Problema do Caminho Mais Curto. Problema do Caminho Mais Curto

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Problema do Caminho Mais Curto. Problema do Caminho Mais Curto"

Transcrição

1 Problema do Caminho Mais Curto " Podemos afectar pesos" aos arcos de um grafo, por exemplo, para representar uma distância entre cidades numa rede ferroviária: ria: Chicago Toronto 200 New York Boston 1 Problema do Caminho Mais Curto Shortest Path Problems Estes grafos ponderados podem ser usados para modelar redes de computadores com tempos de resposta, ou com custos de ligação. Uma das questões mais interessantes que podemos investigar com estes grafos é: Qual é o caminho mais curto entre dois vértices v no grafo, ou seja, o caminho com a soma mínima m de pesos? Isto corresponde à ligação mais rápida, r ou à ligação mais económica numa rede de computadores. 2

2 Problema do Caminho Mais Curto Algoritmos: Distância mais curta de um vértice v origem e todos os outros vértices v do grafo Dijkstra custos não negativos; O(n 2 ) Ford custos gerais (sem ciclos comprimento negativo) Algoritmo de Partição ão custos gerais; O(nm) (sem ciclos comprimento negativo) Distância mais curta entre todos os pares de vértices v do grafo Floyd custos gerais; O(n 3 ) (sem ciclos comprimento negativo) 3 Problema do Caminho Mais Curto Aplicações: Concepção de redes de comunicações Problemas de transporte Problemas de distribuição Substituição de equipamento Método do caminho crítico Dimensão dos lotes de produção Sub-problema de outros algoritmos (carteiro chinês, caixeiro viajante) 4

3 Problema do Caminho Mais Curto Substituição de equipamento: c ij O Algoritmo de Dijkstra O algoritmo de Dijkstra (rotulação permanente label setting algorithm) é um procedimento iterativo que determina o caminho mais curto entre um vértice v origem s e todos os outros vértices v do grafo. Associa um rótulo r a cada vértice, v que corresponde à distância mais curta entre o vértice v e a origem s. Os rótulos r são temporários, rios, e em cada iteração um rotúlo transforma-se se em rótulo r permanente, (encontrada a distância mais curta para esse vértice). v Faz uso da propriedade de não existir custos negativos. 6

4 O Algoritmo de Dijkstra Teorema: o algoritmo de Dijkstra determina correctamente a distância mais curta do vértice v s para cada um dos restantes vértices v do grafo. Prova: X S X v j Vértices com distância + curta encontrada V 1 v i V n t 7 Distância + curta de F a D O Algoritmo de Dijkstra 8

5 O Algoritmo de Dijkstra 9 O Algoritmo de Dijkstra 10

6 O Algoritmo de Dijkstra 11 O Algoritmo de Dijkstra 12

7 O Algoritmo de Dijkstra 13 O Algoritmo de Dijkstra 14

8 O Algoritmo de Dijkstra 15 O Algoritmo de Dijkstra 16

9 O Algoritmo de Dijkstra 17 O Algoritmo de Dijkstra 18

10 O Algoritmo de Dijkstra 19 O Algoritmo de Dijkstra 20

11 O Algoritmo de Dijkstra 21 O Algoritmo de Dijkstra 22

12 O Algoritmo de Ford Modelos com custos negativos não podem ser estudados pelo algoritmo de Dijkstra. Modelo do caminho mais longo. (caminho mais curto aplicado aos custos simétricos) Problema: ap após s a atribuição de uma distância pode ser descoberto outro caminho mais curto. Solução: necessário corrigir rótulo r e re-avaliar sucessores (algoritmo de correcção de rótulos r label correcting algorithms) 23 O Algoritmo de Ford 24

13 O Algoritmo de Ford 25 O Algoritmo de Ford 26

14 O Algoritmo de Ford 27 O Algoritmo de Ford 28

15 O Algoritmo de Ford 29 O Algoritmo de Ford 30

16 O Algoritmo de Ford 31 O Algoritmo de Ford 32

17 O Algoritmo de Ford 33 O Algoritmo de Ford 34

18 O Algoritmo de Ford v 1 s 5 4 v t v 3 35 O Algoritmo de Partição No algoritmo de Ford, um vértice v pode ser analisado mais do que uma vez. -> > Não é possível definir a complexidade polinomial do algoritmo. A prática revela um comportamento competitivo. Uma forma eficiente de manusear os vértices v do conjunto X consiste em particionar a lista em dois subconjuntos. Este procedimento estabelece um limite para o número n de iterações. Complexidade: Polinomial O(mn) 36

19 O Algoritmo de Partição 37 O Algoritmo de Partição 38

Teoria dos Grafos Aula 24

Teoria dos Grafos Aula 24 Teoria dos Grafos Aula 24 Aula passada Caminho mais curto entre todos os pares Algortimo de Floyd Warshall Programação dinâmica Aula de hoje Caminho mais curto em grafos Algoritmo de Bellman Ford Algoritmo

Leia mais

Algoritmos em Grafos: Caminho Mínimo

Algoritmos em Grafos: Caminho Mínimo Algoritmos em Grafos: Caminho Mínimo Letícia Rodrigues Bueno UFABC Problema 2: Menor caminho entre duas cidades Dado um mapa de cidades, contendo as distâncias entre cidades, qual o menor caminho entre

Leia mais

Teoria dos Grafos. Valeriano A. de Oliveira Socorro Rangel Departamento de Matemática Aplicada.

