PERFIL SOCIOECONÔMICO DOS COMERCIANTES DE ESPÉCIES HORTÍCOLAS DA FEIRA CENTRAL DE CÁCERES/MT/BRASIL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PERFIL SOCIOECONÔMICO DOS COMERCIANTES DE ESPÉCIES HORTÍCOLAS DA FEIRA CENTRAL DE CÁCERES/MT/BRASIL"

Transcrição

1 LEITE LAP; JÚNIOR Perfil SS; socioeconômico SANTOS JE; THEODORO dos comerciantes VCA; de LIMA espécies LC hortícolas Perfil socioeconômico da Feira Central dos de comerciantes Cáceres/MT/Brasil de espécies hortícolas da Feira Central de Cáceres/MT/Brasil. Horticultura Brasileira 26: S2324-S2328. PERFIL SOCIOECONÔMICO DOS COMERCIANTES DE ESPÉCIES HORTÍCOLAS DA FEIRA CENTRAL DE CÁCERES/MT/BRASIL Lucinéia Aparecida Pereira Leite 1 ; Santino Seabra Júnior 2 ; José Eduardo dos Santos 1 ; Vanessa Cristina de Almeida Theodoro 2 ; Luciana Costa Lima 3 1 Engenheiro Agrônomo; 2 Professores Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT) - Departamento de Agronomia, Avenida São João s/n; Bairro Cavalhada, CEP: ; Cáceres, MT. 3 Professora adjunta do Departamento de Engenharia de Alimentos, UFMT, Barra do Garças/MT RESUMO As feiras livres caracterizam-se por ser uma forma de abastecimento com características de comércio local, contribuindo para o desenvolvimento regional, além de ampliar o vínculo social nas relações comerciais. Com o objetivo de realizar um diagnóstico sobre a comercialização dos produtos hortícolas na feira livre de Cáceres/ MT/Brasil e também caracterizar o perfil dos feirantes e a sua relação com o mercado, foi realizada essa pesquisa durante os meses de março a junho de Para a coleta de dados foi aplicado um questionário semiestruturado aos feirantes que comercializavam espécies hortícolas. Observou se onze feirantes que comercializavam hortaliças, frutas e condimentos, nos quais, dez são produtores rurais proprietários e um é classificado apenas como vendedor. Cinco feirantes são provenientes de municípios da região de Cáceres (Rio Branco, Cáceres e Mirassol do Oeste), sendo três oriundos do interior paulista (Estrela D Oeste, Marabá Paulista e Guairá) e três japoneses. Há baixa escolaridade sendo que cinco feirantes possuem ensino fundamental e um não possui escolaridade. Basicamente utilizam mão de obra familiar contando com duas a seis pessoas trabalhando cerca de 12 horas/dia. Na feira são comercializadas 39 espécies hortícolas, destacando se a alface, a cebolinha e a couve folha, estando presente em nove barracas visitadas. Houve um grande grau de satisfação em desenvolver esta atividade, sendo que nove feirantes responderam que estão satisfeitos com a atividade hortícola. Porém os que não estão satisfeitos citaram como fatores limitantes a concorrência na comercialização. Pode-se concluir que os feirantes são na sua maioria produtores rurais, produzem a maioria dos produtos que comercializam, há pouca diversidade de produtos, produzem espécies folhosas como alface, cebolinha e couve folha e a feira é o principal canal de comercialização. PALAVRAS-CHAVE: horticultura, feira livre, comercialização. ABSTRACT Socioeconomic profile of the trader vegetable species from free market in Cáceres/MT/Brazil The free markets are characterized by being a form of supply with characteristics of local trade, contributing to regional development, and expand the social ties in trade relations. In order to achieve a diagnosis Hortic. bras., v. 26, n. 2 (Suplemento - CD Rom), jul-ago S2324

2 on the vegetable marketing at the free market of Cáceres/MT/Brazil and also characterize the profile of the fairground and its relationship with the market, this research was conducted during the months of March to June For data collection was used a semi-structured questionnaire, which marketed the fairground vegetable species. It was observed that eleven fairground marketed vegetables, fruits and herbs, in which, ten are rural producers and owners is classified only as a seller. Five fairground come from municipalities in the region of Cáceres (Rio Branco, Cáceres and Mirassol do Oeste), three from the São Paulo state (Estrela D Oeste, Marabá Paulista e Guairá) and three are japaneses. There are poorly educated and that five fairground have elementary school incomplete and does not have an education. Basically using labourcounting family with two to six people working around twelve hours/day. The fair is marketed thirty nine vegetable species, highlighting to lettuce, onion and cabbage leaf, is present in nine tents visited. There was a great degree of satisfaction in developing this activity, with nine fairground replied that they are satisfied with the horticultural activity. But those who are not happy cited as factors limiting competition in the market. It was concluded that the fair are mostly farmers, produce the majority of products their sell, there is little diversity of products, produce hardwood species such as lettuce, green onion and green collard and the free market is the main marketing channel. KEY-WORDS: horticulture, free market, commercialization. INTRODUÇÃO O mercado brasileiro de produtos hortícolas, está passando por alterações profundas, causadas por mudanças nos hábitos alimentares dos consumidores. Dessa forma, as feiras livres, as quitandas, os mercadinhos, os sacolões, os supermercados ou a própria venda direta do produtor para o consumidor no local de seu cultivo são mecanismos facilitadores para estimular o consumo de hortaliças (SAABOR, 2001). Conforme Schultz et al. (2001), as feiras livres constituem-se em canais de distribuição mais eficientes para os produtos hortícolas, porque propiciam uma melhor troca de informações e experiências entre os consumidores, proporcionando uma nova percepção da produção e comercialização de produtos. Além disso, este canal possibilita, em geral, uma melhor remuneração para os produtores e menores preços para os consumidores. De acordo com Vasques e Soares (2003), essas feiras são uma das formas mais importantes de organização dos pequenos produtores para a venda de seu produto, pois eliminam os intermediários, garantindo um maior lucro ao produtor e preços mais acessíveis aos consumidores. Outra vantagem das feiras livres é que elas são atividades de venda comunitária, envolvendo o conjunto de pequenos produtores, que se instalam em locais públicos, obedecendo a um calendário regular semanal. Esse local se transforma em um referencial de compras, principalmente para as donas de casa, fomentando também atividades culturais, de lazer e troca de experiências (LIMA & WILKINSON, 2002). Portanto é necessário oferecer produtos diversificados e diferenciados (orgânicos e minimamente processados), uma vez que a sociedade moderna exige produtos com qualidade e praticidade. Hortic. bras., v. 26, n. 2 (Suplemento - CD Rom), jul-ago S2325

3 Este trabalho teve como objetivo realizar um diagnóstico sobre o perfil dos feirantes e da comercialização dos produtos hortícolas na feira central de Cáceres MT. MATERIAL E MÉTODOS O presente trabalho foi desenvolvido junto aos feirantes que comercializavam espécies hortícolas na feira central localizada no município de Cáceres MT, entre os meses de março a junho de Esta feira é a única que ocorre em Cáceres sendo realizada duas vezes por semana, quinta-feira e domingo, no período da manhã. A técnica de identificação do informantes utilizada foi a Bola de Neve (BAILEY, 1994), sendo que após abordar um feirante, o mesmo indicava o próximo a ser abordado. No encontro inicial era exposto o objetivo do trabalho e era realizado o convite para participar da pesquisa e após o feirante autorizar a sua participação definiu-se um horário apropriado para que ele pudesse ser entrevistado. As entrevistas foram realizadas a partir da utilização de um formulário semi-estruturado com perguntas abertas e fechadas, buscando caracterizar o informante e seus produtos. Os dados obtidos foram tabulados utilizando cálculos de freqüência absoluta (Fa) e a freqüência relativa (Fr). RESULTADOS E DISCUSSÃO No levantamento realizado na feira central localizada no município de Cáceres-MT, observou-se que cinco feirantes são provenientes do estado de Mato Grosso naturais dos municípios de Rio Branco, Cáceres e Mirassol do Oeste. Três feirantes são oriundos do estado de São Paulo naturais dos municípios de Estrela D Oeste, Marabá Paulista e Guairá. Os outros três feirantes entrevistados são oriundos do Japão, moradores a mais de vinte anos em Cáceres-MT. De acordo com as respostas obtidas, observamos que cinco feirantes entrevistados possuem o ensino fundamental incompleto, em contrapartida os outros cinco, possuem o ensino fundamental e médio completo. Apenas um feirante não possui escolaridade o que dificulta possivelmente o acesso às informações através de livros, revistas e Internet, ficando dependente da troca de informações através das relações pessoais e assistência técnica pública, que não apresentam estrutura para suprir as deficiências dos produtores. Para oito feirantes entrevistados a mão-de-obra utilizada é praticamente familiar, variando de 2 a 6 pessoas por família, trabalhando cerca de 10 a 12 horas/dia. Dois feirantes utilizam mão de obra contratada, variando de 1 a 3 funcionários, que podem ser fixos ou diaristas, trabalhando cerca de 8 horas/dias. Dentre os onze feirantes entrevistados, cinco deles comercializam apenas o que cultivam dentro da sua propriedade. Do mesmo modo, os outros cinco além de comercializarem produtos oriundos de sua propriedade suplementam com produtos oriundos de terceiros, como a cebola e a batata, espécies pouco adaptadas a região. Um feirante comercializa apenas produtos oriundos de terceiros e os revende para os consumidores. A feira é o principal meio de comercialização para 100% dos feirantes entrevistados, porém, cinco feirantes entrevistados comercializam o excedente nos supermercados do município. Quatro feirantes promovem vendas diretas nas ruas, hotéis e restaurantes. Outros dois feirantes comercializam seus produtos em outra feira e também no local de cultivo. Hortic. bras., v. 26, n. 2 (Suplemento - CD Rom), jul-ago S2326

