Diretoria de Ciências Exatas. Laboratório de Física. Roteiro 02. Física Geral e Experimental III 2012/1

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Diretoria de Ciências Exatas. Laboratório de Física. Roteiro 02. Física Geral e Experimental III 2012/1"

Transcrição

1 Diretoria de Ciências Exatas aboratório de Física Roteiro Física Geral e Experimental III 1/1 Experimento: Dilatação érmica de Sólidos

2 1. Dilatação érmica de um Sólido Nesta tarefa serão abordados os seguintes assuntos: Medição da dilatação térmica de uma amostra sólida. Propagação de incerteza do resultado.. Objetivo do experimento: Identificar um material por intermédio de sua dilatação térmica. 3. Equipamentos utilizados: Dilatômetro com relógio comparador micrométrico e escala milimétrica; Fonte de calor; ermômetro de mercúrio (ou de álcool) graduado (de -1 ºC a 1 ºC); Haste metálica; Balão de vidro de fundo chato com rolha e mangueira de borracha; Água; Becker de 5 m; rena milimetrada. 4. Dilatação érmica de um Sólido. Um profissional que necessita escolher o melhor material para uma determinada aplicação em sua atividade profissional, certamente deve saber como este se comporta com uma possível variação de temperatura. Na construção de uma estrada de ferro, por exemplo, os trilhos experimentam variações de temperatura, desde valores muito baixos em dias de inverno rigoroso, até valores muito altos em pleno verão. Fato semelhante se observa com os componentes do motor de um automóvel; das vigas, lajes e colunas de um edifício; dentre tantos exemplos que podem ser citados. Devido às trocas de calor, um corpo sofre variações de temperatura e suas moléculas alteram seu grau de agitação. Quanto maior a temperatura e, portanto, UNINOVE FGE III 1-1

3 maior o grau de agitação das moléculas, maior será o espaço entre elas. Sob o ponto de vista macroscópico, isto significa aumentar as dimensões do corpo, ou seja, o corpo sofre uma expansão, ou uma dilatação, como se diz. Quando se estuda a variação das dimensões de um corpo verifica-se que houve uma variação do volume do corpo, entretanto, em alguns casos, torna-se desnecessária uma análise com esse rigor. No caso de uma haste com secção transversal de pequena área, em comparação com sua extensão, geralmente estuda-se apenas sua dilatação linear. Se o corpo estudado é uma placa de espessura desprezível, geralmente estuda-se apenas sua dilatação superficial. Entretanto, se durante o estudo da dilatação térmica de um corpo, for verificado que é absolutamente necessária a análise da variação de seu volume, os procedimentos dispensados para os casos anteriores não são suficientes. Então, deve-se estudar a dilatação volumétrica. Nas equações que descrevem analiticamente a dilatação térmica, as constantes de proporcionalidade são características do material para certo intervalo de temperatura. Estas constantes são denominadas coeficiente de dilatação linear (), coeficiente de dilatação superficial () e coeficiente de dilatação volumétrica (β 3). t (Dilatação térmica linear) S S t (Dilatação térmica superficial) V β V t (Dilatação térmica volumétrica) 5. Propagação de incertezas Quando efetuamos uma operação matemática sobre uma medida que apresenta incerteza, o resultado a ser obtido apresentará uma incerteza final que dependerá da incerteza das grandezas primárias. Caso desejemos determinar uma grandeza que depende de várias medidas, as incertezas de todas as medidas irão influir no resultado final. UNINOVE FGE III 1-1 3

4 A expressão geral para a determinação da incerteza é ±, ±, ±, Por exemplo: se uma Grandeza Física M F (Força) é calculada como função de outras Grandezas Físicas A m (kg) e B a (m/s ), a expressão ficará, +! Na abela 1, estão diversas propagações de erros para diversas funções. abela 1: Alguns casos particulares de interesse de propagação de incertezas. Operações Desvio Absoluto Desvio Relativo M A ± B ± C ± M A B C M M + A B + C +... A± B±C ±.. M A B C ( C. B. ) + ( AC.. ) + ( A. B. ) +... M A B C M A B C M A B C M A B M B A A. + B B M A B M A B + Muitas vezes é mais vantajoso trabalharmos com as incertezas relativas, pois simplifica os cálculos e deixa clara a influência da incerteza de cada uma das medidas no valor da incerteza da medida final. O coeficiente de dilatação linear é dado por: UNINOVE FGE III 1-1 4

5 UNINOVE FGE III A incerteza da equação acima e suas derivadas parciais são dadas por: ;. ; Substituindo as derivadas parciais na equação geral das incertezas, para o coeficiente de dilatação linear, tem-se: Procedimento Experimental NOA 1: odas as medidas devem estar acompanhadas das incertezas instrumentais. NOA : As respostas parciais e finais devem ser acompanhadas das respectivas incertezas Fixar uma das extremidades da haste metálica no dilatômetro. A outra extremidade deve ser posicionada de modo que esteja encostada na ponta de contato do relógio comparador micrométrico. Após o término desse processo, zerar o relógio comparador. Figura 1: Ilustração do equipamento utilizado.

6 6.. Medir as informações iniciais da haste metálica: o seu comprimento inicial i com a trena, a temperatura inicial do sistema i com o termômetro e as respectivas incertezas instrumentais. O sistema deverá estar inicialmente em equilíbrio térmico com o ambiente. " # ± $ # ± º 6.3. Aquecer o sistema e observar o termômetro durante o processo de aquecimento, até que o sistema atinja um ponto de equilíbrio térmico. Medir a temperatura final de equilíbrio f e o valor da dilatação térmica linear com a escala micrométrica do relógio comparador. $ % ± º $ ± º " ± 7. Análise dos Dados De acordo com os dados obtidos acima determine: 7.1. O coeficiente de dilatação térmica linear do material, acompanhado da propagação de erros e sua unidade correta. ' ± 7.. Consultar, no apêndice, a tabela de valores conhecidos para diversos materiais no estado sólido nesse intervalo de temperatura considerado e determinar o material que constitui a haste metálica utilizada na experiência. Indicar o erro relativo percentual. UNINOVE FGE III 1-1 6

7 8. Apêndice abela abela de coeficientes de dilatação térmica Material Coeficiente (1/ o C) Chumbo Zinco 6, Alumínio. 1-6 atão Cobre Ferro Platina Vidro comum Porcelana Vidro pirex Invar (liga de ferro e níquel) Quartzo (fundido), UNINOVE FGE III 1-1 7

