A INFLUÊNCIA DAS MÍDIAS SOCIAIS NO CONSUMO E PRODUÇÃO DE MÚSICA 1 :

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A INFLUÊNCIA DAS MÍDIAS SOCIAIS NO CONSUMO E PRODUÇÃO DE MÚSICA 1 :"

Transcrição

1 1 A INFLUÊNCIA DAS MÍDIAS SOCIAIS NO CONSUMO E PRODUÇÃO DE MÚSICA 1 : Um novo modo de consumir e produzir Rafael Figueiredo da Silva Batista 2 Universidade Federal do Maranhão, São Luís/MA Resumo: O artigo tem como principal objetivo discutir as transformações no modo de consumir e produzir música, decorridas pela popularidade e freqüente uso das mais variadas mídias sociais. Primeiramente é dado um breve esclarecimento sobre os conceitos Rede Social e Mídia Social, são apresentados alguns exemplos, tais como Orkut, Facebook, MySpace, Youtube e Twitter. Há uma discussão sobre o porquê das pessoas estarem nesses lugares virtuais, como elas podem se comportarem e como quem produz música devem fazer proveito disso. Fala-se sobre um novo modo de consumir e produzir, em que o público interfere na produção da música e quem produz pode conseguir um marketing "gratuito", sabendo usar as devidas ferramentas, pois o produto é o Marketing. Com o alto grau de interatividade é necessário investir primeiramente no produto, fazendo com que o público discuta sobre ele e o compartilhe em suas redes. Palavras-chave: Música. Internet. Mídias sociais. Consumo. Produção. 1 Considerações Iniciais O presente trabalho tem como principal objetivo discutir as transformações no modo de consumir e produzir música, decorridas pela popularidade e freqüente uso das mais variadas mídias sociais. Mas antes de abordar as influências que as novas mídias podem inferir na recepção, o trabalho discute a confusão criada acerca dos conceitos, mídia social e rede social. Primeiramente então, é necessário definir o que é cada um. Quando se popularizaram em 2005, eram chamadas respectivamente de novas mídias e de sites de relacionamento, e Manovich (2005, p.27) definiu o primeiro como objetos culturais que usam a tecnologia computacional digital para distribuição e exposição. A partir de 2010 ficou padronizado que as definições seriam Mídias Sociais para Novas Mídias e Redes Sociais para Sites de Relacionamentos, mas a essência de cada ferramenta continuou a 1 Trabalho apresentado ao GT (Nº4) Música e convergência tecnológica, do III Musicom Encontro de Pesquisadores em Comunicação e Música Popular, realizado no período de 30 de agosto a 1º de setembro de 2011, na Faculdade Boa Viagem, em Recife-PE. 2 Acadêmico do curso de Comunicação Social/Rádio e TV da UFMA e compositor, músico e gestor de mídias sociais da banda Farol Vermelho. Atua na área de música e mídias sociais. Currículo Lattes:

2 2 mesma, uma vez que as mídias sociais fazem uso do meio eletrônico para interação entre as pessoas. As redes sociais já são algo mais específico, pois é um espaço onde existe uma relação direta entre os indivíduos - classificados aqui como usuários - em que eles se organizam em grupos. Os sites de relacionamentos ou redes sociais são ambientes que focam reunir pessoas, os chamados membros, que uma vez inscritos, podem expor seu perfil com dados como fotos pessoas, textos, mensagens e vídeos, além de interagir com outros membros, criando listas de amigos e comunidades. (TELLES, 2010, p.3) Assim, as redes sociais são uma subcategoria de mídias sociais, então quando se falar aqui de mídia social, as redes estão sendo contempladas. Dentre as redes mais populares do Brasil e no meio musical estão: a) Orkut: Surgiu em 2004 e foi a rede mais popular no Brasil durante anos. Os usuários se organizavam em comunidades com fóruns de discussão onde disponibilizavam um link externo para download ou consumo online da música. Hoje está em desuso e a maioria dos seus usuários migrou para o Facebook. b) MySpace: Surgiu em 2003 como um site de relacionamentos mas no Brasil foi mais frequentemente utilizado por artistas como plataforma de música online e ferramenta de divulgação. O uso como rede de relacionamentos foi mais frequente nos EUA. c) Facebook : Surgiu em 2004 mas só foi ganhar popularidade no Brasil a partir de Após o filme Rede Social mais usuários aderiram ao Facebook que é hoje a rede mais popular do mundo. A dinâmica do site conta agora com ferramentas musicais e perfis para empresas e artistas, além de serviços de sincronização com outras mídias, destacando a hegemonia em relação às outras redes. As mídias sociais englobam, além das redes sociais, outros veículos sociais que permitem a divulgação de um conteúdo junto à relação com outras pessoas. Num breve panorama sobre as mídias sobressaem-se os serviços de Troca de Arquivos (ou compartilhamento/share) como o Youtube, principal site de compartilhamento de vídeos, o Flickr e fotologs para fotos, o 4shared para arquivos em geral e as inúmeras plataformas de música online, com destaque:

3 3 a) TramaVirtual: Portal da Uol, criado pela gravadora independente Trama, disponibiliza mais de 70 mil artistas e mais de 180 mil músicas e dentre várias ferramentas, possui o download remunerado, em que o usuário baixa a música gratuitamente e ajuda o artista que por meio de estatísticas recebe uma verba de patrocinadores b) PalcoMp3: Portal do Terra, menos popular, com cerca de 50 mil artistas cadastrados, mas por ser vinculado ao CifraClub 3, muitas pessoas que estão aprendendo a tocar algum instrumento acabam sendo direcionadas para este local. E ainda o polêmico serviço de microblogging, Twitter, que é utilizado por muitos, apenas como rede social e levanta essa questão, sobre a diferença entre rede e mídia social. Essa diferença aparece hoje como uma linha tênue e a definição do conceito se dá subjetivamente, uma vez que na sede de interação, as pessoas passam a utilizar mídias sociais como redes de relacionamento. 2 Por que Mídia Social? Para entender os efeitos que as mídias e redes sociais causaram no consumo, é preciso entender porque as pessoas estão naquele lugar. Quando o cinema era uma mídia emergente, Benjamin (1985, p.183) tratou da exigência de ser filmado discutindo que as pessoas percebiam que todos tinham oportunidade de aparecer na tela e que cada um podia reivindicar o direito de ser filmado. O mesmo que aconteceu com o surgimento do cinema, se aplica aqui, com surgimento dessas novas mídias cada um pode reivindicar o direito de aparecer, de se fazer ver e ouvir. O passar do tempo mostrou que esse direito ou capricho se transformou numa necessidade, não só de ser visto e ouvido, mas de se auto-afirmar. Como Adorno sugere ao falar da cultura de massa, as pessoas carecem do reforço de sua própria identidade e a indústria cultural vendia uma satisfação manipulada delas se sentirem representadas nos filmes, nas músicas e em outros produtos (ADORNO, 1986 apud DANNER P.5). Com as mídias sociais as pessoas se sentem representadas em seus perfis onlines, reforçando sua identidade, apesar disso, elas não se satisfazem apenas com essa representação e buscam nos 3 Portal de Cifras com aulas e dicas que ensinam as pessoas a tocar instrumentos e executar músicas

4 4 produtos disponíveis na rede outros modos de representar sua identidade, assim compartilham e consequentemente, divulgam músicas e vídeos, criando um novo modo de consumir que será aprofundado durante o artigo. Surge então não somente uma nova mídia, mas um novo comportamento social que implica em um novo modo de consumir (receber). Como bem ressalva Benjamin (1985, p.185), As transformações sociais muitas vezes imperceptíveis acarretam mudanças na estrutura da recepção. O termo recepção não é utilizado aqui, pois dá uma idéia de consumo passivo e como bem Santaella fala que na cibercultura o consumo que se dá pelas mídias sociais é ativo (informação verbal 4 ), como veremos adiante. Através do uso das mídias e redes sociais os consumidores conseguem finalmente saciar sua sede por interação, e são expostos num local onde eles são vistos e ouvidos não só por outros consumidores, mas também por produtores de bens e serviços. A partir daí, o consumidor não é apenas ouvido, ele é observado e analisado. (PATINI, 2011, p.15) Entretanto, os produtores de música como bens e serviço (compositores, artistas, produtores musicais, band managers, entre outros) não devem ficar presos a essa idéia de que as mídias sociais são um lugar para analisar o público alvo e divulgar seus serviços, e sim utilizá-las como uma plataforma de relacionamento com todos os públicos: fãs, promotores de eventos, patrocinadores, rádios e TVs, empresas de marketing, produtores musicas, portais de divulgação, outras bandas etc.. (CASTRO, 2011) O público ao interagir com um ídolo se sente mais próximo deste. Mais uma vez traçando um laço comparativo com o advento de outro tipo de mídia em outra época, Thompson (1998, p. 109) comenta em A transformação da visibilidade, que o desenvolvimento da televisão fez com que as pessoas criassem um grau de familiaridade e até intimidade com as personalidades públicas pela acessibilidade que aquela mídia causava. Ora, aqui acontece uma re-transformação da visibilidade, pois a proximidade entre esse consumidor e as personalidades públicas é bem clara, já que estando nas mídias sociais, há a possibilidade de interação entre estes atores sociais, devido a acessibilidade estar a um click, criando um grau de intimidade que na verdade é ilusório bem maior. 4 Informação fornecida na conferência de abertura da XI Semana de Comunicação na UFMA, em São Luís pela Prof Dra Lucia Santaella em 31 de maio de 2011