Teoria dos Grafos. Valeriano A. de Oliveira Socorro Rangel Departamento de Matemática Aplicada. Teoria dos Grafos Valeriano A. de Oliveira Socorro Rangel Departamento de Matemática Aplicada antunes@ibilce.unesp.br, socorro@ibilce.unesp.br Preparado a partir do texto: Rangel, Socorro. Teoria do Grafos,

Leia mais

Caminho Mínimo de Fonte Única em Grafos sem Pesos Negativos

Caminho Mínimo de Fonte Única em Grafos sem Pesos Negativos Caminho Mínimo de Fonte Única em Grafos sem Pesos Negativos Letícia Rodrigues Bueno UFABC Problema : Menor caminho entre duas cidades Dado um mapa de cidades, contendo as distâncias entre cidades, qual

Leia mais

Teoria dos Grafos. Aula 5 - Estruturas de Dados para Grafos. Profª. Alessandra Martins Coelho. março/2013

Teoria dos Grafos. Aula 5 - Estruturas de Dados para Grafos. Profª. Alessandra Martins Coelho. março/2013 Teoria dos Grafos Aula 5 - Estruturas de Dados para Grafos Profª. Alessandra Martins Coelho março/2013 Estrutura é o que caracteriza o próprio grafo e independe da forma como ele é representado. A representação

Leia mais

PCC173 - Otimização em Redes

PCC173 - Otimização em Redes PCC173 - Otimização em Redes Marco Antonio M. Carvalho Departamento de Computação Instituto de Ciências Exatas e Biológicas Universidade Federal de Ouro Preto 31 de maio de 2017 Marco Antonio M. Carvalho

Leia mais

Grafos - Introdução. Pedro Ribeiro 2014/2015 DCC/FCUP. Pedro Ribeiro (DCC/FCUP) Grafos - Introdução 2014/ / 32

Grafos - Introdução. Pedro Ribeiro 2014/2015 DCC/FCUP. Pedro Ribeiro (DCC/FCUP) Grafos - Introdução 2014/ / 32 Grafos - Introdução Pedro Ribeiro DCC/FCUP 2014/2015 Pedro Ribeiro (DCC/FCUP) Grafos - Introdução 2014/2015 1 / 32 Conceito Definição de Grafo Formalmente, um grafo é: Um conjunto de nós/vértices (V).

Leia mais

Teoria dos Grafos Aula 23

Teoria dos Grafos Aula 23 Teoria dos Grafos Aula 23 Aula passada Apresentação de trabalhos Discussão da prova Subset sum Problema da mochila Aula de hoje Caminho mais curto entre todos os pares Algortimo de Floyd Warshall Programação

Leia mais

04 Grafos: caminhos e coloração SCC0503 Algoritmos e Estruturas de Dados II

04 Grafos: caminhos e coloração SCC0503 Algoritmos e Estruturas de Dados II 04 Grafos: caminhos e coloração SCC0503 Algoritmos e Estruturas de Dados II Prof. Moacir Ponti Jr. www.icmc.usp.br/~moacir Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação USP 2011/1 Moacir Ponti Jr.

Leia mais

Pesquisa Operacional II. Professor João Soares de Mello

Pesquisa Operacional II. Professor João Soares de Mello Pesquisa Operacional II Professor João Soares de Mello http://www.uff.br/decisao/notas.htm Ementa Teoria dos grafos (pré-requisitos: PO I, Álgebra Linear) Programação não linear (pré-requisitos: PO I,

Leia mais

5COP096 TeoriadaComputação

5COP096 TeoriadaComputação Sylvio 1 Barbon Jr barbon@uel.br 5COP096 TeoriadaComputação Aula 13 Prof. Dr. Sylvio Barbon Junior Sumário - Problemas NP-Completo Algoritmos Não-deterministas; Classes NP-Completo e NP-Dificil; Teorema

Leia mais

Teoria dos Grafos. Fluxo Máximo em Redes

Teoria dos Grafos. Fluxo Máximo em Redes Teoria dos Grafos Valeriano A. de Oliveira Socorro Rangel Silvio A. de Araujo Departamento de Matemática Aplicada antunes@ibilce.unesp.br, socorro@ibilce.unesp.br, saraujo@ibilce.unesp.br Fluxo Máximo

Leia mais

A resposta para este problema envolve a partição do conjunto de arestas de tal forma que arestas adjacentes não pertençam a um mesmo conjunto.

A resposta para este problema envolve a partição do conjunto de arestas de tal forma que arestas adjacentes não pertençam a um mesmo conjunto. 7 - Coloração de Arestas e Emparelhamentos Considere o seguinte problema: Problema - Ao final do ano acadêmico, cada estudante deve fazer um exame oral com seus professores. Suponha que existam 4 estudantes

Leia mais

Caminhos Mais Curtos Fluxo Máximo Árvores Geradoras Mínimas

Caminhos Mais Curtos Fluxo Máximo Árvores Geradoras Mínimas Caminhos Mais Curtos Fluxo Máximo Árvores Geradoras Mínimas Túlio Toffolo www.toffolo.com.br Marco Antônio Carvalho marco.opt@gmail.com BCC0 Aula 1 Algoritmos e Programação Avançada Plano da Aula Caminhos

Leia mais

Caminho Mínimo de Fonte Única em Grafos com Pesos Negativos Letícia Rodrigues Bueno

Caminho Mínimo de Fonte Única em Grafos com Pesos Negativos Letícia Rodrigues Bueno Caminho Mínimo de Fonte Única em Grafos com Pesos Negativos Letícia Rodrigues Bueno UFABC Problemas de Caminho Mínimo Caminho mínimo de fonte única: algoritmo de Dijsktra; Problemas de Caminho Mínimo Caminho

