Entendendo a. Recuperação Judicial e. as alternativas para a. solução da crise. empresarial

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Entendendo a. Recuperação Judicial e. as alternativas para a. solução da crise. empresarial"

Transcrição

1 Entendendo a Recuperação Judicial e as alternativas para a solução da crise empresarial Associação Comercial e Industrial de Joinville Outubro de 2016

2 Mudança de perspectivas Maturidade Crescimento Declínio Reestruturação financeira Early turnaround Recuperação Extrajudicial Tempo Turnaround Recuperação Judicial Empresa Controle + Informação - Credores Falência + Crédito - + Opções - 2

3 A Alternativas para solução de crise Aspectos essenciais para um processo de recuperação efetivo Empresa Apresentação de um plano restruturação detalhado e realista com um planejamento estratégico claro e conciso Detalhamento das medidas de reestruturação financeira: Desinvestimentos Novos financiamentos Reestruturação da dívida Governança Administração Acompanhamento por parte dos credores Credores Rápida execução e desfecho da transação Intervenção antecipada Monitoramento posterior à transação Abertura para negociação: retomada da credibilidade e transparência nas informações Uma grande limitação do procedimento é o tempo, portanto soluções prénegociadas devem ser utilizadas como alternativa. 3

4 O plano de restruturação Diagnóstico operacional/financeiro: Causas de declínio Intensidade da crise Relacionamento entre as partes Projeções de fluxos de caixa Conjuntura de mercado Condições industriais Estrutura de custo/preço Readequação do capital de giro Maximização da rentabilidade de ativos Liquidez Negociação com credores Empresas e empresários não se preparam adequadamente para este processo Recuperação Judicial deve ser mais um instrumento para recuperação da empresa 4

5 O ponto de vista de devedores Escolha de alternativas de restruturação com menor impacto na imagem e continuidade do negócio Alternativas de liquidez devem anteceder qualquer movimento de recuperação judicial Controle das informações é chave para o processo negocial e da recuperação judicial Administração dos custos do processo de reestruturação Análise da estrutura de endividamento: sujeição e cram down 5

6 O ponto de vista de credores 1 No processo de tomada de decisão, os credores são influenciados por razões de caráter econômico, fiscal e regulamentar, limites estatutários, posição do próprio credito e até aspectos sociais; 2 Entretanto, do ponto de vista estritamente econômico, a escolha do credor deveria ser guiada pelo princípio da maximização ex-post, isto é, a decisão a ser tomada deveria ser aquela que permita a melhor alocação dos recursos e a minimização dos custos de gestão da crise. 3 Evidentemente, influenciam na escolha, além dos aspectos já mencionados (como o tratamento fiscal), a posição do próprio crédito (garantias reais vs. quirografários), provisionamento e a eventual pressão de outros grupos de interesses. 6

7 Os caminhos disponíveis Negocial Insucesso Judicial Reestruturação Sucesso Debt x Equity Reescalonamento Waivers Outros Judicial Insucesso Sucesso Falência Aprovação da RJ ou extra judicial Falência Os credores dividem o valor de liquidação segundo a regra de prioridade definida por Lei 7

8 A Deloitte refere-se a uma ou mais entidades da Limited, uma sociedade privada, de responsabilidade limitada, estabelecida no Reino Unido ("DTTL ), sua rede de firmas-membro, e entidades a ela relacionadas. A DTTL e cada uma de suas firmas-membro são entidades legalmente separadas e independentes. A DTTL (também chamada Deloitte Global ) não presta serviços a clientes. Consulte para obter uma descrição mais detalhada da DTTL e suas firmas-membro. A Deloitte oferece serviços de auditoria, consultoria, assessoria financeira, gestão de riscos e consultoria tributária para clientes públicos e privados dos mais diversos setores. A Deloitte atende a quatro de cada cinco organizações listadas pela Fortune Global 500, por meio de uma rede globalmente conectada de firmas-membro em mais de 150 países, trazendo capacidades de classe global, visões e serviços de alta qualidade para abordar os mais complexos desafios de negócios dos clientes. Para saber mais sobre como os cerca de profissionais da Deloitte impactam positivamente nossos clientes, conecte-se a nós pelo Facebook, LinkedIn e Twitter Todos os direitos reservados

63% Pesquisa de Natal 2016 Revelações sobre os hábitos de consumo do brasileiro. O que influencia o consumidor na hora da compra 73% D/E 63% C 56% A/B

63% Pesquisa de Natal 2016 Revelações sobre os hábitos de consumo do brasileiro. O que influencia o consumidor na hora da compra 73% D/E 63% C 56% A/B Pesquisa de Natal 2016 Revelações sobre os hábitos de consumo do brasileiro A Pesquisa de Natal 2016, realizada pela Deloitte, revela os hábitos e preferências dos brasileiros nas compras de presentes

Leia mais

Agenda 2017 Ano novo, novo ciclo as visões das empresas para um mundo de transformações aceleradas

Agenda 2017 Ano novo, novo ciclo as visões das empresas para um mundo de transformações aceleradas Agenda Ano novo, novo ciclo as visões das empresas para um mundo de transformações aceleradas Agenda Pergunta a responder... Para onde vão a economia, o ambiente de negócios e a gestão empresarial em?

