AGRUPAMENTO VERTICAL DE REDONDO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AGRUPAMENTO VERTICAL DE REDONDO"

Transcrição

1 AGRUPAMENTO VERTICAL DE REDONDO AVALIAÇÃO 2006/2007 E OBJECTIVOS, METAS E INDICADORES PARA OS ANOS LECTIVOS DE 2007/2008 E 2008/2009 AVALIAÇÃO INTERNA ENSINO BÁSICO E SECUNDÁRIO - Reduzir o insucesso em cada ano lectivo por disciplina, até 2008/2009, relativamente ao ano 2006/2007, de acordo com as grelhas em anexo. - Reduzir o insucesso em cada ano lectivo, por ano de escolaridade, de acordo com as grelhas em anexo. - Reduzir o insucesso do agrupamento, por ciclo de escolaridade, de acordo com as grelhas em anexo. CURSOS DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO - Assegurar taxas de conclusão não inferiores a 95%.

2 CURSOS PROFISSIONAIS - Assegurar taxas de conclusão não inferiores a 90%. EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS - Assegurar taxas de conclusão não inferiores a 60%. Nota: Estas metas têm em conta a sobrevivência dos alunos nos diferentes cursos. AVALIAÇÃO EXTERNA ENSINO BÁSICO E SECUNDÁRIO - Melhorar os resultados das classificações externas, de acordo com as grelhas em anexo. - Aproximar o intervalo de classificação da avaliação interna de frequência relativamente à avaliação externa.

3 ABANDONO ESCOLAR ALUNOS COM MENOS DE 15 ANOS Considerando que se trata do período de funcionamento da escolaridade obrigatória, o abandono a considerar deve tendencialmente situar-se no 0%. ALUNOS COM MAIS DE 15 ANOS ENSINO BÁSICO O abandono deve limitar-se a um máximo de 4% dos alunos matriculados no início do ano lectivo, considerando aqueles que não concluem o 9º ano e não se matriculam no ano lectivo seguinte. ENSINO SECUNDÁRIO 10º e 11º anos O abandono deve limitar-se a um máximo de 3% 12º ano O abandono deve limitar-se a um máximo de 4%

4 1º CICLO INSUCESSO 1º ANO 2º ANO 3º ANO 4º ANO Nº TOTAL ALUNOS Redondo Fonte Seca Montoito Aldeias Montoito Santa Susana TOTAL INSUCESSO PERCENTAGEM INSUCESSO 0,0 % 15,7 % 5,5 % 3,1 % PROVAS AFERIÇÃO 4.º Ano Nº TOTAL ALUNOS INSUCESSO LP 64 7,8% MAT 64 18,75% OBJECTIVOS E METAS: 1º ANO 2º ANO 3º ANO 4º ANO INSUCESSO a reduzir em 0,0 % 5 % 2 % 1 % - Diminuir o intervalo de classificação da avaliação interna de frequência, relativamente à classificação obtida na avaliação externa; - Melhorar os resultados das classificações nas provas de avaliação externa em cada ano lectivo até 2008/2009, inclusive, relativamente ao ano lectivo de 2006/2007, em: PROVAS AFERIÇÃO INSUCESSO a reduzir em: 4.º Ano LP 2,5% MAT 6%

5 2º CICLO INSUCESSO LP HGP ING MAT CN EVT EM EF EMRC 5.º Ano 5,6% 6,67% 8,00% 20,59% 14,67% 4,00% 12,00% 10,67% 2,67% 4,76% 6.º Ano 24,1% 13,64% 18,46% 36,92% 25,76% 12,12% 0,00% 13,64% 0,00% 0,00% TOTAL 11,97% 6.º Ano PROVAS AFERIÇÃO Nº TOTAL ALUNOS INSUCESSO LP 63 17,46% MAT 63 58,73% OBJECTIVOS E METAS: INSUCESSO a reduzir em: LP HGP ING MAT CN EVT EM EF EMRC 5.º Ano 2,0 % 2,5 % 3,0% 8,0 % 6,0 % 1,5 % 4,0 % 3,5 % 1,0 % 1,5 % 6.º Ano 6,0 % 5,0 % 7,0 % 12,0 % 10,0 % 5,0 % 0,0 % 5,0 % 0,0 % 0,0 % TOTAL 5,0 % - Diminuir o intervalo da classificação da avaliação interna de frequência, relativamente à classificação obtida na avaliação externa; - Melhorar os resultados das classificações nas provas de avaliação externa em cada ano lectivo até 2008/2009, inclusive, relativamente ao ano lectivo de 2006/2007, em: PROVAS AFERIÇÃO INSUCESSO a reduzir em: 6.º Ano LP 5% MAT 15%

6 3º CICLO INSUCESSO LP ING (LE I) FRC (LE I) ING (LE II) FRC (LE II) ESP (LE II) HST GGF MAT CN CFQ EV 7.º Ano 3,45% 18,39% 16,87% 25,00% 25,00% 3,13% 5,88% 0,00% 9,72% 25,29% 5,56% 16,67% 2,30% 8.º Ano 11,59% 34,78% 12,70% 33,33% 0,00% 19,35% 0,00% 10,14% 33,82% 34,78% 7,25% 7,58% 1,49% 9.º Ano 31,03% 43,10% 25,45% 0,00% 0,00% 1,82% 39,66% 8,62% 34,48% 0,00% 26,32% 0,00% TOTAL 13,55% ET EF EMRC CSH CFN INT.INF TEC.INF AP. INF INT.INT 7.º Ano 0,00% 4,60% 2,33% 13,33% 26,67% 13,33% 13,33% 13,33% 13,33% 8.º Ano 8,82% 1,45% 0,00% 9.º Ano 0,00% 0,00% 0,00% 9.º Ano EXAMES Nº TOTAL ALUNOS INSUCESSO LP 45 17,78% MAT 45 86,67% OBJECTIVOS E METAS: INSUCESSO a reduzir em: LP ING (LE I) FRC (LE I) ING (LE II) FRC (LE II) ESP (LE II) HST GGF MAT CN CFQ EV 7.º Ano 1,0 % 6,0 % 6,0 % 8,0% 8,0 % 1,0 % 2,0 % 0,0 % 3,0 % 8,0 % 2,0 % 6,0 % 1,0 % 8.º Ano 4,0 % 12,0 % 4,0 % 10,0 % 0,0 % 7,0 % 0,0 % 3,5 % 10,0 % 12,0 % 2,5 % 2,5 % 0,5 % 9.º Ano 10,0 % 15,0 % 8,0 % 0,0 % 0,0 % 0,5 % 0,0 % 12,0 % 3,0 % 12,0 % 0,0 % 12,0% 0,0% TOTAL 5,0 % 7.º Ano 0,0 % 1,5 % 1,0 % ET EF EMRC CSH CFN INT.INF TEC.INF AP. INF INT.INT 8.º Ano 3,0 % 0,5 % 0,0 % 4,0 % 10,0 % 4,0 % 4,0 % 4,0 % 4,0 % 9.º Ano 0,0 % 0,0 % 0,0 % - Diminuir o intervalo da classificação da avaliação interna de frequência, relativamente à classificação obtida na avaliação externa; - Melhorar os resultados das classificações nas provas de avaliação externa em cada ano lectivo até 2008/2009, inclusive, relativamente ao ano lectivo de 2006/2007, em: 9.º Ano EXAMES INSUCESSO a reduzir em: LP 5% MAT 25%