Leia mais

APLICAÇÕES DE BUSCA EM GRAFOS

APLICAÇÕES DE BUSCA EM GRAFOS APLICAÇÕES DE BUSCA EM GRAFOS David Krenkel Rodrigues de Melo david.melo1992@gmail.com Prof. Leonardo Sommariva, Estrutura de Dados RESUMO: São inúmeras as aplicaçõe de grafos, bem como os problemas clássicos

Leia mais

W 8. Nas colunas "k =1 a n" executar: Nas linhas "i =1 a m" executar: Em cada linha "i" de "j=1 a n" executar: z = c ik + c kj

W 8. Nas colunas k =1 a n executar: Nas linhas i =1 a m executar: Em cada linha i de j=1 a n executar: z = c ik + c kj VI. Encaminhamentos de encargo total mínimo Considere-se um grafo (orientado ou não) em que se associa a cada um dos seus arcos (arestas) um dado encargo real (distância, custo, tempo, etc.); admita-se

Leia mais

Projeto e Análise de Algoritmos

Projeto e Análise de Algoritmos Projeto e Análise de Algoritmos Tempo polinomial Verificação de tempo polinomial Diane Castonguay diane@inf.ufg.br Instituto de Informática Universidade Federal de Goiás Tempo polinomial Um algoritmo é

Leia mais

Cap. 2 Conceitos Básicos em Teoria dos Grafos

Cap. 2 Conceitos Básicos em Teoria dos Grafos Teoria dos Grafos e Aplicações 8 Cap. 2 Conceitos Básicos em Teoria dos Grafos 2.1 Grafo É uma noção simples, abstrata e intuitiva, usada para representar a idéia de alguma espécie de relação entre os

Leia mais

Grafos Hamiltonianos e o Problema do Caixeiro Viajante. Prof. Ademir Constantino Departamento de Informática Universidade Estadual de Maringá

Grafos Hamiltonianos e o Problema do Caixeiro Viajante. Prof. Ademir Constantino Departamento de Informática Universidade Estadual de Maringá Grafos Hamiltonianos e o Problema do Caixeiro Viajante Prof. Ademir Constantino Departamento de Informática Universidade Estadual de Maringá Grafo Hamiltoniano Definição: Um circuito hamiltoniano em um

Leia mais

A resposta para este problema envolve a partição do conjunto de arestas de tal forma que arestas adjacentes não pertençam a um mesmo conjunto.

A resposta para este problema envolve a partição do conjunto de arestas de tal forma que arestas adjacentes não pertençam a um mesmo conjunto. 6 - oloração de restas e Emparelhamentos onsidere o seguinte problema: Problema - o final do ano acadêmico, cada estudante deve fazer um exame oral com seus professores. Suponha que existam 4 estudantes

Leia mais

ALGORITMO DE DIJKSTRA

ALGORITMO DE DIJKSTRA LGORITMO IJKSTR por runo Miguel Pacheco Saraiva de arvalho epartamento de ngenharia Informática Universidade de oimbra oimbra, Portugal brunomig@student.dei.uc.pt Resumo escreve-se o funcionamento do algoritmo

Leia mais

Definição e Conceitos Básicos

Definição e Conceitos Básicos Definição e Conceitos Básicos Grafos e Algoritmos Computacionais Prof. Flávio Humberto Cabral Nunes fhcnunes@yahoo.com.br 1 Conceitos Básicos Em grafos ocorrem dois tipos de elementos: Vértices ou nós;

Leia mais

Teoria dos Grafos Aula 18

Teoria dos Grafos Aula 18 Teoria dos Grafos Aula 18 Aula passada Coloração Algoritmo guloso Número cromático Teorema das 4 cores Aula de hoje Clusterização (ou agrupamento) Algoritmo Variação Clusterização Coleção de objetos Agrupar

Leia mais

Análise de Redes de Transportes. Útil também para várias outras áreas além de Transportes!

Análise de Redes de Transportes. Útil também para várias outras áreas além de Transportes! Análise de Redes de Transportes Útil também para várias outras áreas além de Transportes! Roteiro da apresentação! Conceitos e definições! Caminho mínimo! Árvore de caminhos mínimos! Introdução ao problema

Leia mais

Fluxo em Redes: Ford-Fulkerson - Fluxo Máximo

Fluxo em Redes: Ford-Fulkerson - Fluxo Máximo JAILSON ALVES MICAEL AGUIAR PIETRO DALMAZIO VINÍCIUS ALVES Fluxo em Redes: Ford-Fulkerson - Fluxo Máximo Trabalho apresentado ao professor doutor Leandro Colombi Resendo como requisito para aprovação na

Leia mais

5COP096 TeoriadaComputação

5COP096 TeoriadaComputação Sylvio 1 Barbon Jr barbon@uel.br 5COP096 TeoriadaComputação Aula 12 Prof. Dr. Sylvio Barbon Junior Sumário - Árvore Geradora Mínima - Teorema pare reconhecer arestas seguras; - Algoritmo de Prim; - Algoritmo

Leia mais

Aula 10: Tratabilidade

Aula 10: Tratabilidade Teoria da Computação DAINF-UTFPR Aula 10: Tratabilidade Prof. Ricardo Dutra da Silva Na aula anterior discutimos problemas que podem e que não podem ser computados. Nesta aula vamos considerar apenas problemas

Leia mais

Aplicação do algoritmo de Dijkstra para o problema de roteamento da frota de táxis partindo de um ponto fixo