4 Os produtos mais encontrados na feira foram a alface e a cebolinha em 81,82% das barracas, a couve folha 72,73%, o coentro 63,64% e a salsa 54,55% (Tabela 1). Esses produtos eram vendidos pelos feirantes por unidade, por quilo, por dúzia ou por maços e sacos. Verificou se que sete feirantes entrevistados não apresentam dificuldades quanto à comercialização, pois já possuem um elo de confiança entre o produtor e o consumidor. Três feirantes apresentaram como maior dificuldade a oscilação de vendas, que está intimamente ligada ao dia em que grande parte da população recebe seu salário. Um feirante relatou que a maior dificuldade é a concorrência e a falta de diversificação de produtos. A fixação dos preços dos produtos hortícolas comercializados ocorre através da variação presente na própria feira, variando de acordo com a oferta e demanda ou de acordo com o preço que o produto é vendido no supermercado. Observou se que para alguns feirantes a agricultura alternativa é uma descoberta recente, os quais relacionaram a atividade como: redução de custos na propriedade, melhor qualidade de vida, utilização de subprodutos da propriedade, a não utilização de produtos químicos, atividade voltada para a subsistência familiar, e a consciência de preservação, tanto da saúde, quanto do meio ambiente. Pode-se concluir que os feirantes são na sua maioria produtores rurais, produzem a maioria dos produtos que comercializam, há pouca diversidade de produtos, produzem espécies folhosas como alface, cebolinha e couve folha e a feira é o principal canal de comercialização. REFERÊNCIAS BAILEY, K Methods of social research. New York, The Free Press. LIMA, D. M. de A.; WILKINSON, J. (Org.) Inovações nas tradições da agricultura familiar. Brasília: CNPq/Paralelo 15, 399 p. SAABOR, A. Comercialização de hortaliças sob o enfoque do mercado varejista In: Congresso Brasileiro de Olericultura, 41. Resumo. Brasília: SOB: (CD-ROM). SCHULTZ, G.; ÁVILA, E.; NASCIMENTO, L. F. M. do As cadeias produtivas de alimentos orgânicos dos municípios de Porto Alegre/RS frente á evolução das demandas do mercado: lógica de produção com distribuição. Congresso Internacional de Economia e Gestão dos Negócios Agro alimentares, 3. Anais... Ribeirão Preto: Universidade de São Paulo: (CD-ROM). VASQUES, F.; SOARES, A Cinturão verde e preservação ambiental. Revista da Emater MG 78: Hortic. bras., v. 26, n. 2 (Suplemento - CD Rom), jul-ago S2327

5 Tabela 1. Freqüência absoluta (Fa) e relativa (Fr) de espécies hortícolas comercializadas na feira central durante a realização da pesquisa. Cáceres-MT, Absolute frequency (Fa) and relative frequency (Fr) of vegetable species traded at the free market during the research. Caceres-MT, Nome Popular Gênero e/ou espécie Fa Fr (%) Alface Lactuca sativa 9 81,82 Cebolinha Allium schoenoprasum 9 81,82 Couve folha Brassica oleracea var. acephala 8 72,73 Coentro Coriandrum sativum 7 63,64 Salsa Petroselinum crispum 6 54,55 Abóbora Madura Cucurbita moschata 5 45,45 Cebola Allium cepa 5 45,45 Almeirão Cichorium intybus 3 27,27 Berinjela Solanum melongena 3 27,27 Cenoura Daucus carota 3 27,27 Laranja Citrus sp 3 27,27 Rabanete Raphanus sativus 3 27,27 Abobrinha Cucurbita moschata 2 18,18 Batata Solanum tuberosum ssp. tuberosum 2 18,18 Cachi de metro Cucumis sp. morfotipo ,18 Mamão Carica papaya 2 18,18 Mandioca Manihot esculenta 2 18,18 Pepino Japonês Cucumis sativus 2 18,18 Rúcula Eruca sativa 2 18,18 Tomate Cereja Lycopersicon sp. 2 18,18 Banana nanica Musa sp. 1 9,09 Batata doce Ipomoea batatas 1 9,09 Beterraba Beta vulgaris 1 9,09 Chuchu Sechium edule 1 9,09 Couve chinesa Brassica pekinensis 1 9,09 Feijão vagem Phaseolus vulgaris 1 9,09 Hortelã Mentha X villosa 1 9,09 Jiló Solanum gilo 1 9,09 Limão Citrus sp. 1 9,09 Manjericão Ocimum basilicum 1 9,09 Maxixe Cucumis anguria 1 9,09 Mostarda Brassica juncea 1 9,09 Pepino caipira Cucumis sativus 1 9,09 Pimenta de cheiro Capsicum sp. 1 9,09 Pimenta do Reino Piper nigrum 1 9,09 Pimenta malagueta Capsicum sp. 1 9,09 Pimentão Capsicum annuum 1 9,09 Quiabo Abelmoschus esculentus 1 9,09 Tangerina Citrus sp. 1 9,09 Hortic. bras., v. 26, n. 2 (Suplemento - CD Rom), jul-ago S2328

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA CONJUNTA Nº 1, DE 23 DE FEVEREIRO DE 2010 O SECRETÁRIO DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO MINISTÉRIO DA

Leia mais

Identificação, mapeamento e comercialização de alface em Cáceres, Mato Grosso Brasil

Identificação, mapeamento e comercialização de alface em Cáceres, Mato Grosso Brasil Identificação, mapeamento e comercialização de alface em Cáceres, Mato Grosso Brasil Adriano Mitio Inagaki 1 ; Marla Silvia Diamante 1 ; Santino Seabra Júnior 2 ; Maria Cândida Moitinho Nunes 2 ; Mônica

Leia mais

Descrição da Experiência Resultados

Descrição da Experiência Resultados Cidadania, Solidariedade e Agroecologia no Asilo Lar das Servas de Maria localizado em Cáceres, MT, Brasil THEODORO, Vanessa Cristina de Almeida. Universidade do Estado do Mato Grosso (UNEMAT/Cáceres),

Leia mais

Caracterização da produção de hortaliças em Campo Verde, Mato Grosso.

