Utilização do SGBD PostgreSQL no Metrô São Paulo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Utilização do SGBD PostgreSQL no Metrô São Paulo"

Transcrição

1 Utilização do SGBD PostgreSQL no Metrô São Paulo Versão 2 Novembro /2006 1

2 Elaborado por: Gerência de Informática e Tecnologia da Informação Gustavo Celso de Queiroz Mazzariol - Coordenadoria de Metodologias e Arquitetura de Dados Maria Cecília Serapião Este material foi desenvolvido pela Gerência de Tecnologia da Informação da Companhia do Metropolitano de São Paulo Metrô e está registrada como propriedade no Creative Commons 2

3 1- Introdução O PostgreSQL foi adotado no Metrô de São Paulo como o Sistema Gerenciador de Banco de Dados free no final de O PostgreSQL é um banco de dados objeto-relacional. Assemelha-se aos SGBDRs comerciais com recursos como transações, funções, gatilhos, visões e integridade referencial. Apresenta também recursos de orientação a objetos como tipos definidos pelo usuário e herança. A performance e segurança do PostgreSQL é comparável a outros bancos de dados comerciais e de código livre. 2 - O processo de seleção que elegeu o PostgreSQL A seleção de um banco de dados free que culminou com a escolha do PostgreSQL para o Metrô-SP ocorreu em meados de O processo de seleção considerou aspectos como estabilidade, presença no mercado e suporte disponível no Brasil como características imprescindíveis. Foram eleitos quatro softwares de larga utilização no mercado com as mais diversas aplicações e objetivos. Avaliou-se o PostgreSQL, o Adabas, o Interbase e o MySQL. No aspecto mais técnico avaliou-se funções específicas de armazenamento de dados, portabilidade, storage procedures, functions, transações concorrentes, integridade referencial, ODBC free, estabilidade, entre outras questões. O processo de seleção na integra encontra-se disponível no endereço: https://extranet.metrosp.com.br/downloads/index_postg.shtml 3 Ferramenta de interface de acesso a dados do PostgreSQL A partir da disponibilização do ambiente PostgreSQL foi necessário iniciar um novo processo em busca de uma interface, também free, que complementasse as funcionalidades do banco PostgreSQL. Com foco na redução gradativa das licenças MsAccess e MsExcel buscamos ferramentas de interface de acesso a dados. Detectamos uma resistência inicial devido ao fato de que um SGDB não substitui um Access, mas é preciso sim, uma suite de produtos que ofereçam funcionalidades não só de armazenamento mas tambem recursos de desenvolvimento de aplicações. Para se optar pelo uso de uma ferramenta de interface de acesso a dados, foram 3

4 avaliados varios software freware, sendo que os seguintes aspectos foram observados: - a que tipo de usuário destina-se o produto, no caso, especialistas da área de negócio e/ou usuários desenvolvedores;. - licença: free e opensource; - usabilidade: interface amigável e baixa complexidade de uso; - administração: instalação e administração pelo usuário; - performance: desempenho do aplicativo; - geração de relatórios: formato de saída de relatório padrão (ex. PDF, RTF...); - fornecedor : suporte ao uso da ferramenta e política de evolução e correção de falhas. Esse processo, em 2002, conclui que o StarOffice, frente a outros extratores de dados na filosofia freeware, era o que mais recursos oferecia. O Metrô já adotava o StarOffice, como suite de escritório oficial em substituição ao Microsoft Office. Assim, devido a esse posicionamento técnico e a cultura já implantada, optou-se pela evolução no uso da suite StarOffice, até então limitada as funções de escritório, e passou-se a adota-la como ferramenta de interface de acesso a dados. O StarOffice logo após seria substituído, com vantagens, pelo OpenOffice. O projeto PostgreSQL evoluiu e o OpenOffice mostrou-se limitado frente a demanda crescente. Uma nova prospecção em ferramentas free, em 2005, identificou a ferramenta Scribes, fornecida pela IpNetwork Consultoria. Com mais recursos do que o OpenOffice e após algumas customizações para necessidades específicas do Metrô, passamos oficialmente a adotá-la no final de Arquitetura PostgreSQL A arquitetura de dados corporativa do Metrô-SP contemplava o SGBD Oracle na baixa plataforma e DB2 no Mainframe. Essa ambiente garantia uma administração efetiva das informações, integridade dos dados, segurança e disponibilidade das aplicações em de produção. Tinhamos tambem um SGDB SQL Server corporativo, porem sua utilização é restrita a um software específico da area Contábil. Entretanto, o ambiente departamental encontrava-se com soluções locais baseadas em Ms-Access, Dbase, FoxPro, sem a administração da área de TI. Esses dados residiam em micro computadores (desktop) compartilhados. O PostgreSQL veio preencher essa lacuna na administração dos dados da empresa, departamentais, suprindo a necessidade de um ambiente de dados departamental 4

5 estruturado, íntegro, com segurança e disponibilidade. Implantou-se o ambiente PostgreSQL Departamental, em hardwares servidores, com os dados corporativos sendo replicados, sob demanda, para as várias unidades de negócio. Implantamos inicialmente 3 ambientes departamentais com PostgreSQL, visando atender as áreas de Manutenção, Operação e Administrativa. Face ao seu desempenho e confiabilidade dos ambientes departamentais adotamos o PostgreSQL também para o ambiente corporativo, com foco em aplicações não críticas. A arquitetura de dados corporativa do Metrô-SP, a partir do final de 2004, além do DB/2 e Oracle passa a ter também o PostgreSQL. Em 2005 o PostgreSQL passa também a suportar o ambiente de dados da Extranet e no projeto de Business Intelligence é adotado como repositorio de Data Warehouse.. Os servidores PostgreSQL rodam em hardware com tecnologia Intel sob o sistema operacional Linux Fedora 4.0 e o banco de dados PostgreSQL O ambiente de rede é Windows A arquitetura PostgreSQL trouxe como benefícios: - o comprometimento do usuário com a gestão integrada da informação (corporativa & departamental); - diminuição significativa do acesso direto às bases corporativas, melhorando a performance das transações das aplicações; - armazenamento de dados departamentais da empresa em ambientes de servidores com segurança e disponibilidade dos dados; - substituição de aplicativos locais, reduzindo custos de licenças Access e melhorando a segurança; - garantir a integridade da informação replicada, via um processo controlado e administrado pela área de TI; -proporcionar independência de link no acesso aos dados pelos departamentos, visto que, o Metro encontra-se distribuído fisicamente na cidade de São Paulo; - economia de custo em licenças de uso de SGDB s. 5 - Processo de Implantação A implantação do ambiente PostgreSQL exigiu muito além de recursos tecnológicos 5

