ARTES 7 ANO PROF.ª ARLENE AZULAY PROF. LÚCIA REGINA ENSINO FUNDAMENTAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ARTES 7 ANO PROF.ª ARLENE AZULAY PROF. LÚCIA REGINA ENSINO FUNDAMENTAL"

Transcrição

1 ARTES 7 ANO PROF. LÚCIA REGINA ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª ARLENE AZULAY

2 CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade III Trabalho: A trajetória humana, suas produções e manifestações 2

3 CONTEÚDOS E HABILIDADES Aula 5.2 Conteúdo Gêneros musicais: Hip Hop 3

4 CONTEÚDOS E HABILIDADES Habilidade Interpretar e apreciar músicas do próprio meio sociocultural estabelecendo relações com as outras modalidades artísticas e com demais áreas do conhecimento. 4

5

6 Gênero musical: hip hop História do Hip Hop O hip-hop emergiu no final da década de 1960 nos subúrbios negros e latinos de Nova Iorque. Os jovens encontravam na rua o único espaço de lazer, e geralmente entravam num sistema de gangues, as quais se confrontavam de maneira violenta na luta pelo domínio territorial. 6

7 Em 1968 Africa Bambaataa, inspirado, também, na forma de dançar mais popular da época: saltar (hop) movimentando os quadris (hip). 7

8 É uma espécie de cultura das ruas, um movimento de reivindicação de espaço e voz das periferias, traduzido nas letras questionadoras e agressivas, no ritmo forte e intenso e nas imagens grafitadas pelos muros das cidades. 8

9 Instrumentação dos DJs Essa foi a proposta de Afrika Bambaataa, considerado hoje o padrinho da cultura hip-hop, o idealizador da junção dos elementos, criador do termo hip-hop e por anos tido como master of records (mestre dos discos), por sua vasta coleção de discos de vinil. 9

10 O canto do rap (sigla para rythm-and-poetry) DJ Hollywood foi o primeiro DJ a introduzir em suas festas MCs que animavam com rimas e frases que deram início ao rap. Os MCs passaram a fazer discursos rimados sobre a comunidade, à festa e outros aspectos da vida cotidiana. 10

11 Hip Hop Americano 11

12 O hip hop como movimento cultural é composto por quatro manifestações artísticas principais: canto do rap (sigla para rythm-and-poetry) a instrumentação dos DJs a dança do break dance Graffiti 12

13 Break O break é uma dança inventada pelos imigrantes portoriquenhos nos EUA, por meio da qual eles expressavam sua insatisfação com a política e a Guerra do Vietnã. Por isso, apresentavam passos que imitavam os helicópteros ou mesmo os soldados que voltavam mutilados. 13

14 Break 14

15 O break é a expressão dançante do hip-hop. Os que dançam são chamados de b.boy (para homens) e b.girl (para mulheres), pois o seu significado é break boy, garoto de Bronks, um bairro de Nova York. 15

16 Grafite vs. Pichação 16

17 Graffiti O Graffiti, como forma de arte atual, teve sua origem em Nova Iorque, Paris e Berlim, espalhando-se rapidamente por todo o mundo. Atualmente existem muitos artistas norteamericanos e europeus. Atualmente, o graffiti feito no Brasil, especialmente em São Paulo, é mundialmente conhecido como o mais criativo, expressivo e até o mais inovador de todo o mundo. 17

18 Hip Hop 18

19 DINÂMICA LOCAL INTERATIVA Dividir a turma em equipes e criar movimentos de braços que serão repetidos várias vezes com um fundo musical de hip-hop. Criar sequências desses movimentos de forma que todos possam fazer juntos. Movimentos sugeridos: tentar pegar algo e não conseguir; remar numa canoa; empurrar alguém; bater palmas sem som. 19

20 Hip Hop no Brasil No Brasil, o Hip Hop chegou no início da década de 1980 por intermédio das equipes de baile, das revistas e dos discos vendidos na rua 24 de maio (São Paulo). Os pioneiros do movimento, que inicialmente dançavam o break nessa rua, foram perseguidos por lojistas e policiais. 20

21 O movimento hip-hop foi adotado, sobretudo, pelos jovens negros e pobres de cidades grandes, como São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Porto Alegre, como forma de discussão e protesto contra o preconceito racial, a miséria e a exclusão. 21

22 Houve um período de divisão entre breakers e os rappers. Os primeiros continuam na São Bento, os outros foram para a praça Rossevelt. O rap cresceu, os breakers e os rappers formam grupos e o movimento hip-hop começou a se organizar. 22

23 Como movimento cultural, o hip-hop tem servido como ferramenta de integração social e mesmo de ressocialização de jovens das periferias no sentido de romper com essa realidade. A dança hip hop é hoje praticada em todo o mundo. Houve muitas etapas em sua história para vir a aceitação internacional que recebe hoje. 23

24 Hip hop brasileiro 24

25 DINÂMICA LOCAL INTERATIVA A dança e arte podem unir pessoas ou grupos inimigos? Por quê? Você viu alguma situação em que as pessoas deixaram de brigar para dançar ou cantar juntas? 25

26 RESUMO DO DIA História do samba O gênero, descendente do lundu (canto e dança populares no Brasil do século XVIII), começou como dança de roda originada em Angola e trazida pelos escravos, principalmente para a região da Bahia. 26

27 RESUMO DO DIA Gêneros musicais do samba Samba-enredo; Samba de partido-alto; Pagode; Samba-canção; Samba carnavalesco; Samba-exaltação; Samba de breque; Samba de gafieira. 27

28 RESUMO DO DIA História do Hip Hop O hip-hop emergiu no final da década de 1960 nos subúrbios negros e latinos de Nova Iorque. 28

29 RESUMO DO DIA Break O break é uma dança inventada pelos imigrantes portoriquenhos nos EUA, por meio da qual eles expressavam sua insatisfação com a política e a Guerra do Vietnã. 29

30 RESUMO DO DIA Graffiti O Graffiti, como forma de arte atual, teve sua origem em Nova Iorque, Paris e Berlim, espalhando-se rapidamente por todo o mundo São muitos os artistas norte-americanos e europeus. 30

O que é grafite? Grafite ( ou grafito) é uma palavra de origem italiana cujo singular graffito (plural graffite ) significa escrita feita com carvão.

