Manual de Estruturas de Concreto

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Manual de Estruturas de Concreto"

Transcrição

1 Manual de Estruturas de Concreto 1INT

2 O Manual é uma das ferramentas do Projeto Estruturas Racionalizadas disponibilizadas para a Comunidade da Construção. Por ser instrumento de uma comunidade técnica ativa, é nosso objetivo que o Manual seja continuamente criticado, modificado e atualizado. Para facilitar tanto a expressão de idéias dos usuários do Manual quanto a obtenção de cópias atualizadas, foi criada uma seção específica dentro da área logada do site Questões mais polêmicas que eventualmente surjam, serão tratadas em fóruns específicos dentro do site. Créditos Concepção, gerenciamento e produção Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP) Textos Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP) Arq. Carlos Chaves Eng. Bruno Szlak Enga. Érika Mota Eng. Paulo Flaquer GMO Engenharia S/C Ltda Contribuições técnicas Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Concretagem (ABESC) Associação Brasileira de Engenharia e Consultoria Estrutural (ABECE) Instituto Brasileiro de Telas Soldadas (IBTS) Associação Brasileira de Empresas de Engenharia de Fundações e Geotecnia (ABEF) Associação Brasileira das Empresas de Projeto e Consultoria em Engenharia Geotécnica (ABEG) Doka Formas para Concreto Ltda SH Formas Andaimes e Escoramentos Ltda ULMA Andaimes, Formas e Escoramentos Ltda Ilustrações Malu Dias Marques Drops Produções e Design Diagramação Arq. Maria Alice Gonzales - Drops Produções e Design Capa e Divisórias Azul Publicidade & Propaganda S/C Ltda. Fotos tema de capítulos Tico Utiyama 2INT

3 A Associação Brasileira do Cimento Portland (ABCP), em um trabalho conjunto com diversas empresas, entidades e profissionais da cadeia produtiva, apresenta o de Concreto. O, juntamente com uma série de outras ferramentas de capacitação, organização e implantação, faz parte do esforço da construção de uma comunidade de empresas e profissionais que lutam pela melhoria do desempenho dos sistemas construtivos à base de cimento. Objetivos do manual O Manual que você está recebendo tem algumas diferenças se comparado a outras publicações existentes no mercado. Em primeiro lugar o Manual está inserido dentro de um Projeto, o que lhe garante uma vida que extrapola o meio físico. Essa vida permite tanto a atualização constante do conteúdo, quanto canais para solução de dúvidas e aprofundamento de certas questões. Em segundo lugar, é um Manual que procurou, já na sua primeira versão, reunir o conjunto de informações técnicas sobre as estruturas de concreto armado moldadas in loco, de maneira sistêmica. Em terceiro lugar, o Manual privilegiou as necessidades do tomador de decisão que atua em uma construtora e que enfrenta hoje o desafio de melhorar os resultados operacionais de sua obra e empresa. Nota O decisor é o profissional que deve estar informado sobre as opções existentes no mercado, ter base técnica para entender e avaliar as tecnologias e capacidade gerencial para organizar o processo de forma a otimizar resultados. Na prática estamos falando de: a) recuperar os conceitos químicos e físicos que são importantes para a execução de obra, para as especificações e para o diálogo com a indústria de materiais; b) estabelecer o conjunto de decisões que o profissional deve tomar em cada subsistema, de forma que elas estejam organizadas no tempo e coerentes com as soluções disponíveis no mercado; c) discutir as interfaces com os projetistas para que o projeto estrutural incorpore os conceitos do empreendimento e da tecnologia produtiva da construtora d) estabelecer as bases para geração do Projeto para Produção, permitindo que se detalhe os requisitos de projeto de um ponto de vista de facilitar a execução e) discutir as práticas recomendadas de produção de forma que qualidade e produtividade sejam alcançados Tudo isso, visando aumentar o desempenho do sistema construtivo. 3INT

4 Dimensões do desempenho De forma direta ou indireta, o Manual aborda quatro dimensões de desempenho: Custos Todos os recentes estudos econômicos apontam uma diminuição na margem de lucro das construtoras. Responsável por algo entre 20 a 35% do custo das edificações, as estruturas definem também o espaço, plano e linhas geométricas nos quais se ajustam os demais subsistemas. Produtividade Segundo o Instituto McKinsey a produtividade da mão-de-obra na construção brasileira seria aproximadamente 1/3 da produtividade americana e ficaria em um patamar inferior a uma série de outros países. A explicação de que esses países utilizam processos produtivos de natureza distinta do brasileiro não parece explicar corretamente a diferença. Se observamos algumas pesquisas de produtividade realizadas em nosso país, observaremos um quadro semelhante ao apresentado abaixo. O gráfico explicitanto diferenças diárias significativas de produtividade parece indicar que mesmo os processos tradicionais de produção são potencialmente capazes de atingirem resultados muito melhores. De certa forma, eles apontam na mesma direção do referido relatório da McKinsey que apontam que variáveis como subempreiteiros especializados, planejamento e projeto respondem pela maior parte da diferença de produtividade observada. 4INT

5 O único paradoxo é entender porque, apesar do seu enorme potencial de resultados, a produtividade tem sido esquecida mesmo pelas construtoras que investem em modernização. Durabilidade A nova norma de Projeto de Estruturas para Concreto Estrutural - NBR dá um destaque especial à durabilidade. As estruturas de concreto devem ser projetadas e construídas de modo que sob as condições ambientais previstas na época do projeto e quando utilizadas conforme preconizado em projeto conservem sua segurança, estabilidade e aptidão em serviço durante um período mínimo de 50 anos, sem exigir medidas extras de manutenção e reparo. A ênfase na durabilidade não implica, necessariamente, em aumentos dos custos. De fato, problemas de durabilidade materializam-se em problemas de patologia exigindo custos enormes para o construtor e para o usuário da edificação. Estruturação do manual O Manual é organizado em 9 capítulos, incluso essa introdução (capítulo 1). O capítulo 2 trata o tema Projetos. São relacionados os métodos de cálculos existentes e a importância do uso dos softwares. A partir de uma tipologia de formatos estruturais, de requisitos de compatibilização de projetos e da importância da coordenação de projetos, o decisor da construtora pode posicionar a interface com os escritórios de cálculo. No capítulo 3 são tratados os temas: Orçamento, Planejamento e Controle. É apresentada a estrutura básica do orçamento, os planejamentos físico, financeiro e de logística além dos controles de prazo, custo, produtividade, perdas e qualidade. No capítulo 4 são apresentados os diversos tipos de Fundação, os parâmetros que devem orientar a escolha mais adequada e um comparativo com as características que permitem a comparação entre os diversos tipos. O capítulo 5 aborda as Fôrmas. São abordados os fundamentos do trabalho com fôrmas como os materiais utilizados e os esforços atuantes. A seguir é apresentada uma análise das variáveis que devem definir a escolha do sistema. Relaciona-se também os parâmetros para o Projeto para Produção e, finalmente, avaliam-se os custos envolvidos. 5INT