6 adequados e suficientes as necessidades, mas também a introdução de uma nova cultura que até então se mostrava fiel ao ambiente Microsoft. Foram realizadas diversas palestras de convencimento junto aos usuários, com a presença do CIO, o que deu maior credibilidade ao projeto. Investiu-se na aquisição de hardware e na implantação de um software de ETL para suportar o ambiente. Iniciamos com o software EDA/CopyManager e atualmente utilizamos o Sunopsis. Foi necessário, ainda, o investimento em capacitação de pessoal no uso do PostgreSQL, no uso da suite OpenOffice, com foco na conexão ao banco de dados e na extração de informações. Em 2006, iniciamos a capacitação no software de extração de reltorios, Scribes. Contou-se tambem com o suporte de uma parceria externa no apoio a implantação do ambiente PostgreSQL. Implantou-se uma Metodologia de Desenvolvimento Departamental que serve como guia aos desenvolvedores. Realizou-se varias visitas aos departamentos com o intuito de se identificar as necessidades departamentais, sejam as já atendidas pelo Access ou as novas necessidades. Implantou-se um FAQ para apoiar o uso do ambiente. 6 - A redução de licenças Oracle A implantação do PostgreSQL determinou a redução de investimentos em licenças de banco de dados Oracle, embora ainda exista um ambiente de dados Oracle no Metrô destinado exclusivamente a aplicações de missão critica e a pacotes proprietarios Oracle. A ausência do custo de licenças de SGDB s foi a alternativa capaz de viabilizar o Projeto Postgres no Metrô, que em 2006 conta com 22 bancos de dados PostgreSQL, atendendo ambientes de teste e produção nos setores departamentais, coporativos, DW, Extranet, laboratório e Integração. O custo dessa solução com licenças Oracle estaria em torno de U$ 500 mil. 6

7 7 O Cenário de Arquitetura de Dados do Metrô em 2006e O grafico O desenho abaixo mostra o cenário de dados em 2006, com todos os bancos de dados e a integração entre eles, realizada atraves do software Sunopsis. Existem no ambiente PostgreSQL 126 aplicações, sendo: 38 aplicações corporativas, 76 aplicações departamentais, 12 aplicações/módulos de BI. O ambiente PostgreSQL possui: 1600 usuarios, tabelas, 500 milhões de registros, 300 GB de armazenamento 7

8 8 Conclusão O projeto PostgreSQL viabilizou um novo modelo de negócio na empresa. A partir do conceito de Fábrica de Informações, passamos a compartilhar informações consolidadas e tornamos o processo de gestão integrada da informação não só perceptível ao usuário más de suma importância para a definição de ações mais eficazes. Percebemos também uma mudança positiva no comportamento dos usuários que, hoje, são mais exigentes quanto a qualidade das informações corporativas, e "provocam" um interessante e rico processo de melhoria contínua. Como benefícios tangíveis, podemos citar a economia de cerca de US$ 500mil em licenças de uso de SGDB, só no ultimo ano. Também foi possível tratarmos adequadamente os dados que antes ficavam no MS- Access, em microcomputadores (desktop) compartilhados. O PostgreSQL é residente em hardwares servidores com todo o processo de back-up, segurança e disponibilidade que esta configuração propicia. Para a área de TI do Metrô o sucesso do projeto Postgres tem um significado muito especial. A implantação de soluções com software livre é árdua e são necessários muitos esforços para romper as resistências. Os resultados precisam ser explícitos e superar as expectativas para obter credibilidade. Assim sendo, o estagio atual de projeto demonstra o êxito desse empreendimento e serve de estímulo para novas empreitadas. A equipe responsável pelo projeto se sente vencedora, recompensada e motivada. 8

Business Intelligence

Business Intelligence 1/ 24 Business Intelligence Felipe Ferreira 1 Nossa empresa Jornal O Globo Jornais Populares Parcerias Grupo Folha Grupo Estado 2 1 Fundada em 1925 3100 funcionários 2 Parques Gráficos e SP Globo: 220

Leia mais

Partner Network. www.scriptcase.com.br

Partner Network. www.scriptcase.com.br www.scriptcase.com.br A Rede de Parceiros ScriptCase é uma comunidade que fortalece os nossos representantes em âmbito nacional, possibilitando o acesso a recursos e competências necessários à efetivação

Leia mais

GBD. Introdução PROF. ANDREZA S. AREÃO

GBD. Introdução PROF. ANDREZA S. AREÃO GBD Introdução PROF. ANDREZA S. AREÃO Sistema de arquivos X Sistemas de Banco de Dados Sistema de arquivos Sistema de Banco de Dados Aplicativos Dados (arquivos) Aplicativos SGBD Dados (arquivos) O acesso/gerenciamento

Leia mais

Portabilidade da Linha RM Versão 11.20.0

Portabilidade da Linha RM Versão 11.20.0 Portabilidade da Linha RM Versão 11.20.0 Conteúdo Portabilidade para Servidor de Banco de Dados... 3 Níveis de Compatibilidade entre Bancos de Dados... 5 Portabilidade para Servidor de Aplicação... 6 Portabilidade

Leia mais

Banco de Dados. Professor: Rômulo César. romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br

Banco de Dados. Professor: Rômulo César. romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br Banco de Dados Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br Sistema de arquivos X Sistemas de Banco de Dados Sistema de arquivos Sistema de Banco de Dados Aplicativos Dados (arquivos)

Leia mais

Portabilidade da Linha RM Versão 11.40.0

Portabilidade da Linha RM Versão 11.40.0 Portabilidade da Linha RM Versão 11.40.0 Conteúdo Portabilidade para Servidor de Banco de Dados... 3 Níveis de Compatibilidade entre Bancos de Dados... 5 Portabilidade para Servidor de Aplicação... 6 Portabilidade

