A Evolução Recente da Arrecadação Federal

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A Evolução Recente da Arrecadação Federal"

Transcrição

1 Carta PR 1164 /2015 Brasília, 28 de agosto de 2015 Exmo(a). Senhor(a) Senador(a), O Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil SINDIFISCO NACIONAL oferece a Vossa Excelência um breve estudo técnico acerca da queda na arrecadação de tributos administrados pela Receita Federal do Brasil e seu reflexo nos repasses aos fundos de participação de estados e municípios, seguido de uma análise sobre as perspectivas a curto e médio prazo da conjuntura apresentada. O texto abaixo demonstra que a redução da arrecadação está, sobretudo, ligada ao declínio da atividade econômica no país, que desde o ano de 2013 apresenta sinais de recessão, aliada a um forte viés de alta da inflação. Adverte, porém, que o quadro poderá se agravar sobremaneira, uma vez que os Auditores Fiscais se encontram, desde março deste ano, em campanha pela valorização do cargo e pelo fortalecimento da Receita Federal do Brasil. Solicita, ainda, a intervenção de Vossa Excelência junto ao Governo Federal, de modo a evitar que tais perspectivas se concretizem e agravem, ainda mais, o combalido quadro fiscal dos estados e dos municípios brasileiros. Ao final, pede o apoio de Vossa Excelência à inclusão dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil e dos Auditores Fiscais do Trabalho na Proposta de Emenda Constitucional nº 443/2015, a qual vincula o subsídio dos cargos contemplados em 90,25% do subsídio do Ministro do STF. A QUEDA NA ARRECADAÇÃO FEDERAL E SEUS REFLEXOS NAS CONTAS PÚBLICAS DOS ESTADOS, MUNICÍPIOS E DISTRITO FEDERAL A Evolução Recente da Arrecadação Federal A arrecadação tributária federal está experimentando, desde 2014, uma sensível redução quando os valores são confrontados com a inflação oficial medida pelo IPCA. No ano de 2013 o IPCA acumulado foi de 5,91% e em 2014, de 6,41%. Somente nos quatro primeiros meses de 2015 a inflação oficial já superou esses dois índices, tendo atingido 7,68%. Ao mesmo tempo, a atividade econômica tem desacelerado desde O crescimento real do Produto Interno Bruto daquele ano foi de 2,3%, enquanto que,

2 em 2014, o crescimento foi de 0,1%. Em 2015, a previsão do Banco Central é de haja retração de 0,5% 1. O aumento acelerado do nível de preços aliado à brusca queda da atividade econômica, com seus consequentes desdobramentos negativos sobre o emprego, a renda e o consumo, repercutem negativamente sobre a arrecadação tributária. Os dados da Tabela 1 refletem essa realidade, mostrando a arrecadação de tributos federais em três períodos distintos: os anos de 2014 e 2013; o último período de 12 meses, em contraste o mesmo período antecedente; o primeiro quadrimestre de 2015 comparado com igual período do ano anterior. Tabela 1 Tributos Arrecadados pela Receita Federal Por Base de Incidência Receitas Administradas Consumo Renda Patrimônio pela RFB Período Em R$ milhões Var % 4,24% -1,91% -0,40% -6,22% 4,05% -2,02% 9,31% 2,64% 34,28% 25,57% Mai/ Abr/ Mai/ Abr/ Var % 3,89% -2,86% -0,17% -6,65% 3,57% -3,16% 10,41% 3,57% 35,33% 26,10% Jan a Abril/ Jan a Abril/ Var % 6,48% -1,19% 5,97% -1,69% 6,17% -1,44% 15,76% 7,40% 27,34% 18,13% Fonte: RFB - Análise da Arrecadação das Receitas Federais, diversos meses Elaboração: Departamento de Estudos Técnicos do Sindifisco Nacional Assim, as receitas administradas pela Secretaria da Receita Federal do Brasil em 2014 cresceram, em valores nominais, 4,24%, porém, retraíram-se 1,91%, em termos reais 2. Nos últimos doze meses a situação se recrudesceu: crescimento de 3,89% nominal e 2,86% de retração em termos reais. O primeiro quadrimestre de 2014 apresentou crescimento nominal de 6,48%, mas retração real de 1,19%. Devese observar, entretanto, que o mês de abril, prazo final para a entrega das declarações do imposto de renda, é influenciado positivamente pela arrecadação deste imposto, ou seja, para os próximos meses do ano, a tendência é que haja um agravamento desse quadro. Os números da Tabela 1 também mostram retração nos tributos incidentes sobre a renda (Imposto de Renda e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido) e sobre o consumo (Imposto sobre Importações; Impostos sobre Produtos Industrializados; Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social; PIS/PASEP; CIDE Combustíveis e IOF). Outros 1 BANCO CENTRAL, Relatório de Inflação Mar/15, p disponível em 2 Descontada a inflação.

3 Apenas os tributos incidentes sobre o Patrimônio, composto no âmbito federal unicamente pelo ITR Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural, mostrou crescimento positivo, mas sem grande relevância, devido à baixa expressividade deste tributo na arrecadação total (0,09% das receitas administradas pela Secretaria da Receita Federal do Brasil). O resultado negativo no ano de 2014 foi influenciado especialmente pela redução da lucratividade das empresas, desoneração da folha de pagamentos, queda na produção industrial, na venda de bens e serviços e no valor em dólar das exportações, conforme análise da Receita Federal do Brasil 3. Os principais tributos que contribuíram para essa queda foram: IRPJ e CSLL ( 4,58%); COFINS/PIS- PASEP ( 3,47%); Imposto sobre Importações e IPI vinculado ( 6,79%) e IOF ( 4,79%) 4. Praticamente as mesmas razões são apontadas pela Secretaria da Receita Federal do Brasil para a queda ocorrida no primeiro quadrimestre de 2015: redução na arrecadação do IRPJ e CSLL; desonerações tributárias; queda no desempenho dos principais indicadores macroeconômicos (produção industrial; vendas de bens e serviços; valor em dólar das importações). Os Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil A par das dificuldades conjunturais, o governo federal tem imposto ao Auditores Fiscais um tratamento muito aquém do devido a um cargo, cuja atividade é essencial ao funcionamento do Estado, nos termos de dispositivo constitucional. A Lei Orgânica do Fisco (LOF), que estrutura o cargo e estabelece garantias e prerrogativas essenciais ao desempenho das atribuições legais dos Auditores Fiscais, prevista no art. 50, da lei /2007, oito anos depois, ainda não foi encaminhada ao Congresso Nacional pelo governo federal. Ademais, a remuneração do cargo ocupa a 25ª colocação dentre os Auditores dos Fiscos estaduais. Este é apenas um breve vislumbre das imensas dificuldades enfrentadas pelos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil, que tem desestimulado a classe a despender todas as suas potencialidades no exercício de suas atribuições. Em razão de tais dificuldades, os Auditores Fiscais iniciaram movimento, sem previsão de término, até que o Governo Federal atente para suas reivindicações. Destarte, o SINDIFISCO NACIONAL, entidade representativa dos Auditores Fiscais, alerta a Vossa Excelência acerca das consequências do movimento reivindicatório sobre o quadro já alarmante da arrecadação dos impostos e contribuições de competência da União, tendo em vista seu reflexo direto na repartição de receitas e repasses ao FPE e ao FPM. 3 SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL, Análise da Arrecadação das Receitas Federais, Dez/14, p. 4 e 5 4 Idem, p. 5.

