Flexibilidade da Cadeia de Suprimentos num ambiente de incertezas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Flexibilidade da Cadeia de Suprimentos num ambiente de incertezas"

Transcrição

1 Flexibilidde d Cdei de Supriments num mbiente de incertezs Outubr de 2003 Henrique Gurgn Mrcndes

2 Agend Intrduçã Quem sms? Aviçã Cmercil, Defes e Crprtiv Aspects d Mercd Aernáutic Fundments d Indústri Aernáutic 2

3 Agend Intrduçã Quem sms? Aviçã Cmercil, Defes e Crprtiv Aspects d Mercd Aernáutic Fundments d Indústri Aernáutic 3

4 A evluçã... Origem e Desenvlviment: O Desfech d ll Guerr Mundil; Criçã d CTA e d ITA*; Fundçã em Privtizçã (1994): A Integrçã de dus Culturs. Tecnlógic & Industril + Empresril *CTA - Centr Técnic Aerespcil; ITA - Institut Tecnlógic de Aernáutic). 4

5 A evluçã... Receit brut (US$ Milhões) Embrer esttl Fse de privtizçã Pós privtizçã

6 Negócis/Mercds Receit pr segment Receit pr mercd Peçs e serviçs Defes 6% 4% 3% Aviçã executiv Mercd ncinl 3% 87% Aviçã cmercil 97% Mercd exprtçã 6

7 Empres glbl EUA (489) Dlls Nshville Atlnt Plm Bech Frt Luderdle Frnç (207) Le Burget Chin (15) Beijing Hrbin Cingpur (15) Brsil (11.561) Gviã Peixt Btuctu Sã Jsé ds Cmps Austráli (9) Melburne Ttl * fevereir/ 2003 Ttl de de funcináris ** 7

8 Brsil: Operçã Multiplnt Fri Lim (9.201) Gviã Peixt (157) Neiv (978) ELEB (437) Eugêni de Mel (788) 8

9 Agend Intrduçã Quem sms? Aviçã Cmercil, Defes e Crprtiv Aspects d Mercd Aernáutic Fundments d Indústri Aernáutic 9

10 Fmili ERJ ssents 44 ssents 50 ssents 10

11 Fmíli EMBRAER 170/ ssents 78 ssents 98 ssents 108 ssents 11

12 Cliente: priridde n. 1! Fmíli PAX Cmunlidde Máxim cmunlidde ERJ 145 EMBRAER 170/ % 90% Reduçã ds custs percinis: Estques; Mnutençã; Tripulçã; Treinment. 30Y 50Y 70Y 90Y 110 Y 130 Y 12

13 Cliente: priridde n. 1! Fse série: ERJ 145 Desenvlviment : EMBRAER-170 Perfrmnce d Frt (~5,6 cicls/di) Custmer Advisry Brd SR (%) Cmpnhis Aéres prticipnd e pinnd: Ninguém gst d ssent d mei; Cbine espçs (geru duble bubble); Tds cm bggem crry n; Rápid Turn Arund Time; Mes... 13

14 EMBRAER 170 / Assents 14

15 Cbine d pssgeir Q Cnfrt e flexibilidde cm priridde ü 15 FC 14/Nv/02

16 Aviçã de Defes Sistems e Serviçs Treinment Inteligênci, Mnitrment e Recnheciment Cmbte Trnsprte Cmnd e Cntrle Integrd em Sl ALX / Super Tucn EMB 145 AEW&C ALX / Super Tucn EMB 135/145 Sistem Integrd AMX-T EMB 145 MP / ASW AMX / AMX-T Legcy Link de Dds Sistems de Treinment EMB 145 AGS F-5 BR EMB 120K 16

17 Aviçã Crprtiv Legcy: Versã Executive 17

18 Aviçã Crprtiv Legcy: Versã Shuttle 18

19 Agend Intrduçã Quem sms? Aviçã Cmercil, Defes e Crprtiv Aspects d Mercd Aernáutic Fundments d Indústri Aernáutic 19

20 Aspects relevntes sb ótic d: OEM*: Requer us intensiv de cpitl e mã-de-br; Cicls lngs; Operdr: Altmente sensível flutuções n ecnmi; Requer respsts rápids (AOG*); Cntinumente exercit equilíbri entre Ofert e Demnd, cnsidernd ecnmi de escl; Mrgens de err muit pequens; Alt cmpetitividde; Prdut perecível : um ssent nã vendid está perdid pr sempre, pis nã é estcável! * OEM - Originl Equipment Mnufcturing AOG - Aircrft n Grund 20

21 Efeits d guerr 21

22 Agend Intrduçã Quem sms? Aviçã Cmercil, Defes e Crprtiv Aspects d Mercd Aernáutic Fundments d Indústri Aernáutic 22

23 Fundments Fundments d Indústri Aernáutic Alt Tecnlgi Pesss Qulificds Atuçã Glbl Intensidde de Cpitl SATISFAÇÃO DO CLIENTE Premiss básic d çã empresril Flexibilidde 23

24 Alt Tecnlgi Centr de Relidde Virtul - CRV Demnstrçã pr clientes; Visulizçã em 3D d estrutur e ds sistems d viã durnte fse de prjet; Reduçã d cicl de desenvlviment de prdut. 24

25 Alt Tecnlgi Mck-up digitl EMBRAER 170 Dinâmic de Fluids Simulções Mteriis Cmpsts

26 Pessl Qulificd Nível educcinl 30% 2 Gru 65% Grduçã 4% Pós - Grduçã 1% Mestrd u PhD 21% ds empregds sã engenheirs 26 Dd Cnslidd 2002

27 Pessl Qulificd Mis de US$ 80 milhões investids em treinment e qulificçã ns últims 4 ns Curss Interns de Frmçã Acdêmic: 18 meses - Pós-grduçã em Engenhri Aernáutic; MBA em prceri c/ FGV-SP, c/ fc em Cmérci Exterir. 27

28 Atuçã Glbl Aviões civis e militres vnd em 58 píses, ns 5 cntinentes. 28

29 Cresciment 29

30 Segments embrcds pr Chin 30

31 Estrtégi d Operçã em Hrbin 31

32 Intensidde de Cpitl (Investiments - US$ Milhões) Desenvlviment de Prduts 60% 40% Aument d Prdutividde Relizds Prevists 32

33 Flexibilidde - cntext: Cenári : Embrer privtizd Ecnmi interncinl quecid Mercd sedent pr viões Frnecedres de mteriis ernáutics n limite d cpcidde Cncrrente siu (muit) n frente Jts n viçã reginl: prtuniddes inexplrds Cenári pós 11/09/2001: Embrer 4. mir fbricnte mundil de viões civis Med de vr Cix ds empress despencnd Linhs de crédit escsss p/ finnciment de lng prz Mjve: estcinment de mis de viões Recnfigurções e decisões de últim hr: rtin Business nt s usul 33

34 Prgrm ERJ-145: desfi! Gnhr mrket shre Crescer de frm sustentd: Business Pln (1996) Lunch Custmer 400 viões 10 ANOS cdênci: 4 viões / mês Cntinentl Express julh/ pedids firmes+175 pções Identificr e gir sbre restrições futurs: Cses de sucess Cnheciment/visã d mercd O que mercd cnsegue cmprr Aviã nã vendid/entregue é viã perdid pr cncrrente... Entregs: jts 50 lugres - ERJ - CRJ

35 Prceris de Risc: desenh... Mdel Cnceits Cmprtilhment ds riscs d mercd Exclusividde de cmpr Prte d wrkshre permnece Cnteúd ncinl / cust Acmpnhment e tulizçã tecnlógic Frtleciment de psiçã cmpetitiv vi linçs Negciçã & gestã d Prceir Embrer e Prceirs finnceirmente sudáveis Suplementr e pir Prceirs cm crêncis de cpcidde u cpcitçã Benefícis Embrer Fnte dicinl de recurss (1/3, 1/3, 1/3) Cicl de desenvlviment Preçs de sistems/equipments Suprte cmpnhs de vend Gestã de Frnecedres Prceir Sucess d prgrm é seu sucess Amrtizçã d investiment Plnejment: hriznte de lng prz Gnhs cntínus de prdutividde Mercd pós-vend (peçs e serviçs) 35

36 ... e vibilizçã Ans 80 Ans 90 Ans 00 Cenári Máxim verticlizçã Gerçã de empreg Restrições à imprtçã Frnecedres Embrer descpitlizd Empres enxut Ecnmi bert Especilizçã de tividdes/prcesss 350 Diversificçã de mercds Embrer: cliente cbiçd Cncrrênci siu n frente Grgl n Engenhri Time t mrket 22 Prceirs Wrkshre NA Estrutur e interires Estruturs, interires e pctes de sistems GAMESA EMBRAER/ KAWASAKI / SONACA HAMILTON SUNDSTRAND GAMESA C & D SONACA ENAER LATECOERE EMBRAER EMBRAER / AKROS GE LATECOERE Sistems: H. SUNDSTRAND PARKER C&D LIEBHERR HONEYWELL EMB ERJ-145 EMBRAER 170/190