8 Curso Diretoria de Ciências Exatas Professor Unidade urma Período Sala Nome do experimento: Data Nome completo 1 RA 1 Nome completo RA Rubrica do Professor Assinatura dos alunos Nota Objetivo (s): (Qual a finalidade do trabalho realizado?) Análise dos Dados e Resultados 1. Quais os dados relevantes do experimento com suas incertezas (apresentar em uma tabela)? (comprimento inicial) (dilatação térmica linear) (variação de temperatura). Qual a expressão matemática para o cálculo do coeficiente de dilatação linear da haste? 3. Qual a expressão matemática para o cálculo da propagação de incerteza do coeficiente de dilatação linear da haste? UNINOVE FGE III 1-1 8

9 4. Qual o resultado encontrado no cálculo do coeficiente de dilatação linear da haste, acompanhado de sua incerteza? 5. Qual o valor teórico do coeficiente de dilatação linear que mais se aproxima do valor experimental encontrado? (ver tabela do apêndice) 6. Qual expressão utilizada para a comparação entre os valores teórico e experimental? 7. Qual o valor do erro percentual entre os valores teórico e experimental? Conclusão: (comentários e avaliação dos resultados obtidos) UNINOVE FGE III 1-1 9

Diretoria de Ciências Exatas. Laboratório de Física. Roteiro 02. Física Geral e Experimental III 2014/1

Diretoria de Ciências Exatas. Laboratório de Física. Roteiro 02. Física Geral e Experimental III 2014/1 Diretoria de Ciências Exatas Laboratório de Física Roteiro 02 Física Geral e Experimental III 2014/1 Dilatação Térmica Volumétrica de um Líquido 1. Dilatação Térmica de um Líquido Nesta tarefa será abordado

Leia mais

Diretoria de Ciências Exatas. Laboratório de Física. Roteiro 03. Física Geral e Experimental III 2012/1

Diretoria de Ciências Exatas. Laboratório de Física. Roteiro 03. Física Geral e Experimental III 2012/1 Diretoria de Ciências Exatas Laboratório de Física Roteiro 03 Física Geral e Experimental III 2012/1 Experimento: Dilatação Térmica de um Líquido 1. Dilatação Térmica de um Líquido Nesta tarefa será abordado

Leia mais

Diretoria de Ciências Exatas. Laboratório de Física. Roteiro 01. Física Geral e Experimental III 2012/1. Experimento: Calibração de um Termômetro

Diretoria de Ciências Exatas. Laboratório de Física. Roteiro 01. Física Geral e Experimental III 2012/1. Experimento: Calibração de um Termômetro Diretoria de Ciências Exatas Laboratório de Física Roteiro 01 Física Geral e Experimental III 2012/1 Experimento: Calibração de um Termômetro 1. Calibração de um Termômetro Nesta tarefa será abordado o

Leia mais

Bacharelado em Engenharia Civil. Disciplina: Física Geral e Experimental II 2º período Prof. Cristiano Ferrari

Bacharelado em Engenharia Civil. Disciplina: Física Geral e Experimental II 2º período Prof. Cristiano Ferrari Bacharelado em Engenharia Civil Disciplina: Física Geral e Experimental II 2º período Prof. Cristiano Ferrari Fenômenos Térmicos Escalas de Temperatura Comparando as Escalas Conversões entre Escalas

Leia mais

DILATAÇÃO TÉRMICA DOS SÓLIDOS

DILATAÇÃO TÉRMICA DOS SÓLIDOS ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO MÉDIO DEMÉTRIO RIBEIRO DILATAÇÃO TÉRMICA DOS SÓLIDOS F Í S I C A 2 º A N O 2015 P R O F. T H A L E S F. M A C H A D O DILATAÇÃO TÉRMICA DOS SÓLIDOS Todos os corpos, quando aquecidos,

Leia mais

PROF.: Henrique Dantas

PROF.: Henrique Dantas PROF.: Henrique Dantas DILATAÇÃO TÉRMICA: Em física, dilatação térmica é o nome que se dá a variação das dimensões de um corpo, ocasionado pela variação de sua temperatura. DILATAÇÃO TÉRMICA DOS SÓLIDOS:

Leia mais

defi departamento de física

defi departamento de física defi departamento de física Laboratórios de Física www.defi.isep.ipp.pt Coeficiente de dilatação térmica Instituto Superior de Engenharia do Porto Departamento de Física Rua Dr. António Bernardino de Almeida,

Leia mais

Física Geral e Experimental I 2011/01

Física Geral e Experimental I 2011/01 Diretoria de Ciências Exatas Laboratório de Física Roteiro 0 Física Geral e Experimental I 011/01 Experimento: Paquímetro e Micrômetro 1. Paquímetro e micrômetro Nesta tarefa serão abordados os seguintes

Leia mais

Cap 03: Dilatação térmica de sólidos e líquidos

Cap 03: Dilatação térmica de sólidos e líquidos Cap 03: Dilatação térmica de sólidos e líquidos A mudança nas dimensões dos corpos, quando sofrem variações de temperatura, é um fenômeno que pode ser facilmente observado em situações do cotidiano. Quando

Leia mais

RELATÓRIO DE PRÁTICA EXPERIMENTAL FIS Física Experimental II DILATAÇÃO TÉRMICA E CALOR EXPECÍFICO

RELATÓRIO DE PRÁTICA EXPERIMENTAL FIS Física Experimental II DILATAÇÃO TÉRMICA E CALOR EXPECÍFICO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE FÍSICA RELATÓRIO DE PRÁTICA EXPERIMENTAL FIS01260 - Física Experimental II DILATAÇÃO TÉRMICA E CALOR EXPECÍFICO Porto Alegre, 18 de Junho de 2015.

Leia mais

A variação de qualquer dimensão linear de um corpo com a temperatura se chama dilatação térmica.

