3) Ver Lei nº 8.078/90, artigo 51, "caput" e XVI, nulidade da cláusula de renúncia, pelo adquirente por benfeitorias necessárias.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "3) Ver Lei nº 8.078/90, artigo 51, "caput" e XVI, nulidade da cláusula de renúncia, pelo adquirente por benfeitorias necessárias."

Transcrição

1 Nicoletti e Ferreira Advogados e Consultores Acessões e Benfeitorias: Art O possuidor de boa-fé tem direito à indenização das benfeitorias necessárias e úteis, bem como, quanto às voluptuárias, se lhe não forem pagas, ao de levantá-las, quando o puder sem detrimento da coisa. Pelo valor das benfeitorias necessárias e úteis, poderá exercer o direito de retenção. Notas: 1) Ver CCB, artigos 63, 1º a 3º, 510 e 1.566, III. 2) Ver CPC, artigos 628 e ) Ver Lei nº 8.078/90, artigo 51, "caput" e XVI, nulidade da cláusula de renúncia, pelo adquirente por benfeitorias necessárias. 4) Ver Lei nº 6.766/79. 5) Ver Lei nº 4.504/64, Estatuto da Terra, artigo 95, VIII, indenização ao arrendatário pelas benfeitorias realizadas. 6) Ver Súmula 158 do STF JCCB.545 COMPROMISSO DE COMPRA E Art Havendo benfeitorias indenizáveis feitas na coisa pelo devedor ou por terceiros, de cujo poder houver sido tirado, a liquidação prévia é obrigatória. Se houver saldo em favor do devedor, o credor o depositará ao requerer a entrega da coisa; se houver saldo em favor do credor, este poderá cobrá-lo nos autos do mesmo processo. SEÇÃO II DAS CLÁUSULAS ABUSIVAS Art. 51. São nulas de pleno direito, entre outras, as cláusulas contratuais relativas ao XVI - possibilitem a renúncia do direito de indenização por benfeitorias necessárias. 1º. Presume-se exagerada, entre outros casos, a vantagem que: I - ofende os princípios fundamentais do sistema jurídico a que pertence; II - restringe direitos ou obrigações fundamentais inerentes à natureza do contrato, de tal modo a ameaçar seu objeto ou o equilíbrio contratual; III - se mostra excessivamente onerosa para o consumidor, considerando-se a natureza e conteúdo do contrato, o interesse das partes e outras circunstâncias peculiares ao caso. 2º. A nulidade de uma cláusula contratual abusiva não invalida o contrato, exceto quando de sua ausência, apesar dos esforços de integração, decorrer ônus excessivo a qualquer das partes. 3º. (Vetado). 4º. É facultado a qualquer consumidor ou entidade que o represente requerer ao Ministério Público que ajuíze a competente ação para ser declarada a nulidade de cláusula contratual que contrarie o disposto neste Código ou que de qualquer forma não assegure o justo equilíbrio entre direitos e obrigações das partes. VENDA - Terreno. Construção nele erigida. Caracterização como acessão e não como benfeitoria. Recurso provido para esse fim. Construções e plantações não se enquadram entre as benfeitorias propriamente ditas. São acessões que obedecem às regras dos arts. 545 a 549 do CC. (TJSP - AC ª C - Rel. Des. Pereira da Silva - J ) (RJTJ ESP 162/32) JCCB.545 LOCAÇÃO - CONSTRUÇÃO NO TERRENO LOCADO - AUTORIZAÇÃO DO LOCADOR - ACESSÕES CARACTERIZADAS - SUJEIÇÃO ÀS REGRAS DOS ARTS E 549, DO CC - Construção de um Salão Comercial e um banheiro no

2 terreno locado, com autorização do locador, não se enquadra entre as benfeitorias propriamente ditas, são acessões que obedecem às regras dos arts. 545 e 549 do CC. (2º TACSP - Ap. c/rev /0-11ª C - Rel. Juiz Clovis Castelo - J ) (RT 734/381) JCCB.545 REIVINDICATÓRIA - Exceção de usucapião. Construções em terreno alheio. Direito de indenização. Retenção. O bom título caracterizador da boa posse é pressuposto essencial para o sucesso da defesa oposta na ação por meio da exceção de usucapião. A edificação em terreno alheio não se denomina juridicamente de "benfeitoria", mas de "acessão", cuja distinção é de rigor, pois que influi na geratriz dos efeitos que tocam no direito das partes (arts. 516, 545 e 547 do CC). Direito de retenção indevido. (TJRS - AC ª C - Rel. Des. Clarindo Favretto - J ) Art Na execução de sentença, proferida em ação fundada em direito real, ou em direito pessoal sobre a coisa, é lícito ao devedor deduzir também embargos de retenção por benfeitorias. 1º - Nos embargos especificará o devedor, sob pena de não serem recebidos: I - as benfeitorias necessárias, úteis ou voluptuárias; II - o estado anterior e atual da coisa; III - o custo das benfeitorias e o seu valor atual; IV - a valorização da coisa, decorrente das benfeitorias. 2º - Na impugnação aos embargos poderá o credor oferecer artigos de liquidação de frutos ou de danos, a fim de se compensarem com as benfeitorias. 3º - O credor poderá, a qualquer tempo, ser imitido na posse da coisa, prestando caução ou depositando: I - o preço das benfeitorias; II - a diferença entre o preço das benfeitorias e o valor dos frutos ou dos danos, que já tiverem sido liquidados. Art O possuidor de boa-fé tem direito à indenização das benfeitorias necessárias e úteis, bem como, quanto às voluptuárias, se lhe não forem pagas, a levantá-las, quando o puder sem detrimento da coisa. Pelo valor das benfeitorias necessárias e úteis, poderá exercer o direito de retenção. Art Ao possuidor de má-fé serão ressarcidas somente as benfeitorias necessárias; mas não lhe assiste o direito de retenção pela importância destas, nem o de levantar as voluptuárias LOCAÇÃO. INDENIZAÇÃO POR BENFEITORIAS. AÇÃO ORDINÁRIA. - Locação. Indenização por benfeitorias. Pedido formulado através de ação ordinária: possibilidade. interpretação de cláusula contratual. Coisa julgada inocorrente. Coisa julgada. Para que se possa cogitar de coisa julgada preciso e que haja analise de pedido formulado na ação e que ocorra decisão de procedência ou improcedência a seu respeito. Silenciando a sentença a respeito de pedido indenizatório feito quanto as benfeitorias introduzidas no imóvel locado, e uma vez transitada ela em julgado, não se pode como ocorrido coisa julgada quanto ao mesmo. Por isso, possível ao locatário a formulação de pedido indenizatório, sem ofensa a coisa julgada, através de ação ordinária. Preliminar rejeitada. Indenização por benfeitorias. Prevendo o contrato de locação que "a critério do locador, as benfeitorias erguidas pelo locatário, ao termino do contrato, poderão ser retiradas ou indenizadas pelo senhorio" tal importa no dever de optar por uma ou outra das modalidades, dando, em qualquer hipótese, de sua decisão conhecimento ao inquilino. Demolindo as acessões feitas, sem dar prévio conhecimento de sua decisão quanto a não permanecer com elas ao locatário, responde o locador pelos danos causados ao material ou seu desaparecimento. Estes danos indenizáveis, no entanto, devem ficar restritos aos materiais do galpão, escritório com banheiro e churrasqueira, poste de entrada de energia e caixa de medidores e cerca, excluídos serviços de aterro e de contrapiso, por apenas interessarem ao tipo de mercância exercitada pelo locatário. Estas ultimas, sob pena de ficar sem sentido a inserção das cláusulas 6ª. E 11ª., devem ficar entendidas como intencionalmente excluidas de uma possível indenização. Tal exclusão se da, até mesmo, pelo fato de, para um contrato de cinco (05) anos ter ficado previsto um locativo inalterado em seu valor. Apelação parcialmente provida. (TARS - AC ª CCiv. - Rel. Juiz Moacir Adiers - J ) JCCB.545 LOCAÇÃO - CONSTRUÇÃO NO TERRENO LOCADO - AUTORIZAÇÃO DO LOCADOR - ACESSÕES CARACTERIZADAS - SUJEIÇÃO ÀS REGRAS DOS ARTS E 549, DO CC - Construção de um Salão Comercial e um banheiro no terreno locado, com autorização do locador, não se enquadra entre as benfeitorias propriamente ditas, são acessões que

