Avaliação dos alunos no 1º Período. Introdução. Outros documentos. Esc. E. B. 2,3 Prof. João F. Pratas

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Avaliação dos alunos no 1º Período. Introdução. Outros documentos. Esc. E. B. 2,3 Prof. João F. Pratas"

Transcrição

1 1 Janeiro de 2012 Esc. E. B. 2,3 Prof. João F. Pratas Avaliação dos alunos no 1º Período Introdução Este documento é a base estatística da avaliação de 1º Período dos alunos da Escola E. B. 2, 3 Professor João Fernandes Pratas. Nele constam os gráficos e a respetiva análise, por ano de escolaridade, das classificações obtidas pelos alunos nas diferentes disciplinas. A análise de dados é obtida através de programa de alunos (JPM) que procede ao tratamento da informação, determinando a percentagem de níveis inferiores a três e iguais ou superiores a 3. Seguidamente, a informação é recolhida numa única tabela no programa Microsoft Excel. A partir da tabela-mãe são gerados gráficos dinâmicos com a informação de médias das percentagens de níveis inferiores a três e iguais ou superiores a 3, por ano de escolaridade. Por fim, toda a informação é organizada e analisada, procedendo-se também a comparações com o ano letivo transato ou com os resultados das fichas de avaliação diagnóstica. A Comissão de Autoavaliação Outros documentos Paralelamente ao documento referente à análise estatística do aproveitamento, elaborar-se-á outros referentes à assiduidade dos alunos e à informação sobre comportamentos e outros registos não confidenciais retirados do ficheiro das Equipas de Verificação.

2 2 Título do boletim 5º ano de escolaridade Legenda que descreve a imagem ou gráfico. Figura 1: Disciplinas do Departamento de Matemática e Ciências Experimentais para o 5º ano. Avaliação dos alunos no 1º Período As disciplinas de Matemática e Ciências da Natureza apresentam maior taxa de sucesso do que no ano letivo transato, tendo sido esta evolução mais visível em Ciências da Natureza. Figura 2: Disciplinas do Departamento de Matemática e Ciências Experimentais para as turmas do 5º ano. Página 2

3 3 Figura 3: Disciplinas do Departamento de Expressões para as turmas do 5º ano. A turma G apresenta resultados mais fracos a Educação Musical e a turma F a EVT. Figura 4: Disciplinas do Departamento de Expressões para o 5º ano. Nas disciplinas de Educação Física e Educação Visual e Tecnológica a taxa de insucesso é quase residual, o mesmo não acontecendo em Educação Musical.

4 4 Volume 1, Edição 1 5º Ano de Escolaridade As turmas que apresentam resultados mais fracos são os 5º A, F e G na disciplina de Matemática Figura 5: Disciplinas do Departamento de Línguas para o 5º ano. Na disciplina de Língua Portuguesa houve uma melhoria no sucesso, enquanto na disciplina de Inglês se nota alguma estabilização relativamente aos valores do ano letivo As disciplinas do Dep. de Línguas têm resultados muito positivos Figura 6: Disciplinas do Departamento de Línguas para as turmas do 5º ano. As turmas E e G do 5º ano apresentam uma taxa de insucesso superior às restantes turmas na disciplina de Língua Portuguesa. Ao nível da Língua Inglesa o 5º ano, turma G, é a que apresenta resultados mais desfavoráveis. Página 4

5 5 Figura 7: Disciplinas do Departamento de Ciências Sociais e Humanas para as turmas do 5º ano. As turmas que apresentam resultados mais fracos na disciplina de EMRC são as E e G, enquanto a HGP são as turmas C e E. Figura 8: Disciplinas do Departamento de Ciências Sociais e Humanas para o 5º ano Relativamente aos dados recolhidos no ano letivo anterior registou-se menor taxa de sucesso a EMRC., acontecendo o inverso ao nível da disciplina de HGP.

6 6 Figura 9: Disciplinas do Departamento de Ciências Sociais e Humanas para as turmas do 5º ano. As turmas que apresentam resultados mais fracos na disciplina de EMRC são as E e G, enquanto a HGP são as turmas C e E.

7 7 Figura 10: Disciplinas do Departamento de Expressões para as turmas do 5º ano. A turma G apresenta resultados mais fracos a Educação Musical e a turma F a EVT. Figura 11: Disciplinas do Departamento de Expressões para o 5º ano. Nas disciplinas de Educação Física e Educação Visual e Tecnológica a taxa de insucesso é quase residual, o mesmo não acontecendo em Educação Musical.

8 8 Figura 12: Estudo Acompanhado para as turmas do 5º ano. As turmas em que ainda se registou algum insucesso, embora residual, foram as do 5º D e F. Figura 13 Estudo Acompanhado para o 5º ano. Relativamente aos resultados obtidos no ano letivo transato notou-se uma melhoria acentuada do sucesso.

9 9 Figura 14: Formação Cívica para as turmas do 5º ano. Apenas nas turmas E e F se registou algum insucesso, embora residual. Figura 15: Formação Cívica para o 5º ano. Regista-se ao nível do insucesso alguma estabilização na área curricular não disciplinar de Formação

10 10 6º Ano de Escolaridade Figura 16: Disciplinas do Departamento de Matemática e Ciências Experimentais para o 6.º ano. Comparativamente com o ano letivo anterior, registou-se uma melhoria no sucesso na disciplina de Ciências da Natureza, pelo contrário na disciplina de Matemática acentuou-se o insucesso. Figura 17: Disciplinas do Departamento de Matemática e Ciências Experimentais para as turmas do 6.º ano. As turmas que registaram maior taxa de insucesso foram as seguintes: A, B, D, F e G. Salienta-se a situação preocupante das turmas D e F que registaram cerca de 60% de insucesso na disciplina de Matemática. Ao nível da disciplina de Ciências da Natureza é a turma D que regista uma taxa de insucesso mais relevante.

11 11 Figura 19: Disciplinas do Departamento de Línguas para o 6.º ano. Estas duas disciplinas registaram um aumento substancial do insucesso, em média cerca de 10 a 12%, comparativamente com o ano letivo anterior. Figura 20: Disciplinas do Departamento de Línguas para as turmas do 6.º ano. Registaram maior taxa de insucesso a Língua Portuguesa as turmas D, E e F. Em Língua Inglesa as turmas D, E, F e G. Salienta-se a situação mais preocupante na turma D ao nível das duas disciplinas.

12 12 Figura 21: Disciplinas do Departamento de Ciências Sociais e Humanas para o 6.º ano. No presente ano letivo é de registar que a percentagem de sucesso estabilizou em HGP e melhorou substancialmente em EMRC. Figura 22: Disciplinas do Departamento de Ciências Sociais e Humanas para as turmas do 6.º ano. À disciplina de H.G.P. as turmas que registaram maior nível de insucesso foram as B, C, D e E. Salienta-se a situação preocupante da turma E que registou cerca de 50% de insucesso. Em EMRC é de registar também a situação desta turma, dado que o insucesso registado está ao mesmo nível.

13 13 Figura 23: Disciplinas do Departamento de Expressões para o 6.º ano. É de salientar que se registou uma melhoria substancial no sucesso a E F comparativamente com o ano letivo transato. Verificou-se também uma pequena melhoria a EM, tendo acontecido o inverso em EVT. Figura 24: Disciplinas do Departamento de Expressões para as turmas do 6.º ano. As turmas C, D e F são as que apresentam maior taxa de insucesso a EM, enquanto que em EVT são as turmas E e G.

