RELATÓRIO DE ATIVIDADES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO DE ATIVIDADES"

Transcrição

1 RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013

2 01

3 QUEM SOMOS A FUNDESP Fundação Esperança, é uma organização sem fins lucrativos, que desenvolve projetos sociais e educacionais, criando condições e oportunidades de desenvolvimento, a fim de minimizar a situação de risco e exclusão social de crianças, adolescentes e suas famílias. Foi criada em 1996 com o objetivo de contribuir para a evolução do ser humano, promovendo o bem para todos sem preconceitos de raça, origem, sexo, cor, idade, credo religioso, política ou quaisquer outras formas de discriminação. Nestes anos de atuação a FUNDESP Fundação Esperança conquistou muitos sorrisos e vitórias, criando oportunidades para crianças, adolescentes e suas famílias, em seus projetos, campanhas e ações sociais. META Contribuir para a evolução do ser humano, promovendo o bem, sem preconceitos de raça, origem, sexo, cor, idade, credo religioso, política ou quaisquer outras formas de discriminação. Em defesa dos direitos e o exercício da cidadania de crianças, adolescentes, adultos e idosos em situação de exclusão social, agindo na base familiar como plataforma para minimizar a desigualdade social, formando cidadãos para que sejam reconhecidos como sujeitos de suas próprias histórias e com o direito de viver com dignidade, e liberdade, desfrutando de saúde, alimentação adequada, educação de qualidade, acesso ao lazer, à cultura e emprego. MISSÃO Um pouco de muitos para dar a muitos um pouco. 02

4 AGRADECIMENTOS A FUNDESP Fundação Esperança agradece o apoio do Setor empresarial, dos Voluntários e da Sociedade Civil, que ao nos ajudar possibilitou que realizássemos nossas atividades com muito sucesso. - Conselho Tutelar de Vila Prudente e Adjacências - Fussesp: Somos cadastrados no Fundo Social de Solidariedade de São Paulo. FUNDESP sul e FUNDESP Leste, onde somos beneficiados com várias doações de todos os tipos. - Estúdio de Dança Raquel Teixeira Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social Centro de Voluntariado de São Paulo Comunidade do Evangelho Integral Prefeitura Municipal de São Paulo Telecomunicações e Informática Ltda. Secretaria Especial para Participação e Parceria Prefeitura de São Paulo CMDCA Banco CEAGESP de Alimentos SENAC/SP Inserção no programa Rede Social para capacitações da equipe, reciclagem de informações e troca de conhecimentos entre organizações atuantes na comunidade de Vila Prudente. Fazenda Eco Canaã House CODENGE Construções Design Engenharia Ltda Mesa Brasil - Sesc Conservatório Musical Santa Clara Blues Club Cacal Show Sociedade Civil CRER - Conselho de Resgate e Restauração 03

5 RECURSOS FINANCEIROS Comunidade do Evangelho Integral Entidade sem fins lucrativos contribui para manutenção da Entidade. Doações Voluntárias Contamos com a colaboração de pessoas, que todo mês realizam suas doações financeiras. Doações De Janeiro a Dezembro, recebemos doações diversas, estas doações abrangem tanto o setor empresarial como particular, que ao conhecer a idoneidade de nossas ações, colaborou conosco. Alimentos Roupas Calçados Acessórios Utilidades Domésticas 5.638,09 Kg 375 PEÇAS 11 PARES 02 PEÇAS 198 und Vários profissionais, empresas e voluntários, por entender a nossa causa nos prestigiaram com seus serviços, fazendo com que tivéssemos êxito em nossas atividades sociais. Fonoaudióloga Papai Noel 450 Atendimentos 02 Personagens Reconhecimento Estamos gratos pelo reconhecimento das autoridades que nos concedeu após anos de espera a Matricula de proprietários das terras de Parelheiros, com isso podemos continuar nosso sonho paralisado desde 2006, pois este era o documento principal que as autoridades locais nos exigiam. Em 2013 demos continuidade ao Projeto FUNDESP UM OLHAR PARA O FUTURO, Atendimento e acompanhamento psicológico de crianças e adolescentes vítimas de violência doméstica. Orientação às famílias (pais e/ou responsáveis) por meio de palestras sobre as implicações, conceito e concepção de família em crianças e adolescentes vítimas de violência doméstica, a fim de instruir e garantir os direitos fundamentais estabelecidos pelo ECA. 04

6 Parelheiros 2013 Sítio Ninho da Águia 05

7 PLANO DE TRABALHO Dados da Entidade Mantenedora FUNDESP Fundação Esperança CNPJ: / Endereço: Rua Miguel de Araújo Barreto, 246 CEP.: Bairro: Jardim Avelino - Município: São Paulo S.P. Telefone: Fax: Identificação do Responsável Legal Diretor / Presidente: Sandra Lourenço dos Santos de Araújo R.G.: SSP/SP Endereço: Rua Hemisfério, nº587- Chácara Mafalda Cidade: São Paulo S.P. CEP.: Telefone: Fax: de Araújo R.G.: SSP/SP Endereço: Rua Hemisfério, nº587- Chácara Mafalda Cidade: São Paulo S.P. CEP.: Telefone: Fax: Caracterização Sócio-Econômico da Região Localização Município: São Paulo Região: Zona Sul Distrito: Parelheiros Bairro: Embura do Alto Área de Abrangência Local: Estrada do Cometa, 141 Bairro: Embura do Alto Parelheiros São Paulo-SP Cursos gratuitos - oferecidos pelos próprios voluntários Identificação do Técnico Responsável pelo Projeto Diretor / Presidente: Sandra Lourenço dos Santos 06

8 Doações A FUNDESP Fundação Esperança faz doações de roupas, alimentação, calçados, cobertores, utensílios, móveis, etc... Caracterização socioeconômica da área de abrangência A FUNDESP Fundação Esperança atende famílias com nível socioeconômico totalmente precário, ou seja, sem renda familiar, vítimas de exclusão social. Caracterização dos beneficiários por segmento De acordo com dados levantados, não existe um percentual de renda familiar, pois os mesmos não têm renda própria. Descrição do Projeto A proposta para Parelheiros é a integração da FUN- DESP Fundação Esperança junto às famílias carentes da região. A equipe fará visitas periódicas no Sítio Ninho da Águia, para a realização das atividades comunitárias, atividades educacionais psicopedagógicos com pré-adolescentes e adolescentes, e atividades culturais, envolvendo grupos de adultos e crianças. Prazo para a Execução 12 meses (de Janeiro a Dezembro) Justificativa Prestar assistência social e educacional para população carente é uma das finalidades da FUNDESP Fundação Esperança. Contamos com o apoio de parcerias de pessoas e empresas que doam em prol de levar uma melhor condição àqueles que necessitam não somente das necessidades básicas e sim de esperança. Identificação do Objeto a ser executado Objetivo geral Assistir integralmente ao ser humano em situação de exclusão social, agindo na base familiar como plataforma para proporcionar uma vida digna e assegurando seus direitos de cidadãos. Integrar as crianças na sociedade, incentivando a fraternidade e o amor, possibilitando o resgate da auto-estima, através da valorização da vida. Objetivos Específicos Atender de forma específica cada faixa etária; Atender necessidades básicas de saúde, alimentação, interação sócio - educativa e pedagógica das crianças; Interagir com as famílias e comunidades envolvidas nas ações dos voluntários da FUNDESP Fundação Esperança; Oferecer apoio psicológico, cultural, e material para reforçar a base da pessoa; Avaliar a aptidão de cada pessoa e motivamos a participação nas ações em benefício de sua comunidade População alvo Famílias carentes, desestruturadas, crianças necessitadas de amor, carinho, atenção, alimentação, saúde e principalmente esperança. Apesar de todas as dificuldades que enfrentam estas pessoas podem e devem ser aceitas na sociedade. Todos são capazes e devem exercer seus direitos e deveres enquanto cidadãos. Meta Atendimento da população alvo. Critérios de Elegibilidade Apoio sócio-educativo, psicológico e material destinado para as crianças, adolescentes e suas famílias. Execução do Projeto Atividades desenvolvidas Crianças, Pré-Adolescentes, Adolescentes e Senhoras. Oficinas Jogos e Brincadeiras Desenvolvimento das atividades onde todas as pessoas poderão expressar seus pensamentos e desejos, levando-os a conscientização de seus valores como seres humanos, mostrando que através do amor ao próximo podemos construir uma sociedade mais digna. Crianças Brinquedoteca: Utilização da brinquedoteca onde a criança terá a possibilidade de desenvolver a sua criatividade e trabalhar o lado emocional através das brincadeiras e jogos simbólicos (casinha, escola, etc.) de forma prazerosa. A sala será constituída por vários brinquedos onde se possibilita à criança desenvolver sua criatividade usando o seu potencial fazendo-se um paralelo da vida cotidiana com o lúdico. Pré-Adolescentes Será desenvolvido um trabalho com desenhos, fóruns de discussão, abordagem com base em princípios éticos como formação, educação e valorização da vida. Os temas abordados serão sobre: violência, droga, namoro e alcoolismo. Detectamos que estes pré-adolescentes convivem por demais com a violência, quer seja dentro de casa, com um vizinho ou com um parente. Percebemos também o quanto o álcool está embrenhado naquelas famílias. 07