3 obedecem às regras dos arts. 545 e 549 do CC. (2º TACSP - Ap. c/rev /0-11ª C - Rel. Juiz Clovis Castelo - J ) (RT 734/381) JCCB.1254 COMODATO - BENFEITORIAS - DIREITO DE RETENÇÃO - BOA-FÉ DO COMODATÁRIO - ÓBICE DO ART DO CC - INEXISTÊNCIA - ADMISSIBILIDADE - As benfeitorias e acessões introduzidas no imóvel, de boa-fé, pelo comodatário, devem ser indenizadas, sob pena de enriquecimento ilícito do comandante, não constituindo óbice à indenização e ao ius retentionis o art do CC, que só alcança os gastos ordinários. (2º TACSP - Ap c/ rev ª C. - Rel. Juiz Batista Lopes - J ) (JTACSP 140/264) JCCB.547 EDIFICAÇÃO EM TERRENO ALHEIO - DIREITO À INDENIZAÇÃO - As construções erigidas em imóvel alheio não se denominam de "benfeitorias", mas chamam-se de "acessões", cuja distinção é de rigor, pois influi juridicamente na geratriz dos efeitos que tocam no direito das partes. Inexistindo prova de má-fé do construtor ou se a má-fé é de ambos (titular do domínio e construtor), cabe a indenização àquele que realizou as acessões em terreno alheio. Recurso provido. (TJRS - AC ª C Cível - Rel. Des. Clarindo Favretto - J ) JCCB.548 REIVINDICATÓRIA - ACESSÕES REALIZADAS NA PRESENÇA DO PROPRIETÁRIO - INDENIZAÇÃO - Equiparam-se às benfeitorias as acessões (CC, art. 516, 547 e 548). Lições da doutrina e precedente do STJ. Realizadas as acessões pelo possuidor na presença do proprietário, este deve indenizar aquele. (TJRS - AC ª C. Cív. - Rel. Des. Araken de Assis - J ) DESPEJO - FALTA DE PAGAMENTO - BENFEITORIAS - RETENÇÃO - NEGATIVA - Reconhecida a inadimplência, embora inquinado o débito de excessivo, como não foi purgada a mora da parte incontroversa do débito, procede a pretensão, porque caracterizada a infração contratual ensejadora do despejo. E indeferida a pretensão de retenção por benfeitorias e acessões feita no bojo da ação de despejo, assegurando aos apelantes buscar o que entendem de direito em ação própria. Apelo não provido. (TJRS - AC RS - 16ª C. Cív. - Rel. Des. Roberto Expedito da Cunha Madrid - J ) AÇÃO DE DESPEJO - DIREITO DE RETENÇÃO - ACESSÕES - INDEPENDENTEMENTE DE TRATAR - SE DE BENFEITORIAS OU ACESSÕES, O DIREITO DE RETENÇÃO E PLENAMENTE VIÁVEL, HAJA VISTA QUE ESTA SE EQUIPARA AS BENFEITORIAS ÚTEIS, ALÉM DO QUE, CONFORME TEM ENTENDIMENTO A JURISPRUDÊNCIA, INEXISTEM RAZÕES PARA TRATAMENTO DIFERENCIADO - VALOR DAS BENFEITORIAS - MANUTENÇÃO DO LAUDO OFICIAL - APELOS NÃO PROVIDOS. (TJRS - AC RS - 16ª C.Cív. - Rel. Des. Roberto Expedito da Cunha Madrid - J ) DESAPROPRIAÇÃO - Acessões que havia no imóvel ao tempo em que houve o a imissão provisória demolição pelo Poder Público que não o exime de indenizar o montante apurado em perícia criteriozamente elaborada- Apelação improvida- Sentença confirmada. (TJRS - AC RS - 3ª C.Cív. - Rel. Des. Nelson Antonio Monteiro Pacheco - J ) APELAÇÃO CÍVEL - AÇÃO REINVIDICATÓRIA - REQUISITOS PARA SUA PROCEDÊNCIA DEVIDAMENTE DEMONSTRADOS DIREITO DO RÉU, POSSUIDOR DE BOA FÉ, A INDENIZAÇÃO POR ACESSÕES - Sentença de improcedência reformada. Recurso provido em parte. (TJRS - AC RS - 7ª C.Cív. - Rel. Des. Lúcia de Castro Boller - J ) AÇÃO DE RESCISÃO CONTRATUAL CUMULADA COM REINTEGRAÇÃO DE POSSE - RESOLUÇÃO CONTRATUAL POR INADIMPLÊNCIA DE UM DOS CONTRATANTES - AVENÇA ANTERIOR AO CDC - INVALIDADE DE CLÁUSULAS PROCESSUAIS ABUSIVAS, FORTE NO ART. 145 E ART. 146, PARÁGRAFOS, CC - RECONHECIDA A RESOLUÇÃO, EM CASO DE INADIMPLEMENTO, IMPÕE-SE O EFEITO DA RESTITUIÇÃO DOS FIGURANTES AO ESTADO ANTERIOR COM A DEVOLUÇÃO DOS VALORES DESEMBOLSADOS PELO PROMITENTE - COMPRADOR, EXCLUÍDO PERCENTUAL DE 20% A TÍTULO DE INDENIZAÇÃO DIANTE DA OCUPAÇÃO DO IMÓVEL PELA PROMITENTE COMPRADORA - Indenização por benfeitorias. Para que tenha sucesso pretensão de indenização de benfeitorias, e indispensável que na contestação tenham sido especificadas as benfeitorias; indicando o estado anterior e o atual da coisa; declinando o custo das benfeitorias (ou acessões) e o seu valor atual; e, por fim, demonstrado a valorização da coisa, em razão das benfeitorias efetuadas. (TJRS - AC RS - 18ª C.Cív. - Rel. Des. Jorge Luis Dall'agnol - J ) LOCAÇÃO COMERCIAL. AÇÃO RENOVATÓRIA. RETOMADA. USO PRÓPRIO. RETOMADA. USO PRÓPRIO. INDENIZAÇÃO DESPESAS DE MUDANÇA E - Locação. Renovatória. Lei de luvas. Retomada para uso de sociedade. Locador sócio majoritário. Acessões. Indenização deferida. Fundo de comercio. Despesas de mudança. Indenizações desacolhidas. Alegação de afronta aos arts. 20 do Dec , 126 e 127, CPC, 547 do Código Civil. Recurso parcialmente conhecido e provido. I - No âmbito estreito do recurso especial não e viável o reexame de matéria da estreita competência das instâncias ordinárias. II - Em locação regida pela "lei de luvas", firmou-se a orientação, na doutrina e na jurisprudência, de não ser deferida indenização prevista no art. 20 do Dec na hipótese não contemplada de retomada para uso próprio. (TARS - RES ª CCiv. - Rel. Juiz Salvio de Figueiredo Teixeira - J )

4 LOCAÇÃO NÃO-RESIDENCIAL. DESPEJO. DENÚNCIA VAZIA. NOTIFICAÇÃO. - Locação não residencial. Denuncia vazia. Notificação premonitória. Eficácia. Direito de retenção. Incidência do art. 744, par. 1º do CPC. Acessões. O fato de o locador, sem ressalva, receber aluguel, mesmo depois de notificado o inquilino, não torna ineficaz a notificação que contem a denúncia do contrato. Face a natureza executiva da ação de despejo, a pretensão ao exercício do direito de retenção deve ser deduzida na própria contestação, obedecido o disposto no par. 1º do art. 744 do CPC, inclusive nos incisos III e IV, a fim de permitir ao locador efetuar o pagamento da importância correspondente ao valor atual das benfeitorias e a valorização do prédio delas proveniente, evitando-se a procrastinação do feito. Só e lícito ao locatário reter o prédio alugado por benfeitorias, não por acessões. Apelo não provido. (TARS - AC ª CCiv. - Rel. Juiz Luiz Felipe Azevedo Gomes - J ) LOCAÇÃO. - Indenização por benfeitorias e/ou acessões. Retenção. Ação de despejo. Cerceamento de defesa. Ausente prova da aquisição de acessórios do solo, e ante a antecipada renuncia, precisa e especifica, constante de contrato, não pode o locatário pretender reconhecimento de direito a retenção e indenização por tais acréscimos ao principal. Prova pericial, sobre as benfeitorias e/ou acessões, que se revela impertinente, não se configurando cerceamento de defesa pelo julgamento antecipado. Pretensão a uniformização de jurisprudência, sobre a possibilidade de retenção pelas benfeitorias necessárias, igualmente desarrazoada, pela inutilidade de tal pronunciamento no caso concreto. (TARS - AC ª CCiv. - Rel. Juiz Vanir Perin - J ) JCCB.516 PROCESSO CIVIL - EXECUÇÃO - EMBARGOS DE RETENÇÃO - REQUISITOS - ART. 744, 1º, CPC - RECURSO PROVIDO - I. Faz-se imprescindível que da petição inicial dos embargos de retenção por benfeitorias constem os requisitos elencados nos incisos (I, II, III e IV) do 1º do art. 744, CPC, sob pena de não serem recebidos. II. As acessões, para efeito do disposto nos arts. 516, CC e 744, CPC, equiparam-se a benfeitorias. (STJ - REsp SP - 4ª T. - Rel. Min. Sálvio de Figueiredo - DJU ) JCCB.516 POSSUIDOR DE BOA-FÉ - Construção. Direito de retenção. Também pelo valor da construção pode o possuidor exercer o direito de retenção. Precedentes do STJ: REsps. 739, e Cód. Civil, art (STJ - REsp RS - 3ª T. - Rel. Min. Nilson Naves - DJU ) JCCB.547 LOCAÇÃO - Renovatória. Lei de Luvas. Retomada para uso de sociedade. Locador sócio majoritário. Acessões. Indenização deferida. Fundo de comércio. Despesas de mudança. Indenizações desacolhidas. Alegação de afronta aos arts. 20 do D /34, 126 e 127, CPC, 547 do CC. No âmbito estreito do recurso especial não é viável o reexame de matéria da estreita competência das instâncias ordinárias. Em locação regida pela "Lei de Luvas", firmou-se a orientação, na doutrina e na jurisprudência, de não ser deferida indenização prevista no art. 20 do D /34 na hipótese não contemplada de retomada para o uso próprio. (STJ - REsp RS - 4ª T. - Rel. Min. Sálvio de Figueiredo - DJU ) (RJ 177/96) JCPC.126 LOCAÇÃO - RENOVATÓRIA - Lei de Luvas. Retomada para uso de sociedade. Locador sócio majoritário. Acessões. Indenização deferida. Fundo de comércio. Despesas de mudança. Indenizações desacolhidas. Alegação de afronta aos arts. 20 do Dec /34, 126 e 127, CPC, 547 do CC. No âmbito estreito do recurso especial não é viável o reexame de matéria da estreita competência das instâncias ordinárias. Em locação regida pela "Lei de Luvas", firmou-se a orientação, na doutrina e na jurisprudência, de não ser deferida indenização prevista no art. 20 do Dec /34 na hipótese não contemplada de retomada para uso próprio. (STJ - REsp RS - 4ª T. - Rel. Min. Sálvio de Figueiredo - DJU ) JCPC.460 LIMITES DE LITISCONTESTAÇÃO - REINTEGRAÇÃO DE POSSE - INDENIZAÇÃO NÃO PEDIDA - Excede as lindes da demanda a decisão que, sem pedido, defere indenização por acessões feitas em terra alheia, pelo esbulhador, ainda que reconhecendo que este agira de boa-fé. (STJ - REsp RJ - 3ª T. - Rel. Min. Dias Trindade - DJU ) JCPC.744 EMBARGOS DE RETENÇÃO POR BENFEITORIAS - QUESTÃO DA GARANTIA DO JUÍZO PELO DEPÓSITO - AÇÃO POSSESSÓRIA - EFICÁCIA EXECUTIVA LATO SENSU - As edificações, conquanto acessões industriais, equiparam-se às benfeitorias úteis, admitida a pretensão à retenção. Indispensável, todavia, na ação de execução de sentença para entrega de coisa, a segurança do juízo pelo depósito, como pressuposto à admissibilidade dos embargos de retenção. Nas ações possessórias, a sentença de procedência tem eficácia executiva lato sensu, com execução mediante simples expedição e cumprimento de um mandado. Inocorrência, nas possessórias, da dicotomia ação de cognição e ação de execução. Com maior razão, se admitidos embargos em execução possessória de reintegração, o depósito da coisa será indispensável. Recurso especial conhecido pela alínea c, mas ao qual se nega provimento. Sentença elogiada. (STJ - REsp RJ - 4ª T. - Rel. Min. Athos Carneiro - DJU ) JCPC.744 EXECUÇÃO - EMBARGOS DE RETENÇÃO POR BENFEITORIAS - REQUISITOS - CPC, ART. 744, 1º, I, II, III E IV - CC, ART I - Faz-se imprescindível que da petição inicial dos embargos de retenção por benfeitorias constem os requisitos elencados nos incisos (I, II, III e IV) do 1º do art. 744, CPC, sob pena de não serem recebidos. II - As acessões, para efeito do disposto nos arts. 516, CC e 744, CPC, equiparam-se a benfeitorias. (STJ - REsp SP - 4ª T. - Rel. Min. Sálvio de Figueiredo - DJU )