6 O capítulo 6 apresenta o Cimbramento. São apresentados os sistemas de cimbramento e reescoramento existentes e uma análise das variáveis importantes para sua escolha. Finalmente, é analisado o Projeto para Produção de Cimbramento. O capítulo 7 trata da Armação. São apresentados os critérios para escolha do fornecedor, bem como os procedimentos necessários para a aquisição de materiais e mão de obra, enfocando as variáveis envolvidas que afetam a produtividade do serviço e a qualidade do produto. Nesse capítulo são abordadas também as boas práticas que devem ser seguidas para a obtenção de um processo racionalizado. O capítulo 8 discute a Protensão. Apresenta o que é protensão e seus tipos e na seqüência são detalhados os sistemas de protensão leves. No capítulo 9 apresenta a Concretagem. Inicialmente são recuperados os conceitos fundamentais do material concreto e suas propriedades no estado fresco e endurecido. Compara-se o processo em obra e o processo em central e os cuidados necessários para cada etapa. Por fim, são relacionadas as principais práticas recomendadas. Um tópico destacado no capítulo são os concretos de alto desempenho, abordando desde a contratação da central até os cuidados em obra. Cada um desses capítulos é estruturado atendendo a cinco requisitos: 1. As decisões estão organizadas. Ou seja, o gestor terá modelado as variáveis que definem escolhas na obra. Riscos e ganhos são avaliados. 2. Os principais fenômenos físicos e químicos estão mencionados e, principalmente, relacionados aos processos de execução de obra. 3. Os custos estão considerados de forma que o gestor pode avaliar o impacto de suas decisões. 4. As principais tecnologias estão relacionadas 5. Os processos principais de execução estão relacionados em boas práticas. Manual de estruturas: ferramenta de um processo sistêmico A opção pela elaboração de um Manual para os tomadores de decisão foi escolhida a partir da percepção que é na gestão dos sistemas produtivos que se concentram os maiores ganhos e as maiores perdas das construtoras. É claro que o Manual é apenas parte do processo. Somam a ele os cursos de capacitação, as palestras, e tantas outras iniciativas que têm como objetivo gerar potencial para um salto de qualidade na cadeia produtiva ligada às estruturas de concreto. Ao receber esse Manual sua empresa, de fato, ingressa em uma comunidade técnica cuja sede é o site (www.comunidadedaconstrucao.com.br). Através dessa sede virtual, sua empresa acessará as atualizações de conteúdo do Manual, colocará dúvidas que serão respondidas e passará a compartilhar dados, como por exemplo, alguns índices de projeto e produtividade. 6INT

PROCEDIMENTOS RECOMENDADOS DA QUALIDADE DE CONCRETO DE CIMENTO PORTLAND

PROCEDIMENTOS RECOMENDADOS DA QUALIDADE DE CONCRETO DE CIMENTO PORTLAND PROCEDIMENTOS RECOMENDADOS PARA O CONTROLE TECNOLÓGICO E DA QUALIDADE DE CONCRETO DE CIMENTO PORTLAND Engº.. Roberto José Falcão Bauer JUNHO / 2006 SUMÁRIO 1. DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO 2. PREMISSAS VISANDO

Leia mais

PAREDES EXTERNAS EM CONCRETO ARMADO MOLDADO IN LOCO COMO SOLUÇÃO PARA EDIFÍCIOS VERTICAIS

PAREDES EXTERNAS EM CONCRETO ARMADO MOLDADO IN LOCO COMO SOLUÇÃO PARA EDIFÍCIOS VERTICAIS I CONFERÊNCIA LATINO-AMERICANA DE CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL X ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO 18-21 julho 2004, São Paulo. ISBN 85-89478-08-4. PAREDES EXTERNAS EM CONCRETO ARMADO MOLDADO

Leia mais

Desafios e Oportunidades para atender as demandas habitacionais. Valter Frigieri Júnor - ABCP

Desafios e Oportunidades para atender as demandas habitacionais. Valter Frigieri Júnor - ABCP Desafios e Oportunidades para atender as demandas habitacionais Valter Frigieri Júnor - ABCP A ABCP Centro Tecnológico da ABCP 15.000 m 2 de área 5.300 m 2 de edificações (60% da área destinada a laboratórios)

Leia mais

GESTÃO DE ESTRUTURAS RACIONALIZADAS DE CONCRETO P R O M O Ç Ã O

GESTÃO DE ESTRUTURAS RACIONALIZADAS DE CONCRETO P R O M O Ç Ã O GESTÃO DE ESTRUTURAS RACIONALIZADAS DE CONCRETO P R O M O Ç Ã O GESTÃO DE ESTRUTURAS RACIONALIZADAS DE CONCRETO FÔRMAS E CIMBRAMENTO FÔRMAS E CIMBRAMENTO FÔRMA: Modelo, molde de qualquer coisa; EXIGÊNCIAS:

Leia mais

AUBR-83 Dicas e Truques. Objetivos:

AUBR-83 Dicas e Truques. Objetivos: [AUBR-83] BIM na Prática: Implementação de Revit em Escritórios de Arquitetura e Engenharia Paulo Henrique Giungi Galvão Revenda TECGRAF Consultor técnico Revit da Revenda TECGRAF AUBR-83 Dicas e Truques

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR

ESTRUTURA CURRICULAR ESTRUTURA CURRICULAR O currículo proposto busca atender além do perfil do formando, também competências e habilidades necessárias ao profissional para garantir uma boa formação tanto teórica quanto prática

Leia mais

Norma inédita para paredes de concreto moldadas in loco entra em vigor e promete impulsionar uso da tecnologia em edificações

Norma inédita para paredes de concreto moldadas in loco entra em vigor e promete impulsionar uso da tecnologia em edificações CAPA Paredes normatizadas Norma inédita para paredes de concreto moldadas in loco entra em vigor e promete impulsionar uso da tecnologia em edificações Rodnei Corsini NBR 16055:2012 contempla aspectos