5 5 3 A Net Gen e o novo modo de consumir e produzir A Net Gen é um conceito abordado por Tapscott que contempla a geração nascida entre Janeiro de 1977 e Dezembro de 1997, previamente conceituada de Geração Y e geração do milênio e tem como característica a facilidade para desenvolver várias tarefas ao mesmo tempo. Tapscott fala que o consumidor da Net Gen interage com o produto, não querendo apenas consumir, mas também influenciar a produção daquele produto ou serviço. Sendo ele um prosumer, uma forma híbrida de consumidor e produtor, co-inovando bens e serviços com os produtores. O conceito de uma marca, que é o nome e a sonoridade do artista, fica então em constante processo de transformação, devido a esse consumo intervencionista. (2009, p.11) Leoni (2010, p.12) também ressalta essa idéia, quando diz que atualmente, todos os consumidores de qualquer tipo de informação, também produzem mais informação, pois a ferramenta de acesso a rede, onde ele se abastece de conteúdo (computadores e celulares) também permite que ele produza e compartilhe material. O público sempre vai reagir de alguma maneira ao produto, seja produzindo informação, criticas e opiniões acerca do produto, compartilhando-as e divulgando aquele material nas suas mídias disponíveis. Formou-se um novo modo de consumir. O consumidor sempre vai ser ouvido, e se quem produz não der atenção e interagir com ele, outros consumidores vão ouvi-lo e formarão uma opinião coletiva daquele produto, que sendo boa ou não, será consolidada no imaginário popular e improvável de ser desprendida do nome daquele produto. Em termos gerais, um artista que tiver seu trabalho mal visto uma vez, precisará de uma nova cara, um novo nome e um novo produto. 5 No lado dos produtores de bens e serviços - e aqui é importante a descrição de bens e serviços, porque a música sempre foi encarada como um bem intelectual, e durante muito foi discutida a prática do download como violação da propriedade intelectual. Mas por conta da digitabilidade trazida por estas novas mídias, a música vem se transformando cada vez mais em um serviço, deixando de ser um bem. (LEONI, 2010 p.73) é imprescindível ouvir, responder e se aproximar do consumidor, é ele que vai escolher entre o produto de um e o de 5 É claro que esta não é uma regra, diversos artistas conseguem consolidar outra imagem apenas apresentando um trabalho diferenciado, já outros, mesmo com um novo nome e um novo trabalho, continuam com a mesma imagem pública.

6 6 outro, pois mesmo que os Net Gens 6 sejam hábeis ao ponto de realizar várias atividades ao mesmo tempo, só é possível ouvir uma música de cada vez. O produtor tem mais um grande problema no mundo digital. Como já foi dito aqui, qualquer um pode aparecer, ser visto e ouvido. O consumidor tem uma infinidade de informações, artistas, músicas, bens e serviços para se deleitar enquanto navega, e alguns são bombardeados em todos os canais da internet, inclusive no , com conteúdos que são muitas vezes dispensáveis e acabam sendo rejeitados junto com outros que poderiam ter sido aproveitados. Para o produtor, não basta insistir neste marketing massivo, pois quem consome, sabe o que quer consumir e o que vai escolher. Tapscott (2009, p. 34) reafirma isso dizendo que os Net Gens querem liberdade em tudo o que fazem, desde liberdade de expressão à liberdade de escolha, e que a capacidade de escolha é como oxigênio para eles, que procuram até achar a mensagem, ou produto que se encaixe de acordo com as suas necessidades e desejos. Os artistas e bandas de hoje tem que funcionar como uma empresa, já que a maioria descartou as gravadoras e se lança no meio independente, assumindo integralmente as responsabilidades e os custos envolvidos, sem nenhuma vinculação que implique em subordinação a uma empresa ou instituição com fins lucrativos (VAZ, 1988 apud MONTEIRO, 2008, p.2). Sem investidores, é preciso se desenrolar para adquirir visibilidade e consumo desenvolvendo cada setor da empresa : composição, execução, arranjos, produção musical, freqüência de shows e o talvez mais importante: marketing digital. Mas não adiantará de nada ter um marketing exemplar e uma qualidade sonora duvidosa. Leoni (2010, p. 14) destaca que a qualidade é o que determina se o produto vai ou não ser consumido. Ainda assim, não basta ter uma música bem executada, com timbres audíveis e melodias afinadas. A oferta de musica é massiva. Somente no portal brasileiro TramaVirtual 7, como já foi citado anteriormente, o cardápio musical disponível é amplo e diversificado, e isso só de artistas nacionais, considerando que as mídias sociais permitam que o consumidor busca informação produzida worldwide 8 é impossível contabilizar a concorrência, então o produtor deve usar de vários recursos para atrair o consumidor para a sua música.. O produto deve ser original, interessante e impactante para o público, ter algo que faça com que o consumidor divulgue e discuta em sua rede, assim o produtor tem um marketing legitimado e 6 Pessoa pertencente à Net Gen artistas e músicas. Acesso em 08/06/ No mundo inteiro. Expressão traduzida livremente da sigla WWW, que significa World Wide Web.

7 7 o mais importante, gratuito. Como conclui Leoni (2010 p. 17): o produto é o marketing! Então, aprimore o produto. A legitimidade deste marketing gerado pelo consumidor é confirmada por Tapscott (2009, p.35) quando ele versa sobre a N-fluência, a influência que os Net Gens tem uns sobre os outros. Na pesquisa realizada pelo autor, ele comprova que nove em cada dez jovens afirmam certamente vão consumir um produto que fora consumido e recomendado por um amigo. O que era antes conhecido como publicidade boca-a-boca nesta plataforma ganha novas proporções, e pode se tornar um marketing viral gratuito. Contudo, não é qualquer mensagem ou produto que os consumidores vão ofertar em sua network, para uma mensagem viralizar 9 ela precisa infectar como propõe Paul Marsden (2008), que enumera alguns fatores para que isso possa ocorrer. Ele diz que a mensagem ou produto deve possuir excelência na qualidade, exclusividade (sendo algo diferenciado), apelo estético, assimilações positivas, compromisso, envolvimento emocional, identificações com valores do público, conexões nostálgicas, valor expressivo e personalidade. Ou seja, uma música bem produzida e bem tocada que se sobressaia do lugar-comum e crie uma fácil afinidade com o público tem grande possibilidade de ser adotada pelos consumidores e disseminada pela rede. É necessário mais cuidado quando se for produzir um novo material, ao contrário de outrora, que bastava lançar um produto nos principais meios de comunicação de massa que ele se tornava popular. 4 O boom mais bonito da cidade Esse novo modo de consumir e o marketing viral gratuito são evidenciados ao analisarmos o que aqui é chamado de O boom mais bonito da cidade, fenômeno que explodiu na internet através das mídias sociais. Trata-se do clipe da música oração da Banda mais bonita da cidade, que atingiu mais de três milhões de acessos em dez dias, e em menos de um mês já ultrapassa cinco milhões de acessos 10. O vídeo foi filmado em plano seqüência de 6 minutos e a estrutura da música é simplesmente um refrão de oito versos que se repete ao longo desse tempo enquanto uma pessoa que conduz a narrativa passeia por uma 9 Termo popular utilizado na internet, algo viraliza quando tem vários acessos rapidamente,se tornando popular. Algo que passa de pessoa para pessoa rapidamente, como um vírus. É a expressão digital para febre, no mesmo contexto acessos em 13/06/11