9 08 Adolescentes O trabalho a ser desenvolvido com os adolescentes será através de jogos para desenvolver assim, a criatividade, conscientizando-os de seus valores como seres humanos. Discussão. Violência. Não as drogas. Alcoolismo Senhoras Desenvolvimento com trabalho artístico onde as senhoras desenvolverão o seu potencial e criatividade, elevando sua alto estima, e com isso podendo ate gerar recursos para renda própria. Café Comunitário Ofereceremos às crianças, adolescentes e senhoras o café da manhã como: pão, leite, achocolatado, manteiga, maionese, bolachas, frios (mortadela, queijo, presunto). Almoço O cardápio será bastante variado, possibilitando assim um equilíbrio nutricional. Datas Comemorativas Serão celebradas as datas de aniversários e as comemorativas no decorrer de cada mês. NOTA No mês de Setembro de 2006 a FUNDESP Fundação Esperança foi obrigada a paralisar as suas atividades por não ter expedido ainda Alvará de Construção. Temos todas as documentações liberadas nos departamentos: CETESB, DPRN e mesmo com estas documentações e solicitações atendidas, não temos nenhuma posição do DUSM; estamos aguardando a liberação da Subprefeitura de Parelheiros para podermos dar continuidade a este trabalho, e, em função do número de famílias ter aumentado, fica inviável manter nosso atendimento pela falta de infraestrutura (sanitários, refeitório, área coberta para atendimento). Esta paralisação perdurou no decorrer do ano de 2013, mas a Fundesp Fundação Esperança, conseguiu o parecer favorável ao Processo de Usucapião e neste ano já somos proprietários com escritura / matricula do imóvel. Documento este que nos faltava pra podermos ter o Alvará de construção da Subprefeitura de Parelheiros e Cetesb. PROJEÇÃO PARA 2014 Aguardar liberação do Alvará de Construção da Subprefeitura de Parelheiros e Parecer do Órgão da Cetesb ( que agora está responsável pelos documentos do DUSM e DPRN, para darmos continuidade a este trabalho que se faz tão necessário àquela região

10 CEI Arco-Íris Fundesp

11 INTRODUÇÃO É com grande satisfação que relataremos a seguir todo o trabalho que realizamos com muito empenho, responsabilidade e comprometimento de nossa equipe administrativa, equipe educacional, amigos voluntários e da nossa comunidade local no ano de 2013 em nosso CEI Arco Íris Fundesp. Ao elaborar esse documento busca destacar a função principal da entidade que é cuidar e educar. Solidifica desta forma, seu papel social e possibilita às crianças o sucesso educacional, preservando seu bem-estar físico, e estimulando seus aspectos cognitivo, emocional e social. Conseguimos ao findar desse ano alcançar os nossos objetivos observando o desenvolvimento social e cognitivo de nossas crianças, pois é para elas e por elas que este trabalho existe, pois vemos o ser humano (criança, adolescente, jovens, adultos e idosos) como um todo, buscando ajuda-lo a descobrir o seu potencial, a sua auto-estima, oferecendo novos valores e conceitos no seu contexto de vida. 10

12 PLANO DE TRABALHO DE 2013 Dados da Entidade Mantenedora Nome: FUNDESP FUNDAÇÃO ESPERANÇA CNPJ: / Endereço: Rua: Miguel de Araújo Barreto, 246 Bairro: Jardim Avelino - Município: São Paulo CEP: Telefone: / Fax: Identificação do Responsável Legal Nome: Presidente/Diretor: Sandra Lourenço dos Santos de Araújo RG.: SSP/SP Endereço: Rua Hemisfério, nº 587 Chácara Mafalda - SP CEP: Cidade: São Paulo Tel.: / Fax: Identificação do Técnico Responsável pelo Projeto Nome: Márcia Cristina Zanatta da Silva R.G.: Endereço: Rua: Capitão Claudio Coutinho, 76 CEP: Cidade: São Paulo Telefone: / Fax: Caracterização Sócio Econômica da Região Localização Município: São Paulo Região: Zona Leste Distrito: São Miguel Paulista Bairro: Cidade Nova São Miguel Modalidade de atendimento Rede Particular /Conveniada. 11

13 JUSTIFICATIVA A rapidez com que as mudanças ocorrem no mundo decorrente da globalização e das extraordinárias realizações no campo cientifico e tecnológico nos revela um quadro de múltiplos desafios. Estamos inseridos num novo modelo de sociedade onde somos impelidos, a todos instante a vivenciar crises de valores e ideologias políticas, sociais e culturais, ale, dos consequentes surgimentos de guerra, terrorismo e violências que assolam a humanidade. Dentro da nossa realidade conseguimos prestar assistência social, proporcionando princípios de cidadania, educacional, saúde e ambiental para população carente da região. Pensando na responsabilidade que temos diante da sociedade e dos indivíduos que estão sob os nossos cuidados é que elaboramos nossa proposta de ação educativa com a intenção de sermos e formarmos agentes de transformação visando ao bem-estar da sociedade. A Equipe do CEI trabalhou com a tentativa de minimizar a condição de abandono e risco social de muitas crianças, adolescentes e seus familiares. A nossa função aqui não é somente para dar assistência, mas para ensinarmos os pais junto às crianças e comunidade, a lutar pelos seus ideais e a conhecerem todos os seus direitos, bem como seus deveres. A região onde estamos desenvolvendo o projeto é bastante carente, o local de atendimento é próximo ao córrego São Miguel, Zona Leste, canalizado há alguns anos, onde havia sérios problemas habitacionais e conseqüentemente sociais. Os serviços públicos da região são os seguintes: Posto de saúde (Qualis São Miguel ); Hospital Municipal Tide Setúbal; Três escolas Estaduais (Ensino Fundamental e Médio); uma Municipal ( EMEF E EMEI ); duas CEIs da Prefeitura; Diretoria de Ensino ( Leste 2 ) recentemente inaugurado mais um cei da Rede Particular conveniada CEI Golfinho Dourado. Um corpo de Bombeiro e uma Delegacia de Policia; Fórum São Miguel; Posto da Guarda Civil Metropolitana; Sub-Prefeitura. A região dispõe de uma grande variedade de linhas de ônibus, e próximo da creche localiza-se o ponto final do ônibus Praça do Correio. Uma variedade também de comércio (Padaria, lojas, supermercados, bazares, açougue, feira e lan house). A comunidade ainda carece de lazer e cultura, temos a Casa de Cultura de São Miguel, mas não recebemos nenhuma divulgação mensal, das atividades desenvolvidas no local. Utilizamos como lazer o parque Chico Mendes, para passeios ao ar livre com nossos educando e educadoras. Objetivo geral O nosso objetivo geral teve os seguintes resultados: Á curto prazo: Conseguimos na medida do possível atender a grande maioria das crianças da demanda da nossa região; O trabalho de acolhimento e adaptação das crianças novas foi extremamente satisfatório para toda equipe educacional e pais. O trabalho de estimulação alimentícia com o projeto self service teve um resultado tão relevante com a utilização do balcão térmico na altura das crianças que continuaremos no ano de 2014, pois acreditamos que e facilita as mesmas à pegarem os alimentos, e a estimular a independência. Á médio prazo: Conseguimos realizar com satisfação o projeto intercâmbio na sede da Fundesp Fundação Esperança (Interação com o Cei Sementes da Videira) e realizamos o Curso de capacitação com o Educador Claudio Oliveira da CIA Padedê curso de contação de histórias e oficina de fantoches ; Passeio ao Zoológico de São Paulo, homenagem ao dia das mães, festa de Dia das Crianças com intercambio CEI sementes da Videira, Confraternizamos com as famílias Dia da família, apadrinhamento com papai Noel. Continuaremos em 2014 com esses objetivos relatados anteriormente, pois observamos a relevância desse trabalho, principalmente em saber que quanto mais envolvidos com os pais estivermos, mas entenderemos o contexto histórico de nossas crianças e com toda certeza poderemos aprimorar a nossa atuação como educadores e ofereceremos às crianças temas inovadores e maiores qualidades nas atividades lúdicas. 12

14 Tivemos uma aceitação e participação dos pais nos projetos e planos pedagógicos do CEI. Em relação a esse objetivo, tivemos resultados significativos, todos os pais se colocaram nas reuniões de Pais e Mestre, relatando que seus filhos estavam fazendo em casa os conceitos e valores que aprenderam na creche. A troca de experiências foi bastante significativa para ambas as partes. Os pais somente tiveram interesse pelas atividades pedagógicas desenvolvidas no CEI, quando foram estimulados visualmente pelas fotos das crianças em atividades pedagógicas expostas no quadro de aviso. Após analisarmos esse comportamento dos pais, percebemos que a partir daí, alguns se interessaram em participar da realização dos projetos e planos pedagógicos. Para 2014 continuaremos com a mesma ação pedagógica. Efeitos Conseguimos ao findar do ano verificar todo interesse dos pais para a participação do Plano de Trabalho e Projeto Pedagógico do CEI, proporcionando com isso, sugestões e opiniões e trocas de conhecimentos e informações comunidade família CEI. A reunião de pais e mestre foi um instrumento para avaliarmos os resultados do trabalho pedagógicos realizado com as crianças do CEI. E essa avaliação nos norteou para a elaboração do nosso Projeto Pedagógico O atendimento às crianças de zero a três anos, teve como objetivo primordial, atender as necessidades básicas de alimentação, saúde; interação sócio educativa, princípios de cidadania e cultura; interação com a família e comunidade, oferecendo cursos, palestras informativas, atividades culturais e festas beneficentes bimestrais. Nossa proposta metodológica tem como finalidade o desenvolvimento do educando como um todo, por meio, do desabrochar de vários aspectos da criança, inspirada nas Teorias de Jean Piaget, Vygostsky, Wallon, Paulo Freire, Luciana Ostetto e Emilia Ferrero, articulando com os Referenciais Curriculares Nacionais da Educação Infantil e Orientações Curriculares para as Expectativas de Aprendizagem da Educação Infantil. Com isso, cumprimos de maneira significativa as Leis e Diretrizes Nacionais da Educação Brasileiras, as Diretrizes Nacionais da Educação Infantil, Estatuto da Criança e Adolescente. Com a proposta de trabalho acima relatada, conseguimos adquirir por meio das trocas de experiências e avaliarmos o nosso papel de educadores, e com isso direcionamos os melhores caminhos visando o desenvolvimento das crianças com a plena participação dos pais e da comunidade, e esse envolvimento nos permitiu criarmos situações que ampliaram as possibilidades das crianças viverem a sua infância intensamente, atingindo suas necessidades e ampliando o universo cognoscível. Produtos As reuniões mensais da equipe de funcionários do Cei aconteceram mensalmente. As sugestões foram realizadas oralmente pela equipe e as avaliações foram através dos diários de classe, registros mensais, diários de campo, com todos da equipe para avaliarmos e democraticamente ouvir sugestões e elevar a qualidade do trabalho em equipe e com as crianças. Objetivos específicos 13

