Voz dos Jovens Juntos podemos mudar nosso mundo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Voz dos Jovens Juntos podemos mudar nosso mundo"

Transcrição

1 FEDERAÇÃO DE BANDEIRANTES DO BRASIL Voz dos Jovens Juntos podemos mudar nosso mundo Um Manual Prático sobre Advocacy Federação de Bandeirantes do Brasil Av. Marechal Câmara nº Centro Rio de Janeiro - RJ Tel (XX21) Fax (XX21) Home page:

2 2 FBB - Voz dos Jovens Juntos podemos mudar o mundo Índice 75 FICHA TÉCNICA Voz do Jovem - Juntos Podemos Mudar o Mundo Um Manual Prático sobre Advocay Setembro 2009 TRADUÇÃO DO DOCUMENTO DA WAGGGS Maria Olinda Luz ADAPATAÇÃO DO DOCUMENTO ENCAMINHADO PELA WAGGGS Lucia Tv Ramos - Diretora Executiva Nacional COLABORAÇÃO - LEITURA E CONTRIBUIÇÕES COMISSÃO DE JOVENS Cândida Moraes - Coordenação Isis Domingues - SP Letícia Simonaggio - RS Luanda Fonseca - RJ Vanessa Fiuza - RS EQUIPE NACIONAL Marcia Leão - Assessora Nacional Shirlei Cascales - Assessora Nacional Carolina Ruvira - Equipe Nacional Patrícia Waltz - Equipe Nacional Paula Pimenta - Internacional Daniela Avino - Treinadora Fátima Rodrigues - Treinadora Keyla Rabêlo - Treinadora Maria Alexandra Loureiro - Treinadora PROJETO GRÁFICO E DIAGRAMAÇÃO Lucia Quaresma - Design Gráfico Direitos reservados para uso da Federação de Bandeirantes do Brasil. Reprodução somente com citação da fonte e autorização do Conselho Diretor Nacional. Federação de Bandeirantes do Brasil Av. Marechal Câmara nº Centro Rio de Janeiro - RJ Tel (XX21) Fax (XX21) Home page:

3 74 FBB - Voz dos Jovens Juntos podemos mudar o mundo FEDERAÇÃO DE BANDEIRANTES DO BRASIL Voz dos Jovens Juntos podemos mudar nosso mundo. Um Manual prático sobre Advocacy Apoiar e estimular jovens B2, Guias e GAs a se pronunciar, educar e atuar O original desta publicação recebeu o apoio financeiro do Fundo Europeu para a Juventude do Conselho da Europa. Associação Mundial de Bandeirantes World Association of Girl Guides and Girl Scouts WAGGGS Adequação - Federação de Bandeirantes do Brasil Setembro 2009

4 4 FBB - Voz dos Jovens Juntos podemos mudar o mundo A Prática do Advocacy e os Programas dos Ramos 73 Avaliar resultados para a promoção e progressão individual, da Equipe e do Grupo. Saber identificar potencial de liderança nos Bandeirantes no assumir diferentes situações e desempenho de tarefas: Habilidades físicas e motoras; Habilidade de Comunicação; Habilidades artísticas; Habilidades em oficinas; Habilidades e identidade com diferentes temas; Etc. Incentivar a descoberta e o uso das habilidades para uma descoberta, um despertar vocacional. No Bandeirantismo, do Ramo Ciranda ao Ramo Guia, os Bandeirantes são educados para a participação ativa e responsável. Quanto mais os Coordenadores reconhecerem e trabalharem as oportunidades oferecidas nos Programas dos Ramos e no Método Bandeirante mais possibilidades teremos de, em um processo progressivo, obtermos resultados de uma atuação dos Bandeirantes na FBB, na sociedade como cidadãos líderes, que se pronunciem e atuem nas causas em defesa do bem comum. Cabe, portanto, aos Coordenadores e Dirigentes, responsáveis por esta educação imprimir em nossas atividades uma qualidade que garanta este desenvolvimento.

5 72 FBB - Voz dos Jovens Juntos podemos mudar o mundo ambiente, saúde, bem-estar, na paz: são oportunidades que o Método Bandeirante oferece para preparar o Bandeirante para AGIR na família, na sociedade exercitando a sua cidadania. Aprender a ter consciência do seu potencial e habilidades e usá-lo para melhora sua vida e a serviço dos demais. Não ser passivo nem omisso no seu desejo de mudanças e na construção do bem comum. Aprender a perceber seus direitos e responsabilidades e agir de forma coerente com seus valores e princípios; Interagir na sociedade, com outros Grupos: atuar na comunidade buscando aliados, pais, parceiros, somando esforços, trabalhado pelo bem comum; Atuar em outras Equipes, Comissões, Comitês, Fóruns: no MB e fora deste, colaborando em projetos, ações, que tragam benefícios sociais. Desenvolvendo a capacidade e o potencial dos Bandeirantes e EDUCÁ-LOS PARA SE TORNAREM CIDADÃOS DO MUNDO SABER PERCEBER RESULTADOS Isto significa observar, incentivar e promover a progressão individual, da Equipe e do Grupo. Elevar a capacidade máxima respeitando as individualidades. Ensinar, animar, oferecer experiências, confiar, monitorar, estimular, garantir participação para que todos os Bandeirantes tenham oportunidades iguais, mesmo que desenvolvimento e crescimento diferentes. ÍNDICE ORIENTAÇÃO PARA IMPLANTAÇÃO 7 1. INTRODUÇÃO Como Usar este Manual Prático Os Objetivos Deste Manual Prático O QUE É A ADVOCACY - CONCEITO Definição de Advocacy da WAGGGS/FBB Por que os Bandeirantes Devem Fazer Advocacy? Os Projetos de Serviço a Comunidade e Advocacy Uma Ação Comunitária - Exemplo de Ação Pontual Uma Ação de Advocacy PRONUNCIAR-SE/ATUAR/EDUCAR Pronunciar-se Conhecer e Entender Conhecer o Público Comunicação Compartilhar Mensagens Unir Esforços/Contagiar Atuar Agir Sensibilizar e Conscientizar 26

6 6 FBB - Voz dos Jovens Juntos podemos mudar o mundo A Prática do Advocacy e os Programas dos Ramos Atuar nas Mudanças Educar Aprender Fazendo Educar Trabalhando Temas de Interesse e que Afetam Crianças e Jovens Perceber Resultados e Progressão PLANEJANDO AÇÕES DE ADVOCACY FERRAMENTAS DE PROCESSOS Como Identificar um Tema Levantar Questões para Identificar o Problema, Causas Pesquisas que Devem Ser Feitas Dentro do Contexto a ser Analisado Como Identificar se a Causa e o Objetivo são Aptos para ADVOCACY Específico Realista Alcançável Mensurável Definido num Tempo Como Identificar a Situação do Grupo para Realização de uma Ação de Advocacy Fortalezas Debilidades Ameaças Oportunidades 38 Na Comunidade, quando representam a Instituição ao fazer uma BA, uma Prestação de Serviço, uma Ação Global, uma Ajuda em Situação de emergência, uma Campanha, quando são porta-vozes de uma mensagem, positiva de construção e mudanças, quando mobilizam a própria família, amigos e membros da sociedade para uma ação coletiva; Nos Projetos do Núcleo, Estado e Nacional quando tem oportunidade de multiplicar suas experiências, fazer intercâmbios, propor mudanças que beneficiem a todos. Desenvolvendo a capacidade e o potencial dos Bandeirantes para ATUAR, AGIR, FAZER, APRENDER FAZENDO. Isto significa valorizar o potencial dos Bandeirantes oferecendo no programa oportunidades de aprendizado de novas habilidades, de experiências relacionadas a temas importantes para a sua formação. Oportunidades que lhes deem autonomia para escolher e fazer o que decidem, para honrar, cumprir com responsabilidade seus compromissos, para oferecerem contribuições positivas de construção e mudanças aos demais SABER O COMO E O PORQUE DO FAZER. O cargos nas Equipes, as Especialidades: onde desde criança um Bandeirante se habilita para assumir responsabilidades, aprender novas habilidades, usar o seu potencial e exercitar sua liderança; Boas Ações, Serviço na Comunidade, Campanhas, Prontidão para servir em situações de emergência, manifestar-se no atendimento a causas que interferem na sua educação, meio

