E s c o p o d e P r o j e t o s e S e r v i ç o s d e. Estrutura

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "E s c o p o d e P r o j e t o s e S e r v i ç o s d e. Estrutura"

Transcrição

1 M a n u a l d e E s c o p o d e P r o j e t o s e S e r v i ç o s d e Estrutura

2

3 M a n u a l d e E s c o p o d e P r o j e t o s e S e r v i ç o s d e Estrutura

4 Direitos DIREITOS autorais AUTORAIS reservados RESERVADOS Todos os direitos desta edição, reprodução ou tradução são reservados. A reprodução deste Manual só pode ser feita mediante download, após cadastro individual e pessoal através do site de cada entidade signatária, ou autorizada para este fim. Nenhuma parte ou todo desta publicação pode ser reproduzida, alterada ou transmitida de outra forma ou meio, sem autorização expressa da Comissão Gestora dos Manuais In In Memorian Ao término deste longo e árduo trabalho, no momento da celebração da sua conclusão, lamentavelmente perdemos o colega, amigo e incansável batalhador pelas causas da cadeia produtiva da indústria da construção civil e em particular do setor de projetos: ROBERTO AMÁ. Por isso dedicamos a ele todos os Manuais de Escopo de Projetos e Serviços. 4

5 Apresentação Geral No Fluxo de Projeto observado no mercado, a divisão do desenvolvimento do trabalho de engenharia estrutural se dá em fases. Desta forma, a contratação dos serviços de engenharia estrutural pode contemplar todas as fases, ou algumas, dependendo do momento e objetivos da contratação. O ideal, para o desenvolvimento do projeto, é que a contratação ocorra logo na primeira fase, quando da concepção do produto, como se apresenta a seguir. Como as margens de lucro nos empreendimentos são cada vez menores e a necessidade de racionalização estrutural cada vez maior, a participação do projetista estrutural em todas as fases é muito importante para atingir os resultados empresarias pretendidos. A elaboração de um projeto é um processo complexo, envolvendo diversas interfaces e cuja contratação e coordenação racional envolve diversas dificuldades; adicionalmente, a dinâmica do mercado imobiliário tem exigido uma otimização cada vez maior do projeto. De modo a permitir essa otimização, torna-se necessário o estabelecimento de um fluxo de trabalho estável e padronizado na elaboração dos diversos projetos de um empreendimento, onde as etapas a serem cumpridas atendam adequadamente às necessidades de todos os intervenientes, e contribuam para a interação eficiente entre as diversas equipes. O escopo apresentado abaixo constitui uma seqüência de atividades, organizada em fases bem definidas, que podem determinar com clareza cronogramas, medições e outras etapas notáveis, conforme os interesses em cada caso específico, e que foram organizadas de modo a suprir as necessidades de cada interveniente da cadeia de produção imobiliária, antes, durante e depois do período de projeto: antes, porque é inegável a necessidade de mobilização de todas as equipes de projeto envolvidas no instante adequado, que ocorre desde o surgimento da idéia do próprio empreendimento, atuando na qualidade de consultores; durante, porque a racionalização dos projetos é o fator que melhor pode contribuir para que se obtenha um produto coerente e ajustado, atingindo de forma mais rápida, direta e com menor custo o objetivo do investimento; depois, porque o projeto continuará sendo, por toda a existência do empreendimento, a principal referência técnica do empreendimento, contribuindo para sua manutenção e operação correta, adequada e econômica. Nos itens a seguir são apresentadas as diversas fases do processo de elaboração de um projeto. FASE A apoio à concepção do produto (Estudo Preliminar conforme NBR ) Analisar a proposta arquitetônica para o terreno e indicar as condições necessárias à viabilidade do ponto de vista da estrutura, através de uma análise qualitativa. FASE B - apoio à definição do produto (Estudo Preliminar conforme NBR ) Fornecer elementos para verificar a viabilidade do empreendimento, suprindo as informações necessárias para o projeto legal e índices para elaboração de um orçamento preliminar de viabilidade. FASE C Identificação E Solução De Interfaces (Pré-executivo / Projeto Básico, conforme NBR ) Gerar desenhos de estruturas com todas as indicações necessárias para intercâmbio entre todos os projetistas envolvidos no projeto, resultando, após a negociação de possíveis soluções, num projeto com todas as interfaces, de outros projetistas, resolvidas (inclusive furos e embutidos de lajes, pilares e vigas). FASE D PROJETO DE DETALHAMENTO DAS ESPECIALIDADES (Projeto Executivo conforme NBR )

6 Apresentação Geral Desenvolver o projeto de obra, ou seja: para Concreto e Alvenaria Estrutural: Detalhamento das armações dos elementos estruturais e incorporação de detalhes de produção dependendo do sistema construtivo. para Estrutura de Aço: Projeto Estrutural Unifilar Básico, com detalhes dos apoios e das interfaces com as demais especialidades. FASE E PÓS-ENTREGA DO PROJETO Garantir a plena compreensão e utilização adequada das informações de projeto estrutural, bem como sua aplicação correta nos trabalhos de campo. FASE F PÓS-ENTREGA DA OBRA Analisar o comportamento da estrutura em serviço ou adaptá-la a novas condições de serviço. CONSIDERAÇÕES INICIAIS O intento do presente documento é definir de forma clara e objetiva quais são e como se desenvolvem os serviços de engenharia estrutural. Isto permitirá uma maior equalização na contratação de serviços que resultará num projeto com insumos e produtos bem definidos. Quando conseguirmos uniformizar a contratação e desenvolvimento dos serviços de engenharia estrutural, será mais fácil para o contratante poder avaliar e qualificar seus fornecedores, melhorando as condições de trabalho de todos os envolvidos no processo. Fluxo de Desenvolvimento e Aprovação Ao dividir o fluxo de desenvolvimento em etapas, estabelecem-se objetivos para cada etapa. Para atingi-los, parte-se de premissas (insumos) que serão trabalhadas gerando os produtos de cada escopo. Tais produtos devem ser formalmente aprovados pelos envolvidos no processo para que se inicie a etapa subseqüente. Fica claro que a alteração total ou parcial das premissas durante o desenvolvimento da etapa prejudica os trabalhos gerando re-trabalho que deve ser objeto de acerto de remuneração. Serão objeto de acerto de remuneração todos os trabalhos que tiverem de ser refeitos por alterações de premissas, pelo contratante ou seu preposto, durante o desenvolvimento da etapa. Finalmente, para caracterizar as etapas e o escopo de projeto, precisamos definiram-se alguns conceitos neste trabalho: Serviços Essenciais : Produtos que serão desenvolvidos em cada etapa do projeto estrutural usualmente contratado sem exigências específicas. Serviços Específicos : São serviços não usuais, adicionais aos Serviços Essenciais e que poderão ser desenvolvidos pelo projetista de estrutura no caso de solicitação expressa e específica do contratante. Sua remuneração não poderá estar incluída nos Serviços Essenciais. Estes serviços foram agrupados, conforme a freqüência de ocorrência em algumas etapas e especialidades. Serviços Opcionais : São serviços que normalmente são feitos por outros profissionais, mas que alguns projetistas de estrutura possuem qualificação para faze-lo e podem ser contratados diretamente para seu desenvolvimento.

7 Apresentação Geral Apresentação Geral A definição prévia, clara e cuidadosa do escopo dos serviços envolvidos na elaboração de projetos, é uma necessidade para o início de qualquer projeto em qualquer tipo de empreedimento. No entanto, nem sempre acontece dessa forma. Muitos projetos (grandes ou pequenos) começam com CÓDIGOS acordos mal-ajustados PARA A ATIVIDADE entre seus DO idealizadores ESCOPO DE e os PROJETO responsáveis ESTRUTURAL pela preparação dos projetos. Dúvidas sobre o que, quando e como deveria ser elaborado, desenvolvido e entregue pelos projetistas são Definição de critérios para códigos comuns em todas as etapas do projeto, gerando situações desconfortáveis para todos os envolvidos. De um lado, Código os empreendedores, STR-n000 : com a impressão de que pagaram por serviços que não foram efetivamente realizados. De STR outro,» Indicação profissionais de atividades e empresas do de projeto projeto, estrutural que apesar de cumprirem todas as tarefas que imaginaram fazer, n» têm Fase sua do imagem Fluxo de desgastada Projeto pelo descontentamento dos contratantes. 000 A situação» Código não numérico é benéfica da para Atividade. nenhuma das partes e, muitas vezes, nasce de um contrato mal-redigido, ou com lacunas importantes, que poderiam ser evitadas se houvesse um padrão para servir de referência para Número às contratações. Designação Para pôr Serviços fim a esse Essenciais estado de para coisas, Atividades as entidades Gerais representativas do Projeto Estrutural do setor e ao de Sistema projetos, Convencional Abece, Abrasip, 001 Asbea, a 019com de a Concreto participação Armado das entidades moldado setoriais in loco representativas dos contratantes de projetos do setor imobiliário e da construção, Secovi-SP, Sindinstalação e Sinduscon-SP, uniram esforços para oferecer ao 021 mercado a 030 uma Serviços ferramenta Essenciais capaz para de esclarecer Atividades de Relacionadas uma vez por à todas Alvenaria como Estrutural desenvolver bons projetos, com toda a segurança, cumprindo todas as etapas necessárias: um guia completo do que deve fazer parte dos Serviços Essenciais para Atividades Relacionadas à sistema com uso de elementos Pré- 031 projetos a 040 e qual o nível de detalhamento requerido, cuja utilização evitará os desgastes, mal-entendidos e Moldados desencontros tão comumente observados no mercado. 041 a 050 Atividades Relacionadas à Estrutura Metálica Assim nasceu o conjunto de Manuais de Escopo de Projetos e Serviços para Indústria Imobiliária 101 voltados a 200 inicialmente Serviços Específicos para as áreas do dos Empreendimento projetos de Arquitetura e Urbanismo, Estrutura, Sistemas Elétricos e Hidráulicos, perfeitamente integrados e compatibilizados entre si. O que se espera é que este conjunto de 201 manuais a 300seja Serviços um começo, Opcionais referência para a criação de outros manuais abrangendo outras especialidades de projeto. Posteriormente seguindo a mesma sistemática, foram desenvolvidos os Manuais de Escopo de Serviço para Coordenação de Projetos e o Manual de Escopo de Projetos e Serviços de Ar Condicionado e Ventilação Mecânica. A idéia que sustenta essa iniciativa não é cercear a liberdade dos procedimentos de contratação, mas facilitar esse processo, contribuindo para que os projetos se tornem uma ferramenta importante na otimização e aumento de produtividade dos serviços nos canteiros de obras, a partir da disponibilidade de referências claras, corretas e completas quanto ao que deve ser executado. A definição clara do escopo dos projetos é um primeiro passo de uma mudança cultural importantíssima para o setor da construção brasileira. A partir da organização das etapas do próprio empreendimento, isso levará a uma revisão de todos os relacionamentos entre os agentes que interagem em seu desenvolvimento. Além disso, ele tende a melhorar a definição das responsabilidades envolvidas, atendendo às exigências do novo Código Civil. A reprodução dos Manuais ocorrerá por meio de downloads através dos sites das entidades. Este processo permitirá que atualizações periódicas sejam feitas através de uma Comissão Gestora com representantes das entidades que participaram e participam dos Manuais, possibilitando assim um conjunto de Manuais sempre atualizados. Arq Henrique Cambiaghi Arq. Roberto Amá Eng.Augusto Pedreira de Freitas Eng.Marcelo Rozenberg Eng.Fabio Pimenta Eng.Levon Sevzatian Eng. Carlos Massaru Kayano Eng. Raul José de Almeida Eng. Ricardo Bunemer Eng. Silvio Melhado Arq. Cecília Levy Arq. Eliane Adesse Arq. Márcio Luongo Eng. Marco Antonio Manso 5

