Exactidão da medição

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Exactidão da medição"

Transcrição

1 Exactidão da medição Valores energéticos e grau de rendimento dos inversores fotovoltaicos do tipo Sunny Boy e Sunny Mini Central Conteúdo Qualquer operador de um sistema fotovoltaico deseja estar o mais informado possível sobre a potência e o rendimento do seu sistema. É com este objectivo que os operadores dos sistemas realizam frequentes inspecções autónomas, de forma a verificar os dados fornecidos pelo fabricante e os valores indicados pelo inversor. Neste âmbito destacam-se aqui dois exemplos: 1. Desvios dos valores energéticos nos diferentes indicadores. 2. Determinação do grau de rendimento. Messgenau-UPT Versão 2.0 1/5

2 Indicações divergentes dos valores energéticos 1 Indicações divergentes dos valores energéticos Durante o funcionamento de um sistema fotovoltaico, o operador do sistema detecta eventualmente que os valores energéticos, indicados num contador de produção, num inversor ou num logger de dados, divergem entre si. Neste capítulo são descritos os possíveis motivos destas divergências. Além disso são aqui explicadas que diferenças são normais e que diferenças são causadas por uma anomalia. 1.1 Valores do contador de produção O contador de produção é a referência geral do rendimento de um sistema. No entanto, um contador de produção calibrado não efectua medições absolutamente exactas, sendo permitidas tolerâncias. De acordo com a classe de erro atribuída (geralmente a classe 1 ou 2) ele pode apresentar um erro de medição de até ± 2 % (classe 2) conforme a norma DIN EN Os contadores de electricidade mecânicos respeitam, geralmente, a precisão da classe 2. A necessidade própria do contador de produção, que se pode encontrar entre 0,5 e 3 Watt consoante o tipo de construção e modelo, bem como as perdas por corrente de arranque podem ser negligenciadas numa comparação com os dados do inversor, excepto no caso de potências mais pequenas do sistema ou no caso de valores energéticos diários muito baixos. 1.2 Dispositivos de medição do inversor O inversor dispõe de dispositivos de medição que garantem uma gestão operacional correcta. A tarefa do inversor consiste na detecção do ponto de trabalho com o máximo rendimento, enquanto um contador deve efectuar uma medição exacta da energia. Para a máxima transferência de energia é, por isso, obrigatório que as alterações de características técnicas, como corrente de rede ou tensão FV, sejam detectadas com exactidão no inversor. Neste caso é mais importante uma elevada reprodutibilidade do que uma exactidão absoluta. Quando comparados com o contador de produção calibrado, os canais de medição do inversor podem apresentar uma tolerância de até ± 3 %, baseada no respectivo valor final da área de medição abaixo das condições nominais. No caso de uma potência de alimentação inferior, o desvio relativo também pode ser correspondentemente maior. Estes desvios também são proporcionais nos tamanhos derivados, como na energia de alimentação. Além disso, deve contar-se com perdas de potência da cablagem CA. Estas devem, tal como recomendado na documentação dos aparelhos, não ultrapassar aprox. 1 % de potência nominal. Em caso de dúvida, verificar se a cablagem CA instalada coincide com os comprimentos das linhas recomendados na documentação do aparelho e as respectivas secções transversais dos cabos. SMA Solar Technology AG 2/5

3 Indicações divergentes dos valores energéticos 1.3 Desvios e anomalias Considerando as tolerâncias de medição e os factores de influência mencionados, pode acontecer que as tolerâncias dos dispositivos de medição se somem, podendo ocorrer divergências entre um indicador do inversor e o contador de produção. Como a área de tolerância destas divergências depende essencialmente da potência de alimentação actual, não é possível indicar um desvio permitido máximo. No entanto, um desvio superior a 10 % durante a operação normal aponta para uma anomalia de um dos dispositivos de medição. Neste caso deve realizar-se uma inspecção completa a todo o sistema. Exemplo aritmético de dados percentuais de erro e valor absoluto: Área de medição Sensor de corrente (valor final da escala): 50 A, erro permitido ± 2 % (corresponde de forma absoluta a ± 1 A) Valores permitidos no caso de uma corrente de 20 A: 19 A A (corresponde de forma relativa a ± 5 %) Valores permitidos no caso de uma corrente de 2 A: 1 A... 3 A (corresponde de forma relativa a ± 50 %) SMA Solar Technology AG 3/5

4 Determinação do grau de rendimento 2 Determinação do grau de rendimento Para saber a capacidade de produção do seu inversor, o operador de um sistema fotovoltaico compara o grau de rendimento da folha de dados com um grau de rendimento esperado, composto por dados de medição e outras informações indicadas ou fornecidas pelo inversor. No entanto, este procedimento não é o mais adequado. Neste capítulo são explicadas as causas para o facto de uma determinação do grau de rendimento efectuada pelo operador do sistema não produzir resultados fiáveis. 2.1 Dispositivos de medição do inversor No inversor estão integrados dispositivos de medição que garantem uma gestão operacional correcta do inversor. A tarefa do inversor é a determinação do ponto de trabalho com o máximo rendimento. Para a máxima transferência de energia é, por isso, obrigatório que as alterações de características técnicas, como corrente de rede ou tensão FV, sejam detectadas com exactidão no inversor. É mais importante uma elevada reprodutibilidade do que uma exactidão absoluta. Os dispositivos de medição do inversor não representam uma tecnologia de medição calibrada. Os canais de medição do inversor podem apresentar uma tolerância de até ± 4 % para as medições de CC e de até ± 3 % para medições de CA (baseada no respectivo valor final da área de medição abaixo das condições nominais). Consequentemente, no caso de uma potência de alimentação baixa, o desvio relativo (também) pode descer proporcionalmente. Estes desvios também são proporcionais aos tamanhos derivados. 2.2 Grau de rendimento do inversor O grau de rendimento indicado para o inversor é determinado através de processos de medição altamente precisos e representa a relação entre a potência de saída e a potência de entrada em condições nominais. Estas informações também são confirmadas por institutos de inspecção independentes. Se o inversor não se encontrar nas condições nominais, mas em outras condições como, p. ex., no caso de tensões de entrada divergentes, no modo de carga parcial ou no caso de elevada temperatura ambiente, produzem-se valores divergentes do grau de rendimento. 2.3 Determinação mediante a medição de valores de corrente e de tensão Uma detecção do grau de rendimento realizada pelo operador mediante a medição dos valores de corrente e de tensão na entrada e na saída com aparelhos de medição de grandes tolerâncias disponíveis no mercado produz resultados insatisfatórios. Uma detecção exacta do grau de rendimento só é possível com analisadores de potência altamente precisos e muito dispendiosos sob condições laboratoriais, através dos quais podem ser obtidos simultaneamente todos os valores de entrada e de saída. SMA Solar Technology AG 4/5

