A Nova Classe A1: Determinantes e Projeções. Marcelo Neri

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A Nova Classe A1: Determinantes e Projeções. Marcelo Neri"

Transcrição

1 A Nova Classe A1: Determinantes e Projeções Marcelo Neri

2 Diagrama TIPOS E ESFERAS DE AÇÕES NA ANÁLISE EMPÍRICA TIPOS DE AÇÔES DISTRIBUIÇÂO/ COMUNICAÇÂO MONITORAMENTO DO MERCADO DEFINIÇÃO DE PREÇOS E PRODUTOS ACESSO A MERCADO CONTEXTO ECONÔMICO ESFERAS DAS AÇÕES POR ATRIBUTOS DOS CONSUMIDORES POR SETORES E LOCALIDADES POR CARACTERíSTICAS DO NEGÓCIO

3 Mapa de Bases de Microdados Pesquisas Principais: Domiciliares Mercado Consumidor e Mapas Sócio-Demográficos Consumidor e Empresários POF (48 mil famílias por Ano) Orçamentos dos Consumidores Análise da decisão de gastos de consumo Tipos de Automóveis Nacionais e Importados Pesquisas Secundárias ANBIMA Banco Central PNAD (100 mil domicílios ano) Cross-section Anual Atributos do mercado consumidor Lucro, Duração e Tamanho de Empresa Mapas Estaduais Detalhados Mapeamento CENSO (18 milhões de indivíduos) Mapas Municipais Detalhados Receita Federal Gallup World Poll 158 Paises Mapeamento Registro Anual de Informações Sociais (RAIS) Ministério do Trabalho Monitoramento PME(36 mil domicílios por mês defasagem de 2 meses) Mapeamento e Monitoramento Emprego (CAGED) Mensal com defasagem de 2 meses

4 Onde estão os BRICS comparados aos EUA e ao Mundo (em vintis; ano 2005, nova PPP) EUA Rússia China Brasil Índia Percentil de da Distribuição Mundial de Renda Vintil* do país Using world2002_2005dta and michele_graph.do

5

6 Evolução das Participações de Grupos na Renda (50%-, 40% e 10%+) % 12.09% 10.56% 12.12% 12.35% 12.16% 51.43% 48.40% 50.97% 48.60% 47.54% 47.32% 36.41% 39.52% 38.47% 39.28% 40.11% 40.52% % 12.55% 13.19% 14.10% 14.74% 15.39% 40.30% 47.05% 40.20% 47.25% 40.72% 46.09% 40.78% 45.12% 41.65% 43.61% 41.78% 42.83% Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da PNAD/IBGE

7 Medidas de Polarização e Conceituação de Classes A estratégia EGR gera cortes de classes de renda da distribuição de renda observada na prática. Os cortes escolhidos são os que melhor distinguem os grupos no sentido de tornar menores possíveis as diferenças internas destes grupos de renda e em contrapartida maximizar as diferenças entre estes grupos. Calculamos sucessivos grupos de renda para o caso de três segmentos (AB, C e DE) depois subdividindo em classes. Fizemos ajuste dos cortes de classe pela POF que é mais completa mas sem afetar a composição das classes

8 Definição das Classes Econômicas Inferior limites Superior Classe E Classe E Classe D Classe D Classe C Classe C Classe B Classe B Classe A * Calculo feito em base per capita ajustado pela POF ** atualizado a preços de julho 2011

9 Evolução da Participação das Classes Econômicas 2003 a 2009 Nível Classe E -20,481,069 Classe D -2,431,443 Classe C 29,063,545 Classe ABC 35,701,744 Classe AB 6,637,175 Classe A 3,266,045 Classe A1 1,770,969 Taxa Classe E % Classe D % Classe C 34.32% ClasseABC 35.21% ClasseAB 39.60% Classe A 40.88% ClasseA1 46,1% Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da PNAD/IBGE

10 % na Classe AB X Renda Domiciliar Per Capita Média (inclui os sem renda) Fonte: CPS/FGV a partir dos mesodados do Censo 2010/IBGE

11 % Classe AB % Classe ABC % Classe AB 0,3-5,6 5,6-10,9 10,9-16,2 16,2-21,6 21,6-26,9 26,9-32,2 32,2-37,6 37,6-42,9 % Classe ABC 8,9-19,6 19,6-30,3 30,3-40,9 40,9-51,6 51,6-62,2 62,2-72,9 72,9-83,5 83,5-94,2 Fonte: CPS/FGV a partir dos mesodados do Censo 2010/IBGE

12 Acesso à Motos Acesso a Carros Acesso Carros Acesso Motos Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Censo 2010/IBGE

13 Mapa da Classe A por Municípios do Brasil % Class A Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Censo 2010/IBGE

14 Mapa da Classe A1 por Municípios do Brasil % Class A Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Censo 2010/IBGE

15 Classe A1 por Municípios do Brasil % Classe A1 Nome_munic UF Rank BR Niterói RJ Santana de Parnaíba SP Vitória ES Florianópolis SC São Caetano do Sul SP Brasília DF Porto Alegre RS Nova Lima MG Santos SP Balneário Camboriú SC Belo Horizonte MG Curitiba PR Vinhedo SP Presidente Castello Branco SC Rio Fortuna SC Rio de Janeiro RJ Valinhos SP São Paulo SP Campinas SP Holambra SP Águas de São Pedro SP Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Censo 2010/IBGE

16 Classe A1 na Cidade de São Paulo Rank Distritos Paulistas Calsse A1 % % Class A Moema 61% 2 Jardim Paulista 54% 3 Itaim Bibi 51% 4 Alto de 49% Pinheiros 5 Perdizes 49% 6 Vila Mariana 48% 7 Pinheiros 46% 8 Morumbi 45% 9 Consolação 44% 10 Campo Belo 42% 11 Santo Amaro 39% 12 Vila Leopoldina 37% 13 Saúde 34% 14 Barra Funda 33% 15 Bela Vista 31% Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Censo 2010/IBGE

17 Simulador de Renda Permanente

18 Taxas de Crescimento das Classes Econômicas (12 meses) Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da PME/IBGE

19 Taxas de Crescimento das Classes Econômicas mais Altas (12 meses) Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da PME/IBGE