A variação de qualquer dimensão linear de um corpo com a temperatura se chama dilatação térmica. Dilatação Térmica de Sólidos Quando a temperatura de um corpo varia, ocorrem variações de comprimento em cada uma de suas dimensões, variações estas que dependem da forma do corpo e da substância de que

Leia mais

ESCALAS TERMOMÉTRICAS E DILATAÇÃO

ESCALAS TERMOMÉTRICAS E DILATAÇÃO REVISÃO ENEM ESCALAS TERMOMÉTRICAS E DILATAÇÃO Temperatura é a grandeza física escalar que nos permite avaliar o grau de agitação das moléculas de um corpo. Quanto maior for o grau de agitação molecular,

Leia mais

Unidade 2 Dilatação Térmica. Comportamento dos sólidos Dilatação Linear Dilatação Superficial Dilatação Volumétrica

Unidade 2 Dilatação Térmica. Comportamento dos sólidos Dilatação Linear Dilatação Superficial Dilatação Volumétrica Unidade 2 Dilatação Térmica Comportamento dos sólidos Dilatação Linear Dilatação Superficial Dilatação Volumétrica Comportamento dos sólidos De um modo geral, quando aumentamos a temperatura de um corpo

Leia mais

Relatório de Física: 1º Relatório Experimental Dilatação Térmica Linear Prof: Bruno Garcia Bonfim

Relatório de Física: 1º Relatório Experimental Dilatação Térmica Linear Prof: Bruno Garcia Bonfim Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Cornélio Procópio PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Turma: M22 Engenharia Mecânica Relatório de Física: 1º Relatório

Leia mais

Experiência II (aulas 03 e 04) Densidade de sólidos

Experiência II (aulas 03 e 04) Densidade de sólidos Experiência II (aulas 03 e 04) Densidade de sólidos 1. Objetivos. Introdução 3. Procedimento experimental 4. Análise de dados 5. eferências 6. Apêndice: Propagação de incertezas 1. Objetivos O objetivo

Leia mais

Cap 03: Dilatação térmica de sólidos e líquidos

Cap 03: Dilatação térmica de sólidos e líquidos Cap 03: Dilatação térmica de sólidos e líquidos A mudança nas dimensões dos corpos, quando sofrem variações de temperatura, é um fenômeno que pode ser facilmente observado em situações do cotidiano. Quando

Leia mais

9. (Uel 95) Uma escala de temperatura arbitrária X está relacionada com a escala Celsius, conforme o gráfico a seguir.

9. (Uel 95) Uma escala de temperatura arbitrária X está relacionada com a escala Celsius, conforme o gráfico a seguir. 1. (G1) Em uma determinada escala arbitrária o ponto de congelamento da água é de 10 unidades, enquanto que o ponto de ebulição é de 210 unidades. Todas as medidas feitas ao nível do mar. Qual é a temperatura

Leia mais

Aluno(a): nº: Professor: Fernanda TonettoSurmas Data: Turma: ORIENTAÇÕES DE ESTUDO REC 2º TRI PRIMEIRO ANO FSC II

Aluno(a): nº: Professor: Fernanda TonettoSurmas Data: Turma: ORIENTAÇÕES DE ESTUDO REC 2º TRI PRIMEIRO ANO FSC II 1º EM E.M. FÍSICA Aluno(a): nº: Professor: Fernanda TonettoSurmas Data: Turma: ORIENTAÇÕES DE ESTUDO REC º TRI PRIMEIRO ANO FSC II Estudar FÍSICA II LIVRO PV = nrt Dilatação dos Sólidos e dos Líquidos

Leia mais

Lista de exercícios. Temperatura e Dilatação Prof. Willian Rederde. 01-(Mackenzie-SP) Numa cidade da Europa, no decorrer de um ano, a temperatura

Lista de exercícios. Temperatura e Dilatação Prof. Willian Rederde. 01-(Mackenzie-SP) Numa cidade da Europa, no decorrer de um ano, a temperatura Lista de exercícios Temperatura e Dilatação Prof. Willian Rederde 01-(Mackenzie-SP) Numa cidade da Europa, no decorrer de um ano, a temperatura mais baixa no inverno foi de 23 ºF e a mais alta no verão

Leia mais

PROVA DE FÍSICA 2º ANO - 1ª MENSAL - 1º TRIMESTRE TIPO A

PROVA DE FÍSICA 2º ANO - 1ª MENSAL - 1º TRIMESTRE TIPO A PROVA DE ÍIA º ANO - 1ª MENAL - 1º RIMERE IPO A 1) Assinale verdadeiro (V) ou falso (). () alor é a energia interna em trânsito entre dois ou mais corpos devido ao fato de estarem à mesma temperatura.

Leia mais

Sala de Estudos FÍSICA 1 trimestre Ensino Médio 2º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos:Dilatação Térmica

Sala de Estudos FÍSICA 1 trimestre Ensino Médio 2º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos:Dilatação Térmica Sala de Estudos FÍSICA 1 trimestre Ensino Médio 2º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos:Dilatação Térmica 1. (Uerj 2016) Fenda na Ponte Rio-Niterói é uma junta de dilatação, diz CCR. De acordo

Leia mais

Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia Departamento de Estudos Básicos e Instrumentais 3 Termologia Física II Prof. Roberto Claudino Ferreira Prof. Roberto Claudino 1 ÍNDICE 1. Conceitos Fundamentais;

Leia mais

Dilatação Térmica Prof. Neto

Dilatação Térmica Prof. Neto 1. (Fuvest) Um termômetro especial, de líquido dentro de um recipiente de vidro, é constituído de um bulbo de 1cm 3 e um tubo com secção transversal de 1mm 2. À temperatura de 2 C, o líquido preenche completamente

Leia mais

1ª Aula do cap. 19 Termologia

1ª Aula do cap. 19 Termologia 1ª Aula do cap. 19 Termologia T e m p e r a t u r a O valor da temperatura está associada ao nível de agitação das partículas de um corpo. A temperatura é uma medida da agitação térmica das partículas

Leia mais

Resolução de Curso Básico de Física de H. Moysés Nussenzveig Capítulo 07 - Vol. 2

Resolução de Curso Básico de Física de H. Moysés Nussenzveig Capítulo 07 - Vol. 2 HTTP://WWW.COMSIZO.COM.BR/ Resolução de Curso Básico de Física de H. Moysés Nussenzveig Capítulo 7 - Vol. Engenharia Física 9 Universidade Federal de São Carlos /1/9 1 Uma esfera oca de alumínio tem um

Leia mais

Experiência VI (aula 10) Resfriamento de um líquido

Experiência VI (aula 10) Resfriamento de um líquido Experiência VI (aula 10) Resfriamento de um líquido 1. Objetivos 2. Introdução 3. Arranjo e procedimento experimental 4. Análise de dados 5. Referências 1. Objetivos A partir de um arranjo experimental