5 JCCB.1112 RECURSO ESPECIAL - Inviabilidade em relação ao ponto do julgado em que não alcançada unanimidade, ensejando apresentação de embargos infringentes. Sociedade por quotas. Responsabilidade solidária do sócio, em caso de ato de má-fé, com violação da lei e, por isso mesmo, anulado. Evicção. Indenização. O evicto há de ser indenizado amplamente, inclusive por construções que tenha erigido no imóvel. A expressão "benfeitorias", contida no artigo do Código Civil, há de ser entendida como compreendendo acessões. (STJ - REsp RJ - 3ª T. - Rel. Min. Eduardo Ribeiro - DJU p. 162) LOCAÇÃO - AÇÃO DE INDENIZAÇÃO - REMOÇÃO DE BENFEITORIAS - INTERPRETAÇÃO DE CLAUSULAS CONTRATUAL - IMPOSSIBILIDADE - 1. Tendo o Tribunal a quo interpretado que o termo "benfeitorias" foi utilizado no contrato de forma não tecnica e se refere, também, a "acessões", logo, indenizadas nos termos contratuais, e vedado a esta corte se pronunciar sobre o tema ante a aplicação da Súmula nº 5/STJ. 2. Recurso não conhecido. (STJ - REsp SP - 5ª T. - Rel. Min. Edson Vidigal - DJU p. 123) JCCB.545 COMPROMISSO DE COMPRA E VENDA - Terreno. Construção nele erigida. Caracterização como acessão e não como benfeitoria. Recurso provido para esse fim. Construções e plantações não se enquadram entre as benfeitorias propriamente ditas. São acessões que obedecem às regras dos arts. 545 a 549 do CC. (TJSP - AC ª C - Rel. Des. Pereira da Silva - J ) (RJTJ ESP 162/32) JCCB.547 INDENIZAÇÃO - Benfeitorias e acessões. Boa-fé presumida. Verba devida. Art. 547 do CC. (TJSP - AC ª C - Rel. Des. Luiz de Azevedo - J ) (RTJESP 113/176) JCCB.516 POSSESSÓRIA - Embargos de retenção por benfeitorias. Oposição por possuidor e construtor de boa-fé visando à retenção de muro que circunda o terreno e moradias de alvenaria e madeira. Inadmissibilidade. Edificações que não se destinam à conservação ou melhoria do imóvel. Caracterização de verdadeiras acessões. Pretensão somente viável em relação a benfeitorias úteis ou necessárias. Embargos incabíveis. (1º TACSP - AI ª C - Rel. Juiz Barbosa Pereira - J ) (RT 646/93) JCCB.517 PROVA - Produção. Direito à indenização pretendida. Alegação de realização de benfeitorias no imóvel, quando na realidade de acessões se tratam. Inexistência de direito à retenção, como estipula o art. 517 do CC e art. 26 da L , de Negativa de produção de prova que não se constitui em cerceamento de defesa. Recurso não provido. (2º TACSP - Ap. com Rev ª C - Rel. Juiz Ruíter Oliva - J ) (JTACSP 116/275) JCCB.547 DIREITO DE RETENÇÃO - Comodato. Acessões. Inadmissibilidade. Exegese do art. 547 do CC. Influindo a boa ou má-fé daquele que ergue construções em terreno alheio, sabendo ser alheio, cabe apenas eventual direito indenizatório, dentro do regime do art. 547 do CC, não se confundindo estas acessões com benfeitorias, na acepção jurídica do conceito. (2º TACSP - Ap. c/rev ª C - Rel. Juiz Andreatta Rizzo - J ) (JTACSP 135/339) EMBARGOS DE RETENÇÃO POR BENFEITORIAS - ACESSÃO - ART CC - INDENIZAÇÃO - Embargos de retenção. Posse de boa-fé. Aquele que edifica em terreno alheio perde as construções em proveito do proprietário, mas tendo o direito à indenização (art. 547 do CC). As edificações, conquanto acessões industriais, equiparam-se às Benfeitorias úteis, admitida a pretensão à retenção. (TJRJ - EI-AC 381/96 - (Reg ) - Cód º G.C.Civ. - Rel. Des. Amaury Arruda de Souza - J ) BENFEITORIAS - EMBARGOS POR RETENÇÃO DE BENFEITORIAS - ADMISSIBILIDADE - Admissível é sua interposição. Mesmo que tal questão não tenha sido agitada no processo de conhecimento - Dispensável, no caso, o prévio depósito da coisa, para sua interposição. Por ser desnecessário e até incompatível com a natureza do direito de retenção. Equiparam-se para fins do exercício desse direito as acessões às benfeitorias, como o entendem jurisprudência e doutrina. Inexiste violação à coisa julgada, se diverso é o objeto de ambos os embargos interpostos - Tendo a perícia comprovado o valor da indenização postulada, impõe-se o acolhimento dos embargos, para se evitar indevido locupletamento e por indemonstrada a má-fé do embargante - Provimento do recurso. (TACRJ - AC 8131/93 - (Reg. 6194) - Cód ª C. - Rel. Juiz Luiz Odilon Gomes Bandeira - J ) (Ementário TACRJ 09/94 - Ementa 36734) LOCAÇÃO COMERCIAL RENOVATÓRIA - TAXA DE RENTABILIDADE A 12% A. A - INCLUSÃO DE ACESSÕES E BENFEITORIAS - PRAZO PARA RENOVAÇÃO - SÚMULA 178 DO STF - Na fixação do valor do aluguel para o novo período, costumase utilizar o método da rentabilidade, à taxa de 12% ao ano. Devem ser consideradas, na avaliação. As acessões e benfeitorias erguidas pelo locatário no imóvel locado, se o contrato estabelece que se incorporam ao prédio, desde logo, revertendo ao patrimônio do locador. O prazo mínimo de duração do novo contrato deve ser de cinco anos. Quando o contrato renovando tem prazo superior a cinco anos, embora não exista nenhum preceito legal que vede prorroga-lo por igual prazo, a jurisprudência consagrou que a renovação deve ser feita por cinco anos. Nesse sentido, a Súmula 178, do STF. Sentença modificada. (TACRJ - AC 13464/92 - (Reg. 5349) - Cód ª C. - Rel. Juiz Mauro Fonseca Pinto Nogueira - J ) (Ementa 35577) LOCAÇÃO COMERCIAL RETOMADA - BENFEITORIAS - RETENÇÃO DO IMÓVEL POR ACESSÕES E BENFEITORIAS ÚTEIS - INDENIZAÇÃO - CLÁUSULA EXONERATIVA - VALIDADE - ART. 35 DA LEI Nº 8.245/ Retenção do imóvel por acessões e