Leia mais

Estratégias para a retomada dos negócios Oportunidades para além da crise. Outubro, 2016

Estratégias para a retomada dos negócios Oportunidades para além da crise. Outubro, 2016 Estratégias para a retomada dos negócios Oportunidades para além da crise Outubro, 2016 Índice Grandes mudanças potenciais 3 Setor automotivo: principais vetores de mudança 4 Tecnologia 5 Meio ambiente

Leia mais

Market Sentiment 3 a Edição

Market Sentiment 3 a Edição Market Sentiment 3 a Edição 1. Como perceciona a evolução do volume de transações de ativos imobiliários, para os próximos 3 meses? Variação da evolução global do volume de transações Análise dos principais

Leia mais

Sumário. Prefácio, xix

Sumário. Prefácio, xix Sumário Prefácio, xix 1 Introdução, 1 Objetivo do livro, 2 1.1 Citações importantes sobre planejamento financeiro com destaque para o fluxo de caixa no contexto empresarial, 2 2 Administração financeira

Leia mais

As dores da jornada. Othon Almeida. Dezembro de Sócio-líder do CFO Program Brasil, Deloitte

As dores da jornada. Othon Almeida. Dezembro de Sócio-líder do CFO Program Brasil, Deloitte As dores da jornada Othon Almeida Sócio-líder do CFO Program Brasil, Deloitte Dezembro de 2014 O panorama econômico brasileiro mudou ao longo das décadas... 2015-2018:??????? 2011-2014: Esgotamento do

Leia mais

Sustentabilidade nas instituições financeiras Uma visão sobre a gestão de riscos socioambientais

Sustentabilidade nas instituições financeiras Uma visão sobre a gestão de riscos socioambientais Sustentabilidade nas instituições financeiras Uma visão sobre a gestão de riscos socioambientais Como as instituições financeiras devem tratar a gestão de riscos socioambientais? O crescente processo de

Leia mais

Analytics total Ciência de dados para monetizar o negócio

Analytics total Ciência de dados para monetizar o negócio Analytics total Ciência de dados para monetizar o negócio Organizações do conhecimento O aumento da disponibilidade dados e a sofisticação de ferramentas analíticas oferecem uma oportunidade para as empresas

Leia mais

Cedro Gestão de Ativos S/A

Cedro Gestão de Ativos S/A Cedro Gestão de Ativos S/A Laudo de Avaliação do Patrimônio Líquido Contábil apurado por meio dos livros contábeis da Cedro Gestão de Ativos S/A para fins de incorporação do patrimônio líquido pela Companhia

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCO

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCO POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCO Este material foi elaborado pela Gestão de Recursos Ltda. ( ), e não pode ser copiado, reproduzido ou distribuído sem sua prévia e expressa concordância. Página 1 de 6 Ficha

Leia mais

Jornada do CFO O papel do executivo financeiro na crise. Othon Almeida, Sócio líder do CFO Program da Deloitte

Jornada do CFO O papel do executivo financeiro na crise. Othon Almeida, Sócio líder do CFO Program da Deloitte Jornada do CFO 2015 O papel do executivo financeiro na crise Othon Almeida, Sócio líder do CFO Program da Deloitte A jornada do CFO O panorama econômico brasileiro mudou ao longo das décadas... 2016-2018:???????

Leia mais

Alternativas Legais Para Enfrentar a Crise Econômica 28/09/2015. Luiz Galeazzi

Alternativas Legais Para Enfrentar a Crise Econômica 28/09/2015. Luiz Galeazzi Alternativas Legais Para Enfrentar a Crise Econômica 28/09/2015 Luiz Galeazzi Disclaimer Este material foi elaborado pela Galeazzi & Associados (G&A) exclusivamente para o uso interno no evento da FIESP

Leia mais

Novos modelos de negócio na era digital A transformação sem fronteiras

Novos modelos de negócio na era digital A transformação sem fronteiras Novos modelos de negócio na era digital A transformação sem fronteiras Dilemas da era da economia digital Descompasso envolvendo culturas e estruturas na maior parte das empresas Tecnologias do século

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCO DA HAMILTON LANE INVESTIMENTOS LTDA. Rio de Janeiro, Junho de SP v1

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCO DA HAMILTON LANE INVESTIMENTOS LTDA. Rio de Janeiro, Junho de SP v1 POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCO DA HAMILTON LANE INVESTIMENTOS LTDA. Rio de Janeiro, Junho de 2016 POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS 1.1. Introdução O objetivo desta política é descrever as normas e os procedimentos

Leia mais

EMENTÁRIO Curso: Direito Disciplina: DIREITO EMPRESARIAL IV EMENTA

EMENTÁRIO Curso: Direito Disciplina: DIREITO EMPRESARIAL IV EMENTA EMENTÁRIO Curso: Direito Disciplina: DIREITO EMPRESARIAL IV Período: 6 Carga Horária: 72 h/a EMENTA Teoria geral do direito falimentar. Evolução histórica. Processo falimentar: Requisitos. Fases do processo

Leia mais

e consultas) e contencioso (civil e empresarial), por meio de estratégias necessariamente coordenadas por seus sócios.

e consultas) e contencioso (civil e empresarial), por meio de estratégias necessariamente coordenadas por seus sócios. APRESENTAÇÃO Fundado em 2015, o escritório de advocacia Fábio Azevedo & Bragança oferece a seus clientes atendimento de excelência e serviços personalizados de caráter consultivo (pareceres e consultas)

Leia mais

POLÍTICA DE RISCO DE CRÉDITO

POLÍTICA DE RISCO DE CRÉDITO POLÍTICA DE RISCO DE CRÉDITO Gerência de Riscos e Compliance Página 1 Índice 1. Objetivo... 3 2. Abrangência... 3 3. Vigência... 3 4. Conceito... 3 5. Estrutura da Área... 4 6. Análise de Risco de Crédito...

