O marketing social aumenta o acesso e o uso de preservativos e melhora os resultados de saúde?

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O marketing social aumenta o acesso e o uso de preservativos e melhora os resultados de saúde?"

Transcrição

1 A 2010 Reproductive Health Matters. Todos os direitos reservados. Reproductive Health Matters 2011; 19 (37): /11 $ see front matter PII: (10) QUESTÕES DE SAUDE reprodutiva O marketing social aumenta o acesso e o uso de preservativos e melhora os resultados de saúde? Wendy Knerr * * Consultora independente de pesquisa e comunicações, Oxford, UK. Resumo: O marketing social de preservativos (MSP) aumentou os suprimentos deste insumo de prevenção, ampliou o mercado e introduziu inovações comerciais nos países em desenvolvimento. Mas ainda são limitadas as evidências rigorosas e confiáveis sobre o impacto do MSP sobre o uso de preservativos e na prevenção de doenças, assim como as evidências de impacto no acesso equitativo a preservativos pelas populações pobres, mulheres e pessoas que vivem com HIV. Pesquisas sobre o MSP, em sua maioria, focam sobre resultados (como, por exemplo, vendas e processos) e sobre o crescimento do mercado; mas estas são medidas altamente duvidosas do uso de preservativos. Outra linha de pesquisa relata principalmente as mudanças no comportamento e atitude sexual ou no uso de preservativos, utilizando dados de inquéritos. Tais estudos raramente se utilizam de amostras aleatórias, mas se baseiam em amostras representativas que oferecem de alguma medida de validação. Tem havido tentativas de melhorar a confiabilidade e os resultados, mas ainda há desafios para pesquisadores, estudiosos e doadores, incluindo a necessidade de complementar os resultados com medidas de mudança de comportamento, com o uso de desenhos rigorosos elaborados por programas a priori, com o registro de medidas de equidade e dos riscos potenciais dos programas de MSP e, finalmente, deve-se encorajar revisões sistemáticas e externas. Palavras-chave: preservativos, marketing social, medicina baseada em evidências, igualdade e acesso O marketing social de preservativos envolve a promoção e venda de preservativos por meio das técnicas de marketing comercial (por exemplo, a propaganda) e métodos de distribuição a um preço mais barato do que o setor privado. Os programas de MSP ajudaram a aumentar os suprimentos de preservativos em países em desenvolvimento e ampliaram o mercado de preservativos 1-6. O uso criativo da mídia de massas e os métodos focados no consumidor introduziram mensagens e embalagens inovadoras (como, por exemplo, Papo 7 e Purdy 8 ) e abriram canais de divulgação que antes proibiam a publicidade de preservativos. As organizações de MSP também colaboraram com governos para melhorar a distribuição de preservativos pelo setor público, incluindo os processos de embalagem e promoção (por exemplo, no Quênia) 7. Em geral, o marketing social é descrito como uma disciplina fortemente baseada em evidências, à qual se credita a introdução do 125

2 monitoramento e avaliação de alguns programas de organizações sem fins lucrativos e do setor público 3,9. Dentre as agências de cooperação internacional tem havido uma onda de apoio ao MSP na última década 10-13, embora haja indícios de que, apesar do sucesso, a base de evidências sobre o MSP é limitada no que se refere ao rigor e confiabilidade. Este artigo apresenta um breve estado da arte das evidências sobre o MSP baseado em revisões da literatura, uma análise temática da literatura sobre MSP e recomendações para a agenda de pesquisa na perspectiva da prática baseada em evidências. Qualidade das revisões da literatura baseada em evidências Revisões sistemáticas e de literatura que avaliam o impacto do MSP sobre o uso de preservativos revelaram níveis bem baixos de rigor, poucos exemplos de aleatorização e uso limitado de comparações de grupos pareados ou de grupos de controle A partir dessa perspectiva, isto significa que conclusões baseadas em evidências podem ter uma confiabilidade limitada. Embora todas as formas de evidências tenham valor, a melhor maneira para medir a efetividade de uma intervenção é estabelecer causalidade, por meio de projetos de pesquisa rigorosos, que incluam amostragem aleatória e métodos experimentais, assegurando-se de que a intervenção produza mais benefícios do que danos. Sem a aleatoriedade é maior o risco de que os efeitos de uma intervenção sejam exagerados ou mal- -interpretados 18, tornando-se difícil determinar se os resultados de um estudo são generalizáveis para a maior parte da população ou para outros cenários ou contextos As revisões de literatura publicadas em 2001, 2007 e 2010 encontraram um número limitado de estimativas de equidade no acesso e relataram que são fracas as evidências de ampliação da equidade, por meio desses programas, para as populações pobres ou vulneráveis 2,21,22. Por exemplo, em 2007, Patouillard 21 utilizou critérios de inclusão relativamente frouxos (por exemplo, não trabalhou apenas com estudos aleatórios) e só encontrou seis estudos sobre o MSP que incluíam medidas de equidade. Ainda sobre a questão da equidade, muitos programas de MSP demonstraram obter mais êxito em aumentar a aceitação de preservativos mais entre homens do que entre mulheres e mais entre populações urbanas do que entre rurais 8,23. Uma análise sistemática recente e uma meta-análise sobre intervenções comportamentais para a prevenção do HIV voltada para pessoas soropositivas, não conseguiu encontrar nenhum estudo relevante sobre o MSP, ou seja, nenhum dado sobre seu papel na redução da transmissão do HIV. Isto ocorreu, em parte, por que a maioria dos estudos não visou pessoas soropositivas ou não avaliou a soropositividade 25. Em países em situação epidêmica, programas do MSP que visam à população em geral podem ou não alcançar os soropositivos, a depender do perfil epidemiológico local da infecção pelo HIV e dos métodos promocionais utilizados. Entretanto, voltar-se apenas para os soropositivos poderia trazer conseqüências negativas como, por exemplo, uma nova estigmatização dos preservativos como algo associado apenas à prevenção de doenças e menos relacionado à saúde, sexo e a outros aspectos positivos do seu uso. Ainda há muito a ser aprendido e realizado a esse respeito. Indicadores de impacto para medir os programas de MSP A análise a qual nos referimos acima concluiu que há uma escassez de estudos rigorosos sobre o MSP. Dentre os estudos de avaliação de programas de MSP publicados em revistas que utilizam a revisão por pares, há uma linha que trata dos resultados (por exemplo, as vendas), 126

3 processos (por exemplo, estratégias promocionais), conscientização sobre prevenção ou as dimensões e crescimento do mercado 13,15-17,25,26 e outra linha que relata principalmente as mudanças de atitude e comportamento em relação aos preservativos, baseada principalmente em dados de estudos não-experimentais 27,28. Em relação à primeira linha de estudos, as análises revelam que as vendas são um indicador altamente duvidoso para medir o uso de preservativos. Essa foi, por exemplo, a conclusão de Meekers e Van Rossem em suas análises das inconsistências entre os dados de venda e de uso de preservativos 29. Afirmam ainda que os resultados podem indicar mais uma mudança no local onde as pessoas adquirem os preservativos do que um aumento absoluta na retirada dos preservativos 1. Dados de vendas ou resultados podem ser indicadores importantes quando a sustentabilidade financeira é o principal objetivo de um programa, isto é, sua independência dos recursos dos doadores 30-32, mas não são uma proxy para o uso de preservativos. Os anos de proteção do casal (APC) é outra medida usada como proxy para o uso dos preservativos. O APC é a quantidade de métodos contraceptivos necessária para proteger um casal por um ano, parcialmente calculada com base no número de unidades de um método contraceptivo que foi distribuído durante aquele período. Portanto, o APC é muito mais uma medida de resultado do que uma medida de uso 3. Várias outras desvantagens do APC também foram apontadas na literatura 33,34. A outra linha de pesquisa volta-se para o impacto sobre a mudança de comportamento, como o próprio uso dos preservativos. Uma análise sistemática recente concluiu que a medição do impacto do MSP sobre a mudança de comportamento (por exemplo, sobre o uso na ultima relação sexual e nas intenções de uso futuro) é relativamente rara na literatura 16,17. Estudos sobre mudança de comportamento utilizam geralmente dados de inquéritos que se baseiam no auto-relato para estabelecer a proporção da população que já usou preservativos alguma vez na vida ou na última relação sexual 35. Algumas destas pesquisas são retrospectivas (por exemplo Eloundouu-Enyegue et al 28 ), mas a maioria tem desenhos prospectivos (por exemplo Meekers et al 35 ), que medem melhor a mudança, uma vez que os estudos retrospectivos lidam com o bias de memória. A maioria destes estudos não utiliza a amostragem aleatória, mas muitos usam amostras representativas, que fornecem uma medida melhor de impacto e de generalização do que, por exemplo, a amostragem de conveniência 36. Há um claro debate sobre os riscos de bias para as medidas que se baseiam no auto-relato do uso de preservativos em geral, e não apenas em relação ao MSP. O estudo de Noar, Cole a Carlyle 37, por exemplo, citou várias questões comuns aos estudos de auto-relato sobre o uso dos preservativos, recomendando formas de melhorar a confiabilidade de tais medidas, tais como o emprego de múltiplas medidas de uso de preservativos e a comparação de resultados para identificar discrepâncias e medir a mudança de comportamento em intervalos menores do que três meses. Na literatura sobre o MSP, o estudo de Meekers em Zimbábue 27 mediu o uso dos preservativos por meio de auto-relato em intervalos curtos, o que ajudou a aumentar a confiabilidade dos resultados. Este é um exemplo de como alguns pesquisadores trabalharam de forma adequada para aumentar a confiabilidade dos resultados. Desafios para os pesquisadores, estudiosos e financiadores do MSP Para tratar das limitações da base atual de evidências sobre o MSP e construir boas práticas, organizações, estudiosos, financiadores e outros deveriam se assegurar de que os estudos sobre os programas de MSP vão além do mero relato 127

