Pilar do edifício. Ensino Superior. I.S. Agronomia Inovação e Conhecimento

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Pilar do edifício. www.inedia.net. Ensino Superior. I.S. Agronomia Inovação e Conhecimento"

Transcrição

1 ~ Junho 2008 INOVAÇAO &Ensino Superior Edições Esta revista é distribuída a nivel nacional com o jornal Público de e não pode ser vendida separadamente I.S. Agronomia Inovação e Conhecimento AESE Uma escola avançada de negócios com diploma AESE / IESE F. Letras Lisboa Oferta formativa inovadora adaptada ao mundo da globalização U. Técnica Lisboa Na liderança científica nacional I.P. Viana Castelo Formar os agentes de transformação da região E.S. Educação João de Deus A mais antiga e pioneira escola de educação portuguesa CESPU Oferta formativa de excelência em todas as áreas da saúde F. Direito Lisboa Credibilidade científica socialmente reconhecida Ensino Superior Pilar do edifício Lusófona A mais global das universidades ISG A escola de negócios da Lusofonia F. Ciências Lisboa 5% da produção científica nacional científico e tecnológico

2

3 12 ISG A escola de negócios da Lusofonia 8 AESE Uma escola avançada de negócios com diploma AESE/IESE 10 FLUL Oferta formativa inovadora adaptada ao mundo da globalização 14 IPVC Formar os agentes de transformação da região 18 UTL Na liderança científica nacional 28 ISA Inovação e Conhecimento 13 Lusófona A mais global das universidades 16 E.S. Educação João de Deus A mais antiga e pioneira escola de educação portuguesa 26 CESPU Oferta formativa de excelência em todas as áreas da saúde 30 FCUL 5% da produção científica nacional 36 FDL Credibilidade científica socialmente reconhecida Edições Inédia. Propriedade, direcção, redacção, design e publicidade: Inédia, Rua 25 de Abril, n.º 35-1º Malveira Tel.: Paginação electrónica: Full Design Fotografia: Rui Soares e Arménio Belo Impressão: Mirandela Distribuição nacional de exemplares com o jornal Público

4 Destaque Não será por acaso que ainda recentemente se anunciava que, pela de tecnologia superaram as importações. O panorama científico português tem vindo a evoluir significativamente nos últimos anos, num movimento acompanhado pela alteração substancial do papel e do contributo do Ensino Superior, que se assume como o principal pilar do seu desenvolvimento. A pesar do muito que ainda haverá para fazer a vários níveis, despontam os primeiros sinais e tendências de sucesso. E muitos passam por algumas Universidades que assumem a liderança na condução do edifício científico-tecnológico nacional para os caminhos da competitividade internacional e na competição global pelo conhecimento. Aliás, o Ensino Superior e, muito especialmente as grandes universidades nacionais ainda que pequenas à escala internacional é o principal destinatário dos investimentos do Estado à Ciência e Tecnologia. Congregando a maioria dos centros de investigação e conhecimento especializado, a maioria dos doutorados e investigadores, as mais elevadas taxas de participação em redes internacionais de transferência de conhecimento, as universidades e politécnicos têm sabido, cada vez melhor, converter os fundos recebidos em produtividade científica. Nos últimos oito anos a soma da produção científica do Ensino Superior público (universitário e politécnico) e da Universidade Católica praticamente duplicou, passando artigos científicos citáveis, publicados no ano de 2000, para os em Neste panorama destacaram-se duas Universidades: a Universidade Técnicade Lisboa e a Universidade do Porto, que neste período publicaram, respectivamente, um total de e artigos citáveis. Ou seja, estas duas instituições, no conjunto, foram responsáveis por cerca de 1/3 do total de publicações do ensino superior nacional nos oito anos em referência. Se nem todas as unidades do Ensino Superior alcançaram níveis de sucesso tão expressivos - destacando-se as Grandes Universidades que partiram de bases mais avançadas no que se refere a número de docentes doutorados e investigadores, centros de Investigação, participação em centros e projectos de investigação nacionais e internacionais -, o certo é que, particularmente a partir de Bolonha, todas conhece- Ensino Superior Pilar do edif e tecnológic 4 Inovação & Ensino Superior

5 primeira vez, as exportações portuguesas ram evoluções na qualidade, produtividade e competitividade científica, procedendo à crescente adequação da sua oferta formativa às necessidades do mercado, à empregabilidade dos alunos e à dinamização do empreendorismo. A exigência de novos ratios de doutorados na docência e na investigação, a par da escassez de alunos de licenciatura, tornaram os mestrados e doutoramentos uma prioridade na oferta formativa do Ensino Superior, com todas as escolas a investirem fortemente na qualificação do corpo docente e na criação de novas áreas e cursos de doutoramento e pós-doutoramento. As bolsas de doutoramento concedidas pela FCT, saltaram de em 2004, para este ano, com as de pós-doutoramento a duplicarem, evoluindo de 427 para 898. Nesse mesmo período o número de investigadores a tempo inteiro nas unidades de I&D e Laboratórios Associados, cresceu em cerca de 3 mil neste mesmo período,... Nos últimos oito anos a soma da produção científica do Ensino Superior público (universitário e politécnico) e da Universidade Católica praticamente duplicou ício científico o nacional Inovação & Ensino Superior 5

6 O objectivo apontado pelo Governo é atingir os 5,5 investigadores a partindo da base de 3,5 em 2003 e passar de para novos doutoramentos por... tividade do Ensino Superior português. passando de para , estando agora a decorrer o concurso para a contratação de mais novos investigadores doutorados até No centro deste movimento de doutoramentos está o Ensino Superior. O objectivo apontado pelo Governo é atingir os 5,5 investigadores a tempo inteiro por mil activos, partindo da base de 3,5 em 2003 e passar de para novos doutoramentos por ano. Objectivos aos quais o Ensino Superior está a adaptar-se, ampliando em muito as suas propostas de cursos de doutoramento e participação em projectos de investigação. Muitas são as escolas que, nos últimos dois anos, conseguiram alargar muito significativamente a sua oferta de vagas para cursos muitos deles inovadores - de 3º ciclo Escassez de alunos de licenciatura Bolonha, ao estabelecer um sistema de equivalências e validações curriculares por créditos universalmente reconhecidos, abriu caminho à mobilidade de professores e alunos, lançando os alicerces de competi- Bolonha, por um lado, o novo sistema de financiamento do ensino superior, por outro, e a entrada em vigor do novo sistema de avaliação do Ensino Superior - na base de critérios que levam em conta indicadores como o número de doutorados entre os docentes, a produtividade científica, a empregabilidade dos alunos, a participação em projectos de investigação -, tornam as escolas e os cursos objectivamente comparáveis, permitindo aos alunos opções mais objectivas, criteriosas e fundamentadas, o que, por uma questão de sobrevivência, impele as instituições de ensino para o caminho da procura da excelência em todos os indicadores e vertentes de actividade. O princípio da empregabilidade, como critério de lançamento e avaliação dos cursos, tem vindo a afirmar-se nos últimos anos. Uma tendência positiva que tem empurrado o edifício de conhecimento e formação português em direcção ao mercado e conduzido à sua maior integração, interacção e participação no tecido económico e social, revelando já os primeiros reflexos positivos na própria evolução das qualificações e 6 Inovação & Ensino Superior

7 tempo inteiro por mil activos, ano. competitividade da sociedade e da economia a nível nacional e regional. Não será por acaso que ainda recentemente se anunciava que, pela primeira vez, as exportações portuguesas de tecnologia superavam as importações. Num quadro de escassez de alunos para preencher todas as vagas disponibilizadas, entramos num novo patamar de competitividade entre escolas, que passam a concorrer a nível nacional e internacional pela conquista de novos alunos de licenciatura e pós-graduação. Veja-se o exemplo da Medicina, em que à limitação das vagas em Portugal os alunos procuram escolas no estrangeiro, designadamente em Espanha, Inglaterra e República Checa, devendo neste momento ser maior número de estudantes portugueses inscritos em cursos de Medicina no estrangeiro do que os que entram nas faculdades médicas nacionais. Para alguns países a captação de alunos portugueses para as suas Faculdades de Medicina tornou-se numa operação oficial, com direito a recepção anual dos novos alunos na respectiva Embaixada. Inovação & Ensino Superior 7

8 Inovação A AESE, como escola de negócios, fornece aos seus alunos visão estratégica e pistas de liderança, abrindo-lhes novas perspect disponibilidade para a participação dos alunos no trabalho de equipa e nas discussões plenárias. Cada um partilha os seus conhecimentos e experiências em torno dos casos a discutir, e a diversidade dos pontos de vista fundamentados é enriquecedora para todos, explica Eugénio Viassa Monteiro. O currículo do Executive MBA integra um vasto conjunto de disciplinas nas áreas de negócios, de que são exemplo as de Inovação, Governo de Organizações Sociais e a de Novas Aventuras Empresawww.aese.pt AESE - Escola de Direcção e Negócios Uma escola avançada de com diploma da AESE/ É uma escola avançada de negócios especialmente vocacionada para a formação pós-graduada de quadros e executivos empresariais, com uma experiência profissional mínima de cinco anos. O seu Executive MBA distingue-se por incluir duas semanas intensivas de trabalho em duas das mais prestigiadas escolas internacionais de negócios, localizadas nos dinâmicos e produtivos centros de conhecimento: Ross School of Business, no estado de Michigan, nos EUA, e o Indian Institute of Management (IIM), de Bangalore, na Índia, ambas destino de pós-graduação, doutoramento e estudos avançados de executivos de topo de todo o Mundo. Os diplomas são emitidos pela AESE/IESE, esta última cotada entre as 5 melhores escolas de negócios da Europa. A postando na formação avançada, os seus programas são orientados para o desenvolvimento do espírito de empreendorismo e de liderança dos participantes, constituindo-se como um verdadeiro viveiro de empreendedores e projectos inovadores. A nossa missão é espicaçar a curiosidade, a iniciativa e a criatividade, numa perspectiva de dinamização de descoberta de novas oportunidades de iniciativas inovadoras pelos nossos alunos, explica o carismático Director do Comité do Executive MBA da AESE, Eugénio Viassa Monteiro. Na oferta formativa da AESE destacam-se o Executive MBA, com a 8ª edição agendada para decorrer entre 3 de Outubro de 2008 e Junho de Este MBA acolhe entre 40 a 45 alunos, admitidos na base de rigorosos critérios de selecção: uma licenciatura; 5 anos de experiência profissional; um exame de admissão; e disponibilidade efectiva para os trabalhos lectivos. O MBA da AESE implica uma grande Eugénio Viassa Monteiro EMPREGABILIDADE & EMPREENDORISMO Sociedade de Capital de Risco apoia projectos inovadores Os participantes do Executive MBA da AESE integram grupos de trabalho de 3 ou 4 alunos e desenvolvem projectos empresariais, com o apoio de um professor ou de um dirigente, explica Viassa Monteiro, revelando que alguns projectos já foram levadas à prática, com sucesso. Criámos uma Sociedade de Capital de Risco, designada por NAVES, SCR, para alavancar iniciativas empresariais, complementa o responsável do Executive MBA. 8 Inovação & Ensino Superior

