ÍNDICE EPI. Por departamento / Seção. Botas e Calçados Luvas Óculos Segurança e Proteção e e 197.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ÍNDICE EPI. Por departamento / Seção. Botas e Calçados Luvas Óculos Segurança e Proteção e e 197."

Transcrição

1 Ferramentas Elétricas Ferramentas Ferragem EPI Agronegócio Hidráulica Elétrica Químicos e Impermeabilzantes Pintura ÍNDICE Por departamento / Seção EPI Botas e Calçados Luvas Óculos Segurança e Proteção e e 197

2 E P I B o t a s e C a l ç a d BO TINAS / BO TAS B o t a A g r o i n d u t r i a l B r a n c Ba o t a P e g a F o r t e P V C A n t i m i cr o b i a n a S o l a d o M a xf o r t e * À p r o va d á g u a * A n t i - o d o r e s * G r a n d e r e si st ê n ci a p a r a t r a b a l h o s e m m i n a s, f r i g o r í f i co s, á r e a s p e t r o l í f e r a s, co n st r u çã o ci vi l, f á b r i ca s, m e t a l ú r g i ca s e t a m b é m n a a g r i cu l t u r a. M a t e r i a l d e a l t a r e si st ê n ci a e d u r a b i l i d a d e co m p r o va d a * A n t i d e r r a p a n t e 07 N º / N º / N º 9 N º 0 N º 1 N º N º / N º 9 N º 0 N º 1 N º N º / N º * F o r r a d a p r e t a co m so l a d o a m a r e l o * C a n o m é d i o 3 0 cm d e a l t u r a B o t i n a c o m C a d a r ç o s e m B i c o A Bç o t i n a E l á s t i c o c o m B i c o A ç o N º 3 7 N º 3 8 N º 3 9 N º 0 N º 1 N º 2 N º 3 N º N º N º 3 7 N º 3 8 N º 3 9 N º 0 N º 1 N º 2 N º 3 N º N º 5 B o t i n a c o m E l á s t i c o s e m B i c o AS ça op a t o c o m E l á s t i c o N º 3 N º 3 5 N º 3 6 N º 3 7 N º 3 8 N º 3 9 N º 0 N º 1 N º 2 N º 3 N º N º N º 3 7 N º 3 8 N º 3 9 N º 0 N º 1 N º 2 N º 3 N º N º 5 192

3 L u v a s E P I L u v a e m A l g o d ã o B r a n c a f i o s L u v a e m A l g o d ã o P i g m e n t a d a B r a n f i o s 5 8 * S e r vi ço s g e r a i s l e ve s * T r i c o t a d a - f i o s d e a l g o d ã o e p o l i é st e r * T a m a n h o ú n i co : 9 ( G ) 13 0 f i o s 5 7 * S e r vi ço s g e r a i s l e ve s * T r i co t a d a - f i o s d e a l g o d ã o e p o l i é st e r * T a m a n h o ú n i co : 9 ( G ) P G f i o s L u v a e m A l g o d ã o P i g m e n t a d a P Lr eu tv a a e m L á t e x N i t r í l i c a f i o s * S e r vi ço s g e r a i s l e ve s * T r i c o t a d a - f i o s d e a l g o d ã o e p o l i é st e r * T a m a n h o ú n i co : 9 ( G ) 13 f i o s * S e r vi ço s m e câ n i co s, ca r g a e d e sca r g a, co n st r u çã o ci vi l e se r vi ço s g e r a i s l e ve s * T r i co t a d a e m p o l i é st e r, b a n h o d e b o r r a ch a n i t r í l i ca * C o r ci n za N º 8 N º 9 L u v a e m A l g o d ã o c o m L á t e x A zu L lu v a e m A l g o d ã o c o m P U C i n za * S e r vi ço s m e câ n i co s se co s, j a r d i n a g e m, ca r g a e d e sca r g a, co n st r u çã o ci vi l e se r vi ço s g e r a i s p e sa d o s * T r i c o t a d a e m a l g o d ã o e m p o l i é st e r, b a n h o d e b o r r a ch a n a t u r a l * C o r A zu l 13 T a m a n h o 9 ( G ) L u v a e m B o r r a c h a CALIFÓRNIA * S e r vi ço s e l é t r i co s e e l e t r ô n i co s, ca r g a e d e sca r g a, co n st r u çã o ci vi l l e ve * T r i co t a d a e m p o l i é st e r, e m b a n h o d e P U N º 8 N º L u v a e m B o r r a c h a p a r a P e d r e i r o CALIFÓRNIA * A zu l / A m a r e l a 02 T a m a n h o P 6 T a m a n h o M 15 T a m a n h o G 5 1 T a m a n h o X G T a m a n h o M T a m a n h o G T a m a n h o X G 193

4 E P I L u v a s L u v a e m L á t e x A m a r e l a F o r r a d al u v a e m L á t e x N i t r í l i c a T a m a n h o T a m a n h o T a m a n h o 9 T a m a n h o L u v a C o n f o r t e x P l u s T a m a n h o 8 L u v a e m V a q u e t a T a m a n h o T a m a n h o 9 L u v a e m V a q u e t a M i s t a * E l á st i co p a r a a j u st e n o d o r so 8 6 V a q u e t a L u v a e m R a s p a L o n g a * P a l m a e m va q u e t a, d o r so e m r a sp a * R e f o r ço e n t r e o p o l e g a r e o i n d i ca d o r V a q u e t a L u v a e m R a s p a C u r t a * R e f o r ço t o t a l R e f o r ç o t o t a l R e f o r ç o t o t a l M ú l t i p l o 19

5 Ó c u l o s E P I Ó c u l o s A m p l a V i s ã o I n c o l o r Ó c u l o s J a g u a r C i n za * P e r f u r a d o 1 1 I n c o l o r Ó c u l o s J a g u a r I n c o l o r 3 1 C i n za Ó c u l o s L e o p a r d o C i n za 2 1 I n c o l o r Ó c u l o s L e o p a r d o I n c o l o r 5 1 C i n za 1 I n c o l o r NOSSA QUALIDADE É SUA SEGURANÇA 195

6 E P I S e g u r a n ç a e P r o t e BO TINAS / BO TAS C a p a d e C h u v a c o m M a n g a C a p a c e t e c o m C a r n e i r a F o r r a d a G F o r r a d a G G L a m i n a d a G 0 0 L a m i n a d a G G 0 C a r n e i r a p a r a C a p a c Ce to e l e t e d e S i n a l i za ç ã o T i p o X C a r n e i r a 0 C o n e d e S i n a l i za T i p o X 0 ç ã o A m a r e l o A zu l C l a r o A zu l E s c u r o B e g e B r a n c o C i n za L a r a n j a M a r r o m P r e t o R o s a V e r d e C l a r o V e r d e E s c u r 2 o 5 V e r m e l h o C o l e t e d e S i n a l i za ç ã o I n t e i r o * L a r a n j a / b r a n co * P r e t o / a m a r e l o * L a r a n j a / b r a n co * C o l e t e j a q u e t a c m c m c m c m 0 02 I n t e i r o 0 F i l t r o C o m b i n a d o P E F pi la trr ao C o m b i n a d o V O + G A R e s p i r a d o r 1/ F a c i a lp a r a R e s p i r a d o r 1/ F a c i a l R e s p i r a d o r 1/ F a c i l + F i l t r o V O + G C o n t r a v a p o r e s o r g â n i c o s / g a s e s á c i d o s C o n t r a a g r o t ó x i c o s / p e s t i c i d ac s o n t r a o r g â n i c o s / g a s e s á c i d o s P r o d u t o d e a co r d o co m a s n o r m a s d a P r o d u t o d e a co r d o co m a s n o r m ap s r od da u ta o B Nd e T a co r d o co m a s n o r m a A s B d N a T A B e N T co m ce r t i f i ca d o d e a p r o va çã o e co m ce r t i f i ca d o d e a p r o va çã o e d o co m m i st ceé r it o i f id cao d o d e a p r o va çã o d o m i st é r i o d o d o m i n i st é r i o d o t r a b a l h o t r a b a l h o t r a b a l h o 13 1/ / / 196