5 Determinação do grau de rendimento 2.4 Determinação mediante a criação de uma relação Uma determinação do grau de rendimento mediante a criação de uma relação dos valores de entrada e de saída indicados ou solicitados ao inversor também não produz valores válidos. A razão encontra-se nas tolerâncias mencionadas (conf. capítulo 2.1) na obtenção do valor de medição, bem como na variação do tempo na comunicação interna do inversor ou durante a transferência para um logger de dados. Isto faz com que os valores de corrente, tensão e potência para a indicação e a comunicação não coincidam exactamente. No caso de condições atmosféricas inconstantes, ou seja, no caso de uma rápida mudança na intensidade da irradiação, este resultado também é prejudicado por uma determinação de médias. 2.5 Centro de testes na SMA Solar Technology Os pontos mencionados previamente esclarecem que o grau de rendimento real do inversor somente pode ser determinado com uma electrónica de medição muito dispendiosa. A SMA Solar Technology dispõe de um centro de testes extraordinariamente equipado. Além disso, cada inversor da SMA é sujeito a um teste contínuo antes da entrega, sendo verificada a sua capacidade de produção. SMA Solar Technology AG 5/5

Performance Ratio. Conteúdo. Factor de qualidade para o sistema fotovoltaico

Performance Ratio. Conteúdo. Factor de qualidade para o sistema fotovoltaico Performance Ratio Factor de qualidade para o sistema fotovoltaico Conteúdo A Performance Ratio é uma das unidades de medida mais importantes para a avaliação da eficiência de um sistema fotovoltaico. Mais

Leia mais

Resistência de isolamento (R iso ) de sistemas fotovoltaicos não separados galvanicamente

Resistência de isolamento (R iso ) de sistemas fotovoltaicos não separados galvanicamente Resistência de isolamento (R iso ) de sistemas fotovoltaicos não separados galvanicamente com SUNNY MINI CENTRAL 9000TL/10000TL/11000TL Conteúdo Os sistemas fotovoltaicos com inversores sem transformador

Leia mais

Dimensionamento de disjuntores adequados para inversores sob influências específicas das instalações fotovoltaicas

Dimensionamento de disjuntores adequados para inversores sob influências específicas das instalações fotovoltaicas Disjuntor Dimensionamento de disjuntores adequados para inversores sob influências específicas das instalações fotovoltaicas Conteúdo A selecção do disjuntor correcto depende de diversos factores. Especialmente

Leia mais

SUNNY CENTRAL. 1 Introdução. Avisos relativos à operação de um gerador fotovoltaico ligado à terra

SUNNY CENTRAL. 1 Introdução. Avisos relativos à operação de um gerador fotovoltaico ligado à terra SUNNY CENTRAL Avisos relativos à operação de um gerador fotovoltaico ligado à terra 1 Introdução Alguns fabricantes de módulos recomendam ou exigem a ligação à terra negativa ou positiva do gerador fotovoltaico

Leia mais

Transformador de média tensão

Transformador de média tensão Informação técnica Transformador de média tensão Requisitos importantes aplicáveis a transformadores de média tensão para SUNNY BOY, SUNNY MINI CENTRAL e SUNNY TRIPOWER Conteúdo Este documento descreve

Leia mais

Critérios para a selecção de um dispositivo diferencial

Critérios para a selecção de um dispositivo diferencial Critérios para a selecção de um dispositivo diferencial Utilização de dispositivos diferenciais com SUNNY BOY, SUNNY MINI CENTRAL e SUNNY TRIPOWER Conteúdo Aquando da instalação de inversores, surgem frequentemente

Leia mais

Informação Técnica Derating de temperatura para Sunny Boy e Sunny Tripower

Informação Técnica Derating de temperatura para Sunny Boy e Sunny Tripower Informação Técnica Derating de temperatura para Sunny Boy e Sunny Tripower No caso de derating de temperatura, o inversor reduz a sua potência para proteger os componentes contra sobreaquecimento. Este

Leia mais

Relativamente ao tipo de inversor utilizado, estes sistemas, Figura 1, podem ser classificados em quatro grupos:

Relativamente ao tipo de inversor utilizado, estes sistemas, Figura 1, podem ser classificados em quatro grupos: Artigo Técnico: Análise de configurações de Sistemas Híbridos Fotovoltaicos. O progressivo aumento da factura de electricidade e dos combustíveis colocou novamente na actualidade o uso de Sistemas Fotovoltaicos

Leia mais

SMA Bluetooth. Conteúdo. SMA Bluetooth Wireless Technology na prática. Outros documentos relativos ao SMA Bluetooth

SMA Bluetooth. Conteúdo. SMA Bluetooth Wireless Technology na prática. Outros documentos relativos ao SMA Bluetooth Informação técnica Wireless Technology na prática Conteúdo Este documento resume as características principais da Wireless Technology e fornece respostas a questões práticas. Outros documentos relativos

Leia mais

Sunny String Monitor - Cabinet

Sunny String Monitor - Cabinet Sunny String Monitor - Cabinet Dados Técnicos O Sunny String Monitor-Cabinet, ou SSM-C na sua forma abreviada, da SMA monitoriza, de forma pormenorizada, o seu gerador fotovoltaico, de acordo com os padrões

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE ELECTRÓNICA. PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Electrónica Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/6

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE ELECTRÓNICA. PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Electrónica Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/6 PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE ELECTRÓNICA PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Electrónica Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/6 ÁREA DE ACTIVIDADE - ELECTRÓNICA E AUTOMAÇÃO OBJECTIVO GLOBAL -

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE ELECTRÓNICA. PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Electrónica Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/10

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE ELECTRÓNICA. PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Electrónica Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/10 PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE ELECTRÓNICA PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Electrónica Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/10 ÁREA DE ACTIVIDADE OBJECTIVO GLOBAL SAÍDA(S) PROFISSIONAL(IS) -

Leia mais

CAPÍTULO 1 MEDIÇÃO E O ERRO DE MEDIÇÃO

CAPÍTULO 1 MEDIÇÃO E O ERRO DE MEDIÇÃO CAPÍTULO 1 MEDIÇÃO E O ERRO DE MEDIÇÃO 1.1. Definições do Vocabulário Internacional de Metrologia (VIM) Metrologia: Ciência das medições [VIM 2.2]. Medição: Conjunto de operações que têm por objectivo