9 instrumentos de empreendorismo criativo, conhecimento, ivas profissionais. negócios IESE riais (NAVES). Se a cadeira de Inovação apela à criatividade, análise e exploração de ideias inovadoras, a NAVES, com sentido empreendedor, convida ao desenvolvimento das capacidades de concretização de projectos empresariais. A disciplina de Governo das Organizações Sociais, pioneira em Portugal aquando da criação do Executive MBA em 2001, inspirou-se nos mais impactantes projectos mundiais na área da economia social como o microcrédito, idealizado por Muhammad Yunus e pelo Grameen Bank, ou o Aravind Eye Care System - uma vasta rede de hospitais que prestam tratamentos gratuitos de oftalmologia, incluindo cirurgias, à população pobre da Índia através do financiamento obtido com a prestação de serviços de saúde pagos a 35% dos seus utentes com poder económico. Com pioneirismo, a AESE frequentemente convida vultos de referência mundial para participarem em seminários e conferências destinadas aos dirigentes de topo, seus MBA s e participantes noutros programas. A AESE, como Escola de Negócios, fornece aos seus alunos instrumentos de empreendorismo criativo, conhecimentos, visão estratégica e pistas de liderança, abrindo-lhes novas perspectivas profissionais, conclui o director do Comité do Executive MBA. NOVAS OFERTAS FORMATIVAS Oferta formativa pioneira A par do Executive MBA, a AESE disponibiliza o Programa de Alta Direcção de Empresas (PADE), o Programa de Alta Direcção das Instituições de Saúde (PADIS), e o Programa de Direcção de Empresas (PDE). Oferecendo um plano de estudos compatível com a ocupação profissional dos participantes, exige a presença em dois meios-dias por semana e o estudo prévio de 2:15 horas por Caso. Estes programas para dirigentes utilizam o Método do Caso da Harvard University. Fizeram os programas de aperfeiçoamento muitos dirigentes inscritos pelas próprias organizações, a colaborar em grandes e diversas empresas, indica Viassa Monteiro. MAIS-VALIAS DISTINTIVAS MBA com diploma AESE/IESE No Executive MBA, a par das semanas intensivas na Ross School of Business de Michigan, nos EUA e no Indian Institute of Management de Bangalore, na Índia, a AESE acrescenta importantes mais-valias de um corpo docente com vasta experiência empresarial para além da preparação científica e académica. Inovação & Ensino Superior 9

10 Ensino Superior Os recém-criados cursos de Estudos Asiáticos e de com particular destaque para o Mandarim (Chinês) e Indhi Emblemática escola de Humanidades e Artes, depositária de décadas de conhecimento do universalismo cultural português, a Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (FLUL) alavanca nesse património o seu agiornamento e a sua projecção no futuro, no que o Professor Álvaro Pina, presidente do Conselho Directivo da Escola, define como um processo de adaptação às exigências e necessidades formativas de um mercado globalizado, com novas propostas formativas, designadamente as que abrem aos alunos os universos linguísticos da China, da Índia e dos países eslavos. Álvaro Pina Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa Oferta formativa inovadora adaptada ao mundo da glo A postada em converter a sua herança em novas oportunidades, a FLUL, nas palavras de Álvaro Pina, tem vindo a sintonizar a sua oferta científica, formativa e investigativa às necessidades de qualificação do mundo da globalização, criando novos cursos mais adaptados às actuais exigências de qualidade, de empregabilidade e de mobilidade, muitos dos quais resultantes de uma maior integração e colaboração com redes universitárias e centros de investigação internacionais, num processo que deu maior estabilidade e sustentabilidade às propostas formativas da FLUL. Abraçando as oportunidades em que se cons- tituíram a adaptação ao Processo de Bolonha e, mais recentemente, ao novo regime Jurídico do Ensino Superior, a Faculdade de Letras investiu estrategicamente em novos universos de conhecimento e formação e na renovação dos públicos-alvo do seu ensino explica o Professor. Daí resultaram a diversificação das ofertas e áreas formativas de assinalável sucesso, diz, adiantando que os novos Mestrados (2º ciclo) permitiram passar de 300 alunos anteriormente a Bolonha, para 800 no ano lectivo transacto, e nos Doutoramentos (3º ciclo), duplicando as vagas anteriores, passam a acolher 250/300 alunos já em 2008/2009. Entretanto, revela o professor, novos progra- A FLUL aposta na investigação de ponta em ligação a redes internacionais de ensino superior e investigação, dispondo de Centros de Investigação em múltiplas áreas 10 Inovação & Ensino Superior

11 Estudos Eslavos oferecem o acesso ao estudo de novas culturas e línguas, (Indiano) e as de matriz eslava - o Russo, o Polaco, o Checo, o Sérvio e o Croata. balização Letras a todo o planeta. Vários cursos de Licenciatura reorganizaram-se, aproximando- -se do mercado e respondendo às crescentes exigências de empregabilidade. Assim, Geografia tem saídas muito diversificadas e, em muito graças à participação dos seus docentes em múltiplos projectos de investigação, assegura colocação em estágio a todos os alunos.a Licenciatura em Arqueologia, com apenas 40 vagas, dá aos alunos grande experiência - através da prática de campo em projectos - e proximidade aos potenciais empregadores, nomeadamente autarquias. Os cursos de Tradução, Ciências da Cultura e Estudos Artísticos, num mundo crescentemente globalizado, registam grande saída profissional. A FLUL aposta na investigação de ponta em ligação a redes internacionais de ensino superior e investigação, dispondo de Centros de Investigação em múltiplas áreas, desde a MAIS-VALIAS DISTINTIVAS Biblioteca aberta toda a noite Entre as estruturas da FLUL, a Biblioteca, com mais de um século de história, merece particular relevo, não só pela raridade das obras que possui - dos séculos XVI, XVII, XVIII, XIX e XX, mas também pelo nível e diversidade de serviços que passou a oferecer depois da mudança, em 2000, para um novo e moderno edifício com m 2 de área coberta, em que acolhe todas as bibliotecas da Faculdade. Hoje, pela actualidade e variedade da bibliografia e informação que disponibiliza em todas as áreas científicas e multiplicidade de serviços de apoio aos utilizadores, é um ponto central de atracção da população académica durante todo o dia, funcionando num horário alargado. Espera-se que em breve seja possível manter a Biblioteca aberta 24 horas por dia. NOVAS OFERTAS FORMATIVAS Ensino de línguas e culturas chinesa e indiana A FLUL faz uma clara aposta estratégica na cultura Asiática, com particular destaque para a Chinesa, beneficiando da proximidade histórica e cultural de séculos em comum. A FLUL tem grande tradição na formação de muitos dos quadros da África de Expressão Portuguesa e da Ásia - particularmente da China, através de Macau, e das ligações a Goa, Damão e Diu, na Índia, explica o professor Álvaro Pina, considerando ser natural que a escola oriente a sua nova oferta formativa para esses países das chamadas economias emergentes. No caso concreto do ensino do Mandarim, a FLUL conta com o apoio do Instituto Confúcio, tendo estabelecido com universidades chinesas protocolos que asseguram a presença contínua na FLUL de dois professores de chinês. Entretanto, estão em negociação protocolos em várias áreas com mais quatro universidades da China Continental, prevendo-se também a criação de um Mestrado em Tradução Chinês-Português com Macau. Além disso a FLUL está a dar passos em direcção a Goa. mas de 2º e 3º ciclo estão a ser desenvolvidos em colaboração com universidades de França, Espanha e Holanda. Como novidades na oferta de cursos de licenciatura para 2008/2009, Álvaro Pina aponta os recém- -criados cursos de Estudos Asiáticos e de Estudos Eslavos, que oferecem o acesso ao estudo de novas culturas e línguas, com particular destaque para o Mandarim (Chinês) e Indhi (Indiano) e as de matriz eslava - Russo, o Polaco, o Checo, o Sérvio e o Croata. O ensino destas línguas e culturas, aliadas às anteriormente associadas aos Estudos Europeus e aos Estudos Africanos, vieram alargar a oferta de línguas da Faculdade de Geografia, à Linguística, entre vários outros onde alunos e professores desenvolvem investigação. A UL lidera pela primeira vez um projecto internacional de investigação na área da Geografia no 7º Programa Quadro Europeu. EMPREGABILIDADE & EMPREENDORISMO Estágios curriculares e extra-curriculares A criação de estágios curriculares no último semestre de várias licenciaturas, além da recolha de experiência, permite aos alunos uma maior aproximação ao mercado de trabalho e aos empregadores, aumentando a suas possibilidades de opção e de emprego. A receptividade das entidades públicas e das empresas aos estágios curriculares tem sido tão elevada, que a FL está já a disponibilizar um novo programa de estágios extracurriculares. Inovação & Ensino Superior 11

12 Ensino Superior O ISG é um projecto focalizado na Alta Gestão com Licenciaturas, Pós-graduações e Doutoramentos ISG - Instituto Superior de Gestão A escola de negócios da Lusofonia O Instituto Superior de Gestão (ISG), pela qualidade científica do seu ensino especializado na área da Gestão, foi sempre o ex-libris do Grupo Ensinus, recentemente adquirido pelo Grupo Lusófona. Uma integração que veio conferir ao ISG maior massa crítica e dimensão internacional, permitindo-lhe projectar-se no futuro com a justificada ambição de se converter na grande Escola de Negócios de referência internacional para o Mundo da Lusofonia. C om a excelência construída ao longo dos seus 27 anos foi uma das primeiras escolas privadas na área da Gestão o ISG concentra agora os ambiciosos projectos da Lusófona de criação de uma grande Escola de Negócios de referência para os Países de Língua Portuguesa. Nas palavras do Professor Carlos Vieira, Administrador Executivo da escola, o ISG é um projecto focalizado na Alta Gestão - com oferta de Licenciaturas, Pós-graduações e Doutoramentos -, vocacionado para responder às necessidades de formação inicial e contínua dos executivos de topo num mundo globalizado, que se vai converter numa Escola de Gestão de referência, com rede e influência internacional. O ISG concentra a sua oferta de Cursos de Licenciatura em Gestão, em Marketing e em Gestão de Informação explica Carlos Vieira, realçando o facto das licenciaturas do ISG se focalizarem exclusivamente na Gestão, o EMPREGABILIDADE & EMPREENDORISMO Privados recrutam 90% dos alunos Todas as licenciaturas do ISG apresentam hoje uma taxa de empregabilidade que se aproxima dos cem por cento, estimando-se que em 90 por cento os recrutamentos pelo sector privado. Segundo Carlos Vieira, uma elevada percentagem de alunos saídos do ISG são quadros de topo em grandes empresas, um pergaminho de que poucas escolas em Portugal se podem orgulhar. MAIS-VALIAS DISTINTIVAS 50% do Corpo Docente são líderes empresariais Factor distintivo da oferta do ISG é o perfil do seu corpo docente, em cerca de 50 por cento constituído por gestores de topo e presidentes de grandes empresas e grupos económicos, que emprestam aos cursos o saber fazer e a visão da realidade empresarial. Carlos Reis, responsável do Instituto, dá conta que estes docentes, com frequência, recrutam para as respectivas empresas entre os alunos do ISG. Este Mix equilibrado de docência que replica o modelo das mais prestigiadas universidades inglesas - permite ao ISG ter um modelo estratégico de ensino muito próximo das empresas e cientifica e academicamente avançado. que diferencia a Escola de outras instituições em que esta surge associada a outras vertentes como, por exemplo, Administração. O Instituto dispõe de um leque de pós-gra- NOVAS OFERTAS FORMATIVAS Cursos inovadores para o sector público e privado O ISG é uma das raras escolas privadas com formação avançada de quadros para o Estado, com destaque para os recém aprovados Curso Avançado de Gestão Pública (CAGEP) e Formação Avançada de Administração Pública (FORGEP). Coordenados por Manuela Ferreira Leite e Pina Moura, ambos transpõem para a gestão da coisa pública a matriz de eficácia dos cursos empresariais, assentando num corpo docente que conhece bem o sector público mas não vive nele. Outra novidade é a Gestão Escolar, que forma gestores escolares, respondendo às necessidades das políticas de administração das escolas introduzidas pelo Ministério da Educação. Destaca-se ainda o reforço da oferta pós-graduada em Gestão Fiscal, área com grandes tradições na Escola, de onde saíram 20 por cento dos fiscalistas hoje no activo. Entretanto, estão em aprovação os novos mestrados em Gestão de Energia e em Gestão do Potencial Humano. Carlos Vieira duações e doutoramentos em novas áreas de Gestão estrategicamente orientadas para responder às mais recentes necessidades de especialização e formação dos quadros de topo dos sectores público e privado. Os doutoramentos da Lusófona em Gestão já estão concentrados no ISG, refere o Professor Administrador. Com a integração na Lusófona, o ISG não só ganhou maior dimensão crítica interna como se dotou dos instrumentos de internacionalização que a docentes e alunos participarem em redes internacionais de conhecimento, num processo valioso para a formação de líderes num ambiente de globalização. 12 Inovação & Ensino Superior

