Grandes Nomes da Mídia Brasileira

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Grandes Nomes da Mídia Brasileira"

Transcrição

1 Nara Damante Grandes Nomes da Mídia Brasileira midiap3.indd 3 12/7/ :49:04

2 Tributo a Altino João de Barros Otto de Barros Vidal Waldemar Lichtenfels midiap3.indd 5 12/7/ :49:05

3 Títulos da Biblioteca Grupo de Mídia Já publicados A essência do planejamento de mídia: um ponto de vista mercadológico (maio de 2001) Arnold M. Barban, Steven M. Cristol, Frank J. Kopec Planejamento de mídia: aferições, estratégias e avaliações (junho de 2001) Jack Z. Sissors e Lincoln J. Bumba Praticando o planejamento de mídia 36 exercícios (setembro de 2001) William B. Goodrich e Jack Z. Sissors Gerenciamento de mídia:ajudando o anunciante a ampliar seus conhecimentos em mídia (dezembro de 2001) Herbert Zeltner Como vender a mídia: o marketing como ferramenta de venda do espaço publicitário (setembro de 2002) Mary Alice Shaver A conquista da atenção:a publicidade e as novas formas de comunicação (dezembro de 2002) Richard P. Adler e Charles M. Firestone A publicidade como negócio: operações criatividade planejamento de mídia comunicação integrada (abril de 2003) John Philip Jones (org.) Media handbook: um guia completo para eficiência em mídia (maio de 2004) Helen Katz Midialização: o poder da mídia (abril de 2006) Angelo Franzão Uma visão de mídia para gestores de marca (junho de 2006) Larry D. Kelley e Donald W. Jugenheimer midiap3.indd 8 12/7/ :49:08

4 Sumário Apresentação 11 Altino João de Barros O desbravador das marés midiáticas 13 Nasce um mídia 19 O amigo ítalo-americano 22 Ao vivo e em cores 24 O tio do GRP 27 Rumo à Paulicéia 30 Carioca no grupo paulista 32 O futuro da mídia 35 A amizade com Roberto Marinho 36 Otto de Barros Vidal Mídia, uma paixão corintiana 41 Uma outra paixão 46 Os anos dourados da Alcântara 49 O pai do GRP 53 A mídia e o futebol 58 Novos rumos 62 Waldemar Lichtenfels O cientista da mídia 67 Influência do rádio 71 Conselheiro multifacetado 73 Leitor, ouvinte e telespectador 77 midiap3.indd 9 12/7/ :49:08

5 Grupo de pioneiros 82 Parceiro da criação 84 Sincretismo midiático 88 midiap3.indd 10 12/7/ :49:08

6 Apresentação Em todos esses anos de atividade do Grupo de Mídia São Paulo, e lá se vão quase 40 anos, tive a chance de acompanhar o desenvolvimento de um sofisticado instrumental de planejamento de mídia que nos permite a cada dia melhorar a qualidade dos trabalhos desenvolvidos pelos profissionais da área. Além desse instrumental, o que mais tem me chamado a atenção é o surgimento de uma grande quantidade de novos e jovens profissionais que vai se estabelecendo em nosso mercado de uma forma marcante e compromissada. É uma geração que vem com muita força, garra e determinação. A mídia entrou na vida deles de uma forma definitiva, como aconteceu com grande parte de nossa geração de veteranos. Muitos desses jovens trazem na bagagem experiências de quem teve a oportunidade morar fora do país, o que lhes confere uma visão de mundo mais ampliada e bastante diversificada. Naturalmente, não são somente os jovens que tiveram a chance de viver no exterior que conseguem boas colocações em nosso mercado. Muitos que não tiveram esse privilégio buscam a informação através de leitura, seminários, workshops, internet, livros e principalmente na convivência com profissionais de mídia que hoje lideram as operações nas principais agências do país e conquistam sua oportunidade. E a esses jovens profissionais é que dedicamos, particularmente, o primeiro livro de biografias que estamos publicando. Grandes nomes da mídia brasileira será uma publicação anual que contemplará a cada edição os leitores com a biografi a de três 11 midiap3.indd 11 12/7/ :49:08

7 profissionais de mídia que tenham contribuído e ainda contribuem para o aperfeiçoamento de nossa área profissional, dedicando por anos a fio seu trabalho ao negócio da propaganda. Neste primeiro livro, por unanimidade de escolha, teremos um pouco da trajetória brilhante de três dos principais homens de mídia de todos os tempos: Altino João de Barros, Otto de Barros Vidal e Waldemar Lichtenfels. Todos terão a oportunidade de conhecer as dificuldades dos primórdios da mídia, quando os instrumentos para avaliação e aferição dos veículos de comunicação eram precários ou inexistentes e os profi ssionais que se aventuraram nesse universo foram verdadeiros desbravadores, abrindo caminho para facilitar o trabalho dos que os seguiram. Todos terão a oportunidade de conhecer muitos dos passos de cada um deles. É uma leitura muito agradável e inspiradora. Tenho certeza de que vocês gostarão. Claudio Venâncio Conselho Superior do Grupo de Mídia São Paulo midiap3.indd 12 12/7/ :49:08

8 O desbravador das marés midiáticas Altino João de Barros midiap3.indd 13 12/7/ :49:09

9 O forte apelo emocional das radionovelas provocava uma verdadeira febre midiática nos brasileiros, nos anos E não era diferente para aquele garoto carioca que ia à escola às 11 horas da manhã, mas saía de casa no último minuto para não perder o final da trama diária. Em 1941, a Rádio Nacional lançava a primeira radionovela chamada Em busca da felicidade, roteiro original do cubano Leandro Blanco, adaptado por Gilberto Martins a pedido da Standard Propaganda para seu cliente Unilever. O hábito de juventude fez que Altino João de Barros tornasse o rádio seu companheiro inseparável por toda a vida, a ponto de não dormir sem o aparelhinho junto ao ouvido. Apesar da aposta ousada da multinacional no horário matinal, considerado de baixa audiência, a empresa fazia promoções com os ouvintes dando brindes a quem lhe enviasse rótulos de creme dental Kolynos, por carta. Por coincidência, Altino nunca tinha usado Colgate, preferia a marca Kolynos, que viria a ser cliente da agência McCann-Erickson multinacional da qual ele se transformou no mais antigo funcionário, com 60 anos de casa. Sua dedicação foi tamanha que a história de sua vida se confunde com a da agência e até da própria evolução da mídia no Brasil, dado o seu pioneirismo e espírito inovador. Reconhecido dentro e fora do país, recebeu inúmeros prêmios na área de mídia, como o Prêmio Colunistas Homem de Mídia (1975), o Internacional Award The Harrison K. McCann Professional Leadership (1976), Grande Prêmio de Mídia Gazeta Mercantil (1976), Prêmio Caboré Profissional de Mídia (1983), Publicitário Latino-Americano no Festival Mundial de Publicidade de Gramado (1997), Prêmio de Mídia Estadão (2002), Libertae Prêmio ABA de Contribuição à Comunicação (2003), Prêmio Especial da ESPM Senhor Mídia (2005), Homenagem da ABAP pelas seis décadas de contribuição ao desenvolvimento e modernização da Mídia no Brasil 15 midiap3.indd 15 12/7/ :49:09

10 16 (2005), entre tantos outros. Além disso, transformou-se em imortal da Academia Nacional de Economia (ANE), ocupando a cátedra n o 98 e assumindo posto também no Conselho Supremo da ANE, em Foi co-autor na área de mídia dos livros Técnica e prática da propaganda e História da propaganda no Brasil, além de McCann 50 Anos em 2, com Jens Olesen, ex-presidente da McCann no Brasil. Altino foi diretor nacional de mídia da agência até 1995, quando passou a se dedicar à vice-presidência de assuntos corporativos da McCann, atuando como braço direito de Olesen na representação da agência junto a diversos órgãos, como Associação Brasileira de Agências de Propaganda (Abap), Conselho Executivo das Normas-Padrão (Cenp), Instituto Verificador de Circulação (IVC) e Conselho Nacional de Auto-Regulamentação Publicitária (Conar), entre outros. Com a mudança de gestão na McCann, no final de 2005, Altino não só continuou na agência como permaneceu no mesmo cargo. Altino nasceu no Rio de Janeiro, fi lho de dona Aracy de Carvalho Barros e de João de Barros, português naturalizado brasileiro, que lhe incutiu princípios éticos e retidão de caráter. Ele e o irmão, Paulo, tiveram de aprender a dominar muito bem a língua pátria. Estudaram no Externato São José, escola pertencente à Congregação Marista. Seu João era dono de um negócio de laticínios, mas nenhum dos dois filhos aceitou trabalhar com o pai. Paulo enveredou pela engenharia e Altino optou por estudar comércio e propaganda na Universidade Mauá, então mantida pela Associação Comercial do Rio de Janeiro, formando-se em Embora fosse radionoveleiro de carteirinha, seu interesse pela propaganda foi despertado enquanto ouvia o Repórter Esso, com seu slogan O primeiro a dar as últimas, produzido pela McCann. Seu pai tinha um sócio, sr. Sarmento, pai de um rapaz que, mesmo com pouca idade, já era gerente da McCann Rio. Armando de Moraes Sarmento tinha estudado na Inglaterra e falava inglês fluentemente, sendo depois o primeiro presidente brasileiro da McCann mundial. A primeira agência a se instalar no Brasil, a J. Walter Thompson, já estava por aqui havia 10 anos quando Altino começou na publicidade. Na midiap3.indd 16 12/7/ :49:09