8 8 casa interagindo com várias pessoas até o momento em que todos aparecem juntos e cantam a música como se estivessem em uma grande festa. Oração é uma música simples e de melodia fácil, estatisticamente, músicas com essas características tendem a se tornarem sucessos, como pode ser visto no United World Chart, parada de sucessos mundial elaborada pela Media Traffic 11, entretanto, o que deve ser analisado aqui são os artifícios utilizados na produção e como isso foi consumido e não melodias e critérios musicais. A banda optou por lançar a música como um produto audiovisual, o que requer mais atenção no consumo e mais cuidado na produção. Independente da intenção de fazer um produto viral, - como o próprio Vinicius Nisi, tecladista da banda e diretor do clipe falou em entrevista ao Programa SBT Paraná, o vídeo foi compartilhado no Facebook somente com as 25 pessoas que trabalharam na produção da obra e quando ele percebeu a coisa criou vida e começou a ser compartilhada espontaneamente ele se encaixa nos fatores encabeçados por Marsden da mensagem viral. O produto possui excelência na qualidade, com um áudio e vídeo bem gravados e disponibilidade em HD 1080p, é exclusivo e diferenciado, pois apesar de ser um refrão repetido ao longo de seis minutos, a música se renova a cada instante ganhando novos arranjos, novos instrumentos e novas vozes na medida em que a narrativa se desenvolve. Há apelo estético, assimilações positivas e envolvimento emocional, como o guitarrista da banda Rodrigo Lemos ressalta em entrevista ao Fantástico, acho que é isso, a alegria que a gente tá sentindo, que é verdadeira e é o que faz as pessoas passarem pra frente e querer estar numa festa dessas. Na mesma entrevista a fala da vocalista Uyara Torrente passa a ideia da identificação, personalidade e das conexões nostálgicas, as pessoas se identificam com essa diversão e a gente ouve muito: nossa, que vontade de estar lá, reforçada por Leo Fressato, compositor da canção em entrevista a O Globo, As pessoas não se contentam em assistir. Elas querem fazer parte daquilo, mesmo que criticando, o que é o caso de algumas delas. Desta vontade de estar lá e do novo modo de consumir produzindo e co-inovando bens e serviços, surgiram inúmeros vídeos nas mídias sociais, resultado da reação dos consumidores que não só compartilharam o produto original da banda, mas também fizeram os seus próprios produtos homenageando ou parodiando o videoclipe, a partir dessa intertextualidade, a obra da banda se transformou em um produto hipermidiático, criando mensagens em circuito que tomam formas fixas, mas efervescentes e continuamente 11

9 9 varáveis (SANTAELLA, 2003, p.93). Este tipo de mensagem é tanto dirigida quanto dirigível por nós; o modo é fundamentalmente interativo ou dialógico (NICHOLS, 1996 apud SANTAELLA, 2003, p.94) Em relação ao produto hipermidiático, Santaella reforça o que já foi citado aqui por Tapscott, que devido ao caráter hiper e multidimensional o consumidor se posiciona como coautor e co-criador. A música Oração foi sucesso e repercutiu nacionalmente em poucos dias sem sequer ser reproduzida em nenhum programa de rádio ou televisão, comprovando que através das mídias sociais um produto prescinde os principais meios de comunicação de massa para ser consumido. Entretanto, o mundo das novas mídias não exclui nem se sobrepõe aos meios tradicionais, são mundos que se complementam e convergem entre si. Então, o sucesso só é legitimado quando há essa convergência, quando o que estourou no virtual ganha visibilidade no principal meio de comunicação de massa, neste caso, quando a banda mais bonita da cidade é entrevistada no Fantástico. 5 Considerações Finais Ao lado de um novo modo consumir, acabou sendo desenvolvido um novo modo de produzir. Para um consumidor mais atento, um produtor mais atencioso. Fica evidenciado aqui que através da acessibilidade das novas mídias há uma maior proximidade entre estes dois atores com a possibilidade de uma troca de idéias que influencia na produção. O consumidor como co-autor, co-criador e co-inovador dos bens produzidos e as mídias sociais como uma via de duplo sentido que pode transformar o consumidor tanto em um depreciador, quando ele bombardeia suas redes com criticas e parodias que podem ridicularizar o trabalho sério de um profissional e criar uma imagem negativa no imaginário coletivo ou um cúmplice do produtor, quando ele compartilha o produto e acaba fazendo parte do projeto, e faz o marketing massivo gratuito. O produtor, por sua vez, deve antecipar o efeito da sua mensagem, pondo-se no lugar do consumidor, antecipando como ele vai receber aquele produto, escolhendo como irá produzir (ORLANDI, 1999). Não basta estar nas mídias sociais, deve se estar lá com responsabilidade, pois não surgiu apenas uma nova mídia, mas também um novo comportamento social.

10 10 Assim o produtor pensa como consumidor na medida em que o consumidor age como produtor. Percebemos então que consumo e produção estão cada vez mais entrelaçados. Quando este trabalho foi idealizado, ele visava estudar apenas o consumo de música na era das mídias sociais, contudo, na medida em que a pesquisa foi se desenvolvendo, esse emaranhado ficou cada vez mais evidente e é impossível compreender o estudo dos novos modos de consumir sem ter um entendimento dos de produzir e vice-versa. Nós estamos ainda vivendo o começo de uma revolução no consumo. É evidente que nos últimos cinco anos já se estabilizou um novo modo de consumir e de produzir não só música, como vários bens e serviços. Este modo pode manter-se estável ou mudar daqui a um ou dez anos. O estudo aqui apresentado também está em transformação contínua e é apenas o primeiro de uma série de estudos sobre consumo, produção, música e internet REFERÊNCIAS BENJAMIN, Walter. A obra de arte na época de sua reprodutibilidade técnica. In: Magia e técnica, arte e política ensaios sobre literatura e historia da cultura. Editora Brasiliense, 1985 CAMARGO, Zeca. Banda de Curitiba faz clipe criativo e vira febre na internet In: FANTÁSTICO exibido em 29 maio Disponível em: <http://fantastico.globo.com/jornalismo/fant/0,,mul ,00.html>. Acesso em 12 jun 2011 CASTRO, Mariela. Mídia social pode dar errado? Exame.com, jan Disponível em <http://exame.abril.com.br/rede-de-blogs/midias-sociais/2011/01/26/midia-social-pode-darerrado/> Aceso em: 15 maio 2011 DANNER, F.. A Dimensão Estética em Theodor W. Adorno. Thaumazein, v. 3, p , DEODATO, Lívia.Vinicius Nisi, integrante d'a Banda Mais Bonita da Cidade, que virou hit na internet com a música "Oração", fala a MC sobre a fama repentina In: Marie Claire. Disponível em <http://revistamarieclaire.globo.com/revista/common/0,,emi ,00- VINICIUS+NISI+INTEGRANTE+DA+BANDA+MAIS+BONITA+DA+CIDADE+QUE+V IROU+HIT+NA+IN.html> 20 maio Acesso em 13 jun 2011 LEONI. Manual de Sobrevivência no mundo digital. ebook Disponível em <http://www.leoni.com.br/download_ebook_manual_sobrevivencia.php>, Acesso em 01 mar. 2011

11 11 MANOVICH, Lev. Novas mídias como tecnologia e idéia: dez definições. In: Lúcia Leão (org.). O chip e o caleidoscópio: reflexões sobre as novas mídias.são Paulo: Editora SENAC, MARSDEN, Paul, Tipping Point Marketing: A Primer, Tipping Point Research, abr Disponível em <www.viralculture.com> Acesso em 17 maio 2011 MONTEIRO, Márcio. Autônomos on-line: a produção musical independente do Maranhão no Portal Palco Mp3. Disponível em: <http://marcmont.files.wordpress.com/2009/05/intercom2008saoluis.pdf> Acesso em 07 jun 2011 NATAL, Bruno. A banda mais falada da cidade. In: O Globo. Rio de Janeiro. Disponível em <http://oglobo.globo.com/cultura/mat/2011/05/26/transcultura-leia-entrevista-com-diretor-do- clipe-da-banda-mais-bonita-da-cidade-que-explodiu-na-internet-gera-homenagens-parodias asp> 27 maio Acesso em 13 jun 2011 ORLANDI, Eni. Análise de Discurso: princípios e procedimentos. Campinas: Pontes, PATINI, Aline, Mídias Sociais: Você está conectado? In : Redes Sociais e Inovação digital, E-book Colaborativo Volume 2. São Paulo, Gaia Criative, Disponível em <www.gaiacreative.com.br> Acesso em 16 maio 2011 TAPSCOTT, Don. Grown Up Digital - How the Net Generation is changing your world. McGraw-Hill ebooks. Disponível em <http://www.4shared.com/document/rav7spy3/grown_up_digital_-_how_the_net.html>, 2009 Acesso em 12 de maio de 2011 TELLES, André. O Poder das Mídias Sociais Disponível em: < acesso em 12 maio 2011 THOMPSON, John B. A mídia e a modernidade: uma teoria social da mídia, Petrópolis/RJ: Vozes, 1998 SANTAELLA, Lúcia. Culturas e artes do pós-humano: da cultura das mídias à cibercultura. São Paulo: Paulus, SOUSA, Marc. Entrevista com A Banda mais bonita da cidade. In: Programa SBT Paraná 23 maio Curitiba. Disponível em: <http://www.youtube.com/watch?v=jumkdmk6- bk> Acesso em 12 jun 2011