Leia mais

Protecção contra sobretensões

Protecção contra sobretensões Protecção contra sobretensões Protecção contra descargas atmosféricas e contra sobretensões para Sunny Boy e Sunny Tripower Conteúdo Em sistemas fotovoltaicos, o gerador fotovoltaico encontra-se ao ar

Leia mais

ANALISADORES DE POTÊNCIAS E QUALIDADE DE ENERGIA MODELOS QUALISTAR CA 8334B E QUALISTAR PLUS CA 8335

ANALISADORES DE POTÊNCIAS E QUALIDADE DE ENERGIA MODELOS QUALISTAR CA 8334B E QUALISTAR PLUS CA 8335 ANALISADORES DE POTÊNCIAS E QUALIDADE DE ENERGIA MODELOS QUALISTAR CA 8334B E QUALISTAR PLUS CA 8335 Medem todos os parâmetros de tensão, corrente e potência para um diagnóstico completo de uma instalação

Leia mais

Controlo do sistema PT100M-NR

Controlo do sistema PT100M-NR Controlo do sistema PT100M-NR Manual de instalação PT100MNR-IPT083510 98-0017910 Versão 1.0 PT Índice Índice 1 Indicações sobre estas instruções.................... 5 1.1 Área de aplicação...................................

Leia mais

Automação e Instrumentação

Automação e Instrumentação Instituto Superior de Engenharia de Coimbra Engenharia e Gestão Industrial Automação e Instrumentação Trabalho Prático Nº 3 Acondicionamento do sinal de sensores. Introdução A maior parte dos sensores

Leia mais

Metrologia. Metrologia

Metrologia. Metrologia Metrologia Sumário da Aula JN3 1 1ª Parte: Categorias da Metrologia Metrologia Industrial e Científica Metrologia Legal Rastreabilidade e calibração 2ª Parte: Unidades Metrológicas Conceitos Básicos e

Leia mais

f) Processamentos de dados em baixa tensão, designadamente estimativas de consumo e metodologia de aplicação de perfis de consumo.

f) Processamentos de dados em baixa tensão, designadamente estimativas de consumo e metodologia de aplicação de perfis de consumo. NOTA INFORMATIVA RELATIVA AO DESPACHO N.º 2/2007 QUE APROVA O GUIA DE MEDIÇÃO, LEITURA E DISPONIBILIZAÇÃO DE DADOS O Regulamento de Relações Comerciais (RRC) aprovado através do despacho da Entidade Reguladora

Leia mais

Gestão de sombras. Funcionamento eficiente de sistemas fotovoltaicos parcialmente ensombrados com OptiTrac Global Peak

Gestão de sombras. Funcionamento eficiente de sistemas fotovoltaicos parcialmente ensombrados com OptiTrac Global Peak Gestão de sombras Funcionamento eficiente de sistemas fotovoltaicos parcialmente ensombrados com OptiTrac Global Peak Conteúdo Nem sempre é possível evitar que clarabóias, chaminés ou árvores façam sombra

Leia mais

Tecnologia de dados solar POWER MODUL

Tecnologia de dados solar POWER MODUL Tecnologia de dados solar POWER MODUL Manual de instalação PModul-IPT094510 98-0020710 Version 1.0 PT SMA Solar Technology AG Índice Índice 1 Observações relativas ao presente manual........... 4 1.1

Leia mais

Laboratório de Sistemas de Energia. Ensaio de Colectores Solares Térmicos e Módulos Fotovoltaicos

Laboratório de Sistemas de Energia. Ensaio de Colectores Solares Térmicos e Módulos Fotovoltaicos Laboratório de Sistemas de Energia Ensaio de Colectores Solares Térmicos e Módulos Fotovoltaicos LSE 05-2013 1 Laboratório de Sistemas de Energia Ensaio de Colectores Solares Térmicos segundo as Normas:

Leia mais

Os termômetros de resistência podem ser isolados de altas tensões. Todavia, na prática, o espaço de instalação disponível é frequentemente pequeno

Os termômetros de resistência podem ser isolados de altas tensões. Todavia, na prática, o espaço de instalação disponível é frequentemente pequeno ProLine P 44000 Medições Precisas de Temperatura em Altas Tensões, até 6,6 kv Quando as temperaturas precisam ser medidas com termômetros de resistência Pt100 em ambientes sob altas tensões, os transmissores

Leia mais

Manual de Execução de Trabalhos em Equipamento de Contagem de Energia em instalações MT e BTE

Manual de Execução de Trabalhos em Equipamento de Contagem de Energia em instalações MT e BTE Manual de Execução de Trabalhos em Equipamento de Contagem de Energia em instalações MT e BTE 1 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. CONTAGEM DE ENERGIA ELÉCTRICA EM MÉDIA E BAIXA TENSÃO ESPECIAL... 3 2.1. Características

Leia mais

Relé de Proteção do Motor RPM ANSI 37/49/50/77/86/94 CATÁLOGO. ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5

Relé de Proteção do Motor RPM ANSI 37/49/50/77/86/94 CATÁLOGO. ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 CATÁLOGO ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 INTRODUÇÃO O Relé de Proteção de Motores RPM foi desenvolvido para supervisionar até 2 (dois) grupos ventiladores/motores simultaneamente, é utilizado

Leia mais

Controlo do sistema METER CONNECTION BOX

Controlo do sistema METER CONNECTION BOX Controlo do sistema METER CONNECTION BOX Manual de instalação METERBOX-IPT110611 98-0027811 Versão 1.1 PT SMA Solar Technology AG Índice Índice 1 Observações relativas ao presente manual........... 5

Leia mais

MANUAL DA TORRE ARREFECIMENTO

MANUAL DA TORRE ARREFECIMENTO MANUAL DA TORRE ARREFECIMENTO Novembro de 2011 Índice 1. Regras básicas na realização da experiência... 2 2. Objectivos das experiências... 3 3. Descrição do equipamento... 4 3.1. Torre... 5 3.2. Pulverizadores

