Produtos de qualidade, Patrimônio cultural e Desenvolvimento Territorial: O Caminhos de Pedra e o Vale dos Vinhedos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Produtos de qualidade, Patrimônio cultural e Desenvolvimento Territorial: O Caminhos de Pedra e o Vale dos Vinhedos"

Transcrição

1 Produtos de qualidade, Patrimônio cultural e Desenvolvimento Territorial: O Caminhos de Pedra e o Vale dos Vinhedos Claire Cerdan CIRAD-UFSC

2 Introdução Ilustrar o uso do patrimônio cultural como elemento estratégico para o desenvolvimento territorial a partir de dois estudos de casos realizados no Rio Grande Do Sul Município de Bento Gonçalves: os Caminhos de Pedra e o Vale dos Vinhedos Refletir sobre os avanças teóricos e metodológicos para abordar a questão dos produtos de qualidade no marco de um desenvolvimento territorial sustentável

3 Introdução Produtos de Qualidade Patrimônio cultural Desenvolvimento Territorial Sustentável

4 2 territórios de estudos 2 territórios do município de Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul Forte presença de uma agricultura familiar, descendentes de imigrantes italianos Toda historia da região está totalmente vinculada a cultura, hábitos y tradições dos imigrantes Dois territórios com trajetórias distintas

5 Caminhos de Pedra

6

7 Perguntas de pesquisa Podemos considerar que a valorização do patrimônio cultural tem um papel importante na criação de novas perspectivas socioeconômicas para o conjunto de atores de um território? Quais são os benefícios dessas experiências? Quais os problemas que ameaçam a sustentabilidade dessas duas propostas? Estudo de caso do projeto Desenvolvimento territorial rural a partir de produtos e serviços culturais DTR-IC RIMISP F.FORD

8 Referencias teóricas - Trabalhos da economia territorial, da economia da qualidade e da sociologia política. - Consideramos o território como socialmente construído que se forma a partir do encontro de atores sociais, num espaço geográfico dado, aonde se busca identificar e resolver um problema comum (Pecqueur, 2001). - A noção de sistema agro alimentar localizado - SIAL foi mobilizada como enfoque integrador para analisar como os atores locais articulam/diferenciam/ativam os recursos territoriais (Muchnik, 2002).

9 CAMINHOS DE PEDRA Projeto coletivo de iniciativa privada, baseada de um patrimônio arquitetônico, na valorização da identidade cultural e de produtos e serviços típicos relacionados a imigração italiana no sul do pais (1875) Esse projeto busca o fortalecimento da comunidade rural local num processo da harmonização entre o desenvolvimento econômico e a preservação do patrimônio histórico-cultural da região, promovendo o turismo na área visitantes Comercialização de produtos coloniais apoio de instituições publicas e privadas (marca coletiva)

10 CAMINHOS DE PEDRA Três grandes etapas marcam a evolução deste projeto: 1. Identificação / Reconhecimento dos recursos locais como patrimônio e trabalho de sensibilização na comunidade - processo de patrimonialização 2. A segunda etapa (entre 1995 e 2002) se refere ao resgate das casas antigas e as primeiras atividades para receber os turistas, assim como a ampliação do projeto A partir de 2002, algumas dificuldades apareçam... Trabalho de uma profissionalização das atividades e dos atores locais 4. Atualmente novos desafios relacionados à emergência de novas demandas, concorrência com outros rotas turísticas

11 VALE DOS VINHEDOS Experiência de qualificação os vinhos dos vale do Vinhedos, reconhecida pelo INPI desde como uma indicação de procedência A produção de vinho, ficou muito tempo centrado na variedade de uva comum (Isabel), cujo o destino era o consumo familiar. Durante vários anos, os agricultores vendiam a uva às indústrias privadas ou às cooperativa. Nestas últimas décadas surgiu pequenas cantinas (agricultores familiares) que começaram a discutir de forma coletiva a melhoria da qualidade de vinho fino "Vale dos Vinhedos."

12 VALE DOS VINHEDOS Em 2002, a indicação de procedência Vale dos Vinhedo é reconhecido oficialmente. Crescimento das rendas para grande maioria da população local, sobretudo nos últimos vinte anos. Aumento significativo de turistas na região. A qualificação iniciou uma série de mudanças -na consolidação de um sistema produtivo local com uma grande concentração de empresas na mesma área de atuação, principalmente produção de uvas e vinhos. E na mudanças nas instituições que governam o uso do sol e da vegetação, com o objetivo de preservar a paisagem rural e os vinhedos (lei do Plano Municipal Diretor). (Flores, 2007)

13 VALE DOS VINHEDOS Com a emergência e o reconhecimento do território "Vale dos Vinhedo", novas estratégias vem reforçar a imagem do Vale do Vinhedos como território viti-vinicola de tradição italiana. Elas procuram associar o patrimônio imaterial, como a música e grupos musicais típicos, festivais e cozinha, com uma nova qualidade dos vinhos produzidos. Existe um esforço para a conservação e manutenção das características da paisagem rural, associada a degustação do vinho e outras atrações turísticas. Assim, o turismo chega a ter um papel muito importante para a consolidação dessa identidade como para o Caminhos de Pedra.

14 Elementos da estratégia de valorização dos territórios Trata-se de construção coletiva de um projeto, que tem permitido uma mobilização dos atores locais em torno de uma estratégia claramente definida. O projeto técnico ( melhoria da qualidade dos vinhos de "Vale dos Vinhedo" / parceria do sector privado (cantinas) e institutos de pesquisa e assistência técnica. O projeto "Caminhos de Pedra" foi um instrumento de negociação entre promotores e a comunidade local, e depois, entre os membros da comunidade e o poder público. As estratégias de valorização combinam um conjunto de recursos internos e externos. Os produtores do Vale dos Vinhedos têm mobilizado os seus antigos saber fazer" de manejo dos vinhedos e do vinho mas inserem novas regras, novas variedades de uva com a intenção de obter vinhos de alta qualidade. A antigas tinas" foram substituídas por tanques de aço e de barris de carvalho. No projeto "Caminhos de Pedra" formou uma parceria para recuperar antigas práticas artesanais com métodos modernos de produção alimentar. A erva mate e o queijo de cabra foram introduzidos recentemente.