13 Ensino Superior As licenciaturas da Lusófona registam elevados níveis de empregabilidade Universidade Lusófona A mais global das universidades Pioneirismo, credibilidade e estabilidade de uma oferta formativa que acompanha as mais recentes tendências e necessidades de qualificação e empregabilidade e pensada para a globalização, são as marcas distintivas da Lusófona, certamente o mais internacional projecto universitário português, com cinco pólos de ensino superior no território nacional e escolas em Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné Bissau, Brasil. Manuel Damásio A cada ano a Lusófona ganha dimensão, seja pela via do reforço da oferta formativa com a introdução de cursos inovadores e pioneiros, seja pela via do aumento do número de alunos, ou, ainda, pela agregação de novos estabelecimentos de ensino, num movimento que contraria a pulverização que ainda caracteriza as redes de conhecimento em Portugal. Perante as carências formativas existentes no País, estamos, muito naturalmente, em expansão, adianta o Professor Manuel Damásio, Presidente do Grupo Lusófona. No universo do Ensino Superior português a EMPREGABILIDADE & EMPREENDORISMO Lusófona é, de longe, a maior das privadas e uma das universidades mais importantes, prestigiadas, credíveis do país. No ano lectivo de 2007/2008 contou com alunos só em Portugal no Campus Universitário do Campo Grande, em Lisboa a que Cursos inovadores garantem rápida inserção dos alunos As licenciaturas da Lusófona registam elevados níveis de empregabilidade, diz o Professor Manuel Damásio, apostando os exemplos da Contabilidade, Informática, Engenharia Civil, Solicitadoria e Aviação Comercial, em que os alunos estão recrutados ou empregados ainda antes de terminarem o curso. O Campus Universitário do Campo Grande, em Lisboa, dispõe de um vasto conjunto de infraestruturas de apoio ao ensino - laboratórios, bibliotecas, centros de investigação -, com uma vasta rede de parcerias de investigação e inovação com entidades científicas e empresariais. MAIS-VALIAS DISTINTIVAS Rede internacional de conhecimento e contactos Sendo a mais internacional das universidades portuguesas, a Lusófona acolhe um crescente número de alunos estrangeiros, além de dispor de escolas nos países Lusófonos Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné Bissau e Brasil -, apostando agora na sua expansão a países com fortes comunidades portuguesas como a Venezuela ou o Luxemburgo. Esta dimensão internacional comporta importantes mais-valias para os alunos. Além do convívio com colegas do mundo lusófono e de países europeus fundamental para a criação de redes pessoais de contactos internacionais -, os alunos tem muito facilitada a mobilidade dentro do universo da Lusófona, podendo continuar os estudos em ambientes sociais muito diferentes, o que é uma maisvalia numa sociedade cada vez mais globalizada. se somaram mais fora de Portugal. Além de Lisboa, a Universidade tem pólos no Porto, em Portimão, na Marinha Grande e em Torres Vedras e fora de Portugal, o que incentiva a mobilidade dos alunos, dado haver, por regra, equivalência curricular entre os cursos. A fácil circulação de alunos entre as diferentes escolas possibilita a continuidade dos estudos e o acesso a valências e especializações só disponíveis no Campus de Lisboa refere o responsável, acrescentando ser um projecto educativo ambicioso. Não é uma universidade pensada e feita só para Portugal, mas também para o mundo da Lusofonia e para a sociedade global. NOVAS OFERTAS FORMATIVAS Oferta formativa pioneira A Lusófona lançou dois cursos inovadores em Portugal: Ciências Aeronáuticas, com um ramo de piloto de linha aérea, e Solicitadoria, ambas correspondendo a necessidades do mercado de trabalho e com empregabilidade imediata. Na oferta formativa complementar ou Pós-graduada, apresenta um vasto leque de opções, com especial destaque para a Saúde que, com o reforço do número de cursos nos últimos dois anos, registou no período lectivo precedente a frequência de alunos, repartidos por especializações tão diversas como Alimentação e Nutrição, Sexologia, Análises, Gestão Hospitalar, entre muitas outras, algumas das quais muito recentes em Portugal, como acontece com Dermo-Cosmética ou Economia do Medicamento. A inovadora Escola Profissional de Desporto responde ás necessidades formativas dos jogadores e atletas profissionais, que embora fazendo carreira desportiva, não tinham formação especializada disponível. Inovação & Ensino Superior 13

14 Ensino Superior O empreendedorismo é um dos lemas de acção do Inst Rui Teixeira quer mesmo, que ele seja um distintivo dos Rui Teixeira, presidente do IPVC Formar os agentes de tra O Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC), com 22 anos de existência, forma os futuros quadros e líderes necessários ao desenvolvimento da região numa perspectiva de empreendorismo, assumindo-se, crescentemente, como o parceiro científico e tecnológico incontornável para os grandes projectos, públicos e privados, de modernização do tecido económico e social. Disso nos fala o Prof. Rui Teixeira, presidente do IPVC. R.T.: O empreendedorismo é um dos nossos lemas de acção e queremos que seja um distintivo dos nossos professores, funcionários e sobretudo alunos e formados. Procuramos abordá-lo na sua multidimensionalidade. Queremos, antes de mais, institui-lo como imagem de marca da nossa cultura institucional. Entre o muito que poderíamos referir nesta matéria saliento apenas um projecto, pela sua utilidade e simbolismo: a criação de uma incubadora de empresas de base tecnoárea em instalação na região e para servir as suas necessidades. O IPVC tem tido como parceiros naturais o mundo empresarial e os seus representantes, relacionando-se com eles de modo pró-activo. Esta articulação tende a acentuar-se em todos os sentidos. Rejuvenescer o mundo empresarial da região e contribuir para desenvolvê-lo é uma das nossas maiores causas. Para tal temos como parceiros de vida diária, empresas, associações e autarquias. Rui Teixeira No quadro da oferta formativa disponível na Região que valências formativas destaca e em que é diferenciadora? Rui Teixeira: O IPVC tem uma oferta formativa diversificada que se estende a ramos da Ciência e das Artes. Em todas elas diferenciamo-nos pela qualidade e natureza politécnica. Isto é, formações de elevada qualidade, centradas nas profissões, com processos formativos que acompanham, muito de perto, o exercício e o desenvolvimento dessas profissões. Procuramos, em primeiro lugar, a empregabilidade dos nossos cursos e alunos, e temo-lo conseguido a um muito bom nível, havendo áreas em que a nossa oferta formativa é regionalmente diferenciadora, tanto no 1º como no 2.º ciclo, desde o Design, ao Desporto e Lazer, às Biotecnologias, à Gestão Artística e Cultural, às Energias Renováveis, à Cerâmica Artística, à Logística e à Distribuição, à Gerontologia e à Enfermagem Veterinária falando apenas em alguns dos mais recentes cursos. Como se articula a oferta académica do IPVC com o tecido económico, empresarial e institucional da Região? R.T.: Um exemplo que serve como resposta: o nosso curso de Energias Renováveis foi desenhado muito de perto com o cluster da Com que outras instituições de ensino superior nacionais e europeias o IPVC forma redes de conhecimento, em que áreas técnicas e científicas e com que objectivos? R.T.: Tendo já diplomado 10 mil alunos e prestado diversos serviços à comunidade, o IPVC, agora com 22 anos de existência, deu por concluída a fase de consolidação interna, de desenvolvimento da sua oferta formativa e de criação da sua infra-estrutura, estando, agora, a construir, com solidez, as dimensões finais da sua missão: a investigação e a criação de redes de conhecimento. Temos já muitas ligações nesta matéria que agora estamos a aprofundar. Temos parceiros naturais com os quais já trabalhamos, como, por exemplo, os Politécnicos do Norte. Ainda há pouco fizemos candidaturas conjuntas ao QREN para a certificação de competências na produção e transferência de conhecimento. Iremos prosseguir este caminho, de modo consistente e estruturado, nas áreas científicas do nosso interesse, quer em termos nacionais, quer internacionais, num processo em que a nossa OTIC (Oficina de Transferência de Tecnologia e Conhecimento) assume um papel fundamental. Quais os principais projectos e parcerias no âmbito da inovação e empreendorismo em que participa o IPVC? MAIS-VALIAS DISTINTIVAS Integração em redes de conhecimento A Oficina de Transferência de Tecnologia e Conhecimento (OTIC) desempenha um papel fundamental na construção consistente e estruturada de uma rede de conhecimento, nacional e internacional, de suporte, tanto às actividades académicas como aos projectos científicos, tecnológicos e de inovação do IPVC. 14 Inovação & Ensino Superior