14 14 Figura 25: Menções de Formação Cívica para o 6.º ano. Nesta área curricular não disciplinar salienta-se a turma C ao nível do insucesso. Figura 26: Menções de Estudo Acompanhado para o 6.º ano. As turmas D, E e F são as que apresentam uma maior taxa de insucesso.

15 15 7º Ano de Escolaridade Figura 27: Disciplinas do Departamento de Matemática e Ciências Experimentais para o 7º ano insucesso/sucesso. A disciplina de Físico Química apresenta maior taxa de insucesso (52,7%) do que as de Matemática e Ciências Naturais. Comparativamente a anos letivos anteriores, CFQ tendencialmente não apresenta valores tão elevados de insucesso no 1º período. Ciências Naturais está próxima de valores que tradicionalmente obtém, enquanto que os resultados de Matemática são mais positivos que nos anos letivos anteriores. Figura 28: Disciplinas do Departamento de Matemática e Ciências Experimentais para as turmas do 7º ano insucesso/sucesso. Os resultados da aplicação das fichas de diagnóstico indicaram as turmas C e E como aquelas que evidenciavam o menor desenvolvimento de competências. Tal tendência mantém-se nos resultados de 1º Período. A Ciências Naturais também são as turmas B e E que apresentam pior desempenho. Em Matemática a turma que apresenta piores resultados é o 7º E, como já denunciado nas fichas de diagnóstico.

16 16 Figura 29: Disciplinas do Departamento de Línguas para o 7º ano insucesso/sucesso. Relativamente às disciplinas que constituem o Departamento das Línguas, Francês surge como aquela que apresenta um saldo muito positivo, Inglês tem uma percentagem de sucesso de 68%, enquanto Língua Portuguesa tem uma taxa de insucesso preocupante, 51%. Recordemos que estas turmas de 7ºano foram as que nas Provas de Aferição de 2010/11 obtiveram resultados francamente positivos, o mesmo sucedendo nas fichas de diagnóstico realizadas no início do ano letivo, exceção feita para o 7º E. Figura 30: Disciplinas do Departamento de Matemática e Ciências Experimentais para as turmas do 7º ano insucesso/ sucesso. A turma E é a que apresenta maior percentagem de insucesso às diferentes disciplinas e a A a turma com melhor percentagem de sucesso.

17 17 Figura 31: Disciplinas do Departamento de Ciências Sociais e Humanas para o 7º ano insucesso/sucesso. Geografia tem uma taxa de insucesso que não ultrapassa os 30%, enquanto que História atinge os 48,5%, no entanto, ambas as disciplinas tem melhores resultados do que os verificados nas fichas diagnóstico, especialmente História. Figura 32: Disciplinas do Departamento de Ciências Sociais e Humanas para as turmas do 7º ano insucesso/sucesso. As turmas com resultados mais preocupantes a História de 7º ano são as A, C, D, E e F. A Geografia, embora não se atinja os 40% de insucesso, tal não deixa de ser relevante e preocupante.

18 18 Figura 33: Disciplinas do Departamento de Expressões para o 7º ano insucesso/sucesso. Não há situações deveras relevantes de insucesso a Educação Física e a Educação Visual, no entanto ambas ultrapassam os 10%. Figura 34: Disciplinas do Departamento de Expressões para as turmas do 7º ano insucesso/sucesso. A turma E é a que apresenta piores resultados a Educação Visual e a F a que revela pior desempenho a Educação Física.

19 19 Figura 35: Menções de Formação Cívica para o 7º ano insucesso/sucesso. O 7º F é a turma com maior percentagem de menções Não Satisfaz a Formação Cívica (38,5%), mas não se pode deixar de salientar também o registado nas turmas C e E. Figura 36: Menções de MAAE para o 7º ano insucesso/sucesso. A turma F é a que regista maior percentagem de menções Não Satisfaz a MAAE (46,2%), no entanto a C apresenta uma percentagem de insucesso também ela relevante.

20 20 Figura 37: Menções de PAAE para o 7º ano. A turma F tem maior percentagem de menções Não Satisfaz a PAAE (34,6%), as C e E devem ser também alvo de alguma atenção.

21 21 8º Ano de Escolaridade Figura 38: Disciplinas do Departamento de Matemática e Ciências Experimentais para o 8º ano. É de realçar as disciplinas de Ciências Físico-Químicas e Matemática em que o insucesso se manteve relativamente ao ano letivo anterior, no entanto, registou-se uma melhoria substancial na disciplina de C.N. Figura 39: Disciplinas do Departamento de Matemática e Ciências Experimentais para as turmas do 8º ano. As turmas que registaram maior insucesso na disciplina de CFQ foram as B, C, D, E e F. Salientamse as turmas C e D, na mesma disciplina com resultados francamente preocupantes. Em Matemática todas as turmas registam um elevado grau de insucesso, de realçar que a situação da turma D é muito preocupante. Na disciplina de CN são as turmas B, C, D e F as que apresentam maior insucesso.

22 22 Figura 40: Disciplinas do Departamento de Línguas para o 8º ano. Na disciplina de Francês o insucesso manteve-se relativamente ao ano letivo anterior, salientando-se no entanto que este é relativamente baixo. Registou-se uma melhoria ao nível dos resultados da disciplina de Inglês, acontecendo o inverso na disciplina de Língua Portuguesa. Figura 41: Disciplinas do Departamento de Línguas para as turmas do 8º ano. As turmas D e F são as que registam maior insucesso à disciplina de Francês, destacando-se pela negativa a turma F. Em Inglês foram as turmas B, C e D as que registaram maior insucesso e destas destaca-se a turma D. Na disciplina de Língua Portuguesa foram as turmas E e F as que apresentaram piores resultados, destacando-se de forma mais preocupante a E.

23 23 Figura 42: Disciplinas do Departamento de Ciências Sociais e Humanas para o 8º ano. Na disciplina de Geografia registou-se uma pequena subida da taxa de insucesso, relativamente ao ano letivo anterior, tendo acontecido o inverso na disciplina de História. Figura 43: Disciplinas do Departamento de Ciências Sociais e Humanas para as turmas do 8º ano. Na disciplina de Geografia os resultados são deveras preocupantes nas turmas C, D, E e F, em especial na turma D com 100% de insucesso. Em História, as turmas C, D e F registam as maiores percentagens de insucesso, destacando-se de forma preocupante a turma D. Em EMRC apenas a turma C apresenta um insucesso mais saliente.

24 24 Figura 44: Disciplinas do Departamento de Expressões para o 8º ano. Em EF a taxa de sucesso melhorou ligeiramente, tendo em conta o ano letivo anterior, tendo acontecido o inverso em EV. Figura 45: Disciplinas do Departamento de Expressões para as turmas do 8º ano. De realçar os resultados da turma A em EF onde se regista uma maior taxa de insucesso, acontecendo a mesma situação na turma E em EV.

25 25 Figura 46: Menções de Formação Cívica para o 8º ano As turmas C e D foram as únicas que registaram menções de Não Satisfaz. Figura 47: Menções de MAAE para o 8º ano. As turmas D e E foram as únicas que registaram insucesso, no entanto destaca-se pela negativa a turma D. Figura 48: Menções de PAAE para o 8º ano. As turmas B e D foram as únicas que registaram insucesso.