Leia mais

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto Introdução a Informática Prof.: Roberto Franciscatto 6.1 ARQUIVOS E REGISTROS De um modo geral os dados estão organizados em arquivos. Define-se arquivo como um conjunto de informações referentes aos elementos

Leia mais

Tecnologias da Informação, Comunicação e Sistemas de Inteligência

Tecnologias da Informação, Comunicação e Sistemas de Inteligência , Comunicação e Sistemas de Inteligência Gestão e de Bancos de Dados IESB - Centro Universitário A importância da informação em um mundo de informação disponível em tempo real a informação menos acessível

Leia mais

Portabilidade da Linha RM Versão 11.52

Portabilidade da Linha RM Versão 11.52 Portabilidade da Linha RM Versão 11.52 25/02/2014 Sumário 1. Portabilidade para Servidor de Banco de Dados... 3 2. Níveis de Compatibilidade entre Bancos de Dados... 4 3. Portabilidade para Servidor de

Leia mais

Configuração SERVIDOR.

Configuração SERVIDOR. REQUISITOS MINIMOS SISTEMAS FORTES INFORMÁTICA. Versão 2.0 1. PRE-REQUISITOS FUNCIONAIS HARDWARES E SOFTWARES. 1.1 ANALISE DE HARDWARE Configuração SERVIDOR. Componentes Mínimo Recomendado Padrão Adotado

Leia mais

Plataforma de Business Intelligence

Plataforma de Business Intelligence Plataforma de Business Intelligence ASTEN TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO A Asten é uma empresa do ramo da tecnologia da informação (TI) que tem seu foco na busca por soluções inovadoras. Nosso slogan criando

Leia mais

INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa

INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa ACESSE Informações corporativas a partir de qualquer ponto de Internet baseado na configuração

Leia mais

Case de Sucesso. Integrando CIOs, gerando conhecimento. TERRA NETWORKS APERFEIÇOA FERRAMENTA DE BI PARA O AUTOCONHECIMENTO DE SEUS NEGÓCIOS

Case de Sucesso. Integrando CIOs, gerando conhecimento. TERRA NETWORKS APERFEIÇOA FERRAMENTA DE BI PARA O AUTOCONHECIMENTO DE SEUS NEGÓCIOS Case de Sucesso Integrando CIOs, gerando conhecimento. TERRA NETWORKS APERFEIÇOA FERRAMENTA DE BI PARA O AUTOCONHECIMENTO DE SEUS NEGÓCIOS Perfil Terra é parte da Telefônica Digital, braço da Telefônica

Leia mais

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Disciplina: Programação Orientada a Objetos II Professor: Cheli dos S. Mendes da Costa Modelo Cliente- Servidor Modelo de Aplicação Cliente-servidor Os

Leia mais

Arquitetura Cliente/Servidor. Uma visão. analítica sobre Bancos de Dados. Banco de Dados. Prof. Enzo Seraphim

Arquitetura Cliente/Servidor. Uma visão. analítica sobre Bancos de Dados. Banco de Dados. Prof. Enzo Seraphim Arquitetura Cliente/Servidor Uma visão Banco de Dados analítica sobre Bancos de Dados Prof. Enzo Seraphim Modelo Cliente Servidor Protocolo Cliente Faz pedido de serviços ao Servidor Servidor Processa

Leia mais

Requisitos técnicos dos produtos Thema

Requisitos técnicos dos produtos Thema Requisitos técnicos dos produtos Thema 1 Sumário 2 Apresentação...3 3 Servidor de banco de dados Oracle...4 4 Servidor de aplicação Linux...4 5 Servidor de terminal service para acessos...4 6 Servidor

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Competências Analista 1. Administração de recursos de infra-estrutura de tecnologia da informação 2.

Leia mais

Apache + PHP + MySQL

Apache + PHP + MySQL Apache + PHP + MySQL Fernando Lozano Consultor Independente Prof. Faculdade Metodista Bennett Webmaster da Free Software Foundation fernando@lozano.eti.br SEPAI 2001 O Que São Estes Softwares Apache: Servidor

Leia mais

André Milani. Novatec

André Milani. Novatec André Milani Novatec capítulo 1 Bem-vindo ao PostgreSQL Caro leitor, seja bem-vindo ao mundo do PostgreSQL, um excelente banco de dados com todas as características e propriedades necessárias para atender

Leia mais

Tiago Eugenio de Melo

Tiago Eugenio de Melo "TCO: Reduzindo custos com Software Livre*" Tiago Eugenio de Melo *original elaborado por Marcelo de Jesus Ferreira1 Por que usar Software (Livre )? 2 Software livre x Software gratuito 3 4 Medidas quantitativas

Leia mais

Portabilidade da Linha RM Versão 12.1.5

Portabilidade da Linha RM Versão 12.1.5 Portabilidade da Linha RM Versão 12.1.5 19/06/2015 1. Sumário INTRODUÇÃO... 2 1. PORTABILIDADE PARA SERVIDOR DE BANCO DE DADOS... 3 2. NIVEIS DE COMPATIBILIDADE ENTRE BANCOS DE DADOS... 5 4. PORTABILIDADE

Leia mais

O Valor do Licenciamento do SQL Server 2012 Versus Oracle Database

O Valor do Licenciamento do SQL Server 2012 Versus Oracle Database White Paper Publicado em: Janeiro de 2012 Aplica-se ao: SQL Server 2012 O Valor do Licenciamento do SQL Server 2012 Versus Oracle Database Resumo: As mudanças no produto e no licenciamento da Microsoft

Leia mais

Capítulo 1. Exército Brasileiro. Exército Brasileiro. 1.1 Plano de Migração para Software Livre no Exército. www.exercito.gov.br. 1.1.