15 Usuários Foram atendidas em 2013 cento e sessenta crianças na faixa etária de 0 a 3 anos e 11 meses anos de ambos o sexo, independente de raça, cor ou credo religioso, política ou quaisquer outras formas de discriminação. Continuaremos respeitando a defesa dos direitos e o exercício da cidadania de crianças, e os adolescentes, adultos e idosos em situação de exclusão social, agindo na base familiar como plataforma para minimizar a desigualdade social. A demanda foi definida considerando principalmente as necessidades da população local, fundamentada no Estatuto da Criança e Adolescente, visaremos os casos de situação de risco pessoal e social da criança e incluiremos as crianças com deficiência e ou necessidades educacionais especiais (segundo a portaria Nº item disposições gerais). CONCLUSÃO PEDAGÓGICA 2013 Fins e Objetivos O CEI Arco Íris Fundesp proporcionou condições adequadas para promover o bem estar e o desenvolvimento da criança em seus aspectos físico, psicológico, cognitivo, lingüístico, moral, social e cultural, mediante a ampliação de suas experiências e o estímulo ao interesse pelo conhecimento do ser humano, da natureza e da sociedade. Construir uma proposta pedagógica para as crianças atendidas no CEI implica em conhecimento prévio da realidade em que estão inseridas e do meio social em que vivem. O CEI é um dos ambientes de desenvolvimento da criança, talvez o mais significativo. No entanto, ele não pode ser entendido como instituição substituta da família, mas como ambiente socializador diferente do familiar. Nela se dá o cuidado e a educação de crianças pequenas que aí vivem, convivem, exploram e conhecem, construindo uma visão de mundo e de si mesmas omo sujeitos de direitos. Toda ação psicopedagógica planejada no trabalho do CEI Arco Íris Fundesp, foi primeiramente enfatizado na nova Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, que relata: que a Educação Infantil tem por objetivo geral desenvolver as capacidades inatas da criança de zero a três anos e integrá-la no meio social em que vive. Sabemos que é na primeira infância que o indivíduo forma hábitos, valores, atitudes e constrói as bases de sua personalidade. Para esta faixa etária focamos a implantação das fortes bases afetivas, pois acreditamos que o desabrochar da inteligência se faz envolvida em profundas emoções, todas frutos da convivência do aluno com seu educador. A nossa linha metodológica se fundamenta nas Teorias de Jean Piaget, Vygostsky, Wallon, Paulo Freire, Luciana Ostetto e Emilia Ferrero, articulando com os Referenciais Curriculares Nacionais da Educação Infantil e Orientações Curriculares para as Expectativas de Aprendizagem da Educação Infantil. Com isso, cumprimos de maneira significativa as Leis e Diretrizes Nacionais da Educação Brasileiras, as Diretrizes Nacionais da Educação Infantil, Estatuto da Criança e Adolescente. Proposta Pedagógica O projeto político pedagógico foi elaborado pela unidade educacional, com a participação dos pais. Essa integração visa representar o cotidiano da ação educativa. Essas discussões foram através de reuniões com a direção do CEI e equipe técnica e nas reuniões de pais e mestre. Nessas reuniões foram apresentados os projetos pedagógicos, as diretrizes da Secretaria Municipal da Educação que explicam que: Ao tornar o conhecimento como possibilidade de exercício da liberdade e, portanto, da transformação do homem, da natureza e da sociedade, estão implicitamente concebendo que a educação constitui se em instrumento de sua construção e não de mera reprodução mecânica, baseado nessa frase da SME, estaremos reforçando o intercâmbio CEI família comunidade. Concepção de Educação Infantil da Unidade Escolar e de Crianças de 0 A 03 anos e 11 meses: Objetivos gerais: Realizamos um trabalho que desenvolveu especificamente o indivíduo de uma maneira integral, atendendo todas as faculdades do ser humano (mental, emocional, física e espiritual). O espiritual não no sentido religioso da palavra, mas sim, uma maneira de trabalhar com a criança o amor ao próximo. Desde muito cedo, a criança aprende o verdadeiro sentido do respeito ao outro e a natureza. E como nós trabalhamos com a base fundamental e com essa estimulação foi possível formarmos verdadeiras crianças cidadãs. 14

16 Considerando a Lei de Diretrizes e Bases /96 - e o Estatuto da Criança e do Adolescente, o CEI se propõe a um trabalho baseado nas diferenças individuais e na consideração das peculiaridades das crianças na faixa etária atendida pela Educação Infantil. Embora as crianças desenvolvam suas capacidades de maneira heterogênea, a educação tem por função criar condições para o desenvolvimento integral de todas as crianças, considerando, também, as possibilidades de aprendizagem que apresentam nas diferentes faixas etárias através de uma atuação que propicia o desenvolvimento de capacidades envolvendo aquelas de ordem física, afetiva, cognitiva, ética, de relação interpessoal e inserção social. A definição dos objetivos em termos de capacidades - e não de comportamentos - visa ampliar a possibilidade de concretização das intenções educativas, uma vez que as capacidades se expressam por meio de diversos comportamentos e as aprendizagens que convergem para ela podem ser de naturezas diversas. Ao estabelecer objetivos nesses termos, o educador amplia suas possibilidades de atendimento à diversidade apresentada pelas crianças, podendo considerar diferentes habilidades, interesses e maneiras de aprender no desenvolvimento de cada capacidade. Respeito à diversidade dos alunos é parte integrante da nossa proposta. Para que seja incorporada pelas crianças, a atitude de aceitação do outro em suas diferenças e particularidades precisa estar presente nos atos e atitudes dos adultos com os quais convivem no CEI. Começando pelas diferenças de temperamento, de habilidades e de conhecimentos, até as diferenças de gênero, de etnia e de credo religioso, o respeito a essa diversidade deve permear as relações cotidianas. É tarefa primordial do CEI a difusão de conteúdos. Não conteúdos abstratos, mas vivos e concretos, portanto, indissociáveis da realidade social. A condição para que o CEI sirva aos interesses sociais e garantir a todos um bom atendimento, isto é, a apropriação de experiências, atividades e conteúdos básicos que tenham ressonância na vida dos educandos. Concepção de Educação Infantil da Unidade Escolar e de Crianças de 0 A 3 anos e 11 meses: Objetivos gerais: Realizamos um trabalho que desenvolveu especificamente o indivíduo de uma maneira integral, atendendo todas as faculdades do ser humano (mental, emocional, física e espiritual). Objetivos específicos: As ações educativas do CEI Arco Íris Fundesp foram voltadas especificamente para o trabalho de psicomotricidade dentro das atividades lúdicas e coletividade com todos os agrupamentos de acordo com a nossa perspectiva metodológica. Desenvolvemos vários ambientes que foram trabalhados por módulos ou coletivos. Utilizamos um ambiente musical para estimularmos os sentidos e esquema corporal; Utilizamos a brinquedoteca, solário e parque, pois acreditamos que trabalhando com a psicomotricidade com atividades lúdicas utilizando os jogos simbólicos, jogos de regras e jogos de exercícios a criança na faixa etária trabalhada, desenvolve a memória, criatividade, regras, disciplina e etc. Trabalhamos com diversas atividades que busca desenvolver o pensamento crítico das nossas crianças. Tivemos um ambiente voltado para a arte, pois as crianças deram liberdade para todas as suas expressões, sejam elas positivas ou negativas no momento da construção de um objeto artístico seja através do desenho livre, direcionado, massa de modelar, pintura a dedo, produções de objetos de sucata, recorte e colagem de variados papéis e etc. Proporcionamos ambientes que estimularam a atividade de vida prática e diária das crianças, onde os educadores tiveram como objetivo principal reforçar a organização, cidadania, princípios básicos de alimentação (Projeto self service, foi realizado com as crianças do Mini Grupo I, II), higiene, e a autonomia com relação ao cuidado de si. Tivemos sala de T.V., vídeo, DVD,reto projetor, pois acreditamos que a criança necessita desse ambiente, pois através dos desenhos foi possível estimular a criatividade, concentração memória, fantasia e oferecer outras programações que não fazem parte do cotidiano da criança. Todas as salas tiveram o cantinho da leitura e o objetivo principal, foi estimularmos o encantamento das crianças viajarem pelos mais variados livros infantis e com isso desenvolvemos o comportamento e incentivamos na formação de futuro leitores. Independente do módulo que a criança esteja acreditamos que a atividade lúdica proporcionada pelos jogos, brinquedos e artes plásticas é essencial ao 15