15 Elementos da estratégia de valorização dos territórios O desafio de uma combinação de recursos internos e externos é de preservar uma certa coerência e manter o justo equilíbrio entre os "típicos" e "cenário", cujo maior risco é a invenção de uma cultura local, e genérica "aterritorial" facilmente reproduzível. No mesmo sentido, destaca a importância de manter uma forte coerência entre os produtos e serviços oferecidos dentro de um território noção de cestas de bens, de produtos de serviços (Pecqueur et al, 2001)

16 Considerações finais Produtos de Qualidade / Patrimônio cultural Desenvolvimento Territorial Sustentável

17 Considerações finais Abordar a qualidade dos produtos Qualidade : passar de uma abordagem setorial da qualidade para uma visão de qualidade territorial. Os alimentos com qualidade e identidade cultural requer a implementação e o arranjo de dispositivos heterogêneos específicos contribuem à construção do quadro da troca compense a falha do sistema atual entre fornecedores e consumidores

18 Principais evoluções das abordagens científicas da qualidade 1. Objeto sem o sujeito Food Quality Conjuntos de características objetivas 2. Relação Objeto / sujeito Food quality perception 3. Relação entre sujeitos ao redor do objeto The social construction of quality Conjuntos de características objetivas x preferências individuais Conjuntos de características objetivas x preferências individuais representações teoria das convenções 4. Relação entre sujeitos ao redor do objeto / atravès dispositivos especificos Collective judgment Construção / Reconstrução entre compradores e fornecedores x conjuntos de elementos

19 Dispositivos mobilizados nos dois territórios COLLECTIVE RULES INSTITUTIONAL TOOLS AND DEVICE PRODUCERS / CONSUMERS Laws decrees Rules Codes of practices Control Label, sign Specific quality origin Strategic Meeting point VALE DOS VINHEDOS Lei n 7678/1988 Code of practice (lei) control system Embrapa Official GI logo Origin product Italian immigration culture, specific Cellars Visit, wine tasting CAMINHOS DE PEDRA Lei plano director Marca coletiva Marca coletiva Typical product Italian Immigration culture Visit, italian shows; regional events Collective credibility construction construction of a exchange frame

20 Considerações finais Sustentabilidade das estratégias de qualidade Vários trabalhos já demonstram Diversidade de iniciativas de qualificação, de promoção de produtos e/ou serviços com identidade... Capacidade de adaptação da agricultura familiar para responder aos novos desafios impactos positivos dessas iniciativas Oportunidade temporária ou nova alternativa para pensar o desenvolvimento territorial sustentável de algumas regiões?

21 Considerações finais Sustentabilidade das estratégias de qualidade - As experiências de DTR-IC correspondem à espaços sociais nos quais são implementadas novas práticas organizacionais e técnicas, e onde constrói-se uma nova visão do desenvolvimento territorial, um compromisso ético (cívico e relacional), da preservação do patrimônio de acordo com as diferentes dimensões do desenvolvimento sustentável (econômico, social, ambiental e cultural). - As estratégias de DTR-IC apresentam-se ainda muito marginais em termo de volume e numero de pessoas associadas. No entanto são espaços de inovações sociais susceptíveis de influenciar as dinâmicas territoriais por infiltração, integração, construção de novas normas ou por efeitos sobre as preferências dos consumidores, dos movimentos sociais e as orientações das políticas públicas.

22 Obrigada!

O ENOTURISMO. Conceito:

O ENOTURISMO. Conceito: Conceito: O conceito de enoturismo ainda está em formação e, a todo o momento, vão surgindo novos contributos; Tradicionalmente, o enoturismo consiste na visita a vinhas, estabelecimentos vinícolas, festivais

Leia mais

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL VALE DOS VINHEDOS

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL VALE DOS VINHEDOS ARRANJO PRODUTIVO LOCAL VALE DOS VINHEDOS Design: Base de Comunicação ELABORAÇÃO Jorge Tonietto - Embrapa Uva e Vinho Jaime Milan Aprovale Períodos Evolutivos da Vitivinicultura Brasileira Período 1º Período

Leia mais

Bem Vindo! Bento Gonçalves - Serra Gaúcha - Brasil

Bem Vindo! Bento Gonçalves - Serra Gaúcha - Brasil Bem Vindo! Bento Gonçalves - Serra Gaúcha - Brasil Localize-se Bento - Gramado - Caxias - POA 45km 120 km 120km Bento Gonçalves: todo o encanto da Serra Gaúcha em uma cidade repleta de histórias e sabores

Leia mais

Doutoranda: Nadir Blatt

Doutoranda: Nadir Blatt Territórios de Identidade no Estado da Bahia: uma análise crítica da regionalização implantada pela estrutura governamental para definição de políticas públicas, a partir da perspectiva do desenvolvimento

Leia mais

SLOW FOOD E O DESENVOLVIMENTO SUSTENTAVEL. Verónica Chesi (SLOW FOOD ORGANIZATION)

SLOW FOOD E O DESENVOLVIMENTO SUSTENTAVEL. Verónica Chesi (SLOW FOOD ORGANIZATION) SLOW FOOD E O DESENVOLVIMENTO SUSTENTAVEL Verónica Chesi (SLOW FOOD ORGANIZATION) Slow Food é uma associação internacional sem fins lucrativos sustentada pelos seus associados. Foi fundada em Itália em

Leia mais

PROJETO ALTERNATIVO DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL E SOLIDÁRIO - PADRSS

PROJETO ALTERNATIVO DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL E SOLIDÁRIO - PADRSS SISTEMA CONTAG DE ORGANIZAÇÃO DA PRODUÇÃO SEC. DE POLÍTICA AGRÍCOLA - CONTAG - 1 PROJETO ALTERNATIVO DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL E SOLIDÁRIO - PADRSS SISTEMA CONTAG DE ORGANIZAÇÃO DA PRODUÇÃO

Leia mais

Juliana Santilli, Promotora de Justiça, MPDFT e Doutora (Direito Socioambiental)- PUC-PR

Juliana Santilli, Promotora de Justiça, MPDFT e Doutora (Direito Socioambiental)- PUC-PR Juliana Santilli, Promotora de Justiça, MPDFT e Doutora (Direito Socioambiental)- PUC-PR 1 Igs identificam e agregam valor a produtos associados a determinados territórios, concebidos em suas dimensões

Leia mais

Manual da Indicação Geográfica do Vale dos Vinhedos

Manual da Indicação Geográfica do Vale dos Vinhedos Manual da Indicação Geográfica do Vale dos Vinhedos Uma conquista O Brasil do futuro é agora: a vida melhorando, o mercado crescendo, novos produtos chegando, tudo acontecendo ao mesmo tempo. E com isto

Leia mais

Melhor Prática vencedora: Economia Local (Não Capital)

Melhor Prática vencedora: Economia Local (Não Capital) 1 Melhor Prática vencedora: Economia Local (Não Capital) Eventos Alavancadores do Turismo em Bento Gonçalves: Bento em Vindima e Congresso Latino-Americano de Enoturismo DESTINO: Bento Gonçalves/RS INSTITUIÇÃO

Leia mais

Princípios ref. texto nº de votos N

Princípios ref. texto nº de votos N Princípios N G A E Estimular os processos de articulação de políticas públicas nos territórios, garantindo canais de diálogo entre os entes federativos, suas instituições e a sociedade civil. Desenvolvimento

Leia mais

CARTA EUROPEIA DO ENOTURISMO PRINCIPIOS GERAIS

CARTA EUROPEIA DO ENOTURISMO PRINCIPIOS GERAIS PRINCIPIOS GERAIS I. OS FUNDAMENTOS DO ENOTOURISMO 1. Por enotourismo queremos dizer que são todas as actividades e recursos turísticos, de lazer e de tempos livres, relacionados com as culturas, materiais

Leia mais

TURISMO NO ESPAÇO RURAL LEGISLAÇÃO MANUAL

TURISMO NO ESPAÇO RURAL LEGISLAÇÃO MANUAL TURISMO NO ESPAÇO RURAL LEGISLAÇÃO MANUAL Índice 1. Turismo no espaço rural: tipologias.2 2. Exploração e funcionamento.... 5 3. Legislação aplicável.17 Bibliografia. 18 1 1.Turismo no espaço rural: tipologias

Leia mais

A transição Agroecológica da Cajucultura familiar no Município de Barreira, Ceará, Brasil.