4 O aprofundamento da queda na arrecadação dos tributos federais é assunto de interesse de todos os entes federativos, uma vez que a Receita Federal do Brasil é responsável por 70% da arrecadação nacional, de cujo repasse, Estados, Municípios e Distrito Federal são, cada vez, mais dependentes para fazer frente aos seus compromissos financeiros e dar conta de suas prestações constitucionais. Comparando-se o primeiro quadrimestre de 2015 com o período equivalente de 2014, verifica-se uma queda no repasse para o FPE de (1,70%) 5. De igual forma, o FPM perdeu (2,93%) 6 no mesmo período. Verifica-se, assim, um viés de queda nas transferências de recursos para o FPM e para o FPE. Pesou nesses números, sobretudo, a perda de arrecadação do IRPJ e do IPI. No caso do IRPJ, a perda de janeiro a abril de 2015 em relação ao mesmo período de 2014 foi de (5,49%). Com respeito ao IPI, a perda de arrecadação chega a (22,51%) 7. Ressalte-se que tais tributos estão entre os mais suscetíveis à ação fiscal direta. A Receita Federal do Brasil e suas autoridades, os Auditores Fiscais, são os responsáveis pela arrecadação dos tributos federais. Sua atuação é, portanto, imprescindível para a efetivação do equilíbrio das contas públicas da União e, por conseguinte, dos demais entes da federação. Assim, para evitar que essa situação se prolongue no tempo, com resultados imprevisíveis para as contas públicas de todos os entes federativos, solicitamos seu apoio à inclusão dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil e dos Auditores Fiscais do Trabalho na Proposta de Emenda Constitucional nº 443/2015, pleito incluído no eixo central da pauta reivindicatória da classe. É cediço que os Advogados Gerais da União (AGU) e os Delegados da Polícia Federal (DPF) encontram-se, desde 2008, no mesmo patamar remuneratório dos Auditores Fiscais da RFB e do Trabalho. A propósito, o governo, desde o início das tratativas atuais, vem assegurando que não haverá tratamento diferenciado entre tais carreiras. Entretanto, com o apoio da bancada governista, a PEC 443, que vincula os subsídios da AGU e da DPF em 90,25% do subsídio dos Ministros do STF, foi aprovada em 1º turno na Câmara de Deputados, tendo sido rejeitada por estreita margem a inclusão dos Auditores Fiscais. Não é aceitável que carreiras de estado que se encontram, no mínimo, no mesmo patamar de importância, recebam tratamento diferenciado. A propósito, os Auditores Fiscais, nos termos do Art. 37, inciso XXII, da Constituição Federal, são imprescindíveis ao funcionamento do Estado. Assim, é de máxima urgência e de plena justiça que o Congresso Nacional restabeleça essa condição de isonomia, aprovando a inclusão dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil e dos Auditores Fiscais do Trabalho na PEC nº 443/ Preço real Fonte SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL 6 Idem. 7 Divisão econômica: Metalurgia Fonte SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL

5 Despeço-me, certo de seu fundamental apoio, para que a Receita Federal do Brasil retome sua normalidade, fundamental para o crescimento do país. Respeitosamente, Cláudio Marcio Oliveira Damasceno Presidente

Cenário financeiro dos Municípios brasileiros em final de mandato

Cenário financeiro dos Municípios brasileiros em final de mandato 1 Cenário financeiro dos Municípios brasileiros em final de mandato Estudos Técnicos CNM Introdução Em decorrência da surpresa dos dirigentes municipais com a atual dificuldade financeira vivida pelos

Leia mais

REPARTIÇÃO DE RECEITA TRIBUTÁRIA

REPARTIÇÃO DE RECEITA TRIBUTÁRIA A forma de Estado adotada pela Constituição Federal é a Federação, e esta só estará legitimada se cada ente da Federação gozar de autonomia administrativa e fiscal. A CF estabelece percentuais a serem

Leia mais

DIREITO TRIBUTÁRIO Parte II. Manaus, abril de 2013 Jorge de Souza Bispo, Dr. 1

DIREITO TRIBUTÁRIO Parte II. Manaus, abril de 2013 Jorge de Souza Bispo, Dr. 1 DIREITO TRIBUTÁRIO Parte II Manaus, abril de 2013 Jorge de Souza Bispo, Dr. 1 TRIBUTO Definido no artigo 3º do CTN como sendo toda prestação pecuniária compulsória (obrigatória), em moeda ou cujo valor

Leia mais

Metodologia de Cálculo da Receita

Metodologia de Cálculo da Receita Metodologia de Cálculo da Receita A elaboração da presente memória de cálculo destina-se ao esclarecimento da metodologia utilizada para a obtenção dos valores previstos na formação das principais receitas,

Leia mais

REPARTIÇÃO DE RECEITAS

REPARTIÇÃO DE RECEITAS PREPARATÓRIO RIO EXAME DA OAB 5ª PARTE REPARTIÇÃO DE RECEITAS Prof. JOSÉ HABLE www.josehable.adv.br johable@gmail.com A CF/88, ainda, define a repartição de receitas tributárias rias e a sua vinculação

Leia mais

Educação Fiscal e Financiamento. 10º Encontro Estadual da UNCME/ES 14 de maio de 2015

Educação Fiscal e Financiamento. 10º Encontro Estadual da UNCME/ES 14 de maio de 2015 Educação Fiscal e Financiamento 10º Encontro Estadual da UNCME/ES 14 de maio de 2015 Vinculação Constitucional de Recursos CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988 Art. 212. A União aplicará,

Leia mais

Sistema Tributário Brasileiro Breve Diagnóstico e Propostas de Mudanças

Sistema Tributário Brasileiro Breve Diagnóstico e Propostas de Mudanças Sistema Tributário Brasileiro Breve Diagnóstico e Propostas de Mudanças Carlos Roberto Teixeira Diretor de Assuntos Jurídicos Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal A INJUSTA DISTRIBUIÇÃO