Leia mais

TRANSMISSÃO DE CALOR

TRANSMISSÃO DE CALOR AULA 14 TRANSMISSÃO DE CALOR 1- INTRODUÇÃO Neste capítulo estudaremos os três processos de transmissão de calor e a dilatação térmica nos sólidos e nos líquidos. 2- CONDUÇÃO Condução é o processo de transmissão

Leia mais

instalação para que, no dia mais quente do verão, a separação entre eles seja de 1 cm? a) 1,01 b) 1,10 c) 1,20 d) 2,00 e) 2,02

instalação para que, no dia mais quente do verão, a separação entre eles seja de 1 cm? a) 1,01 b) 1,10 c) 1,20 d) 2,00 e) 2,02 1. (Ufg) Uma longa ponte foi construída e instalada com blocos de concreto de 5 m de comprimento a uma temperatura de 20 C em uma região na qual a temperatura varia ao longo do ano entre 10 C e 40 C. O

Leia mais

Experiência VI (aula 10) Resfriamento de um líquido

Experiência VI (aula 10) Resfriamento de um líquido Experiência VI (aula 10) Resfriamento de um líquido 1. Objetivos 2. Introdução 3. Arranjo e procedimento experimental 4. Análise de dados 5. Referências 1. Objetivos A partir de um arranjo experimental

Leia mais

Colégio Santa Dorotéia

Colégio Santa Dorotéia Colégio Santa Dorotéia Área de Ciências da Natureza Disciplina: Física Ano: 2º - Ensino Médio Professor: Marcelo Caldas Chaves Física Atividades para Estudos Autônomos Data: 6 / 3 / 2017 Aluno(a): N o

Leia mais

Fisica do Calor ( ) Prof. Adriano Mesquita Alencar Dep. Física Geral Instituto de Física da USP A01. Introdução

Fisica do Calor ( ) Prof. Adriano Mesquita Alencar Dep. Física Geral Instituto de Física da USP A01. Introdução Fisica do Calor (4300159) Prof. Adriano Mesquita Alencar Dep. Física Geral Instituto de Física da USP A01 Introdução Data Programa do curso agosto 9 agosto 12 agosto 16 agosto 19 agosto 23 agosto 26 Temperatura

Leia mais

TEMPERATURA. Os constituintes da matéria (moléculas, átomos etc.) movem-se continuamente em um movimento de agitação.

TEMPERATURA. Os constituintes da matéria (moléculas, átomos etc.) movem-se continuamente em um movimento de agitação. TEMPERATURA Os constituintes da matéria (moléculas, átomos etc.) movem-se continuamente em um movimento de agitação. É possível associar a existência de uma energia à energia cinética média desses constituintes

Leia mais

Dilatação Térmica Aula 4 Allan Calderon

Dilatação Térmica Aula 4 Allan Calderon Dilatação Térmica Aula 4 Allan Calderon Transmissão de calor Def.: O calor é uma forma de energia que se propaga entre dois pontos, devido a uma diferença de temperatura entre eles. Ex.: Efeito estufa:

Leia mais

TRANSMISSÃO DE CALOR

TRANSMISSÃO DE CALOR AULA 14 1- INTRODUÇÃO TRANSMISSÃO DE CALOR Neste capítulo estudaremos os três processos de transmissão de calor e a dilatação térmica nos sólidos e nos líquidos.. 2- CONDUÇÃO Condução é o processo de transmissão

Leia mais

I. Você levaria vantagem ao abastecer o carro na hora mais quente do dia pois estaria comprando mais massa por litro de combustível.

I. Você levaria vantagem ao abastecer o carro na hora mais quente do dia pois estaria comprando mais massa por litro de combustível. 1. (ENEM-MEC) A gasolina é vendida por litro, mas em sua utilização como combustível, a massa é o que importa. Um aumento da temperatura do ambiente leva a um aumento no volume da gasolina. Para diminuir

Leia mais

Diretoria de Ciências Exatas. Laboratório de Física. Roteiro 04. Física Geral e Experimental I (2011/01) Experimento: Queda Livre e Anamorfose

Diretoria de Ciências Exatas. Laboratório de Física. Roteiro 04. Física Geral e Experimental I (2011/01) Experimento: Queda Livre e Anamorfose Diretoria de Ciências Exatas Laboratório de Física Roteiro 04 Física Geral e Experimental I (011/01) Experimento: Queda Livre e Anamorfose 1. Cinemática do Movimento de um objeto em Queda Livre. Nesta

Leia mais

Aula 10 DILATAÇÃO DOS LÍQUIDOS. Menilton Menezes. META Aplicar a lei da dilatação volumétrica de líquidos (AV).

Aula 10 DILATAÇÃO DOS LÍQUIDOS. Menilton Menezes. META Aplicar a lei da dilatação volumétrica de líquidos (AV). Aula 10 DILATAÇÃO DOS LÍQUIDOS META Aplicar a lei da dilatação volumétrica de líquidos (AV). OBJETIVOS Ao final desta aula, o aluno deverá: Calcular o coeficiente de dilatação linear de sólidos a; calcular

Leia mais

CONDUÇÃO DE CALOR UNIDIMENSIONAL EXERCÍCIOS EM SALA

CONDUÇÃO DE CALOR UNIDIMENSIONAL EXERCÍCIOS EM SALA CONDUÇÃO DE CALOR UNIDIMENSIONAL EXERCÍCIOS EM SALA 1) Uma casa possui uma parede composta com camadas de madeira, isolamento à base de fibra de vidro e gesso, conforme indicado na figura. Em um dia frio

Leia mais

Jornal de Física Único Jornal do Pará

Jornal de Física Único Jornal do Pará Quando um corpo recebe energia a sua temperatura se eleva. Com a temperatura elevada o grau de agitação entre as moléculas também aumenta. Esse aumento faz com que as moléculas se afastem provocando a

Leia mais

αchumbo= ºC -1 αbronze= ºC -1

αchumbo= ºC -1 αbronze= ºC -1 Exercícios dilatação e transferência de calor 1.Um cilindro de aço, que se encontra em um ambiente cuja temperatura é de 20 C, tem como medida de seu diâmetro 10,00 cm. Levado para outro ambiente cuja