O que é grafite? Grafite ( ou grafito) é uma palavra de origem italiana cujo singular graffito (plural graffite ) significa escrita feita com carvão. O que é Hip Hop? Hip hop é uma cultura artística. Quando o hip hop surgiu, concentrava-se nos disc jockeys que criavam batidas rítmicas, eram pequenos trechos de música com ênfase em repetições, posteriormente,

Leia mais

Aula: 6.2 Conteúdo: - Hip-hop: movimento de resistência ou de consumo? DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I APRENDER A APRENDER EDUCAÇÃO FÍSICA

Aula: 6.2 Conteúdo: - Hip-hop: movimento de resistência ou de consumo? DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I APRENDER A APRENDER EDUCAÇÃO FÍSICA Aula: 6.2 Conteúdo: - Hip-hop: movimento de resistência ou de consumo? Habilidades: - Identificar a dança como possibilidade de superação de preconceitos. Quem são esses jovens? As raízes do Hip Hop Significado

Leia mais

Secretaria de Estado da Educação Superintendência da Educação Departamento de Políticas e Programas Educacionais Coordenação Estadual do PDE

Secretaria de Estado da Educação Superintendência da Educação Departamento de Políticas e Programas Educacionais Coordenação Estadual do PDE Secretaria de Estado da Educação Superintendência da Educação Departamento de Políticas e Programas Educacionais Coordenação Estadual do PDE Plano de Trabalho Pedagógico UNIDADE DIDÁTICA DANÇA NA ESCOLA:

Leia mais

Original Hip Hop Stage

Original Hip Hop Stage Original Hip Hop Stage O QUE É A CULTURA HIP-HOP? O Hip-Hop nasceu na cidade de Nova York no início dos anos 70. Surgiu com o objetivo de promover a Paz, União e Diversão. É uma voz da intervenção e de

Leia mais

JUSTIFICATIVA. Excelentíssimo Senhor Vereador César Ribas Moreira MD Presidente da Câmara Municipal de Canoas

JUSTIFICATIVA. Excelentíssimo Senhor Vereador César Ribas Moreira MD Presidente da Câmara Municipal de Canoas Excelentíssimo Senhor Vereador César Ribas Moreira MD Presidente da Câmara Municipal de Canoas Eu, Vereador HUMBERTO DA SILVA ARAÚJO, (Betinho do Cartório), Líder da Bancada do Partido Trabalhista Brasileiro

Leia mais

ARTES 9 ANO PROF.ª GABRIELA DACIO PROF.ª ARLENE CALIRI ENSINO FUNDAMENTAL

ARTES 9 ANO PROF.ª GABRIELA DACIO PROF.ª ARLENE CALIRI ENSINO FUNDAMENTAL ARTES 9 ANO PROF.ª ARLENE CALIRI ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª GABRIELA DACIO CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade II Cultura- A pluralidade na expressão humana. 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES Aula 3.2 Conteúdos Gêneros

Leia mais

. a d iza r to u a ia p ó C II

. a d iza r to u a ia p ó C II II Sugestões de avaliação História 3 o ano Unidade 5 5 Unidade 5 Nome: Data: 1. Você é um historiador e recebeu a letra de uma música para estudar. Essa letra foi escrita no ano 1808 e fala sobre as brincadeiras,

Leia mais

ARTES 8 ANO PROF.ª ARLENE AZULAY PROF.ª LÚCIA REGINA ENSINO FUNDAMENTAL

ARTES 8 ANO PROF.ª ARLENE AZULAY PROF.ª LÚCIA REGINA ENSINO FUNDAMENTAL ARTES 8 ANO PROF.ª LÚCIA REGINA ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª ARLENE AZULAY CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade III Trabalho - a trajetória humana, suas produções e manifestações. 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES Aula

Leia mais

FORTALECENDO SABERES CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I DESAFIO DO DIA ARTES. Conteúdo: Danças Folclóricas brasileiras.

FORTALECENDO SABERES CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I DESAFIO DO DIA ARTES. Conteúdo: Danças Folclóricas brasileiras. CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA INTERATIVA I Conteúdo: Danças Folclóricas brasileiras. 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA INTERATIVA I Habilidades:

Leia mais

A CULTURA DO HIP HOP NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA (PIBID-UEL) RESUMO

A CULTURA DO HIP HOP NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA (PIBID-UEL) RESUMO A CULTURA DO HIP HOP NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA (PIBID-UEL) Márcio Henrique Laperuta João Henrique Ayzava RESUMO O programa institucional de bolsas de iniciação a docência (PIBID-UEL),

Leia mais

EJA 5ª FASE PROF.ª GABRIELA DACIO PROF.ª LUCIA SANTOS

EJA 5ª FASE PROF.ª GABRIELA DACIO PROF.ª LUCIA SANTOS EJA 5ª FASE PROF.ª GABRIELA DACIO PROF.ª LUCIA SANTOS ARTES CONTEÚDOS E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA Unidade I Tecnologia - Corpo, movimento e linguagem na

Leia mais

RAÇA BRASIL REPORTAGENS: TEMAS & CÓDIGOS GRUPOS TEMÁTICOS (2.318 REPORTAGENS / 185 TEMAS & CÓDIGOS)

RAÇA BRASIL REPORTAGENS: TEMAS & CÓDIGOS GRUPOS TEMÁTICOS (2.318 REPORTAGENS / 185 TEMAS & CÓDIGOS) Personalidade Personalidade Perfil 322 Personalidade Personalidade Carreira 244 Estética Cabelos Femininos 157 Sociedade Eventos NULL 121 Estética Moda Feminina & Masculina 118 Estética Moda Feminina 107

Leia mais

A Cultura da Paz e a realidade de jovens da periferia do Estado do Rio de Janeiro

A Cultura da Paz e a realidade de jovens da periferia do Estado do Rio de Janeiro Educar pela PAZ Depoimento : A Cultura da Paz e a realidade de jovens da periferia do Estado do Rio de Janeiro Eu acho que a dança é tudo para mim, porque tentamos mostrar com a dança que os conflitos

Leia mais

Thais Brandão Redatora Skype:

Thais Brandão Redatora   Skype: Samba em São Paulo Foto do site: www.rodadesamba.mus.br Podemos dizer que o samba, como o conhecemos hoje é um ritmo genuinamente brasileiro, mesmo com todas as suas raízes africanas, aqui ele tem a nossa

Leia mais

PROJETO ARTE NA PRAÇA

PROJETO ARTE NA PRAÇA apresentam PROJETO ARTE NA PRAÇA SHOW DO COLETIVO VINIL É ARTE 29 DE JANEIRO DE 2016 patrocínio Apresentação Este relatório tem como objetivo descrever o quinto e último show do Projeto Arte na Praça,