Leia mais

O que precisa de ser feito para colocar o Brasil no radar dos investidores internacionais

O que precisa de ser feito para colocar o Brasil no radar dos investidores internacionais O que precisa de ser feito para colocar o Brasil no radar dos investidores internacionais ENIC, SALVADOR Setembro, 2015 kpmg.com.br 2014 KPMG Structured Finance S. A., uma sociedade anônima brasileira

Leia mais

RUSSO E FERREIRA - ADVOGADOS ASSOCIADOS

RUSSO E FERREIRA - ADVOGADOS ASSOCIADOS A EMPRESA RUSSO E FERREIRA - ADVOGADOS ASSOCIADOS é um escritório full service, com especialistas em cada uma das áreas de atendimento, que desenvolve um trabalho individualizado de acordo com as necessidades

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Driven by Results. Apresentação Institucional 2016 exmpartners.com.br Empresa de Assessoria Líder em Turnaround Management, Estratégia e Finanças. EXM s é uma das principais empresas de consultoria especializadas

Leia mais

Junho de 2012 MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DO EMPREGO

Junho de 2012 MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DO EMPREGO Junho de 2012 O Programa REVITALIZAR OBJECTIVO PRIMORDIAL Contribuir para dar novo fôlego a projetos empresariais operacionalmente viáveis, em que a função financeira se encontra desajustada face às condicionantes

Leia mais

esocial - Dificulades e desafios relacionados a expatriados Moving together. Making tomorrow. Nadia Leme, 23/Outubro/2015

esocial - Dificulades e desafios relacionados a expatriados Moving together. Making tomorrow. Nadia Leme, 23/Outubro/2015 esocial - Dificulades e desafios relacionados a expatriados Moving together. Making tomorrow. Nadia Leme, 23/Outubro/2015 esocial Conceito e atualizações 2 esocial O que é? Será obrigatório? O esocial

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA. Gestão Financeira 1 Prof.ª Thays Silva Diniz 1º Semestre 2010

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA. Gestão Financeira 1 Prof.ª Thays Silva Diniz 1º Semestre 2010 ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Gestão Financeira 1 Prof.ª Thays Silva Diniz 1º Semestre 2010 INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Cap.1 A decisão financeira e a empresa 1. Introdução 2. Objetivo e Funções da

Leia mais

Telemática para o setor de seguros Mais que pesquisas, resultados precisos

Telemática para o setor de seguros Mais que pesquisas, resultados precisos Telemática para o setor de seguros Mais que pesquisas, resultados precisos Competitividade e inovação A abordagem da Deloitte gera muito mais valor para o cliente e para a seguradora a partir das informações

Leia mais

ARMINDO DE CASTRO JÚNIOR

ARMINDO DE CASTRO JÚNIOR Conceito de falência DIREITO FALIMENTAR Falência (do latim fallere e do grego sphallein ): falha, defeito, carência, engano ou omissão ARMINDO DE CASTRO JÚNIOR E-mail: armindocastro@uol.com.br Homepage:

Leia mais

Banco Safra S.A. ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE LIQUIDEZ

Banco Safra S.A. ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE LIQUIDEZ Banco Safra S.A. ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE LIQUIDEZ 1/8 1. OBJETIVO Apresentar o modelo de gerenciamento de Risco de Liquidez no Banco Safra e os princípios, as diretrizes e instrumentos de

Leia mais

Workshop: Gestão integrada de riscos para cooperativas de crédito

Workshop: Gestão integrada de riscos para cooperativas de crédito Workshop: Gestão integrada de riscos para cooperativas de crédito Bloco 2 Segmentação e gestão integrada de riscos para S3, S4 e S5: Supervisão e visão da indústria Agenda 1 Conceitos 2 Cronologia 3 Desafios

Leia mais

PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO EMPRESARIAL

PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO EMPRESARIAL P á g i n a 1 PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO EMPRESARIAL 1. A recuperação extrajudicial é uma modalidade prevista na Lei Nº 11.101/2005, e pode ser adotada pelo empresário em dificuldade e com

Leia mais

E D I T A L N º 0 2 / R E T I F I C A Ç Ã O D O E D I T A L D E C O N C U R S O S P Ú B L I C O S N º 0 1 / A B E R T U R A

E D I T A L N º 0 2 / R E T I F I C A Ç Ã O D O E D I T A L D E C O N C U R S O S P Ú B L I C O S N º 0 1 / A B E R T U R A BANCO REGIONAL DE DESENVOLVIMENTO DO EXTREMO SUL BRDE E D I T A L N º 0 2 / 2 0 1 5 R E T I F I C A Ç Ã O D O E D I T A L D E C O N C U R S O S P Ú B L I C O S N º 0 1 / 2 0 1 5 - A B E R T U R A O Banco

Leia mais

Controle Integrado de Riscos. Alexandre da Silva Glüher Vice-Presidente Executivo

Controle Integrado de Riscos. Alexandre da Silva Glüher Vice-Presidente Executivo Alexandre da Silva Glüher Vice-Presidente Executivo 2 Governança de Riscos Controle Integrado de Riscos Apetite a Riscos Conselho Fiscal Comitê de Gestão Integrada de Riscos e Alocação de Capital Assembleia

Leia mais

1. PROJEÇÃO DE RESULTADO ECONÔMICO-FINANCEIRO

1. PROJEÇÃO DE RESULTADO ECONÔMICO-FINANCEIRO ANEXO I Este documento é parte integrante do plano de recuperação judicial das Recuperandas, com o objetivo de demonstrar a capacidade de geração de recursos, através da projeção dos resultados e fluxo

Leia mais

ORDEM DO DIA: Eleição de membro efetivo do Conselho de Administração, por indicação do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.