A transição Agroecológica da Cajucultura familiar no Município de Barreira, Ceará, Brasil. A transição Agroecológica da Cajucultura familiar no Município de Barreira, Ceará, Brasil. GIRÃO, Enio G. Eng. Agrônomo, Embrapa Agroindústria Tropical, Fortaleza CE, enio@cnpat.embrapa.br; OLIVEIRA, Francyálisson

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMPAIO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMPAIO 10º Ano Disciplina: Turismo Informação e Animação Turística Ano Letivo 2015/1 MÓDULO 1 CONCEITOS E FUNDAMENTOS DO TURISMO 1. O Conceito do Turismo 1.1. Noção de Turismo 1.2. Classificações do Turismo 1..

Leia mais

AFINAL, O QUE É O TERROIR?

AFINAL, O QUE É O TERROIR? AFINAL, O QUE É O TERROIR? Jorge Tonietto 1 Se eu não tivesse morado na França, escrever sobre terroir seria certamente mais fácil: eu teria menor consciência da complexidade do termo. É que o terroir

Leia mais

O Mercado como instrumento de conservação da Mata Atlântica. Consumo Responsável, Compromisso com a Vida!

O Mercado como instrumento de conservação da Mata Atlântica. Consumo Responsável, Compromisso com a Vida! Mercado Mata Atlântica Reserva da Biosfera da Mata Atlântica O Mercado como instrumento de conservação da Mata Atlântica Consumo Responsável, Compromisso com a Vida! Apresentação O Programa "Mercado Mata

Leia mais

SEMINÁRIO: Tecnologias para o Desenvolvimento Econômico Sustentável

SEMINÁRIO: Tecnologias para o Desenvolvimento Econômico Sustentável SEMINÁRIO: Tecnologias para o Desenvolvimento Econômico Sustentável "INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE ASSOCIADOS A CENÁRIOS SOCIOAMBIENTAIS, NECESSÁRIOS AOS NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS DA AMAZÔNIA" 1. INSTITUCIONAL

Leia mais

CULTURA, GASTRONOMIA E TURISMO: DESENVOLVIMENTO LOCAL ESTUDO DE CASO DA III FESTA DA FARINHA DE ANASTÁCIO (MS)

CULTURA, GASTRONOMIA E TURISMO: DESENVOLVIMENTO LOCAL ESTUDO DE CASO DA III FESTA DA FARINHA DE ANASTÁCIO (MS) CULTURA, GASTRONOMIA E TURISMO: DESENVOLVIMENTO LOCAL ESTUDO DE CASO DA III FESTA DA FARINHA DE ANASTÁCIO (MS) 1 TREVIZAN, Fernanda Kiyome Fatori INTRODUÇÃO A promoção dos recursos humanos e do planejamento

Leia mais

GASTRONOMIA SUSTENTÁVEL - PARATY. Oficina de Planejamento 2010-2012

GASTRONOMIA SUSTENTÁVEL - PARATY. Oficina de Planejamento 2010-2012 GASTRONOMIA SUSTENTÁVEL - PARATY Oficina de Planejamento 2010-2012 Paraty, agosto de 2010 Objetivo da oficina Elaborar o Direcionamento Estratégico da Gastronomia Sustentável de Paraty para os próximos

Leia mais

APÊNDICE C DIRETRIZES VOLUNTÁRIAS PARA A INTEGRAÇÃO DA BIODIVERSIDADE NAS POLÍTICAS, PROGRAMAS E PLANOS DE AÇÃO NACIONAIS E REGIONAIS DE NUTRIÇÃO

APÊNDICE C DIRETRIZES VOLUNTÁRIAS PARA A INTEGRAÇÃO DA BIODIVERSIDADE NAS POLÍTICAS, PROGRAMAS E PLANOS DE AÇÃO NACIONAIS E REGIONAIS DE NUTRIÇÃO APÊNDICE C DIRETRIZES VOLUNTÁRIAS PARA A INTEGRAÇÃO DA BIODIVERSIDADE NAS POLÍTICAS, PROGRAMAS E PLANOS DE AÇÃO NACIONAIS E REGIONAIS DE NUTRIÇÃO Objetivo O objetivo das Diretrizes é apoiar os países a

Leia mais

SANTA CATARINA EM CENA 2003

SANTA CATARINA EM CENA 2003 SANTA CATARINA EM CENA 2003 Com média de 19 pontos de audiência e 63% de share e grande repercussão junto ao público, o projeto Santa Catarina em Cena, levou para os lares catarinenses, no ano de 2002,

Leia mais

Percurso real ou virtual que apresenta elementos de interesse a uma parcela significativa da sociedade e que encerram características comuns.

Percurso real ou virtual que apresenta elementos de interesse a uma parcela significativa da sociedade e que encerram características comuns. ITINERÁRIO MESTRADO EM MEMÓRIA SOCIAL E BENS CULTURAIS Mestranda Nilza Cristina Taborda de Jesus Colombo Orientadora: Underléa Miotto Bruscato Prof.Dra. Cleusa Graebin e Prof. Dr. Lucas Graeff Unilasalle

Leia mais

Orientação nº 1/2008 ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DA ESTRATÉGIA LOCAL DE DESENVOLVIMENTO (EDL) EIXO 4 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES

Orientação nº 1/2008 ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DA ESTRATÉGIA LOCAL DE DESENVOLVIMENTO (EDL) EIXO 4 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Programa de da ELABORAÇÃO DA ESTRATÉGIA LOCAL DE DESENVOLVIMENTO (ELD) 1 / 16 Programa de da 1. Caracterização Socioeconómica do Território A caracterização do território deve centrar-se em dois aspectos

Leia mais

Trens turísticos e o patrimônio cultural. Roberta Abalen Dias

Trens turísticos e o patrimônio cultural. Roberta Abalen Dias Trens turísticos e o patrimônio cultural Roberta Abalen Dias Atualmente o Turismo é considerado uma atividade de grande importância econômica, responsável por geração de emprego e renda. Tal atividade

Leia mais

Fotografias PauloHSilva//siaram. Saber Mais... Ambiente Açores

Fotografias PauloHSilva//siaram. Saber Mais... Ambiente Açores Fotografias PauloHSilva//siaram Saber Mais... Ambiente Açores Convenção Diversidade Biológica O que é a Convenção da Diversidade Biológica? A Convenção da Diversidade Biológica é um acordo assinado entre

Leia mais

Projeto de Cooperação PRODER Um outro Algarve

Projeto de Cooperação PRODER Um outro Algarve Projeto de Cooperação PRODER Um outro Algarve As três Associações de Desenvolvimento Local do Algarve, no âmbito do PRODER, estão a cooperar para criar uma marca regional para o Turismo de Natureza, uma

Leia mais

Festas de Outubro em Santa Catarina!!

