CASA LABORATÓRIO DE ENERGIA PHOTOVOLTAICA, EXPERIÊNCIAS EM ANGOLA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CASA LABORATÓRIO DE ENERGIA PHOTOVOLTAICA, EXPERIÊNCIAS EM ANGOLA"

Transcrição

1 CASA LABORATÓRIO DE ENERGIA PHOTOVOLTAICA, EXPERIÊNCIAS EM ANGOLA SISTEMA FOTOVOLTÁICO E SISTEMA AVANÇADO DE MONITORIZAÇÃO E ANÁLISE INTEGRADA DE VARIÁVEIS AMBIENTAIS E ELÉCTRICAS By: MATEUS MANUEL NETO

2 INTRODUÇÃO CONTEÚDO SISTEMA PHOTOVOLTAICO DE MONITORIZAÇÃO E ANÁLISE - Objectivo - Descrição de Tarefas CARACTERISTICAS TÉCNICAS DO SISTEMA SOLAR PHOTOVOLTAICO - Composição do Sistema SISTEMA DE RECOLHA E MONITORAMENTO - Protocolo de dados a Recolher e a Monitorar SUGESTÕES BIBLIOGRAFÍA 11/14/2011 1

3 INTRODUÇÃO Fotões Dentro, Electrões Fora: O Efeito Photovoltaico A conversão de energia photovoltaica solar é um processo de conversão de uma etapa que gere a energia eléctrica através da energia da luz; A luz é um conjunto (completo) de pacotes de energia, chamados de fotão, cuja energia depende somente da alta frequência, ou da cor da luz. A energia de fotão visíveis é suficiente para excitar electrões, limitados nos sólidos, até os níveis de energia mais elevada onde estarão mais livres de se mover; Esta experiência foi celebrada e explicada por Einstein em 1905, dizendo que a luz azul ou ultravioleta fornece bastante energia para que os electrões escapem completamente da superfície de um metal. 11/14/2011 2

4 INTRODUÇÃO FIG.1.1 Comparação do efeito fotoeléctrico (esquerdo), onde a luz ultravioleta libera electrões da superfície de um metal, com o efeito photovoltaico em uma célula solar (direita). A pilha photovoltaica precisa de ter assimetria especial, tal como contactos com propriedades electrónicas diferentes, para conduzir os electrões excitados embora no circuito externo. 11/14/2011 3

5 INTRODUÇÃO Curvas Voltage-Corrente de uma bateria convencional (cinzenta) e de uma célula solar sob níveis de iluminação diferentes. Uma bateria entrega normalmente e.m.f. constante a níveis diferentes de corrente de dreno à excepção de cargas com resistência muito baixas, quando o e.m.f. começa a cair. A e.m.f. da bateria igualmente deteriorar-se-á quando a bateria é descarregada pesadamente. A célula solar entrega uma corrente constante para todo o nível dado da iluminação quando a tensão for determinada pela maior parte da resistência da carga. Para pilhas photovoltaicas é usual traçar os dados no sentido oposto, com corrente na linha central vertical e a tensão na linha central horizontal. Isto é porque a pilha photovoltaica é essencialmente uma fonte de corrente, quando a bateria é uma fonte da tensão. 11/14/2011

6 INTRODUÇÃO A eficiência do quantum da pilha (QE) de GaAs comparado ao espectro solar. A escala vertical está em unidades arbitrárias, para a comparação. A photocurrente de curto-circuito é obtido integrando o produto da densidade de fluxo do fotão e do QE sobre a energia do fotão. É desejável ter um QE elevado nos comprimentos de onda onde a densidade de fluxo solar é elevada. 11/14/2011 5

7 INTRODUÇÃO Relacionamos a densidade da photocurrente, JSC, a incidência do espectro que precisamos da eficiência do quantum das pilhas, (QE), QE (E) que é a probabilidade que a incidência de energia que um fotão E entregará a um electrão no circuito externo. Onde bs(e) é o fluxo espectral do fotão incidente, o número de energia do fotão dada na escala E a E + de o que são incidente na área de unidade no tempo e q são unidade de carga electrónica. 11/14/2011

8 INTRODUÇÃO A tabela 1.1 mostra que os materiais da célula solar com JSC (Densidade da Photocorrente) mais elevado, tendem a ter um mais baixo VOC. Esta é uma consequência do material usado, e particular da abertura de faixa do semicondutor. 11/14/2011 7

9 INTRODUÇÃO Com estes princípios, uma equipa de Investigadores Angolanos, decidiram pela criação de um Sistema Photovoltaico e Sistema Avançado de Monitorização e Análise Integrada de Varáveis Ambientais e Electricas, denominado: CASA LABORATÓRIO DE ENERGIA PHOTOVOLTAICA, com o objectivo de realizar experiencias sobre a insidencia das variáveis ambientais Angolanas em diferentes Photocelulas, são eles:. Dr. Munzila Jackson Dodao- PhD;. Eng.º Mateus Manuel Neto BSc, MSc. Doutorando no Instituto de Física da Universidade Tecnológica de Hanoi/Vietnam;. Eng.º Landa Shibanda João Colaborador: Prof. Dr. Fernando J. T. Estêvão Ferreira Instituto de Sistemas e Robotica (ISR-UC), Dep. De Engenharia Electrica e Computadores, Universidade de Coimbra, Polo II 11/14/2011

10 CASA LABORATÓRIO DE ENERGIA PHOTOVOLTAICA EXPERIÊNCIAS EM ANGOLA 11/14/2011 9

11 OBJECTIVO. Monitorização em tempo real das principais grandezas/variáveis do sistema fotovoltáico;. Quantificação e avaliação da qualidade da energia eléctrica produzida pelo sistema fotovoltáico;. Quantificação do rendimento dos diversos módulos do sistema;. Controlo de algumas variáveis com vista à optimização do dimensionamento dos sistemas fotovoltáicos no futuro;. Monitorização da longevidade do sistema;. Demonstração da viabilidade do sistema photovoltáico à população em geral;. Formação e Investigação Científica Aplicada 11/14/

12 DESCRIÇÃO DE TAREFAS I: Criação de condições de habitabilidade para a simulação de uma utilização real na casa laboratório; II: Levantamento das características técnicas do sistema fotovoltáico; III: Dimensionamento do sistema de recolha e monitoramento de dados, o software e hardware necessários, incluindo sensores, actuadores, placa de aquisição e computadores; IV: Instalação do sistema photovoltáico e desenvolvimento do software de interface com o sistema fotovoltáico; V: Comissionamento do sistema mediante realização de diversos Testes de Funcionamento e calibragem do sistema bem como a Elaboração de um Manual do Utilizador. 11/14/

13 COMPOSIÇÃO DO SISTEMA O sistema foi dimensionado tendo em conta os seguintes parâmetros dos termos de referência: Carga diária : 6518Wh Rendimento total do sistema : 80% Eficiência das baterias : 90% Descarga das Baterias : 60% Perda das baterias : 20% Economia de carga das baterias : 3 Dias Inversor e Regulador : 20% de perdas Psh: 3 (irradiação worth morth ) Latitude Luanda: 9º S 11/14/

14 COMPOSIÇÃO DO SISTEMA O sistema é composto de 12 módulos de 24V com uma potência de 200Wp cada, agrupado de 6 paralelos de 2 módulos ligados em serie para fornecer uma tenção de 48V, 56A com uma potência total de 2.7 kwp; Um controlador de carga das baterias de 56A. 24 baterias de 2V, 900Ah ligados em serie para uma tenção de 48V; Um inversor de 48Vc.c/220V a.c e 2720W de potência. 11/14/