Leia mais

CONCEITOS INICIAIS PARA DIMENSIONAMENTO SISTEMA FOTOVOLTAICO EM RESIDÊNCIAS

CONCEITOS INICIAIS PARA DIMENSIONAMENTO SISTEMA FOTOVOLTAICO EM RESIDÊNCIAS CONCEITOS INICIAIS PARA DIMENSIONAMENTO SISTEMA FOTOVOLTAICO EM RESIDÊNCIAS Introdução a Engenharia Professores: Márcio Zamboti Fortes e Vitor Hugo Ferreira (UFF) Bruno Henriques Dias e Flávio Gomes (UFJF)

Leia mais

Conteúdo. 1 Autoconsumo - Conceito. 2 Produto e Aplicações. 3 Sunny Home Manager. 4 Sunny Design. SMA Solar Technology AG 2

Conteúdo. 1 Autoconsumo - Conceito. 2 Produto e Aplicações. 3 Sunny Home Manager. 4 Sunny Design. SMA Solar Technology AG 2 POUPAR COM O AUTOCONSUMO David García.: Assistente técnico de vendas Conteúdo 1 Autoconsumo - Conceito 2 Produto e Aplicações 3 Sunny Home Manager 4 Sunny Design SMA Solar Technology AG 2 1 Autoconsumo

Leia mais

Sensor da temperatura ambiente TEMPSENSOR-AMBIENT

Sensor da temperatura ambiente TEMPSENSOR-AMBIENT Sensor da temperatura ambiente TEMPSENSOR-AMBIENT Manual de instalação TempsensorAmb-IPT110610 98-0042910 Versão 1.0 PT SMA Solar Technology AG Índice Índice 1 Indicações relativas ao presente manual.............

Leia mais

Aqui você encontra artigos que irão auxiliar seu trabalho a partir de informações relevantes sobre segurança e dicas de instalações elétricas.

Aqui você encontra artigos que irão auxiliar seu trabalho a partir de informações relevantes sobre segurança e dicas de instalações elétricas. Artigos técnicos 02 Aqui você encontra artigos que irão auxiliar seu trabalho a partir de informações relevantes sobre segurança e dicas de instalações elétricas. Instalação elétrica defasada é foco de

Leia mais

Tecnologias de alimentação alternativas para centros de dados e salas de servidores

Tecnologias de alimentação alternativas para centros de dados e salas de servidores Tecnologias de alimentação alternativas para centros de dados e salas de servidores Aplicação técnica nº 64 Revisão 1 Sumário Executivo As células de e as micro-turbinas são novas tecnologias alternativas

Leia mais

ANALISADOR DE QUALIDADE DE ENERGIA QUALISTAR MODELO CA 8332

ANALISADOR DE QUALIDADE DE ENERGIA QUALISTAR MODELO CA 8332 ANALISADOR DE QUALIDADE DE ENERGIA QUALISTAR MODELO CA 8332 Especialmente concebido para serviços de controlo e manutenção de edifícios industriais ou administrativos, o Qualistar CA 8332 permite obter

Leia mais

Aparelhos de Laboratório de Electrónica

Aparelhos de Laboratório de Electrónica Aparelhos de Laboratório de Electrónica Este texto pretende fazer uma introdução sucinta às características fundamentais dos aparelhos utilizados no laboratório. As funcionalidades descritas são as existentes

Leia mais

DIRECÇÃO-GERAL DE GEOLOGIA E ENERGIA PERFIL PROFISSIONAL DE TÉCNICO INSTALADOR DE SISTEMAS SOLARES TÉRMICOS

DIRECÇÃO-GERAL DE GEOLOGIA E ENERGIA PERFIL PROFISSIONAL DE TÉCNICO INSTALADOR DE SISTEMAS SOLARES TÉRMICOS DIRECÇÃO-GERAL DE GEOLOGIA E ENERGIA PERFIL PROFISSIONAL DE TÉCNICO INSTALADOR DE SISTEMAS SOLARES TÉRMICOS CÓDIGO - ERG-OO4 ÁREA DE ACTIVIDADE ENERGIA OBJECTIVO GLOBAL - Programar, organizar, coordenar

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE ELECTRÓNICA, AUTOMAÇÃO E COMPUTADORES 1 / 6

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE ELECTRÓNICA, AUTOMAÇÃO E COMPUTADORES 1 / 6 PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE ELECTRÓNICA, AUTOMAÇÃO E COMPUTADORES Publicação e actualizações Publicado no Despacho n.º13456/2008, de 14 de Maio, que aprova a versão inicial do Catálogo Nacional de

Leia mais

UPS. Unidades de Alimentação Ininterrupta

UPS. Unidades de Alimentação Ininterrupta UPS Uma UPS é um dispositivo que, quando em funcionamento correcto, ajuda a garantir que a alimentação dos equipamentos que estão a ela ligados, não sejam perturbados, fornecendo energia, através de uma

Leia mais

MECÂNICO(A) DE APARELHOS DE GÁS

MECÂNICO(A) DE APARELHOS DE GÁS PERFIL PROFISSIONAL MECÂNICO(A) DE APARELHOS DE GÁS ÁREA DE ACTIVIDADE - ENERGIA OBJECTIVO GLOBAL - Executar a instalação, a conversão e a reparação de aparelhos de queima de gás e executar soldaduras

Leia mais

INSTALAÇÕES DE GÁS EM EDIFÍCIOS

INSTALAÇÕES DE GÁS EM EDIFÍCIOS ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ET 657 24 de outubro de 2012 ÍNDICE Página 2 de 8 Registo das revisões... 3 Preâmbulo... 4 1. Objectivo... 4 2. Âmbito... 4 3. Referências... 4 4. Definições / Siglas... 5 5. Equipamentos

Leia mais

PowerValue 31 7,5-10 - 15-20 kva (Tri/Mono)

PowerValue 31 7,5-10 - 15-20 kva (Tri/Mono) Descrição Técnica PowerValue 31 7,5-10 - 15-20 kva (Tri/Mono) Trifásica, On-line de Dupla-Conversão, VFI Fonte de Alimentação Não Interruptível (UPS) EFACEC Sistemas de Electrónica, S. A. Rua Eng.º Frederico

Leia mais

Instrumentação Industrial e Medidas Eléctricas - IPT - DEE Carlos Ferreira

Instrumentação Industrial e Medidas Eléctricas - IPT - DEE Carlos Ferreira Sensores Amedição das grandezas físicas é uma necessidade. Para essa função são utilizados sensores estes convertem a grandeza a medir noutra. No caso da instrumentação a variável de saída é normalmente

Leia mais

Inversor fotovoltaico SUNNY MINI CENTRAL 7000HV

Inversor fotovoltaico SUNNY MINI CENTRAL 7000HV Inversor fotovoltaico SUNNY MINI CENTRAL 7000HV Manual de utilização SMC70HV11-BA-BPT112930 TBPT-SMC70HV Versão 3.0 PT SMA Solar Technology AG Índice Índice 1 Indicações relativas ao presente manual.............