Leia mais

Alegre. Câmara Municipal. de Porto PROC. N. 4823/05 P.L.L. N. 229/05 EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

Alegre. Câmara Municipal. de Porto PROC. N. 4823/05 P.L.L. N. 229/05 EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS A Dança de Rua surgiu através dos negros das metrópoles Norte Americanas. As primeiras manifestações surgiram na época da grande crise econômica dos EUA, em 1929, quando os músicos

Leia mais

ARTES 7 ANO PROF.ª ARLENE AZULAY PROF. LÚCIA REGINA ENSINO FUNDAMENTAL

ARTES 7 ANO PROF.ª ARLENE AZULAY PROF. LÚCIA REGINA ENSINO FUNDAMENTAL ARTES 7 ANO PROF. LÚCIA REGINA ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª ARLENE AZULAY CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade I Tecnologia: Corpo, movimento e linguagem na era da informação 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES Aula 1.2

Leia mais

Dossiê: processo histórico/investigativo

Dossiê: processo histórico/investigativo Dossiê: processo histórico/investigativo 1 SUMÁRIO 1.Sumário 2 2.História 3 3.Processo de trabalho 4 4.Formação da Banda 5 5.Resultados 8 6.Atuações 9 7.Ficha técnica 10 8.Clipping 11 2 2.História No teatro

Leia mais

Aula 10.2 Conteúdo Arte e cultura africana.

Aula 10.2 Conteúdo Arte e cultura africana. Aula 10.2 Conteúdo Arte e cultura africana. 2 Habilidades: Refletir sobre as questões de dominação cultural, estereótipos e manutenção de identidade. 3 Vídeo Miscigenação. 4 Vídeo Aplicabilidade das Leis.

Leia mais

6. o ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF. FRANCISCA AGUIAR PROF. SUZY PINTO

6. o ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF. FRANCISCA AGUIAR PROF. SUZY PINTO 6. o ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF. FRANCISCA AGUIAR PROF. SUZY PINTO Avaliação da unidade II Pontuação: 7,5 pontos 2 QUESTÃO 01 (1,0 ponto) A palavra folclore é derivada da palavra inglesa folklore, em

Leia mais

LISTA DE DIÁLOGOS. VINHETA/PROGRAMA GUETO - Poesia e Expressão Urbana, entre no ritmo do Gueto. NO OLHO DA RUA VITÓRIA 2002

LISTA DE DIÁLOGOS. VINHETA/PROGRAMA GUETO - Poesia e Expressão Urbana, entre no ritmo do Gueto. NO OLHO DA RUA VITÓRIA 2002 LISTA DE DIÁLOGOS VINHETA/PROGRAMA GUETO - Poesia e Expressão Urbana, entre no ritmo do Gueto. MARCELINHO HIP-HOP/PROGRAMA GUETO Ee dá até pra deixar tocando direto ea pra rapaziada porque esse aí na realidade

Leia mais

11ª SEMANA DA MÚSICA DE OURO BRANCO

11ª SEMANA DA MÚSICA DE OURO BRANCO 11ª SEMANA DA MÚSICA DE OURO BRANCO Associação Cultural Casa de Música de Ouro Branco Av. Augusto Barbosa da Silva, 313, Pioneiros Ouro Branco-MG, 36420-000 000 (31) 3742-3553 3553 / (31) 9624-8059 O projeto

Leia mais

MOVIMENTA - Programação Geral

MOVIMENTA - Programação Geral Data Horários Descrição da atividade Dia 8 - Quarta Dia 9 - Quinta Dia 10 - Sexta 18h às 20h 13:30h às 15:30h 17h 18h Quarta Cultural Filme Atlântico Negro Na Rota dos Orixás Cine UNILAB (até o dia 31

Leia mais

A telescopia histórica do break: no ritmo das ruas...

A telescopia histórica do break: no ritmo das ruas... A telescopia histórica do break: no ritmo das ruas... Cristiane Correia Dias Resumo Esse trabalho teve início com o TCC apresentado ao Centro Universitário Ítalo Brasileiro, para obtenção do Título de

Leia mais

Perspectivas: língua portuguesa

Perspectivas: língua portuguesa Perspectivas: língua portuguesa Episódio: Oralidade e escrita Resumo O episódio Oralidade e escrita apresenta projetos desenvolvidos por professores de língua portuguesa com turmas de 7ª série (atual 8º

Leia mais

ARTES 4ª FASE PROF.ª ARLENE AZULAY PROF.ª LÚCIA REGINA

ARTES 4ª FASE PROF.ª ARLENE AZULAY PROF.ª LÚCIA REGINA ARTES 4ª FASE PROF.ª ARLENE AZULAY PROF.ª LÚCIA REGINA CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade I Tecnologia- Corpo, movimento e linguagem na era da informação 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES Aula 2.2 Conteúdos Cores

Leia mais

DANÇA FOLCLÓRICA INTERNACIONAL

DANÇA FOLCLÓRICA INTERNACIONAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS CAMPUS ARAPIRACA EDUCAÇÃO FÍSICA (LICENCIATURA) ALINE MABEL DOS SANTOS ARLEY MEIRELLE DOS SANTOS GILBERTO SILVA VILELA JOSÉ JADIELMO DA SILVA LUÍS HENRIQUE SILVA DE ARAÚJO

Leia mais

Conteúdo Básico Comum (CBC) de Artes do Ensino Fundamental do 6º ao 9º ano Exames Supletivos / 2013

Conteúdo Básico Comum (CBC) de Artes do Ensino Fundamental do 6º ao 9º ano Exames Supletivos / 2013 SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MINAS GERAIS SUBSECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DO ENSINO MÉDIO DIRETORIA DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Conteúdo

Leia mais

RAÇA BRASIL TEMAS & CÓDIGOS GRUPOS TEMÁTICOS

RAÇA BRASIL TEMAS & CÓDIGOS GRUPOS TEMÁTICOS Personalidade Personalidade Carreira 521 Personalidade Personalidade Perfil 412 Estética Cabelos Femininos 157 Negritude Discriminação Racial 130 Sociedade Eventos 122 Estética Moda Feminina & Masculina

Leia mais

PRECEDENTE HISTÓRICO. Castro Alves- Navio Negreiro. Negros vindos em navio negreiros.