15 COMPOSIÇÃO DO SISTEMA (IS1) (T1) (IS2) (T2) (SW1) (T3) (DW1) (U-1) A 48V, 8,3A B 48V, 8,3A C 48V, 8,3A D 48V, 8,3A CABO 2x 16mm 2 JUNÇÃO 2 MODULOS DE 200Wp / 24V EM SERIE CABO 2x2,5mm 2 PROTECÇÃO MAGNETO- TERMICA (I-4) (P-3) CONTROLADOR DE CARGA 48V/60A (V-3) CARGA d.c EMPRESA DE TECNOLOGIA ENERGÉTICA MODERNA LIMITADA PROJECTOU Eng. Mateus Neto APROVOU Dr. MUNZILA DESENHO NR : 001/06 PROTECÇÃO DESENHOU Eng. Landa João ESC. : (V-1) (P-1) 48V, 58,1A H (P-2) E 48V, 8,3A F 48V, 8,3A G (I-1) CAMPO PHOTOVOLTÁICO DE 12 MODULOS DE 200Wp / 48V 24x2V BATERIA EM SERIE de 900Ah Cada CABO 2x16mm 2 2VX24 = 48V (P-4) INVERSOR 48Vcc/220Va.c MAGNETO-TERMICA FUSIVEL 60A PROTECÇÃO MAGNETO- TERMICA 2720W 11/14/2011 (2x7 SERIE STRING PARALLEL) (F1) 14 (I-2) (P-5) (V-2) (P-6) (I-3) (V-4) CARGA a.c 16A

16 COMPOSIÇÃO DO SISTEMA O sistema de recolha e monitoramento de dados é composto de vários periféricos ligados a um computador através de um interface alimentado em permanência pelo sistema fotovoltáico através das baterias e inversor para facilitar a comunicação entre os periféricos e o computador. Os periféricos ligados ao interface são: 1. Um anemómetro colocado a 10m de altura para medir a velocidade e direcção do vento; 11/14/

17 COMPOSIÇÃO DO SISTEMA 2. Um higrómetro colocado ao nível dos painéis para medir a humidade relativa do ar; 3. Um termo-pare: colocado sobre a placa para medir a temperatura dos módulos; 11/14/

18 COMPOSIÇÃO DO SISTEMA 4. Dois Solarímetros (Pyranómetro): Para medição da intensidade da radiação global (W/m2) com integração da energia diária: a) Um Pyranómetro colocado no plano inclinado dos paneis solares, b) Um Pyranómetro colocado no plano horizontal; 11/14/

19 COMPOSIÇÃO DO SISTEMA 5. Dois computadores com impressoras à cores para monitorar e imprimir todas informação do sistema; 11/14/

20 COMPOSIÇÃO DO SISTEMA Cada um dos periféricos transmite as informações através do interface para serem tratadas pelo computador. 11/14/

21 COMPOSIÇÃO DO SISTEMA 11/14/

22 B1.- Intensidade eléctrica (A) Protocolo de dados a Recolher e a Monitorar B) MEDIÇÕES: Medição da corrente eléctrica na saída dos painéis solares (I-1) Medição da corrente eléctrica na entrada das baterias (I-2) Medição da corrente eléctrica na saída do inversor circuito (AC) (I-3) Medição da corrente eléctrica na saída do controlador de carga (I-4) B2.- Tensão (V) Medição da tensão eléctrica na saída dos painéis solares (V-1) Medição da tensão eléctrica na saída das baterias (V-2) Medição da tensão na saída da carga DC (V-3) Medição da tensão de saída da carga AC (V-4) B3.- Comportamento da Carga (W) Controle de demanda P = f (t) da carga B4.- Frequência à saída (-) Medição da frequência de saída = f (V) (F1) 11/14/

23 Protocolo de dados a Recolher e a Monitorar B) MEDIÇÕES: B5.- Intensidade solar e Energia recebida do sol (W/m2 ) Medição da intensidade solar em função do tempo (IS1): Medir a radiação solar em função do tempo para parametrização do sol (meses /dias /estações do ano); Medição da energia total recebida durante um intervalo de tempo determinado ( t) (IS2); Objectivo: Medir em função do tempo a energia recebida: Et = B6.- Velocidade e Direcção do Vento Medição da velocidade do vento (SW1) Medição da direcção do vento (DW1) [I] = [W/m2] [E] = [kwh] (m/s) e (N,S,O,L) B7.- Temperatura Exterior e Módulos (º C) Medição da temperatura dos módulos (T-1): Conhecer o nível de aquecimento dos módulos; Medição da temperatura bulbo seco no interior do laboratório (T-2): conhecer a temperatura bulbo seco no interior do laboratório. 11/14/

24 COMPOSIÇÃO DO SISTEMA 11/14/

25 COMPOSIÇÃO DO SISTEMA PC MONITOR 1 CONTROL DE CARGA INVERSOR PC MONITOR 2 W Is f A tº V PC MONITOR 3 11/14/

26 SUGESTÕES a) Sugerimos que haja um protocolo de entendimento entre o Ministério da Energia e Água, e o Ministério do Ensino Superior (Universidade Agostinho Neto) e no sentido de disponibilizar a utilização da Casa Laboratório para fins didáticos; b) Os Estudantes da Faculdade de Engenhariada UAN, muito beneficiariam deste protocolo, por quanto o Departamento de Informática Electrónica e Electrotecnia, não possue equipamento nenhum ligado as Tecnologias de Energia Photovoltaica/Renováveis; c) O Ministério de Energia e Água, seria o benificiário final deste protocolo, por quanto, 90% dos finalistas do curso de electrotecnia do DIEE, são absorvidos pelas empresas Angolanas do sector de energia; d) A Casa Laboratório possui uma grande capacidade para absorver estudantes e/ou outras individualidades, que pretendam efectuar pesquisas científics no domínio da Energia Photovoltaica; e) Caso não se atribuir um caracter multidisciplinar a Casa Laboratório, simplesmente estaremos na presença de um desperdício financeiro Público. 11/14/

27 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS D. Anderson, Clean Electricity from Photovoltaic s, eds. M.D. Archer and R,D. Hill (London: Imperial College Press, 2001); M.A. Green Photovoltaic s: Coming of age, Conf. Record 21 st IEEE Photovoltaic - Specialists Conference, 1-7 (1990); E. Lorenzo, Solar Electricity: Engineering of Photovoltaic Systems (Progensa, 1994); T. Markvart, Solar Electricity (Wiley 2000); J. N. Shive, Semiconductor Devices (Van Nostrand, 1959); C. A. Vicent, Modern Batteries (Arnold, 1997); M. Wolf, Historical development of solar cells, Proc. 25th Power Sources Symposium In Solar Cells, ed. C. E. Backus (IEEE Press, 1976). 11/14/

28 THANK YOU VERY MUCH 11/14/

Sistema para Optimização da Extracção de Energia de Painéis Solares Fotovoltaicos

Sistema para Optimização da Extracção de Energia de Painéis Solares Fotovoltaicos ENER 05 Conferência sobre Energias Renováveis e Ambiente em Portugal Figueira da Foz, Portugal, 5-7 de Maio de 2005, ISBN: 972-8822-02-02, pp. 1.165-1.170 Sistema para Optimização da Extracção de Energia