Leia mais

NECESSIDADES DE FINANCIAMENTO DO GOVERNO CENTRAL METODOLOGIA DE CÁLCULO DO SUPERÁVIT PRIMÁRIO

NECESSIDADES DE FINANCIAMENTO DO GOVERNO CENTRAL METODOLOGIA DE CÁLCULO DO SUPERÁVIT PRIMÁRIO NECESSIDADES DE FINANCIAMENTO DO GOVERNO CENTRAL METODOLOGIA DE CÁLCULO DO SUPERÁVIT PRIMÁRIO O resultado primário, que exclui das receitas totais os ganhos de aplicações financeiras e, dos gastos totais,

Leia mais

Resultado do Tesouro Nacional. Brasília 29 de Março, 2012

Resultado do Tesouro Nacional. Brasília 29 de Março, 2012 Resultado do Tesouro Nacional Fevereiro de 2012 Brasília 29 de Março, 2012 Resultado Fiscal do Governo Central Receitas, Despesas e Resultado do Governo Central Brasil 2011/2012 R$ Bilhões 86,8 59,6 65,9

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO SEÇÃO JUDICIÁRIA DO DISTRITO FEDERAL

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO SEÇÃO JUDICIÁRIA DO DISTRITO FEDERAL Decisão: / 2015 RCB_GAC 20ª Vara Federal Processo nº 54133-84.2015.4.01.3400 Classe: 1100 Ação Ordinária / Tributária Autor : Fauvel e Moraes Sociedade de Advogados Rés : União (Fazenda Nacional) Juiz

Leia mais

ANEXO PROPOSTA DE REFORMA TRIBUTÁRIA

ANEXO PROPOSTA DE REFORMA TRIBUTÁRIA ANEXO PROPOSTA DE REFORMA TRIBUTÁRIA QUADROS RESUMO DAS COMPETÊNCIAS TRIBUTÁRIAS, PARTILHAS E TRANSFERÊNCIAS INTERGOVERNAMENTAIS VIGENTES E PROPOSTAS RESUMO DAS COMPETÊNCIAS TRIBUTÁRIAS UNIÃO, ESTADOS

Leia mais

Metas do PNE para a educação e os impactos no seu financiamento: o Fundeb e as matrículas nas creches

Metas do PNE para a educação e os impactos no seu financiamento: o Fundeb e as matrículas nas creches 15 Metas do PNE para a educação e os impactos no seu financiamento: o Fundeb e as matrículas nas creches 1. Competências de Estados e Municípios e os investimentos em educação no País O sistema educacional

Leia mais

ECONOMIA E GESTÃO DO SETOR PÚBLICO MÓDULO 7 O SISTEMA TRIBUTÁRIO BRASILEIRO

ECONOMIA E GESTÃO DO SETOR PÚBLICO MÓDULO 7 O SISTEMA TRIBUTÁRIO BRASILEIRO ECONOMIA E GESTÃO DO SETOR PÚBLICO MÓDULO 7 O SISTEMA TRIBUTÁRIO BRASILEIRO Índice 1. O Sistema Tributário Brasileiro...3 1.1. Breve histórico do sistema tributário brasileiro... 3 1.1.1. A reforma dos

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira

CÂMARA DOS DEPUTADOS Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira Estudo Técnico n.º 17/2013 CÂMARA DOS DEPUTADOS OBRIGATORIEDADE DE APLICAÇÃO DO EXCESSO DE ARRECADAÇÃO DOS RECURSOS QUE COMPÕEM O FUNDEB E DAQUELES DESTINADOS À MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO ENSINO.

Leia mais

PROJETO DE LEI N o 4.970, DE 2013.

PROJETO DE LEI N o 4.970, DE 2013. COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR PROJETO DE LEI N o 4.970, DE 2013. Adota medidas para informar os consumidores acerca dos tributos indiretos que incidem sobre bens e serviços, conforme o disposto no 5º,

Leia mais

Controle da Gestão Orçamentária e Financeira na Educação

Controle da Gestão Orçamentária e Financeira na Educação Controle da Gestão Orçamentária e Financeira na Educação PROFESSORA: Iza Angélica Carvalho da Silva CONTROLE DO GASTO PÚBLICO Controle é a fiscalização e o acompanhamento de todos os atos e fatos da execução

Leia mais

ESTUDOS TRIBUTÁRIOS 13

ESTUDOS TRIBUTÁRIOS 13 RECEITA FEDERAL Coordenação-Geral de Política Tributária ESTUDOS TRIBUTÁRIOS 13 Carga Tributária no Brasil 2003 BRASÍLIA DEZEMBRO 2004 SECRETÁRIO DA RECEITA FEDERAL Jorge Antônio Deher Rachid COORDENADORA-GERAL

Leia mais

Tributos em orçamentos

Tributos em orçamentos Tributos em orçamentos Autores: Camila de Carvalho Roldão Natália Garcia Figueiredo Resumo O orçamento é um dos serviços mais importantes a serem realizados antes de se iniciar um projeto. É através dele

Leia mais

Considerações Preliminares - O Papel da STN

Considerações Preliminares - O Papel da STN Secretaria do Tesouro Nacional Transferências Constitucionais de Repartição Tributária FUNDOS DE Fundo INVESTIMENTOS de Participação REGIONAIS do Municípios - FPM Uma contribuição i à Discussão acerca

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 391-A, DE 2014

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 391-A, DE 2014 COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A PROFERIR PARECER À PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 391-A, DE 2014 PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 391-A, DE 2014 Fixa parâmetros para a remuneração da Carreira de

Leia mais

DIREITO FINANCEIRO JULIANA BRAGA

DIREITO FINANCEIRO JULIANA BRAGA DIREITO FINANCEIRO JULIANA BRAGA CONCEITO DE DIREITO FINANCEIRO CONCEITO DE DIREITO FINANCEIRO Ciência das Finanças: estuda o fenômeno financeiro em geral, seus aspectos econômico,social; trata-se de uma

Leia mais

ASPECTOS GERAIS DO SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL

ASPECTOS GERAIS DO SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL 01452-002 SP ASPECTOS GERAIS DO SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL Fábio Tadeu Ramos Fernandes ftramos@almeidalaw.com.br I) INTRODUÇÃO Para a compreensão do Sistema Tributário Nacional, é preciso recorrer à Constituição

Leia mais

Regras fiscais e o ajuste em curso no Brasil: comentários gerais

Regras fiscais e o ajuste em curso no Brasil: comentários gerais Regras fiscais e o ajuste em curso no Brasil: comentários gerais André M. Biancarelli IE-Unicamp Seminário O Desafio do Ajuste Fiscal Brasileiro AKB; Centro do Novo Desenvolvimentismo, EESP-FGV São Paulo,