37 Crescer rpidmente Prceirs creditrm n mercd e respnderm cm rpidez: C&D Alcu prédi exclusivmente pr ERJ-145 (L Plm, CA) Gmes Cnstruiu nvs plnts e hngres Cnstituiu empres n Brsil (Jcreí) e trnsferiu prte d mntgem Verticlizu fbricçã de usinds 5 eixs Snc Subcntrtu pctes cmplets cm Finvitech (Finlândi) ENAER Investiu em nvs máquins e instlções Trnsferiu tividdes de mntgem pr empres que cnstituiu n Brsil (SJC) Oprtunmente Embrer ssumiu prte d prduçã (NEIVA) Grgls / prtuniddes / sinergis: Prt PAX: d Snc pr Embrer Crengem s/fuselgem: d Gmes pr Embrer Pintur ds ss pss pr Gmes (er grgl n Embrer)... 37

38 Cresciment físic Expnsã d cpcidde pr nvs plnts de prduçã: Fri Lim Neiv Eugêni de Mel Gviã Peixt Sede e Administrçã Centrl Cmercilizçã e pós-vend de ernves leves Univ. Embrer Clégi Eng. Jurez Pist de testes Hngres de Prceirs Fbricçã de peçs primáris Fbricçã de peçs primáris Ferrmentl Tubulções Cblgens Mntgens estruturis Mntgens estruturis Mntgem finl de ernves lt cdênci Mntgem finl de viões leves Mntgem finl de ernves bix cdênci 38

39 Cicls decrescentes 10,0 8,0 6,0 4,0 2,0 0,0 Reduçã n cicl de prduçã (meses) 8,0 6,0 6,0 5,5 Prduçã ERJ 135/145 4,9 5,0 3, ERJ 135/140/145 Deliveries 100th Dec th Dec th Aug th Mr th Sep th My th Apr

40 Ultrpssnd cncrrênci Entregs (jts PAX) - CRJ - ERJ

41 O centr de grvidde Bse de Frnecedres Bse de Clientes Cncrrentes 41

42 Lgístic interncinl Embrer 65% 30% Vlr Pes 30% Aére Mrítim 30% 70% 70% Bse de Frnecedres 3PL Centrs de cnslidçã de crg Pucs Prvedres Lgístics Mdel pr definiçã de mdl Rstrebilidde Principl resultd Reduçã FOB/CIF em 60% 42

43 Flexibilidde - cntext: Cenári : Embrer privtizd Ecnmi interncinl quecid Mercd sedent pr viões Frnecedres de mteriis ernáutics n limite d cpcidde Cncrrente siu (muit) n frente Jts n viçã reginl: prtuniddes inexplrds Cenári pós 11/09/2001: Embrer 4. mir fbricnte mundil de viões civis Med de vr Cix ds empress despencnd Linhs de crédit escsss p/ finnciment de lng prz Mjve: estcinment de mis de viões Recnfigurções e decisões de últim hr: rtin Business nt s usul 43

44 Cminhs pr flexibilizçã Cnteúd Ncinl Benefícis: Mir gilidde ns respsts Reduçã ds custs lgístics Outrs inicitivs: Przs-limite pr cnfigurçã Cnfigurçã ds mtres n linh Alterções n seqüênci de mntgem Retrdr itens cnfiguráveis / pcinis 44

45 Cicl Csh-t-Csh Pstpnement: Peçs primáris Mntgem Estruturl Mntgem Finl Retrdr incrprçã ds itens mis crs Efeits d mdel Prceris de Risc Prgrm de terceirizçã Cut-t-size pr plcs de lumíni... 45

46 Time-T-Mrket: desenvlviment Jint Definitin Phse: Prticipçã d prceir desde cncepçã Centr de relidde virtul: Desenvlviment d prjet gilizd Demnstrções pr clientes Melhri cntínu (prcess prdutiv) Engenhri bsed n cnheciment: Execuçã utmátic de prjets de Engenhri Engenhri simultâne Prtl Embrer n WEB: DIP à distânci 46

47 Cmpnh de testes/certificçã Desenvlviment EMBRAER-170: 6 prtótips pr cmpnh de v Diferentes cnfigurções em cd prtótip 2 prtótips pr testes estátics Investiments ds Prceirs (engenhri, ferrmentl, prtótips ) Pist de testes cnstruíd em GPX: m cmpriment x 95 m lrgur Áre industril Piscin Rs ds vents Nrte 47

48 ERJ145 cm sinis de um mercd nervs Alterções relevntes n pln de entreg de ernves 48

49 Supply Chin cm vntgem cmpetitiv Supply Chin Synchrniztin Suppliers Integrted Demnd nd Supply Plnning Surcing Mnufcturing by Suppliers Trnsprttin Assembly Custmer Service & Supprt Custmers Prtners Prduct / Mteril Csh Infrmtin 49