7 S e g u r a n ç a e P r o t e ç ã o E P I M á s c a r a D e s c a r t á v e l P r o t e t o r A u d i t i v o C o pp or ol ítme te or r o A u d i t i v o T i p Po r o t e t o r A u d i t i v o E s p u m C o n c h a s e m C o r d ã o a P 1 s e m v á l v u l0a P c o m v á l v u l0a P s e m v á l v u l0a * A co m p a n h a ca i xi n h a i n d i vi d u a l * C o m b o a ve d a çã o a d a p t a m - se a M q o u l d a á l q ve u e l r p a r a p r o t e çã o a u d i t i va * S e a d a p t a b e m a q u a l q u e r t a m a n a h o q ue a l q u e r t a m a n h o d e ca b e ça N e R f o R r sf m a = t o 16 d B - R e u t i l i zá ve l f o r m a t o d e ca n a l a u d i t i vo d e o r e l h a * P r e t o C o p o l í m e r o T i p o C o n c h a S e m c o r d ã o P r o t e t o r S o l a r F a c i a l P e8 d e s t a l Z e b r a d o P r e G t oe l d e L i m p e za M ã o s P r o t e t o r S o l a r F P S 3 0 I n c o l o r e A m a r e l o * B a se + T u b o + T a m p a * A l t u r a t o t a l d o p e d e st a l : 95 0 m m C r e m e 3 x 1 * P e so t o t a l d o p e d e st a l : a, 5 K g * D i â m e t r o d a b a se d o p e d e st a l : m m * D i â m e t r o d o t u b o d o p e d e st a l : 5 0 m m 0 0 g 1 g * T u b o e m P V C * L i m p e za d a s m ã o s e m d i ve r so s * P r o t e t o r so l a r F P S 3 0 co m p r o t e çã o d t i p o s d e p r o d u t o s, co m o ó l e o s, g rcoa xan t s, r a ó l e o s, g r a xa s, g a so l i n a, so l ve n t i n t a s e su j e i r a s e m g e r a l a r g a m a ssa s, ca l, t i n t a e o u t r o s P r e t o e A m a r 0 e l o g g 197

8 198

9 190

Á Ç ó á ç

Á Ç ó á ç Á Ç ó á ç É í é çã ô ã â ã á ç õ é á õ é ê ã ê çã õ ê ú õ ê ó ó ó ó ã é à çã ê é ê í é ã ó ã á ç í á é ã ó é á ó ó á ó á ã ó ã ã çã ó ê ó ê á ô ô ã ã çã ô çã ô í ê ó á ó ê çõ ê é á ê á á ç ó í çã ó ã é

Leia mais

M a n h ã... p r e s e n t e! L u g a r... p r e s e n t e! Q u e m... p r e s e n t e! N e n h u m... p r e s e n t e! C u í c a... p r e s e n t e!

M a n h ã... p r e s e n t e! L u g a r... p r e s e n t e! Q u e m... p r e s e n t e! N e n h u m... p r e s e n t e! C u í c a... p r e s e n t e! C a r o l i n a M a n h ã......................................................................... p r e s e n t e! L u g a r.......................................................................... p

Leia mais

U N I V E R S I D A D E C A N D I D O M E N D E S P Ó S G R A D U A Ç Ã O L A T O S E N S U I N S T I T U T O A V E Z D O M E S T R E

U N I V E R S I D A D E C A N D I D O M E N D E S P Ó S G R A D U A Ç Ã O L A T O S E N S U I N S T I T U T O A V E Z D O M E S T R E U N I V E R S I D A D E C A N D I D O M E N D E S P Ó S G R A D U A Ç Ã O L A T O S E N S U I N S T I T U T O A V E Z D O M E S T R E E S T U D O D O S P R O B L E M A S D A E C O N O M I A B R A S I L

Leia mais

A C T A N. º I V /

A C T A N. º I V / 1 A C T A N. º I V / 2 0 0 9 - - - - - - A o s d e z a s s e t e d i a s d o m ê s d e F e v e r e i r o d o a n o d e d o i s m i l e n o v e, n e s t a V i l a d e M o n c h i q u e, n o e d i f í c

Leia mais

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z ÇÃ ódigo escrição nid. ódigo escrição nid. Ç 1001.01 Ç 13 16 (1/4 5/16) Ç 1001.02 Ç 19 25 (1/2 3/4) Ç 1001.03 Ç 1/2 / Ç 1001.04 Ç Ã 1/2 / Ç Á 1002.01 Á Ç 1002.02 Á Ç 1002.03 Á Ç 1003.01 / Ê Ç 1003.02 /

Leia mais

A C O N T R A R E F O R M A E A R E F O R M A C A T Ó L I C A N O S P R I N C Í P I O S D A I D A D E M O D E R N A 2

A C O N T R A R E F O R M A E A R E F O R M A C A T Ó L I C A N O S P R I N C Í P I O S D A I D A D E M O D E R N A 2 1 Í N D I C E A C O N T R A R E F O R M A E A R E F O R M A C A T Ó L I C A N O S P R I N C Í P I O S D A I D A D E M O D E R N A 2 A P R E S E N T A Ç Ã O : A L G U M AS N O T A S E P A L A V R A S 2

Leia mais

P R O F E S S O R V I N I C I U S S I L V A CAP II DESIGN D E E M B A L A G E N S

P R O F E S S O R V I N I C I U S S I L V A CAP II DESIGN D E E M B A L A G E N S CAP II DESIGN D E E M B A L A G E N S LINGUAGEM V I S U A L E S T E M O M E N T O P R I M O R D I A L, O N D E A I D E N T I F I C A Ç Ã O D O P R O D U T O E R A F E I T A P E L A F O R M A D E S E U

Leia mais

EBI DA BOA ÁGUA EB1 N.º 2 DA QUINTA DO CONDE EB1/JI DO PINHAL DO GENERAL JI DO PINHAL DO GENERAL

EBI DA BOA ÁGUA EB1 N.º 2 DA QUINTA DO CONDE EB1/JI DO PINHAL DO GENERAL JI DO PINHAL DO GENERAL L I S T A D E C A N D I D A T U R A S A O C O N C U R S O D E A S S I S T E N T E O P E R A C I O N A L P U B L I C A D O N O D I Á R I O D A R E P Ú B L I C A N º 1 5 8 D E 1 4 / 8 / 2 0 1 5 A V I S O

Leia mais

P a l a v r a s - c h a v e s : l i n g u í s t i c a, l i n g u a g e m, s o c i a b i l i d a d e.