As Comunidades Virtuais e a Produção do Capital Social: 1 Uma análise sob a comunidade Lollapalooza Brasil

As Comunidades Virtuais e a Produção do Capital Social: 1 Uma análise sob a comunidade Lollapalooza Brasil As Comunidades Virtuais e a Produção do Capital Social: 1 Uma análise sob a comunidade Lollapalooza Brasil Samira NOGUEIRA 2 Márcio Carneiro dos SANTOS 3 Universidade Federal do Maranhão, São Luís, MA

Leia mais

1 Introdução. 1.1 A Nova Era Digital

1 Introdução. 1.1 A Nova Era Digital 11 1 Introdução Com o advento da nova era da internet, conhecida com web 2.0, e o avanço das tecnologias digitais, o consumidor passa a ter maior acesso à informação bem como à facilidade de expressar

Leia mais

*Todos os direitos reservados.

*Todos os direitos reservados. *Todos os direitos reservados. A cada ano, as grandes empresas de tecnologia criam novas ferramentas Para o novo mundo digital. Sempre temos que nos renovar para novas tecnologias, a Karmake está preparada.

Leia mais

Marketing Digital. Prof. Rodrigo Mocellin. AV. Presidente Getúlio Vargas, 902 Rebouças - Curitiba, Paraná - 80230-030

Marketing Digital. Prof. Rodrigo Mocellin. AV. Presidente Getúlio Vargas, 902 Rebouças - Curitiba, Paraná - 80230-030 Marketing Digital Prof. Rodrigo Mocellin Pesquisa O objetivo maior do marketing é a identificação e satisfação das necessidades e desejos do cliente (KOTLER, 2000). Para identificar essas necessidades

Leia mais

5 Conclusões 5.1. Síntese do estudo

5 Conclusões 5.1. Síntese do estudo 5 Conclusões 5.1. Síntese do estudo Este estudo teve como objetivo contribuir para a compreensão do uso das mídias sociais, como principal ferramenta de marketing da Casar é Fácil, desde o momento da sua

Leia mais

REDES SOCIAIS. Profº Thiago Arantes

REDES SOCIAIS. Profº Thiago Arantes REDES SOCIAIS Profº Thiago Arantes Todos os direitos reservados - IAB 2014 - Conforme estipulado no Termo de Uso, todo conteúdo ora disponibilizado é de titularidade exclusiva do IAB ou de terceiros parceiros

Leia mais

REDES SOCIAIS. Prof. Thiago Arantes

REDES SOCIAIS. Prof. Thiago Arantes REDES SOCIAIS Prof. Thiago Arantes - Conforme estipulado no Termo de Uso, todo o conteúdo ora disponibilizado é de titularidade exclusiva do IAB ou de terceiros parceiros e é protegido pela legislação

Leia mais

RESENHA. SANTAELLA, L. Por que as comunicações e as artes estão convergindo? São Paulo: Paulus, 2005.

RESENHA. SANTAELLA, L. Por que as comunicações e as artes estão convergindo? São Paulo: Paulus, 2005. 1 RESENHA Mónica Santos Pereira Defreitas 1 SANTAELLA, L. Por que as comunicações e as artes estão convergindo? São Paulo: Paulus, 2005. O livro de Lúcia Santaella, Por que as comunicações e as artes estão

Leia mais

A confluência dos vídeos e a Internet

A confluência dos vídeos e a Internet WHITEPAPER A confluência dos vídeos e a Internet Por que sua empresa deveria investir em vídeos em 2013 e como a Construção Civil pode utilizar os vídeos como diferencial competitivo. 1 Saiba como os vídeos

Leia mais

Redes sociais. Guilherme Calil n o 05 Leonardo Pessoa n o 11 Natália Kovalski n o 21 Nícolas Morando n o 22 Renan Sangalli n o 26 Thiago Macedo n o 28

Redes sociais. Guilherme Calil n o 05 Leonardo Pessoa n o 11 Natália Kovalski n o 21 Nícolas Morando n o 22 Renan Sangalli n o 26 Thiago Macedo n o 28 Guilherme Calil n o 05 Leonardo Pessoa n o 11 Natália Kovalski n o 21 Nícolas Morando n o 22 Renan Sangalli n o 26 Thiago Macedo n o 28 Redes sociais Pesquisa estatística Professora: Rosa Zoppi FAEC Fundação

Leia mais

TÍTULO: MARKETING DIGITAL, ESTRATÉGIA FUNDAMENTAL PARA O CRESCIMENTO DAS EMPRESAS.

TÍTULO: MARKETING DIGITAL, ESTRATÉGIA FUNDAMENTAL PARA O CRESCIMENTO DAS EMPRESAS. Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: MARKETING DIGITAL, ESTRATÉGIA FUNDAMENTAL PARA O CRESCIMENTO DAS EMPRESAS. CATEGORIA: CONCLUÍDO

Leia mais

PLANEJAMENTO DE MARKETING ELETRÔNICO

PLANEJAMENTO DE MARKETING ELETRÔNICO Instituto FA7 IBMEC MBA em Marketing Disciplina: Professor: Turma: Equipe: Marketing Eletrônico Renan Barroso Marketing II - Fortaleza Ana Hilda Sidrim, Ana Carolina Danziger PLANEJAMENTO DE MARKETING

Leia mais

Dados sobre a Feira do Empreendedor 2015

Dados sobre a Feira do Empreendedor 2015 Dados sobre a Feira do Empreendedor 2015 1 Feira do Empreendedor 2015 O sucesso é grande. Há pessoas que demostram o interesse em adquirir até 10 máquinas de uma só vez. Alexandre Ronconi, diretor da Hot

Leia mais

História Diferenciações Assessoria o que é? Estrutura Comunicação x Imprensa Papéis e funções Planejamento Conteúdo Processamento interno x externo

História Diferenciações Assessoria o que é? Estrutura Comunicação x Imprensa Papéis e funções Planejamento Conteúdo Processamento interno x externo Morgana Hamester História Diferenciações Assessoria o que é? Estrutura Comunicação x Imprensa Papéis e funções Planejamento Conteúdo Processamento interno x externo Contexto atual Modelização digital contemporaneidade;

Leia mais

Introdução redes sociais mulheres Digg

Introdução redes sociais mulheres Digg O século XIX ficou conhecido como o século europeu; o XX, como o americano. O século XXI será lembrado como o Século das Mulheres. (Tsvi Bisk, Center for Strategic Futurist Thinking, 2008) A Sophia Mind,

Leia mais

Bem-vindo ao Mídia Kit do História-Erótica! Neste arquivo é possível obter informações úteis e precisas sobre um dos

Bem-vindo ao Mídia Kit do História-Erótica! Neste arquivo é possível obter informações úteis e precisas sobre um dos Bem-vindo ao Mídia Kit do História-Erótica! Neste arquivo é possível obter informações úteis e precisas sobre um dos portais mais populares e picantes do Brasil, como: dados estatísticos, pesquisas de

Leia mais

Prof. Rodrigo Maia rodrigo@lucrus.com.br

Prof. Rodrigo Maia rodrigo@lucrus.com.br Como Fazer das Redes Sociais uma Oportunidade para Novos Negócios Apresentação Formado em Comunicação com pós-graduação em Gestão Empresarial e RH pela PUC RJ Mais de 15 anos de experiência no desenvolvimento

Leia mais

3 As Mídias Sociais como Ferramentas de Marketing

3 As Mídias Sociais como Ferramentas de Marketing 26 3 As Mídias Sociais como Ferramentas de Marketing O surgimento das mídias sociais está intimamente ligado ao fenômeno da geração de conteúdo pelo usuário e ao crescimento das redes sociais virtuais

Leia mais

Trabalho sobre Social Media Como implementar Social Media na empresa

Trabalho sobre Social Media Como implementar Social Media na empresa Como implementar Social Media na empresa 1 As razões: Empresas ainda desconhecem benefícios do uso de redes sociais Das 2,1 mil empresas ouvidas em estudo do SAS Institute e da Harvard Business Review,

Leia mais

Resumo. Palavras-chave: twitter; ferramenta; planejamento; Greenpeace.