Leia mais

Protótipos: Conversão Fotovoltaica de Energia Solar

Protótipos: Conversão Fotovoltaica de Energia Solar Protótipos: Conversão Fotovoltaica de Energia Solar Susana Viana LNEG Laboratório Nacional de Energia e Geologia Estrada do Paço do Lumiar, 1649-038 Lisboa, PORTUGAL susana.viana@lneg.pt 1 O Recurso Solar

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL OPERADOR(A) DE ELECTRÓNICA. PERFIL PROFISSIONAL Operador/a de Electrónica Nível 2 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/16

PERFIL PROFISSIONAL OPERADOR(A) DE ELECTRÓNICA. PERFIL PROFISSIONAL Operador/a de Electrónica Nível 2 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/16 PERFIL PROFISSIONAL OPERADOR(A) DE ELECTRÓNICA PERFIL PROFISSIONAL Operador/a de Electrónica Nível 2 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/16 ÁREA DE ACTIVIDADE - ELECTRÓNICA E AUTOMAÇÃO OBJECTIVO GLOBAL

Leia mais

GERAÇÃO SOLAR PhD. Eng. Clodomiro Unsihuay Vila. Prof. Dr. Clodomiro Unsihuay-Vila Vila

GERAÇÃO SOLAR PhD. Eng. Clodomiro Unsihuay Vila. Prof. Dr. Clodomiro Unsihuay-Vila Vila GERAÇÃO SOLAR PhD. Eng. Clodomiro Unsihuay Vila Prof. Dr. Clodomiro Unsihuay-Vila Vila Energia Fotovoltaica Energia Fotovoltaica (reportagem 10 min.): https://www.youtube.com/watch?v=gzyit0sjc ou MPX -

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVO COMPUTACIONAL PARA ENSINO DE ENERGIAS RENOVÁVEIS: DIMENSIONAMENTO DE SISTEMAS EÓLICOS E FOTOVOLTAICOS

DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVO COMPUTACIONAL PARA ENSINO DE ENERGIAS RENOVÁVEIS: DIMENSIONAMENTO DE SISTEMAS EÓLICOS E FOTOVOLTAICOS DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVO COMPUTACIONAL PARA ENSINO DE ENERGIAS RENOVÁVEIS: DIMENSIONAMENTO DE SISTEMAS EÓLICOS E FOTOVOLTAICOS Jorge A. Villar Alé (1) ; Vicente André Paludo (2) Pedro André Marozzin

Leia mais

Autor. O que você vai encontrar no manual

Autor. O que você vai encontrar no manual O que você vai encontrar no manual 1. Conceitos Fundamentais 2. Como identificar o recurso solar local 3. Como fazer o levantamento do consumo 4. Como escolher o módulo fotovoltaico 5. Produção de energia

Leia mais

22/Abr/2015 Aula 15. 17/Abr/2015 Aula 14

22/Abr/2015 Aula 15. 17/Abr/2015 Aula 14 17/Abr/2015 Aula 14 Introdução à Física Quântica Radiação do corpo negro; níveis discretos de energia. Efeito foto-eléctrico: - descrições clássica e quântica - experimental. Efeito de Compton. 22/Abr/2015

Leia mais

Física e Química A. Relatório da actividade prático laboratorial. Relatório realizado por: Adriana Botelho/10ºA Professora: Alcinda Anacleto APL 1.

Física e Química A. Relatório da actividade prático laboratorial. Relatório realizado por: Adriana Botelho/10ºA Professora: Alcinda Anacleto APL 1. Física e Química A Relatório da actividade prático laboratorial Relatório realizado por: Adriana Botelho/10ºA Professora: Alcinda Anacleto APL 1.2 Vila real, 26 de Abril de 2009 Índice Sumário...3 Introdução

Leia mais

FICHA TÉCNICA Energia Solar Painéis Fotovoltaicos

FICHA TÉCNICA Energia Solar Painéis Fotovoltaicos FICHA TÉCNICA Energia Solar Painéis Fotovoltaicos Nº Pág.s: 6 nº 04 20. Novembro. 2006 Painéis Fotovoltaicos 01 Uma das tecnologias renováveis mais promissoras e recentes de geração de energia eléctrica

Leia mais

PEQUENOS GERADORES FOTOVOLTAICOS CONECTADOS À REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE ELETRICIDADE

PEQUENOS GERADORES FOTOVOLTAICOS CONECTADOS À REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE ELETRICIDADE PEQUENOS GERADORES FOTOVOLTAICOS CONECTADOS À REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE ELETRICIDADE Sérgio H. F. Oliveira - shfo@iee.usp.br Roberto Zilles Laboratório de Sistemas Fotovoltaicos - Instituto de Eletrotécnica

Leia mais

GreenControl GreenHouse Control System Manual de InstaladorV6.0

GreenControl GreenHouse Control System Manual de InstaladorV6.0 GreenControl GreenHouse Control System Manual de InstaladorV6.0 ProBoard Engenharia Electrotécnica, Lda. Lugar das Caldas, nº12 Tel/Fax : +351 253 924 633 4730 457 Vila de Prado e-mail: info@proboard.pt

Leia mais

Universidade Eduardo Mondlane FACULDADE DE ENGENHARIA Departamento de Engª Mecânica

Universidade Eduardo Mondlane FACULDADE DE ENGENHARIA Departamento de Engª Mecânica Universidade Eduardo Mondlane FACULDADE DE ENGENHARIA Departamento de Engª Mecânica Tema: Dimensionamento de uma instalação combinada de energia solar e eólica Autor: Quintino, Bernardo Supervisor: Dr.

Leia mais

ASPECTOS TECNOLÓGICOS E OPERACIONAIS DA GERAÇÃO FOTOVOLTAICA

ASPECTOS TECNOLÓGICOS E OPERACIONAIS DA GERAÇÃO FOTOVOLTAICA ASPECTOS TECNOLÓGICOS E OPERACIONAIS DA GERAÇÃO FOTOVOLTAICA Prof. Jair Urbanetz Junior, Dr. Eng. Universidade Tecnológica Federal do Paraná - UTFPR Conferência Internacional Smart Energy Paraná Aspectos

Leia mais

COMO DIMENSIONAR UM GERADOR FOTOVOLTAICO COM BATERIAS

COMO DIMENSIONAR UM GERADOR FOTOVOLTAICO COM BATERIAS COMO DIMENSIONAR UM GERADOR FOTOVOLTAICO COM BATERIAS Eng. Carlos Alberto Alvarenga Solenerg Engenharia e Comércio Ltda. Rua dos Inconfidentes, 1075/ 502 Funcionários - CEP: 30.140-120 - Belo Horizonte

Leia mais

Laboratório de Sistemas de Energia. Ensaio de Colectores Solares Térmicos e Módulos Fotovoltaicos

Laboratório de Sistemas de Energia. Ensaio de Colectores Solares Térmicos e Módulos Fotovoltaicos Laboratório de Sistemas de Energia Ensaio de Colectores Solares Térmicos e Módulos Fotovoltaicos LSE 05-2013 1 Laboratório de Sistemas de Energia Ensaio de Colectores Solares Térmicos segundo as Normas:

Leia mais

TERMOS DE REFERÊNCIA

TERMOS DE REFERÊNCIA TERMOS DE REFERÊNCIA Fornecimento e Instalação de um Sistema Fotovoltaico Ligado à Rede Elétrica Pública para Fábrica de Gelo de Furna, Brava 1 ENQUADRAMENTO A instalação da fábrica de gelo de Furna -