Leia mais

ENERGIA BARREIROS LISTA FÍSICA 1 DILATAÇÃO DE LÍQUIDOS PROFESSOR: JOHN

ENERGIA BARREIROS LISTA FÍSICA 1 DILATAÇÃO DE LÍQUIDOS PROFESSOR: JOHN ENERGIA BARREIROS LISTA FÍSICA 1 DILATAÇÃO DE LÍQUIDOS PROFESSOR: JOHN 1. (CFTMG 2016) Para verificar se uma pessoa está febril, pode-se usar um termômetro clínico de uso doméstico que consiste em um líquido

Leia mais

Colégio Dominus Vivendi Professor Anderson Lista de exercícios 2º ano (REC)

Colégio Dominus Vivendi Professor Anderson Lista de exercícios 2º ano (REC) Colégio Dominus Vivendi Professor Anderson Lista de exercícios 2º ano (REC) 1-(Mackenzie-SP) Numa cidade da Europa, no decorrer de um ano, a temperatura mais baixa no inverno foi de 23 ºF e a mais alta

Leia mais

Aula 9 CONSERVAÇÃO DE ENERGIA II CALOR ESPECÍFICO DE SUBSTÂNCIA SÓLIDA. Menilton Menezes

Aula 9 CONSERVAÇÃO DE ENERGIA II CALOR ESPECÍFICO DE SUBSTÂNCIA SÓLIDA. Menilton Menezes Aula 9 CONSERVAÇÃO DE ENERGIA II CALOR ESPECÍFICO DE SUBSTÂNCIA SÓLIDA META Aplicar o princípio das trocas de calor nos processos de transferência de energia. OBJETIVOS Ao final desta aula, o aluno deverá:

Leia mais

Prof. Paulo Henrique Muel er Biologia e Ciências Naturais TERMOLOGIA

Prof. Paulo Henrique Muel er Biologia e Ciências Naturais TERMOLOGIA TERMOLOGIA Introdução Todos os corpos são constituídos por partículas que estão sempre em movimento. Esse movimento é denominado energia interna do corpo. O nível de energia interna de um corpo depende

Leia mais

Dilatação dos sólidos e dos líquidos

Dilatação dos sólidos e dos líquidos Dilatação dos sólidos e dos líquidos Dilatação dos sólidos e dos líquidos Dilatação dos sólidos e dos líquidos Dilatação dos sólidos e dos líquidos Dilatação dos sólidos e dos líquidos Dilatação dos sólidos

Leia mais

Cap 18 (8 a edição) Temperatura, Calor e Primeira lei da termodinâmica

Cap 18 (8 a edição) Temperatura, Calor e Primeira lei da termodinâmica Termodinâmica: estuda a energia térmica. Cap 18 (8 a edição) Temperatura, Calor e Primeira lei da termodinâmica O que é temperatura: mede o grau de agitação das moléculas. Um pedaço de metal a 10 o C e

Leia mais

Dilatação Térmica- Básico

Dilatação Térmica- Básico Questão 01 - (FGV/2012) Em uma aula de laboratório, para executar um projeto de construção de um termostato que controle a temperatura de um ferro elétrico de passar roupa, os estudantes dispunham de lâminas

Leia mais

Dilatação de sólidos e líquidos

Dilatação de sólidos e líquidos Dilatação de sólidos e líquidos Bibliografia e figuras desta aula: Fundamentos da Física, Halliday, Resnick e Walker, 8a Ed., vol 2 pág2 188-190 Na aula passada vimos que a variação (aumento ou diminuição)

Leia mais

Determinação dos calores específicos de cobre (Cu), chumbo (Pb) e vidro utilizando um calorímetro

Determinação dos calores específicos de cobre (Cu), chumbo (Pb) e vidro utilizando um calorímetro Determinação dos calores específicos de cobre (Cu), chumbo (Pb) e vidro utilizando um calorímetro TEORIA A quantidade de calor Q que é absorvida ou libertada quando um corpo é aquecido ou arrefecido é

Leia mais

ORIENTAÇÃO DE ESTUDOS

ORIENTAÇÃO DE ESTUDOS ORIENTÇÃO DE ESTUDOS RECUPERÇÃO SEMESTRL 2º no do Ensino Médio Disciplina: Física 1. figura representa dois corpos suspensos por uma haste de peso desprezível, em equilíbrio. Sendo a massa do corpo igual

Leia mais

Aula Medição de Temperatura

Aula Medição de Temperatura Aula INS23403 Instrumentação Professor: Sergio Luis Brockveld Junior Curso Técnico em Mecatrônica Módulo 3 2017/1 Termometria significa medição de temperatura. Termometria Pirometria: medição de altas

Leia mais

Ciências da Natureza e suas Tecnologias - Física Ensino Médio, 2ª Série DILATAÇÃO TÉRMICA

Ciências da Natureza e suas Tecnologias - Física Ensino Médio, 2ª Série DILATAÇÃO TÉRMICA Ciências da Natureza e suas Tecnologias - Física Ensino Médio, 2ª Série DILATAÇÃO TÉRMICA Dilatação Térmica Expansão das Moléculas É importante que saibamos o que são temperatura e calor. Temperatura:

Leia mais

Lista de Exercícios Clinton. Física

Lista de Exercícios Clinton. Física Lista de Exercícios Clinton Física SÉRIE: 2º ANO DATA: 31 / 01 / 7 01. (UFSM-RS) Calor é: a) a energia contida em um corpo. b) a energia que se transfere de um corpo para outro, quando existe uma diferença

Leia mais

Fís. Leonardo Gomes (Caio Rodrigues)

Fís. Leonardo Gomes (Caio Rodrigues) Semana 17 Leonardo Gomes (Caio Rodrigues) Este conteúdo pertence ao Descomplica. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados. Dilatação dos

Leia mais

BC Fenômenos Térmicos

BC Fenômenos Térmicos BC 0205 - Fenômenos Térmicos Experimento 1 Roteiro Calibração de um termistor Professor: Data: / /2016 Turma: Turno: login Tidia: Proposta Compreender o uso de um transdutor eletrônico para temperatura

Leia mais

Física Geral e Experimental III. Dilatação

Física Geral e Experimental III. Dilatação Física Geral e Experimental III Dilatação 6. Em um dia quente em Las Vegas um caminhão-tanque foi carregado com 37.000 L de óleo diesel. Ele encontrou tempo frio ao chegar a Payson, Utha, onde a temperatura

Leia mais

Termometria. Temperatura

Termometria. Temperatura Termometria Termometria Temperatura A Física Térmica, também conhecida como Termologia, é a área da Física que investiga os fenômenos relacionados à energia térmica. Dentre esses fenômenos, podemos citar