4 de resultados e incluam medidas de mudança de comportamento. Este é um desafio particularmente importante para as intervenções nacionais e regionais de MSP. É difícil atribuir qualquer mudança no comportamento à intervenção, pois muitos outros fatores podem influenciar os indivíduos, mas é um passo vital em direção à qualificação da base de evidências. Aumentar o rigor De maneira geral, as pesquisas sobre o MSP deveriam se utilizar de desenhos mais rigorosos. Estudos experimentais devem ser encorajados, mas inquéritos analiticamente bem desenhados também auxiliam na montagem da base de evidências (por exemplo, estudos longitudinais prospectivos, tais como os usados por Meekers no Zimbábue 27 ), especialmente se se utilizarem da amostragem aleatória. Estudos aleatórios são raros na literatura sobre a prevenção do HIV 38 e há um debate ético persistente sobre a sua utilização (por exemplo, veja Lie 39 ). No entanto, há formas éticas de se conduzir estudos aleatórios controlados não-placebo e estudos aleatórios controlados sobre a promoção e distribuição dos preservativos, como demonstrado por estudos realizados em vários lugares, incluindo os Estados Unidos 40,41, Madagascar 42, Quênia e África do Sul 43. A aleatorização também pode ser usada em estudos não-experimentais, mas através de técnicas de amostragem aleatória e não pelo uso da amostra de conveniência 36. A condução de testes aleatorizados em intervenções de nível populacional (tais como campanhas nacionais) coloca desafios metodológicos e pragmáticos 44,45. Contudo, pesquisadores e organizações de MSP deveriam utilizar abordagens com o mais alto nível possível de rigor, seguir recomendações para aumentar a confiabilidade dos métodos escolhidos (por exemplo, aqueles de Noar et al 37 ) e dialogar com outras áreas de pesquisa comportamental onde métodos rigorosos tem sido utilizados com bons resultados 44,45. Uma melhor qualidade das evidências também pode ser estimulada assegurando- -se a incorporação de avaliações rigorosas no interior dos próprios programas, em lugar de torná-la um acréscimo ou esforço a posteriori. Patouillard 21 aponta que muitas intervenções não se constituem em exercícios de pesquisa, logo, a avaliação precisa se encaixar junto a outras prioridades. Este é, sem dúvida, o caso de muitos programas de MSP, particularmente aqueles que dependem de financiamento externo, uma vez que as prioridades dos doadores nem sempre são as mesmas dos pesquisadores das práticas baseadas em evidências. Isto continua sendo um desafio para todos aqueles que buscam melhorar a saúde pública nos países em desenvolvimento. Relatórios sobre a equidade no acesso Muitas áreas de intervenção e não apenas o MSP - tem evidências limitadas sobre a equidade no acesso, uma vez que a coleta e a avaliação de evidências sobre equidade é uma tarefa complexa 46. Existe uma necessidade contínua de examinar a distribuição socioeconômica dos benefícios dos programas de MSP 21. A literatura revela diferente opiniões sobre o MSP como estratégia para alcançar populações de difícil alcance, marginalizadas e vulneráveis 2,47 e sobre as características que podem tornar um programa de MSP mais ou menos efetivo nesse aspecto. Os programas de MSP elaborados principalmente para estimular fabricantes e outras entidades do setor privado a se engajarem na produção, distribuição e promoção de preservativos (conhecidos como o modelo do fabricante ) ampliaram o acesso aos preservativos para pessoas que podem arcar com os seus custos e, em última análise, podem afastar as pessoas dos preservativos gratuitos ou 128

5 subsidiados 31,32, beneficiando assim o fabricante e o distribuidor. Até o momento, são limitadas as pesquisas sobre essa questão 6,48, mas há sugestões de que isto:...talvez não tenha um impacto significativo sobre a prevalência contraceptiva ou sobre outras metas quantificáveis de saúde pública (especialmente nos países mais pobres) já que as necessidades não satisfeitas são, em geral, encontradas entre os grupos de baixa-renda que não são capazes de arcar com os preços de mercado 30. Logo, é indispensável melhorar a base de evidências incluindo medidas de equidade em todos os estudos sobre o MSP (por exemplo, linha de base socioeconômica e acompanhamento dos dados em estudos analíticos e experimentais). Também é indispensável ser o mais transparente possível ao medir e reconhecer as limitações do MSP no que se refere à equidade de acesso para populações pobres ou vulneráveis, considerando o impacto que o preço do insumo pode ter sobre o acesso 2,49. Um estudo de 2007 feito pelo Population Services International, em Trinidad e Tobago, incluiu um desenho de estudo robusto, dados socioeconômicos e medidas do efeito do preço na aquisição e uso de preservativos 50. Registro de danos potenciais Há poucos estudos que avaliam medidas de danos que possam ocorrer como resultado de um programa de MSP. A exceção é um estudo etnográfico de uma campanha de MSP em uma comunidade em Moçambique, que explica como a campanha foi de encontro aos valores locais e foi responsabilizada por um aumento na prostituição, na promiscuidade e na disseminação do HIV, levando os membros da igreja a banir completamente o uso de preservativos entre os paroquianos 11. Uma ONG relatou que a campanha dificultou bastante a aceitação da igreja para com os preservativos. Não obstante, uma análise do MSP publicada anteriormente pela agência implementadora do programa não mencionou nenhum efeito negativo 51. Embora esse exemplo não possa ser generalizado para outros cenários ou períodos (as entrevistas foram conduzidas há uma década), isto é um lembrete de que a mensuração dos efeitos de uma intervenção deve incluir medidas de danos e benefícios, sendo um aspecto fundamental de transparência das ações 52,53. A mensuração dos danos é facilitada por projetos experimentais, que podem sugerir causalidade, mas mesmo estudos analíticos e descritivos podem gerar hipóteses relacionadas aos benefícios e malefícios potenciais para pesquisas futuras. Estimular revisões sistemáticas e externas Até o momento, uma grande proporção das pesquisas sobre o MSP é conduzida por organizações envolvidas com as ações e isto deveria ser contrabalançado pelo estímulo às revisões sistemáticas e externas rigorosas. Uma revisão externa não garante uma maior confiabilidade ou validade dos resultados, mas toca no o risco fundamental dos bias 2. A ausência de avaliação externa pode não se dever necessariamente à falta de abertura por parte das organizações de MSP, mas pode indicar a falta de interesse ou motivação entre a comunidade acadêmica ou entre os financiadores. Isto sugere a necessidade de maior colaboração entre as organizações e estudiosos do MSP. Além disto, enquanto há uma série de revisões sistemáticas e de literatura que avaliam os estudos sobre MSP 2,13,15-17,21,22,24, novas revisões que avaliem aspectos diferentes relativos ao impacto do MSP poderiam ajudar a melhorar a base de evidências e a compreensão 2 Para uma discussão sobre o bias de conflito de interesses em pesquisas de intervenção ver, por exemplo, Littell

6 sobre onde, quando e com quais populações o MSP funciona melhor. As revisões sistemáticas, particularmente, são consideradas o padrão ouro da evidência 55, já que sintetizam os resultados de múltiplos estudos. Nos últimos anos, financiadores como o Departamento de Desenvolvimento Internacional do Reino Unido apoiaram um grande número de revisões sistemáticas para informar suas decisões políticas e financeiras (<www.dfid.gov.uk/r4d/systematicreviewnew.asp>). Revisões de estudos que incluam mais do que programas isolados de MSP podem ser úteis, assim como aquelas que são acompanhadas por intervenções de educação e de capacitação¹ e as revisões que comparam métodos ou características de distribuição (por exemplo, o setor público comparado com o setor privado, o livre com o subsidiado). As revisões sistemáticas podem produzir um nível mais forte de evidências do que as revisões não-sistemáticas, mas elas também variam em qualidade 54,56. Por exemplo, elas são propensas ao bias de publicação, pelo qual os estudos com resultados positivos tendem a ser mais analisados do que os estudos negativos por que os primeiros são mais publicados e, conseqüentemente, são mais disponíveis. Além disto, devido às dificuldades de identificar os estudos não publicados, que é o caso de muitas avaliações de MSP, as revisões sistemáticas oferecem um quadro limitado das evidências sobre determinados temas. Além disto, é comum que não examinem ou considerem como o contexto dos estudos pode afetar a oferta, a aceitação ou efetividade das intervenções 46. À luz destas questões, as organizações de MSP devem considerar a colaboração com instituições acadêmicas ou pesquisadores para assegurarem a boa qualidade das pesquisas futuras sobre o MSP. Referências 1. Hatzell T, Feldblum PJ, Homan RK, et al. The female condom: is Just as good Good enough? Sexually Transmitted Diseases 2003;30 (5): Em: < The_Female_Condom_Is_Just_ as_good_good_enough_.11. aspx >. Acesso em 20/03/ Price N. The performance of social marketing in reaching the poor and vulnerable in AIDS control programmes. Health Policy and Planning 2001;16(3): Davies J. Social marketing for health: did it all begin with condoms? Presented at World Social Marketing Conference, Brighton, Piot B, Mukherjee A, Navin D, et al. Lot quality assurance sampling for monitoring coverage and quality of a targeted condom social marketing programme in traditional and non-traditional outlets in India. Sexually Transmitted Infections 2010;86(Suppl 1):i56 i UNAIDS. Condom social marketing: selected case studies. Geneva: UNAIDS; Em: < blications/irc-pub02/jc condsocmark_en.pdf >. Acesso em 21/03/ Agha S, Do M, Armand F. When donor support ends: the fate of social marketing products and the markets they help create. Bethesda MD: Abt Associates Inc; Em: < resources/3087_file_global_research_report_final_001.pdf>. Acesso em 22/03/ Papo J. Exploring the condom gap: condom access and use in a rural and an urban setting in Kilifi district, Kenya. MA Thesis, University of Oxford, United Kingdom, Purdy C. Using the internet and social media to promote condom use in Turkey. Reproductive Health Matters 2011;19(37): Ling J, Franklin B, Lindsteadt J, et al. Social marketing: its place in public health. Annual Review of Public Health 1992;13(1): Em: <www.annualreviews.org/ doi/abs/ /annurev. pu >. Acesso em 27/02/ Cleland J, Bernstein S, Ezeh A, et al. Family planning: the 130