P a l a v r a s - c h a v e s : l i n g u í s t i c a, l i n g u a g e m, s o c i a b i l i d a d e. A V A R I E D A D E L I N G U Í S T I C A D E N T R O D A S O C I E D A D E C A M P O - G R A N D E N S E N O Â M B I T O D O M E R C A D Ã O M U N I C I P A L E F E I R A C E N T R A L D E C A M P O G

Leia mais

O processo eleitoral brasileiro. A n tonio Paim I n s t i t u t o d e H u m a n i d a d e s, S ã o P a u l o

O processo eleitoral brasileiro. A n tonio Paim I n s t i t u t o d e H u m a n i d a d e s, S ã o P a u l o O processo eleitoral brasileiro A n tonio Paim I n s t i t u t o d e H u m a n i d a d e s, S ã o P a u l o A p a i m 0 9 @ u o l. c o m. b r A j u l g a r p e l o s s i n a i s e x t e r i o r e s, o

Leia mais

A T A N º 4 /2014. S e s s ã o o r d i n á r i a 30 d e j u n h o d e M a r g a r i d a M a s s e n a 1 d e 50

A T A N º 4 /2014. S e s s ã o o r d i n á r i a 30 d e j u n h o d e M a r g a r i d a M a s s e n a 1 d e 50 A T A N º 4 /2014 A o s t r i n t a d i a s d o m ê s d e j u n h o d o a n o d e d o i s m i l e c a t o r z e, p e l a s v i n t e h o r a s e t r i n t a m i n u t o s r e u n i u e m s e s s ã o o

Leia mais

T A B E L A D E P R E Ç O S A B R I L

T A B E L A D E P R E Ç O S A B R I L T A B E L A D E S A B R I L 1 7 P U L S E 1 4 9, 9 9 1 2 1, 9 4 8 U M P A R D E P U L S E - L E D ( 1 X P U L S E M A S T E R + 1 X P U L S E S A T E L L I T E ) C O M 6 0 0 L Ú M E N, 2 7 0 0 K ( B R

Leia mais

I g r e j a P a r o q u i a l d o C a c é m, n o C a c é m, s o b a P r e s i d ê n c i a d e C r i s t i n a S o f i a

I g r e j a P a r o q u i a l d o C a c é m, n o C a c é m, s o b a P r e s i d ê n c i a d e C r i s t i n a S o f i a A T A Nº 6 /2014 A o s v i n t e e o i t o dias d o m ê s d e n o v e m b r o do ano de dois mil e catorze, pelas v i n t e h o r a s e c i n q u e n t a m i n u t o s r e u n i u e m s e s s ã o e x t

Leia mais

A S S E M B L E I A D E F R E G U E S I A D A U N I Ã O D E F R E G U E S I A S D O C A C É M E S Ã O M A R C O S R

A S S E M B L E I A D E F R E G U E S I A D A U N I Ã O D E F R E G U E S I A S D O C A C É M E S Ã O M A R C O S R A T A N º 2 /2013 A o s t r i n t a d i a s d o m ê s d e d e z e m b r o d o a n o d e d o i s m i l e t r e z e, p e l a s v i n t e e u m a h o r a s e q u i n z e m i n u t o s r e u n i u e m s e

Leia mais

A T A N º 7 /

A T A N º 7 / A T A N º 7 / 2 0 1 4 A o s d e z a s s e i s dias d o m ê s d e d e z e m b r o d o a n o d e d o i s m i l e c a t o r z e, p e l a s v i n t e h o r a s e c i n q u e n t a m i n u t o s r e u n i u

Leia mais

S e s s ã o e x t r a o r d i n á r i a 1 3 d e m a r ç o d e A T A N º 1 /

S e s s ã o e x t r a o r d i n á r i a 1 3 d e m a r ç o d e A T A N º 1 / A T A N º 1 / 2 0 1 4 A o s t r e z e d i a s d o m ê s d e m a r ç o d o a n o d e d o i s m i l e c a t o r z e, p e l a s v i n t e e u m a h o r a s e d e z m i n u t o s r e u n i u e m s e s s ã

Leia mais

Questionário sobre o Ensino de Leitura

Questionário sobre o Ensino de Leitura ANEXO 1 Questionário sobre o Ensino de Leitura 1. Sexo Masculino Feminino 2. Idade 3. Profissão 4. Ao trabalhar a leitura é melhor primeiro ensinar os fonemas (vogais, consoantes e ditongos), depois as

Leia mais

K e y w o r d s : A r t, e x p e r i e n c e s, m u s e u m, p r o j e c t s

K e y w o r d s : A r t, e x p e r i e n c e s, m u s e u m, p r o j e c t s Arte e Vivências: Trajetória dos Alunos nos Espaços Culturais Arts and Experiences: the Story of Students in the Cu l- ture Spaces D i o n e B a p t i s t a d o A m a r a l S a r d i n h a 1 R e s u m

Leia mais

1 I D E N T I F I C A Ç Ã O

1 I D E N T I F I C A Ç Ã O CONTRIBUIÇÃO DE MINI MUSEUS NA CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO RELATIVO A FENOMENOS FÍSICO QUÍMICOS A ESTUDANTES DE ENSINO BÁSICO E FUNDAMENTAL NO CONTEXTO AMBIENTAL. [MEC / SESU / UFLA] 1 I D E N T I F I C

Leia mais

E v o lu ç ã o d o c o n c e i t o d e c i d a d a n i a. A n t o n i o P a i m

E v o lu ç ã o d o c o n c e i t o d e c i d a d a n i a. A n t o n i o P a i m E v o lu ç ã o d o c o n c e i t o d e c i d a d a n i a A n t o n i o P a i m N o B r a s i l s e d i me nt o u - s e u ma v is ã o e r r a d a d a c id a d a n ia. D e u m mo d o g e r a l, e s s a c

Leia mais

A C A D E M I A G PA

A C A D E M I A G PA ACADEMIA GPA ABRIL 2017 » ENQUADRAMENTO A A c a d e m i a G r e e n P r o j e c t A w a r d s ( G PA ) v i s a c r i a r u m a o p o r t u n i d a d e de v a l o r i z a ç ã o p r o f i s s i o n a l j

Leia mais

P PÓ P. P r r P P Ú P P. r ó s

P PÓ P. P r r P P Ú P P. r ó s P PÓ P P r r P P Ú P P r ó s P r r P P Ú P P ss rt çã s t à rs r t t r rt s r q s t s r t çã r str ê t çã r t r r P r r Pr r r ó s Ficha de identificação da obra elaborada pelo autor, através do Programa

Leia mais

2. A C l a s s i f i c a ção M S C 01 H i s t o r y a n d b i o g r a p h y 03 M a t h e m a t i c a l l o g i c a n d f o u n d a t i o n s 05 C o m

2. A C l a s s i f i c a ção M S C 01 H i s t o r y a n d b i o g r a p h y 03 M a t h e m a t i c a l l o g i c a n d f o u n d a t i o n s 05 C o m Áreas Científicas do Departamento de Matemática Docu mento de trab al h o 1. Introdução O D e p a r t a m e n t o d e M a t e m á t i c a e st á or g a n i z a d o e m q u a t r o S e c ç õ e s: S 8 1