11 mídia, era prática comum os jornais darem de 20% a 30% de desconto aos corretores, que cobravam o preço que queriam dos anunciantes. Também a Associação Brasileira de Agências de Propaganda (Abap) já tinha nascido em 1949, tendo entre seus fundadores Sarmento e Armando de Almeida, presidente da Interamericana. As agências tinham redatores específicos para peças de rádio, e a mídia era dividida entre impressa (jornal e revista) e eletrônica (rádio). O mídia era um orçamentista. Quem fazia a mídia era o contato. Negociávamos o custo dentro da verba delimitada pelo contato da agência (atendimento) e o chefe de propaganda do anunciante, conta Altino. Definidos os espaços, o contato e o cliente elaboravam o blue sheet (papel azul), que servia para o redator e o profissional da arte se orientarem. O redator discutia o título com o contato ou o dono da agência, que eram senhores absolutos da conta na agência. A partir daí, o contato levava título e texto para o arte-finalista montar o layout, para depois levar ao cliente, que dava aprovação. Voltando à agência, o material ia para a produção, onde se escolhia a tipografia e as cores, seguindo depois para a clicheria, feita fora da agência, para ser reproduzida em estéreo (a chamada impressão a quente, feita em chumbo). E foi como offi ce-boy do departamento de produção que Altino começou na McCann, no Rio de Janeiro, em Muitas vezes, o serviço não ficava a contento ou era necessária alguma alteração, o que o obrigava a fazer quatro ou cinco viagens carregando anúncios pesados sob o calor carioca. Seus pesadelos eram os reclames de página inteira, que chegavam a pesar de dois a três quilos cada. Se tivesse de levá-los a cinco jornais diferentes, eram quase 15 quilos a ser carregados a pé da agência, na rua Frei Caneca, no centro, até a Lapa, onde ficava a clicheria Latt-Mayer, já que a agência não lhe pagava o bonde por conta da fama de pão-duro de Sarmento. Depois, Altino soube o motivo da economia: a McCann foi deficitária em seus primeiros 15 anos no Brasil. Ao fi n al do processo de idas e vindas dos clichês, o anunciante levava dois meses para fazer uma campanha. Como não havia inflação, os contratos com os veículos eram longos, em média de dois anos de 17 midiap3.indd 17 12/7/ :49:09

12 18 duração. Os anúncios publicados em jornais do interior, por exemplo, eram encaminhados uma vez por ano, mudando-se semanalmente apenas os títulos durante todo o ano. Sem falar que essas publicações mentiam deslavadamente sobre os números de circulação sem que houvesse uma auditoria ou IVC para confirmar. Após um ano na luta diária com os clichês, Altino conseguiu ser transferido para a mídia propriamente. Em seu departamento, havia ele, um boy, uma assistente, o responsável pelo checking e o chefe. Sob sua responsabilidade ficavam o envio dos clichês para os veículos impressos e o arquivo de jornais. Depois de seis meses, todos tinham saído da agência. Como chefe da mídia, ingressou o escritor Guilherme Figueiredo irmão do então futuro presidente do Brasil João Batista Figueiredo, que acumulava também a missão de contato da Coca-Cola. Atender esse importante cliente da agência e escrever colunas para jornais lhe ocupava todo o tempo, não sobrando nada para a mídia. Foi assim que Altino passou a atender aos telefonemas dos contatos da agência (atendimento) pedindo informações de preços para veiculação em jornais e começou a fazer programações de mídia impressa em veículos como Correio da Manhã, Diário de Notícias e O Jornal dos Diários Associados, os de maior circulação no Rio, além de O Globo, Diário da Noite, Jornal do Brasil e Jornal do Commercio, entre outros. A chamada mídia da mãe (veículos de maior audiência) era a Rádio Nacional e a revista O Cruzeiro, no Rio de Janeiro. No caso das revistas, eram os próprios contatos que tomavam as rédeas da mídia. E foi aí que Altino percebeu que as tabelas de preços eram mera formalidade, passando a entender melhor o negócio da mídia. No entanto, depois de dois anos, já conhecia todo o trâmite e passou a ser uma espécie de faz-tudo do departamento. Um dia, foi até a sala de Sarmento pedir-lhe que oficializasse seu posto na agência como chefe de mídia. O presidente da McCann falou-lhe que não iria ter memorando algum porque ele só seria chefe quando os todo-poderosos donos das contas, os contatos da agência, o respeitassem profissionalmente. Ainda que desapontado, Altino aprendeu a lição e começou a trabalhar para que a aceitação acontecesse. midiap3.indd 18 12/7/ :49:09

13 Nasce um mídia Além de consumidor da Kolynos, foi desse cliente que Altino fez, em 1946, sua primeira negociação de mídia. A marca era importada pela Paul J. Cristoph e, como grande anunciante, tinha condições especiais de preço nos jornais, com descontos de até 50% sobre o preço de tabela. Na época, os representantes dos veículos retinham suas porcentagens para remuneração e ganhavam mais 15% como comissão de agência. Seu desafio foi conseguir mais que os 15% e dar alguma vantagem ao cliente, o que acabou acontecendo. O normal era adicionar o líquido de 17,65%, que equivalia a 15% sobre o preço bruto, uma vez que os jornais já davam descontos de 20% a 30% para a McCann, que tinha poder de barganha por contar com grandes anunciantes, como Coca- Cola e Esso. Mas o departamento de rádio era um dos mais fortes da agência. E não cabia ao setor apenas criar e veicular comerciais para esse meio, como também desenvolver o conteúdo dos programas. Colgate-Palmolive, Gessy Lever, Kolynos e Sidney Ross disputavam audiências em plena era das radionovelas, na qual o anunciante escolhia tema e elenco. A agência ajudou a criar programas como Repórter Esso, Um milhão de melodias e Rádio Almanaque Kolynos. E os comerciais tinham de estar de acordo com o marketing regional do cliente, envolvendo um complexo aparato de mídia. Depois de quatro anos de veiculação do Rádio Almanaque Kolynos, transmitido pela Rádio Nacional, o cliente cismou que o programa não era ouvido em todo o Brasil. Foi então que Altino, muito sagazmente, lhe sugeriu que oferecesse um copo plástico a quem escrevesse ao programa. O cliente concordou prontamente em fornecer o brinde, e a agência comprometeu-se a fazer o envio. O dono da idéia passou um mês inteiro recebendo cartas de todo o Brasil. A quantidade e a representatividade de todos os estados da nação eram tão grandes que ele e mais duas datilógrafas, além de dois colegas da agência, passaram seis meses dedicando-se à tarefa. Mas valeu dormir muitas vezes em cima do monte de cartas para dar conta do serviço. O cliente renovou o contrato com a Rádio Nacional por mais um ano. 19 midiap3.indd 19 12/7/ :49:09