Leia mais

Relatório de Atividades 2013-14 PROGRAMA DE GESTÃO DE PAREDE DE CONCRETO

Relatório de Atividades 2013-14 PROGRAMA DE GESTÃO DE PAREDE DE CONCRETO Relatório de Atividades 2013-14 PROGRAMA DE GESTÃO DE PAREDE DE CONCRETO EMPRESAS PARTICIPANTES PROGRAMA DE GESTÃO DE PAREDE DE CONCRETO Relatório de Atividades 2013-14 PROGRAMA DE GESTÃO DE PAREDE DE

Leia mais

Recomendações para elaboração de projetos estruturais de edifícios em aço

Recomendações para elaboração de projetos estruturais de edifícios em aço 1 Av. Brigadeiro Faria Lima, 1685, 2º andar, conj. 2d - 01451-908 - São Paulo Fone: (11) 3097-8591 - Fax: (11) 3813-5719 - Site: www.abece.com.br E-mail: abece@abece.com.br Av. Rio Branco, 181 28º Andar

Leia mais

Fatores críticos no projeto de alvenaria estrutural. MSc. Eng. Claudio Oliveira Silva

Fatores críticos no projeto de alvenaria estrutural. MSc. Eng. Claudio Oliveira Silva Fatores críticos no projeto de alvenaria estrutural MSc. Eng. Claudio Oliveira Silva 1 Fatores Elevada demanda estruturais por imóveis projetam residenciais crescimento do mercado imobiliário nos próximos

Leia mais

E s c o p o d e P r o j e t o s e S e r v i ç o s d e. Estrutura

E s c o p o d e P r o j e t o s e S e r v i ç o s d e. Estrutura M a n u a l d e E s c o p o d e P r o j e t o s e S e r v i ç o s d e Estrutura Direitos DIREITOS autorais AUTORAIS reservados RESERVADOS Todos os direitos desta edição, reprodução ou tradução são reservados.

Leia mais

9º ENTEC Encontro de Tecnologia: 23 a 28 de novembro de 2015

9º ENTEC Encontro de Tecnologia: 23 a 28 de novembro de 2015 CONCEITOS QUE INFLUENCIAM NA ELABORAÇÃO DO PROJETO ESTRUTURAL Marco Antônio Nunes de Melo 1 ; Carolina Oliveira Pinto n 1 Universidade de Uberaba marconunes_eng@outlook.com 1; carolina.pinto@uniube.br

Leia mais

Cronograma Físico e de Custo

Cronograma Físico e de Custo Capítulo 6 Cronograma Físico e de Custo 6.1 Introdução Até a lição 5 anterior, estivemos envolvidos na fase do orçamento que, na figura 1.1 da primeira lição, foi denominada fundamentos, e na qual fizemos

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS EM CAMPO UTILIZANDO REDES MÓVEIS

GESTÃO DE PROJETOS EM CAMPO UTILIZANDO REDES MÓVEIS GESTÃO DE PROJETOS EM CAMPO UTILIZANDO REDES MÓVEIS Estudo de caso em empresa de instalação de Cabeamento Mauro Faccioni Filho, Dr. Eng. Pedro Moritz de Carvalho Neto FAZION Sistemas CREARE Engenharia

Leia mais

RELACIONAMENTO ÉTICO ENTRE EMPRESAS DE PROJETO ESTRUTURAL E EMPRESAS QUE COMERCIALIZAM SOFTWARES

RELACIONAMENTO ÉTICO ENTRE EMPRESAS DE PROJETO ESTRUTURAL E EMPRESAS QUE COMERCIALIZAM SOFTWARES RELACIONAMENTO ÉTICO ENTRE EMPRESAS DE PROJETO ESTRUTURAL E EMPRESAS QUE COMERCIALIZAM SOFTWARES Há cerca de quatro meses, a ABECE - Associação Brasileira de Engenharia e Consultoria Estrutural, criou

Leia mais

FCH Consultoria e Projetos de Engenharia Escritório: São Paulo Atuação: Nacional

FCH Consultoria e Projetos de Engenharia Escritório: São Paulo Atuação: Nacional Projeto de Revestimento de Fachada em Argamassa Engª MSc Fabiana Andrade Ribeiro www.fchconsultoria.com.br Projeto de Revestimento de Fachada Enfoque na Racionalização FCH Consultoria e Projetos de Engenharia

Leia mais

RACIONALIZAÇÃO CONSTRUTIVA

RACIONALIZAÇÃO CONSTRUTIVA RACIONALIZAÇÃO CONSTRUTIVA Prof. Dr. Luiz Sérgio Franco Depto. Eng. Construção Civil da EPUSP ARCO Assessoria em Racionalização Construtiva S/C ltda. arco@uol.com.br A busca de soluções para o aumento

Leia mais

USO DO AÇO NA CONSTRUÇÃO CIVIL

USO DO AÇO NA CONSTRUÇÃO CIVIL 1 FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI NADIR DIAS DE FIGUEIREDO ADEMILSO PINTO BRUNO TEIXEIRA DOCE USO DO AÇO NA CONSTRUÇÃO CIVIL OSASCO 2012 2 ADEMILSO PINTO BRUNO TEIXEIRA DOCE USO DO AÇO NA CONTRUÇÃO CIVIL

Leia mais

28/9/2010. Revalorização dos Projetos de Arquitetura Face às Novas Demandas. Silvio Melhado 24/09/10. Contexto atual

28/9/2010. Revalorização dos Projetos de Arquitetura Face às Novas Demandas. Silvio Melhado 24/09/10. Contexto atual Revalorização dos Projetos de Arquitetura Face às Novas Demandas Silvio Melhado 24/09/10 Contexto atual 2 1 2 Normas de desempenho A Importância da Gestão do Processo de Projeto 6 1 2 4 5 6 7 8 9 10 11

Leia mais

A concepção estrutural deve levar em conta a finalidade da edificação e atender, tanto quanto possível, às condições impostas pela arquitetura.