Leia mais

PRINCÍPIOS E UTILIZAÇÃO DA ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA

PRINCÍPIOS E UTILIZAÇÃO DA ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA PRINCÍPIOS E UTILIZAÇÃO DA ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ELETROTÉCNICA E ENERGIA LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Roberto Zilles Conversão da energia solar Célula

Leia mais

VIESMANN VITOSOLIC. Dados técnicos VITOSOLIC 100 VITOSOLIC 200. Controlador para sistemas de energia solar

VIESMANN VITOSOLIC. Dados técnicos VITOSOLIC 100 VITOSOLIC 200. Controlador para sistemas de energia solar VIESMANN VITOSOLIC Controlador para sistemas de energia solar Nº de referência e preços: ver lista de preços VITOSOLIC 100 Controlador electrónico por diferença de temperatura Para sistemas com produção

Leia mais

República de Angola MINISTÉRIO DA ENERGIA E ÁGUAS

República de Angola MINISTÉRIO DA ENERGIA E ÁGUAS República de Angola MINISTÉRIO DA ENERGIA E ÁGUAS Conferência e exposição ipad angola 2011 Luanda, 15 de Setembro de 2011 Fontes de Energias renováveis no Contexto angolano APRESENTAÇÃO SANDRA CRISTÓVÃO

Leia mais

TÉCNICO(A) INSTALADOR DE SISTEMAS SOLARES FOTOVOLTAICOS

TÉCNICO(A) INSTALADOR DE SISTEMAS SOLARES FOTOVOLTAICOS TÉCNICO(A) INSTALADOR DE SISTEMAS SOLARES FOTOVOLTAICOS QUADRO RESUMO FORMAÇÃO UFCD Duração (H) Sistemas solares fotovoltaicos 4587 50 Módulos solares fotovoltaicos 4588 50 Projeto de sistema solar fotovoltaico

Leia mais

Fundamentos de Engenharia Solar. Racine T. A. Prado

Fundamentos de Engenharia Solar. Racine T. A. Prado Fundamentos de Engenharia Solar Racine T. A. Prado Coletores Solares Um coletor solar é um tipo específico de trocador de calor que transforma energia solar radiante em calor. Duffie; Beckman Equação básica

Leia mais

DESENVOLVIMENTO E APLICAÇÕES DE SOFTWARE PARA ANÁLISE DO ESPECTRO SOLAR

DESENVOLVIMENTO E APLICAÇÕES DE SOFTWARE PARA ANÁLISE DO ESPECTRO SOLAR ILHA SOLTEIRA XII Congresso Nacional de Estudantes de Engenharia Mecânica - 22 a 26 de agosto de 2005 - Ilha Solteira - SP Paper CRE05-MN12 DESENVOLVIMENTO E APLICAÇÕES DE SOFTWARE PARA ANÁLISE DO ESPECTRO

Leia mais

Programa de Unidade Curricular

Programa de Unidade Curricular Programa de Unidade Curricular Faculdade Engenharia Licenciatura Engenharia Electrónica e Informática Unidade Curricular Electrónica de Interface Semestre: 4 Nº ECTS: 6,0 Regente Pedro Miguel Pinto Reis

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE)

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE) INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE) Concurso Público - NÍVEL MÉDIO CARGO: Técnico da Carreira de Desenvolvimento Tecnológico Classe: Técnico 1 Padrão I (TM11) CADERNO DE PROVAS PROVA DISCURSIVA

Leia mais

CONCEITOS INICIAIS PARA DIMENSIONAMENTO SISTEMA FOTOVOLTAICO EM RESIDÊNCIAS

CONCEITOS INICIAIS PARA DIMENSIONAMENTO SISTEMA FOTOVOLTAICO EM RESIDÊNCIAS CONCEITOS INICIAIS PARA DIMENSIONAMENTO SISTEMA FOTOVOLTAICO EM RESIDÊNCIAS Introdução a Engenharia Professores: Márcio Zamboti Fortes e Vitor Hugo Ferreira (UFF) Bruno Henriques Dias e Flávio Gomes (UFJF)

Leia mais

USO DE DIODOS DE BYPASS E DE BLOQUEIO NA PROTEÇÃO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

USO DE DIODOS DE BYPASS E DE BLOQUEIO NA PROTEÇÃO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS USO DE DIODOS DE BYPASS E DE BLOQUEIO NA PROTEÇÃO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Lúcio Almeida Hecktheuer Arno Krenzinger Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Programa de PósGraduação em Engenharia Mecânica,

Leia mais

ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA MÓDULOS MONOCRISTALINOS SEM MOLDURA - SI-ESF-M-M125-36

ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA MÓDULOS MONOCRISTALINOS SEM MOLDURA - SI-ESF-M-M125-36 Solar Innova usa os últimos materiais para a fabricação de seus módulos solar. Nossos módulos são ideais para qualquer aplicativo que usa o efeito fotoelétrico como uma fonte de energia limpa por causa

Leia mais

MÓDULOS FOTOVOLTAICOS

MÓDULOS FOTOVOLTAICOS Escola de Ciências Departamento de Física Campus de Azurém 4800-058 Guimarães ELECTROMAGNETISMO B MÓDULOS FOTOVOLTAICOS CARACTERÍSTICAS E ASSOCIAÇÕES 2º Ano do Mestrado Integrado em Engenharia Civil 1º

Leia mais

ESTUDO APLICADO DE UMA EÓLICA

ESTUDO APLICADO DE UMA EÓLICA Temática Energias Renováveis Capítulo Energia Eólica Secção ESTUDO APLICADO DE UMA EÓLICA INTRODUÇÃO Nesta exposição apresentam-se as equações e os conhecimentos necessários para a resolução dos exercícios.

Leia mais

COMPANHIA DE ELETRICIDADE DO ESTADO DA BAHIA COELBA SISTEMA FOTOVOLTAICO DO ESTÁDIO PITUAÇU - SALVADOR SOLICITAÇÃO DE PROPOSTA ANEXO IX

COMPANHIA DE ELETRICIDADE DO ESTADO DA BAHIA COELBA SISTEMA FOTOVOLTAICO DO ESTÁDIO PITUAÇU - SALVADOR SOLICITAÇÃO DE PROPOSTA ANEXO IX COMPANHIA DE ELETRICIDADE DO ESTADO DA BAHIA COELBA SISTEMA FOTOVOLTAICO DO ESTÁDIO PITUAÇU - SALVADOR SOLICITAÇÃO DE PROPOSTA ANEXO IX AVALIAÇÃO DOS COMPONENTES DO SISTEMA GERADOR FOTOVOLTAICO 1. Módulos

Leia mais

Projeto Smart Energy Paraná e a sua Plataforma Tecnológica

Projeto Smart Energy Paraná e a sua Plataforma Tecnológica Semana da Engenharia 2014 Projeto Smart Energy Paraná e a sua Plataforma Tecnológica Celso Fabricio de Melo Junior IEP Dez/2014 Projeto Smart Energy Paraná e a sua Plataforma Tecnológica O PSE Paraná Conceito

Leia mais

FreziPUMP Com Sol, tenha Água!