7 unfinished agenda. Lancet 2006;368(9549): Pfeiffer J. Condom social marketing, pentecostalism, and structural adjustment in Mozambique: a clash of AIDS prevention messages. Medical Anthropology Quarterly 2004;18(1): USAID. Contraceptive social marketing. Em: < gov/our_work/global_health/ pop/techareas/cyp.html >. Acesso em 26/02/ Peters DH, Mirchandani GG, Hansen PM. Strategies for engaging the private sector in sexual and reproductive health: how effective are they? Health Policy and Planning 2004;19(Suppl.1):i5 i21. Em: < i5.full.pdf+html >. Acesso em 20/02/ Free C, Roberts IG, Abramsky T, et al. A systematic review of randomised controlled trials of interventions promoting effective condom use. Journal of Epidemiology and Community Health 2011;65(2): Em: < content/65/2/100.full >. Acesso em 28/03/ Bollinger L, Cooper-Arnold K, Stover J. Where are the gaps? The effects of HIV-prevention interventions on behavioral change. Studies in Family Planning 2004;35(1): Sweat M. The importance of evidence: Johns Hopkins-WHO systematic reviews of behavioral interventions for HIV in developing countries -condom social marketing. [Presentation] Em: < org/vct_box/research/vct%20 Research/VCT%20Impact/ JohnsHopkinsWHO SystematicReviews.pdf >. Acesso em 22/03/ Sweat M, Denison J, Schmid G, et al. The impact of condom social marketing (CSM) on condom use in developing countries: a systematic review (Abstract No. Thped7654). 15th International Conference on AIDS, Bangkok, July Moher D, Hopewell S, Schulz KF, et al. Consort 2010 explanation and elaboration: Updated guidelines for reporting parallel group randomised trials. BMJ 2010;340: Em: <www.bmj.com/ content/340/bmj.c869.full>. Acesso em 20/03/ Bowling A. Research methods in health: investigating health and health services. 3rd ed. Maidenhead: Open University Press; Delgado-Rodríguez M, Llorca J. Bias. Journal of Epidemiology and Community Health 2004;58(8): Patouillard E, Goodman C, Hanson K, et al. Can working with the private for-profit sector improve utilization of quality health services by the poor? A systematic review of the literature International Journal for Equity in Health 2007;6(1):17. Em: < content/6/1/17>. Acesso em 20/03/ Madhavan S, Bishai D. Private sector engagement in sexual and reproductive health and maternal and neonatal health: a review of the evidence. London: DFID; Van Rossem R, Meekers D. The reach and impact of social marketing and reproductive health communication campaigns in Zambia. BMC Public Health 2007;7(1):352. Em: < www. biomedcentral.com/ /7/352 >. Acesso em 20/02/ Kennedy C, Medley A, Sweat M, et al. Behavioural interventions for HIV positive prevention in developing countries: a systematic review and meta- -analysis. Bulletin of World Health Organization 2010;88: Em: < en/ >. Acesso em 27/02/ Harvey PD. Social marketing: no longer a sideshow. Studies in Family Planning 2008;39(1): Em: < stable/ >. Acesso em 20/02/ Basajja V, Kamali A, Kinsman J, et al. A community-based condom social marketing strategy in rural Uganda (Abstract No. Moorc244). International AIDS Conference, Durban, 9 14 July Em: < nlm.nih.gov/meetingabstracts/ ma?f= html >. Acesso em 23/03/ Meekers D. The role of social marketing in sexually transmitted diseases/hiv protection in 4600 sexual contacts in urban Zimbabwe. AIDS 2001;15(2): Em: < The_role_of_social_marketing_ in_sexually.26.aspx >. Acesso em 23/03/ Eloundouu-Enyegue PM, Meekers D, Emmanuele Calves A. From awareness to adoption: the effect of AIDS education and condom social marketing on condom use in Tanzania ( ). Journal of Biosocial Science 2005;37(3): Meekers D, Van Rossem R. Explaining inconsistencies between data on condom use and condom sales. BMC Health Services Research 2005;5(1): Armand F. Social marketing models for product-based reproductive health programs: a comparative analysis. Washington DC: USAID; Em: < shopsproject.org/sites/default/ files/resources/971_file_33_so- 131

8 cial_marketing_models.pdf >. Acesso em 22/03/ DFID. Competency framework -private sector development advisory cadre. London: DFID; Em: < portals/7/resources/hlspi%20 technical%20papers/indiapmo. pdf#search=%22condom%22 >. Acesso em 21/03/ Abt Associates. Projects: Commercial market strategies (CMS) - USAID. Em: < page.cfm? PageID=18001 &OWID= & CSB=1 >. Acesso em 21/03/ Shelton JD. What s wrong with CYP? Studies in Family Planning 1991;22(5): Em: < >. Acesso em 20/02/ Fort AL. More evils of CYP. Studies in Family Planning 1996;27(4): Em: < >. Acesso em 20/03/ Meekers D, Agha S, Klein M. The impact on condom use of the 100% jeune social marketing program in Cameroon. Journal of Adolescent Health 2005;36(6): Merlin T, Weston A, Tooher R. Extending an evidence hierarchy to include topics other than treatment: revising the Australian levels of evidence. BMC Medical Research Methodology 2009;9(1):34. Em: < com/ /9/34 >. Acesso em 28/03/ Noar S, Cole C, Carlyle K. Condom use measurement in 56 studies of sexual risk behavior: review and recommendations. Archives of Sexual Behavior 2006;35(3): Padian NS, McCoy SI, Balkus JE, et al. Weighing the gold in the gold standard: challenges in HIV prevention research. AIDS 2010;24(5): Lie RK, Emanuel EJ, Grady C. Circumcision and HIV prevention research: an ethical analysis. Lancet 2006;368(9534): Em: <http://linkinghub. elsevier.com/retrieve/pii/ S >. Acesso em 28/03/ Bull SS, Posner SF, Ortiz C, et al. Power for reproductive health: results from a social marketing campaign promoting female and male condoms. Journal of Adolescent Health 2008;43(1): Martinez-Donate AP, Zellner JA, Sanudo F, et al. Hombres sanos: Evaluation of a social marketing campaign for heterosexually identified Latino men who have sex with men and women. American Journal of Public Health 2010;100(12): Feldblum PJ, Hatzell T, Van Damme K, et al. Results of a randomised trial of male condom promotion among Madagascar sex workers. Sexually Transmitted Infections 2005;81(2): Weaver MA, Joanis C, Toroitich-Ruto C, et al. The effects of condom choice on self-reported condom use among men in Ghana, Kenya and South Africa: a randomized trial. Contraception In press. Em: < article/b6t5p-52777gx- -6/2/311410f780bb b85ec00b3 >. Acesso em 28/03/ Sanson-Fisher RW, Bonevski B, Green LW, et al. Limitations of the randomized controlled trial in evaluating population-based health interventions. American Journal of Preventive Medicine 2007;33(2): Noar SM, Palmgreen P, Chabot M, et al. A 10-year systematic review of HIV/AIDS mass communication campaigns: have we made progress? Journal of Health Communication: International Perspectives 2009;14(1): Petticrew M, Tugwell P, Welch V, et al. Better evidence about wicked issues in tackling health inequities. Journal of Public Health 2009;31(3): Em: < >. Acesso em 23/03/ McDermott RJ. Social marketing: a tool for health education. American Journal of Health Behavior 2000;24(1): Meekers D, Rahaim S. The importance of socio-economic context for social marketing models for improving reproductive health: evidence from 555 years of program experience. BMC Public Health 2005;5: Harvey PD. The impact of condom prices on sales in social marketing programs. Studies in Family Planning 1994;25(1): PSI. Price as a barrier to condom use: a randomized controlled trial in Trinidad and Tobago and St Vincent and the Grenadines. Washington DC: PSI; Em: < attachments/140_priceasabarriertocondomuse.pdf >. Acesso em 28/03/ Agha S, Karlyn A, Meekers D. The promotion of condom use in non-regular sexual partnerships in urban Mozambique. Health Policy and Planning 2001;16(2): Em: < full.pdf+html >. Acesso em 20/02/ Chalmers I. Trying to do more good than harm in policy and practice: the role of rigorous, transparent, up-to-date evaluations. ANNALS of the American Academy of Political and Social Science 2003;589(1): 132