PRECEDENTE HISTÓRICO. Castro Alves- Navio Negreiro. Negros vindos em navio negreiros. MOVIMENTO NEGRO PRECEDENTE HISTÓRICO Na origem das extremas desigualdades raciais observadas no Brasil está o fato óbvio de que os africanos e muitos dos seus descendentes foram incorporados à sociedade

Leia mais

Apresente à classe as danças regionais

Apresente à classe as danças regionais Prática Pedagógica Apresente à classe as danças regionais Em uma escola do Mato Grosso, a escolha foi o siriri, modalidade típica do estado Paula Peres NOVA ESCOLA Fernanda Salla O balanceio da saia é

Leia mais

Secult: Festival Cearense de Hip Hop começa nesta sexta-feira, 5/12

Secult: Festival Cearense de Hip Hop começa nesta sexta-feira, 5/12 Grandes nomes nacionais da dança urbana estarão presentes, a partir desta sexta-feira, 5/12, na IV Edição do Festival Cearense de Hip Hop (FCH2), que acontece no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura

Leia mais

Centro de Serviços Educacionais do Pará. Centro de Serviços Educacionais do Pará

Centro de Serviços Educacionais do Pará. Centro de Serviços Educacionais do Pará TURMA: 1º ANO/09 SALA: 105 07:30 às 08:20 08:20 às 09:10 MUSICA 10:20 às 11:10 TURMA: 1º ANO/09 SALA: 105 07:30 às 08:20 08:20 às 09:10 MUSICA 10:20 às 11:10 TURMA: 2º ANO/09 SALA: 104 07:30 às 08:20 08:20

Leia mais

PRÊMIO ENTRANDO EM CENA NO MUNDO 2015 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO

PRÊMIO ENTRANDO EM CENA NO MUNDO 2015 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO PRÊMIO ENTRANDO EM CENA NO MUNDO 2015 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO 1. Dados do Proponente Nome: Welton Aparecido Resende Souto Idade: 29 anos Nome: Elvis da Silva Fonseca Idade: 22 anos 2. Identificação dos

Leia mais

RELATÓRIO DE EXECUÇÃO DO FÓRUM COMUNITÁRIO REALIZADO POR TERRE DES HOMMES COMO PARTE DAS AÇÕES PREVISTAS NO PROJETO COFINANCIADO PELA UNIÃO EUROPEIA.

RELATÓRIO DE EXECUÇÃO DO FÓRUM COMUNITÁRIO REALIZADO POR TERRE DES HOMMES COMO PARTE DAS AÇÕES PREVISTAS NO PROJETO COFINANCIADO PELA UNIÃO EUROPEIA. RELATÓRIO DE EXECUÇÃO DO FÓRUM COMUNITÁRIO REALIZADO POR TERRE DES HOMMES COMO PARTE DAS AÇÕES PREVISTAS NO PROJETO COFINANCIADO PELA UNIÃO EUROPEIA. Resumo Executivo Durante o mês de dezembro de 2015,

Leia mais

Colégio Santa Dorotéia

Colégio Santa Dorotéia Colégio Santa Dorotéia Área de Ciências Humanas Disciplina: Série: 6ª Ensino Fundamental Professora: Ione Botelho Atividades para Estudos Autônomos Data: 5 / 9 / 2016 Valor: xxx pontos Aluno(a): Nº: Turma:

Leia mais

RESUMO. PALAVRAS-CHAVE: Hip Hop. Corporeidade. Educação Física Escolar.

RESUMO. PALAVRAS-CHAVE: Hip Hop. Corporeidade. Educação Física Escolar. 1 RESUMO Esta pesquisa bibliográfica enfocou os seguintes aspectos: História do Hip Hop, Hip Hop no Brasil, Antropologia, Corporeidade, Corporeidade na Educação Física e Hip Hop e a Corporeidade na Educação

Leia mais

MÚSICA. SF 4 03 de setembro

MÚSICA. SF 4 03 de setembro MÚSICA SF 4 03 de setembro A banda de rock alternativo SF 4 tem influências de bandas internacionais como Foo Fighters, Queens of Stone Age, Led Zeppelin e bandas nacionais como Scalene, NX Zero, Medulla

Leia mais

RAÇA BRASIL COLUNAS: TEMAS & CÓDIGOS & SUBCÓDIGOS

RAÇA BRASIL COLUNAS: TEMAS & CÓDIGOS & SUBCÓDIGOS Negritude Discriminação Racial 40 Negritude Entidades, instituições em favor do negro 35 Negritude Discriminação Racial Denúncias 9 Negritude Discriminação Racial Denúncias condenações realizadas 7 Cultura

Leia mais

O MOVIMENTO HIP HOP EM ARACAJU: PRÁTICAS CULTURAIS E INCLUSÃO SOCIAL

O MOVIMENTO HIP HOP EM ARACAJU: PRÁTICAS CULTURAIS E INCLUSÃO SOCIAL O MOVIMENTO HIP HOP EM ARACAJU: PRÁTICAS CULTURAIS E INCLUSÃO SOCIAL Angélica Ferreira da Silva 1 Marcos Vinícius Barbosa Fonseca 2 Jesana Batista Pereira 3 Serviço Social ciências humanas e sociais ISSN

Leia mais

Rap e identidade cultural

Rap e identidade cultural Rap e identidade cultural Juliana Noronha Dutra Aluna do programa de Mestrado em Música da UNESP, sob orientação do Prof. Dr. Alberto T. Ikeda. e-mail: julianand@uol.com.br Sumário: O Hip Hop é um movimento

Leia mais

PLANO DE CURSO DISCIPLINA:História ÁREA DE ENSINO: Fundamental I SÉRIE/ANO: 5 ANO DESCRITORES CONTEÚDOS SUGESTÕES DE PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS

PLANO DE CURSO DISCIPLINA:História ÁREA DE ENSINO: Fundamental I SÉRIE/ANO: 5 ANO DESCRITORES CONTEÚDOS SUGESTÕES DE PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS UNIDADE 1 COLÔNIA PLANO DE CURSO VIVER NO BRASIL *Identificar os agentes de ocupação das bandeiras *Conhecer e valorizar a história da capoeira *Analisar a exploração da Mata Atlântica *Compreender a administração

Leia mais

EJA 5ª FASE PROF.ª GABRIELA DACIO PROF.ª LUCIA SANTOS

EJA 5ª FASE PROF.ª GABRIELA DACIO PROF.ª LUCIA SANTOS EJA 5ª FASE PROF.ª GABRIELA DACIO PROF.ª LUCIA SANTOS Unidade II Cultura A pluralidade na expressão humana. Aula 7 Revisão e avaliação da unidade II 2 O samba surgiu da mistura de estilos musicais de origem