FreziPUMP Com Sol, tenha Água! FreziPUMP Com Sol, tenha Água! A Frezite apresenta uma vasta gama de equipamentos para captação e gestão da água, o que permite escolher a melhor solução para o seu projeto. Apostamos em soluções autónomas

Leia mais

Sistemas eléctricos e magnéticos

Sistemas eléctricos e magnéticos Sistemas eléctricos e magnéticos A corrente eléctrica como forma de transferência de energia Prof. Luís Perna 2010/11 Geradores de corrente eléctrica Um gerador eléctrico é um dispositivo que converte

Leia mais

Geração de energia elétrica

Geração de energia elétrica Geração de energia elétrica Capítulo 4 Sistemas solares para geração de eletricidade Lineu Belico dos Reis Os sistemas baseados no uso da energia transmitida à Terra pelo Sol para geração de eletricidade

Leia mais

UFMG - 2003 2º DIA FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

UFMG - 2003 2º DIA FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR UFMG - 2003 2º DIA FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Física Questão 01 Durante uma brincadeira, Rafael utiliza o dispositivo mostrado nesta figura para lançar uma bolinha horizontalmente. Nesse

Leia mais

TRABALHO 3 Circuitos RLC resposta nos domínios do tempo e da frequência

TRABALHO 3 Circuitos RLC resposta nos domínios do tempo e da frequência GUIA DE LABORATÓRIO Análise de Circuitos - LEE TRABALHO 3 Circuitos RLC resposta nos domínios do tempo e da frequência INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO Departamento de Engenharia Electrotécnica e de Computadores

Leia mais

2 conceitos gerais de heliotecnia ÍNDICE

2 conceitos gerais de heliotecnia ÍNDICE ÍNDICE radiação solar - movimento terra-sol -3 coordenadas e trajectória solar -4 sombreamento -6 orientação e inclinação de superfícies absorsoras -7 curvas de penalização -10 para saber mais... -1-1

Leia mais

CENTRAL FOTOVOLTAICA DE VALADAS 1ª em PORTUGAL ligada à MÉDIA TENSÃO

CENTRAL FOTOVOLTAICA DE VALADAS 1ª em PORTUGAL ligada à MÉDIA TENSÃO 1ª em PORTUGAL ligada à MÉDIA TENSÃO PRESENTE (Potência instalada): 100KWp FUTURO (Potência a instalar): 360 KWp Dono da Obra ANTES Entidade Projectista: Autoria do projecto: Iolanda Sousa DEPOIS Entidade

Leia mais

Todas as medições efectuadas no osciloscópio são basicamente medições de comprimentos nesta matriz.

Todas as medições efectuadas no osciloscópio são basicamente medições de comprimentos nesta matriz. Ciências Experimentais P5: Osciloscópio. Sensibilidade, resolução e erro máximo do aparelho. 1. Objectivos Iniciação ao osciloscópio. Estimativas de sensibilidade, resolução e erro máximo do aparelho.

Leia mais

Estação Meteorológica de Baixo Custo. João Ganhão Professor Coordenador joao.ganhao@etla.com.pt

Estação Meteorológica de Baixo Custo. João Ganhão Professor Coordenador joao.ganhao@etla.com.pt Estação Meteorológica de Baixo Custo Escola Tecnológica do Litoral Alentejano Projecto de Aptidão Profissional João Ganhão Professor Coordenador joao.ganhao@etla.com.pt t >> Localização Complexo Petroquímico

Leia mais

DIMENSIONAMENTO DE UMA UNIDADE EXPERIMENTAL DE UM SISTEMA FOTOVOLTAICO ISOLADO

DIMENSIONAMENTO DE UMA UNIDADE EXPERIMENTAL DE UM SISTEMA FOTOVOLTAICO ISOLADO DIMENSIONAMENTO DE UMA UNIDADE EXPERIMENTAL DE UM SISTEMA FOTOVOLTAICO ISOLADO Whelton Brito dos SANTOS 1, Carlos Antônio Pereira de LIMA 2 1 Aluno do Curso de Eng. Sanitária e Ambiental, Departamento

Leia mais

TERMOS DE REFERÊNCIA

TERMOS DE REFERÊNCIA TERMOS DE REFERÊNCIA Fornecimento e Instalação de um Sistema Fotovoltaico Ligado à Rede Elétrica Pública Praia Branca, Concelho do Tarrafal - São Nicolau 1 ENQUADRAMENTO A localidade de Praia Branca, Concelho

Leia mais

Armário Outdoor com. Free Cooling ou Ar Condicionado. www.facemate.net

Armário Outdoor com. Free Cooling ou Ar Condicionado. www.facemate.net Armário Outdoor com Free Cooling ou Ar Condicionado NOTAS Os armários outdoor estão desenhados para instalação em ambientes de exterior sujeitos a condições de chuva, vento, calor ou radiação solar. O

Leia mais

RUÍDOS. São sinais elétricos não desejados que interferem num sistema de telecomunicações. Possíveis classificações: Quanto a fonte:

RUÍDOS. São sinais elétricos não desejados que interferem num sistema de telecomunicações. Possíveis classificações: Quanto a fonte: RUÍDOS São sinais elétricos não desejados que interferem num sistema de telecomunicações. Possíveis classificações: Quanto a fonte: Ruído externo: quando a fonte é externa ao sistema de telecomunicações

Leia mais

Algoritmo Genérico para Controladores de Painéis Solares Fotovoltaicos

Algoritmo Genérico para Controladores de Painéis Solares Fotovoltaicos Algoritmo Genérico para Controladores de Painéis Solares Fotooltaicos Ricardo Puga * rpuga@dee.isep.ipp.pt http://www.ae.dee.isep.ipp.pt/~rpuga Judite Ferreira * mjudite@dee.isep.ipp.pt * Departamento

Leia mais

Fundamentos de Engenharia Solar Energia Fotovoltaica parte 2 José R. Simões-Moreira Racine T. A. Prado

Fundamentos de Engenharia Solar Energia Fotovoltaica parte 2 José R. Simões-Moreira Racine T. A. Prado Energia Fotovoltaica parte 2 José R. Simões-Moreira Racine T. A. Prado Baterias estacionárias solenerg Número de ciclos de baterias em função da profundidade de descarga Johnson Controls Número de ciclos

Leia mais

RESULTADOS PARCIAIS DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO DE CONVERSOR CC-CC PARA APLICAÇÃO EM PAINÉIS FOTOVOLTAICOS

RESULTADOS PARCIAIS DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO DE CONVERSOR CC-CC PARA APLICAÇÃO EM PAINÉIS FOTOVOLTAICOS RESULTADOS PARCIAIS DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO DE CONVERSOR CC-CC PARA APLICAÇÃO EM PAINÉIS FOTOVOLTAICOS Autores: Felipe JUNG, Tiago DEQUIGIOVANI, Jessé de PELEGRIN, Marcos FIORIN Identificação autores:

Leia mais

TERMOS DE REFERÊNCIA

TERMOS DE REFERÊNCIA TERMOS DE REFERÊNCIA FORNECIMENTO E INSTALAÇÃO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Hibridização das mini-redes a diesel de Figueiras e Ribeira Alta, Ribeira Grande - Santo Antão, Cabo Verde PROMOTORES 1 Enquadramento

Leia mais

ACTIVIDADE LABORATORIAL 1.3. SALTO PARA A PISCINA

ACTIVIDADE LABORATORIAL 1.3. SALTO PARA A PISCINA ACTIVIDADE LABORATORIAL 1.3. SALTO PARA A PISCINA Questão: Como projectar um escorrega para um parque aquático, de um, de modo que os utentes possam cair em segurança numa determinada zona da piscina?