26 26 9º Ano de Escolaridade Figura 49: Disciplinas do Departamento de Matemática e Ciências Experimentais para o 9º ano insucesso/sucesso. A disciplina de Matemática apresenta maior taxa de insucesso (47,2%) do que as de Ciências Físico- Químicas e Ciências Naturais. Comparativamente a anos letivos anteriores, CFQ está próxima de valores que tradicionalmente obtém no 1º período. Ciências Naturais diminuiu significativamente o insucesso, enquanto os resultados de Matemática são mais negativos que no ano letivo anterior. Figura 50: Disciplinas do Departamento de Matemática e Ciências Experimentais para as turmas do 9º ano insucesso/ sucesso. As turmas com resultados mais preocupantes a Ciências Físico-Químicas são as A e E com mais de 50% de níveis inferiores a três. Nas disciplinas de Ciências Naturais e Matemática a turma com maior insucesso é a turma A.

27 27 Figura 51: Disciplinas do Departamento de Línguas para o 9º ano insucesso/sucesso. A disciplina de Inglês apresenta maior taxa de insucesso (37,8%) do que as de Francês e Língua Portuguesa. Comparativamente a anos letivos anteriores, Inglês aumentou aproximadamente para o dobro o insucesso, enquanto nas outras disciplinas o insucesso diminuiu significativamente. Figura 52: Disciplinas do Departamento de Matemática e Ciências Experimentais para as turmas do 9º ano insucesso/sucesso. A turma com resultados mais preocupantes a Língua Portuguesa é a C, por outro lado a B e a D apresentam os melhores resultados. A turma com melhores resultados a Francês é a B e a Inglês a E.

28 28 Figura 53: Disciplinas do Departamento de Ciências Sociais e Humanas para o 9º ano insucesso/sucesso. História apresenta uma taxa de insucesso de 21,5%. Comparativamente a anos letivos anteriores, História aumentou o insucesso, enquanto Geografia reduziu o insucesso para aproximadamente metade. Figura 54: Disciplinas do Departamento de Ciências Sociais e Humanas para as turmas do 9º ano insucesso/ sucesso. A turma com resultados mais preocupantes a História e Geografia é a C. A que apresenta melhores resultados a História é a A e a Geografia a D.

29 29 Figura 55: Disciplinas do Departamento de Expressões para o 9º ano insucesso/sucesso. São pouco significativas as situações de insucesso a Educação Física e a Educação Visual, contudo a primeira apresenta uma taxa de insucesso que ronda os 15%, sendo os resultados semelhantes aos do ano anterior. Na disciplina de TIC registou-se uma diminuição drástica do insucesso de 40,6% (2010/2011) para 7,5%. Figura 56: Disciplinas do Departamento de Expressões para as turmas do 9º ano insucesso/sucesso. A turma A é a que apresenta piores resultados a Educação Visual e a B a que revela pior desempenho a Educação Física e TIC. Figura 57: Menções de Formação Cívica para o 9º ano insucesso/sucesso. O 9º B é a turma com maior percentagem de menções Não Satisfaz a Formação Cívica (15,4%), no entanto é de ter em atenção os resultados da turma A.

30 30 Figura 58: Menções de MAAE para o 9º ano insucesso/sucesso. O 9º A é a turma com maior percentagem de menções Não Satisfaz a MAAE (13%).

31 31

RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO Ano Letivo ºPeríodo

RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO Ano Letivo ºPeríodo RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO Ano Letivo 2013-2014 3ºPeríodo EQUIPA DE AVALIAÇÃO INTERNA JUNHO DE 2014 1 índice 1 Introdução 3 2 Avaliação.. 4 2.1. Avaliação no 1ºciclo. 4 2.2. Avaliação no 2ºciclo. 6 2.2.1.

Leia mais

Ciências da Natureza 5º ano 96%

Ciências da Natureza 5º ano 96% DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS 3 2 1 92% 88% Ciências da Natureza 5º ano 91% 94% 83% 83% 67% 59% 5º A 5º B 5º C 5º D 5º E 5º F 5º G 5º H % >= 3 1P % >= 3 2P Figura 1 Comparação entre

Leia mais

RELATÓRIO DA AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS ESCOLARES

RELATÓRIO DA AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS ESCOLARES RELATÓRIO DA AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS ESCOLARES (2015/2016) Coordenadora: Bela Maria Veiga Lourenço - (2º ciclo) Membros: Maria Emília Batista - (3º ciclo) Zaida Vasconcelos - (1º ciclo) Fátima Cardoso

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE OS RESULTADOS DE AVALIAÇÃO

RELATÓRIO SOBRE OS RESULTADOS DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO SOBRE OS RESULTADOS DE AVALIAÇÃO 2013/2014 Agrupamento de Escolas de Fernando Pessoa Página 1 ÍNDICE Introdução...4 Parte I Dados referentes ao 1º ciclo...5 1. Avaliação interna..........6 1.1

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DE AUTOAVALIAÇÃO

RELATÓRIO FINAL DE AUTOAVALIAÇÃO Agrupamento de Escolas Dr. Alberto Iria Olhão ANO LETIVO 2015/2016 RELATÓRIO FINAL DE AUTOAVALIAÇÃO EQUIPA: Ana Avó, Ema Salero, Marília Estriga, Vanda Estevens Índice QUADRO SÍNTESE DA POPULAÇÃO ESCOLAR

Leia mais

RELATÓRIO DO 1.º PERÍODO 2015/2016

RELATÓRIO DO 1.º PERÍODO 2015/2016 AUTOAVALIAÇÃO DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE GRÂNDOLA MONITORIZAÇÃO DAS COMPETÊNCIAS E DOS RESULTADOS ESCOLARES DAS CRIANÇAS E DOS ALUNOS RELATÓRIO DO 1.º PERÍODO 2015/2016 Departamento de Monitorização,

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO Domínio Cognitivo (Nível dos Conhecimentos) Compreensão oral e escrita; Conhecimento de formas e regras de funcionamento da língua materna; Conhecimento e compreensão de conceitos

Leia mais

O SUCESSO ESCOLAR NO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CABECEIRAS DE BASTO. Outubro 2012

O SUCESSO ESCOLAR NO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CABECEIRAS DE BASTO. Outubro 2012 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CABECEIRAS DE BASTO O SUCESSO ESCOLAR NO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CABECEIRAS DE BASTO A EQUIPA DE AUTOAVALIAÇÃO: Albino Barroso Manuel Miranda Paula Morais Rita Magalhães Outubro

Leia mais

Análise dos resultados da informação relativa à aprendizagem dos alunos Artigo 8º do Despacho Normativo n.º 1-F/2016, de 6 de abril

Análise dos resultados da informação relativa à aprendizagem dos alunos Artigo 8º do Despacho Normativo n.º 1-F/2016, de 6 de abril Análise dos resultados da informação relativa à aprendizagem dos alunos Artigo 8º do Despacho Normativo n.º 1-F/2016, de 6 de abril Resultados Escolares 2015-2016 2.º Período Percentagem de insucesso/sucesso

Leia mais

Estatísticas da Educação 2014/15 Principais resultados relativos ao Ensino Superior

Estatísticas da Educação 2014/15 Principais resultados relativos ao Ensino Superior Estatísticas da Educação 2014/15 Principais resultados relativos ao Ensino Superior Inscritos no 1.º ano, pela 1.ª vez, em estabelecimentos de ensino superior 1 Em 2014/15, inscreveram-se em estabelecimentos

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS DOS EXAMES NACIONAIS

AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS DOS EXAMES NACIONAIS Direção de Serviços da Região Norte AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS DOS EXAMES NACIONAIS ANO LETIVO 2014-2015 Joaquim Lavrador Outubro /2015 1. METODOLOGIA DO TRABALHO Este estudo teve como base os resultados