8

9 Sumário ÍNDICE GERAL

10 10

11 SUMÁRIO - ÍNDICE GERAL FASE A - CONCEPÇÃO DO PRODUTO (Estudo Preliminar e sub fases, conforme NBR ) Serviços Essenciais STR-A 001 Relatório de viabilidade estrutural da proposta arquitetônica 17 FASE B - DEFINIÇÃO DO PRODUTO (Ante-Projeto e sub fases, conforme NBR ) Serviços Essenciais STR-B 001 Definição sumária de solução construtiva 19 Serviços Opcionais STR-B 101 Definição de solução com Índices para orçamento 23 FASE C - IDENTIFICAÇÃO E SOLUÇÃO DE INTERFACES (Pré-Executivo e Projeto Básico, conforme NBR ) Serviços Essenciais STR-C 001 Pré-formas de todos os pavimentos 25 STR-C 002 Formas de todos os pavimentos 28 STR-C 021 Alvenaria Estrutural modulação de todos pavimentos. 29 STR-C 031 Estrutura pré-fabricada definição geométrica 30 STR-C 041 Estrutura metálica diagrama unifilar 31 Serviços Específicos STR-C 101 Memorial descritivo. 32 FASE D - PROJETO DE DETALHAMENTO DAS ESPECIALIDADES (Projeto Executivo / Detalhamento, conforme NBR ) Serviços Essenciais STR-D 001 Locação de apoios, pilares e cargas. 33 STR-D 002 Forma da Fundação 36 STR-D 003 Projeto estrutural dos elementos estruturais de fundação 37 STR-D 004 Projeto de contenções internas e externas à edificação 38 STR-D 005 Projeto estrutural com formas, armações, detalhes construtivos 39 STR-D 006 Plano de cimbramento 40 STR-D 007 Quantitativos de área de forma, volume de concreto e consumo de aço 41 STR-D 021 Estrutura de Alvenaria projeto de 1ª e 2ª fiadas e elevação das paredes 42 STR-D 022 Estrutura de Alvenaria memorial descritivo do processo construtivo da estrutura 43 STR-D 023 Estrutura de Alvenaria quantitativos de área de forma, volume de concreto, tipologias de blocos e consumo de aço 44 STR-D 031 Estrutura Pré-Moldada Projeto dos elementos pré-moldados 45 STR-D 032 Estrutura Pré-Moldada Memorial descritivo do processo construtivo da estrutura com pré-moldados 46 STR-D 033 Estrutura Pré-Moldada Quantitativos de área de forma, volume de concreto, consumo de aço e números de peças pré-moldadas 47 STR-D 041 Estrutura Metálica Projeto estrutural unifilar com detalhes construtivos dos insertos e chumbadores 48 11

12 SUMÁRIO - ÍNDICE GERAL STR-D 042 Estrutura Metálica Verificação qualitativa dos desenhos de fabricação, quanto ao atendimento das premissas do projeto unifilar 49 Serviços Específicos STR-D 101 Projeto de laje estrutural nas fundações 50 STR-D 102 Laje de subpressão 51 STR-D 103 Parede diafragma 52 STR-D 104 Cortina atirantada 53 STR-D 105 Projeto de câmara transformadora 54 STR-D 106 Memorial descritivo do processo construtivo da estrutura 55 STR-D 107 Projeto de protensão 56 STR-D 108 Projeto de contenções provisórias 57 STR-D 109Projeto de escoramento de valas 58 STR-D 110 Piso estrutural 59 STR-D 111 Interferência com construções existentes 60 STR-D 121 Alvenaria Estrutural Projeto de Produção 61 STR-D 122 Estruturação de alvenarias especiais 62 STR-D 131 Projeto de montagem dos pré-moldados 63 STR-D 132 Insertos para fixação de pré-moldados 64 STR-D 141 Estrutura Metálica Memorial descritivo 65 STR-D 142 Estrutura Metálica Projeto completo de montagem 66 Serviços Opcionais STR-D 201 Projeto de cimbramentos 67 STR-D 202 Projeto de fabricação de formas 68 STR-D 203 Memória de cálculo 69 STR-D 221 Projeto para o posicionamento provisório dos pallets 70 STR-D 222 Projeto de modulação de alvenaria de vedação 71 STR-D 241 Estrutura Metálica Projeto de fabricação/oficina 72 FASE E - PÓS-ENTREGA DO PROJETO Serviços Essenciais STR-E 001 Visitas técnicas 73 STR-E 002 Assistência à obra 76 Serviços Específicos STR-E 101 Visitas técnicas à obra 77 STR-E 102 Verificação da estrutura e elaboração de relatório técnico 78 STR-E 103 Detalhamento de reforço estrutural 79 Serviços Opcionais STR-E 201 Acompanhamento dos serviços de execução 80 12

13 SUMÁRIO - ÍNDICE GERAL STR-E 202 Orientação para correção de vícios construtivos 81 STR-E 203 Desenhos de Como Construído (As Built) 82 STR-E 241 Estrutura metálica Visita ao fabricante da estrutura de aço 83 FASE F - PÓS-ENTREGA DA OBRA Serviços Essenciais STR-F 001 Visita técnica à obra para avaliação de anomalia estrutural 85 Serviços Específicos STR-F 101 Elaboração de relatório técnico para mudança das características de utilização da estrutura (novas situações de carregamento) 88 STR-F 102 Projeto de reforço estrutural para novas situações de carregamento não previstas no projeto original 89 STR-F 103 Planejamento, acompanhamento e interpretação de Prova de Carga 90 AGRADECIMENTOS 91 13

14 14

15 A Apoio à concepção do produto Objetivo: Analisar a proposta arquitetônica para o terreno e indicar as condições necessárias à viabilidade do ponto de vista da estrutura, através de uma análise qualitativa. 15

16 16

17 A CONCEPÇÃO DO PRODUTO str-a 001 Serviços Essenciais Relatório de viabilidade estrutural da proposta arquitetônica Emissão de uma opinião qualitativa sobre a viabilidade da estrutura, para um estudo arquitetônico recebido, para um determinado terreno, podendo ser fornecido um croquis do lançamento de pilares, se for o caso. Arquitetura Croquis do Terreno; Planta do pavimento tipo; Características do Empreendimento: (número de pavimentos e subsolos). Relatório escrito com croquis de lançamento de pilares se for considerado essencial pelo projetista estrutural Serviços Associados Assistência conceitual ao empreendedor Assistência conceitual ao projetista de arquitetura 17

18 18

19 B Apoio à definição do produto Objetivo: Fornecer elementos para verificar a viabilidade do empreendimento, suprindo as informações necessárias para o projeto legal e índices para elaboração de um orçamento preliminar de viabilidade 19

20 20

21 B DEFINIÇÃO DO PRODUTO str-b 001 Serviços Essenciais Definição sumária de solução construtiva Concepção básica de sistemas Estruturais Análise comparativa das alternativas estruturais para definição do sistema a ser adotado: Materiais da estrutura Concreto armado Concreto protendido Estrutura metálica Estrutura de alumínio Estrutura de madeira Estrutura em alvenaria Estrutura mista metálica + concreto tecnologia construtiva estrutura moldada in loco estrutura industrializada tipologia estrutural estrutura articulada estrutura contínua O número de alternativas a ser estudado deve ser determinado a priori. Em projetos usuais, recomenda-se 2 alternativas. Empreendedor Planejamento de Execução Prazo de Obra e Tempo para início dos trabalhos no campo Fluxo de Caixa Disponível Arquitetura Croquis do Terreno Plantas de pavimentos-tipo Características do Empreendimento: Número de pavimentos e de subsolos Contenções / Topografia Implantação Restrições de vizinhança e legais Construtor Tecnologias de construção a serem aplicadas Equipamentos disponíveis Geotecnia Previsão de solução de fundação e contenções Previsão de solução para as interferências 21