Resumo. Palavras-chave: twitter; ferramenta; planejamento; Greenpeace. O Twitter Como Ferramenta de Divulgação Para As Empresas: Um Estudo De Caso do GREENPEACE 1 Jonathan Emerson SANTANA 2 Gustavo Guilherme da Matta Caetano LOPES 3 Faculdade Internacional de Curitiba - FACINTER

Leia mais

COMO USAR AS MÍDIAS SOCIAIS PARA VENDER MAIS NA INTERNET. tyngu.com.br

COMO USAR AS MÍDIAS SOCIAIS PARA VENDER MAIS NA INTERNET. tyngu.com.br COMO USAR AS MÍDIAS SOCIAIS PARA VENDER MAIS NA INTERNET USE O PODER DA INTERNET Usar as mídias sociais como Facebook, Twitter e YouTube para dar mais visibilidade a um produto ou serviço exige aprendizado.

Leia mais

Mídias Sociais e Marketing Digital: um novo modelo de comunicação entre empresa e consumidor 1

Mídias Sociais e Marketing Digital: um novo modelo de comunicação entre empresa e consumidor 1 Mídias Sociais e Marketing Digital: um novo modelo de comunicação entre empresa e consumidor 1 Anadelly Fernandes Pereira ALVES 2 Universidade de Estado do Rio Grande do Norte, Mossoró, RN RESUMO O artigo

Leia mais

A Estrutura da Web. Redes Sociais e Econômicas. Prof. André Vignatti

A Estrutura da Web. Redes Sociais e Econômicas. Prof. André Vignatti A Estrutura da Web Redes Sociais e Econômicas Prof. André Vignatti A Estrutura da Web Até agora: redes onde unidades eram pessoas ou entidades sociais, como empresas e organizações Agora (Cap 13, 14 e

Leia mais

ELABORAÇÃO DE CATÁLOGO DESCRITIVO DE SITES PARA O ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA

ELABORAÇÃO DE CATÁLOGO DESCRITIVO DE SITES PARA O ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA ELABORAÇÃO DE CATÁLOGO DESCRITIVO DE SITES PARA O ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA Dayane Ribeiro da Silva (PICV/PRPPG/ UNIOESTE), Greice da Silva Castela (Orientadora), e-mail: greicecastela@yahoo.com.br

Leia mais

Social-Commerce IT CARLOS MASSA SIMPONE 70609178

Social-Commerce IT CARLOS MASSA SIMPONE 70609178 Social-Commerce IT CARLOS MASSA SIMPONE 70609178 INDICE INTRODUÇÃO DIFINIÇÃO COMO FUNCIONA AS ETAPAS HISTORIA RELACIONAMENTO PRATICAS REDES SOCIAS EXEMPLOS VANTAGEM INTRODUÇÃO Comumente pode se entender

Leia mais

Mídias sociais como apoio aos negócios B2B

Mídias sociais como apoio aos negócios B2B Mídias sociais como apoio aos negócios B2B A tecnologia e a informação caminham paralelas à globalização. No mercado atual é simples interagir, aproximar pessoas, expandir e aperfeiçoar os negócios dentro

Leia mais

AVISO LEGAL. Copyright 2016 Luis Passos http://luispassos.com.br. http://luispassos.com.br

AVISO LEGAL. Copyright 2016 Luis Passos http://luispassos.com.br. http://luispassos.com.br AVISO LEGAL Todo esforço foi feito para que este e-book fosse disponibilizado da forma mais correta, inteligível, clara e didática possível, no entanto, apesar de todo empenho nesse sentido, ainda podem

Leia mais

E-books. Guia para Facebook Ads. Sebrae

E-books. Guia para Facebook Ads. Sebrae E-books Sebrae Marketing e Vendas Guia para Facebook Ads Por que investir no facebook Ads? Tipos de anúncios Como funciona o sistema de pagamentos Criando anúncios Métricas Autor Felipe Orsoli 1 SUMÁRIO

Leia mais

CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL

CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL Curso: Tecnologia Social e Educação: para além dos muros da escola Resumo da experiência de Avaliação do Programa "Apoio

Leia mais

Porque as mulheres seguem empresas no Twitter?

Porque as mulheres seguem empresas no Twitter? Porque as mulheres seguem empresas no Twitter? Metodologia Entrevistas com amostra de usuárias brasileiras de internet via questionário online. A pesquisa foi realizada com 737 mulheres com idade entre

Leia mais

RELACIONAMENTO, REPUTAÇÃO E RELEVÂNCIA

RELACIONAMENTO, REPUTAÇÃO E RELEVÂNCIA RELACIONAMENTO, REPUTAÇÃO E RELEVÂNCIA Comunicação Organizacional em Mídias Sociais UNISO Prof. Randolph de Souza PRESENÇA NAS MÍDIAS Necessidade Definição de Estratégias para minimizar riscos Se bem trabalhadas

Leia mais

E-books. Guia completo de como criar uma Página no Facebook. Sebrae

E-books. Guia completo de como criar uma Página no Facebook. Sebrae E-books Sebrae Marketing e Vendas Guia completo de como criar uma Página no Facebook Como começar Criando uma Página Conhecendo a Página Configurações iniciais Estabelecendo conversas Autor Felipe Orsoli

Leia mais

Mapa Musical da Bahia 2014 FAQ

Mapa Musical da Bahia 2014 FAQ Mapa Musical da Bahia 2014 FAQ 1. O que é o Mapa Musical da Bahia? O Mapa Musical da Bahia é uma ação da Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB) para mapear, reconhecer e promover a difusão da música

Leia mais

REDES SOCIAIS OPORTUNIDADE PARA NOVOS NEGÓCIOS

REDES SOCIAIS OPORTUNIDADE PARA NOVOS NEGÓCIOS REDES SOCIAIS OPORTUNIDADE PARA NOVOS NEGÓCIOS Palestrante: Como Fazer das Redes Sociais uma Oportunidade para Novos Negócios Apresentação Formado em Comunicação com pós-graduação em Gestão Empresarial

Leia mais

NÖOS RESFEST é o festival da cultura pop de vanguarda em suas várias formas: cinema digital, música, design gráfico, arte e moda.

NÖOS RESFEST é o festival da cultura pop de vanguarda em suas várias formas: cinema digital, música, design gráfico, arte e moda. 2 NÖOS RESFEST é o festival da cultura pop de vanguarda em suas várias formas: cinema digital, música, design gráfico, arte e moda. Na sua 5ª edição no Brasil o NÖOS RESFEST tem duração de 3 dias e será

Leia mais

PORTAL EDUCACIONAL CLICKIDEIA. Ensino Fundamental (séries finais)

PORTAL EDUCACIONAL CLICKIDEIA. Ensino Fundamental (séries finais) PORTAL EDUCACIONAL CLICKIDEIA Ensino Fundamental (séries finais) O Clickideia é um portal educacional (www.clickideia.com.br), desenvolvido com o apoio do CNPq e da UNICAMP, que apresenta conteúdos didáticos

Leia mais

Novos talentos do clipe e da música

Novos talentos do clipe e da música Novos talentos do clipe e da música O que é? Objetivo: Realização do Festival de Clipes e Bandas, que premiará e revelará talentos da área musical e de videoclipes. Além disso, é objetivo do projeto criar

Leia mais

RESUMO EXECUTIVO realmente significa estar informado? Como filtrar a informação certa do montante de informações triviais

RESUMO EXECUTIVO realmente significa estar informado? Como filtrar a informação certa do montante de informações triviais RESUMO EXECUTIVO Muito tem se falado em era da informação, informação é poder, etc. Mas o que realmente significa estar informado? Como filtrar a informação certa do montante de informações triviais que

Leia mais

Um mercado de oportunidades

Um mercado de oportunidades Um mercado de oportunidades Como grandes, pequenas e médias empresas se comunicam? Quem são os principais interlocutores e como procurá-los? Como desenvolver uma grande campanha e inovar a imagem de uma

Leia mais

FACETAS DA MULHER BRASILEIRA: VISÃO DAS BRASILEIRAS SOBRE A IMAGEM DA MULHER NOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO

FACETAS DA MULHER BRASILEIRA: VISÃO DAS BRASILEIRAS SOBRE A IMAGEM DA MULHER NOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO FACETAS DA MULHER BRASILEIRA: VISÃO DAS BRASILEIRAS SOBRE A IMAGEM DA MULHER NOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO Fevereiro 2016 A MULHER NOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO O que mais incomoda no discurso/posição que a mulher