50 Embrer & Supplier Advnced Perfrmnce ESAP - Objectives ESAP - Objectives ESAP ESAP Fst Trck t Vlue Fst Trck t Vlue September, 2003 September, 2003 Vlue-dding pprtunities fr mnufcturing Vlue-dding pprtunities fr mnufcturing flexibility, which ims t enhnce ur Supply flexibility, which ims t enhnce ur Supply Chin t be cst dvntge: Chin t be cst dvntge: Ø Supply relibility; Ø Supply relibility; Ø Flexibility - Cycles nd inventry Ø Flexibility - Cycles nd inventry reductin in the whle supply chin; reductin in the whle supply chin; Ø Implement Mrket Service Agreement. Ø Implement Mrket Service Agreement. 4 Mrket service greement Mrket service greement 4 ERJ 145 Cdency ERJ 145 Cdency Frzen Frzen Perid Perid 12 /c 12 /c 10 /c per mnth 10 /c per mnth 8 /c 8 /c 13 /c 13 /c Flexibility Flexibility 7 /c 7 /c Visibility Visibility PO PO Xm Xm 14 /c 14 /c Zm Zm Rm Rm 6 New Prduct New Prduct Prduct Mix Prduct Mix Vlume Vlume Delivery Delivery System Rbustness System Rbustness Present Methdlgy t Prtner Methdlgy nd get Present t cmmitment Prtner nd get Define Apprch Ø Hmiltn Imprve Methdlgy Imprve nd Strt Methdlgy gin nd Strt gin Fllw up ll gls set n the Fllw upscc ll gls GAINS GAINS Switchbility Redundncy Switchbility Infrstructurl Resurces Infrstructurl Effective inter -functin Resurces cmmunictin Effective inter -functin Agile cmmunictin decisin mking cmmitment ESAP Light Fst Trck t Vlue ESAP Light Jnury, 2003 Fst Trck t Vlue Jnury, 2003 Prvide Prtner with the VSM Prvide Prtner with Vlue Strem Mp Missin t the Prtner site Missin t the Prtner site set n the SCC Gls 2.Qulity 2.Qulity Sttus C mm/ Metric Attche Resp.Actins / Due dtearil9 See Sttus item m/ C m 1.1. ents Resp.Actins / Due dte d SupplyChin Cmmitment ents Cm Are sf91.1. Aril merc Inter il est Aril 1. Cm 1.3. Aril m9erc il Aril 2.2. Aril Aril Gls Aril Aril Aril 1.3. Aril 9 Aril9 Aril9 Metric Attche d See item 1.1. Put tgether Interviews with Define List f Prtners Supply Chin Put tgetherexperts Interviews Define Ptencil (Mirrrwith Cmmitment List f Prtners Supply Chin Tem) Opprtunities experts (Mirrr Ptencil Cmmitment Tem) Opprtunities Aril 2.2. Aril Aril the VSM M r Pp rcep ssrkes Future FutureStte Stte Mrch Mrch r er ME pm P rb ce s st Mp Prker Vlue Strem Frecst Frecst Airlines EU m er PRC OO D C O IbN LT=8Mnth -h 2 3ips Ye srt? 2MnthP.O. N TT R OL P.O.frNewPlne Cus tmer S M P r Pp rece ssrkes Future MRP Stte M Stte PS ME Mrch Mrch r er Demnd rzsen?future pm P rb ce s st IF n le d te? Frecst Prker S D h p c itk d d tth?y Frecst Airlines M n l? EU m er r= =n s0tinth PRC OO D C O IbN Atrde tm it LeT 1 8M -h 2 3ips Ye srt?map 2MnthFOR P.O. Hw N TT R OL P.O.frNewPlne CuD s tem m e SAMPLE S e n d n dr Mimi\ L.A Dys W rkn ig h M epn R w lp idiscusion MPS F rzsen?ldte?h tw sih p eth n? I n t W h s t i e Brzilin Sh D c in k dd e tth rtiger? M S g ip l?y l? g Custms Ter= n ReP p lu ncn ssi Atrde tm i SAMPLE 1s0ti red thprker FOR M i n i c W t l i h e c e n t r l MAP H w n d DISCUSION Vrc- Mimi\ L.A Dys Wrkn i g s tc kw r m y?g hepn li? h tw sih ptiw en W Airp p srt Brzi limnbrer F CTenK trl HTnK ger Sg Prker g rtih g es r?thef Fnisem l yl F Iustm E I Inspectin O F I R S S io F In nt l A m I t A O C F R seceivingo F F m R 0Fm lf rksee ryflt O F F 3n 0 RePp re d ucssithpt A AT ircrft Minr cicc O /= CO /= CO /= W h e cm C e? /gtr6= C /ircr= C V -C /T = C /T = C /T = s tc tlik w r y C O /T =l C O /T = C O //= = Rev p s 5:00pm 8 AirD py srt CTenK trl 1 DyS HnK ger F Prker Fnisem l yllt=days F I R Em F I Inspectin2O F IDys R S I t A semyl O F I t A O F ecbreerivingo F F m R3T 0Fm O F F F 6=0T A cr r= IIE fetn AT ircrftva=min THENIFORMATO INCONTANIET DHE HN EIR FO ENIR SM ITA HO T EIN PRC OO PN ER TA TN YIED OH FE ER ME N B IS R IA TH EE RC P A R /NO = D ST HY AO LLFNE O M TB B C R EO /A C= E O R PEIS A D..A NON RD T UIS SH EA DL NILA C NO N /YT= B ME AC NO NP E EID RO EXR CU ES PC E TD A /W S IXO PR UE TSE S M LY BR AA UE TR S H C W OO /irr T ZT DCONSENTC C O /T =PER C /T = C O /T = C O /T =EH C /T = CO //= = 03 -Rev Dys 5:00pm 2 Dys 1 Dy LT=DAYS VA=MIN THENIFORMATO INCONTANIET DHE HN EIR FO ENIR SM ITA HO T EIN PRC OO PN ER TA TN YIED OH FE ER ME N B IS R IA TH EE RP AR NO DPER ST HY AO LLFNE O M TB BR EA CE O R PEIS A D..A NON RD T UIS SH EA DL NILA NO NYTB ME AC NO NP E EID RO EXR CU ES PE TD AW ST EH IXO PR UE TSE S M LY BR AA UE TR S H W OR R TZT IIE EN DCONSENT SupplyChin Cmmitment Are sf Inter est 1. Get respnses bck nd prceed evlutin Get respnses bck nd Future Stte Mp Future Stte Mp Future Stte Mp is prcess f develping implementtin ver the FutureStte StteMp, Mpestblishing is prcess flw, f develping implementtin ver the Current eliminting wste, nd dding Current Stte Mp, estblishing flw, eliminting wste, nd dding vlue. Cntrl vlue. Cntrl Vlue Strem Mp (Future Stte Mp) Vlue Strem Mp prceed evlutin Frecst 2-3Yers Prker Embrer (Future Stte Mp) Mster Airlines Frecst 9 I I I Flexibility Flexibility I Ø Reduce supplier led-time Ø Reduce supplier led-time Ø Reduce PO LT s Ø Reduce PO LT s Ø Reduce Buffers Ø Reduce Buffers Ø Reduce cycles - Invce t Wrehuse Ø Reduce cycles - Invce t Wrehuse Ø Reduce verge stck Ø Reduce verge stck I I I I I I I I I I I I I THEINFORMATIONCONTAINEDHEREINISTHEPROPERTYOFEMBRAERS.A. ANDITSHALLNOTBECOPIEDORUSEDWITHOUTEMBRAER SWRITTENCONSENT THE INFORMATION CONTAINED HEREIN IS THE PROPERTY OF EMBRAER AND SHALL NOT BE COPIED NOR USED IN ANY MANNER EXCEPT AS EXPRESSLY AUTHORIZED 50 Ø Visibility (Frecst) Ø Visibility (Frecst) Ø Mnthly PO Ø Mnthly PO Ø Lgistic cntrl Ø Lgistic cntrl Ø Picking plicy Ø Picking plicy PrductinPln Frecst Embrer mnthlyp.o. 2-3Yers P.O. fr New Air Plne Frecst CustmerAirlines 2mnths Mster LT = 1 Mnth Prker Demnd P.O. Issue C/T=1 w.d. PrductinPln EXW P.O. Apprvl C/T=4 w.d. MRP GRP mnthlyp.o. Run P.O. fr New Air Plne Custmer Picking week 2mnths LT = 1twice Mnth Demnd Trnsprt tmimi P.O. Issue C/T=1 w.d. C/T=2w.d. C/T=1 w.d. P.O. Apprvl C/T=4 w.d. MRP GRP Run Picking twice week C/T=2w.d. Trnsprt t Mimi Atrde Current Future C/T=1 w.d. Items Mimi 1w.d. Frequency PO Binnul Mnthly Embrer Libertin Atrde PrkerLT Items8 mnths Current 1 mnth Future A.T.C/T=2hrsMi mi E.L.1w. C/T=4w.d. d. InctermFrequency POF C A BinnulE X W Mnthly Embrer 1w.d. Libertin Assembly Schedules 8 mnths Twice week 1 mnth A.T.C/T=2hrs Picking P r k e r L T (Dily) Delivertcustmer E.L.C/T=4w.d. Receiving Incterm Buffer 1 w.d. FCA EXW Signl t InterntinlTrnsprttin 1w.d. Assembly Schedules - 1w.d. Twice week Replenish Prker C/T=12hrs InspectinPicking Buffer 4 w.d. Prducts (Dily) Delivertcustmer Imprt Stck Receiving Buffer 53 w.d. 1 w.d.10 w.d. Signl t Declrtin InterntinlTrnsprttin Replenish Prker BrzilinC/T=12hrs Inspectin Buffer 4 w.d. 1w.d. Prducts Custms 1w.d. I.D.C/T=2w.d.Imprt Stck 53 w.d. 10 w.d. Declrtin B.C. C/T=2w.d.Brzilin Custms 1w.d. I.D.C/T=2w.d. Prker Finl Embrer Dcument Minic Inspectin Trnsfer Strge Sub-Assembly Assembly Receiving Apprvl Vircps B.C. C/T=2w.d. t Aircrft t Aircrft Airprt FI C/T=10 Embrer FI C/T=20 C/T=1w.d Dcument C/T=5 C/T=5 C/T=1w.d. Prker C/T=1w.d. Finl 5hrs FI FO FO Assembly Shifts=2 Assembly C/T=4hrsViMinic Shifts=2 Receiving Shifts=3 Inspectin Shifts=3 Apprvl FO Shifts=2 Trnsfer Shifts=3 Strge Shifts=2 Subrcps t Aircrft t Aircrft Airprt 1w.d. A.T.= 8 4w.d. A.T.= 8 A.T.= 8 2w.d. A.T.= 8 A.T.= 8 10 w.d. A.T.= 8 4w.d. A.T.= 8 10 FI C/T=10 FI 20 C/T=20 1w.d. C/T=1w.d 5 C/T=5 5 C/T=5 C/T=1w.d. 1w.d. C/T=1w.d. PLT=64dys 5hrs FI 1w.d. F O F O VA=3Dys40 C/T=4hrs Shifts=2 Shifts=3 Shifts=3 FO Shifts=2 Shifts=3 Shifts=2 Shifts=2. 8 4w.dOF. EMBRAER A.T.=S.A 8. ANDITA.T.= 8 T2w.. OPIED A.T.= 8SEDWITHOA.T.= 8AER 10 w.d. A.T.= 8 4w.d. A.T.= 8 THEINFORMATIONCONTAIN1w. EDdHEREI N10 ISA.T.= THEPROPERTY S BEdC ORU U5 TEMBR SW RITTENC ONSENT 1w.USED dh. ALLINNO 1w.d. PLT=64dys THE INFORMATION CONTAINED HEREIN IS THE PROPERTY OF EMBRAER AND SHALL NOT20 BE COPIED NOR ANY MANNER5 EXCEPT AS EXPRESSLY AUTHORIZED 1w.d. VA=3Dys40 EXW I 9 Structurl Resuces Structurl Resuces Redundncy 5 Define Apprch Ø Rlls Ø C&D Pm Pm 5 Liebherr Gmes C&D RllsRyce Hmiltn (Ln i db em bã er g) Ptrick (AG PuU (Ad MuS)rd cllpn i tdempres: y Silvi Lus i 3419 Guh liermelus i 3419 h lie)rme E rf m cel lzirçãdempres(fclpn Orgu n i ts) De efrn ipririn qc uip lp linndtic /d det h l -rfcp c h per Liebherr Gmes C&D RllsRyce Hmiltn V is per m usn sqpf rcs sre esr en em sm tpqr (Ln i db em bã er g) Ptrick AG PuU Ad MuS)rd Pp líticrt dideedset e idtu dzire euse:: y Silvi Lus i 3419 Guh liermelus i (3419 h lie)rme (E ru m lllp stkdmédi rnço cel eásxe rgu nzirçãdempres(fclpn i ts) sstkttkem m ingôu l e c m c i D ( P e e f n i r í r i d q u d l e p c l n b t e r t / u d r e d t h l l r t e ) p p r c h AnásiledsPNs Vp e rprtru incid ipd ise insdp ic -fdcuzeirm d rsre esre esm tqupee:r Lsitmn ticr dsnu dçe ictít htslcpríctirpp r líu p ãe stques tie IC n s c r i st q k médi d i l d e tenscríctisprsp stkt km rdeeásxe urnç ingô Eçstdç õe shdp m A nn t lsá gstie em edcdsm sm PN l te) Pre Se ipes en te ln e P N s cis (Períddecberturd M d e l d l j m e t H rzi L (m dd u stp lc príctirerp tsir)s U s dn etefd recpo st(vc sisib itd i lm itít e h nc u p ) rildudçeã ccrn iícti q LT T s scc d ntr udsisniite ten nssssite rcm sspd pe r rp S red L sctrt le nntp et jzilem en t F e l x b i d i l d e n t r t d E s t / c ç õ m e s p d e r t m m n g m d d s P N s Cci l méd i entrep Invreçd cie eed S set hp q ipu s te erd lenp jm(m en tdusperntsi) Lgísti crm cntrtum H z il Incstr teté n l s drn etecfed P ree cio sdt(vsib id il deprcs) E isd(pern p iu Me li st nge i ccip ik LsigT T )e s sg c ntr udrsi L sctrt s/scite m dem p lne jment VrleceS tre m MeppC F lci xb id ilcé ddd e trstin n d P s e m in e nntre cire eu em sttpqurt e entzild P ces s s d deer Dse s erd n vlc lvc im t devp d Prr s tãu Lgísti ng ficeu rn çã H cteisss uedsedg eeq Inlidce d tee rm tukn Flrcm Flrcm E s té is d(p ertrn p ilsig)egrceper id M e litr st nge i ccip i V d nih n,e dlr s p V d nih n,e dlr s p tr ndne tr ndne V lees tre m Meppr p rn ire clem p i rn ire clem p i Prr s sie sv. er rp sie sv. er P c ces s s d deer Dse ed nvc lv imfieunrt deprdutm iprpb d iprpb d P r s tãus çã m utlp ic ltn tssetum m u iclr lctn tssetur Flrcm H cteisss uedsedg eeq lided eng F tlp m V d nih n,e dlr s p Vd nih n,e dlr s p tr ndne tr ndne p rn irb clem p i pr rn irb clem p i r e sie sv. er rip e sie sv. er m ip d d mputlp ic ltn tssetum mputlp ic ltn tssetur Ø Hmiltn Ø Rlls 6 Hedging/Substituting Negt./Adv./Prmting Negt./Adv./Prmting Mnt./Updting/trining Mnt./Updting/trining t decisin pints Ø Gmes Ø Liebherr Ø Gmes Ø C&D Prductin Pln Prductin Pln Nvelty Frequency Frequency Certinty Certinty Size Size Rte Rte Fcusing/Cnfining Delegting/Subcntr. Delegting/Subcntr. Hedging/Substituting Flexibility Flexibility Flexibility Flexibility Internl nd Externl Surces Internl ndfexternl Unplnned Unplnned Surces Chnge Chnge f Unplnned Unplnned Chnge Chnge Nvelty Mnitring/Frecsting Mnitring/Frecsting Crdinting/Integrting Crdinting/Integrting Fcusing/Cnfining Cntrl Cntrl Cntrl Cntrl Cntrl Cntrl Methdlgy Methdlgy Define Suppliers Ø Liebherr 6 /c 6 /c Dynmic Dynmic Envirment: Envirment: Envirment: Envirment: Apprprite Agile decisin infrmtin mking t decisin pints Apprprite infrmtin Define Suppliers Frecst Frecst Ym Ym ple mmple x E x E Tlking but flexibility Tlking but flexibility 20 20