22 B DEFINIÇÃO DO PRODUTO str-b 001 Serviços Essenciais Definição sumária de solução construtiva Instalações Previsão de áreas / ambientes / espaços técnicos necessários Previsão de aberturas (shafts) Necessidade de espaços livres no entre forro e no entre piso Consultores Pareceres específicos. Croquis com as principais dimensões estruturais estimadas c/ tolerância de 10% Quantitativos aproximados de materiais para cada solução em estudo Apresentação das alternativas estruturais Assistência conceitual ao empreendedor Assistência conceitual aos projetistas de outras disciplinas 22

23 B DEFINIÇÃO DO PRODUTO str-b 101 Serviços Opcionais Definição de solução com Índices para orçamento Estudo de soluções estruturais específicas, com fornecimento de índices de consumo de materiais para efeito de orçamento preliminar de cada uma delas Arquitetura Projeto legal com incorporação de todos os elementos e exigências das soluções construtivas propostas na fase STR B001. Pré-Formas dos pavimentos escolhidos, cotados e com cortes, com dimensões dos elementos estruturais calculadas com tolerância de 5% Quantitativos de Materiais de cada solução em estudo 23

24 24

25 C Solução de Interfaces Objetivo: Gerar desenhos de estruturas com todas as indicações necessárias para intercâmbio entre todos os projetistas envolvidos no projeto, resultando, após a negociação de possíveis soluções, num projeto com todas as interfaces, de outros projetistas, resolvidas (inclusive furação de vigas). 25

26 26

27 C IDENTIFICAÇÃO E SOLUÇÃO DE INTERFACES STR-c 001 Serviços Essenciais Pré-formas de todos os pavimentos Pré-formas de todos os pavimentos, cotadas e com cortes, com dimensões dos elementos estruturais calculadas com tolerância de 5% Dados listados na etapa STR B 001, acrescidos de: Arquitetura Projeto completo com plantas e cortes. Não são necessários projetos de produção, com detalhamento de caixilhos, batentes, etc. Estudo estrutural produzido em STR B001 aprovado e comentado Instalações Projeto de todos os pavimentos com indicação de aberturas (shafts) e furação em vigas, paredes e lajes. Não são necessários os detalhes executivos de instalações Contratante Definição objetiva sobre as eventuais alternativas e soluções adotadas pelos projetistas envolvidos Projetista de Produção Características técnicas dos equipamentos previstos para serem utilizados no processo executivo Análise das interfaces e soluções de compatibilização entre os sistemas envolvidos Paisagismo Croquis da solução de paisagismo com layout e posicionamento de circulação e equipamentos Impermeabilização Detalhes executivos de impermeabilização que tenham interferência com a estrutura Pré- Formas de todos os Pavimentos, com cortes elucidativos, com as principais cotas e dimensões indicadas Serviços Associados Assistência, esclarecimento e participação do projetista estrutural nas discussões necessárias para a solução das interfaces Assistência conceitual aos projetistas de outras especialidades 27

28 C IDENTIFICAÇÃO E SOLUÇÃO DE INTERFACES str-c 002 Serviços Essenciais Formas de todos os pavimentos Desenvolvimento do projeto de formas das estruturas (plantas de forma), a partir das pré-formas comentadas e aprovadas. Nesta fase ainda há possibilidade de se negociar e efetuar poucas e pequenas alterações se houver algum tipo de interferência com os demais projetistas envolvidos Dados listados na etapa STR B001 e STR C 001, acrescidos de: Arquitetura Pré-formas aprovadas e comentadas Planta de Formas de todos os Pavimentos, com cortes elucidativos, devidamente cotadas e detalhadas (inclusive furação de vigas) Serviços Associados Assistência, esclarecimento e participação do projetista estrutural nas discussões necessárias para a solução das interfaces Assistência conceitual aos projetistas de outras especialidades 28

29 C IDENTIFICAÇÃO E SOLUÇÃO DE INTERFACES str-c 021 Serviços Essenciais Alvenaria Estrutural modulação de todos pavimentos Projeto de 1ª fiada de toda a Alvenaria Estrutural a ser levantada. Os projetos devem ser desenvolvidos de forma completa, com possibilidade de poucas e pequenas alterações que ainda sejam solicitadas nas negociações entre os projetistas envolvidos. Observação Esta atividade complementa a etapa STR C002 e é imprescindível quando se utiliza o sistema de alvenaria estrutural. Dados listados na etapa STR C001 Produtos da etapa STR C 001 devidamente aprovados pela Arquitetura Plantas de 1ª Fiada dos diversos pavimentos, devidamente aprovados pela Arquitetura, com especificação dos pontos de grauteamento Plantas de forma conforme STR C002 Plantas e elevações padrão das paredes estruturais. Posicionamento e especificação de groutes Plantas de 1 a fiada de todos os pavimentos com paredes estruturais Observações Ficam como pendências para o projeto executivo da estrutura em alvenaria estrutural as elevações das alvenarias que precisam de detalhes da arquitetura e dos projetos de instalações hidráulicos e elétricas para a sua conclusão. Serviços Associados Assistência, esclarecimento e participação do projetista estrutural nas discussões necessárias para a solução das interfaces Assistência conceitual aos projetistas de outras especialidades 29

30 C IDENTIFICAÇÃO E SOLUÇÃO DE INTERFACES str-c 031 Serviços Essenciais Estrutura pré-fabricada definição geométrica dos elementos pré-moldados Definição da geometria das peças, com 5% de tolerância nas dimensões, com o objetivo de verificar compatibilização e interfaces com demais projetistas. Observação Projeto complementa a etapa STR C002 e é imprescindível quando se utiliza o sistema estrutura com elementos pré-moldados ou pré-fabricados. Dados listados na etapa STR C002 Planta de forma do conjunto de peças de todos os pavimentos, cotadas e com indicação da geometria das peças pré-moldadas, conforme indicado em STR C002 Observação Ficam como pendências para o projeto executivo da estrutura com pré-moldados, os projetos executivos de instalações hidráulicas e elétricas, devido ao posicionamento de conduítes e passagens. 30

31 C IDENTIFICAÇÃO E SOLUÇÃO DE INTERFACES str-c 041 Serviços Essenciais Estrutura metálica diagrama unifilar preliminar Desenvolvimento dos diagramas unifilares do projeto de estrutura em aço, com possibilidade de poucas e pequenas alterações que venham a ser necessárias devido às negociações entre os projetistas envolvidos. Observação Projeto necessário em edificações que utilizam estrutura metálica. Complementa etapa STR C002 Dados listados na etapa STR C002, acrescidos de: Concreto Plantas de forma da estrutura, com cortes elucidativos e definição das aberturas Diagramas unifilares da estrutura de aço, para todos os pavimentos e cobertura Desenhos cotados, com a indicação dos perfis metálicos utilizados, cortes e detalhes, além de anotação relativa ao fato daquele projeto estar sendo emitido para cotação de preços no mercado Lista preliminar de materiais Serviços Associados Assistência, esclarecimento e participação do projetista estrutural nas discussões necessárias para a solução das interfaces Assistência conceitual aos projetistas de outras especialidades 31

32 C IDENTIFICAÇÃO E SOLUÇÃO DE INTERFACES str-c 101 Serviços Essenciais Memorial Descritivo Emissão de Memorial Descritivo da estrutura metálica para orientação do processo de licitação Dados listados na etapa C041 Relatório de Memorial Descritivo Serviços Associados Assistência, esclarecimento e participação do projetista estrutural nas discussões necessárias para a solução das interfaces Assistência conceitual aos projetistas de outras especialidades 32

33 D PROJETO DE DETALHAMENTO O início desta fase é caracterizado pela entrega da locação de pilares e cargas (após a solução de todas interfaces), desenvolvendo-se, após recebimento de insumos da geotecnia, o projeto da forma da fundação (blocos ou sapatas e baldrames). Desenvolvimento do projeto de estrutura, partindo-se de um projeto de formas com todas as interfaces solucionadas. As armações, que se constituem no produto do projeto estrutural a ser usado diretamente na obra, são detalhadas sem a necessidade de revisão por novas interfaces, o que resulta num projeto rápido e com menor possibilidade de erro. 33

34 34

35 D PROJETO DE DETALHAMENTO str-d 001 Serviços Essenciais Projeto estrutural em concreto moldado in loco Arquitetura Projeto final das Interfaces Solucionadas Produtos das fases STR-C aprovados Instalações Projeto final das Interfaces Solucionadas Formas da estrutura, exceto fundações e contenções Armação dos Elementos Estruturais, exceto fundações e contenções Detalhes Executivos das Armações, exceto fundações e contenções Relatório de Quantitativos (área de forma, volume de concreto, e tabela de aço nas respectivas pranchas) 35

36 d PROJETO DE DETALHAMENTO STR-D 002 Serviços Essenciais Locação de apoios, pilares e cargas Confirmação final do posicionamento dos pilares e cargas, para locação e início da obra Arquitetura Projeto final das Interfaces Solucionadas Produtos das fases STR-C aprovados Instalações Projeto final das Interfaces Solucionadas Planta de locação de pilares e cargas Entrega final do projeto em mídia magnética (extensão: plt). Não se considera a entrega em cópias impressas ou plotadas. 36

37 d PROJETO DE DETALHAMENTO str-d 003 Serviços Essenciais Forma da Fundação Arquitetura Projeto final das Interfaces Solucionadas Produtos das fases STR-C aprovados Instalações Projeto final das Interfaces Solucionadas Geotecnia Parâmetros para modelagem da interface estrutura e fundações. Projeto de movimento de terra Projeto de fundação (estaqueamento, tubulão, projeção de sapatas, taxa de solo) e contenções Seqüência executiva das contenções quando as obras de fundação têm ligação com a estrutura Projeto de solução para as interferências Especificações executivas Forma da fundação (as demais constam da fase STR-D001) Armação dos Elementos Estruturais das fundações Detalhes Executivos das Armações das fundações Relatório de Quantitativos (área de forma, volume de concreto, e tabela de aço nas respectivas pranchas) 37