Leia mais

EXPERIMENTO I MEDIDAS E ERROS

EXPERIMENTO I MEDIDAS E ERROS EXPERIMENTO I MEDIDAS E ERROS Introdução Na leitura de uma medida física deve-se registrar apenas os algarismos significativos, ou seja, todos aqueles que a escala do instrumento permite ler mais um único

Leia mais

Lista Básica de Dilatação Professor Caio Gomes

Lista Básica de Dilatação Professor Caio Gomes 1. (Pucrj 2004) A imprensa tem noticiado as temperaturas anormalmente altas que vêm ocorrendo no atual verão, no hemisfério norte. Assinale a opção que indica a dilatação (em cm) que um trilho de 100 m

Leia mais

FÍSICA TÉRMICA. Prof. Neemias Alves de Lima Instituto de Pesquisa em Ciência dos Materiais Universidade Federal do Vale do São Francisco 1

FÍSICA TÉRMICA. Prof. Neemias Alves de Lima Instituto de Pesquisa em Ciência dos Materiais Universidade Federal do Vale do São Francisco 1 FÍSICA TÉRMICA Prof. Neemias Alves de Lima Instituto de Pesquisa em Ciência dos Materiais Universidade Federal do Vale do São Francisco 1 Domínio da Física Térmica Como pode água aprisionada ser ejetada

Leia mais

Termologia. Temperatura é a grandeza física escalar que nos permite avaliar o grau de agitação das moléculas de um corpo.

Termologia. Temperatura é a grandeza física escalar que nos permite avaliar o grau de agitação das moléculas de um corpo. Termologia Temperatura Temperatura é a grandeza física escalar que nos permite avaliar o grau de agitação das moléculas de um corpo. Quanto maior for o grau de agitação molecular, maior será a temperatura

Leia mais

GASES: DETEMINAÇÃO DA RELAÇÃO DO VOLUME COM A PRESSÃO DE UMA AMOSTRA DE AR À TEMPERATURA CONSTANTE (LEI DE BOYLE)

GASES: DETEMINAÇÃO DA RELAÇÃO DO VOLUME COM A PRESSÃO DE UMA AMOSTRA DE AR À TEMPERATURA CONSTANTE (LEI DE BOYLE) GASES: DETEMINAÇÃO DA RELAÇÃO DO VOLUME COM A PRESSÃO DE UMA AMOSTRA DE AR À TEMPERATURA CONSTANTE (LEI DE BOYLE) 1. Introdução 1.1) Lei de Boyle: à temperatura constante, o volume ocupado por uma determinada

Leia mais

Determinação dos calores específicos do cobre (Cu), chumbo (Pb) e vidro utilizando um calorímetro

Determinação dos calores específicos do cobre (Cu), chumbo (Pb) e vidro utilizando um calorímetro Determinação dos calores específicos do cobre (Cu), chumbo (Pb) e vidro utilizando um calorímetro TEORIA A quantidade de calor Q que é absorvida ou libertada, quando um corpo é aquecido ou arrefecido,

Leia mais

Aprofundamento Profº. JB

Aprofundamento Profº. JB DILATAÇÃO E CALORIMETRIA 2ª. Lista 2º. Em 1) As dilatações lineares de duas hastes metálicas A e B são dadas em função das respectivas variações de temperatura, de acordo com os diagramas abaixo. A haste

Leia mais

Diretoria de Ciências Exatas. Laboratório de Física. Roteiro 04. Física Geral e Experimental III 2012/1

Diretoria de Ciências Exatas. Laboratório de Física. Roteiro 04. Física Geral e Experimental III 2012/1 Diretoria de Ciências Exatas Laboratório de Física Roteiro 04 Física Geral e Experimental III 2012/1 Experimento: Capacidade Térmica de um Calorímetro 1. Calorimetria Nesta tarefa serão abordados os seguintes

Leia mais

Propriedades Físicas da Matéria

Propriedades Físicas da Matéria Propriedades Físicas da Matéria Condutividade Térmica k Massa Específica ρ Calor Específico a Pressão Constante cp Difusividade Térmica α Viscosidade Cinemática (ν) ou Dinâmica (μ) Coeficiente de Expansão

Leia mais

Experiência 9 Transferência de Calor

Experiência 9 Transferência de Calor Roteiro de Física Experimental II 39 Experiência 9 Transferência de Calor OBJETIVO O objetivo desta aula é estudar os processos de transferência de calor entre dois corpos, na situação em que nenhum deles

Leia mais

RESOLUÇÃO RESOLUÇÃO. Resp. D

RESOLUÇÃO RESOLUÇÃO. Resp. D 10) Antes de medir a temperatura de um paciente, uma enfermeira verifica que o termômetro clínico indica 35 C. Em seguida, usando esse termômetro, ela mede a temperatura do paciente, encontrando o valor

Leia mais

Ob. As questões discursiva deve ser apresentado os cálculos.

Ob. As questões discursiva deve ser apresentado os cálculos. GOIÂNIA, / _06 / 2016 PROFESSOR: Jonas Tavares DISCIPLINA: Física SÉRIE: 2ª ALUNO(a): L2 2º Bimestre No Anhanguera você é + Enem Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações:

Leia mais

TM362 - Sistemas de Medição 2. Prof. Alessandro Marques.

TM362 - Sistemas de Medição 2. Prof. Alessandro Marques. TM362 - Sistemas de Medição 2 Prof. Alessandro Marques www.metrologia.ufpr.br Medição de temperatura SM 2 Termômetro O primeiro termômetro foi inventado por Galileu no início do século XVII. densidade

Leia mais

Equipe de Física FÍSICA

Equipe de Física FÍSICA Aluno (a): Série: 3ª Turma: TUTORIAL 11B Ensino Médio Equipe de Física Data: Escalas Termométricas FÍSICA Para que seja possível medir a temperatura de um corpo, foi desenvolvido um aparelho chamado termômetro.