14 20 Essa é apenas uma das inúmeras lembranças da precariedade de pesquisas existentes no Brasil nos anos Para selecionar emissoras de outras cidades, o mídia era obrigado a ir até Belém do Pará e prosseguir numa trajetória de norte a sul do país, ponto a ponto. Altino atuava na agência quando foi criado o primeiro outdoor impresso (antes eram pintados) da Coca-Cola, exibido no Rio e em São Paulo. A peça trazia uma mulher, com um turbante na cabeça, bebendo o refrigerante. A mídia decidiu colocar o anúncio na parte da frente dos bondes, em placas medindo 80 x 50 centímetros, o que exigiu controle da agência nas garagens, à noite, para as devidas manutenções por conta de chuva e do vandalismo, além da substituição dos cartazes descolados ou descorados pelo tempo. Logo depois, veio a inovação: cartazes standard de 24 folhas em locais isolados e emoldurados, tal qual os moldes americanos, impressos em português pelo cliente nos Estados Unidos. Isso porque as gráficas locais ainda não tinham capacitação para imprimir em grandes formatos. A curiosidade é que os textos vinham sem til e cedilha e invariavelmente o pessoal da arte tinha de pintá-los um a um. Outra dificuldade era que as exibidoras não conseguiam seguir o modelo americano e as colas brasileiras não suportavam o calor local. A importação das estruturas dos Estados Unidos sairia caríssima. Foi então que Altino sugeriu à McCann a criação de uma empresa de outdoor dentro da agência, a Empresa Federal de Anúncios (EFA), e a descoberta de uma fórmula brasileira para a colagem. Sem querer, acabou arranjando mais trabalho para os finais de semana, o de escolher e contratar locais para a instalação dos cartazes da Coca-Cola. Quando o mercado passou a adotar o formato-padrão do cliente americano, a EFA deixou de ter razão de existir e a McCann a vendeu à exibidora Época. Outra preocupação de Altino eram as colagens de painéis gigantes da General Motors, Esso e Goodyear nas estradas, que exigiam manutenção e checagem. Duas vezes por ano, ele, sua equipe e um representante do cliente chegavam às cidades do interior tarde da noite. Era 1950 e Altino havia acabado de se casar com Yedda, que seria sua companheira por toda a vida e com quem teria os filhos Fernando, Vera Maria, Octávio e midiap3.indd 20 12/7/ :49:10

15 Eduardo Xocante. E não é que com 15 dias de casado, lá se foi Altino para mais uma dessas incursões sofridas ao interior do Brasil, a bordo de uma Rural Willis? Mais tarde, ele resolveu comprá-la da McCann. Assim, a prosaica Rural foi seu primeiro automóvel. Os filhos trataram de alcunhá-la de Violeta, e ela servia para transportá-los de Santa Tereza à praia de Ipanema. As ensolaradas praias da zona sul carioca serviram de inspiração para Altino e Leon Feighembaum, responsável pelo meio outdoor na McCann, para a montagem de um negócio inovador nos anos Foram os primeiros vendedores de Coca-Cola nas praias de Copacabana a Ipanema. Por conta do bom relacionamento com o presidente da multinacional no Brasil, montaram uma pequena estrutura para armazenar e distribuir o refrigerante em pequenas carrocinhas. Mas acabou não dando certo porque, inexperientes, não conseguiam prever a grande demanda nos dias quentes e a perda com os finais de semana chuvosos. Corriam os anos 1960 e a McCann já tinha se mudado para a sede da rua México, no centro do Rio, em frente ao prédio da Esso e a menos de 500 metros da Coca-Cola, seus dois maiores clientes. O Ibope foi outro vizinho muito bem-vindo para a agência. Para fazer as pesquisas de flagrante de audiência de rádio, os entrevistadores do Ibope iam para as ruas visitar as casas. Perguntavam ao morador a qual emissora estava assistindo e há quanto tempo estava vendo o programa. Na manhã seguinte, levavam as planilhas ao Ibope. Altino conta que muitas vezes chegava mais cedo e já passava no instituto de pesquisa para saber de antemão os resultados das audiências dos programas de rádio. Não raro ajudava na compilação dos números que ainda estavam sendo tabulados. Ou, quando o anunciante desconfiava da pesquisa, Altino ou um representante da mídia acompanhava os entrevistadores. O rigor com as pesquisas era uma das características da McCann desde os anos Só que circulação de jornal e idade de uma senhora eram assuntos indelicados. E como não havia ainda o Instituto Verificador de Circulação (IVC), Altino bolou um jeito de tentar descobrir a circulação líquida paga (sem o encalhe) dos principais jornais do Rio. Prontamente 21 midiap3.indd 21 12/7/ :49:10

16 22 o dr. Roberto Marinho, dono de O Globo, revelou suas informações de circulação e de todos seus livros de registro à McCann, começando aí uma grande amizade com Altino, que durou até a morte do fundador das Organizações Globo. A abertura tão detalhada se justificava porque a agência vistoriava até as entradas de caixa pela venda de jornais pelos jornaleiros. E, para checar o consumo de papel, Altino pesava o exemplar saído da gráfica com o número de páginas em média. Logo percebeu que o sistema não funcionava para a contagem da circulação porque os jornais, sabedores de que estariam sendo auditados, faziam um café da manhã de confraternização e aumentavam a tiragem naquele dia. Aos poucos, os demais jornais também passaram a declarar seus números, abrindo caminho para a criação do IVC. Para Altino, foi Marinho quem deu o impulso necessário para o desenvolvimento das agências de propaganda. Isso porque foi dele a idéia de substituir gradativamente os corretores comissionados que levavam os anúncios para o jornal O Globo, transferindo a comissão para as agências. A mesma prática repetiu-se quando ele fundou as rádios e a Rede Globo de Televisão. Ele foi o primeiro a reconhecer o benefício que as agências bem estruturadas dariam ao cliente e ao jornal, oferecendo suporte ao crescimento da publicidade brasileira, comenta. O amigo ítalo-americano Em 1950, veio visitá-lo na McCann um senhor que falava português com forte sotaque, misto de italiano com espanhol. Ele lhe disse que tinha adquirido os direitos para editar no Brasil as revistas criadas por Walt Disney, como Pato Donald e Mickey. Contou também que tinha um filho, Roberto Civita, que estava nos Estados Unidos estagiando na revista Time. Altino não sabia, mas dali saiu o primeiro anúncio do Pato Donald. Conquistou a simpatia de seu interlocutor, Victor Civita, nascido em Nova York (EUA), mas que ainda criança se mudara para midiap3.indd 22 12/7/ :49:11

17 Milão (Itália), embora tenha voltado aos Estados Unidos para estudar. Ao chegar definitivamente ao Brasil, em 1949, ele tinha muitos sonhos de vencer no país, tantos que depois acabou se naturalizando brasileiro. Entre suas ambições estava lançar a Capricho, uma revista de fotonovelas para concorrer com Grande Hotel, que era um sucesso editorial no Brasil. Confiando no novo amigo, pediu a Altino que lhe indicasse alguém para comandar o escritório carioca da Editora Abril, que ficava quase na esquina da avenida Franklin Roosevelt com a Presidente Antonio Carlos, no centro. Como não surgisse ninguém, fez a proposta para Altino, que recusou por não querer se desligar da McCann. Diante disso, Civita pediu a ele que passasse pelo escritório da Abril pelo menos uma vez por semana. E Altino se atirou nesse free-lance não remunerado com a aquiescência da McCann, que não via o fato como uma operação antiética. Afinal, Altino não chegava a figurar como representante de fato, mas como uma espécie de gerenciador durante um ano e meio, sem maiores interesses comerciais. Isso numa época em que os donos de agência pagavam muito mal seus mídias porque sabiam que os veículos davam bola (comissionamento), o que se transformava numa espécie de complementação de salário. Na McCann, isso nunca aconteceu. E Civita também não costumava dar brindes para incrementar seu faturamento publicitário à custa da credibilidade do mídia. Com isso, tanto o italiano quanto Altino ganharam credibilidade no mercado. A partir daí, é a história que todos conhecem: o filho de seu Victor, Roberto Civita, veio para o Brasil e engrandeceu ainda mais o negócio, mantendo a amizade com Altino. Nesse tempo em que a Abril apenas engatinhava, a grande disputa entre anunciantes era pela quarta capa das revistas semanais. O Cruzeiro liderava a preferência, cuja programação Altino fazia no início do ano para a Coca-Cola, garantindo veiculação para metade das edições anuais. Em 1954, lembra que a publicação tinha cerca de 200 mil exemplares semanais. Ele acompanhou de perto a trajetória de Adolpho Bloch que, da impressão de revistas em quadrinhos, folhetos, revistas e house organs, ousou editar a revista semanal de maior popularidade no país. 23 midiap3.indd 23 12/7/ :49:11