38 D PROJETO DE DETALHAMENTO str-d 004 Serviços Essenciais Projeto estrutural dos elementos estruturais de fundação Geotecnia Aprovação da forma da fundação (STR-D003) Armação dos Elementos Estruturais das fundações Detalhes Executivos das Armações das fundações Relatório de Quantitativos (área de forma, volume de concreto, e tabela de aço nas respectivas pranchas) 38

39 D PROJETO DE DETALHAMENTO str-d 005 Serviços Essenciais Projeto de contenções internas e externas à edificação Projeto de contenções com base na orientação de geotecnia quanto aos esforços e de instalações hidráulicas, no que se refere à drenagem superficial e subterrânea Dados listados na etapa STR-D003 Forma, armação e detalhes construtivos das contenções 39

40 D PROJETO DE DETALHAMENTO str-d 006 Serviços Essenciais Plano de Cimbramento Definição do percentual de escoras a serem mantidas durante o processo de cura do concreto em cada data Produtos listados na etapa STR-D001. Relatório gráfico ou por escrito do plano de cimbramentos ou de reescoramento 40

41 D PROJETO DE DETALHAMENTO str-d 007 Serviços Essenciais Quantitativos de área de forma, volume de concreto e consumo de aço Quantitativos de consumo de concreto, forma e aço para estrutura convencional moldada in loco Produtos listados na etapa STR-D001. Relatório de quantidades (área de forma, volume de concreto e tabela de aço, nas respectivas pranchas de desenho). 41

E s c o p o d e P r o j e t o s e S e r v i ç o s d e. Estrutura

E s c o p o d e P r o j e t o s e S e r v i ç o s d e. Estrutura M a n u a l d e E s c o p o d e P r o j e t o s e S e r v i ç o s d e Estrutura Direitos DIREITOS autorais AUTORAIS reservados RESERVADOS Todos os direitos desta edição, reprodução ou tradução são reservados.

Leia mais

E s c o p o d e P r o j e t o s e S e r v i ç o s d e. Elétrica

E s c o p o d e P r o j e t o s e S e r v i ç o s d e. Elétrica M a n u a l d e E s c o p o d e P r o j e t o s e S e r v i ç o s d e Elétrica FASE Direitos DIREITOS autorais AUTORAIS reservados RESERVADOS Todos os direitos desta edição, reprodução ou tradução são

Leia mais

E s c o p o d e P r o j e t o s e S e r v i ç o s d e. Hidráulica

E s c o p o d e P r o j e t o s e S e r v i ç o s d e. Hidráulica M a n u a l d e E s c o p o d e P r o j e t o s e S e r v i ç o s d e Hidráulica FASE Direitos DIREITOS autorais AUTORAIS reservados RESERVADOS Todos os direitos desta edição, reprodução ou tradução são

Leia mais

Todos os direitos desta edição, reprodução ou tradução são reservados.

Todos os direitos desta edição, reprodução ou tradução são reservados. 1 FASE Direitos DIREITOS autorais AUTORAIS reservados RESERVADOS Todos os direitos desta edição, reprodução ou tradução são reservados. A reprodução deste Manual só pode ser feita mediante download, após

Leia mais

E s c o p o d e S e r v i ç o s p a r a

E s c o p o d e S e r v i ç o s p a r a M a n u a l d e E s c o p o d e S e r v i ç o s p a r a C o o r d e n a ç ã o d e P r o j e t o s FASE Direitos DIREITOS autorais AUTORAIS reservados RESERVADOS Todos os direitos desta edição, reprodução

Leia mais

DIREITOS AUTORAIS RESERVADOS. Todos os direitos desta edição, reprodução ou tradução são reservados.

DIREITOS AUTORAIS RESERVADOS. Todos os direitos desta edição, reprodução ou tradução são reservados. 1 FASE DIREITOS AUTORAIS RESERVADOS Todos os direitos desta edição, reprodução ou tradução são reservados. A reprodução deste Manual só pode ser feita mediante download, após cadastro individual e pessoal

Leia mais

DIREITOS AUTORAIS RESERVADOS. Todos os direitos desta edição, reprodução ou tradução são reservados.

DIREITOS AUTORAIS RESERVADOS. Todos os direitos desta edição, reprodução ou tradução são reservados. DIREITOS AUTORAIS RESERVADOS Todos os direitos desta edição, reprodução ou tradução são reservados. A reprodução deste Manual só pode ser feita mediante download, após cadastro individual e pessoal através

Leia mais

Recomendações para elaboração de projetos estruturais de edifícios em aço

Recomendações para elaboração de projetos estruturais de edifícios em aço 1 Av. Brigadeiro Faria Lima, 1685, 2º andar, conj. 2d - 01451-908 - São Paulo Fone: (11) 3097-8591 - Fax: (11) 3813-5719 - Site: www.abece.com.br E-mail: abece@abece.com.br Av. Rio Branco, 181 28º Andar

Leia mais

CONCEPÇÃO ESTRUTURAL E PRÉ-FORMAS

CONCEPÇÃO ESTRUTURAL E PRÉ-FORMAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA Departamento de Estruturas e Construção Civil ECC 1008 Estruturas de Concreto CONCEPÇÃO ESTRUTURAL E PRÉ-FORMAS Aulas 5-8 Gerson Moacyr Sisniegas Alva DESENVOLVIMENTO

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA 02 PROJETOS DE INFRAESTRUTURA : FUNDAÇÃO

INSTRUÇÃO TÉCNICA 02 PROJETOS DE INFRAESTRUTURA : FUNDAÇÃO INSTRUÇÃO TÉCNICA 02 PROJETOS DE INFRAESTRUTURA : FUNDAÇÃO 1. OBJETIVO 1.1. Estas Instruções Normativas de Projeto apresentam os procedimentos, critérios e padrões a serem adotados para elaboração dos

Leia mais

TABELAS DE HONORÁRIOS DE SERVIÇOS DE ARQUITETURA E URBANISMO DO BRASIL

TABELAS DE HONORÁRIOS DE SERVIÇOS DE ARQUITETURA E URBANISMO DO BRASIL TABELAS DE HONORÁRIOS DE SERVIÇOS DE ARQUITETURA E URBANISMO DO BRASIL Em atendimento ao disposto no inciso XIV, do artigo 28, da Lei nº 12.378, de 31 de dezembro de 2010, compete ao CAU/BR aprovar e divulgar

Leia mais

M a n u a l d e E s c o p o d e P r o j e t o s e S e r v i ç o s d e

M a n u a l d e E s c o p o d e P r o j e t o s e S e r v i ç o s d e a 1 Edição M a n u a l d e E s c o p o d e P r o j e t o s e S e r v i ç o s d e L U M I N O T É C N I C A I n d ú s t r i a I m o b i l i á r i a a 1 Edição M a n u a l d e E s c o p o d e P r o j e t

Leia mais

PAREDES EXTERNAS EM CONCRETO ARMADO MOLDADO IN LOCO COMO SOLUÇÃO PARA EDIFÍCIOS VERTICAIS

PAREDES EXTERNAS EM CONCRETO ARMADO MOLDADO IN LOCO COMO SOLUÇÃO PARA EDIFÍCIOS VERTICAIS I CONFERÊNCIA LATINO-AMERICANA DE CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL X ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO 18-21 julho 2004, São Paulo. ISBN 85-89478-08-4. PAREDES EXTERNAS EM CONCRETO ARMADO MOLDADO

Leia mais

Manual de Escopo de Projetos e Serviços de Instalações Prediais - Elétrica

Manual de Escopo de Projetos e Serviços de Instalações Prediais - Elétrica RELAÇÃO DE MANUAIS DE ESCOPO DE PROJETOS E SERVIÇOS Esperamos que estes Manuais, propicie um novo ciclo de aprimoramento entre projetistas, contratantes, órgãos de fomento da construção, e construtores

Leia mais

ARQUITETURA E URBANISMO

ARQUITETURA E URBANISMO 1 Manual de Escopo de Projetos e Serviços de Indústria Imobiliária ARQUITETURA E URBANISMO Arq. Henrique Cambiaghi Arq. Roberto Amá 2 DIREITOS AUTORAIS RESERVADOS Todos os direitos desta edição, reprodução

Leia mais

Profª. Angela A. de Souza DESENHO DE ESTRUTURAS

Profª. Angela A. de Souza DESENHO DE ESTRUTURAS DESENHO DE ESTRUTURAS INTRODUÇÃO A estrutura de concreto armado é resultado da combinação entre o concreto e o aço. Porém, para a sua execução, não é suficiente apenas a presença desses dois materiais;

Leia mais

INSTRUÇÕES NORMATIVAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS ESTRUTURAIS EM CONCRETO ARMADO, ESTRUTURAS METÁLICAS OU ESTRUTURAS EM MADEIRA

INSTRUÇÕES NORMATIVAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS ESTRUTURAIS EM CONCRETO ARMADO, ESTRUTURAS METÁLICAS OU ESTRUTURAS EM MADEIRA INSTRUÇÕES NORMATIVAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS ESTRUTURAIS EM CONCRETO ARMADO, ESTRUTURAS METÁLICAS OU ESTRUTURAS EM MADEIRA Blumenau, maio de 2010. 1. RESUMO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. INTRODUÇÃO...

Leia mais

ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO

ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO INTRODUÇÃO As estruturas mistas podem ser constituídas, de um modo geral, de concreto-madeira, concretoaço ou aço-madeira. Um sistema de ligação entre os dois materiais

Leia mais

INFRAESTRUTURA CIVIL - CÂMARAS TRANSFORMADORAS FASCÍCULO. Infraestrutura Civil - Câmaras Transformadoras

INFRAESTRUTURA CIVIL - CÂMARAS TRANSFORMADORAS FASCÍCULO. Infraestrutura Civil - Câmaras Transformadoras FASCÍCULO Infraestrutura Civil - Câmaras Transformadoras 1. OBJETIVO Estabelecer critérios para elaboração de Projeto Civil de entradas consumidoras que envolvam a implantação de obras civis subterrâneas

Leia mais

Edited by Foxit PDF Editor Copyright (c) by Foxit Software Company, 2004 For Evaluation Only.