17 desenvolvimento intelectual e psicológico da criança, pois incentiva a exercitar toda sua capacidade exploratória e investigativa natural, ajustada a seu desenvolvimento, assim como a elaborar seus sentimentos e emoções. Trabalhamos com diversas atividades que busca desenvolver o pensamento crítico das nossas crianças. Tivemos um ambiente voltado para a arte, pois as crianças deram liberdade para todas as suas expressões, sejam elas positivas ou negativas no momento da construção de um objeto artístico seja através do desenho livre, direcionado, massa de modelar, pintura a dedo, produções de objetos de sucata, recorte e colagem de variados papéis e etc. Proporcionamos ambientes que estimularam a atividade de vida prática e diária das crianças, onde os educadores tiveram como objetivo principal reforçar a organização, cidadania, princípios básicos de alimentação (Projeto self service, foi realizado com as crianças do Mini Grupo I, II), higiene, e a autonomia com relação ao cuidado de si. Tivemos sala de T.V., vídeo, DVD,reto projetor, pois acreditamos que a criança necessita desse ambiente, pois através dos desenhos foi possível estimular a criatividade, concentração memória, fantasia e oferecer outras programações que não fazem parte do cotidiano da criança. Todas as salas tiveram o cantinho da leitura e o objetivo principal, foi estimularmos o encantamento das crianças viajarem pelos mais variados livros infantis e com isso desenvolvemos o comportamento e incentivamos na formação de futuro leitores. Independente do módulo que a criança esteja acreditamos que a atividade lúdica proporcionada pelos jogos, brinquedos e artes plásticas é essencial ao desenvolvimento intelectual e psicológico da criança, pois incentiva a exercitar toda sua capacidade exploratória e investigativa natural, ajustada a seu desenvolvimento, assim como a elaborar seus sentimentos e emoções. As características da população a ser Atendida e da comunidade na qual se insere. O CEI Arco Íris Fundesp atendeu cento e sessenta crianças na faixa etária de 0 a 3 anos e 11 meses de ambos o sexo, independente de raça, cor ou credo religioso, política ou quaisquer outras formas de discriminação. Em defesa dos direitos e o exercício da cidadania de crianças, e os adolescentes, adultos e idosos em situação de exclusão social, agindo na base familiar como plataforma para minimizar a desigualdade social. A demanda foi definida considerando principalmente as necessidades da população local, visamos os casos de situação de risco pessoal e social da criança e incluímos as crianças com deficiência e/ou necessidades educacionais especiais (segundo a portaria nº 4053 item disposição gerais). Regime de funcionamento: Jornada mínima diária: 10 horas. Turnos e horários de funcionamento: O CEI Arco Íris Fundesp atende no horário: Entrada 7 horas e Saída: 17 horas, funcionando em período integral. Férias: Férias coletivas em Janeiro de Reuniões: Pais (sem suspensão de aulas bimestral), Reunião Pedagógica (com suspensão de aulas mensal toda a equipe de funcionários do CEI). Matrícula: A matrícula foi efetuada pelos pais e/ ou responsáveis conforme diretrizes e época fixada pela Secretaria Municipal de Educação. Parágrafo 1º: Encerrado o período de matrícula, caso remanesçam vagas ou ocorram desistências, deverão ser efetuadas novas matrículas, observada a ordem de demanda registrada, durante todo ano letivo. Parágrafo 2º: A equipe escolar do CEI Arco Íris Fundesp darão ampla divulgação do edital de matrícula, fixando o, não apenas nas entradas, mas também em outras dependências do CEI e em diversos locais de acesso à população. Parágrafo 3º: O CEI Arco Íris Fundesp deve assegurar a matrícula aos alunos portadores de necessidades especiais informando imediatamente a respectiva Delegacia Regional de Educação para o atendimento nos Centros Públicos de Apoio e Projetos. Parágrafo 4º: A concordância expressa dos pais ou responsável, com os termos do Regimento Escolar será condição para efetivação da matrícula. Avaliação: Entendemos a avaliação como um processo contínuo de obtenção de informações, análise e interpretação da ação educativa, visando ao aprimoramento do trabalho escolar. O plano de trabalho foi desenvolvido de acordo com as necessidades básicas apresentadas durante o ano letivo, utilizamos o calendário escolar e sempre que se fizer necessário o plano será avaliado. 16

18 Parágrafo único: Todos os participantes da ação educativa foram avaliados em momentos individuais e coletivos e através dos seus registros mensais e diários de campo. Freqüência: Orientamos aos pais que a freqüência diária da criança é prioridade. As faltas foram abonadas somente com justificativa médica ou mediante a declaração. Calendário: O CEI Arco Íris Fundesp elaborou o seu calendário, integrando o ao Projeto Pedagógico, a partir das diretrizes da Secretaria Municipal de Educação. Parágrafo único: Foram considerados dias de efetivo trabalho escolar as atividades do CEI Arco Íris Fundesp, prevista no Projeto Pedagógico, de participação obrigatória para o aluno e orientada por profissionais habilitados. O CEI Arco Íris Fundesp definiu no seu calendário escolar reuniões para análise e o acompanhamento do processo educativo. Projetos realizados em 2013 Aprendizagens Promovidas na Educação Infantil Campos de experiências abordados: Voltadas ao conhecimento e cuidado de si, do outro e do ambiente: Refeições Café da manhã Colação Almoço Lanche Jantar Atividades de Higiene pessoal Escovação de dentes Higienização de rosto e mãos Micção e evacuação Cuidado e asseio pessoal (pentear se, vestir se...) Descanso e sono Atividade de cuidado com espaço Atividades de cuidado de materiais Roda de conversa (saber de si) Brincar e Imaginar Faz de conta coletivo; Cantos de faz de conta; Cantos de atividades diversificadas; Brincadeiras de tradição oral; Jogos de regras; Brincadeiras diversificadas (escolhidas pelas crianças) De exploração da Linguagem Corporal: Jogos de exercícios (circuito); Jogos de regras corporais; Jogos de exercícios com materiais; Brincadeira de tradição oral; Dança convencional; Danças do acervo cultural; Outras práticas do acervo cultural (circo, capoeira e etc.) De exploração da linguagem verbal; Roda de conversa; Roda de leitura; Roda de histórias (contar); Manuseio de livros; Saraus literários; Chamada; Biblioteca. Com a expressividade da linguagem musical: Apreciação (escuta sonora); Produção sonora Cantoria (repertório cultural); Improvisação musical Construção de instrumentos Da exploração da linguagem teatral: Apreciação teatral; Produção teatral. De exploração da natureza e cultura: Momento de investigação da natureza e da cultura (observação, pesquisa, análise, experimentação, levantamento de hipóteses); Jardinagem; Culinária. De apropriação do conhecimento matemático: Contagem; Calendário; Jogos; Roda de desafios. Orientações Curriculares: Expectativas de Aprendizagem e Orientações Didáticas para Educação Infantil Prefeitura do Município de São Paulo: Diretoria de Orientação Técnica

19 Desenvolvimento Psicomotor Algumas importantes diretrizes da educação infantil: 1. Todas as atividades propostas às crianças propiciaram o desenvolvimento integrado de aspectos motores, intelectuais, sociais e emocionais, fazendo com que elas exercitem todo seu corpo em atividades que lhes proporcionem também alegria e prazer; 2. O brincar e a ludicidade foram componentes obrigatórios; 3. As atividades psicomotoras ofereceram estímulos ao desenvolvimento das percepções e de habilidades motoras e intelectuais da criança, permitindo a livre expressão de seu pensamento, em lugar de cópias de trabalho do adulto, pois assim a criança estará também desenvolvendo atitudes de iniciativa, responsabilidade, direção da própria atividade, criatividade, auto-conhecimento e segurança. Algumas atividades que estimularam o desenvolvimento psicomotor: a) Aproximação e estimulação da leitura; b) Estimulação da linguagem e pensamento; c) Estimulação da expressão corporal e do ritmo; d) Estimulação da coordenação motora global; e) Estimulação da coordenação viso motora - manual; f) Estimulação da percepção auditiva; g) Estimulação da discriminação visual; h) Estimulação da memória; i) Estimulação do raciocínio lógico. Continuaremos com as atividades que envolvem a CEI comunidade família, pois os resultados em 2013 foram satisfatórios. 18

20 A Organização do cotidiano de trabalho junto às crianças PERÍODO CONTEÚDO ATIVIDADES ENVOLVIDOS Janeiro 02/01/2013 ao dia 31/01/2013 Férias Coletivas Funcionários Fevereiro 18 dias Março 20 dias Abril 22 dias Maio 21 dias Junho 20 dias Julho 23 dias Agosto 22 dias 01 Limpeza da Caixa d água e Dedetização 01 Parada Pedagógica. 04 Reunião de Pais e Mestre. 04 à 28 Plano de Acolhimento 12 Feriado 28 Festa dos Aniversariantes de Janeiro e Fevereiro 01 Parada Pedagógica 28 Festa dos Aniversariantes de Março 29 Feriado 26 Parada Pedagógica 30 Festa dos aniversariantes do mês de Abril 01 Feriado 10 Comemoração do dia das Mães; 24 Parada Pedagógica 29 Festa dos aniversariantes do mês de Maio 30 Feriado 03 à 06 Reunião de Pais e Mestre 27 Festa dos aniversariantes do mês de Junho 28 Parada Pedagógica 26 Parada Pedagógica 31 Festa dos aniversariantes do mês de Julho 02 Limpeza da Caixa d Água e Dedetização 09 Comemoração do dia dos Pais 29 Festa de Aniversariantes do mês de Agosto 30 Parada Pedagógica Afetividade / Adaptação / Readaptação. Planejamento e Avaliação das Ações Pedagógicas. Tema: Fantasias Criativas Tema: Símbolos da Páscoa Tema: Comemoração do dia do Livro Tema: Mães e suas diversas profissões. Tema: Festa Junina Tema: Brincando nas Férias. Tema: Fábulas de Esopo. Crianças, funcionários e família. Crianças, funcionários e equipe Fundesp (Intercâmbio Sede Entidade) Crianças e funcionários (Intercâmbio Sementes da Videira). Crianças, família e funcionários (Intercâmbio Arco Íris Fundesp). Crianças, família e funcionários (Intercâmbio Sementes da Videira). Crianças e funcionários (Intercâmbio Arco Íris Fundesp) Crianças, família e funcionários (Intercâmbio Sementes da Videira). Setembro 21 dias Outubro 21 dias Novembro 19 dias Dezembro 20 dias 09 à 12 Reunião de Pais e Mestre 26 Festa dos Aniversariantes do mês de Setembro 27 Parada Pedagógica 11 Café da manhã das crianças com festa dos aniversariantes do mês de Outubro 25 Parada Pedagógica (Intercâmbio Sementes da Videira) 15 Feriado 20 Feriado 22 às 27 Reunião de Pais e Mestre 28 Festa dos Aniversariantes do Mês de Novembro 29 Parada Pedagógica 09 à 12 Confraternização dos módulos 13 Apadrinhamento Parada Pedagógica 23 Ceia de Natal Tema: Dia do Trânsito Tema: Crianças nas diversas Etnias Tema: Dia da Música Tema: Princípios do Natal Crianças, família e funcionários (Intercâmbio Sementes da Videira). Crianças e funcionários (Intercâmbio Sementes da Videira). Crianças, família, funcionários e equipe da Fundesp (Intercâmbio Sede da Entidade). Crianças, funcionários, família e padrinhos. Total de dias letivos 227 Observação: Esses horários foram flexíveis as mudanças aconteceram segundo a decisão da direção. 19