Festas de Outubro em Santa Catarina!! ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DIRETORIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA GERÊNCIA DE VIGILÂNCIA DAS DST/HIV/AIDS E HEPATITES VIRAIS Festas de

Leia mais

PROJETO TÉCNICO SAF/ATER 120/2010. PROJETO ATER - DESENVOLVIMENTO Rural Inclusivo e Sustentável Região da Grande Dourados, MS

PROJETO TÉCNICO SAF/ATER 120/2010. PROJETO ATER - DESENVOLVIMENTO Rural Inclusivo e Sustentável Região da Grande Dourados, MS PROJETO TÉCNICO SAF/ATER 120/2010 PROJETO ATER - DESENVOLVIMENTO Rural Inclusivo e Sustentável Região da Grande Dourados, MS Propósito da Coopaer Identificar problemas oriundos da Cadeia produtiva leite;

Leia mais

Edital de Seleção. Curso de Formação Inicial Continuada em Manejo Florestal Comunitário. (Turma 2015)

Edital de Seleção. Curso de Formação Inicial Continuada em Manejo Florestal Comunitário. (Turma 2015) Edital de Seleção Curso de Formação Inicial Continuada em Manejo Florestal Comunitário (Turma 2015) Belém Pará Novembro de 2014 Realização Página 2 de 9 Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 4 3.

Leia mais

FORTALECIMENTO DA AGENDA DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL NA EDUCAÇÃO O Programa Nacional de Alimentação Escolar - PNAE

FORTALECIMENTO DA AGENDA DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL NA EDUCAÇÃO O Programa Nacional de Alimentação Escolar - PNAE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO FNDE DIRETORIA DE AÇÕES EDUCACIONAIS DIRAE COORDENAÇÃO- GERAL DE PROGRAMAS DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR CGPAE SBS Q.2 Bloco F Edifício FNDE

Leia mais

ENOTURISMO produto estratégico para Portugal

ENOTURISMO produto estratégico para Portugal ENOTURISMO produto estratégico para Portugal Ação de Sensibilização Da produção vitivinícola ao enoturismo Novembro, 2011 Turismo de Portugal Departamento de Dinamização O Potencial Competitivo de Portugal

Leia mais

Taxonomias para orientar e coordenar a formulação, execução, acompanhamento e avaliação das políticas de APLS

Taxonomias para orientar e coordenar a formulação, execução, acompanhamento e avaliação das políticas de APLS Taxonomias para orientar e coordenar a formulação, execução, acompanhamento e avaliação das políticas de APLS José E Cassiolato Coordenador da RedeSist, IE-UFRJ Marcelo G P de Matos Pesquisador da RedeSist,

Leia mais

Gestão do Turismo. Bento Gonçalves Serra Gaúcha RS

Gestão do Turismo. Bento Gonçalves Serra Gaúcha RS Gestão do Turismo Bento Gonçalves Serra Gaúcha RS Secretaria Municipal de Turismo Grupo Gestor Destino Indutor Estudo de Competitividade Breve Histórico - Primeira Pesquisa MTUR/FGV 12/01 a 18/01/2008

Leia mais

CONFERÊNCIA: O futuro dos territórios rurais. - Desenvolvimento Local de Base Comunitária. Painel 1: Coesão e Sustentabilidade Territorial

CONFERÊNCIA: O futuro dos territórios rurais. - Desenvolvimento Local de Base Comunitária. Painel 1: Coesão e Sustentabilidade Territorial Painel 1: Coesão e Sustentabilidade Territorial 5 Augusto Ferreira Departamento Técnico - CONFAGRI MINHA TERRA - Federação Portuguesa de Associações de Desenvolvimento Local 20.Set.2013 Hotel da Estrela

Leia mais

PROJETO DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL DO ESTADO DA BAHIA. Banco Mundial

PROJETO DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL DO ESTADO DA BAHIA. Banco Mundial PROJETO DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL DO ESTADO DA BAHIA POR QUE O PROJETO Decisão Estratégica do Governo do Estado da Bahia Necessidade de avançar na erradicação da pobreza rural Existência de

Leia mais

DOUTORADO EM MEMÓRIA SOCIAL E BENS CULTURAIS

DOUTORADO EM MEMÓRIA SOCIAL E BENS CULTURAIS DOUTORADO EM MEMÓRIA SOCIAL E BENS CULTURAIS DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS Tópicos Avançados em Memória Social 45 Tópicos Avançados em Cultura 45 Tópicos Avançados em Gestão de Bens Culturais 45 Seminários

Leia mais

Estudo Económico de Desenvolvimento da

Estudo Económico de Desenvolvimento da Estudo Económico de Desenvolvimento da Fileira da Castanha Estudo Económico para o Desenvolvimento da Fileira da Castanha Índice 1 Introdução... 3 2 Objetivos e Dimensões... 4 3 Estratégia de Promoção

Leia mais

Programa Arca das Letras

Programa Arca das Letras Programas Federais Programa Arca das Letras Objetivo: Incentivar a leitura e facilitar o acesso aos livros em assentamentos e comunidades de agricultura familiar e de remanescentes de quilombos. Ministério

Leia mais

O papel do engenheiro agrônomo no desenvolvimento das plantas medicinais

O papel do engenheiro agrônomo no desenvolvimento das plantas medicinais O papel do engenheiro agrônomo no desenvolvimento das plantas medicinais Alexandre Sylvio Vieira da Costa 1 1.Engenheiro Agrônomo. Professor Universidade Vale do Rio Doce/Coordenador Adjunto da Câmara

Leia mais

Formatos técnico-produtivos: a agroecologia no Oeste de Santa Catarina e no Agreste da Paraíba 1 RESUMO EXECUTIVO

Formatos técnico-produtivos: a agroecologia no Oeste de Santa Catarina e no Agreste da Paraíba 1 RESUMO EXECUTIVO 1 Formatos técnico-produtivos: a agroecologia no Oeste de Santa Catarina e no Agreste da Paraíba 1 1. INTRODUÇÃO RESUMO EXECUTIVO Guilherme F. W. Radomsky Cynthia X. de Carvalho Valério V. Bastos Edgard

Leia mais

Política Metropolitana de Proteção da Paisagem e Promoção da Diversidade Cultural