Leia mais

ESTUDOS FISCAIS: ESTIMATIVAS DA PARTICIPAÇÃO DOS ENTES DA FEDERAÇÃO NO BOLO TRIBUTÁRIO

ESTUDOS FISCAIS: ESTIMATIVAS DA PARTICIPAÇÃO DOS ENTES DA FEDERAÇÃO NO BOLO TRIBUTÁRIO ESTUDOS FISCAIS: ESTIMATIVAS DA PARTICIPAÇÃO DOS ENTES DA FEDERAÇÃO NO BOLO TRIBUTÁRIO Estimativas preliminares realizadas pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM), que ainda podem ser alteradas

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA CONSTITUCIONAL Nº DE 2012

PROPOSTA DE EMENDA CONSTITUCIONAL Nº DE 2012 PROPOSTA DE EMENDA CONSTITUCIONAL Nº DE 2012 Altera o 1º do art. 76 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, para dar interpretação à DRU, excluindo de sua base de cálculo a transferência da

Leia mais

Aula 04 IMPOSTOS FEDERAIS

Aula 04 IMPOSTOS FEDERAIS IMPOSTOS FEDERAIS 1- IMPOSTO SOBRE IMPORTAÇÃO (II) É um tributo extrafiscal, pois sua finalidade principal não é arrecadar, mas sim controlar o comércio internacional (intervenção no domínio econômico)

Leia mais

XII Seminário Internacional de Países Latinos Europa América.

XII Seminário Internacional de Países Latinos Europa América. XII Seminário Internacional de Países Latinos Europa América. La Gestión Contable, Administrativa y Tributaria en las PYMES e Integración Europa-América 23 24 de junio 2006 Santa Cruz de la Sierra (Bolívia)

Leia mais

Cristiane P. Melo Francisco c. Borges José Norberto Sousa Lopes Teresinha Minelli Rodrigo Julio Rodolfo Araujo

Cristiane P. Melo Francisco c. Borges José Norberto Sousa Lopes Teresinha Minelli Rodrigo Julio Rodolfo Araujo Teresinha Cristiane P. Melo Francisco c. Borges José Norberto Sousa Lopes Teresinha Minelli Rodrigo Julio Rodolfo Araujo O QUE QUER DIZER A SIGLA FUNDEF? Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino

Leia mais

Super Simples Indícios da Reforma Tributária Brasileira

Super Simples Indícios da Reforma Tributária Brasileira Super Simples Indícios da Reforma Tributária Brasileira 1. Introdução O dia 7 de agosto do corrente ano entrou para a história como uma das mais importantes datas para a possível concretização da reforma

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 409, DE 2015 (Do Sr. Luis Carlos Heinze)

PROJETO DE LEI N.º 409, DE 2015 (Do Sr. Luis Carlos Heinze) *C0051416A* C0051416A CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 409, DE 2015 (Do Sr. Luis Carlos Heinze) Institui isenção da contribuição para o PIS/PASEP, COFINS e CIDE- Combustíveis incidente sobre o óleo

Leia mais

PREPARATÓRIO RIO EXAME DA OAB COMPETÊNCIA TRIBUTÁRIA RIA DIREITO TRIBUTÁRIO. RIO 2ª parte. Prof. JOSÉ HABLE www.josehable.adv.br johable@gmail.

PREPARATÓRIO RIO EXAME DA OAB COMPETÊNCIA TRIBUTÁRIA RIA DIREITO TRIBUTÁRIO. RIO 2ª parte. Prof. JOSÉ HABLE www.josehable.adv.br johable@gmail. PREPARATÓRIO RIO EXAME DA OAB DIREITO TRIBUTÁRIO RIO 2ª parte COMPETÊNCIA TRIBUTÁRIA RIA Prof. JOSÉ HABLE www.josehable.adv.br johable@gmail.com SISTEMA TRIBUTÁRIO RIO NA CONSTITUIÇÃO FEDERAL 2. Competência

Leia mais

R. Gen. Aristides Athayde Junior, 350. 80730-370. Bigorrilho. Curitiba. Paraná Telefone: 41 3053-3219. www.ibpt.org.br

R. Gen. Aristides Athayde Junior, 350. 80730-370. Bigorrilho. Curitiba. Paraná Telefone: 41 3053-3219. www.ibpt.org.br DESONERAÇÃO DO IPI PARA AUTOMÓVEIS E VEÍCULOS LEVES Em 2009 iniciou a desoneração do IPI Imposto sobre Produtos Industrializados para automóveis e veículos comerciais leves. No ano anterior, a arrecadação

Leia mais

Receita Federal do Brasil CAE/Senado Federal, maio de 2007

Receita Federal do Brasil CAE/Senado Federal, maio de 2007 do Brasil CAE/Senado Federal, maio de 2007 Objetivos da criação da RFB Financiamento do Estado e da Previdência Social Aumento da percepção de risco pelo descumprimento Estímulo ao cumprimento espontâneo

Leia mais

009/2015 DOMINGUEIRA DE 31/05/2015

009/2015 DOMINGUEIRA DE 31/05/2015 Ajuste fiscal e os impactos para o financiamento das ações e serviços públicos de saúde em 2015 e 2016 Francisco R. Funcia 1 O objetivo desta nota é apresentar sinteticamente o conteúdo do ajuste fiscal

Leia mais

MEDIDA PROVISÓRIA Nº 597, DE 2012

MEDIDA PROVISÓRIA Nº 597, DE 2012 MEDIDA PROVISÓRIA Nº 597, DE 2012 NOTA DESCRITIVA FEVEREIRO/2013 Nota Descritiva 2 2013 Câmara dos Deputados. Todos os direitos reservados. Este trabalho poderá ser reproduzido ou transmitido na íntegra,

Leia mais

Imposto Sobre a Propriedade Territorial Rural ITR

Imposto Sobre a Propriedade Territorial Rural ITR MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria do Tesouro Nacional STN O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE TRANSFERÊNCIAS CONSTITUCIONAIS E LEGAIS Imposto Sobre a Propriedade Territorial Rural ITR JULHO/2014 1 APRESENTAÇÃO

Leia mais

Simples Nacional: Saiba mais sobre os benefícios para a advocacia OABRJ

Simples Nacional: Saiba mais sobre os benefícios para a advocacia OABRJ Simples Nacional: Saiba mais sobre os benefícios para a advocacia OABRJ Simples Nacional: Saiba mais sobre os benefícios para a advocacia A advocacia foi inserida no Simples Nacional por meio da Lei Complementar

Leia mais

ANEXO ÚNICO. (Anexo II da Portaria RFB nº 1.006, de 24 de julho de 2013) COMPETÊNCIA POR MATÉRIA DAS TURMAS DE JULGAMENTO DAS DRJ

ANEXO ÚNICO. (Anexo II da Portaria RFB nº 1.006, de 24 de julho de 2013) COMPETÊNCIA POR MATÉRIA DAS TURMAS DE JULGAMENTO DAS DRJ I - Delegacia da Receita Federal do Brasil de Julgamento em Belém (PA): ANEXO ÚNICO (Anexo II da Portaria RFB nº 1.006, de 24 de julho de 2013) COMPETÊNCIA POR MATÉRIA DAS TURMAS DE JULGAMENTO DAS DRJ

Leia mais

Este Procedimento Operacional Padrão define as etapas necessárias de como fazer o Cadastro de Tributos no Sistema TOTVS RM. Índice

Este Procedimento Operacional Padrão define as etapas necessárias de como fazer o Cadastro de Tributos no Sistema TOTVS RM. Índice Este Procedimento Operacional Padrão define as etapas necessárias de como fazer o Cadastro de Tributos no Sistema TOTVS RM. Índice I. Acesso ao Cadastro... 2 II. Seleção de Filtros... 3 III. Cadastro...