6 benfeitorias úteis levadas ao imóvel pelo locatário. Indenização. Extensão do regime legal das benfeitorias as acessões. Posição doutrinaria-validade da cláusula exonerativa da indenização em face do disposto do art. 35 da Lei nº 8.245/1991. (TACRJ - AC 6739/93 - (Reg. 3718) - Cód ª C. - Rel. Juiz Marcus Tullius Alves - J ) (Ementa 37018) REINTEGRAÇÃO DE POSSE - BENFEITORIAS - ÁREA URBANA INVADIDA - ACESSÕES - ESBULHO - Área urbana invadida, em que os ocupantes erguem acessões para sua moradia. Deferimento da proteção possessoria ao possuidor assim esbulhado. Reconhecimento de boa-fé por parte de apenas um dos ocupantes, a quem se reconhece o direito de ser indenizado pelas acessões feitas pelo mesmo. Efeitos legais diversos, segundo se cuide de acessões ou benfeitorias efetuadas pelos ocupantes da coisa. Irreconhecível o direito de retenção pelo valor de acessões. Ainda que admitia a boa-fé de quem as edificou. (TACRJ - EIAC 304/95 - (Reg ) - Cód ª GR - Rel. Juiz Nascimento A. Povoas Vaz - J ) (Ementa 44019) JCCB.63 INDENIZAÇÃO - AÇÃO - POSSE PRECÁRIA - ACESSÕES DE BOA FÉ - Não há de merecer o tratamento legal das benfeitorias voluntárias, mas o da acessão indenizável, a edificação, pelo possuidor precário do terreno, de uma casa rústica para pesca, processada de boa fé, desde que autorizada por quem de direito. (TAMG - AC Rel. Juiz Bernardino Godinho) (RJM 31/97) POSSESSÓRIA - REINTEGRAÇÃO - ACESSÕES - BOA-FÉ - INDENIZAÇÃO - Quando a disputa da posse decorre dos títulos dominiais, não se pode conceder a tutela em favor daquele a quem evidentemente não pertencer o domínio (CC, art. 505). Quem de boa-fé edifica em terreno alheio tem direito à indenização pelas acessões (CC, art. 516). No entanto, desde o momento em que a construção é embargada, mesmo que extrajudicialmente, não há se falar em posse de boa-fé. (TJSC - AC Itajaí - Rel. Des. Newton Trisotto - C.C.Esp. - J ) JCCB.63 BENFEITORIAS - Acessões. Provada a boa-fé na realização de acessão e benfeitoria: Direito à indenização - Benfeitorias são despesas efetuadas para conservar, melhorar ou embelezar uma coisa. Classificam-se em necessárias, úteis ou voluptuárias, conforme relacionadas no art. 63 do CC. Acessões indicam acréscimos a uma coisa, a esta aderindo, conforme o preceituado no art. 536 do CC. Este instituto se caracteriza, dentre outras hipóteses, "pela construção de obras ou plantações (inciso V)''. As acessões, ainda que se possam, no rigor técnico da expressão, distinguir das benfeitorias, obedecem a normas semelhantes. Equiparam-se a benfeitorias úteis. Faz a jus à indenização, o possuidor de boa-fé, quando se comprova a realização de acessão à benfeitoria. (TJDF - AC (Reg. Ac ) - 1ª T. - Rel. Des. João Mariosa - DJU ) JCCB.536 BENFEITORIAS - Acessões. Provada a boa-fé na realização de acessão e benfeitoria: Direito à indenização. Benfeitorias são despesas efetuadas para conservar, melhorar ou embelezar uma coisa. Classificam-se em necessárias, úteis ou voluptuárias, conforme relacionadas no art. 63 do CC. Acessões indicam acréscimos a uma coisa, a esta aderindo, conforme o preceituado no art. 536 do CC. Este instituto se caracteriza, dentre outras hipóteses, "pela construção de obras ou plantações (inciso V)". As acessões, ainda que se possam, no rigor técnico da expressão, distinguir das benfeitorias, obedecem a normas semelhantes. Equiparam-se a benfeitorias úteis. Faz a jus à indenização, o possuidor de boa-fé, quando se comprova a realização de acessão à benfeitoria. (TJDF - AC (Reg. Ac ) - 1ª T. - Rel. Des. João Mariosa - DJU )

O CONGRESSO NACIONAL decreta:

O CONGRESSO NACIONAL decreta: Altera a Lei nº 8.245, de 18 de outubro de 1991, que dispõe sobre as locações de imóveis urbanos e os procedimentos pertinentes. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1º Esta Lei introduz alteração na Lei

Leia mais

SENTENÇA. Processo nº: 1026847-91.2015.8.26.0100 Classe Assunto: Procedimento Ordinário - Rescisão do contrato e devolução do dinheiro

SENTENÇA. Processo nº: 1026847-91.2015.8.26.0100 Classe Assunto: Procedimento Ordinário - Rescisão do contrato e devolução do dinheiro fls. 375 SENTENÇA Processo nº: 1026847-91.2015.8.26.0100 Classe Assunto: Procedimento Ordinário - Rescisão do contrato e devolução do dinheiro Requerente: Luiz Eduardo Possagnolo Requerido: Gafisa Spe-127

Leia mais

Apresentação: Leandro Ibagy. Vitória, mar/2010

Apresentação: Leandro Ibagy. Vitória, mar/2010 Apresentação: Leandro Ibagy Vitória, mar/2010 Ao proteger excessivamente o locatário, restringindo a reprise, ninguém mais se interessava adquirir imóveis para destiná-los a locação. Nível de aquisição

Leia mais

A previsibilidade legal da evicção consiste numa garantia de segurança do adquirente.

A previsibilidade legal da evicção consiste numa garantia de segurança do adquirente. 12 - EVICÇÃO O termo evicção traduz idéia de perda, ser vencido, perder e ocorre quando o adquirente de um bem perde a posse e a propriedade do mesmo em virtude de ato judicial ou administrativo que reconhece

Leia mais

NULIDADE POR FALTA DE INTIMAÇÃO DA AVALIAÇÃO.

NULIDADE POR FALTA DE INTIMAÇÃO DA AVALIAÇÃO. NULIDADE POR FALTA DE INTIMAÇÃO DA AVALIAÇÃO. A inexistência de intimação para o devedor se manifestar em relação à avaliação realizada implica em nulidade do processo. Esse fato macula de nulidade a arrematação

Leia mais

Direito Civil III Contratos

Direito Civil III Contratos Direito Civil III Contratos Evicção Prof. Andrei Brettas Grunwald 2011.1 1 Código Civil Artigo 447. Nos contratos onerosos, o alienante responde pela evicção. Subsiste esta garantia ainda que a aquisição

Leia mais

Rio de Janeiro, 26 de julho de 2011.

Rio de Janeiro, 26 de julho de 2011. Rio de Janeiro, 26 de julho de 2011. Ementa: Direito Administrativo e tributário. Desapropriação de imóvel urbano Responsabilidade pelo pagamento da dívida de IPTU e Compensação com o valor a ser recebido

Leia mais

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Desembargadores LUIS MARIO GALBETTI (Presidente sem voto), MIGUEL BRANDI E RÔMOLO RUSSO.

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Desembargadores LUIS MARIO GALBETTI (Presidente sem voto), MIGUEL BRANDI E RÔMOLO RUSSO. fls. 300 Registro: 2015.0000529177 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 1106882-72.2014.8.26.0100, da Comarca de São Paulo, em que é apelante ANA LIGIA PAES NASCIMENTO, é apelado

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo. Voto nº 23951

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo. Voto nº 23951 10ª Câmara Seção de Direito Privado Apelação com Revisão n 4002213-20.2013.8.26.0562 Comarca: Santos Ação: Compromisso de Venda e Compra e Repetição de indébito Apte(s).: API Assessoria Consultoria e Intermediação

Leia mais

É DEVIDO REEMBOLSO POR CANCELAMENTO DE VIAGEM POR PROBLEMAS DE SAÚDE.

É DEVIDO REEMBOLSO POR CANCELAMENTO DE VIAGEM POR PROBLEMAS DE SAÚDE. É DEVIDO REEMBOLSO POR CANCELAMENTO DE VIAGEM POR PROBLEMAS DE SAÚDE. Apelação cível. Prestação de serviços. Contratação de pacote turístico. Autora que cancelou a viagem poucos dias antes do embarque

Leia mais

Direito Civil Dr. Márcio André Lopes Cavalcante Juiz Federal

Direito Civil Dr. Márcio André Lopes Cavalcante Juiz Federal Direito Civil Dr. Márcio André Lopes Cavalcante Juiz Federal Escola Brasileira de Ensino Jurídico na Internet (EBEJI). Todos os direitos reservados. 1 Principais julgados do 1 o Semestre de 2013 Julgados

Leia mais

Nº 70034654392 COMARCA DE NOVO HAMBURGO BRUNA MACHADO DE OLIVEIRA

Nº 70034654392 COMARCA DE NOVO HAMBURGO BRUNA MACHADO DE OLIVEIRA AGRAVO DE INSTRUMENTO. DECISÃO MONOCRÁTICA. AÇÃO DE COBRANÇA DE SEGURO OBRIGATÓRIO. DPVAT. LEGITIMIDADE PASSIVA. RESPONSABILIDADE DE QUALQUER SEGURADORA INTEGRANTE DO CONSÓRCIO. INCLUSÃO DA SEGURADORA

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO fls. 314 SENTENÇA Processo Digital nº: 1120876-70.2014.8.26.0100 Classe - Assunto Procedimento Ordinário - Compra e Venda Requerente: Marcelo Mendes dos Reis Fracari Requerido: Cyrela Polinésia Empreendimentos

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 963.454 - SC (2007/0143805-5) RELATOR RECORRENTE ADVOGADOS RECORRIDO PROCURADOR INTERES. : MINISTRO PAULO DE TARSO SANSEVERINO : LIBERTY PAULISTA SEGUROS S/A : SÉRGIO ALEXANDRE SODRÉ

Leia mais

ALTERAÇÕES À LEI DE LOCAÇÃO Lei nº. 12.112/2009

ALTERAÇÕES À LEI DE LOCAÇÃO Lei nº. 12.112/2009 ALTERAÇÕES À LEI DE LOCAÇÃO Lei nº. 12.112/2009 SWISSCAM - Câmara de Comércio Suíço-Brasileira - São Paulo, Brasil - 13 de agosto de 2010 MULTA CONTRATUAL Lei nº. 8.245/91 O locatário poderia devolver

Leia mais

PEDIDO DE VISTA NA INDICAÇÃO Nº 022/2012, RELATIVA AO PROJETO DE LEI Nº 2963/11, DE RELATORIA DO DR. IVAN NUNES FERREIRA.