HISTÓRICO MISSÃO. Meta

HISTÓRICO MISSÃO. Meta RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011 HISTÓRICO A FUNDESP Fundação Esperança, é uma organização sem fins lucrativos, que desenvolve projetos sociais e educacionais, criando condições e oportunidades de desenvolvimento,

Leia mais

1. Centro para a Juventude. 199 jovens frequentaram os cursos de:

1. Centro para a Juventude. 199 jovens frequentaram os cursos de: Relatório Despertar 2014 2 Apoiada na crença de que é possível contribuir para o desenvolvimento humano na totalidade dos seus potenciais, a Associação Comunitária Despertar, realiza anualmente ações que

Leia mais

Relat a óri r o Despert r ar r 2 013

Relat a óri r o Despert r ar r 2 013 Relatório Despertar 2013 2 Apoiada na crença de que é possível contribuir para o desenvolvimento humano na totalidade dos seus potenciais, a Associação Comunitária Despertar, realiza anualmente ações que

Leia mais

Núcleo de Educação Infantil Solarium

Núcleo de Educação Infantil Solarium 0 APRESENTAÇÃO A escola Solarium propõe um projeto de Educação Infantil diferenciado que não abre mão do espaço livre para a brincadeira onde a criança pode ser criança, em ambiente saudável e afetivo

Leia mais

SERVIÇOS DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS SCFV

SERVIÇOS DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS SCFV SERVIÇOS DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS SCFV SOCIOASSISTENCIAL X SOCIOEDUCATIVO SOCIOASSISTENCIAL apoio efetivo prestado a família, através da inclusão em programas de transferência de renda

Leia mais

TRANSPARÊNCIA INSTITUCIONAL PROJETO BOA SEMENTE OFICINA SEMEANDO MOVIMENTO

TRANSPARÊNCIA INSTITUCIONAL PROJETO BOA SEMENTE OFICINA SEMEANDO MOVIMENTO TRANSPARÊNCIA INSTITUCIONAL PROJETO BOA SEMENTE OFICINA SEMEANDO MOVIMENTO O Orfanato Evangélico, através do Projeto Boa Semente, desenvolveu atividades direcionadas as crianças de 1 mês a 1 ano de idade,

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA INTRODUÇÃO

RELATO DE EXPERIÊNCIA INTRODUÇÃO RELATO DE EXPERIÊNCIA INTRODUÇÃO Na EEMASA - Escola Estadual Maria Augusta Silva Araújo, antes do início do ano letivo, professores, coordenação pedagógica e direção da escola definem coletivamente, em

Leia mais

VISÃO: ser referência na comunidade na área de educação Infantil

VISÃO: ser referência na comunidade na área de educação Infantil VISÃO: ser referência na comunidade na área de educação Infantil NOSSA MISSÃO: Por meio da educação formar cidadãos felizes, independentes, éticos e solidários VALORES: Respeito, honestidade, boa moral

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 003/99 RESOLVE: CAPÍTULO I DA EDUCAÇÃO INFANTIL

RESOLUÇÃO Nº 003/99 RESOLVE: CAPÍTULO I DA EDUCAÇÃO INFANTIL RESOLUÇÃO Nº 003/99 Fixa normas para a Educação Infantil no âmbito do Sistema Municipal de Educação de São José. O PRESIDENTE DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE SÃO JOSÉ no uso de suas atribuições, de

Leia mais

PLANO DE TRABALHO 2008

PLANO DE TRABALHO 2008 PLANO DE TRABALHO 2008 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1.1. NOME DA ENTIDADE: Casa de Nazaré Centro de Apoio ao Menor 1.2. Endereço: Rua Coronel Timóteo nº 350 1.3. Bairro: Cristal 1.4. Região CORAS: 05 1.5.

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL DE MATERNAL I

PLANEJAMENTO ANUAL DE MATERNAL I COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PLANEJAMENTO ANUAL DE MATERNAL I SÉRIE: EDUCAÇÃO INFANTIL MATERNAL

Leia mais

Resolução SME N 24/2010

Resolução SME N 24/2010 Resolução SME N 24/2010 Dispõe sobre orientações das rotinas na Educação Infantil, em escolas e classes de período integral da rede municipal e conveniada, anexos I e II desta Resolução, com base no Parecer

Leia mais

Capítulo I Da Educação Infantil

Capítulo I Da Educação Infantil RESOLUÇÃO Nº 443, de 29 de maio de 2001 Dispõe sobre a Educação Infantil no Sistema Estadual de Ensino de Minas Gerais e dá outras providências. O Presidente do Conselho Estadual de Educação, no uso das

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Centro Educativo Passionista Maria José

Mostra de Projetos 2011. Centro Educativo Passionista Maria José Mostra de Projetos 2011 Centro Educativo Passionista Maria José Mostra Local de: Piraquara Categoria do projeto: I - Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa: Associação

Leia mais

ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE INCLUSIVA EM CURITIBA. Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura Municipal de Curitiba

ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE INCLUSIVA EM CURITIBA. Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura Municipal de Curitiba ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE EDUCACAO INFANTIL INCLUSIVA EM CURITIBA VEJA COMO SUA EMPRESA PODE TRANSFORMAR ESTA IDEIA EM REALIDADE { Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL

DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FNDE PROINFÂNCIA BAHIA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA - UFBA FACULDADE DE EDUCAÇÃO - FACED DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA A

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE MIRASSOL D OESTE Secretaria de Administração, Planejamento e Coordenação Geral Coordenadoria Administrativa

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE MIRASSOL D OESTE Secretaria de Administração, Planejamento e Coordenação Geral Coordenadoria Administrativa LEI Nº 950 DE 10 DE FEVEREIRO DE 2010 AUTORIZA O PODER EXECUTIVO MUNICIPAL A CONTRATAR PESSOAL PARA ATENDIMENTO AOS PROGRAMAS PETI, API, PROJOVEM E BOLSA FAMILIA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A CÂMARA MUNICIPAL

Leia mais

2. APRESENTAÇÃO DA ENTIDADE

2. APRESENTAÇÃO DA ENTIDADE 1. APRESENTAÇÃO DO PROJETO Resumo executivo: O presente projeto solicita ao CMDCA recursos financeiros para aportar custos de manutenção da Aldeias Infantis SOS - Porto Alegre, cujo o foco do trabalho

Leia mais

Solicitação de Inclusão no Banco de Projetos

Solicitação de Inclusão no Banco de Projetos Solicitação de Inclusão no Banco de Projetos 1 IDENTIFICAÇÃO Abrangência do Projeto: ( ) Estadual ( ) Regional (x) Intermunicipal (no mínimo três municípios): Piraquara, Pinhais e Quatro Barras 1.1 Dados

Leia mais

PROJETO BRINQUEDOTECA: BRINCANDO E APRENDENDO

PROJETO BRINQUEDOTECA: BRINCANDO E APRENDENDO INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE FLORESTA ISEF PROJETO BRINQUEDOTECA: BRINCANDO E APRENDENDO FLORESTA PE 2013 SUMÁRIO I. JUSTIFICATIVA II. OBJETIVO A. GERAIS B. ESPECIFICOS III. DESENVOLVIMENTO IV. CRONOGRAMA

Leia mais

3 a 5. 6 a 10. 11 a 14. Faixa Etária Prevista. Etapa de Ensino. Duração. Educação Infantil. anos. Ensino Fundamental: Anos Iniciais. 5 anos.

3 a 5. 6 a 10. 11 a 14. Faixa Etária Prevista. Etapa de Ensino. Duração. Educação Infantil. anos. Ensino Fundamental: Anos Iniciais. 5 anos. Etapa de Ensino Faixa Etária Prevista Duração Educação Infantil 3 a 5 anos Ensino Fundamental: Anos Iniciais 6 a 10 anos 5 anos Ensino Fundamental: Anos Finais 11 a 14 anos 4 anos EDUCAÇÃO INFANTIL EDUCAÇÃO

Leia mais

Sociedade Benfeitora Jaguaré

Sociedade Benfeitora Jaguaré 0 Rua Floresto Bandecchi, Jaguaré São Paulo / SP CEP 0-00 CNPJ:..9/000-0 ().0 -.0 - www.benfeitorajaguare.org.br - E-mail: midias.benfeitora@gmail.com 0 SUMÁRIO. Identificação.... Justificativa.... Missão....

Leia mais

Asilo São Vicente de Paulo

Asilo São Vicente de Paulo Asilo São Vicente de Paulo O Asilo São Vicente de Paulo promove a qualidade de vida e o resgate à dignidade da pessoa idosa. Atualmente é responsável pela garantia dos direitos fundamentais de 150 idosas.

Leia mais

Conforme REGIMENTO ESCOLAR, seguem informações importantes para o ano letivo 2015.

Conforme REGIMENTO ESCOLAR, seguem informações importantes para o ano letivo 2015. INFORMATIVO ESCOLAR Conforme REGIMENTO ESCOLAR, seguem informações importantes para o ano letivo 2015. PROFISSIONAIS EXPERIENTES Contamos com uma equipe de profissionais capacitados e qualificados para

Leia mais

Projeto: Teatro Infantil

Projeto: Teatro Infantil Cooperativa de Ensino e Cultura de Santa Rita Projeto: Teatro Infantil O teatro é a poesia que sai do livro e se faz humana. (Frederico Garcia Lorca) 1 Unidade Executora: Coordenação Pedagógica, Grupo

Leia mais

PROPOSTA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL

PROPOSTA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL PROPOSTA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL Coordenadora: Sheila Kaltenbacher Arantes A Educação Infantil do Instituto Educacional Jaime Kratz propiciará ao seu(sua) filho(a) situações de cuidados, brincadeiras

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Programas Espaço de Convivência da Melhor Idade e LBV Criança: Futuro no Presente!