A concepção estrutural deve levar em conta a finalidade da edificação e atender, tanto quanto possível, às condições impostas pela arquitetura. ESTRUTURAS DE CONCRETO CAPÍTULO 4 Libânio M. Pinheiro, Cassiane D. Muzardo, Sandro P. Santos 2 de abril, 2003. CONCEPÇÃO ESTRUTURAL A concepção estrutural, ou simplesmente estruturação, também chamada

Leia mais

11/05/2015. Quem somos. Clientes BIM MERCADO & IMPLANTAÇÃO. Rogerio Suzuki Consultor BIM/4D/FM. O que oferecemos

11/05/2015. Quem somos. Clientes BIM MERCADO & IMPLANTAÇÃO. Rogerio Suzuki Consultor BIM/4D/FM. O que oferecemos O que oferecemos 11/05/2015 BIM MERCADO & IMPLANTAÇÃO Rogerio Suzuki Consultor BIM/4D/FM Quem somos Clientes 1 2 3 Agenda 1. Introdução 2. O que é BIM? 3. Por que BIM? 4. O que ganho com BIM? 5. BIM &

Leia mais

MÉTODO ÁREAS DE ATUAÇÃO DIFERENCIAIS / TECNOLOGIA TECNOLOGIA BIM

MÉTODO ÁREAS DE ATUAÇÃO DIFERENCIAIS / TECNOLOGIA TECNOLOGIA BIM MÉTODO ÁREAS DE ATUAÇÃO DIFERENCIAIS / TECNOLOGIA TECNOLOGIA BIM Método Engenharia O futuro em construção 40 anos de experiência 6 milhões de m² construídos em projetos realizados no Brasil e no exterior

Leia mais

Painéis de concreto pré-moldados e soluções complementares para o segmento econômico. Otávio Pedreira de Freitas Pedreira Engenharia Ltda

Painéis de concreto pré-moldados e soluções complementares para o segmento econômico. Otávio Pedreira de Freitas Pedreira Engenharia Ltda Painéis de concreto pré-moldados e soluções complementares para o segmento econômico Otávio Pedreira de Freitas Pedreira Engenharia Ltda Painéis de concreto pré-moldados e soluções complementares para

Leia mais

E s c o p o d e P r o j e t o s e S e r v i ç o s d e. Estrutura

E s c o p o d e P r o j e t o s e S e r v i ç o s d e. Estrutura M a n u a l d e E s c o p o d e P r o j e t o s e S e r v i ç o s d e Estrutura M a n u a l d e E s c o p o d e P r o j e t o s e S e r v i ç o s d e Estrutura Direitos DIREITOS autorais AUTORAIS reservados

Leia mais

ANÁLISE DE FALHAS EM PROJETOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL

ANÁLISE DE FALHAS EM PROJETOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL 1 Instituto de Educação Tecnólogica Pós - graduação Gestão de Projetos em Construção e Montagem - Turma nº05 09 de maio de 2015 ANÁLISE DE FALHAS EM PROJETOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL Cínthia Figueira da Silva

Leia mais

Técnicas da Construção Civil. Aula 02

Técnicas da Construção Civil. Aula 02 Técnicas da Construção Civil Aula 02 Necessidades do cliente e tipos de Estruturas Taciana Nunes Arquiteta e Urbanista Necessidades do Cliente Função ou tipo de edificação? Como e quanto o cliente quer

Leia mais

PRODUÇÃO - Conceitos Iniciais

PRODUÇÃO - Conceitos Iniciais PRODUÇÃO - Conceitos Iniciais 1. Conceito - é a atividade de transformação (processo) de matéria-prima em utilidades necessárias ao consumidor. * Nenhuma organização sobrevive, a menos que produza alguma

Leia mais

Análise comparativa de soluções de laje para edifícios estruturados em aço

Análise comparativa de soluções de laje para edifícios estruturados em aço Contribuição técnica nº 2: Análise comparativa de soluções de laje para edifícios estruturados Autores: Eng. M.Sc. Ygor Dias da Costa Lima Prof. Dr. Alex Sander C. de Souza Contato: alex@ufscar.br 1 Análise

Leia mais

1º período. 2º período

1º período. 2º período 1º período Eixo Disciplina CH Pré-requisito Correquisito (C) 1 Cálculo I 90 9 Contexto Social e Profissional do Engenheiro Civil 30 7 Desenho Técnico 30 1 Geometria Analítica e Álgebra Vetorial 90 2 Laboratório

Leia mais

PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Diretrizes e Estratégias para Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil

PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Diretrizes e Estratégias para Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL Diretrizes e Estratégias para Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil Projeto 914 BRA5065 - PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 01 ASPECTOS DE MUDANÇA CULTURAL

Leia mais

Paredes Maciças as de Concreto

Paredes Maciças as de Concreto Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil AULA 4B Paredes Maciças as de Concreto Prof. Dr. Luiz Sergio Franco Escola Politécnica da USP Dep. de Engenharia de Construção

Leia mais

IGDITCC Importância da Gestão, do Desempenho e da Inovação Tecnológica na Construção Civil. Subsistema vedação vertical

IGDITCC Importância da Gestão, do Desempenho e da Inovação Tecnológica na Construção Civil. Subsistema vedação vertical PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL Universidade de Pernambuco Escola Politécnica de Pernambuco IGDITCC Importância da Gestão, do Desempenho e da Inovação Tecnológica na Construção Civil Aula

Leia mais

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília/DF 4, 5 e 6 de junho de 2012 A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Pablo Sandin Amaral Renato Machado Albert

Leia mais

Caminhos da Inovação na Construção Civil. Valter Frigieri Júnior

Caminhos da Inovação na Construção Civil. Valter Frigieri Júnior Caminhos da Inovação na Construção Civil Valter Frigieri Júnior Inovação Estamos com o modelo mental correto? Inovação Estamos com o modelo mental correto? Novidade, mudança radical Fazer da construção

Leia mais

Recomendações para Elaboração de Projetos Estruturais de Edifícios de Concreto

Recomendações para Elaboração de Projetos Estruturais de Edifícios de Concreto Recomendações para Elaboração de Projetos Estruturais de Edifícios de Concreto INTRODUÇÃO O presente trabalho tem como objetivo fornecer aos projetistas e contratantes, recomendações básicas e orientações

Leia mais

LMA, Solução em Sistemas

LMA, Solução em Sistemas LMA, Solução em Sistemas Ao longo dos anos os sistemas para gestão empresarial se tornaram fundamentais, e por meio dessa ferramenta as empresas aperfeiçoam os processos e os integram para uma gestão mais

Leia mais

RELATÓRIOS GERENCIAIS

RELATÓRIOS GERENCIAIS RELATÓRIOS GERENCIAIS Com base na estrutura organizacional de uma entidade, a parte gerencial é o processo administrativo, onde se traça toda a estrutura fundamental para elaboração do planejamento da

Leia mais

TQSN EWS. Integração: Projeto Estrutural, Arquitetura, Geotecnia, Construção e Centrais de C&D com os Sistemas CAD/TQS - V12

TQSN EWS. Integração: Projeto Estrutural, Arquitetura, Geotecnia, Construção e Centrais de C&D com os Sistemas CAD/TQS - V12 Edição especial Dezembro de 2006 Integração: Projeto Estrutural, Arquitetura, Geotecnia, Construção e Centrais de C&D com os Sistemas CAD/TQS - V12 Prezados clientes, Com o processo acelerado da globalização