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO UFRPE UNIDADE ACADÊMICA DE GARANHUNS UAG CURSO DE GRADUAÇÃO DE AGRONOMIA

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO UFRPE UNIDADE ACADÊMICA DE GARANHUNS UAG CURSO DE GRADUAÇÃO DE AGRONOMIA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO UFRPE UNIDADE ACADÊMICA DE GARANHUNS UAG CURSO DE GRADUAÇÃO DE AGRONOMIA ENERGIA NA AGRICULTURA GARANHUNS, JUNHO DE 2009. 1 UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO

Leia mais

Performance Ratio. Conteúdo. Factor de qualidade para o sistema fotovoltaico

Performance Ratio. Conteúdo. Factor de qualidade para o sistema fotovoltaico Performance Ratio Factor de qualidade para o sistema fotovoltaico Conteúdo A Performance Ratio é uma das unidades de medida mais importantes para a avaliação da eficiência de um sistema fotovoltaico. Mais

Leia mais

AUTOCONSUMO FOTOVOLTAICO. Crie a sua Energia!

AUTOCONSUMO FOTOVOLTAICO. Crie a sua Energia! AUTOCONSUMO FOTOVOLTAICO Crie a sua Energia! 2015 Energia para todas as necessidades! Habitação Piscina Jardim Produção Agrícola Campismo/Caravanismo Embarcações INTRODUÇÃO Energia Solar é a designação

Leia mais

Nobreak. 3,2 a 20 kva PERFIL PROTEÇÕES. senoidal on-line - dupla convers o

Nobreak. 3,2 a 20 kva PERFIL PROTEÇÕES. senoidal on-line - dupla convers o Nobreak senoidal on-line - dupla convers o modelos isolados e n o isolados com PFC opcional 3,2 a 20 kva Compatível com: Solução SMS para Gerenciamento de Missões Críticas PERFIL O nobreak inteligente

Leia mais

Chaminés Cálculos e Normas aplicáveis

Chaminés Cálculos e Normas aplicáveis Chaminés Cálculos e Normas aplicáveis Chaminé de tiragem natural Tem como função permitir a evacuação dos gases, produzidos por uma determinada combustão. Aplicado na extracção de gases de combustão provenientes

Leia mais

Questão 46. Questão 48. Questão 47. alternativa A. alternativa B

Questão 46. Questão 48. Questão 47. alternativa A. alternativa B Questão 46 Na figura, são dados os vetores a, bec. Sendo u a unidade de medida do módulo desses vetores, pode-se afirmar que o vetor d = = a b + c tem módulo a) 2u, e sua orientação é vertical, para cima.

Leia mais

Apresentação das Áreas do DEE ENERGIA

Apresentação das Áreas do DEE ENERGIA Apresentação das Áreas do DEE ENERGIA 9 de abril de 2014 1 Área de ENERGIA Prof. Ventim Neves Prof. Stan Valtchev Prof. João Martins Profª Anabela Pronto Prof. João Murta Pina Engº Pedro Pereira Prof.

Leia mais

Radiações electromagnéticas; os espectros Cláudia Costa

Radiações electromagnéticas; os espectros Cláudia Costa ESPECTROS, RADIAÇÕES E ENERGIA Radiações electromagnéticas; os espectros Cláudia Costa Sumário: Radiações electromagnéticas; Espectro visível da luz solar; Espectros térmicos; Espectros contínuos das estrelas;

Leia mais

Instruções de instalação e uso. Controlador de carga HYBRID 1000 com display multifunção LCD

Instruções de instalação e uso. Controlador de carga HYBRID 1000 com display multifunção LCD Instruções de instalação e uso Controlador de carga HYBRID 1000 com display multifunção LCD Os nossos parabéns pela aquisição do regulador híbrido de alta qualidade Hybrid 1000 da SILENTWIND Por favor

Leia mais

Mecânica e Ondas. Introdução ao Osciloscópio e ao Gerador de sinais

Mecânica e Ondas. Introdução ao Osciloscópio e ao Gerador de sinais Mecânica e Ondas Introdução ao Osciloscópio e ao Gerador de sinais 1. Osciloscópio O osciloscópio é um aparelho destinado à visualização e caracterização de sinais eléctricos, em particular tensões eléctricas

Leia mais

Recuperadores de Energia RIS H/V...3.2. Recuperadores de Energia RECUP...3.6. Recuperadores de Energia RIS P...3.8

Recuperadores de Energia RIS H/V...3.2. Recuperadores de Energia RECUP...3.6. Recuperadores de Energia RIS P...3.8 Índice Recuperadores de Energia Recuperadores de Energia Recuperadores de Energia RIS H/V...3.2 Recuperadores de Energia RECUP...3.6 Recuperadores de Energia RIS P...3.8 Unidade de Fluxos Cruzados EBF...3.11

Leia mais

Sunny String Monitor - Cabinet

Sunny String Monitor - Cabinet Sunny String Monitor - Cabinet Dados Técnicos O Sunny String Monitor-Cabinet, ou SSM-C na sua forma abreviada, da SMA monitoriza, de forma pormenorizada, o seu gerador fotovoltaico, de acordo com os padrões

Leia mais

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GRUPO II GRUPO DE ESTUDO DE PRODUÇÃO TÉRMICA E FONTES NÃO CONVENCIONAIS (GPT)

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GRUPO II GRUPO DE ESTUDO DE PRODUÇÃO TÉRMICA E FONTES NÃO CONVENCIONAIS (GPT) SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GPT 27 14 a 17 Outubro de 2007 Rio de Janeiro - RJ GRUPO II GRUPO DE ESTUDO DE PRODUÇÃO TÉRMICA E FONTES NÃO CONVENCIONAIS (GPT)

Leia mais

PAS816BTM. Central de Alarme Bi-Direccional & Acessórios INTRUSÃO ESPECIFICAÇÕES. Características distintivas:

PAS816BTM. Central de Alarme Bi-Direccional & Acessórios INTRUSÃO ESPECIFICAÇÕES. Características distintivas: PAS816BTM Características distintivas: - Central de alarme bi-direcional 8 zonas por cabo totalmente programáveis no painel de controle; - Expansível até 16 zonas através de módulos de expansão ou EXM800

Leia mais

DATA LOGGERS SÉRIE SIMPLE LOGGER II

DATA LOGGERS SÉRIE SIMPLE LOGGER II DATA LOGGERS SÉRIE SIMPLE LOGGER II Modos de programação de registo; Intervalos de registo programáveis; Capacidade de memória para 240.000 medidas; Alimentação por pilhas alcalinas; Ligação a computador

Leia mais

Kit de Montagem de Mastro

Kit de Montagem de Mastro Parabéns pela aquisição do seu novo kit de montagem de mastro! Kit de Montagem de Mastro Manual de Instalação Este kit de montagem de mastro foi concebido para postes com 48 milímetros de diâmetro externo

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE ELECTRÓNICA, AUTOMAÇÃO E COMPUTADORES 1 / 6

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE ELECTRÓNICA, AUTOMAÇÃO E COMPUTADORES 1 / 6 PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE ELECTRÓNICA, AUTOMAÇÃO E COMPUTADORES Publicação e actualizações Publicado no Despacho n.º13456/2008, de 14 de Maio, que aprova a versão inicial do Catálogo Nacional de

Leia mais

Proposta de Minigeração para as instalações da EDP Distribuição em Setúbal. Lisboa, 22 de Março de 2013