Leia mais

Variações dinâmicas do consumo de corrente em centros de dados e salas de servidores

Variações dinâmicas do consumo de corrente em centros de dados e salas de servidores Variações dinâmicas do consumo de corrente em centros de dados e salas de servidores Por Jim Spitaels Aplicação técnica nº 43 Revisão 2 Sumário executivo Os requisitos de alimentação dos centros de dados

Leia mais

Atlas Copco. Compressores de ar para fins médicos GA 5-22 MED / GA 5-15 VSD MED (5-22 kw / 7,5-30 hp)

Atlas Copco. Compressores de ar para fins médicos GA 5-22 MED / GA 5-15 VSD MED (5-22 kw / 7,5-30 hp) Atlas Copco Compressores de ar para fins médicos (5-22 kw / 7,5-30 hp) Ar para fins médicos: pureza e precisão em ambientes de cuidados de saúde críticos A área crítica da assistência a doentes requer

Leia mais

DATA LOGGERS SÉRIE SIMPLE LOGGER II

DATA LOGGERS SÉRIE SIMPLE LOGGER II DATA LOGGERS SÉRIE SIMPLE LOGGER II Modos de programação de registo; Intervalos de registo programáveis; Capacidade de memória para 240.000 medidas; Alimentação por pilhas alcalinas; Ligação a computador

Leia mais

FUNCIONAMENTO DE UM MONITOR CONTÍNUO DE OZÔNIO

FUNCIONAMENTO DE UM MONITOR CONTÍNUO DE OZÔNIO FUNCIONAMENTO DE UM MONITOR CONTÍNUO DE OZÔNIO 1. Introdução A melhor tecnologia para o monitoramento de baixas concentrações de ozônio (O 3 ) no ar ambiente é a da absorção de luz na faixa do Ultra Violeta

Leia mais

EMS-C Baterias de condensadores estáticas

EMS-C Baterias de condensadores estáticas Compensação da Energia Reactiva e Filtragem de Harmónicas EMS-C Baterias de condensadores estáticas Tecnologia para a eficiência energética Precisão, rapidez e fiabilidade ao seu alcance Precisão Ausência

Leia mais

Seleção Dimensionamento de Hidrômetros

Seleção Dimensionamento de Hidrômetros Seleção Dimensionamento de Hidrômetros 4 O hidrômetro é um equipamento destinado a indicar e totalizar continuamente o volume de água que o atravessa. Normalmente a preocupação na operação da micromedição

Leia mais

Descrição técnica. Sicherheit-TPT103010 Versão 1.0

Descrição técnica. Sicherheit-TPT103010 Versão 1.0 Controlo do sistema O conceito de palavra-passe e de segurança da SMA em sistemas fotovoltaicos protegidos por palavra-passe com Bluetooth Wireless Technology Descrição técnica Sicherheit-TPT103010 Versão

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL OPERADOR(A) DE ELECTRÓNICA. PERFIL PROFISSIONAL Operador/a de Electrónica Nível 2 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/16

PERFIL PROFISSIONAL OPERADOR(A) DE ELECTRÓNICA. PERFIL PROFISSIONAL Operador/a de Electrónica Nível 2 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/16 PERFIL PROFISSIONAL OPERADOR(A) DE ELECTRÓNICA PERFIL PROFISSIONAL Operador/a de Electrónica Nível 2 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/16 ÁREA DE ACTIVIDADE - ELECTRÓNICA E AUTOMAÇÃO OBJECTIVO GLOBAL

Leia mais

Análises de Eficiência Energética em Métodos de Controle de Vazão

Análises de Eficiência Energética em Métodos de Controle de Vazão 6 a 1 de Outubro de 28 Olinda - PE Análises de Eficiência Energética em Métodos de Controle de Vazão Ronaldo R. B. de Aquino Zanoni D. Lins Pedro A. C. Rosas UFPE UFPE UFPE rrba@ufpe.br zdl@ufpe.br prosas@ufpe.br

Leia mais

Universidade Eduardo Mondlane FACULDADE DE ENGENHARIA Departamento de Engª Mecânica

Universidade Eduardo Mondlane FACULDADE DE ENGENHARIA Departamento de Engª Mecânica Universidade Eduardo Mondlane FACULDADE DE ENGENHARIA Departamento de Engª Mecânica Tema: Dimensionamento de uma instalação combinada de energia solar e eólica Autor: Quintino, Bernardo Supervisor: Dr.

Leia mais

OPTIPROBE Ficha de dados técnicos

OPTIPROBE Ficha de dados técnicos OPTIPROBE Ficha de dados técnicos O indicador de caudal de baixo custo Instalação fácil Medidas exatas e estáveis Qualidade KROHNE KROHNE ÍNDICE DE OPTIPROBE 1 Características do Produto 3 1.1 O indicador

Leia mais

Nova Linha de Equipamentos Trifásicos Classic-DSP

Nova Linha de Equipamentos Trifásicos Classic-DSP Nova Linha de Equipamentos Trifásicos Classic-DSP Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento - CP Eletrônica S.A. Rua da Várzea 379 CEP: 91040-600 Porto Alegre RS Brasil Fone: (51)2131-2407 Fax: (51)2131-2469

Leia mais

Os procedimentos para determinar a resistência do condutor são:

Os procedimentos para determinar a resistência do condutor são: 1 Data realização da Laboratório: / / Data da entrega do Relatório: / / Objetivos RELATÓRIO: N o 5 ENSAIO DE FIOS CONDUTORES Verificar o estado da isolação do condutor. 1. Introdução: Esta aula tem como

Leia mais

Transformador Monofásico [de Isolamento]

Transformador Monofásico [de Isolamento] Transformador Monofásico [de Isolamento] Determinação do rendimento para a carga nominal Curva característica do rendimento η = f (S 2 ), para vários factores de potência 1 - Informação Geral A potência

Leia mais

Décima segunda aula de teoria de ME5330. Maio de 2011

Décima segunda aula de teoria de ME5330. Maio de 2011 Décima segunda aula de teoria de ME5330 Maio de 011 Vamos iniciar o estudo do inversor de frequência. Conceito dispositivo eletrônico que transforma energia elétrica CA fixa ( tensão e frequência ) em