Leia mais

HACH ENGENHARIA, CONSTRUÇÕES E CONSULTORIA AMBIENTAL CONSULTORIA AMBIENTAL

HACH ENGENHARIA, CONSTRUÇÕES E CONSULTORIA AMBIENTAL CONSULTORIA AMBIENTAL HACH ENGENHARIA, CONSTRUÇÕES E CONSULTORIA AMBIENTAL CONSULTORIA AMBIENTAL Quem somos: Somos HACH ENGENHARIA, CONSTRUÇÕES E CONSULTORIA AMBIENTAL Ltda. um grupo multidisciplinar de profissionais com conhecimentos

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Evolução de Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTAS GERENCIAIS PARA O PROJETO DO CANTEIRO DE OBRAS

DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTAS GERENCIAIS PARA O PROJETO DO CANTEIRO DE OBRAS DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTAS GERENCIAIS PARA O PROJETO DO CANTEIRO DE OBRAS Sheyla Mara Baptista SERRA Dra., Eng., Professora Adjunto do Departamento de Engenharia Civil da Universidade Federal de São

Leia mais

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 901491 - EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução da teoria organizacional

Leia mais

CUSTO COMPARADO DE ELEMENTOS PRÉ-FABRICADOS DE CONCRETO: PRÉ-LAJE PROTENDIDA X LAJE ALVEOLAR PROTENDIDA.

CUSTO COMPARADO DE ELEMENTOS PRÉ-FABRICADOS DE CONCRETO: PRÉ-LAJE PROTENDIDA X LAJE ALVEOLAR PROTENDIDA. CUSTO COMPARADO DE ELEMENTOS PRÉ-FABRICADOS DE CONCRETO: PRÉ-LAJE PROTENDIDA X LAJE ALVEOLAR PROTENDIDA. Adriano Mariot da Silva (1), Mônica Elizabeth Daré (2) UNESC Universidade do Extremo Sul Catarinense

Leia mais

VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO

VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO 1a. parte: TÉCNICA Engenheiro Civil - Ph.D. 85-3244-3939 9982-4969 la99824969@yahoo.com.br skipe: la99824969 de que alvenaria

Leia mais

A realidade do concreto mudou. Mudou nas características do material disponíveis para projeto, mudou na forma de executar concretagens.

A realidade do concreto mudou. Mudou nas características do material disponíveis para projeto, mudou na forma de executar concretagens. . A Nova Engenharia do Concreto Egydio Hervé Neto (SP, 29/08/2002) A realidade do concreto mudou. Mudou nas características do material disponíveis para projeto, mudou na forma de executar concretagens.

Leia mais

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os melhores resultados. 2 ÍNDICE SOBRE O SIENGE INTRODUÇÃO 01

Leia mais

Sua empresa focada no seu core business. Otimização direcionada. Facility Management próximo aos seus processos operacionais.

Sua empresa focada no seu core business. Otimização direcionada. Facility Management próximo aos seus processos operacionais. Sua empresa focada no seu core business. Otimização direcionada. Facility Management próximo aos seus processos operacionais. Transformando desafios em oportunidades. Novas dimensões de eficácia requerem

Leia mais

Renato da Silva SOLANO

Renato da Silva SOLANO INDICADORES OPERACIONAIS DE PRODUTIVIDADE E QUALIDADE PARA EDIFICAÇÕES DE ALTO PADRÃO NA CIDADE DE PORTO ALEGRE: UM ESTUDO EXPLORATÓRIO DE LEVANTAMENTO NA FASE DE PROJETO E RELACIONAMENTO COM A FUNÇÃO

Leia mais

CICLO 2 PLANILHA DE PARAMETRIZAÇÃO E COMPARAÇÃO ENTRE SISTEMAS PARA EDIFÍCIOS ALTOS

CICLO 2 PLANILHA DE PARAMETRIZAÇÃO E COMPARAÇÃO ENTRE SISTEMAS PARA EDIFÍCIOS ALTOS CICLO 2 TUTORIAL: PLANILHA DE PARAMETRIZAÇÃO E COMPARAÇÃO ENTRE SISTEMAS PARA EDIFÍCIOS ALTOS PAREDE DE CONCRETO ALVENARIA ESTRUTURAL ESTRUTURA DE CONCRETO ARMADO Marcos Hesketh GMO Engenharia Versão 1

Leia mais

2011 2013 COLETÂNEA DE ATIVOS

2011 2013 COLETÂNEA DE ATIVOS COLETÂNEA DE ATIVOS 2011 2013 PAREDE DE CONCRETO COLETÂNEA DE ATIVOS Apresentação COLETÂNEA DE ATIVOS 2011/2013 INTRODUÇÃO Sistema completo Sob a coordenação de entidades representativas dos setores de

Leia mais

ERP é um sistema de gestão empresarial que gerencia as informações relativas aos processos operacionais, administrativos e gerenciais das empresas.

ERP é um sistema de gestão empresarial que gerencia as informações relativas aos processos operacionais, administrativos e gerenciais das empresas. Introdução Sistemas de Informação é a expressão utilizada para descrever um Sistema seja ele automatizado (que pode ser denominado como Sistema Informacional Computadorizado), ou seja manual, que abrange

Leia mais

ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO

ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO INTRODUÇÃO As estruturas mistas podem ser constituídas, de um modo geral, de concreto-madeira, concretoaço ou aço-madeira. Um sistema de ligação entre os dois materiais

Leia mais

GESTÃO DA PRODUÇÃO INDUSTRIAL EMENTAS

GESTÃO DA PRODUÇÃO INDUSTRIAL EMENTAS GESTÃO DA PRODUÇÃO INDUSTRIAL EMENTAS CULTURA RELIGIOSA O fenômeno religioso, sua importância e implicações na formação do ser humano, da cultura e da sociedade. As principais religiões universais: história

Leia mais

Por que utilizarmos paredes de concreto

Por que utilizarmos paredes de concreto Seminário: Por que utilizarmos paredes de concreto Engenheiro Geraldo Antonio Cêsta Diretor Técnico da Rodobens Negócios Imobiliários ÍNDICE GERAL DA PALESTRA 1. NECESSIDADE DO MERCADO IMOBILIÁRIO NACIONAL

Leia mais

Prof. Marcelo Ferreira:

Prof. Marcelo Ferreira: MINI CURRICULUM IRIA LÍCIA OLIVA DONIAK Engenheira Civil, graduada pela PUC-PR em 1988,atua no setor concreto desde 86,tendo iniciado suas atividades em Laboratório de Controle Tecnológico,posteriormente