Leia mais

A Reforma Tributária e o Desenvolvimento

A Reforma Tributária e o Desenvolvimento A Reforma Tributária e o Desenvolvimento Por que a Reforma Tributária é Fundamental? Acelera o crescimento econômico Torna o crescimento mais sustentável É a reforma econômica mais importante Reforma Tributária

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL. Apresentamos a seguir as principais alterações ocorridas na legislação tributária no mês de maio de 2011.

INFORMATIVO MENSAL. Apresentamos a seguir as principais alterações ocorridas na legislação tributária no mês de maio de 2011. INFORMATIVO MENSAL Apresentamos a seguir as principais alterações ocorridas na legislação tributária no mês de maio de 2011. I FEDERAL IPI - NOVAS DISPOSIÇÕES SOBRE A SUSPENSÃO DO IMPOSTO NA EXPORTAÇÃO

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 171, DE 2000

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 171, DE 2000 COMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 171, DE 2000 Dispõe sobre a aplicação do 5º do art. 150 da Constituição Federal, para que os consumidores sejam esclarecidos acerca dos

Leia mais

Impactos da Redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) de Automóveis. Diretoria de Estudos Macroeconômicos/Dimac

Impactos da Redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) de Automóveis. Diretoria de Estudos Macroeconômicos/Dimac Impactos da Redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) de Automóveis Diretoria de Estudos Macroeconômicos/Dimac NOTA TÉCNICA IPEA Impactos da Redução do Imposto sobre Produtos Industrializados

Leia mais

Pedro Onofre Fernandes Diretor de Estudos Técnicos

Pedro Onofre Fernandes Diretor de Estudos Técnicos Pedro Onofre Fernandes Diretor de Estudos Técnicos REFORMA TRIBUTÁRIA Pontos Convergentes: - O Brasil precisa de uma Reforma Tributária - A atual estrutura é complexa - Não há Justiça Fiscal Pontos Divergentes:

Leia mais

REPARTIÇÃO DAS RECEITAS TRIBUTÁRIAS

REPARTIÇÃO DAS RECEITAS TRIBUTÁRIAS REPARTIÇÃO DAS RECEITAS TRIBUTÁRIAS Na Constituição Federal o assunto repartição das receitas tributárias está dentro do capítulo do Sistema Tributário Nacional. Competência Tributária Indelegável Irrenunciável

Leia mais

I SEMANA DE ATUALIZAÇÃO FISCAL Direito Tributário e Legislação Tributária - Aula 01 Alan Martins. Posicionamento Clássico do STF

I SEMANA DE ATUALIZAÇÃO FISCAL Direito Tributário e Legislação Tributária - Aula 01 Alan Martins. Posicionamento Clássico do STF Tema 1: Quentinho do forno!!! MP 670/2015 PLV 7/2015 Nova tabela do IRPF Isenção de PIS/PASEP e de COFINS sobre óleo diesel Dedução para professores de gastos com livros para si e seus dependentes. Princípio

Leia mais

Análise da Arrecadação das Receitas Federais Dezembro de 2014

Análise da Arrecadação das Receitas Federais Dezembro de 2014 Dezembro/2014 MINISTRO DA FAZENDA Joaquim Vieira Ferreira Levy SECRETÁRIO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL Jorge Antonio Deher Rachid CENTRO DE ESTUDOS TRIBUTÁRIOS E ADUANEIROS Claudemir Rodrigues Malaquias

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira

CÂMARA DOS DEPUTADOS Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira Informativo CÂMARA DOS DEPUTADOS PEC 565/2006 INTERPRETAÇÕES DO SUBSTITUTIVO APROVADO DO ORÇAMENTO IMPOSITIVO Ricardo Alberto Volpe Hélio Martins Tollini AGOSTO/2013 Endereço na Internet: http://www2.camara.gov.br/atividadelegislativa/orcamentobrasil/

Leia mais

PROPOSTA DE PROJETO DE LEI SOBRE O PISO SALARIAL NACIONAL DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO ESCOLAR PÚBLICA

PROPOSTA DE PROJETO DE LEI SOBRE O PISO SALARIAL NACIONAL DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO ESCOLAR PÚBLICA PROPOSTA DE PROJETO DE LEI SOBRE O PISO SALARIAL NACIONAL DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO ESCOLAR PÚBLICA Regulamenta o inciso VIII do artigo 206 da Constituição Federal, para instituir o piso salarial profissional

Leia mais

RADIOGRAFIA DA TRIBUTAÇÃO DAS EMPRESAS CORRETORAS DE SEGUROS E RESSEGUROS E OS REFLEXOS DA INCLUSÃO DA ATIVIDADE NO SIMPLES NACIONAL

RADIOGRAFIA DA TRIBUTAÇÃO DAS EMPRESAS CORRETORAS DE SEGUROS E RESSEGUROS E OS REFLEXOS DA INCLUSÃO DA ATIVIDADE NO SIMPLES NACIONAL RADIOGRAFIA DA TRIBUTAÇÃO DAS EMPRESAS CORRETORAS DE SEGUROS E RESSEGUROS E OS REFLEXOS DA INCLUSÃO DA ATIVIDADE NO SIMPLES NACIONAL Gilberto Luiz do Amaral INTRODUÇÃO A REFERÊNCIA PRINCIPAL deste trabalho

Leia mais

O Fundeb: inovações no financiamento da educação básica pública. João Monlevade e Tatiana Britto

O Fundeb: inovações no financiamento da educação básica pública. João Monlevade e Tatiana Britto 60 Fundeb João Monlevade e Tatiana Britto O Fundeb: inovações no financiamento da educação básica pública O Congresso Nacional discute, desde 14 de junho de 2005, quando lhe foi encaminhada a Proposta

Leia mais

Banrisul Armazéns Gerais S.A.