Leia mais

Recuperação de Ácido Láctico por Filtração Tangencial

Recuperação de Ácido Láctico por Filtração Tangencial Recuperação de Ácido Láctico por Filtração Tangencial Júlio Mendes Carvalho Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Engenharia Química Júri P re sid ente: Prof. João Ca r los Moura Bordado O rientador:

Leia mais

Técnicas Expandidas no Repertório de Percussão

Técnicas Expandidas no Repertório de Percussão D e p a r t a m e n t o d e M ú s i c a M e s t r a d o e m M ú s i c a - I n t e r p r e t a ç ã o A r t í s t i c a Saulo Giovannini Musique Concrète In stru mentale Técnicas Expandidas no Repertório

Leia mais

n o m urd ne Hel e n o mis

n o m urd ne Hel e n o mis Em nosso cotidiano existem infinitas tarefas que uma criança autista não é capaz de realizar sozinha, mas irá torna-se capaz de realizar qualquer atividade, se alguém lhe der instruções, fizer uma demonstração

Leia mais

A C A D E M I A F N A

A C A D E M I A F N A ACADEMIA FNA ABRIL 2017 » ENQUADRAMENTO A A c a d e m i a F o o d & N u t r i t i o n A w a r d s ( F N A ) v i s a c r i a r u m a o p o r t u n i d a d e de v a l o r i z a ç ã o p r o f i s s i o n

Leia mais

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e :

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 13 DE JULH DE 2015! Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : Caso vo cê nunca t e nh a pa

Leia mais

D e p a r t a m e n t o d e P s i c o l o g i a d a U n i v e r s i d a d e L u s ó f o n a

D e p a r t a m e n t o d e P s i c o l o g i a d a U n i v e r s i d a d e L u s ó f o n a O M e d o, a A n s i e d a d e e a s s u a s P e r t u r b a ç õ e s A m é r i c o B a p t i s t a, M a r i n a C a r v a l h o & F á t i m a L o r y C e n t r o d e E s t u d o s d e P s i c o l o g i

Leia mais

LEI Nº 8.112, DE 11 DE DEZEMBRO DE 1990 SUMÁRIO. T í t u l o I C a p í t u l o Ú n i c o D a s D i s p o s i ç õ e s P re l i m i n a res

LEI Nº 8.112, DE 11 DE DEZEMBRO DE 1990 SUMÁRIO. T í t u l o I C a p í t u l o Ú n i c o D a s D i s p o s i ç õ e s P re l i m i n a res LEI Nº 8.112, DE 11 DE DEZEMBRO DE 1990 SUMÁRIO T í t u l o I C a p í t u l o Ú n i c o D a s D i s p o s i ç õ e s P re l i m i n a res T í t u l o I I D o P ro v i m e n t o, Va c â n c i a, R e m o

Leia mais

P ET A g r o n o m i a & U n i v e r s i d a d e F e d e r a l d e L a v r a s U F L A / M G 1 R E S U M O 2 I N T R O D U Ç Ã O

P ET A g r o n o m i a & U n i v e r s i d a d e F e d e r a l d e L a v r a s U F L A / M G 1 R E S U M O 2 I N T R O D U Ç Ã O P RO G R A M A P ARA REDUÇÃ O D O I M P A C T O A M B I E N T A L C A U SA D O P ELA REVERS Ã O S E X U AL E M T I L Á P I A S ( O r e o c h r o m i s n i l o t i c u s ). P ET A g r o n o m i a & P ET

Leia mais

FACULDADES UNIFICADAS DA. Curso de Direito Escritório de Assistência Jurídica Registro OAB 6614 DA F UNDAÇ Ã O EDUCACIONAL DE B ARRETOS

FACULDADES UNIFICADAS DA. Curso de Direito Escritório de Assistência Jurídica Registro OAB 6614 DA F UNDAÇ Ã O EDUCACIONAL DE B ARRETOS FACULDADES UNIFICADAS DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE BARRETOS Curso de Direito Escritório de Assistência Jurídica Registro OAB 6614 REGULAMENTO DO NÚ CLEO DE PRÁ TICA JURÍ DICA DA F UNDAÇ Ã O EDUCACIONAL DE

Leia mais

TAX & BUSINESS I. I N T R O D U Ç Ã O

TAX & BUSINESS I. I N T R O D U Ç Ã O i INFORMAÇÃO FISCAL Nº 8 A b r il 2013 A F I S C A L I Z A Ç Ã O C O N S T I T U C I O N A L S U C E S S I V A D O O. E. 2 0 1 3 ( A c ó r d ã o n. º 1 8 7 / 2 0 1 3, d e 5 d e A b r i l, d o T r i b u

Leia mais

C o n c u r s o d e L e i t u r a S a b e r l e r c o m e m o ç ã o. A l i c e V i e i r a E x c e r t o d o l i v r o : C h o c o l a t e à c h u v a

C o n c u r s o d e L e i t u r a S a b e r l e r c o m e m o ç ã o. A l i c e V i e i r a E x c e r t o d o l i v r o : C h o c o l a t e à c h u v a B i b l i o t e c a E s c o l a r C o n c u r s o d e L e i t u r a S a b e r l e r c o m e m o ç ã o 2 0 1 2 A l i c e V i e i r a E x c e r t o d o l i v r o : C h o c o l a t e à c h u v a A n a M a

Leia mais

Correção da fuvest ª fase - Matemática feita pelo Intergraus

Correção da fuvest ª fase - Matemática feita pelo Intergraus da fuvest 009 ª fase - Matemática 08.0.009 MATEMÁTIA Q.0 Na figura ao lado, a reta r tem equação y x no plano cartesiano Oxy. Além dis so, os pontos 0,,, estão na reta r, sendo 0 = (0,). Os pontos A 0,

Leia mais

PARÂMETROS ECONÔMICOS NAS NEGOCIAÇÕES COLETIVAS M A R Ç O /

PARÂMETROS ECONÔMICOS NAS NEGOCIAÇÕES COLETIVAS M A R Ç O / PARÂMETROS ECONÔMICOS NAS NEGOCIAÇÕES COLETIVAS M A R Ç O / 2 0 1 5 N EGOCIAÇ ÃO C O L E T I VA : "... u m pro c e s s o dinâmico de busca do ponto d e e q u i l í b r i o e ntre i nte r e s s e s d i

Leia mais

R EGIÃO G ASTRONÓMICA DA M ADEIRA

R EGIÃO G ASTRONÓMICA DA M ADEIRA R EGIÃO G ASTRONÓMICA DA M ADEIRA ESCOLA PROFISSIONAL E ARTÍSTICA DA MARINHA GRANDE P ROVA DE A PTIDÃO PROFISSIONAL Curso Técnico de Restauração, Variante Restaurante Bar 2010 2013 2 I DENTIFICAÇÃO NOME:

Leia mais

CERTIDÃO POSITIVA COM EFEITOS DE NEGATIVA DE DÉBITOS RELATIVOS AOS TRIBUTOS FEDERAIS E À DÍVIDA ATIVA DA UNIÃO

CERTIDÃO POSITIVA COM EFEITOS DE NEGATIVA DE DÉBITOS RELATIVOS AOS TRIBUTOS FEDERAIS E À DÍVIDA ATIVA DA UNIÃO 05/02/2015 MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria da Receita Federal do Brasil Procuradoria Geral da Fazenda Nacional CERTIDÃO POSITIVA COM EFEITOS DE NEGATIVA DE DÉBITOS RELATIVOS AOS TRIBUTOS FEDERAIS E À

Leia mais

P R O J E Ç Õ E S. Produção Vendas Interna Importação Exportação Emprego ,1% -10,7% 6,2% -3,7% ,3% 2,0% 3,5% 5,0% 15.