Caracterização da produção de hortaliças em Campo Verde, Mato Grosso. MOTA JH; OLIVEIRA OJ; ARAÚJO, C; MOTA JR. 2010. Caracterização da produção de hortaliças em Campo Caracterização da produção de hortaliças em Campo Verde, Mato Grosso. Verde, Mato Grosso. 2010. Horticultura

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DA DISCUSSÃO DE SEMENTES DE HORTLIÇAS AGROECOLÓGICAS NO TERRITÓRIO DA BORBOREMA

A CONSTRUÇÃO DA DISCUSSÃO DE SEMENTES DE HORTLIÇAS AGROECOLÓGICAS NO TERRITÓRIO DA BORBOREMA A CONSTRUÇÃO DA DISCUSSÃO DE SEMENTES DE HORTLIÇAS AGROECOLÓGICAS NO TERRITÓRIO DA BORBOREMA SALES 1, José Felipe Silva de; Marini, Fillipe Silveira²; SILVA, Manoel Roberval da³; FREIRA, Adriana Galvão³

Leia mais

UMA VISÃO GERAL SOBRE O CULTIVO DE HORTALIÇAS O BAIRRO AMORIM A CIDADE DE ZÉ DOCA-MA

UMA VISÃO GERAL SOBRE O CULTIVO DE HORTALIÇAS O BAIRRO AMORIM A CIDADE DE ZÉ DOCA-MA UMA VISÃO GERAL SOBRE O CULTIVO DE HORTALIÇAS O BAIRRO AMORIM A CIDADE DE ZÉ DOCA-MA Davina Camelo Chaves (1); Liane Caroline Sousa ascimento (2); Darleila Damasceno Costa (3); Jakeline de Oliveira de

Leia mais

Boletim DATALUTA Artigo do mês II: setembro de 2015. ISSN 2177-4463

Boletim DATALUTA Artigo do mês II: setembro de 2015. ISSN 2177-4463 MERCADOS INSTITUCIONAIS COMO ALTERNATIVA PARA O FORTALECIMENTO DOS MERCADOS LOCAIS DE ALIMENTOS: O CASO DO PROGRAMA DE AQUISIÇÃO DE ALIMENTOS (PAA) NO MUNICÍPIO DE TUPI PAULISTA/SP Valmir José de Oliveira

Leia mais

PERFIL DOS CONSUMIDORES DE HORTALIÇAS DA FEIRA LIVRE DE BOM JESUS, PIAUÍ

PERFIL DOS CONSUMIDORES DE HORTALIÇAS DA FEIRA LIVRE DE BOM JESUS, PIAUÍ CRUZ PP; MOREIRA GR; FERREIRA Perfil F; dos MORAE consumidores FB; OUZA de hortaliças FJL; MOURA da feira FJG; livre COELHO de Bom RF; Jesus, LIMA Piauí MPD; CARVALHO RM; ALEMDIA AA. 2008. Perfil dos consumidores

Leia mais

Diagnóstico da realidade de uma feira livre de Brasília de Minas

Diagnóstico da realidade de uma feira livre de Brasília de Minas Diagnóstico da realidade de uma feira livre de Brasília de Minas Suely Ferreira da Cruz 1 ; Aline silva Alves 1 ; Cinthya Souza Santana 1 ; Willer Durval Lemos 1 ; Ernane Ronie Martins 1 ; Cândido A. da

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CUIABÁ Secretaria Municipal de Educação, Desporto e Lazer Coordenadoria de Política Nutricional - CPN EMPRESAS HABILITADAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE CUIABÁ Secretaria Municipal de Educação, Desporto e Lazer Coordenadoria de Política Nutricional - CPN EMPRESAS HABILITADAS PREGÃO 50/06 PRODUTOS HOTIFRUTIGRANJEIROS Cuiabá, 07 de novembro de 2006 EMPRESAS HABILITADAS 1.PRODUTO: ABACAXI.CLAUDINEY A. LIMA.COORIMBATÁ. PERROT E PAGANINI 2.PRODUTO: ABOBORA PAULISTA I.D LEITE 3.PRODUTO:

Leia mais

AVALIAÇÃO DA PRODUÇÃO DE HORTALIÇAS ORGÂNICAS NO MUNICÍPIO DE CORRENTE RESUMO

AVALIAÇÃO DA PRODUÇÃO DE HORTALIÇAS ORGÂNICAS NO MUNICÍPIO DE CORRENTE RESUMO AVALIAÇÃO DA PRODUÇÃO DE HORTALIÇAS ORGÂNICAS NO MUNICÍPIO DE CORRENTE Suse Alves Ribeiro¹, Jildemar Oliveira dos Santos Júnior¹, Adriano da Silva Almeida² ¹ Alunos do Curso de Agronomia da UESPI de Corrente.

Leia mais

CEASAMINAS UNIDADE GRANDE BELO HORIZONTE CALENDÁRIO DA SAZONALIDADE DOS PREÇOS DE HORTIGRANJEIROS E CEREAIS /2015

CEASAMINAS UNIDADE GRANDE BELO HORIZONTE CALENDÁRIO DA SAZONALIDADE DOS PREÇOS DE HORTIGRANJEIROS E CEREAIS /2015 CEASAMINAS UNIDADE GRANDE BELO HORIZONTE CALENDÁRIO DA SAZONALIDADE DOS PREÇOS DE HORTIGRANJEIROS E CEREAIS - 2011/2015 HORT.FOLHAS,FLOR-HASTE ACELGA FO FO FO RE RE FR FR FR FR FR RE RE AGRIÃO FO FO FO

Leia mais

Definições e Critérios de Classificação das Hortaliças

Definições e Critérios de Classificação das Hortaliças Disciplina Horticultura USP/ESALQ Departamento de Produção Vegetal Definições e Critérios de Classificação das Hortaliças Paulo César Tavares de Melo, D.Sc. USP/ESALQ Presidente ABH Evolução do agronegócio

Leia mais

Fresh Connections:Brazil Carlos Alexandre Oliveira Gomes

Fresh Connections:Brazil Carlos Alexandre Oliveira Gomes Fresh Connections:Brazil Carlos Alexandre Oliveira Gomes #freshconnections BR 21 de Agosto de 2014 PRODUCE MARKETING ASSOCIATION Agência Nacional de Vigilância Sanitária Gerência-Geral de Toxicologia Segurança

Leia mais

Quantidade e Valor por Procedência dos Produtos - Estado/Município

Quantidade e Valor por Procedência dos Produtos - Estado/Município Quantidade e Valor por Procedência dos s - Estado/Município MINAS GERAIS 15.990 55.130,56 ITUETA 15.990 55.130,56 INHAME 15.840 54.986,12 LIMAO TAHITI 150 144,44 ESPÍRITO SANTO 15.893.194 36.463.630,09

Leia mais

Projeto Comunidade Feliz: horta comunitária com idosos.

Projeto Comunidade Feliz: horta comunitária com idosos. SEABRA JÚNIOR, S.; PIZANO, R.E.; BENEVIDEZ, E.M.; MAGALHÃES, J.. 2010. Projeto Comunidade Feliz: horta Projeto Comunidade Feliz: horta comunitária com idosos. comunitária com idosos. 2010. Horticultura

Leia mais

Cadeia da Olericultura

Cadeia da Olericultura Cadeia da Olericultura Olericultura A olericultura é a área da horticultura que abrange a exploração de hortaliças e que engloba culturas folhosas, raízes, bulbos, tubérculos, frutos diversos e partes

Leia mais

Instrução Normativa Conjunta ANVISA/IBAMA/SDA/MAPA 1/2014 (D.O.U. 18/06/2014)

Instrução Normativa Conjunta ANVISA/IBAMA/SDA/MAPA 1/2014 (D.O.U. 18/06/2014) Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento BINAGRI - SISLEGIS Instrução Normativa Conjunta ANVISA/IBAMA/SDA/MAPA 1/2014 (D.O.U. 18/06/2014) MINISTÉRIO DA AGRIULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA

Leia mais

Comércio de hortaliças entre Brasil e Argentina.