Leia mais

Controle de execução de estruturas de concreto para assegurar o desempenho estrutural com foco na segurança e durabilidade

Controle de execução de estruturas de concreto para assegurar o desempenho estrutural com foco na segurança e durabilidade Realização: Controle de execução de estruturas de concreto para assegurar o desempenho estrutural com foco na segurança e durabilidade Ricardo Leopoldo e Silva França PALESTRA do Gogó da Ema! Quatro apresentações,

Leia mais

Elementos Estruturais de Concreto Armado

Elementos Estruturais de Concreto Armado UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Técnicas Construtivas Elementos Estruturais de Concreto Armado Prof. Guilherme Brigolini Elementos Estruturais de Concreto Armado Produção de

Leia mais

GTAE. Caderno. PDC Programa de Desenvolvimento de Construtoras. Alvenaria Estrutural com Blocos de Concreto BELO HORIZONTE

GTAE. Caderno. PDC Programa de Desenvolvimento de Construtoras. Alvenaria Estrutural com Blocos de Concreto BELO HORIZONTE 2 0 1 2 PDC Programa de Desenvolvimento de Construtoras Caderno de Ativos GTAE 5ºCiclo Alvenaria Estrutural com Blocos de Concreto BELO HORIZONTE GTAE Caderno de Ativos 5ºCiclo 1 Ficha Técnica: Gestão

Leia mais

ESTRUTURAS DE CONCRETO SIMPLES PARA CASAS POPULARES. Jean Fred Guimarães dos Santos Roberto Redondo Perez. Prof. Carlos Augusto Gomes (Orientador) 1

ESTRUTURAS DE CONCRETO SIMPLES PARA CASAS POPULARES. Jean Fred Guimarães dos Santos Roberto Redondo Perez. Prof. Carlos Augusto Gomes (Orientador) 1 ESTRUTURAS DE CONCRETO SIMPLES PARA CASAS POPULARES Jean Fred Guimarães dos Santos Roberto Redondo Perez Prof. Carlos Augusto Gomes (Orientador) 1 1 Universidade do Vale do Paraíba, Faculdade de Engenharia,

Leia mais

PROJETOS PARA PRODUÇÃO COMO INSTRUMENTOS DA MELHORIA DA QUALIDADE DO PROCESSO DE PROJETO DE EDIFICAÇÕES

PROJETOS PARA PRODUÇÃO COMO INSTRUMENTOS DA MELHORIA DA QUALIDADE DO PROCESSO DE PROJETO DE EDIFICAÇÕES PROJETOS PARA PRODUÇÃO COMO INSTRUMENTOS DA MELHORIA DA QUALIDADE DO PROCESSO DE PROJETO DE EDIFICAÇÕES C. C. NOVAES Prof. Dr. - Universidade Federal de São Carlos, Brasil Departamento de Engenharia Civil

Leia mais

DIAGNÓSTICO CONSTRUÇÃO CIVIL UBERLÂNDIA

DIAGNÓSTICO CONSTRUÇÃO CIVIL UBERLÂNDIA DIAGNÓSTICO CONSTRUÇÃO CIVIL UBERLÂNDIA Fonte Imagem: Prefeitura de Uberlândia Diagnóstico Construção Civil UBERLÂNDIA Página 1 de 81 APRESENTAÇÃO O setor da Construção Civil é um dos principais geradores

Leia mais

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br Corporativo Transformar dados em informações claras e objetivas que possibilitem às empresas tomarem decisões em direção ao sucesso. Com essa filosofia a Star Soft Indústria de Software e Soluções vem

Leia mais

9º ENTEC Encontro de Tecnologia: 23 a 28 de novembro de 2015

9º ENTEC Encontro de Tecnologia: 23 a 28 de novembro de 2015 QUANTIFICAÇÃO BASEADA EM MODELAGEM BIM: VALIDAÇÃO E FOMENTO DE PRÁTICA PROJETUAL A PARTIR DA MODELAGEM DA CASA BAETA. Diogo Humberto Muniz¹;Rodrigo Luiz Minot Gutierrezr 2 1, 2 Universidade de Uberaba

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Nome da disciplina Evolução do Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação;

Leia mais

ESTUDO DE CASO SOBRE A APLICAÇÃO DE ESTRUTURAS EM AÇO EM EDIFÍCIO RESIDENCIAL VERTICAL DE MÉDIO PADRÃO EM PRESIDENTE PRUDENTE

ESTUDO DE CASO SOBRE A APLICAÇÃO DE ESTRUTURAS EM AÇO EM EDIFÍCIO RESIDENCIAL VERTICAL DE MÉDIO PADRÃO EM PRESIDENTE PRUDENTE Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 221 ESTUDO DE CASO SOBRE A APLICAÇÃO DE ESTRUTURAS EM AÇO EM EDIFÍCIO RESIDENCIAL VERTICAL DE MÉDIO PADRÃO EM PRESIDENTE

Leia mais

poder de compra x custo da construção poder de compra:

poder de compra x custo da construção poder de compra: w ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO poder de compra x custo da construção poder de compra: - Conceito Geral - Engenheiro Civil - Ph.D. (85)3244-3939 (85)9982-4969 luisalberto1@terra.com.br custo

Leia mais

BIM BIM. Building Information Modeling no Projeto Estrutural. Impactos e benefícios potenciais. Modelagem de Informação do Edifício Projeto Estrutural

BIM BIM. Building Information Modeling no Projeto Estrutural. Impactos e benefícios potenciais. Modelagem de Informação do Edifício Projeto Estrutural BIM Building Information Modeling no Impactos e benefícios potenciais Nelson Covas BIM Building Information Modeling ou Modelagem de Informação da Construção ou Modelagem de Informação do Edifício Premissas

Leia mais

APLICABILIDADE DE ESTRUTURAS EM AÇO EM EDIFÍCIO RESIDENCIAL VERTICAL DE MÉDIO PADRÃO NO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE-SP

APLICABILIDADE DE ESTRUTURAS EM AÇO EM EDIFÍCIO RESIDENCIAL VERTICAL DE MÉDIO PADRÃO NO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE-SP APLICABILIDADE DE ESTRUTURAS EM AÇO EM EDIFÍCIO RESIDENCIAL VERTICAL DE MÉDIO PADRÃO NO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE-SP Autores: Nayra Yumi Tsutsumoto (1); Cesar Fabiano Fioriti (2) (1) Aluna de Graduação

Leia mais

LOGÍSTICA DE OBRAS. Eng. GUILHERME COELHO DE ANDRADE

LOGÍSTICA DE OBRAS. Eng. GUILHERME COELHO DE ANDRADE LOGÍSTICA DE OBRAS Eng. GUILHERME COELHO DE ANDRADE Integração Sistêmica GESTÃO DA IMPLANTAÇÃO DO PROCESSO CONSTRUTIVO NA EMPRESA Parede Controles, Indicadores de desempenho Laje Organização lay-out, fluxo

Leia mais

TRABALHO PRÁTICO. Objetivo: acompanhamento da execução de uma obra de um edifício.