P R O J E Ç Õ E S. Produção Vendas Interna Importação Exportação Emprego ,1% -10,7% 6,2% -3,7% ,3% 2,0% 3,5% 5,0% 15. BOLETIM TENDÊNCIAS DE CURTO PRAZO ANÁLISE GERAL J ANEIRO. 2017 L i d e r a d a p e l a i n d ú s t r i a T ê x t i l, a p r o d u ç ã o i n d u s t r i a l da c a d e i a de T ê x ti l & V e s t u á r

Leia mais

Estruturas de Suporte de Terras Executadas com. Pneus - Modelo à Escala Reduzida

Estruturas de Suporte de Terras Executadas com. Pneus - Modelo à Escala Reduzida I n s t i t u t o P o l i t é c n i c o d o P o r t o I n s t i t u t o S u p e r i o r d e E n g e n h a r i a d o P o r t o Estruturas de Suporte de Terras Executadas com Pneus - Modelo à Escala Reduzida

Leia mais

O Sacrifício da Cruz

O Sacrifício da Cruz O Sacrifício da ruz 6 ø 4 4 Intenso q = 61 9. r. r m b sus4 6 Ó. m Œ. r J 1.u ø. r o - lho pa - ra_o céu, bus - M7.. can - do com - preen-der o sa - cri - fí - cio do Sal - va - dor em meu lu - gar ø ø

Leia mais

A Prefeitura Municipal de Gavião, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR.

A Prefeitura Municipal de Gavião, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR. Edição Nº Nº 030/2012 00017 Sexta-Feira Quit-Feira 0825 de de Março Janeiro de de 2012 2013 A Prefeitura Municipal de Gavião, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR. RELATÓRIO

Leia mais

Latim-runas NUMERO 5:511 Sabbadrh-BQ de dezembro de O Fundador,

Latim-runas NUMERO 5:511 Sabbadrh-BQ de dezembro de O Fundador, 1 -\(^" - UR 11 S-Q 19 - F &-(P U? y - » T D!! &Jj / P - J óó PUÇS - PU-S QURTS-ÊHS SDS - - - 1 ñ 9 1 f - - - õ j w-- 1 PRSS PP D V F* " õ» -í ( (- f õ ~ f õí ( 1 " ÍÍÉ- f S J J &/ j - f f f j S f P-!

Leia mais

Práticas de Contabilidade Gerencial Adotadas Por Subsidiárias Brasileiras de Empresas Multinacionais

Práticas de Contabilidade Gerencial Adotadas Por Subsidiárias Brasileiras de Empresas Multinacionais Práticas de Contabilidade Gerencial Adotadas Por Subsidiárias Brasileiras de Empresas Multinacionais Marcos Antônio De Souza Resumo: Este trabalho tem como objeto de estudo as práticas de Contabilidade

Leia mais

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10 QUESTÃO 1 VESTIBULAR FGV 010 JUNHO/010 RESOLUÇÃO DAS 15 QUESTÕES DE MATEMÁTICA DA PROVA DA MANHÃ MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A O mon i tor de um note book tem formato retangular com a di ag o nal medindo

Leia mais

P i s cina s : 2 P i s ci n a e x te rior de á g u a d e m a r a q u e cida P i s ci n a i n te ri or d e á g u a

P i s cina s : 2 P i s ci n a e x te rior de á g u a d e m a r a q u e cida P i s ci n a i n te ri or d e á g u a E M P R IM E I R A MÃO T h e O i ta v os é o e x c lu s i v o h o te l d e 5 e s tre la s q u e co m p le t a e v a l ori za a ofe rta d a Q u i n ta d a M a ri n h a, co n s olid a n d o -a c om o d e

Leia mais

Ainda há Tempo, Volta

Ainda há Tempo, Volta Ainda há empo, Volta Letra e Música: Diogo Marques oprano ontralto Intro Envolvente (q = 60) enor aixo Piano Ó Œ. R.. F m7 2 A b 2 E b.. 2 Ó Œ É 2 Ó Œ F m7 2.. 2 2 A b 2 2 Ainda há empo, Volta Estrofe

Leia mais

AVALIAÇÃO DA FERTILIDADE DO SOLO. Prof. Dr. Reges Heinrichs UNESP - Dracena

AVALIAÇÃO DA FERTILIDADE DO SOLO. Prof. Dr. Reges Heinrichs UNESP - Dracena AVALIAÇÃO DA FERTILIDADE DO SOLO Prof. Dr. Reges Heinrichs UNESP - Dracena 2010 Introdução Inicialmente: realizada de forma subjetiva e empírica como referência o desenvolvimento da vegetação. Atualmente:

Leia mais

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO 1. RESULTADOS QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO 1.1- QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO: AMOSTRA REFERENTE AS

Leia mais

3.1.1) Descreva as principais atividades de pós-graduação coordenadas pelo Departamento nos últimos 10 anos.

3.1.1) Descreva as principais atividades de pós-graduação coordenadas pelo Departamento nos últimos 10 anos. Departamento: PSE Imprimir 3) ENSINO DE PÓS-GRADUAÇÃO 3.1) Aspectos Gerais da Pós-Graduação 3.1.1) Descreva as principais atividades de pós-graduação coordenadas pelo Departamento nos últimos 10 anos.

Leia mais

Prefeitura Municipal de Gavião-BA

Prefeitura Municipal de Gavião-BA INDAP INSTITUTO ASSOCIACAO NACIONAL DE DESENVOLVI:1450517700015 4 Digitally signed by INDAP INSTITUTO ASSOCIACAO NACIONAL DE DESENVOLVI:14505177000154 DN: c=br, st=ba, l=feira DE SANTANA, o=icp-brasil,

Leia mais

P a l a vr a s - c h a ve - h i d r o geológico, hidroquím i c o

P a l a vr a s - c h a ve - h i d r o geológico, hidroquím i c o M AP E AM E N T O H I D R O G E O L Ó G I C O D A F O L H A M O R AD A N O V A C E AR Á Eugenio Antonio de Lima 1 e Marcelo José Gonçalves Barros 2 R e s u m o - A F o l h a S B. 2 4 - X-C, M o r a d a

Leia mais

FRANCISCO CARLOS JACOB UMA CONSTRUÇÃO DO CONCEITO DE ÁREA PARA FIGURAS PLANAS

FRANCISCO CARLOS JACOB UMA CONSTRUÇÃO DO CONCEITO DE ÁREA PARA FIGURAS PLANAS FRANCISCO CARLOS JACOB UMA CONSTRUÇÃO DO CONCEITO DE ÁREA PARA FIGURAS PLANAS Dissertação apresentada à Universidade Federal de Viçosa, como parte das exigências do PROFMAT (Mestrado Profissional em Matemática

Leia mais

Palavra. puxa. menina menina

Palavra. puxa. menina menina menina menina menino menino sapato sapato bota bota uva uva mamã mamã leque leque casa casa janela janela telhado telhado escada escada chave chave galinha galinha gema gema rato rato cenoura cenoura girafa

Leia mais

REVIS TA CONTATO LEITOR GALERIA COLUNAS EDIÇÕES ANTIGAS ASSINATURA. 30/7/2014 Salão de Gramado encerra nesta quinta-feira.