18 Já a concorrente Seleções tinha maior circulação em decorrência do modelo americano utilizado para venda direta de assinaturas. Os Bloch ainda lançariam outros títulos que ficaram muito conhecidos entre os brasileiros, como a revista Manchete, Fatos e Fotos, Desfi le e Pais e Filhos. Muitos anos depois, foi Altino quem encorajou Pedro Jack Kapeller, o Jaquito, diretor da Bloch, a entrar no negócio de televisão com a TV Manchete. Apesar de sentir-se incomodado com o mau negócio dos amigos durante algum tempo, Altino sabe também que eles tiveram grandes alegrias com a emissora. Ao vivo e em cores 24 A televisão chegou ao Brasil em setembro de 1950 pelas mãos do polêmico Assis Chateaubriand, que criou um império da comunicação com vários jornais e emissoras de rádio e TV, além de várias revistas, como O Cruzeiro. O controvertido jornalista fundou a TV Tupi, que era líder absoluta de audiência no final dos anos 1950 e início dos anos Ainda não havia o recurso do videoteipe e os programas eram produzidos ao vivo e localmente, uma vez que nem tudo o que era sucesso no Rio tinha o mesmo êxito em outras praças. Da mesma forma que o rádio, as agências também produziam programas, inclusive a McCann, que tinha expertise internacional nessa área. Só que as agências sofriam com as gafes das garotas-propaganda e dos apresentadores, que muitas vezes erravam feio a mensagem ou até o nome do patrocinador. Altino viu nascer na agência programas como Esta é sua vida e O céu é o limite, com Jota Silvestre; Circo Bombril, com Carequinha e Fred; e Grande Teatro Nestlé, entre outros que contavam com a produção de Vicente Sesso, Ivani Ribeiro e Zaé Júnior. O anunciante Kolynos, da McCann, era o grande patrocinador, com programações garantidas em todas as emissoras. Em 1960, o mercado do Rio de Janeiro começou a sentir os impactos da mudança da capital do Brasil para Brasília. Apesar disso, a McCann midiap3.indd 24 12/7/ :49:11

19 era considerada a grande universidade de propaganda do país, reunindo os melhores profissionais, formando talentos e incentivando sempre a criatividade, inclusive em televisão, relata Altino. Nesse período ele já ocupava a chefia-geral de mídia do departamento de mídia da McCann Rio que já integrava mídia impressa, rádio e TV e tinha em sua equipe Ary Lima, Manoel Costa, Heitor Perez e Osmar Gonçalves. Para comprovar sua percepção, Altino lembra que foi elaborado o livro Técnica e prática da propaganda segundo a visão da equipe da McCann- Erickson, coordenado por Eliezer Burla, diretor da McCann Rio e idealizador dos primeiros cursos da Associação Brasileira de Propaganda (ABP). O livro celebrou os 25 anos da McCann no Brasil. Como líder, a McCann também movimentou o mercado com sua Força Volante do Progresso Publicitário, caravana de profissionais da agência do Rio e de São Paulo que davam palestras e promoviam debates sobre propaganda pelo Brasil afora. E mais uma vez, lá se foi Altino, mesmo diante do risco de ser interpelado por agentes da ditadura militar. Movimentar-se pelo país diletantemente como essa equipe fez era por demais arriscado, provocando suspeitas de subversão nessa fase de regime político de exceção vivido pelo Brasil. Enquanto viveu no Rio, Altino invariavelmente estava nas emissoras de televisão a partir das 17 horas, porque as coisas aconteciam com muita rapidez, especialmente quando havia eventos, o que exigia a presença dos mídias para as tomadas de decisões. Ele recorda a tremenda guerra entre anunciantes, como Shell, que patrocinava o programa de Roberto Carlos, na Record, em São Paulo, e a Esso, cliente da McCann, que lançava o seu personagem-símbolo, o tigre, para contra-atacar. A partir de 1967, a Rede Globo entrou na era Walter Clark que, junto com Boni e Arce, comandou a emissora, sempre com total supervisão de Roberto Marinho. Essa convivência fez que, dois anos depois, quando o anunciante patrocinava a transmissão da chegada do Apolo-11 à Lua, Altino assistisse ao feito de camarote, na sede da Rede Globo. Quando, no dia 20 de julho de 1969, o astronauta norte-americano Neil Armstrong entrava para a história como o primeiro homem a pisar na Lua e avistar a Terra 25 midiap3.indd 25 12/7/ :49:11

CARACTERÍSTICAS DA MÍDIA Profa. Marli Hatje Educação Física e as Novas TICs CEFD/UFSM

CARACTERÍSTICAS DA MÍDIA Profa. Marli Hatje Educação Física e as Novas TICs CEFD/UFSM CARACTERÍSTICAS DA MÍDIA Profa. Marli Hatje Educação Física e as Novas TICs CEFD/UFSM Jornal Revista Televisão Rádio Internet - Relata o que já passou e o que vai acontecer; -Credibilidade; - Cobertura

Leia mais

Televisão brasileira: o início da problemática 1

Televisão brasileira: o início da problemática 1 Televisão brasileira: o início da problemática 1 AUTOR: QUINTANA JÚNIOR, José CURSO: Comunicação Social Jornalismo/Unifra, Santa Maria, RS OBRA: CAPARELLI, Sérgio. Televisão e capitalismo no Brasil: com

Leia mais

introdução a publicidade & propaganda Aula 3 - Departamentos e uxograma da agência de propaganda

introdução a publicidade & propaganda Aula 3 - Departamentos e uxograma da agência de propaganda introdução a publicidade & propaganda Aula 3 - Departamentos e uxograma da agência de propaganda professor Rafael Ho mann Campanha Conjunto de peças com o mesmo objetivo, conjunto de peças publicitárias

Leia mais

Um grupo de alunos e uma professora. que decidiram escrever um livro...

Um grupo de alunos e uma professora. que decidiram escrever um livro... Um grupo de alunos e uma professora que decidiram escrever um livro... Tudo começou com um garoto chamado Luan que, num belo dia, resolveu compartilhar sua história... Luan Cardoso era um menino de apenas

Leia mais

Apresentação da Disciplina

Apresentação da Disciplina Mídia - 2015.1 Nilmar Figueiredo 1 2 3 4 Calendário Acadêmico Comentários Apresentação da Disciplina Sistema de Avaliação 1 - Apresentação da Disciplina O que é Mídia? Departamento de Mídia - Organização

Leia mais

CDA COMUNICAÇÃO INTEGRADA

CDA COMUNICAÇÃO INTEGRADA Central de Cases CDA COMUNICAÇÃO INTEGRADA www.espm.br/centraldecases Central de Cases CDA COMUNICAÇÃO INTEGRADA Preparado pelo Prof. Marcus S. Piaskowy, da ESPM SP. Recomendado para a área de Administração

Leia mais

Histórico da Mídia no Brasil

Histórico da Mídia no Brasil Prof. Edmundo W. Lobassi Início do século XX Anúncios vendem escravos, remédios e trabalhos de artesões. (Edmundo W. Lobassi) 01 Início do século XX Anúncios vendem escravos, remédios e trabalhos de artesões.

Leia mais

Fundamentos da Propaganda TV e Cinema. Prof. Adriano Portela

Fundamentos da Propaganda TV e Cinema. Prof. Adriano Portela Fundamentos da Propaganda TV e Cinema Prof. Adriano Portela Brasil, 1950. A chegada da televisão revoluciona a vida dos brasileiros. Os Anos de Chumbo, como foram chamados os 20 anos de ditadura, marcaram

Leia mais

A participação do rádio no cotidiano da sociedade brasileira (1923-1960)

A participação do rádio no cotidiano da sociedade brasileira (1923-1960) A participação do rádio no cotidiano da sociedade brasileira (1923-1960) Lia Calabre NO APAGAR DAS LUZES DO SÉCULO XX, podemos dizer que este foi o tempo da revolução das formas de comunicação à distância.

Leia mais

História da propaganda brasileira: dos fatos à linguagem

História da propaganda brasileira: dos fatos à linguagem História da propaganda brasileira: dos fatos à linguagem A trajetória A cada período da trajetória, em cada contexto social em que se inseriu, a publicidade encontrou a sua maneira de dizer, dialogando

Leia mais

:: C A N A L B A N D N E W S ::

:: C A N A L B A N D N E W S :: :: TABELA DE PREÇOS :: JANEIRO JANEIRO 2013 2011 :: C A N A L B A N D N E W S :: SKY, NET, Claro TV, Oi Tv e independentes, alcança mais de 10.800.000 assinantes. SEXO 4 IDADE CLASSE SOCIAL DIA INÍCIO

Leia mais

Interatividade UniNorte 1

Interatividade UniNorte 1 Interatividade UniNorte 1 Anne Caroline BARROS 2 Francisco BARBOZA 3 Heverton PAULA 4 Igor SANTOS 5 Eudóxia Pereira da SILVA 6 Márcio Alexandre dos Santos SILVA 7 Centro Universitário do Norte (UniNorte),

Leia mais

Prêmios Internacionais. cobertura

Prêmios Internacionais. cobertura Prêmios Internacionais cobertura Festivais Inegavelmente, o Brasil é uma potência criativa global. Essa posição de destaque tem se consolidado ainda mais nos últimos anos e a grande vitrine desse processo

Leia mais

MÍDIA MATERIAL DE REFERÊNCIA TEÓRICA 01. Prof. Rodrigo Duguay a partir de material base da Profa. Dra. Karla Patriota