Edited by Foxit PDF Editor Copyright (c) by Foxit Software Company, 2004 For Evaluation Only. Edited by Foxit PDF Editor Copyright (c) by Foxit Software Company, 2004 For Evaluation Only. FASE Direitos DIREITOS autorais AUTORAIS reservados RESERVADOS Todos os direitos desta edição, reprodução ou

Leia mais

TABELAS DE HONORÁRIOS DE SERVIÇOS DE ARQUITETURA E URBANISMO DO BRASIL. MÓDULO II Remuneração de Projetos e Serviços Diversos

TABELAS DE HONORÁRIOS DE SERVIÇOS DE ARQUITETURA E URBANISMO DO BRASIL. MÓDULO II Remuneração de Projetos e Serviços Diversos TABELAS DE HONORÁRIOS DE SERVIÇOS DE ARQUITETURA E URBANISMO DO BRASIL MÓDULO II Remuneração de Projetos e Serviços Diversos 2 TABELAS DE HONORÁRIOS DE SERVIÇOS DE ARQUITETURA E URBANISMO DO BRASIL MÓDULO

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA 06 PROJETOS DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS, COMUNICAÇÃO E SISTEMAS DE PREVENÇÃO DE DESCARGAS ATMOSFÉRICAS

INSTRUÇÃO TÉCNICA 06 PROJETOS DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS, COMUNICAÇÃO E SISTEMAS DE PREVENÇÃO DE DESCARGAS ATMOSFÉRICAS INSTRUÇÃO TÉCNICA 06 PROJETOS DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS, COMUNICAÇÃO E SISTEMAS DE PREVENÇÃO DE DESCARGAS ATMOSFÉRICAS 1 OBJETIVO Revisão 00 fev/2014 1.1 Estas Instruções Normativas de Projeto apresentam

Leia mais

PROC-IBR-EDIF 046/2015 Análise de Projeto de Estrutura Metálica

PROC-IBR-EDIF 046/2015 Análise de Projeto de Estrutura Metálica INSTITUTO BRASILEIRO DE AUDITORIA DE OBRAS PÚBLICAS IBRAOP INSTITUTO RUI BARBOSA IRB / COMITÊ OBRAS PÚBLICAS PROC-IBR-EDIF 046/2015 Análise de Projeto de Estrutura Metálica Primeira edição válida a partir

Leia mais

Recomendações para Elaboração de Projetos Estruturais de Edifícios de Concreto

Recomendações para Elaboração de Projetos Estruturais de Edifícios de Concreto Recomendações para Elaboração de Projetos Estruturais de Edifícios de Concreto INTRODUÇÃO O presente trabalho tem como objetivo fornecer aos projetistas e contratantes, recomendações básicas e orientações

Leia mais

Gerenciamento de Projeto em Arquitetura e Urbanismo: Elaboração de Escopo do Projeto de Arquitetura e Urbanismo

Gerenciamento de Projeto em Arquitetura e Urbanismo: Elaboração de Escopo do Projeto de Arquitetura e Urbanismo 1 Gerenciamento de Projeto em Arquitetura e : Elaboração de Escopo do Projeto de Arquitetura e Gerenciamento de Projeto em Arquitetura e : Elaboração de Escopo do Projeto de Arquitetura e Rangel Henrique

Leia mais

BIM BIM. Building Information Modeling no Projeto Estrutural. Impactos e benefícios potenciais. Modelagem de Informação do Edifício Projeto Estrutural

BIM BIM. Building Information Modeling no Projeto Estrutural. Impactos e benefícios potenciais. Modelagem de Informação do Edifício Projeto Estrutural BIM Building Information Modeling no Impactos e benefícios potenciais Nelson Covas BIM Building Information Modeling ou Modelagem de Informação da Construção ou Modelagem de Informação do Edifício Premissas

Leia mais

GESTÃO DE ESTRUTURAS RACIONALIZADAS DE CONCRETO P R O M O Ç Ã O

GESTÃO DE ESTRUTURAS RACIONALIZADAS DE CONCRETO P R O M O Ç Ã O GESTÃO DE ESTRUTURAS RACIONALIZADAS DE CONCRETO P R O M O Ç Ã O GESTÃO DE ESTRUTURAS RACIONALIZADAS DE CONCRETO FÔRMAS E CIMBRAMENTO FÔRMAS E CIMBRAMENTO FÔRMA: Modelo, molde de qualquer coisa; EXIGÊNCIAS:

Leia mais

SONDAGENS Escolha de solução para fundação e contenção FUNDAÇÕES Palestrantes

SONDAGENS Escolha de solução para fundação e contenção FUNDAÇÕES Palestrantes SONDAGENS Escolha de solução para fundação e contenção FUNDAÇÕES Palestrantes Engº José Luiz de Paula Eduardo Engº Roberto Nahas I - ESCOLHA DO TIPO DE FUNDAÇÃO I - ESCOLHA DO TIPO DE FUNDAÇÃO 1.Elementos

Leia mais

VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO

VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO 1a. parte: TÉCNICA Engenheiro Civil - Ph.D. 85-3244-3939 9982-4969 la99824969@yahoo.com.br skipe: la99824969 de que alvenaria

Leia mais

ESCOPO DE SERVIÇOS PARA COORDENAÇÃO DE PROJETOS

ESCOPO DE SERVIÇOS PARA COORDENAÇÃO DE PROJETOS IV WBGPPCE 2004 Workshop Brasileiro de Gestão do Processo de Projeto na Construção de Edifícios ESCOPO DE SERVIÇOS PARA COORDENAÇÃO DE PROJETOS MELHADO, Silvio, Doutor e Livre-Docente, Professor Associado

Leia mais

TEC 159 TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES I

TEC 159 TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES I TEC 159 TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES I Aula 9 Fundações Parte 1 Cristóvão C. C. Cordeiro O que são? São elementos estruturais cuja função é a transferência de cargas da estrutura para a camada resistente

Leia mais

TIPOS DE ESTRUTURAS. Prof. Marco Pádua

TIPOS DE ESTRUTURAS. Prof. Marco Pádua TIPOS DE ESTRUTURAS Prof. Marco Pádua A função da estrutura é transmitir para o solo a carga da edificação. Esta carga compõe-se de: peso próprio da estrutura, cobertura, paredes, esquadrias, revestimentos,

Leia mais

Modulação Automática de Edifícios em Alvenaria Estrutural com a utilização da Plataforma CAD: Programa AlvMod

Modulação Automática de Edifícios em Alvenaria Estrutural com a utilização da Plataforma CAD: Programa AlvMod Modulação Automática de Edifícios em Alvenaria Estrutural com a utilização da Plataforma CAD: Programa AlvMod Davi Fagundes Leal 1,, Rita de Cássia Silva Sant Anna Alvarenga 2, Cássio de Sá Seron 3, Diôgo

Leia mais

MEMO Nº 022/ENG/IFC/2010 Blumenau, 15 de julho de 2010. Do: Departamento de Engenharia do Instituto Federal Catarinense

MEMO Nº 022/ENG/IFC/2010 Blumenau, 15 de julho de 2010. Do: Departamento de Engenharia do Instituto Federal Catarinense MEMO Nº 022/ENG/IFC/2010 Blumenau, 15 de julho de 2010. Ao: Pró Reitor de Desenvolvimento Institucional ANTÔNIO A. RAITANI JÚNIOR Do: Departamento de Engenharia do Instituto Federal Catarinense Assunto:

Leia mais

TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO

TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO Curso Técnico de Edificações Profª Engª Civil Alexandra Müller Barbosa EMENTA Estudos de procedimentos executivos: Estruturas portantes, Elementos vedantes, Coberturas, Impermeabilização,

Leia mais

Análise de Viabilidade de Empreendimentos Habitacionais Programa Minha Casa Minha Vida

Análise de Viabilidade de Empreendimentos Habitacionais Programa Minha Casa Minha Vida Análise de Viabilidade de Empreendimentos Habitacionais Programa Minha Casa Minha Vida APRESENTAÇÃO 9h00 até 9h30: Abertura 9h30 até 11h15: Critérios gerais de análise técnica 11h15 até 11h30: Coffee-break

Leia mais

RACIONALIZAÇÃO CONSTRUTIVA

RACIONALIZAÇÃO CONSTRUTIVA RACIONALIZAÇÃO CONSTRUTIVA Prof. Dr. Luiz Sérgio Franco Depto. Eng. Construção Civil da EPUSP ARCO Assessoria em Racionalização Construtiva S/C ltda. arco@uol.com.br A busca de soluções para o aumento

Leia mais

Instituto Brasileiro de Auditoria de Obras Públicas www.ibraop.com.br

Instituto Brasileiro de Auditoria de Obras Públicas www.ibraop.com.br Instituto Brasileiro de Auditoria de Obras Públicas www.ibraop.com.br ORIENTAÇÃO TÉCNICA OT - IBR 001/2006 PROJETO BÁSICO Primeira edição: válida a partir de 07/11/2006 Palavras Chave: Projeto Básico,

Leia mais

PROJETOS EM ALVENARIA ESTRUTURAL: MODULAÇÃO E COMPATIBILIZAÇÃO

PROJETOS EM ALVENARIA ESTRUTURAL: MODULAÇÃO E COMPATIBILIZAÇÃO PROJETOS EM ALVENARIA ESTRUTURAL: MODULAÇÃO E COMPATIBILIZAÇÃO PRINCIPÍOS BÁSICOS PARA PROJETOS/ MODULAÇÃO E COMPATIBILIZAÇÃO EM ALVENARIA ESTRUTURAL EM BLOCOS DE CONCRETO ARQUITETA NANCI CRUZ MODULAÇÃO