Leia mais

Licenciatura em Física Termodinâmica (TMDZ3) Professor Osvaldo Canato Júnior 1º semestre de 2016

Licenciatura em Física Termodinâmica (TMDZ3) Professor Osvaldo Canato Júnior 1º semestre de 2016 Licenciatura em Física Termodinâmica (TMDZ3) Professor Osvaldo anato Júnior 1º semestre de 216 Questões termometria e expansão térmica de sólidos e líquidos t ( ) 2 1. Mediu-se a temperatura de um corpo

Leia mais

MANUAL DE CONSTRUÇÃO E APLICAÇÃO DO DILATÔMETRO

MANUAL DE CONSTRUÇÃO E APLICAÇÃO DO DILATÔMETRO MANUAL DE CONSTRUÇÃO E APLICAÇÃO DO DILATÔMETRO MANUAL DE CONSTRUÇÃO E APLICAÇÃO DO DILATÔMETRO Sumário Agradecimentos...7 Apresentação...9 Introdução...11 Plano de Aula...12 Título da aula:...12 Objetivo:...12

Leia mais

Determinação dos calores específicos do Cobre (Cu), Chumbo (Pb), e vidro utilizando um calorímetro

Determinação dos calores específicos do Cobre (Cu), Chumbo (Pb), e vidro utilizando um calorímetro Determinação dos calores específicos do Cobre (Cu), Chumbo (Pb), e vidro utilizando um calorímetro TEORIA A quantidade de calor Q que é absorvida ou libertada, quando um corpo é aquecido ou arrefecido,

Leia mais

5ª Experiência : Dilatação Térmica

5ª Experiência : Dilatação Térmica 5ª Experiência : Dilatação Térmica Objetivo Determinar o coeficiente de dilatação linear para três materiais: cobre, latão e alumínio. Introdução As conseqüências habituais de variações na temperatura

Leia mais

Equação Geral da Condução

Equação Geral da Condução Equação Geral da Condução Para um sistema unidimensional demonstrouse: q x = k A T x x Para um sistema multidimensional o fluxo de calor é vetorial: q,, =q x,, i q y,, j q z,, k = k T i k T j k T k =k

Leia mais

Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais

Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais Graduação em Engenharia da Computação Prática 05 - Calor Específico Alunos: Egmon Pereira; Igor Otoni Ripardo de Assis Leandro de Oliveira Pinto;

Leia mais

RELATÓRIO DE PRÁTICA EXPERIMENTAL FIS Física Experimental II ONDAS DA CORDA AO SOM

RELATÓRIO DE PRÁTICA EXPERIMENTAL FIS Física Experimental II ONDAS DA CORDA AO SOM UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE FÍSICA RELATÓRIO DE PRÁTICA EXPERIMENTAL FIS01260 - Física Experimental II ONDAS DA CORDA AO SOM Porto Alegre, 28 de Maio de 2015. Nome: Vítor de

Leia mais

TRABALHO PRÁTICO 2 GASES: DETERMINAÇÃO DA RELAÇÃO DO VOLUME COM A PRESSÃO DE UMA AMOSTRA DE AR EM TEMPERATURA CONSTANTE VERIFICAÇÃO DA LEI DE BOYLE

TRABALHO PRÁTICO 2 GASES: DETERMINAÇÃO DA RELAÇÃO DO VOLUME COM A PRESSÃO DE UMA AMOSTRA DE AR EM TEMPERATURA CONSTANTE VERIFICAÇÃO DA LEI DE BOYLE TRABALHO PRÁTICO 2 GASES: DETERMINAÇÃO DA RELAÇÃO DO VOLUME COM A PRESSÃO DE UMA AMOSTRA DE AR EM TEMPERATURA CONSTANTE VERIFICAÇÃO DA LEI DE BOYLE 1. Introdução A Lei de Boyle, verificada experimentalmente,

Leia mais

UFABC - Fenômenos Térmicos - Prof. Lugones AULA 2. o termômetro de gás a volume constante o expansão térmica

UFABC - Fenômenos Térmicos - Prof. Lugones AULA 2. o termômetro de gás a volume constante o expansão térmica UFABC - Fenômenos Térmicos - Prof. Lugones AULA 2 o termômetro de gás a volume constante o expansão térmica O termômetro de gás a volume constante Régua P P P 0 Primeiramente, o frasco de gás é introduzido

Leia mais

A descrição macroscópica de um gás leva em consideração apenas um pequeno numero de

A descrição macroscópica de um gás leva em consideração apenas um pequeno numero de Temperatura INTRODUÇÃO Nessa e nas próximas apostilas vamos abordar um novo campo de estudo da Física, a termodinâmica. Os conceitos aplicados nesse campo são os de temperatura e calor. Os objetos de estudo

Leia mais

PÊNDULO SIMPLES E CALORIMETRIA

PÊNDULO SIMPLES E CALORIMETRIA PÊNDULO SIMPLES E CALORIMETRIA 5 META Analisar o movimento periódico de um pêndulo simples e realizar um experimento para determinação da capacidade térmica de um calorímetro e do calor específico de uma

Leia mais

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 1ª PROVA PARCIAL DE CIÊNCIAS Aluno(a): Nº Ano: 9º Turma: Data: 02/04/2011 Nota: Professora: Egberto Valor da Prova: 50 pontos Assinatura do responsável: Orientações

Leia mais

Turma: 2101 Turno: Manhã Professor: Douglas Baroni

Turma: 2101 Turno: Manhã Professor: Douglas Baroni Colégio Zaccaria TELEFAX: (0 XX 21) 3235-9400 www.zaccaria.g12.br Lista de exercícios Física II (Recuperação) 2º Período 2014 Aluno(a): N.º Turma: 2101 Turno: Manhã Professor: Douglas Baroni QUESTÃO 1

Leia mais

TERMODINÂMICA E TEORIA CINÉTICA

TERMODINÂMICA E TEORIA CINÉTICA UNIVERSIDADE DA MADEIRA 1. OBJECTIVOS TERMODINÂMICA E TEORIA CINÉTICA T8. Mecanismos de transmissão do calor Estudo do fenómeno de condução térmica. Determinação da condutividade térmica do vidro. Verificar

Leia mais

DETERMINAÇÃO DO CALOR ESPECÍFICO DO COBRE (Cu), DO CHUMBO (Pb), E DO VIDRO UTILIZANDO UM CALORÍMETRO

DETERMINAÇÃO DO CALOR ESPECÍFICO DO COBRE (Cu), DO CHUMBO (Pb), E DO VIDRO UTILIZANDO UM CALORÍMETRO DETERMINAÇÃO DO CALOR ESPECÍFICO DO COBRE (Cu), DO CHUMBO (Pb), E DO VIDRO UTILIZANDO UM CALORÍMETRO 1. TEORIA A quantidade de calor Q que é absorvida ou libertada quando um corpo é aquecido ou arrefecido