REVIS TA CONTATO LEITOR GALERIA COLUNAS EDIÇÕES ANTIGAS ASSINATURA. 30/7/2014 Salão de Gramado encerra nesta quinta-feira. Q u a, 3 0 d e J u l h o d e 2 0 1 4 search... REVIS TA CONTATO LEITOR GALERIA COLUNAS EDIÇÕES Selecione a Edição ANTIGAS C l i q u e n o l i n k a b a i xo p a r a a c e s s a r a s e d i ç õ e s a n

Leia mais

O S I S T E M A P R O P O R C I O N A L N O N O V O Q U A D R O P O L Í T I C O E U R O P E U. A n t o n i o P a i m

O S I S T E M A P R O P O R C I O N A L N O N O V O Q U A D R O P O L Í T I C O E U R O P E U. A n t o n i o P a i m 1 O S I S T E M A P R O P O R C I O N A L N O N O V O Q U A D R O P O L Í T I C O E U R O P E U S U M Á R I O A n t o n i o P a i m I n t r o d u ç ã o 1. S i s t e m a p ro p o r c i o n a l n a E u r

Leia mais

Preciso De Ti DIANTE DO TRONO

Preciso De Ti DIANTE DO TRONO Preciso e Ti IANT O TRONO Arranjo or: Marcelo Minal marcelominal@yahoo.com.br Última revisão 26022013 Sorano Andante /F# A /F# A m m Alto Pá á á á Pá á á (C.) m m Pá á á á Pá á á (C.) Tenor m m Pá á á

Leia mais

A Prefeitura Municipal de Santa Barbara, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR.

A Prefeitura Municipal de Santa Barbara, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR. Edição Nº Nº 030/2012 00004 Sexta-Feira Quit-Feira 08 11 de Março Janeiro de de 2012 2013 A Prefeitura Municipal de Santa Barbara, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR. Nº

Leia mais

< ()& : 555>?

< ()& : 555>? P Ú s Pr s t Pr t Pr r str Pr ss t át P q çõ s r ç s çõ s s é s r r t r Pr r sé rt r P Ú s Pr s t Pr t Pr r str Pr ss t át P q çõ s r ç s çõ s s é s r ss rt çã r s t rt s r q s t s r t çã tít str t r r

Leia mais

"Oswego": Um Surto Epidêmico de Gastroenterite

Oswego: Um Surto Epidêmico de Gastroenterite "Owg": Um Eêmc Excíc E Tçã: A: F: E Av Wm Ogzçã P-Amc ú Uv ã P (Pó-R çã Pó-çã) C D C Pv OWEO : UM URTO EPIDÊMICO DE ATROETERITE * OJETIVO Aó ém xcíc á cz : m m; b m cv êmc; cc cm x q c ív víc mã; m vgçã

Leia mais

Quadro de conteúdos. Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano. Lição 1 As crianças e os lugares onde vivem

Quadro de conteúdos. Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano. Lição 1 As crianças e os lugares onde vivem Quadro de conteúdos Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano Língua Portuguesa Matemática História Geografia Ciências Naturais Arte Inglês ABC da passarinhada O alfabeto Quantidade A ideia de quantidade Eu, criança

Leia mais

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.)

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.) 32988 Quarta-feira 22 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Ou tu bro de 2003 Art. 3º O Gru po Parlamentar reger-se-á pelo seu regulamento in ter no ou, na falta deste, pela decisão da ma i o ria absoluta de seus mem

Leia mais

Classificação Periódica dos Elementos

Classificação Periódica dos Elementos Classificação Periódica dos Elementos 1 2 3 1 Massa atômica relativa. A incerteza no último dígito é 1, exceto quando indicado entre parênteses. Os valores com * referemse Número Atômico 18 ao isótopo

Leia mais

9 JUNHO. Rua Cândido dos Reis, Vila Nova de Gaia Tel.: Fax:

9 JUNHO. Rua Cândido dos Reis, Vila Nova de Gaia Tel.: Fax: ÇÃÀ 9JUNHO í çõ úãá ÕÚ õ ú ã é çã é õéá é à Rua Cândido dos Reis, 545 4400-075 Vila Nova de Gaia Tel.: 22 374 67 20 - Fax: 22 374 67 29 www.jf-santamarinha.pt 1 õ á õ à çã çõ õ á çã áí é àí àçãçã ã Á à

Leia mais

Reasons for the lack of sports performance of Comercial F.C

Reasons for the lack of sports performance of Comercial F.C RAZÕES PARA A FALTA DE RENDIMENTO ESPORTIVO DO COMERCIAL F.C. Reasons for the lack of sports performance of Comercial F.C V W X W Y Z [ \ ] ^ _ ` a _ a ] ` ] b X W Z c \ ] ` _ ` a _ a ] ` ` 5 & ', " d

Leia mais

A u t o r : G r u p o P E T G e o g r a f i a, Universidade Federal de Pernambuco

A u t o r : G r u p o P E T G e o g r a f i a, Universidade Federal de Pernambuco A NÁ L I S E D A A C E S S I B I L I D A D E U R B A N A N A C I D A D E D O R E C I F E : U M O L H A R S O B R E O S P R I N C I P A I S E I X O S V I Á R I O S D E P E N E T R A Ç Ã O A u t o r : G

Leia mais

CATÁLOGO DE PRODUTOS

CATÁLOGO DE PRODUTOS CATÁLOGO DE PRODUTOS CAIXAS PARA PIZZA Caixa Oitavada LxCxá= x x P. vi ge, BK a o e K a PP papel o e i lado pa do Caixa Oitavada LxCxá= x x P.vi ge, - BK a o e K a PP papel o e i lado pa do Caixa Oitavada

Leia mais

S is t e m a O p e r a c io n a l H a ik u

S is t e m a O p e r a c io n a l H a ik u OPERATING SYSTEM S is t e m a O p e r a c io n a l H a ik u U m s is t e m a o p e r a c io n a l v o l t a d o a o u s u á r io Bruno Albuquerque XXX Congresso da SBC - Workshop de Sistemas Operacionais

Leia mais

OBJETIVOS ATIVIDADES ESTRATÉGIAS DINAMIZA- DORES. - Canções mimadas; - Atividades livres na sala e exterior; - Jogos de interação; - Canções de roda;

OBJETIVOS ATIVIDADES ESTRATÉGIAS DINAMIZA- DORES. - Canções mimadas; - Atividades livres na sala e exterior; - Jogos de interação; - Canções de roda; 66 66 F 6 66 F 66 F 6 66 F F 66 F 6 66 F F F F 66 F 6 66 F F 66 F 6 66 F F 66 F 6 66 F 66 F 6 66 F 66 F 6 66 F F 66 F 6 66 F F F 66 F 6 66 F F F 66 F 6 6 Ÿ Ò Ï ß Ò Ï Ò ¼ ¼ F Ÿ ž ž µ Î ¼ Þ Ý Û Ò ¼ Î Ò µ

Leia mais

Tratamentos Tempo de Armazenamento T F secagem 0 mês 6 meses ( C) (m 3 /minuto/t) (hora) D 1 D 2 D 3 Médias D 1 D 2 D 3 Médias 42 26,9 0 10,4 10,8