51 Fzend diferenç!!! 51

52 Obrigd! 52

Prgrmçã O Mu s u Év r, p r l ém f rcr s s i g ns «vi s i t s cl áss i cs» qu cri m s p nt s c nt ct nt r s di v rs s p úb l ic s qu vi s it m s c nt ú d s d s u ri c s p ó l i, p r cu r, c nc m i t nt

Leia mais

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I 1 3Mr P e re s, R e s e r h D i re t r I D C B rs i l Br 0 0metr Cis e Bn L rg n Brsil, 2005-201 0 R e s l t s P ri m e i r T ri m e s t re e 2 0 0 7 Prer r Prer r Met e Bn Lrg em 2 0 1 0 n Brs i l : 10

Leia mais

Classificação Periódica dos Elementos

Classificação Periódica dos Elementos Classificação Periódica dos Elementos 1 2 3 1 Massa atômica relativa. A incerteza no último dígito é 1, exceto quando indicado entre parênteses. Os valores com * referemse Número Atômico 18 ao isótopo

Leia mais

Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março. Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março

Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março. Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Prova Escrita de Física e Química A Prova Escrita

Leia mais

Estudo de impacto das mudanças climáticas sobre os recursos hídricos superficiais e sobre os níveis dos aqüíferos na Bacia do Rio Tocantins.

Estudo de impacto das mudanças climáticas sobre os recursos hídricos superficiais e sobre os níveis dos aqüíferos na Bacia do Rio Tocantins. Estud de impct ds mudnçs climátics sbre s recurss hídrics superficiis e sbre s níveis ds qüífers n Bci d Ri Tcntins. Jvier Tmsell, Dniel Andrés Rdrigue, Lu Adrin Curts, Mônic Ferreir, Juli Cér Ferreir

Leia mais

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e :

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 13 DE JULH DE 2015! Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : Caso vo cê nunca t e nh a pa

Leia mais

Tópicos Quem é é a a PP aa nn dd ui t t?? PP oo rr qq ue um CC aa bb ea men tt oo PP er ff oo rr ma nn cc e? dd e AA ll tt a a Qua ll ii dd aa dd e e PP aa nn dd ui t t NN et ww oo rr k k II nn ff rr aa

Leia mais

White Paper. Datas Comemorativas. Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais

White Paper. Datas Comemorativas. Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais Datas Comemorativas White Paper Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais As datas comemorativas podem ser exploradas para rentabilizar o seu comércio, seja ele físico ou online. Dedique

Leia mais

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 D A T A D E A B E R T U R A : 2 9 d e d e z e m b r o d e 2 0 1 0 H O R Á R I O : 9:0 0 h o r a s L O C A L D A S E S S Ã O P Ú B L I C A: S a l a d a C P L/

Leia mais

White Paper. Boas Práticas de E-mail Marketing

White Paper. Boas Práticas de E-mail Marketing White Paper Boas Práticas de E-mail Marketing Saiba como alguns cuidados simples podem melhorar os resultados de suas campanhas de e-mail marketing Para garantir a qualidade no mix de comunicação atual,

Leia mais

REGULAMENTO DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM No u s o d a c o mp e t ê n c i a p r e v i s t a al í n e a v ) d o n. º 1 d o ar t i g o 64º d o De c r e t o -Le i n. º 1

Leia mais

QUÍMICA VESTIBULAR 2005 2ª ETAPA

QUÍMICA VESTIBULAR 2005 2ª ETAPA QUÍMICA VESTIBULAR 2005 2ª ETAPA 1 2 3 4 5 6 7 1 1 1, 00 2 3 4 Li Be 6, 94 9, 01 11 12 Na Mg 22, 99 24, 31 19 20 K Ca 39, 10 40, 08 37 38 Rb Sr 85, 47 87, 62 55 56 Cs Ba 132, 91 137, 33 87 88 Fr Ra 223,

Leia mais

Questionário sobre o Ensino de Leitura

Questionário sobre o Ensino de Leitura ANEXO 1 Questionário sobre o Ensino de Leitura 1. Sexo Masculino Feminino 2. Idade 3. Profissão 4. Ao trabalhar a leitura é melhor primeiro ensinar os fonemas (vogais, consoantes e ditongos), depois as

Leia mais

Plano de ação para o tema: resíduos

Plano de ação para o tema: resíduos Pln çã pr tem: resídus Dignóstic (situções melhrr) Objetiv(s) Met(s) Ações e Ativids Prevists Cncretizçã Avliçã- instruments e Indicdres ( mnitrizçã e vliçã Recurss Interveniente s Clendrizçã ções) Lix;

Leia mais

soluções sustentáveis soluções sustentáveis

soluções sustentáveis soluções sustentáveis soluções sustentáveis 1 1 1 2 3 KEYAS S OCIADOS UNIDADES DE NEGÓCIO ALGUNS CLIENTES 2 2 1 2 3 KEYAS S OCIADOS UNIDADES DE NEGÓCIO ALGUNS CLIENTES 3 3 APRES ENTAÇÃO A KEYAS S OCIADOS a tu a d e s d e 1

Leia mais

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O O s depós itos fos s ilíferos, o s s ítios paleontológ icos (paleobiológicos ou fossilíferos) e o s fós s eis q u e a p r e s e n ta m valores científico, educativo o u cultural

Leia mais

MRP / MRP II MRP MRP / MRP II 28/04/2009. www.paulorodrigues.pro.br. Material Required Planning (anos 60) Manufacturing Resource Planning (anos 80)

MRP / MRP II MRP MRP / MRP II 28/04/2009. www.paulorodrigues.pro.br. Material Required Planning (anos 60) Manufacturing Resource Planning (anos 80) MSc. Pulo Cesr C. Rodrigues pulo.rodrigues@usc.br www.pulorodrigues.pro.br Mestre em Engenhri de Produção MRP Mteril Required Plnning (nos 60) Mnufcturing Resource Plnning (nos 80) MRP = Mteril Requirement

Leia mais

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D O P A R A N Á L E T Í C I A M A R I A G R O B É R I O

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D O P A R A N Á L E T Í C I A M A R I A G R O B É R I O U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D O P A R A N Á L E T Í C I A M A R I A G R O B É R I O A B O R T O : U M A Q U E S T Ã O M O R A L, L E G A L, C U L T U R A L E E C O N Ô M I C A C U R I T I B A