20 Taxas de Crescimento das Classes Econômicas mais Altas (12 meses) Classe ABC Classe AB Classe A Classe A1-3.7% -4.21% -0.2% -0.2% -3.24% 3.2% 1.6% 3.3% 4.2% 4.3% 5.1% 6.1% 5.99% 4.01% 4.53% 3.74% 2.95% 2.81% 2.19% 3.58% 3.36% 2.9% 6.4% 7.2% 10.0% 6.17% 4.31% 3.86% 9.96% 9.07% 1.6% 0.3% 5.2% 4.1% 5.7% 9.7% 0.85% 4.15% 3.16% 6.73% 5.91% 3.90% 4.25% 3.40% 2.1% 7.4% 4.9% 5.5% 6.18% 0.10% 5.12% 4.78% 7.37% 2.50% 6.09% 13.3% 13.8% 16.01% 11.11% 13.9% 11.50% 10.7% 11.23% 13.03% 11.03% 10.59% 15.54% 15.37% mai02 a mai08 mai08 a mai09 Jan-Fev09 a Jan-Fev10 Mar-Abr09 a Mar-Abr10 Mai-Jun09 a Mai-Jun10 Jul-Ago09 a Jul-Ago10 Set-Out09 a Set-Out10 Nov-Dez09 a Nov-Dez10 Jan-Fev10 a Jan-Fev11 Mar-Abr10 a Mar-Abr11 Mai-Jun10 a Mai-Jun11 Jul-Ago10 a Jul-Ago11 Set-Out10 a Set-Out11 Nov-Dez10 a Nov-Dez11 Jan-Fev11 a Jan-Fev12 Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da PME/IBGE

21 Evolução Recente da Alta Renda nas Metrópoles

22 Mobilidade de Classes Destinos da Classe C: Alta Renda? População Total Periodo final Classes E e D Classe C Classes B e A2 Classe A1 Jan-Jun ,6 70,23 4,7 0,47 Jan-Jun ,93 73,82 5,77 0,48 Jan-Jun ,8 76,83 5,94 0,43 Jan-Jun ,02 79,48 6,25 0,24 Jan-Jun ,12 81,57 6,07 0,24 Jan-Jun ,8 81,79 6,1 0,31 Jan-Jun ,05 81,17 5,5 0,27 Jan-Jun ,41 81,72 6,58 0,29 Jan-Jun ,66 80,97 6,95 0,43 Jan-Jun ,82 79,77 7,95 0,46 Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da PME/IBGE

23 Simulador de Ascensão

24 Panorama de Mobilidade das Classes Altas

25 Projeções de Classes Classe C -% Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da PNAD/IBGE

26 Classe ABC -% Projeções de Classes Classe AB -% Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da PNAD/IBGE

27 Projeções de Classes Classe A -% Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da PNAD/IBGE

28 Classe A % Projeções de Classes % Class A (1993) % Class A (1995) % Class A (2003) % Class A (2011) % Class A (2012) % Class A (2014) Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da PNAD/IBGE

29 Projeções de Classes Classe A1 -% Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da PNAD/IBGE

30 Classe A1 % % Class A1 (1993) % Class A1 (1995) % Class A1 (2003) % Class A1 (2009) % Class A1 (2011) % Class A1 (2012) % Class A1 (2014) Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da PNAD/IBGE

31 Crescimento Classes 2009 a Classe E % Classe D % Classe C 19.31% ClasseABC 22.90% ClasseAB 39.96% Classe A 33.92% ClasseA %

32 A Pirâmide de Classes Econômicas 2003, 2011 e ,980, ,369,511 15,724,709 65,879,496 94,944, ,013,742 96,205,814 73,282,893 48,919, Classe DE Classe C Classe B Classe A2 Classe A1 Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da PNAD/IBGE

33 A Pirâmide de Classes Econômicas 2003, 2011 e ,980,841 10,369,511 15,724, Classe B Classe A2 Classe A1 Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da PNAD/IBGE

34 Simulador de Renda Futura

35 Panorama dos Cenários Prospectivos da Alta Renda

36 A Evolução da Classe A1 por Idade Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da PNAD/IBGE

37

38

39

40

41 Fluxos e Estoques Financeiros a partir dos dados de IRPF Quantidade de Declarantes por Situação Fiscal (milhões) Variação Nº de Declarantes. 23,96 5,2% Com IR Devido 12,05 49,9% Sem IR Devido 11,91-19,1% Quantidade de Declarantes por Sexo (Milhões) Variação TOTAL: 23,96 5,2% Masculino 14,1 2,7% Feminino. 9,86 9,3%

42 Fluxos e Estoques Financeiros a partir dos dados de IRPF Deduções (R$ bilhões) Variação Contrib. Prev. Oficia 38,44 90,5% Contrib. Prev. Privada e FAPI 10,03 72,0% Despesas com Dependentes 30,43 43,0% Despesas com Instrução 15,46 39,2% Despesas Médicas 48,6 51,8% Livro Caixa 12,53 93,7% Pensão Alimentícia Judicial 9,83 56,5% Desconto Padrão 67,16 53,5% Total das Deduções/Desc. Simplif 232,5 58,0%

43 Fluxos e Estoques Financeiros a partir dos dados de IRPF Rendimentos (R$ bilhões) Variação Tributáveis. 946,24 65,4% Isentos e não-tributáveis 476,14 102,2% Sujeitos à Trib. Exclusiva/Definitiva 144,72 88,1% Totais 1567,11 77,1%

44 Bens e Direi tos no IRPF Bens e Direitos Valores em R$ bilhões 2010 Tipo do Bem/Direito Valor Total: 4464 Apartamento 530,7 Casa 493,1 Quotas ou quinhões de capital 378,39 Veículo automotor terrestre: caminhão,automóvel, moto, etc 337,72 Aplicação de renda fixa (CDB, RDB e outros) 298,23 Ações (inclusive as provenientes de linha telefônica) 298,03 Terreno 221,58 Caderneta de poupança 179,14 Terra nua 161,62 Outras aplicações e investimentos 149,01 Fundo de LP e Fundo de Invest. em Direitos Credit. (FIDC) 147,95 Dinheiro em espécie - Moeda nacional 127,02 Depósito bancário em conta corrente no país 124,53 Prédio residencial 115,99 Outros créditos e poupança vinculados 106,77 Outros bens e direitos 106,57 Crédito decorrente de empréstimo 91,15 Fundo de Curto Prazo 87,92 Galpão 62,75 VGBL - Vida gerador de benefício livre 52,59 Construção 46,38 Fund. Ações, Mút. Priv., Invest. Emp. Emerg., Partic. e Ind. Merc 44,42 Prédio comercial 36,17 Sala ou conjunto 34,67 Outras participações societárias 31,52 Outros fundos 29,56 Outros bens imóveis 27,56 Ouro, ativo financeiro 23,79 Benfeitorias 18,55 Crédito decorrente de alienação 14,03 Dinheiro em espécie - Moeda estrangeira 13,05 Fundo de Investimento Imobiliário 10,27