9 Buchanan D, Reddy S, Hossain Z. Social marketing: a critical appraisal. Health Promotion International 1994;9(1): Littell JH. Lessons from a systematic review of effects of multisystemic therapy. Children and Youth Services Review 2005;27(4): Petticrew M, Roberts H. Systematic Reviews in the Social Sciences: A Practical Guide. Oxford: Blackwell; Tricco AC, Tetzlaff J, Sampson M, et al. Few systematic reviews exist documenting the extent of bias: a systematic review. Journal of Clinical Epidemiology 2008;61(5): Em: < elsevier.com/retrieve/pii/ ?showall=tr ue>. Acesso em 20/02/2011. Abstract: Condom social marketing (CSM) has increased condom supplies, broadened commercial markets for condoms and introduced marketing innovations in developing countries. Yet rigorous and reliable evidence of the impact on condom usage and disease prevention is limited, as is evidence of the impact on equity of access to condoms for poor populations, women and people living with HIV. One strand of research on CSM reports mostly on output (e.g. sales and processes) and market growth; but these have been found to be highly unreliable measures of condom usage. Another strand of research reports primarily on changes in sexual behaviour, attitude or condom usage, using survey data. While random sampling is rare, these studies often use representative samples, which provide some measure of validity. There have been attempts to improve the reliability or results to good effect, but challenges remain for researchers, scholars and donors, including the need to supplement output data with measures of behaviour change, use rigorous designs which are built into programmes a priori, report on equity measures, report on potential harms of CSM programmes, and encourage external and systematic reviews Reproductive Health Matters. All rights reserved. Keywords: condoms, social marketing, evidence-based medicine, equity and access Resumen: El mercadeo social del condón (MSC) haaumentado los suministros de condones, ampliado los mercados comerciales para los condones e introducido innovaciones de marketing en los países en desarrollo. No obstante, existe poca evidencia rigurosa y confiable del impacto del uso de condones y la prevención de enfermedades, así como del impacto en la equidad de acceso a los condones para los sectores pobres de la población, mujeres y personas que viven con VIH. Una línea de investigación sobre el MSC informa principalmente sobre los resultados (p. ej., ventas y procesos) y el crecimiento del mercado; pero se ha encontrado que éstas son medidas poco fidedignas del uso del condón. Otra línea de investigación informa principalmente sobre los cambios en comportamiento sexual, actitud o uso del condóm, utilizando los datos de encuestas. Aunque el muestreo aleatorio es raro, estos estudios a menudo usanmuestras representativas, que ofrecen algún grado de validez. Ha habido intentos de mejorar la fiabilidad o los resultados, pero los investigadores, eruditos y donantes aún afrontan retos, como la necesidad de suplementar los datos sobre los resultados con medidas de los cambios de comportamiento; utlizar diseños rigurosos que se incorporen en los programas a priori; informar sobre las medidas de equidad; informar sobre los posibles daños de los programas de MSC; y promover revisiones externas y sistemáticas. 133

Reforçar os Programas VIH/SIDA para Mulheres e Raparigas Combatendo as Desigualdades entre os Sexos

Reforçar os Programas VIH/SIDA para Mulheres e Raparigas Combatendo as Desigualdades entre os Sexos Orientação Técnica para a Série 8 Informação Técnica Essencial para Formulação de Propostas Reforçar os Programas VIH/SIDA para Mulheres e Raparigas Combatendo as Desigualdades entre os Sexos Historial:

Leia mais

Avaliação da Qualidade de um Projeto de Pesquisa

Avaliação da Qualidade de um Projeto de Pesquisa Última impressão 15/08/01 08:19 Página 1 de 7 Manuscrito em Elaboração! Capítulo 16 Avaliação da Qualidade de um Projeto de Pesquisa Aldemar Araujo Castro INTRODUÇÃO O processo de avaliação da qualidade

Leia mais

Fórum de Editores Científicos na Área da Saúde Pública Abrascão 2006, Rio de Janeiro. Revisão por pares. Cesar Victora Epidemiologia UFPEL

Fórum de Editores Científicos na Área da Saúde Pública Abrascão 2006, Rio de Janeiro. Revisão por pares. Cesar Victora Epidemiologia UFPEL Fórum de Editores Científicos na Área da Saúde Pública Abrascão 2006, Rio de Janeiro Revisão por pares Cesar Victora Epidemiologia UFPEL Editor Associado Internacional, AJPH Editor Associado, Rev Bras

Leia mais

2 - to raise awareness of the nature, extent, complexity and consequences of misuse of alcohol and other drugs occorring among doctors

2 - to raise awareness of the nature, extent, complexity and consequences of misuse of alcohol and other drugs occorring among doctors Working Group on the Misuse of Alcohol and Other Drugs by Doctor - British Medical Association - 1998 Ênfase : "...the protection of patients by recognising and dealing firmly and fairly with dysfunctional

Leia mais

EPLNA_2012. Ciclo de Garantia da Qualidade Analítica: tendências e etapas fundamentais para a fornecer resultados confiáveis

EPLNA_2012. Ciclo de Garantia da Qualidade Analítica: tendências e etapas fundamentais para a fornecer resultados confiáveis Ciclo de Garantia da Qualidade Analítica: tendências e etapas fundamentais para a fornecer resultados confiáveis Prof. Dr. Igor Renato Bertoni Olivares Top 02 in analytical chemistry Impact Factor - 6,6

Leia mais

Asseguração de Relatórios de Sustentabilidade Denise Saboya 23 de setembro de 2009

Asseguração de Relatórios de Sustentabilidade Denise Saboya 23 de setembro de 2009 Asseguração de Relatórios de Sustentabilidade Denise Saboya 23 de setembro de 2009 Relembrando conceitos de sustentabilidade Desenvolvimento Econômico Responsabilidade Social Maximização do retorno do

Leia mais

O IMPACTO DO HIV/AIDS NO LOCAL DE TRABALHO E O PAPEL DAS EMPRESAS

O IMPACTO DO HIV/AIDS NO LOCAL DE TRABALHO E O PAPEL DAS EMPRESAS O IMPACTO DO HIV/AIDS NO LOCAL DE TRABALHO E O PAPEL DAS EMPRESAS Lançamento do Comitê Empresarial de Prevenção às DST / HIV / Aids de Santa Catarina Karina Andrade Ponto Focal do Programa da OIT sobre

Leia mais

Federal Court of Accounts Brazil (TCU) Auditing Climate Change Policies

Federal Court of Accounts Brazil (TCU) Auditing Climate Change Policies Federal Court of Accounts Brazil (TCU) Auditing Climate Change Policies JUNNIUS MARQUES ARIFA Head of Department of Agriculture and Environmental Audit TCU s mandate and jurisdiction 1. Role of Supreme

Leia mais

Avaliação do risco de viés de ensaios clínicos randomizados pela ferramenta da colaboração Cochrane

Avaliação do risco de viés de ensaios clínicos randomizados pela ferramenta da colaboração Cochrane Medicina baseada em evidências Avaliação do risco de viés de ensaios clínicos randomizados pela ferramenta da colaboração Cochrane Alan Pedrosa Viegas de Carvalho I, Valter Silva II, Antonio José Grande

Leia mais

CLICA JÁ EDUCAÇÃO SEXUAL EM MEIO ESCOLAR

CLICA JÁ EDUCAÇÃO SEXUAL EM MEIO ESCOLAR CLICA JÁ EDUCAÇÃO SEXUAL EM MEIO ESCOLAR JOSÉ ANTÓNIO DE JESUS COIMBRA 1 1 Enfermeiro e Coordenador da Unidade de Cuidados na Comunidade Pedra da Sé (Centro de Saúde de Tábua) do Agrupamento de Centros

Leia mais

Perspectivas nacionais e internacionais sobre as. TIC na escola. Carla Morais e João Paiva

Perspectivas nacionais e internacionais sobre as. TIC na escola. Carla Morais e João Paiva Perspectivas nacionais e internacionais sobre as TIC na escola Carla Morais e João Paiva O que sabemos? Nem dados, nem estatísticas, nem decretos-lei, nem tecnologias mudam verdadeiramente a educação.