PEDIDO DE VISTA NA INDICAÇÃO Nº 022/2012, RELATIVA AO PROJETO DE LEI Nº 2963/11, DE RELATORIA DO DR. IVAN NUNES FERREIRA. PEDIDO DE VISTA NA INDICAÇÃO Nº 022/2012, RELATIVA AO PROJETO DE LEI Nº 2963/11, DE RELATORIA DO DR. IVAN NUNES FERREIRA. VOTO DE VISTA: FAUZI AMIM SALMEM PELA APROVAÇÃO DO RELATÓRIO, COM AS SEGUINTES

Leia mais

ACÓRDÃO. Rio de Janeiro, 05 de outubro de 2010. Desembargador ROBERTO FELINTO Relator

ACÓRDÃO. Rio de Janeiro, 05 de outubro de 2010. Desembargador ROBERTO FELINTO Relator DÉCIMA OITAVA CÂMARA CÍVEL Apelação Cível nº 0355516-46.2008.8.19.0001 Apelante 1 : AZZURRA PARIS VEÍCULOS LTDA. Apelante 2 : SUL AMÉRICA COMPANHIA NACIONAL DE SEGUROS Apelados 1 : OS MESMOS Apelado 2

Leia mais

AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO

AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO 1 1) O DIREITO MATERIAL DE PAGAMENTO POR CONSIGNAÇÃO a) Significado da palavra consignação b) A consignação como forma de extinção da obrigação c) A mora accipiendi 2 c)

Leia mais

VISTOS, relatados e discutidos, os autos acima

VISTOS, relatados e discutidos, os autos acima ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Gen ésio Gomes Pereira Filho ACÓRDÃO AGRAVO DE INSTRUMENTO N 001.2011.015750-81001 RELATOR : Dr. Aluízio Bezerra Filho, Juiz Convocado para

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO Registro: 2015.0000329XX ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº XXXXXX-42.2014.8.26.0565, da Comarca de São Caetano do Sul, em que é apelante LIBERTY INCORPORADORA LTDA, são

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.507.239 - SP (2014/0340784-3) RELATÓRIO O SENHOR MINISTRO MARCO AURÉLIO BELLIZZE: Trata-se de recurso especial interposto por Santander Leasing S.A. Arrendamento Mercantil, com fundamento

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL X EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL X EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Em ação de indenização, em que determinada empresa fora condenada a pagar danos materiais e morais a Tício Romano, o Juiz, na fase de cumprimento de sentença, autorizou

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo fls. 91 Registro: 2014.0000560120 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 4008523-94.2013.8.26.0577, da Comarca de São José dos Campos, em que é apelante ULYSSES PINTO NOGUEIRA,

Leia mais

Honorários advocatícios

Honorários advocatícios Honorários advocatícios Os honorários advocatícios são balizados pelo Código de Processo Civil brasileiro (Lei de n. 5.869/73) em seu artigo 20, que assim dispõe: Art. 20. A sentença condenará o vencido

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XV EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XV EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL João utiliza todos os dias, para retornar do trabalho para sua casa, no Rio de Janeiro, o ônibus da linha A, operado por Ômega Transportes Rodoviários Ltda. Certo

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECLAMAÇÃO Nº 14.424 - PE (2013/0315610-5) RELATORA : MINISTRA MARIA ISABEL GALLOTTI RECLAMANTE : SANTANDER LEASING S/A ARRENDAMENTO MERCANTIL ADVOGADO : ANTÔNIO BRAZ DA SILVA E OUTRO(S) RECLAMADO : SEXTA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça : UNIMED DE ARAÇATUBA - COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO EMENTA PLANO DE SAÚDE. INADIMPLÊNCIA DO SEGURADO SUPERIOR A 60 (SESSENTA) DIAS. NOTIFICAÇÃO PRÉVIA. RESCISÃO UNILATERAL. POSSIBILIDADE. 1. A rescisão

Leia mais

UARDO SA PIUIS =gsndevrl Relator

UARDO SA PIUIS =gsndevrl Relator TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SAO PAULO 28 a Câmara SEÇÃO DE DIREITO PRIVADO AGRAVO DE INSTRUMENTO N 1138257-0/0 J Comarca de SANTOS Processo 30647/97 8.V.CÍVEL TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO

Leia mais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais Número do 1.0071.07.034954-4/001 Númeração 0349544- Relator: Relator do Acordão: Data do Julgamento: Data da Publicação: Des.(a) Bitencourt Marcondes Des.(a) Bitencourt Marcondes 25/03/2009 30/04/2009

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA PODER JUDICIÁRIO Comarca de Itajaí 2ª Vara Cível. Vistos etc.

ESTADO DE SANTA CATARINA PODER JUDICIÁRIO Comarca de Itajaí 2ª Vara Cível. Vistos etc. Autos n 0020587-81.2012.8.24.0033 Ação: Procedimento Ordinário/PROC Requerente: Elio Candido Siemann Requerido: Sul América Seguro Saúde S.A e outro Vistos etc. 1. Cuida-se de ação indenizatória para pagamento

Leia mais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais Número do 1.0024.12.273016-1/001 Númeração 2730161- Relator: Relator do Acordão: Data do Julgamento: Data da Publicação: Des.(a) Marcos Lincoln Des.(a) Marcos Lincoln 11/02/2015 23/02/2015 EMENTA: APELAÇÃO

Leia mais

RESOLUÇÃO EXTRAJUDICIAL DE PROMESSA DE COMPRA E VENDA IMOBILIÁRIA POR INADIMPLEMENTO ABSOLUTO DO QUESTÕES ATUAIS E OUTRAS NEM TÃO ATUAIS...

RESOLUÇÃO EXTRAJUDICIAL DE PROMESSA DE COMPRA E VENDA IMOBILIÁRIA POR INADIMPLEMENTO ABSOLUTO DO QUESTÕES ATUAIS E OUTRAS NEM TÃO ATUAIS... RESOLUÇÃO EXTRAJUDICIAL DE PROMESSA DE COMPRA E VENDA IMOBILIÁRIA POR INADIMPLEMENTO ABSOLUTO DO COMPRADOR QUESTÕES ATUAIS E OUTRAS NEM TÃO ATUAIS... Rubens Leonardo Marin SECOVI / SP 11/05/2015 O problema:

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO A C Ó R D Ã O 3ª T U R M A PODER JUDICIÁRIO FEDERAL MEMBRO DE CONSELHO CONSULTIVO. ESTABILIDADE. DESCABIMENTO. Não faz jus à estabilidade sindical o empregado eleito pelo órgão consultivo da entidade,

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DO RIO GRANDE DO NORTE 10ª VARA CÍVEL DA COMARCA DE NATAL

PODER JUDICIÁRIO DO RIO GRANDE DO NORTE 10ª VARA CÍVEL DA COMARCA DE NATAL \d \w1215 \h1110 FINCLUDEPICTURE "brasoes\\15.bmp" MERGEFORMAT PODER JUDICIÁRIO DO RIO GRANDE DO NORTE 10ª VARA CÍVEL DA COMARCA DE NATAL Processo n. 001.08.020297-8 Ação: Ação Civil Pública Autor: Ministério

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.084.748 - MT (2008/0194990-5) RELATOR RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO SIDNEI BENETI : AGRO AMAZÔNIA PRODUTOS AGROPECUÁRIOS LTDA : DÉCIO JOSÉ TESSARO E OUTRO(S) :

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO COMARCA DE SÃO CAETANO DO SUL FORO DE SÃO CAETANO DO SUL 2ª VARA CÍVEL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO COMARCA DE SÃO CAETANO DO SUL FORO DE SÃO CAETANO DO SUL 2ª VARA CÍVEL fls. 137 CONCLUSÃO Em 24 de outubro de 2014, faço estes autos conclusos ao (à) Doutor(a) Ana Lucia Fusaro Juiz(a) de Direito. Rafael Nigoski Lopes, Assistente Judiciário. Processo nº: 1002710-42.2014.8.26.0565

Leia mais

:João Batista Barbosa - Juiz Convocado. Apelante :Unibanco AIG Seguros S/A (Adv. Vanessa Cristina de Morais Ribeiro e outros).