Tratamentos Tempo de Armazenamento T F secagem 0 mês 6 meses ( C) (m 3 /minuto/t) (hora) D 1 D 2 D 3 Médias D 1 D 2 D 3 Médias 42 26,9 0 10,4 10,8 Tratamentos Tempo de Armazenamento T F secagem 0 mês 6 meses ( C) (m 3 /minuto/t) (hora) D 1 D 2 D 3 Médias D 1 D 2 D 3 Médias 42 26,9 0 10,4 10,8 10,9 10,7 12,8 11,6 12,0 12,1 4 11,1 10,6 10,9 10,9 13,1

Leia mais

Jingle de 50 anos da Eletrobras Arranjo vocal para vozes mistas com acompanhamento

Jingle de 50 anos da Eletrobras Arranjo vocal para vozes mistas com acompanhamento Paa os bavos e talentosos cantoes do Sisa Eleto Jingle de 50 anos da Eleto Aanjo vocal paa vozes mistas com acompanhamento Aanjo de Cismaie Hackenbeg Rio de Janeio, 24/04/2012 Contato: cismaie@ioacappella.com.b

Leia mais

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009 FGV 010/1-13.1.009 VESTIBULAR FGV 010 DEZEMBRO 009 MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A PROVA DE MATEMÁTICA QUESTÃO 1 (Prova: Tipo B Resposta E; Tipo C Resposta C; Tipo D Resposta A) O gráfico abaio fornece o

Leia mais

O QUE É FONOLOGIA? Fonologia é o ramo da Linguística que estuda o sistema sonoro de um idioma. Cuida de aspectos relacionados a:

O QUE É FONOLOGIA? Fonologia é o ramo da Linguística que estuda o sistema sonoro de um idioma. Cuida de aspectos relacionados a: FONOLOGIA / ACENTUAÇÃO GRÁFICA O QUE É FONOLOGIA? Fonologia é o ramo da Linguística que estuda o sistema sonoro de um idioma. Cuida de aspectos relacionados a: encontros vocálicos encontros consonantais

Leia mais

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to.

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. GASTRONOMIA Instruções Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. Res pe i te mar gens e en tra das de pa rá gra fo. Use as in for ma ções

Leia mais

é êíé é çã é ê óééçú ê é çãá çíçã çã ã çã ê ã á íçõíá íí í çã ô ú ç ç çê ú á éé í çõ í ã ã ã ã é ü óéó É ç ã çõ â ã ç áãúé çã ê çõ ô ç ú ú çõ çààá àúç

é êíé é çã é ê óééçú ê é çãá çíçã çã ã çã ê ã á íçõíá íí í çã ô ú ç ç çê ú á éé í çõ í ã ã ã ã é ü óéó É ç ã çõ â ã ç áãúé çã ê çõ ô ç ú ú çõ çààá àúç Ó é ç í ó ó ó çõ ã ê ã á ã ú é á ê ç á çã ê íç éçãé çãé ê éé çúê í çã é êíé é çã é ê óééçú ê é çãá çíçã çã ã çã ê ã á íçõíá íí í çã ô ú ç ç çê ú á éé í çõ í ã ã ã ã é ü óéó É ç ã çõ â ã ç áãúé çã ê çõ

Leia mais

AU T O M AÇ ÃO D E P O Ç O S P R O F U N D O S

AU T O M AÇ ÃO D E P O Ç O S P R O F U N D O S AU T O M AÇ ÃO D E P O Ç O S P R O F U N D O S J o s é B o s c o F e r n a n d e s d e C a s t r o 1 e L i d i o M a r t i n s d o s An jos 2 R e s u m o - A s e xp e r i ê n c i a s d e a u t o m a ç

Leia mais

GLOSSÁRIO PREV PEPSICO

GLOSSÁRIO PREV PEPSICO GLOSSÁRIO PREV PEPSICO A T A A ABRAPP Aã Aã I Aí I R ANAPAR A A M A A A Lí Aá S C é ç í ê çõ 13ª í ã. Açã B E F Pê P. Cí ê, ã ê. V Cê Aã P ( á). N í, - I R P Fí (IRPF), S R F, à í á, ( 11.053 2004), çã.

Leia mais

16 CARLOS RODRIGUES BRANDÃO

16 CARLOS RODRIGUES BRANDÃO 16 CARLOS RODRIGUES BRANDÃO 1 a Começa assim Este jogo começa com todos os participantes procurando as PA LAVRAS SEMENTES. E isso não é nada difícil! Basta as pessoas que vão jogar o jogo saírem conversando

Leia mais

Câmara Municipal de Retirolândia-BA

Câmara Municipal de Retirolândia-BA Edição Nº 030/2012 007/2012 Terça-Feira Quinta-Feira 3108 de de Julho Março de 2012 de 2012 A CASA DA DEMOCRACIA Rua Joana Angélica, n.º 537 Centro CEP 48.750-000 Retirolândia/BA CNPJ 63.103.808/0001-14

Leia mais

REGULAMENTO DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM No u s o d a c o mp e t ê n c i a p r e v i s t a al í n e a v ) d o n. º 1 d o ar t i g o 64º d o De c r e t o -Le i n. º 1

Leia mais

Grupo de 12 cidadãos arouquenses que se cruzaram em contexto de combate ao incêndio de Agosto de 2016.

Grupo de 12 cidadãos arouquenses que se cruzaram em contexto de combate ao incêndio de Agosto de 2016. J o r n a d a s d a F l o r e s t a e I n c ê n d i o s M A T É R I A - P R I M A 2 4. 3. 2 0 1 7, A r o u c a " A p r i n c i p a l s u b s t â n c i a q u e é u t i l i z a d a n a f a b r i c a ç ã

Leia mais

EMPREGO INDUSTRIAL Junho de 2014

EMPREGO INDUSTRIAL Junho de 2014 EMPREGO INDUSTRIAL Junho de 2014 Emprego industrial FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA SUMÁRIO EXECUTIVO A INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO CATARINENSE fechou 1.344 postos de trabalho em junho,

Leia mais

A Prefeitura Municipal de Conceição da Feira, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR.

A Prefeitura Municipal de Conceição da Feira, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR. Edição Nº Nº 030/2012 00034 Sexta-Feira Quit-Feira 22 08 de de Fevereiro Março de 2012 2013 A Prefeitura Municipal de Conceição da Feira, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR.

Leia mais

Medley Forró 2. œ œ # œ œ œ œ #.