Política Metropolitana de Proteção da Paisagem e Promoção da Diversidade Cultural UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA / CURSO DE TURISMO Política Metropolitana de Proteção da Paisagem e Promoção da Diversidade Cultural Fabiana Bernardes

Leia mais

SOMOS TOD@S UFRB. Síntese da Proposta de Trabalho

SOMOS TOD@S UFRB. Síntese da Proposta de Trabalho SOMOS TOD@S UFRB Síntese da Proposta de Trabalho Chapa SOMOS TOD@S UFRB Reitor: Silvio Soglia Vice-Reitora: Georgina Gonçalves "Aquele que quer aprender a voar um dia precisa primeiro aprender a ficar

Leia mais

Conhecendo a Fundação Vale

Conhecendo a Fundação Vale Conhecendo a Fundação Vale 1 Conhecendo a Fundação Vale 2 1 Apresentação Missão Contribuir para o desenvolvimento integrado econômico, ambiental e social dos territórios onde a Vale atua, articulando e

Leia mais

Disciplina Objectivos Conteúdos Programáticos

Disciplina Objectivos Conteúdos Programáticos Disciplina Objectivos Conteúdos Programáticos Legislação para Operações Turísticas Análise do quadro legal aplicável no contexto da atividade das agências de viagens. Caracterização dos organismos Institucionais

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento Agrário MDA Secretaria da Agricultura Familiar SAF Departamento de Assistência Técnica e Extensão Rural DATER

Ministério do Desenvolvimento Agrário MDA Secretaria da Agricultura Familiar SAF Departamento de Assistência Técnica e Extensão Rural DATER Ministério do Desenvolvimento Agrário MDA Secretaria da Agricultura Familiar SAF Departamento de Assistência Técnica e Extensão Rural DATER Termo de Referência para Redes de Organizações de Ater da Sociedade

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR N 15 de 27 de abrilde 2006.

LEI COMPLEMENTAR N 15 de 27 de abrilde 2006. -~--' -, Praça Barão do Rio Branco, 12 Fax (31) 3559 3205 LEI COMPLEMENTAR N 15 de 27 de abrilde 2006 Altera a Lei Comp1emelÚtlr n 02/1005, modifica a denonúnaçílo da Secretaria Municipal de Turismo, IndÚstria

Leia mais

Estudo - Estratégias de Diferenciação das Principais Fileiras de Produtos Agrícolas, Agro- Alimentares de Alimentação do Vale do Ave

Estudo - Estratégias de Diferenciação das Principais Fileiras de Produtos Agrícolas, Agro- Alimentares de Alimentação do Vale do Ave Estudo - Estratégias de Diferenciação das Principais Fileiras de Produtos Agrícolas, Agro- Alimentares de Alimentação do Vale do Ave NOTAS INTRODUTÓRIAS - Objetivo do estudo: Definir estratégias de atuação

Leia mais

Promover o desenvolvimento rural sustentável no Estado de São Paulo, ampliando as oportunidades de emprego e renda, a inclusão social, a preservação

Promover o desenvolvimento rural sustentável no Estado de São Paulo, ampliando as oportunidades de emprego e renda, a inclusão social, a preservação GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE AGRICULTURA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável MicrobaciasII OBJETIVO GERAL Promover o desenvolvimento

Leia mais

TURISMO, HISTÓRIA E GASTRONOMIA:

TURISMO, HISTÓRIA E GASTRONOMIA: RESENHA Maria Henriqueta Sperandio G. Gimenes 1 1 Maria Henriqueta Sperandio Garcia Gimenes - Bacharel em Turismo e Doutora em História (História da Alimentação) pela Universidade Federal do Paraná. Professora

Leia mais

Processo de Desenvolvimento do Vale dos Vinhedos

Processo de Desenvolvimento do Vale dos Vinhedos Processo de Desenvolvimento do Vale dos Vinhedos Charlene Paula Sousa de Abreu chacha_abreu@hotmail.com Unisuam Diego Mesquita de Sá diegodesa@live.com Unisuam Flávia Cristina de Souza dos Reis flaviareis67@yahoo.com.br

Leia mais

Workshop formativo: Ampelografia das Castas do Vinho Verde I

Workshop formativo: Ampelografia das Castas do Vinho Verde I Workshop formativo: Ampelografia das Castas do Vinho Verde I numerosos sinónimos. Objectivos: A ampelografia é a disciplina da botânica e da agronomia que estuda, identifica e classifica as variedades,

Leia mais

Ações de incentivo ao consumo de alimentos orgâncos e de produção agroecológica

Ações de incentivo ao consumo de alimentos orgâncos e de produção agroecológica Ações de incentivo ao consumo de alimentos orgâncos e de produção agroecológica O Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional nos municípios ENCONTRO NACIONAL III Seminário Nacional de Vigilância

Leia mais

AE R SEB 26 A Lavoura NO 694/2013 A Lavoura NO

AE R SEB 26 A Lavoura NO 694/2013 A Lavoura NO 26 A Lavoura N O 694/2013 ESPECIAL: INDICAÇÃO ESPECIAL: INDICAÇÃO GEOGRÁFICA PRODUTOS de VALOR Diferencial que valoriza as produções locais, as Indicações Geográficas (IGs), que se subdividem entre Indicação

Leia mais

Projeto Execução Expositores

Projeto Execução Expositores Projeto Execução Expositores Realização: Cooperativa Agropecuária Petrópolis PIA EMATER RS ASCAR Prefeitura Municipal de Nova Petrópolis A ENTIDADE PROMOTORA DO RURALSHOW 2014. COOPERATIVA AGROPECUÁRIA

Leia mais

Departamento de Qualificação e Certificação e Produção Associada ao Turismo

Departamento de Qualificação e Certificação e Produção Associada ao Turismo Ministério do Turismo Ministério do Turismo Departamento de Qualificação e Certificação e Produção Associada ao Turismo Funções e Objetivos Coordenar as ações voltadas à qualificação profissional e à melhoria

Leia mais

Estratégias de ação vinculadas ao manejo da agrobiodiversidade com enfoque agroecológico visando a sustentabilidade de comunidades rurais

Estratégias de ação vinculadas ao manejo da agrobiodiversidade com enfoque agroecológico visando a sustentabilidade de comunidades rurais Estratégias de ação vinculadas ao manejo da agrobiodiversidade com enfoque agroecológico visando a sustentabilidade de comunidades rurais O desenvolvimento das ações em diferentes projetos poderão identificar

Leia mais

O ESTADO DA INOVAÇÃO NO SECTOR VITIVINICOLA DURIENSE

O ESTADO DA INOVAÇÃO NO SECTOR VITIVINICOLA DURIENSE ADVID Associação para o Desenvolvimento da Viticultura Duriense Cluster dos vinhos da Região do Douro 16 de NOVEMBRO DIA DA INOVAÇÃO, UTAD O QUE É INOVAÇÃO? *Uma inovação é a implementação de um produto

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 51/2008. Institui a Política Estadual de Combate e Prevenção à Desertificação e dá outras providências.