Leia mais

29º Seminário de Extensão Universitária da Região Sul

29º Seminário de Extensão Universitária da Região Sul 29º Seminário de Extensão Universitária da Região Sul CULTURAS JUVENIS, ESCOLA E ENSINO: APROXIMAÇÕES ENTRE O HIP HOP, CONTEÚDOS CURRICULARES E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS Área temática: Educação Sônia Tramujas

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Capoeira - menino Pé no Chão

Mostra de Projetos 2011. Capoeira - menino Pé no Chão Mostra Local de: Dois Vizinhos Mostra de Projetos 2011 Capoeira - menino Pé no Chão Categoria do projeto: Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa: Associação Casa

Leia mais

- BUZIOS. open. Festival. [luzes e sons] Búzios - RJ_ BRASIL: 18\12\2006_27\12\2006. _mario suarez

- BUZIOS. open. Festival. [luzes e sons] Búzios - RJ_ BRASIL: 18\12\2006_27\12\2006. _mario suarez open - BUZIOS [luzes e sons] Festival Búzios - RJ BRASIL: 18\12\200627\12\2006 mario suarez Objetivo Fluxo maior de turistas para a cidade nos meses de novembro \ dezembro. Criar um evento de projeção

Leia mais

HIP-HOP NA ESCOLA EMEF Tenente Alípio Andrada Serpa Jacqueline Cristina Jesus Martins

HIP-HOP NA ESCOLA EMEF Tenente Alípio Andrada Serpa Jacqueline Cristina Jesus Martins HIP-HOP NA ESCOLA EMEF Tenente Alípio Andrada Serpa Jacqueline Cristina Jesus Martins O trabalho Hip Hop na escola foi realizado durante o primeiro semestre do ano de 2009 na EMEF Tenente Alípio Andrada

Leia mais

Em busca da Felicidade E.E. Profª Irene Ribeiro

Em busca da Felicidade E.E. Profª Irene Ribeiro Em busca da Felicidade E.E. Profª Irene Ribeiro Professor(es) Apresentador(es): Tatiana Yukie Nakamoto Elenice Fernandes Realização: Foco do Projeto A cultura circense foi trazida para o contexto escolar

Leia mais

Atividades rítmicas e expressão corporal

Atividades rítmicas e expressão corporal Atividades rítmicas e expressão corporal LADAINHAS CANTIGAS BRINQUEDOS CANTADOS FOLCLORE MOVIMENTOS COMBINADOS DE RÍTMOS DIFERENTES RODAS Estas atividades estão relacionados com o folclore brasileiro,

Leia mais

EJA 5ª FASE PROF.ª GABRIELA DACIO PROF.ª LUCIA SANTOS

EJA 5ª FASE PROF.ª GABRIELA DACIO PROF.ª LUCIA SANTOS EJA 5ª FASE PROF.ª GABRIELA DACIO PROF.ª LUCIA SANTOS Unidade II Cultura A pluralidade na expressão humana. 2 Aula 5.2 Conteúdo: Origem e natureza da dança no Brasil: Bumbameu-boi, Boi-bumbá. Influência

Leia mais

As Actividades de Lazer e Recreação: A Dança Tradicional na Ocupação dos Tempos Livres nas Diferentes Idades. Batalha, Ana Paula - FMH / UTL

As Actividades de Lazer e Recreação: A Dança Tradicional na Ocupação dos Tempos Livres nas Diferentes Idades. Batalha, Ana Paula - FMH / UTL 8º Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa FMH/Portugal 13-16 Dez/ 2000 As Actividades de Lazer e Recreação: A Dança Tradicional na Ocupação dos Tempos Livres

Leia mais

ANTROPOLOGIA HUMANIDADES. Quem não sabe. Quem não sabe 80 DEZEMBRO DE 2007 PESQUISA FAPESP 142

ANTROPOLOGIA HUMANIDADES. Quem não sabe. Quem não sabe 80 DEZEMBRO DE 2007 PESQUISA FAPESP 142 > HUMANIDADES ANTROPOLOGIA Quem não sabe Quem não sabe 80 DEZEMBRO DE 2007 PESQUISA FAPESP 142 dançar dançar improvisa improvisa Hip-hop oferece aos jovens da periferia a chance da existência social CARLOS

Leia mais

Alegre. Câmara Municipal. de Porto PROC. N. 4824/05 P.L.L. N. 230/05 EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS. História do Grafite

Alegre. Câmara Municipal. de Porto PROC. N. 4824/05 P.L.L. N. 230/05 EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS. História do Grafite EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS História do Grafite Grafite. (Do it. Graffito) S.M. Inscrição ou desenho de épocas antias, toscamente riscados à ponta ou a carvão, em rochas, paredes, vasos etc. Pichação. Brás. S.f.

Leia mais

Projeto: O CANTO E O BATUQUE QUE VEM DE DENTRO DE MIM. OBJETIVO GERAL REFERENTE A INSTRUMENTAÇAO PEDAGÓGICA

Projeto: O CANTO E O BATUQUE QUE VEM DE DENTRO DE MIM. OBJETIVO GERAL REFERENTE A INSTRUMENTAÇAO PEDAGÓGICA Projeto: O CANTO E O BATUQUE QUE VEM DE DENTRO DE MIM. Profissional: Erick Luiz Vilela de Souza Atividade: Educação Musical Período de realização: fevereiro a dezembro de 2010 Setor: NAC Coordenadora:

Leia mais

RESUMO REPERTÓRIO. Muitos Querem Poucos Agem. Poeta de Alma Triste. Composições: Lukinha DDG INFLUÊNCIAS:

RESUMO REPERTÓRIO. Muitos Querem Poucos Agem. Poeta de Alma Triste. Composições: Lukinha DDG INFLUÊNCIAS: Lukinha DDG rapper e empreendedor cultural, natural da terra do poeta Carlos Drummond Andrade uma de suas referências. Um artista irreverente e autêntico e inovador, carregado de versos contundentes, que

Leia mais

4ª FASE. Prof. Amaury Pio Prof. Eduardo Gomes

4ª FASE. Prof. Amaury Pio Prof. Eduardo Gomes 4ª FASE Prof. Amaury Pio Prof. Eduardo Gomes Unidade IV A formação dos estados modernos 2 Aula 21.2 Conteúdo Escravismo colonial II 3 Habilidade Compreender as heranças africanas no Brasil e as religiões

Leia mais

ANEXO II FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO REQUERIMENTO DE INSCRIÇÃO