Capítulo 1. Exército Brasileiro. Exército Brasileiro. 1.1 Plano de Migração para Software Livre no Exército. www.exercito.gov.br. 1.1. Capítulo 1 Exército Brasileiro Instituição: Sítio: Caso: Responsável: Palavras- Chave: Exército Brasileiro www.exercito.gov.br Plano de Migração para Software Livre no Exército Brasileiro Coronel Carlos

Leia mais

Manual do Usuário Anexos do PSTI

Manual do Usuário Anexos do PSTI Manual do Usuário Anexos do PSTI 1 ANEXOS Anexo I Quadro de Pessoal de TI: Nome e Sobrenome: esses campos serão preenchidos com o nome e sobrenome de cada funcionário do quadro de pessoal de tecnologia

Leia mais

Implementação de BD. Banco de dados relacional. Elementos que compõem o banco de dados CAMPO REGISTRO TABELA. Paulo Damico MDK Informática Ltda.

Implementação de BD. Banco de dados relacional. Elementos que compõem o banco de dados CAMPO REGISTRO TABELA. Paulo Damico MDK Informática Ltda. Implementação de BD Banco de dados relacional Elementos que compõem o banco de dados CAMPO REGISTRO TABELA Implementação de BD CAMPO O elemento campo é a menor unidade de armazenamento de um banco de dados

Leia mais

Software Livre na USP. Paulo C. Masiero São Carlos- UFSCar 13/11/02

Software Livre na USP. Paulo C. Masiero São Carlos- UFSCar 13/11/02 Software Livre na USP Paulo C. Masiero São Carlos- UFSCar 13/11/02 Sumário Introdução Modelo CBPP Reações História da USP: informática administrativa Software livre e a USP Outras iniciativas (brasil e

Leia mais

Líder em Soluções Samba 4 no Brasil

Líder em Soluções Samba 4 no Brasil Apresentação Líder em Soluções Samba 4 no Brasil A Vantage TI conta uma estrutura completa para atender empresas de todos os segmentos e portes, nacionais e internacionais. Nossos profissionais dedicam-se

Leia mais

A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos

A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos Denis Alcides Rezende Do processamento de dados a TI Na década de 1960, o tema tecnológico que rondava as organizações era o processamento de

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Sistemas de Informação Informação no contexto administrativo Graduação em Redes de Computadores Prof. Rodrigo W. Fonseca SENAC FACULDADEDETECNOLOGIA PELOTAS >SistemasdeInformação SENAC FACULDADEDETECNOLOGIA

Leia mais

1ª Reunião de Trabalho da Comunidade São Paulo

1ª Reunião de Trabalho da Comunidade São Paulo 1ª Reunião de Trabalho da Comunidade São Paulo Local : Companhia do Metropolitano de São Paulo Metrô-SP Rua Augusta nº 1626 Auditório Multiuso - Térreo Bairro: Cerqueira César São Paulo - SP Data : 01/09/2005

Leia mais

Soluções em Mobilidade

Soluções em Mobilidade Soluções em Mobilidade Soluções em Mobilidade Desafios das empresas no que se refere a mobilidade em TI Acesso aos dados e recursos de TI da empresa estando fora do escritório, em qualquer lugar conectado

Leia mais

Unidade IV ADMINISTRAÇÃO DE. Prof. Luiz Fernando

Unidade IV ADMINISTRAÇÃO DE. Prof. Luiz Fernando Unidade IV ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS Prof. Luiz Fernando A melhor solução A tecnologia passa por atualizações constantes. Uma das atividades do profissional de informática é se manter informado.

Leia mais

Gestão Administrativa

Gestão Administrativa Sistemas de Gestão Administrativa Flávia Silva (Chefe do Serviço de Informática da Diretoria de Administração da Fiocruz) Diná Herdi de Medeiros Araújo (Analista de Sistemas do Serviço de Informática da

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais Administração de Sistemas de Informação Gerenciais UNIDADE III: Infraestrutura de Tecnologia da Informação Atualmente, a infraestrutura de TI é composta por cinco elementos principais: hardware, software,

Leia mais

LINHA CRIATIVA, Informática & Soluções PORTFOLIO

LINHA CRIATIVA, Informática & Soluções PORTFOLIO LINHA CRIATIVA, Informática & Soluções PORTFOLIO 2015 A LINHA CRIATIVA é uma solução de TI focada em produtos inteligentes e simples, actuando no sector de empresas de médio e pequeno porte, nas áreas

Leia mais

Curso PostgreSQL - Treinamento PostgreSQL - Fundamental

Curso PostgreSQL - Treinamento PostgreSQL - Fundamental Curso PostgreSQL - Treinamento PostgreSQL - Fundamental Sobre PostgreSQL PostgreSQL é um sistema gerenciador de banco de dados objeto relacional (SGBDOR), desenvolvido como projeto de código aberto.hoje,

Leia mais

A R P O BPMN++ MODELER KLUG PROCESSO PARA DOWNLOAD E INSTALAÇÃO VERSÃO FREEWARE. Verificar requisitos para instalação. Testar instalação do software

A R P O BPMN++ MODELER KLUG PROCESSO PARA DOWNLOAD E INSTALAÇÃO VERSÃO FREEWARE. Verificar requisitos para instalação. Testar instalação do software A R P O KLUG BPMN++ MODELER PROCESSO PARA DOWNLOAD E INSTALAÇÃO VERSÃO FREEWARE Verificar requisitos para instalação Iniciar procedimento de instalação Executar procedimento de instalação Efetuar primeiro

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA TÍTULO: Termo de Referência para contratação de ferramenta case de AD. GECOQ Gerência de Controle e Qualidade 1/9

TERMO DE REFERÊNCIA TÍTULO: Termo de Referência para contratação de ferramenta case de AD. GECOQ Gerência de Controle e Qualidade 1/9 TÍTULO: ASSUNTO: GESTOR: TERMO DE REFERÊNCIA Termo de Referência para contratação de ferramenta case de AD DITEC/GECOQ Gerência de Controle e Qualidade ELABORAÇÃO: PERÍODO: GECOQ Gerência de Controle e

Leia mais

O relacionamento direto com o cliente, respeito mútuo, responsabilidade, flexibilidade e adaptabilidade são os principais valores da Infolux.