Comércio de hortaliças entre Brasil e Argentina. 1 Comércio de hortaliças entre Brasil e Argentina. Waldemar Pires de Camargo Filho 1 ;Humberto S. Alves 2 ;Antonio Roger Mazzei 1. Instituto de Economia Agrícola, da Agência Paulista de Tecnologia dos

Leia mais

DERAL - Departamento de Economia Rural. Olericultura - Análise da Conjuntura Agropecuária

DERAL - Departamento de Economia Rural. Olericultura - Análise da Conjuntura Agropecuária Olericultura - Análise da Conjuntura Agropecuária Dezembro de 0 INTRODUÇÃO Para Filgueira, Fernando Reis, Olericultura é um termo técnico-científico, muito preciso, utilizado no meio agronômico. Derivado

Leia mais

TRABALHOS EXITOSOS EM ATER - 2014 EXTENSÃO RURAL ORGANIZAÇÃO E INCLUSÃO SOCIAL

TRABALHOS EXITOSOS EM ATER - 2014 EXTENSÃO RURAL ORGANIZAÇÃO E INCLUSÃO SOCIAL TRABALHOS EXITOSOS EM ATER - 2014 EXTENSÃO RURAL ORGANIZAÇÃO E INCLUSÃO SOCIAL ESCADA, 2014 EXTENSÃO RURAL CONSTRUIR UM SONHO E LUTAR POR ELE Regional : Palmares PE Municipio: Escada Comunidades: Sitio

Leia mais

Anita de Souza Dias Gutierrez Engenheira agrônoma Centro de Qualidade em Horticultura hortiescolha@ceagesp.gov.br 11 36433890/ 27

Anita de Souza Dias Gutierrez Engenheira agrônoma Centro de Qualidade em Horticultura hortiescolha@ceagesp.gov.br 11 36433890/ 27 Anita de Souza Dias Gutierrez Engenheira agrônoma Centro de Qualidade em Horticultura hortiescolha@ceagesp.gov.br 11 36433890/ 27 Centro de Qualidade em Horticultura CEAGESP Construção e adoção de ferramentas

Leia mais

29º Seminário de Extensão Universitária da Região Sul IMPLANTAÇÃO DE HORTA COMUNITÁRIA NO ASSENTAMENTO SANTA RITA PEABIRU - PR

29º Seminário de Extensão Universitária da Região Sul IMPLANTAÇÃO DE HORTA COMUNITÁRIA NO ASSENTAMENTO SANTA RITA PEABIRU - PR 29º Seminário de Extensão Universitária da Região Sul IMPLANTAÇÃO DE HORTA COMUNITÁRIA NO ASSENTAMENTO SANTA RITA PEABIRU - PR Área temática: Tecnologia e Produção Prof. Dr. José Marcos de Bastos Andrade

Leia mais

Gerência de Compra GERÊNCIA DN. Endereço : AVENIDA AYRTON SENNA, JACAREPAGUA Tel. : Fax : FORNECEDOR

Gerência de Compra GERÊNCIA DN. Endereço : AVENIDA AYRTON SENNA, JACAREPAGUA Tel. : Fax : FORNECEDOR 1 1 12/03514 ABACATE COMUM KG 1.100 2 ABACAXI MÉDIO.000 3 ABÓBORA BAHIA OU PESCOÇO KG 18.500 4 ABOBRINHA VERDE EXTRA KG 17.400 5 ABOBRINHA ITALIANA KG 1.000 6 ACELGA KG 3.000 7 AGRIÃO KG 10.000 8 AIPIM

Leia mais

SEGURO RURAL BRASILEIRO. Elaine Cristina dos Santos Ferreira

SEGURO RURAL BRASILEIRO. Elaine Cristina dos Santos Ferreira SEGURO RURAL BRASILEIRO Elaine Cristina dos Santos Ferreira MODALIDADES OFERTADAS DE SEGURO RURAL Agrícola Pecuário Florestas Aqüícola Penhor rural Benfeitorias e produtos agropecuários CPR Vida do Produtor

Leia mais

Metodologia Resultados e discussões

Metodologia Resultados e discussões Caracterização do sistema de olericultura para transição agroecológica: potencial para geração de renda e segurança alimentar em assentamentos da reforma agrária no Pantanal Vegetable crop system characterization

Leia mais

CONSTRUÇÃO DE UM CALENDÁRIO DE COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS HORTIFRUTIGRANJEIROS NO ATACADO EM GOIÁS

CONSTRUÇÃO DE UM CALENDÁRIO DE COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS HORTIFRUTIGRANJEIROS NO ATACADO EM GOIÁS CONSTRUÇÃO DE UM CALENDÁRIO DE COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS HORTIFRUTIGRANJEIROS NO ATACADO EM GOIÁS ANDRÉ GROSSI MACHADO; REGINALDO SANTANA FIGUEIREDO; ODILON JOSÉ DE OLIVEIRA NETO; UNIVERSIDADE FEDERAL

Leia mais

UMA INVESTIGAÇÃO NA AGRICULTURA FAMILIAR UTILIZANDO A MODELAGEM MATEMÁTICA

UMA INVESTIGAÇÃO NA AGRICULTURA FAMILIAR UTILIZANDO A MODELAGEM MATEMÁTICA Comunicação Científica UMA INVESTIGAÇÃO NA AGRICULTURA FAMILIAR UTILIZANDO A MODELAGEM MATEMÁTICA Emanuella Filgueira Pereira - UFRB Joana Angelina dos Santos Silva- UFRB Núbia de Andrade Santos - UFRB

Leia mais

DIAGNÓSTICO DA PRODUÇÃO DE HORTALIÇAS NO MUNICÍPIO DE CORRENTE

DIAGNÓSTICO DA PRODUÇÃO DE HORTALIÇAS NO MUNICÍPIO DE CORRENTE DIAGNÓSTICO DA PRODUÇÃO DE HORTALIÇAS NO MUNICÍPIO DE CORRENTE Jildemar Oliveira dos Santos Júnior¹, Suse Alves Ribeiro¹, Adriano da Silva Almeida² ¹ Alunos do Curso de Agronomia da UESPI de Corrente.

Leia mais

AGRICULTURA FAMILIAR NA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR

AGRICULTURA FAMILIAR NA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR AGRICULTURA FAMILIAR NA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR P N A E 250 mil famílias poderão ser beneficiadas (estimativa) Cerca de R$1 bilhão 47 milhões de alunos da educação básica da rede pública GRANDE DESAFIO: AS

Leia mais

Chamada Publica 001/2012 - Descrição dos produtos

Chamada Publica 001/2012 - Descrição dos produtos Chamada Publica 001/2012 - Descrição dos produtos (PREÇOS LIMITES) Verduras Descrição Quantidade Total Unidade Preço Unit Preço Total Substitutos para a chamada mantendo o preço do Acelga Acelga : fresca,

Leia mais

CARDÁPIO MAIS EDUCAÇÃO ZONA RURAL - 1ª SEMANA SETEMBRO 2016

CARDÁPIO MAIS EDUCAÇÃO ZONA RURAL - 1ª SEMANA SETEMBRO 2016 CARDÁPIO MAIS EDUCAÇÃO ZONA RURAL - 1ª SEMANA SETEMBRO 2016 ESCOLAR MANHÃ OU TARDE (01/09/2016) Mingau de Creme de Milho Rosquinha de Leite Biscoito Doce Integral Frapê de Morango (02/09/2016) Biscoito

Leia mais

Variação Estacional de Preços de Cebola nos CEASAs de Minas Gerais

Variação Estacional de Preços de Cebola nos CEASAs de Minas Gerais Variação Estacional de Preços de Cebola nos CEASAs de Minas Gerais Pablo Forlan Vargas 1 ; Leila Trevizan Braz 2 ; Juliano Tadeu Vilela de Resende 3 ; André May 2 ; Elaine Maria dos Santos 3. 1 UNESP FCAV

Leia mais

ANÁLISE DAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS SUSTENTÁVEIS UTILIZADAS POR COMERCIANTES DA FEIRA DO PRODUTOR FAMILIAR NO MUNICÍPIO DE SÃO GABRIEL-RS.

ANÁLISE DAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS SUSTENTÁVEIS UTILIZADAS POR COMERCIANTES DA FEIRA DO PRODUTOR FAMILIAR NO MUNICÍPIO DE SÃO GABRIEL-RS. ANÁLISE DAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS SUSTENTÁVEIS UTILIZADAS POR COMERCIANTES DA FEIRA DO PRODUTOR FAMILIAR NO MUNICÍPIO DE SÃO GABRIEL-RS. Graciela Rodrigues Trindade (1) Bacharel em Gestão Ambiental formada

Leia mais

Agrárias (CCA) da Universidade Federal da Paraíba, UFPB, Areia, PB, Brasil; Universidade Federal da Paraíba, UFPB, Areia, PB, Brasil;

Agrárias (CCA) da Universidade Federal da Paraíba, UFPB, Areia, PB, Brasil; Universidade Federal da Paraíba, UFPB, Areia, PB, Brasil; 1 MARIA DA CONCEIÇÃO GONÇALVES MACÊDO 1, NATAN MEDEIROS GUERRA 2, SEBASTIÃO RODRIGO DE LIMA NASCIMENTO 1, LUDMILA DA PAZ GOMES DA SILVA 3. 1 Graduanda (o) em Medicina Veterinária pelo Centro de Ciências

Leia mais

Implantação e manutenção de uma horta comunitária na APAE de Bambuí MG

Implantação e manutenção de uma horta comunitária na APAE de Bambuí MG VIII SEMANA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO IFMG-CAMPUS BAMBUÍ II MOSTRA DE EXTENSÃO Implantação e manutenção de uma horta comunitária na APAE de Bambuí MG Bruno Dorneles de Oliveira¹; Eduardo Castelar Silva

Leia mais

Foto: Salada de Espinafre Popeye com Frango Grelhado e Manga.