15 ituto Politécnico de Viana do Castelo. professores, funcionários e sobretudo alunos e formados do Instituto. nsformação da região NOVAS OFERTAS FORMATIVAS Responder às necessidades regionais Com uma vasta oferta formativa que responde às necessidades regionais de um e outro lado da fronteira, o IPVC disponibiliza novos cursos que vão do Design, ao Desporto e Lazer, às Biotecnologias, à Gestão Artística e Cultural, às Energias Renováveis, à Cerâmica Artística, à Logística e à Distribuição, à Gerontologia e à Enfermagem Veterinária. A estas vertentes formativas somam-se, ainda: Finanças, Banking, Fiscalidade Ibérica, Gestão Ambiental e Ordenamento do Território, Gestão de Unidades de Saúde e Instituições Sociais, Marketing de Vinhos, Segurança e Higiene do Trabalho, Saúde e Segurança Alimentar, Enfermagem de Reabilitação, Enfermagem de Saúde Materna e Obstetrícia, Enfermagem de Saúde Mental e Psiquiatria, Enfermagem Oncológica, Consultoria e Auditoria Alimentar, Cuidados Paliativos. O IPVC conta, também, com especializações, como a de Ensino da Língua Estrangeira (Inglês e Francês) na Educação Pré-Escolar e 1.º CEB, havendo muitas outras propostas em acreditação. lógica nos Arcos de Valdevez. Procuraremos que o fim natural do percurso formativo dos nossos alunos seja, sempre que possível, a construção do seu próprio projecto de trabalho em sintonia com a região. Quais os impactos de tais projectos e parcerias para a formação dos alunos e para a sua integração na vida activa? R.T.: Falei atrás, pelo seu simbolismos e importância, da incubadora de empresas, EMPREGABILIDADE & EMPREENDORISMO mas há uma postura constante de disponibilizar aos nossos alunos contextos reais de acção, onde, sempre que possível, possam interagir com objectivos de formação. Vimos a colocá-los em empresas com o objectivo de intervirem na inovação de um concreto aspecto; a inseri-los em programas conjuntos de reestruturação de sectores, como fizemos com o ouro. Enfim! É já uma cultura. As vantagens são o grande conhecimento do mundo daquela profissão no seu Projectos de trabalho em sintonia com a região A incubadora de empresas de base tecnológica nos Arcos de Valdevez - em fase de construção do edifício, desenvolvida pelo IPVC em parceria com a Câmara dos Arcos de Valdevez e outras da Comunidade Urbana da Valimar, o Conselho Empresarial dos Vales do Lima e do Minho (CEVAL) e outras entidades, constitui-se como uma plataforma estratégica do empreendorismo regional de base tecnológica, representando o esforço da academia no sentido de que a conclusão natural do percurso formativo dos seus alunos seja a construção do seu próprio projecto de trabalho em sintonia com a região. Igualmente a criação de novas ofertas formativas decorre em íntima relação com os projectos da região, sendo exemplo disso o curso de Energias Renováveis, definido em diálogo com o cluster da área em instalação na região e para servir as suas necessidades. todo, o que lhes abre portas, muitas vezes de imediato, do emprego e do desempenho de papéis sociais de relevo. Qual a oferta do IPVC em serviços complementares e de apoio social aos estudantes? R.T.: O IPVC tem vindo a investir, e investirá cada vez, num sistema de apoio global aos seus alunos. O sistema de apoio social e as suas regras técnicas são comuns a todo o ensino superior mas, cumulativamente, temos uma estrutura em franco crescimento e da qual se destacam já valências como gabinetes de saúde, centros desportivos, oficinas culturais até unidades de inserção na vida activa, associações de estudantes e federação, tunas, festivais, semanas académicas, etc que nos ajudam na criação de um instrumento fundamental ao desenvolvimento pessoal e social dos nossos alunos - uma vida académica de qualidade e participada. Dispomos, ainda, de um excelente serviço de residências e de um serviço de bares e cantinas. Inovação & Ensino Superior 15

16 Ensino Superior Os Mestrados disponíveis dão acesso a qua que vai permitir aos novos diplomados leccionarem, simul Escola Superior de Educação João de Deus A mais antiga e pioneira de educação portuguesa Uma escola com alma que tem sabido preservar a tradição e os pergaminhos de pioneirismo científico, cultural e educativo de um projecto que, ao longo das décadas, soube rejuvenescer-se, mantendo sempre intacto o espírito visionário e humanista de João de Deus Ramos, fundador e filho do poeta João de Deus, nome grande da Cultura portuguesa. Na actualidade, sob a liderança de António Ponces de Carvalho - o carismático neto do fundador -, a instituição mantém-se na liderança científica, pedagógica e formativa nas áreas da Educação Pre-Primária e Básica, disponibilizando inúmeros cursos, complementados com licenciaturas inovadoras na área da Gerontologia. Ponces de Carvalho F undada em 1882, a Associação de Jardins-Escola João de Deus foi pioneira na disponibilização, em 1911, em Coimbra, do primeiro Jardim-Escola João de Deus, que é a mais antiga escola infantil em Portugal, concretizando um modelo português de educação. Nos anos seguintes vários outros jardins-escola foram disponibilizados, de forma a oferecer às crianças uma educação infantil de qualidade. Esta metodologia serviu de modelo para muitas outras escolas, tendo recebido diversos prémios nacionais e internacionais da qual destacamos o prémio de alfabetização Norma e Rei Sejong, atribuído pela Unesco e a Menção Honrosa de Grau de Diploma de Mérito Pedagógico, atribuído pelo Ministro de Educação Roberto Carneiro. Em 1920, a então Associação dos Jardins escola João de Deus iniciava a formação de Educadores de Infância, curso que a partir de 1943 ganharia carácter sistémico, convertendo-se no Curso de Didáctica Pré-Primária. A Escola Superior de Educação João de Deus (ESEJD), tendo nascido por diploma legal de 1988, altura em que disponibilizou os Cursos EMPREGABILIDADE & EMPREENDORISMO Uma rede nacional de 46 Jardins-Escola de Referência À excelência da oferta formativa da ESEJD alia a formação teórica e pedagógica à experiência prática na educação de crianças através de uma rede de 46 Jardins-Infantis de referência espalhados pelo País, nos quais assegura aos seus alunos de licenciatura práticas pedagógicas e a maioria dos estágios curriculares, além de que muitos aí encontram, também, colocação profissional. 16 Inovação & Ensino Superior

17 tro carreiras, destacando-se o mestrado de professores do 2º Ciclo do Ensino Básico, taneamente, Matemática, Português, Ciências da Natureza, História e Geografia de Portugal Pedagógica e Mestrado em Promoção e Mediação de Leitura. Entretanto, a ESEJD, em 2008/2009, acrescenta novos cursos de Mestrado em regime diurno e pós-laboral, designadamente em: Ensino do 1º e 2º Ciclo do Ensino Básico; Educação Pré-Escolar; Educação Pré-Escolar e Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico; e Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico. Em regime pós-laboral disponibilizará ainda os Mestrado de: Educação Especial Domínio Cognitivo e Motor; e Educação pela Arte. AAssociação João de Deus emprega, globalmente, profissionais, dos quais 611 são pessoal docente. A maioria dos professores da ESEJD leccionam nos Jardins Infância daas- NOVAS OFERTAS FORMATIVAS Formação em áreas da Gerontologia disponível em 2008/2009 Atenta às necessidades de apoio dos dois grupos sociais mais vulneráveis da Sociedade as crianças e os idosos -, a ESEJD apresenta uma oferta pioneira e distintiva em diversas áreas. À Licenciatura em Gerontologia Social, acrescenta, já em 2008/2009, Mestrados em Gerontologia Social, Gerontologia Clínica, Gerontodesign e Cuidados Paliativos, visando criar profissionais que ajudem os idosos a conservar as capacidades adquiridas e a desenvolverem novas competências. escola fessor do 1º Ciclo de Ensino Básico; Educação de Infância e Professores de Ensino do 1º ciclo de Ensino Básico; Professor do 1º e 2º Ciclos do Ensino Básico. Existem ainda os Mestrados de Supervisão A Escola Superior de Educação João de Deus nasceu da reconversão do mais antigo curso de formação de educadores de infância em Portugal, iniciado em 1920 Superiores de Educação de Infância e de Professores do 1º Ciclo, dando continuidade a um projecto líder em Ciências da Educação que não mais parou de alargar e enriquecer, quer através de novas licenciaturas e mestrados, quer criando centros e áreas de investigação inovadoras, constituindo-se como uma referência nacional e internacional nas suas áreas. Hoje as licenciaturas disponíveis na ESEJD em educação Básica dão acesso a quatro mestrados, destacando-se o mestrado de Professores do 2º Ciclo do Ensino Básico, cujo novo modelo de formação vai permitir aos novos diplomados leccionarem, simultaneamente, Matemática, Português, Ciências da Natureza, História e Geografia de Portugal, reforçando as suas possibilidades de entrada no mercado de trabalho e a estabilidade de emprego. Nas áreas Educativas a ESEJD dá acesso aos mestrados em Educação de Infância; Prosociação, onde realizam as práticas pedagógicas. Como escola de referência reconhecida pelo mercado, além da rede nacional de 46 Jardins- Escola próprios, mantém protocolos de estágio com outras escolas infantis, ampliando o leque de escolhas e de saídas profissionais dos seus alunos, que hoje beneficiam do recrutamento preferencial de muitas entidades. Atestando a empregabilidade dos seus cursos, Ponces de Carvalho revela que em Março passado, por exemplo, porque todos os nossos alunos de licenciatura estavam empregados, os nossos Jardins Infantis tiveram de recrutar pessoal por anúncio no jornal. Aspecto distintivo da ESEJD é a figura de Professor Tutor, muito ao estilo das universidades americanas, disponível para dar apoio personalizado aos alunos em todas as vertentes da vida e não apenas na académica. A maior parte dos problemas levados pelos alu- MAIS-VALIAS DISTINTIVAS Uma Praça da Concórdia de conhecimento e cultura Biblioteca- Museu João de Deus, fundada em 1917, constitui-se como o mais emblemático edifício da ESEJD, em Lisboa. O seu magnífico Salão de Leitura, em forma circular - designada por Praça da Concórdia em alusão ao espírito de humanismo, tolerância e democracia patente no espírito da Escola e nas inúmeras conferências que sempre acolheu ao longo das décadas e que ainda hoje realiza - guarda obras raras e únicas e, ainda, um Centro de Investigação no Universo da Lusofonia, que disponibiliza ao grande número de investigadores nacionais e estrangeiros que a Escola acolhe. nos ao seu Tutor não são de carácter académico, mas sim pessoal e social, refere o responsável da ESEJD. Inovação & Ensino Superior 17