PROJETO DE LEI Nº 51/2008. Institui a Política Estadual de Combate e Prevenção à Desertificação e dá outras providências. PROJETO DE LEI Nº 51/2008 Institui a Política Estadual de Combate e Prevenção à Desertificação e dá outras providências. A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO ESPIRITO SANTO DECRETA: Art. 1º Esta lei institui

Leia mais

PÓL Ó O L O DE E UVA V DE E ME M S E A E E VI V N I HO NO O ES E T S A T DO DO ES E P S ÍR Í IT I O O SAN A TO T

PÓL Ó O L O DE E UVA V DE E ME M S E A E E VI V N I HO NO O ES E T S A T DO DO ES E P S ÍR Í IT I O O SAN A TO T PÓLO DE UVA DE MESA E VINHO NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Pólo de Uva de Mesa e Vinho no Estado do Espírito Santo IMPORTÂNCIA ECONÔMICA E SOCIAL IMPORTÂNCIA ECONÔMICA SOCIAL Transformar o Estado do Espírito

Leia mais

6$17$&$7$5,1$ -RVp(OPDU)HJHU0HVWUDQGRamurc@cni.unc.br. FURB, Mestrado Desenv. Regional, FURB, Blumenau, SC, Brasil

6$17$&$7$5,1$ -RVp(OPDU)HJHU0HVWUDQGRamurc@cni.unc.br. FURB, Mestrado Desenv. Regional, FURB, Blumenau, SC, Brasil '(6(192/9,0(172'(&/867(53(/$9$/25,=$d 2 7(55,725,$/2&$62'29$/('$89$('29,1+2(0 6$17$&$7$5,1$ -RVp(OPDU)HJHU0HVWUDQGRamurc@cni.unc.br FURB, Mestrado Desenv. Regional, FURB, Blumenau, SC, Brasil /XL]&pVDU%DWLVWD0HVWUDQGRamurc@cni.unc.br

Leia mais

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas. UNIFAL-MG Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700. Alfenas/MG. CEP 37130-000 Fone: (35) 3299-1000. Fax: (35) 3299-1063 DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE

Leia mais

ECO XXI Acção de formação. 11 de fevereiro de 2014 Amadora

ECO XXI Acção de formação. 11 de fevereiro de 2014 Amadora ECO XXI Acção de formação 11 de fevereiro de 2014 Amadora Júri Sérgio Guerreiro Director do Departamento de Estudos e Planeamento António Fontes Director, Área Institucional Ana Isabel Fonseca Moiteiro

Leia mais

Proposta de Curso de Turismo Rural Polo de Ecoturismo de São Paulo Sindicato Rural de SP / SENAR

Proposta de Curso de Turismo Rural Polo de Ecoturismo de São Paulo Sindicato Rural de SP / SENAR Proposta de Curso de Turismo Rural Polo de Ecoturismo de São Paulo Sindicato Rural de SP / SENAR Objetivo Ampliar o olhar sobre a propriedade rural, fornecendo ferramentas para identificar e implantar

Leia mais

O ENOTURISMO EM EXPERIÊNCIAS DE INDICAÇÕES GEOGRÁFICAS: ESTRATÉGIA PARA O DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL?

O ENOTURISMO EM EXPERIÊNCIAS DE INDICAÇÕES GEOGRÁFICAS: ESTRATÉGIA PARA O DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL? O ENOTURISMO EM EXPERIÊNCIAS DE INDICAÇÕES GEOGRÁFICAS: ESTRATÉGIA PARA O DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL? Área Temática: Desenvolvimento rural e agricultura familiar Valdinho Pellin 1 Adriana Carvalho Pinto

Leia mais

SEGUNDO PILAR DA PAC: A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO RURAL

SEGUNDO PILAR DA PAC: A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO RURAL SEGUNDO PILAR DA PAC: A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO RURAL A última reforma da política agrícola comum (PAC) manteve a estrutura em dois pilares desta política, continuando o desenvolvimento rural a representar

Leia mais

Município de Freixo de Espada à Cinta PLANO DE ACÇÃO (2009-2010) Conselho Local de Acção Social de Freixo de Espada à Cinta

Município de Freixo de Espada à Cinta PLANO DE ACÇÃO (2009-2010) Conselho Local de Acção Social de Freixo de Espada à Cinta Município de Freixo de Espada à Cinta PLANO DE ACÇÃO (2009-2010) Conselho Local de Acção Social de Freixo de Espada à Cinta FICHA TÉCNICA Relatório do Plano de Acção de Freixo de Espada à Cinta Conselho

Leia mais

Síntese da POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DO BRASIL RURAL

Síntese da POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DO BRASIL RURAL Síntese da POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DO BRASIL RURAL Apresenta à sociedade brasileira um conjunto de estratégias e ações capazes de contribuir para a afirmação de um novo papel para o rural na estratégia

Leia mais

SUSTENTABILIDADE: estratégia de geração de valor para a MMX. Agosto 2013

SUSTENTABILIDADE: estratégia de geração de valor para a MMX. Agosto 2013 SUSTENTABILIDADE: estratégia de geração de valor para a MMX Agosto 2013 ESTRATÉGIA EM SUSTENTABILIDADE Visão Uma estratégia de sustentabilidade eficiente deve estar alinhada com o core business da empresa

Leia mais

Período de exposição e funcionamento dos Quiosques

Período de exposição e funcionamento dos Quiosques Chamamento Público para empreendimentos da agricultura familiar que tenham a intenção de participar dos Quiosques Brasil Orgânico e Sustentável durante os dias 11 a 27/06 em 10 cidades sedes da Copa de

Leia mais

Políticas Públicas para Garantia da Alimentação Adequada e Saudável: A união das agendas da Saúde e da Segurança Alimentar e Nutricional

Políticas Públicas para Garantia da Alimentação Adequada e Saudável: A união das agendas da Saúde e da Segurança Alimentar e Nutricional Políticas Públicas para Garantia da Alimentação Adequada e Saudável: A união das agendas da Saúde e da Segurança Alimentar e Nutricional Brasília - Maio 2015 1 O Conselho Nacional de Segurança Alimentar

Leia mais

Unidades curriculares disponíveis para Programa IPL60+ 1º Semestre 15-16. Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar

Unidades curriculares disponíveis para Programa IPL60+ 1º Semestre 15-16. Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar Unidades curriculares disponíveis para Programa IPL60+ Semestre 15-16 Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar Animação Turística Inglês para Animação I Língua Estrangeira I (Espanhol I / Alemão

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO VINHO NA PROMOÇÃO DO TURISMO. Fórum Anual Vinhos de Portugal 26 de novembro 2014 João Cotrim de Figueiredo

A IMPORTÂNCIA DO VINHO NA PROMOÇÃO DO TURISMO. Fórum Anual Vinhos de Portugal 26 de novembro 2014 João Cotrim de Figueiredo A IMPORTÂNCIA DO VINHO NA PROMOÇÃO DO TURISMO Fórum Anual Vinhos de Portugal 26 de novembro 2014 João Cotrim de Figueiredo O potencial competitivo de Portugal Vinhos únicos no mundo Porto e Madeira Vinhos

Leia mais

O RURAL E O URBANO. CONGRESSO BRASILEIRO DE ECONOMIA E SOCIOLOGIA RURAL, 35, Natal (RN). Anais... Natal (RN): Sober, 1997. p. 90-113.