7 SECUNDÁRIO INSUCESSO PORT ING FRC FIL EF MAT- A FQ-A BG TIC EMRC HIST- C PSIC- A SS TEC PAS 10.º Ano 8,33% 8,3% 11,8% 60,0% 9,5% 0,0% 0,0% 29,2% 5,3% 0,0% 0,0% 11.º Ano 33,33% 19,1% 30,0% 33,3% 11,1% 0,0% 0,0% 18,2% 8,3% 0,0% 0,0% 25,0% 0,0% 0,0% 0,0% 1ª Fase Exames Nacionais Total alunos admitidos p/ aprovação Média de exame Média de CFD 12,6 13,0 Nº CFD Taxa de reprovação 10,0% 16,7% 2ª Fase Exames Nacionais Total alunos admitidos p/ aprovação 1 Média de exame 38 Média de CFD 9,0 Nº CFD 10 1 Taxa de reprovação 100,0% OBJECTIVOS: INSUCESSO a reduzir em: PORT ING FRC FIL EF MAT-A FQ-A BG TIC EMRC HIST-C PSIC-A SS TEC PAS 10.º Ano 2,0 % 2,5 % 3,5 % 20,0% 3,0 % 0,0% 0,0% 10,0% 2,0 % 0,0% 0,0% 11.º Ano 10,0 % 6,0 % 8,0 % 12,0% 4,0 % 0,0% 0,0% 7,0 % 3,0 % 0,0% 0,0% 8,0 % 0,0% 0,0% 0,0% - Melhorar os resultados das classificações nas diversas provas de avaliação externa em cada ano lectivo até 2008/2009, inclusive, relativamente ao ano lectivo de 2006/2007, fazendo-as aproximar progressivamente da média nacional; - Diminuir o intervalo da classificação da avaliação interna de frequência, relativamente à classificação obtida na avaliação externa.

8 INSUCESSO PORT EF MAT-A PSIC-A BIOL SS GEOL TEC PAS PT AP EST PSIC PAT EMRC 12.º Ano 59,46% 11,8% 0,0% 22,2% 0,0% 11,1% 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% 33,3% 0,0% 0,0% 1ª Fase Exames Nacionais Total alunos admitidos p/ aprovação Média de exame Média de CFD 11,7 11,6 11,5 12,0 11,15 Nº CFD Taxa de reprovação 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% 2ª Fase Exames Nacionais Total alunos admitidos p/ aprovação Média de exame Média de CFD 10,0 10,0 10,0 Nº CFD Taxa de reprovação 0,0% 0,0% 0,0% INSUCESSO TOTAL SECUNDÁRIO 37,23% OBJECTIVOS: INSUCESSO a reduzir em: PORT EF MAT-A PSIC-A BIOL SS GEOL TEC PAS PT AP EST PSIC PAT EMRC 12.º Ano 15,0 % 4,0 % 0,0% 8,0 % 0,0% 4,0 % 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% 10,0% 0,0% 0,0% - Melhorar os resultados das classificações nas diversas provas de avaliação externa em cada ano lectivo até 2008/2009, inclusive, relativamente ao ano lectivo de 2006/2007, fazendo-as aproximar progressivamente da média nacional; - Diminuir o intervalo da classificação da avaliação interna de frequência, relativamente à classificação obtida na avaliação externa.

HORÁRIO - Ano Letivo 2015/2016

HORÁRIO - Ano Letivo 2015/2016 Turma: 5ºA 08:30 E.F C.N L.E. I Inglês E.T E.M 09:15 E.F C.N L.E. I Inglês E.T E.M 10:20 PORT EV MAT MAT PORT 11:05 PORT EV MAT MAT PORT 12:00 L.E. I Inglês E.M.R.C APOIO EUCARISTIA H.G.P 14:30 MAT H.G.P

Leia mais

Resultados Aproveitamento & Comportamento

Resultados Aproveitamento & Comportamento Resultados & Comportamento 1.º Período 1/15 Conteúdos Conteúdos 2 Tabelas e Gráficos Abreviaturas 5 Critérios para Atribuição das Menções Qualitativas Comportamento Resultados Escolares 7 Ensino Básico

Leia mais

ESCOLA EB 2,3 Ribamar

ESCOLA EB 2,3 Ribamar 7 º ANO TURMA A ING 10CN CN 13TO FRA 8 MAT 8 EF Pav ING 10CN CN 13TO MAT 8 MAT 8 EF Pav MAT 7 MUS/TIC 1/5TIC PORT 9EV FRA 13 CFQ 9FQ MAT 7 MUS/TIC 1/5TIC CFQ 9EV FRA 13 CFQ 9FQ EF Pav DPS 8 EV 9EV GEO

Leia mais

AUTO-AVALIAÇÃO DO AGRUPAMENTO

AUTO-AVALIAÇÃO DO AGRUPAMENTO AUTO-AVALIAÇÃO DO AGRUPAMENTO Os processos e as tecnologias podem unir aspectos importantes para melhores desempenhos organizacionais, mas são as pessoas, através dos seus desempenhos e comportamentos,

Leia mais

ESCOLA EB 2,3 DR. JOÃO DAS REGRAS

ESCOLA EB 2,3 DR. JOÃO DAS REGRAS 5 º ANO TURMA A EMRC 6 HIST 18 EF Pav MAT 5 CN 11 ING 6 EF Pav EF Pav MAT 5 ING 11 ET 13 MAT 5 DPS 2 EM 1 EV 13 ET 13 MAT 5 ING 2 EM 1 EV 13 PORT 7 PORT 7 CN 3 PORT 6 HGP 5 PORT 7 PORT 7 CN 3 PORT 6 HGP

Leia mais

OBSERVATÓRIO INTERNO DOS RESULTADOS ESCOLARES

OBSERVATÓRIO INTERNO DOS RESULTADOS ESCOLARES AGRUPAMENTO VERTICAL DE GAVIÃO Ano Lectivo 2009/2010 OBSERVATÓRIO INTERNO DOS RESULTADOS ESCOLARES Portefólio de Avaliação Sumativa Interna/ Externa De nada vale pensar, é preciso reflectir primeiro! (Pierre

Leia mais

Cândida Santos Carlos Pegacha Jaime Filipe Paulo Cardoso

Cândida Santos Carlos Pegacha Jaime Filipe Paulo Cardoso Cândida Santos Carlos Pegacha Jaime Filipe Paulo Cardoso Barreiro, 20 julho 2012 É no diálogo entre perspectivas internas e externas que as instituições se desenvolvem e melhoram. Também a avaliação da