45 Bens e Direi tos no IRPF Bens e Direitos Tipo do Bem/Direito Valores em R$ bilhões Valor 2010 Total: 4464 Imóveis 1749,07 Veículos 337,72 Ações (Fundos de Ações) 342,45 Aplicação de renda fixa (CDB, RDB e outros) 298,23 Caderneta de poupança 179,14 Outras aplicações e investimentos 149,01 Fundo de LP e Fundo de Invest. em Direitos Credit. (FIDC) 147,95 Dinheiro em espécie - Moeda nacional 127,02 Depósito bancário em conta corrente no país 124,53 Outros créditos e poupança vinculados 106,77 Outros bens e direitos 106,57 Crédito decorrente de empréstimo 91,15 Fundo de Curto Prazo 87,92 VGBL - Vida gerador de benefício livre 52,59 Outras participações societárias 31,52 Outros fundos 29,56 Ouro, ativo financeiro 23,79 Crédito decorrente de alienação 14,03 Dinheiro em espécie - Moeda estrangeira 13,05 Fundo de Investimento Imobiliário 10,27

46 Obrigado!

A Nova Classe Média: O Seguro e o Lado Brilhante da Base da Pirâmide. Marcelo Neri mcneri@fgv.br

A Nova Classe Média: O Seguro e o Lado Brilhante da Base da Pirâmide. Marcelo Neri mcneri@fgv.br A Nova Classe Média: O Seguro e o Lado Brilhante da Base da Pirâmide Marcelo Neri mcneri@fgv.br Percentil de da Distribuição Mundial de Renda Comparando Distribuições de Renda Países Selecionados e o Mundo

Leia mais

Os Emergentes de Curitiba

Os Emergentes de Curitiba Os Emergentes de Curitiba Marcelo Neri mcneri@fgv.br Centro de Políticas Sociais Fundação Getulio Vargas www.fgv.br/cps www.fgv.br/cps/brics Quem São os Emergentes Curitibanos? -Desigualdade Horizontal

Leia mais

ANEXO II. Nome do candidato (Assinatura)

ANEXO II. Nome do candidato (Assinatura) ANEXO I 01 Foto 3x4 (Atualizada); Cédula de Identidade (Original e 02 Cópias); (Original e 02 Cópias); Certificado de Reservista ou de Dispensa de Incorporação, quando for o caso (Original e 02 Cópias);

Leia mais

A Nova Classe Média e a Demanda por: Seguros. Marcelo Neri mcneri@fgv.br

A Nova Classe Média e a Demanda por: Seguros. Marcelo Neri mcneri@fgv.br A Nova Classe Média e a Demanda por: Seguros Marcelo Neri mcneri@fgv.br www.fgv.br/cps/ncm2014 021 98681211 marcelo.neri@fgv.br www.fgv.br/cps Quem são os Emergentes? Desigualdade Horizontal Em Queda 2001-09

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO CORREGEDORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO Sistema AEP - Acompanhamento da Evolução Patrimonial (atualizado em 14/09/2015) Formulário Eletrônico de Declaração de Bens e Valores

Leia mais

Agenda. Mapa de Preços do ZAP. Índice FipeZap novos dados do mercado. painel.fipezap.com.br

Agenda. Mapa de Preços do ZAP. Índice FipeZap novos dados do mercado. painel.fipezap.com.br Agenda painel.fipezap.com.br Agenda Mapa de Preços do ZAP Índice FipeZap novos dados do mercado Mapa de Preços Índice FipeZap Novos dados Agenda 1 2 3 4 5 Introdução Índice FipeZap: novas cidades Evolução

Leia mais

Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da POF/IBGE

Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da POF/IBGE Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da POF/IBGE Definição de Microseguros Critério Renda Per Capita Classes % Pop E 13.48 DE 34.96 CDE 83.83 1 SM 51.05 2 SM 74.82 3 SM 84.68 Fonte: CPS/FGV a partir

Leia mais

Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da POF/IBGE

Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da POF/IBGE Agentes de Crédito e Grupos Solidários Segurado Segurador Agente de Seguro Segurado Segurado Definição de Microseguros Critério Renda Per Capita % Pop E 13.48 DE 34.96 83.83 1 SM 51.05 2 SM 74.82 3 SM

Leia mais

Tendências e Perspectivas Painel FipeZAP 2015

Tendências e Perspectivas Painel FipeZAP 2015 MERCADO IMOBILIÁRIO BRASILEIRO Tendências e Perspectivas Painel FipeZAP 2015 VARIAÇÃO EM 12 MESES REGIÃO ABC 30% 25% 20% IPCA (IBGE) Índice FipeZap Ampliado (20 cidades) Santo André São Bernardo do Campo

Leia mais

Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009

Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009 Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão 5 IDENTIFICAÇÃO E CONTROLE DO QUESTIONÁRIO 0 IDENTIFICAÇÃO GERAL UF MUNICÍPIO DISTRI- TO SUBDIS- TRITO SETOR O N DE ORDEM NA LISTAGEM Diretoria de Pesquisas

Leia mais

Big Data & Melhores Cidades: Inclusão Digital & Percepções da População. Marcelo Neri

Big Data & Melhores Cidades: Inclusão Digital & Percepções da População. Marcelo Neri Big Data & Melhores Cidades: Inclusão Digital & Percepções da População Marcelo Neri = Volume, Velocidade e Variedade Inclusão Digital Cobertura, Constância, Convergência, Conectividade, Quem? Quanto?

Leia mais

INFORME DE RENDIMENTOS

INFORME DE RENDIMENTOS INFORME DE RENDIMENTOS Consultoria Técnica / Obrigações Acessórias Circular 06/2015 1. INTRODUÇÃO Instituído pela Instrução Normativa da Secretaria da Receita Federal sob nº 690 de 20/12/2006, as instituições

Leia mais

Impactos Sociais do Bilhete Único Intermunicipal no Grande Rio

Impactos Sociais do Bilhete Único Intermunicipal no Grande Rio Impactos Sociais do Bilhete Único Intermunicipal no Grande Rio Sítio da Pesquisa www.fgv.br/cps/bu Impactos do Bilhete Único Inter Municipal Bilhete Único IMPACTOS DIRETOS IMPACTOS INDIRETOS Orçamento

Leia mais

2012: Desenvolvimento Inclusivo Sustentável? Marcelo Neri -Ipea

2012: Desenvolvimento Inclusivo Sustentável? Marcelo Neri -Ipea 2012: Desenvolvimento Inclusivo Sustentável? Marcelo Neri -Ipea Evolução segundo a ótica do Relatório Stiglitz-Sen: http://www.stiglitz-sen-fitoussi.fr/documents/rapport_anglais.pdf Recomendações Enfatizarrenda