O RURAL E O URBANO. CONGRESSO BRASILEIRO DE ECONOMIA E SOCIOLOGIA RURAL, 35, Natal (RN). Anais... Natal (RN): Sober, 1997. p. 90-113. O RURAL E O URBANO 1 - AS DEFINIÇÕES DE RURAL E URBANO 1 Desde o final do século passado, a modernização, a industrialização e informatização, assim como a crescente urbanização, levaram vários pesquisadores

Leia mais

Projeto de Patrocínio ExpoBento 2016

Projeto de Patrocínio ExpoBento 2016 Projeto de Patrocínio ExpoBento 2016 1 Diretoria Sobre a ExpoBento A ExpoBento é a maior feira multissetorial do Brasil e em 2016 estará em sua 26ª edição. Desde 1990 esta Nossos números feira vem se reinventando,

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO TURÍSTICO 2014/2020 FARROUPILHA - RS

PLANO DE DESENVOLVIMENTO TURÍSTICO 2014/2020 FARROUPILHA - RS PLANO DE DESENVOLVIMENTO TURÍSTICO 2014/2020 FARROUPILHA - RS 22 de Outubro de 2014 AGENDA Relembrar o conceito de Plano Municipal de Turismo Etapas percorridas no desenvolvimento do PMT de Farroupilha

Leia mais

INOVAÇÃO E COMPETITIVIDADE DE DESTINOS TURÍSTICOS. Novembro de 2014

INOVAÇÃO E COMPETITIVIDADE DE DESTINOS TURÍSTICOS. Novembro de 2014 INOVAÇÃO E COMPETITIVIDADE DE DESTINOS TURÍSTICOS Novembro de 2014 1 Competitividade de Destinos Emergência nos estudos sobre estratégia empresarial Indústria, empresas, países, organizações Diferentes

Leia mais

TURISMO. o futuro, uma viagem...

TURISMO. o futuro, uma viagem... TURISMO o futuro, uma viagem... PLANO NACIONAL DO TURISMO 2007-2010 OBJETIVOS Desenvolver o produto turístico brasileiro com qualidade, contemplando nossas diversidades regionais, culturais e naturais.

Leia mais

Programa Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Territórios Rurais PRONAT. Gestão Social e Desenvolvimento Territorial

Programa Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Territórios Rurais PRONAT. Gestão Social e Desenvolvimento Territorial Programa Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Territórios Rurais PRONAT Gestão Social e Desenvolvimento Territorial Antecedentes Questões relevantes (últimas décadas) Esgotamento do modelo de desenvolvimento

Leia mais

diretrizes estabelecidas por política públicas. O viés desta pesquisa é fundamentado em levantamentos etnobotânicos guiados pelo estudo dos processos

diretrizes estabelecidas por política públicas. O viés desta pesquisa é fundamentado em levantamentos etnobotânicos guiados pelo estudo dos processos 1. Introdução Ao longo da história o homem imprime marcas na paisagem que podem vir a apresentar maior ou menor materialidade. São por exemplo heranças ou resultantes ecológicas, se a elas atribuirmos

Leia mais

MINIFÓRUM CULTURA 10. Fórum Permanente para Elaboração do Plano Municipal de Cultura 2012 a 2022 RELATÓRIA DA AUDIÊNCIA PÚBLICA

MINIFÓRUM CULTURA 10. Fórum Permanente para Elaboração do Plano Municipal de Cultura 2012 a 2022 RELATÓRIA DA AUDIÊNCIA PÚBLICA MINIFÓRUM CULTURA 10 Fórum Permanente para Elaboração do Plano Municipal de Cultura 2012 a 2022 RELATÓRIA DA AUDIÊNCIA PÚBLICA Orientação aprovada: Que a elaboração do Plano Municipal de Cultura considere

Leia mais

A Sustentabilidade nos Sistemas Associativistas de Produção

A Sustentabilidade nos Sistemas Associativistas de Produção IV SIMPÓSIO BRASILEIRO DE AGROPECUÁRIA SUSTENTÁVEL IV SIMBRAS I CONGRESSO INTERNACIONAL DE AGROPECUÁRIA SUSTENTÁVEL A Sustentabilidade nos Sistemas Associativistas de Produção Prof. José Horta Valadares,

Leia mais

EDITAL PROJETO FPSSA APOIO Á EMPREENDIMENTOS TURISTICOS SOLIDÁRIOS DE JOVENS E MULHERES AFRODESCENDENTES DO BAIRRO DA PAZ E ENTORNOS, SALVADOR.

EDITAL PROJETO FPSSA APOIO Á EMPREENDIMENTOS TURISTICOS SOLIDÁRIOS DE JOVENS E MULHERES AFRODESCENDENTES DO BAIRRO DA PAZ E ENTORNOS, SALVADOR. EDITAL PROJETO FPSSA APOIO Á EMPREENDIMENTOS TURISTICOS SOLIDÁRIOS DE JOVENS E MULHERES AFRODESCENDENTES DO BAIRRO DA PAZ E ENTORNOS, SALVADOR. O Projeto Formação profissional e geração de renda para jovens

Leia mais

Proposta de Programa- Quadro de Ciência, Tecnologia e Inovação 2014-2018. L RECyT, 8.11.13

Proposta de Programa- Quadro de Ciência, Tecnologia e Inovação 2014-2018. L RECyT, 8.11.13 Proposta de Programa- Quadro de Ciência, Tecnologia e Inovação 2014-2018 L RECyT, 8.11.13 Delineamento do Programa - Quadro Fundamentação Geral Programa público, plurianual, voltado para o fortalecimento

Leia mais

Segurança alimentar e nutricional:

Segurança alimentar e nutricional: Segurança alimentar e nutricional: Políticas para a garantia da alimentação segura e saudável Coordenação-Geral de Alimentação e Nutrição Departamento de Atenção Básica Secretaria de Atenção à Saúde/ Ministério

Leia mais

Nova geração de políticas para o desenvolvimento sustentável

Nova geração de políticas para o desenvolvimento sustentável Nova geração de políticas para o desenvolvimento sustentável Helena M M Lastres Secretaria de Arranjos Produtivos e Inovativos e Desenvolvimento Local Rio de Janeiro, 1 de dezembro de 2010 Novas geração

Leia mais

MESTRADO EM MEMÓRIA SOCIAL E BENS CULTURAIS. 1.1 Matriz Curricular Disciplinas obrigatórias