Mostra de Projetos 2011. Programas Espaço de Convivência da Melhor Idade e LBV Criança: Futuro no Presente! Mostra de Projetos 2011 Programas Espaço de Convivência da Melhor Idade e LBV Criança: Futuro no Presente! Mostra Local de: Londrina. Categoria do projeto: Projetos em implantação, com resultados parciais.

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO. Espírita. ENDEREÇO: Rua Joaquim Pires de Miranda SN Vila Grimpas Hidrolândia-GO. CEP: 75340-000.

IDENTIFICAÇÃO. Espírita. ENDEREÇO: Rua Joaquim Pires de Miranda SN Vila Grimpas Hidrolândia-GO. CEP: 75340-000. IDENTIFICAÇÃO INSTITUIÇÃO PROPONENTE: PROJETO CRESCER CHICO XAVIER - Obra Social do Centro Espírita Eurípedes Barsanulfo CNPJ: 26 943 563/0001-07 ENDEREÇO: Rua Joaquim Pires de Miranda SN Vila Grimpas

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE VÁRZEA GRANDE CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO. Resolução nº 021 de 10 de junho de 2009.

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE VÁRZEA GRANDE CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO. Resolução nº 021 de 10 de junho de 2009. Resolução nº 021 de 10 de junho de 2009. Fixa normas para Educação Infantil no âmbito do Sistema Municipal de Ensino do Município de Várzea Grande Estado de Mato Grosso O Conselho Municipal de Educação

Leia mais

PLANO DE ATENDIMENTO 2015

PLANO DE ATENDIMENTO 2015 PLANO DE ATENDIMENTO 2015 IDENTIDADE DO INSTITUTO MADRE PAULA ELIZABETE CERIOLI 1.1 - DA ENTIDADE SOCIAL Nome: INSTITUTO MADRE PAULA ELIZABETE CERIOLI Endereço: CEP: 06653-020 Tel: (011) 4141-2017 Bairro:

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE PEDAGOGIA, Licenciatura REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das disposições gerais O presente documento

Leia mais

IMPORTÂNCIA DOS CENTROS DE EDUCAÇÃO INFANTIL E SUA FUNÇÃO EDUCATIVA

IMPORTÂNCIA DOS CENTROS DE EDUCAÇÃO INFANTIL E SUA FUNÇÃO EDUCATIVA IMPORTÂNCIA DOS CENTROS DE EDUCAÇÃO INFANTIL E SUA FUNÇÃO EDUCATIVA Thaylisa Almeida Franco 1 Sandra Aparecida Machado Polon 2 RESUMO: Este artigo é resultado do Estágio Supervisionado na Educação Infantil.

Leia mais

NOME DO SERVIÇO: SERVIÇO DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS.

NOME DO SERVIÇO: SERVIÇO DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS. NOME DO SERVIÇO: SERVIÇO DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS. DESCRIÇÃO GERAL: Serviço realizado em grupos, organizado a partir de percursos, de modo a garantir aquisições progressivas aos seus

Leia mais

]ÉÜÇtÄ wt XávÉÄt. Nossas ações durante o ano de 2013. Informativo Anual das ações da ESCOLA MUNICIPAL DR. ANTÔNIO RIBEIRO. Leitura livre.

]ÉÜÇtÄ wt XávÉÄt. Nossas ações durante o ano de 2013. Informativo Anual das ações da ESCOLA MUNICIPAL DR. ANTÔNIO RIBEIRO. Leitura livre. ]ÉÜÇtÄ wt XávÉÄt Informativo Anual das ações da ESCOLA MUNICIPAL DR. ANTÔNIO RIBEIRO. ANO 2013-1ª EDIÇÃO A equipe gestora está sempre preocupada com o desempenho dos alunos e dos educadores, evidenciando

Leia mais

PROJETO CRIASOM. 1.2 -Histórico (Como, Onde e Porque Surgiu)

PROJETO CRIASOM. 1.2 -Histórico (Como, Onde e Porque Surgiu) PROJETO CRIASOM 1. DADOS SOBRE A INSTITUIÇÃO 1.1 - Dados Gerais Nome: Mosteiro São Geraldo de São Paulo CNPJ: 61697678/0001-60 Telefone: (11) 2244-1803 Fax: (11) 3744-6835 E-mail: msoh@csasp.g12.com Site:

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA, Câmpus Santa Rosa

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA, Câmpus Santa Rosa SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA, Câmpus Santa Rosa EDITAL Nº 23, de 29 de maio de 2015. EDITAL DE DIVULGAÇÃO DO CURSO DE FORMAÇÃO

Leia mais

20 anos promovendo a vida! RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2007

20 anos promovendo a vida! RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2007 20 anos promovendo a vida! RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2007 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1.1. NOME DA ENTIDADE: Casa de Nazaré Centro de Apoio ao Menor 1.2. Endereço: Rua Coronel Timóteo nº 350 1.3. Bairro: Cristal

Leia mais

O BRINCAR, A BRINCADEIRA, O JOGO, A ATIVIDADE LÚDICA E A PROPOSTA PEDAGÓGICA PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL

O BRINCAR, A BRINCADEIRA, O JOGO, A ATIVIDADE LÚDICA E A PROPOSTA PEDAGÓGICA PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL O BRINCAR, A BRINCADEIRA, O JOGO, A ATIVIDADE LÚDICA E A PROPOSTA PEDAGÓGICA PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL Josiane Lima Zanata (Seduc) josianezanata@hotmail.com Ivani Souza Mello (UFMT) ivanimello1@hotmail.com

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES PLANO DE GOVERNO 2009 / 2012 EDUCAÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES PLANO DE GOVERNO 2009 / 2012 EDUCAÇÃO PREFEITURA MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES PLANO DE GOVERNO 2009 / 2012 EDUCAÇÃO O que buscamos Proporcionar educação com qualidade social para todas as crianças. Erradicar o analfabetismo, ampliar o nível

Leia mais

ANEXO I PLANO DE TRABALHO (ORÇAMENTO BÁSICO) PREFEITURA MUNICIPAL DE IPAUMIRIM/CE SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

ANEXO I PLANO DE TRABALHO (ORÇAMENTO BÁSICO) PREFEITURA MUNICIPAL DE IPAUMIRIM/CE SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO ANEXO I PLANO DE TRABALHO (ORÇAMENTO BÁSICO) PREFEITURA MUNICIPAL DE IPAUMIRIM/CE SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS DAS CRECHES E DA EDUCAÇÃO INFANTIL INTRODUÇÃO Conforme garante

Leia mais

1) Socorro e Desastre Itaóca

1) Socorro e Desastre Itaóca 1) Socorro e Desastre Itaóca A Cruz Vermelha Brasileira Filial do Estado de São Paulo deslocou um grupo de voluntários para prestar ajuda aos moradores da cidade de Itaóca, localizada no interior do estado,

Leia mais

PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE

PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE Sérgio Dal-Ri Moreira Pontifícia Universidade Católica do Paraná Palavras-chave: Educação Física, Educação, Escola,

Leia mais

Relatório de Atividades

Relatório de Atividades 1 Relatório de Atividades 2013 2 1- Identificação Grupo de Pesquisa e Assistência ao Câncer Infantil (GPACI) Rua Antônio Miguel Pereira, 45 Jardim Faculdade Sorocaba São Paulo CEP: 18030-250 Telefone:

Leia mais

C M D C A CONSELHO MUNICIPAL DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

C M D C A CONSELHO MUNICIPAL DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE C M D C A CONSELHO MUNICIPAL DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE RUA CONSELHEIRO ZACARIAS N 58 CENTRO TELEFONE 075 3641-8630 PROJETO ESCOLINHA DE FUTEBOL E KARATÈ ESPORTE CIDADÃO JUVENIL IDENTIFICAÇÃO: DENOMINAÇÃO

Leia mais

1.3. Do Diretor responsável pelo projeto da Escola de Educação Infantil Madre Paula

1.3. Do Diretor responsável pelo projeto da Escola de Educação Infantil Madre Paula RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2014 1- IDENTIDADE DO INSTITUTO MADRE PAULA ELIZABETE CERIOLI 1.1 - Da Entidade Social Nome: INSTITUTO MADRE PAULA ELIZABETE CERIOLI Endereço: CEP: 06653-020 Tel: (011) 4141-2017

Leia mais

PROJETO BOQUINHA ALEGRE

PROJETO BOQUINHA ALEGRE PROJETO BOQUINHA ALEGRE IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO A instituição Casas Lares Humberto de Campos é uma entidade, na modalidade de associação, sem fins lucrativos, mantida pelo Grupo Educacional e Assistencial

Leia mais

Educação Integral, Escola de Tempo Integral e Aluno em Tempo Integral na Escola.

Educação Integral, Escola de Tempo Integral e Aluno em Tempo Integral na Escola. Educação Integral, Escola de Tempo Integral e Aluno em Tempo Integral na Escola. Chico Poli Algumas vezes, fora da escola há até mais formação do que na própria escola. (M. G. Arroyo) É preciso toda uma

Leia mais

EMEI PROFº ANTONIO CARLOS PACHECO E SILVA PROJETO PEDAGÓGICO 2012 BRINCAR NÃO É BRINCADEIRA...