:João Batista Barbosa - Juiz Convocado. Apelante :Unibanco AIG Seguros S/A (Adv. Vanessa Cristina de Morais Ribeiro e outros). APELAÇÃO CÍVEL N 200.2008.032.045-61 001. Relator :João Batista Barbosa - Juiz Convocado. Apelante :Unibanco AIG Seguros S/A (Adv. Vanessa Cristina de Morais Ribeiro e outros). Apelado :Evaldo de Lima

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ.

EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ. EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ. Assunto: Desconto da Contribuição Sindical previsto no artigo 8º da Constituição Federal, um dia de trabalho em março de 2015.

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XV EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XV EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Em 2003, João ingressou como sócio da sociedade D Ltda. Como já trabalhava em outro local, João preferiu não participar da administração da sociedade. Em janeiro

Leia mais

I imii mil um mu um 1111 mu um mi m

I imii mil um mu um 1111 mu um mi m TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRÁTICA REGISTRADO(A) SOB N I imii mil um mu um 1111 mu um mi m *03083097* Vistos, relatados e discutidos estes

Leia mais

Limitações na ação de consignação em pagamento. Sumário: 1 Conceito. 2 Sua disciplina legal. 3 Limites da ação em consignação em pagamento.

Limitações na ação de consignação em pagamento. Sumário: 1 Conceito. 2 Sua disciplina legal. 3 Limites da ação em consignação em pagamento. Limitações na ação de consignação em pagamento Kiyoshi Harada* Sumário: 1 Conceito. 2 Sua disciplina legal. 3 Limites da ação em consignação em pagamento. 1 Conceito O que significa consignação em pagamento?

Leia mais

LEI DE LOCAÇÕES - ALTERAÇÕES LEGISLATIVAS

LEI DE LOCAÇÕES - ALTERAÇÕES LEGISLATIVAS LEI DE LOCAÇÕES - ALTERAÇÕES LEGISLATIVAS Diogo L. Machado de Melo Nathália Annette Vaz de Lima NORMA ANTERIOR (LEI 8245/91) ALTERAÇÃO TRAZIDA PELA LEI 12.112/09 (COM JUSTIFICATIVAS DE VETOS) (EM VIGOR

Leia mais

Processo nº 201304015410. Requerente: Elivaldo de Castro Moreira e outra. Requerido: Banco Bradesco S/A. Natureza: Anulatória SENTENÇA

Processo nº 201304015410. Requerente: Elivaldo de Castro Moreira e outra. Requerido: Banco Bradesco S/A. Natureza: Anulatória SENTENÇA Processo nº 201304015410 Requerente: Elivaldo de Castro Moreira e outra Requerido: Banco Bradesco S/A Natureza: Anulatória SENTENÇA Trata-se de Ação Anulatória de Registro de Averbação da Carta de Adjudicação

Leia mais

S UMÁRIO LOCAÇÕES E DESPEJO DOUTRINA CAPÍTULO I TEORIA GERAL DAS LOCAÇÕES IMOBILIÁRIAS

S UMÁRIO LOCAÇÕES E DESPEJO DOUTRINA CAPÍTULO I TEORIA GERAL DAS LOCAÇÕES IMOBILIÁRIAS S UMÁRIO LOCAÇÕES E DESPEJO DOUTRINA CAPÍTULO I TEORIA GERAL DAS LOCAÇÕES IMOBILIÁRIAS 1.1. Generalidades... 17 1.2. Conceito, requisitos e características... 37 1.3. Natureza jurídica do contrato de locação...

Leia mais

DESENVOLVIMENTO VÁLIDO E REGULAR DO PROCESSO - QUESTÃO DE ORDEM PÚBLICA - EXTINÇÃO DO FEITO SEM JULGAMENTO DO MÉRITO - ART. 557, DO CPC.

DESENVOLVIMENTO VÁLIDO E REGULAR DO PROCESSO - QUESTÃO DE ORDEM PÚBLICA - EXTINÇÃO DO FEITO SEM JULGAMENTO DO MÉRITO - ART. 557, DO CPC. AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 929977-6, DO FORO REGIONAL DE FAZENDA RIO GRANDE DA COMARCA DA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA - VARA CÍVEL E ANEXOS AGRAVANTE : ROBERTO GOMES DA SILVA AGRAVADO : BANCO SANTANDER

Leia mais

PODER JUDICIáRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO WILDO

PODER JUDICIáRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO WILDO REMESSA EX OFFICIO EM AÇÃO CÍVEL Nº 526414/CE (2009.81.00.014498-7) PARTE A : BERCHRIS MOURA REQUIÃO NETO ADV/PROC : MARCUS CLAUDIUS SABOIA RATTACASO E OUTROS PARTE R : UNIÃO FEDERAL REMTE : JUÍZO FEDERAL

Leia mais

OITAVA CÂMARA CÍVEL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

OITAVA CÂMARA CÍVEL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO OITAVA CÂMARA CÍVEL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO APELAÇÃO CÍVEL Nº 2008.001.56923 APELANTE: BRADESCO SAÚDE S/A APELADA: VÂNIA FERREIRA TAVARES RELATORA: DES. MÔNICA MARIA COSTA APELAÇÃO

Leia mais

SENTENÇA. Processo Digital nº: 1059894-56.2015.8.26.0100 Classe - Assunto Procedimento Ordinário - Rescisão do contrato e devolução do dinheiro

SENTENÇA. Processo Digital nº: 1059894-56.2015.8.26.0100 Classe - Assunto Procedimento Ordinário - Rescisão do contrato e devolução do dinheiro fls. 332 SENTENÇA Processo Digital nº: 1059894-56.2015.8.26.0100 Classe - Assunto Procedimento Ordinário - Rescisão do contrato e devolução do dinheiro Requerente: Marcelo Monea e outro Requerido: Vila

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo fls. 142 Registro: 2014.0000196662 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Agravo de Instrumento nº 2032279-20.2014.8.26.0000, da Comarca de, em que é agravante ENGELUX CONSTRUTORA LTDA.

Leia mais

EMENTA: AÇÃO DE COBRANÇA - SEGURO DE VIDA EM GRUPO CLAÚSULA CONTRATUAL INTERPRETAÇÃO RESTRITIVA LIMITAÇÃO DOS RISCOS COBERTOS PELO SEGURO.

EMENTA: AÇÃO DE COBRANÇA - SEGURO DE VIDA EM GRUPO CLAÚSULA CONTRATUAL INTERPRETAÇÃO RESTRITIVA LIMITAÇÃO DOS RISCOS COBERTOS PELO SEGURO. EMENTA: AÇÃO DE COBRANÇA - SEGURO DE VIDA EM GRUPO CLAÚSULA CONTRATUAL INTERPRETAÇÃO RESTRITIVA LIMITAÇÃO DOS RISCOS COBERTOS PELO SEGURO. Se a apólice exclui qualquer tipo de doença profissional ou acidente

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO fls. 180 SENTENÇA Processo Digital nº: 1021633-14.2014.8.26.0405 Classe - Assunto Procedimento Ordinário - Promessa de Compra e Venda Requerente: RAFAEL RODRIGUES e outro Requerido: IBÉRIA INCORPORADORA

Leia mais

LOCAÇÃO NÃO RESIDENCIAL

LOCAÇÃO NÃO RESIDENCIAL LOCAÇÃO NÃO RESIDENCIAL AÇÃO DE DESPEJO POR FALTA DE PAGAMENTO ARBITRAMENTO DO ALUGUEL INTERPRETAÇÃO DOS ARTS. 3.º, PARÁGRAFO ÚNICO, E 6.º E PARÁGRAFOS DO DECRETO LEI N.º 4, DE 7 DE FEVEREIRO DE 1966 Sérgio

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO SÃO PAULO

PODER JUDICIÁRIO SÃO PAULO APELAÇÃO SEM REVISÃO N º 590.556-0/9 - SÃO VICENTE Apelante: Elisabetta Maiorano (ou Elisabetta Maiorano Errico) Apelada : Manayara de Azambuja Luz AÇÃO DE DESPEJO. NOTIFICAÇÃO. Art. 47, inc. V, da Lei

Leia mais

SENTENÇA. XXXXXX-XX.2012.8.26.0100 Procedimento Ordinário - Perdas e Danos D. (Omitido) Jonica Investimentos Imobiliários Ltda.