Leia mais

Atlas Copco. Arrefecedores finais, separadores de água e sistemas de purga COMPLETO, FÁCIL DE INSTALAR E MUITO ECONÓMICO

Atlas Copco. Arrefecedores finais, separadores de água e sistemas de purga COMPLETO, FÁCIL DE INSTALAR E MUITO ECONÓMICO Atlas Copco Arrefecedores finais, separadores de água e sistemas de purga COMPLETO, FÁCIL DE INSTALAR E MUITO ECONÓMICO Uma gama de arrefecedores finais efectivos e de separadores de água em conformidade

Leia mais

AULA 02 REVISÃO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS TRANSFORMADORES DE MEDIDAS DISJUNTORES DE POTÊNCIA

AULA 02 REVISÃO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS TRANSFORMADORES DE MEDIDAS DISJUNTORES DE POTÊNCIA AULA 02 REVISÃO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS TRANSFORMADORES DE MEDIDAS DISJUNTORES DE POTÊNCIA ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 1 TRANSFORMADORES DE MEDIDAS

Leia mais

Título de Emissão de Gases com Efeito de Estufa

Título de Emissão de Gases com Efeito de Estufa Título de Emissão de Gases com Efeito de Estufa TE GEE.281.01 II Nos termos do Decreto-Lei n.º 233/2004, de 14 de Dezembro, com as alterações introduzidas pelos Decretos-Lei n.º 243-A/2004, de 31 de Dezembro,

Leia mais

Motores eléctricos em sistemas de controlo

Motores eléctricos em sistemas de controlo Instituto Superior de Engenharia do Porto Departamento de Engenharia Electrotécnica Licenciatura em Engenharia Electrotécnica e de Computadores SISEL - Sistemas Electromecânicos Exercícios de 26 1. Considere

Leia mais

Dados técnicos. necessário. Consumo de corrente Placa de medição não abrangida 3 ma Placa de medição abrangida

Dados técnicos. necessário. Consumo de corrente Placa de medição não abrangida 3 ma Placa de medição abrangida 0102 Designação para encomenda Características Para montagem na caixa Montagem directa em accionamentos normais Directivas europeias para máquinas cumpridas Certificado de verificação de modelos TÜV99

Leia mais

Acessórios SUNNY MATRIX ADMIN TOOL

Acessórios SUNNY MATRIX ADMIN TOOL Acessórios SUNNY MATRIX ADMIN TOOL Instruções de serviço MatrixAdmin-BPT100510 Versão 1.0 PT Índice SMA Solar Technology AG Índice 1 Indicações relativas ao presente manual............. 3 1.1 Objectivo..........................................

Leia mais

ANALISADOR DE QUALIDADE DE ENERGIA MODELO PQM-701 CLASSE A SEGUNDO NORMA 6100-4-30

ANALISADOR DE QUALIDADE DE ENERGIA MODELO PQM-701 CLASSE A SEGUNDO NORMA 6100-4-30 ANALISADOR DE QUALIDADE DE ENERGIA MODELO PQM-701 CLASSE A SEGUNDO NORMA 6100-4-30 Suporte redes do tipo: Monofásico; Bifásico, com neutro comum; Trifásico com ligação estrela com e sem neutro Trifásico

Leia mais

1 Indicações de segurança

1 Indicações de segurança Actuador regulador universal 1 canal, 50-210 W com entrada binária N.º art. 3210 UP Manual de instruções 1 Indicações de segurança A instalação e a montagem de aparelhos eléctricos apenas devem ser realizadas

Leia mais

Capítulo XII. Procedimentos de manutenção para economia de energia. Manutenção elétrica industrial. Conhecer melhor para administrar melhor

Capítulo XII. Procedimentos de manutenção para economia de energia. Manutenção elétrica industrial. Conhecer melhor para administrar melhor 50 Apoio Manutenção elétrica industrial Capítulo XII Procedimentos de manutenção para economia de energia Por Igor Mateus de Araújo e João Maria Câmara* Um programa bem elaborado de manutenção é um ponto

Leia mais

TRANSFORMADORES DE MEDIDA

TRANSFORMADORES DE MEDIDA TRANSFORMADORES DE MEDIDA Transformadores de tensão MT e de 60 kv Características e ensaios Elaboração: DNT Homologação: conforme despacho do CA de 2007-02-13 Edição: 2ª. Substitui a edição de Outubro

Leia mais

Relatório de Estágio

Relatório de Estágio ÍNDICE 1. Descrição da empresa 2. Descrição do problema 2.1 Subcontratação da produção 2.2 Relacionamento da empresa 2.3 Dois departamentos de qualidade 2.4 Inspecções actualmente efectuadas 2.5 Não conformidades

Leia mais

VIESMANN VITOSOLIC. Dados técnicos VITOSOLIC 100 VITOSOLIC 200. Controlador para sistemas de energia solar

VIESMANN VITOSOLIC. Dados técnicos VITOSOLIC 100 VITOSOLIC 200. Controlador para sistemas de energia solar VIESMANN VITOSOLIC Controlador para sistemas de energia solar Nº de referência e preços: ver lista de preços VITOSOLIC 100 Controlador electrónico por diferença de temperatura Para sistemas com produção

Leia mais

I. INTRODUÇÃO. SEINON Sistema Energético INtegral ONline. A melhor energia é a que não se consome

I. INTRODUÇÃO. SEINON Sistema Energético INtegral ONline. A melhor energia é a que não se consome I. INTRODUÇÃO SEINON Sistema Energético INtegral ONline A melhor energia é a que não se consome O sistema SEINON é uma ferramenta de gestão de consumo de energia que permite de forma simples e automática

Leia mais

Todos os dados de medição. Sempre disponíveis. Em qualquer dispositivo.