7 70 FBB - Voz dos Jovens Juntos podemos mudar o mundo Índice 7 A prática do ADVOCACY deve, portanto, resultar deste processo educativo que está presente em todos os Ramos. Discutir, dizer, decidir, participar, agir faz parte da proposta educativa do nosso método para a promoção da autonomia e liderança. Faz parte do exercício da Cidadania com liberdade e responsabilidade O PAPEL DOS COORDENADORES NESTA EDUCAÇÃO PROGRESSIVA. Desenvolvendo a capacidade e o potencial dos Bandeirantes para PRONUNCIAREM-SE, terem voz, saberem o que querem e a que levam a intenção do dizer. Isto significa ampliar as oportunidades de trabalhar temas com conteúdos que também ampliem os conhecimentos dos Bandeirantes e lhes dar fundamentos para a formação do senso crítico: perceber, discernir, discutir, opinar e decidir. Fundamentando seu pensamento com base nos Valores e Princípios morais, éticos, sociais e espirituais: Na Convivência em Equipe e no Grupo, na escolha, desenvolvimento e desempenho das tarefas, atividades, na avaliação; saber dizer, ouvir, respeitar; Recebendo conteúdos para ampliação de seus conhecimentos e ter fundamentos; Nas Assembleias e Conselhos de Grupo ampliando o potencial de discussão do Bandeirante para manifestarem suas opiniões, desejos, tirarem conclusões, mobilizarem os demais para realização de projetos, atividades e propostas que possam gerar propostas decisões que sejam importantes para o bem comum; 5.4. Como Identificar Fatores Externos que Poderão Influenciar sobre o Projeto de Advocacy que o Grupo Pretende Realizar Fatores Políticos Fatores Econômicos Fatores Sociais Fatores Tecnológicos Fatores Legais Fatores Físicos e Geográficos Como Identificar os Recursos que Necessários para Realizar uma Iniciativa de Advocay Pessoas Dinheiro Tempo Como Identificar as Metas do Projeto de Advocacy Toda Meta é Mensurável Metas a Curto Prazo Identificar o Público a ser Influenciado de Acordo com o Tema e a Causa Escolhida e a Ser Defendida Poder Público Decisório Poder da Sociedade Civil Da Instituição FBB 44

8 8 FBB - Voz dos Jovens Juntos podemos mudar o mundo 6. COMUNICAÇÃO Como Desenvolver a Mensagem de Advocay Os Cinco Elementos para uma Mensagem Eficaz Conteúdo/Idéias A Linguagem Como Apresentar a Mensagem: Opções Uso dos Meios de Comunicação O Mensageiro EXEMPLOS DE AÇÕES Fazendo uma Campanha Trabalho em Parceria com Outras Organizações FERRAMENTAS PARA OS CONSELHOS PERSUASÃO CONVENCER PLANEJAMENTO A PRÁTICA DO ADVOCACY E OS PROGRAMAS DOS RAMOS O Papel dos Coordenadores nesta Educação Progressiva Saber o Como e o Porque do Fazer Saber Perceber Resultados A PRÁTICA DO ADVOCACY E OS PROGRAMAS DOS RAMOS Os Programas dos Ramos, em seus conteúdos, oferecem uma base de formação para que os jovens pratiquem o Advocacy. Em seu fundamento todos os Programas têm uma proposta de promover a autonomia e a liderança respaldando as experiências práticas do uso da liberdade com responsabilidade, na vivência da democracia, dos princípios e valores éticos, morais, sociais e espirituais contidos na nossa Promessa e Código. O Bandeirantismo é um espaço onde crianças e jovens no desenvolvimento do seu potencial APRENDEM FAZENDO de forma contínua e progressiva. Do Ramo Ciranda ao Ramo Guia, crianças, adolescentes e jovens são chamados a interagir com o mundo em que vivem, a perceber, discutir, tomar decisões e agir. São chamados a pensar e perceber o mundo que lhes rodeia, discutir e decidir sobre suas ações, a se pronunciar e agir contribuindo de forma construtiva na causas que lhes afetam. AS ATIVIDADES DO BANDEIRANTISMO, ATRA- VÉS DOS PROGRAMAS, oferecem oportunidades para ampliação de conteúdos, conhecimentos e habilidades nos temas que fazem parte da nossa plataforma de atuação; Saúde, Meio Ambiente, Educação, Cidadania e Paz, e ainda oferecem experiências de como colocar esta aprendizagem a serviço dos demais através da convivência, da prática DA BOA AÇÃO E DO SERVIÇO INDIVIDUAL E COMUNITÁRIO.

9 68 FBB - Voz dos Jovens Juntos podemos mudar o mundo ORIENTAÇÃO PARA IMPLANTAÇÃO Este documento deve ser de amplo conhecimento de todos os Dirigentes de Núcleo, Estado e Coordenadores de Clãs, Guia e GAs. Advocacy aponta para uma ação coletiva, política, pública e embasada em valores que tem por princípio o exercício da representatividade. Portanto, cabe aos Dirigentes a responsabilidade de incentivar, apoiar e preparar os jovens para a realização das ações de Advocacy, assim como, conhecer, aprovar, participar ativamente e monitorar as atividades através de seus Coordenadores. O Advocacy está inserido no Plano Estratégico da FBB como meio de ampliar a atuação dos jovens para o desenvolvimento da democracia participativa e prática da cidadania ativa. A comunicação saudável e a cooperação de Dirigentes, Coordenadores e jovens, como atores-protagonistas, ampliam os recursos e as competências necessários à promoção e desenvolvimento das ações. Cabe a todos conhecer o Estatuto, o MNO e o Código de Conduta da FBB que compreende as normas, padrões e comportamentos necessários para preservar os princípios da Instituição, contidos na Promessa e no Código Bandeirante. O Código de Conduta é referência para o comportamento que se espera dos Associados, Colaboradores ou Voluntários que atuam em todos os níveis da FBB.

10 10 FBB - Voz dos Jovens Juntos podemos mudar o mundo Planejamento 67 Portanto, A implantação das ações de Advocacy deve ser planejada pelo Conselho Diretor Estadual de forma que os Dirigentes, Coordenadores de Guias e B2, Guias e GA s compreendam o conteúdo do documento e sejam capacitados para a sua execução. As ações de Advocacy devem estar direcionadas aos temas que afetam a qualidade de vida de crianças, adolescentes e jovens: Saúde, Meio Ambiente, Educação, Cidadania e Paz. Conselho Diretor Nacional Monitoramento Materiais: Onde será desenvolvido? Materiais necessários; Informática; Mídia. Financeiros Do que dispomos? O que podemos conseguir? Acompanhamento; Avaliação do alcance das Metas; Resultados de progressão:individual, do Grupo, para o MB.

11 66 FBB - Voz dos Jovens Juntos podemos mudar o mundo 1. INTRODUÇÃO Metas Qual a nossa Meta a Longo Prazo? Quais nossas Metas intermediárias a médio e curto prazo? Plano da Ação Quando o nosso projeto será implementado? Atividades: Reuniões; Oficinas; Mobilização e Campanhas; Visitas formais e informais; Promoção; Palestras; Pronunciamentos. Recursos Quais os nossos Recursos? E do que necessitamos? Humanos Com quem iremos compartilhar a nossa idéia? Quais os nossos aliados? Quem pretendemos influenciar para tomada de decisões? No Movimento Bandeirante tomadores de decisões Fora do Movimento Bandeirante tomadores de decisões Por que um Manual prático sobre Advocacy? No confronto entre o rio e a rocha, o rio sempre ganha... Não é graças à sua força, mas sim à perseverança... Anônimo A WAGGGS possui uma arraigada tradição de se expressar com o objetivo de fomentar a mudança, não somente em nosso favor, mas também em prol dos demais. Esta tem sido nossa linha de atuação o que agora denominamos Advocacy desde os primórdios do Movimento. Em 1909, um grupo de meninas e jovens se apresentaram em um Rally de Escotismo que acontecia no Palácio de Cristal em Londres, para exigir um lugar dentro da família do Escotismo. Com a iniciativa e pelo fato de terem elevado suas vozes em prol das meninas e jovens, foi criado o Movimento Bandeirante. A ação no Crystal Palace constituiu a primeira atividade de Advocacy do Bandeirantismo, e marcou o início de décadas de atividade de Advocacy por parte das meninas e jovens do mundo todo.

12 12 FBB - Voz dos Jovens Juntos podemos mudar o mundo Planejamento 65 A ação de Advocacy desempenha um papel crucial para alcançar a Missão e a Visão da WAGGGS. A Missão da WAGGGS/ FBB é Ajudar crianças e jovens (FBB) a desenvolverem seu pleno potencial como cidadãos do mundo, conscientes de suas responsabilidades. A Visão da WAGGGS para 2011 é Somos um Movimento em crescimento, a voz de crianças e jovens (FBB) que exercem influência sobre as questões que lhes preocupam e constrõem um mundo melhor. Hoje em dia, a WAGGGS considera que um uso mais preciso da Advocacy nos ajudará a melhorar as vidas das crianças, adolescentes e jovens do mundo inteiro, favorecendo nosso desenvolvimento como Movimento. A ação de Advocacy garantirá que sejamos reconhecidos e escutados como organização que se pronuncia de forma clara e que empreende ações sobre questões que afetam os jovens, conseguindo assim, uma mudança positiva. Ao compreender que um novo enfoque requer um novo recurso, tomou-se a decisão de preparar este Manual Prático. Federação de Bandeirantes do Brasil Roteiro para um Projeto de Advocay Tema: Grupo Nucleo Estado Tema: Saude? Educação? Meio Ambiente? Projeto Público-alvo Diagnóstico: O problema existente: Fonte de pesquisa e de dados para a nossa preparação; Onde está localizado? A quem a situação está afetando? Por que devemos nos envolver? Quais as causas do problema? Já houve tentativa de solucionar este problema? Por quem? O que os Bandeirantes podem fazer para resolver este problema? Qual a nossa Proposta? Objetivo. O que queremos mudar e em quanto tempo? Quem pretendemos atingir? Qual a nossa principal mensagem para este público?