O relacionamento direto com o cliente, respeito mútuo, responsabilidade, flexibilidade e adaptabilidade são os principais valores da Infolux. A NOSSA HISTÓRIA A Infolux Informática possui seu foco de atuação voltado para o mercado corporativo, auxiliando micro, pequenas e médias empresas na tarefa de extrair o máximo de benefícios com investimentos

Leia mais

EMPRESA DE PROCESSAMENTO DE DADOS DO ESTADO DO PARÁ DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS CATÁLOGO DE SERVIÇOS

EMPRESA DE PROCESSAMENTO DE DADOS DO ESTADO DO PARÁ DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS CATÁLOGO DE SERVIÇOS EMPRESA DE PROCESSAMENTO DE DADOS DO ESTADO DO PARÁ DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS CATÁLOGO DE SERVIÇOS 1. DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Consiste no conjunto de atividades descritas no PPDS Processo

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL

TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL www.tc.df.gov.br Software Livre - Motivação produto de elevada qualidade a baixo custo (treinamento) aumento da vida útil do parque computacional simplificação da

Leia mais

Apresentação do Portfólio da ITWV Soluções Inteligentes em Tecnologia

Apresentação do Portfólio da ITWV Soluções Inteligentes em Tecnologia P ORTFÓ FÓLIO Apresentação do Portfólio da ITWV Soluções Inteligentes em Tecnologia versão 1.1 ÍNDICE 1. A EMPRESA... 3 2. BI (BUSINESS INTELLIGENCE)... 5 3. DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS... 6 3.1. PRODUTOS

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO DA GESTÃO OPERACIONAL DE PEQUENA E MÉDIA PLATAFORMA COM EFICIÊNCIA E BAIXO CUSTO

IMPLEMENTAÇÃO DA GESTÃO OPERACIONAL DE PEQUENA E MÉDIA PLATAFORMA COM EFICIÊNCIA E BAIXO CUSTO IMPLEMENTAÇÃO DA GESTÃO OPERACIONAL DE PEQUENA E MÉDIA PLATAFORMA COM EFICIÊNCIA E BAIXO CUSTO Flávio Luis de Oliveira (flavio@celepar.pr.gov.br) Helio Hamilton Sartorato (helio@celepar.pr.gov.br) Yuri

Leia mais

ANEXO III PERFIL DOS PROFISSIONAIS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER PARA MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO

ANEXO III PERFIL DOS PROFISSIONAIS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER PARA MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO CONCORRÊNCIA DIRAD/CPLIC-008/2008 1 ANEXO III PERFIL DOS PROFISSIONAIS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER PARA MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO 1. INFORMAÇÕES GERAIS E CARACTERÍSTICA DO ATUAL AMBIENTE CORPORATIVO

Leia mais

Portabilidade da Linha RM Versão 11.0.0

Portabilidade da Linha RM Versão 11.0.0 Portabilidade da Linha RM Versão 11.0.0 Conteúdo Portabilidade para Servidor de Banco de Dados... 3 Portabilidade para Servidor de Aplicação... 4 Portabilidade para Servidor de Terminal Services... 5 Portabilidade

Leia mais

RESUMO DA SOLUÇÃO CA ERwin Modeling. Como eu posso gerenciar a complexidade dos dados e aumentar a agilidade dos negócios?

RESUMO DA SOLUÇÃO CA ERwin Modeling. Como eu posso gerenciar a complexidade dos dados e aumentar a agilidade dos negócios? RESUMO DA SOLUÇÃO CA ERwin Modeling Como eu posso gerenciar a complexidade dos dados e aumentar a agilidade dos negócios? O CA ERwin Modeling fornece uma visão centralizada das principais definições de

Leia mais

GNU/Linux - Conhecimento e Oportunidades. Agenda Currículo Objetivo GNU/Linux. Free Software e Open Source

GNU/Linux - Conhecimento e Oportunidades. Agenda Currículo Objetivo GNU/Linux. Free Software e Open Source AS2MWPC Agenda Currículo Objetivo GNU/Linux Free Software e Open Source AS2MWPC Agenda (continuação) Estudo de Casos Instituto Dom Bosco AS2MWPC / Projeto Incubadora da FATEC-SP Agregando conhecimento

Leia mais

Secretaria da FAZENDA

Secretaria da FAZENDA Secretaria da FAZENDA 1 Especificações Técnicas Aquisição de licença Projeto de Modernização Fiscal do Tocantins (PMF/TO) Aquisição de Licença de Plataforma Tecnológica de Integração de Dados. Banco Interamericano

Leia mais

Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão ERP ERP

Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão ERP ERP Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão ERP Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com O que é TI? TI no mundo dos negócios Sistemas de Informações Gerenciais Informações Operacionais Informações

Leia mais

Sistema Integrado de Gestão ERP. Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com

Sistema Integrado de Gestão ERP. Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com Sistema Integrado de Gestão ERP Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com Tecnologia da Informação. O que é TI? TI no mundo dos negócios Sistemas de Informações Gerenciais Informações Operacionais Informações

Leia mais

Gerando economia. com o uso de SOFTWARE LIVRE

Gerando economia. com o uso de SOFTWARE LIVRE 18 de maio de 2007 Gerando economia com o uso de SOFTWARE LIVRE Gustavo Celso de Queiroz Mazzariol Gerente de Tecnologia da Informação REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO

Leia mais

Revisão para a prova B2. Conteúdo das Aulas: 10, 11 e 14

Revisão para a prova B2. Conteúdo das Aulas: 10, 11 e 14 Revisão para a prova B2 Conteúdo das Aulas: 10, 11 e 14 Disciplina: Serviços de Redes Microsoft Professor: Fernando Santorsula fernando.santorsula@esamc.br Disciplina: Serviços de Redes Microsoft Professor:

Leia mais

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Vantagens e desvantagens de uma rede para a organização Maior agilidade com o uso intenso de redes de computadores; Grandes interações

Leia mais

ETEC Dr. Emílio Hernandez Aguilar

ETEC Dr. Emílio Hernandez Aguilar ETEC Dr. Emílio Hernandez Aguilar Grupo: Leonardo; Ronaldo; Lucas; Gustavo; Fabio. 2º Informática Tarde 2º Semestre de 2009 Introdução O PostgreSQL é um SGBD (Sistema Gerenciador de Banco de Dados) objeto-relacional