EMEI PROFº ANTONIO CARLOS PACHECO E SILVA PROJETO PEDAGÓGICO 2012 BRINCAR NÃO É BRINCADEIRA... EMEI PROFº ANTONIO CARLOS PACHECO E SILVA PROJETO PEDAGÓGICO 2012 BRINCAR NÃO É BRINCADEIRA... JUSTIFICATIVA Desde o nascimento a criança está imersa em um contexto social, que a identifica enquanto ser

Leia mais

BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL

BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL 1988 CONSTITUIÇÃO FEDERAL ANTECEDENTES Art. 210. Serão fixados conteúdos mínimos para o ensino fundamental, de maneira a assegurar formação básica comum

Leia mais

Coordenadoras: Enalva de Santana Santos e Márcia Soares Ramos Alves

Coordenadoras: Enalva de Santana Santos e Márcia Soares Ramos Alves TEMA : BRINCANDO E APRENDENDO NA ESCOLA Coordenadoras: Enalva de Santana Santos e Márcia Soares Ramos Alves Autora: Prof a Cássia de Fátima da S. Souza PÚBLICO ALVO Alunos de 04 anos TEMA: BRINCANDO E

Leia mais

Fraternidade Espírita. Protótipo de projeto em fase final de

Fraternidade Espírita. Protótipo de projeto em fase final de Projeto Protótipo de projeto em fase final de elaboração 1 2 PROPOSTA SÓCIO-EDUCATIVA PROGRAMA DE SOCIALIZAÇÃO INFANTO-JUVENIL Projeto Crianças de Luz 1) Dados Cadastrais: Fraternidade Espírita Lar de

Leia mais

História. ADAV: Associação para o Desenvolvimento e a Assistência de Talentos e Vocações

História. ADAV: Associação para o Desenvolvimento e a Assistência de Talentos e Vocações História ADAV: Associação para o Desenvolvimento e a Assistência de Talentos e Vocações Em 1929, convidada a dirigir um dos primeiros laboratórios de psicologia de Minas Gerais, ligado à Escola de Aperfeiçoamento

Leia mais

MANUAL DO VOLUNTÁRIO. Ajudar uma criança é tornar o mundo melhor.

MANUAL DO VOLUNTÁRIO. Ajudar uma criança é tornar o mundo melhor. MANUAL DO VOLUNTÁRIO Ajudar uma criança é tornar o mundo melhor. Apresentação No decorrer do ano de 2010, muitas mudanças estruturais ocorreram na Casa do Bom Menino. Podemos colher alguns frutos positivos

Leia mais

CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Claudia Maria da Cruz Consultora Educacional FEVEREIRO/2015 CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL A ênfase na operacionalização escrita dos documentos curriculares municipais é

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA RESOLUÇÃO Nº 5, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2009 (*)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA RESOLUÇÃO Nº 5, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2009 (*) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA RESOLUÇÃO Nº 5, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2009 (*) Fixa as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil O Presidente

Leia mais

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades;

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades; INFANTIL I OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Desenvolver uma imagem positiva de si, atuando de forma cada vez mais independente, com a confiança em suas capacidades e percepção de suas limitações:

Leia mais

RESOLUÇÃO N 276/ 2000-CEE/MT.

RESOLUÇÃO N 276/ 2000-CEE/MT. RESOLUÇÃO N 276/ 2000-CEE/MT. Fixa normas para a oferta da Educação Infantil no Sistema Estadual de Ensino. O CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO, no uso de suas atribuições legais, em consonância

Leia mais

I - FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

I - FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA I - FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA O Colégio Ceom, fundamenta seu trabalho educacional na área da Educação Infantil, Ensino Fundamental I, Fundamental II e Ensino Médio, a partir das teorias de Jean Piaget e Emília

Leia mais

Como é a criança de 4 a 6 anos

Como é a criança de 4 a 6 anos de 4 a 6 anos Como é a criança Brinque: lendo histórias, cantando e desenhando. A criança se comunica usando frases completas para dizer o que deseja e sente, dar opiniões, escolher o que quer. A criança

Leia mais

IV EDIPE Encontro Estadual de Didática e Prática de Ensino 2011 A IMPORTÂNCIA DAS ARTES NA FORMAÇÃO DAS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL

IV EDIPE Encontro Estadual de Didática e Prática de Ensino 2011 A IMPORTÂNCIA DAS ARTES NA FORMAÇÃO DAS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL A IMPORTÂNCIA DAS ARTES NA FORMAÇÃO DAS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Marília Darc Cardoso Cabral e Silva 1 Tatiane Pereira da Silva 2 RESUMO Sendo a arte uma forma do ser humano expressar seus sentimentos,

Leia mais

1) Projeto Mais Saúde - Mutirões de Saúde

1) Projeto Mais Saúde - Mutirões de Saúde 1) Projeto Mais Saúde - Mutirões de Saúde A Cruz Vermelha Brasileira Filial do Estado de São Paulo, cumprindo sua missão de prevenir e atenuar o sofrimento humano, promove ações voltadas à população vulnerável

Leia mais

PARA QUE TENHAM VIDA

PARA QUE TENHAM VIDA PARA QUE TENHAM VIDA NOSSA EXPERIÊNCIA SOCIOEDUCATIVA Nossa Missão - A Obra Auxiliar da Santa Cruz tem como missão promover o desenvolvimento das crianças, adolescentes e suas famílias para que possam

Leia mais

Arte e Cultura na Escola

Arte e Cultura na Escola SECRETARIA NACIONAL DE ASSUNTOS INSTITUCIONAIS SNAI DIRETÓRIO NACIONAL DO PT Arte e Cultura na Escola GESTÃO: MUNICÍPIO: 2001-2004 IMPERATRIZ PREFEITO: Jomar Fernandes Perereira Filho ÓRGÃO RESPONSÁVEL:

Leia mais

EDUCAÇÃO INFANTIL. www.dombosco.sebsa.com.br/colegio

EDUCAÇÃO INFANTIL. www.dombosco.sebsa.com.br/colegio EDUCAÇÃO INFANTIL www.dombosco.sebsa.com.br/colegio ESTRUTURA Cantina As crianças da Educação Infantil ainda não lidam com dinheiro. Quando optam pelo lanche da cantina (exceto para o Centro de Educação

Leia mais

MÚSICA E CONSTRUÇÃO DE INSTRUMENTOS MUSICAIS NA EDUCAÇÃO INFANTIL 1

MÚSICA E CONSTRUÇÃO DE INSTRUMENTOS MUSICAIS NA EDUCAÇÃO INFANTIL 1 MÚSICA E CONSTRUÇÃO DE INSTRUMENTOS MUSICAIS NA EDUCAÇÃO INFANTIL 1 Autora: Juliete Soares de Albuquerque Graduanda do Curso de Pedagogia Unidade Acadêmica de Educação/CFP/UFCG Co-autora: Geruslandia Almeida

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO

CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO Despacho 2007 Nº PROJETO DE LEI Nº 1099/2007 Considera de utilidade pública o Grupo de Formadores de Educadores Populares GEFEP. Autor: Vereador Eliomar Coelho. DECRETA: A Câmara Municipal do Rio de Janeiro

Leia mais

DINÂMICA DE FUNCIONAMENTO: Horário matutino: de 5º ao 9 º ano do Ensino Fundamental.

DINÂMICA DE FUNCIONAMENTO: Horário matutino: de 5º ao 9 º ano do Ensino Fundamental. NÍVEIS E MODALIDADES DE ENSINO: EDUCAÇÃO INFANTIL: Maternal III: 3-4 anos 1º Período: 4-5 anos 2º Período: 5-6 anos ENSINO FUNDAMENTAL: Novatos: 1º ano matrícula com 6 anos completos (até 31 de março)

Leia mais

1) Campanha do Agasalho

1) Campanha do Agasalho Junho 2014 1) Campanha do Agasalho Todo ano a Cruz Vermelha de São Paulo realiza a Campanha do Agasalho para ajudar comunidades carentes a enfrentar o frio do inverno em nossa região. Em 2014, os locais

Leia mais

15º FÓRUM NACIONAL DA UNDIME. Política Nacional de Educação Infantil. Mata de São João/BA Junho/2015. Secretaria de Educação Básica

15º FÓRUM NACIONAL DA UNDIME. Política Nacional de Educação Infantil. Mata de São João/BA Junho/2015. Secretaria de Educação Básica 15º FÓRUM NACIONAL DA UNDIME Política Nacional de Educação Infantil Mata de São João/BA Junho/2015 Secretaria de Educação Básica CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO INFANTIL É direito dos trabalhadores urbanos e rurais

Leia mais

ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA MICAEL PROJETO ENSINANÇAS

ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA MICAEL PROJETO ENSINANÇAS PROJEKT ENSINANÇAS ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA MICAEL HISTÓRICO Constituída no dia 25 de abril de 2000, como uma entidade civil de caráter filantrópico e sem fins econômicos, a Associação Comunitária Micael

Leia mais

Srs. Pais, A direção.

Srs. Pais, A direção. Srs. Pais, Para o Centro de Educação Básica Prof. Luciano Feijão, educar é mais do que transmitir conhecimentos, é formar um cidadão completo, não apenas com informações, mas com valores éticos e morais.

Leia mais

GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO Conselho de Educação do Distrito Federal

GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO Conselho de Educação do Distrito Federal Homologado em 1º/4/2015, DODF nº 65, de 2/4/2015, p. 13. Portaria nº 45, de 8/4/2015, DODF nº 70, de 10/4/2015, p. 8. PARECER Nº 56/2015-CEDF Processo nº 080.003821/2012 Interessado: Escola de Educação

Leia mais

Currículo na Educação Infantil. Diretrizes Curriculares Nacionais DCNEI/MEC (2010)

Currículo na Educação Infantil. Diretrizes Curriculares Nacionais DCNEI/MEC (2010) Currículo na Educação Infantil Diretrizes Curriculares Nacionais DCNEI/MEC (2010) Ementa Formação Continuada AS NOVAS DIRETRIZES CURRICULARES PARA EDUCAÇÃO INFANTIL (MEC/SEB -2010) OBJETIVO GERAL: Qualificar

Leia mais

PROJETO TERRA CHÃO - DANÇA E ARTE

PROJETO TERRA CHÃO - DANÇA E ARTE PROJETO TERRA CHÃO - DANÇA E ARTE 1. JUSTIFICATIVA A região do Baixo Tocantins apresenta-se na área cultural e artística, é um grande celeiro de talentos, que vem enraizado culturalmente em nosso povo,

Leia mais

SER / SOCIEDADE EDUCACIONAL ROCHA

SER / SOCIEDADE EDUCACIONAL ROCHA SER / SOCIEDADE EDUCACIONAL ROCHA Prezados Pais, Responsáveis e Alunos Recomendamos a todos que leiam com atenção cada uma destas orientações, pois os pais e responsáveis dos alunos matriculados no SER

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Brinquedoteca. Criança. Social.