Leia mais

www.fgv.br/cps/telefonica Coordenação: Marcelo Cortes Neri Centro de Políticas Sociais CPS / FGV mcneri@fgv.br

www.fgv.br/cps/telefonica Coordenação: Marcelo Cortes Neri Centro de Políticas Sociais CPS / FGV mcneri@fgv.br wwwfgvbr/cps/telefonica Coordenação: Marcelo Cortes Neri Centro de Políticas Sociais CPS / FGV mcneri@fgvbr Histórico Há dez anos o Centro de Políticas Sociais (CPS) lançou o Mapa da Exclusão Digital O

Leia mais

GUIA IRPF 2014 Orientações Gerais

GUIA IRPF 2014 Orientações Gerais GUIA IRPF 2014 Orientações Gerais Imposto de Renda 2014 índice 1 Obrigatoriedade de entrega 5 2 Formas de entrega 6 3 Multa por atraso na entrega 8 4 Utilizando seu Informe de Rendimentos Financeiros BRADESCO

Leia mais

GUIA IRPF Orientações Gerais

GUIA IRPF Orientações Gerais 2013 GUIA IRPF Orientações Gerais Imposto de Renda 2013 ÍNDICE 1 Obrigatoriedade de entrega 5 2 Formas de entrega 6 3 Multa por atraso na entrega 6 4 Utilizando seu Informe de Rendimentos Financeiros BRADESCO

Leia mais

CARTILHA IRPF 2016 Orientações gerais

CARTILHA IRPF 2016 Orientações gerais CARTILHA IRPF 2016 Orientações gerais ÍNDICE 1 Obrigatoriedade de entrega 4 2 Formas e prazo de entrega 5 3 Multa por atraso na entrega 8 4 Utilizando seu Informe de Rendimentos Financeiros BRADESCO 8

Leia mais

ESTADO DO PARANÁ POLÍCIA MILITAR DIRETORIA DE PESSOAL CENTRO DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO. EDITAL n.º 1.385/2013-CRS

ESTADO DO PARANÁ POLÍCIA MILITAR DIRETORIA DE PESSOAL CENTRO DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO. EDITAL n.º 1.385/2013-CRS ESTADO DO PARANÁ POLÍCIA MILITAR DIRETORIA DE PESSOAL CENTRO DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO EDITAL n.º 1.385/2013-CRS (CONCURSO PÚBLICO PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS DE SOLDADO POLICIAL MILITAR E DE SOLDADO BOMBEIRO

Leia mais

Guia de Declaração IR 2014. Investimentos. Março de 2014. Brasil

Guia de Declaração IR 2014. Investimentos. Março de 2014. Brasil Guia de Declaração IR 2014 Investimentos Março de 2014 Brasil Guia de Declaração IR 2014 - Investimentos O prazo de entrega da declaração anual do Imposto de Renda 2014 tem início no dia 6 de março e o

Leia mais

Guia de Declaração de IR 2014- Investimentos

Guia de Declaração de IR 2014- Investimentos Guia de Declaração de IR 2014- Investimentos BRASIL Guia de Declaração IR 2014- Investimentos O dia 30/04/2014 é último dia para entrega da declaração anual do Imposto de Renda 2014 e com o objetivo de

Leia mais

Renato Meirelles. renato@datapopular.com.br @DataPopularRM 55 11 3218-2222

Renato Meirelles. renato@datapopular.com.br @DataPopularRM 55 11 3218-2222 O CONSUMIDOR EMERGENTE E A DEMANDA POR INCLUSÃO FINANCEIRA Renato Meirelles renato@datapopular.com.br @DataPopularRM 55 11 3218-2222 Critério de Classificação Social Calculado a partir da renda domiciliar

Leia mais

Imposto de Renda Pessoa Física 2015

Imposto de Renda Pessoa Física 2015 Imposto de Renda Pessoa Física 2015 1 IRPF É um imposto federal brasileiro que incide sobre todas as pessoas que tenham obtido um ganho acima de um determinado valor mínimo. Anualmente este contribuinte

Leia mais

IRPF 2012 Imposto de Renda Pessoa Física

IRPF 2012 Imposto de Renda Pessoa Física CIRCULAR Nº 09/2012 São Paulo, 10 de Fevereiro de 2012. IRPF 2012 Imposto de Renda Pessoa Física Ano-Base 2011 Prezado cliente, No dia 06 de Fevereiro de 2012 a Receita Federal publicou a Instrução Normativa

Leia mais

Mercado Imobiliário Residencial Brasileiro

Mercado Imobiliário Residencial Brasileiro Mercado Imobiliário Residencial Brasileiro JULHO DE 2011 Unidades residenciais O país encerrou o ano de 2010 com um total de 67,6 milhões de unidades residenciais que se dividem quanto a sua ocupação da

Leia mais

Guia Declaração Imposto de Renda 2013. Investimentos. Março de 2013. Brasil

Guia Declaração Imposto de Renda 2013. Investimentos. Março de 2013. Brasil Guia Declaração Imposto de Renda 2013 Investimentos Março de 2013 Brasil Guia de Declaração IR 2013 -Investimentos 2 O dia 30/04/2013 é último dia para entrega da declaração anual do Imposto de Renda 2013

Leia mais

GUIA IRPF 2015 Orientações Gerais

GUIA IRPF 2015 Orientações Gerais Orientações Gerais ÍNDICE 1 Obrigatoriedade de entrega 5 2 Formas de entrega 6 3 Multa por atraso na entrega 8 4 Utilizando seu Informe de Rendimentos Financeiros BRADESCO 9 5 Bens e Direitos 9 6 Dividendos,

Leia mais

Menos Empresas, Melhores Negócios Marcelo Neri SAE, IPEA, CDES e EPGE/FGV. XXV Forum Nacional INAE Rio de Janeiro, 15 de Maio de 2013

Menos Empresas, Melhores Negócios Marcelo Neri SAE, IPEA, CDES e EPGE/FGV. XXV Forum Nacional INAE Rio de Janeiro, 15 de Maio de 2013 Menos Empresas, Melhores Negócios Marcelo Neri SAE, IPEA, CDES e EPGE/FGV XXV Forum Nacional INAE Rio de Janeiro, 15 de Maio de 2013 O combustível da ascensão social brasileira dos últimos anos é o trabalho.

Leia mais

Contribuição dos títulos de capitalização para a formação de poupança financeira interna: aspectos macroeconômicos

Contribuição dos títulos de capitalização para a formação de poupança financeira interna: aspectos macroeconômicos Contribuição dos títulos de capitalização para a formação de poupança financeira interna: aspectos macroeconômicos Francisco Galiza www.ratingdeseguros.com.br Outubro/2009 Cenário Atual Definições Principais

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO MAIO DE 2015

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO MAIO DE 2015 PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO MAIO DE 2015 Os aluguéis das casas e apartamentos no mês de maio permaneceram estáveis em relação aos valores de abril. Em relação

Leia mais

IRPF 2015 Imposto de Renda Pessoa Física

IRPF 2015 Imposto de Renda Pessoa Física CIRCULAR Nº 13/2015 São Paulo, 23 de Fevereiro de 2015. IRPF 2015 Imposto de Renda Pessoa Física Ano-Base 2014 Prezado cliente, No dia 03 de fevereiro de 2015 a Receita Federal publicou a Instrução Normativa

Leia mais

O que é a campanha Imposto Justo?