Leia mais

Apostila 4. Aulas 27 e 28. Dilatação térmica. Página 89. Gnomo

Apostila 4. Aulas 27 e 28. Dilatação térmica. Página 89. Gnomo Apostila 4 Aulas 27 e 28 Página 89 Dilatação térmica Dilatação Térmica Quando há variação da temperatura de um corpo ocorre variação no tamanha do corpo, para esta variação no tamanho do corpo chamamos

Leia mais

2. Conceitos e Definições

2. Conceitos e Definições 2. Conceitos e Definições Sistema e Volume de Controle Sistema Termodinâmico: região do espaço delimitada fisicamente por superfícies geométricas arbitrárias reais ou imaginárias, que podem ser fixas ou

Leia mais

Uma Escola Pensando em Você Aluno(a): nº Série: 2 col C Disciplina: Física. Ensino: Médio Professor: Renato Data:, de 2010

Uma Escola Pensando em Você Aluno(a): nº Série: 2 col C Disciplina: Física. Ensino: Médio Professor: Renato Data:, de 2010 Uma Escola Pensando em Você luno(a): nº Série: 2 col C Disciplina: Física Ensino: Médio Professor: Renato Data:, de 21 Trabalho de Recuperação de Física (1º e 2 imestres) Instruções: 1. O trabalho deverá

Leia mais

TERMOMETRIA. T.3 (UERJ) Um líquido cuja temperatura é de 59 0 F, está, em Kelvin, a: a) 28 K b) 112 K c) 56 K d) 318 K e) 288 K

TERMOMETRIA. T.3 (UERJ) Um líquido cuja temperatura é de 59 0 F, está, em Kelvin, a: a) 28 K b) 112 K c) 56 K d) 318 K e) 288 K TERMOMETRIA T.1 (UERJ) A temperatura de um indivíduo sendo de 37,5 0 C, seu valor em 0 F será: a) 67,5 0 F b) 99,5 0 F c) 20 0 F d) 5 0 F e) 69 0 F T.2 (CESCEM/70) Comparando-se a escala X de um termômetro

Leia mais

EXPANSÃO TÉRMICA DE LÍQUIDOS

EXPANSÃO TÉRMICA DE LÍQUIDOS Protocolos das Aulas Práticas 25 / 26 EXPANSÃO TÉRMICA DE LÍQUIDOS. Resumo Num primeiro momento, calibra-se um picnómetro em volume, com água destilada. Em seguida, estuda-se a expansão térmica volúmica

Leia mais

(E) pelas opções I e III, sendo provavelmente a opção I a melhor.

(E) pelas opções I e III, sendo provavelmente a opção I a melhor. 21. Suponha que sua altura seja 1,72m. Quando escrever sua altura em centrímetros, você poderá optar por: I _ 1,72 x 10 2 cm II _ 1,720cm III _ 172cm IV _ 0,172 x 10 2 cm Tendo que escolher a melhor opção,

Leia mais

SUMÁRIO FÍSICA DILATAÇÃO DE CORPOS 3 DILATAÇÃO LINEAR 4 DILATAÇÃO SUPERFICIAL 6 DILATAÇÃO VOLUMÉTRICA 7 EXERCÍCIOS DE COMBATE 9 GABARITO 17

SUMÁRIO FÍSICA DILATAÇÃO DE CORPOS 3 DILATAÇÃO LINEAR 4 DILATAÇÃO SUPERFICIAL 6 DILATAÇÃO VOLUMÉTRICA 7 EXERCÍCIOS DE COMBATE 9 GABARITO 17 SUMÁRIO DILATAÇÃO DE CORPOS 3 DILATAÇÃO LINEAR 4 DILATAÇÃO SUPERFICIAL 6 DILATAÇÃO VOLUMÉTRICA 7 EXERCÍCIOS DE COMBATE 9 GABARITO 17 2 DILATAÇÃO DE CORPOS Quando um corpo sofre um aumento de temperatura,

Leia mais

Resoluções das Atividades

Resoluções das Atividades Resoluções das Atividades Sumário Módulo 1 Termometria... 1 Módulo Dilatação térmica dos sólidos... 3 Módulo 3 Dilatação térmica dos líquidos... 5 Módulo 1 Termometria Atividades para Sala Pré-Vestibular

Leia mais

TERMOMETRIA. m 100 g; m 200 g; c 1 cal / g C; kg / m ; c 0,1 cal / g X 0,6 cal / g

TERMOMETRIA. m 100 g; m 200 g; c 1 cal / g C; kg / m ; c 0,1 cal / g X 0,6 cal / g TERMOMETRIA 1. (Unesp 2014) Para testar os conhecimentos de termofísica de seus alunos, o professor propõe um exercício de calorimetria no qual são misturados 100 g de água líquida a 20 C com 200 g de

Leia mais

O QUE É TERMOMETRIA E TEMPERATURA??

O QUE É TERMOMETRIA E TEMPERATURA?? TERMOMETRIA O QUE É TERMOMETRIA E TEMPERATURA?? Termometria: Área específica da Termodinâmica que estuda a temperatura e suas diferentes escalas usadas pelo mundo Temperatura: Parâmetro termométrico que

Leia mais

INTERVENÇÃO. Dilatação Térmica

INTERVENÇÃO. Dilatação Térmica INTERVENÇÃO Dilatação Térmica Por: Alice Lemos Costa CONTEXTUALIZAÇÃO Na termodinâmica, dilatação térmica é o nome que se dá ao aumento do volume de um corpo ocasionado pelo aumento de sua temperatura,

Leia mais

BC0205. Fenômenos Térmicos Gustavo M. Dalpian Terceiro Trimestre/2009. Aula 2 Dalpian

BC0205. Fenômenos Térmicos Gustavo M. Dalpian Terceiro Trimestre/2009. Aula 2 Dalpian BC0205 Fenômenos Térmicos Gustavo M. Dalpian Terceiro Trimestre/2009 Fenômenos Térmicos? Ementa: Temperatura e calor. Sistemas termodinâmicos. Variáveis termodinâmicas e sua natureza macroscópica. Teoria

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS. Departamento de Matemática e Física Coordenador da Área de Física

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS. Departamento de Matemática e Física Coordenador da Área de Física 01 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Departamento de Matemática e Física Coordenador da Área de Física Disciplina: Física Geral e Experimental II (MAF 2202) L I S T A VI Capítulo 19 Temperatura, Calor e a

Leia mais