Banrisul Armazéns Gerais S.A. Balanços patrimoniais 1 de dezembro de 2012 e 2011 Nota Nota explicativa 1/12/12 1/12/11 explicativa 1/12/12 1/12/11 Ativo Passivo Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 4 17.891 18.884 Contas

Leia mais

AÇÃO DE EQUIPARAÇÃO DE AUXÍLIO ALIMENTAÇÃO

AÇÃO DE EQUIPARAÇÃO DE AUXÍLIO ALIMENTAÇÃO EXCELENTISSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DO JUIZADO ESPECIAL FEDERAL SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA EM... brasileiro (a), casado (a), portador (a) da Carteira de Identidade RG nº..., expedida pela SSP/SP, inscrito (a) no

Leia mais

DECRETO Nº 5.610 DE 12 DE DEZEMBRO DE 2005

DECRETO Nº 5.610 DE 12 DE DEZEMBRO DE 2005 DECRETO Nº 5.610 DE 12 DE DEZEMBRO DE 2005 Altera os Anexos V, VI, IX e X do Decreto n o 5.379, de 25 de fevereiro de 2005, que dispõe sobre a programação orçamentária e financeira e estabelece o cronograma

Leia mais

ENTIDADES DO TERCEIRO SETOR E REGIME TRIBUTÁRIO PROF. SERGIO MONELLO

ENTIDADES DO TERCEIRO SETOR E REGIME TRIBUTÁRIO PROF. SERGIO MONELLO ENTIDADES DO TERCEIRO SETOR E REGIME TRIBUTÁRIO PROF. SERGIO MONELLO 08/10/2013 Para as desonerações tributárias, as entidades podem ser divididas em dois campos: 1) as imunes 2) as isentas 2 IMUNIDADE

Leia mais

A TRIBUTAÇÃO NO SETOR DE ALIMENTOS

A TRIBUTAÇÃO NO SETOR DE ALIMENTOS A TRIBUTAÇÃO NO SETOR DE ALIMENTOS Estrutura Tributária Complexa e Confusa Múltiplos Impostos Federais, Estaduais, Municipais, com legislação inconstante. Insegurança Jurídica. Alto Custo de Gestão dos

Leia mais

Direitos Humanos - Direitos Econômicos e Sociais -

Direitos Humanos - Direitos Econômicos e Sociais - Direitos Humanos - Direitos Econômicos e Sociais - Apresentação Direitos sociais e econômicos Desafios Dados Distribuição renda Exemplo mundo Situação Brasil Conceituação a) condição de pessoa como requisito

Leia mais

Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira

Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira Estudo Técnico n.º 15/2015 ARRECADAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA E DO IMPOSTO SOBRE PRODUTOS INDUSTRIALIZADOS E VALORES PARTILHADOS COM ESTADOS, DISTRITO FEDERAL E MUNICÍPIOS. Maria Emília Miranda Pureza Núcleo

Leia mais

A OBRIGATORIEDADE DE APLICAÇÃO DO REGIME DE APURAÇÃO DA CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA SOBRE A RECEITA BRUTA, QUANDO DESFAVORÁVEL AO CONTRIBUINTE

A OBRIGATORIEDADE DE APLICAÇÃO DO REGIME DE APURAÇÃO DA CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA SOBRE A RECEITA BRUTA, QUANDO DESFAVORÁVEL AO CONTRIBUINTE 1 A OBRIGATORIEDADE DE APLICAÇÃO DO REGIME DE APURAÇÃO DA CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA SOBRE A RECEITA BRUTA, QUANDO DESFAVORÁVEL AO CONTRIBUINTE Wagner Balera PUC-SP EQUIDADE V - Equidade na Forma de Participação

Leia mais

Aspectos Tributários

Aspectos Tributários Aspectos Tributários Principais Tributos IMPOSTOS Imposto sobre a Renda de Pessoas Jurídicas (IRPJ); Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS); Imposto sobre serviços de qualquer natureza

Leia mais

Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015. Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015

Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015. Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015 Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015 Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015 O cenário econômico nacional em 2014 A inflação foi superior ao centro da meta pelo quinto

Leia mais

Tributos www.planetacontabil.com.br

Tributos www.planetacontabil.com.br Tributos www.planetacontabil.com.br 1 Conceitos 1.1 Art. 3º do CTN (Disposições Gerais) Tributo é toda prestação pecuniária compulsória, em moeda ou cujo valor nela se possa exprimir, que não constitua

Leia mais

Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira NOVO RATEIO DOS RECURSOS DO FUNDO DE PARTICIPAÇÃO DOS ESTADOS

Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira NOVO RATEIO DOS RECURSOS DO FUNDO DE PARTICIPAÇÃO DOS ESTADOS Nota Técnica 7/13 (7 de Maio) Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira Núcleo de Assuntos Econômico-Fiscais NOVO RATEIO DOS RECURSOS DO FUNDO DE PARTICIPAÇÃO DOS ESTADOS IMPACTOS DA DIVISÃO DO

Leia mais

PROPOSTA DE PROJETO DE LEI SOBRE O PISO SALARIAL NACIONAL DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO ESCOLAR PÚBLICA

PROPOSTA DE PROJETO DE LEI SOBRE O PISO SALARIAL NACIONAL DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO ESCOLAR PÚBLICA PROPOSTA DE PROJETO DE LEI SOBRE O PISO SALARIAL NACIONAL DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO ESCOLAR PÚBLICA Regulamenta o inciso VIII do artigo 206 da Constituição Federal, para instituir o piso salarial profissional

Leia mais

Módulo Contábil e Fiscal

Módulo Contábil e Fiscal Módulo Contábil e Fiscal Escrita Fiscal Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Contábil e Fiscal Escrita Fiscal. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas no

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Regulamenta o inciso II do 4º do art. 40 da Constituição, que dispõe sobre a concessão de aposentadoria especial a servidores públicos que exerçam atividade de risco. O CONGRESSO

Leia mais

Sumário. Coleção Sinopses para Concursos... 13 Guia de leitura da Coleção... 15 Apresentação... 17 Prefácio... 19. Parte I TRIBUTOS EM ESPÉCIE

Sumário. Coleção Sinopses para Concursos... 13 Guia de leitura da Coleção... 15 Apresentação... 17 Prefácio... 19. Parte I TRIBUTOS EM ESPÉCIE Sumário Coleção Sinopses para Concursos... 13 Guia de leitura da Coleção... 15 Apresentação... 17 Prefácio... 19 Parte I TRIBUTOS EM ESPÉCIE Capítulo I IMPOSTO... 25 1. Imposto... 27 1.1. Sínteses das