O que é a campanha Imposto Justo? O que é a campanha Imposto Justo? É uma iniciativa popular que busca informar e mobilizar os brasileiros para corrigir injustiças tributárias como, por exemplo, a defasagem na tabela do IRPF (Imposto de

Leia mais

IMPOSTO DE RENDA IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA

IMPOSTO DE RENDA IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA IMPOSTO DE RENDA IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA IMPOSTO l ELEMENTOS DO IMPOSTO: INCIDÊNCIA FATO GERADOR PERÍODO DE APURAÇÃO BASE DE CÁLCULO ALÍQUOTA INCIDÊNCIA l IRPF - É o imposto que incide sobre o produto

Leia mais

Bolha imobiliária: realidade ou ficção? Marcelo Barros, economista, professor da FBV Antônio Pessoa, economista, professor da FBV

Bolha imobiliária: realidade ou ficção? Marcelo Barros, economista, professor da FBV Antônio Pessoa, economista, professor da FBV Bolha imobiliária: realidade ou ficção? Marcelo Barros, economista, professor da FBV Antônio Pessoa, economista, professor da FBV Las Vegas - EUA Barro Recife/PE Qual é o imóvel mais caro? Fonte: Blog

Leia mais

IV - Bens e direitos que devem ser declarados

IV - Bens e direitos que devem ser declarados IV - Bens e direitos que devem ser declarados Regra geral, devem ser relacionados nessa ficha da Declaração a totalidade dos bens e direitos que, no Brasil ou no exterior, constituam, em 31 de dezembro

Leia mais

DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA/2015

DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA/2015 DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA/2015 Regulamento para a Declaração de Ajuste Anual do Imposto de Renda, PESSOA FÍSICA, exercício de 2015, ano-calendário de 2014. DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA

Leia mais

b) receberam rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40.

b) receberam rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40. Vitória/ES, 23 de fevereiro de 2013. ORIENTAÇÕES PARA DECLARAÇÃO DO IRPF 2013 A partir do dia 1º março a Receita Federal começa a receber a Declaração de Ajuste Anual do Imposto de Renda Pessoa Física.

Leia mais

Indique o Banrisul - banco 041 - para crédito da restituição do Imposto de Renda e aproveite as vantagens que só cliente Banrisul tem.

Indique o Banrisul - banco 041 - para crédito da restituição do Imposto de Renda e aproveite as vantagens que só cliente Banrisul tem. Guia IR 2012 No Banrisul, o leão não assusta. Indique o Banrisul - banco 041 - para crédito da restituição do Imposto de Renda e aproveite as vantagens que só cliente Banrisul tem. O Banrisul antecipa

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO JANEIRO DE 2015 5,3 3,8 3,5

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO JANEIRO DE 2015 5,3 3,8 3,5 PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO JANEIRO DE 2015 No primeiro mês de 2015, os aluguéis registraram alta de 0,4%, comparado com o mês anterior. Considerando o comportamento

Leia mais

Minha Casa, Meu Capital

Minha Casa, Meu Capital Sumário Executivo A casa própria é o ativo físico mais decisivo no processo de acumulação de capital das famílias. Ele desempenha papel de reserva de valor para fazer face às incertezas e a necessidades

Leia mais

Quadro da desigualdade em São Paulo

Quadro da desigualdade em São Paulo Quadro da desigualdade em São Paulo CULTURA Acervo de livros infanto-juvenis das bibliotecas municipais per capita Número de livros infanto-juvenis disponíveis em acervos de bibliotecas e pontos de leitura

Leia mais

Subtítulo da Apresentação

Subtítulo da Apresentação Subtítulo da Apresentação MOTIVAÇÃO METODOLOGIA 15 cidades analisadas Análise do valor médio dos imóveis cadastrados no VivaReal 15 cidades + 1,8 mi Maior Base de imóveis entre os portais Análise de Intenção

Leia mais

CONFIRA COMO ENVIAR A DECLARAÇÃO DO IR 2009

CONFIRA COMO ENVIAR A DECLARAÇÃO DO IR 2009 CONFIRA COMO ENVIAR A DECLARAÇÃO DO IR 2009 Passo 1 - Tipo de declaração Nesta tela, o contribuinte escolhe se deseja fazer a declaração de ajuste anual, para prestar conta sobre seus rendimentos e despesas

Leia mais

PROGRAMAS HABITACIONAIS DESENVOLVIMENTO PARA OS MUNICIPIOS. Moradia para as famílias Renda para os trabalhadores Desenvolvimento para Alagoas

PROGRAMAS HABITACIONAIS DESENVOLVIMENTO PARA OS MUNICIPIOS. Moradia para as famílias Renda para os trabalhadores Desenvolvimento para Alagoas Superintendência Regional Alagoas PROGRAMAS HABITACIONAIS DESENVOLVIMENTO PARA OS MUNICIPIOS Moradia para as famílias Renda para os trabalhadores Desenvolvimento para Alagoas ALTERNATIVAS DE SOLUÇÕES PARA

Leia mais

Panorama do Mercado Imobiliário. Celso Petrucci Economista-Chefe do Secovi-SP

Panorama do Mercado Imobiliário. Celso Petrucci Economista-Chefe do Secovi-SP Panorama do Mercado Imobiliário Celso Petrucci Economista-Chefe do Secovi-SP Município de São Paulo Lançamentos Residenciais Mun. de São Paulo Mil Unidades Média = 31,7 22,6 24,9 25,7 39,0 34,5 31,6 38,2

Leia mais

PNE: cenários e desafios. Daniel Cara, Coordenador Geral Campanha Nacional pelo Direito à Educação

PNE: cenários e desafios. Daniel Cara, Coordenador Geral Campanha Nacional pelo Direito à Educação PNE: cenários e desafios Daniel Cara, Coordenador Geral Campanha Nacional pelo Direito à Educação Padrões de mudanças socioeconômicas no Brasil: O problema é a lentidão. 325 300 275 250 225 200 175 150

Leia mais

Guia Declaração. Investimentos. Março de 2012. Brasil

Guia Declaração. Investimentos. Março de 2012. Brasil 1 Guia Declaração Imposto de Renda 2012 Investimentos Março de 2012 Brasil Guia de Declaração IR 2012 - Investimentos 2 O dia 30/04/2012 é ultimo dia para entrega da declaração anual do Imposto de Renda