Leia mais

Usando Ferramentas de Busca

Usando Ferramentas de Busca Web Marketing Usando Ferramentas de Busca Marcelo Silveira Novatec Editora Ltda. www.novateceditora.com.br 1 Conhecendo o cenário de pesquisas na Internet Este capítulo apresenta uma visão geral sobre

Leia mais

SISTEMÁTICA WEBMARKETING

SISTEMÁTICA WEBMARKETING SISTEMÁTICA WEBMARKETING Breve descrição de algumas ferramentas Sobre o Webmarketing Web Marketing é uma ferramenta de Marketing com foco na internet, que envolve pesquisa, análise, planejamento estratégico,

Leia mais

JORNAL DIÁRIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO PARÁ www.diariodaconstrucao.com.br

JORNAL DIÁRIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO PARÁ www.diariodaconstrucao.com.br PROPOSTA DE PROPAGANDA - ANUNCIE NO JDC Apresentação de Plano de Publicidade Online no Site O JORNAL DIÁRIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO PARÁ atende com o nome de JDC, porque é uma empresa que tem como sua atividade

Leia mais

ESTRATÉGIA DIGITAL. Prof. Luli Radfahrer

ESTRATÉGIA DIGITAL. Prof. Luli Radfahrer ESTRATÉGIA DIGITAL Prof. Luli Radfahrer - Conforme estipulado no Termo de Uso, todo o conteúdo ora disponibilizado é de titularidade exclusiva do IAB ou de terceiros parceiros e é protegido pela legislação

Leia mais

Quem ainda não tem um, provavelmente já pensou ou está pensando em ter, seja para fins pessoais ou profissionais.

Quem ainda não tem um, provavelmente já pensou ou está pensando em ter, seja para fins pessoais ou profissionais. Você sabia que o Whatsapp está presente em quase 50% dos smartphones no Brasil? O aplicativo virou febre rapidamente, seguindo a tendência de crescimento anual das vendas de smartphones no país. Quem ainda

Leia mais

TÍTULO: MEIOS DE COMUNICAÇÃO DIGITAIS E A REVOLUÇÃO NA DISSEMINAÇÃO DA INFORMAÇÃO.

TÍTULO: MEIOS DE COMUNICAÇÃO DIGITAIS E A REVOLUÇÃO NA DISSEMINAÇÃO DA INFORMAÇÃO. Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: MEIOS DE COMUNICAÇÃO DIGITAIS E A REVOLUÇÃO NA DISSEMINAÇÃO DA INFORMAÇÃO. CATEGORIA: EM ANDAMENTO

Leia mais

Nosso Planeta Mobile: Brasil

Nosso Planeta Mobile: Brasil Nosso Planeta Mobile: Brasil Como entender o usuário de celular Maio de 2013 1 Resumo executivo Os smartphones se tornaram indispensáveis para nosso cotidiano. A difusão dos smartphones atinge 26 % da

Leia mais

MOBILE MARKETING. Prof. Fabiano Lobo

MOBILE MARKETING. Prof. Fabiano Lobo MOBILE MARKETING Prof. Fabiano Lobo - Conforme estipulado no Termo de Uso, todo o conteúdo ora disponibilizado é de titularidade exclusiva do IAB ou de terceiros parceiros e é protegido pela legislação

Leia mais

Sumário Aspectos Básicos... 3 Como Empresas usam o Facebook... 3 Introdução ao Facebook... 4 Criando um Cadastro... 5 Confirmando E-mail...

Sumário Aspectos Básicos... 3 Como Empresas usam o Facebook... 3 Introdução ao Facebook... 4 Criando um Cadastro... 5 Confirmando E-mail... FACEBOOK Sumário Aspectos Básicos... 3 Como Empresas usam o Facebook... 3 Introdução ao Facebook... 4 Criando um Cadastro... 5 Confirmando E-mail... 8 Características do Facebook... 10 Postagens... 11

Leia mais

SUA ESCOLA, NOSSA ESCOLA PROGRAMA SÍNTESE: NOVAS TECNOLOGIAS EM SALA DE AULA

SUA ESCOLA, NOSSA ESCOLA PROGRAMA SÍNTESE: NOVAS TECNOLOGIAS EM SALA DE AULA SUA ESCOLA, NOSSA ESCOLA PROGRAMA SÍNTESE: NOVAS TECNOLOGIAS EM SALA DE AULA Resumo: O programa traz uma síntese das questões desenvolvidas por programas anteriores que refletem sobre o uso de tecnologias

Leia mais

3 Método 3.1. Entrevistas iniciais

3 Método 3.1. Entrevistas iniciais 3 Método 3.1. Entrevistas iniciais Os primeiros passos para elaboração do questionário foram entrevistas semiestruturadas feitas pelo telefone com o objetivo de descobrir o tempo máximo de lembrança das

Leia mais

Rede IPTV DX - Clubes Desportivos

Rede IPTV DX - Clubes Desportivos White Paper 24 de Setembro de 2014 Rede IPTV DX - Clubes Desportivos Alcançando e realizando o potencial do torcedor móvel IPTV Móvel para Clubes Desportivos - DX - 1 O negócio de mídia e venda para torcedores

Leia mais

Đ ŕňĉòă. g esſ tã o d e r e d esſ sſo ciaisſ

Đ ŕňĉòă. g esſ tã o d e r e d esſ sſo ciaisſ Đ ŕňĉòă g esſ tã o d e r e d esſ sſo ciaisſ Em todas as empresas há um segredo Na nossa o segredo passa a ser você quem somos? Quando acabarem a licenciatura, o desemprego espera-vos. Enganaram se! Se

Leia mais

Outros Elementos que fazem parte dos ambientes sociais digitais

Outros Elementos que fazem parte dos ambientes sociais digitais Outros Elementos que fazem parte dos ambientes sociais digitais Interatividade em várias interfaces e formatos Compartilhamento ilimitado Mobilidade: tuitamos e até blogamos em qualquer lugar Conteúdo

Leia mais

COMO CRIAR UMA ESTRATÉGIA DE E-MAIL MARKETING

COMO CRIAR UMA ESTRATÉGIA DE E-MAIL MARKETING COMO CRIAR UMA ESTRATÉGIA DE E-MAIL MARKETING A palavra estratégia, segundo o dicionário Informal 1, é a ação ou caminho mais adequado a ser executado para alcançar um objetivo ou meta. Para se traçar

Leia mais

E-BOOK [TÍTULO DO DOCUMENTO] Matrix [NOME DA EMPRESA] [Endereço da empresa]

E-BOOK [TÍTULO DO DOCUMENTO] Matrix [NOME DA EMPRESA] [Endereço da empresa] E-BOOK [TÍTULO DO DOCUMENTO] Matrix [NOME DA EMPRESA] [Endereço da empresa] 1 Sumário O Surgimento do Analista de Redes Sociais... 2 O que é um Analista de Redes Sociais?... 5 Qual é o Perfil do Analista

Leia mais

Os desafios do Bradesco nas redes sociais

Os desafios do Bradesco nas redes sociais Os desafios do Bradesco nas redes sociais Atual gerente de redes sociais do Bradesco, Marcelo Salgado, de 31 anos, começou sua carreira no banco como operador de telemarketing em 2000. Ele foi um dos responsáveis

Leia mais

Imagem corporativa e as novas mídias

Imagem corporativa e as novas mídias Imagem corporativa e as novas mídias Ellen Silva de Souza 1 Resumo: Este artigo irá analisar a imagem corporativa, mediante as novas e variadas formas de tecnologias, visando entender e estudar a melhor

Leia mais

MÉTRICA PARA MÍDIAS SOCIAIS UM MAR DE POSSIBILIDADES. Parte I. Dinamize

MÉTRICA PARA MÍDIAS SOCIAIS UM MAR DE POSSIBILIDADES. Parte I. Dinamize MÉTRICA PARA MÍDIAS SOCIAIS UM MAR DE POSSIBILIDADES Parte I Dinamize Primeira edição - 2011 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 2 VOCÊ DIGITAL... 4 TEMPO E ESPAÇO NO ONLINE... 6 O MUNDO MUDOU... 9 PRIMEIROS PASSOS...

Leia mais

Facebook Por que curtir marcas e empresas?