Leia mais

Projecto Curricular de Escola Ano lectivo 2008-2009 ANEXO I

Projecto Curricular de Escola Ano lectivo 2008-2009 ANEXO I ANEXO I 0 HORÁRIOS DOS CLUBES/PROJECTOS E/OU ACTIVIDADES DE TEE HORÁRIO SEGUNDA Sala TERÇA Sala QUARTA Sala QUINTA Sala SEXTA Sala 8:00 8:45 Ateliê de Animação 205 Ateliê de Animação 205 Ateliê de Animação

Leia mais

Agrupamento de Escolas Martim de Freitas

Agrupamento de Escolas Martim de Freitas Agrupamento de Escolas Martim de Freitas Projecto Educativo 2009/2013 O que verdadeiramente nos interessa é educarmos de modo a contribuirmos para uma sociedade aberta e dinâmica, mas só cooperando, conseguiremos

Leia mais

d o S u c e s s o A c a d é m i c o - 2 0 1 3 / 2 0 1 4 d o S u c e s s o A c a d é m i c o - 2 0 1 3 / 2 0 1 4

d o S u c e s s o A c a d é m i c o - 2 0 1 3 / 2 0 1 4 d o S u c e s s o A c a d é m i c o - 2 0 1 3 / 2 0 1 4 A v a l i a ç ã o d o S u c e s s o A c a d é m i c o - 2 0 1 3 / 2 0 1 4 A v a l i a ç ã o d o S u c e s s o A c a d é m i c o - 2 0 1 3 / 2 0 1 4 A v a l i a ç ã o d o S u c e s s o A c a d é m i c o

Leia mais

ÍNDICE. Alunos matriculados nos Cursos Diurnos... 2. Alunos matriculados no Ensino Recorrente... 2. Alunos por escalão da Ação Social Escolar...

ÍNDICE. Alunos matriculados nos Cursos Diurnos... 2. Alunos matriculados no Ensino Recorrente... 2. Alunos por escalão da Ação Social Escolar... Anexos ÍNDICE Alunos matriculados nos Cursos Diurnos... 2 Alunos matriculados no Ensino Recorrente... 2 Alunos por escalão da Ação Social Escolar... 2 Alunos com Necessidades Educativas Especiais... 3

Leia mais

Agrupamento de Escolas da Caparica Escola Básica 23 da Costa da Caparica Horários

Agrupamento de Escolas da Caparica Escola Básica 23 da Costa da Caparica Horários Turma: 5A Ano Lectivo: 2013/2014 ING1 10 EDM 39 Clube Leitura LPO 10 G1 G1 HGP 10 MAT 10 CNA 24 MAT 10 LPO 10 LPO 10 ETL 37 MAT 10 HGP 10 FORCIV 10 CNA 10 ING1 10 Apoio LPO EDV 38 Apoio LPO Apoio MAT Apoio

Leia mais

S ucesso A c a démico 1. º P e r íodo

S ucesso A c a démico 1. º P e r íodo A v a liação do Sucesso A c a démico 1.º P eríodo A v a liação do S ucesso A ca démico 1. º P e r í o d o A v a l i a ç ã o d o S ucesso A c a démico 1.º P e r íodo Avaliação do S ucesso Relatório A c

Leia mais

Grupo de Educação Especial 2

Grupo de Educação Especial 2 Projecto para alunos com NEE abrangidos pela alínea e) do Decreto-lei nº 3/2008 Grupo de Educação Especial 2 Grupo de Educação Especial 3 Grupo de Educação Especial 4 Grupo de Educação Especial 5 Grupo

Leia mais

(avaliação interna - transições) 3.º PERÍODO 2013/2014. A c ad1.ª Parte é mdo Relatório i c de o Avaliação do - Sucesso Académico 2 0 3.

(avaliação interna - transições) 3.º PERÍODO 2013/2014. A c ad1.ª Parte é mdo Relatório i c de o Avaliação do - Sucesso Académico 2 0 3. A v aliaç ão d o S u c e s s o A c ad é m i c o - 2 0 1 3 / 2 0 1 4 A v aliaç ão d o S u c e s s o A c ad é m i c o - 2 0 1 3 / 2 0 1 4 A v aliaç ão d o S u c e s s o A c ad é m i c o - 2 0 1 3 / 2 0 1

Leia mais

HORÁRIO DA MANHÃ EDUCAÇÃO INFANTIL

HORÁRIO DA MANHÃ EDUCAÇÃO INFANTIL HORÁRIO DA MANHÃ EDUCAÇÃO INFANTIL 2ª 3ª 4ª 5ª 6ª MINI MATERNAL MATERNAL NÍVEL I NÍVEL II ALINE CRISTINA ÉRIKA ALINE DELPHINO ALINE CRISTINA CULINÁRIA ALINE DELPHINO ALINE CRISTINA ÉRIKA ALINE DELPHINO

Leia mais

HORÁRIO DA RECUPERAÇÃO SEMESTRAL - PERÍODO: 22/06 a 27/06/2015 6º ANO A/B

HORÁRIO DA RECUPERAÇÃO SEMESTRAL - PERÍODO: 22/06 a 27/06/2015 6º ANO A/B 6º ANO A/B HORA SEGUNDA 22/06 TERÇA 23/06 QUINTA - 25/06 SEXTA - 26/06 Ronaldo Azevedo Ronaldo Azevedo HORA DIA 30/06 DIA 01/07 DIA 02/07 GEO / ING PORT / HIST MAT / CIÊNC Ronaldo Azevedo - 7º ANO A/B

Leia mais

Agrupamento Vertical de Ourique. Relatório de Avaliação Interna. Relatório de Avaliação Interna

Agrupamento Vertical de Ourique. Relatório de Avaliação Interna. Relatório de Avaliação Interna Agrupamento Vertical de Ourique Relatório de Avaliação Interna Relatório de Avaliação Interna 211/212 Índice I - Introdução. II - Enquadramento Legal III Metodologia. A - Constituição da Equipa de Avaliação

Leia mais

RELATÓRIO AUTOAVALIAÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÁTÃO

RELATÓRIO AUTOAVALIAÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÁTÃO ANOS LETIVOS 2010/11 E 2011/12 RELATÓRIO AUTOAVALIAÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÁTÃO O presente documento foi elaborado no âmbito do Plano de Autoavaliação do Agrupamento de Escolas de Sátão, pressupondo

Leia mais

Documento de orientação e organização pedagógica. Ano letivo 2014/15

Documento de orientação e organização pedagógica. Ano letivo 2014/15 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FREI GONÇALO DE AZEVEDO PROJETO CURRICULAR 1 Documento de orientação e organização pedagógica Ano letivo 2014/15 Aprovado em Conselho Pedagógico de 15.07.2014 e pelo Conselho Geral

Leia mais

1- Atividades do início do ano letivo

1- Atividades do início do ano letivo 1- Atividades do início do ano letivo Ensino Profissional Data Hora Reunião Sala 1 a 11 de 1º Ciclo 2 de Pessoal docente Pessoal não docente Início de Pré-escolar 7 de 1º ciclo 14:00h Delegados de grupo