Leia mais

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o NPQV Variável Educação Prof. Responsáv v el :: Ra ph aa el BB ii cc uu dd o ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO 2º Semestre de 2003 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO As atividades realizadas

Leia mais

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 Estratégico III Seminário de Planejamento Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 G es tão Em pre sa rial O rie nta ção pa ra om erc ado Ino vaç ão et

Leia mais

Serviços. Consultoria Treinamento Logís5ca Reversa

Serviços. Consultoria Treinamento Logís5ca Reversa Serviçs Cnsultria Treinament Lgís5ca Reversa Cnsul'ng Prjets de Supply Chain Implementaçã de Sistemas Lgís5cs Diagnós5c Operacinal Oprtunidades de Reduçã de Cust Reestruturaçã de Operações Lgís5ca Internacinal

Leia mais

Si, Ge, SiO 2, ZnS, etc. PF s e dureza elevados Insolúveis Isolantes (ou semicondutores)

Si, Ge, SiO 2, ZnS, etc. PF s e dureza elevados Insolúveis Isolantes (ou semicondutores) Sólidos covalentes C, diamante C, grafite Si, Ge, SiO 2, ZnS, etc. PF s e dureza elevados Insolúveis Isolantes (ou semicondutores) Sólidos covalentes TEV: rede 3D de ligações covalentes C, diamante (sp

Leia mais

White Paper. Flexibilidade e economia na era IP

White Paper. Flexibilidade e economia na era IP White Paper Flexibilidade e economia na era IP Saiba como utilizar as tecnologias mais modernas de comunicação de voz pela internet para conseguir mais economia e rapidez em telefonia para sua empresa

Leia mais

White Paper. E-mail Marketing: por onde começar?

White Paper. E-mail Marketing: por onde começar? White Paper E-mail Marketing: por onde começar? Primeiros passos para definir o planejamento de suas campanhas de e-mail marketing Para garantir a qualidade no mix de comunicação, é importante criar suas

Leia mais

Y Zr Nb Mo Tc Ru Rh Pd Ag Cd In Sn Sb Te I Xe

Y Zr Nb Mo Tc Ru Rh Pd Ag Cd In Sn Sb Te I Xe A H,0 Li 7,0 Na 2,0 9 K 9,0 7 Rb 85,5 55 Cs,0 87 Fr (22) 2 2A Be 9,0 2 Mg 2,0 20 Ca 0,0 8 Sr 88,0 56 Ba 7,0 88 Ra (226) Elementos de Transição B B 5B 6B 7B 8B B 2B 5 6 7 A A 5A 6A 7A 78,5 8,0 8,0 86,0

Leia mais

COMBINAR CORRESPONDENCIA, CREACIÓN DE INDICES Y TABLAS DE CONTENIDO EN MICROSOFT WORD.

COMBINAR CORRESPONDENCIA, CREACIÓN DE INDICES Y TABLAS DE CONTENIDO EN MICROSOFT WORD. COMBINAR CORRESPONDENCIA, CREACIÓN DE INDICES Y TABLAS DE CONTENIDO EN MICROSOFT WORD. I.E.S. ANDRÉS DE VANDELVIRA J. G a r r i g ó s ÍNDICE 1 COMBINAR CORRESPONDENCIA... 2 2. CREACIÓN DE ÍNDICES EN MICROSOFT

Leia mais

Verifique se este Caderno contém 12 questões discursivas, distribuídas de acordo com o quadro a seguir:

Verifique se este Caderno contém 12 questões discursivas, distribuídas de acordo com o quadro a seguir: 1 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Se, em qualquer outro local deste Caderno, você assinar, rubricar, escrever

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação Os nvs uss da tecnlgia da infrmaçã nas empresas Sistemas de Infrmaçã Prf. Marcel da Silveira Siedler siedler@gmail.cm SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Planejament

Leia mais

Gabarito - Química - Grupo A

Gabarito - Química - Grupo A 1 a QUESTÃO: (1,5 ponto) Avaliador Revisor A estrutura dos compostos orgânicos começou a ser desvendada nos meados do séc. XIX, com os estudos de ouper e Kekulé, referentes ao comportamento químico do

Leia mais

Versão 2. Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta.

Versão 2. Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta. Teste Intermédio de Física e Química A Versão Teste Intermédio Física e Química A Versão Duração do Teste: 90 minutos 30.05.01 10.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 74/004, de 6 de março Na folha de

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO PERIÓDICA DOS ELEMENTOS

CLASSIFICAÇÃO PERIÓDICA DOS ELEMENTOS 1 1 1 H 1, 00 2 3 4 2 Li 6, 94 Be 9, 01 11 12 3 Na Mg 22, 99 24, 31 19 20 4 K 39, 10 Ca 40, 08 37 38 5 Rb Sr 85, 47 87, 62 55 56 6 Cs 132, 91 Ba 137, 33 87 88 7 Fr Ra 223, 02 226, 03 CLASSIFICAÇÃO PERIÓDICA

Leia mais

$% & '( )& & & $ *+ & % & ''( & & & & & $

$% & '( )& & & $ *+ & % & ''( & & & & & $ "#!!"# $% & '( )& & & $ *+ & % & ''( & & & & & $ $, &-. & */0$ & 1 &#&2& &2# &* &##&* 889$ 1# &0 ' 1 &:1 && 8$;:$!& 𕬸 '( & '( ' $ &# 1 &1 & $ $ % P a í s Em pre s a Té c nic a R e s po nde nte s

Leia mais

J u i n 2 0 0 9 L e ttr e d 'i n fo r m a ti o n n 1 9 E d i to r i al E p p u r si m u o ve «E t p o u r ta n t e l l e b o u g e» m u r m u r a G a l l i l é e s u r s o n c h a m p e s t l a r g e.

Leia mais

White Paper. Mais produtividade e mobilidade com Exchange Server. O correio eletrônico é uma das ferramentas de

White Paper. Mais produtividade e mobilidade com Exchange Server. O correio eletrônico é uma das ferramentas de White Paper Mais produtividade e mobilidade com Exchange Server Entenda como usar melhor a plataforma de correio eletrônico da Microsoft para ganhar mais eficiência na comunicação da sua empresa O correio

Leia mais

é a introdução de algo novo, que atua como um vetor para o desenvolvimento humano e melhoria da qualidade de vida

é a introdução de algo novo, que atua como um vetor para o desenvolvimento humano e melhoria da qualidade de vida O que é invaçã? Para a atividade humana: é a intrduçã de alg nv, que atua cm um vetr para desenvlviment human e melhria da qualidade de vida Para as empresas: invar significa intrduzir alg nv u mdificar

Leia mais

Definição de Necessidades de Capacitação de Pós-Graduação

Definição de Necessidades de Capacitação de Pós-Graduação I Mdliddes Pós-grduçã strictu sens (mestrd e dutrd) Pós-dutrd de Cpcitçã Definiçã de Necessiddes de Cpcitçã de Pós-Grduçã O Ipe definirá sus necessiddes de cpcitçã em pós-grduçã nulmente, levnd em cnt:

Leia mais

ç h s p BALÃO - D D CAI, CAI, BALÃO CAI, CAI, BALÃO CAI, CAI, BALÃO AQUI NA MINHA MÃO. NÃO CAI NÃO NÃO CAI NÃO NÃO CAI NÃO CAI NA RUA DO SABÃO.

ç h s p BALÃO - D D CAI, CAI, BALÃO CAI, CAI, BALÃO CAI, CAI, BALÃO AQUI NA MINHA MÃO. NÃO CAI NÃO NÃO CAI NÃO NÃO CAI NÃO CAI NA RUA DO SABÃO. leã IR ÍL é t ei le, ni e liõe e eent tiie eüenii. le 1 e 2, liõe enle tl i e nnte, filitn eni lfet. ei le etã lt à itetiã fíli ilái, eitin, e nei, e fe lie itetiente n e e ln, fen inteenõe e eee e l ln

Leia mais

Proposta. Treinamento Lean Thinking Mentalidade Enxuta. Apresentação Executiva

Proposta. Treinamento Lean Thinking Mentalidade Enxuta. Apresentação Executiva Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta www.masterhuse.cm.br Prpsta Cm Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta Apresentaçã Executiva Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta Cpyright 2011-2012

Leia mais

REVIS TA CONTATO LEITOR GALERIA COLUNAS EDIÇÕES ANTIGAS ASSINATURA. 30/7/2014 Salão de Gramado encerra nesta quinta-feira.