ANEXO II FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO REQUERIMENTO DE INSCRIÇÃO ANEXO II FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO REQUERIMENTO DE INSCRIÇÃO NOME ARTISTÍCO LINGUAGEM ARTISTICA ESTILO TELEFONE (DDD) SITE/EMAIL CELULAR (DDD) IDENTIFICAÇÃO DO RESPONSÁVEL PELA CONTRATAÇÃO Nome Completo

Leia mais

HISTÓRIA. Prova de 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. FAÇA LETRA LEGÍVEL. Duração desta prova: TRÊS HORAS. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

HISTÓRIA. Prova de 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. FAÇA LETRA LEGÍVEL. Duração desta prova: TRÊS HORAS. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS HISTÓRIA Prova de 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. Leia atentamente as instruções que se seguem. 1 - Este caderno contém sete questões, constituídas de itens e subitens, abrangendo um total de nove

Leia mais

Janeiro. Março/Abril

Janeiro. Março/Abril Outubro Jogos de exploração da voz Planificação Anual Expressão e Educação Musical 1.º ano 1º Período 2º Período 3º Período Dizer e entoar rimas e lengalengas Experimentar sons vocais (todos os que a criança

Leia mais

CONSIDERAÇÕES GERAIS:

CONSIDERAÇÕES GERAIS: CONSIDERAÇÕES GERAIS: Esta é a etapa na qual a Capoeira será apresentada ao aluno. Neste nível o aluno irá adquirir os conhecimentos básicos da Capoeira. A corda crua é uma corda intermediária dada ao

Leia mais

PLANEJAMENTO (BRINCADEIRAS E JOGOS) Maio

PLANEJAMENTO (BRINCADEIRAS E JOGOS) Maio PLANEJAMENTO (BRINCADEIRAS E JOGOS) Maio Professor (a): LETICIA JULIETA VANNI NOME DO JOGO: Trinca Rimada Competências Objetivo Geral Oralidade; atenção; concentração; produção textual. Promover a ludicidade

Leia mais

MOVIMENTO HIP HOP E EDUCAÇÃO: POSSIBILIDADES DE CONSTRUÇÃO DE CONHECIMENTO

MOVIMENTO HIP HOP E EDUCAÇÃO: POSSIBILIDADES DE CONSTRUÇÃO DE CONHECIMENTO MOVIMENTO HIP HOP E EDUCAÇÃO: POSSIBILIDADES DE CONSTRUÇÃO DE CONHECIMENTO IOLANDA MACEDO * RESUMO: O movimento hip hop tomou proporções extremamente expressivas no Brasil nos últimos anos, acupando cada

Leia mais

REGULAMENTO 2010. STREET DANCE SHOW objetivo. Street dance show e Estilo Livre Competition. Data e Local do evento: Inscrição.

REGULAMENTO 2010. STREET DANCE SHOW objetivo. Street dance show e Estilo Livre Competition. Data e Local do evento: Inscrição. REGULAMENTO 2010 STREET DANCE SHOW objetivo. A 3 Edição do festival Corpo e Alma, nada mais é do que uma forma de mostrar e divulgar grandes interpretações coreográficas oferecendo oportunidades de intercâmbios

Leia mais

2.1.2 Artes Plásticas/ Artes Visuais / Design

2.1.2 Artes Plásticas/ Artes Visuais / Design 2.Espaço de Formação Cultural 2.1 Conservatório 2.1.1 Artes Cênicas 2.1.1.1 Teatro 2.1.1.2 Ópera 2.1.1.3 Dança 2.1.1.4 Circo 2.1.2 Artes Plásticas/ Artes Visuais / Design 2.1.2.1 Pintura 2.1.2.2 Desenho

Leia mais

Cultura Hip Hop Identidade e Sociabilidade: Estudo de Caso do Movimento em Palmas 1

Cultura Hip Hop Identidade e Sociabilidade: Estudo de Caso do Movimento em Palmas 1 Cultura Hip Hop Identidade e Sociabilidade: Estudo de Caso do Movimento em Palmas 1 Rose Mara Vidal de Souza 2 Maria de Fátima Caracristi 3 Universidade Federal do Tocantins Resumo Apresenta o movimento

Leia mais

GEOGRAFIA ENSINO MÉDIO PROF. JEFFERSON OLIVEIRA 3 ANO PROF.ª LUDMILA DUTRA

GEOGRAFIA ENSINO MÉDIO PROF. JEFFERSON OLIVEIRA 3 ANO PROF.ª LUDMILA DUTRA GEOGRAFIA 3 ANO PROF.ª LUDMILA DUTRA ENSINO MÉDIO PROF. JEFFERSON OLIVEIRA CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade III Geopolítica e Poder 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES Aula 12.2 Conteúdo Americanos no Iraque e Afeganistão

Leia mais

Grafiteiros conversam sobre políticas públicas para artes urbanas

Grafiteiros conversam sobre políticas públicas para artes urbanas Grafiteiros conversam sobre políticas públicas para artes urbanas Art istas de rua se reuniram, na tarde desta terça-feira (7), com o presidente da Fundação Cultural de Uberaba, Antônio Carlos Marques,

Leia mais

Os Aspectos Performativos da Música Brasileira como meios de criação de Identidade no Rio de Janeiro

Os Aspectos Performativos da Música Brasileira como meios de criação de Identidade no Rio de Janeiro Os Aspectos Performativos da Música Brasileira como meios de criação de Identidade no Rio de Janeiro Será que é possível definir, em uma socidade multi-etnica, como a carioca, uma identidade comum? Porque

Leia mais

Representações sociais de Portugal e dos portugueses nos livros didáticos da disciplina de História no ensino fundamental brasileiro

Representações sociais de Portugal e dos portugueses nos livros didáticos da disciplina de História no ensino fundamental brasileiro Representações sociais de Portugal e dos portugueses nos livros didáticos da disciplina de História no ensino fundamental brasileiro João José Saraiva da Fonseca Objetivo Analisar as representações sociais

Leia mais

CIRANDA DE MOVIMENTOS E CANTIGAS- UMA PROPOSTA INTERDISCIPLINAR E.E. ALFREDO PAULINO

CIRANDA DE MOVIMENTOS E CANTIGAS- UMA PROPOSTA INTERDISCIPLINAR E.E. ALFREDO PAULINO CIRANDA DE MOVIMENTOS E CANTIGAS- UMA PROPOSTA INTERDISCIPLINAR E.E. ALFREDO PAULINO Professor(es) Apresentador(es): MARIA DO ROSÁRIO ORDONIS JANAÍNA PRADO GONTIJO Realização: Foco do Projeto Desenvolver