TRABALHO PRÁTICO. Objetivo: acompanhamento da execução de uma obra de um edifício. TRABALHO PRÁTICO Objetivo: acompanhamento da execução de uma obra de um edifício. Grupos: grupos de TRÊS ou QUATRO participantes, necessariamente todos da mesma turma (Turma AC - manhã e Turma BD - tarde

Leia mais

6 CICLO DE PALESTRAS 14 e 15 de outubro de 2015 MEMBRANAS MOLDADAS IN LOCO

6 CICLO DE PALESTRAS 14 e 15 de outubro de 2015 MEMBRANAS MOLDADAS IN LOCO 6 CICLO DE PALESTRAS 14 e 15 de outubro de 2015 MEMBRANAS MOLDADAS IN LOCO Arquitetura da impermeabilização A arte da Compatibilização de projetos Arquiteta Camila S. Grainho GTI PROJETOS E CONSULTORIA

Leia mais

Escopo Geral de Serviços de Engenharia Geotécnica.

Escopo Geral de Serviços de Engenharia Geotécnica. Escopo Geral de Serviços de Engenharia Geotécnica. A seguir explicitam-se todas as etapas do trabalho de engenharia geotécnica recomendáveis para parecer técnico e ou projeto deste tipo, a fim de: - Orientar

Leia mais

Caracterização da Obra

Caracterização da Obra Caracterização da Obra Versão Polo: Construtora: Obra: Data: VITÓRIA - ES SAN JUAN Edifício Isla Bonita 1/dez/05 Dados Gerais Razão social da obra Endereço Telefone Fax e-mail San Juan Empreendimentos

Leia mais

manual DE uso, OPERAÇÃO E manutenção DAS EDIFICAÇõES Orientações para Construtoras e Incorporadoras

manual DE uso, OPERAÇÃO E manutenção DAS EDIFICAÇõES Orientações para Construtoras e Incorporadoras manual DE uso, OPERAÇÃO E manutenção DAS EDIFICAÇõES Orientações para Construtoras e Incorporadoras O U T U B R O/2013 CENÁRIO fotografi a: Erivelton Viana A Câmara Brasileira da Indústria da Construção

Leia mais

1. A ESTAF. 2. Escoramento metálico. 3. Projetos. 4. Anexos

1. A ESTAF. 2. Escoramento metálico. 3. Projetos. 4. Anexos 1. A ESTAF 2. Escoramento metálico 3. Projetos 4. Anexos 1. A ESTAF Fundação: 15/09/1976; Iniciou sua operação com a locação de Andaimes e Escoramentos; Em junho de 1999, fechou parceria com a GENIE Industries,

Leia mais

Sobre os Palestrantes ANDRÉ WENDLER EMPRESA WENDLER PROJETOS /CAMPINAS-SP SITE: http://www.wendlerprojetos.com.br/

Sobre os Palestrantes ANDRÉ WENDLER EMPRESA WENDLER PROJETOS /CAMPINAS-SP SITE: http://www.wendlerprojetos.com.br/ Demonstrar o fluxo de trabalho e Gestão de Orçamento REVIT/BIM da Construtora FA OLIVA com o Escritório de Engenharia Wendler Projetos para projetos de alvenaria estrutural. Apresentadores: Marcelo Antoniazzi

Leia mais

SUMÁRIO. Sistemas a serem considerados na construção de data centers. A gestão do projeto e a integração dos fornecedores

SUMÁRIO. Sistemas a serem considerados na construção de data centers. A gestão do projeto e a integração dos fornecedores REPORT 04 e fevereiro de 2013 INFRAESTRUTURA FÍSICA E DATA CENTERS SUMÁRIO Introdução O que são data centers Padrões construtivos para data centers Sistemas a serem considerados na construção de data centers

Leia mais

Modulação Automática de Edifícios em Alvenaria Estrutural com a utilização da Plataforma CAD: Programa AlvMod

Modulação Automática de Edifícios em Alvenaria Estrutural com a utilização da Plataforma CAD: Programa AlvMod Modulação Automática de Edifícios em Alvenaria Estrutural com a utilização da Plataforma CAD: Programa AlvMod Davi Fagundes Leal 1,, Rita de Cássia Silva Sant Anna Alvarenga 2, Cássio de Sá Seron 3, Diôgo

Leia mais

MECANISMOS PARA GOVERNANÇA DE T.I. IMPLEMENTAÇÃO DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

MECANISMOS PARA GOVERNANÇA DE T.I. IMPLEMENTAÇÃO DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza MECANISMOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DA GOVERNANÇA DE T.I. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza CICLO DA GOVERNANÇA DE TI O CICLO DA GOVERNANÇA DE TI O Ciclo da Governança de T.I. ALINHAMENTO

Leia mais

Tal questão apresenta resposta que deve abranger pelo menos três aspectos distintos, a saber:

Tal questão apresenta resposta que deve abranger pelo menos três aspectos distintos, a saber: Procedimento Proposta ABECE ESTRUTURAS DE CONCRETO CONFORMIDADE DA RESISTÊNCIA DO CONCRETO Atualmente, pode-se afirmar que no Brasil, na grande maioria das obras com estruturas de concreto, adota-se como

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO ENSAIO DE ULTRASSONOGRAFIA PARA A INVESTIGAÇÃO DE PATOLOGIA ESTRUTURAL

UTILIZAÇÃO DO ENSAIO DE ULTRASSONOGRAFIA PARA A INVESTIGAÇÃO DE PATOLOGIA ESTRUTURAL PATOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES UTILIZAÇÃO DO ENSAIO DE ULTRASSONOGRAFIA PARA A INVESTIGAÇÃO DE PATOLOGIA ESTRUTURAL Rodrigo Moysés Costa (1); Ubirajara Alvim Camargos (2) (1) Professor Doutor, Departamento

Leia mais

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos Universidade Cruzeiro do Sul Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos 2010 0 O Processo pode ser entendido como a sequência de atividades que começa na percepção das necessidades explícitas