ORDEM DO DIA: Eleição de membro efetivo do Conselho de Administração, por indicação do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO AGE Em, 06 de agosto de 2015. ORDEM DO DIA: Eleição de membro efetivo do Conselho de Administração, por indicação do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. - INFORMAÇÕES

Leia mais

Prezado(a) Participante,

Prezado(a) Participante, COMUNICADO INSTITUCIONAL CELOS Emissor: Diretoria Executiva e Conselho Deliberativo Comunicado Nº: 00/06 Assunto: Mudanças Carteira de Investimentos Público Alvo: Participantes Ativos e Assistidos Data

Leia mais

Contabilidade CRISE. Planejamento Financeiro 25/08/2016. Escreve, oficializa É a ciência que registra os

Contabilidade CRISE. Planejamento Financeiro 25/08/2016. Escreve, oficializa É a ciência que registra os CRISE Contabilidade Escreve, oficializa É a ciência que registra os Possuem denominador financeiro comum acontecimentos verificados no patrimônio de uma entidade Conjunto de bens direitos e obrigações

Leia mais

Atividade Associativa

Atividade Associativa Atividade Associativa Circular n.º 35/2013 12 de abril de 2013 Assunto: Sessão de Esclarecimento REVITALIZAÇÃO/ RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS Caro Associado, A AICOPA irá promover no próximo dia 23 de abril,

Leia mais

APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS 2015

APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS 2015 APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS 2015 DESTAQUES PERSPETIVAS FUTURAS CARTEIRA DE ENCOMENDAS ANÁLISE DE RESULTADOS DESTAQUES Volume Negócios atinge 221 M ( +17 % YTD) Recuperação significativa na performance operacional,

Leia mais

A PETROBRAS E A GOVERNANÇA CORPORATIVA. Desenvolvimento de Sistemas de Gestão. Comunicação Institucional

A PETROBRAS E A GOVERNANÇA CORPORATIVA. Desenvolvimento de Sistemas de Gestão. Comunicação Institucional A PETROBRAS E A GOVERNANÇA CORPORATIVA Desenvolvimento de Sistemas de Gestão Comunicação Institucional A Petrobras já integra o grupo das grandes companhias que adotam as melhores práticas de governança

Leia mais

Fichas técnicas das fontes de informação

Fichas técnicas das fontes de informação Fichas técnicas das fontes de informação Inquérito a Turistas Abril de 2015 Inquérito referente ao Período de Inverno, elaborado pelo Turismo de Portugal. Universo Constituído pelos turistas residentes

Leia mais

PLANOS DE NEGÓCIOS E RISCOS DE MERCADO

PLANOS DE NEGÓCIOS E RISCOS DE MERCADO PLANOS DE NEGÓCIOS E RISCOS DE MERCADO E a Governança Corporativa Economista Ricardo R. Hingel 1 Ricardo R. Hingel é Economista e Consultor de Empresas. Foi Diretor Técnico da Secretaria de Desenvolvimento

Leia mais

Estruturação e Organização de Empresas. Valuation. Consultoria para empresas em recuperação judicial. Consultoria em Planejamento Estratégico

Estruturação e Organização de Empresas. Valuation. Consultoria para empresas em recuperação judicial. Consultoria em Planejamento Estratégico Estruturação e Organização de Empresas Consultoria em Planejamento Estratégico Valuation Consultoria para empresas em recuperação judicial ASCENSÃO E QUEDA DO NEGÓCIO MATURIDADE CRESCIMENTO CRESCIMENTO

Leia mais

O Código Contributivo e a competitividade da economia: implicações num contexto de crise

O Código Contributivo e a competitividade da economia: implicações num contexto de crise O Código Contributivo e a competitividade da economia: implicações num contexto de crise Carlos Loureiro 30 de Novembro de 2010 Tópicos a abordar 1. A competitividade e o factor trabalho 2. Impacto das

Leia mais

Apresentação Elog EcoRodovias Infraestrutura e Logística S.A. Maio de 2015

Apresentação Elog EcoRodovias Infraestrutura e Logística S.A. Maio de 2015 Apresentação Elog EcoRodovias Infraestrutura e Logística S.A. Maio de 2015 DESCRIÇÃO DA TRANSAÇÃO Exercício da Opção de Venda pela BRZ Exercício da opção de venda pela Logística Brasil Fundo de Investimentos

Leia mais

Reestruturação de Empresas em Crise Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva

Reestruturação de Empresas em Crise Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

VITOR MEDEIROS Advocacia e Consultoria Jurídica

VITOR MEDEIROS Advocacia e Consultoria Jurídica RECUPERAÇÃO JUDICIAL DE EMPRESAS E SUA FUNÇÃO SOCIAL Vitor Hugo Bena Medeiros Advogado, atuante na área administrativa e empresarial, formado na Faculdade de Direito da Universidade Federal de Mato Grosso,

Leia mais

GOVERNANÇA CORPORATIVA: PRINCIPAIS DIFERENÇAS ENTRE OS MODELOS ANGLO-SAXÃO E NIPO-GERMÃNICO. VICTÓRIA, Lia¹; MAEHLER, Alisson².

GOVERNANÇA CORPORATIVA: PRINCIPAIS DIFERENÇAS ENTRE OS MODELOS ANGLO-SAXÃO E NIPO-GERMÃNICO. VICTÓRIA, Lia¹; MAEHLER, Alisson². GOVERNANÇA CORPORATIVA: PRINCIPAIS DIFERENÇAS ENTRE OS MODELOS ANGLO-SAXÃO E NIPO-GERMÃNICO. Autor(es): Apresentador: Orientador: Revisor 1: Revisor 2: Instituição: VICTÓRIA, Lia Beatriz Gomes Lia Beatriz

Leia mais

CAMERA AGROALIMENTOS S.A. Assembleia Geral de Credores. 03 / Maio / 2016

CAMERA AGROALIMENTOS S.A. Assembleia Geral de Credores. 03 / Maio / 2016 1 CAMERA AGROALIMENTOS S.A. Assembleia Geral de Credores 03 / Maio / 2016 Plano de Recuperação Judicial Camera Agroalimentos S.A. (Aditivo Consolidado) PREMISSAS Cronologia da Recuperação 3 Pedido de Recuperação