Leia mais

Introdução a Banco de Dados. Adão de Melo Neto

Introdução a Banco de Dados. Adão de Melo Neto Introdução a Banco de Dados Adão de Melo Neto 1 Por que estudar BD? Os Bancos de Dados fazem parte do nosso dia-a-dia: operação bancária reserva de hotel matrícula em uma disciplina da universidade cadastro

Leia mais

Requisitos do Sistema

Requisitos do Sistema PJ8D - 017 ProJuris 8 Desktop Requisitos do Sistema PJ8D - 017 P á g i n a 1 Sumario Sumario... 1 Capítulo I - Introdução... 2 1.1 - Objetivo... 2 1.2 - Quem deve ler esse documento... 2 Capítulo II -

Leia mais

CARACTERÍSTICAS E FUNCIONALIDADES BÁSICAS INGRIS CMS

CARACTERÍSTICAS E FUNCIONALIDADES BÁSICAS INGRIS CMS CARACTERÍSTICAS E FUNCIONALIDADES BÁSICAS INGRIS CMS Documentação da Infraestrutura de TIC com o INGRIS CMS Cabling Management System INFRAESTRUTURA DE CONECTIVIDADE Um bom sistema de administração provê

Leia mais

BANCO DE DADOS II. AULA MySQL.

BANCO DE DADOS II. AULA MySQL. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM COLÉGIO AGRÍCOLA DE FREDERICO WESTPHALEN BANCO DE DADOS II BANCO DE DADOS II AULA MySQL. DISCIPLINA: Banco de Dados II PROF.: ROMULO VANZIN Data: 27/06/2014 Banco

Leia mais

Windows 2008 Server. Windows 2008 Server IFSP Boituva Prof. Sérgio Augusto Godoy. www.profsergiogodoy.com sergiogutogodoy@hotmail.

Windows 2008 Server. Windows 2008 Server IFSP Boituva Prof. Sérgio Augusto Godoy. www.profsergiogodoy.com sergiogutogodoy@hotmail. Windows 2008 Server IFSP Boituva Prof. Sérgio Augusto Godoy www.profsergiogodoy.com sergiogutogodoy@hotmail.com Windows 2008 Server Construído sob o mesmo código do Vista Server Core (Instalação somente

Leia mais

Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br

Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br Ementa Introdução a Banco de Dados (Conceito, propriedades), Arquivos de dados x Bancos de dados, Profissionais de Banco de dados,

Leia mais

O Termo SIG é aplicado para sistemas que realizam o tratamento computacional de dados geográficos

O Termo SIG é aplicado para sistemas que realizam o tratamento computacional de dados geográficos Prof. Herondino O Termo SIG é aplicado para sistemas que realizam o tratamento computacional de dados geográficos Inserir e integrar, numa única base de dados informações espaciais provenientes de: meio

Leia mais

BRAlarmExpert. Software para Gerenciamento de Alarmes. BENEFÍCIOS obtidos com a utilização do BRAlarmExpert:

BRAlarmExpert. Software para Gerenciamento de Alarmes. BENEFÍCIOS obtidos com a utilização do BRAlarmExpert: BRAlarmExpert Software para Gerenciamento de Alarmes A TriSolutions conta com um produto diferenciado para gerenciamento de alarmes que é totalmente flexível e amigável. O software BRAlarmExpert é uma

Leia mais

Service Appliance IVETIME. Disponibilidade de serviço instantânea! Plug and Play. Segurança. Tolerância a falhas. Manutenção zero. Elevada Performance

Service Appliance IVETIME. Disponibilidade de serviço instantânea! Plug and Play. Segurança. Tolerância a falhas. Manutenção zero. Elevada Performance IVETIME Service Appliance Disponibilidade de serviço instantânea! Aumentar a produtividade Transformar o serviço a Clientes Proteger o capital intelectual Plug and Play Segurança Tolerância a falhas Manutenção

Leia mais

Desenvolvimento de Soluções de e-business. Objetivos do Capítulo

Desenvolvimento de Soluções de e-business. Objetivos do Capítulo Objetivos do Capítulo Utilizar o processo de desenvolvimento de sistemas delineado neste capítulo e o modelo de componentes de SI, do Capítulo 1, como estrutura de solução de problemas de sistemas de informação.

Leia mais

Etapas da evolução rumo a tomada de decisão: Aplicações Isoladas: dados duplicados, dados inconsistentes, processos duplicados.

Etapas da evolução rumo a tomada de decisão: Aplicações Isoladas: dados duplicados, dados inconsistentes, processos duplicados. Histórico Etapas da evolução rumo a tomada de decisão: Aplicações Isoladas: dados duplicados, dados inconsistentes, processos duplicados. Sistemas Integrados: racionalização de processos, manutenção dos

Leia mais

ARQUITETURA TRADICIONAL

ARQUITETURA TRADICIONAL INTRODUÇÃO Atualmente no universo corporativo, a necessidade constante de gestores de tomar decisões cruciais para os bons negócios das empresas, faz da informação seu bem mais precioso. Nos dias de hoje,

Leia mais

Controles gerais iguais aos de pacotes de softwares: Instalação, Configuração, Manutenção, Utilitários.

Controles gerais iguais aos de pacotes de softwares: Instalação, Configuração, Manutenção, Utilitários. $XWDUTXLD(GXFDFLRQDOGR9DOHGR6mR)UDQFLVFR± $(96) )DFXOGDGHGH&LrQFLDV6RFLDLVH$SOLFDGDVGH3HWUROLQD± )$&$3( &XUVRGH&LrQFLDVGD&RPSXWDomR $8',725,$'$7(&12/2*,$'$,1)250$d 2 &RQWUROHVVREUHEDQFRGHGDGRVH PLFURFRPSXWDGRUHV

Leia mais

PROCESSO SELETIVO EXTERNO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

PROCESSO SELETIVO EXTERNO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ANEXO II EDITAL N 06/2014, DE 29 DE SETEMBRO DE 2014 PROCESSO SELETIVO EXTERNO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO A-01 - ASSESSOR TECNICO IV RECRUTAMENTO, SELEÇÃO, TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS Administração

Leia mais

Apresentamos a divisão Portal Moveleiro Tecnologia, habilitada para o desenvolvimento de projetos alinhados a estratégias de e-business.

