organismo Escassa

Funções e Importância da Água Regulação Térmica Manutenção dos fluidos e eletrólitos corpóreos Reações fisiológicas e metabólicas do organismo Escassa Aspectos Higiênicos da Água Prof. Jean Berg Funções e Importância da Água Regulação Térmica Manutenção dos fluidos e eletrólitos corpóreos Reações fisiológicas e metabólicas do organismo Escassa na natureza

Leia mais

Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Serpa

Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Serpa Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Serpa Herdade da Bemposta Apartado 26 7830-909 Serpa Tel.: 284 540 440 Fax: 284 540 449 www.epdrs.pt escola@epdrs.pt União Europeia Fundo Social Europeu

Leia mais

Recomendação de adubação e correção de solo para cultura da Cana-de-açúcar

Recomendação de adubação e correção de solo para cultura da Cana-de-açúcar Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Departamento de Ciências do Solo LSO 526 Adubos e Adubação Recomendação de adubação e correção de solo para cultura da Cana-de-açúcar

Leia mais

PREÂMBULO ASPECTOS GERAIS I A VIDA: SUAS CARACTERÍSTICAS GERAIS, ORIGEM E ESTRUTURAS BÁSICAS 1 A VIDA; ALGUMAS CONSIDERAÇÕES

PREÂMBULO ASPECTOS GERAIS I A VIDA: SUAS CARACTERÍSTICAS GERAIS, ORIGEM E ESTRUTURAS BÁSICAS 1 A VIDA; ALGUMAS CONSIDERAÇÕES ÍNDICE PREÂMBULO ASPECTOS GERAIS I A VIDA: SUAS CARACTERÍSTICAS GERAIS, ORIGEM E ESTRUTURAS BÁSICAS 1 A VIDA; ALGUMAS CONSIDERAÇÕES 1.1 A Vida. O que é? 1.2 Como pode ter surgido a vida na Terra e como

Leia mais

Leguminosas. Sementes nutritivas para um futuro sustentável. Hélder Muteia Representante da FAO em Portugal/CPLP

Leguminosas. Sementes nutritivas para um futuro sustentável. Hélder Muteia Representante da FAO em Portugal/CPLP Leguminosas Sementes nutritivas para um futuro sustentável FAO, 2016 Hélder Muteia Representante da FAO em Portugal/CPLP FAO-PT@fao.org www.fao.org/portugal 14 de Abril de 2016 As leguminosas secas sempre

Leia mais

Pedologia. Antonio Soares da Silva

Pedologia. Antonio Soares da Silva Pedologia Antonio Soares da Silva Origem da descrição dos solos Importância: Alimentação Sustentação das florestas Armazenamento da água da chuva Fornecimento de materiais Origem da descrição dos solos

Leia mais

Relatório de pesquisa de utilização de basalto na agricultura biodinâmica em parceria com o Grupo Siqueira.

Relatório de pesquisa de utilização de basalto na agricultura biodinâmica em parceria com o Grupo Siqueira. Relatório de pesquisa de utilização de basalto na agricultura biodinâmica em parceria com o Grupo Siqueira. Efeito de basalto e preparados biodinâmicos na produtividade de aveia preta e milho em cultivo

Leia mais

Planejamento e Instalação de Pomares

Planejamento e Instalação de Pomares Universidade Federal do Vale do São Francisco Campus de Ciências Agrárias Curso de Engenharia Agronômica Disciplina: Fruticultura I Planejamento e Instalação de Pomares Docente responsável: Prof. Dr. Ítalo

Leia mais

Lista de determinações e métodos analíticos

Lista de determinações e métodos analíticos Unidade Estratégica de Investigação e Serviços Sistemas Agrários e Florestais e Sanidade Vegetal Área de Ambiente e Recursos Naturais Matrizes analisadas: Lista de determinações e métodos analíticos a)

Leia mais

DENSIDADE DO SOLO 1. INTRODUÇÃO 2. CONCEITOS

DENSIDADE DO SOLO 1. INTRODUÇÃO 2. CONCEITOS DENSIDADE DO SOLO PROF. GILSON MOURA FILHO/SER/UFAL CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA DISCIPLINA: FÍSICA DE SOLOS 1. INTRODUÇÃO Compreender a importância da densidade do solo para o desenvolvimento das

Leia mais

Aula 02 Agricultura Geral

Aula 02 Agricultura Geral Aula 02 Agricultura Geral NOÇÕES DE FERTILIDADE DO SOLO a. Conhecendo os elementos essências para as plantas b. Adubação: métodos e princípios c. Necessidade de correção do solo Prof. Ednei Pires Eng.

Leia mais

DE BO SAI. Elaboradores Caio Henrique da Silva Oliveira Henrique José G. M. Maluf Josimar Rodrigues Oliveira

DE BO SAI. Elaboradores Caio Henrique da Silva Oliveira Henrique José G. M. Maluf Josimar Rodrigues Oliveira PRODUÇÃO E UTRIÇÃO DE BO SAI Elaboradores Caio Henrique da Silva Oliveira Henrique José G. M. Maluf Josimar Rodrigues Oliveira ORIGE S Idéia Inicial: Contemplar a natureza em miniatura; BONSAI = Cultivo

Leia mais

PORTARIA Nº 20/UNOESC-R/2014. Fixa valores para serviços prestados pela Unoesc, Campus de Joaçaba.

PORTARIA Nº 20/UNOESC-R/2014. Fixa valores para serviços prestados pela Unoesc, Campus de Joaçaba. PORTARIA Nº 20/UNOESC-R/2014. Fixa valores para serviços prestados pela Unoesc, Campus de Joaçaba. O Reitor da Universidade do Oeste de Santa Catarina - Unoesc, Professor Aristides Cimadon, no uso de suas

Leia mais

ANÁLISE DO SOLO. Determinações, cálculos e interpretação

ANÁLISE DO SOLO. Determinações, cálculos e interpretação ANÁLISE DO SOLO Determinações, cálculos e interpretação INTRODUÇÃO Esta cartilha tem por objetivo levar informações sobre interpretação de análises de solos para fins de recomendação de calagem e adubação.

Leia mais