Leia mais

Política Formal de Decisão de Investimento

Política Formal de Decisão de Investimento Política Formal de Decisão de KAETÉ INVESTIMENTOS LTDA. Órgão responsável: Comitê de Compliance e Controles Internos Data da atualização: 17 de junho de 2016 Aviso Legal: Este documento pode conter informações

Leia mais

Cielo Day. CFO Clovis Poggetti Jr

Cielo Day. CFO Clovis Poggetti Jr Cielo Day CFO Clovis Poggetti Jr Aviso Legal A companhia faz declarações sobre eventos futuros que estão sujeitas a riscos e incertezas Tais declarações têm como base crenças e suposições de nossa Administração

Leia mais

Fusões e Aquisições no Brasil

Fusões e Aquisições no Brasil Corporate Finance Fusões e Aquisições no Brasil O momento da indústria de Private Equity Junho de 2009 Ambiente de M&A O início do ano de 2009 é marcado por um ambiente de turbulências e incertezas, construído

Leia mais

Material de Apoio Comercial. Retornos de Resultados!

Material de Apoio Comercial. Retornos de Resultados! Material de Apoio Comercial Retornos de Resultados! Estrutura do Comercial 1 a 6 - Segmentação de Clientes por Serviços Contábeis A a F - Portfólio de Serviços Contábeis (Assessorias e Consultorias) e

Leia mais

Estrutura de Gerenciamento do Risco Operacional Base: Setembro/2015

Estrutura de Gerenciamento do Risco Operacional Base: Setembro/2015 Estrutura de Gerenciamento do Risco Operacional Base: Setembro/2015 ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL DEFINIÇÃO O BMB entende que uma gestão apropriada do risco operacional é importante,

Leia mais

MUDANÇA NA CLASSIFICAÇÃO MUDANÇA NA DAF** (% PONTOS) DB 2016 Classificação. Comércio internacional Nenhuma alteração. DB 2016 DAF** (% Pontos)

MUDANÇA NA CLASSIFICAÇÃO MUDANÇA NA DAF** (% PONTOS) DB 2016 Classificação. Comércio internacional Nenhuma alteração. DB 2016 DAF** (% Pontos) Facilidade de se fazer negócios em Gana VISÃO GERAL DO PAÍS * REGIÃO CATEGORIA DE RENDA África Subsaariana Renda média inferior POPULAÇÃO 26.442.178 RENDA BRUTA INTERNA (GNI) PER CAPITA (US$) 1.620 CIDADE

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS Junho/2016 Sócios / Administração 1 / 7 Índice 1. Objetivo... 3 2. Estrutura... 3 a. Comitê de Risco... 3 3. Risco de Preço... 4 4. Risco de Liquidez e Concentração... 4 5.

Leia mais

O Olhar dos Fundos de Investimento sobre o Franchising Brasileiro. Squadra Participações

O Olhar dos Fundos de Investimento sobre o Franchising Brasileiro. Squadra Participações O Olhar dos Fundos de Investimento sobre o Franchising Brasileiro Squadra Participações SQUADRA INVESTIMENTOS 2008 Fundação da Squadra Investimentos Gestora independente de recursos com foco em ações de

Leia mais

AgRg no Recurso Especial Nº PR (2007/ )

AgRg no Recurso Especial Nº PR (2007/ ) Grupo AgRg no Recurso Especial Nº999.134 - PR (2007/0250951-0) 0 Relator: Ministro Luiz Fux 0 Agravante: Cooperativa Agrícola de Cotia Cooperativa Central em Liquidação 0 Agravado: Estado do Paraná O caso

Leia mais

RECUPERAÇÃO JUDICIAL GRUPO PEDERTRACTOR

RECUPERAÇÃO JUDICIAL GRUPO PEDERTRACTOR RECUPERAÇÃO JUDICIAL GRUPO PEDERTRACTOR ASSEMBLEIA GERAL DE CREDORES Continuação da assembleia geral de credores suspensa em 06/04/2016 29/06/2016 às 13:00 HORAS COMENTÁRIOS INICIAIS Considerando que:

Leia mais

CONTROLADORIA E FINANÇAS

CONTROLADORIA E FINANÇAS CONTROLADORIA E FINANÇAS Objetivo: Capacitar profissionais para a análise e reflexão crítica, direcionada ao desenvolvimento e à implementação de novos processos empresariais, por meio de aplicação de

Leia mais

Consultoria Financeira e de Gestão Contabilidade Fiscalidade Auditoria Recursos Humanos Tecnologias de Informação Apoio à Internacionalização

Consultoria Financeira e de Gestão Contabilidade Fiscalidade Auditoria Recursos Humanos Tecnologias de Informação Apoio à Internacionalização Consultoria Financeira e de Gestão Contabilidade Fiscalidade Auditoria Recursos Humanos Tecnologias de Informação Apoio à Internacionalização . > Somos uma empresa independente de prestação de Serviços

Leia mais

Apresentação 8 de Fevereiro de 2012

Apresentação 8 de Fevereiro de 2012 Apresentação 8 de Fevereiro de 2012 Programa REVITALIZAR Apresentação Pública Lisboa, Ministério da Economia e do Emprego 8 Fevereiro 2012 O Programa REVITALIZAR é uma iniciativa do Governo que tem por

Leia mais

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN Administração Graduação Executiva- Campus Mossoró) 6ª SÉRIE

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN Administração Graduação Executiva- Campus Mossoró) 6ª SÉRIE DISCIPLINAS DA SÉRIE DISCIPLINAS DAS SÉRIES ANTERIORES ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN 2016.2 Administração Graduação Executiva- Campus Mossoró) 6ª SÉRIE GESTÃO ESTRATEGICA GESTÃO FINANCEIRA AVANÇADA LOGISTICA