REVIS TA CONTATO LEITOR GALERIA COLUNAS EDIÇÕES ANTIGAS ASSINATURA. 30/7/2014 Salão de Gramado encerra nesta quinta-feira. Q u a, 3 0 d e J u l h o d e 2 0 1 4 search... REVIS TA CONTATO LEITOR GALERIA COLUNAS EDIÇÕES Selecione a Edição ANTIGAS C l i q u e n o l i n k a b a i xo p a r a a c e s s a r a s e d i ç õ e s a n

Leia mais

Vensis PCP. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br

Vensis PCP. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br Vensis PCP Vensis PCP O PCP é módul de planejament e cntrle de prduçã da Vensis. Utilizad n segment industrial, módul PCP funcina de frma ttalmente integrada a Vensis ERP e permite às indústrias elabrar

Leia mais

Contabilidade financeira, contabilidade de gestão e contabilidade de custos

Contabilidade financeira, contabilidade de gestão e contabilidade de custos LEC205 Cntabilidade de Custs e de Gestã 1. Intrduçã à Cntabilidade de Custs e de Gestã Cntabilidade financeira, cntabilidade de gestã e cntabilidade de custs Cntabilidade financeira (CF) Cntabilidade de

Leia mais

A N E X O P L A N O M U N I C I P A L D E E D U C A Ç Ã O 2 0 1 5 2024

A N E X O P L A N O M U N I C I P A L D E E D U C A Ç Ã O 2 0 1 5 2024 E S T A D O D E S A N T A C A T A R I N A P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E M A J O R V I E I R A S E C R E T A R I A M U N I C I P A L D E E D U C A Ç Ã O, C U L T U R A E D E S P O R T O C N

Leia mais

Medicina. Prova Discursiva. Caderno de Prova. Instruções. Informações Gerais. Boa prova! 16/12/2012

Medicina. Prova Discursiva. Caderno de Prova. Instruções. Informações Gerais. Boa prova! 16/12/2012 Prova Discursiva Medicina 16/12/2012 Caderno de Prova Este caderno, com 16 páginas numeradas sequencialmente, contém 5 questões de Biologia e 5 questões de Química. A Classificação Periódica dos Elementos

Leia mais

Questão 1. Questão 2. alternativa E. alternativa C

Questão 1. Questão 2. alternativa E. alternativa C Quesã Pedr iru mens de um cenen de fs d fes em cmemrçã seu niversári e quer clcá-ls ds num álbum de 0 págins. Em cd págin desse álbum cbem, n máxim, 0 fs. Inicilmene, Pedr enu clcr 6 fs em cd págin. A

Leia mais

======================== Œ œ»» Œ C7 ˆ_ ««G 7

======================== Œ œ»» Œ C7 ˆ_ ««G 7 1) É tã bnit n tr (ntrd) cminh cm Jesus (Miss d Temp mum cm crinçs) & 2 4 m œ É tã b ni t n_ tr me s s gr d, & œ t h brn c, ve ce s. & _ Mis s vi c me çr n ns s_i gre j; _u & j im c ris ti cm e gri, v

Leia mais

White Paper. Gestão Ágil de Produtos

White Paper. Gestão Ágil de Produtos White Paper Gestão Ágil de Produtos Um bom gestor de produtos de software oferece o suporte e a confiança que a equipe de desenvolvimento precisa Com o advento das metodologias ágeis de desenvolvimento

Leia mais

- 15G0078G130 - MÓDULO USB INSTRUÇÕES DA INTERFACE PARA ASAC-0/ASAC-1/ASAB

- 15G0078G130 - MÓDULO USB INSTRUÇÕES DA INTERFACE PARA ASAC-0/ASAC-1/ASAB - 15G0078G130 - MÓDULO USB INSTRUÇÕES DA INTERFACE PARA ASAC-0/ASAC-1/ASAB Emitido em 15/6/2012 R. 01 Este manual é parte integrante e essencial do produto. Leia atentamente as instruções contidas nele,

Leia mais

Academia FI Finanças

Academia FI Finanças Academia FI Finanças A Academia é melhr caminh para especializaçã dentr de um tema n ERP da SAP. Para quem busca uma frmaçã cm certificaçã em finanças, mais indicad é participar da próxima Academia de

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PROJETOS DE INCLUSÃO PRODUTIVA

TERMO DE REFERÊNCIA PROJETOS DE INCLUSÃO PRODUTIVA TERMO DE REFERÊNCIA PROJETOS DE INCLUSÃO PRODUTIVA 1 - Ddos do Proponente 1.1- Nome d Entidde 1.2- CNPJ 1.3- Número de Sócios 1.4- Dt d Fundção 1.5- Endereço 20/09/2011 1.6- Município 1.7- CEP 1.8- U F

Leia mais

SISTEMA PROGRESSIVO 2011.2 SÁBAD O TARDE 23.08 27.08 24.08 02.09 SEXTA MANHA 9H SEXTA MANHA 7H SEXTA TARDE 14H SEXTA MANHA 7H SEXTA TARDE 14H

SISTEMA PROGRESSIVO 2011.2 SÁBAD O TARDE 23.08 27.08 24.08 02.09 SEXTA MANHA 9H SEXTA MANHA 7H SEXTA TARDE 14H SEXTA MANHA 7H SEXTA TARDE 14H SISTEM PRGRESSIV 2011.2 DMINISTRÇÃ DE RECURSS MTERIIS E PTRIMNIIS TERÇ QURT QUINT NITE 23.08 27.08 24.08 DMINISTRÇÃ PLICD ENFERMGEM TERÇ QURT QUINT NITE 23.08 24.08 DMINISTRÇÃ D PRDUÇÃ TERÇ QURT QUINT

Leia mais

! " ! % #! $% & % '() *$! +, ) *$-.) +,) */ 0 *$+1).-+,) */2.+%3 4 5 ) ' & -))) 6 *$ 7 5 8*$

!  ! % #! $% & % '() *$! +, ) *$-.) +,) */ 0 *$+1).-+,) */2.+%3 4 5 ) ' & -))) 6 *$ 7 5 8*$ xfghdfgh!" # ! " $$! % #! $% & % '() *$! +, ) *$-.) +,) */ 0 *$+1).-+,) */2.+%3 4 5 ) ' & -))) 6 *$ 7 5 8*$ &! '! -! 95,()!! +)- *$ - :! ' ')!0 ') );!4 ' -! ',*$!7 < )) 6 +=!>? @ ) *$!)2 3 ) - :! -), "

Leia mais

CAPA APENAS PARA INDICAÇÃO Favor retirar essa informação, mas não retire o QR CODE ao lado.

CAPA APENAS PARA INDICAÇÃO Favor retirar essa informação, mas não retire o QR CODE ao lado. CP PENS PR INDICÇÃ Favor retirar essa informação, mas não retire o QR CDE ao lado. LINH FRM LINH ELETR LINH SUPER LINH MTEC LINH DPTS C T Á L G D E P R D U T S LINH EXP LINH EXPSIÇÃ SEGUR nossa história

Leia mais

P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E J A R D I M

P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E J A R D I M N Ú C L E O D E C O M P R A S E L I C I T A Ç Ã O A U T O R I Z A Ç Ã O P A R A R E A L I Z A Ç Ã O D E C E R T A M E L I C I T A T Ó R I O M O D A L I D A D E P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 027/ 2

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA SECRETARIA MUNICIPAL DE TRÂNSITO Departamento de Engenharia

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA SECRETARIA MUNICIPAL DE TRÂNSITO Departamento de Engenharia PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA SECRETARIA MUNICIPAL DE TRÂNSITO Departamento de Engenharia GRANDES EVENTOS SISTEMA INTEGRADO DE MONITORAMENTO 1 EVENTO DATA E HORA LOCAL TIPO E OBJETIVO DURAÇÃO INTERFERÊNCIAS

Leia mais

16/02/2014. Masakazu Hoji. ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Uma Abordagem Prática. 5a. Edição Editora Atlas. Capítulo 1 INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA

16/02/2014. Masakazu Hoji. ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Uma Abordagem Prática. 5a. Edição Editora Atlas. Capítulo 1 INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DMNSTRÇÃ FNNCER Uma bordagem Prática 5a. Edição Editora tlas Masakazu Hoji NTRDUÇÃ À Capítulo 1 DMNSTRÇÃ FNNCER 1.1 dministração financeira nas empresas 1.2 ntegração dos conceitos contábeis com os conceitos

Leia mais

1.2- CNPJ 1.3- Número de Sócios 1.4- Data da Fundação. 1-10 - Nome do Presidente 1.11-C P F 1.12- RG

1.2- CNPJ 1.3- Número de Sócios 1.4- Data da Fundação. 1-10 - Nome do Presidente 1.11-C P F 1.12- RG 1 - DADOS DO PROPONENTE 1.1- Nome d Entidde 1.2- CNPJ 1.3- Número de Sócios 1.4- Dt d Fundção 1.5- Endereço 20/09/2011 1.6- Município 1.7- CEP 1.8- U F 1.9- Telefone 1-10 - Nome do Presidente 1.11-C P

Leia mais

Artigo 12 Como montar um Lava Jato

Artigo 12 Como montar um Lava Jato Artig 12 Cm mntar um Lava Jat Antigamente era cmum bservar as pessas, n final de semana, cm seus carrs, bucha e sabã nas mãs. Apesar de ainda haver pessas que preferem fazer serviç suj szinhas, s lava

Leia mais

Programa Copa do Mundo 2014

Programa Copa do Mundo 2014 Programa Copa do Mundo 2014 Programa Copa do Mundo 2014 Gerente do Programa: Mario Queiroz Guimarães Neto Rede do Programa: Rede de Cidades Objetivo do Programa: Organizar com excelência os eventos FIFA