Leia mais

Relatório 2015. Interna do. Agrupamento RAIA. Barreiro, 04 de setembro de 2015. Página 1 de 39 RAIA 2015

Relatório 2015. Interna do. Agrupamento RAIA. Barreiro, 04 de setembro de 2015. Página 1 de 39 RAIA 2015 Avaliação Interna do Agrupamento Relatório 2015 RAIA Cândida Santos Carlos Pegacha Jaime Filipe Paulo Cardoso Barreiro, 04 de setembro de 2015 Página 1 de 39 "A autoavaliação é um processo que pode ser

Leia mais

AGRUPAMENTO VERTICAL DE REDONDO

AGRUPAMENTO VERTICAL DE REDONDO AGRUPAMENTO VERTICAL DE REDONDO PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES 2007 / 2008 Escola Básica 2,3, e Sec. Dr. Hernâni Cidade Área Problemática/Finalidade Educativa/ Estratégia ( Projecto Educativo ) ACTIVIDADE

Leia mais

PROJETO CURRICULAR 1. Documento de orientação e organização pedagógica. Ano letivo 2015/16 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FREI GONÇALO DE AZEVEDO

PROJETO CURRICULAR 1. Documento de orientação e organização pedagógica. Ano letivo 2015/16 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FREI GONÇALO DE AZEVEDO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FREI GONÇALO DE AZEVEDO PROJETO CURRICULAR 1 Documento de orientação e organização pedagógica Ano letivo 2015/16 Parecer favorável do Conselho Pedagógico de16/07/2015 Aprovado pelo

Leia mais

Projeto Educativo 2012/2015. Avaliação da concretização das metas

Projeto Educativo 2012/2015. Avaliação da concretização das metas Agrupamento de Escolas de Alfena Projeto Educativo 2012/2015 Avaliação da concretização das metas Conselho Pedagógico de 15 de outubro de 2014 1 Metas do Projeto Educativo Meta 1: Manter a taxa de sucesso

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Fazendas de Almeirim. Dança da Juventude, Pablo Picasso. Projecto Educativo Unidos na Construção de uma escola para todos

Agrupamento de Escolas de Fazendas de Almeirim. Dança da Juventude, Pablo Picasso. Projecto Educativo Unidos na Construção de uma escola para todos Agrupamento de Escolas de Fazendas de Almeirim Dança da Juventude, Pablo Picasso Projecto Educativo Unidos na Construção de uma escola para todos ÍNDICE 1. Introdução... 2 2. Enquadramento normativo /

Leia mais

Plano Anual de Atividades

Plano Anual de Atividades Ministério da Educação Direção Geral dos Estabelecimentos es de Lisboa e Vale do Tejo Agrupamento de Escolas de Sampaio Pl Anual de s 2015/2016 Equipa do PAA Ângela Bandeira Elisa Graça José Coutinho Luís

Leia mais

PROJETO EDUCATIVO DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MARRAZES

PROJETO EDUCATIVO DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MARRAZES PROJECTO EDUCATIVO DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MARRAZES Triénio 2012-2015 2012-2013 PROJETO EDUCATIVO DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MARRAZES Atualizado em Dez/2012 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MARRAZES 1

Leia mais

Cursos Cientifico- Humanisticos do Ensino Secundario. Colégio da Rainha Santa Isabel Serviço de Psicologia e Orientação

Cursos Cientifico- Humanisticos do Ensino Secundario. Colégio da Rainha Santa Isabel Serviço de Psicologia e Orientação Cursos Cientifico- Humanisticos do Ensino Secundario Colégio da Rainha Santa Isabel Serviço de Psicologia e Orientação Ana Isabel Athayde 2012-2013 Natureza dos Cursos Cientifico-humanísticos Cursos vocacionados

Leia mais

PROJECTO CURRICULAR 1

PROJECTO CURRICULAR 1 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FREI GONÇALO DE AZEVEDO PROJECTO CURRICULAR 1 Documento de orientação e organização pedagógica para o ano letivo 2013/14 Aprovado em Conselho Pedagógico 3 Julho 2013 1 O Projecto

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº2 DE LOURES PROJETO EDUCATIVO 2015/2018

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº2 DE LOURES PROJETO EDUCATIVO 2015/2018 PROJETO EDUCATIVO 2015/2018 1 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 MISSÃO... 4 BREVE CARACTERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO... 5 LOCALIZAÇÃO DAS ESCOLAS DO AGRUPAMENTO... 5 ESCOLAS DO AGRUPAMENTO... 6 PARCEIROS... 8 ÓRGÃOS DE

Leia mais

E X A M E S N A C I O N A I S D O E N S I N O S E C U N D Á R I O

E X A M E S N A C I O N A I S D O E N S I N O S E C U N D Á R I O 2012 DECRETO-LEI N.º 50/2011 [PLANO DE ESTUDOS] PORTARIA N.º 244/2011 [AVALIAÇÃO] DESPACHO N.º 1942/2012 [CALENDÁRIO DE EXAMES] NORMA 01/JNE/2012 [INSTRUÇÕES PARA A INSCRIÇÃO] E X A M E S N A C I O N A

Leia mais

Agrupamento de Escolas Raul Proença 12 de março de 2013 Informações

Agrupamento de Escolas Raul Proença 12 de março de 2013 Informações Os alunos devem ser alertados para a necessidade de confirmar o seu nome nas pautas de chamada, se possível dias antes dos exames, para a necessidade de trazerem identificação pessoal, de verificarem o

Leia mais

Cursos Científico- humanísticos do Ensino Secundário. Colégio da Rainha Santa Isabel Serviço de Psicologia e Orientação Ana Isabel Athayde, 2014

Cursos Científico- humanísticos do Ensino Secundário. Colégio da Rainha Santa Isabel Serviço de Psicologia e Orientação Ana Isabel Athayde, 2014 Cursos Científico- humanísticos do Ensino Secundário Colégio da Rainha Santa Isabel Serviço de Psicologia e Orientação Ana Isabel Athayde, 2014 Alunos colocados na 1ª opção de candidatura ao ensino superior

Leia mais

Ericeira 2013-2017. Aprovado em Conselho Geral de 19 de dezembro de 2013 1

Ericeira 2013-2017. Aprovado em Conselho Geral de 19 de dezembro de 2013 1 Ericeira 2013-2017 Aprovado em Conselho Geral de 19 de dezembro de 2013 1 ÍNDICE 1.Introdução.4 2.Objetivos do Projeto Curricular de Agrupamento 5 3.Metas curriculares....6 3.1. Pré-escolar....6 3.2.1º,

Leia mais

PLANO DE FORMAÇÃO 2011/2014

PLANO DE FORMAÇÃO 2011/2014 PLANO DE FORMAÇÃO 2011/2014 O Plano de Formação 2011/14 que integra o Projeto Educativo do Agrupamento (PEA) e o Plano Anual de Atividades (PAA) foi elaborado a partir do levantamento das necessidades