Leia mais

FUNDAÇÃO FECOMERCIO DE PREVIDÊNCIA ASSOCIATIVA

FUNDAÇÃO FECOMERCIO DE PREVIDÊNCIA ASSOCIATIVA FUNDAÇÃO FECOMERCIO DE PREVIDÊNCIA ASSOCIATIVA RELATÓRIO ANUAL 2009 MAIO/2010 Fundação Fecomercio de Previdência Associativa - Relatório Anual 2009. 1 INTRODUÇÃO A Fundação Fecomercio FPA passou o ano

Leia mais

O PAPEL ESTRATÉGICO DA CONTROLADORIA E DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES (RI) 2ª. PARTE: FOCO NA CONTROLADORIA E NAS GESTÃO DAS INFORMAÇÕES

O PAPEL ESTRATÉGICO DA CONTROLADORIA E DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES (RI) 2ª. PARTE: FOCO NA CONTROLADORIA E NAS GESTÃO DAS INFORMAÇÕES O PAPEL ESTRATÉGICO DA CONTROLADORIA E DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES (RI) 2ª. PARTE: FOCO NA CONTROLADORIA E NAS GESTÃO DAS INFORMAÇÕES Eraldo Soares Peçanha 51 Principais Papéis da Controladoria 1. DAR

Leia mais

LIQUIDAÇÃO EXTRAJUDICIAL Encerramento Compulsório das Atividades

LIQUIDAÇÃO EXTRAJUDICIAL Encerramento Compulsório das Atividades LIQUIDAÇÃO EXTRAJUDICIAL Encerramento Compulsório das Atividades Clique para editar o nome do autor Diretoria de Normas e Habilitação Clique para das editar Operadoras o cargo do - DIOPE autor Gerência-Geral

Leia mais

PROP OS TA DE PAT ROC ÍN IO 2017 ONE DAY

PROP OS TA DE PAT ROC ÍN IO 2017 ONE DAY PROP OS TA DE PAT ROC ÍN IO 2017 ONE DAY SEMIN ARS E MES A S REDONDA S A TMA Brasil TMA Brasil é o capítulo brasileiro da Turnaround Management Association, uma prestigiada associação fundada nos EUA em

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Matriz Curricular do Curso de Graduação em Administração (Vigência a partir de 2017/1) Fase Cód

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL Resolução 3.988/2011. Área Responsável: Risco de Crédito e Capital Gerência de Capital

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL Resolução 3.988/2011. Área Responsável: Risco de Crédito e Capital Gerência de Capital ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL Área Responsável: Risco de Crédito e Capital Gerência de Capital Sumário RELATÓRIO DE ACESSO PÚBLICO ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL... 3 1. INTRODUÇÃO... 3

Leia mais

PRECISA MELHORAR O SEU NEGÓCIO?

PRECISA MELHORAR O SEU NEGÓCIO? PRECISA MELHORAR O SEU NEGÓCIO? PROGRAMAÇÃO 1º Trimestre - e Região PARA MICROEMPREENDEDORES INDIVIDUAIS, MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE Importante! As vagas para cada evento são limitadas A

Leia mais

Assembleia Geral de Credores Principais Aspectos do PRJ

Assembleia Geral de Credores Principais Aspectos do PRJ Rio de Janeiro Dezembro, 2014 Assembleia Geral de Credores Principais Aspectos do PRJ Rio de Janeiro Dezembro, 2014 Aviso Importante O presente documento foi elaborado pela OSX e seus assessores com a

Leia mais

Divulgação do LAJIDA/LAJIR CVM Instrução 527

Divulgação do LAJIDA/LAJIR CVM Instrução 527 Divulgação do LAJIDA/LAJIR CVM Instrução 527 Seminário ANEFAC/IBRACON Mudanças Contábeis para 2013 Bruce Mescher 25 de março de 2013 Agenda Contexto Instrução CVM nº 527 e Nota Explicativa Por dentro da

Leia mais

Auxiliando empresas dinâmicas a liberarem seu potencial de crescimento Grant Thornton Brazil Ltd. All rights reserved.

Auxiliando empresas dinâmicas a liberarem seu potencial de crescimento Grant Thornton Brazil Ltd. All rights reserved. Auxiliando empresas dinâmicas a liberarem seu potencial de crescimento 2017 Grant Thornton Brazil Ltd. All rights reserved. A Grant Thornton Somos uma das cinco maiores empresas em serviços de auditoria,

Leia mais

CAPÍTULO VI VEDAÇÕES CONSTITUCIONAIS EM MATÉRIA ORÇAMENTÁRIA Questões de concursos anteriores Gabarito

CAPÍTULO VI VEDAÇÕES CONSTITUCIONAIS EM MATÉRIA ORÇAMENTÁRIA Questões de concursos anteriores Gabarito SUMÁRIO CAPÍTULO I INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA 1.1 O Direito Financeiro e a Administração Financeira e Orçamentária 1.2 Normas gerais de Direito Financeiro 2. A atividade financeira

Leia mais

Análise de Balanço 2013 Clube de Regatas VASCO DA GAMA

Análise de Balanço 2013 Clube de Regatas VASCO DA GAMA Ressonância Financeira Análise de Balanço 2013 Clube de Regatas VASCO DA GAMA PLURI Consultoria São Paulo - Brasil Twitter: @pluriconsult www.facebook/pluriconsultoria ÍNDICE 2 Dados Gerais do clube 3

Leia mais

Parte I Dimensões do Uso de Tecnologia de Informação, 5

Parte I Dimensões do Uso de Tecnologia de Informação, 5 Sumário Introdução, 1 Parte I Dimensões do Uso de Tecnologia de Informação, 5 1 Direcionadores do Uso de Tecnologia de Informação, 7 1.1 Direcionadores de mercado, 8 1.2 Direcionadores organizacionais,

Leia mais

COMUNICADO. 1. Ambiente de Negócios 1.2 Contexto dos Pequenos Negócios no Brasil 1.3 Políticas públicas de apoio aos Pequenos Negócios