Leia mais

Horizonte 2020. Ciênciacom e paraa Sociedade. Cláudia Oliveira Ponto de Contacto Nacional Sociedades, Ciência & Sociedade, e PMEs

Horizonte 2020. Ciênciacom e paraa Sociedade. Cláudia Oliveira Ponto de Contacto Nacional Sociedades, Ciência & Sociedade, e PMEs Horizonte 2020 Ciênciacom e paraa Sociedade Cláudia Oliveira Ponto de Contacto Nacional Sociedades, Ciência & Sociedade, e PMEs Objectivos Objectivosdo programaciênciacome para a Sociedade, Artigo3.3b

Leia mais

DECLARAÇÃO DE CONSENSO

DECLARAÇÃO DE CONSENSO Consulta Técnica sobre HIV e Alimentação Infantil realizada em nome da IATT Equipe de Trabalho Inter Agencias sobre a Prevenção de infecções pelo HIV em mulheres grávidas, mães e seus bebes Genebra, 25

Leia mais

NORMA. Francisco George Diretor-Geral da Saúde. Norma nº 003/2015 de 11/03/2015 1/5

NORMA. Francisco George Diretor-Geral da Saúde. Norma nº 003/2015 de 11/03/2015 1/5 NÚMERO: 003/2015 DATA: 11/03/2015 ASSUNTO: Avaliação da Cultura de Segurança do Doente nos Cuidados de Saúde Primários PALAVRAS-CHAVE: Segurança do Doente; avaliação da cultura de segurança PARA: Agrupamentos

Leia mais

CIENCIA VIVA. A Portuguese initiative for scientific and technological culture

CIENCIA VIVA. A Portuguese initiative for scientific and technological culture CIENCIA VIVA A Portuguese initiative for scientific and technological culture OUR MISSION CIENCIA VIVA IN SCHOOLS Science Education, practical work in partnership with research institutions NATIONAL SCIENTIFIC

Leia mais

CMSC-FAC COMUNICAÇÃO. PARA A MUDANÇA SOCIAL E DE COMPORTAMENTO Ferramenta de Avaliação da Capacidade PARA USO COM ORGANIZAÇÕES

CMSC-FAC COMUNICAÇÃO. PARA A MUDANÇA SOCIAL E DE COMPORTAMENTO Ferramenta de Avaliação da Capacidade PARA USO COM ORGANIZAÇÕES CMSC-FAC COMUNICAÇÃO PARA A MUDANÇA SOCIAL E DE COMPORTAMENTO Ferramenta de Avaliação da Capacidade PARA USO COM ORGANIZAÇÕES PARTE II: FERRAMENTA DE AVALIAÇÃO Esta publicação é tornada possível graças

Leia mais

Coordenação Nacional para a Infecção VIH/sida - Portugal HIV AIDS. Portugal. Henrique Barros

Coordenação Nacional para a Infecção VIH/sida - Portugal HIV AIDS. Portugal. Henrique Barros HIV AIDS Portugal Henrique Barros 70.0 % 60.0 50.7% Heterosexual 64.9% 50.0 40.0 30.0 29.1% IDU 20.0 10.0 11.1% MSM 20.2% 14.0% 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 AIDS number of cases Portugal

Leia mais

Women for Science since Budapest 1999: a view from Brazil. Alice Abreu Director of ICSU-LAC

Women for Science since Budapest 1999: a view from Brazil. Alice Abreu Director of ICSU-LAC Women for Science since Budapest 1999: a view from Brazil Alice Abreu Director of ICSU-LAC Primer Foro Regional sobre Políticas de Ciencia, Tecnología e Innovación en América Latina y el Caribe: Primer

Leia mais

Normas para a apresentação de manuscritos

Normas para a apresentação de manuscritos UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE CENTRO DE ESTUDOS AFRICANOS Revista Estudos Moçambicanos ISSN 10240667 Normas para a apresentação de manuscritos I. Indicações gerais 1. A revista Estudos Moçambicanos aceita

Leia mais

Feminização e transmissão intergeneracional da pobreza no Brasil

Feminização e transmissão intergeneracional da pobreza no Brasil Feminização e transmissão intergeneracional da pobreza no Brasil Maria Salet Ferreira Novellino João Raposo Belchior Palavras-chave: feminização da pobreza; transmissão intergeracional da pobreza; domicílios

Leia mais

Capítulo 7 Estudos sobre Causalidade e Etiologia

Capítulo 7 Estudos sobre Causalidade e Etiologia L E I T u R A C R í T I C A D E A R T I G O S C I E N T í F I CO S 105 Capítulo 7 Estudos sobre Causalidade e Etiologia 7.1 Introdução Relembrando o que foi dito no capítulo 1 os estudos randomizados,

Leia mais

PROMOÇÃO DA SAÚDE NAS ESCOLAS

PROMOÇÃO DA SAÚDE NAS ESCOLAS PROMOÇÃO DA SAÚDE NAS ESCOLAS E s c o l a N a c i o n a l d e S a ú d e P ú b l i c a 7 / 1 2 / 2 0 1 2 A s s o c i a ç ã o P o r t u g u e s a p a r a a P r o m o ç ã o d a S a ú d e Saúde Escolar Palmela

Leia mais

FATORES QUE INTERFEREM NA QUALIDADE DO SERVIÇO NA UNIDADE DE SAÚDE DA FAMÍLIA RENATO AUGUSTO PEDREIRA LEONNI EM SANTO AMARO DA PURIFICAÇÃO-BA.

FATORES QUE INTERFEREM NA QUALIDADE DO SERVIÇO NA UNIDADE DE SAÚDE DA FAMÍLIA RENATO AUGUSTO PEDREIRA LEONNI EM SANTO AMARO DA PURIFICAÇÃO-BA. UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO ATUALIZA ASSOCIAÇÃO CULTURAL CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MBA EXECUTIVO EM SAÚDE- GESTÃO HOSPITALAR KARLA MICHELLINE OLIVEIRA BOAVENTURA FATORES QUE INTERFEREM NA QUALIDADE DO

Leia mais

O efeito da confiança na intenção de uso do mobile banking

O efeito da confiança na intenção de uso do mobile banking Fernanda Leão Ramos O efeito da confiança na intenção de uso do mobile banking Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao Programa de Pósgraduação em Administração de Empresas da PUC- Rio como

Leia mais

Ministério dos Negócios Estrangeiros Instituto da Cooperação Portuguesa

Ministério dos Negócios Estrangeiros Instituto da Cooperação Portuguesa GLOSSÁRIO DA AVALIAÇÃO E DA GESTÃO CENTRADA NOS RESULTADOS Termos agrupados por categorias Garantia de qualidade Apreciação prévia Auditoria Conclusões Avaliabilidade Avaliação Retroacção / Assimilação

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DE COIMBRA Coimbra, May 2013. Carlos Souza & Cristina Silva

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DE COIMBRA Coimbra, May 2013. Carlos Souza & Cristina Silva ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DE COIMBRA Coimbra, May 2013 Carlos Souza & Cristina Silva Population: 10,6 million. According to INE (National Institute of Statistics) it is estimated that more than 2 million

Leia mais

Investigação em Anatomia Patológica. Álcool e Jovens em Idade Escolar: Comportamentos e Conhecimentos Associados ao Consumo

Investigação em Anatomia Patológica. Álcool e Jovens em Idade Escolar: Comportamentos e Conhecimentos Associados ao Consumo de Janeiro de 2013 Instituto Politécnico de Lisboa Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa Investigação em Anatomia Patológica Álcool e Jovens em Idade Escolar: Comportamentos e Conhecimentos

Leia mais

Os caminhos e descaminhos de uma epidemia global

Os caminhos e descaminhos de uma epidemia global Os caminhos e descaminhos de uma epidemia global Por Rodrigo Cunha 5 de junho de 1981. O Relatório Semanal de Morbidez e Mortalidade do Centro para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos

Leia mais

Competências Gerenciais

Competências Gerenciais Gerenciais usando o PMCD para alavancar sua carreira Ayres set 2015 1 Ayres, MsC*, PMP, MBA, ITIL, ISO 20000, COBIT Consultor, professor e palestrante nas áreas de governança, gestão e projetos. Mestrando

Leia mais

O grande desafio é aumentar os níveis de atividade física na população em ambientes comunitários ", mas, como fazê-lo?

O grande desafio é aumentar os níveis de atividade física na população em ambientes comunitários , mas, como fazê-lo? O grande desafio é aumentar os níveis de atividade física na população em ambientes comunitários ", mas, como fazê-lo? The challenger is Increase levels of physical activity in the population in community

Leia mais

Desempenho no trabalho: Revisão da literatura [I] Job performance: An overview of literature

Desempenho no trabalho: Revisão da literatura [I] Job performance: An overview of literature PSICOLOGIA ARGUMENTO doi: 10.7213/psicol.argum.5895 ARTIGOS [T] Desempenho no trabalho: Revisão da literatura [I] Job performance: An overview of literature [R] [A] Pedro Fernando Bendassolli Resumo Received

Leia mais

Atualização das Diretrizes para o rastreamento do câncer do colo do útero

Atualização das Diretrizes para o rastreamento do câncer do colo do útero Atualização das Diretrizes para o rastreamento do câncer do colo do útero Fábio Russomano Possíveis conflitos de interesses: Responsável por serviço público de Patologia Cervical (IFF/Fiocruz) Colaborador

Leia mais

Ações de Promoção da Saúde na Autogestão de Saúde Suplementar

Ações de Promoção da Saúde na Autogestão de Saúde Suplementar UNIVERSIDADE DE BRASILIA - UNB FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE NÚCLEO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO E PROMOÇÃO DA SAÚDE NESPROM CENTRO DE ESTUDOS AVANÇADOS MULTIDISCIPINAR - CEAM CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO

Leia mais

cátedra calouste gulbenkian de Saúde Global

cátedra calouste gulbenkian de Saúde Global cátedra calouste gulbenkian de Saúde Global 2013 O que é a Saúde Global? Saúde Global é uma nova disciplina que visa a melhoria da saúde das populações e a luta pela equidade em saúde a nível mundial.