Todos os dados de medição. Sempre disponíveis. Em qualquer dispositivo. Análise e relatórios Camara este 14.09.2014 até 16.09.2014 Apresentação gráfica 14/09/2014 15/09/2014 16/09/2014 Data logger 1 ( C) Data logger 2 ( C) Data logger 3 ( C) Apresentação em tabela Alarmes

Leia mais

Custo Total de Exploração para Centro de Dados e Infraestrutura

Custo Total de Exploração para Centro de Dados e Infraestrutura Custo Total de Exploração para Centro de Dados e Infraestrutura White Paper #6 Revisão 2 Resumo Nesta comunicação é descrito um método melhorado para medir o Custo Total de Exploração (TCO) da infraestrutura

Leia mais

Laboratório de Energia Solar UFRGS

Laboratório de Energia Solar UFRGS RELATÓRIO TÉCNICO LABSOL-UFRGS Nº 073/15 PROGRAMA BRASILEIRO DE ETIQUETAGEM ENSAIO DE MÓDULO FOTOVOLTAICO ZNSHINE ZXP6-36-70/P Solicitante: CTC COMÉRCIO, IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO LTDA. (Nome Fantasia CTC

Leia mais

José Novais (1997), Método sequencial para automatização electro-pneumática, 3ª Edição, Fundação

José Novais (1997), Método sequencial para automatização electro-pneumática, 3ª Edição, Fundação AUTOMAÇÃO (M323/3073) CAPÍTULO I Introdução à Automação 2013/2014 Bibliografia José Novais (1997), Método sequencial para automatização electro-pneumática, 3ª Edição, Fundação Calouste Gulbenkian Curtis

Leia mais

Módulo de Alimentação de Controlo do Motor LQSE-4M-D Controlador de Motor CA 4 saídas. Unidade do. Painel de parede seetouch QSR.

Módulo de Alimentação de Controlo do Motor LQSE-4M-D Controlador de Motor CA 4 saídas. Unidade do. Painel de parede seetouch QSR. LUTRON Módulo de de Controlo do Motor Controlador de Motor CA 4 saídas Módulo de de Controlo do Motor O módulo de alimentação de controlo do motor consiste numa interface que disponibiliza a integração

Leia mais

Dimensionamento de Colunas

Dimensionamento de Colunas Dimensionamento de Colunas Calcular a potência total ST: Moradia Potência a contratar [kva] T1 6.90 ou 10.35 T2 10.35 ou 13.80 T3 10.35 ou 13.80 T4 13.80 ou 17.25 T5 17.25 Trifásico S T = S habita ções

Leia mais

SEÇÃO TÉCNICA DE MÁQUINAS ELÉTRICAS

SEÇÃO TÉCNICA DE MÁQUINAS ELÉTRICAS Um conjunto composto por: Uma unidade de alimentação de potência ininterrupta ("NO-BREAK"), monofásica, com os seguintes dados declarados em placa: Marca: PhD; Modelo: HP9100C; Número de série: 2LBG070925089020004;

Leia mais

Compensação. de Factor de Potência

Compensação. de Factor de Potência Compensação de Factor de Potência oje em dia, praticamente todas as instalações eléctricas têm associadas aparelhos indutivos, nomeadamente, motores e transformadores. Este equipamentos necessitam de energia

Leia mais

siemens.com/energy/arresters Soluções completas em sistemas monitoramento para descarregadores Answers for energy.

siemens.com/energy/arresters Soluções completas em sistemas monitoramento para descarregadores Answers for energy. siemens.com/energy/arresters Soluções completas em sistemas monitoramento para descarregadores Answers for energy. Monitoramento altamente confiável com valor agregado ACM avançado ACM básico Contadores

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉCTRICA A PRODUTORES EM REGIME ESPECIAL

CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉCTRICA A PRODUTORES EM REGIME ESPECIAL CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉCTRICA A PRODUTORES EM REGIME ESPECIAL Entre EDP Serviço Universal, S.A., com sede na Rua Camilo Castelo Branco, 43, em Lisboa, com o capital social de 10 100 000 (dez

Leia mais

MICROPRODUÇÃO Proposta Condomínio Pedras Altas Nossa ref. MP11 42053

MICROPRODUÇÃO Proposta Condomínio Pedras Altas Nossa ref. MP11 42053 MICROPRODUÇÃO Proposta Condomínio Pedras Altas Nossa ref. MP11 42053 08 de Agosto de 2011 Exmo/a. Sr(a).Administrador do Condomínio Pedras Altas, Queremos, desde já, agradecer o interesse e a confiança

Leia mais

CIRCUITOS ELÉCTRICOS

CIRCUITOS ELÉCTRICOS CICUITOS ELÉCTICOS. OBJECTIO Aprender a utilizar um osciloscópio e um multímetro digital. Conceito de resistência interna de um aparelho.. INTODUÇÃO O multímetro digital que vai utilizar pode realizar

Leia mais

www.wattsun-solar.com WATTSUN

www.wattsun-solar.com WATTSUN SISTEMAS SOLARES www.wattsun-solar.com WATTSUN SISTEMAS S O L A R E S FIX&POWER SISTEMAS S O L A R E S Autoconsumo FIX&POWER Contador SISTEMAS S O L A R E S 3 kw + 2 kw 3 kw Autoconsumo parcial SISTEMAS

Leia mais

GreenControl GreenHouse Control System Manual de InstaladorV6.0

GreenControl GreenHouse Control System Manual de InstaladorV6.0 GreenControl GreenHouse Control System Manual de InstaladorV6.0 ProBoard Engenharia Electrotécnica, Lda. Lugar das Caldas, nº12 Tel/Fax : +351 253 924 633 4730 457 Vila de Prado e-mail: info@proboard.pt

Leia mais

Transformadores Para Instrumentos. Prof. Carlos Roberto da Silva Filho, M. Eng.

Transformadores Para Instrumentos. Prof. Carlos Roberto da Silva Filho, M. Eng. Transformadores Para Instrumentos Prof. Carlos Roberto da Silva Filho, M. Eng. Sumário 1. Tipos de Transformadores. 2. Transformadores de Corrente - TCs. 3. Transformadores de Potencial TPs. 4. Ligação

Leia mais

Estes sensores são constituídos por um reservatório, onde num dos lados está localizada uma fonte de raios gama (emissor) e do lado oposto um

Estes sensores são constituídos por um reservatório, onde num dos lados está localizada uma fonte de raios gama (emissor) e do lado oposto um Existem vários instrumentos de medição de nível que se baseiam na tendência que um determinado material tem de reflectir ou absorver radiação. Para medições de nível contínuas, os tipos mais comuns de

Leia mais

Procedimento Específico. Gestão dos Dispositivos de Monitorização e Medição. Validado: Jaime Quendera Data: 2006-01-11. Responsável da Qualidade

Procedimento Específico. Gestão dos Dispositivos de Monitorização e Medição. Validado: Jaime Quendera Data: 2006-01-11. Responsável da Qualidade Elaborado: 2006-01-11 Validado: 2006-01-11 Pág. 1 de 5 Aprovado: 2006-01-11 Documento: Título: Código: Produzido por: Aprovado por: Descrição Sumária: Gestão dos Dispositivos PE-QL-14 (Data de Aprovação)