Leia mais

BOLSAS SOCIAIS EPIS - ESCOLAS DE FUTURO Regulamento para bolsas sociais 2014

BOLSAS SOCIAIS EPIS - ESCOLAS DE FUTURO Regulamento para bolsas sociais 2014 BOLSAS SOCIAIS EPIS - ESCOLAS DE FUTURO Regulamento para bolsas sociais 2014 14 de Julho 2014 1 A Associação EPIS Empresários Pela Inclusão Social foi criada em 2006 por empresários e gestores portugueses,

Leia mais

Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril. Relatório Anual do Curso de Informação Turística (IT)

Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril. Relatório Anual do Curso de Informação Turística (IT) Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril Relatório Anual do Curso de Informação Turística (IT) Ano Lectivo de 2009/2010 Director de Curso: Miguel Brito Introdução O presente relatório apresenta

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CONDEIXA-A-NOVA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CONDEIXA-A-NOVA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CONDEIXA-A-NOVA RESULTADOS DO SUCESSO ESCOLAR 2014/2015-3º PERÍODO Julho de 2015 Agrupamento de Escolas de Condeixa-a-Nova 1. INTRODUÇÃO Neste documento é feita uma análise retrospetiva

Leia mais

Departamentoento Curricular de Matemática e. Ciências Experimentais. avaliação interna e externa do

Departamentoento Curricular de Matemática e. Ciências Experimentais. avaliação interna e externa do Departamentoento Curricular de Matemática e Ciências Experimentais Relatório de análise dos resultados da avaliação interna e externa do departamento, no ano letivo 2012-2013 Coordenadora ra de Departamento,

Leia mais

HORÁRIO MANHÃ 2012 6ºA SEG TER QUA QUI SEX 1ª AULA MAT HIST ED. FISICA MAT INGLÊS ED. FISICA 4ª AULA MUSICA MAT PORT PORT OE

HORÁRIO MANHÃ 2012 6ºA SEG TER QUA QUI SEX 1ª AULA MAT HIST ED. FISICA MAT INGLÊS ED. FISICA 4ª AULA MUSICA MAT PORT PORT OE HORÁRIO MANHÃ 2012 6ºA 1ª AULA MAT HIST ED. FISICA MAT INGLÊS 2ª AULA PORT MAT HIST GEO GEO 3ª AULA PORT CIEN ARTE ED. FISICA 4ª AULA MUSICA MAT PORT PORT OE FILO 5ª AULA CIEN GEO ARTE PORT ESPANHOL 6ª

Leia mais

CALENDÁRIO DAS AVALIAÇÕES DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA 2016.1

CALENDÁRIO DAS AVALIAÇÕES DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA 2016.1 CALENDÁRIO DAS AVALIAÇÕES DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA 2016.1 1º PERÍODO 18:30 20:10 Fund Hist Filos da EF Fund Pesquisa Cientifica I Fund Sócio Antr da EF Fund da Biol e Bioq da EF dia

Leia mais

Operador de Informática

Operador de Informática Agrupamento de Escolas Barbosa du Bocage Escola Básica Barbosa du Bocage Setúbal Operador de Informática Área de Formação: C I Ê N C I A S I N F O R M ÁT I C A S Itinerário de Qualificação: I N S TA L

Leia mais

Análise do desempenho das escolas públicas de Campinas

Análise do desempenho das escolas públicas de Campinas Análise do desempenho das escolas públicas de Campinas Por Prof. Dr. Dalton Francisco de Andrade e Prof. Dra. Maria Ines Fini 1. Introdução A análise apresentada foi elaborada a partir do estudo realizado

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO IMPACTO DAS ATIVIDADES DE PROMOÇÃO DO SUCESSO ESCOLAR

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO IMPACTO DAS ATIVIDADES DE PROMOÇÃO DO SUCESSO ESCOLAR RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO IMPACTO DAS ATIVIDADES DE PROMOÇÃO DO SUCESSO ESCOLAR 2012/2013 Julho de 2013 www.mosteiroecavado.net eb23@mosteiroecavado.net Página 1 de 10 INTRODUÇÃO Durante o ano letivo 2012/2013,

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS Turno: INTEGRAL Período: 1 Unidade: NÚCLEO UNIV POÇOS CAL 2873.2.01-8-PLÁSTICA 2873.2.02-8-PLÁSTICA 2873.2.01-8-PLÁSTICA 2873.2.02-8-PLÁSTICA 2873.2.01-8-PLÁSTICA 2873.2.02-8-PLÁSTICA 2873.2.01-8-PLÁSTICA

Leia mais

Caracterização do 8º Ano Turma B Ano lectivo 2011 / 2012

Caracterização do 8º Ano Turma B Ano lectivo 2011 / 2012 PÁGINA Nº 1 ESCOLA SECUNDÁRIA QUINTA DAS PALMEIRAS / CÓDIGO 404676 Caracterização do 8º Ano Turma B Ano lectivo 2011 / 2012 Identificação do Director de Turma Nome MARIA ALCINA PEREIRA DOS SANTOS Caracterização

Leia mais

Exames Nacionais do Ensino Secundário. http://agrcanelas.edu.pt/

Exames Nacionais do Ensino Secundário. http://agrcanelas.edu.pt/ 2015 Exames Nacionais do Ensino Secundário http://agrcanelas.edu.pt/ PARA EFEITOS DE ADMISSÃO A EXAME, OS CANDIDATOS CONSIDERAM-SE: ALUNOS INTERNOS ALUNOS AUTOPROPOSTOS EXAMES NACIONAIS DO ENSINO SECUNDÁRIO

Leia mais

Plano de melhoria 2013/2014. Comissão de Autoavaliação. Escola Secundária com 3º ciclo. de Alcácer do Sal

Plano de melhoria 2013/2014. Comissão de Autoavaliação. Escola Secundária com 3º ciclo. de Alcácer do Sal Plano de melhoria 13/14 Escola Secundária com 3º ciclo de Alcácer do Sal Comissão de Autoavaliação 9 de julho de 13 1 Índice 1. Introdução ----------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

BOLSAS SOCIAIS EPIS - ESCOLAS DE FUTURO Regulamento para bolsas sociais 2015

BOLSAS SOCIAIS EPIS - ESCOLAS DE FUTURO Regulamento para bolsas sociais 2015 BOLSAS SOCIAIS EPIS - ESCOLAS DE FUTURO Regulamento para bolsas sociais 2015 21 de Julho 2015 1 A Associação EPIS Empresários Pela Inclusão Social foi criada em 2006 por empresários e gestores portugueses,

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MARTIM DE FREITAS PLANO ANUAL DE ATIVIDADES

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MARTIM DE FREITAS PLANO ANUAL DE ATIVIDADES AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MARTIM DE FREITAS PLANO ANUAL DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2015/2016 ÍNDICE Índice 2 Introdução 3 Missão 4 Visão 4 Princípios e valores 4 Prioridades de ação 4 Objetivos Operacionais