Leia mais

! " #! $! %! " & ' ( )!! " * + " *, %

!  #! $! %!  & ' ( )!!  * +  *, % ! " #! $! % "! &' ( )!! " * + " *, % ! " # $ %!"#$%#&'()%#*&+ *', #%!-").%",')/&%001 #2% '.32"!'.)%#%2'%%4"'&)'#.)* *.'*#' 2)%#&"'&)' *'!&%5'/65*#'& &*#78% 2*5#%#2)'29:* #;!')*

Leia mais

'!"( )*+%, ( -. ) #) 01)0) 2! ' 3.!1(,,, ".6 )) -2 7! 6)) " ) 6 #$ ))!" 6) 8 "9 :# $ ( -;!: (2. ) # )

'!( )*+%, ( -. ) #) 01)0) 2! ' 3.!1(,,, .6 )) -2 7! 6))  ) 6 #$ ))! 6) 8 9 :# $ ( -;!: (2. ) # ) !" #$%&& #% 1 !"# $%& '!"( )*+%, ( -. ) #) /)01 01)0) 2! ' 3.!1(,,, " 44425"2.6 )) -2 7! 6)) " ) 6 #$ ))!" 6) 4442$ ))2 8 "9 :# $ ( -;!: (2. ) # ) 44425"2 ))!)) 2() )! ()?"?@! A ))B " > - > )A! 2CDE)

Leia mais

! $&% '% "' ' '# ' %, #! - ' # ' ' * '. % % ' , '%'# /%, 0! .!1! 2 / " ') # ' + 7*' # +!!! ''+,!'#.8.!&&%, 1 92 '. # ' '!4'',!

! $&% '% ' ' '# ' %, #! - ' # ' ' * '. % % ' , '%'# /%, 0! .!1! 2 /  ') # ' + 7*' # +!!! ''+,!'#.8.!&&%, 1 92 '. # ' '!4'',! "#$%% $&% '% "' ' '# '"''%(&%') '*'+&%'# ),'#+# ' %, # - ' # ' "%'''' ' * '. % % ', '%'# ''''') /%, 0.1 2 / " ') 33*&,% *"'",% '4'5&%64'' # ' + 7*' # + "*''''' 12''&% '''&")#'35 ''+,'#.8.&&%, 1 92 '. #

Leia mais

Seminário de Gestão Resíduos Sólidos Urbanos

Seminário de Gestão Resíduos Sólidos Urbanos Seminári de Gestã Resídus Sólids Urbans EKOS 2015 Brasília, 27 de agst de 2015 Área de Mei Ambiente Martin Inguville martin.inguville@bndes.gv.br O Resídu Sólid Urban é apenas um ds tips de resídus, embra

Leia mais

PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO

PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO R.M. Infrmática Cmérci e Serviç Ltda CNPJ: 04.831.742/0001-10 Av. Rdrig Otávi, 1866, Módul 22 Distrit Industrial - Manaus - AM Tel./Fax (92) 3216-3884 http://www.amaznit.cm.br e-mail: amaznit@amaznit.cm.br

Leia mais

6.1 Recursos de Curto Prazo ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO. Capital de giro. Capital circulante. Recursos aplicados em ativos circulantes (ativos

6.1 Recursos de Curto Prazo ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO. Capital de giro. Capital circulante. Recursos aplicados em ativos circulantes (ativos ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO 6.1 Recursos de curto przo 6.2 Administrção de disponibiliddes 6.3 Administrção de estoques 6.4 Administrção de conts 6.1 Recursos de Curto Przo Administrção Finnceir e

Leia mais

Quadro de conteúdos. Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano. Lição 1 As crianças e os lugares onde vivem

Quadro de conteúdos. Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano. Lição 1 As crianças e os lugares onde vivem Quadro de conteúdos Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano Língua Portuguesa Matemática História Geografia Ciências Naturais Arte Inglês ABC da passarinhada O alfabeto Quantidade A ideia de quantidade Eu, criança

Leia mais

Dia GALP Energia com PMEs

Dia GALP Energia com PMEs Dia GALP Energia cm PMEs Distribuiçã Oil Espanha Jã Fiadeir Agenda 1. Distribuiçã Oil Galp Energia Espanha; 2. Principais bras e serviçs cntratads; 3. Cmpetências mais valrizadas; 4. Melhrespráticas; 5.

Leia mais

GLOSSÁRIO PREV PEPSICO

GLOSSÁRIO PREV PEPSICO GLOSSÁRIO PREV PEPSICO A T A A ABRAPP Aã Aã I Aí I R ANAPAR A A M A A A Lí Aá S C é ç í ê çõ 13ª í ã. Açã B E F Pê P. Cí ê, ã ê. V Cê Aã P ( á). N í, - I R P Fí (IRPF), S R F, à í á, ( 11.053 2004), çã.

Leia mais

Resíduos Sólidos Urbanos: Como alavancar investimentos e viabilizar a implantação da Política Nacional de Resíduos Sólidos

Resíduos Sólidos Urbanos: Como alavancar investimentos e viabilizar a implantação da Política Nacional de Resíduos Sólidos Resídus Sólids Urbans: Cm alavancar investiments e viabilizar a implantaçã da Plítica Nacinal de Resídus Sólids Seminári BNDES-BID-ABDE Brasília, 07 de Mai de 2015 Área de Mei Ambiente Guilherme Martins

Leia mais

1. A cessan do o S I G P R H

1. A cessan do o S I G P R H 1. A cessan do o S I G P R H A c esse o en de reç o w w w.si3.ufc.br e selec i o ne a o p ç ã o S I G P R H (Siste m a I n te g ra d o de P la ne ja m e n t o, G estã o e R e c u rs os H u m a n os). Se

Leia mais

ALTOS DIRIGENTES VISEU (PORTUGAL), - 2/3 2013 2-3 DEZEMBRO

ALTOS DIRIGENTES VISEU (PORTUGAL), - 2/3 2013 2-3 DEZEMBRO Encntr de Alt Dirigentes - Viseu 2/3 Dez 2013 Cm Invar para Ser Mais Cmpetitiv ENCONTRO de ALTOS DIRIGENTES VISEU (PORTUGAL), 2-3 DEZEMBRO 2013 Apresentaçã Crprativa Cnfidencial Cnclusões finais Página

Leia mais

Resultados Consolidados 1º Trimestre de 2015

Resultados Consolidados 1º Trimestre de 2015 SAG GEST Sluções Autmóvel Glbais, SGPS, SA Sciedade Aberta Estrada de Alfragide, nº 67, Amadra Capital Scial: 169.764.398 Eurs Matriculada na Cnservatória d Regist Cmercial da Amadra sb númer únic de matrícula

Leia mais

PLANTADEIRAS ASM SÉRIE 1200

PLANTADEIRAS ASM SÉRIE 1200 PLANTADEIRAS ASM SÉRIE 1200 Plntdeirs sm série 1200. Plnti vnçd, plnti Cse ih. Os nvs cnceits d gricultur exigem máquins de grnde rendiment, perfrmnce e fcilidde de mnutençã. A plntdeir Cse IH, cm seu

Leia mais

P i s cina s : 2 P i s ci n a e x te rior de á g u a d e m a r a q u e cida P i s ci n a i n te ri or d e á g u a

P i s cina s : 2 P i s ci n a e x te rior de á g u a d e m a r a q u e cida P i s ci n a i n te ri or d e á g u a E M P R IM E I R A MÃO T h e O i ta v os é o e x c lu s i v o h o te l d e 5 e s tre la s q u e co m p le t a e v a l ori za a ofe rta d a Q u i n ta d a M a ri n h a, co n s olid a n d o -a c om o d e

Leia mais

Processabilidade nos Tratamentos de Superfícies para Elementos de Fixação

Processabilidade nos Tratamentos de Superfícies para Elementos de Fixação 1 Processabiidade nos Tratamentos de Superfícies para Eementos de Fixação (parafusos, porcas, arrueas e afins) Patricia Preikschat SurTec Deutschand GmbH D-64673 Zwingenberg 1. Legisação e Consequências

Leia mais

MAPA DA COLETA DE RESÍDUOS DOMICILIARES NO MUNICÍPIO DE GUABIRUBA ATUALIZADO EM MAIO DE 2010

MAPA DA COLETA DE RESÍDUOS DOMICILIARES NO MUNICÍPIO DE GUABIRUBA ATUALIZADO EM MAIO DE 2010 M L D B L HLI ND WE IN RU H O M H R I P T C K V N Z 00 7 IC O BA RO N GI S RE RU A O ER RTH AL J 251 1 5.10 3'46" 0,47 m JU LIO TH B HE R UA D OS RO HM A IA DE LO IS OLI VE A ER ME L R UA TH RO SA LIA

Leia mais

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO 1. RESULTADOS QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO 1.1- QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO: AMOSTRA REFERENTE AS

Leia mais

12 ru e d e R ib e a u v illé. T é l. :03.88.57.51.7 1 / Fa x : Ed it é le 13 /05/2016 à 17 :23 Page : 1 / 12

12 ru e d e R ib e a u v illé. T é l. :03.88.57.51.7 1 / Fa x : Ed it é le 13 /05/2016 à 17 :23 Page : 1 / 12 R A M F A R A N D O L E 12 ru e d e R ib e a u v illé 6 7 7 3 0 C H A T E N O IS R e s p o n s a b le s d u R e la is : B ie g e l H. - R o e s c h C. T é l. :03.88.57.51.7 1 / Fa x : * * * * * * * * *