Leia mais

LOGÍSTICA DE OBRAS. Eng. GUILHERME COELHO DE ANDRADE

LOGÍSTICA DE OBRAS. Eng. GUILHERME COELHO DE ANDRADE LOGÍSTICA DE OBRAS Eng. GUILHERME COELHO DE ANDRADE Integração Sistêmica GESTÃO DA IMPLANTAÇÃO DO PROCESSO CONSTRUTIVO NA EMPRESA Parede Controles, Indicadores de desempenho Laje Organização lay-out, fluxo

Leia mais

28/9/2010. Revalorização dos Projetos de Arquitetura Face às Novas Demandas. Silvio Melhado 24/09/10. Contexto atual

28/9/2010. Revalorização dos Projetos de Arquitetura Face às Novas Demandas. Silvio Melhado 24/09/10. Contexto atual Revalorização dos Projetos de Arquitetura Face às Novas Demandas Silvio Melhado 24/09/10 Contexto atual 2 1 2 Normas de desempenho A Importância da Gestão do Processo de Projeto 6 1 2 4 5 6 7 8 9 10 11

Leia mais

ISF 219: PROJETO DE PASSARELA PARA PEDESTRES. O Projeto de passarela para pedestres será desenvolvido em duas fases:

ISF 219: PROJETO DE PASSARELA PARA PEDESTRES. O Projeto de passarela para pedestres será desenvolvido em duas fases: ISF 219: PROJETO DE PASSARELA PARA PEDESTRES 1. OBJETIVO Definir e especificar os serviços constantes do Projeto de Passarela para Pedestres em Projetos de Engenharia Ferroviária. 2. FASES DO PROJETO O

Leia mais

poder de compra x custo da construção poder de compra:

poder de compra x custo da construção poder de compra: w ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO poder de compra x custo da construção poder de compra: - Conceito Geral - Engenheiro Civil - Ph.D. (85)3244-3939 (85)9982-4969 luisalberto1@terra.com.br custo

Leia mais

SISTEMA DA QUALIDADE Procedimento

SISTEMA DA QUALIDADE Procedimento SISTEMA DA QUALIDADE Procedimento CONTROLE DE PROJETO PR.00 00 1 / 5 1. OBJETIVO Estabelecer as condições, características e responsabilidades para o desenvolvimento de projetos. 2. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA

Leia mais

Bairro Novo: Sistema Construtivo em Paredes de Concreto.

Bairro Novo: Sistema Construtivo em Paredes de Concreto. Bairro Novo: Sistema Construtivo em Paredes de Concreto. 1 Escolha do Sistema Construtivo Sistema construtivo com foco nas seguintes características: Alta produtividade Baixo custo de construção Redução

Leia mais

PROBLEMAS ENCONTRADOS EM OBRAS DEVIDO ÀS FALHAS NO PROCESSO DE PROJETO: VISÃO DO ENGENHEIRO DE OBRA.

PROBLEMAS ENCONTRADOS EM OBRAS DEVIDO ÀS FALHAS NO PROCESSO DE PROJETO: VISÃO DO ENGENHEIRO DE OBRA. PROBLEMAS ENCONTRADOS EM OBRAS DEVIDO ÀS FALHAS NO PROCESSO DE PROJETO: VISÃO DO ENGENHEIRO DE OBRA. Jacson Carlos da SILVEIRA Graduando de Engenharia Civil, Universidade Federal do Ceará, Rua Braz de

Leia mais

CUSTO COMPARADO DE ELEMENTOS PRÉ-FABRICADOS DE CONCRETO: PRÉ-LAJE PROTENDIDA X LAJE ALVEOLAR PROTENDIDA.

CUSTO COMPARADO DE ELEMENTOS PRÉ-FABRICADOS DE CONCRETO: PRÉ-LAJE PROTENDIDA X LAJE ALVEOLAR PROTENDIDA. CUSTO COMPARADO DE ELEMENTOS PRÉ-FABRICADOS DE CONCRETO: PRÉ-LAJE PROTENDIDA X LAJE ALVEOLAR PROTENDIDA. Adriano Mariot da Silva (1), Mônica Elizabeth Daré (2) UNESC Universidade do Extremo Sul Catarinense

Leia mais

Manual de Estruturas de Concreto

Manual de Estruturas de Concreto Manual de Estruturas de Concreto 1INT O Manual é uma das ferramentas do Projeto Estruturas Racionalizadas disponibilizadas para a Comunidade da Construção. Por ser instrumento de uma comunidade técnica

Leia mais

INTEGRAÇÃO ENTRE ARQUITETURA E ESTRUTURA: UM ESTUDO PARA AS DISCIPLINAS DE PROJETO ARQUITETÔNICO

INTEGRAÇÃO ENTRE ARQUITETURA E ESTRUTURA: UM ESTUDO PARA AS DISCIPLINAS DE PROJETO ARQUITETÔNICO INTEGRAÇÃO ENTRE ARQUITETURA E ESTRUTURA: UM ESTUDO PARA AS DISCIPLINAS DE PROJETO ARQUITETÔNICO Vivian Delatorre 1, Carlos Eduardo Nunes Torrescasana 2 Resumo: Este artigo trata do tema integração entre

Leia mais

A concepção estrutural deve levar em conta a finalidade da edificação e atender, tanto quanto possível, às condições impostas pela arquitetura.

A concepção estrutural deve levar em conta a finalidade da edificação e atender, tanto quanto possível, às condições impostas pela arquitetura. ESTRUTURAS DE CONCRETO CAPÍTULO 4 Libânio M. Pinheiro, Cassiane D. Muzardo, Sandro P. Santos 2 de abril, 2003. CONCEPÇÃO ESTRUTURAL A concepção estrutural, ou simplesmente estruturação, também chamada

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA EM GERENCIAMENTO DE INTEGRAÇÃO DE PROJETOS TÉCNICOS NUMA EMPRESA DE CONSTRUÇÃO CIVIL

RELATO DE EXPERIÊNCIA EM GERENCIAMENTO DE INTEGRAÇÃO DE PROJETOS TÉCNICOS NUMA EMPRESA DE CONSTRUÇÃO CIVIL RELATO DE EXPERIÊNCIA EM GERENCIAMENTO DE INTEGRAÇÃO DE PROJETOS TÉCNICOS NUMA EMPRESA DE CONSTRUÇÃO CIVIL Áurea Araujo Bruel, Msc candidate Engenheira Civil, Mestranda do PPGCC/UFPR e-mail aabruel@yahoo.com.br

Leia mais

SEMINÁRIO PROJETO BÁSICO E PROJETO EXECUTIVO NAS CONTRATAÇÕES PÚBLICAS ASPECTOS TÉCNICOS SIURB

SEMINÁRIO PROJETO BÁSICO E PROJETO EXECUTIVO NAS CONTRATAÇÕES PÚBLICAS ASPECTOS TÉCNICOS SIURB SEMINÁRIO PROJETO BÁSICO E PROJETO EXECUTIVO NAS CONTRATAÇÕES PÚBLICAS ASPECTOS TÉCNICOS SIURB PROJETOS DE INFRAESTRUTURA URBANA DRENAGEM CANAIS RESERVATÓRIOS MICRODRENAGEM OU DRENAGEM SUPERFICIAL OBRAS

Leia mais

DESENHOS DE FORMAS ESTRUTURAIS EM EDIFÍCIOS DE CONCRETO ARMADO

DESENHOS DE FORMAS ESTRUTURAIS EM EDIFÍCIOS DE CONCRETO ARMADO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Estruturas e Construção Civil Disciplina: ECC 1008 Estruturas de Concreto DESENHOS DE FORMAS ESTRUTURAIS EM EDIFÍCIOS DE CONCRETO

Leia mais

PROC IBR EDIF 01.02.004/2014

PROC IBR EDIF 01.02.004/2014 INSTITUTO BRASILEIRO DE AUDITORIA DE OBRAS PÚBLICAS IBRAOP INSTITUTO RUI BARBOSA IRB / COMITÊ OBRAS PÚBLICAS PROC IBR EDIF 01.02.004/2014 01 - Fase Licitatória 01.02 - Análise das especificações, quantidades

Leia mais

Compatibilização de Projetos. Eng Mário Ribeiro da Silva Filho ProCAD Projetos e Consultoria SS

Compatibilização de Projetos. Eng Mário Ribeiro da Silva Filho ProCAD Projetos e Consultoria SS Compatibilização de Projetos Eng Mário Ribeiro da Silva Filho ProCAD Projetos e Consultoria SS Porque Compatibilizar Projetos? 2 Porque Compatibilizar Projetos? 3 Porque Compatibilizar Projetos? 4 Porque

Leia mais

TABELAS DE HONORÁRIOS DE SERVIÇOS DE ARQUITETURA E URBANISMO DO BRASIL. MÓDULO II Remuneração de Projetos e Serviços Diversos

TABELAS DE HONORÁRIOS DE SERVIÇOS DE ARQUITETURA E URBANISMO DO BRASIL. MÓDULO II Remuneração de Projetos e Serviços Diversos TABELAS DE HONORÁRIOS DE SERVIÇOS DE ARQUITETURA E URBANISMO DO BRASIL MÓDULO II Remuneração de Projetos e Serviços Diversos 2 TABELAS DE HONORÁRIOS DE SERVIÇOS DE ARQUITETURA E URBANISMO DO BRASIL MÓDULO

Leia mais

ANALISE DA INFLUÊNCIA DE DIFERENTES SISTEMAS DE VEDAÇÃO VERTICAL NO CUSTO FINAL DE UMA ESTRUTURA EM CONCRETO ARMADO

ANALISE DA INFLUÊNCIA DE DIFERENTES SISTEMAS DE VEDAÇÃO VERTICAL NO CUSTO FINAL DE UMA ESTRUTURA EM CONCRETO ARMADO Artigo submetido ao Curso de Engenharia Civil da UNESC - Como requisito parcial para obtenção do Título de Engenheiro Civil ANALISE DA INFLUÊNCIA DE DIFERENTES SISTEMAS DE VEDAÇÃO VERTICAL NO CUSTO FINAL