Leia mais

Challenges and lessons learned from the Surui Forest Carbon Project, Brazilian Amazon. Pedro Soares / IDESAM

Challenges and lessons learned from the Surui Forest Carbon Project, Brazilian Amazon. Pedro Soares / IDESAM Challenges and lessons learned from the Surui Forest Carbon Project, Brazilian Amazon Pedro Soares / IDESAM Project Proponent & Partners Proponent: Support and supervise the project activities and will

Leia mais

Treinamento para Pais Cidadania digital No Nível Fundamental. Parent Academy Digital Citizenship. At Elementary Level

Treinamento para Pais Cidadania digital No Nível Fundamental. Parent Academy Digital Citizenship. At Elementary Level Parent Academy Digital Citizenship At Elementary Level Treinamento para Pais Cidadania digital No Nível Fundamental Pan American School of Bahia March 18 and 29, 2016 Digital Citizenship Modules Cyberbullying

Leia mais

Projeto VISIT Victim Support for Identity Theft. Lisboa, 30 Outubro 2015

Projeto VISIT Victim Support for Identity Theft. Lisboa, 30 Outubro 2015 Projeto VISIT Victim Support for Identity Theft Lisboa, 30 Outubro 2015 Descrição Título do projeto: VISIT Victim Support for Identity Theft. Financiamento: Comissão Europeia/Directorate General Home Affairs/2013/ISEC/Prevention

Leia mais

Finanças Comportamentais: Diferenças a tolerância de risco entre cônjuges Replicando uma pesquisa e propondo alternativas complementares

Finanças Comportamentais: Diferenças a tolerância de risco entre cônjuges Replicando uma pesquisa e propondo alternativas complementares Roberto Carneiro Gurgel Nogueira Finanças Comportamentais: Diferenças a tolerância de risco entre cônjuges Replicando uma pesquisa e propondo alternativas complementares Dissertação de Mestrado Dissertação

Leia mais

Maputo, Moçambique 2008 6 Factores Externos Demográficos: (idade, sexo) Socio-económicos: (educação, ocupação) Ambiente: (conflitos, clima) Sistemas Saúde (DOTS) Disponibilidade Acesso Utilização Detecção

Leia mais

Cadastro Positivo Um novo cenário para o crédito no Brasil Agenda

Cadastro Positivo Um novo cenário para o crédito no Brasil Agenda Cadastro Positivo Um novo cenário para o crédito no Brasil Julio Cesar Leandro Superintendente da Unidade de Negócios Business Information Cadastro Positivo Um novo cenário para o crédito no Brasil Agenda

Leia mais

Profa. Poliana Noronha Barroso Escola Superior de Saúde da Universidade de Aveiro Portugal

Profa. Poliana Noronha Barroso Escola Superior de Saúde da Universidade de Aveiro Portugal AVALIAÇÃO DO ENSINO A DISTÂNCIA E DA TÉCNICA DOS MAPAS CONCEITUAIS NA FORMAÇÃO EM SAÚDE SEXUAL E REPRODUTIVA: UMA PROPOSTA DE INVESTIGAÇÃO PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO E POLITÉCNICO EM PORTUGAL Prof. Dr.

Leia mais

NORMAS PARA AUTORES. As normas a seguir descritas não dispensam a leitura do Regulamento da Revista Portuguesa de Marketing, disponível em www.rpm.pt.

NORMAS PARA AUTORES. As normas a seguir descritas não dispensam a leitura do Regulamento da Revista Portuguesa de Marketing, disponível em www.rpm.pt. NORMAS PARA AUTORES As normas a seguir descritas não dispensam a leitura do Regulamento da Revista Portuguesa de Marketing, disponível em www.rpm.pt. COPYRIGHT Um artigo submetido à Revista Portuguesa

Leia mais

Projeto pedagógico para um curso de Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos com aplicação de ABP Virtual

Projeto pedagógico para um curso de Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos com aplicação de ABP Virtual Projeto pedagógico para um curso de Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos com aplicação de ABP Virtual Silvane Guimarães Silva Gomes, Frederico José Vieira Passos Universidade Federal de Viçosa

Leia mais

O que é redução de danos?

O que é redução de danos? IHRA Briefing O que é redução de danos? Uma posição oficial da Associação Internacional de Redução de Danos (IHRA) Redução de danos é um conjunto de políticas e práticas cujo objetivo é reduzir os danos

Leia mais

Comunicação para alterações sociais

Comunicação para alterações sociais + Orientação Técnica Informação Técnica Essencial para Formulação de Propostas Comunicação para alterações sociais A comunicação é um elemento essencial dos esforços de prevenção, tratamento e cuidados

Leia mais

Self-reported diabetes: a feasible solution for national surveys in developing countries as Brazil.

Self-reported diabetes: a feasible solution for national surveys in developing countries as Brazil. Self-reported diabetes: a feasible solution for national surveys in developing countries as Brazil. Valéria M. Azeredo Passos, Janaina Caldeira Pereira, Sandhi Maria Barreto INTRODUCTION Type 2 diabetes

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIAS RELATO DE EXPERIÊNCIA COMPEEX: CAMPANHAS SÓCIO EDUCATIVAS NAS ESCOLAS DE GOIÂNIA PARA PREVENÇÃO DE DST/AIDS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIAS RELATO DE EXPERIÊNCIA COMPEEX: CAMPANHAS SÓCIO EDUCATIVAS NAS ESCOLAS DE GOIÂNIA PARA PREVENÇÃO DE DST/AIDS UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIAS RELATO DE EXPERIÊNCIA COMPEEX: CAMPANHAS SÓCIO EDUCATIVAS NAS ESCOLAS DE GOIÂNIA PARA PREVENÇÃO DE DST/AIDS GONDIM, Bruno Ferreira 1 ; CARDOSO, Bruno Freitas 1 ; MESQUITA,

Leia mais

Local & Regional Development. Expanding the positive impacts of mining projects

Local & Regional Development. Expanding the positive impacts of mining projects Local & Regional Development Expanding the positive impacts of mining projects Defining local and regional development Factors: Economic Social Specific to communities Need for ongoing consultations Link

Leia mais

Universidade*Nove*de*Julho*1*UNINOVE* Programa*de*Mestrado*Profissional*em*Administração* *Gestão*em*Sistemas*de*Saúde*

Universidade*Nove*de*Julho*1*UNINOVE* Programa*de*Mestrado*Profissional*em*Administração* *Gestão*em*Sistemas*de*Saúde* UniversidadeNovedeJulho1UNINOVE ProgramadeMestradoProfissionalemAdministração GestãoemSistemasdeSaúde Disciplina ProjetosComplexoseEstratégicosAplicadosàSaúde Códigodadisciplina GSEL04 Linhadepesquisa

Leia mais

NOVAS TECNOLOGIAS DE PREVENÇÃO CIRCUNCISÃO MÉDICA MASCULINA

NOVAS TECNOLOGIAS DE PREVENÇÃO CIRCUNCISÃO MÉDICA MASCULINA NOVAS TECNOLOGIAS DE PREVENÇÃO CIRCUNCISÃO MÉDICA MASCULINA Dr. Robinson Fernandes de Camargo Interlocução de DST/Aids da Coordenadoria Regional de Saúde - Sudeste CIRCUNCISÃO MÉDICA MASCULINA No início

Leia mais

Um Mapeamento Sistemático da Pesquisa sobre a Influência da Personalidade na Engenharia de Software

Um Mapeamento Sistemático da Pesquisa sobre a Influência da Personalidade na Engenharia de Software 1 1 2 Um Mapeamento Sistemático da Pesquisa sobre a Influência da Personalidade na Engenharia de Software Shirley Jacinto (ssj@cin.ufpe.br) Orientador: Fabio Q. B. da Silva (fabio@cin.ufpe.br) Questões

Leia mais

Visitor, is this is very important contact with you. WATH DO WE HERE?

Visitor, is this is very important contact with you. WATH DO WE HERE? Visitor, is this is very important contact with you. I m Gilberto Martins Loureiro, Piraí s Senior Age Council President, Rio de Janeiro State, Brazil. Our city have 26.600 habitants we have 3.458 senior

Leia mais

CRT DST/Aids Coordenação Estadual DST/Aids SP

CRT DST/Aids Coordenação Estadual DST/Aids SP CRT DST/Aids Coordenação Estadual DST/Aids SP 2012 6º Objetivo de Desenvolvimento do Milênio COMBATER O HIV/AIDS, A MALÁRIA E OUTRAS DOENÇAS A inclusão do combate ao HIV/Aids nas Metas do Milênio, foi

Leia mais

Tradução: Regina Figueiredo REDE CE ww.redece.org

Tradução: Regina Figueiredo REDE CE ww.redece.org 24 julh 2014 EMA/440549/2014 Documento Original: http://www.ema.europa.eu/docs/en_gb/document_library/press_release/2014/07/wc50017 0056.pdf Tradução: Regina Figueiredo REDE CE ww.redece.org LEVONORGESTREL

Leia mais

Manual de Apresentação de Dados REACH-IT

Manual de Apresentação de Dados REACH-IT Manual de Apresentação de Dados REACH-IT Parte 16 - Pedidos de Anexo I: Instruções para o modelo de documento justificativo de pedido de Versão 1.0 Página 1 de 7 Instruções Na IUCLID, por cada informação

Leia mais

Estratégia de Orientação para o Mercado (OPM): breve revisão de conceitos e escalas de mensuração

Estratégia de Orientação para o Mercado (OPM): breve revisão de conceitos e escalas de mensuração Estratégia de para o Mercado (OPM): breve revisão de conceitos e escalas de mensuração Miguel Rivera PERES JÚNIOR 1 ; Jordan Assis REIS 2 1 Professor do IFMG Campus Formiga. Rua Padre Alberico, s/n. Formiga,MG

Leia mais

GUIÃO Domínio de Referência: CIDADANIA E MULTICULTURALISMO

GUIÃO Domínio de Referência: CIDADANIA E MULTICULTURALISMO PROJECTO PROVAS EXPERIMENTAIS DE EXPRESSÃO ORAL DE LÍNGUA ESTRANGEIRA - 2005-2006 Ensino Secundário - Inglês, 12º ano - Nível de Continuação 1 1º Momento GUIÃO Domínio de Referência: CIDADANIA E MULTICULTURALISMO

Leia mais

QUAIS INSTRUMENTOS SÃO USADOS NO MONITORAMENTO DE PROGRAMAS SOCIAIS?