Proposta de Minigeração para as instalações da EDP Distribuição em Setúbal. Lisboa, 22 de Março de 2013 Proposta de Minigeração para as instalações da EDP Distribuição em Setúbal Lisboa, 22 de Março de 2013 A EDP Distribuição apresenta potencial para a aposta na Minigeração solar fotovoltaica Oportunidade

Leia mais

A rede meteorológica é o conjunto dos pontos onde se medem as variáveis de estado da fase

A rede meteorológica é o conjunto dos pontos onde se medem as variáveis de estado da fase O QUE É? A rede meteorológica é o conjunto dos pontos onde se medem as variáveis de estado da fase atmosférica do ciclo hidrológico. Compreende estações udométricas, onde se mede apenas o hidrometeoro

Leia mais

PROJETO FOTOVOLTAICO

PROJETO FOTOVOLTAICO PROJETO FOTOVOLTAICO SISTEMA FOTOVOLTAICO DE 9 kwp INTITULADO SISTEMA FOTOVOLTAICO HIPER ENERGY SITUADO NA CIDADE DE CRICIÚMA RUA BARROSO, 205 88802-250 - CLIENTE: Fernando Rosada Hiper Energy Ltda Criciúma

Leia mais

PORTFOLIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS INSTALADOS/PROJETADOS PELA BLUE SOL ENERGIA SOLAR

PORTFOLIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS INSTALADOS/PROJETADOS PELA BLUE SOL ENERGIA SOLAR PORTFOLIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS INSTALADOS/PROJETADOS PELA BLUE SOL ENERGIA SOLAR B l u e S o l E n e r g i a S o l a r A v e n i d a A n t ô n i o D i e d e r i c s h e n, 4 0 0 S a l a 8 0 8 J a

Leia mais

Seleção de comprimento de onda com espectrômetro de rede

Seleção de comprimento de onda com espectrômetro de rede Seleção de comprimento de onda com espectrômetro de rede Fig. 1: Arranjo do experimento P2510502 O que você vai necessitar: Fotocélula sem caixa 06779.00 1 Rede de difração, 600 linhas/mm 08546.00 1 Filtro

Leia mais

INFLUÊNCIA DA TEMPERATURA SOBRE A POTÊNCIA DE SAÍDA DE UM PAINEL DE SILÍCIO POLICRISTALINO NA REGIÃO OESTE PARANAENSE

INFLUÊNCIA DA TEMPERATURA SOBRE A POTÊNCIA DE SAÍDA DE UM PAINEL DE SILÍCIO POLICRISTALINO NA REGIÃO OESTE PARANAENSE INFLUÊNCIA DA TEMPERATURA SOBRE A POTÊNCIA DE SAÍDA DE UM PAINEL DE SILÍCIO POLICRISTALINO NA REGIÃO OESTE PARANAENSE ROGER NABEYAMA MICHELS JOSÉ AIRTON AZEVEDO DOS SANTOS ESTOR GNOATTO EDWARD KAWANAGH

Leia mais

Coerência temporal: Uma característica importante

Coerência temporal: Uma característica importante Coerência temporal: Uma característica importante A coerência temporal de uma fonte de luz é determinada pela sua largura de banda espectral e descreve a forma como os trens de ondas emitidas interfererem

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Soluções em Energia Solar

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Soluções em Energia Solar Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas www.weg.net Tecnologia para minimizar o consumo das indústrias. Sustentabilidade para maximizar a qualidade de vida das pessoas. O sol é uma

Leia mais

Por algum motivo nos encontra em todo o lado!

Por algum motivo nos encontra em todo o lado! Por algum motivo nos encontra Novidades de produto 2010 Janitza. Sempre um passo à frente! A Janitza investe cerca de 8% da facturação anual em investigação e desenvolvimento de novos produtos. Ao introdzir

Leia mais

Relé de Proteção do Motor RPM ANSI 37/49/50/77/86/94 CATÁLOGO. ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5

Relé de Proteção do Motor RPM ANSI 37/49/50/77/86/94 CATÁLOGO. ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 CATÁLOGO ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 INTRODUÇÃO O Relé de Proteção de Motores RPM foi desenvolvido para supervisionar até 2 (dois) grupos ventiladores/motores simultaneamente, é utilizado

Leia mais

O MÓDULO FOTOVOLTAICO PARA GERADOR SOLAR DE ELETRICIDADE. Autor: Eng. Carlos Alberto Alvarenga alvarenga@solenerg.com.br www.solenerg.com.

O MÓDULO FOTOVOLTAICO PARA GERADOR SOLAR DE ELETRICIDADE. Autor: Eng. Carlos Alberto Alvarenga alvarenga@solenerg.com.br www.solenerg.com. 1 O MÓDULO FOTOVOLTAICO PARA GERADOR SOLAR DE ELETRICIDADE Autor: Eng. Carlos Alberto Alvarenga alvarenga@solenerg.com.br www.solenerg.com.br Outubro/2014 1. O MÓDULO FOTOVOLTAICO A célula fotovoltaica

Leia mais

De: Luis Alberto Katz Data: Janeiro 17 2007 Número: PA1906

De: Luis Alberto Katz Data: Janeiro 17 2007 Número: PA1906 ANÚNCIO DE PRODUTO De: Luis Alberto Katz Data: Janeiro 17 2007 Número: PA1906 Fluke 345 Alicate de medição de qualidade de energia Apresentamos o alicate de medição de qualidade de energia mais avançado

Leia mais

Energia Solar Fotovoltaica

Energia Solar Fotovoltaica Universidade Federal de Santa Catarina Instituto de Eletrônica de Potência Energia Solar Fotovoltaica Prof. Denizar Cruz Martins, Dr. Tecnologia Fotovoltaica Revisão Histórica 1839 Placas metálicas mergulhadas

Leia mais

Motores Lineares Industriais

Motores Lineares Industriais Motores Lineares Industriais Sistema de accionamento puramente eléctrico Controlo de posição livre ao longo de todo o curso Para tarefas de posicionamento precisas e dinâmicas Vida útil maior com a tecnologia

Leia mais

Nobreak. 1,2 e 3,1 kva Compatível com: Solução SMS para Gerenciamento de Missões Críticas. senoidal on-line ~ tripla conversao PERFIL PROTEÇÕES

Nobreak. 1,2 e 3,1 kva Compatível com: Solução SMS para Gerenciamento de Missões Críticas. senoidal on-line ~ tripla conversao PERFIL PROTEÇÕES Nobreak senoidal on-line ~ tripla conversao 1,2 e 3,1 kva Compatível com: Solução SMS para Gerenciamento de Missões Críticas PERFIL A linha de nobreaks Sinus Triad foi especialmente desenvolvida para uso

Leia mais

FICHA TÉCNICA. Painel Solar Compacto FCC-2S. www.vulcano.pt. Janeiro 2013

FICHA TÉCNICA. Painel Solar Compacto FCC-2S. www.vulcano.pt. Janeiro 2013 Departamento Comercial e Assistência Técnica: Av. Infante D. Henrique, lotes 2E-3E - 1800-220 LISBOA * Tel.: +351. 218 500 300 Janeiro 2013 FICHA TÉCNICA Painel Solar Compacto FCC-2S www.vulcano.pt FICHA

Leia mais

Microgeração Características dos Equipamentos

Microgeração Características dos Equipamentos Microgeração Características dos Equipamentos Elaborado por: Martifer Solar, S.A MARTIFER SOLAR SA Março de 2008 Zona Industrial Apartado 17 3684-001 Oliveira de Frades Tlf: +351 232 767 700 Fax: +351