Leia mais

Associação Paralelo Ativo e Passivo Vantagens e Benefícios

Associação Paralelo Ativo e Passivo Vantagens e Benefícios Associação Paralelo Ativo e Passivo Vantagens e Benefícios Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento - CP Eletrônica S.A. Rua da Várzea 379 CEP:91040-600 - Porto Alegre RS - Brasil Fone: (51)21312407

Leia mais

NOTA TÉCNICA nº 10 Complementar do Regime Jurídico de SCIE

NOTA TÉCNICA nº 10 Complementar do Regime Jurídico de SCIE NOTA TÉCNICA nº 10 Complementar do Regime Jurídico de SCIE OBJECTIVO Definir as características e condições técnicas a que devem obedecer as portas resistentes ao fogo (portas corta-fogo), não só para

Leia mais

TRANSIÇÃO DA ISO 9001:2000 PARA ISO 9001:2008 DOCUMENTO SUMÁRIO DE ALTERAÇÕES ALTERAÇÕES QUE PODEM AFECTAR O SISTEMA

TRANSIÇÃO DA ISO 9001:2000 PARA ISO 9001:2008 DOCUMENTO SUMÁRIO DE ALTERAÇÕES ALTERAÇÕES QUE PODEM AFECTAR O SISTEMA TRANSIÇÃO DA ISO 9001:2000 PARA ISO 9001:2008 DOCUMENTO SUMÁRIO DE ALTERAÇÕES A nova norma ISO 9001, na versão de 2008, não incorpora novos requisitos, mas apenas alterações para esclarecer os requisitos

Leia mais

PRS 9. Instruções de funcionamento 810549-00 Programador PRS 9

PRS 9. Instruções de funcionamento 810549-00 Programador PRS 9 PRS 9 Instruções de funcionamento 810549-00 Programador PRS 9 1 Dimensões/Componentes 128.5 169 30.01 (6TE) Fig. 1 A B C D E I H G J F MAX 70 C Fig. 2 MAX 95 % 2 Legenda A B C D E F G H I J Selector S1

Leia mais

Fontes CC. Principais características. www.supplier.ind.br

Fontes CC. Principais características. www.supplier.ind.br A SUPPLIER Indústria e Comércio de Eletroeletrônicos Ltda é uma empresa constituída com o objetivo de atuar no setor das Indústrias Eletroeletrônicas, principalmente na fabricação de fontes de alimentação

Leia mais

ENERGIA SOLAR. Energia limpa, nosso compromisso com o meio ambiente.

ENERGIA SOLAR. Energia limpa, nosso compromisso com o meio ambiente. ENERGIA SOLAR Energia limpa, nosso compromisso com o meio ambiente. Energy Team - experiência Vem analisando o mercado brasileiro desde 2006 e em 2008 participou da primeira feira de fonte de energias

Leia mais

SOLUÇÕES FOTOVOLTAICO ISONUFER INVISTA NO FUTURO E USUFRUA DE TODAS AS VANTAGENS. ISONUFER ENERGIAS RENOVÁVEIS + INFORMAÇÕES. www.isonufer.com.

SOLUÇÕES FOTOVOLTAICO ISONUFER INVISTA NO FUTURO E USUFRUA DE TODAS AS VANTAGENS. ISONUFER ENERGIAS RENOVÁVEIS + INFORMAÇÕES. www.isonufer.com. SOLUÇÕES FOTOVOLTAICO ISONUFER INVISTA NO FUTURO E USUFRUA DE TODAS AS VANTAGENS. ISONUFER ENERGIAS RENOVÁVEIS + INFORMAÇÕES www.isonufer.com.pt SOLUÇÕES FOTOVOLTAICO ISONUFER INVISTA NO FUTURO E USUFRUA

Leia mais

Perguntas e respostas frequentes. Extinção das Tarifas Reguladas Eletricidade e Gás Natural

Perguntas e respostas frequentes. Extinção das Tarifas Reguladas Eletricidade e Gás Natural Perguntas e respostas frequentes Extinção das Tarifas Reguladas Eletricidade e Gás Natural 1. O que significa a extinção das tarifas reguladas? A extinção de tarifas reguladas significa que os preços de

Leia mais

Proposta de Minigeração para as instalações da EDP Distribuição em Setúbal. Lisboa, 22 de Março de 2013

Proposta de Minigeração para as instalações da EDP Distribuição em Setúbal. Lisboa, 22 de Março de 2013 Proposta de Minigeração para as instalações da EDP Distribuição em Setúbal Lisboa, 22 de Março de 2013 A EDP Distribuição apresenta potencial para a aposta na Minigeração solar fotovoltaica Oportunidade

Leia mais

As Subestações de Entrada de Energia e Entradas de Serviço no Brasil

As Subestações de Entrada de Energia e Entradas de Serviço no Brasil VII CITTES - Congreso Internacional sobre: TRABAJOS CON TENSIÓN y SEGURIDAD EN TRANSMISIÓN Y DISTRIBUCIÓN DE ENERGÍA ELÉCTRICA Y MANTENIMIENTO SIN TENSIÓN DE INSTALACIONES DE AT. 15 al 18 de Septiembre

Leia mais

Métodos Experimentais em Energia e Ambiente

Métodos Experimentais em Energia e Ambiente Métodos Experimentais em Energia e Ambiente Medições para o controle de Motores de Combustão Interna João Miguel Guerra Toscano Bravo Lisboa, 27 de Outubro de 2004 Introdução Tipos de motores Gestão Electrónica

Leia mais

Auto - Transformador Monofásico

Auto - Transformador Monofásico Auto - Transformador Monofásico Transformação de Tensão Transformação de tensão para várias tensões de entrada: U 2, U 3, U 23 = f (U 1 ) 1.1. - Generalidades A função do transformador é transformar a

Leia mais

DATA LOGGER PARA REGISTO DE TEMPERATURAS COM LIGAÇÃO USB

DATA LOGGER PARA REGISTO DE TEMPERATURAS COM LIGAÇÃO USB DATA LOGGER PARA REGISTO DE TEMPERATURAS COM LIGAÇÃO USB AVISO PRÉVIO A partir de 1 de Janeiro de 2014 os data loggers deixam de ser fornecidos com CD-ROM com software. O software continua a ser gratuito

Leia mais