SENTENÇA. XXXXXX-XX.2012.8.26.0100 Procedimento Ordinário - Perdas e Danos D. (Omitido) Jonica Investimentos Imobiliários Ltda. fls. 1 SENTENÇA Processo nº: Classe - Assunto Requerente: Requerido: XXXXXX-XX.2012.8.26.0100 Procedimento Ordinário - Perdas e Danos D. (Omitido) Jonica Investimentos Imobiliários Ltda. (Tecnisa) Juiz(a)

Leia mais

Incidência ou não do ITBI sobre o valor do bem excedente ao do capital integralizado

Incidência ou não do ITBI sobre o valor do bem excedente ao do capital integralizado Incidência ou não do ITBI sobre o valor do bem excedente ao do capital integralizado Kiyoshi Harada* Grassa séria controvérsia doutrinária e jurisprudencial quanto à questão de saber se incide ou não o

Leia mais

Ações Possessórias. Grace Mussalem Calil 1 INTRODUÇÃO

Ações Possessórias. Grace Mussalem Calil 1 INTRODUÇÃO Ações Possessórias 131 INTRODUÇÃO Conceito: Grace Mussalem Calil 1 Há duas principais teorias sobre a posse: a Subjetiva de Savigny e a Objetiva de Ihering. Para Savigny, a posse é o poder físico sobre

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo TRIBUNAL DE JUSTIÇA São Paulo fls. 1 Registro: 2015.0000744029 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0005193-94.2014.8.26.0619, da Comarca de Taquaritinga, em que é apelante

Leia mais

Repercussões do novo CPC para o Direito Contratual

Repercussões do novo CPC para o Direito Contratual Repercussões do novo CPC para o Direito Contratual O NOVO CPC E O DIREITO CONTRATUAL. PRINCIPIOLOGIA CONSTITUCIONAL. REPERCUSSÕES PARA OS CONTRATOS. Art. 1 o O processo civil será ordenado, disciplinado

Leia mais

TURMA RECURSAL ÚNICA J. S. Fagundes Cunha Presidente Relator

TURMA RECURSAL ÚNICA J. S. Fagundes Cunha Presidente Relator RECURSO INOMINADO Nº 2006.3281-7/0, DO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL DA COMARCA DE FAZENDA RIO GRANDE RECORRENTE...: EDITORA ABRIL S/A RECORRIDO...: RAFAELA GHELLERE DAL FORNO RELATOR...: J. S. FAGUNDES CUNHA

Leia mais

1) (OAB137) José alienou a Antônio um veículo anteriormente adquirido de Francisco. Logo depois, Antônio foi citado em ação proposta por Petrônio, na

1) (OAB137) José alienou a Antônio um veículo anteriormente adquirido de Francisco. Logo depois, Antônio foi citado em ação proposta por Petrônio, na 1) (OAB137) José alienou a Antônio um veículo anteriormente adquirido de Francisco. Logo depois, Antônio foi citado em ação proposta por Petrônio, na qual este reivindicava a propriedade do veículo adquirido

Leia mais

Precedente da Câmara. APELAÇÃO DESPROVIDA. EDUARDO SANTOS DA SILVA

Precedente da Câmara. APELAÇÃO DESPROVIDA. EDUARDO SANTOS DA SILVA APELAÇÃO CÍVEL. REINTEGRAÇÃO DE POSSE. HOMOLOGAÇÃO DE ACORDO APRESENTADO EM JUÍZO. RECURSO DO RÉU. A transação em juízo não exige a intervenção de advogados, restando válido o acordo pactuado no presente

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XV EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XV EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL ENUNCIADO João utiliza todos os dias, para retornar do trabalho para sua casa, no Rio de Janeiro, o ônibus da linha A, operado por Ômega Transportes Rodoviários Ltda.

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg nos EDcl no AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 694.688 - SP (2005/0121691-5) RELATOR : MINISTRO FELIX FISCHER AGRAVANTE : ANELINO ANTONIO RODRIGUES ADVOGADO : HERTZ JACINTO COSTA AGRAVADO : INSTITUTO NACIONAL

Leia mais

APELAÇÃO CÍVEL Ng- 018.2006.002439-7/001 (Oriunda da 4fī Vara da Comarca de Guarabira/PB)

APELAÇÃO CÍVEL Ng- 018.2006.002439-7/001 (Oriunda da 4fī Vara da Comarca de Guarabira/PB) ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. MANOEL SOARES MONTEIRO DECISÃO APELAÇÃO CÍVEL Ng- 018.2006.002439-7/001 (Oriunda da 4fī Vara da Comarca de Guarabira/PB) RELATOR APELANTE

Leia mais

PRESSUPOSTOS SUBJETIVOS DE ADMISSIBILIDADE RECURSAL: - Possui legitimidade para recorrer quem for parte na relação jurídica processual.

PRESSUPOSTOS SUBJETIVOS DE ADMISSIBILIDADE RECURSAL: - Possui legitimidade para recorrer quem for parte na relação jurídica processual. PRESSUPOSTOS SUBJETIVOS DE ADMISSIBILIDADE RECURSAL: - Legitimidade - art. 499 CPC: - Possui legitimidade para recorrer quem for parte na relação jurídica processual. Preposto é parte? Pode recorrer? NÃO.

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.376.550 - RS (2012/0256822-0) RELATOR : MINISTRO MOURA RIBEIRO RECORRENTE : COMPANHIA DE SEGUROS ALIANÇA DO BRASIL ADVOGADOS : CANDIDO RANGEL DINAMARCO E OUTRO(S) MAURO FITERMAN E

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO 9ª Câmara de Direito Privado ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO 9ª Câmara de Direito Privado ACÓRDÃO Registro: 2014.0000760XXX ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0057XXX- 94.2009.8.26.0405, da Comarca de Osasco, em que é apelante COOPERATIVA HABITACIONAL PLANALTO, é apelado

Leia mais

APELAÇÃO SEM REVISÃO Nº 863.771-0/2 Mogi das Cruzes Apelante: Maurício Guina Pires Apelado: Arnaldo Rufino Lopes Parte: Wagner Alves da Silva

APELAÇÃO SEM REVISÃO Nº 863.771-0/2 Mogi das Cruzes Apelante: Maurício Guina Pires Apelado: Arnaldo Rufino Lopes Parte: Wagner Alves da Silva APELAÇÃO SEM REVISÃO Nº 863.771-0/2 Mogi das Cruzes Apelante: Maurício Guina Pires Apelado: Arnaldo Rufino Lopes Parte: Wagner Alves da Silva EMBARGOS À EXECUÇÃO. AÇÃO DE DESPEJO POR FALTA DE PAGAMENTO

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PODER JUDICIÁRIO

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PODER JUDICIÁRIO SEXTA CÂMARA CÍVEL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Agravo de Instrumento nº 0030022-85.2013.8.19.0000 Agravante: LUCIENE FERREIRA DA SILVA Agravado: LEASING PANAMÁ EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS LTDA Relatora: DES.

Leia mais

C O N C L U S Ã O S E N T E N Ç A

C O N C L U S Ã O S E N T E N Ç A fls. 360 C O N C L U S Ã O Em 31 de agosto de 2015 faço estes autos conclusos ao(à) MM(a). Juiz(a) de Direito Dr(a). Eduardo Palma Pellegrinelli. Eu (Eduardo Palma Pellegrinelli), Juiz de Direito, subscrevi.

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO ACÓRDÃO Registro: 2013.0000166668 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 0203107-50.2009.8.26.0100, da Comarca de São Paulo, em que é apelante VERSAILLES INCORPORADORA SPE LTDA, são

Leia mais

APELAÇÃO CÍVEL Nº 39382-69.2010.8.09.0051 (201090393822) GOIÂNIA

APELAÇÃO CÍVEL Nº 39382-69.2010.8.09.0051 (201090393822) GOIÂNIA APELAÇÃO CÍVEL Nº 39382-69.2010.8.09.0051 (201090393822) GOIÂNIA APELANTE: APELADO: RELATOR: CÂMARA: RAIMUNDO JOAQUIM QUEIROZ E OUTRO (S) WANDER ROSA JÚNIOR MARCUS DA COSTA FERREIRA JUIZ DE DIREITO SUBSTITUTO

Leia mais

ÍNDICE. Esta oportunidade... Prefácio... PARTE I LOCAÇÃO DE IMÓVEL URBANO: CONCEITO, CARACTERES GERAIS E ELEMENTOS ESSEN CIA IS...

ÍNDICE. Esta oportunidade... Prefácio... PARTE I LOCAÇÃO DE IMÓVEL URBANO: CONCEITO, CARACTERES GERAIS E ELEMENTOS ESSEN CIA IS... ÍNDICE Esta oportunidade... Prefácio... PARTE I LOCAÇÃO DE IMÓVEL URBANO: CONCEITO, CARACTERES GERAIS E ELEMENTOS ESSEN CIA IS... XXI XXV I PARTE II CO M EN TÁ RIO S À L E I N. 8.245, DE 18 DE OUTUBRO

Leia mais

XV Exame de Ordem 2ª Fase OAB Civil - ProfessorAoVivo Qual a peça Juquinha? Prof. Darlan Barroso

XV Exame de Ordem 2ª Fase OAB Civil - ProfessorAoVivo Qual a peça Juquinha? Prof. Darlan Barroso XV Exame de Ordem 2ª Fase OAB Civil - ProfessorAoVivo Qual a peça Juquinha? Prof. Darlan Barroso 2ª Fase OAB - Civil Juquinha Junior, representado por sua genitora Ana, propôs ação de investigação de paternidade

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo fls. 168 Registro: 2015.0000424279 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 1034086-83.2014.8.26.0100, da Comarca de, em que é apelante LUIS EDUARDO DA SILVA NAVES, é apelado TEC

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SAO PAULO - SEÇÃO DE DIREITO PRIVADO. 30 a Câmara

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SAO PAULO - SEÇÃO DE DIREITO PRIVADO. 30 a Câmara DO ESTADO DE SAO PAULO - SEÇÃO DE DIREITO PRIVADO 30 a Câmara AGRAVO DE INSTRUMENTO No.1204235-0/4 Comarca cie SÃO CAETANO DO SUL Processo 2789/08 3.V.CÍVEL DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRATICA REGISTRADO(A)

Leia mais

DECISÃO. Relatório. Tem-se do voto condutor do julgado recorrido:

DECISÃO. Relatório. Tem-se do voto condutor do julgado recorrido: DECISÃO RECURSO EXTRAORDINÁRIO. CONSTITUCIONAL. DESAPROPRIAÇÃO POR INTERESSE SOCIAL PARA FINS DE REFORMA AGRÁRIA. CLASSIFICAÇÃO DA PROPRIEDADE RURAL. INCLUSÃO DE ÁREAS NÃO APROVEITÁVEIS. PRECEDENTE DO

Leia mais

TEORIA GERAL DOS PROCEDIMENTOS ESPECIAIS

TEORIA GERAL DOS PROCEDIMENTOS ESPECIAIS Programa de Pós-Graduação em Direito Processual Civil Tema: TEORIA GERAL DOS PROCEDIMENTOS ESPECIAIS 1 I - CONCEITO a) Espécie de procedimento (de conhecimento) Processo de Conhecimento Procedimento Comum

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO 37ª Câmara de Direito Privado

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO 37ª Câmara de Direito Privado ACÓRDÃO Registro: 2014.0000726618 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 1007380-59.2014.8.26.0554, da Comarca de Santo André, em que é apelante JOSÉ RIBEIRO, é apelado KOPLENO PRODUTOS

Leia mais

A responsabilidade do inquilino pelo pagamento do IPTU Imposto Predial e Territorial Urbano, relativo ao imóvel locado.