Medley Forró 2. œ œ # œ œ œ œ #. Roteiro e adapta: Edu Morelenbaum e Rold Valle Ú 106 sa Branca 4 2 Luiz Gonzaga # # 6 # # # # # 12 # # # # # # 18 # # # # # 24 0 Quan-do_o - # iei # # de São Jo - ão - - - a # ter - ra_ar - D # Eu per-gun

Leia mais

Estruturas de Suporte de Terras Executadas. Com Pneus. Estudo Paramétrico e Conceção de. Protótipo

Estruturas de Suporte de Terras Executadas. Com Pneus. Estudo Paramétrico e Conceção de. Protótipo I n s t i t u t o P o l i t é c n i c o d o P o r t o I n s t i t u t o S u p e r i o r d e E n g e n h a r i a d o P o r t o Estruturas de Suporte de Terras Executadas Com Pneus. Estudo Paramétrico e

Leia mais

ano Literatura, Leitura e Reflexão m e s t re O dia do benquerer José Ricardo Moreira

ano Literatura, Leitura e Reflexão m e s t re O dia do benquerer José Ricardo Moreira S 1- Litt, Lit Rflxã 2- t O i bq Jé Ri Mi 1 Cpítl D pi q gt t, l té q é b lgl. Algé h q ã? Etã p: ã f l, é q vê ii h tt iç vz? E ã vl fl ft ivái, pi iç lá pi q bl b. Até vê, q tbé t q vlt p. T p big, é

Leia mais

DATAPREV Divisão de Gestão Operacional e Controle - D1GC Serviço Técnico a Softwares de Produção STSP

DATAPREV Divisão de Gestão Operacional e Controle - D1GC Serviço Técnico a Softwares de Produção STSP GIS Gertran Integration Suite Guia de T ransferência de Arquivos Entidade x DATAPREV Versão 1.0 HTTPS G I S G ui a de T ra n sf er ên ci a d e Ar qu i vo s 1/ 8 ÍNDICE ANALÍT ICO 1. INTRODU ÇÃO......4

Leia mais

EM NOME DO PAI ====================== j ˆ«. ˆ««=======================

EM NOME DO PAI ====================== j ˆ«. ˆ««======================= œ» EM NOME O PI Trnscçã Isbel rc Ver Snts Pe. Jãzinh Bm & # #6 8 j. j... Œ. ll { l l l l n me d Pi e d Fi lh ed_es & #. 2. #. _. _ j.. Œ. Œ l l l j {.. l. pí t Sn t_ mém Sn t_ mém LÓRI O PI Trnscçã Isbel

Leia mais

J u i n 2 0 0 9 L e ttr e d 'i n fo r m a ti o n n 1 9 E d i to r i al E p p u r si m u o ve «E t p o u r ta n t e l l e b o u g e» m u r m u r a G a l l i l é e s u r s o n c h a m p e s t l a r g e.

Leia mais

Sistema de Arquivos. Sistemas de Arquivos

Sistema de Arquivos. Sistemas de Arquivos Sistemas de Arquivos Definições Básicas 1.Um arquivo é uma unidade lógica de informação criado por processos. As informações podem representar instruções e dados de qualquer tipo [1]. Exemplo de arquivos.

Leia mais

'!"( )*+%, ( -. ) #) 01)0) 2! ' 3.!1(,,, ".6 )) -2 7! 6)) " ) 6 #$ ))!" 6) 8 "9 :# $ ( -;!: (2. ) # )

'!( )*+%, ( -. ) #) 01)0) 2! ' 3.!1(,,, .6 )) -2 7! 6))  ) 6 #$ ))! 6) 8 9 :# $ ( -;!: (2. ) # ) !" #$%&& #% 1 !"# $%& '!"( )*+%, ( -. ) #) /)01 01)0) 2! ' 3.!1(,,, " 44425"2.6 )) -2 7! 6)) " ) 6 #$ ))!" 6) 4442$ ))2 8 "9 :# $ ( -;!: (2. ) # ) 44425"2 ))!)) 2() )! ()?"?@! A ))B " > - > )A! 2CDE)

Leia mais

do o de do Dn pr es i lha n har ac ord ad o... E co 1 0 uma

do o de do Dn pr es i lha n har ac ord ad o... E co 1 0 uma P R O P " E ) A D E DO C L U D L I T T E H A R I O S U MMARIO f ; õ E J ; õ E ; I \ ;; z Df < j ç f:t \ :f P ü Bz }? E CLOTIJ DE J x "? ú J f Lf P DI!; V: z z " I O PA F L ARÉNE S Pz: E:\H P HA RRC : A

Leia mais

, 0-0 / 2 0 /.+ -,+ *+ % ) ( " " "! ' " " % # "!

, 0-0 / 2 0 /.+ -,+ *+ % ) (   ! '   % # ! 5 6 7 8 9 : 0 +, 0-0 / 2 0 /.+ -,+ *+ % ) ( " " "! ' " " % # "! 5 6 7 8 9 0 +, 0-0 / 2 0 /.+ -,+ *+ % ) ( " " "! ' " " % # "! [ M [ M R I RC Z O V O Z O N N = F? O r s u v l O g h l i l k m l k jg i hg

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROJETO A VEZ DO MESTRE

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROJETO A VEZ DO MESTRE UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROJETO A VEZ DO MESTRE PRINCÍPIOS TRIBUTÁRIOS Por: Paulo Ricardo de Lima Rodrigues Orientador Prof. Ms. Claudia Gurgel Rio de Janeiro 2007 2 UNIVERSIDADE

Leia mais

1. Dorme, neném. œ» ======================= & 2 G ======================= & «Œ. « mãe. tão ======================= & ˆ« ção.

1. Dorme, neném. œ» ======================= & 2 G ======================= & «Œ. « mãe. tão ======================= & ˆ« ção. »» ======================= & 2 4 _ Dor me, ne 1. Dorme, neném ném, Letr: Pe. José Dis ourt SSP Músic: Ir. Egnd Roch II Soo: Edur Tostto d Mtt ======================= & Que m mãe Dor es _ tá me fe qui.

Leia mais

Manual do Usu rio Perfil Benefici rio Portal Unimed Centro-Oeste e Tocantins

Manual do Usu rio Perfil Benefici rio Portal Unimed Centro-Oeste e Tocantins Manual do Usu rio Perfil Benefici rio P gina 1 de 13 1. Introdu 0 4 0 0o Est e do c u m e n t o te m co m o obj e ti v o de m o n s t r a r pa s s o a pa s s o as prin ci p a i s fu n ci o n a l i d a

Leia mais

RESIDENCIAL. Rua Garibaldi, 1300, Bom Fim - Porto Alegre, RS

RESIDENCIAL. Rua Garibaldi, 1300, Bom Fim - Porto Alegre, RS RESIDENCIAL Rua Garibaldi, 1300, Bom Fim - Porto Alegre, RS O B l u e P e n c e é u m do s sel o s mais raros da h i s tó r ia p o st a l. A p o sse de ste p e qu eno tes ouro, emit i do n a s I l h a

Leia mais

16/02/2014. Masakazu Hoji. ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Uma Abordagem Prática. 5a. Edição Editora Atlas. Capítulo 1 INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA

16/02/2014. Masakazu Hoji. ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Uma Abordagem Prática. 5a. Edição Editora Atlas. Capítulo 1 INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DMNSTRÇÃ FNNCER Uma bordagem Prática 5a. Edição Editora tlas Masakazu Hoji NTRDUÇÃ À Capítulo 1 DMNSTRÇÃ FNNCER 1.1 dministração financeira nas empresas 1.2 ntegração dos conceitos contábeis com os conceitos

Leia mais

URBANISMO COMERCIAL EM PORTUGAL E A REVITALIZAÇÃO DO CENTRO DAS CIDADES

URBANISMO COMERCIAL EM PORTUGAL E A REVITALIZAÇÃO DO CENTRO DAS CIDADES LEITURAS URBANISMO COMERCIAL EM PORTUGAL E A REVITALIZAÇÃO DO CENTRO DAS CIDADES [Carlos José Lopes Balsas (1999), Gabinete de Estudos e Prospectiva Económica, Ministério da Economia, ISBN: 972-8170-55-6]

Leia mais