Leia mais

ESCOLAS E.B.1 C/ J.I. DA COCA MARAVILHAS E DE VENDAS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1.º CICLO ( )

ESCOLAS E.B.1 C/ J.I. DA COCA MARAVILHAS E DE VENDAS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1.º CICLO ( ) Critérios de Avaliação 1.º Ciclo Ano letivo 2016/2017 ESCOLAS E.B.1 C/ J.I. DA COCA MARAVILHAS E DE VENDAS A avaliação incide sobre os conhecimentos e capacidades definidas no currículo nacional e nas

Leia mais

MANUAIS ESCOLARES ADOTADOS PARA 2016/2017

MANUAIS ESCOLARES ADOTADOS PARA 2016/2017 ANO DISCIPLINA TITULO ISBN EDITORA Ciências Naturais Novo CSI 5 Ciência Sob Investigação Física Mais Movimento Ed. Física 5º/6º anos Musical Música Cinco Saber Fazer - 5.º/6.º anos 978-989-767-106-7 Areal

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO Equipa de avaliação: Filipe Xavier Adriano Matias Isabel Rosado Fátima Félix 1 Introdução O presente relatório reflete a avaliação realizada a nível dos resultados escolares, do

Leia mais

Período Observado: 2ºP

Período Observado: 2ºP Pré-escolar todos empenhados no sucesso educativo dos nossos alunos. Período Observado: 2ºP 2015-2016 v2 Sucesso nas áreas prioritárias: - Formação Pessoal e Social 1ºP-74% 2ºP -86% período homól. 85%

Leia mais

Análise dos resultados da informação relativa à aprendizagem dos alunos. Resultados Escolares º Período

Análise dos resultados da informação relativa à aprendizagem dos alunos. Resultados Escolares º Período Análise dos resultados da informação relativa à aprendizagem dos alunos Resultados Escolares 2015-2016 1.º Período 1 Percentagem de insucesso/sucesso 1º período - 2015/2016 Dep. Pré-Escolar Área MF Muita

Leia mais

Relatório de análise dos resultados da Avaliação 3.º Período - História

Relatório de análise dos resultados da Avaliação 3.º Período - História Agrupamento de Escolas Poeta Joaquim Serra - Montijo Relatório de análise dos resultados da Avaliação 3.º Período - História O presente relatório tem por base as reflexões individuais registadas em documento

Leia mais

Apresentação dos Resultados Escolares

Apresentação dos Resultados Escolares Apresentação dos Resultados Escolares 1.º Período 2013-2014 Índice Apresentação dos resultados escolares do Pré-Escolar... 3 Considerações... 5 ANÁLISE DOS RESULTADOS ESCOLARES DOS ALUNOS DO 1º CICLO DO

Leia mais

Obras licenciadas atenuaram decréscimo

Obras licenciadas atenuaram decréscimo Construção: Obras licenciadas e concluídas 1º Trimestre de 2014- Dados preliminares 12 de junho de 2014 Obras licenciadas atenuaram decréscimo No 1º trimestre de 2014 os edifícios licenciados diminuíram

Leia mais

HORÁRIO - Ano Letivo 2015/2016

HORÁRIO - Ano Letivo 2015/2016 Turma: 5ºA 08:30 E.F C.N L.E. I Inglês E.T E.M 09:15 E.F C.N L.E. I Inglês E.T E.M 10:20 PORT EV MAT MAT PORT 11:05 PORT EV MAT MAT PORT 12:00 L.E. I Inglês E.M.R.C APOIO EUCARISTIA H.G.P 14:30 MAT H.G.P

Leia mais

Critérios gerais de avaliação

Critérios gerais de avaliação Critérios gerais de avaliação Ano letivo 204-205 ESCOLA LUÍS MADUREIRA PRÍNCIPIOS QUE REGULAM A AVALIAÇÃO DAS APRENDIZAGENS A avaliação tem uma vertente contínua e sistemática e fornece ao professor, ao

Leia mais

Plano de Intervenção Prioritária para a Matemática

Plano de Intervenção Prioritária para a Matemática 2014/2015 Plano de Intervenção Prioritária para a Matemática Grupo de trabaho: Professores: Nela Fee (coordenadora) Carla Queiroz (Pré-Escolar) - Rosário Timóteo (1º c) Nuno Tomé (1ºc) - Anabela Hilário

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO DOMÍNIOS SUBDOMÍNIOS CAPACIDADES INDICADORES INSTRUMENTOS Domínio Cognitivo (Saber) Componentes do Currículo Conceitos Identifica/Reconhece/Adquire conceitos; Domina

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CONDEIXA-A-NOVA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CONDEIXA-A-NOVA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CONDEIXA-A-NOVA RESULTADOS DO SUCESSO ESCOLAR 2014/2015-1º PERÍODO Janeiro de 2015 Agrupamento de Escolas de Condeixa-a-Nova 1. INTRODUÇÃO Mantendo a estrutura dos anos anteriores,

Leia mais

ANÁLISE DE DESEMPENHO DA ESCOLA 2013/2014

ANÁLISE DE DESEMPENHO DA ESCOLA 2013/2014 ANÁLISE DE DESEMPENHO DA ESCOLA 2013/2014 Avaliação Interna da Educação Pré-Escolar, 1º Ciclo, 2º Ciclo e 3º Ciclo do Ensino Básico Avaliação Externa - Testes Intermédios do 2º e 9º Anos - Provas Finais

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO (APROVADOS EM CP 2014/2015)1 1.º Introdução A avaliação constitui um processo regulador do ensino, orientador do percurso escolar e certificador dos conhecimentos adquiridos

Leia mais

Projecto Curricular de Escola Ano Lectivo 2009/2010 ANEXO VI

Projecto Curricular de Escola Ano Lectivo 2009/2010 ANEXO VI Projecto Curricular de Escola Ano Lectivo 2009/2010 ANEXO VI Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos Dr. Horácio Bento de Gouveia Ano Lectivo 20 /20 PLANO DE RECUPERAÇÃO Despacho Normativo nº50/2005 Aluno: Nº

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CONDEIXA-A-NOVA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CONDEIXA-A-NOVA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CONDEIXA-A-NOVA RESULTADOS DO SUCESSO ESCOLAR 2013/2014-1º PERÍODO Janeiro de 2014 Agrupamento de Escolas de Condeixa-a-Nova 1. INTRODUÇÃO Mantendo a estrutura dos anos anteriores,

Leia mais

Avaliação 1

Avaliação 1 AVALIAÇÃO 5º ANO 01-10-2013 Avaliação 1 Ordem de Trabalhos Ponto um Boas-vindas/Apresentação dos intervenientes Ponto dois Desenho curricular e sistema de avaliação no Ensino Básico Ponto três Assiduidade

Leia mais

EXTERNATO JOÃO ALBERTO FARIA Ano Letivo 2014/15

EXTERNATO JOÃO ALBERTO FARIA Ano Letivo 2014/15 EXTERNATO JOÃO ALBERTO FARIA Ano Letivo 2014/15 AVALIAÇÃO 5º ANO 1 Ordem de Trabalhos Ponto um Boas- vindas/apresentação dos intervenientes Ponto dois Desenho curricular e sistema de avaliação no Ensino

Leia mais

INDICADORES DAS ÁREAS DE MELHORIA ESCXEL. Matemática - Turma de Homogeneidade Relativa