MÍDIA MATERIAL DE REFERÊNCIA TEÓRICA 01. Prof. Rodrigo Duguay a partir de material base da Profa. Dra. Karla Patriota MÍDIA MATERIAL DE REFERÊNCIA TEÓRICA 01 Prof. Rodrigo Duguay a partir de material base da Profa. Dra. Karla Patriota MÍDIA Definição Mídia. Sf (ing. mass media) Propag. 1 Veículo ou meio de divulgação

Leia mais

Prêmios Internacionais. cobertura

Prêmios Internacionais. cobertura Prêmios Internacionais cobertura Festivais Inegavelmente, o Brasil é uma potência criativa global. Essa posição de destaque tem se consolidado ainda mais nos últimos anos e a grande vitrine desse processo

Leia mais

3 Q. se C-iQ. r a s. Nelson Varón Cadena

3 Q. se C-iQ. r a s. Nelson Varón Cadena 3 Q. se C-iQ r a s Nelson Varón Cadena Sumário Prefácio Na virada do século 1900-1910 Mercado em ebulição Novos segmentos Enfim, a comunicação de massa A mídia tradicional se renova A febre do cartão-postal

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Publicitária

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Publicitária Área de Comunicação Tecnologia em Produção Publicitária Curta Duração Tecnologia em Produção Publicitária CARREIRA EM PRODUÇÃO PUBLICITÁRIA Nos últimos anos, a globalização da economia e a estabilização

Leia mais

Mídia kit Outubro/2015

Mídia kit Outubro/2015 Mídia kit Outubro/2015 Quem somos? O Viajadora é um blog feito por duas amigas de infância que gostam de viajar gastando o mínimo possível, mas aproveitando ao máximo. De tanto dar dicas para os amigos,

Leia mais

Leia os textos e assinale a alternativa correta: 1) O que Ana quer que Pedro faça?

Leia os textos e assinale a alternativa correta: 1) O que Ana quer que Pedro faça? UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL PROGRAMA DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS PLE CERIFICADO INTERNACIONAL DE LÍNGUA PORTUGUESA CILP SIMULADO COMPREENSÃO LEITORA E ASPECTOS LINGUÍSTICOS NÍVEL BÁSICO ESCOLAR A2 Leia os

Leia mais

FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA

FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA Profº Paulo Barreto Paulo.santosi9@aedu.com www.paulobarretoi9consultoria.com.br 1 DO MARKETING À COMUNICAÇÃO Conceitualmente, Marketing é definido por Kotler

Leia mais

Manual prático de criação publicitária. (O dia-a-dia da criação em uma agência)

Manual prático de criação publicitária. (O dia-a-dia da criação em uma agência) Manual prático de criação publicitária (O dia-a-dia da criação em uma agência) MANUAL final2.indd 1 14/3/2006 23:19:58 Flávio Waiteman Manual prático de criação publicitária (O dia-a-dia da criação em

Leia mais

Mediakit Janeiro/2015

Mediakit Janeiro/2015 Mediakit Janeiro/2015 Quem somos? O Viajadora é um blog feito por duas amigas de infância que gostam de viajar gastando o mínimo possível, mas aproveitando ao máximo. De tanto dar dicas para os amigos,

Leia mais

MAIS IMPORTANTE GUIA DO RIO DE JANEIRO VEJA RIO é plural como as atrações cariocas e traz em suas páginas o espírito típico dos moradores da cidade.

MAIS IMPORTANTE GUIA DO RIO DE JANEIRO VEJA RIO é plural como as atrações cariocas e traz em suas páginas o espírito típico dos moradores da cidade. MAIS IMPORTANTE GUIA DO RIO DE JANEIRO VEJA RIO é plural como as atrações cariocas e traz em suas páginas o espírito típico dos moradores da cidade. É o mais importante e confiável guia de lazer e cultura

Leia mais

- Deptº de Marketing -TV Bahia. Rua Aristides Novis nº 123 Federação. Tel.: (71) 3203-1207 -

- Deptº de Marketing -TV Bahia. Rua Aristides Novis nº 123 Federação. Tel.: (71) 3203-1207 - O Projeto Despertar a consciência de que cada um é responsável pelo equilíbrio ambiental e que, cabe a nós convencermos a quem convivemos disso. É o mote do projeto que vai estimular a conscientização

Leia mais

LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA

LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA (versão simples da Lei da Comunicação Social Eletrônica) CAPÍTULO 1 PARA QUE SERVE A LEI Artigo 1 - Esta lei serve para falar como vai acontecer de fato o que está escrito em alguns

Leia mais

Nome do programa, pesquisa ou produto: Almanaque IBOPE Pesquisa: Demografia Hábitos de lazer

Nome do programa, pesquisa ou produto: Almanaque IBOPE Pesquisa: Demografia Hábitos de lazer 1 Data de elaboração da ficha: Abr 2007 IBOPE - Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística Dados da organização Nome: IBOPE - Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística Endereço:

Leia mais

Briefing O que é? Para que serve?

Briefing O que é? Para que serve? Faculdade de Tecnologia da Paraíba CURSO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA A INTERNET DISCIPLINA DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES WEB ESTÁTICAS PERÍODO: P2 Semestre: 20082 PROFESSOR Geraldo Rodrigues

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia Área de Comunicação Produção Multimídia Curta Duração Produção Multimídia Carreira em Produção Multimídia O curso superior de Produção Multimídia da FIAM FAAM forma profissionais preparados para o mercado

Leia mais

Campanha promocional Doutores da Alegria - Voluntáriado 1

Campanha promocional Doutores da Alegria - Voluntáriado 1 Campanha promocional Doutores da Alegria - Voluntáriado 1 Alexandre COELHO 2 Catarina CARVALHO 3 Danielle RIBEIRO 4 Leoni ROCHA 5 Paloma HADDAD 6 Professor/Orientador: Daniel CAMPOS 7 Universidade Fumec,

Leia mais

Autorregulação comercial. O fiel da balança

Autorregulação comercial. O fiel da balança Autorregulação comercial O fiel da balança Autorregulação comercial. O fiel da balança. A autorregulação é uma maneira moderna, atual e principalmente eficiente de manter em equilíbrio os mercados que

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cód. 25

PROVA ESPECÍFICA Cód. 25 12 PROVA ESPECÍFICA Cód. 25 INSTRUÇÃO: As questões 21 a 24 dizem respeito ao Conar Código Brasileiro de Auto-regulamentação Publicitária. Em relação a essas questões, assinale na Folha de Respostas: QUESTÃO

Leia mais

Outdoor 1. Faculdade de Comunicação, Artes e Design do Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio, Salto, SP

Outdoor 1. Faculdade de Comunicação, Artes e Design do Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio, Salto, SP Outdoor 1 Michel KOGA 2 Felippe de MAMBRO 3 Barbara LAVORENTI 4 Thalita CHIARINI 5 Maurilio ZANONI 6 Francisco de ASSIS 7 Ingrid PIETROBOM 8 Luiz CALADO 9 Charles VENTAROLI 10 Natália MORAES 11 Silvia

Leia mais

IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA

IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA NOVIDADES 2016 (1) (2) GUIA DELIVERY AGORA FAZ PARTE DO BOM GOURMET, A MAIOR PLATAFORMA DE GASTRONOMIA DO SUL DO PAÍS O DELIVERY BOM GOURMET TEM PEDIDO ONLINE GASTRONOMIA É

Leia mais

Como Atrair Clientes

Como Atrair Clientes COMO ATRAIR CLIENTES QUESTÕES BÁSICAS Quem são os meus clientes? Quantos sãos? Onde estão? Como fazer para falar com eles? DEFINIÇÃO SEGMENTO DE MERCADO Significa um grupo de consumidores com necessidades

Leia mais

Atualização 18/12/09 Versão Final 1

Atualização 18/12/09 Versão Final 1 Atualização 18/12/09 Versão Final 1 Atualização 18/12/09 Versão Final 2 GLOBO.COM MANUAL DE PRÁTICAS COMERCIAIS PARA INTERNET APRESENTAÇÃO 1 - COMPROMISSO COM A QUALIDADE DE VEICULAÇÃO 1.1 - ENTREGA DO

Leia mais

multi media soluções em comunicação

multi media soluções em comunicação multi media soluções em comunicação PARANÁ multi media multi media 1 MI DE HABITANTES NA REGIÃO R$18 BI POTENCIAL DE CONSUMO R$ 12 BI EM INVESTIMENTOS NA REGIÃO 1º NO RANKING INDUSTRIAS R$ 18 BI PIB DA

Leia mais

O PROJETO PORQUE PATROCINAR

O PROJETO PORQUE PATROCINAR PAIXÃO NACIONAL O gosto pelo futebol parece ser uma das poucas unanimidades nacionais do Brasil. As diferenças sociais, políticas e econômicas, tão marcantes no dia a dia do país diluem-se quando a equipe

Leia mais

Campeonato Alagoano 2014 Período: Janeiro a maio de 2014. Campeonato Alagoano

Campeonato Alagoano 2014 Período: Janeiro a maio de 2014. Campeonato Alagoano Campeonato Alagoano 2014 Período: Janeiro a maio de 2014 Campeonato Alagoano A emoção do Campeonato Alagoano faz parte da programação da TV Pajuçara desde 2008. E, de lá pra cá, já virou tradição de todo

Leia mais

OBJETIVOS DE MARKETING

OBJETIVOS DE MARKETING CASE Banco do Brasil Todo Seu O Banco do Brasil é a mais antiga instituição bancária brasileira. Reconhecido como fundamental para o desenvolvimento econômico e social do país, é também o maior banco da

Leia mais

CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA

CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UFPE CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO - CAC CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA Coordenador do Curso: Prof. Dirceu Tavares de Carvalho Lima Filho IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1.