Leia mais

CASA PRÓPRIA: CAPITAL RESIDENCIAL & QUALIDADE DE VIDA

CASA PRÓPRIA: CAPITAL RESIDENCIAL & QUALIDADE DE VIDA CASA PRÓPRIA: CAPITAL RESIDENCIAL & QUALIDADE DE VIDA Marcelo Neri Brasília, 14 de novembro de 2013 CASA PRÓPRIA: CAPITAL RESIDENCIAL E QUALIDADE DE VIDA Marcelo Neri (Ipea e SAE/PR) Com o apoio de: Fábio

Leia mais

Guia IR Personnalité 2012

Guia IR Personnalité 2012 Guia IR Personnalité 2012 Índice Imposto de Renda 2012... 03 Obrigatoriedade de entrega da declaração... 04 Orientações gerais... 04 Formas de entrega... 05 Multa pelo atraso na entrega... 05 Imposto a

Leia mais

Perfil Municipal de Fortaleza. Tema X: A Dinâmica das Classes Sociais na Última Década. Edição Especial. Nº 45 Novembro 2012

Perfil Municipal de Fortaleza. Tema X: A Dinâmica das Classes Sociais na Última Década. Edição Especial. Nº 45 Novembro 2012 Nº 45 Novembro 2012 Edição Especial Perfil Municipal de Fortaleza Tema X: A Dinâmica das Classes Sociais na Última Década 4 1 GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ Cid Ferreira Gomes Governador Domingos Gomes de

Leia mais

IMPOSTO DE RENDA - PESSOA FÍSICA EXERCÍCIO 2010 Ano-Calendário 2009 NOME: PAULO JOSE LEITE DA SILVA DECLARAÇÃO DE AJUSTE ANUAL

IMPOSTO DE RENDA - PESSOA FÍSICA EXERCÍCIO 2010 Ano-Calendário 2009 NOME: PAULO JOSE LEITE DA SILVA DECLARAÇÃO DE AJUSTE ANUAL IDENTIFICAÇÃO DO CONTRIBUINTE Nome: PAULO JOSE LEITE DA SILVA Data de Nascimento: 09/10/1961 Título Eleitoral: 0001947882 Houve mudança de endereço? Não Endereço: Travessa FRUTUOSO GUIMARAES Número: 624

Leia mais

Fique atento! Chegou a hora de declarar o. Especial. Não descuide do prazo de entrega e confira como declarar seus planos de previdência.

Fique atento! Chegou a hora de declarar o. Especial. Não descuide do prazo de entrega e confira como declarar seus planos de previdência. Especial IRPF 2011 Boletim Informativo dirigido a participantes de planos de previdência da Bradesco Vida e Previdência - Março de 2011 Chegou a hora de declarar o IRPF2011 Fique atento! Não descuide do

Leia mais

OS MUNICÍPIOS BILIONÁRIOS EM 2012

OS MUNICÍPIOS BILIONÁRIOS EM 2012 OS MUNICÍPIOS BILIONÁRIOS EM 2012 (Estudo Técnico nº 175) François E. J. de Bremaeker Salvador, julho de 2012 2 OS MUNICÍPIOS BILIONÁRIOS EM 2012 François E. J. de Bremaeker Economista e Geógrafo Associação

Leia mais

IRPF 2012 Cartilha IR 2012

IRPF 2012 Cartilha IR 2012 IRPF 2012 Cartilha IR 2012 A MAPFRE Previdência desenvolveu para os participantes de plano de previdência complementar PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre), FGB Tradicional (Fundo Gerador de Benefício)

Leia mais

4. População de estudo

4. População de estudo 4. População de estudo A população de estudo é representada por 23.457 indivíduos, residentes em 10.172 domicílios, conforme figura 4.1 abaixo. No Anexo C encontram-se as informações referentes à distribuição

Leia mais

Estudo Estratégico n o 4. Como anda o desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro? Valéria Pero Adriana Fontes Luisa de Azevedo Samuel Franco

Estudo Estratégico n o 4. Como anda o desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro? Valéria Pero Adriana Fontes Luisa de Azevedo Samuel Franco Estudo Estratégico n o 4 Como anda o desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro? Valéria Pero Adriana Fontes Luisa de Azevedo Samuel Franco PANORAMA GERAL ERJ receberá investimentos recordes da ordem

Leia mais

Coletiva de Imprensa. 1º Trimestre 2012

Coletiva de Imprensa. 1º Trimestre 2012 Coletiva de Imprensa 1º Trimestre 2012 25 de abril de 2012 ABECIP ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS ENTIDADES DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO E POUPANÇA Agenda 1 - Ambiente Macroeconômico 2 - Financiamento Imobiliário

Leia mais

A Baixa Renda & O Crédito. (Oportunidades & Riscos)

A Baixa Renda & O Crédito. (Oportunidades & Riscos) A Baixa Renda & O Crédito (Oportunidades & Riscos) Mar / 2006 Histórico A TNS Interscience desenvolve regularmente Estudos Institucionais cujo objetivo é o de identificar tendências que estimulem o pensamento

Leia mais

RENDIMENTOS TRIBUTÁVEIS RECEBIDOS DE PESSOAS JURÍDICAS PELO TITULAR

RENDIMENTOS TRIBUTÁVEIS RECEBIDOS DE PESSOAS JURÍDICAS PELO TITULAR IDENTIFICAÇÃO DO CONTRIBUINTE Nome: MARCIO DELLA VALLE BIOLCHI Data de Nascimento: 23/05/1979 Título Eleitoral: Houve mudança de endereço? Sim Endereço: Avenida JUCA BATISTA Número: Complemento: Bairro/Distrito:

Leia mais

Guia 2008 Itaú Personnalité

Guia 2008 Itaú Personnalité Guia 2008 Itaú Personnalité Guia 2008 Índice Novidades na Declaração de IR 2008 Orientações gerais Formas de entrega Multa pelo atraso na entrega Imposto a pagar ou a restituir Como declarar as aplicações

Leia mais

Revisão do Plano Diretor Estratégico o que muda na legislação urbanística da cidade de São Paulo PL 688/2013

Revisão do Plano Diretor Estratégico o que muda na legislação urbanística da cidade de São Paulo PL 688/2013 Revisão do Plano Diretor Estratégico o que muda na legislação urbanística da cidade de São Paulo PL 688/2013 EDUARDO DELLA MANNA PPU PLANEJAMENTO E PROJETOS URBANOS LTDA sócio-diretor NIIT NÚCLEO DE INFORMAÇÕES