Leia mais

1. As Propostas da UGT para a Reforma Fiscal (tanto do lado da despesa quando do lado da receita)

1. As Propostas da UGT para a Reforma Fiscal (tanto do lado da despesa quando do lado da receita) 1. As Propostas da UGT para a Reforma Fiscal (tanto do lado da despesa quando do lado da receita) CORTE DE DESPESA 1. Redução do Número de Ministérios, que hoje são 39 (os Estados Unidos possuem 15 ministérios

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CÃMPUS JATAÍ PLANO DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CÃMPUS JATAÍ PLANO DE ENSINO PLANO DE ENSINO I. IDENTIFICAÇÃO Unidade Acadêmica: Câmpus Jataí Curso: Direito Disciplina: Direito Tributário II Carga horária semestral: 64 horas Semestre/ano: 2º semestre de 2013 Turma/Turno: 2798/A

Leia mais

COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA AO EXAME DA PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 147-A, DE 2012

COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA AO EXAME DA PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 147-A, DE 2012 COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA AO EXAME DA PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 147-A, DE 2012 PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO N o 147-A, DE 2012 Fixa parâmetros para a remuneração dos Auditores Fiscais

Leia mais

SIEEESP - SEMINÁRIO JURIDICO EDUCACIONAL. Tributação das Instituições de Ensino Particulares Perspectivas e Medidas. Wagner Eduardo Bigardi 27/05/2014

SIEEESP - SEMINÁRIO JURIDICO EDUCACIONAL. Tributação das Instituições de Ensino Particulares Perspectivas e Medidas. Wagner Eduardo Bigardi 27/05/2014 SIEEESP - SEMINÁRIO JURIDICO EDUCACIONAL Tributação das Instituições de Ensino Particulares Perspectivas e Medidas Wagner Eduardo Bigardi 27/05/2014 Sistema Tributário Nacional Conjunto de regras jurídicas

Leia mais

ENTENDENDO A PREFEITURA

ENTENDENDO A PREFEITURA EDUCAÇÃO FISCAL Sensibilizar o cidadão para a função socioeconômica do Tributo; Facilitar e estimular o cumprimento da obrigação tributária pelo cidadão; Incentivar a sociedade a acompanhar e fiscalizar

Leia mais

PARECER/PGFN/CAT Nº 1851 /2013

PARECER/PGFN/CAT Nº 1851 /2013 PROCURADORIA-GERAL DA FAZENDA NACIONAL Registro nº. 6803/2013 PARECER/PGFN/CAT Nº 1851 /2013 Parecer público. Retenção de tributos federais sobre o montante a ser pago pelo fornecimento de energia elétrica.

Leia mais

PROGRAMAS E PROJETOS DE COOPERAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE PROGRAMAS E PROJETOS DE COOPERAÇÃO COOPE. www.ucp.fazenda.gov.br

PROGRAMAS E PROJETOS DE COOPERAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE PROGRAMAS E PROJETOS DE COOPERAÇÃO COOPE. www.ucp.fazenda.gov.br COORDENAÇÃO-GERAL DE PROGRAMAS E PROJETOS DE COOPERAÇÃO COOPE www.ucp.fazenda.gov.br PROGRAMAS EM ANDAMENTO Programa Nacional de Apoio à Gestão Administrativa e Fiscal dos Municípios Brasileiros - PNAFM

Leia mais

Cadeia tributária nacional Exemplo prático. Autor: Ader Fernando Alves de Pádua

Cadeia tributária nacional Exemplo prático. Autor: Ader Fernando Alves de Pádua Cadeia tributária nacional Exemplo prático Autor: Ader Fernando Alves de Pádua RESUMO O presente artigo demonstra de forma clara e objetiva as varias fases da cadeia tributária nacional, criando um exemplo

Leia mais

Administração Rural e Gestão do Agronegócio Pôster. XLIII CONGRESSO DA SOBER Instituições, Eficiência, Gestão e Contratos no Sistema Agroindustrial

Administração Rural e Gestão do Agronegócio Pôster. XLIII CONGRESSO DA SOBER Instituições, Eficiência, Gestão e Contratos no Sistema Agroindustrial O Perfil de Arrecadação e de Participação do Imposto Territorial Rural na Composição das Receitas (Transferências Constitucionais) dos Municípios da EDR de Jaboticabal-SP Alexandra Paschoa Botelho Universidade

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 110, DE 2015

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 110, DE 2015 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 110, DE 2015 Institui programa de concessão de créditos da União no âmbito do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física, denominado Nota Fiscal Brasileira, com o objetivo de incentivar

Leia mais

NOVA POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO

NOVA POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO NOVA POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO Política de Desenvolvimento Produtivo Elevar dispêndio em P&D Meta: 0,65% PIB Ampliar Investimento Fixo Meta: 21% PIB Posição 2007: 17,6% Macrometas 2010 Dinamização

Leia mais

Artigos incluídos ou alterados pela Proposta:

Artigos incluídos ou alterados pela Proposta: ESTUDO PRELIMINAR SOBRE A PROPOSTA DE REFORMA TRIBUTÁRIA ENVIADA AO CONGRESSO EM FEVEREIRO DE 2008 (SE REFERE AOS TÓPICOS DE INTERESSE DOS MUNICÍPIOS) Artigos incluídos ou alterados pela Proposta: Adv.

Leia mais

TRIBUTÁRIO. pela Presidência do Senado Federal

TRIBUTÁRIO. pela Presidência do Senado Federal TRIBUTÁRIO 06/03/2015 Devolução da Medida Provisória nº 669 de 2015 pela Presidência do Senado Federal Na última sexta-feira, foi publicada a Medida Provisória nº 669 de 26 de fevereiro de 2015 ( MP nº

Leia mais

CUSTEIO DA SEGURIDADE SOCIAL

CUSTEIO DA SEGURIDADE SOCIAL Seguridade Social Profª Mestre Ideli Raimundo Di Tizio p 15 CUSTEIO DA SEGURIDADE SOCIAL A Seguridade Social é financiada por toda a sociedade, de forma direta e indireta, mediante recursos provenientes

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 297, DE 2006

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 297, DE 2006 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 297, DE 2006 Inclui as doações aos Fundos controlados pelos Conselhos de Assistência Social na permissão para dedução do imposto de renda devido pelas pessoas físicas e jurídicas.