Leia mais

Mobiliário urbano Presente no cotidiano do consumidor brasileiro e na base de investimento do IBOPE Mídia

Mobiliário urbano Presente no cotidiano do consumidor brasileiro e na base de investimento do IBOPE Mídia Mobiliário urbano Presente no cotidiano do consumidor brasileiro e na base de investimento do IBOPE Mídia IBOPE Mídia Monitor IBOPE Mídia Monitor Fundada em 1996, esta divisão do IBOPE Mídia é responsável

Leia mais

Mídia e Região na Era Digital: Diversidade Cultural & Convergência Midiática. (org. Anamaria Fadul e Maria Cristina Gobbi)

Mídia e Região na Era Digital: Diversidade Cultural & Convergência Midiática. (org. Anamaria Fadul e Maria Cristina Gobbi) Mídia e Região na Era Digital: Diversidade Cultural & Convergência Midiática (org. Anamaria Fadul e Maria Cristina Gobbi) XI Colóquio Internacional de Comunicação para o Desenvolvimento Regional (9,10,11

Leia mais

Assessoria de imprensa Conquista de espaço editorial Publicações Informação direta ao seu público Comunicação interna Muito além do jornalzinho

Assessoria de imprensa Conquista de espaço editorial Publicações Informação direta ao seu público Comunicação interna Muito além do jornalzinho # Tantas # Edição 01 # Ano 01 Assessoria de imprensa Conquista de espaço editorial Publicações Informação direta ao seu público Comunicação interna Muito além do jornalzinho Editorial Missão e Valores

Leia mais

Em 2012, a Abril Mídia lançou a 1ª edição do HOTEL PRO, uma publicação focada nas necessidades da indústria hoteleira.

Em 2012, a Abril Mídia lançou a 1ª edição do HOTEL PRO, uma publicação focada nas necessidades da indústria hoteleira. Em 2012, a Abril Mídia lançou a 1ª edição do HOTEL PRO, uma publicação focada nas necessidades da indústria hoteleira. Um grande sucesso editorial, ela vai agora para a segunda edição (com lançamento em

Leia mais

PROPOSTA COMERCIAL REVISTA UTILITÀ DELIVERY DE MARCAS CINTA

PROPOSTA COMERCIAL REVISTA UTILITÀ DELIVERY DE MARCAS CINTA av. das américas 16.579, sala 201 recreio, 22790-701, rio de janeiro-rj tel: 21 2437 4222 21 2437 2669 www.utilitaonline.com.br PROPOSTA COMERCIAL REVISTA UTILITÀ DELIVERY DE MARCAS CINTA QUEM SOMOS Tudo

Leia mais

Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática

Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática Comunicação é um direito de todos No Brasil, os meios de comunicação estão concentrados nas mãos de poucas empresas familiares que têm a

Leia mais

www.jornalcidademg.com.br Mídia Kit

www.jornalcidademg.com.br Mídia Kit J O R N A L www.jornalcidademg.com.br Mídia Kit 2014 UM POUCO SOBRE NÓS O objetivo principal desse projeto é oferecer uma ferramenta fácil e inteligente para divulgar informações sobre nossa cidade e região.

Leia mais

MANUAL DE PRÁTICAS COMERCIAIS TV TEM INTERNET ATUALIZADO EM 02/2013

MANUAL DE PRÁTICAS COMERCIAIS TV TEM INTERNET ATUALIZADO EM 02/2013 MANUAL DE PRÁTICAS COMERCIAIS TV TEM INTERNET ATUALIZADO EM 02/2013 comercial.internet@tvtem.com (15) 3224.8770 1 ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO 2. COMPROMISSO COM A QUALIDADE DE VEICULAÇÃO 2.1 Compra Incancelável

Leia mais

Informações Gerais. 34 parceiros de mídia e publicidade. 220 expositores. + de 500 marcas. + de 20 mil m 2. 35 mil visitantes

Informações Gerais. 34 parceiros de mídia e publicidade. 220 expositores. + de 500 marcas. + de 20 mil m 2. 35 mil visitantes O Evento A PHOTOIMAGE BRASIL, maior feira de imagem da América Latina, reuniu mais de 35 mil participantes ligados ao segmento e provou nesta sua 22ª edição que soube se adaptar às rápidas mudanças do

Leia mais

Quando as marcas realizaram os sonhos do consumidor

Quando as marcas realizaram os sonhos do consumidor Quando as marcas realizaram os sonhos do consumidor 1 de 5 Capa Quem Somos Destaques Cadastre-se Publicidade Comercial Contato Mídia AllStars Internet Adnews em Revista Móvel Marketing Esportivo Redes

Leia mais

manual básico de mídia

manual básico de mídia manual básico de mídia Manual Básico de Mídia 1 2 Manual Básico de Mídia 2015 Índice_ 01. Amostra...4 02. Público-alvo...6 03. Audiência de TV...8 04. GRP...12 05. Alcance e frequência...14 06. Custo por

Leia mais

Equipe da GCO: 1. Carlos Campana Gerente 2. Maria Helena 3. Sandro 4. Mariana

Equipe da GCO: 1. Carlos Campana Gerente 2. Maria Helena 3. Sandro 4. Mariana Gerência de Comunicação GCO tem por finalidade planejar, organizar, coordenar e controlar as atividades de comunicação e editoriais do Confea. Competências da GCO 1. Organizar e executar projetos editoriais:

Leia mais

FALANDO PARA O MUNDO. www.espm.br/centraldecases

FALANDO PARA O MUNDO. www.espm.br/centraldecases FALANDO PARA O MUNDO www.espm.br/centraldecases FALANDO PARA O MUNDO Preparado pelo Prof. Marcus S. Piaskowy. Este caso foi escrito inteiramente a partir de informações cedidas pela empresa e outras fontes

Leia mais

Manual de Práticas Comerciais

Manual de Práticas Comerciais Manual de Práticas Comerciais MANUAL DE PRÁTICAS COMERCIAIS SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 1. COMPROMISSO COM A QUALIDADE DE VEICULAÇÃO 1.1 ENTREGA DO PEDIDO DE INSERÇÃO (P.I.) 1.2 VENCIMENTO DE FATURAS 1.3 ALTERAÇÃO

Leia mais

REVISTA ONLINE GERAÇÃO Z

REVISTA ONLINE GERAÇÃO Z REVISTA ONLINE GERAÇÃO Z #2 edição ano 01 março 2014 EDITORIAL EXPEDIENTE Sentiram saudades? Demoramos para lançar esta edição, né?! Mas vocês não vão se arrepender. Melhoramos o layout e a diagramação

Leia mais

A Realidade dos mercados regionais. Antonio Ricardo Ferreira

A Realidade dos mercados regionais. Antonio Ricardo Ferreira A Realidade dos mercados regionais Antonio Ricardo Ferreira Pesquisas nos mercados regionais É importante regionalizar o planejamento de mídía? Existem pesquisas regulares para viabilizar esta regionalização?