Leia mais

IRPF 2014 CARTILHA IR 2014

IRPF 2014 CARTILHA IR 2014 IRPF 2014 CARTILHA IR 2014 A MAPFRE Previdência desenvolveu para os participantes de plano de previdência complementar PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre), FGB Tradicional (Fundo Gerador de Benefício)

Leia mais

Estudo Estratégico n o 5. Desenvolvimento socioeconômico na metrópole e no interior do Rio de Janeiro Adriana Fontes Valéria Pero Camila Ferraz

Estudo Estratégico n o 5. Desenvolvimento socioeconômico na metrópole e no interior do Rio de Janeiro Adriana Fontes Valéria Pero Camila Ferraz Estudo Estratégico n o 5 Desenvolvimento socioeconômico na metrópole e no interior do Rio de Janeiro Adriana Fontes Valéria Pero Camila Ferraz PANORAMA GERAL ERJ é o estado mais urbano e metropolitano

Leia mais

Dispositivos Interativos

Dispositivos Interativos Dispositivos Interativos Sitio da Pesquisa O sítio da pesquisa www.fgv.br/cps/crag disponibiliza bancos de dados interativos que permitem a cada um decompor e analisar os níveis e as mudanças sociais,

Leia mais

Estrutura de renda no Brasil

Estrutura de renda no Brasil 1 A Classe Média 2 Renda familiar per capita (R$/mês) Estrutura de renda no Brasil 2.480 78 155 291 441 641 1.019 4% 8% 27% 15% 18% 53% 19% 19% 15% 20% 5% Porcentagem da população Fonte: Estimativas produzidas

Leia mais

As Metrópoles no Censo 2010: novas tendências? 1

As Metrópoles no Censo 2010: novas tendências? 1 P á g i n a 1 As Metrópoles no Censo 2010: novas tendências? 1 Os primeiros resultados do Censo 2010 já permitem algumas reflexões sobre mudanças e permanências da posição das metrópoles na rede urbana

Leia mais

MCMV 3 REUNIÃO COM EMPRESÁRIOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL 10/09/2015

MCMV 3 REUNIÃO COM EMPRESÁRIOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL 10/09/2015 MCMV 3 REUNIÃO COM EMPRESÁRIOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL 10/09/2015 1 SITUAÇÃO ATUAL MCMV RURAL 1. Orçamento encaminhado ao Congresso para 2016 assegura: Continuidade das obras que permitirá ao Governo entregar

Leia mais

Como destinar parte do seu Imposto de Renda Devido a Instituições de Apoio à Criança e ao Adolescente

Como destinar parte do seu Imposto de Renda Devido a Instituições de Apoio à Criança e ao Adolescente Como destinar parte do seu Imposto de Renda Devido a Instituições de Apoio à Criança e ao Adolescente VOCÊ PODE DOAR SEM GASTAR O SEU DINHEIRO! Você tem perfil para contribuir nesta ação? Se você tem o

Leia mais

Bolha Imobiliaria ou Novo Patamar de Preços? Claudio Bernardes

Bolha Imobiliaria ou Novo Patamar de Preços? Claudio Bernardes Bolha Imobiliaria ou Novo Patamar de Preços? Claudio Bernardes BOLHA IMOBILIÁRIA Aumento de preços dirigidos NÃO por fundamentos econômicos, mas por mera expectativa de aumento futuro de preços INDÍCIOS

Leia mais

Guia de Declaração de IRPF 2011. Ano-calendário 2010. Previdência. IR 2010 Prev e Cp_v2

Guia de Declaração de IRPF 2011. Ano-calendário 2010. Previdência. IR 2010 Prev e Cp_v2 Guia de Declaração de IRPF 2011 Ano-calendário 2010 Previdência IR 2010 Prev e Cp_v2 Quem é obrigado a declarar? Está obrigada a apresentar a Declaração de Ajuste Anual do Imposto sobre a Renda referente

Leia mais

Desenvolvimento Econômico, Ciência e Inovação

Desenvolvimento Econômico, Ciência e Inovação Desenvolvimento Econômico, Ciência e Inovação Rodrigo Garcia Secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência,Tecnologia e Inovação do Estado de São Paulo www.desenvolvimento.sp.gov.br Brasil Contexto

Leia mais

Política governamental e propostas para combate do déficit habitacional As Contribuições da CAIXA

Política governamental e propostas para combate do déficit habitacional As Contribuições da CAIXA Política governamental e propostas para combate do déficit habitacional As Contribuições da CAIXA 1 Conferência Internacional de Crédito Imobiliário do Banco Central do Brasil Experiência Internacional

Leia mais

TRIBUTAÇÃO. Atualizado em 12/2011

TRIBUTAÇÃO. Atualizado em 12/2011 TRIBUTAÇÃO Atualizado em 12/2011 1 Tributação dos Fundos de Investimento Instruções Normativas SRF nº 487 (30/12/04) e nº 489 (07/01/05) Lei nº 11.033/04 2 Base de Incidência de IR Base de incidência:

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS ASSUNTOS ESTRATÉGICOS SOCIAL E RENDA

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS ASSUNTOS ESTRATÉGICOS SOCIAL E RENDA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS ASSUNTOS ESTRATÉGICOS SOCIAL E RENDA A Classe Média Brasileira NÚMERO 1, 2014 ASSUNTOS ESTRATÉGICOS Social e renda A Classe Média Brasileira

Leia mais

Previdência Complementar

Previdência Complementar Cartilha Previdência Complementar Guia Fácil de Tributação TRATAMENTO TRIBUTÁRIO BÁSICO A primeira informação que deve ser observada na escolha de um plano de previdência que tenha como propósito a acumulação

Leia mais

IRPF IR2013. Chegou a hora de declarar o. Especial

IRPF IR2013. Chegou a hora de declarar o. Especial Boletim Informativo dirigido a participantes de planos de previdência da Bradesco Vida e Previdência Março de 2013 Especial IRPF 2013 Chegou a hora de declarar o IR2013 >> Fique por dentro >> Onde informar

Leia mais

Uso de Serviços Públicos de Saúde

Uso de Serviços Públicos de Saúde Uso de Serviços Públicos de Saúde Metodologia Pesquisa quantitativa, com aplicação de questionário estruturado através de entrevistas pessoais. OBJETIVO GERAL Levantar junto à população da área em estudo

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Dedução de dependentes da base de cálculo do IRRF - Federal

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Dedução de dependentes da base de cálculo do IRRF - Federal Dedução de dependentes da base de cálculo do IRRF - Federal 03/02/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 4 4. Conclusão...