Facebook Por que curtir marcas e empresas? Por que curtir marcas e empresas? Metodologia Entrevistas com amostra de usuárias brasileiras de internet via questionário online. A sondagem foi realizada com 341 mulheres com idade entre 18 e 60 anos

Leia mais

PROSUMERODY. É possível sobreviver em um mercado com consumidores cada vez mais insatisfeitos, criativos e poderosos? PRODUCER CONSUMER PARODY

PROSUMERODY. É possível sobreviver em um mercado com consumidores cada vez mais insatisfeitos, criativos e poderosos? PRODUCER CONSUMER PARODY PROSUMERODY PRODUCER CONSUMER PARODY É possível sobreviver em um mercado com consumidores cada vez mais insatisfeitos, criativos e poderosos? 01 O que é? PROSUMER? O termo PROSUMER foi originado da junção

Leia mais

Nosso Planeta Mobile: Brasil

Nosso Planeta Mobile: Brasil Nosso Planeta Mobile: Brasil Como entender o usuário de celular Maio de 2012 1 Resumo executivo Os smartphones se tornaram indispensáveis para nosso cotidiano. A difusão dos smartphones atinge 14% da população,

Leia mais

SEMINÁRIO ABMES BASES DO MARKETING DIGITAL. Expositor. Júlio César de Castro Ferreira julio.ferreira@produtoranebadon.com.

SEMINÁRIO ABMES BASES DO MARKETING DIGITAL. Expositor. Júlio César de Castro Ferreira julio.ferreira@produtoranebadon.com. SEMINÁRIO ABMES BASES DO MARKETING DIGITAL Expositor Júlio César de Castro Ferreira julio.ferreira@produtoranebadon.com.br (61) 9613-6635 5 PILARES DO MARKETING DIGITAL 1 2 3 4 5 Presença digital: Ações

Leia mais

E as Mídias e Redes Sociais? Preciso delas? DÁ#PRA#CONCEITUAR#O#QUE#É#MÍDIA# SOCIAL? Disciplina Informática Básica

E as Mídias e Redes Sociais? Preciso delas? DÁ#PRA#CONCEITUAR#O#QUE#É#MÍDIA# SOCIAL? Disciplina Informática Básica Curso de Administração DÁ#PRA#CONCEITUAR#O#QUE#É#MÍDIA# SOCIAL? Disciplina Informática Básica! [...]% um% grupo% de% aplicações% para% Internet% construídas% com% base% nos% fundamentos% ideológicos% e%

Leia mais

Como monitorar o que estão falando da minha empresa

Como monitorar o que estão falando da minha empresa http://www.tecnocratadigital.com.br/wp-content/uploads/2010/11/social-media-optimization.jpg Como monitorar o que estão falando da minha empresa nas Mídias Sociais de forma simples e direta. Paulo Milreu

Leia mais

Mídias sociais como apoio aos negócios B2C

Mídias sociais como apoio aos negócios B2C Mídias sociais como apoio aos negócios B2C A tecnologia e a informação caminham paralelas à globalização. No mercado atual é simples interagir, aproximar pessoas, expandir e aperfeiçoar os negócios dentro

Leia mais

Realização e Organização. www.vamaislonge.com.br

Realização e Organização. www.vamaislonge.com.br Realização e Organização www.vamaislonge.com.br Quem somos... Leonardo Alvarenga, tenho 23 anos, sou criador do Não Tenho Ideia e do #VáMaisLonge. Sou formado em Educação Física mas larguei tudo logo após

Leia mais

Intranets e Capital Intelectual

Intranets e Capital Intelectual Intranets e Capital Intelectual Intranets e Capital Intelectual As mídias sociais ultrapassaram os limites da vida privada. Os profissionais são 2.0 antes, durante e depois do expediente. É possível estabelecer

Leia mais

@ A expansão da web, que. @ Presença cada vez maior do

@ A expansão da web, que. @ Presença cada vez maior do Mídias Sociais Inteligência coletiva Em 1996, a web (1.0) era predominantemente um ambiente de leitura. Só uma pequena fração do conteúdo era criada pelo usuário; Dez anos depois, duas grandes mudanças:

Leia mais

http://dinheiroganhe.com

http://dinheiroganhe.com Você pode distribuir, imprimir, compartilhar por e-mail ou citar em seu site ou blog, desde que o conteúdo não seja alterado e que a fonte original seja citada. http://dinheiroganhe.com SUMÁRIO 1. Introdução...3

Leia mais

Portal Contador Parceiro

Portal Contador Parceiro Portal Contador Parceiro Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa 1. Portal Contador Parceiro... 03 2. Acesso ao Portal... 04 3. Profissionais...11 4. Restrito...16 4.1 Perfil... 18 4.2 Artigos...

Leia mais

O USO DAS REDES SOCIAIS PARA O DESENVOLVIMENTO DAS HABILIDADES DO LETRAMENTO DIGITAL

O USO DAS REDES SOCIAIS PARA O DESENVOLVIMENTO DAS HABILIDADES DO LETRAMENTO DIGITAL O USO DAS REDES SOCIAIS PARA O DESENVOLVIMENTO DAS HABILIDADES DO LETRAMENTO DIGITAL 1. INTRODUÇÃO Lygia de Assis Silva Sérgio Paulino Abranches Universidade Federal de Pernambuco lygia1@hotmail.com/ Este

Leia mais

A BRASIL ROTÁRIO FRENTE ÀS MÍDIAS ELETRÔNICAS. Carlos Jerônimo da Silva Gueiros

A BRASIL ROTÁRIO FRENTE ÀS MÍDIAS ELETRÔNICAS. Carlos Jerônimo da Silva Gueiros A BRASIL ROTÁRIO FRENTE ÀS MÍDIAS ELETRÔNICAS Carlos Jerônimo da Silva Gueiros Um mundo em transformação 1998 / 1999 Mutirão Digital apoiar as escolas públicas no acesso à Internet 2010-12 anos depois...

Leia mais

O uso de tecnologia digital na educação musical

O uso de tecnologia digital na educação musical O uso de tecnologia digital na educação musical Rafael Salgado Ribeiro PETE Educação com Tecnologia salgaado@gmail.com Comunicação Oral Introdução O presente trabalho visa a apresentar algumas possibilidades

Leia mais

Fácil e comum é se ouvir uma empresa levantar a bandeira do fluxo de informação com seus diversos públicos, inclusive o interno. A este, a maioria das empresas enaltece com orgulho um setor específico,

Leia mais

Pedro de Almeida CANTO 2 Universidade Federal do maranhão

Pedro de Almeida CANTO 2 Universidade Federal do maranhão Conexão Brasil: presença de educação com música através da radiodifusão e formação de rede 1 Pedro de Almeida CANTO 2 Universidade Federal do maranhão RESUMO Contextualiza a educação dentro da história

Leia mais

Utilização das redes sociais e suas repercussões

Utilização das redes sociais e suas repercussões Utilização das redes sociais e suas repercussões O papel da escola : @ Orientação aos professores, alunos e pais @ Acompanhamento de situações que repercutem na escola @ Atendimento e orientação a pais

Leia mais

USUÁRIOS GERANDO CONTEÚDO PARA UM SITE

USUÁRIOS GERANDO CONTEÚDO PARA UM SITE USUÁRIOS GERANDO CONTEÚDO PARA UM SITE www.espm.br/centraldecases USUÁRIOS GERANDO CONTEÚDO PARA UM SITE Preparado pelo Prof. Vicente Martin Mastrocola, da ESPM-SP. Recomendado para as disciplinas de:

Leia mais

Uso estratégico do Twitter: como usar o microblogging a favor da sua empresa. www.talk2.com.br

Uso estratégico do Twitter: como usar o microblogging a favor da sua empresa. www.talk2.com.br Uso estratégico do Twitter: como usar o microblogging a favor da sua empresa www.talk2.com.br 04 Introdução 4 05 08 10 16 Por que as pessoas seguem uma conta 5 O que você precisa ter e saber antes de criar

Leia mais

REALIDADE AUMENTADA APLICADA NA EDUCAÇÃO: ESTUDOS DOS SEUS BENEFÍCIOS

REALIDADE AUMENTADA APLICADA NA EDUCAÇÃO: ESTUDOS DOS SEUS BENEFÍCIOS REALIDADE AUMENTADA APLICADA NA EDUCAÇÃO: ESTUDOS DOS SEUS BENEFÍCIOS Kelly Cristina de Oliveira 1, Júlio César Pereira 1. 1 Universidade Paranaense (UNIPAR) Paranavaí PR Brasil kristhinasi@gmail.com,

Leia mais

Mídias Sociais nos Negócios. GorillaBrand BRAND

Mídias Sociais nos Negócios. GorillaBrand BRAND Mídias Sociais nos Negócios GorillaBrand BRAND Marketing de Relacionamento Estratégias Empresa Marca Faturamento Clientes Uso de estratégias Relacionamento Empresa x Cliente Gera Valorização da Marca Aumento