COMUNICADO. 1. Ambiente de Negócios 1.2 Contexto dos Pequenos Negócios no Brasil 1.3 Políticas públicas de apoio aos Pequenos Negócios COMUNICADO O SEBRAE NACIONAL Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, por meio da Universidade Corporativa SEBRAE, comunica que, na prova, serão avaliados conhecimentos conforme as áreas descritas

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA DUE DILIGENCE TRIBUTÁRIA

A IMPORTÂNCIA DA DUE DILIGENCE TRIBUTÁRIA A IMPORTÂNCIA DA DUE DILIGENCE TRIBUTÁRIA Histórico A nova dinâmica dos negócios com a quebra de barreiras geográficas para atuação do capital nos investimentos e novos empreendimentos exigiu das empresas

Leia mais

EXPANSÃO GEOGRÁFICA E LANÇAMENTO DO CARTÃO

EXPANSÃO GEOGRÁFICA E LANÇAMENTO DO CARTÃO Histórico 1982-1994 INÍCIO DA OPERAÇÃO Criação da empresa Desenvolvimento dos produtos CP e CDC Implantação de novos recursos de TI 2003-2008 EXPANSÃO GEOGRÁFICA E LANÇAMENTO DO CARTÃO Abertura de 25 lojas

Leia mais

CFO Survey Brasil 2017 O que pensam os executivos líderes de finanças no Brasil. Março 2017

CFO Survey Brasil 2017 O que pensam os executivos líderes de finanças no Brasil. Março 2017 CFO Survey Brasil 2017 O que pensam os executivos líderes de finanças no Brasil Março 2017 CFO Survey Brasil 2017 Parte 1 Gestão da área financeira Deloitte Papel dos executivos na crise 2 Parte mais estressante

Leia mais

O valor da recuperação judicial na continuidade do negócio

O valor da recuperação judicial na continuidade do negócio O valor da recuperação judicial na continuidade do negócio VISÃO CRÍTICA DA LEI PALESTRANTE ALEXANDRE ABBY 25.SETEMBRO.2015 SÃO PAULO Observações Iniciais Contexto: 10 anos da edição da LRF e Instabilidade

Leia mais

HISTÓRICO A firma é especializada em direito imobiliário, direito empresarial, direito desportivo, direito das famílias e sucessões e processos judici

HISTÓRICO A firma é especializada em direito imobiliário, direito empresarial, direito desportivo, direito das famílias e sucessões e processos judici HISTÓRICO A firma é especializada em direito imobiliário, direito empresarial, direito desportivo, direito das famílias e sucessões e processos judiciais, além de ter atuação destacada em direito do trabalho,

Leia mais

GOVERNANÇA CORPORATIVA

GOVERNANÇA CORPORATIVA GOVERNANÇA CORPORATIVA AULA 2 Prof. Wellington www.maestrocarreira.com.br A Sociedade Anônima regida pela Lei 6.404, de 15 de dezembro de 1976 (Lei das SA) possui o capital dividido em partes iguais chamadas

Leia mais

Serviços de Administração Judicial Recuperação Judicial e Falência

Serviços de Administração Judicial Recuperação Judicial e Falência Serviços de Administração Judicial Recuperação Judicial e Falência Lei nº 11.101/05 exmpartners.com.br 1 Agenda I. A EXM Partners II. Administração Judicial Agenda I. A EXM Partners II. Administração Judicial

Leia mais

Clique para editar o estilo do título. mestre SEMINÁRIO INTERNACIONAL INFORMAÇÃO DE CUSTOS NO SETOR PÚBLICO. 03 e 04 de dezembro de 2009

Clique para editar o estilo do título. mestre SEMINÁRIO INTERNACIONAL INFORMAÇÃO DE CUSTOS NO SETOR PÚBLICO. 03 e 04 de dezembro de 2009 Ministério da Fazenda Ministério do Planejamento Clique para editar o estilo do título SEMINÁRIO INTERNACIONAL INFORMAÇÃO DE CUSTOS NO SETOR PÚBLICO mestre 03 e 04 de dezembro de 2009 Ministério da Fazenda

Leia mais

PILARES PARA A GESTÃO EFICAZ DE RISCOS EM SUPRIMENTOS

PILARES PARA A GESTÃO EFICAZ DE RISCOS EM SUPRIMENTOS PILARES PARA A GESTÃO EFICAZ DE RISCOS EM SUPRIMENTOS 09 Setembro de 2015 1 ICTS Global Ltda. e ICTS Global de Serviços de Consultoria em Gestão de Riscos Ltda. são sociedades de responsabilidade limitada

Leia mais

OBJETIVO PÚBLICO-ALVO PROGRAMA

OBJETIVO PÚBLICO-ALVO PROGRAMA Curso de Auditoria Interna, Controle Interno e Gestão de Riscos carga-horária: 16 horas OBJETIVO Fornecer aos participantes o conhecimento básico e bases técnicas e práticas fundamentais para que possam

Leia mais

Concedendo Crédito para PMEs

Concedendo Crédito para PMEs Concedendo Crédito para PMEs 24/02/2016 Rafael Prado Otávio Binotto Como acessar nossos treinamentos a qualquer momento Acesso a página de treinamentos no site da Serasa Experian Lembretes Enviem suas

Leia mais

Demonstração dos Fluxos de Caixa como instrumento da Governança

Demonstração dos Fluxos de Caixa como instrumento da Governança Demonstração dos Fluxos de Caixa como instrumento da Governança ANTECEDENTES Na década de 80, no ambiente empresarial-societário dos Estados Unidos, uma das questões mais discutidas foi a da governança

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 2-CEPE/UNICENTRO, DE 30 DE JANEIRO DE 2014. Aprova o Curso de Especialização em MBA em Gestão de Negócios, modalidade regular, a ser ministrado no Campus Avançado da UNICENTRO, no Município