Leia mais

Guia Personnalité IR 2011

Guia Personnalité IR 2011 Guia Personnalité IR 2011 Índice Imposto de Renda 2011... 03 Obrigatoriedade de entrega da declaração... 04 Orientações gerais... 04 Formas de entrega... 05 Multa pelo atraso na entrega... 05 Imposto a

Leia mais

POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS

POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS Seminário POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS LEGISLAÇÃO, FISCALIZAÇÃO E POLÍTICA DE SEGURANÇA Brasília DF 13 de setembro de 2012 Regulamentação da atividade de mototaxista Mesmo diante da ausência

Leia mais

DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE

DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE SANTA CATARINA e BRASIL Desempenho econômico em 2013 INDICADOR SANTA CATARINA BR % % acumulado 2013/2012 % acumulado 2012/2011 acumulado 2013/2012 Produção Ind. (jan-ago)

Leia mais

DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA 2014 ANO BASE 2013

DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA 2014 ANO BASE 2013 Organização Contábil CARIVAN Ltda. DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA 2014 ANO BASE 2013 Advocacia Dr. Carlos Manuel de Jesus Dias PERGUNTAS E RESPOSTAS Pessoa física tem idade mínima para ser contribuinte

Leia mais

Copom. seu dinheiro #136. Poupança perde em rentabilidade para fundos de investimento. Copa paralela Ingressos no mercado negro custam fortunas

Copom. seu dinheiro #136. Poupança perde em rentabilidade para fundos de investimento. Copa paralela Ingressos no mercado negro custam fortunas #136 seu dinheiro a sua revista de finanças pessoais Efeito Copom Poupança perde em rentabilidade para fundos de investimento oferecimento: Em dia com o Leão Procura é recorde por software do IR. Saiba

Leia mais

A DIFERENCIAÇÃO DA RENDA DO TRABALHO NAS REGIÕES SUL E SUDESTE DO BRASIL

A DIFERENCIAÇÃO DA RENDA DO TRABALHO NAS REGIÕES SUL E SUDESTE DO BRASIL A DIFERENCIAÇÃO DA RENDA DO TRABALHO NAS REGIÕES SUL E SUDESTE DO BRASIL Amarildo Hersen (Economista, Mestre em Desenvolvimento Regional e Agronegócio, docente UNICENTRO) e-mail: amarildohersen@yahoo.com.br.

Leia mais

Evolução demográfica 1950-2010

Evolução demográfica 1950-2010 Evolução demográfica 195-1 37 A estrutura etária da população brasileira em 1 reflete as mudanças ocorridas nos parâmetros demográficos a partir da segunda metade do século XX. Houve declínio rápido dos

Leia mais

Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal

Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Ministério das Comunicações Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD Suplementar 2013 Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular

Leia mais

FINANCIAMENTO DOS MUNICÍPIOS DO BRASIL Um balanço o entre aspectos sociais e econômicos

FINANCIAMENTO DOS MUNICÍPIOS DO BRASIL Um balanço o entre aspectos sociais e econômicos Seminário Internacional sobre Tributação Imobiliária FINANCIAMENTO DOS MUNICÍPIOS DO BRASIL Um balanço o entre aspectos sociais e econômicos Maria Cristina Mac Dowell maria-macdowell.azevedo@fazenda.gov.br

Leia mais

BRASIL: SUPERANDO A CRISE

BRASIL: SUPERANDO A CRISE BRASIL: SUPERANDO A CRISE Min. GUIDO MANTEGA Setembro de 2009 1 DEIXANDO A CRISE PARA TRÁS A quebra do Lehman Brothers explicitava a maior crise dos últimos 80 anos Um ano depois o Brasil é um dos primeiros

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/25 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO

Leia mais

Estoque de Outorga Onerosa não Residencial

Estoque de Outorga Onerosa não Residencial Estoque de Outorga Onerosa não Residencial Outubro 2013 O relatório sobre o Estoque de Outorga Onerosa é realizado com o objetivo de analisar as informações sobre o estoque de potencial construtivo na

Leia mais

Imposto de Renda 2013 MANUAL DE INFORMAÇÕES

Imposto de Renda 2013 MANUAL DE INFORMAÇÕES Imposto de Renda 2013 MANUAL DE INFORMAÇÕES Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física 2013: consulte as informações em seu Informe de Rendimentos Fator (IRF), Ano Calendário de 2012. Elaboramos este

Leia mais

Programa de Voluntariado da Classe Contábil

Programa de Voluntariado da Classe Contábil Programa de Voluntariado da Classe Contábil O Programa de Voluntariado da Classe Contábil compõe o plano de metas estratégicas do Conselho Federal de Contabilidade CFC e contempla parte da sua missão de

Leia mais

Projeto: O Crédito & o Endividamento do Consumidor de Baixa Renda. (Oportunidades & Riscos)

Projeto: O Crédito & o Endividamento do Consumidor de Baixa Renda. (Oportunidades & Riscos) Projeto: O Crédito & o Endividamento do Consumidor de Baixa Renda (Oportunidades & Riscos) 1 Histórico A TNS Interscience desenvolve regularmente Estudos Institucionais cujo objetivo é o de identificar

Leia mais

DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA 2015 DETALHES A OBSERVAR

DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA 2015 DETALHES A OBSERVAR DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA 2015 DETALHES A OBSERVAR Muito embora não seja uma novidade, já que a maioria das pessoas estejam obrigadas a entregar a Declaração de Imposto de Renda, trazemos aqui alguns

Leia mais

Cidades Metropolitanas: Estrutura Fiscal e Capacidade de Financiamento de Investimentos

Cidades Metropolitanas: Estrutura Fiscal e Capacidade de Financiamento de Investimentos Cidades Metropolitanas: Estrutura Fiscal e Capacidade de Financiamento de Investimentos Planejamento Urbano O orçamento importa! O Planejamento está subordinado ao orçamento? Restrições orçamentárias ou

Leia mais

Orçamento Familiar e Despesas Digitais Estatística - média Total Acesso a microcomputador

Orçamento Familiar e Despesas Digitais Estatística - média Total Acesso a microcomputador Orçamento Familiar e Despesas Digitais Estatística - média Total Acesso a microcomputador Não Sim Amostra - domicílios 16060 15165 895 População - domicílios 12544069 11673578 870491 Gasto Total 991.48

Leia mais

CHEGOU A HORA DE ACERTARMOS AS CONTAS COM O LEÃO.

CHEGOU A HORA DE ACERTARMOS AS CONTAS COM O LEÃO. Porto Alegre, 17 de fevereiro de 2012 Sr. Cliente: CHEGOU A HORA DE ACERTARMOS AS CONTAS COM O LEÃO. No período de 01 de março até 30 de abril de 2012, a RFB estará recepcionando as Declarações do Imposto

Leia mais