18 Ensino Superior A Universidade Técnica de Lisboa é a que maior inte universidades de referência Mundial e a mais dinâmica UTL - Universidade Técnica de Lisboa Na liderança científica Com alunos, não sendo a maior Universidade portuguesa, a UTL foi nos últimos oito anos, segundo o Science Citation Index Expanded (SCI), a que mais artigos científicos citáveis publicou (7.870) em revistas científicas de prestígio internacional. A UTL federa 7 das mais antigas algumas centenárias - e prestigiadas escolas de referência nos respectivos sectores: FMV - Faculdade de Medicina Veterinária; ISA - Instituto Superior de Agronomia; ISEG - Instituto Superior de Economia e Gestão; IST - Instituto Superior Técnico; ISCSP - Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas; FMH - Faculdade A UTL aposta decisivamente na investigação. Segundo o Vice-Reitor, Professor Vítor Gonçalves, a UTL representa um quinto do edifício científico português, em termos de investigadores a tempo inteiro. Vítor Gonçalves Uma estrutura científica e Alavanca da inve e da qualificação A aproximação institucional aos sectores público e privado tem nos últimos anos permitido à UTL converter os resultados da sua investigação em soluções e aplicações científicotecnológicas de mercado acrescenta o Vice-Reitor. Todos os nossos Centros de Investigação registam uma intensa participação dos alunos de doutoramento, estando a desenvolver um sistema de bolsas para a integração também dos alunos de licenciatura e mestrado, adianta Vítor Gonçalves revelando que, no que toca a Laboratórios Associados a UTL integra 7 dos 25 certificados em Portugal. Acolhendo mais de 18 Inovação & Ensino Superior

19 gração tem em redes internacionais, que mais protocolos tem com ao nível do ERASMUS (no âmbito europeu) e ERASMUS MUNDI (de âmbito mundial) nacional de Motricidade Humana; e FA - Faculdade de Arquitectura. O novo Regime Jurídico do Ensino Superior, ao alterar o modelo de gestão, veio obrigar as universidades a repensar o futuro, assinala o Professor Ramôa Ribeiro, Reitor da UTL. Os novos estatutos da UTL são mais democráticos e integradores da Sociedade Civil, refere, explicando que o novo Conselho Geral - que elege o Reitor -, vai cooptar 30% dos seus membros - incluindo o presidente - entre personalidades científicas e empresariais de prestígio exteriores à academia. Apesar da nova lei reforçar os poderes do Reitor, a UTL apostou na autonomia das escolas na base do que Ramôa Ribeiro designa por «Autonomia Diferenciada Evolutiva». É um conceito de responsabilização inovador que permite a cada escola evoluir na sua tecnológica stigação avançada doutores a tempo integral, a docência da UTL é em 80% assegurado por doutorados em algumas escolas já é de 100% -, prevendo o Vice-Reitor que a maioria alcance os 100% nos próximos anos. Indicadores e ambiciosos objectivos que, segundo o professor, candidatam a UTL ao topo do futuro ranking das universidades portuguesas, tanto pela qualidade e produtividade académica e científica como, também, pelos níveis de empregabilidade que a sua oferta formativa já hoje apresenta. O prestígio científico da UTL confere-lhe peso e influência incontornável nas políticas académica, científica, de investigação e de inovação do País. Professores da UTL desempenham funções do mais alto nível, seja em Portugal - em cargos governamentais, na Administração Pública e nas empresas -, seja em instituições internacionais, conclui o Professor Vítor Gonçalves. Ramôa Ribeiro autonomia em função dos seus indicadores científicos, aferidos com base em critérios objectivos, o que vai dinamizar a produtividade científica e académica, diz, convencido que todas as escolas vão conquistar patamares de autonomia crescentes. A UTL detém 42 dos 400 Centros de Investigação portugueses - 70% com a classificação de «excelente» e «muito bom» -, recebe 20% do financiamento à investigação da FCT (Fundação para a Ciência e Tecnologia), está associada a 7 dos 25 grandes Laboratórios Nacionais e reúne mais de 1200 Doutores, que representam 1/5 do total de investigadores a tempo inteiro do País. MAIS-VALIAS DISTINTIVAS Maior integração nacional Somos uma das universidades com maior integração em redes internacionais, com inúmeros protocolos estabelecidos com universidades de referência Mundial e uma das mais dinâmicas ao nível dos Programas ERASMUS (no âmbito europeu) e ERASMUS MUNDUS (no âmbito mundial), diz o Reitor, destacando também, a nível internacional, as parcerias da UTL com o MIT, UT Austin e Carnegie Mellon e o reforço das suas ligações com o Brasil. EMPREGABILIDADE & EMPREENDORISMO NOVAS OFERTAS FORMATIVAS interdisciplinaridade potencia novos cursos Na sequência de Bolonha, a UTL alinhou os currículos académicos com as necessidades do País e com os mais exigentes padrões formativos internacionais, criando uma inovadora oferta pós-graduada resultante do enorme potencial de interdisciplinaridade e complementaridades das diferentes áreas de saber das suas escolas. Aposta nos Pólos Tecnológicos de Excelência Empresarial O empreendorismo na UTL, segundo Vítor Gonçalves, expressa-se na localização de infraestruturas (Escolas, Centros de Investigação e Laboratórios) no maior parque empresarial de Portugal o Tagus Park, em Oeiras -, numa proximidade ao mundo de excelência empresarial e tecnológica que se traduz em projectos conjuntos e em empregabilidade para os alunos, de que é exemplo o protocolo de criação do Centro de Inovação Nokia-Siemens Networks que, até 2009, empregará 200 engenheiros formados na UTL. Entretanto, a OTIC, formada a nível Reitoria, tem um papel determinante na dinamização de vários projectos importantes. Inovação & Ensino Superior 19

20 Ensino Superior Instituto Politécnico de Bragança 25 anos de ensino superior público de qualidade O Instituto Politécnico de Bragança (IPB), ao assinalar 25 anos, conta cinco escolas, mais de 6000 alunos e 375 docentes - mais de um terço doutorados, número que duplicará até final de 2010, disponibilizando uma oferta formativa de 40 cursos de licenciatura, recentemente complementada com mestrados e cursos de ensino pós-secundário de formação profissional especializada. C onstituindo-se como uma plataforma de desenvolvimento da investigação aplicada e da prestação de serviços à comunidade, o IPB investe no empreendedorismo e na empregabilidade das suas licenciaturas (1º ciclo) maioritariamente adequados a Bolonha, que se repartem por nove áreas de estudos: Agricultura e Recursos Naturais; Arquitectura, Artes Plásticas e Design; Ciências da Educação e Formação de Professores; Direito, Ciências Sociais e Serviços; Economia, Gestão e Contabilidade; Educação Física, Desporto e Artes do Espectáculo; Humanidades, Secretariado e Tradução; Tecnologias e Saúde. Os mestrados do IPB são predominantemente práticos, decorrendo em interacção com a comunidade local e regional. O IPB possui acordos ERASMUS com 61 Universidades europeias, vários programas de intercâmbio internacional, tendo no último ano lectivo enviado e recebido mais de 300 estudantes e 90 professores, o que o coloca no top 100 do Ensino Superior europeu em matéria de mobilidade. O IPB acolhe os alunos em modernas instalações que incluem laboratórios, salas de prática simulada, salas de informática, ginásios, ateliers, auditórios e estúdios disponibilizando a toda a comunidade académica uma plataforma de e- learning que permite, muito especialmente aos alunos maiores de 23 anos, manter, mesmo à distância, o contacto com os conteúdos das disciplinas. Inscrições para CETs, Licenciaturas (candidaturas a concursos especiais, mudanças de curso, transferências e reingressos) e Mestrados do IPB a partir de 1 de Julho. Instituto Politécnico de Bragança Campus de Santa Apolónia, Apartado Bragança Portugal Telefone Fax Inovação & Ensino Superior

Programas. cabo verde. Angola. portugal. s.tomé e príncipe. Fundación Universitaria San Pablo CEU

Programas. cabo verde. Angola. portugal. s.tomé e príncipe. Fundación Universitaria San Pablo CEU Programas de MESTRADO Online MBA Master in Business Administration Mestrado em Direcção de Empresas Mestrado em Direcção de Marketing e Vendas Mestrado em Direcção Financeira Mestrado em Comércio Internacional

Leia mais

Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica. Sines Tecnopolo. Pós-Graduação. MBA em Negócios Internacionais

Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica. Sines Tecnopolo. Pós-Graduação. MBA em Negócios Internacionais Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica Sines Tecnopolo Pós-Graduação MBA em Negócios Internacionais Edital 1ª Edição 2012-2013 1 Enquadramento O MBA em Negócios Internacionais é

Leia mais

Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT

Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT Centro Cultural de Belém, Lisboa, 11 de Outubro de 2006 Intervenção do Secretário

Leia mais

CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR

CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR Gabinete do Ministro CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR Breve apresentação da proposta de Orçamento de Estado para 2008 23 de Outubro de 2007 Texto

Leia mais

CTSP e Pós-Graduações THE MARKETING SCHOOL. porto. aveiro. lisboa

CTSP e Pós-Graduações THE MARKETING SCHOOL. porto. aveiro. lisboa CTSP e Pós-Graduações THE MARKETING SCHOOL porto. aveiro. lisboa LICENCIATURA & MESTRADO THE MARKETING SCHOOL Somos uma escola vocacionada essencialmente para as empresas e mercados. Queremos qualificar

Leia mais

INVESTIR NO FUTURO CONTRATO DE CONFIANÇA ENSINO SUPERIOR PARA O FUTURO DE PORTUGAL. Janeiro de 2010

INVESTIR NO FUTURO CONTRATO DE CONFIANÇA ENSINO SUPERIOR PARA O FUTURO DE PORTUGAL. Janeiro de 2010 INVESTIR NO FUTURO UM CONTRATO DE CONFIANÇA NO ENSINO SUPERIOR PARA O FUTURO DE PORTUGAL Janeiro de 2010 UM CONTRATO DE CONFIANÇA NO ENSINO SUPERIOR PARA O FUTURO DE PORTUGAL No seu programa, o Governo

Leia mais

MBA especialização em GesTão De projectos

MBA especialização em GesTão De projectos MBA especialização em GESTão DE projectos FORMEDIA Instituto Europeu de Empresários e Gestores FORMEDIA e INSTITUTO EUROPEO DE POSGRADO FORMEDIA - Instituto Europeu de Empresários e Gestores A FORMEDIA

Leia mais

MBA Negócios Internacionais. Edital 1ª Edição 2013-2014

MBA Negócios Internacionais. Edital 1ª Edição 2013-2014 MBA Negócios Internacionais Edital 1ª Edição 2013-2014 Sines, Junho de 2013 1 Enquadramento O MBA em Negócios Internacionais é um curso de pós-graduação desenvolvido pela Escola Superior de Ciências Empresariais

Leia mais

Plano de Atividades 2014

Plano de Atividades 2014 Plano de Atividades 2014 Escola de Ciências Universidade do Minho 1. Missão A Escola de Ciências tem como missão gerar, difundir e aplicar conhecimento no âmbito das Ciências Exatas e da Natureza e domínios

Leia mais

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES 2015 2 Formar gestores e quadros técnicos superiores, preparados científica e tecnicamente para o exercício de funções na empresa

Leia mais

Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Programa de Acção. Luis Filipe Baptista

Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Programa de Acção. Luis Filipe Baptista Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique Programa de Acção Luis Filipe Baptista ENIDH, Setembro de 2013 Motivações para esta candidatura A sociedade actual está a mudar muito

Leia mais

Gestão Bancária Gestão e Sistemas de Informação

Gestão Bancária Gestão e Sistemas de Informação Gestão Bancária Gestão e Sistemas de Informação O Instituto Superior de Gestão Bancária (ISGB) é um estabelecimento de ensino superior dirigido preferencialmente às necessidades de todo o Setor Financeiro.