Foto: Salada de Espinafre Popeye com Frango Grelhado e Manga. Foto: Salada de Espinafre Popeye com Frango Grelhado e Manga. 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 Plantio e Consumo de Sementes As informações abaixo são indicativos gerais

Leia mais

Certificação da Produção de Orgânicos. Seminário Agrotóxicos: Perigo à mesa Rastreabilidade dos alimentos no RS

Certificação da Produção de Orgânicos. Seminário Agrotóxicos: Perigo à mesa Rastreabilidade dos alimentos no RS Certificação da Produção de Orgânicos Seminário Agrotóxicos: Perigo à mesa Rastreabilidade dos alimentos no RS Mas afinal, o que são produtos orgânicos? São aqueles produzidos de forma orgânica ou extrativista

Leia mais

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Educação ANEXO I. Especificação Técnica

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Educação ANEXO I. Especificação Técnica ANEXO I Especificação Técnica UNIDADES ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ABACAXI: Fruto colhido maduro, o que é indicado quando a malha do fruto estiver aberta; o padrão desejado são frutos com peso acima de 1,8 (um

Leia mais

No Brasil, as frutas e

No Brasil, as frutas e FRUTAS E HORTALIÇAS: FONTE DE PRAZER E SAÚDE No Brasil, as frutas e hortaliças frescas são produzidas, em diferentes épocas do ano, por milhares de pequenos produtores, distribuídos por todo o país. A

Leia mais

BA (3) S1 e S2. Quiabo ,1 0,2 0,2 0,

BA (3) S1 e S2. Quiabo ,1 0,2 0,2 0, Peso mínimo (g) Determinação de Outras Sementes por Número (Nº máximo de sementes por peso da amostra) ESPÉCIE Peso máximo do Lote (kg) Amostra Média ou Submetida (g) Amostra de trabalho para Análise de

Leia mais

PALAVRAS CHAVE: Feira livre, conscientização, meio ambiente, melhores condições.

PALAVRAS CHAVE: Feira livre, conscientização, meio ambiente, melhores condições. AÇÕES INTEGRADAS PARA MELHORIAS DA FEIRA LIVRE DO MUNICÍPIO DE AREIA PB: PERFIL DE COMERCINTES E CONSUMIDORES SOUSA, Francisco de Assys Romero da Mota 1 SILVA, Silvanda de Melo 3 RODRIGUES, Thiane de Lima

Leia mais

PALAVRAS CHAVE: agricultores, opinião, Programa de Aquisição de alimentos (PAA

PALAVRAS CHAVE: agricultores, opinião, Programa de Aquisição de alimentos (PAA AVALIAÇÃO DOS MOTIVOS QUANTO A PARTICIPAÇÃO AO PROGRAMA DE AQUISIÇÃO DE ALIMENTOS NA COMUNIDADE NEGRA DE CAMARÁ Carla Rafaela Pereira da Silva 1, Michelle Gonçalves de Carvalho 2, Rosivaldo Gomes de Sá

Leia mais

CARDÁPIO DA SEMANA. 2ª Feira (29/09) 3ª Feira (30/09) 4ª Feira (01/10) 5ª Feira (02/10) 6ª Feira (03/10) LANCHES (PERÍODOS MATUTINO E VESPERTINO)

CARDÁPIO DA SEMANA. 2ª Feira (29/09) 3ª Feira (30/09) 4ª Feira (01/10) 5ª Feira (02/10) 6ª Feira (03/10) LANCHES (PERÍODOS MATUTINO E VESPERTINO) 2ª Feira (29/09) 3ª Feira (30/09) 4ª Feira (01/10) 5ª Feira (02/10) 6ª Feira (03/10) Feriado Feriado Barquinha de minipão francês integral com mussarela e orégano Suco de manga Mamão com granola Soft roll

Leia mais

DOMINÓ DAS HORTALIÇAS: DESENVOLVIMENTO DE JOGO DIDÁTICO PARA HORTA ESCOLAR

DOMINÓ DAS HORTALIÇAS: DESENVOLVIMENTO DE JOGO DIDÁTICO PARA HORTA ESCOLAR Revista Extensão Rural, DEAER CCR UFSM, vol.21, nº 2, abri- jun de 2014 DOMINÓ DAS HORTALIÇAS: DESENVOLVIMENTO DE JOGO DIDÁTICO PARA HORTA ESCOLAR Daniel Felipe Oliveira Gentil¹ Haroldo Silva Rodrigues²

Leia mais

Assunto: Solicitação de ação para prorrogação da NORMA INTERNA DFIA/SDA Nº 003, DE 02 DE OUTUBRO DE 2007.

Assunto: Solicitação de ação para prorrogação da NORMA INTERNA DFIA/SDA Nº 003, DE 02 DE OUTUBRO DE 2007. Ofício n.º 052/2011 Campinas, 20 de outubro de 2011. À ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE SEMENTES E MUDAS ABRASEM SR. JOSÉ AMÉRICO PIERRE RODRIGUES SUPERINTENDENTE EXECUTIVO Assunto: Solicitação de ação para prorrogação

Leia mais

Gerência de Compra GERÊNCIA DN FORNECEDOR. MATERIAL/SERVIÇO Item Uso Interno Descrição Unidade Quantidade KG 300 KG

Gerência de Compra GERÊNCIA DN FORNECEDOR. MATERIAL/SERVIÇO Item Uso Interno Descrição Unidade Quantidade KG 300 KG 1 1 16/01527 ABACATE COMUM 2 RCMS ABACAXI MÉDIO KG 10.000 3 RCMS ABÓBORA BAHIA OU PESCOÇO KG 20.000 4 RCMS ABOBRINHA VERDE EXTRA 5 RCMS ABOBRINHA ITALIANA 6 RCMS ACELGA 7 RCMS AGRIÃO 8 RCMS AIPIM SANTA

Leia mais

Maçăs e Pêras CORES DA TERRA

Maçăs e Pêras CORES DA TERRA Maçăs e Pêras CORES DA TERRA 12 Maçă Mini Pequena Média Grande Super Extra I Super Extra II Escultural Escultural II Branca 5010 5003 5006 5009 6006 6055 31001 31026 Preta Verde 5032 5011 5031 5001 5030

Leia mais

PRODUÇÃO ANUAL. 320 toneladas/ano

PRODUÇÃO ANUAL. 320 toneladas/ano OFERTA DA PRODUÇÃO DE GÊNEROS ALIMENTÍIOS DA AGRIULTURA FAMILIAR EM ONDIÇÕES* DE ATENDER A ALIMENTAÇÃO ESOLAR NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO/SP As associações e cooperativas abaixo listadas, também

Leia mais

Obs: O achocolatado em pó já contém açúcar, não é necessário adicionar mais açúcar no preparo do leite.

Obs: O achocolatado em pó já contém açúcar, não é necessário adicionar mais açúcar no preparo do leite. CARDÁPIO PARA CAFÉ DA MANHÃ NAS CRECHES Obs: O achocolatado em pó já contém açúcar, não é necessário adicionar mais açúcar no preparo do leite. CARDÁPIO PARA ALMOÇO DA PRIMEIRA SEMANA NAS CRECHES Salada

Leia mais

Planejamento Estratégico COLETIVO AGROECOLÓGICO DE PARATY. Foco no Mercado

Planejamento Estratégico COLETIVO AGROECOLÓGICO DE PARATY. Foco no Mercado Planejamento Estratégico COLETIVO AGROECOLÓGICO DE PARATY Foco no Mercado Paraty, 26 de julho 2012 Consultora: Marlize Porto Apresentação A Gastronomia Sustentável de Paraty se pauta pelo compromisso de

Leia mais

Receitas de Sucos. Sucos com Frutas. Suco de abacaxi e gengibre. Suco de laranja, amora e grapefruit. Batida de papaya e laranja

Receitas de Sucos. Sucos com Frutas. Suco de abacaxi e gengibre. Suco de laranja, amora e grapefruit. Batida de papaya e laranja Receitas de Sucos Sucos com Frutas Suco de abacaxi e gengibre 1 abacaxi médio bem maduro 1 colher de sopa de gengibre fresco picado 4 copos de água Lavar bem o abacaxi usando uma escova. Descascar com