Leia mais

ANÁLISE DO PROCESSO DE PROJETO DE UM EMPREENDIMENTO EM ESTRUTURA METÁLICA DE AÇO

ANÁLISE DO PROCESSO DE PROJETO DE UM EMPREENDIMENTO EM ESTRUTURA METÁLICA DE AÇO ANÁLISE DO PROCESSO DE PROJETO DE UM EMPREENDIMENTO EM ESTRUTURA METÁLICA DE AÇO Renata TEIXEIRA Arq., M.Sc. pelo Programa de Pós Graduação em Engenharia de Estruturas da UFMG. Rua Castelo de Lamego, n

Leia mais

FACULDADE BARÃO DE RIO BRANCO UNINORTE CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA - TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO 1 (AULA 02) WILLIAN ABREU

FACULDADE BARÃO DE RIO BRANCO UNINORTE CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA - TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO 1 (AULA 02) WILLIAN ABREU FACULDADE BARÃO DE RIO BRANCO UNINORTE CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA - TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO 1 (AULA 02) INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO Conjunto de atividades que visa a realização de obras de

Leia mais

UNIVERSIDADE MUNICIPAL DE SÃO CAETANO DO SUL PARECER DE GEOTECNIA

UNIVERSIDADE MUNICIPAL DE SÃO CAETANO DO SUL PARECER DE GEOTECNIA UNIVERSIDADE MUNICIPAL DE SÃO CAETANO DO SUL PARECER DE GEOTECNIA Rua Macéio, s/n Bairro Barcelona São Caetano do Sul /SP PAR 15026 Março/2015 Revisão 0 CPOI Engenharia e Projetos Ltda Índice 1. INTRODUÇÃO...3

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS ESTRUTURAIS DE EDIFICAÇÃO

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS ESTRUTURAIS DE EDIFICAÇÃO 1 INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS ESTRUTURAIS DE EDIFICAÇÃO 2 ÍNDICE Lista de Abreviaturas 03 Introdução 04 Parte I 05 Instruções Gerais 05 Modelo de Selo Padrão 07 Parte II Instruções Específicas

Leia mais

E S T A D O D O M A T O G R O S S O. Prefeitura Municipal de Jaciara

E S T A D O D O M A T O G R O S S O. Prefeitura Municipal de Jaciara MEMORIAL DESCRITIVO REDE CEGONHA - HOSPITAL MUNICIPAL JACIARA/MT O presente memorial descritivo define diretrizes referentes à reforma do espaço destinado a Programa REDE CEGONHA no Hospital Municipal

Leia mais

O QUE SIGNIFICA RACIONALIZAR?

O QUE SIGNIFICA RACIONALIZAR? Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil AULA 3 ALVENARIAS: EXECUÇÃO, Prof. Dr. Luiz Sergio Franco Escola Politécnica da USP Dep. de Engenharia de Construção Civil

Leia mais

DE PROJETOS. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

DE PROJETOS. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I DE PROJETOS Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I PROJETO Atividade ou serviço integrante do processo de produção, responsável pelo desenvolvimento,

Leia mais

GESTÃO DE PRODUTOS PARA OBRAS INDUSTRIAIS

GESTÃO DE PRODUTOS PARA OBRAS INDUSTRIAIS GESTÃO DE PRODUTOS PARA OBRAS INDUSTRIAIS Terrenos Projetos Pisos Sondagem Pré-Fabricados Venezianas Terraplenagem Estruturas Metálicas Estacas O Logo A Cruz de Malta, conhecida como o símbolo do guerreiro

Leia mais

KEPLER ROCHA PASCOAL Engenheiro Civil 98-8833-6064 - kepler@franere.com.br

KEPLER ROCHA PASCOAL Engenheiro Civil 98-8833-6064 - kepler@franere.com.br VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO 2a. parte: ECONÔMICA-ESTUDO DE CASO KEPLER ROCHA PASCOAL Engenheiro Civil 98-8833-6064 - kepler@franere.com.br UNIVERSIDADE

Leia mais

CLIENTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAPIRANGA

CLIENTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAPIRANGA CLIENTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAPIRANGA OBRA: ESTAÇÃO ELEVATÓRIA PARA ESGOTO - ELEVADO RESPONSÁVEL TÉCNICO: ENG. CIVIL MICHAEL MALLMANN MUNICÍPIO: ITAPIRANGA - SC 1 INSTALAÇÕES PROVISÓRIAS Deve ser

Leia mais

TEC 159 TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES I

TEC 159 TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES I TEC 159 TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES I Aula 9 Fundações Cristóvão C. C. Cordeiro Fundações usuais em relação ao porte dos edifícios Pequenos edifícios (casas e sobrados) pequenas cargas Rasas Blocos e alicerces,

Leia mais

200888 Técnicas das Construções I FUNDAÇÕES. Prof. Carlos Eduardo Troccoli Pastana pastana@projeta.com.br (14) 3422-4244 AULA 3

200888 Técnicas das Construções I FUNDAÇÕES. Prof. Carlos Eduardo Troccoli Pastana pastana@projeta.com.br (14) 3422-4244 AULA 3 200888 Técnicas das Construções I FUNDAÇÕES Prof. Carlos Eduardo Troccoli Pastana pastana@projeta.com.br (14) 3422-4244 AULA 3 O que são?: São elementos estruturais cuja função é a transferência de cargas

Leia mais

UniVap - FEAU CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Prof. Minoru Takatori ESTUDO PRELIMINAR

UniVap - FEAU CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Prof. Minoru Takatori ESTUDO PRELIMINAR 1 ESTUDO PRELIMINAR OBJETIVOS Analise e avaliação de todas as informações recebidas para seleção e recomendação do partido arquitetônico, podendo eventualmente, apresentar soluções alternativas. Tem como

Leia mais

PAINÉIS DE CONCRETO PRÉ-MOLDADOS E SOLUÇÕES COMPLEMENTARES PARA O SEGMENTO ECONÔMICO

PAINÉIS DE CONCRETO PRÉ-MOLDADOS E SOLUÇÕES COMPLEMENTARES PARA O SEGMENTO ECONÔMICO PAINÉIS DE CONCRETO PRÉ-MOLDADOS E SOLUÇÕES COMPLEMENTARES PARA O SEGMENTO ECONÔMICO Augusto Guimarães Pedreira de Freitas PEDREIRA DE FREITAS LTDA COMUNIDADE DA CONSTRUÇÃO RECIFE/PE AGRADECIMENTO ESPECIAL

Leia mais

Parecer Técnico de Análise das Causas do Desabamento do Ed. Coroa do Meio RESUMO 1

Parecer Técnico de Análise das Causas do Desabamento do Ed. Coroa do Meio RESUMO 1 Parecer Técnico de Análise das Causas do Desabamento do Ed. Coroa do Meio RESUMO 1 1 OBJETIVO / FINALIDADE / INTERESSADO O Parecer Técnico tem por objetivo identificar as causas do desabamento do edifício

Leia mais

Elementos Estruturais de Concreto Armado

Elementos Estruturais de Concreto Armado UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Técnicas Construtivas Elementos Estruturais de Concreto Armado Prof. Guilherme Brigolini Elementos Estruturais de Concreto Armado Produção de

Leia mais

COORDENAÇÃO DOS PROJETOS DE SISTEMAS PREDIAIS HIDRO- SANITÁRIOS EM EDIFICAÇÕES VERTICALIZADAS

COORDENAÇÃO DOS PROJETOS DE SISTEMAS PREDIAIS HIDRO- SANITÁRIOS EM EDIFICAÇÕES VERTICALIZADAS COORDENAÇÃO DOS PROJETOS DE SISTEMAS PREDIAIS HIDRO- SANITÁRIOS EM EDIFICAÇÕES VERTICALIZADAS Arancibia Rodríguez, Marco A. (1); Novaes, Rogério (2) (1) Eng. Civil, Mestre em Engenharia, Doutorando em

Leia mais

DESENHOS UTILIZADOS NA REPRESENTAÇÃO DOS PROJETOS ARQUITETÔNICOS DE EDIFICAÇÕES

DESENHOS UTILIZADOS NA REPRESENTAÇÃO DOS PROJETOS ARQUITETÔNICOS DE EDIFICAÇÕES DESENHOS UTILIZADOS NA REPRESENTAÇÃO DOS PROJETOS ARQUITETÔNICOS DE EDIFICAÇÕES Na representação dos projetos de edificações são utilizados os seguintes desenhos: _ Planta de situação _ Planta de localização

Leia mais

Transformando aço, conduzindo soluções. Lajes Mistas Nervuradas

Transformando aço, conduzindo soluções. Lajes Mistas Nervuradas Transformando aço, conduzindo soluções. Lajes Mistas Nervuradas TUPER Mais de 40 anos transformando aço e conduzindo soluções. A Tuper tem alta capacidade de transformar o aço em soluções para inúmeras

Leia mais

O QUE É ALVENARIA ESTRUTURAL? ALVENARIA ESTRUTURAL O QUE É ALVENARIA ESTRUTURAL? Conceituação: O QUE É ALVENARIA ESTRUTURAL?