Leia mais

Reflexão em torno do Movimento Hip Hop

Reflexão em torno do Movimento Hip Hop Reflexão em torno do Movimento Hip Hop Marco Antônio Oliveira Nunes 1 ; Lúcia Helena Oliveira Silva 2 Resumo: Pretende-se neste Projeto a realização de um trabalho interdisciplinar, no âmbito da História

Leia mais

EJA 5ª FASE PROF. JEFFERSON OLIVEIRA PROF.ª LUDMILA DUTRA

EJA 5ª FASE PROF. JEFFERSON OLIVEIRA PROF.ª LUDMILA DUTRA EJA 5ª FASE PROF. JEFFERSON OLIVEIRA PROF.ª LUDMILA DUTRA CONTEÚDOS E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA Unidade I Continente Americano 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES

Leia mais

Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, Senhores Ouvintes e Telespectadores,

Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, Senhores Ouvintes e Telespectadores, 1 Discurso pronunciado pelo Deputado João Mendes de Jesus (PSL-RJ), em / /2005. Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, Senhores Ouvintes e Telespectadores, Hoje é o Dia Internacional pela Eliminação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS. Curso de Dança - Licenciatura. Centro de Artes. Trabalho de Conclusão de Curso DANÇAS URBANAS: DAS RUAS AOS PALCOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS. Curso de Dança - Licenciatura. Centro de Artes. Trabalho de Conclusão de Curso DANÇAS URBANAS: DAS RUAS AOS PALCOS 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS Curso de Dança - Licenciatura Centro de Artes Trabalho de Conclusão de Curso DANÇAS URBANAS: DAS RUAS AOS PALCOS Ânderson Luís Mateus Santos Pelotas, 2014 2 ÂNDERSON LUÍS

Leia mais

Práticas Pedagógicas e de Gestão Premiadas

Práticas Pedagógicas e de Gestão Premiadas Práticas Pedagógicas e de Gestão Premiadas CATEGORIA PROFESSOR/A Valquíria, Maria Fernanda, Sônia e Josivaldo são educadores/as de cidades bem diferentes do Brasil. Juiz de Fora/MG, Araraquara/SP, Ribeirão

Leia mais

Realização. Promoção

Realização. Promoção Realização Promoção Uma das MAIORES FESTAS CULTURAIS da história de BELO HORIZONTE Palcos instalados em praças, ruas, esquinas Espaços de sociabilidade e fruição Política Pública de Cultura Diretrizes

Leia mais

Diversidade cultural: uma revisão do que já foi estudado.

Diversidade cultural: uma revisão do que já foi estudado. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE. CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO SERIDÓ. PROJETO: PIBID DE GEOGRAFIA. ESCOLA: ZUZA JANUÁRIO. CAICÓ-RN. COMPONENTES: ADRIANA LINHARES, ARIANNY LARISSA, DANILO DANTAS

Leia mais

BIBLIOGRAFIA (pode ter acesso a alguns destes documentos por )

BIBLIOGRAFIA (pode ter acesso a alguns destes documentos por  ) Danças Tradicionais e Populares Portuguesas (DTPP) BIBLIOGRAFIA (pode ter acesso a alguns destes documentos por e-mail) BATALHA, A. P. (1983). As Estruturas Etnocoreográficas na Educação. Revista Ludens,

Leia mais

PLANO DE AULA/ROTINA DIÁRIA

PLANO DE AULA/ROTINA DIÁRIA EJA - Ensino Fundamental 2º Segmento GOVERNO DO ESTADO DO AMAZONAS PLANO DE AULA/ROTINA DIÁRIA Fase/Ano: 4ª Fase -6º e 7º Ano Ano Letivo: 2014 Componente Curricular: História Professores do Estúdio: Cláudio

Leia mais

Missão: Carnavalesco. Em associação com Dive in Social divein.social

Missão: Carnavalesco. Em associação com Dive in Social divein.social Missão: Carnavalesco Um jeito novo de aprender e brincar para designers de 3 a 6 anos e seus pais curiosos. Saiba mais sobre o conceito e baixe mais missões em pt-br.rpplane.com. Em associação com Dive

Leia mais

GRAFITE INSTRUMENTO TRANSFORMADOR DA PAISAGEM

GRAFITE INSTRUMENTO TRANSFORMADOR DA PAISAGEM GRAFITE INSTRUMENTO TRANSFORMADOR DA PAISAGEM Resumo Rudimar da Rocha Lyra Rebello 1 - UNICENTRO Clayton Luiz da Silva 2 - UNICENTRO Grupo de Trabalho Práticas e Estágios em Licenciaturas Agência Financiadora:

Leia mais

Cultura juvenil e o ensino de arte: aproximações entre o hip hop e os conteúdos de arte do ensino médio.

Cultura juvenil e o ensino de arte: aproximações entre o hip hop e os conteúdos de arte do ensino médio. Cultura juvenil e o ensino de arte: aproximações entre o hip hop e os conteúdos de arte do ensino médio. Solange Maranho Gomes 1 solmaranho@gmail.com Faculdade de Artes do Paraná (FAP)-UNESPAR Resumo:

Leia mais

TRABALHANDO A VARIAÇÃO LINGUÍSTICA COM HIP HOP NO ENSINO DE LÍNGUA INGLESA

TRABALHANDO A VARIAÇÃO LINGUÍSTICA COM HIP HOP NO ENSINO DE LÍNGUA INGLESA Cadernos Imbondeiro. João Pessoa, v.2, n.2, 2012. TRABALHANDO A VARIAÇÃO LINGUÍSTICA COM HIP HOP NO ENSINO DE LÍNGUA INGLESA Laura de Almeida Profª da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC/DLA Nahendi

Leia mais

Temeremos mais a miséria do que a morte é o título de um dos álbuns de O Levante, um grupo de rap que faz parte do Coletivo Hip Hop LUTARMADA:

Temeremos mais a miséria do que a morte é o título de um dos álbuns de O Levante, um grupo de rap que faz parte do Coletivo Hip Hop LUTARMADA: 1. Introdução Temeremos mais a miséria do que a morte é o título de um dos álbuns de O Levante, um grupo de rap que faz parte do Coletivo Hip Hop LUTARMADA: um movimento social cultural 1 que atua nas

Leia mais

8ª BATALHA DE BREAK EVOLUÇÃO HIP HOP Regulamento

8ª BATALHA DE BREAK EVOLUÇÃO HIP HOP Regulamento 8ª BATALHA DE BREAK EVOLUÇÃO HIP HOP Regulamento A Batalha de Break Evolução Hip Hop é uma das atividades da Mostra Hip Hop em Movimento que integra o VIVADANÇA Festival Internacional, que acontece durante