Leia mais

FRUTAS E HORTALIÇAS FONTE DE PRAZER E SAÚDE

FRUTAS E HORTALIÇAS FONTE DE PRAZER E SAÚDE FRUTAS E HORTALIÇAS FONTE DE PRAZER E SAÚDE O que são frutas e hortaliças? Consumimos diferentes partes da planta. Chamamos de fruta a maioria dos frutos maduros e de sabor doce, e de hortaliça as diferentes

Leia mais

Sugestão de Cardápio para o Jejum de 21 dias do MIESF12

Sugestão de Cardápio para o Jejum de 21 dias do MIESF12 ALMOÇO 1 Dia 2 Dia 3 Dia de ervas -Pão torrado -Mamão - fruta (melão) ou água de côco -Salada de folhas temperadas c/ azeite e orégano. -1 prato de sobremesa de legumes cozidos ou purê de batatas. - Arroz

Leia mais

Resumos do I Congresso Paranaense de Agroecologia Curitiba/PR 29 e 30/05/2014

Resumos do I Congresso Paranaense de Agroecologia Curitiba/PR 29 e 30/05/2014 15632 - Análise comparativa dos processos de gestão em diferentes estratégias de comercialização de grupos da Rede Ecovida de agroecologia na região Centro do Paraná I Congresso Paranaense de Agroecologia

Leia mais

RAÍZES E CAULES DE IMPORTÂNCIA ECONÔMICA

RAÍZES E CAULES DE IMPORTÂNCIA ECONÔMICA RAÍZES E CAULES DE IMPORTÂNCIA ECONÔMICA Beatriz Benavides Gabriela Zominhani Juliana Arruda Olivia Hessel LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS BOTANICA II Introdução RAÍZES Características Fixação; Absorção;

Leia mais

A Importância da Extensão Empreendedora em Assentamentos Rurais no Município de Rosário Oeste MT

A Importância da Extensão Empreendedora em Assentamentos Rurais no Município de Rosário Oeste MT A Importância da Extensão Empreendedora em Assentamentos Rurais no Município de Rosário Oeste MT Flávia Cristina Solidade Nogueira Débora Fabiana Aparecida Tenutes Silva Sandro Ribeiro da Costa Universidade

Leia mais

A diversificação da produção nos agroecossistemas com base na Agroecologia e na agricultura familiar no sudoeste paranaense: um estudo de caso.

A diversificação da produção nos agroecossistemas com base na Agroecologia e na agricultura familiar no sudoeste paranaense: um estudo de caso. A diversificação da produção nos agroecossistemas com base na Agroecologia e na agricultura familiar no sudoeste paranaense: um estudo de caso. The diversification of production in agroecosystems based

Leia mais

OPERACIONALIZAÇÃO DA LEI 11.947/2009 COMPRA DA AGRICULTURA FAMILIAR

OPERACIONALIZAÇÃO DA LEI 11.947/2009 COMPRA DA AGRICULTURA FAMILIAR Seminário de Formação dos atores envolvidos na execução do PNAE OPERACIONALIZAÇÃO DA LEI 11.947/2009 COMPRA DA AGRICULTURA FAMILIAR Me. Ana Laura Benevenuto de Amorim Nutricionista Assessora Técnica São

Leia mais

Projeto PODEMOS MAIS E MELHOR

Projeto PODEMOS MAIS E MELHOR Projeto PODEMOS MAIS E MELHOR Mostra Local de: Londrina Categoria do projeto: I Projetos em Andamento (projetos em execução atualmente) Nome da Instituição/Empresa: "PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE RIBEIRÃO

Leia mais

1,99-11,99 3,00 1,89 1,49 1,99 1,59 6,99-3,49 3,99 1,69 0,99 4,99 - - 1,49 2,59-3,29

1,99-11,99 3,00 1,89 1,49 1,99 1,59 6,99-3,49 3,99 1,69 0,99 4,99 - - 1,49 2,59-3,29 PESQUISA DE PREÇO DE SACOLÃO REALIZADA EM BELO HORIZONTE NOS DIAS 12 E 13 DE JANEIRO DE 2015 LEGUMES Estabelecimentos / KG Abóbora Moranga Abobrinha Italiana Alho c/ casca Alho sem casca (bandeja) Batata

Leia mais

Prezados Senhores, Atenciosamente,

Prezados Senhores, Atenciosamente, Prezados Senhores, Sabe-se que em supermercados muitos produtos geralmente custam mais caro do que em lojas especializadas. A comodidade de comprar frutas, verduras e legumes junto com as demais compras

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPO GRANDE ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPO GRANDE ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 03/2015 PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 101312/2014-81 VIGÊNCIA: 01/04/2015 a 31/03/2016 A.L.M. CORTEZ - HORTIFRUTIGRANJEIROS - ME CNPJ: 08.453.366/0001-28 ITEM ESPECIFICAÇÃO QUANT.

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 7.586, DE 2014 (Do Sr. Jorge Tadeu Mudalen)

PROJETO DE LEI N.º 7.586, DE 2014 (Do Sr. Jorge Tadeu Mudalen) *C0049404A* C0049404A CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 7.586, DE 2014 (Do Sr. Jorge Tadeu Mudalen) Dispõe sobre a normatização das feiras livres espalhadas em todo o país quanto à disposição dos

Leia mais

(Luiz Jorge da Gama Wanderley Junior e Dr. Paulo César Tavares de Melo)

(Luiz Jorge da Gama Wanderley Junior e Dr. Paulo César Tavares de Melo) PRODUÇÃO DE SEMENTES DE HORTALIÇAS EM CONDIÇÕES SEMI-ÁRIDAS NORDESTE DO BRASIL (Luiz Jorge da Gama Wanderley Junior e Dr. Paulo César Tavares de Melo) 1- CONSIDERAÇÕES INICIAIS A atividade de produção

Leia mais

AGRICULTURA FAMILIAR NA QUADRA FÉ EM DEUS FAIXA II EM ZÉ DOCA MA: FORMA DE CULTIVO E RELAÇÃO COM O MEIO AMBIENTE

AGRICULTURA FAMILIAR NA QUADRA FÉ EM DEUS FAIXA II EM ZÉ DOCA MA: FORMA DE CULTIVO E RELAÇÃO COM O MEIO AMBIENTE AGRICULTURA FAMILIAR NA QUADRA FÉ EM DEUS FAIXA II EM ZÉ DOCA MA: FORMA DE CULTIVO E RELAÇÃO COM O MEIO AMBIENTE Liliane V. OLIVEIRA (1); Kelly S. L. SILVA (2); Darleila D. COSTA (3); Davina C. CHAVES

Leia mais

EXTRA 24 UN. Kg. 0,90 0,95 1,00 ESPECIAL 32 UN. Kg. 0,75 0,80 0,85 Kg. 5,00 6,00 7,00 Kg. 13,00 14,00 15,00 Kg. 2,60 2,80 3,00 Kg.

EXTRA 24 UN. Kg. 0,90 0,95 1,00 ESPECIAL 32 UN. Kg. 0,75 0,80 0,85 Kg. 5,00 6,00 7,00 Kg. 13,00 14,00 15,00 Kg. 2,60 2,80 3,00 Kg. GRUPO HORTALIÇAS: FOLHA, FLOR E HASTE ACELGA KG EXTRA 8-9 UN. Kg. 0,85 0,95 1,00 ESPECIAL 10-12 UN. Kg. 0,70 0,75 0,80 AGRIÃO KG Kg. 2,50 2,80 3,00 ALCACHOFRA KG Kg. 8,00 9,00 10,00 ALECRIM KG Kg. 12,00

Leia mais

Comercialização de 12/01/2011 PRODUTOS: MIN + COMUM MAX

Comercialização de 12/01/2011 PRODUTOS: MIN + COMUM MAX GRUPO: HORTALIÇAS: FOLHA, FLOR E HASTE: ACELGA KG EXTRA 8-9 UN. Kg. 1,10 1,20 1,30 ESPECIAL 10-12 UN. Kg. 0,90 0,95 1,00 AGRIÃO KG Kg. 3,00 3,20 3,30 ALCACHOFRA KG ALECRIM KG Kg. 12,00 14,00 15,00 ALFACE