O QUE É ALVENARIA ESTRUTURAL? ALVENARIA ESTRUTURAL O QUE É ALVENARIA ESTRUTURAL? Conceituação: O QUE É ALVENARIA ESTRUTURAL? Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil O QUE É ALVENARIA ESTRUTURAL? AULA 5 ALVENARIA ESTRUTURAL Prof. Dr. Luiz Sérgio Franco PREDIO COM BLOCO DE VEDAÇÃO MACEIO

Leia mais

Construção Civil I Execução de Fundações Diretas

Construção Civil I Execução de Fundações Diretas Construção Civil I Execução de Fundações Diretas Introdução Elementos Estruturais - ESQUEMA Introdução Escolha do tipo de fundação Custo da etapa de fundações varia entre 3% e 7% do custo total do empreendimento;

Leia mais

QUESTÕES RESPONDIDAS REFERENTES AO EDITAL 025/10 DO PROCESSO LICITATÓRIO 1328/10

QUESTÕES RESPONDIDAS REFERENTES AO EDITAL 025/10 DO PROCESSO LICITATÓRIO 1328/10 QUESTÕES RESPONDIDAS REFERENTES AO EDITAL 025/10 DO PROCESSO LICITATÓRIO 1328/10 Dúvidas: Cambiaghi Arquitetura Compreendi, a partir da visita realizada em 08/11/2010, que as lajes do Bloco 1, inclusive

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DE PAINÉIS EM LIGHT STEEL FRAME

PADRONIZAÇÃO DE PAINÉIS EM LIGHT STEEL FRAME PADRONIZAÇÃO DE PAINÉIS EM LIGHT STEEL FRAME ANITA OLIVEIRA LACERDA - anitalic@terra.com.br PEDRO AUGUSTO CESAR DE OLIVEIRA SÁ - pedrosa@npd.ufes.br 1. INTRODUÇÃO O Light Steel Frame (LSF) é um sistema

Leia mais

ESTUDO DE CASO SOBRE A APLICAÇÃO DE ESTRUTURAS EM AÇO EM EDIFÍCIO RESIDENCIAL VERTICAL DE MÉDIO PADRÃO EM PRESIDENTE PRUDENTE

ESTUDO DE CASO SOBRE A APLICAÇÃO DE ESTRUTURAS EM AÇO EM EDIFÍCIO RESIDENCIAL VERTICAL DE MÉDIO PADRÃO EM PRESIDENTE PRUDENTE Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 221 ESTUDO DE CASO SOBRE A APLICAÇÃO DE ESTRUTURAS EM AÇO EM EDIFÍCIO RESIDENCIAL VERTICAL DE MÉDIO PADRÃO EM PRESIDENTE

Leia mais

2.3 Os projetos somente serão liberados pelos técnicos se estiverem assinados e acompanhados das respectivas ARTs ou RRTs.

2.3 Os projetos somente serão liberados pelos técnicos se estiverem assinados e acompanhados das respectivas ARTs ou RRTs. INSTRUÇÃO TÉCNICA 11 COMUNICAÇÃO VISUAL E SINALIZAÇÃO Revisão 00 jan/2014 1 OBJETIVO 1.1 Estas Instruções Normativas de Projeto apresentam os procedimentos, critérios e padrões a serem adotados para elaboração

Leia mais

FORMAS E ARMADURAS. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

FORMAS E ARMADURAS. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I FORMAS E ARMADURAS Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I CUSTO DA ESTRUTURA (SABBATINI, et. Al, 2007) CUSTO DOS ELEMENTOS DA ESTRUTURA

Leia mais

A importância dos projetos no processo (executivo de paredes de concreto)

A importância dos projetos no processo (executivo de paredes de concreto) A importância dos projetos no processo (executivo de paredes de concreto) - Fatores Críticos de Sucesso Francisco Paulo Graziano Características necessárias das estruturas dos em parede estrutural Facilidade

Leia mais

CAPÍTULO III SISTEMAS ESTRUTURAIS CONSTRUÇÕES EM ALVENARIA

CAPÍTULO III SISTEMAS ESTRUTURAIS CONSTRUÇÕES EM ALVENARIA 1 CAPÍTULO III SISTEMAS ESTRUTURAIS CONSTRUÇÕES EM ALVENARIA I. SISTEMAS ESTRUTURAIS Podemos citar diferentes sistemas estruturais a serem adotados durante a concepção do projeto de uma edificação. A escolha

Leia mais

IGDITCC Importância da Gestão, do Desempenho e da Inovação Tecnológica na Construção Civil. Subsistema vedação vertical

IGDITCC Importância da Gestão, do Desempenho e da Inovação Tecnológica na Construção Civil. Subsistema vedação vertical PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL Universidade de Pernambuco Escola Politécnica de Pernambuco IGDITCC Importância da Gestão, do Desempenho e da Inovação Tecnológica na Construção Civil Aula

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Patologia das Construções. Patologia das Fundações

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Patologia das Construções. Patologia das Fundações UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Patologia das Construções Patologia das Fundações ETAPAS IMPORTANTES: Determinar o número de furos de sondagem, bem como a sua localização; Analisar

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL REI PREFEITURA DE CAMPUS - SETOR DE OBRAS COMPOSIÇÃO DO BDI PARA OBRA DE CONSTRUÇÃO DO PRÉDIO DO CAMAT - 1ª etapa

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL REI PREFEITURA DE CAMPUS - SETOR DE OBRAS COMPOSIÇÃO DO BDI PARA OBRA DE CONSTRUÇÃO DO PRÉDIO DO CAMAT - 1ª etapa UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL REI PREFEITURA DE CAMPUS - SETOR DE OBRAS COMPOSIÇÃO DO BDI PARA OBRA DE CONSTRUÇÃO DO PRÉDIO DO CAMAT - 1ª etapa (BÔNUS E DESPESAS INDIRETAS) Itens de valor percentual

Leia mais

SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME

SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME Sistema de ds A SOLUÇÃO INTELIGENTE PARA A SUA OBRA SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME www.placlux.com.br VOCÊ CONHECE O SISTEMA CONSTRUTIVO LIGHT STEEL FRAME? VANTAGENS LIGHT STEEL FRAME MENOR CARGA

Leia mais

IMPORTÂNCIA ECONÔMICA. Objetivo: O que são? Fundações. O que são? FUNDAÇÕES. Classificação

IMPORTÂNCIA ECONÔMICA. Objetivo: O que são? Fundações. O que são? FUNDAÇÕES. Classificação PCC-2435 ecnologia da Construção de Edifícios I FUNDAÇÕES AULAS 5 e 6 DEPARAMENO DE ENGENHARIA DE CONSRUÇÃO CIVIL PCC 2435 - ecnologia da Construção de Edifícios I Profs. Luiz Sergio Franco, Mercia M.

Leia mais

ANEXO VII ORÇAMENTO, FORMA DE APRESENTAÇÃO DOS SERVIÇOS E CRONOGRAMA DE ENTREGA

ANEXO VII ORÇAMENTO, FORMA DE APRESENTAÇÃO DOS SERVIÇOS E CRONOGRAMA DE ENTREGA ANEXO VII ORÇAMENTO, FORMA DE APRESENTAÇÃO DOS SERVIÇOS E CRONOGRAMA DE ENTREGA CONTROLE DE ESTUDOS, MANUAIS, RELATÓRIOS E PLANOS A SEREM ENTREGUES PELA GERENCIADORA PRODUTOS E RELATÓRIOS MACROATIVIDADE

Leia mais

GERAL GERAL MEMORIAL DE CRITÉRIOS E CONDICIONANTES. Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária. 05 Item 2.15, 2.16 e 3.85 07/07/05 Edmundo

GERAL GERAL MEMORIAL DE CRITÉRIOS E CONDICIONANTES. Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária. 05 Item 2.15, 2.16 e 3.85 07/07/05 Edmundo 05 Item 2.15, 2.16 e 3.85 07/07/05 Edmundo REV. MODIFICAÇÃO DATA projetista DESENHISTA APROVO ESCALA DATA DESENHISTA AUTOR DO PROJETO CREA UF EDMUNDO F. BRITO 3411/D DF COORDENADOR Empresa Brasileira de

Leia mais

Autorizado pela Portaria nº 1.205 de 27/08/10 DOU Nº 166 de 30/08/10

Autorizado pela Portaria nº 1.205 de 27/08/10 DOU Nº 166 de 30/08/10 C U R S O D E A R Q U I T E T U R A E U R B A N I S M O Autorizado pela Portaria nº 1.205 de 27/08/10 DOU Nº 166 de 30/08/10 Componente Curricular: TÉCNICAS DE EDIFICAÇÕES II Código: ARQ 055 Pré-requisito:

Leia mais

Alvenaria de Blocos de Concreto

Alvenaria de Blocos de Concreto Alvenaria de Blocos de Recomendações Gerais Est. Mun. Eduardo Duarte, 1100 - Esq. RST 287. Santa Maria - RS Fone: (55) 3221 2000 e-mail : prontomix@prontomix.com.br Conceitos Gerais O que é Alvenaria Estrutural?

Leia mais

5. ESTUDO DO LAY-OUT DE CANTEIRO

5. ESTUDO DO LAY-OUT DE CANTEIRO Soluções Consultoria 22 5. ESTUDO DO LAY-OUT DE CANTEIRO Foi feito um projeto específico para o canteiro de obras, conforme anexo. O engenheiro da obra iniciou sua participação nesta fase do processo.

Leia mais

ANEXO XII Memorial Descritivo

ANEXO XII Memorial Descritivo ANEXO XII Memorial Descritivo Para execução das obras, deverão ser observadas as Especificações Técnicas do Caderno de Encargos da PMPA. Foram elaboradas Especificações Técnicas Complementares, bem como

Leia mais

Aula 4 : Desenho de Estruturas

Aula 4 : Desenho de Estruturas Aula 4 : Desenho de Estruturas Índice: UNIDADE 4 DESENHO DE ESTRUTURAS 4.1 Introdução; Fundações: - São elementos estruturais cuja função é a transferência de cargas da estrutura para a camada resistente

Leia mais

9º ENTEC Encontro de Tecnologia: 23 a 28 de novembro de 2015

9º ENTEC Encontro de Tecnologia: 23 a 28 de novembro de 2015 CONCEITOS QUE INFLUENCIAM NA ELABORAÇÃO DO PROJETO ESTRUTURAL Marco Antônio Nunes de Melo 1 ; Carolina Oliveira Pinto n 1 Universidade de Uberaba marconunes_eng@outlook.com 1; carolina.pinto@uniube.br

Leia mais

PROCEDIMENTO DA QUALIDADE

PROCEDIMENTO DA QUALIDADE Pág.: 1 de 6 1. OBJETIVO Realizar o gerenciamento dos projetos desde o seu planejamento, desenvolvimento, recebimento, análise crítica, controle e distribuição nas obras. 2. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA Manual

Leia mais