Leia mais

Planejamento Música: Tumbalacatumba Oralidade, produção textual, leitura, pesquisa, atenção, percepção

Planejamento Música: Tumbalacatumba Oralidade, produção textual, leitura, pesquisa, atenção, percepção Professor (a): Márcia Regina Somagal de Assumpção Planejamento Música: Tumbalacatumba Oralidade, produção textual, leitura, pesquisa, atenção, percepção Competências musical. Geral: Objetivos Promover

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA CULTURA

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA CULTURA ATENÇÃO ARTISTAS, GRUPOS, PRODUTORES CULTURAIS E DEMAIS REALIZADORES! FORAM LANÇADOS OS EDITAIS PROAC 2014. ACOMPANHE AS NOVIDADES DESTA EDIÇÃO! Ficha de inscrição online: disponível no site da Secretaria

Leia mais

TEMA: SAMBA DE GAFIEIRA

TEMA: SAMBA DE GAFIEIRA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DESANTA CATARINA IFSC-CAMPUS JOINVILLE CURSO DE ASSISTENTE EM PRODUÇÃO CULTURAL-PRONATEC TURMA 1 2013 PLANO COREOGRÁFICO TEMA: SAMBA DE GAFIEIRA CARLOS

Leia mais

CENTRO EDUCACIONAL MARIA JOSÉ Roteiro de Estudos da 3ª Unidade ª Série A AMAR DE VERDADE

CENTRO EDUCACIONAL MARIA JOSÉ Roteiro de Estudos da 3ª Unidade ª Série A AMAR DE VERDADE CENTRO EDUCACIONAL MARIA JOSÉ Roteiro de Estudos da 3ª Unidade 2016 8ª Série A 1 AMAR DE VERDADE Para se ter sucesso, é necessário amar de verdade o que se faz. Caso contrário, levando em conta apenas

Leia mais

Mainstream - a Guerra Global Das Mídias e Das Culturas, de Frédéric Martel

Mainstream - a Guerra Global Das Mídias e Das Culturas, de Frédéric Martel MIAMI, CAPITAL POP DA AMÉRICA LATINA Mainstream - a Guerra Global Das Mídias e Das Culturas, de Frédéric Martel Ana Gabriela Galante Garcia Marcella Santos MIAMI Grande parte da população de Miami é latina.

Leia mais

4º Ano Ensino Fundamental

4º Ano Ensino Fundamental 4º Ano Ensino Fundamental Eixo 1 Avalição Introdução 01 aula -Ler o texto; -Valorizar os sentidos -Texto: Dentro de casa ; Dentro de casa -Explorar as palavras novas do texto; -Pesquisa sobre a vida do

Leia mais

1 O Problema 1.1. Contextualização do problema

1 O Problema 1.1. Contextualização do problema 1 O Problema 1.1. Contextualização do problema A dança de salão, entendida como o conjunto de danças praticadas a dois (Massena, 2006), executada em academias de dança, bailes ou reuniões, e que antigamente

Leia mais

GEOGRAFIA ENSINO MÉDIO PROF. JEFFERSON OLIVEIRA 3 ANO PROF.ª LUDMILA DUTRA

GEOGRAFIA ENSINO MÉDIO PROF. JEFFERSON OLIVEIRA 3 ANO PROF.ª LUDMILA DUTRA GEOGRAFIA 3 ANO PROF.ª LUDMILA DUTRA ENSINO MÉDIO PROF. JEFFERSON OLIVEIRA CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade III Geopolítica e Poder 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES Aula 10.2 Conteúdo Os muros que dividem as fronteiras

Leia mais

R.A.P. ENSINA: as possibilidades educativas que permeiam as práticas do movimento Hip Hop

R.A.P. ENSINA: as possibilidades educativas que permeiam as práticas do movimento Hip Hop R.A.P. ENSINA: as possibilidades educativas que permeiam as práticas do movimento Hip Hop Adriana do Carmo de Jesus * RESUMO O artigo discorrerá a respeito dos processos educativos que permeiam as práticas

Leia mais

Henrique Heinrich TRABALHO FINAL DE GRADUAÇÃO II O RAP E SUA INSERÇÃO NO EVENTO VIDEO MUSIC BRASIL: O MOVIMENTO CONTRACULTURA NA INDÚSTRIA CULTURAL

Henrique Heinrich TRABALHO FINAL DE GRADUAÇÃO II O RAP E SUA INSERÇÃO NO EVENTO VIDEO MUSIC BRASIL: O MOVIMENTO CONTRACULTURA NA INDÚSTRIA CULTURAL 1 Henrique Heinrich TRABALHO FINAL DE GRADUAÇÃO II O RAP E SUA INSERÇÃO NO EVENTO VIDEO MUSIC BRASIL: O MOVIMENTO CONTRACULTURA NA INDÚSTRIA CULTURAL Santa Maria, RS 2013 2 Henrique Heinrich O RAP E SUA

Leia mais

Portfólio 3º Bimestre º Ano

Portfólio 3º Bimestre º Ano Portfólio 3º Bimestre - 2016 5º Ano Aluno(a): Prof.ª s : ALUNO(A): PROFESSOR(A): Turma: DATA: / / FICHA DE LEITURA ASPECTOS GERAIS Título do livro: Nome do autor: Editora: Local: Edição: Data: Número

Leia mais

Sebastiana. Música na escola: exercício 9

Sebastiana. Música na escola: exercício 9 Sebastiana Música na escola: exercício 9 Sebastiana Partituras Melodia, harmonia e letra Autor: Rosil Cavalcanti Região: Paraíba Ano: 1953, ano da gravação de Jackson do Pandeiro Arranjo: Edson José Alves

Leia mais

Hip Hop origens: das ruas de Nova Iorque para o mundo

Hip Hop origens: das ruas de Nova Iorque para o mundo Hip Hop origens: das ruas de Nova Iorque para o mundo Irei me deter em algumas discussões específicas sobre as origens do Hip Hop nos Estados Unidos. Tentarei deixar o mais claro possível alguns termos

Leia mais

O FOLCLORE DE PERNAMBUCO

O FOLCLORE DE PERNAMBUCO O FOLCLORE DE PERNAMBUCO O QUE É FOLCLORE Folclore é tudo simboliza os hábitos do povo, que foram conservados através do tempo, como conhecimento passado de geração em geração, por meio de lendas, canções,

Leia mais