Leia mais

CARDÁPIO INTEGRAL INFANTIL - 1ª SEMANA NOVEMBRO 2016

CARDÁPIO INTEGRAL INFANTIL - 1ª SEMANA NOVEMBRO 2016 CARDÁPIO INTEGRAL INFANTIL - 1ª SEMANA NOVEMBRO 2016 TERÇA-FEIRA QUARTA-FEIRA QUINTA-FEIRA (01/11/2016) (02/11/2016) (03/11/2016) Mingau de Creme de FERIADO Vitamina de Banana Milho Pipoca Macarronada

Leia mais

QUARTA 05/08 TERÇA 04/08. Milho

QUARTA 05/08 TERÇA 04/08. Milho 03/08 04/08 05/08 06/08 07/08 Escarola Repolho Almeirão Mostarda Acelga Pepino Sopa de mandioca Sopa de cenoura com coentro Iscas de frango ao Estrogonofe de Carne assada ao molho Bife à parmegiana Cubos

Leia mais

027 - Caracterização do perfil produtivo dos assentados pertencentes ao grupo de olericultura agroecológica do Assentamento 72, em Ladário-MS

027 - Caracterização do perfil produtivo dos assentados pertencentes ao grupo de olericultura agroecológica do Assentamento 72, em Ladário-MS 027 - Caracterização do perfil produtivo dos assentados pertencentes ao grupo de olericultura agroecológica do Assentamento 72, em Ladário-MS Characterization of the production profile of settlers from

Leia mais

Perfil socioeconômico dos produtores de hortaliças no município de Bom Jesus, Piauí, Brasil.

Perfil socioeconômico dos produtores de hortaliças no município de Bom Jesus, Piauí, Brasil. CRUZ PP; MOREIRA GR; FERREIRA FS; RODRIGUES MG. 2010. Perfil socioeconômico dos produtores de Perfil socioeconômico dos produtores de hortaliças no município de Bom Jesus, Piauí, Brasil. hortaliças no

Leia mais

Resumo Expandido INTRODUÇÃO:

Resumo Expandido INTRODUÇÃO: Resumo Expandido Título da Pesquisa: Caracterização do mercado de sementes de hortaliças na região de Bambuí - MG Palavras-chave: Hortaliças, Comercialização, Insumos. Campus: Bambuí Tipo de Bolsa: PIBIC

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DE SISTEMAS PRODUTIVOS EM ASSENTAMENTOS RURAIS NO MUNICÍPIO DE CENTENÁRIO DO SUL-PR

CARACTERIZAÇÃO DE SISTEMAS PRODUTIVOS EM ASSENTAMENTOS RURAIS NO MUNICÍPIO DE CENTENÁRIO DO SUL-PR CARACTERIZAÇÃO DE SISTEMAS PRODUTIVOS EM ASSENTAMENTOS RURAIS NO MUNICÍPIO DE CENTENÁRIO DO SUL-PR Luis Artur Bernardes da Rosa¹; Maria de Fátima Guimarães²; Sergio Luis Carneiro³; Dimas Soares Júnior4

Leia mais

Pão com queijo branco Salada de fruta + Biscoito de polvilho Bisnaguinha com geléia de morango + Maçã Pão de leite com margarina

Pão com queijo branco Salada de fruta + Biscoito de polvilho Bisnaguinha com geléia de morango + Maçã Pão de leite com margarina CARDAPIO SEMANAL - 2 a 6 anos 05 a 09 de OUTUBRO 05/10/2015 06/10/2015 07/10/2015 08/10/2015 Lanche da Manhã Bisnaguinha com queijo cremoso Cereal Matinal (Flocos de milho) Pão francês com margarina Pão

Leia mais

42º Congresso Bras. de Medicina Veterinária e 1º Congresso Sul-Brasileiro da ANCLIVEPA - 31/10 a 02/11 de 2015 - Curitiba - PR 1

42º Congresso Bras. de Medicina Veterinária e 1º Congresso Sul-Brasileiro da ANCLIVEPA - 31/10 a 02/11 de 2015 - Curitiba - PR 1 1 SEBASTIÃO RODRIGO DE LIMA NASCIMENTO¹, MARIA DA CONCEIÇÃO GONÇALVES MACÊDO 1, ANNE CAROLINE CÂMARA DE ALMEIDA 2, NATAN MEDEIROS GUERRA 3, MAURINA DE LIMA PORTO 4. ¹ Graduando(a) do Curso de Medicina

Leia mais

Palavras-chave: Produtos agroecológicos beneficiados, comercialização, agricultura familiar, Ouro Preto do Oeste

Palavras-chave: Produtos agroecológicos beneficiados, comercialização, agricultura familiar, Ouro Preto do Oeste PROPOSTA INTEGRADA PARA A REABILITAÇÃO DA COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS BENEFICIADOS DE AGRICULTORES FAMILIARES DE BASE ECOLÓGICA DE OURO PRETO DO OESTE, RONDÔNIA Integrated proposal for the reabilitation

Leia mais

Instrução Normativa Conjunta SDA/ANVISA/IBAMA/MAPA 1/2010 (D.O.U. 24/02/2010)

Instrução Normativa Conjunta SDA/ANVISA/IBAMA/MAPA 1/2010 (D.O.U. 24/02/2010) Page 1 of 9 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento BINAGRI - SISLEGIS Instrução Normativa Conjunta SDA/ANVISA/IBAMA/MAPA 1/2010 (D.O.U. 24/02/2010) MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO

Leia mais

193 - TRABALHOS COM HORTAS ESCOLARES NO MUNICÍPIO DE DIONÍSIO CERQUEIRA, SC

193 - TRABALHOS COM HORTAS ESCOLARES NO MUNICÍPIO DE DIONÍSIO CERQUEIRA, SC Sociedade e Natureza Monferrer RESUMO 193 - TRABALHOS COM HORTAS ESCOLARES NO MUNICÍPIO DE DIONÍSIO CERQUEIRA, SC Fabia Tonini 1 ; Andréia Tecchio 2 O espaço Horta Escolar pode ser utilizado como meio

Leia mais

Cardápios para café da manhã - 1 e 3 semana. Vitamina C (mg) Fibras (g) Vitamina A (RE) Lipídios (g)

Cardápios para café da manhã - 1 e 3 semana. Vitamina C (mg) Fibras (g) Vitamina A (RE) Lipídios (g) CARDÁPIO DE MAIO DE 2015 LEITE COM CAFÉ E BISCOITO SALGADO atos s Lipídios 66 Leite integral 100 60,2 4,52 3,22 3,25-102,00-113,00 9,64 0,03 0,38 31 Café 5 21,5 3,29 0,74 0,60 2,56 - - 5,34 8,26 0,41 0,03

Leia mais

Projeções da demanda por fertilizantes no Brasil

Projeções da demanda por fertilizantes no Brasil Projeções da demanda por fertilizantes no Brasil índice 3 4 5 6 8 9 o mercado Números e importância do setor projeções de longo prazo planos/produtos metodologia condições, prazo e investimento formulário

Leia mais

PROJETO DE VENDA - GRUPO INFORMAL - ANEXO III

PROJETO DE VENDA - GRUPO INFORMAL - ANEXO III PROJETO DE VENDA - GRUPO INFORMAL - ANEXO III ATENDIMENTO A CHAMADA PÚBLICA Nº 01/2017 - PNAE NOME DO PROPONENTE: ENDEREÇO: I - IDENTIFICAÇÃO DOS FORNECEDORES MUNICIPIO/UF: CPF: CEP: DDD/FONE: E-MAIL (SE

Leia mais

Caracterização da comercialização e da produção de hortaliças não convencionais em feiras livres na cidade de Montes Claros, Minas Gerais

Caracterização da comercialização e da produção de hortaliças não convencionais em feiras livres na cidade de Montes Claros, Minas Gerais Caracterização da comercialização e da produção de hortaliças não convencionais em feiras livres na cidade de Montes Claros, Minas Gerais Cristiane Gonçalves Souza 1 ; Bruna Cecilia Santos 1 ; Candido

Leia mais

CARDÁPIO SEMANAL - 7 a 14 anos 02 a 06 de NOVEMBRO. Lanche da Manhã Biscoito de aveia e mel Tostex (queijo e peito de peru) Pão de forma com margarina

CARDÁPIO SEMANAL - 7 a 14 anos 02 a 06 de NOVEMBRO. Lanche da Manhã Biscoito de aveia e mel Tostex (queijo e peito de peru) Pão de forma com margarina CARDÁPIO SEMANAL - 7 a 14 anos 02 a 06 de NOVEMBRO 02/11/2015 03/11/2015 04/11/2015 05/11/2015 06/11/2015 Biscoito de aveia e mel Tostex (queijo e peito de peru) Pão de forma com margarina Cereal Matinal