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOÃO VILLARET

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOÃO VILLARET AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOÃO VILLARET Escola E.B. 2/3 João Villaret Tão importante quanto o que se ensina e se aprende é como se ensina e como se aprende. (César Coll) O Agrupamento de Escolas João Villaret

Leia mais

Reconfiguração do contexto comunidade educativa: O Projecto Ria.EDU e a mediação tecnológica

Reconfiguração do contexto comunidade educativa: O Projecto Ria.EDU e a mediação tecnológica Reconfiguração do contexto comunidade educativa: O Projecto Ria.EDU e a mediação tecnológica Florin Zamfir 1, Fernando Delgado 2 e Óscar Mealha 1 1 Universidade de Aveiro Departamento de Comunicação e

Leia mais

3.4. EDUCAÇÃO. Problemas Sociais Identificados. Problemas Sociais Priorizados. 3.4.1. Educação: Enquadramento: Alunos sem projecto de vida

3.4. EDUCAÇÃO. Problemas Sociais Identificados. Problemas Sociais Priorizados. 3.4.1. Educação: Enquadramento: Alunos sem projecto de vida 3.4. EDUCAÇÃO Problemas Sociais Identificados Insucesso escolar Falta de expectativas socioprofissionais Alunos sem projecto de vida Expectativas inadequadas para famílias Problemas Sociais Priorizados

Leia mais

Plano Anual de Atividades

Plano Anual de Atividades Pl Anual de s 2014/2015 ii Ministério da Educação Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares de Lisboa e Vale do Tejo Agrupamento de Escolas de Sampaio Pl Anual de s 2014/2015 Equipa do PAA Ângela Bandeira

Leia mais

EXAMES DO ENSINO SECUNDÁRIO 2012 CURSOS CIENTÍFICO-HUMANÍSTICOS (11º E 12º ANOS) EXAMES FINAIS NACIONAIS E PROVAS DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA

EXAMES DO ENSINO SECUNDÁRIO 2012 CURSOS CIENTÍFICO-HUMANÍSTICOS (11º E 12º ANOS) EXAMES FINAIS NACIONAIS E PROVAS DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA EXAMES DO ENSINO SECUNDÁRIO 2012 Escola Básica e Secundária de Velas CURSOS CIENTÍFICO-HUMANÍSTICOS (11º E 12º ANOS) EXAMES FINAIS NACIONAIS E PROVAS DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Planos curriculares do

Leia mais

Plano Anual de Atividades do Agrupamento Ano Letivo 2015-16

Plano Anual de Atividades do Agrupamento Ano Letivo 2015-16 Plano Anual de Atividades do Agrupamento Ano Letivo 2015-16 Laranjo M. E. - GEPE [Escolha a data] ÍNDICE I INTRODUÇÃO ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------3

Leia mais

19-05-2011. Evolução e Estatísticas Website 2010/2011. www.rabacal.net. Introdução:

19-05-2011. Evolução e Estatísticas Website 2010/2011. www.rabacal.net. Introdução: Rabaçal Aldeia Cultural Evolução e Estatísticas Website 2010/2011 www.rabacal.net Introdução: 1 Conteúdos do Website: 2 Conteúdos do Website: 3 Os Diversos Indicadores: 4 Conteúdos do Website: 5 19-05-2011

Leia mais

EXAMES NACIONAIS E PROVAS DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA -2014/2015

EXAMES NACIONAIS E PROVAS DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA -2014/2015 EXAMES NACIONAIS E PROVAS DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA -2014/2015 ESCLARECIMENTOS PARA DIRETORES DE TURMA E ALUNOS DO ENSINO SECUNDÁRIO (11º e 12º anos dos cursos científico-humanísticos e 12º ano dos

Leia mais

Os equipamentos audiovisuais existentes nas salas de aulas funcionam bem

Os equipamentos audiovisuais existentes nas salas de aulas funcionam bem 106 As salas específicas estão adequadamente apetrechadas para as finalidades de ensino e aprendizagem Muito 29% Pouco Muito Na segunda pergunta, quando questionados sobre se as salas específicas (laboratórios,

Leia mais

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO. Portaria n.º /2010

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO. Portaria n.º /2010 Portaria n.º /2010 Considerando a experiência obtida pela implementação do Programa Oportunidade, Sub- Programas Integrar e Profissionalizante, enquanto programas específicos de recuperação da escolaridade,

Leia mais

Sistema Educativo Português Educação Profissional e Tecnológica

Sistema Educativo Português Educação Profissional e Tecnológica Sistema Educativo Português Educação Profissional e Tecnológica Conferência Nacional sobre Educação Profissional e Tecnológica 5 a 8 de Novembro de 2006 Sistemas de Educação e de Formação em Portugal ENSINO

Leia mais

HORÁRIO DO CURSO DE PEDAGOGIA MATUTINO - 2º SEMESTRE / 2013

HORÁRIO DO CURSO DE PEDAGOGIA MATUTINO - 2º SEMESTRE / 2013 HORÁRIO DO CURSO DE PEDAGOGIA MATUTINO - 2º SEMESTRE / 2013 TURMA: PED 1SAM MANHÃ MET DA PESQUISA EDUC INOV. TECNOLÓGICAS HIST DA FAM. E INF. POL E LEGISL. DO ENS. PSIC DO DESENV MET DA PESQUISA EDUC INOV.

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA BOA ÁGUA 2011/2012

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA BOA ÁGUA 2011/2012 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA BOA ÁGUA 172388 2011/2012 Índice 1 Introdução... 2 2 Objetivos... 2 3 Metas de Aprendizagem... 3 4 Modelo Organizacional do Agrupamento... 3 5 Desenho Curricular... 4 6 Regime

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALHADAS PROJECTO EDUCATIVO. Triénio 2007 2010

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALHADAS PROJECTO EDUCATIVO. Triénio 2007 2010 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALHADAS PROJECTO EDUCATIVO Triénio 2007 2010 QUATRIÉNIO 2009-2013 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 2 1. MISSÃO, VISÃO E VALORES... 5 1.1. MISSÃO... 5 1.2. VISÃO... 5 1.3. VALORES... 6 2.