13 64 FBB - Voz dos Jovens Juntos podemos mudar o mundo Introdução 13 C. D. Projetos na Área de Meio Ambiente Reciclagem de Óleo, plástico; Campanha da Água; Limpem o Mundo; Desmatamentos. Projetos que Promovem a Paz Campanhas contra a violência; Dia do Pensamento; Semana Bandeirante. Este Manual pretende satisfazer as necessidades dos Bandeirantes que desejem desenvolver um Projeto de Advocacy, seja ele membro do Conselho Nacional, Estadual de Núcleo, Dirigente, Coordenador/a ou membro de um Grupo local. A FBB, históricamente, também se destaca pelas iniciativas de atuação na comunidade e por ser uma Instituição que sempre esteve presente e atuante nas questões do mundo e que afetam as crianças e jovens. No Livro Chama Acesa os jovens terão oportunidade de ler as incursões do MOVIMENTO BANDEIRANTE na sociedade e a atuação dos Bandeirantes em diferentes Projetos que trouxeram benefícios não somente para a formação dos mesmos, mas também para as comunidades onde atuaram e atuam. Campanhas; Intercâmbios; Campos de Trabalho; Fóruns; Ações Globais; Projetos de Prevenção a IST/Aids Projetos Alimentação e Nutrição; Projetos de Educação Ambiental; Projetos de Reforço Escolar; Projetos de Inclusão; e muitas outras ações que mobilizam os Bandeirantes a ajudar, participar, agir contribuindo para a melhoria do bem comum. A ação de Advocacy é mais um passo ao nosso crescimento de participação, de aproveitamento de oportunidades

14 14 FBB - Voz dos Jovens Juntos podemos mudar o mundo Planejamento 63 para fomentar a atitude cidadã visando ampliar o nosso potencial para atuar nas mudanças sociais. Estas orientações vêm reforçar e redimencionar o trabalho nos Ramos B2, Guias, GAs, Coordenadores e Dirigentes e a atuação do Bandeirantismo em suas localidades. Pretendemos, também, com esta ação fortalecer a atuação dos jovens, ampliando o seu potencial para a formação de novas lideranças COMO USAR ESTE MANUAL PRÁTICO Não existe sorte ou destino que possa impedir ou controlar a firme resolução de uma alma determinada. Ella Wheeler Wilcox Todo Projeto de Advocacy é diferente e tem que ser enfocado de maneira que se ajuste ao problema concreto que se está tratando de resolver. Todas as atividades de Advocacy exigem apoio, recursos e um plano que os ajude a organizar estas atividades OS OBJETIVOS DESTE MANUAL PRÁTICO Explicar o papel da Advocacy e como a WAGGGS/ FBB o define; Esclarecer o papel da Advocacy no Bandeirantismo; Ajudar a aumentar capacidade dos Bandeirantes de expressar sua opinião e atuar so- Projeto Cultura da Paz pode fazer uso da Cartilha de Alimentação para sensibilizar e conscientizar populações para uma alimentação saudável, mudança de hábitos alimentares e combate ao desperdício. As campanhas que visam mudanças de políticas e procedimentos do Governo para garantir o bem estar social e qualidade de vida do povo brasileiro. É preciso que cada Conselho Estadual e de Núcleo olhe para os Projetos e ações de seus Grupos e Núcleos e percebam a grande dimensão que tem e como podem ser enriquecidos nesta nova visão. A. B. Projetos e Ações na Área de Educação Reforço Escolar, Maluquinhos por Leitura; Inclusão; Comitês Juvenis; Educação Internacional. Projetos e Ações na Área de Saúde Prevenção a aids Prevenção a gravidez precoce, droga, álcool; Segurança no trânsito; Alimentação e nutrição; Campanhas preventivas; Ações globais.

15 62 FBB - Voz dos Jovens Juntos podemos mudar o mundo Introdução 15 Se fortalecermos nossos Clãs com conteúdos, ou com o exercício de ações na comunidade ou ações de Advocacy o nosso Fórum V deverá ter novas e mais consistentes propostas de intervenção em alguma área. Assembleias esta é outro espaço democrático de participação dos jovens em processo decisório e, portanto, deve ser uma prática aperfeiçoada, sistematizada no cotidiano dos Grupos, Clã, Núcleos e Estados. Ampliar os espaços de discussão, de inclusão de conteúdos de interesse dos jovens para que tenham opiniões e discurso fundamentado, saibam escolher e decidir. A Carta de Intenções escrita e aprovada pelos Guias e GAs, no Fórum IV foi um inicio neste trabalho e pode, no nível Estadual e de Clã, ser trabalhada nesta nova perspectiva. Ações na Comunidade O campo de experiência da FBB é vasto e muito rico. Os Grupos desenvolvem ações nas distintas áreas e muitas delas já tem indicadores que possam ser redimencionados para uma ação de Advocacy. Projeto Ouça... Aprenda... Viva no nível Nacional e em alguns Estados desenvolve ações de Advocacy em conjunto com outras ONGs quando defende causas junto ao poder público e Governo para combater a descriminação, quebra de patentes de medicamentos, fiscalização do uso de verbas destinadas ao tratamento e prevenção da aids etc. Mas deve ser uma prática de todos. bre temas referentes aos jovens, em nível nacional ou local; Orientar os Bandeirantes no processo de elaboração de um Projeto de Advocacy em nível de Equipe, Grupo, Núcleo, Estado e Nacional. Descrever algumas das diversas atividades de Advocacy e trazer sugestões práticas que ajudem no trabalho promocional; Indicar outros materiais e recursos úteis da FBB e que poderão ajudar a desenvolver seu Projeto de Advocacy. Em conjunto, este documento contém: as ferramentas necessárias; exemplos de projetos e sugestões: Como recurso dinâmico, este Manual pode evoluir à medida que o enfoque da WAGGGS sobre Advocacy evolua também. Consulte sempre o site:

16 16 FBB - Voz dos Jovens Juntos podemos mudar o mundo A Mensagem de Olave Baden-Powell 10. PLANEJAMENTO Ajudar a criar um mundo melhor e um futuro mais brilhante para a juventude do amanhã. Olave Baden-Powell A Advocacy não traz em si necessariamente a confrontação e não tem porque ser partidária. Como cidadão responsável é natural que os Bandeirantes se envolvam nos processos democráticos do nosso país e que participem em suas comunidades. Os Bandeirantes podem apoiar idéias desde que estas se fundamentem e estejam em coerência com os princípios e valores da Instituição e sejam causas que afetem as crianças, adolecentes e jovens. O Movimento Bandeirante é uma organização não-partidária, mas para poder construir um mundo melhor, poderá ser necessário estabelecer uma relação com pessoas dedicadas, líderes sociais politicamente comprometidos e/ou responsáveis pelo processo decisório. Os Coordenadores e Dirigentes da FBB devem fomentar e apoiar as iniciativas dos jovens, Equipe e Grupos para desenvolvimento de ações de Advocay. Os Conselhos de Grupo, as Assembleias de Grupo, Clãs, de Núcleo, Estaduais e Nacionais são espaços de promoção destas idéias e de incentivo Institucional. As atividades e reuniões nos Grupos de B2, Guias e GAs devem oportunizar a inclusão de conteúdos de interesse dos jovens abrindo mais horizontes e perspectivas sobre as questões do mundo e do país, mais informações sobre atuação na comunidade e como fazer ações de Advocacy. É importante aproveitar esta nova visão para fortalecer as nossas ações na Comunidade e aproveitar o potencial existente nesta dimensão. Se trabalhamos com áreas como Saúde, Meio Ambiente, Educação, Paz e Cidadania no Mundo devemos beneficiar os nossos Grupos com abordagens de mais conteúdos e fundamentação para ampliar conhecimentos e visão contextualizada destes temas. Exemplos do que fazemos e do que pode ser melhorado: Os Fóruns do Futuro esta atividade é um espaço aberto para organização ou promoção de ações de Advocacy em âmbito Nacional.