INDICADORES DAS ÁREAS DE MELHORIA ESCXEL. Matemática - Turma de Homogeneidade Relativa INDICADORES DAS ÁREAS DE MELHORIA ESCXEL Matemática - Turma de Homogeneidade Relativa : Melhorar a competência de números e cálculo dos alunos no fim do 5º ano Taxa de insucesso na avaliação interna Taxa

Leia mais

Análise dos resultados dos testes de aferição

Análise dos resultados dos testes de aferição Escola Secundária/3 de Barcelinhos - 403787 Comissão de Avaliação de aprendizagem dos alunos Análise dos resultados dos testes de aferição O Teste de aferição visava recolher informação relevante, em particular

Leia mais

Objectivos e metas do Projecto Educativo 2010 / 2013

Objectivos e metas do Projecto Educativo 2010 / 2013 Objectivos e metas do Projecto Educativo 2010 / 2013 Objectivos Metas Indicadores 1. Promover a Educação Intercultural/ Melhorar valências da escola Inclusiva. a) Reduzir a taxa de desistência escolar

Leia mais

Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de Santo António

Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de Santo António Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de Santo António Exames Nacionais de Língua Portuguesa e Matemática 9º ANO As provas de exame de Língua Portuguesa e de Matemática incidem sobre as aprendizagens e competências

Leia mais

EQUIPA DE AUTOAVALIAÇÃO DO AGRUPAMENTO DE CELEIRÓS

EQUIPA DE AUTOAVALIAÇÃO DO AGRUPAMENTO DE CELEIRÓS EQUIPA DE AUTOAVALIAÇÃO DO AGRUPAMENTO DE CELEIRÓS AVALIAÇÃO DAS ESTRATÉGIAS DO AGRUPAMENTO Projeto Educativo Plano de Melhoria 2014/15 Avaliação das Estratégias do Agrupamento - Projeto Educativo/Plano

Leia mais

EBITDA 2014 RELATÓRIO SÍNTESE

EBITDA 2014 RELATÓRIO SÍNTESE RELATÓRIO SÍNTESE EBITDA 2014 Análise dos valores do EBITDA 2014 das empresas detentoras de alvará de construção, para efeitos de determinação da capacidade financeira FICHA TÉCNICA Título: Relatório Síntese

Leia mais

Critérios de avaliação. Matriz Curricular Ensino Básico - 1.º ciclo (*)

Critérios de avaliação. Matriz Curricular Ensino Básico - 1.º ciclo (*) Matriz Curricular Ensino Básico - 1.º ciclo (*) Componentes do currículo Áreas disciplinares de frequência obrigatória: Português Matemática Estudo do Meio Expressões: Artísticas e Físico-Motoras. Apoio

Leia mais

Matrículas no 12.º ano- Ano letivo 2014/2015 Elencos de disciplinas. Curso científico-humanístico de Ciências e Tecnologias

Matrículas no 12.º ano- Ano letivo 2014/2015 Elencos de disciplinas. Curso científico-humanístico de Ciências e Tecnologias Matrículas no 1.º ano- Ano letivo 014/015 Elencos de disciplinas Curso científico-humanístico de Ciências e Tecnologias Alunos do 11.º Ano -Turmas 1,, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11, 1,5 Matemática A 3,5

Leia mais

DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS E HUMANIDADES

DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS E HUMANIDADES DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS E HUMANIDADES CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO DAS SECÇÕES DISCIPLINARES DE: Português Inglês Francês e Espanhol História e Geografia de Portugal História Geografia Ano Letivo

Leia mais

AUTO-AVALIAÇÃO DO AGRUPAMENTO

AUTO-AVALIAÇÃO DO AGRUPAMENTO AUTO-AVALIAÇÃO DO AGRUPAMENTO Os processos e as tecnologias podem unir aspectos importantes para melhores desempenhos organizacionais, mas são as pessoas, através dos seus desempenhos e comportamentos,

Leia mais

INTRODUÇÃO O CONCELHO DE LOULÉ... 5 SUMÁRIO Resultados nacionais e no Concelho em Língua Portuguesa º Ciclo...

INTRODUÇÃO O CONCELHO DE LOULÉ... 5 SUMÁRIO Resultados nacionais e no Concelho em Língua Portuguesa º Ciclo... PROVAS DE AFERIÇÃO 1º E 2º CICLOS CONCELHO DE LOULÉ AGRUPAMENTO DE D.. DIINIIS ANOS DE 2007--2010 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 1. O CONCELHO DE LOULÉ... 5 SUMÁRIO... 5 1.1. Resultados nacionais e no Concelho

Leia mais

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO PARA O 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO PARA O 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO Agrupamento de Escolas Fernão de Magalhães Departamento Curricular do 1º Ciclo Ano Letivo 2015/2016 CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO PARA O 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO Avaliação das Atitudes/Comportamentos

Leia mais

Período Observado: 2ºP

Período Observado: 2ºP todos empenhados no sucesso educativo dos nossos alunos. Período Observado: 2ºP 2014-2015 Pré-escolar Sucesso nas áreas prioritárias: - Formação Pessoal e Social, 1ºP 82% - 2ºP 85% - Ling. Oral e Abord.

Leia mais

Relatório de Análise Comparada dos Resultados dos Exames Nacionais ACREN_2014 Ensino Secundário 11º e 12ºano

Relatório de Análise Comparada dos Resultados dos Exames Nacionais ACREN_2014 Ensino Secundário 11º e 12ºano Agrupamento de Escolas de Vagos 161070 Relatório de Análise Comparada dos Resultados dos Exames Nacionais ACREN_2014 Ensino Secundário 11º e 12ºano Equipa: Rosa Cruz (RD Pré-Escolar) Eliana Antunes (RD

Leia mais

RELATÓRIO DOS RESULTADOS DOS EXAMES FINAIS NACIONAIS/ENSINO SECUNDÁRIO

RELATÓRIO DOS RESULTADOS DOS EXAMES FINAIS NACIONAIS/ENSINO SECUNDÁRIO RELATÓRIO DOS RESULTADOS DOS EXAMES FINAIS NACIONAIS/ENSINO SECUNDÁRIO 2013 1 1ª FASE Carlos Marques Paula Rosas Paulo Miranda Paulo Rocha DATA Código e Designação do Exame Nº de alunos Internos EXAMES

Leia mais

VAB das empresas não financeiras aumenta 3,7%, em termos nominais, em 2014

VAB das empresas não financeiras aumenta 3,7%, em termos nominais, em 2014 Empresas em Portugal 2010-28 de setembro de 2015 VAB das empresas não financeiras aumenta 3,7%, em termos nominais, em Os dados preliminares de das estatísticas das empresas reforçam os sinais positivos

Leia mais

RELATÓRIO DE RESULTADOS ESCOLARES

RELATÓRIO DE RESULTADOS ESCOLARES AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PADRE JOÃO COELHO CABANITA RELATÓRIO DE RESULTADOS ESCOLARES 2.º PERÍODO ANO LETIVO 2013 / 2014 Equipa de Autoavaliação: Júlio César Gomes Guerreiro, Ana Maria Piçarra Agostinho,

Leia mais

AVALIAÇÃO INTERNA ANO LETIVO /13 Escola Básica e Secundária de São João da Pesqueira. Resultados Internos e Externos do Agrupamento

AVALIAÇÃO INTERNA ANO LETIVO /13 Escola Básica e Secundária de São João da Pesqueira. Resultados Internos e Externos do Agrupamento 3333333333333 2012/13 Escola Básica e Secundária de São João da Pesqueira AVALIAÇÃO INTERNA Resultados Internos e Externos do Agrupamento (1º Ciclo, 2º Ciclo, 3º Ciclo e Secundário) LETIVO 2014-15 1 1.