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Diário da República, 1.ª série N.º 144 28 de Julho de 2009 4829

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Diário da República, 1.ª série N.º 144 28 de Julho de 2009 4829 Diário da República, 1.ª série N.º 144 28 de Julho de 2009 4829 Limites às elegibilidades 13 O investimento constante do n.º 4 é elegível quando o seu uso for indispensável à execução da operação, sendo

Leia mais

para um novo ano lectivo

para um novo ano lectivo Ano Lectivo 2008/09 20 medidas de política para um novo ano lectivo Este documento apresenta algumas medidas para 2008/09: Apoios para as famílias e para os alunos Modernização das escolas Plano Tecnológico

Leia mais

Regulamento Candidaturas Maiores de 23 Anos Página 1 de 6

Regulamento Candidaturas Maiores de 23 Anos Página 1 de 6 Regulamento Candidaturas Maiores de 23 Anos Página 1 de 6 REGULAMENTO DAS PROVAS DE ADMISSÃO AO INSTITUTO SUPERIOR DE PAÇOS DE BRANDÃO ISPAB PARA CANDIDATOS MAIORES DE 23 ANOS NÃO TITULARES DE HABILITAÇÃO

Leia mais

ESTUDO DE AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DOS ENSINOS BÁSICO E SECUNDÁRIO

ESTUDO DE AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DOS ENSINOS BÁSICO E SECUNDÁRIO ESTUDO DE AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DOS ENSINOS BÁSICO E SECUNDÁRIO RELATÓRIO FINAL Equipa Técnica Dr. Rui Brites (coordenação) Dr. Alexandre Calado Dr. Pedro Estêvão Dr. José Manuel Carvalho (DGIDC-ME)

Leia mais

PROJETO ESCOLA DE ORGANIZAÇÃO

PROJETO ESCOLA DE ORGANIZAÇÃO PROJETO ESCOLA DE ORGANIZAÇÃO DO ANO LETIVO 2015/2016 Projeto Escola de Organização do Ano Letivo 2 ÍNDICE PREÂMBULO... 4 CRITÉRIOS GERAIS AVALIAÇÃO... 5 1. INTRODUÇÃO... 5 2. PRINCÍPIOS... 5 3. MODALIDADES

Leia mais

Candidatura ao Ensino Superior

Candidatura ao Ensino Superior Candidatura ao Ensino Superior Para concluir o ensino secundário, os alunos têm que obter aprovação a todas as disciplinas do plano de estudos do respectivo curso. Nas disciplinas não sujeitas à realização

Leia mais

INFORMAÇÕES GERAIS ENSINO SECUNDÁRIO REGULAR

INFORMAÇÕES GERAIS ENSINO SECUNDÁRIO REGULAR COORDENAÇÃO DE DIRECTORES DE TURMAANO COORDENAÇÃO DE D COORDENAÇÃO DE DIRECTORES DE TURMA COORDENAÇÃO DE DIRECTORES DE TURMAANO IRECTORES DE TURMA COORDENAÇÃO DE DIRETORES DE TURMA ANO LETIVO 2012 2013

Leia mais

Critérios Gerais de Avaliação

Critérios Gerais de Avaliação Critérios Gerais de Avaliação A elaboração do presente documento teve por referência os diferentes normativos legais que o enquadram no seu âmbito e objetivo, nomeadamente o que se encontra consignado

Leia mais

Tipos e áreas de igualdade na educação

Tipos e áreas de igualdade na educação A Igualdade em Educação, João Formosinho (pp.169-185) Tipos e áreas de igualdade na educação Há dois tipos de igualdade presentes nas filosofias educacionais: Igualdade de acesso preocupa-se com o acesso

Leia mais

Período de Início. 10 de Outubro de 2011. 1º Período. de 2011. 11 de Novembro. 1º Período. de 2011. 11 de Novembro de 2011. 11 de Novembro de 2011

Período de Início. 10 de Outubro de 2011. 1º Período. de 2011. 11 de Novembro. 1º Período. de 2011. 11 de Novembro de 2011. 11 de Novembro de 2011 PAA-211--Vs2 Torneio de Abertura - Desporto r Magusto Professores Educação Física Professores titulares, Professores das AECs, Educadoras, Auxiliares. Alunos do 2º e 3º Alunos da EB1 da Pavilhão EB 2,3

Leia mais

Exmo. Sr. Presidente da Comissão de Educação, Ciência e Cultura, Deputado Ribeiro e Castro,

Exmo. Sr. Presidente da Comissão de Educação, Ciência e Cultura, Deputado Ribeiro e Castro, Exmo. Sr. Presidente da Comissão de Educação, Ciência e Cultura, Deputado Ribeiro e Castro, Exmo. Sr. Relator da Petição Pública Não há Educação sem Educação Física, Deputado Paulo Cavaleiro, Exmos. Srs.

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS EUGÉNIO DOS SANTOS

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS EUGÉNIO DOS SANTOS 0 Índice INTRODUÇÃO... 2. IDENTIFICAÇÃO DOS ESTABELECIMENTOS DE ENSINO... 3.. EB/ JI Santo António... 3.2. EB Fernando Pessoa... 3.3. EB Bairro S. Miguel... 3.4. EB Rainha D. Estefânia... 3.5. EB 2,3 Eugénio

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CONDEIXA-A-NOVA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CONDEIXA-A-NOVA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CONDEIXA-A-NOVA RESULTADOS DO SUCESSO ESCOLAR 2012/2013-2º PERÍODO Abril de 2013 Agrupamento de Escolas de Condeixa-a-Nova 1. INTRODUÇÃO Mantendo uma estrutura idêntica à do documento

Leia mais

Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade de Coimbra

Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade de Coimbra Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade de Coimbra Realizado por: DANIELA FERNANDES DA SILVA Psicologia Educacional I Introdução...3 Programa da disciplina...4 Evolução do número de alunos de E.M.R.C...7

Leia mais

Gestão Curricular na Educação Pré-Escolar. e no Ensino Básico Relatório-Síntese. Agrupamento de Escolas n.º 1 de Évora

Gestão Curricular na Educação Pré-Escolar. e no Ensino Básico Relatório-Síntese. Agrupamento de Escolas n.º 1 de Évora Gestão Curricular na Educação Pré-Escolar e no Ensino Básico Relatório-Síntese Agrupamento de Escolas n.º 1 de Évora AGRUPAMENTO DE ESCOLAS N.º 1 DE ÉVORA CÓDIGO 135537 CONCELHO DE ÉVORA DELEGAÇÃO REGIONAL

Leia mais

ANO LETIVO 2015/2016 Matrícula e constituição de turmas Normas orientadoras

ANO LETIVO 2015/2016 Matrícula e constituição de turmas Normas orientadoras ANO LETIVO 2015/2016 Matrícula e constituição de turmas Normas orientadoras Constituição de turmas 1 Na constituição das turmas prevalecem critérios de natureza pedagógica definidos no projeto educativo

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMORA CORREIA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMORA CORREIA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMORA CORREIA Departamento do 1ºCiclo PLANO DE TURMA Ano Turma Plano de Turma 1º Ciclo Ano Letivo 20 /20 Índice Introdução 1. Caracterização da turma 1.1. Caracterização dos

Leia mais

Colégio Manuel Bernardes PLANO DE ESTUDOS ENSINO SECUNDÁRIO 2009/10

Colégio Manuel Bernardes PLANO DE ESTUDOS ENSINO SECUNDÁRIO 2009/10 Colégio Manuel Bernardes PLANO DE ESTUDOS ENSINO SECUNDÁRIO 2009/10 CURSOS CIENTÍFICO-HUMANÍSTICOS CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS CIÊNCIAS SOCIOECONÓMICAS LÍNGUAS E HUMANIDADES CURSOS CIENTÍFICO-HUMANÍSTICOS A

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AMARES ORGANIZAÇÃO DO ANO LETIVO 2015-2016