Apresentamos a divisão Portal Moveleiro Tecnologia, habilitada para o desenvolvimento de projetos alinhados a estratégias de e-business. SOLUÇÕES E-BUSINESS PERSONALIZADAS Apresentação Apresentamos a divisão Portal Moveleiro Tecnologia, habilitada para o desenvolvimento de projetos alinhados a estratégias de e-business. Atuando há 4 anos

Leia mais

GLOBAL SCIENCE AND TECHNOLOGY (ISSN 1984 3801)

GLOBAL SCIENCE AND TECHNOLOGY (ISSN 1984 3801) GLOBAL SCIENCE AND TECHNOLOGY (ISSN 1984 3801) UTILIZAÇÃO DE APLICATIVOS BASE E CALC DO PACOTE BROFFICE.ORG PARA CRIAÇÃO DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE PEQUENO PORTE Wílson Luiz Vinci 1 Marcelo Gonçalves

Leia mais

Linha Criativa por Lunzayiladio Hervé Maimona PORTFOLIO

Linha Criativa por Lunzayiladio Hervé Maimona PORTFOLIO PORTFOLIO 2014 A LINHA CRIATIVA é uma solução de TI focada em produtos inteligentes e simples, actuando no sector de empresas de médio e pequeno porte, nas áreas de terceirização, infra-estrutura, suporte,

Leia mais

Tecnologia da Informação. Prof. Esp. Lucas Cruz

Tecnologia da Informação. Prof. Esp. Lucas Cruz Tecnologia da Informação Prof. Esp. Lucas Cruz Software A utilização comercial da informática nas empresas iniciou-se por volta dos anos 1960. O software era um item menos dispendioso que o hardware, e

Leia mais

Bem-vindo à apresentação do SAP Business One.

Bem-vindo à apresentação do SAP Business One. Bem-vindo à apresentação do SAP Business One. Neste tópico, responderemos à pergunta: O que é o Business One? Definiremos o SAP Business One e discutiremos as opções e as plataformas disponíveis para executar

Leia mais

BUSINESS INTELLIGENCE, O ELEMENTO CHAVE PARA O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES.

BUSINESS INTELLIGENCE, O ELEMENTO CHAVE PARA O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES. Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 88 BUSINESS INTELLIGENCE, O ELEMENTO CHAVE PARA O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES. Andrios Robert Silva Pereira, Renato Zanutto

Leia mais

Anderson L. S. Moreira

Anderson L. S. Moreira Tecnologia da Informação Aula 10 Fato Real A batalha pelos dados Anderson L. S. Moreira anderson.moreira@ifpe.edu.br Instituto Federal de Pernambuco Recife PE Esta apresentação está sob licença Creative

Leia mais

FERRAMENTAS PARA DESENVOLVIMENTO EM C#

FERRAMENTAS PARA DESENVOLVIMENTO EM C# FERRAMENTAS PARA DESENVOLVIMENTO EM C# Camila Sanches Navarro 1,2, Wyllian Fressatti 2 ¹Universidade paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil sanchesnavarro@gmail.com wyllian@unipar.br Resumo. Este artigo

Leia mais

Curso Técnico de Nível Médio

Curso Técnico de Nível Médio Curso Técnico de Nível Médio Disciplina: Informática Básica 3. Software Prof. Ronaldo Software Formado por um conjunto de instruções (algoritmos) e suas representações para o

Leia mais

Software Livre. Agência de Tecnologia da Informação de Sergipe

Software Livre. Agência de Tecnologia da Informação de Sergipe Software Livre Governo do Estado de Sergipe Apresentação AGETIS Situação Encontrada e Motivação SL no Governo de Sergipe Decisão Governamental Decreto 23.706 de 10 de Março de 2006 Projetos Conclusão AGETIS

Leia mais

HOEPERS USA TECNOLOGIA PARA QUEBRAR PARADIGMAS E OBTER GERENCIAMENTO TOTAL DAS DEMANDAS DA ORGANIZAÇÃO

HOEPERS USA TECNOLOGIA PARA QUEBRAR PARADIGMAS E OBTER GERENCIAMENTO TOTAL DAS DEMANDAS DA ORGANIZAÇÃO HOEPERS USA TECNOLOGIA PARA QUEBRAR PARADIGMAS E OBTER GERENCIAMENTO TOTAL DAS DEMANDAS DA ORGANIZAÇÃO Perfil A Hoepers S.A se posiciona no mercado como uma das três maiores empresas de recuperação de

Leia mais

Unidade IV ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS. Software livre se refere à liberdade dos usuários com relação ao software, mais precisamente:

Unidade IV ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS. Software livre se refere à liberdade dos usuários com relação ao software, mais precisamente: ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS Unidade IV DEFINIR A MELHOR SOLUÇÃO DE BANCO DE DADOS PARA AS NECESSIDADES DA EMPRESA.1 O uso das tecnologias.1.1 O software livre 1 A tecnologia de banco de dados, assim

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais Administração de Sistemas de Informação Gerenciais UNIDADE III: Infraestrutura de Tecnologia da Informação Atualmente, a infraestrutura de TI é composta por cinco elementos principais: hardware, software,

Leia mais

Soluções em Vendas Corporativas

Soluções em Vendas Corporativas Soluções em Vendas Corporativas Soluções em Vendas Corporativas Apresentação A Rastek trabalha na venda de toda a linha de produtos de informática, garantindo o atendimento às necessidades do cliente Trabalhamos

Leia mais

O que é o Virto ERP? Onde sua empresa quer chegar? Apresentação. Modelo de funcionamento

O que é o Virto ERP? Onde sua empresa quer chegar? Apresentação. Modelo de funcionamento HOME O QUE É TOUR MÓDULOS POR QUE SOMOS DIFERENTES METODOLOGIA CLIENTES DÚVIDAS PREÇOS FALE CONOSCO Suporte Sou Cliente Onde sua empresa quer chegar? Sistemas de gestão precisam ajudar sua empresa a atingir