Aplicação do algoritmo de Dijkstra para o problema de roteamento da frota de táxis partindo de um ponto fixo Aplicação do algoritmo de Dijkstra para o problema de roteamento da frota de táxis partindo de um ponto fixo Heverton Ramos dos Santos 1 Alamir Rodrigues Rangel Jr 2 O presente artigo visa demonstrar uma

Leia mais

Projeto e Análise de Algoritmos NP Completude. Prof. Humberto Brandão

Projeto e Análise de Algoritmos NP Completude. Prof. Humberto Brandão Projeto e Análise de Algoritmos NP Completude Prof. Humberto Brandão humberto@bcc.unifal-mg.edu.br Universidade Federal de Alfenas versão da aula: 0.4 Introdução Problemas intratáveis ou difíceis são comuns

Leia mais

Resolução do problema do caixeiro viajante assimétrico (e uma variante) através da relaxação Lagrangeana

Resolução do problema do caixeiro viajante assimétrico (e uma variante) através da relaxação Lagrangeana Resolução do problema do caixeiro viajante assimétrico (e uma variante) através da relaxação Ana Maria A.C. Rocha e João Luís C. Soares Departamento de Produção e Sistemas Escola de Engenharia Universidade

Leia mais

Tecnicas Essencias Greedy e Dynamic

Tecnicas Essencias Greedy e Dynamic Tecnicas Essencias Greedy e Dynamic Paul Crocker RELEASE - Reliable and Secure Computation Group Universidade da Beira Interior, Portugal October 2010 1 / 27 Outline 1 Introdução 2 Exemplo Greedy I : Interval

Leia mais

Melhor caminho entre duas estações de metro

Melhor caminho entre duas estações de metro [EIC0110] Concepção e Análise de algoritmos 2010-2011 Trabalho de Grupo 1: Tema 7 Melhor caminho entre duas estações de metro Turma 3 Grupo 13 Maio de 2011 Trabalho realizado por: Maria Antonieta Dias

Leia mais

Grafos: árvores geradoras mínimas. Graça Nunes

Grafos: árvores geradoras mínimas. Graça Nunes Grafos: árvores geradoras mínimas Graça Nunes 1 Motivação Suponha que queremos construir estradas para interligar n cidades Cada estrada direta entre as cidades i e j tem um custo associado Nem todas as

Leia mais

Grafos Eulerianos e o Problema do Carteiro Chinês

Grafos Eulerianos e o Problema do Carteiro Chinês Prof. Ademir A. Constantino DIN - UEM 1 Grafos Eulerianos e o Problema do Carteiro Chinês Prof. Ademir Constantino Departamento de Informática Universidade Estadual de Maringá Prof. Ademir A. Constantino

Leia mais

Grafos: caminhos mínimos

Grafos: caminhos mínimos quando o grafo é sem pesos, a determinação de um caminho mais curto pode ser feita através de uma busca em largura caminho mais curto é aquele que apresenta o menor número de arestas quando o grafo tem

Leia mais

Conteúdo. Conceitos e Resultados Gerais. 11 Combinatória. Introdução

Conteúdo. Conceitos e Resultados Gerais. 11 Combinatória. Introdução Introdução ix I Conceitos e Resultados Gerais 1 1 Linguagem Matemática e Lógica Informal 1.1 Sistemas matemáticos.. 1.2 Noção de conjunto... 1.3 Linguagem proposicional.. 1.4 Operações sobre conjuntos.

Leia mais

PERCURSOS. André Falcão, Carlos Augusto, Rafael Broédel e Lucas Dipré

PERCURSOS. André Falcão, Carlos Augusto, Rafael Broédel e Lucas Dipré PERCURSOS André Falcão, Carlos Augusto, Rafael Broédel e Lucas Dipré Serra 2011 Índice 1...O que é caminho e circuito 1.1...Caminho 1.2...Circuito 1.3...Classificação 2...Caminhos Eulerianos 2.1...Definição

Leia mais

Matemática Aplicada às Ciências Sociais- 11º ano (Versão: para o manual a partir de 2016/17)

Matemática Aplicada às Ciências Sociais- 11º ano (Versão: para o manual a partir de 2016/17) Matemática Aplicada às Ciências Sociais- 11º ano (Versão: para o manual a partir de 2016/17) Professor: Pedro Nóia Livro adotado: Matemática Aplicada às Ciências Sociais- 11º ano Elisabete Longo e Isabel

Leia mais

Estudo e Implementação de Algoritmos de Roteamento sobre Grafos em um Sistema de Informações Geográficas

Estudo e Implementação de Algoritmos de Roteamento sobre Grafos em um Sistema de Informações Geográficas Estudo e Implementação de Algoritmos de Roteamento sobre Grafos em um Sistema de Informações Geográficas RUDINI MENEZES SAMPAIO 1 HORÁCIO HIDEKI YANASSE 2 1 UFLA Universidade Federal de Lavras DCC Departamento

Leia mais

Teoria dos Grafos. Cobertura, Coloração de Arestas, Emparelhamento

Teoria dos Grafos. Cobertura, Coloração de Arestas, Emparelhamento Teoria dos Grafos Valeriano A. de Oliveira Socorro Rangel Silvio A. de Araujo Departamento de Matemática Aplicada antunes@ibilce.unesp.br, socorro@ibilce.unesp.br, saraujo@ibilce.unesp.br Cobertura, Coloração

Leia mais

TEORIA DE COMPLEXIDADE

TEORIA DE COMPLEXIDADE UFMG/ICEX/DCC PROJETO E ANÁLISE DE ALGORITMOS TEORIA DE COMPLEXIDADE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 1 O SEMESTRE DE 2008 Antonio Alfredo Ferreira Loureiro loureiro@dcc.ufmg.br http://www.dcc.ufmg.br/~loureiro