QUAIS INSTRUMENTOS SÃO USADOS NO MONITORAMENTO DE PROGRAMAS SOCIAIS? COMO SE FAZ NO BRASIL: PRINCIPAIS INSTRUMENTOS DE MONITORAMENTO DE PROGRAMAS SOCIAIS COMO SE FAZ O MONITORAMENTO? O monitoramento de programas envolve as seguintes etapas:» 1ª etapa: Coleta regular de

Leia mais

Universidade do Minho. Escola de Engenharia. UC transversais Programas Doutorais 1º semestre 2012-13. 11 de outubro 2012

Universidade do Minho. Escola de Engenharia. UC transversais Programas Doutorais 1º semestre 2012-13. 11 de outubro 2012 Universidade do Minho Escola de Engenharia UC transversais Programas Doutorais 1º semestre 2012-13 11 de outubro 2012 1 2 2 courses offered in the first semestre: Métodos de Investigação em Engenharia

Leia mais

Evalua&on not only publishing. Dr. Jean- Michel Borys Dr. Tommy Visscher San& Gomez Dr. Maria- Joao Gregorio

Evalua&on not only publishing. Dr. Jean- Michel Borys Dr. Tommy Visscher San& Gomez Dr. Maria- Joao Gregorio Evalua&on not only publishing Dr. Jean- Michel Borys Dr. Tommy Visscher San& Gomez Dr. Maria- Joao Gregorio Workshop outline Part 1 The benefits and constraints of evalua&on Experience from the field THAO

Leia mais

Agricultura urbana e inclusão social (1)

Agricultura urbana e inclusão social (1) Agricultura urbana e inclusão social (1) Adrienne Martin Natural Resources Institute, Universidaty of Greenwich, Reino Unido Email: a.m.martin@gre.ac.uk Joep Verhagen (Autor correspondente) IRC International

Leia mais

Versão Preliminar Quatro artigos fundamentais Aldemar Araujo Castro

Versão Preliminar Quatro artigos fundamentais Aldemar Araujo Castro Recomendações Vancouver, resumos estruturados, recomendações CONSORT e QUOROM: quatro itens fundamentais para melhorar a qualidade de publicações na área da saúde A literatura científica estará sujeita

Leia mais

Grupo de Estudo- Empresa Jr EPM Leticia de Oliveira Grassi

Grupo de Estudo- Empresa Jr EPM Leticia de Oliveira Grassi Grupo de Estudo- Empresa Jr EPM Leticia de Oliveira Grassi Basicamente o sistema norte americano consiste em: Convênio médico Particular Programas governamentais como Medicaid e Medicare 2 grandes grupos

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO. webqda - SOFTWARE DE APOIO À ANÁLISE QUALITATIVA. Entidade de formação credenciada e homologada

CURSO DE FORMAÇÃO. webqda - SOFTWARE DE APOIO À ANÁLISE QUALITATIVA. Entidade de formação credenciada e homologada CURSO DE FORMAÇÃO webqda - SOFTWARE DE APOIO À ANÁLISE QUALITATIVA Entidade de formação credenciada e homologada 1. Fundamentação A investigação nas ciências humanas e sociais tem passado nas últimas décadas

Leia mais

Abstract ACCOMPANIMENT SYSTEMATIZATION OF PATIENTS WITH INHERITED METABOLIC DISEASE BY AN NGO INSTITUTO CANGURU IN BRAZIL,.

Abstract ACCOMPANIMENT SYSTEMATIZATION OF PATIENTS WITH INHERITED METABOLIC DISEASE BY AN NGO INSTITUTO CANGURU IN BRAZIL,. SISTEMATIZAÇÃO DO ACOMPANHMENTO DE PACIENTES COM DOENÇAS METBOLICAS HEREDITARIAS POR UMA ONG INSTITUTO CANGURU NO BRASIL,. Micheletti,C. 1,2,Vertemari, T 1,2, Oliveira, R.B. 1,2, Araújo, S. 1,, Souza,

Leia mais

Unidade 1: Tradução do conhecimento e EVIPNet

Unidade 1: Tradução do conhecimento e EVIPNet Unidade 1: Tradução do conhecimento e EVIPNet Objetivos da unidade Conhecer alguns dos desafios para a vinculação dos achados de pesquisas aos processos de formulação de políticas Discutir o conceito de

Leia mais

4 a REUNIÃO DE PESQUISA EM SAÚDE BUCAL COLETIVA

4 a REUNIÃO DE PESQUISA EM SAÚDE BUCAL COLETIVA 4 a REUNIÃO DE PESQUISA EM SAÚDE BUCAL COLETIVA DETERMINANTES SOCIAIS EM SAÚDE: AVALIAÇÃO DE POLÍTICAS DE REDUÇÃO DAS DESIGUALDADES SOCIAIS EM SAÚDE Professor Roger Keller Celeste, MSc PhD Departamento

Leia mais

Pesquisa Clínica: Conceitos e Aportes

Pesquisa Clínica: Conceitos e Aportes Pesquisa Clínica: Conceitos e Aportes Alexandre V. Schwarzbold Departamento de Clínica Médica Coordenação do Ambulatório de HIV/AIDS Simpósio Internacional de Ética em Investigação Fevereiro de 2008 Apresentação

Leia mais

Salud Brasil SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE

Salud Brasil SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Salud Brasil SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE IV EXPOEPI International Perspectives on Air Quality: Risk Management Principles for Oficina de Trabalho: Os Desafios e Perspectivas da Vigilância Ambiental

Leia mais

Saúde e Sistemas Produtivos e Inovativos Locais

Saúde e Sistemas Produtivos e Inovativos Locais Saúde e Sistemas Produtivos e Inovativos Locais Maria Clara Couto Soares Seminário Sistemas de Inovação e Desenvolvimento dos BRICS Brasília, 25 e 26 de Março Saúde no Brasil: sistema estratégico para

Leia mais

Session 8 The Economy of Information and Information Strategy for e-business

Session 8 The Economy of Information and Information Strategy for e-business Session 8 The Economy of Information and Information Strategy for e-business Information economics Internet strategic positioning Price discrimination Versioning Price matching The future of B2C InformationManagement

Leia mais

4.7. Freqüência ao Dentista

4.7. Freqüência ao Dentista 202 Estudo Epidemiológico de Saúde Bucal em Trabalhadores da Indústria. Brasil, 2002-2003 Epidemiologic Study of Oral Health in Industry Workers. Brazil, 2002-2003 Estudio Epidemiológico de Salud Bucal

Leia mais

A AUSTERIDADE CURA? A AUSTERIDADE MATA?

A AUSTERIDADE CURA? A AUSTERIDADE MATA? A AUSTERIDADE CURA? A AUSTERIDADE MATA? 29.Nov.2013 Financiamento Sector público é a principal fonte de financiamento de cuidados de saúde. Apenas EUA e México apresentam menos de 50% de financiamento

Leia mais

PROGRAMA DE MONITORAÇÃO RADIOLÓGICA AMBIENTAL

PROGRAMA DE MONITORAÇÃO RADIOLÓGICA AMBIENTAL POSIÇÃO REGULATÓRIA 3.01/008:2011 PROGRAMA DE MONITORAÇÃO RADIOLÓGICA AMBIENTAL 1. REQUISITO DA NORMA SOB INTERPRETAÇÃO Esta Posição Regulatória refere se ao requisito da Norma CNEN NN 3.01 Diretrizes

Leia mais

NÚMERO: 025/2013 DATA: 24/12/2013 ATUALIZAÇÃO 20/01/2014

NÚMERO: 025/2013 DATA: 24/12/2013 ATUALIZAÇÃO 20/01/2014 NÚMERO: 025/2013 DATA: 24/12/2013 ATUALIZAÇÃO 20/01/2014 ASSUNTO: PALAVRAS-CHAVE: PARA: CONTACTOS: Avaliação da Cultura de Segurança do Doente nos Hospitais Segurança do Doente Conselhos de Administração

Leia mais

1995-2006 Professor Associado da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Lisboa.

1995-2006 Professor Associado da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Lisboa. GRAUS ACADÉMICOS AGREGAÇÃO em Psicologia (2006). Universidade de Lisboa DOUTORAMENTO em Psicologia área de Psicologia Clínica (1989). Université Catholique de Louvain Licenciatura em Psicologia (1977).