Leia mais

Computação em Nuvem Apresentação Executiva

Computação em Nuvem Apresentação Executiva Expresso em Nuvem - Lançamento 2010 Computação em Nuvem Apresentação Executiva Apresentador: Wilton Mota Março de 2010 Institutional Presentation of SERPRO Agenda Institucional SERPRO; Conceitos de Computação

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Sistemas de Informação Prof. M.Sc. Diego Fernandes Emiliano Silva diego.femiliano@gmail.com Agenda Infraestrutura de TI Infraestrutura de TI: hardware Infraestrutura de TI: software Administração dos recursos

Leia mais

EMPRESA DE PROCESSAMENTO DE DADOS DA PREVIDÊNCIA SOCIAL - DATAPREV

EMPRESA DE PROCESSAMENTO DE DADOS DA PREVIDÊNCIA SOCIAL - DATAPREV Experiência: DESCENTRALIZAÇÃO DA CONCESSÃO DE BENEFÍCIOS EMPRESA DE PROCESSAMENTO DE DADOS DA PREVIDÊNCIA SOCIAL - DATAPREV Responsáveis: JOEL RAMOS - GERENTE DE ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS SÉRGIO

Leia mais

Thalita Moraes PPGI Novembro 2007

Thalita Moraes PPGI Novembro 2007 Thalita Moraes PPGI Novembro 2007 A capacidade dos portais corporativos em capturar, organizar e compartilhar informação e conhecimento explícito é interessante especialmente para empresas intensivas

Leia mais

Missão dada pelo Prefeito

Missão dada pelo Prefeito Paradigmas AÇÕES SETOR PÚBLICO Direcionadas de acordo com o que é determinado ou autorizado por lei SETOR PRIVADO Direcionadas de acordo com o que não é proibido por lei PESSOAS Instabilidade da Gerência

Leia mais

INTRODUÇÃO E CONCEITOS BÁSICOS. Prof. Ronaldo R. Goldschmidt

INTRODUÇÃO E CONCEITOS BÁSICOS. Prof. Ronaldo R. Goldschmidt INTRODUÇÃO E CONCEITOS BÁSICOS Prof. Ronaldo R. Goldschmidt Hierarquia Dado - Informação - Conhecimento: Dados são fatos com significado implícito. Podem ser armazenados. Dados Processamento Informação

Leia mais

Informática I. Aula 25. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Baseada no Capítulo 2 do Livro Introdução a Informática Capron e Johnson

Informática I. Aula 25. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Baseada no Capítulo 2 do Livro Introdução a Informática Capron e Johnson Informática I Aula 25 Baseada no Capítulo 2 do Livro Introdução a Informática Capron e Johnson http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 25-12/07/06 1 Ementa Histórico dos Computadores Noções de

Leia mais

Informe 2015. Foxit PDF Security Suite Integrado com o Serviço de Gerenciamento de Direitos do Microsoft Active Directory

Informe 2015. Foxit PDF Security Suite Integrado com o Serviço de Gerenciamento de Direitos do Microsoft Active Directory Informe 2015 Foxit PDF Security Suite Integrado com o Serviço de Gerenciamento de Direitos do Microsoft Active Directory Sumário Introdução... 3 Ambientes do Foxit PDF Security Suite... 4 Aplicar políticas

Leia mais

Parceiro Oficial de Soluções Zimbra no Brasil

Parceiro Oficial de Soluções Zimbra no Brasil Apresentação A Vantage TI conta uma estrutura completa para atender empresas de todos os segmentos e portes, nacionais e internacionais. Nossos profissionais dedicam-se ao desenvolvimento e criação de

Leia mais

Banco de Dados I 2007. Módulo I: Introdução a Sistemas de Banco de Dados. (Aula 1) Clodis Boscarioli

Banco de Dados I 2007. Módulo I: Introdução a Sistemas de Banco de Dados. (Aula 1) Clodis Boscarioli Banco de Dados I 2007 Módulo I: Introdução a Sistemas de Banco de Dados (Aula 1) Clodis Boscarioli Agenda: Apresentação do Plano de Ensino; Aspectos Históricos; Estrutura Geral de um SGBD; Profissionais

Leia mais

Modelos de Negócio com Software Livre

Modelos de Negócio com Software Livre Modelos de Negócio com Software Livre Marcelo Souza (marcelo@cebacad.net) Tech Jr. Empresa Júnior de Informática UCSal CEBACAD Centro Baiano de Computação de alto Desempenho PSL-BA Projeto Software Livre

Leia mais

Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional

Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional Juarez Bachmann Orientador: Alexander Roberto Valdameri Roteiro Introdução Objetivos Fundamentação teórica Desenvolvimento

Leia mais

EDITAL N 01/2014 DE 20 DE MAIO DE 2014 PROCESSO SELETIVO EXTERNO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

EDITAL N 01/2014 DE 20 DE MAIO DE 2014 PROCESSO SELETIVO EXTERNO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ANEXO II EDITAL N 01/2014 DE 20 DE MAIO DE 2014 PROCESSO SELETIVO EXTERNO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO A-01 - ASSESSOR TECNICO III - COORDENADOR/SUPERVISOR PEDAGOGICO; A-02 - ASSESSOR TECNICO III - COORDENADOR/SUPERVISOR

Leia mais

PENTAHO. História e Apresentação

PENTAHO. História e Apresentação PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Curso: Banco de Dados Disciplina: Laboratório de Data Warehouse e Business Intelligence Professor: Fernando Zaidan Unidade 2 2012 Crédito dos Slides: Clever Junior 2 PENTAHO História

Leia mais

Ferramentas de Administração. PostgreSQL

Ferramentas de Administração. PostgreSQL Ferramentas de Administração ao SGBD PostgreSQL Diego Rivera Tavares de Araújo diegoriverata@gmail.com Introdução Mas o que é PostgreSQL? Introdução as ferramentas O PostgreSQL pode ser acessado a partir

Leia mais

Tecnologia da Informação. Prof. Esp. Lucas Cruz

Tecnologia da Informação. Prof. Esp. Lucas Cruz Tecnologia da Informação Prof. Esp. Lucas Cruz Componentes da Infraestrutura de TI Software A utilização comercial da informática nas empresas iniciou-se por volta dos anos 1960. O software era um item

Leia mais