Leia mais

Pesquisa Operacional

Pesquisa Operacional Faculdade de Engenharia - Campus de Guaratinguetá Pesquisa Operacional Livro: Introdução à Pesquisa Operacional Capítulo 3 - Teoria dos Grafos Fernando Marins fmarins@feg.unesp.br Departamento de Produção

Leia mais

Resolução de problemas difíceis de programação linear através da relaxação Lagrangeana

Resolução de problemas difíceis de programação linear através da relaxação Lagrangeana problemas difíceis de programação linear através da relaxação Lagrangeana Ana Maria A.C. Rocha Departamento de Produção e Sistemas Escola de Engenharia Universidade do Minho arocha@dps.uminho.pt http://www.norg.uminho.pt/arocha

Leia mais

Índice Geral. O Problema do Caminho Mais Curto com um só Objectivo

Índice Geral. O Problema do Caminho Mais Curto com um só Objectivo Índice Geral RESUMO CAPÍTULO 1 Introdução Geral 1. O problema multicritério--------------------------------------------------------------------------------- 1 2. O problema multiobjectivo ------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Grafos: componentes fortemente conexos, árvores geradoras mínimas

Grafos: componentes fortemente conexos, árvores geradoras mínimas Grafos: componentes fortemente conexos, árvores geradoras mínimas SCE-183 Algoritmos e Estruturas de Dados 2 Thiago A. S. Pardo Maria Cristina 1 Componentes fortemente conexos Um componente fortemente

Leia mais

Análise e Síntese de Algoritmos

Análise e Síntese de Algoritmos Análise e Síntese de Algoritmos Algoritmos de Aproximação CLRS, Cap. 35 Resumo Algoritmos de aproximação Algoritmos, com complexidade polinomial, que calculam soluções aproximadas para problemas de optimização

Leia mais

Árvores: Conceitos Básicos e Árvore Geradora

Árvores: Conceitos Básicos e Árvore Geradora Árvores: Conceitos Básicos e Árvore Geradora Grafos e Algoritmos Computacionais Prof. Flávio Humberto Cabral Nunes fhcnunes@yahoo.com.br 1 Introdução No dia a dia aparecem muitos problemas envolvendo árvores:

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO Análise e Síntese de Algoritmos. RESOLUÇÃO DO 2 o TESTE

INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO Análise e Síntese de Algoritmos. RESOLUÇÃO DO 2 o TESTE INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO Análise e Síntese de Algoritmos Ano Lectivo de 2006/2007 2 o Semestre RESOLUÇÃO DO 2 o TESTE I. (2,0+2,0+2,0 = 6,0 val.) 1) Calcule o valor óptimo da função objectivo e o respectivo

Leia mais

O Problema do Fluxo de Custos Mínimos Terça-feira 2 de abril. O Problema do Caminho mais Curto. Fórmula. Outra Fórmula

O Problema do Fluxo de Custos Mínimos Terça-feira 2 de abril. O Problema do Caminho mais Curto. Fórmula. Outra Fórmula 15.053 Terça-feira 2 de abril O Problema do Caminho mais Curto Algoritmo de Dijkstra para solucionar o Problema do Caminho mais Curto Distribuir: Observações de Aula 1 O Problema do Fluxo de Custos Mínimos

Leia mais

Percursos em um grafo

Percursos em um grafo Percursos em um grafo Definição Um percurso ou cadeia é uma seqüência de arestas sucessivamente adjacentes, cada uma tendo uma extremidade adjacente à anterior e a outra a subsequente (à exceção da primeira

Leia mais

Árvore Binária de Busca Ótima

Árvore Binária de Busca Ótima MAC 5710 - Estruturas de Dados - 2008 Referência bibliográfica Os slides sobre este assunto são parcialmente baseados nas seções sobre árvore binária de busca ótima do capítulo 4 do livro N. Wirth. Algorithms

Leia mais

Estrutura de Dados e Algoritmos e Programação e Computadores II. Aula 10: Introdução aos Grafos

Estrutura de Dados e Algoritmos e Programação e Computadores II. Aula 10: Introdução aos Grafos Estrutura de Dados e Algoritmos e Programação e Computadores II Aula 10: Introdução aos Grafos História O assunto que se constitui no marco inicial da teoria de grafos é na realidade um problema algorítmico.

Leia mais

Teoria dos Grafos. Caminho mínimo - Algoritmo de Dijskstra

Teoria dos Grafos. Caminho mínimo - Algoritmo de Dijskstra Teoria dos Grafos Valeriano A. de Oliveira Socorro Rangel Silvio A. de Araujo Departamento de Matemática Aplicada antunes@ibilce.unesp.br, socorro@ibilce.unesp.br, saraujo@ibilce.unesp.br Caminho mínimo

Leia mais

Teoria dos Grafos. Edson Prestes

Teoria dos Grafos. Edson Prestes Edson Prestes Grafos Enumeração de Passeios/Caminhos O processo associado à enumeração de caminhos de um grafo/dígrafo é semelhante ao processo de contagem com a diferença de que usaremos uma matriz de

Leia mais

Teoria da Complexidade Computacional

Teoria da Complexidade Computacional Teoria da Complexidade Computacional 25 de novembro de 2011 Enquanto a teoria de análise de algoritmos estuda a análise de complexidade de algoritmos, a teoria da complexidade estuda a classificação de

Leia mais

Grafos Caminhos mais curtos

Grafos Caminhos mais curtos rafos Caminhos mais curtos Cada caminho num digrafo ponderado possui um peso -a soma dos pesos das arestas que o constituem. Esta característica origina directamente problemas como: determinar o caminho

Leia mais

Matemática para Ciência de Computadores

Matemática para Ciência de Computadores Matemática para Ciência de Computadores 1 o Ano - LCC & ERSI Luís Antunes lfa@ncc.up.pt DCC-FCUP Complexidade 2002/03 1 Relações Definição: Uma relação binária de um conjunto A num conjunto B é um subconjunto

Leia mais

C 3 C 3. De acordo com o teorema de Euler, um grafo não orientado admite um ciclo de Euler se e só for conexo e não tiver vértices de grau ímpar.