17 60 FBB - Voz dos Jovens Juntos podemos mudar o mundo 2. O QUE É A ADVOCACY - CONCEITO Ações Reuniões pessoais, com personalidades locais; Reuniões de uma representação delegada; Cartas, telefonemas ou petições; Envio de books, informações para pessoas que tomam decisões; Reuniões comunitárias, de pais, fóruns de debates, mesas redondas; Conferência de imprensa Oportunidades de influência no processo de formação política no Brasil a. b. Quando as políticas estão sendo preparadas; Quando as políticas estão para serem votadas. Não pense em si; pense no seu país e no benefício que de seu trabalho poderá advir (vir em conseqüência) pra outras pessoas. Baden Powell O termo Advocacy provém do latim propugnare e significa defender, amparar. Nós o empregamos para descrever um processo democrático em particular, onde indivíduos ou agrupamentos de pessoas exercem diversas iniciativas para tentar influenciar aqueles que tomam as decisões que afetam nossas vidas. Advocacy consiste também em defender uma causa em que se acredita e tentar mudar as vidas das pessoas com a finalidade de construir um mundo melhor.

18 18 FBB - Voz dos Jovens Juntos podemos mudar o mundo 2.1. DEFINIÇÃO DE ADVOCACY DA WAGGGS/FBB 9. PERSUASÃO CONVENCER Influenciar as pessoas que tomam decisões para melhorar nossas vidas e as vidas dos demais. Esta palavra significa mais concretamente: Que exercemos influência sobre as pessoas (por meio do discurso público, de nossas atuações e da educação) que tomam as decisões. Que podemos modificar, ações, procedimentos, políticas ou regulamentos que vão melhorar nossas vidas e a vida dos outros (o resultado que tentamos alcançar). Para que isto aconteça a ação de Advocay inclui três elementos básicos : PRONUNCIAR-SE, Expressar nossa opinião sobre as questões que afetam as crianças e jovens e influenciar os formadores de opinião. ATUAR e Realizar os projetos que abordem as causas fundamentais das questões que afetam as crianças e jovens. EDUCAR. Educar as crianças e jovens, pessoas que vivem em sociedade e em geral em áreas como Liderança, Saúde, Meio Ambiente, Paz e a Cidadania do Mundo, áreas de atuação que trabalhamos nos Programas Bandeirantes. Ferramenta: a essência de persuadir de maneira eficaz Estabelecer e manter bons contatos com líderes políticos, comunitários e com indivíduos importantes dentro das comunidades e que sejam influentes devido ao poder pessoal e alinhados aos nossos princípios; Adicionar o nosso interesse dentro de círculo mais amplos dos interesses dos demais; Saber aproveitar o momento, a ocasião oportuna; Saber negociar, incluir argumentos, informações, estatísticas que podem ser do interesse daqueles a quem pretendemos convencer; Fundamentar-se nos conhecimentos antecedentes e conteúdos da política sobre a qual se deseja causar mudança e ser capaz de transmitir; Colocar-se no lugar do companheiro/a de diálogo e considerar também as suas prioridades para encontrar pontos comuns; Manter contatos.

19 58 FBB - Voz dos Jovens Juntos podemos mudar o mundo O que é a Advocacy - Conceito 19 Novos parceiros que podem ser agregados Pensar em outros possíveis vínculos ou parceiros ainda não contatados; Juntar-se a coligações e campanhas já existentes e que já atuam nas questões que nos interessa, especialmente aquelas em que os Bandeirantes podem oferecer seu know-how (ter know-how é saber realizar a tarefa que lhe cabe com conhecimento de causa e experiência no que está realizando); Certificar-se de que cada um dos membros da coalizão ou rede contribua com informações, recursos ou habilidades complementares ao projeto; Certificar-se se estão dentro dos padrões éticos previstos no MNO/FBB; Ser realista sobre aquilo que se pode conseguir com uma ampla plataforma de sócios, grupos interessados, amigos do bandeirantismo e que falam a mesma voz; Reconhecer limitações. Qualquer que seja o tema, Advocacy consiste em defender uma causa e trabalhar por uma mudança positiva. Nos pronunciamos sobre algum assunto importante que afeta as crianças e jovens em sua comunidade, estado ou país, desenvolvemos projetos que melhoram diretamente suas vidas para que possam mudar de forma positiva o mundo que os rodeia. Podemos chamar de Advocacy apenas quando estão presentes os três elementos: pronunciar-se, atuar e educar. Portanto é um processo que inclui: Identificar um problema; Encontrar uma solução para esse problema; Estabelecer apoios internos e externos fortes a favor desta solução; Implementar um plano eficaz. É importante ir passo a passo e ser paciente porque, em certas ocasiões, será necessário exercer muita influência e muitas declarações, iniciativas e educação antes de presenciar alguma mudança. O que não é Advocacy Uma atividade ou manifestação isolada na qual expressamos uma opinião; Uma atuação fora de um contexto mais amplo que é o de pretender influenciar aqueles que tomam decisões que melhoram nossa vida e as vidas dos demais; Uma ação pontual que trás benefícios mas não assegura mudanças.

20 20 FBB - Voz dos Jovens Juntos podemos mudar o mundo 2.2. POR QUE OS BANDEIRANTES DEVEM FAZER ADVOCACY? 8. FERRAMENTAS PARA OS CONSELHOS É muito fácil e comum, em um país livre, a gente considerar-se um bom cidadão. Muitas pessoas julgam-se bons cidadãos pelo fato de respeitarem as leis,trabalharem e exprimirem sua opinião sobre política, esportes ou outras atividades, deixando que o governo se preocupe com os problemas da vida e do bem estar da nação. Isto é uma forma passiva de cidadania. E, neste mundo, cidadania passiva não é suficiente para assegurar a liberdade, justiça, honra e honestidade. Só nos servem, em verdade, cidadãos ativos e úteis. Banden Powell Trabalho em rede em um projeto ou campanha Identificar os Parceiros Mapear os parceiros que a Instituição já possui e poderiam aderir ao projeto ou campanha. Os Bandeirantes sempre estiveram dispostos a unir suas vozes para mudar o mundo que os rodeia, desde as primeiras moças que assistiram ao Rally do Crystal Palace em 1909 e exigiram um espaço para as jovens, até hoje, sempre temos expressado nossa opinião sobre temas como os direitos humanos, HIV/Aids, ou o desenvolvimento de medidas políticas que afetam os jovens onde quer que vivam.

O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE)

O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE) O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE) É o chamado do Ministério da Educação (MEC) à sociedade para o trabalho voluntário de mobilização das famílias e da comunidade pela melhoria da

Leia mais

Jovens cuidando do Brasil

Jovens cuidando do Brasil ação constitui uma parte da política dos três R reduzir, reutilizar e reciclar, depreende-se a necessidade de um trabalho com lixo que se inicie com uma revisão crítica dos hábitos e padrões de consumo.

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

PLANO DE MOBILIZAÇÃO SOCIAL PELA EDUCAÇÃO

PLANO DE MOBILIZAÇÃO SOCIAL PELA EDUCAÇÃO PLANO DE MOBILIZAÇÃO SOCIAL PELA EDUCAÇÃO Este documento é resultado do chamado do Ministério da Educação à sociedade para um trabalho voluntário de mobilização das famílias e da comunidade pela melhoria

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA PI.001.00000000 A - 04 de Junho de 2014

CÓDIGO DE ÉTICA PI.001.00000000 A - 04 de Junho de 2014 CÓDIGO DE ÉTICA PI.001.00000000 A - 04 de Junho de 2014 PALAVRA DA DIRETORIA Apresentamos, com muito prazer, o do Grupo Galvão, que foi elaborado de maneira participativa com representantes dos colaboradores

Leia mais

o pensar e fazer educação em saúde 12

o pensar e fazer educação em saúde 12 SUMÁRIO l' Carta às educadoras e aos educadores.................5 Que história é essa de saúde na escola................ 6 Uma outra realidade é possível....... 7 Uma escola comprometida com a realidade...