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AMARES ORGANIZAÇÃO DO ANO LETIVO 2015-2016 ORGANIZAÇÃO DO ANO LETIVO 2015-2016 JULHO 2015 1 Preâmbulo O presente documento estabelece orientações para a organização do ano letivo 2015-2016 no que concerne a horários, constituição de turmas e distribuição

Leia mais

DEPARTAMENTO DA QUALIDADE

DEPARTAMENTO DA QUALIDADE DEPARTAMENTO DA QUALIDADE PLANO DE MELHORIA ESA 2013-2016 Objetivos gerais do Plano de Melhoria 1. Promover o sucesso educativo e melhorar a sua qualidade 2. Melhorar os processos e resultados pedagógicos

Leia mais

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO HÁ DUAS MANEIRAS DISTINTAS DE AVALIAÇÃO 1- PARA O SISTEMA ANUAL 2- PARA O SISTEMA DE MÓDULOS SEMESTRAIS (DISCIPLINAS) Título VI Da Avaliação Escolar Capítulo I Do Conceito e Dos Objetivos

Leia mais

INGLÊS. Actividades de Enriquecimento Curricular no 1º Ciclo do Ensino Básico. Relatório final de acompanhamento

INGLÊS. Actividades de Enriquecimento Curricular no 1º Ciclo do Ensino Básico. Relatório final de acompanhamento Associação Portuguesa de Professores de Inglês Actividades de Enriquecimento Curricular no 1º Ciclo do Ensino Básico INGLÊS Relatório final de acompanhamento APPI - CAP 2011/2012 1 1. INTRODUÇÃO Este relatório

Leia mais

UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA. Faculdade de Ciências e Tecnologia Diário da República, 2 série N.º 186 26 de Setembro de 2006. Resolução n.

UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA. Faculdade de Ciências e Tecnologia Diário da República, 2 série N.º 186 26 de Setembro de 2006. Resolução n. UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA Faculdade de Ciências e Tecnologia Diário da República, 2 série N.º 186 26 de Setembro de 2006 Resolução n.º 94/2006 Por resolução do conselho directivo da Faculdade de Ciências

Leia mais

CONSTRUÇÃO DO REFERENCIAL

CONSTRUÇÃO DO REFERENCIAL Programa de Apoio à Avaliação do Sucesso Académico DIMENSÃO DE CONSTRUÍDO (Avaliação Formativa) MATRIZ DE CONSTRUÇÃO DO REFERENCIAL Página 1 IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO ESCOLAR Agrupamento de Escolas

Leia mais

CURSOS CIENTÍFICO HUMANÍSTICOS Curso de Ciências e Tecnologias Critérios de avaliação 2013/2014

CURSOS CIENTÍFICO HUMANÍSTICOS Curso de Ciências e Tecnologias Critérios de avaliação 2013/2014 CURSOS CIENTÍFICO HUMANÍSTICOS Curso de Ciências e Tecnologias Critérios de avaliação 2013/2014 Disciplinas: Biologia e Geologia - 10º ano Biologia e Geologia - 11º ano Biologia 12º ano A atividade de

Leia mais

d o S u c e s s o A c a d é m i c o - 2 0 1 3 / 2 0 1 4 d o S u c e s s o A c a d é m i c o - 2 0 1 3 / 2 0 1 4

d o S u c e s s o A c a d é m i c o - 2 0 1 3 / 2 0 1 4 d o S u c e s s o A c a d é m i c o - 2 0 1 3 / 2 0 1 4 A v a l i a ç ã o d o S u c e s s o A c a d é m i c o 1-2 0 1 3 / 2 0 1 4 A v a l i a ç ã o d o S u c e s s o A c a d é m i c o - 2 0 1 3 / 2 0 1 4 A v a l i a ç ã o d o S u c e s s o A c a d é m i c o

Leia mais

2013/2014. Adenda ao ponto: 2. Princípios orientadores e prioridades de intervenção educativa

2013/2014. Adenda ao ponto: 2. Princípios orientadores e prioridades de intervenção educativa PRESTAÇÃO DO SERVIÇO EDUCATIVO RESULTADOS ESCOLARES 2013/2014 Adenda ao ponto: 2. Princípios orientadores e prioridades de intervenção educativa A intencionalidade do Projeto Educativo a missão e visão

Leia mais

Inscrições nos Exames Nacionais e Acesso ao Ensino Superior. SPO AEVagos

Inscrições nos Exames Nacionais e Acesso ao Ensino Superior. SPO AEVagos Inscrições nos Exames Nacionais e Acesso ao Ensino Superior 2015 SPO AEVagos Condições de Candidatura Ter aprovação num curso do Ensino Secundário Ter realizado, em 2013 e/ou 2014 e/ou 2015, as Provas

Leia mais

Exames nacionais E N S I N O S E C U N D Á R I O

Exames nacionais E N S I N O S E C U N D Á R I O Exames nacionais E N S I N O S E C U N D Á R I O Afixação dos resultados da avaliação Afixação das pautas de avaliação final do 3.º período: 9 de junho Entrega de avaliações pelos diretores de turma: 9

Leia mais

Universidade Federal da Paraíba Departamento de Estatística 1 a. Lista de Exercícios de Estatística III 2005.2

Universidade Federal da Paraíba Departamento de Estatística 1 a. Lista de Exercícios de Estatística III 2005.2 1) Defina com as suas palavras: Universidade Federal da Paraíba Departamento de Estatística 1 a. Lista de Exercícios de Estatística III 2005.2 a) Estatística b) População c) Amostra d) Parâmetro e) Estimador

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. JOAQUIM DE CARVALHO EXAMES NACIONAIS/ 2015

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. JOAQUIM DE CARVALHO EXAMES NACIONAIS/ 2015 ESCOLA SECUNDÁRIA DR. JOAQUIM DE CARVALHO EXAMES NACIONAIS/ 2015 Reunião com Encarregados de Educação 28/05/2015 18,00 Horas Auditório Joaquim de Carvalho ENSINO SECUNDÁRIO Quais as disciplinas em que

Leia mais

COLÉGIO MARISTA DE CARCAVELOS. Ano Letivo 2015 / 2016. 2ºCiclo

COLÉGIO MARISTA DE CARCAVELOS. Ano Letivo 2015 / 2016. 2ºCiclo COLÉGIO MARISTA DE CARCAVELOS Ano Letivo 2015 / 2016 2º Lema: CONTIGO, UM NOVO COMEÇO Objetivos: Promover as relações humanas, associando-as à dimensão do Humanismo Cristão e Marista Desenvolver nos alunos

Leia mais

2014/2015 PROJETO EDUCATIVO & PLANO ANUAL DE ATIVIDADES. VOL. II Operacionalização

2014/2015 PROJETO EDUCATIVO & PLANO ANUAL DE ATIVIDADES. VOL. II Operacionalização DGEste Direção de Serviços da Região Norte AGRUPAMENTO DE ESCOLAS LEONARDO COIMBRA FILHO, Porto COD. 152213 PROJETO EDUCATIVO & PLANO ANUAL DE ATIVIDADES VOL. II Operacionalização 2014/2015 Agrupamento

Leia mais