MESTRADO EM MEMÓRIA SOCIAL E BENS CULTURAIS. 1.1 Matriz Curricular Disciplinas obrigatórias MESTRADO EM MEMÓRIA SOCIAL E BENS CULTURAIS 1.1 Matriz Curricular Disciplinas obrigatórias C/H Memória Social 45 Cultura 45 Seminários de Pesquisa 45 Oficinas de Produção e Gestão Cultural 45 Orientação

Leia mais

Analisando a cadeia de valor: estratégias para inovar em produtos e serviços

Analisando a cadeia de valor: estratégias para inovar em produtos e serviços Artigo em publicação na Revista DOM Fundação Dom Cabral edição de Julho/2009 Analisando a cadeia de valor: estratégias para inovar em produtos e serviços POR Lia Krucken Quais são as melhores estratégias

Leia mais

FICHA DE INTERNACIONALIZAÇÃO AZEITE

FICHA DE INTERNACIONALIZAÇÃO AZEITE FICHA DE INTERNACIONALIZAÇÃO AZEITE CENÁRIO DE ANTECIPAÇÃO BREVE CARATERIZAÇÃO DIAGNÓSTICO O ANÁLISE INTERNA - PONTOS FORTES O ANÁLISE INTERNA - PONTOS FRACOS O ANÁLISE EXTERNA - OPORTUNIDADES OU OPORTUNIDADES

Leia mais

Manifesto europeu para o turismo náutico sustentável

Manifesto europeu para o turismo náutico sustentável INTRODUÇÃO Através de várias iniciativas, incluindo as declarações sobre turismo de Manila e Haia, a comunidade internacional confirmou a importância do papel do turismo de veicular o desenvolvimento social

Leia mais

Estrutura e Metodologia da Oficina 1: Sensibilização de Agentes Multiplicadores

Estrutura e Metodologia da Oficina 1: Sensibilização de Agentes Multiplicadores Estrutura e Metodologia da Oficina 1: Sensibilização de Agentes Multiplicadores Oficina 1: Sensibilização de Agentes Multiplicadores Integração do grupo; Sensibilização para os problemas e potencialidades

Leia mais

Programa de Produção Sustentável de Óleo de Palma no Brasil. Programa de Produção Sustentável de Óleo de Palma no Brasil

Programa de Produção Sustentável de Óleo de Palma no Brasil. Programa de Produção Sustentável de Óleo de Palma no Brasil Programa de Produção Sustentável de Óleo de Palma no Brasil Objetivo: Disciplinar a expansão da produção de óleo de palma no Brasil e ofertar instrumentos para garantir uma produção em bases ambientais

Leia mais

Quem são os turistas que visitam as vinícolas do Planalto Catarinense?

Quem são os turistas que visitam as vinícolas do Planalto Catarinense? Coordenador: Professor Wilton Carlos Cordeiro Bolsistas: José Luiz Monteiro Mattos Newton Kramer dos Santos Neto Colaboradora: Professora Flávia Baratieri Losso OBJETIVO: conhecer o perfil dos turistas

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DE UMA INDICAÇÃO GEOGRÁFICA NO DESENVOLVIMENTO DO TURISMO DE UMA REGIÃO

A IMPORTÂNCIA DE UMA INDICAÇÃO GEOGRÁFICA NO DESENVOLVIMENTO DO TURISMO DE UMA REGIÃO A IMPORTÂNCIA DE UMA INDICAÇÃO GEOGRÁFICA NO DESENVOLVIMENTO DO TURISMO DE UMA REGIÃO THE IMPORTANCE OF A GEOGRAPHICAL INDICATION IN THE TOURISM DEVELOPMENT OF A REGION Jaqueline Silva Nascimento 1 ; Gilvanda

Leia mais

Os momentos do Congr. Sala cheia com José Hermano Saraiva. Transporte aéreo em debate. Isabel

Os momentos do Congr. Sala cheia com José Hermano Saraiva. Transporte aéreo em debate. Isabel Os momentos do Congr Sala cheia com José Hermano Saraiva Transporte aéreo em debate 12 REVISTA APAVT JANEIRO 2007 Isabel esso da APAVT Rui Silva na defesa o Incoming arata a anfitriã REVISTA APAVT JANEIRO

Leia mais

PROMOÇÃO DA VITIVINICULTURA. Moacir Mazzarollo Presidente do Conselho Deliberativo Carlos Raimundo Paviani Diretor Técnico

PROMOÇÃO DA VITIVINICULTURA. Moacir Mazzarollo Presidente do Conselho Deliberativo Carlos Raimundo Paviani Diretor Técnico ORDENAMENTO E PROMOÇÃO DA VITIVINICULTURA Moacir Mazzarollo Presidente do Conselho Deliberativo Carlos Raimundo Paviani Diretor Técnico Histórico Conavin: Lei Federal Nº 7.298/1984 Decreto Federal Nº 92.152/1985

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Identidade, Competitividade, Responsabilidade Acordo de Parceria Consagra a política de desenvolvimento económico, social, ambiental e territorial Define

Leia mais

PROPOSTAS DO III SEMINARIO SUL BRASILEIRO DE AGRICULTURA SUSTENTÁVEL GRUPO DE TRABALHO PRODUÇÃO DE ALIMENTOS PARA O TURISMO RURAL

PROPOSTAS DO III SEMINARIO SUL BRASILEIRO DE AGRICULTURA SUSTENTÁVEL GRUPO DE TRABALHO PRODUÇÃO DE ALIMENTOS PARA O TURISMO RURAL O Seminário Sul Brasileiro vem sendo organizado desde 2005, como um evento paralelo a Suinofest, festa gastronômica de derivados da carne suína, por um grupo formado pela UERGS, ACI-E, EMATER e Secretaria

Leia mais

LEI Nº 12.780, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2007

LEI Nº 12.780, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2007 LEI Nº 12.780, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2007 (Projeto de lei nº 749/2007, da Deputada Rita Passos - PV) Institui a Política Estadual de Educação Ambiental O GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Faço saber que

Leia mais

Atuação das Instituições GTP- APL. Sebrae. Brasília, 04 de dezembro de 2013

Atuação das Instituições GTP- APL. Sebrae. Brasília, 04 de dezembro de 2013 Atuação das Instituições GTP- APL Sebrae Brasília, 04 de dezembro de 2013 Unidade Central 27 Unidades Estaduais 613 Pontos de Atendimento 6.554 Empregados 9.864 Consultores credenciados 2.000 Parcerias

Leia mais

- INFORMAÇÃO. Agricultura Familiar e Comercialização de Proximidade

- INFORMAÇÃO. Agricultura Familiar e Comercialização de Proximidade APRESENTAÇÃO - INFORMAÇÃO Agricultura Familiar e Comercialização de Proximidade A ATAHCA organiza nos dias 10 e 11 de Outubro em Vila Verde um encontro abordando o tema Agricultura Familiar e Comercialização

Leia mais