Leia mais

CONSTRUINDO UM PROJETO DE VOLUNTARIADO

CONSTRUINDO UM PROJETO DE VOLUNTARIADO CONSTRUINDO UM PROJETO DE VOLUNTARIADO ExpedieNte TEXTO Kátia Regina Gonçalves Paulo de Camargo Priscila Cruz COORDENAÇÃO DO PROJETO Sílnia Nunes Martins Prado PROJETO GRÁFICO Linea Creativa ILUSTRAÇÃO

Leia mais

04 Despertar a ideologia sócio-econômicaambiental na população global, Mobilização política para os desafios ambientais

04 Despertar a ideologia sócio-econômicaambiental na população global, Mobilização política para os desafios ambientais TRATADO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA SOCIEDADES SUSTENTÁVEIS E RESPONSABILIDADE GLOBAL CIRCULO DE ESTUDOS IPOG - INSTITUTO DE PÓSGRADUAÇÃO MBA AUDITORIA, PERÍCIA E GA 2011 Princípios Desafios Sugestões 01

Leia mais

Planejamento estratégico do Movimento Nossa São Paulo

Planejamento estratégico do Movimento Nossa São Paulo Planejamento estratégico do Movimento Nossa São Paulo Contribuições construídas pelo GT Juventude A avaliação das entidades e grupos que compõe o GT Juventude faz da atuação do Movimento em 2008 é extremamente

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Grupos de trabalho: formação Objetivo: elaborar atividades e

Leia mais

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL ANEXO IV Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO 1-Promoção dos Direitos de Crianças e Adolescentes Buscar apoio das esferas de governo (Federal e Estadual)

Leia mais

8ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE MINAS GERAIS

8ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE MINAS GERAIS 8ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE MINAS GERAIS DOCUMENTO FINAL EIXO 1 PROMOÇÃO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Ações de mobilização: 1. Ampla mobilização, por

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA GESTÃO EMPRESARIAL: REFLEXÕES SOBRE O TEMA. Renata Ferraz de Toledo Maria Claudia Mibielli Kohler

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA GESTÃO EMPRESARIAL: REFLEXÕES SOBRE O TEMA. Renata Ferraz de Toledo Maria Claudia Mibielli Kohler EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA GESTÃO EMPRESARIAL: REFLEXÕES SOBRE O TEMA Renata Ferraz de Toledo Maria Claudia Mibielli Kohler REPRESENTAÇÕES DE EDUCAÇÃO E DE MEIO AMBIENTE O QUE ENTENDEMOS POR EDUCAÇÃO? O QUE

Leia mais

Primeiro Segmento equivalente à alfabetização e às quatro primeiras séries do Ensino Fundamental (1ª à 4ª série).

Primeiro Segmento equivalente à alfabetização e às quatro primeiras séries do Ensino Fundamental (1ª à 4ª série). INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE A EJA 1- Você se matriculou em um CURSO DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA). Esse curso tem a equivalência do Ensino Fundamental. As pessoas que estudam na EJA procuram um curso

Leia mais

Fatores e Indicadores de Desempenho ADP

Fatores e Indicadores de Desempenho ADP Fatores e Indicadores de Desempenho ADP RESPONSABILIDADE / COMPROMETIMENTO COM A INSTITUIÇÃO - Assumir o compromisso na realização das atribuições - Atuar com disposição para mudanças - Buscar qualidade

Leia mais

DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS. (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012)

DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS. (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012) DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012) Artigo 1º O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós

Leia mais

PROJETOS CULTURAIS ELEIÇÕES. 5 0 a O - fu dame tal. Votar é uma forma de lutar pelos nossos direitos. Justificativa

PROJETOS CULTURAIS ELEIÇÕES. 5 0 a O - fu dame tal. Votar é uma forma de lutar pelos nossos direitos. Justificativa ELEIÇÕES ELEIÇÕES 5 0 a O - fu dame tal Votar é uma forma de lutar pelos nossos direitos. Justificativa PROJETOS CULTURAIS Estamos em época de eleições, em tempo de discutir ideias para fazer a melhor

Leia mais

PROJETO interação FAMÍLIA x ESCOLA: UMA relação necessária

PROJETO interação FAMÍLIA x ESCOLA: UMA relação necessária PROJETO interação FAMÍLIA x ESCOLA: UMA relação necessária Apoio: Secretária municipal de educação de santo Afonso PROJETO INTERAÇÃO FAMÍLIA X ESCOLA: UMA RELAÇÃO NECESSÁRIA. É imperioso que dois dos principais

Leia mais

PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS

PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS 2014 1 Índice 1. Contexto... 3 2. O Programa Cidades Sustentáveis (PCS)... 3 3. Iniciativas para 2014... 5 4. Recursos Financeiros... 9 5. Contrapartidas... 9 2 1. Contexto

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DA CEMIG COM A COMUNIDADE Substitui a NO-02.15 de 23/06/2009

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DA CEMIG COM A COMUNIDADE Substitui a NO-02.15 de 23/06/2009 03/08/2010 Pág.01 POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DA CEMIG COM A COMUNIDADE Substitui a NO-02.15 de 23/06/2009 1. INTRODUÇÃO 1.1 A Política de Comunicação da CEMIG com a Comunidade explicita as diretrizes que

Leia mais

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial remuneração para ADVOGADOS Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados advocobrasil Não ter uma política de remuneração é péssimo, ter uma "mais ou menos" é pior ainda. Uma das

Leia mais

MENSAGEM DO PRESIDENTE

MENSAGEM DO PRESIDENTE Ética para viver Ética para viver MENSAGEM DO PRESIDENTE Caro colaborador, A Bandeirante possui missão, visão e valores definidos. Eles estão discriminados em um documento amplamente difundido dentro e

Leia mais

PLANO DE COMUNICAÇÃO DA ESTRATÉGIA DA JME/RS

PLANO DE COMUNICAÇÃO DA ESTRATÉGIA DA JME/RS PLANO DE COMUNICAÇÃO DA ESTRATÉGIA DA JME/RS PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO DA ESTRATÉGIA DA JME APRESENTAÇÃO Este projeto trata do Planejamento de Comunicação da Estratégia da Justiça Militar do Estado do

Leia mais

Manual de apoio à elaboração de projetos culturais

Manual de apoio à elaboração de projetos culturais Manual de apoio à elaboração de projetos culturais Um projeto tem como objetivo transformar idéias e aspirações em ações concretas que possam aproveitar oportunidades, solucionar problemas, atender a necessidades

Leia mais

CONHEÇA OS NOSSOS PROJETOS

CONHEÇA OS NOSSOS PROJETOS CONHEÇA OS NOSSOS PROJETOS APRESENTAÇÃO Em Dezembro de 2004 por iniciativa da Federação das Indústrias do Estado do Paraná o CPCE Conselho Paranaense de Cidadania Empresarial nasceu como uma organização

Leia mais

Padrões de Competências para o Cargo de Coordenador Pedagógico

Padrões de Competências para o Cargo de Coordenador Pedagógico Padrões de Competências para o Cargo de Coordenador Pedagógico O Coordenador Pedagógico é o profissional que, na Escola, possui o importante papel de desenvolver e articular ações pedagógicas que viabilizem

Leia mais

VI Conferencia Regional de voluntariado IAVE. Guayaquil Ecuador

VI Conferencia Regional de voluntariado IAVE. Guayaquil Ecuador VI Conferencia Regional de voluntariado IAVE Guayaquil Ecuador 2013 PerguntAção no Programa de Voluntariado Promon: conectando o conhecimento para criar, construir e transformar Autora: Marisa Villi (Assessora

Leia mais

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1.1 APRESENTAÇÃO O Plano de Comunicação e Participação Social subsidiará a elaboração do Plano Diretor de Mobilidade Urbana, criando as bases para

Leia mais

RELATÓRIO DA PESQUISA ONLINE: Avaliação dos Atores do Sistema de Garantia de Direitos participantes das Oficinas em São Paulo

RELATÓRIO DA PESQUISA ONLINE: Avaliação dos Atores do Sistema de Garantia de Direitos participantes das Oficinas em São Paulo RELATÓRIO DA PESQUISA ONLINE: Avaliação dos Atores do Sistema de Garantia de Direitos participantes das Oficinas em São Paulo APRESENTAÇÃO A SaferNet Brasil é uma associação civil de direito privado, com

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE ENFRENTAMENTO A VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA A CRIANÇA E O ADOLESCENTE

PLANO MUNICIPAL DE ENFRENTAMENTO A VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA A CRIANÇA E O ADOLESCENTE PLANO MUNICIPAL DE ENFRENTAMENTO A VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA A CRIANÇA E O ADOLESCENTE APRESENTAÇÃO: A violência sexual contra a criança e o adolescente tem sido um problema de difícil enfrentamento por

Leia mais

PLANO DE TRABALHO Rede Nacional de Jovens Líderes

PLANO DE TRABALHO Rede Nacional de Jovens Líderes PLANO DE TRABALHO Rede Nacional de Jovens Líderes PLANO DE TRABALHO Rede Nacional de Jovens Líderes pág. 1 PLANO DE TRABALHO Rede Nacional de Jovens Líderes MISSÃO Somos uma rede nacional escoteira de

Leia mais

#ElesPorElas. Movimento ElesPorElas (HeForShe) de Solidariedade da ONU Mulheres pela Igualdade de Gênero Impactando Universidades

#ElesPorElas. Movimento ElesPorElas (HeForShe) de Solidariedade da ONU Mulheres pela Igualdade de Gênero Impactando Universidades #ElesPorElas Movimento ElesPorElas (HeForShe) de Solidariedade da ONU Mulheres pela Igualdade de Gênero Impactando Universidades ElesPorElas Criado pela ONU Mulheres, a Entidade das Nações Unidas para

Leia mais

Abrasa - Ponto de Cultura, Internacional Brasileiros na Áustria.