Leia mais

ABBC. Basiléia II. Processo de Auto-Avaliação de Capital ICAAP. (Internal Capital Adequacy Assessment Process) Maio de 2011

ABBC. Basiléia II. Processo de Auto-Avaliação de Capital ICAAP. (Internal Capital Adequacy Assessment Process) Maio de 2011 ABBC Basiléia II Processo de Auto-Avaliação de Capital ICAAP (Internal Capital Adequacy Assessment Process) Maio de 2011 Agenda I II III VI Objetivos da Gestão de Capital Requerimentos Regulatórios A experiência

Leia mais

Lei nº /2014 REGULAMENTAÇÃO. Novembro de Instrução Normativa RFB nº 1.492/2014 e Instrução Normativa RFB nº 1.493/2014

Lei nº /2014 REGULAMENTAÇÃO. Novembro de Instrução Normativa RFB nº 1.492/2014 e Instrução Normativa RFB nº 1.493/2014 Lei nº 12.973/2014 REGULAMENTAÇÃO Instrução Normativa RFB nº 1.492/2014 e Instrução Normativa RFB nº 1.493/2014 Novembro de 2014 Agenda Objetivo Regime Tributário de Transição RTT Instrução Normativa RFB

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatório de Gerenciamento de Riscos Introdução Relatório elaborado em concordância com as recomendações do Comitê de Supervisão Bancária de Basiléia e com as determinações do Banco Central do Brasil (Circular

Leia mais

Sessão 4: Gerenciamento e Monitoramento de Recursos do Setor de Segurança na África

Sessão 4: Gerenciamento e Monitoramento de Recursos do Setor de Segurança na África Sessão 4: Gerenciamento e Monitoramento de Recursos do Setor de Segurança na África Drs. Raymond O. Gilpin and Willene A. Johnson Impact through Insight Visão geral Quadro Estratégico O Ambiente Econômico

Leia mais

Mercado de Títulos Privados

Mercado de Títulos Privados Mercado de Títulos Privados 1 LAURO AUGUSTO AMARAL CAMPOS Experiência Profissional 2 Superintendente de Análise de Crédito. Formado em Economia pela Universidade Mackenzie, atua desde 1990 em análise de

Leia mais

CUSTOS DE TRANSAÇÃO E DESEMPENHO CONTRATUAL: O CASO DA TERCEIRIZAÇÃO DA ATIVIDADE DE MANUTENÇÃO EM REFINARIAS DA PETRÓLEO BRASILEIRO S.A.

CUSTOS DE TRANSAÇÃO E DESEMPENHO CONTRATUAL: O CASO DA TERCEIRIZAÇÃO DA ATIVIDADE DE MANUTENÇÃO EM REFINARIAS DA PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. Universidade Federal de Pernambuco Centro de Ciências Sociais Aplicadas Departamento de Ciências Administrativas Mestrado Profissional em Administração CUSTOS DE TRANSAÇÃO E DESEMPENHO CONTRATUAL: O CASO

Leia mais

Brasil Pharma. Conferência de Resultados 2T16 11 de Agosto de 2016

Brasil Pharma. Conferência de Resultados 2T16 11 de Agosto de 2016 Brasil Pharma Conferência de Resultados 2T16 11 de Agosto de 2016 2 Destaques 2T16 Destaques: Margem Bruta Margem bruta de 30,0%, com crescimento de 1,6 p.p. em relação ao 1T16 e 2,4 p.p. em relação ao

Leia mais

REPRESENTAÇÃO COMERCIAL

REPRESENTAÇÃO COMERCIAL REPRESENTAÇÃO COMERCIAL Copyright Ody & Keller Advocacia e Assessoria Empresarial, 2014. Todos os direitos reservados. Versão: 01 (outubro de 2014) Este material tem caráter informativo, e não deve ser

Leia mais

Gestão Financeira 2S/2016 Graduação em Ciências Contábeis

Gestão Financeira 2S/2016 Graduação em Ciências Contábeis Gestão Financeira 2S/2016 Graduação em Ciências Contábeis Aula 09: 27-Set-2016 Aula 10: 04-Out-2016 Prof. Dr. Rodrigo Takashi Okimura rodrigo.okimura@fipecafi.org 7 Estrutura de Capital Referências: ASSAF

Leia mais

CUSTO DOS COMPONENTES DA ESTRUTURA DE CAPITAL

CUSTO DOS COMPONENTES DA ESTRUTURA DE CAPITAL CUSTO DOS COMPONENTES DA ESTRUTURA DE! Custo do capital próprio.! Custo do capital de terceiros.! Custo do capital próprio e o Modelo de Gordon.! Ações preferenciais e custo do capital de terceiros. Francisco

Leia mais

Termômetro tributário

Termômetro tributário Termômetro tributário Tendências e desafios do profissional no Brasil Dezembro, 2015 O estudo traz indicadores que demonstram que o gestor tributário tem se mostrado cada vez mais multifacetado, qualificado,

Leia mais

CPC 27 nos ativos da sua empresa Nosso apoio para adequar seus controles ao padrão contábil global

CPC 27 nos ativos da sua empresa Nosso apoio para adequar seus controles ao padrão contábil global CPC 27 nos ativos da sua empresa Nosso apoio para adequar seus controles ao padrão contábil global Impactos para empresas de capital intensivo As normas do CPC 27 afetam uma série de empresas, em especial,

Leia mais

Fusão e Incorporação de Cooperativas

Fusão e Incorporação de Cooperativas Fusão e Incorporação de Cooperativas Definição Lei 5.764/71 Fusão = Art. 58. A fusão determina a extinção das sociedades que se unem para formar a nova sociedade que lhe sucederá nos direitos e obrigações.

Leia mais