C 3 C 3. De acordo com o teorema de Euler, um grafo não orientado admite um ciclo de Euler se e só for conexo e não tiver vértices de grau ímpar. rafos ircuito e iclo de uler X. ircuito e iclo de uler Um grafo orientado diz-se euleriano se há um circuito que contenha todos os seus arcos uma e só uma vez (circuito euleriano ).O grafo da figura é

Leia mais

GRAFOS. Prof. André Backes. Como representar um conjunto de objetos e as suas relações?

GRAFOS. Prof. André Backes. Como representar um conjunto de objetos e as suas relações? 8/0/06 GRAFOS Prof. André Backes Definição Como representar um conjunto de objetos e as suas relações? Diversos tipos de aplicações necessitam disso Um grafo é um modelo matemático que representa as relações

Leia mais

Lista de Exercícios Programação Inteira. x 2 0 e inteiros.

Lista de Exercícios Programação Inteira. x 2 0 e inteiros. Lista de Exercícios Programação Inteira ) Resolva os problemas a seguir usando o método B&B a) Max z = 5 x + 2 y s.a x + y 2 x + y 5 x, y 0, x e y inteiros b) Max z = 2 x + y s.a x + 2y 0 x + y 25 x, y

Leia mais

Projeto e Análise de Algoritmos

Projeto e Análise de Algoritmos Projeto e Análise de Algoritmos Aula 06 Busca em Profundidade e Busca em Largura Edirlei Soares de Lima Grafos (Revisão) G = (V, A) G: grafo; V: conjunto de vértices; A: conjunto

Leia mais

Complexidade de Algoritmos. Edson Prestes

Complexidade de Algoritmos. Edson Prestes Edson Prestes Caminhos de custo mínimo em grafo orientado Este problema consiste em determinar um caminho de custo mínimo a partir de um vértice fonte a cada vértice do grafo. Considere um grafo orientado

Leia mais

Matemática Discreta 10

Matemática Discreta 10 Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Engenharia da Computação Matemática Discreta 10 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br - www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti 1 Muitas

Leia mais

Análise e Síntese de Algoritmos

Análise e Síntese de Algoritmos Análise e Síntese de Algoritmos Fluxos Máximos em Grafos CLRS, Cap. 26 Contexto Algoritmos elementares em grafos (CLR, Cap. 22) Árvores abrangentes de menor custo (CLR, Cap. 23) Caminhos mais curtos com

Leia mais

Grafos aula 3. Relembrando... Rede de eventos e atividades. Rede de eventos e atividades

Grafos aula 3. Relembrando... Rede de eventos e atividades. Rede de eventos e atividades Grafos aula Relembrando... m grafo é valorado (ou ponderado) se possuir valores associados às linhas e/ou aos vértices. Rota mais curta entre aeroportos aminho mais curto entre máquinas, para transmissão

Leia mais

O estudo utilizando apenas este material não é suficiente para o entendimento do conteúdo. Recomendamos a leitura das referências no final deste

O estudo utilizando apenas este material não é suficiente para o entendimento do conteúdo. Recomendamos a leitura das referências no final deste O estudo utilizando apenas este material não é suficiente para o entendimento do conteúdo. Recomendamos a leitura das referências no final deste material e a resolução (por parte do aluno) de todos os

Leia mais

Caminho mais curto a partir de um nó Algoritmos de Dijkstra e Bellman-Ford

Caminho mais curto a partir de um nó Algoritmos de Dijkstra e Bellman-Ford Caminho mais curto a partir de um nó Algoritmos de Dijkstra e Bellman-Ford Fernando Lobo Algoritmos e Estrutura de Dados II 1 / 28 Caminho mais curto a partir de um nó Input: Um grafo com pesos nos arcos

Leia mais

TEORIA DOS GRAFOS TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS MATEMÁTICA DISCRETA II PROFº MARCOS NASCIMENTO

TEORIA DOS GRAFOS TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS MATEMÁTICA DISCRETA II PROFº MARCOS NASCIMENTO TEORIA DOS GRAFOS TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS MATEMÁTICA DISCRETA II PROFº MARCOS NASCIMENTO Por que estudar grafos? Importante ferramenta matemática com aplicação em diversas áreas

Leia mais

Matemática Discreta - Exercícios de Grafos

Matemática Discreta - Exercícios de Grafos UALG - 0/0 1. Seja G o grafo cuja matriz de adjacência é: 1 8 9 1 8 9 0 0 0 1 1 0 0 0 0 0 0 0 0 1 1 0 0 0 0 0 0 0 0 1 0 0 0 1 0 0 0 1 0 1 1 0 1 1 0 1 0 1 0 1 1 0 1 1 0 1 0 0 0 0 0 0 0 1 0 0 0 0 0 0 0 0