Leia mais

Código: MAP-DIINF-003 Versão: 00 Data de Emissão: 0101/2013 Elaborado por: Gerência de Comunicação

Código: MAP-DIINF-003 Versão: 00 Data de Emissão: 0101/2013 Elaborado por: Gerência de Comunicação Código: MAP-DIINF-003 Versão: 00 Data de Emissão: 0101/2013 Elaborado por: Gerência de Comunicação Aprovado por: Diretoria de Informação Institucional 1 OBJETIVO Definir e padronizar os procedimentos referentes

Leia mais

VEJA 50 ESTRATÉGIAS SIMPLES DE MARKETING PARA ADVOGADOS

VEJA 50 ESTRATÉGIAS SIMPLES DE MARKETING PARA ADVOGADOS VEJA 50 ESTRATÉGIAS SIMPLES DE MARKETING PARA ADVOGADOS João Ozorio de Melo Todo advogado tem de despertar o marqueteiro que existe dentro dele mesmo. Se não há recursos para investir em serviços profissionais

Leia mais

Eurípedes Alcântara Diretor de Redação

Eurípedes Alcântara Diretor de Redação 1 Informar, esclarecer e entreter o leitor, elevando seu nível de compreensão dos fatos, das tendências que sejam relevantes para a sua vida pessoal, profissional e sua compreensão do mundo. Eurípedes

Leia mais

Alto Taquari em Pauta: uma experiência interdisciplinar em jornalismo digital 1

Alto Taquari em Pauta: uma experiência interdisciplinar em jornalismo digital 1 Alto Taquari em Pauta: uma experiência interdisciplinar em jornalismo digital 1 Aparecido Marden Reis 2 Marli Barboza da Silva 3 Universidade do Estado de Mato Grosso, Unemat - MT RESUMO O projeto experimental

Leia mais

Guindastes Constâncio: Outdoor Triplo 1

Guindastes Constâncio: Outdoor Triplo 1 Guindastes Constâncio: Outdoor Triplo 1 Valério ALVES 2 Deivi Eduardo OLIARI 3 Márcia Regina ANNUSECK 4 Centro Universitário Leonardo da Vinci, UNIASSELVI - Indaial, SC RESUMO O Outdoor é uma mídia de

Leia mais

SUPERAÇÃO JÁ! ETAPA DEterminaÇÃO CADERNO DO ESTUDANTE

SUPERAÇÃO JÁ! ETAPA DEterminaÇÃO CADERNO DO ESTUDANTE Escola de Tempo Integral Experiências Matemáticas 7º ANO (6ª série) SUPERAÇÃO JÁ! ETAPA DEterminaÇÃO CADERNO DO ESTUDANTE Este é um material em construção que contém os capítulos de apoio das atividades

Leia mais

Gerenciamento da comunicação de massa: propaganda, promoção de vendas, eventos e relações públicas. Copyright 2006 by Pearson Education

Gerenciamento da comunicação de massa: propaganda, promoção de vendas, eventos e relações públicas. Copyright 2006 by Pearson Education Gerenciamento da comunicação de massa: propaganda, promoção de vendas, eventos e relações públicas Copyright 2006 by Pearson Education Propaganda Qualquer forma paga de apresentação não pessoal e promocional

Leia mais

Outdoor: Semana Mundial de Aleitamento Materno 1

Outdoor: Semana Mundial de Aleitamento Materno 1 RESUMO Outdoor: Semana Mundial de Aleitamento Materno 1 Adriely Cristiny de Lima CUNHA 2 Rafael Duarte SILVA 3 Rita Carla da Conceição SILVA 4 Paula Apolinário ZAGUI 5 Universidade Do Estado do Rio Grande

Leia mais

Apresentação da FAMA

Apresentação da FAMA Pós-Graduação Lato Sensu CURSO DE ESPECIIALIIZAÇÃO 444 horras/aulla 1 Apresentação da FAMA A FAMA nasceu como conseqüência do espírito inovador e criador que há mais de 5 anos aflorou numa família de empreendedores

Leia mais

O Amarelinho mantém liderança

O Amarelinho mantém liderança Mídia Kit O CAMPEÃO DAS BANCAS! O melhor jornal de empregos mídia exclusiva Empregos, estágios, cursos e concursos Páginas 6, 7 e 8 perfil do leitor Instituto define quem é o leitor do Amarelinho Página

Leia mais

MÍDIA KIT É HORA DE VENCER A CRISE LARGUE NA FRENTE DA CONCORRÊNCIA! O VEÍCULO OFICIAL DA ASSERJ, ESTÁ COM VALORES PROMOCIONAIS PARA QUEM SE ANTECIPAR

MÍDIA KIT É HORA DE VENCER A CRISE LARGUE NA FRENTE DA CONCORRÊNCIA! O VEÍCULO OFICIAL DA ASSERJ, ESTÁ COM VALORES PROMOCIONAIS PARA QUEM SE ANTECIPAR MÍDIA KIT É HORA DE VENCER A CRISE LARGUE NA FRENTE DA CONCORRÊNCIA! O VEÍCULO OFICIAL DA ASSERJ, ESTÁ COM VALORES PROMOCIONAIS PARA QUEM SE ANTECIPAR O VEÍCULO DE COMUNICAÇÃO QUE FALA AO TRADE SUPERMERCADISTA

Leia mais

Luau Bom D+ Bom D+ Verão. Desafio Ciclístico

Luau Bom D+ Bom D+ Verão. Desafio Ciclístico 4 Luau Bom D+ 10 Bom D+ Verão 16 Desafio Ciclístico 22 Triathlon Bahia de Todos os Santos 28 Revezamento a Nado Farol a Farol 34 Carnaval 2013 Record Bahia O que já era bom ficou ainda melhor. A primeira

Leia mais

Código de Conduta. Data [12-01-2014] Responsável pela política: Departamento de Auditoria Interna Global. Stephan Baars Diretor Financeiro (CFO)

Código de Conduta. Data [12-01-2014] Responsável pela política: Departamento de Auditoria Interna Global. Stephan Baars Diretor Financeiro (CFO) Código de Conduta Data [12-01-2014] Responsável pela política: Departamento de Auditoria Interna Global John Snyder Presidente e Diretor Executivo (CEO) Mike Janssen Diretor de Operações (COO) Stephan

Leia mais

REGULAMENTO 1º FESTIVAL IGUASSU DE COMUNICAÇÃO FIC 2015.

REGULAMENTO 1º FESTIVAL IGUASSU DE COMUNICAÇÃO FIC 2015. REGULAMENTO 1º FESTIVAL IGUASSU DE COMUNICAÇÃO FIC 2015. OBJETIVO: O FIC - Festival Iguassu de Comunicação tem o objetivo de incentivar a COMUNICAÇÃO criativa na região. Trazendo profissionais gabaritados

Leia mais

Jornal O Norte - Página 08

Jornal O Norte - Página 08 CLIPPING - 9ªSC 07 de Junho de 2011 Jornal O Norte - Página 08 CLIPPING - 9ªSC 07 de Junho de 2011 Jornal O Norte - Página 11 CLIPPING - 9ªSC 07 de Junho de 2011 Jornal O Norte - Página 09 CLIPPING - 9ªSC

Leia mais

Campanha de desconto 30% - Condições Gerais

Campanha de desconto 30% - Condições Gerais Campanha de desconto 30% - Condições Gerais Descrição Comunicamos que a partir de junho 2013, após aprovações em Conselho e Assembleia, o IVC Brasil lançou uma campanha de incentivos junto aos seus associados

Leia mais

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Curso 09/05/2011 14:54

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Curso 09/05/2011 14:54 Curso: DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Centro de Ciências Humanas e da Comunicação Comunicação Social (Noturno) Ano/Semestre: 011/1 09/05/011 1:5 COM.0000.0.000- COM.0001.0.001-0 COM.0019.01.001-7 FIL.0051.00.00-3

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO MERCADOLÓGICA II

ADMINISTRAÇÃO MERCADOLÓGICA II ADMINISTRAÇÃO MERCADOLÓGICA II Atividades Gerenciais de MKT Produto Testar Novos Produtos; Modificar Atuais; Eliminar; Política de Marcas; Criar Satisfação e Valor; Embalagem. 2 1 Atividades Gerenciais

Leia mais

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes Unidade IV Marketing Profª. Daniela Menezes Comunicação (Promoção) Mais do que ter uma ideia e desenvolver um produto com qualidade superior é preciso comunicar a seus clientes que o produto e/ ou serviço

Leia mais

Poder: Jornal Fortuna

Poder: Jornal Fortuna Aqui você enriquece sua leitura Jornal Fortuna Volume 1, edição 1 Data do boletim informativo Nesta edição: Poder: Há vários tipos de poder, poder militar, poder da natureza, poder político, o poder da

Leia mais

Comunicação eficaz impulsionando o seu negócio

Comunicação eficaz impulsionando o seu negócio Comunicação eficaz impulsionando o seu negócio Perfeita combinação Todo mundo adora compras e TV. E cada vez mais, as pessoas estão abertas a conhecer produtos novos e dispostas a pagar por algo que lhes

Leia mais

O mundo como escola Texto Isis Lima Soares, Richele Manoel, Marcílio Ramos e Juliana Rocha Fotos Luciney Martins/Rede Rua Site 5HYLVWD9LUDomR