Leia mais

Manuais atribuídos pelo SASE 2014/2015

Manuais atribuídos pelo SASE 2014/2015 Manuais atribuídos pelo SASE 2014/2015 5º ano 5º ano Escalão A Comparticipação - 118,00 Dito e feito 5 Português 18,19 Matemática 5º ano Nova Edição Matemática 18,55 Way to go 5 Inglês 18,07 Clube da Terra

Leia mais

AVALIAÇÃO INTERNA DE 2010/2011

AVALIAÇÃO INTERNA DE 2010/2011 AVALIAÇÃO INTERNA DE 010/011 RELATÓRIO DO ºPERÍODO Índice Pré-escolar... 1ºCICLO... 4 1ºano... 4 ºano... 4 ºano... 5 4ºano... 5 ºCICLO... 6 5ºano... 6 6º ano... 7 ºCICLO... 8 7º ano... 9 8º ano... 10 9º

Leia mais

http://www3.esvilela.pt/exames-nacionais PROVAS DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA (1º E 2º CICLO) 2016 QUAIS AS CONDIÇÕES DE APROVAÇÃO? No final do 1º ciclo do ensino básico o aluno obtém a menção de Aprovado

Leia mais

RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO RESULTADOS ESCOLARES DOS ALUNOS

RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO RESULTADOS ESCOLARES DOS ALUNOS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE FERNANDO PESSOA LISBOA RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO RESULTADOS ESCOLARES DOS ALUNOS 2011-2012 Julho/2012 ÍNDICE Pág. Introdução - - - - - - - - - 3 1. Resultados dos alunos do 1º

Leia mais

CURRÍCULO DAS ÁREAS DISCIPLINARES / CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3ºciclo Geografia 7ºano

CURRÍCULO DAS ÁREAS DISCIPLINARES / CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3ºciclo Geografia 7ºano CURRÍCULO DAS ÁREAS DISCIPLINARES / CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3ºciclo Geografia 7ºano Metas de Aprendizagem Conteúdos Programáticos Critérios de Avaliação Instrumentos de Avaliação Domínio I A TERRA : Estudos

Leia mais

OBSERVATÓRIO INTERNO DOS RESULTADOS ESCOLARES

OBSERVATÓRIO INTERNO DOS RESULTADOS ESCOLARES AGRUPAMENTO VERTICAL DE GAVIÃO Ano Lectivo 2009/2010 OBSERVATÓRIO INTERNO DOS RESULTADOS ESCOLARES Portefólio de Avaliação Sumativa Interna/ Externa De nada vale pensar, é preciso reflectir primeiro! (Pierre

Leia mais

Estatísticas da Educação 2014/15 Principais resultados relativos ao Ensino Superior

Estatísticas da Educação 2014/15 Principais resultados relativos ao Ensino Superior Estatísticas da Educação 2014/15 Principais resultados relativos ao Ensino Superior Inscritos em cursos de ensino superior Em 2014/15, inscreveram-se em cursos de ensino superior um total de 349 658 alunos

Leia mais

FIMAP AEP / GABINETE DE ESTUDOS

FIMAP AEP / GABINETE DE ESTUDOS FIMAP AEP / GABINETE DE ESTUDOS MARÇO DE 2010 1. Variáveis das empresas A fabricação de máquinas para trabalhar madeira insere-se na CAE 294 Fabricação de máquinas ferramentas, que, por sua vez, está contemplada

Leia mais

Escola Secundária Jaime Moniz Avaliação dos Alunos

Escola Secundária Jaime Moniz Avaliação dos Alunos Escola Secundária Jaime Moniz Avaliação dos Alunos Quadriénio letivo 2014-2018 Índice RECOMENDAÇÕES 1. AVALIAÇÃO DOS ALUNOS 1. AVALIAÇÃO DOS ALUNOS... 1 1.1. RECOMENDAÇÕES GERAIS... 2 1.2. RECOMENDAÇÕES

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÂO DA DISCIPLINA DE PORTUGUÊS 2º CICLO ANO LETIVO 2015 / 2016 DOMÍNIOS DE APRENDIZAGEM DOMÍNIOS DE REFERÊNCIA PONDERAÇÃO INSTRUMENTOS DE

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Muralhas do Minho, Valença PLANO ESTRATÉGICO PARA O ANO LETIVO

Agrupamento de Escolas de Muralhas do Minho, Valença PLANO ESTRATÉGICO PARA O ANO LETIVO Agrupamento de Escolas de Muralhas do Minho, Valença PLANO ESTRATÉGICO PARA O ANO LETIVO 2014-2015 1. Enquadramento. O Plano Estratégico apresentado para o ano letivo 2014-2015 e elaborado nos termos do

Leia mais

Agrupamento de Escolas Fernão de Magalhães Oferta Educativa

Agrupamento de Escolas Fernão de Magalhães Oferta Educativa Agrupamento de Escolas Fernão de Magalhães Oferta Educativa Agarra o futuro vem até à Fernão, a escolha é tua. Ensino Secundário Diurno _ Cursos Científico Humanísticos Ciências e Tecnologias Matemática

Leia mais

Critérios gerais de avaliação

Critérios gerais de avaliação Critérios gerais de avaliação ÍNDICE Introdução 3 A A avaliação na educação pré-escolar 3 1 Intervenientes 3 2 Modalidades da avaliação 3 3 Critérios de avaliação 3 4 Ponderação 4 B A avaliação no ensino

Leia mais

Resumo da monitorização mensal da atividade assistencial no SNS julho

Resumo da monitorização mensal da atividade assistencial no SNS julho Resumo da monitorização mensal da atividade assistencial no SNS julho 2015 www.acss.min-saude.pt Monitorização do Serviço Nacional de Saúde http://benchmarking.acss.min-saude.pt/benchmarking.aspx 2 Monitorização

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO ENSINOS BÁSICO E SECUNDÁRIO (Despacho Normativo Nº 13/2014 de 15 de setembro) A avaliação dos alunos do ensino básico e secundário incide sobre as aprendizagens e competências definidas

Leia mais

AVALIAÇÃO INTERNA DO AGRUPAMENTO

AVALIAÇÃO INTERNA DO AGRUPAMENTO AVALIAÇÃO INTERNA DO AGRUPAMENTO Uma escola não tem melhor maneira de cumprir a sua missão do que cultivar a interacção com todas as forças vivas e ativas do meio envolvente. (Landsheere, 1997). 1 Introdução

Leia mais

RELATÓRIO 2ºPeríodo ANO LETIVO 2012/2013

RELATÓRIO 2ºPeríodo ANO LETIVO 2012/2013 RELATÓRIO 2ºPeríodo ANO LETIVO 2012/2013 Pré-Escolar As atividades que passamos a descrever estão inscritas no Plano Anual de Atividades tendo sido preocupação do grupo de docentes desenvolvê-las de forma

Leia mais

ES3QM - Resultados dos exames do 12º ano de escolaridade A evolução dos resultados dos exames do 12º ano Médias por escola 4

ES3QM - Resultados dos exames do 12º ano de escolaridade A evolução dos resultados dos exames do 12º ano Médias por escola 4 Escola Secundária com 3º Ciclo da Quinta do Marquês, Oeiras Resultados dos exames do 12º ano de escolaridade 2000-2010 2 Índice Introdução 3 A evolução dos resultados dos exames do 12º ano Médias por escola