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS EM GRAFOS

CONCEITOS BÁSICOS EM GRAFOS Um grafo (simples) G é formado por um conjunto de vértices, denotado por V(G), e um conjunto de arestas, denotado por E(G). Cada aresta é um par (não ordenado) de vértices distintos. Se xy é uma aresta,

Leia mais

Análise e Síntese de Algoritmos. Fluxos Máximos em Grafos CLRS, Cap. 26

Análise e Síntese de Algoritmos. Fluxos Máximos em Grafos CLRS, Cap. 26 Análise e Síntese de Algoritmos Fluxos Máximos em Grafos CLRS, Cap. 26 Contexto Algoritmos elementares em grafos (CLR, Cap. 22) Árvores abrangentes de menor custo (CLR, Cap. 23) Caminhos mais curtos com

Leia mais

INF1010 Lista de Exercícios 2

INF1010 Lista de Exercícios 2 INF00 Lista de Exercícios 2 Árvores. Construir algoritmo para dada uma árvore n-ária, transformá-la em uma árvore binária. 2. Qual a maior e menor quantidade de nós que podem existir em uma árvore binária

Leia mais

Linguagens Formais e Autômatos

Linguagens Formais e Autômatos Linguagens Formais e Autômatos Conversão de Expressões Regulares (ER) para Autômatos Finitos Determinísticos (AFD) Cristiano Lehrer, M.Sc. Introdução A construção sistemática de um Autômato Finito para

Leia mais

Grafos: caminhos (matriz adjacência)

Grafos: caminhos (matriz adjacência) Grafos: caminhos (matriz adjacência) Algoritmos e Estruturas de Dados 2 Graça Nunes 1 O problema do menor caminho Um motorista deseja encontrar o caminho mais curto possível entre duas cidades do Brasil

Leia mais

Noções da Teoria dos Grafos. André Arbex Hallack

Noções da Teoria dos Grafos. André Arbex Hallack Noções da Teoria dos Grafos André Arbex Hallack Junho/2015 Índice 1 Introdução e definições básicas. Passeios eulerianos 1 1.1 Introdução histórica..................................... 1 1.2 Passeios

Leia mais

Conceitos Básicos da Teoria de Grafos

Conceitos Básicos da Teoria de Grafos Conceitos Básicos da Teoria de Grafos Universidade Federal do Pampa - UNIPAMPA Engenharia da Computação Estrutura de Dados Profª Sandra Piovesan Grafos Uma noção simples, abstrata e intuitiva. Representa

Leia mais

Introdução à Teoria dos Grafos (MAC-5770) IME-USP Depto CC Profa. Yoshiko. Capítulo 3

Introdução à Teoria dos Grafos (MAC-5770) IME-USP Depto CC Profa. Yoshiko. Capítulo 3 Introdução à Teoria dos Grafos (MAC-5770) IME-USP Depto CC Profa. Yoshiko Capítulo 3 Árvores Problema: Suponha que numa cidade haja n postos telefônicos. Para que seja sempre possível haver comunicação

Leia mais

Buscas Informadas ou Heurísticas - Parte II

Buscas Informadas ou Heurísticas - Parte II Buscas Informadas ou Heurísticas - Parte II Prof. Cedric Luiz de Carvalho Instituto de Informática - UFG Graduação em Ciência da Computação / 2006 FUNÇÕES HEURÍSTICAS - 1/7 FUNÇÕES HEURÍSTICAS - 2/7 Solução

Leia mais

Grafos. Notas. Notas. Notas. Notas. Caminhos mais curtos de única origem. Subestrutura ótima. Propriedades de caminhos mais curtos

Grafos. Notas. Notas. Notas. Notas. Caminhos mais curtos de única origem. Subestrutura ótima. Propriedades de caminhos mais curtos Grafos Caminhos mais curtos de única origem Conteúdo Subestrutura ótima Inicialização Propriedades de caminhos mais curtos Algoritmos Algoritmo de Bellman-Ford Caminhos mais curtos de única origem em gaos

Leia mais

FATEC Zona Leste. Teoria dos Gráfos. Métodos Quantitativos de Gestão MQG

FATEC Zona Leste. Teoria dos Gráfos. Métodos Quantitativos de Gestão MQG Teoria dos Gráfos Métodos Quantitativos de Gestão MQG Conceitualmente, um grafo consiste em um conjunto de vértices (pontos ou nós) e um conjunto de arestas (pontes ou arcos), ou seja, é uma noção simples,

Leia mais

Quinta-feira, 11 de abril

Quinta-feira, 11 de abril 15.053 Quinta-feira, 11 de abril Mais alguns exemplos de programação inteira Técnicas de planos de corte para obter melhores limitações Entregar: Observações de Aula 1 Exemplo: Localização do corpo de

Leia mais

Escalonamento em uma máquina

Escalonamento em uma máquina Capítulo 4 Escalonamento em uma máquina Veremos neste capítulo vários problemas relacionados ao escalonamento em uma máquina. Estes problemas são importantes, pois além de fornecerem idéias para problemas

Leia mais

Teoria dos Grafos. Edson Prestes

Teoria dos Grafos. Edson Prestes Edson Prestes Introdução Grafo Estrela Um grafo estrela é um grafo bipartido de n vértices que possui um conjunto independente com um único vértice e o outro com n-1 vértices Quantos grafos estrelas podemos

Leia mais

Introdução. Grafos valorados: algum tipo de valor associados aos vértices ou às ligações. Grafo representando mapa rodoviário