O mundo como escola Texto Isis Lima Soares, Richele Manoel, Marcílio Ramos e Juliana Rocha Fotos Luciney Martins/Rede Rua Site 5HYLVWD9LUDomR O mundo como escola Texto Isis Lima Soares, Richele Manoel, Marcílio Ramos e Juliana Rocha Fotos Luciney Martins/Rede Rua Site 5HYLVWD9LUDomR Já pensou um bairro inteirinho se transformando em escola a

Leia mais

Projeto Futuros Craques São Paulo

Projeto Futuros Craques São Paulo Projeto Futuros Craques São Paulo O Projeto Futuros Craques é considerado o carro chefe da B16 em São Paulo, a sua programação destina-se à oferecer esportes de maneira saudável para crianças da rede pública

Leia mais

Universidade. Estácio de Sá. Comunicação

Universidade. Estácio de Sá. Comunicação Universidade Estácio de Sá Comunicação A Estácio Hoje reconhecida como a maior instituição particular de ensino superior do país, a Universidade Estácio de Sá iniciou suas atividades em 1970, como Faculdades

Leia mais

INOVAÇÕES AJUDAM A REERGUER JORNAIS

INOVAÇÕES AJUDAM A REERGUER JORNAIS INOVAÇÕES AJUDAM A REERGUER JORNAIS Apesar da nuvem negra que paira sobre grande parte da mídia impressa, algumas empresas de comunicação têm conseguido reinventar seus negócios com soluções criativas,

Leia mais

CALOURO DESTAQUE. Tema: VOLUNTARIADO

CALOURO DESTAQUE. Tema: VOLUNTARIADO CALOURO DESTAQUE Tema: VOLUNTARIADO Inspirações para o trabalho O que é voluntariado? Como os jovens atuam como voluntários? Quais são os diferenciais que a atuação voluntária leva para a atividade profissional?

Leia mais

METODOLOGIA A.I.D.A.: SIMPLES E EFICIENTE

METODOLOGIA A.I.D.A.: SIMPLES E EFICIENTE 1 Sumário METODOLOGIA A.I.D.A.: SIMPLES E EFICIENTE... 3 Passo Um: OBTER A ATENÇÃO DO COMPRADOR... 4 Passo Dois: MANTER O INTERESSE NA MENSAGEM... 8 Passo Três: DESPERTAR NO CLIENTE O DESEJO DE COMPRAR

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Márcia Travessoni

APRESENTAÇÃO. Márcia Travessoni APRESENTAÇÃO O mercado da Moda está constantemente sendo pautado entre os grandes veículos, em conversas informais, nas salas de aulas das faculdades. No Ceará, os polos industriais de Moda ganharam representatividade

Leia mais

Plano de Mídia TV PAJUÇARA

Plano de Mídia TV PAJUÇARA Campeonato Alagoano A emoção do Campeonato Alagoano faz parte do Pajuçara Sistema de Comunicação desde 2008. E, de lá pra cá, já virou tradição de todo alagoano acompanhar todos os lances do seu time do

Leia mais

Central de Cases. Fonte: Clip-art Office Online SURFANDO AOS 40. www.espm.br/centraldecases

Central de Cases. Fonte: Clip-art Office Online SURFANDO AOS 40. www.espm.br/centraldecases Central de Cases Fonte: Clip-art Office Online SURFANDO AOS 40 www.espm.br/centraldecases Central de Cases SURFANDO AOS 40 Preparado pelo Prof. Marcus S. Piaskowy, da ESPM SP. Recomendado para as disciplinas

Leia mais

ROTEIRO PARA ORIENTAÇÃO DO CLIENTE MESA 10

ROTEIRO PARA ORIENTAÇÃO DO CLIENTE MESA 10 ROTEIRO PARA ORIENTAÇÃO DO CLIENTE MESA 10 1) Histórico - Detalhar o passado 2) Situação Atual - Detalhar o presente - Também descrever quais são os pontos fortes e fracos da empresa 3) Aspectos Mercadológicos

Leia mais

QUEM É A PROJECTO HOJE?

QUEM É A PROJECTO HOJE? Começamos em 2008 com uma dúvida na cabeça: por que não ter um material com design inovador mas que também traga resultados para o negócio do cliente? Para nós não fazia sentido ter um layout bonito que

Leia mais

56% 60+ anos 36% 44% 50-59 anos DE 45% 04-17 anos. 12% 18-24 anos 5% 33% 14% 25-49 anos 23% 32%

56% 60+ anos 36% 44% 50-59 anos DE 45% 04-17 anos. 12% 18-24 anos 5% 33% 14% 25-49 anos 23% 32% A TV Diário, reconhecida em todo o Ceará como a TV do Nordeste, está presente em todo o estado e em mais de 50 cidades do restante do país através da TV por assinatura. Pioneira também na transmissão ao

Leia mais

-Verba Publicitária -Implantação, Execução, Controle e

-Verba Publicitária -Implantação, Execução, Controle e -Verba Publicitária -Implantação, Execução, Controle e Avaliação UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 22.09.2011 A verba publicitária -Anunciante A

Leia mais

Manual para Cadastros PlanetOOH

Manual para Cadastros PlanetOOH Manual para Cadastros PlanetOOH - Cadastro de Empresas EMPRESAS CADASTRAR EMPRESA - Cadastro de Funções USUÁRIOS FUNÇÃO - Cadastro de Departamentos USUÁRIO DEPARTAMENTOS -Cadastro de Usuários Cadastro

Leia mais

1.1.1. O período de duração da promoção terá início em 25/04/2010 e término em 24/04/2011;

1.1.1. O período de duração da promoção terá início em 25/04/2010 e término em 24/04/2011; PROMOÇÃO CLASSIC SHOW LEVA VOCÊ A BUENOS AIRES REGULAMENTO: 1. A promoção: 1.1. A promoção CLASSIC SHOW LEVA VOCÊ A BUENOS AIRES é realizada pela FAGUNDES GRÁFICA E EDITORA LTDA. (empresa promotora), nome

Leia mais

Gerenciamento da comunicação de massa: propaganda, promoção de vendas, eventos e relações públicas

Gerenciamento da comunicação de massa: propaganda, promoção de vendas, eventos e relações públicas Capítulo 18 Gerenciamento da comunicação de massa: propaganda, promoção de vendas, eventos e relações públicas Copyright 2006 by Pearson Education Questões abordadas no capítulo Quais são as etapas envolvidas

Leia mais

Campanha ONG Animais 1

Campanha ONG Animais 1 Campanha ONG Animais 1 Bruna CARVALHO 2 Carlos VALÉRIO 3 Mayara BARBOSA 4 Rafaela ALVES 5 Renan MADEIRA 6 Romulo SOUZA 7 Marcelo PRADA 8 Paulo César D ELBOUX 9 Faculdade Anhanguera Santa Bárbara, Santa

Leia mais

Liderança como função no grupo. Telma Rodrigues Gestão de Pessoas

Liderança como função no grupo. Telma Rodrigues Gestão de Pessoas Liderança como função no grupo Telma Rodrigues Gestão de Pessoas 1 Apresentação Institucional Setembro 2011 Destaques do Magazine Luiza Há mais de 50 anos crescendo no varejo brasileiro Liderança no varejo

Leia mais

Planejamento Multimídia. Prof. Bruno Moreno

Planejamento Multimídia. Prof. Bruno Moreno Planejamento Multimídia Prof. Bruno Moreno Apresentação - Professor Bruno Neiva Moreno Graduação em Ciência da Computação (UFPB) 2004 a 2009 Mestrado em Ciência da Computação 2009-2011 Áreas Banco de Dados

Leia mais

Curso superior, de verdade Depois de levar a excelência de seus cursos de MBA por todo o País, a FGV começa a democratizar sua graduação de qualidade

Curso superior, de verdade Depois de levar a excelência de seus cursos de MBA por todo o País, a FGV começa a democratizar sua graduação de qualidade Curso superior, de verdade Depois de levar a excelência de seus cursos de MBA por todo o País, a FGV começa a democratizar sua graduação de qualidade Qualquer um dos milhares de brasileiros que passaram

Leia mais

APRESENTA COPA. Capixaba

APRESENTA COPA. Capixaba APRESENTA COPA Capixaba de APRESENTAÇÃO O mercado de jogos eletrônicos têm crescido exponencialmente no Brasil. O que se verifica hoje no país é uma grande empatia com games, que colocam o Brasil como

Leia mais

Introdução. Pra quem é esse ebook?

Introdução. Pra quem é esse ebook? Introdução Se você está lendo esse ebook é porque já conhece o potencial de resultados que o marketing digital e o delivery online podem trazer para a sua pizzaria. Bem como também deve saber que em pouco

Leia mais