Abrasa - Ponto de Cultura, Internacional Brasileiros na Áustria. 1 Abrasa - Ponto de Cultura, Internacional Brasileiros na Áustria. Quem somos: A Abrasa Associação Brasileiro-Afro-Brasileira para o Desenvolvimento da Dança, Cultura Educação e Arte, é uma Instituição

Leia mais

DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA

DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA Área de Atuação 1. Formação Profissional Cooperativista São ações voltadas à formação, qualificação e capacitação dos associados,

Leia mais

Unidade II COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL. Profa. Ma. Andrea Morás

Unidade II COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL. Profa. Ma. Andrea Morás Unidade II COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL Profa. Ma. Andrea Morás Comunicação empresarial Envolve todas as ferramentas de comunicação. Atividade multidisciplinar. Envolve conflitos, emoções, potencialidades e

Leia mais

FUNK CONSCIENTIZA. VAI 1 - música

FUNK CONSCIENTIZA. VAI 1 - música PROGRAMA PARA A VALORIZAÇÃO DE INICIATIVAS CULTURAIS VAI SECRETARIA MUNICIPAL DA CULTURA São Paulo, fevereiro de 2010 FUNK CONSCIENTIZA VAI 1 - música Proponente Nome RG: CPF: Endereço Fone: E-mail: DADOS

Leia mais

Com-Vida. Comissão de Meio Ambiente e Qualidade de Vida

Com-Vida. Comissão de Meio Ambiente e Qualidade de Vida Com-Vida Comissão de Meio Ambiente e Qualidade de Vida Com-Vida Comissao de Meio Ambiente e Qualidade de Vida Depois de realizar a Conferência... Realizada a Conferência em sua Escola ou Comunidade, é

Leia mais

Tratado de Educação Ambiental para Sociedades Sustentáveis e Responsabilidade Global

Tratado de Educação Ambiental para Sociedades Sustentáveis e Responsabilidade Global Tratado de Educação Ambiental para Sociedades Sustentáveis e Responsabilidade Global Este Tratado, assim como a educação, é um processo dinâmico em permanente construção. Deve portanto propiciar a reflexão,

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Prefeitura Municipal de Cachoeiro de Itapemirim - ES PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Introdução O Programa Municipal de Educação Ambiental estabelece diretrizes, objetivos, potenciais participantes, linhas

Leia mais

Mapeando uma Estratégia de Advocacia

Mapeando uma Estratégia de Advocacia Mapeando uma Estratégia de Advocacia Tomando em consideração os limites de tempo e recursos dos implementadores, as ferramentas da série Straight to the Point (Directo ao Ponto), da Pathfinder International,

Leia mais

I Seminário Transfronteiriço sobre Estratégias de participação Andaluzia, Algarve, Alentejo Marta Terra Voluntariado e cidadania - A REDE -

I Seminário Transfronteiriço sobre Estratégias de participação Andaluzia, Algarve, Alentejo Marta Terra Voluntariado e cidadania - A REDE - Rede Portuguesa de Jovens para a Igualdade de Oportunidades entre Mulheres e Homens (REDE) I Seminário Transfronteiriço sobre Estratégias de participação Andaluzia, Algarve, Alentejo Marta Terra Voluntariado

Leia mais

Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4

Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4 Guia do Educador CARO EDUCADOR ORIENTADOR Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 2. PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4 Objetivo GERAL 5 METODOLOGIA 5 A QUEM SE DESTINA? 6 O QUE

Leia mais

Instituto Mundo Melhor 2013. A Educação para a Paz como caminho da infância

Instituto Mundo Melhor 2013. A Educação para a Paz como caminho da infância Instituto Mundo Melhor 2013 por um MUNDO MELHOR A Educação para a Paz como caminho da infância PROJETO O PROGRAMA INFÂNCIA MUNDO MELHOR O Projeto Infância Mundo Melhor investe na capacitação e na formação

Leia mais

PROJETO CHICO MENDES: Ciclos da vida: ambiente, saúde e cidadania

PROJETO CHICO MENDES: Ciclos da vida: ambiente, saúde e cidadania 2010 PROJETO CHICO MENDES: Ciclos da vida: ambiente, saúde e cidadania Mogi Guaçu/SP PROJETO CHICO MENDES CICLOS DA VIDA: AMBIENTE, SAÚDE E CIDADANIA Equipe FMPFM Prof. Ms. Glauco Rogério Ferreira Desenvolvimento

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS A IMPORTÂNCIA DO PROCESSO DE PLANEJAMENTO Para a realização de um projeto é necessário refletir sobre os passos que devem ser seguidos, entender a realidade

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO APRESENTAÇÃO O Projeto Político Pedagógico da Escola foi elaborado com a participação da comunidade escolar, professores e funcionários, voltada para a

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

Roteiro para elaboração de projetos 1

Roteiro para elaboração de projetos 1 1 Roteiro para elaboração de projetos 1 O objetivo aqui é que vocês exercitem a criatividade, a atitude empreendedora, a inteligência emocional (liderar e ser liderado) e a responsabilidade (individual

Leia mais

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos!

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! Documento final aprovado por adolescentes dos Estados do Amazonas, da Bahia, do Ceará, do Mato Grosso,

Leia mais

PROPOSTA DE GOVERNO DA COLIGAÇÃO BLUMENAU: QUEM AMA CUIDA.

PROPOSTA DE GOVERNO DA COLIGAÇÃO BLUMENAU: QUEM AMA CUIDA. PROPOSTA DE GOVERNO DA COLIGAÇÃO BLUMENAU: QUEM AMA CUIDA. PARTIDOS COLIGADOS: 1. Partido dos Trabalhadores PT; 2. Partido Progressista PP; 3. Partido Democrático Trabalhista PDT; 4. Partido Comunista

Leia mais

Contribuições à Criação e Organização de um Núcleo de Voluntariado

Contribuições à Criação e Organização de um Núcleo de Voluntariado Terceiro Setor Contribuições à Criação e Organização de um Núcleo de Voluntariado Para que possamos atuar com voluntários, em projetos sociais, em instituições públicas ou privadas é fundamental que se

Leia mais

Grêmio em Forma: o fomento à participação dos jovens na escola como estratégia de prevenção da violência

Grêmio em Forma: o fomento à participação dos jovens na escola como estratégia de prevenção da violência Grêmio em Forma: o fomento à participação dos jovens na escola como estratégia de prevenção da violência (Artigo publicado no livro Violência & Juventude, editora Hucitec, 2010) Este texto pretende apresentar

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS 1 DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES E OBJETIVO DO MOVIMENTO 2 Artigo 1º O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007

PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007 PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007 Institui o Programa Mais Educação, que visa fomentar a educação integral de crianças, adolescentes e jovens, por meio do apoio a atividades

Leia mais

e construção do conhecimento em educação popular e o processo de participação em ações coletivas, tendo a cidadania como objetivo principal.

e construção do conhecimento em educação popular e o processo de participação em ações coletivas, tendo a cidadania como objetivo principal. Educação Não-Formal Todos os cidadãos estão em permanente processo de reflexão e aprendizado. Este ocorre durante toda a vida, pois a aquisição de conhecimento não acontece somente nas escolas e universidades,

Leia mais

Primeiro escritório de inclusão social da América Latina

Primeiro escritório de inclusão social da América Latina Primeiro escritório de inclusão social da América Latina 18 de setembro Nós do Centro: mais uma ação para a comunidade do Grupo Orsa O Grupo Orsa, por meio da Fundação Orsa, inaugura um espaço inovador

Leia mais

CARAVANA ESPORTIVA. Projetos Esportivos Educacionais

CARAVANA ESPORTIVA. Projetos Esportivos Educacionais CARAVANA ESPORTIVA Seleção Pública P de Projetos Esportivos Educacionais Programa Petrobras Esporte & Cidadania Fomentar o desenvolvimento do esporte olímpico brasileiro; Democratizar o acesso ao esporte

Leia mais

Este Fórum Local da Agenda 21 se propõe a escutar, mobilizar e representar a sociedade local, para construirmos em conjunto uma visão compartilhada

Este Fórum Local da Agenda 21 se propõe a escutar, mobilizar e representar a sociedade local, para construirmos em conjunto uma visão compartilhada Fórum da Agenda 21 de Guapimirim Aprender a APRENDER e a FAZER. Aprender a CONVIVER, e Aprender a SER Cidadãos Participativos, Éticos e Solidários Este Fórum Local da Agenda 21 se propõe a escutar, mobilizar

Leia mais

PRINCIPAIS NORTEADORES ESTRATÉGICOS DA UNIMED VALE DAS ANTAS/RS.