Leia mais

Eletiva VOCÊ EM VÍDEO

Eletiva VOCÊ EM VÍDEO Eletiva VOCÊ EM VÍDEO E.E. Princesa Isabel Número da sala e sessão Professor(es) Apresentador(es): Adriana Prado Aparecida Pereira da Silva Realização: Foco A Escola Estadual Princesa Isabel, por meio

Leia mais

Fenômeno da Internet quando o assunto é Biologia. Do YouTube para a TV aberta, do site às telas de todo o Brasil

Fenômeno da Internet quando o assunto é Biologia. Do YouTube para a TV aberta, do site às telas de todo o Brasil Fenômeno da Internet quando o assunto é Biologia. Do YouTube para a TV aberta, do site às telas de todo o Brasil Olá! Eu sou professor Paulo Jubilut e este é o Biologia Total, meu projeto para um ensino

Leia mais

PIBID HISTÓRIA 1 COORDENAÇÃO: PROFA. DRA. KARINA KOSICKI BELLOTTI SUPERVISÃO: PROF. DANIEL JACOB NODARI COLÉGIO D. PEDRO II 28 de novembro de 2014

PIBID HISTÓRIA 1 COORDENAÇÃO: PROFA. DRA. KARINA KOSICKI BELLOTTI SUPERVISÃO: PROF. DANIEL JACOB NODARI COLÉGIO D. PEDRO II 28 de novembro de 2014 PIBID HISTÓRIA 1 COORDENAÇÃO: PROFA. DRA. KARINA KOSICKI BELLOTTI SUPERVISÃO: PROF. DANIEL JACOB NODARI COLÉGIO D. PEDRO II 28 de novembro de 2014 RELATÓRIO FINAL ATIVIDADE SOBRE DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA

Leia mais

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO **Material elaborado por Taís Vieira e Marley Rodrigues

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO **Material elaborado por Taís Vieira e Marley Rodrigues Faccat Faculdades Integradas de Taquara Curso de Comunicação Social Publicidade e Propaganda Disciplina: Planejamento e Assessoria em Comunicação Profª Me. Taís Vieira ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO **Material

Leia mais

O guia completo para uma presença. online IMBATÍVEL!

O guia completo para uma presença. online IMBATÍVEL! O guia completo para uma presença online IMBATÍVEL! Sumário Introdução 3 Capítulo 1 - Produção de Conteúdo: Por que e Como produzir 5 Capítulo 2 - Distribuição e Divulgação 8 Capítulo 3 - Monitoramento

Leia mais

Plusoft Rua Nebraska, 443, 5º Andar, Brooklin São Paulo (SP) F.: 55 11 5091-2777 www.plusoft.com.br - @Plusoft -

Plusoft Rua Nebraska, 443, 5º Andar, Brooklin São Paulo (SP) F.: 55 11 5091-2777 www.plusoft.com.br - @Plusoft - Potencializando resultados com o SOCIAL CRM A CONSTRUÇÃO DE RELACIONAMENTOS SÓLIDOS NA MÍDIA SOCIAL A mídia social revolucionou os meios e o modelo de comunicação. Entre muitas transformações, as redes

Leia mais

Redes Sociais as quais os acadêmicos do curso de Direito da Universidade Luterana do Brasil campus Guaíba possuem

Redes Sociais as quais os acadêmicos do curso de Direito da Universidade Luterana do Brasil campus Guaíba possuem 196 Redes Sociais as quais os acadêmicos do curso de Direito da Universidade Luterana do Brasil campus Guaíba possuem Blume Pfleger * Elizabete Pereira *Jéssica Lunardelli *Junia Silva * Susane da Silva

Leia mais

Como ganhar dinheiro online no Youtube: Um guia sem frescuras. Duas formas básicas de ganhar dinheiro com Youtube

Como ganhar dinheiro online no Youtube: Um guia sem frescuras. Duas formas básicas de ganhar dinheiro com Youtube Como ganhar dinheiro online no Youtube: Um guia sem frescuras Se você está procurando por maneiras de ganhar dinheiro online, o Youtube por ser uma verdadeira mina de ouro. Apesar de muitos acharem que

Leia mais

PLANEJAMENTO DE MÍDIA DIGITAL

PLANEJAMENTO DE MÍDIA DIGITAL PLANEJAMENTO DE MÍDIA DIGITAL Prof. a Fabiana Baraldi - Conforme estipulado no Termo de Uso, todo o conteúdo ora disponibilizado é de titularidade exclusiva do IAB ou de terceiros parceiros e é protegido

Leia mais

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida Unidade IV MERCADOLOGIA Profº. Roberto Almeida Conteúdo Aula 4: Marketing de Relacionamento A Evolução do Marketing E-marketing A Internet como ferramenta As novas regras de Mercado A Nova Era da Economia

Leia mais

SITES E BLOGS CONSTRUINDO A SUA MARCA

SITES E BLOGS CONSTRUINDO A SUA MARCA SITES E BLOGS CONSTRUINDO A SUA MARCA Paula Junqueira 7º CONGRESSO RIO DE EDUCAÇÃO CONSTRUINDO A SUA MARCA A marca é o ativo mais importante, independente do tamanho de sua empresa. As mídias sociais são

Leia mais

CORPO FEMININO E DETERMINAÇÕES DA INDÚSTRIA CULTURAL: CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA SOCIAL Bruna Trevizoli Ferraz Lobo 1

CORPO FEMININO E DETERMINAÇÕES DA INDÚSTRIA CULTURAL: CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA SOCIAL Bruna Trevizoli Ferraz Lobo 1 CORPO FEMININO E DETERMINAÇÕES DA INDÚSTRIA CULTURAL: CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA SOCIAL Bruna Trevizoli Ferraz Lobo 1 (Orientador) Profa. Dra. Tatiana Machiavelli Carmo Souza 2 RESUMO O presente trabalho

Leia mais

I - O que é o Mobilize-se

I - O que é o Mobilize-se Índice O que é o Mobilize-se...03 A campanha de lançamento...12 Divulgação da campanha...14 Como irá funcionar o sistema para o ouvinte da rádio...20 O que a rádio deve fazer para se inscrever no Mobilize-se...36

Leia mais

Relatório de Consumo de Conteúdo Profissional 2014

Relatório de Consumo de Conteúdo Profissional 2014 Relatório de Consumo de Conteúdo Profissional 2014 A ascensão dos Revolucionários de Conteúdo: uma análise minuciosa sobre os principais usuários que consomem conteúdo no LinkedIn e como os profissionais

Leia mais

Como Criar seu produto digital

Como Criar seu produto digital Como Criar seu produto digital Aprenda em alguns passos Indice 5 1- Público Alvo 2- Conhecer á necessidade 5 do 5 Primeiro capítulo Público Alvo Você que está montando seu negócio online e ainda não tem

Leia mais

Somos uma agência de soluções online, especializada em marketing digital e inovações.

Somos uma agência de soluções online, especializada em marketing digital e inovações. Somos uma agência de soluções online, especializada em marketing digital e inovações. Nós criamos marcas, desenvolvemos estratégias, produzimos conteúdo, além de cuidar do posicionamento estratégico da

Leia mais

A PÁGINA DISCIPLINAR DE MATEMÁTICA DO PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO

A PÁGINA DISCIPLINAR DE MATEMÁTICA DO PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO A PÁGINA DISCIPLINAR DE MATEMÁTICA DO PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO Resumo: Dolores Follador Secretaria de Estado da Educação do Paraná e Faculdades Integradas do Brasil - Unibrasil doloresfollador@gmail.com

Leia mais

O advento das mídias sociais digitais e o mercado de trabalho para o profissional de relações públicas

O advento das mídias sociais digitais e o mercado de trabalho para o profissional de relações públicas O advento das mídias sociais digitais e o mercado de trabalho para o profissional de relações públicas Julie Caroline de Alcântara Universidade do Sagrado Coração, Bauru/SP E-mail: juliealcantara.31@gmail.com

Leia mais

Como Criar uma Aula? Na página inicial do Portal do Professor, acesse ESPAÇO DA AULA: Ao entrar no ESPAÇO DA AULA, clique no ícone Criar Aula :

Como Criar uma Aula? Na página inicial do Portal do Professor, acesse ESPAÇO DA AULA: Ao entrar no ESPAÇO DA AULA, clique no ícone Criar Aula : Como Criar uma Aula? Para criar uma sugestão de aula é necessário que você já tenha se cadastrado no Portal do Professor. Para se cadastrar clique em Inscreva-se, localizado na primeira página do Portal.

Leia mais