Leia mais

SILECTRIS Sistemas de Energia Eléctrica, Lda

SILECTRIS Sistemas de Energia Eléctrica, Lda SILECTRIS Sistemas de Energia Eléctrica, Lda Rua João Eloy do Amaral, 116 2900-414 Setúbal Tel.: 265 229 180 Fax: 265 237 371 www.silectris.pt SISTEMAS E EQUIPAMENTOS DE PROTECÇÃO, CONTROLO, MEDIDA E AUTOMAÇÃO

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE ELECTRÓNICA. PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Electrónica Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/10

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE ELECTRÓNICA. PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Electrónica Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/10 PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE ELECTRÓNICA PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Electrónica Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/10 ÁREA DE ACTIVIDADE OBJECTIVO GLOBAL SAÍDA(S) PROFISSIONAL(IS) -

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE ELECTRÓNICA. PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Electrónica Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/6

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE ELECTRÓNICA. PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Electrónica Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/6 PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE ELECTRÓNICA PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Electrónica Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/6 ÁREA DE ACTIVIDADE - ELECTRÓNICA E AUTOMAÇÃO OBJECTIVO GLOBAL -

Leia mais

TÍTULO: : ANÁLISE DO ESPECTRO DE RADIAÇÃO SOLAR E SUA IMPORTÂNCIA NO CORRETO DIMENSIONAMENTO DE TECNOLOGIAS PARA CONVERSÃO FOTOVOLTAICA DE ENERGIA

TÍTULO: : ANÁLISE DO ESPECTRO DE RADIAÇÃO SOLAR E SUA IMPORTÂNCIA NO CORRETO DIMENSIONAMENTO DE TECNOLOGIAS PARA CONVERSÃO FOTOVOLTAICA DE ENERGIA TÍTULO: : ANÁLISE DO ESPECTRO DE RADIAÇÃO SOLAR E SUA IMPORTÂNCIA NO CORRETO DIMENSIONAMENTO DE TECNOLOGIAS PARA CONVERSÃO FOTOVOLTAICA DE ENERGIA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA:

Leia mais

COMISSÃO TÉCNICA DE NORMALIZAÇÃO ELETROTÉCNICA CTE 64 Instalações Elétricas em Edifícios

COMISSÃO TÉCNICA DE NORMALIZAÇÃO ELETROTÉCNICA CTE 64 Instalações Elétricas em Edifícios COMISSÃO TÉCNICA DE NORMALIZAÇÃO ELETROTÉCNICA CTE 64 Instalações Elétricas em Edifícios ESQUEMAS TIPO DE UNIDADES DE PRODUÇÃO PARA AUTOCONSUMO (UPAC) março 2015 A secção 712: Instalações Solares Fotovoltaicas

Leia mais

Programa de Racionalização do Uso de Energia PRUEN

Programa de Racionalização do Uso de Energia PRUEN Proponente: Fundação de Amparo à Pesquisa e Extensão Universitária - FAPEU Executor: Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC Financiamento: Financiadora de Estudos e Projetos - FINEP Coordenação:

Leia mais

www.caiado.pt Produtos Eltako

www.caiado.pt Produtos Eltako Produtos Eltako Os preços apresentados são unitários e não incluem IVA. Estes estão sujeitos a alteração, sem aviso prévio. A TEV2 não se responsabiliza por eventuais erros tipográficos ou de transmissão

Leia mais

3 conversão térmica da energia solar ÍNDICE

3 conversão térmica da energia solar ÍNDICE ÍNDICE balanço de energia -2 ganho térmico - perdas térmicas -4 aplicações -7 para saber mais... -8-1 balanço de energia A consiste na absorção de radiação numa superfície absorsora e na transferência

Leia mais

Monitor de Temperatura MONITEMP

Monitor de Temperatura MONITEMP ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 INTRODUÇÃO O Monitor de Temperatura MoniTemp foi desenvolvido para supervisionar até 3 (três) canais de temperatura simultaneamente, ele é utilizado para proteger

Leia mais

O ABC DAS CÂMARAS CCD

O ABC DAS CÂMARAS CCD O ABC DAS CÂMARAS CCD Pedro Ré http://astrosurf.com/re O aparecimento recente de câmaras CCD 1 refrigeradas e não refrigeradas tem vindo a revolucionar as técnicas de obtenção de imagens astronómicas.

Leia mais

Instrumentação Industrial e Medidas Eléctricas - IPT - DEE Carlos Ferreira

Instrumentação Industrial e Medidas Eléctricas - IPT - DEE Carlos Ferreira Sensores Amedição das grandezas físicas é uma necessidade. Para essa função são utilizados sensores estes convertem a grandeza a medir noutra. No caso da instrumentação a variável de saída é normalmente

Leia mais

MANUAL DA TORRE ARREFECIMENTO

MANUAL DA TORRE ARREFECIMENTO MANUAL DA TORRE ARREFECIMENTO Novembro de 2011 Índice 1. Regras básicas na realização da experiência... 2 2. Objectivos das experiências... 3 3. Descrição do equipamento... 4 3.1. Torre... 5 3.2. Pulverizadores

Leia mais

ANÁLISE DA EFICIÊNCIA DE MÓDULOS FOTOVOLTAICOS INSTALADOS EM CONDIÇÕES NORMAIS DE OPERAÇÃO 1

ANÁLISE DA EFICIÊNCIA DE MÓDULOS FOTOVOLTAICOS INSTALADOS EM CONDIÇÕES NORMAIS DE OPERAÇÃO 1 ANÁLISE DA EFICIÊNCIA DE MÓDULOS FOTOVOLTAICOS INSTALADOS EM CONDIÇÕES NORMAIS DE OPERAÇÃO 1 JAIR DE JESUS FIORENTINO 2, ODIVALDO JOSÉ SERAPHIM 3 Extraído da tese do primeiro autor intitulada: Análise

Leia mais

Física e Química A. Actividade Prático-Laboratorial 1.3 Salto para a piscina

Física e Química A. Actividade Prático-Laboratorial 1.3 Salto para a piscina Física e Química A Actividade Prático-Laboratorial 1.3 Salto para a piscina Ano lectivo de 2009/2010 Índice Sumário 3 I Relatório 1.1. Objectivos.. 4 1.2. Planeamento 5 1.3. Execução. 6 1.4. Resultados

Leia mais

Fenómenos Ondulatórios. Reflexão, refracção, difracção

Fenómenos Ondulatórios. Reflexão, refracção, difracção Fenómenos Ondulatórios Reflexão, refracção, difracção Natureza dualística da radiação electromagnética A radiação electromagnética é um fenómeno ondulatório envolvendo a propagação de um campo magnético

Leia mais

alienspresent@hotmail.com a minha central energética http://www.pbase.com/image/28867977

alienspresent@hotmail.com a minha central energética http://www.pbase.com/image/28867977 alienspresent@hotmail.com a minha central energética http://www.pbase.com/image/28867977 Quem Somos Empresa surgiu em 2007 de 1 projecto desenvolvido no ISEG Concurso ISEG / IAPMEI PME Investimentos Missão:

Leia mais

IME - 2003 2º DIA FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

IME - 2003 2º DIA FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR IME - 2003 2º DIA FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Física Questão 01 Um pequeno refrigerador para estocar vacinas está inicialmente desconectado da rede elétrica e o ar em seu interior encontra-se

Leia mais