PRINCIPAIS NORTEADORES ESTRATÉGICOS DA UNIMED VALE DAS ANTAS/RS. UNIMED VALE DAS ANTAS, RS - COOPERATIVA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE LTDA Ramo: Cooperativa Médica de Serviços de Saúde Período de Relato: de 27/02/2014 a 24/02/2015 E-mail: rh@valedasantas.unimed.com.br / gerencia@valedasantas.unimed.com.br

Leia mais

PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL PRS-FACIIP

PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL PRS-FACIIP PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL PRS-FACIIP Aprovado na Reunião do CONASU em 21/01/2015. O Programa de Responsabilidade Social das Faculdades Integradas Ipitanga (PRS- FACIIP) é construído a partir

Leia mais

I Seminário Nacional de Controle Social A sociedade no acompanhamento da gestão pública Brasília, 25, 26 e 27 de Set/2009

I Seminário Nacional de Controle Social A sociedade no acompanhamento da gestão pública Brasília, 25, 26 e 27 de Set/2009 I Seminário Nacional de Controle Social A sociedade no acompanhamento da gestão pública Brasília, 25, 26 e 27 de Set/2009 Observatório da Educação participação e controle da sociedade civil nas políticas

Leia mais

Resolução adotada pela Assembleia Geral em 19 de dezembro de 2011. 66/121. Políticas e programas voltados à juventude

Resolução adotada pela Assembleia Geral em 19 de dezembro de 2011. 66/121. Políticas e programas voltados à juventude Organização das Nações Unidas A/RES/66/121 Assembleia Geral Distribuição: geral 2 de fevereiro de 2012 65 a sessão Item 27 (b) da pauta Resolução adotada pela Assembleia Geral em 19 de dezembro de 2011

Leia mais

Avaliando o Cenário Político para Advocacia

Avaliando o Cenário Político para Advocacia Avaliando o Cenário Político para Advocacia Tomando em consideração os limites de tempo e recursos dos implementadores, as ferramentas da série Straight to the Point (Directo ao Ponto), da Pathfinder International,

Leia mais

PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO DA REDE SOCIAL BRASILEIRA POR CIDADES JUSTAS & SUSTENTÁVEIS

PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO DA REDE SOCIAL BRASILEIRA POR CIDADES JUSTAS & SUSTENTÁVEIS PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO DA REDE SOCIAL BRASILEIRA POR CIDADES JUSTAS & SUSTENTÁVEIS Brasília, 09 e 10 de abril de 2015 INESC - Sec. Ex. Movimento Nossa Brasília Moderação: TaEana Spíndola Essência

Leia mais

Seres vivos. Mensagens aos jovens. Proposta 1

Seres vivos. Mensagens aos jovens. Proposta 1 Mensagens aos jovens Nós, jovens, devemos nos organizar para a construção de projetos, em que possamos, juntos com a população e os órgãos responsáveis, nos responsabilizar pelo bem-estar do nosso patrimônio.

Leia mais

PROGRAMA ÉTICA E CIDADANIA construindo valores na escola e na sociedade. Democracia na escola Ana Maria Klein 1

PROGRAMA ÉTICA E CIDADANIA construindo valores na escola e na sociedade. Democracia na escola Ana Maria Klein 1 PROGRAMA ÉTICA E CIDADANIA construindo valores na escola e na sociedade Democracia na escola Ana Maria Klein 1 A escola, instituição social destinada à educação das novas gerações, em seus compromissos

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE ATENDIMENTO SÓCIOEDUCATIVO DO MUNICÍPIO DE ESPÍRITO SANTO/RN

PLANO MUNICIPAL DE ATENDIMENTO SÓCIOEDUCATIVO DO MUNICÍPIO DE ESPÍRITO SANTO/RN PLANO MUNICIPAL DE ATENDIMENTO SÓCIOEDUCATIVO DO MUNICÍPIO DE ESPÍRITO SANTO/RN ESPÍRITO SANTO/RN, OUTUBRO DE 2014. FRANCISCO ARAÚJO DE SOUZA PREFEITO MUNICIPAL DE ESPÍRITO SANTO/RN ELIZANGELA FREIRE DE

Leia mais

LEI Nº 445 DE 07 DE JUNHO DE 2004. O GOVERNADOR DO ESTADO DE RORAIMA: Faço saber que a Assembléia Legislativa aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 445 DE 07 DE JUNHO DE 2004. O GOVERNADOR DO ESTADO DE RORAIMA: Faço saber que a Assembléia Legislativa aprovou e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 445 DE 07 DE JUNHO DE 2004 Dispõe sobre a Educação Ambiental, institui a Política Estadual de Educação Ambiental, cria o Programa Estadual de Educação Ambiental e complementa a Lei Federal nº 9.795/99,

Leia mais

DECRETO Nº 8.243, DE 23 DE MAIO DE 2014

DECRETO Nº 8.243, DE 23 DE MAIO DE 2014 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 8.243, DE 23 DE MAIO DE 2014 Institui a Política Nacional de Participação Social - PNPS e o Sistema Nacional de Participação

Leia mais

QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA!

QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA! QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA! NOSSA VISÃO Um mundo mais justo, onde todas as crianças e todos os adolescentes brincam, praticam esportes e se divertem de forma segura e inclusiva. NOSSO

Leia mais

O VALOR DAS VERDADEIRAS PARCERIAS PARA O REFORÇO DAS CAPACIDADAES LOCAIS: A EXPERIÊNCIA DO FOJASSIDA. Pretoria Africa du Sul

O VALOR DAS VERDADEIRAS PARCERIAS PARA O REFORÇO DAS CAPACIDADAES LOCAIS: A EXPERIÊNCIA DO FOJASSIDA. Pretoria Africa du Sul O VALOR DAS VERDADEIRAS PARCERIAS PARA O REFORÇO DAS CAPACIDADAES LOCAIS: A EXPERIÊNCIA DO FOJASSIDA Pretoria Africa du Sul Conteúdo 1. Apresentação da FOJASSIDA 2. Introdução 3. Diferentes formas de parcerias

Leia mais

Experiência: O novo olhar sobre a gestão de pessoas do setor público, na nova idade da democracia no Brasil.

Experiência: O novo olhar sobre a gestão de pessoas do setor público, na nova idade da democracia no Brasil. Experiência: O novo olhar sobre a gestão de pessoas do setor público, na nova idade da democracia no Brasil. RADIOBRÁS Empresa Brasileira de Comunicação S. A. Diretoria de Gestão de Pessoas e Administração

Leia mais

SOBRE A FÉRIAS VIVAS MISSÃO. Lutar pela conscientização e proteger vidas no turismo nacional. VISÃO

SOBRE A FÉRIAS VIVAS MISSÃO. Lutar pela conscientização e proteger vidas no turismo nacional. VISÃO SOBRE A FÉRIAS VIVAS A Associação Férias Vivas é a primeira ONG de âmbito nacional voltada para a segurança no turismo e no lazer. A organização foi criada em 2002 a partir da iniciativa de um grupo de

Leia mais

Blog e Flog como recursos de aprendizagem

Blog e Flog como recursos de aprendizagem 1 de 6 12/11/2008 20:24 Blog e Flog como recursos de aprendizagem Imprimir página Blog pedagógico: é possível visualizar um novo horizonte? Tânia Maria Moreira 1 Antes de ler este texto, pare, pense e

Leia mais

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PROPOSTA DE AÇÃO Criar um fórum permanente onde representantes dos vários segmentos do poder público e da sociedade civil atuem juntos em busca de uma educação

Leia mais

O CONSELHO DA UE E OS REPRESENTANTES DOS GOVERNOS DOS ESTADOS-MEMBROS, REUNIDOS NO CONSELHO,

O CONSELHO DA UE E OS REPRESENTANTES DOS GOVERNOS DOS ESTADOS-MEMBROS, REUNIDOS NO CONSELHO, C 172/8 PT Jornal Oficial da União Europeia 27.5.2015 Conclusões do Conselho sobre a maximização do papel do desporto de base no desenvolvimento de competências transversais, especialmente entre os jovens

Leia mais

Participa Curitiba! Oficina sobre participação cidadã. Andressa Mendes Fernanda Castelhano Rafaela Scheiffer. Material para aplicação.