Leia mais

Um mar de oportunidades. Mestrado em Gestão Portuária. Mensagem do Presidente da ENIDH Escola Superior Náutica Infante D. Henrique.

Um mar de oportunidades. Mestrado em Gestão Portuária. Mensagem do Presidente da ENIDH Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Um mar de oportunidades Mestrado em Gestão Portuária Mensagem do Presidente da ENIDH Escola Superior Náutica Infante D. Henrique A ENIDH é a Escola Superior pública portuguesa que assegura a formação de

Leia mais

Factores Determinantes para o Empreendedorismo. Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008

Factores Determinantes para o Empreendedorismo. Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008 Factores Determinantes para o Empreendedorismo Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008 IAPMEI Instituto de Apoio às PME e à Inovação Principal instrumento das políticas económicas para Micro e Pequenas

Leia mais

Caracterização dos cursos de licenciatura

Caracterização dos cursos de licenciatura Caracterização dos cursos de licenciatura 1. Identificação do ciclo de estudos em funcionamento Os cursos de 1º ciclo actualmente em funcionamento de cuja reorganização resultam os novos cursos submetidos

Leia mais

NCE/10/02916 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/10/02916 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/10/02916 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Instituto Politécnico De Lisboa

Leia mais

O Relatório da OCDE: A avaliação do sistema de ensino superior em Portugal. Lisboa, 13 de Dezembro de 2006

O Relatório da OCDE: A avaliação do sistema de ensino superior em Portugal. Lisboa, 13 de Dezembro de 2006 O Relatório da OCDE: A avaliação do sistema de ensino superior em Portugal Lisboa, 13 de Dezembro de 2006 O relatório de avaliação do sistema de ensino superior em Portugal preparado pela equipa internacional

Leia mais

Health Management Future

Health Management Future 2012 Health Management Future COM O PATROCÍNIO DE O grupo BIAL tem como missão desenvolver, encontrar e fornecer novas soluções terapêuticas na área da Saúde. Fundado em 1924, ao longo dos anos BIAL conquistou

Leia mais

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora:

Leia mais

EXECUTIVE MASTER OF FASHION BUSINESS (Pós-graduação)

EXECUTIVE MASTER OF FASHION BUSINESS (Pós-graduação) EXECUTIVE MASTER OF FASHION BUSINESS (Pós-graduação) Rua Castilho 90 2ºesq 1250-071 Lisboa, Portugal Rua José Gomes Ferreira nº219 - Aviz 4150-442 Porto, Portugal info@beill.pt / www.beill.pt Sobre A Beill

Leia mais

ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Da Beira Interior A.1.a. Identificação

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO

FACULDADE DE DIREITO FACULDADE DE DIREITO FACULDADE DE DIREITO SUMÁRIO A. Mestrado e Pós-Graduação em Direito em Língua Chinesa Língua veicular: Língua Chinesa Área de especialização: Variante em Ciências Jurídicas B. Mestrado

Leia mais

ACEF/1314/21732 Relatório final da CAE

ACEF/1314/21732 Relatório final da CAE ACEF/1314/21732 Relatório final da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Universidade De Lisboa A.1.a. Outras Instituições

Leia mais

design de jogos digitais o essencial da licenciatura

design de jogos digitais o essencial da licenciatura design de jogos digitais o essencial da licenciatura ÍNDICE ciclo de estudos plano de estudos metodologias de ensino perfil de saída candidaturas ipb virtual Dados do ciclo de estudos ciclo de estudos

Leia mais

Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação

Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação Neste curso serão abordadas as melhores práticas que permitem gerir estrategicamente a informação, tendo em vista a criação de valor para

Leia mais

ANÁLISE SWOT DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS

ANÁLISE SWOT DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS ENCONTRO DA COMISSÃO SECTORIAL PARA A EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO CS/11 ANÁLISE SWOT DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS OPORTUNIDADES, DESAFIOS E ESTRATÉGIAS DE QUALIDADE APRESENTAÇÃO DO TRABALHO GT2 - Ensino Superior

Leia mais

NCE/09/01302 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/09/01302 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/09/01302 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas 1 a 7 1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade De Aveiro 1.a. Descrição

Leia mais

MESTRADO EM ASSESSORIA FINANCEIRA

MESTRADO EM ASSESSORIA FINANCEIRA MESTRADO EM ASSESSORIA FINANCEIRA FORMEDIA Instituto Europeu de Empresários e Gestores FORMEDIA e INSTITUTO EUROPEO DE POSGRADO FORMEDIA - Instituto Europeu de Empresários e Gestores A FORMEDIA Instituto

Leia mais

1 INFORMAÇÕES SOBRE O TITULAR DA QUALIFICAÇÃO. 1.1 Apelido(s): xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. 1.3 Data de nascimento (ano/mês/dia): xxxxxxx

1 INFORMAÇÕES SOBRE O TITULAR DA QUALIFICAÇÃO. 1.1 Apelido(s): xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. 1.3 Data de nascimento (ano/mês/dia): xxxxxxx SUPLEMENTO AO DIPLOMA Este Suplemento ao Diploma segue o modelo elaborado pela Comissão Europeia, pelo Conselho da Europa e pela UNESCO/CEPES. A finalidade deste Suplemento é fornecer dados independentes

Leia mais

NEWSLETTER Nº 13 JANEIRO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES EM DESTAQUE

NEWSLETTER Nº 13 JANEIRO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES EM DESTAQUE NEWSLETTER Nº 13 JANEIRO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES EM DESTAQUE A LINK THINK AVANÇA COM PROGRAMA DE FORMAÇÃO PROFISSONAL PARA 2012 A LINK THINK,

Leia mais

1 INFORMAÇÕES SOBRE O TITULAR DA QUALIFICAÇÃO. 1.1 Apelido(s): xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. 1.3 Data de nascimento (ano/mês/dia): xxxxxxx

1 INFORMAÇÕES SOBRE O TITULAR DA QUALIFICAÇÃO. 1.1 Apelido(s): xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. 1.3 Data de nascimento (ano/mês/dia): xxxxxxx SUPLEMENTO AO DIPLOMA Este Suplemento ao Diploma segue o modelo elaborado pela Comissão Europeia, pelo Conselho da Europa e pela UNESCO/CEPES. A finalidade deste Suplemento é fornecer dados independentes

Leia mais

Mestrado em Conservação e Reabilitação do Edificado uma resposta à crise vivida no sector da Construção em Portugal

Mestrado em Conservação e Reabilitação do Edificado uma resposta à crise vivida no sector da Construção em Portugal INSCRIÇÕES ABERTAS NOS SERVIÇOS ACADÉMICOS!!! Mestrado em Conservação e Reabilitação do Edificado uma resposta à crise vivida no sector da Construção em Portugal Reabilitação Urbana e do Património Edificado

Leia mais

O Social pela Governança. Mestrados Profissionalizantes Planos Curriculares Empreendedorismo

O Social pela Governança. Mestrados Profissionalizantes Planos Curriculares Empreendedorismo O Social pela Governança Mestrados Profissionalizantes Planos Curriculares Empreendedorismo 2 ÍNDICE EMPREENDEDORISMO... 3 OBJECTIVOS... 3 DESTINATÁRIOS... 4 CONDIÇÕES DE ACESSO E SELECÇÃO DOS CANDIDATOS...

Leia mais

Uma conversa entre empresas e professores - os desafios da empregabilidade

Uma conversa entre empresas e professores - os desafios da empregabilidade Uma conversa entre empresas e professores - os desafios da empregabilidade No passado dia 15 de Novembro, a Share Associação para a Partilha de Conhecimento e a Faculdade de Ciências da Universidade de

Leia mais

CEF/0910/26931 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/26931 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/26931 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Centro

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO F O R M A Ç Ã O A V A N Ç A D A CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO FORMAÇÃO ESPECÍFICA PARA MEMBROS DA ORDEM DOS ENGENHEIROS ENQUADRAMENTO O CEGE/ISEG é um centro de investigação e projectos do ISEG Instituto

Leia mais

Inscrições. As inscrições para os cursos realizam-se em Setembro de 2012. O Sector Empresarial do Estado não se encontra abrangido por esta Aliança.

Inscrições. As inscrições para os cursos realizam-se em Setembro de 2012. O Sector Empresarial do Estado não se encontra abrangido por esta Aliança. Caderno de s 2 Objectivos A formação de executivos é, hoje em dia, uma necessidade incontornável, sendo um importante factor do sucesso, da competitividade e da sustentabilidade das organizações. Considerando

Leia mais

Competitividade e Inovação

Competitividade e Inovação Competitividade e Inovação Evento SIAP 8 de Outubro de 2010 Um mundo em profunda mudança Vivemos um momento de transformação global que não podemos ignorar. Nos últimos anos crise nos mercados financeiros,

Leia mais

Curso Geral de Gestão. Pós Graduação

Curso Geral de Gestão. Pós Graduação Curso Geral de Gestão Pós Graduação Curso Geral de Gestão Pós Graduação Participamos num processo acelerado de transformações sociais, políticas e tecnológicas que alteram radicalmente o contexto e as

Leia mais

IPAM reforça no Porto. Pdg. 76. Por M." João Vieira Pinto

IPAM reforça no Porto. Pdg. 76. Por M. João Vieira Pinto IPAM reforça no Porto Pdg. 76 Por M." João Vieira Pinto IPAM reforça no Porto Afirma-se como lhe Marketing School e ambiciona ser a referência do ensino nesta área. Por isso, ejá a partir do próximo ano,

Leia mais

ce tec CURSO DE EMPREENDEDORISMO 3ª Edição-Internacional CENTRO DE EMPREENDEDORISMO / ISMAI - TECMAIA

ce tec CURSO DE EMPREENDEDORISMO 3ª Edição-Internacional CENTRO DE EMPREENDEDORISMO / ISMAI - TECMAIA ce tec CENTRO DE EMPREENDEDORISMO / ISMAI - TECMAIA CURSO DE EMPREENDEDORISMO 3ª Edição-Internacional O CEITEC (Centro de Empreendedorismo ISMAI-Tecmaia) apresenta a 3ª edição do Curso em Empreendedorismo,

Leia mais

Pós-Graduação Conservação e Reabilitação do Edificado

Pós-Graduação Conservação e Reabilitação do Edificado Pós-Graduação Conservação e Reabilitação do Edificado Edital 4ª Edição 2012-2013 Barreiro, Julho de 2012 Pós-Graduação Conservação e Reabilitação do Edificado 1 ENQUADRAMENTO A Pós-Graduação em Conservação

Leia mais

ACEF/1112/20852 Relatório final da CAE

ACEF/1112/20852 Relatório final da CAE ACEF/1112/20852 Relatório final da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Fundação Minerva - Cultura - Ensino E Investigação