Introdução. Grafos valorados: algum tipo de valor associados aos vértices ou às ligações. Grafo representando mapa rodoviário Fluxo em grafos Introdução Grafos valorados: algum tipo de valor associados aos vértices ou às ligações. Grafo representando mapa rodoviário Aresta distância de uma cidade à outra; Vértice altitude da

Leia mais

Quantidade de memória necessária

Quantidade de memória necessária Tempo de processamento Um algoritmo que realiza uma tarefa em 10 horas é melhor que outro que realiza em 10 dias Quantidade de memória necessária Um algoritmo que usa 1MB de memória RAM é melhor que outro

Leia mais

Questões de Computação Científica no contexto da Otimização

Questões de Computação Científica no contexto da Otimização Questões de Computação Científica no contexto da Otimização Universidade Federal do Espírito Santo Mestrado em Informática Abril de 2009 Sumário Introdução 1 Introdução 2 3 Sumário Introdução 1 Introdução

Leia mais

Problema de Roteamento com Janelas de Tempo: Uma Abordagem via Geração de Colunas

Problema de Roteamento com Janelas de Tempo: Uma Abordagem via Geração de Colunas Problema de Roteamento com Janelas de Tempo: Uma Abordagem via Geração de Colunas Rúbia M. Oliveira Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS Departamento de Matemática - DMT 79070-900 Campo Grande-MS,

Leia mais

Análise de Clusters. Aplicações da formação de Grupos (Clustering)

Análise de Clusters. Aplicações da formação de Grupos (Clustering) Análise de Clusters Aplicações da formação de Grupos (Clustering) Ver e analisar vastas quantidades de dados biológicos como um todo pode ser difícil É mais fácil interpretar os dados se forem divididos

Leia mais

14 Coloração de vértices Considere cada um dos grafos abaixo:

14 Coloração de vértices Considere cada um dos grafos abaixo: 14 Coloração de vértices Considere cada um dos grafos abaixo: a) Quantas cores são necessárias para colorir os vértices de um grafo de maneira que dois vértices adjacentes não recebam a mesma cor? b) Qual

Leia mais

Teoria dos Grafos. Edson Prestes

Teoria dos Grafos. Edson Prestes Edson Prestes Referências P. O. Boaventura Netto, Grafos: Teoria, Modelos e Algoritmos, São Paulo, E. Blucher 2001; R. J. Trudeau, Introduction to Graph Theory, New York, Dover Publications, 1993; Kaufmann,

Leia mais

UMA PROPOSTA DE ROTEAMENTO EM REDES UTILIZANDO ALGORITMOS GENÉTICOS. Maria Elizabeth Vizhñay Zambrano

UMA PROPOSTA DE ROTEAMENTO EM REDES UTILIZANDO ALGORITMOS GENÉTICOS. Maria Elizabeth Vizhñay Zambrano UMA PROPOSTA DE ROTEAMENTO EM REDES UTILIZANDO ALGORITMOS GENÉTICOS Maria Elizabeth Vizhñay Zambrano DISSERTAÇÃO SUBMETIDA AO CORPO DOCENTE DA COORDENAÇÃO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DE ENGENHARIA DA

Leia mais

P, NP e NP-Completo. André Vignatti DINF- UFPR

P, NP e NP-Completo. André Vignatti DINF- UFPR P, NP e NP-Completo André Vignatti DINF- UFPR Problemas Difíceis, Problemas Fáceis O mundo está cheio de problemas de busca. Alguns podem ser resolvidos eficientemente, outros parecem ser muito difíceis.

Leia mais

Grafos: aplicações. Grafos: árvore geradora mínima

Grafos: aplicações. Grafos: árvore geradora mínima árvore geradora mínima caminhos mínimos problemas tipo 1 desejase conectar todos os computadores em um prédio usando a menor quantidade possível de cabos uma companhia aérea deseja voar para algumas cidades

Leia mais

ANÁLISE DE ALGORITMOS

ANÁLISE DE ALGORITMOS ANÁLISE DE ALGORITMOS Paulo Feofiloff Instituto de Matemática e Estatística Universidade de São Paulo agosto 2009 Introdução P. Feofiloff (IME-USP) Análise de Algoritmos agosto 2009 2 / 102 Introdução

Leia mais

Técnicas de Programação III Análise de Algoritmos (Continuação)

Técnicas de Programação III Análise de Algoritmos (Continuação) Técnicas de Programação III Análise de Algoritmos (Continuação) Aula ministrada em: 23/08/2007 Prof. Mauro L. C. Silva 1/10 Objetivos da Aula Entender a Análise e a Complexidade de Algoritmos 2/10 Avaliação

Leia mais

15 - Coloração Considere cada um dos grafos abaixo:

15 - Coloração Considere cada um dos grafos abaixo: 15 - Coloração Considere cada um dos grafos abaixo: a) Quantas cores são necessárias para colorir os vértices de um grafo de maneira que dois vértices adjacentes não recebam a mesma cor? b) Qual é o número

Leia mais

Grafos Orientados (digrafos)

Grafos Orientados (digrafos) Grafos Orientados (digrafos) Grafo Orientado ou digrafo Consiste em um grafo G = (V,A) onde V = {v 1,, v n } é um conjunto de vértices e A = {a 1,, a k } é um conjunto de arcos tais que a k, k=1,,m é representado

Leia mais

Alguns Exercícios de Inteligência Artificial

Alguns Exercícios de Inteligência Artificial Alguns Exercícios de Inteligência Artificial Ana Paula Tomás Nelma Moreira Departamento de Ciência de Computadores Faculdade de Ciências, Universidade do Porto email: {apt,nam}@ncc.up.pt 1997 1. Números

Leia mais