Leia mais

UNIDADE DE PESQUISA CLÍNICA Centro de Medicina Reprodutiva Dr Carlos Isaia Filho Ltda. SAMPLE SIZE DETERMINATION FOR CLINICAL RESEARCH

UNIDADE DE PESQUISA CLÍNICA Centro de Medicina Reprodutiva Dr Carlos Isaia Filho Ltda. SAMPLE SIZE DETERMINATION FOR CLINICAL RESEARCH SAMPLE SIZE DETERMINATION FOR CLINICAL RESEARCH Duolao Wang; Ameet Bakhai; Angelo Del Buono; Nicola Maffulli Muscle, Tendons and Ligaments Journal, 2013 Santiago A. Tobar L., Dsc. Why to determine the

Leia mais

A -- Como líder de projecto, dirigiu as equipes de preparaçao de 8 projectos de saúde em diferentes países da América Latina e da África:

A -- Como líder de projecto, dirigiu as equipes de preparaçao de 8 projectos de saúde em diferentes países da América Latina e da África: ANEXO - Projectos A -- Como líder de projecto, dirigiu as equipes de preparaçao de 8 projectos de saúde em diferentes países da América Latina e da África: Brasil: NE Endemic Disease Control, supervisão

Leia mais

Problemas ambientais urbanos

Problemas ambientais urbanos MEC, 4º ano, 2º sem, 2008-09 Desafios Ambientais e de Sustentabilidade em Engenharia Problemas ambientais urbanos 3ª aula Maria do Rosário Partidário CITIES ENVIRONMENT Inputs Outputs Energy Food Water

Leia mais

A tangibilidade de um serviço de manutenção de elevadores

A tangibilidade de um serviço de manutenção de elevadores A tangibilidade de um serviço de manutenção de elevadores Tese de Mestrado em Gestão Integrada de Qualidade, Ambiente e Segurança Carlos Fernando Lopes Gomes INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO E CIÊNCIAS Fevereiro

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO JOÃO FÁBIO PORTO. Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO JOÃO FÁBIO PORTO. Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO JOÃO FÁBIO PORTO Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática São Paulo 2010 JOÃO FÁBIO PORTO Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática

Leia mais

O que mudou? Para fins de busca de caso de TB pulmonar deve ser considerado sintomático respiratório o indivíduos que apresente:

O que mudou? Para fins de busca de caso de TB pulmonar deve ser considerado sintomático respiratório o indivíduos que apresente: O que mudou? Marcus B. Conde Comissão de Tuberculose/SBPT Instituto de Doenças de Tórax/UFRJ marcusconde@hucff.ufrj.br Para fins de busca de caso de TB pulmonar deve ser considerado sintomático respiratório

Leia mais

BRIGHAM AND EHRHARDT PDF

BRIGHAM AND EHRHARDT PDF BRIGHAM AND EHRHARDT PDF ==> Download: BRIGHAM AND EHRHARDT PDF BRIGHAM AND EHRHARDT PDF - Are you searching for Brigham And Ehrhardt Books? Now, you will be happy that at this time Brigham And Ehrhardt

Leia mais

DISCIPLINAS OFERECIDAS

DISCIPLINAS OFERECIDAS DISCIPLINAS OFERECIDAS Metodologia Científica Nível: Mestrado Acadêmico Obrigatória: Sim Área de Concentração: Ciências Médicas Carga Horária: Créditos: Dias da semana e horários das aulas: Segundas e

Leia mais

TERCEIRA CHAMADA GLOBAL DE PROPOSTAS. Sessão de Orientação BRASIL 7 de Julho de 2015

TERCEIRA CHAMADA GLOBAL DE PROPOSTAS. Sessão de Orientação BRASIL 7 de Julho de 2015 TERCEIRA CHAMADA GLOBAL DE PROPOSTAS Sessão de Orientação BRASIL 7 de Julho de 2015 O que é o GPSA? O GPSA apoia a sociedade civil e governos para trabalharem em conjunto a fim de resolver problemas críticos

Leia mais

Melhorando o ambiente de negócios por meio da transparência no Estado de São Paulo Dentro do MoU (Memorando de Entendimento) que o Governo do Estado tem com o Reino Unido estão sendo promovidos vários

Leia mais

"Strategies for dealing with Missing data in clinical trials: From design to Analysis

Strategies for dealing with Missing data in clinical trials: From design to Analysis "Strategies for dealing with Missing data in clinical trials: From design to Analysis Dziura JD et al. Yale J Biol Med. 2013 September 86 (3): 343-358. Apresentação: Biól. Andréia Rocha INTRODUÇÃO Ciência

Leia mais

Epidemiologia e produção de evidencia para decisões em saúde publica

Epidemiologia e produção de evidencia para decisões em saúde publica Epidemiologia e produção de evidencia para decisões em saúde publica Exemplos da Inglaterra e a LSHTM! Laura C Rodrigues, London School of Hygiene and Tropical Medicina 1. Inglaterra e LSHTM 2. Por que

Leia mais

Panorama do mercado internacional

Panorama do mercado internacional Life & Health Panorama do mercado internacional A Global Perspective de seguros de vida e saúde Escola Nacional de Seguros Rio de Janeiro, Maio 2014 Escola Nacional de Seguros Rio de Janeiro Hernán Fatone

Leia mais

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE MEDICINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MEDICINA TROPICAL. Ana Wieczorek Torrens

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE MEDICINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MEDICINA TROPICAL. Ana Wieczorek Torrens UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE MEDICINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MEDICINA TROPICAL Ana Wieczorek Torrens EFETIVIDADE DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA NA CURA DA TUBERCULOSE BRASÍLIA 2015 I EFETIVIDADE

Leia mais

The Indigenous Population of Brazil 1991 Population Census

The Indigenous Population of Brazil 1991 Population Census The Indigenous Population of Brazil 1991 Population Census Authors: Nilza Oliveira Martins Pereira (principal author), Tereza Cristina Nascimento Araujo, Valéria Beiriz, Antonio Florido- IBGE The definition

Leia mais

BR-EMS MORTALITY AND SUVIVORSHIP LIFE TABLES BRAZILIAN LIFE INSURANCE AND PENSIONS MARKET

BR-EMS MORTALITY AND SUVIVORSHIP LIFE TABLES BRAZILIAN LIFE INSURANCE AND PENSIONS MARKET BR-EMS MORTALITY AND SUVIVORSHIP LIFE TABLES BRAZILIAN LIFE INSURANCE AND PENSIONS MARKET 2015 1 e-mail:mario@labma.ufrj.br Tables BR-EMS, mortality experience of the Brazilian Insurance Market, were constructed,

Leia mais

Carreiras e a Nova Geração Produtiva: Quais as Expectativas de Carreira de Jovens Profissionais?

Carreiras e a Nova Geração Produtiva: Quais as Expectativas de Carreira de Jovens Profissionais? Patrícia Freitas de Sá Carreiras e a Nova Geração Produtiva: Quais as Expectativas de Carreira de Jovens Profissionais? Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao Programa de Pósgraduação em Administração

Leia mais

Subsídio de Primeira Infância

Subsídio de Primeira Infância Subsídio de Primeira Infância UNICEF Mozambique/2012/M. Lehn O Que é o Subsídio de Primeira Infância O Subsídio de Primeira Infância (SPI) é uma transferência monetária incondicional, dirigida a crianças

Leia mais

Universidade da Beira Interior Faculdade de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Psicologia e Educação

Universidade da Beira Interior Faculdade de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Psicologia e Educação Universidade da Beira Interior Faculdade de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Psicologia e Educação DISSERTAÇÃO DE MESTRADO APRESENTADA À UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR COMO REQUISITO PARA A OBTENÇÃO

Leia mais

PRESS CLIPPING 13 13 July 2015 www.mecasolar.com

PRESS CLIPPING 13 13 July 2015 www.mecasolar.com PRESS CLIPPING 13 13 July 2015 www.mecasolar.com MECASOLAR attends ENERSOLAR BRASIL MECASOLAR is attending one of the leading solar events in Brazil, to be held in São Paulo from 15 to 17 July. The company

Leia mais

O Novo Cenário do Crédito com o Cadastro Positivo. Laércio de Oliveira Pinto Head Cadastro Positivo

O Novo Cenário do Crédito com o Cadastro Positivo. Laércio de Oliveira Pinto Head Cadastro Positivo O Novo Cenário do Crédito com o Cadastro Positivo Laércio de Oliveira Pinto Head Cadastro Positivo Agenda 1 Cadastro Positivo: como estamos 2 O que muda no novo cenário 3 Benefícios do Cadastro Positivo

Leia mais

Utilização de FMEA nos Processos de Desenvolvimento e Teste de Software

Utilização de FMEA nos Processos de Desenvolvimento e Teste de Software Utilização de FMEA nos Processos de Desenvolvimento e Teste de Software Bolívar Arthur Butzke 1, Karine Baiotto 1, Msc. Adalberto Lovato 1, Msc. Vera Lúcia Lorenset Benedetti 1 1 Sistemas de Informação

Leia mais

FACEBOOK MARKETING: UMA ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DOS USUÁRIOS EM RELAÇÃO AO PROCESSO COMUNICATIVO COMO MÍDIA NA REDE SOCIAL

FACEBOOK MARKETING: UMA ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DOS USUÁRIOS EM RELAÇÃO AO PROCESSO COMUNICATIVO COMO MÍDIA NA REDE SOCIAL FACEBOOK MARKETING: UMA ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DOS USUÁRIOS EM RELAÇÃO AO PROCESSO COMUNICATIVO COMO MÍDIA NA REDE SOCIAL Carolina Reine de Paiva Clemente carolreine@gmail.com Claudia Bordin Rodrigues

Leia mais

o PROGRAMA DE SAÚDE BUCAL PARA CRIANÇAS PRÉ-ESCOLARES EM ARARAQUARA - SP

o PROGRAMA DE SAÚDE BUCAL PARA CRIANÇAS PRÉ-ESCOLARES EM ARARAQUARA - SP ... _ Rev. Odont. UNESP, São Paulo, 17(112): 191-196,1988. o PROGRAMA DE SAÚDE BUCAL PARA CRIANÇAS PRÉ-ESCOLARES EM ARARAQUARA - SP Maria do Carmo Costa VASCONCELLOS" Cleide BARONETTO"" Edney Pereira LÉO"'"

Leia mais