Leia mais

Dinâmicas de exportação e de internacionalização

Dinâmicas de exportação e de internacionalização Dinâmicas de exportação e de internacionalização das PME Contribuição da DPIF/ Como fazemos? 1. Posicionamento e actuação da DPIF A DPIF tem como Missão: Facilitar o acesso a financiamento pelas PME e

Leia mais

Instituto de Educação

Instituto de Educação Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Mestrado em Educação Especialização: História da Educação (Regime a Distância) Edição Instituto de Educação da Universidade de

Leia mais

Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira

Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira Relatório Resumo Junho de 2012 Índice 1. Objectivo... 3 2. Enquadramento... 3 3. Trabalho realizado... 3 4. Dados síntese da Licenciatura

Leia mais

A Escola. Com uma média de 1.800 alunos por mês, a ENAP oferece cursos presenciais e a distância

A Escola. Com uma média de 1.800 alunos por mês, a ENAP oferece cursos presenciais e a distância A Escola A ENAP pode contribuir bastante para enfrentar a agenda de desafios brasileiros, em que se destacam a questão da inclusão e a da consolidação da democracia. Profissionalizando servidores públicos

Leia mais

Regulamento de Estágios

Regulamento de Estágios Programa de Inserção Profissional Regulamento de Estágios Faculdade de Ciências Humanas Nos últimos anos, o ensino universitário tem vindo a integrar nos percursos formativos a realização de estágios curriculares

Leia mais

Procura de Excelência

Procura de Excelência www.mba.deg.uac.pt Procura de Excelência MASTER IN BUSINESS ADMINISTRATION Mestrado em Gestão (MBA) Secretariado Departamento de Economia e Gestão Rua da Mãe de Deus Apartado 1422 E-mail: mba@uac.pt Tel:

Leia mais

Compromissos na educação

Compromissos na educação Compromissos na educação Comentário Paulo Santiago Direcção da Educação e das Competências, OCDE Ciclo de Seminários Sextas da Reforma Lisboa, 23 de Maio de 2014 Organização do Banco de Portugal, do Conselho

Leia mais

Mestrado em Sistemas Integrados de Gestão (Qualidade, Ambiente e Segurança)

Mestrado em Sistemas Integrados de Gestão (Qualidade, Ambiente e Segurança) Mestrado em Sistemas Integrados de Gestão (Qualidade, Ambiente e Segurança) 1 - Apresentação Grau Académico: Mestre Duração do curso: : 2 anos lectivos/ 4 semestres Número de créditos, segundo o Sistema

Leia mais

EDITAL. MESTRADO EM COMÉRCIO ELECTRÓNICO (3ª Edição 2012/2014)

EDITAL. MESTRADO EM COMÉRCIO ELECTRÓNICO (3ª Edição 2012/2014) EDITAL MESTRADO EM COMÉRCIO ELECTRÓNICO (3ª Edição 2012/2014) Nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de Fevereiro, do Decreto-Lei nº 74/200, de 24 de Março, com as alterações que lhes foram introduzidas

Leia mais

ENSINO SUPERIOR E DESENVOLVIMENTO

ENSINO SUPERIOR E DESENVOLVIMENTO ENSINO SUPERIOR E DESENVOLVIMENTO Joaquim Mourato (Presidente do CCISP e do IP de Portalegre) XX Congresso Nacional da Ordem dos Engenheiros Centro de Congressos da Alfândega do Porto 18.10.2014 SUMÁRIO

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro Educação a Distância Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. A única diferença é a sala de aula que fica em suas

Leia mais

Breve síntese sobre os mecanismos financeiros de apoio à internacionalização e cooperação

Breve síntese sobre os mecanismos financeiros de apoio à internacionalização e cooperação Breve síntese sobre os mecanismos financeiros de apoio à internacionalização e cooperação 1 Incentivos financeiros à internacionalização Em 2010 os incentivos financeiros à internacionalização, não considerando

Leia mais

Orientações para a reforma do sistema de ensino superior em Portugal

Orientações para a reforma do sistema de ensino superior em Portugal Orientações para a reforma do sistema de ensino superior em Portugal Intervenção do Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, José Mariano Gago, no Conselho Nacional de Educação 13 de Fevereiro

Leia mais

ÍNDICE APRESENTAÇÃO 02 HISTÓRIA 02 OBJECTIVOS 02 CURSOS 04 CONSULTORIA 06 I&D 07 DOCENTES 08 FUNDEC & IST 09 ASSOCIADOS 10 PARCERIAS 12 NÚMEROS 13

ÍNDICE APRESENTAÇÃO 02 HISTÓRIA 02 OBJECTIVOS 02 CURSOS 04 CONSULTORIA 06 I&D 07 DOCENTES 08 FUNDEC & IST 09 ASSOCIADOS 10 PARCERIAS 12 NÚMEROS 13 ÍNDICE APRESENTAÇÃO 02 HISTÓRIA 02 OBJECTIVOS 02 CURSOS 04 CONSULTORIA 06 I&D 07 DOCENTES 08 FUNDEC & IST 09 ASSOCIADOS 10 PARCERIAS 12 NÚMEROS 13 QUEM SOMOS FUNDEC APRESENTAÇÃO HISTÓRIA OBJECTIVOS A

Leia mais

Produção Multimédia Interactiva

Produção Multimédia Interactiva Produção Multimédia Interactiva Candidaturas 2012/13 secretaria@ipa.univ.pt http://pmi.ipa.univ.pt www.ipa.univ.pt IPA Instituto Superior Autónomo de Estudos Politécnicos No IPA prosseguimos os seguintes

Leia mais

A ARTSOFT é uma empresa especializada no desenvolvimento e comercialização de soluções tecnológicas de apoio à gestão empresarial.

A ARTSOFT é uma empresa especializada no desenvolvimento e comercialização de soluções tecnológicas de apoio à gestão empresarial. POWERING BUSINESS QUEM SOMOS A ARTSOFT é uma empresa especializada no desenvolvimento e comercialização de soluções tecnológicas de apoio à gestão empresarial. Desde 1987 que desenvolvemos um trabalho

Leia mais

NCE/10/00411 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/10/00411 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/10/00411 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Iade Instituto De Artes Visuais,

Leia mais

De Lisboa para o Mundo

De Lisboa para o Mundo De Lisboa para o Mundo www.ulisboa.pt UNIVERSIDADE DE LISBOA 1290 A primeira universidade portuguesa é criada em Lisboa 1537 A universidade é deslocada para Coimbra Século XIX Diversas escolas universitárias

Leia mais

Universidades. Já há mais. superioresem Portugal que são dados. de 170 cursos. só em inglês ATUALPÁGS.4ES

Universidades. Já há mais. superioresem Portugal que são dados. de 170 cursos. só em inglês ATUALPÁGS.4ES Universidades Já há mais de 170 cursos superioresem Portugal que são dados só em inglês ATUALPÁGS.4ES Universidades portuguesas já têm mais de 1 70 cursos em inglês Internacionalização. Atrair novos estudantes

Leia mais

Grupo Parlamentar. Projecto de Lei N.º 52/IX ALTERA A LEI DE BASES DO SISTEMA EDUCATIVO

Grupo Parlamentar. Projecto de Lei N.º 52/IX ALTERA A LEI DE BASES DO SISTEMA EDUCATIVO Grupo Parlamentar Projecto de Lei N.º 52/IX ALTERA A LEI DE BASES DO SISTEMA EDUCATIVO O chamado processo de Bolonha não é, por essência, negativo, particularmente se for adoptado numa óptica de estímulo

Leia mais

47720 Diário da República, 2.ª série N.º 233 6 de Dezembro de 2011

47720 Diário da República, 2.ª série N.º 233 6 de Dezembro de 2011 47720 Diário da República, 2.ª série N.º 233 6 de Dezembro de 2011 UNIVERSIDADE DA MADEIRA Aviso (extracto) n.º 23548/2011 Nos termos do disposto no n.º 6 do artigo 12.º da Lei n.º 12 -A/2008, de 27 de

Leia mais

Universidade Anhembi Morumbi On-line. Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. Tudo a um clique de você.

Universidade Anhembi Morumbi On-line. Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. Tudo a um clique de você. Universidade Anhembi Morumbi On-line. Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. Tudo a um clique de você. Educação a Distância Anhembi Morumbi Agora você pode estudar em uma universidade internacional

Leia mais

CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade

Leia mais

Segurança Alimentar. Pós-Graduação. 45 ECTS // www.esb.ucp.pt

Segurança Alimentar. Pós-Graduação. 45 ECTS // www.esb.ucp.pt Pós-Graduação Segurança Alimentar 45 ECTS // www.esb.ucp.pt Nesta pós-graduação estudam-se os perigos, riscos, metodologias e legislação com que a segurança alimentar é confrontada na atualidade, numa

Leia mais

INFORMAÇÕES PARA A PÁGINA DA ESCOLA FRASE DE ABERTURA NOVOS TESTEMUNHOS DE EX-ALUNOS A INCLUIR

INFORMAÇÕES PARA A PÁGINA DA ESCOLA FRASE DE ABERTURA NOVOS TESTEMUNHOS DE EX-ALUNOS A INCLUIR INFORMAÇÕES PARA A PÁGINA DA ESCOLA FRASE DE ABERTURA De acordo com os últimos dados disponíveis do Observatório para a inserção profissional da Universidade Nova de Lisboa, a taxa de emprego dos alunos

Leia mais

HEALTH MANAGEMENT CHALLENGES

HEALTH MANAGEMENT CHALLENGES 2011 HEALTH MANAGEMENT CHALLENGES COM O PATROCÍNIO DE: ÍNDICE A NOSSA PROPOSTA DE VALOR 3 HEALTH MANAGEMENT CHALLENGES 4 Estrutura e Coordenação 5 Conteúdos e Corpo Docente 6 Introdução: Health Servuction

Leia mais

VALORES DE FUTURO INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO PÓS-GRADUAÇÃO FISCALIDADE PROGRAMAS EXECUTIVOS

VALORES DE FUTURO INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO PÓS-GRADUAÇÃO FISCALIDADE PROGRAMAS EXECUTIVOS VALORES DE FUTURO INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMAS EXECUTIVOS UM COMPROMISSO DE DUAS INSTITUIÇÕES Bem-vindo aos Programas Executivos do ISAG e da IFACC. A união de sinergias

Leia mais

INOVAÇÃO E SOLUÇÃO INTEGRADA

INOVAÇÃO E SOLUÇÃO INTEGRADA INOVAÇÃO E SOLUÇÃO INTEGRADA A Formação no ISQ A actividade de Formação do ISQ tem sido uma forte aposta enquanto factor determinante para o desenvolvimento e melhoria de desempenho dos sectores tecnológicos

Leia mais

CEF/0910/27636 Relatório final da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/27636 Relatório final da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/27636 Relatório final da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Instituto

Leia mais

CANDIDATURA À DIRECÇÃO DA UNIDADE DE INVESTIGAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM

CANDIDATURA À DIRECÇÃO DA UNIDADE DE INVESTIGAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM CANDIDATURA À DIRECÇÃO DA UNIDADE DE INVESTIGAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM Pedro Jorge Richheimer Marta de Sequeira Marília Oliveira Inácio Henriques 1 P á g i n a 1. Enquadramento da Candidatura