Leia mais

Culturas com Suporte Fitossanitário Insuficiente Câmara Setorial de Palma de Óleo 21 de Setembro de 2012

Culturas com Suporte Fitossanitário Insuficiente Câmara Setorial de Palma de Óleo 21 de Setembro de 2012 Culturas com Suporte Fitossanitário Insuficiente Câmara Setorial de Palma de Óleo 21 de Setembro de 2012 Culturas com Suporte Fitossanitário Insuficiente (CSFI) Desenvolvimento de novas moléculas Registro

Leia mais

Boletim Diário de Preços Completo Data do Boletim: 22/03/2011 Mercado: CEASA MG UNIDADE GRANDE BH

Boletim Diário de Preços Completo Data do Boletim: 22/03/2011 Mercado: CEASA MG UNIDADE GRANDE BH Grupo : HORTALICAS Quantidade de Produto(s) : 96 Subgrupo : FOLHA,FLOR E HASTE Quantidade de Produto(s) : 24 ACELGA MINEIRA DZ 18,00 18,00 20,00MFR AGRIAO PRIMEIRA DZ 4 KG 15,00 17,00 18,00MFR ALFACE CRESPA

Leia mais

Feiras livres da agricultura familiar

Feiras livres da agricultura familiar Feiras livres da agricultura familiar FEIRAS LIVRES DA AGRICULTURA FAMILIAR Tradicionalmente, a Emater MG tem participação efetiva na organização e implantação dessas feiras no Estado, desenvolvendo ações,

Leia mais

CARDÁPIO 1A - BERÇÁRIO (8 A 12 MESES) SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA Creme de. Papinha de abacate. Suco de

CARDÁPIO 1A - BERÇÁRIO (8 A 12 MESES) SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA Creme de. Papinha de abacate. Suco de CARDÁPIO 1A - BERÇÁRIO (8 A 12 MESES) Creme de abacate Biscoitos maisena Fanta caseira,, chuchu, salsinha, arroz maçã com batata, mandioquinha, couve-flor e, maxixe, batata inglesa, beterraba, e caldo

Leia mais

Cardápio de OUTUBRO 2015 PRÉ I e II - BARRA

Cardápio de OUTUBRO 2015 PRÉ I e II - BARRA 01/out 02/out Biscoito passatempo / Banana Alface lisa Vagem com champignon Berinjela com cebola e orégano Caldo verde Bife de panela Suco de goiaba Biscoito sal integral Maçã / Manga Maionese de legumes

Leia mais

ROTULAGEM Resolução SESA nº 748/2014

ROTULAGEM Resolução SESA nº 748/2014 ORIENTAÇÕES SOBRE ROTULAGEM Resolução SESA nº 748/2014 ORIENTAÇÕES SOBRE ROTULAGEM Resolução SESA nº 748/2014 Expediente: Textos: Elisangeles Souza e Marcos Andersen Revisão: Elisangeles Souza, Maria Silvia

Leia mais

QUALIDADE PÓS-COLHEITA DE MAMÃO PAPAIA COMERCIALIZADOS NO MUNICÍPIO DE ARACAJU

QUALIDADE PÓS-COLHEITA DE MAMÃO PAPAIA COMERCIALIZADOS NO MUNICÍPIO DE ARACAJU QUALIDADE PÓS-COLHEITA DE MAMÃO PAPAIA COMERCIALIZADOS NO MUNICÍPIO DE ARACAJU Wadson de Menezes Santos 1 ; Maria Priscilla Celestino Silveira 1 ; Raul Santos Macedo 2 ; Christtianno de Lima Rollemberg

Leia mais

TRABALHO DA CONAB-PROHORT AVALIA A IMPORTÂNCIA DOS PEQUENOS E MICRO PRODUTORES RURAIS PARA O ABASTECIMENTO DA POPULAÇÃO BRASILEIRA

TRABALHO DA CONAB-PROHORT AVALIA A IMPORTÂNCIA DOS PEQUENOS E MICRO PRODUTORES RURAIS PARA O ABASTECIMENTO DA POPULAÇÃO BRASILEIRA TRABALHO DA CONAB-PROHORT AVALIA A IMPORTÂNCIA DOS PEQUENOS E MICRO PRODUTORES RURAIS PARA O ABASTECIMENTO DA POPULAÇÃO BRASILEIRA Recente levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento Conab, coordenadora

Leia mais

APROVEITAMENTO INTEGRAL

APROVEITAMENTO INTEGRAL APROVEITAMENTO INTEGRAL DOS ALIMENTOS Fabiana Peres Nutricionista CRN2 6095 Especialista em Nutrição Humana Atualmente no Brasil, ainda existe grande desperdício de alimentos. Por isso, incentivar o aproveitamento

Leia mais

INTRODUÇÃO E OBJETIVO

INTRODUÇÃO E OBJETIVO Área e produção de hortaliças no Estado de São Paulo, 2004 Ana Maria Montragio M. P. de Camargo; Felipe Pires de Camargo; Waldemar Pires de Camargo F o1 Instituto de Economia Agrícola, Caixa Postal 68.029

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA PARA AQUISIÇÃO DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS DA AGRICULTURA FAMILIAR E EMPREENDEDOR FAMILIAR RURAL

CHAMADA PÚBLICA PARA AQUISIÇÃO DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS DA AGRICULTURA FAMILIAR E EMPREENDEDOR FAMILIAR RURAL CHAMADA PÚBLICA PARA AQUISIÇÃO DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS DA AGRICULTURA FAMILIAR E EMPREENDEDOR FAMILIAR RURAL O MUNICÍPIO DE CRISTALINA através da Secretaria Municipal de Educação, atendendo a Lei nº. 11.947/2009,

Leia mais

PESQUISA DE MERCADO: PERFIL DE CONSUMIDORES DE PRODUTOS LÁCTEOS (IOGURTE, MANTEIGA E QUEIJO) NO MUNICÍPIO DE CONTAGEM MG

PESQUISA DE MERCADO: PERFIL DE CONSUMIDORES DE PRODUTOS LÁCTEOS (IOGURTE, MANTEIGA E QUEIJO) NO MUNICÍPIO DE CONTAGEM MG 1 PESQUISA DE MERCADO: PERFIL DE CONSUMIDORES DE PRODUTOS LÁCTEOS (IOGURTE, MANTEIGA E QUEIJO) NO MUNICÍPIO DE CONTAGEM MG MARKET RESEARCH: CONSUMER PRODUCT PROFILE OF DAIRY PRODUCTS (YOGURT, BUTTER AND

Leia mais

Diário Oficial do. Prefeitura Municipal de Macaúbas. quarta-feira, 5 de julho de 2017 Ano V - Edição nº Caderno 1

Diário Oficial do. Prefeitura Municipal de Macaúbas. quarta-feira, 5 de julho de 2017 Ano V - Edição nº Caderno 1 Diário Oficial do Município quarta-feira, 5 de julho de 2017 Ano V - Edição nº 00716 Caderno 1 Prefeitura Municipal de Macaúbas publica 9D196C6B6B27428D0D9E1AA66FB39563 quarta-feira, 5 de julho de 2017

Leia mais

Cardápio de Novembro 2015

Cardápio de Novembro 2015 03/nov 04/nov 05/nov 06/nov Biscoito passatempo sem recheio Maçã / thompson Suco de caju Biscoito de polvilho Suco de goiaba Biscoito leite e mel Maçã / Suco de tangerina Biscoito mini gergelim Banana

Leia mais

OS QUILOMBOS E A FRUTICULTURA

OS QUILOMBOS E A FRUTICULTURA OS QUILOMBOS E A FRUTICULTURA VAREIRO,Jéssica Davalos 1 ; OLIVEIRA, Euclides Reuter 2 ; FORNASIERI, José Luiz 2 ; RAMOS, Marisa Bento Marins 3 ; MONÇÃO,Flávio Pinto 4 ; PIESANTI, Gustavo Henrique Leite

Leia mais

ANEXO I GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA RELAÇÃO DOS GÊNEROS ALIMENTÍCIOS DA AGRICULTURA FAMILIAR PARA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR E SUAS ESPECIFICAÇÕES. GÊNERO ALIMENTÍCIO

Leia mais