Leia mais

1 - Educação Pré- Escolar (Despacho n.º 5220/97, de 4 de agosto) 2-1.º Ciclo do Ensino Básico (DL n.º 139/2012, de 5 de julho, com as alterações

1 - Educação Pré- Escolar (Despacho n.º 5220/97, de 4 de agosto) 2-1.º Ciclo do Ensino Básico (DL n.º 139/2012, de 5 de julho, com as alterações 1 - Educação Pré- Escolar (Despacho n.º 5220/97, de 4 de agosto) 2-1.º Ciclo do Ensino Básico (DL n.º 139/2012, de 5 de julho, com as alterações introduzidas pelo DL n.º 91/2013, de 10 de julho) 3-2.º

Leia mais

RELATÓRIO DOS RESULTADOS DOS EXAMES FINAIS NACIONAIS

RELATÓRIO DOS RESULTADOS DOS EXAMES FINAIS NACIONAIS RELATÓRIO DOS RESULTADOS DOS EXAMES FINAIS NACIONAIS (Ensino secundário) 2014 1 1ª FASE EXAMES NACIONAIS DO ENSINO SECUNDÁRIO 2014 Resultados de Exames da 1ª Fase, por disciplina AGRUPAMENTO DE ESCOLAS

Leia mais

Estimativas de População Residente, Portugal, NUTS II, NUTS III e Municípios

Estimativas de População Residente, Portugal, NUTS II, NUTS III e Municípios Estimativas de População Residente 09 de Junho 2010 Estimativas de População Residente, Portugal, NUTS II, NUTS III e Municípios A evolução demográfica em caracteriza-se por um ligeiro crescimento da população

Leia mais

Quadros de Valor, Mérito e Excelência. Regulamento

Quadros de Valor, Mérito e Excelência. Regulamento Quadros de Valor, Mérito e Excelência Regulamento Os quadros de valor e de Excelência são criados no âmbito do Agrupamento de Escolas de Campo Maior, como incentivo ao sucesso escolar e educativo, visando

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO. EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR, ENSINOS BÁSICO e SECUNDÁRIO. NOTA INTRODUTÓRIA Ano letivo 2016/2017

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO. EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR, ENSINOS BÁSICO e SECUNDÁRIO. NOTA INTRODUTÓRIA Ano letivo 2016/2017 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR, ENSINOS BÁSICO e SECUNDÁRIO NOTA INTRODUTÓRIA Ano letivo 2016/2017 Sendo a avaliação um «processo regulador do ensino, orientador do percurso escolar

Leia mais

Análise dos resultados dos exames nacionais de alunos internos 2009

Análise dos resultados dos exames nacionais de alunos internos 2009 OBSERVATÓRIO DE QUALIDADE DA ESCOLA 010 - Janeiro Grupo de trabalho para a auto-avaliação Análise dos resultados dos exames nacionais de alunos internos 009 Nota introdutória Na sequência do trabalho iniciado

Leia mais

REGULAMENTO DOS QUADROS DE EXCELÊNCIA E DE MÉRITO INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DOS QUADROS DE EXCELÊNCIA E DE MÉRITO INTRODUÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOÃO DA SILVA CORREIA REGULAMENTO DOS QUADROS DE EXCELÊNCIA E DE MÉRITO INTRODUÇÃO O presente Regulamento dos Quadros de Mérito e de Excelência do Agrupamento de Escolas João da

Leia mais

Análise comparativa entre os resultados dos cursos da Universidade de Évora e os cursos congéneres das outras instituições de ensino superior público

Análise comparativa entre os resultados dos cursos da Universidade de Évora e os cursos congéneres das outras instituições de ensino superior público Análise comparativa entre os resultados dos cursos da Universidade de Évora e os cursos congéneres das outras instituições superior público Primeira Fase do Concurso Nacional de Acesso (2011 2012 e 2012

Leia mais

Relatório de Análise da Comparativa dos Resultados dos Exames Nacionais ACREN_2014 Ensino Básico_9ºano

Relatório de Análise da Comparativa dos Resultados dos Exames Nacionais ACREN_2014 Ensino Básico_9ºano Agrupamento de Escolas de Vagos 161070 Relatório de Análise da Comparativa dos Resultados dos Exames Nacionais ACREN_2014 Ensino Básico_9ºano Equipa: Rosa Cruz (RD Pré-Escolar) Eliana Antunes (RD Pré-Escolar)

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Pinhal de Frades RELATÓRIO DO OBSERVATÓRIO DE QUALIDADE

Agrupamento de Escolas de Pinhal de Frades RELATÓRIO DO OBSERVATÓRIO DE QUALIDADE Agrupamento de Escolas de Pinhal de Frades RELATÓRIO DO OBSERVATÓRIO DE QUALIDADE Ano letivo: 2014-2015 INTRODUÇÃO No início deste ano, a equipa concluiu o acompanhamento da evolução dos resultados escolares

Leia mais

Relatório. Satisfação dos Colaboradores da Direção Regional da Administração Pública e Local. Sede. Novembro de 2014

Relatório. Satisfação dos Colaboradores da Direção Regional da Administração Pública e Local. Sede. Novembro de 2014 Relatório Satisfação dos Colaboradores da Direção Regional da Administração Pública e Local Sede Novembro de 2014 1 Índice Índice Introdução e Metodologia, pág. 3 1. Satisfação global, pág. 5 2. Satisfação

Leia mais

3º Ciclo do Ensino Básico Critérios de avaliação 7º Ano

3º Ciclo do Ensino Básico Critérios de avaliação 7º Ano CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO A avaliação do aluno nas diferentes disciplinas e áreas curriculares disciplinares realiza-se em três domínios: afetivo, cognitivo, e psicomotor. Ou, usando uma terminologia

Leia mais

REGULAMENTO DOS QUADROS DE EXCELÊNCIA E HONRA INSTITUTO DE PROMOÇÃO SOCIAL DE BUSTOS, S.A. COLÉGIO FREI GIL

REGULAMENTO DOS QUADROS DE EXCELÊNCIA E HONRA INSTITUTO DE PROMOÇÃO SOCIAL DE BUSTOS, S.A. COLÉGIO FREI GIL REGULAMENTO DOS QUADROS DE EXCELÊNCIA E HONRA 2012-2015 INSTITUTO DE PROMOÇÃO SOCIAL DE BUSTOS, S.A. COLÉGIO FREI GIL Índice Introdução...3 Capítulo I Regulamento...4 Introdução O presente Regulamento

Leia mais

AGRUPAMENTO VERTICAL DE REDONDO

AGRUPAMENTO VERTICAL DE REDONDO AGRUPAMENTO VERTICAL DE REDONDO AVALIAÇÃO 2006/2007 E OBJECTIVOS, METAS E INDICADORES PARA OS ANOS LECTIVOS DE 2007/2008 E 2008/2009 AVALIAÇÃO INTERNA ENSINO BÁSICO E SECUNDÁRIO - Reduzir o insucesso em

Leia mais

Critérios de Avaliação Departamento do 1º Ciclo do Ensino Básico. 1º Ciclo

Critérios de Avaliação Departamento do 1º Ciclo do Ensino Básico. 1º Ciclo Critérios de Avaliação Departamento do 1º Ciclo do Ensino Básico 1º Ciclo Ano Letivo 2012/2013 1 - PROCESSO DE AVALIAÇÃO A avaliação dos alunos, enquanto parte integrante do processo de ensino/aprendizagem,