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA BRASILEIRA 2012

CARGA TRIBUTÁRIA BRASILEIRA 2012 CARGA TRIBUTÁRIA BRASILEIRA 2012 GILBERTO LUIZ DO AMARAL JOÃO ELOI OLENIKE LETÍCIA MARY FERNANDES DO AMARAL 04 de março de 2013. CARGA TRIBUTÁRIA BRASILEIRA BATE NOVO RECORDE HISTÓRICO EM 2012 - PIB de

Leia mais

A CONTRA-REFORMA DA PREVIDÊNCIA. Denise Lobato Gentil Instituto de Economia/Universidade Federal do Rio de Janeiro

A CONTRA-REFORMA DA PREVIDÊNCIA. Denise Lobato Gentil Instituto de Economia/Universidade Federal do Rio de Janeiro A CONTRA-REFORMA DA PREVIDÊNCIA Denise Lobato Gentil Instituto de Economia/Universidade Federal do Rio de Janeiro Resultado do ajuste fiscal: Dados acumulados de janeiro a agosto/2015 revelam deterioração

Leia mais

Análise da Arrecadação das Receitas Federais Junho de 2014

Análise da Arrecadação das Receitas Federais Junho de 2014 Junho/2014 MINISTRO DA FAZENDA Guido Mantega SECRETÁRIO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL Carlos Alberto Freitas Barreto CENTRO DE ESTUDOS TRIBUTÁRIOS E ADUANEIROS Claudemir Rodrigues Malaquias COORDENADOR

Leia mais

Simples Nacional e o Planejamento Tributário RESUMO

Simples Nacional e o Planejamento Tributário RESUMO 1 Simples Nacional e o Planejamento Tributário Marcos A. Nazário De Oliveira marcosadinavi@gmail.com Egresso do curso de Ciências Contábeis Rafael Antônio Andrade rfaandrade@msn.com Egresso do curso de

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº, DE 2012

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº, DE 2012 PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº, DE 2012 (Do Sr. Vaz de Lima) Altera os Anexos da Lei Complementar nº 123, de 14 de dezembro de 2006, para permitir o abatimento de parcela dedutível do valor devido mensalmente

Leia mais

Comentários às questões de Direito Tributário da Prova de Analista de Planejamento e Orçamento APO /2010 Professor Alex Sandro.

Comentários às questões de Direito Tributário da Prova de Analista de Planejamento e Orçamento APO /2010 Professor Alex Sandro. 1 Saudações, caros alunos. Seguem abaixo os comentários sobre as questões de Direito Tributário abordadas na Prova de Analista de Planejamento e Orçamento aplicada no último dia 28/02/2010. 56- A lei que

Leia mais

MEDIDA PROVISÓRIA Nº512, DE 2010 NOTA DESCRITIVA

MEDIDA PROVISÓRIA Nº512, DE 2010 NOTA DESCRITIVA MEDIDA PROVISÓRIA Nº512, DE 2010 NOTA DESCRITIVA DEZEMBRO/2010 Nota Descritiva 2 SUMÁRIO I - MEDIDA PROVISÓRIA Nº 512, DE 2010...3 II EMENDAS PARLAMENTARES...4 III JUSTIFICATIVA DA MEDIDA PROVISÓRIA...6

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2013

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2013 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2013 Institui o Programa Nacional de Incentivo à Educação Escolar Básica Gratuita (PRONIE). O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1º Esta Lei institui o Programa Nacional de

Leia mais

Auxílio Financeiro para Fomento das Exportações FEX

Auxílio Financeiro para Fomento das Exportações FEX MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria do Tesouro Nacional STN O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE TRANSFERÊNCIAS CONSTITUCIONAIS E LEGAIS Auxílio Financeiro para Fomento das Exportações FEX JULHO/2014 1 APRESENTAÇÃO

Leia mais

Antes de saber o que é Administração Pública e de falar sobre a estrutura da Administração Pública brasileira, é importante que sejam dados conceitos

Antes de saber o que é Administração Pública e de falar sobre a estrutura da Administração Pública brasileira, é importante que sejam dados conceitos DIREITO FINANCEIRO E TRIBUTÁRIO Prof.ª Kênia Rodrigues de Oliveira Prof. Genival Santos Oliveira GESTÃO PÚBLICA Necessidades Captação COLETIVAS de Recursos: e do ESTADO Próprios Transferências GESTÃO

Leia mais

Empresa Júnior constitui ou não Instituição de Educação?

Empresa Júnior constitui ou não Instituição de Educação? 1 Sumário I. Introdução... 3 II. Empresa Júnior constitui ou não Instituição de Educação?... 3 III. As Imunidades Tributárias das Empresas Juniores... 4 IV. Incidência de Tributos sobre Empresas Juniores:...

Leia mais

1) Explique o conceito de tributo. Art. 3º do CTN, prestação em dinheiro, obrigação ex lege, baseada em fatos lícitos.

1) Explique o conceito de tributo. Art. 3º do CTN, prestação em dinheiro, obrigação ex lege, baseada em fatos lícitos. Chave de Correção Direito Tributário Professor: Alexandre Costa 1) Explique o conceito de tributo. Art. 3º do CTN, prestação em dinheiro, obrigação ex lege, baseada em fatos lícitos. 2) Diferencie imposto

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL REGLAS FISCALES Y MECANISMOS DE RELACIÓN INTERGUBERNAMENTAL FEDERAÇÃO BRASILEIRA: ASPECTOS DESTACADOS

Leia mais

3.1. O financiamento da educação básica: limites e possibilidades João Ferreira de Oliveira - UFG Karine Nunes de Moraes - UFG L.F.

3.1. O financiamento da educação básica: limites e possibilidades João Ferreira de Oliveira - UFG Karine Nunes de Moraes - UFG L.F. 3.1. O financiamento da educação básica: limites e possibilidades João Ferreira de Oliveira - UFG Karine Nunes de Moraes - UFG L.F. Dourado - UFG A temática do financiamento da educação tem assumido importante

Leia mais

Perspectivas da Economia Brasileira em 2013 e Reforma do ICMS Interestadual

Perspectivas da Economia Brasileira em 2013 e Reforma do ICMS Interestadual Perspectivas da Economia Brasileira em 2013 e Reforma do ICMS Interestadual Guido Mantega Ministro da Fazenda Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal Brasília, 21 de março de 2013 1 A economia

Leia mais

ESPELHO DE EMENDAS DE RENÚNCIA DE RECEITA

ESPELHO DE EMENDAS DE RENÚNCIA DE RECEITA S AO PLN 0028 / 2011 - - LOA Página: 1 de 1 1 de 5 ESPELHO DE S DE RENÚNCIA DE RECEITA 9041 - João Dado 90410001 PL 1711/11 - ISENTA DO IPI VEÍCULOS DE TRANSPORTE DE CARGA UTILIZADOS POR FEIRANTES MODALIDADE

Leia mais

REQUERIMENTO Nº, DE 2006 (Do Sr. Julio Lopes)

REQUERIMENTO Nº, DE 2006 (Do Sr. Julio Lopes) REQUERIMENTO Nº, DE 2006 (Do Sr. Julio Lopes) Requer o envio de Indicação ao Ministro de Estado das Comunicações, sugerindo alteração na forma de definição da receita auferida pelas empresas dedicadas

Leia mais