A responsabilidade do inquilino pelo pagamento do IPTU Imposto Predial e Territorial Urbano, relativo ao imóvel locado. A responsabilidade do inquilino pelo pagamento do IPTU Imposto Predial e Territorial Urbano, relativo ao imóvel locado. RONALDO MARTON Consultor Legislativo da Área III Tributação, Direito Tributário MARÇO/2006

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO fls. 2 Registro: 2015.0000086160 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0011047-84.2013.8.26.0011, da Comarca de São Paulo, em que é apelante ORDALIA REGINA DA SILVA BUSO, são

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO fls. 359 ACÓRDÃO Registro: 2014.0000557534 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 1043649-38.2013.8.26.0100, da Comarca de São Paulo, em que é apelante AMIL SAÚDE S/A, é apelado FELLIPE

Leia mais

Lição 15. Locação Locação de coisas

Lição 15. Locação Locação de coisas Lição 15. Locação No direito romano, a locação se dividia em locação de coisas e locação de serviços (trabalho). O CC/16 apresentava o contrato de prestação de serviços como locação de serviços. O CC/02

Leia mais

CONCLUSÃO. Em 10 de junho de 2015, submeto estes autos à conclusão do Dr. GUSTAVO DALL'OLIO, MM. Juiz de Direito. Eu, (Mariana Gatti Pontes), subscr.

CONCLUSÃO. Em 10 de junho de 2015, submeto estes autos à conclusão do Dr. GUSTAVO DALL'OLIO, MM. Juiz de Direito. Eu, (Mariana Gatti Pontes), subscr. fls. 302 CONCLUSÃO Em 10 de junho de 2015, submeto estes autos à conclusão do Dr. GUSTAVO DALL'OLIO, MM. Juiz de Direito. Eu, (Mariana Gatti Pontes), subscr. SENTENÇA Processo nº: 1008716-34.2015.8.26.0564

Leia mais

CONTRATO DE LOCAÇÃO NÃO RESIDENCIAL

CONTRATO DE LOCAÇÃO NÃO RESIDENCIAL DOS NEGÓCIOS JURÍDICOS É o ato de vontade que, por se conformar com os mandamentos da lei e a vocação do ordenamento jurídico, confere ao agente os efeitos por ele almejados. ELEMENTOS ESTRUTURAIS I -ESSENCIAIS

Leia mais

PODER JUDICIáRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO

PODER JUDICIáRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO PARTE A ADV/PROC PARTE R REPTE ORIGEM RELATOR : JORGEVALDO ROBINSTON DE MOURA : FÁBIO CORREA RIBEIRO E OUTROS : INSS INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL : PROCURADORIA REPRESENTANTE DA ENTIDADE : JUÍZO

Leia mais

(ambas sem procuração).

(ambas sem procuração). ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa AGRAVO DE INSTRUMENTO N. 001.2009.006097-9 / 001 Relator: Des. José Di Lorenzo Serpa. Agravante: Itatj Seguros S/A. Advogado:

Leia mais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais Número do 1.0024.05.900483-8/001 Númeração 9004838- Relator: Relator do Acordão: Data do Julgamento: Data da Publicação: Des.(a) Luciano Pinto Des.(a) Luciano Pinto 05/02/2009 27/02/2009 EMENTA: APELAÇÃO

Leia mais

CURSO DE DIREITO ADMINISTRATIVO Rafael Carvalho Rezende Oliveira 2ª para 3ª edição

CURSO DE DIREITO ADMINISTRATIVO Rafael Carvalho Rezende Oliveira 2ª para 3ª edição A 3ª edição do livro CURSO DE DIREITO ADMINISTRATIVO foi atualizada com o texto do PL de novo CPC enviado pelo Congresso Nacional à sanção presidencial em 24.02.2015. Em razão da renumeração dos artigos

Leia mais

AGRAVO DE INSTRUMENTO: Conceito: é o recurso adequado para a impugnação das decisões que denegarem seguimento a outro recurso.

AGRAVO DE INSTRUMENTO: Conceito: é o recurso adequado para a impugnação das decisões que denegarem seguimento a outro recurso. AGRAVO DE INSTRUMENTO: Conceito: é o recurso adequado para a impugnação das decisões que denegarem seguimento a outro recurso. Por que se diz instrumento: a razão pela qual o recurso se chama agravo de

Leia mais

ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DESEMBARGADOR RAIMUNDO NONATO SILVA SANTOS

ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DESEMBARGADOR RAIMUNDO NONATO SILVA SANTOS fls. 122 Processo: 0135890-46.2012.8.06.0001 - Apelação Apelante: Sindicato dos Guardas Municipais da Região Metrolitana de Fortaleza - SINDIGUARDAS Apelado: Município de Fortaleza Vistos etc. DECISÃO

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa

ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa Agravo de Instrumento n 2 073.2012.001287-4 /001 Relator: Des. José Di Lorenzo Serpa Agravante: Marina Jacaré Clube Advogado:

Leia mais

TEORIA DAS AÇÕES POSSESSÓRIAS

TEORIA DAS AÇÕES POSSESSÓRIAS TEORIA DAS AÇÕES POSSESSÓRIAS Há duas teorias fundamentais voltadas à conceituação da posse -Teoria subjetiva (clássica): foi desenvolvida por Savigny, para esta teoria a posse decorre da conjugação de

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.434.491 - MG (2012/0121695-4) RELATOR : MINISTRO PAULO DE TARSO SANSEVERINO RECORRENTE : LAPA INCORPORAÇÕES EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS E SERVIÇOS S/A ADVOGADO : RAIMUNDO FREITAS

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO SEGUNDO TRIBUNAL DE ALÇADA CIVIL DÉCIMA CÂMARA

PODER JUDICIÁRIO SEGUNDO TRIBUNAL DE ALÇADA CIVIL DÉCIMA CÂMARA APELAÇÃO COM REVISÃO N º 641.562-0/7 CAMPINAS Apelante: Lafontes Seguros Administração e Corretora de Seguros S. C. Ltda. Apelada : Margarida da Cunha Santos AÇÃO DE COBRANÇA. EMBARGOS À EXECUÇÃO. CERCEAMENTO

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo Registro: 2014.0000422XXX ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº XXXXXX- XX.2008.8.26.0000, da Comarca de, em que são apelantes GUILHERME (Omitido) e outras, são apelados KLASELL

Leia mais

O DIREITO DE ARREPENDIMENTO NA INCORPORAÇÃO IMOBILIÁRIA POR PARTE DO COMPRADOR.

O DIREITO DE ARREPENDIMENTO NA INCORPORAÇÃO IMOBILIÁRIA POR PARTE DO COMPRADOR. O DIREITO DE ARREPENDIMENTO NA INCORPORAÇÃO IMOBILIÁRIA POR PARTE DO COMPRADOR. BRUNO MATTOS E SILVA O DIREITO DE ARREPENDIMENTO NA INCORPORAÇÃO IMOBILIÁRIA POR PARTE DO COMPRADOR. BRUNO MATTOS E SILVA

Leia mais

Vigésima Sétima Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro

Vigésima Sétima Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro APELAÇÃO CÍVEL Nº 0460569-74.2012.8.19.0001 APELANTE: ALINE ALMEIDA PERES APELADO: INSTITUTO BRASILEIRO DE MEDICINA DE REABILITAÇÃO LTDA RELATOR: DES. FERNANDO ANTONIO DE ALMEIDA APELAÇÃO CÍVEL DIREITO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 814.808 - DF (2015/0292510-8) RELATOR AGRAVANTE ADVOGADO AGRAVADO AGRAVADO ADVOGADOS : MINISTRO MOURA RIBEIRO : BOULEVARD EMPREENDIMENTOS IMOBILIARIOS LTDA : LUCIANO ANDRADE

Leia mais

DA PETIÇÃO INICIAL. Des. ANA MARIA DUARTE AMARANTE BRITO

DA PETIÇÃO INICIAL. Des. ANA MARIA DUARTE AMARANTE BRITO DA PETIÇÃO INICIAL Des. ANA MARIA DUARTE AMARANTE BRITO DA PETIÇÃO INICIAL - Requisitos Petição inicial como veículo da ação. Art. 282. A petição inicial indicará: I - o juiz ou tribunal, a que é dirigida;

Leia mais