Leia mais

Resultados Aproveitamento & Comportamento

Resultados Aproveitamento & Comportamento Resultados & Comportamento 1.º Período 1/15 Conteúdos Conteúdos 2 Tabelas e Gráficos Abreviaturas 5 Critérios para Atribuição das Menções Qualitativas Comportamento Resultados Escolares 7 Ensino Básico

Leia mais

Estudantes à saída do secundário em 2012/2013 taxas de participação. Escolas

Estudantes à saída do secundário em 2012/2013 taxas de participação. Escolas Estudantes à saída do secundário em 2012/2013 taxas de participação Neste processo de inquirição foram convidadas a participar todas as escolas públicas e privadas de Portugal continental (807 escolas,

Leia mais

ESTATÍSTICAS DEMOGRÁFICAS DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 2015

ESTATÍSTICAS DEMOGRÁFICAS DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 2015 11 de outubro 2016 ESTATÍSTICAS DEMOGRÁFICAS DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 2015 População residente Em 31 de dezembro de 2015, a população residente na Região Autónoma da Madeira (RAM) foi estimada em

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO 1º CICLO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO 1º CICLO Direção de Serviços da Região Norte AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AMARES ANO LETIVO 2014 / 2015 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO 1º CICLO CRITÉRIOS GERAIS Na avaliação dos alunos intervêm todos os professores envolvidos,

Leia mais

INE divulgou estatísticas da Actividade Turística Abril 2007

INE divulgou estatísticas da Actividade Turística Abril 2007 Data Tema Acontecimento 12/06 Turismo 14/06 Ciência & Tecnologia 14/06 Economia 18/06 Preços 21/06 Economia 21/06 Economia INE divulgou estatísticas da Actividade Turística Abril 2007 http://www.ine.pt/prodserv/destaque/2007/d070612-3/d070612-3.pdf

Leia mais

Critérios de Avaliação do Ensino Básico - 2º Ciclo. Língua Portuguesa

Critérios de Avaliação do Ensino Básico - 2º Ciclo. Língua Portuguesa Critérios de Avaliação do Ensino Básico - º Ciclo Língua Portuguesa DOMÍNIOS COMPETÊNCIAS PONDERAÇÃO NA CLASSIFICAÇÃO TIPOLOGIA DOS INSTRUMENTOS DE FINAL AVALIAÇÃO POR PERÍODO Teste(s) de compreensão oral

Leia mais

Direção Regional de Estatística da Madeira

Direção Regional de Estatística da Madeira 03 de outubro de 2014 ESTATÍSTICAS DEMOGRÁFICAS DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 2013 A presente publicação compila os diferentes indicadores divulgados ao longo do ano relativos ao comportamento demográfico

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LETIVO 2015/2016 DOMÍNIOS DE AVALIAÇÃO. Assiduidade/Pontualidade (2%) Comportamento / Relação com os outros (6%)

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LETIVO 2015/2016 DOMÍNIOS DE AVALIAÇÃO. Assiduidade/Pontualidade (2%) Comportamento / Relação com os outros (6%) PORTUGUÊS DOMÍNIOS DE Leitura / Educação literária (25) Escrita (25) Gramática (15) Oralidade (15) 80 Assiduidade/Pontualidade (2) Comportamento / Relação com os outros (6) Organização do material (2)

Leia mais

Número de nados-vivos aumentou mas saldo natural manteve-se negativo

Número de nados-vivos aumentou mas saldo natural manteve-se negativo Estatísticas Vitais 215 28 de abril de 216 Número de nados-vivos aumentou mas saldo natural manteve-se negativo Em 215, nasceram com vida (nados-vivos) 85 5 crianças, de mães residentes em Portugal. Este

Leia mais

[DINÂMICAS REGIONAIS NA REGIÃO CENTRO]

[DINÂMICAS REGIONAIS NA REGIÃO CENTRO] [DINÂMICAS REGIONAIS NA REGIÃO CENTRO] O PIB REGIONAL UMA ANÁLISE APLICADA À REGIÃO CENTRO O Produto Interno Bruto (PIB) é um indicador habitualmente utilizado para aferir e comparar o grau de desenvolvimento

Leia mais

Autonomia: implicações futuras de decisões presentes NOTA INTRODUTÓRIA

Autonomia: implicações futuras de decisões presentes NOTA INTRODUTÓRIA NOTA INTRODUTÓRIA O presente relatório sintetiza as ações do Plano Anual de Atividades programadas/desenvolvidas ao longo do ano, refletindo, necessariamente de forma global e integrada, o nível de execução

Leia mais

Secretariado de Exames

Secretariado de Exames REUNIÃO DE ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO 2012 Secretariado de Exames Despacho Normativo nº 14/2011, de 18 de Novembro Despacho nº 1942/2012, de 10 de Fevereiro Norma 01 /JNE / 2012, de 23 de Fevereiro Para

Leia mais

Regulamento dos Quadros de Valor, Mérito e Excelência

Regulamento dos Quadros de Valor, Mérito e Excelência Regulamento dos Quadros de Valor, Mérito e Excelência Os Quadros de Valor, de Mérito e Excelência destinam-se a tornar patente o reconhecimento de aptidões e atitudes dos alunos ou de grupos de alunos

Leia mais

AVALIAÇÃO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO AVALIAÇÃO INTERNA TERCEIRO CICLO DO ENSINO BÁSICO 7.º ANO. Ano letivo 2013/2014

AVALIAÇÃO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO AVALIAÇÃO INTERNA TERCEIRO CICLO DO ENSINO BÁSICO 7.º ANO. Ano letivo 2013/2014 AVALIAÇÃO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO TERCEIRO CICLO DO ENSINO BÁSICO 7.º ANO Ano letivo 2013/2014 AVALIAÇÃO INTERNA A avaliação é um elemento integrante e regulador da prática educativa que permite a recolha

Leia mais

Manuais Escolares 2016/ º Ano

Manuais Escolares 2016/ º Ano Manuais Escolares 2016/2017 5.º Ano Ciências Naturais Compreender CN 5 - Ciências Naturais 978-989-767-102-9 Areal Editores, SA Educação Física Passa a Bola! 5/6 - Educação Física 978-972-0-20958-0 Porto

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LETIVO

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LETIVO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MEM MARTINS Sede: ES de Mem Martins EB23 Maria Alberta Menéres; EB1 de Mem Martins n.º 2; EB1 com JI da Serra das Minas n.º 1 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LETIVO 2015-2016

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JÚLIO BRANDÃO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JÚLIO BRANDÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JÚLIO BRANDÃO REGULAMENTO DOS QUADROS DE VALOR E EXCELÊNCIA INTRODUÇÃO O Regulamento dos Quadros de Valor e de Excelência do Agrupamento de Escolas Júlio Brandão rege-se pelo Despacho

Leia mais

Departamento Curricular do 1º Ciclo do Ensino Básico

Departamento Curricular do 1º Ciclo do Ensino Básico Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal Departamento Curricular do 1º Ciclo do Ensino Básico Critérios Específicos de Avaliação 2013/2014 Introdução Os conhecimentos e capacidades a adquirir e a desenvolver

Leia mais

Reunião - Encarregados de Educação. 1.º Ciclo. Ano Letivo 2016/ de setembro de 2016

Reunião - Encarregados de Educação. 1.º Ciclo. Ano Letivo 2016/ de setembro de 2016 Reunião - Encarregados de Educação 1.º Ciclo Ano Letivo 2016/2017 09 de setembro de 2016 Ordem de Trabalhos 1 Projeto Educativo 2 Normas de funcionamento 3 Apresentação 4 Plano Anual de Atividades 2 Ordem

Leia mais