Participa Curitiba! Oficina sobre participação cidadã. Andressa Mendes Fernanda Castelhano Rafaela Scheiffer. Material para aplicação. Participa Curitiba! Oficina sobre participação cidadã Realização: Material para aplicação Andressa Mendes Fernanda Castelhano Rafaela Scheiffer Essa Oficina sobre educação política e participação cidadã

Leia mais

SERVIÇOS DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS SCFV

SERVIÇOS DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS SCFV SERVIÇOS DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS SCFV SOCIOASSISTENCIAL X SOCIOEDUCATIVO SOCIOASSISTENCIAL apoio efetivo prestado a família, através da inclusão em programas de transferência de renda

Leia mais

Política de. [ comunicação] Forluz

Política de. [ comunicação] Forluz Política de [ comunicação] Forluz Índice Apresentação...4 Missão da Forluz...5 Condições para aplicação deste documento...6 Objetivos da Política de Comunicação...7 Diretrizes da Política de Comunicação...8

Leia mais

A Declaração de Jacarta. sobre Promoção da Saúde no Século XXI

A Declaração de Jacarta. sobre Promoção da Saúde no Século XXI A Declaração de Jacarta sobre Promoção da Saúde no Século XXI * * * * * * * * * * * * * * * * * ** * * * * * * * * * A Declaração de Jacarta sobre Promoção da Saúde no Século XXI * * * * * * * * * * *

Leia mais

CEDHAP CENTRO DE DESENVOLVIMENTO HUMANO APLICADO PARCERIAS E TRABALHO VOLUNTÁRIO EM EDUCAÇÃO

CEDHAP CENTRO DE DESENVOLVIMENTO HUMANO APLICADO PARCERIAS E TRABALHO VOLUNTÁRIO EM EDUCAÇÃO PARCERIAS E TRABALHO VOLUNTÁRIO EM EDUCAÇÃO Heloísa Lück Diretora Educacional do CEDHAP Centro de Desenvolvimento Humano Aplicado Curitiba - PR Artigo publicado na revista Gestão em Rede no. 24 de out.

Leia mais

PLANO DE TRABALHO Rede Nacional de Jovens Líderes

PLANO DE TRABALHO Rede Nacional de Jovens Líderes PLANO DE TRABALHO Rede Nacional de Jovens Líderes pág. 1 VISÃO GERAL Objetivo 1 - No âmbito da seção escoteira, apoiar a correta aplicação do método escoteiro, em especial as práticas democráticas previstas

Leia mais

ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE INCLUSIVA EM CURITIBA. Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura Municipal de Curitiba

ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE INCLUSIVA EM CURITIBA. Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura Municipal de Curitiba ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE EDUCACAO INFANTIL INCLUSIVA EM CURITIBA VEJA COMO SUA EMPRESA PODE TRANSFORMAR ESTA IDEIA EM REALIDADE { Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura

Leia mais

Módulo IV. Delegação e Liderança

Módulo IV. Delegação e Liderança Módulo IV Delegação e Liderança "As pessoas perguntam qual é a diferença entre um líder e um chefe. O líder trabalha a descoberto, o chefe trabalha encapotado. O líder lidera, o chefe guia. Franklin Roosevelt

Leia mais

Pólos da Paz e Praças da Paz SulAmérica

Pólos da Paz e Praças da Paz SulAmérica A iniciativa O projeto Praças é uma iniciativa do Instituto Sou da Paz, em parceria com a SulAmérica, que promove a revitalização de praças públicas da periferia de São Paulo com a participação da comunidade

Leia mais

Protocolo de Relacionamento Político dos Escoteiros do Brasil

Protocolo de Relacionamento Político dos Escoteiros do Brasil Protocolo de Relacionamento Político dos Escoteiros do Brasil Protocolo de Relacionamento Político dos Escoteiros do Brasil Este guia pretende nortear os Grupos Escoteiros do Brasil a desenvolverem um

Leia mais

EDITAL 04 Perfil 02 PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL PROJETO UNESCO 914BRZ3018

EDITAL 04 Perfil 02 PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL PROJETO UNESCO 914BRZ3018 EDITAL 04 Perfil 02 PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL PROJETO UNESCO 914BRZ3018 DESENVOLVIMENTO DA DEMOCRACIA PARTICIPATIVA POR MEIO DA ESPECIALIZAÇÃO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS DE JUVENTUDE E DOS

Leia mais

Articula JOVENS E O DESENVOLVIMENTO LOCAL. Andréia Beraldo Carolina Corção Izabel Martins Suellen Giovanoni

Articula JOVENS E O DESENVOLVIMENTO LOCAL. Andréia Beraldo Carolina Corção Izabel Martins Suellen Giovanoni Articula JOVENS E O DESENVOLVIMENTO LOCAL Andréia Beraldo Carolina Corção Izabel Martins Suellen Giovanoni Realização: Apoio: O ARTICULA foi um evento promovido pelo programa Jovens Profissionais do Desenvolvimento

Leia mais

FUNDAÇÃO NACIONAL PARA A DEMOCRACIA DIRETRIZES DA PROPOSTA DIRETRIZ ADICIONAL

FUNDAÇÃO NACIONAL PARA A DEMOCRACIA DIRETRIZES DA PROPOSTA DIRETRIZ ADICIONAL Utilize este documento como uma ajuda adicional para escrever um orçamento ou narrativa da proposta. Se tiver outras perguntas, queria enviar um email à equipe regional do NED apropriada ou para proposals@ned.org.

Leia mais

O TRABALHO DA ENFERMAGEM COM POPULAÇÕES VULNERÁVEIS- INTERFACE ENTRE AIDS, CAMINHONEIROS E PROFISSIONAIS DO SEXO

O TRABALHO DA ENFERMAGEM COM POPULAÇÕES VULNERÁVEIS- INTERFACE ENTRE AIDS, CAMINHONEIROS E PROFISSIONAIS DO SEXO O TRABALHO DA ENFERMAGEM COM POPULAÇÕES VULNERÁVEIS- INTERFACE ENTRE AIDS, CAMINHONEIROS E PROFISSIONAIS DO SEXO KOLLER, Evely Marlene Pereira 1 RAMOS,Flávia Regina Souza 2 O Brasil conta com uma população

Leia mais

O PAPEL DO GESTOR COMO MULTIPLICADOR

O PAPEL DO GESTOR COMO MULTIPLICADOR Programa de Capacitação PAPEL D GESTR CM MULTIPLICADR Brasília 12 de maio de 2011 Graciela Hopstein ghopstein@yahoo.com.br Qual o conceito de multiplicador? Quais são as idéias associadas a esse conceito?

Leia mais

Carta do Conselho da Europa sobre a Educação para a Cidadania Democrática e a Educação para os Direitos Humanos

Carta do Conselho da Europa sobre a Educação para a Cidadania Democrática e a Educação para os Direitos Humanos Carta do Conselho da Europa sobre a Educação para a Cidadania Democrática e a Educação para os Direitos Humanos Introdução A educação desempenha um papel essencial na promoção dos valores fundamentais

Leia mais

Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT. Fátima Ticianel CDG-SUS/UFMT/ISC-NDS

Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT. Fátima Ticianel CDG-SUS/UFMT/ISC-NDS Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT Proposta do CDG-SUS Desenvolver pessoas e suas práticas de gestão e do cuidado em saúde. Perspectiva da ética e da integralidade

Leia mais

Relatório de Comunicação e Engajamento COE. Associação Paranaense dos Engenheiros Ambientais APEAM

Relatório de Comunicação e Engajamento COE. Associação Paranaense dos Engenheiros Ambientais APEAM Relatório de Comunicação e Engajamento COE Associação Paranaense dos Engenheiros Ambientais APEAM Declaração de Apoio Continuo do Presidente 21/08/2015 Para as partes interessadas: Tenho o prazer de confirmar

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA Vitória, ES Janeiro 2010. 1ª Revisão Janeiro 2011. 2ª Revisão Janeiro 2012. POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DA REDE GAZETA IDENTIDADE CORPORATIVA Missão

Leia mais

Política de Comunicação Fundação Luterana de Diaconia

Política de Comunicação Fundação Luterana de Diaconia Política de Comunicação Fundação Luterana de Diaconia Missão da FLD Apoiar e acompanhar programas e projetos de grupos organizados da sociedade civil que fortaleçam o protagonismo das pessoas e suas comunidades,

Leia mais

IISEMINÁRIOS REGIONAIS DOS CEUs ETAPA FORTALEZA RELATÓRIO GRUPO 1

IISEMINÁRIOS REGIONAIS DOS CEUs ETAPA FORTALEZA RELATÓRIO GRUPO 1 IISEMINÁRIOS REGIONAIS DOS CEUs ETAPA FORTALEZA RELATÓRIO GRUPO 1 14 E 15 DE MARÇO DE 2013 LOCAL: Ponta Mar Hotel Av. Beira Mar, 2200, Fortaleza-CE MODERADORES: Silvana RELATORIA: Silvana EXPECTATIVAS

Leia mais

Política Nacional de Museus Bases para a Política Nacional de Museus

Política Nacional de Museus Bases para a Política Nacional de Museus Política Nacional de Museus Bases para a Política Nacional de Museus APRESENTAÇÃO Ao se propor a sistematização de uma política pública voltada para os museus brasileiros, a preocupação inicial do Ministério

Leia mais

FORMAÇÃO DA CIDADANIA OBJETIVOS E METAS

FORMAÇÃO DA CIDADANIA OBJETIVOS E METAS FORMAÇÃO DA CIDADANIA OBJETIVOS E METAS 1. Garantir a participação juvenil na elaboração e acompanhamento das políticas públicas na área de cidadania, em nível municipal, estadual e nacional, promovendo

Leia mais