Leia mais

Profa. Dra. C ristina Pereira G aglianone

Profa. Dra. C ristina Pereira G aglianone Profa. Dra. C ristina Pereira G aglianone C en t r o C o l a b o r a d o r em A l i m en t aç ão e N u t r i ç ão E sc o l ar U n i v e r si d ad e F ed er al d e S ão P au l o P r o je t o d e L e i 6

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações SAZONALIZAÇÃO DE CONTRATO INICIAL E DE ENERGIA ASSEGURADA PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para

Leia mais

Definição e Criação de Molduras

Definição e Criação de Molduras TQS - Mldur Escrit pr Eng. Cmil Ferreir Seg, 20 Mi 2013 09:47 - Ness mensg rei lg dic crir nv mldur pltg n TQS. Ain nesse mesm text, lbrrei ts sbre recurs interessnte p uxiliá-ls criçã crimbs (u sels)

Leia mais

7a. Edição Editora Atlas

7a. Edição Editora Atlas FIB - FACULDADES INTEGRADAS DE BAURU Pós-graduação em Auditoria, Controladoria e Finanças Disciplina: PLANEJAMENTO E CONTROLE ORÇAMENTÁRIO Slide 1 Professor: MASAKAZU HOJI ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA INTERDISCIPLINARIDADE EM SAÚDE

A IMPORTÂNCIA DA INTERDISCIPLINARIDADE EM SAÚDE AUDITORIA IA CLÍNICA A IMPORTÂNCIA DA INTERDISCIPLINARIDADE EM SAÚDE Auditoria é em um exame cuidadoso e sistemático das atividades desenvolvidas em determinada empresa ou setor, cujo objetivo é averiguar

Leia mais

Relatório Gráfico de Acessibilidade à Página www.ceivap.org.br Janeiro até Dezembro / 2007

Relatório Gráfico de Acessibilidade à Página www.ceivap.org.br Janeiro até Dezembro / 2007 Relatório Gráfico de Acessibilidade à Página www.ceivap.org.br Janeiro até Dezembro / 2007 1. Visitações Diárias ( Y ) Visitas ( X ) Dia do mês 1.1) Janeiro 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15

Leia mais

Universidade Luterana do Brasil Faculdade de Informática. Disciplina de Engenharia de Software Professor Luís Fernando Garcia www.garcia.pro.

Universidade Luterana do Brasil Faculdade de Informática. Disciplina de Engenharia de Software Professor Luís Fernando Garcia www.garcia.pro. Universidade Luterana d Brasil Faculdade de Infrmática Disciplina de Engenharia de Sftware Prfessr Luís Fernand Garcia www.garcia.pr.br EVOLUÇÃO EM ENGENHARIA DE SOFTWARE 10 Sistemas Legads O investiment

Leia mais

VENDAS MIX DE MARKETING AVON. Preço. Produto. Praça. Promoção. Mesmos Fornecedores. Definido pelo Mercado DIFERENCIAL. Grandes Redes de TV

VENDAS MIX DE MARKETING AVON. Preço. Produto. Praça. Promoção. Mesmos Fornecedores. Definido pelo Mercado DIFERENCIAL. Grandes Redes de TV 1 CO CO MP N S OR UM T ID M E OR N ES TO O ÇÃ R T EN I NC TR CO DÚS IN VENDS CO PR M O OD D UT ITIZ OS Ç O NT CI M E ÊN R R IR OR C NC CO ÃO MIX DE MRKETING VON Produto Promoção Preço Praça Mesmos Fornecedores

Leia mais

VI Seminário Franco- Brasileiro de Inteligência Estratégica da CCFB-SP

VI Seminário Franco- Brasileiro de Inteligência Estratégica da CCFB-SP VI Seminário Franco- Brasileiro de Inteligência Estratégica da CCFB-SP Inserção da Embraer na cadeia global de valor como ferramenta de competitividade Paulo Franklin Planejamento Estratégico 28/11/2013

Leia mais

Pós-graduação. em Negócios e Marketing de Moda

Pós-graduação. em Negócios e Marketing de Moda Pós-graduaçã em Negócis e Marketing de Mda Pós-graduaçã em Negócis e Marketing de Mda Intrduçã A Faculdade Santa Marcelina é recnhecida nacinalmente pel seu pineirism pr lançar a primeira graduaçã de mda

Leia mais

Politiska riktlinjer, avsnitt 2 En stنndigt f rنnderlig vنrld

Politiska riktlinjer, avsnitt 2 En stنndigt f rنnderlig vنrld Politiska riktlinjer, avsnitt 2 En stنndigt f rنnderlig vنrld i~éé هê pلا o~ا cêëن~ضëëي نن~êة aلëيêلâي vêâ~هاة cêةاê~ض~هاةë êâ~هاة M m~êيلëي êةنëةه _لر~ننيلننâ~éليةنOلêلâينلهàةêه~ T OT _لر~نن _لر~نن نêا~ضOEâ~éليةنOFKاçإ

Leia mais

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000 ISO 9001:2008 alterações à versã de 2000 Já passaram quase it ans desde que a versã da ISO 9001 d an 2000 fi publicada, que cnduziu à necessidade de uma grande mudança para muitas rganizações, incluind

Leia mais

Os Oito Principais de Sistemas de

Os Oito Principais de Sistemas de Infrme Especial Os Oit Principais in Yur DSD Mits Mbile de Sistemas de Security Strategy Gerenciament de Armazém para empresas de pequen e médi prte. Intrduçã A era das perações manuais em Armazéns está

Leia mais

Para as instalações de SPDA, vamos dividir em duas fases, o momento de cálculo e a parte do detalhamento que se trata do desenho da instalação.

Para as instalações de SPDA, vamos dividir em duas fases, o momento de cálculo e a parte do detalhamento que se trata do desenho da instalação. 40 SPDA Para as instalações de SPDA, vamos dividir em duas fases, o momento de cálculo e a parte do detalhamento que se trata do desenho da instalação. 40.1 Dimensionamento do SPDA Para a nossa planta

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: TECNOLOGIA EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL MISSÃO DO CURSO O Curso Superior de Tecnologi em Automção Industril do Centro Universitário Estácio Rdil de São Pulo tem

Leia mais

Plano de Gestão 2012-2015

Plano de Gestão 2012-2015 Plno de Gestão 202-205 - Cmpus UFV - Florestl - Grdução Missão: Promover polítics de incentivo à pesquis, pós-grdução, inicição científic e cpcitção de recursos humnos, objetivndo excelênci do Cmpus Florestl

Leia mais

Proposta de Revisão Metodológica

Proposta de Revisão Metodológica Proposta de Revisão Metodológica Gestão do Desempenho Dezembro de 20 DIDE/SVDC Propostas para 202 Nova sist em át ic a de pac t uaç ão e avaliaç ão de m et as set oriais e de equipe; Avaliaç ão de De s

Leia mais

ÍNdice. Nossos produtos são fabricados com a mais moderna tecnologia e um rigoroso padrão de qualidade

ÍNdice. Nossos produtos são fabricados com a mais moderna tecnologia e um rigoroso padrão de qualidade Ctálogo DE produtos especilizd em soluções pr refrigerção Nossos produtos são fbricdos com mis modern tecnologi e um rigoroso pdrão de qulidde A TRINEVA estbelecid desde 1966, cont com mis de 40 nos de

Leia mais

RELÉS 24V CA / CC 24 240V CA/CC 3RR21 41-1AA30 3RR21 41-1AW30 3RR21 42-1AA30 3RR21 42-1AW30

RELÉS 24V CA / CC 24 240V CA/CC 3RR21 41-1AA30 3RR21 41-1AW30 3RR21 42-1AA30 3RR21 42-1AW30 Reles de Monitoramento de Corrente SIRIUS Os reles de monitoramento de corrente supervisionam não apenas os motores ou outras cargas, mas adicionam facilidades para o monitoramento da corrente ideal do

Leia mais

Ocupacional. Litoral Sul

Ocupacional. Litoral Sul Seinári Nacinal Unied de Saúde e Acidente d Trabalh 2009 esa: Experiência de sucess e saúde cupacinal e acidente d trabalh Departaent de Saúde (DSO) Unied /RS Dr. Luiz Fernand Hrain A Unied Fundada e 1994,

Leia mais

IN S A In s titu t N a tio n a l

IN S A In s titu t N a tio n a l IN S A : U m a re d e d e 5 e s c o la s s u p e rio re s d e e n g e n h a ria O INS A de Rennes existe desde 1966 R ouen O INS A de Rouen existe desde 1985 O INS A de S trasbourg existe desde 2003 R

Leia mais

Plano de curso Planejamento e Controle da Manutenção de Máquinas e Equipamentos

Plano de curso Planejamento e Controle da Manutenção de Máquinas e Equipamentos PLANO DE CURSO MSOBRPCMME PAG1 Plan de curs Planejament e Cntrle da Manutençã de Máquinas e Equipaments Justificativa d curs Nã é fácil encntrar uma definiçã cmpleta para Gestã da manutençã de máquinas

Leia mais