Leia mais

Dinamizar o Empreendedorismo e promover a Criação de Empresas

Dinamizar o Empreendedorismo e promover a Criação de Empresas Dinamizar o Empreendedorismo e promover a Criação de Empresas À semelhança do que acontece nas sociedades contemporâneas mais avançadas, a sociedade portuguesa defronta-se hoje com novos e mais intensos

Leia mais

Percepção de Portugal no mundo

Percepção de Portugal no mundo Percepção de Portugal no mundo Na sequência da questão levantada pelo Senhor Dr. Francisco Mantero na reunião do Grupo de Trabalho na Aicep, no passado dia 25 de Agosto, sobre a percepção da imagem de

Leia mais

JumpStart FACULDADE DE ECONOMIA UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA

JumpStart FACULDADE DE ECONOMIA UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA JumpStart FACULDADE DE ECONOMIA UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA Tem entre 30 e 45 anos? A sua experiência profissional é superior a 5 anos? Encontra-se numa situação de desemprego há pelo menos 6 meses? Está

Leia mais

ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL DO IAPMEI NA ÁREA DA INTERNACIONALIZAÇÃO E DA EXPORTAÇÃO

ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL DO IAPMEI NA ÁREA DA INTERNACIONALIZAÇÃO E DA EXPORTAÇÃO ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL DO IAPMEI NA ÁREA DA INTERNACIONALIZAÇÃO E DA EXPORTAÇÃO Como fazemos 1. Através do Serviço de Assistência Empresarial (SAE), constituído por visitas técnicas personalizadas às

Leia mais

Pós-Graduação. Mercados Internacionais e Diplomacia Económica. 1ª Edição

Pós-Graduação. Mercados Internacionais e Diplomacia Económica. 1ª Edição Pós-Graduação Mercados Internacionais e Diplomacia Económica 1ª Edição 2011/2012 Mercados Internacionais e Diplomacia Económica Coordenação Científica Prof. Doutor Joaquim Ramos Silva Prof. Doutor Manuel

Leia mais

Pós-Graduação em. MARKETING E GESTÃO COMERCIAL de Serviços Financeiros INSTITUTO SUPERIOR DE GESTÃO BANCÁRIA

Pós-Graduação em. MARKETING E GESTÃO COMERCIAL de Serviços Financeiros INSTITUTO SUPERIOR DE GESTÃO BANCÁRIA BSUPERIOR DE GESTÃO INSTITUTO Pós-Graduação em MARKETING E GESTÃO COMERCIAL de Serviços Financeiros 2005 2006 Associação Portuguesa de Bancos INSTITUTO SUPERIOR DE GESTÃO B ISGB THE PORTUGUESE SCHOOL OF

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA INOV-ART NOS TERMOS DA PORTARIA N.º 1103/2008 DE 2 DE OUTUBRO

REGULAMENTO DO PROGRAMA INOV-ART NOS TERMOS DA PORTARIA N.º 1103/2008 DE 2 DE OUTUBRO REGULAMENTO DO PROGRAMA INOV-ART NOS TERMOS DA PORTARIA N.º 1103/2008 DE 2 DE OUTUBRO CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1.º- Âmbito de aplicação O presente Regulamento aplica -se à medida INOV-Art -

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM MARKETING Artigo 1.º Criação A Universidade da Beira Interior, através

Leia mais

Apoio à Internacionalização. CENA 3 de Julho de 2012

Apoio à Internacionalização. CENA 3 de Julho de 2012 Apoio à Internacionalização CENA 3 de Julho de 2012 Enquadramento Enquadramento Comércio Internacional Português de Bens e Serviços Var. 13,3% 55,5 68,2 57,1 73,4 48,3 60,1 54,5 66,0 67,2 61,7 Exportação

Leia mais

Mestrado em CoMérCio internacional

Mestrado em CoMérCio internacional Mestrado em Comércio FORMEDIA Instituto Europeu de Empresários e Gestores FORMEDIA e INSTITUTO EUROPEO DE POSGRADO FORMEDIA - Instituto Europeu de Empresários e Gestores A FORMEDIA Instituto Europeu de

Leia mais

Escola de Lisboa. Relatório de Actividades 2012/13 Elaborado por Direcção e aprovado por Administração e Conselho Cientifico

Escola de Lisboa. Relatório de Actividades 2012/13 Elaborado por Direcção e aprovado por Administração e Conselho Cientifico Escola de Lisboa Relatório de Actividades 2012/13 Elaborado por Direcção e aprovado por Administração e Conselho Cientifico Índice 1. Cumprimento do plano estratégico e anual 2. Realização dos Objectivos

Leia mais

Uma Estratégia de Crescimento com base no Conhecimento, Tecnologia e Inovação

Uma Estratégia de Crescimento com base no Conhecimento, Tecnologia e Inovação Uma Estratégia de Crescimento com base no Conhecimento, Tecnologia e Inovação Tópicos da Intervenção do Senhor Ministro da Economia e da Inovação 24 de Novembro de 2005 Plano Tecnológico - Inovação e Crescimento

Leia mais

Gestão Empresarial. Comércio e Serviços

Gestão Empresarial. Comércio e Serviços Curso de Gestão Empresarial para Comércio e Serviços PROMOÇÃO: COLABORAÇÃO DE: EXECUÇÃO: APRESENTAÇÃO: > A aposta na qualificação dos nossos recursos humanos constitui uma prioridade absoluta para a Confederação

Leia mais

Os Desafios da Fileira da Construção. As Oportunidades nos Mercados Externos

Os Desafios da Fileira da Construção. As Oportunidades nos Mercados Externos Os Desafios da Fileira da Construção As Oportunidades nos Mercados Externos Agradeço o convite que me foi dirigido para participar neste Seminário e felicito a AIP pela iniciativa e pelo tema escolhido.

Leia mais

Universidade de Coimbra. Grupo de Missão. para o. Espaço Europeu do Ensino Superior. Glossário

Universidade de Coimbra. Grupo de Missão. para o. Espaço Europeu do Ensino Superior. Glossário Universidade de Coimbra Grupo de Missão para o Espaço Europeu do Ensino Superior Glossário ACÇÃO CENTRALIZADA Procedimentos de candidatura em que a selecção e contratação são geridas pela Comissão. Regra

Leia mais

Rio de Janeiro, 5 de Dezembro de 2003

Rio de Janeiro, 5 de Dezembro de 2003 Intervenção de Sua Excelência a Ministra da Ciência e do Ensino Superior, na II Reunião Ministerial da Ciência e Tecnologia da CPLP Comunidade dos Países de Língua Portuguesa Rio de Janeiro, 5 de Dezembro

Leia mais

O Conceito de Cluster

O Conceito de Cluster O Conceito de Cluster Conjunto de empresas, relacionadas entre si, que desenvolvem competências específicas, formando um pólo produtivo especializado e com vantagens competitivas. Antecedentes As empresas

Leia mais

Instituto Politécnico de Santarém Gabinete de Mobilidade e Cooperação Internacional Documento de orientação estratégica

Instituto Politécnico de Santarém Gabinete de Mobilidade e Cooperação Internacional Documento de orientação estratégica Instituto Politécnico de Santarém Gabinete de Mobilidade e Cooperação Internacional Documento de orientação estratégica 1. Introdução Assume-se que a internacionalização do IPSantarém não deve consistir

Leia mais

EngIQ. em Engenharia da Refinação, Petroquímica e Química. Uma colaboração:

EngIQ. em Engenharia da Refinação, Petroquímica e Química. Uma colaboração: EngIQ Programa de Doutoramento em Engenharia da Refinação, Petroquímica e Química Uma colaboração: Associação das Indústrias da Petroquímica, Química e Refinação (AIPQR) Universidade de Aveiro Universidade

Leia mais

Maio 2013 PE2020. O papel da Engenharia como fator de competitividade. Iniciativa

Maio 2013 PE2020. O papel da Engenharia como fator de competitividade. Iniciativa Maio 2013 PE2020 O papel da Engenharia como fator de competitividade Iniciativa Agenda 1. Apresentação da Proforum e do PE2020 como plataforma colaborativa relevante e integradora 2. Contributo do PE2020

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM CONTROLO DE GESTÃO E FISCALIDADE PARA PME S

PÓS-GRADUAÇÃO EM CONTROLO DE GESTÃO E FISCALIDADE PARA PME S PÓS-GRADUAÇÃO EM CONTROLO DE GESTÃO E FISCALIDADE PARA PME S CÂMARA DO COMÉRCIO DE ANGRA DO HEROÍSMO E INSTITUTO SUPERIOR DE ECONOMIA E GESTÃO Angra do Heroísmo 2010/2011 1 Objectivos Este curso de pós-graduação

Leia mais

Escola Superior de Educação João de Deus

Escola Superior de Educação João de Deus Regulamento do 2.º Ciclo de Estudos Conducente ao Grau de Mestre em Educação pela Arte Artigo 1.º Objectivos Os objectivos dos cursos de mestrado (2.º ciclo), da Escola Superior de Educação João de Deus

Leia mais

Estudos em Direito. 2º Ciclo Mestrado. Apresentação. Ano Lectivo 2010 2011

Estudos em Direito. 2º Ciclo Mestrado. Apresentação. Ano Lectivo 2010 2011 Estudos em Direito 2º Ciclo Mestrado Ano Lectivo 2010 2011 Apresentação O 2º Ciclo de Estudos em Direito tem a designação internacional corrente de Master. Com a oferta do seu Programa de Mestrados 2º

Leia mais

Cursos de Licenciatura

Cursos de Licenciatura DLLM Cursos de Licenciatura 2009-2010 1 Cursos de Licenciatura 2009/2010 1º Ciclo Bolonha DLLM Departamento de Línguas e Literaturas Modernas 2 Cursos de Licenciatura 2009-2010 DLLM DLLM Cursos de Licenciatura

Leia mais

Quadro jurídico no sistema educativo português

Quadro jurídico no sistema educativo português I Simpósio Luso-Alemão sobre a Qualificação Profissional em Portugal - Oportunidades e Desafios Isilda Costa Fernandes SANA Lisboa Hotel, Av. Fontes Pereira de Melo 8, Lisboa 24 de novembro 2014 Contexto

Leia mais

Serviço de Apoio à Criação de Emprego e estágios

Serviço de Apoio à Criação de Emprego e estágios Serviço de Apoio à Criação de Emprego e estágios Outubro de 2009 Agenda EM DESTAQUE Estágios e Suplemento ao Diploma- uma aposta no futuro! Índice Nota Editorial Eventos/Notícias Na Primeira Pessoa Manz

Leia mais

MESTRADO EM GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES

MESTRADO EM GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES PROCESSO REFERENTE À CRIAÇÃO E ENTRADA EM FUNCIONAMENTO DO MESTRADO EM GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES (De acordo com o Artigo 8.º do Decreto-Lei n.º 74/200, de 24 de Março) DGES DIRECÇÃO GERAL DO ENSINO SUPERIOR

Leia mais