PALAVRAS-CHAVE: Brinquedoteca. Criança. Social. ESPAÇO DE CONVIVÊNCIA LÚDICA BRINQUEDOTECA FIBRA: um olhar sobre o brincar e a criança Márcia Cristina dos Santos BANDEIRA Faculdade Integrada Brasil Amazônia (FIBRA) RESUMO: O presente artigo buscou analisar

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO SALA CURIOSOS

PROJETO PEDAGÓGICO SALA CURIOSOS PROJETO PEDAGÓGICO SALA CURIOSOS Ano letivo 2012/2013 PROJETO PEDAGÓGICO SALA DOS CURIOSOS INDICE 1- Caracterização do grupo 2- Tema do projeto pedagógico da sala dos Curiosos: A Brincar vamos descobrir

Leia mais

Creche Pré-Escolar 1º Ciclo

Creche Pré-Escolar 1º Ciclo Creche Pré-Escolar 1º Ciclo A NOSSA MISSÃO É O NOSSO COMPROMISSO... Contribuir para o desenvolvimento integral dos nossos Alunos. Ser uma escola que marca a diferença fazendo melhor. Ensinar com amor.

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SISTEMA MUNICIPAL DE ENSINO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SISTEMA MUNICIPAL DE ENSINO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SISTEMA MUNICIPAL DE ENSINO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO Comissão de Educação Infantil Parecer n.º 004/2011 CME/PoA Processo n.º 001.019835.10.8 Credencia/autoriza

Leia mais

HORTOTERAPIA PARA A MELHOR IDADE

HORTOTERAPIA PARA A MELHOR IDADE Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais do Distrito Federal HORTOTERAPIA PARA A MELHOR IDADE PROPOSTA DE PARCERIA Brasília, junho de 2011 1 1. IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO BENEFICIÁRIA Nome da instituição:

Leia mais

Projeto Brincando e Aprendendo

Projeto Brincando e Aprendendo Projeto Brincando e Aprendendo Botucatu Abril 2013 Sobrea Entidade Descritivo da Entidade Objetivos do Projeto Resumo do Projeto Descrição do Projeto Programa Adote uma criança na Escola Descritivo da

Leia mais

REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL

REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL Maria dos Prazeres Nunes 1 INTRODUÇÃO No Brasil a expansão da educação ocorre de forma lenta, mas, crescente nas últimas décadas. Com base nas determinações

Leia mais

2.1 INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO INFANTIL: CARACTERÍSTICAS E ESPECIFICIDADES

2.1 INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO INFANTIL: CARACTERÍSTICAS E ESPECIFICIDADES 2.1 INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO INFANTIL: CARACTERÍSTICAS E ESPECIFICIDADES De acordo com a Abordagem Histórico-Cultural, que fundamenta está proposta, a Instituição de Educação Infantil deverá ser pensada

Leia mais

PLANEJAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA.

PLANEJAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA. PLANEJAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA. OLIVEIRA 1, Jordânia Amorim da Silva. SOUSA 2, Nádia Jane de. TARGINO 3, Fábio. RESUMO Este trabalho apresenta resultados parciais do projeto

Leia mais

Manual de Orientações às Empresas

Manual de Orientações às Empresas Manual de Orientações às Empresas Aprendizagem Profissional Comercial em Serviços Administrativos em Instituições de Saúde Carga horária: 1.333 horas Fevereiro 2014 Fls: [ 1 ] / [ 14] Prezado(a) Senhor(a)

Leia mais

PROJETO MAGIA DAS HISTÓRIAS INFANTIS

PROJETO MAGIA DAS HISTÓRIAS INFANTIS COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PROJETO MAGIA DAS HISTÓRIAS INFANTIS SÉRIE: Berçário A Berçário

Leia mais

Primeiro Segmento equivalente à alfabetização e às quatro primeiras séries do Ensino Fundamental (1ª à 4ª série).

Primeiro Segmento equivalente à alfabetização e às quatro primeiras séries do Ensino Fundamental (1ª à 4ª série). INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE A EJA 1- Você se matriculou em um CURSO DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA). Esse curso tem a equivalência do Ensino Fundamental. As pessoas que estudam na EJA procuram um curso

Leia mais

Projeto Brinquedoteca CEI Formiguinhas

Projeto Brinquedoteca CEI Formiguinhas Projeto Brinquedoteca CEI Formiguinhas Aririú da Formiga - Palhoça - SC Julho de 2014 PROJETO: "BRINQUEDOTECA CEI FORMIGUINHAS" 1. Instituição: "Conselho Comunitário de Aririú da Formiga - CCAF" "Centro

Leia mais

Projeto Pequenas Damas

Projeto Pequenas Damas Mostra Local de: Arapongas Projeto Pequenas Damas Categoria do projeto: I Projetos em Andamento (projetos em execução atualmente) Nome da Instituição/Empresa: Associação das Damas de Caridade de Arapongas

Leia mais

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades;

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades; INFANTIL II OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Desenvolver uma imagem positiva de si, atuando de forma cada vez mais independente, com a confiança em suas capacidades e percepção de suas limitações:

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE MANDAGUARI Secretaria Municipal de Assistência Social

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE MANDAGUARI Secretaria Municipal de Assistência Social PRÊMIO GESTOR PÚBLICO PARANÁ PGP/PR DADOS CADASTRAIS Ano/Edição: 2015 Município: Mandaguari - PR Função de Governo: III - Assistência Social CNPJ: 76285345-0001/09 Endereço: Avenida Amazonas, 500 - Centro

Leia mais

Relatório Anual das atividades desenvolvidas em Educação Infantil Com Recursos Próprios e com as Verbas Públicas Repassadas e Fundação FEAC.

Relatório Anual das atividades desenvolvidas em Educação Infantil Com Recursos Próprios e com as Verbas Públicas Repassadas e Fundação FEAC. Relatório Anual das atividades desenvolvidas em Educação Infantil Com Recursos Próprios e com as Verbas Públicas Repassadas 2014 Relatório Anual das atividades desenvolvidas em Educação Infantil Com Recursos

Leia mais

MUNICÍPIO DE FLORIANÓPOLIS CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO. Resolução n 01/2010

MUNICÍPIO DE FLORIANÓPOLIS CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO. Resolução n 01/2010 MUNICÍPIO DE FLORIANÓPOLIS CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO Resolução n 01/2010 Fixa normas para o Ensino Fundamental de 09 (nove) anos da Rede Municipal de Ensino de Florianópolis, Santa Catarina. O CONSELHO

Leia mais

O JOGO EDUCATIVO NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Valéria Cristina Giacometti 1, Rosiclaire Barcelos 1, Carmen Lúcia Dias 2

O JOGO EDUCATIVO NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Valéria Cristina Giacometti 1, Rosiclaire Barcelos 1, Carmen Lúcia Dias 2 1099 O JOGO EDUCATIVO NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Valéria Cristina Giacometti 1, Rosiclaire Barcelos 1, Carmen Lúcia Dias 2 1 Discente do Mestrado em Educação da Universidade do Oeste Paulista UNOESTE. 2 Docente

Leia mais

Município de Caçapava Secretaria Municipal de Educação Estado de São Paulo

Município de Caçapava Secretaria Municipal de Educação Estado de São Paulo Lote 2 I - OBJETO DO CONTRATO: Município de Caçapava ANEXO I - TERMO DE REFÊRENCIA Contratação de Pessoa Jurídica para a prestação de serviços continuados de Assessoria Educacional, Formação e Capacitação

Leia mais

Origens, ações e concepções da educação infantil. Aspectos políticos e legais da educação infantil 30. Educação infantil, representações e cultura 30

Origens, ações e concepções da educação infantil. Aspectos políticos e legais da educação infantil 30. Educação infantil, representações e cultura 30 A Universidade Candido Mendes tem como mantenedora a Sociedade Brasileira de Instrução, a mais antiga instituição particular de ensino superior do país, fundada em 1902 pelo Conde Candido Mendes de Almeida,

Leia mais

Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais

Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais Estatuto da Criança e do Adolescente: 18 anos, 18 Compromissos A criança e o adolescente no centro da gestão municipal O Estatuto

Leia mais

Creche Pelicano Atendimento - 95 Crianças - entre 1 anos e seis meses a quatro anos

Creche Pelicano Atendimento - 95 Crianças - entre 1 anos e seis meses a quatro anos Missão Promover programas sustentáveis e contínuos, priorizando a educação da criança e o re-erguimento da família formando bases sólidas na diminuição das desigualdades sociais. Títulos Reconhecida com

Leia mais

OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL. A prática da educação infantil deve se organizar de modo que as crianças desenvolvam as seguintes capacidades:

OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL. A prática da educação infantil deve se organizar de modo que as crianças desenvolvam as seguintes capacidades: OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ANUAL EDUCAÇÃO INFANTIL INFANTIL V - 2012 A prática da educação infantil deve se organizar de modo que as crianças desenvolvam as seguintes capacidades:

Leia mais

UM OLHAR SOBRE A ALIMENTAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Sandra Aparecida Machado Polon Professora Pedagogia UNICENTRO 2

UM OLHAR SOBRE A ALIMENTAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Sandra Aparecida Machado Polon Professora Pedagogia UNICENTRO 2 UM OLHAR SOBRE A ALIMENTAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Silvia de Souza acadêmica 3º ano Pedagogia UNICENTRO 1 Sandra Aparecida Machado Polon Professora Pedagogia UNICENTRO 2 RESUMO: Este artigo dialogou com

Leia mais