Leia mais

Transformando aço, conduzindo soluções. Lajes Mistas Nervuradas

Transformando aço, conduzindo soluções. Lajes Mistas Nervuradas Transformando aço, conduzindo soluções. Lajes Mistas Nervuradas TUPER Mais de 40 anos transformando aço e conduzindo soluções. A Tuper tem alta capacidade de transformar o aço em soluções para inúmeras

Leia mais

Forma - é o conjunto de componentes provisórios cujas funções principais são:

Forma - é o conjunto de componentes provisórios cujas funções principais são: Forma - é o conjunto de componentes provisórios cujas funções principais são: Molde: dar forma ao concreto; Conter o concreto fresco e sustentá-lo até que atinja resistência mecânica necessária; Proporcionar

Leia mais

Sistemas construtivos à base de cimento. Uma contribuição efetiva para a construção sustentável

Sistemas construtivos à base de cimento. Uma contribuição efetiva para a construção sustentável Seminário: Sistemas construtivos à base de cimento. Uma contribuição efetiva para a construção sustentável Hugo da Costa Rodrigues Filho Hugo da Costa Rodrigues Filho Associação Brasileira de Cimento Portland,

Leia mais

ÍNDICE O QUE É... 2 COMO FUNCIONA... 3. Acervo... 3. Meus Livros... 4. Livros em destaque... 7. Fórum... 7. Notícias... 8. Ajuda... 9. Suporte...

ÍNDICE O QUE É... 2 COMO FUNCIONA... 3. Acervo... 3. Meus Livros... 4. Livros em destaque... 7. Fórum... 7. Notícias... 8. Ajuda... 9. Suporte... ÍNDICE O QUE É... 2 COMO FUNCIONA... 3 Acervo... 3 Meus Livros... 4 Livros em destaque... 7 Fórum... 7 Notícias... 8 Ajuda... 9 Suporte... 9 POR QUE USAR... 10 EQUIPE RESPONSÁVEL... 12 CONTATO... 13 O

Leia mais

Entendendo custos, despesas e preço de venda

Entendendo custos, despesas e preço de venda Demonstrativo de Resultados O empresário e gestor da pequena empresa, mais do que nunca, precisa dedicar-se ao uso de técnicas e instrumentos adequados de gestão financeira, para mapear a situação do empreendimento

Leia mais

PARÂMETROS PARA SELEÇÃO E PROJETO DE IMPERMEABILIZAÇÃO DE PISOS DO PAVIMENTO TIPO DE EDIFÍCIOS

PARÂMETROS PARA SELEÇÃO E PROJETO DE IMPERMEABILIZAÇÃO DE PISOS DO PAVIMENTO TIPO DE EDIFÍCIOS PARÂMETROS PARA SELEÇÃO E PROJETO DE IMPERMEABILIZAÇÃO DE PISOS DO PAVIMENTO TIPO DE EDIFÍCIOS Julio Cesar Sabadini de Souza Escola Politécnica da USP - Av. Prof. Almeida Prado, Trav. 2, nº 271 - PCC CEP

Leia mais

Palestra ao vivo. com Arq. Amanda Marques

Palestra ao vivo. com Arq. Amanda Marques Palestra ao vivo com Arq. Amanda Marques Faça Suas Perguntas PARA PERGUNTAR AO PALESTRANTE USE # Bônus Especial Quem ficar até o final vai ganhar um bônus super especial que vou revelar no final desta

Leia mais

COORDENAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICIOS: UM SISTEMA PARA PROGRAMAÇÃO E CONTROLE DO FLUXO DE ATIVIDADES DO PROCESSO DE PROJETOS

COORDENAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICIOS: UM SISTEMA PARA PROGRAMAÇÃO E CONTROLE DO FLUXO DE ATIVIDADES DO PROCESSO DE PROJETOS COORDENAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICIOS: UM SISTEMA PARA PROGRAMAÇÃO E CONTROLE DO FLUXO DE ATIVIDADES DO PROCESSO DE PROJETOS José Francisco Pontes ASSUMPÇÃO Professor da UFSCar, Rod. Washington Luís, km

Leia mais

ALVENARIA: como reconhecer blocos de qualidade e ecoeficientes!

ALVENARIA: como reconhecer blocos de qualidade e ecoeficientes! ALVENARIA: como reconhecer blocos de qualidade e ecoeficientes! Bloco de concreto As paredes são montadas a partir de componentes de alvenaria - os blocos. Portanto, é imprescindível que eles obedeçam

Leia mais

INSTRUÇÕES NORMATIVAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS ESTRUTURAIS EM CONCRETO ARMADO, ESTRUTURAS METÁLICAS OU ESTRUTURAS EM MADEIRA

INSTRUÇÕES NORMATIVAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS ESTRUTURAIS EM CONCRETO ARMADO, ESTRUTURAS METÁLICAS OU ESTRUTURAS EM MADEIRA INSTRUÇÕES NORMATIVAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS ESTRUTURAIS EM CONCRETO ARMADO, ESTRUTURAS METÁLICAS OU ESTRUTURAS EM MADEIRA Blumenau, maio de 2010. 1. RESUMO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. INTRODUÇÃO...

Leia mais

PROJETO DE PRODUÇÃO PARA CONSTRUÇÃO METÁLICA APLICADO EM LAJES MISTAS STEEL DECK. Tecn Raphael da Silva raphaello.silva@gmail.com

PROJETO DE PRODUÇÃO PARA CONSTRUÇÃO METÁLICA APLICADO EM LAJES MISTAS STEEL DECK. Tecn Raphael da Silva raphaello.silva@gmail.com CONSTRUMETAL CONGRESSO LATINO-AMERICANO DA CONSTRUÇÃO METÁLICA São Paulo Brasil 31 de agosto a 02 de setembro 2010 PROJETO DE PRODUÇÃO PARA CONSTRUÇÃO METÁLICA APLICADO EM LAJES MISTAS STEEL DECK Tecn

Leia mais

Processo de elaboração dos indicadores do Sistema de Gestão da Qualidade voltados para Sustentabilidade na Construção Civil

Processo de elaboração dos indicadores do Sistema de Gestão da Qualidade voltados para Sustentabilidade na Construção Civil Processo de elaboração dos indicadores do Sistema de Gestão da Qualidade voltados para Sustentabilidade na Construção Civil QUEILA RODRIGUES Universidade Federal do Pampa andressalhamby@hotmail.com MAURÍCIO

Leia mais

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG Capítulo 3: Sistemas de Negócios Colaboração SPT SIG Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos, gerentes e profissionais de empresas.

Leia mais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Capítulo 3: Sistemas de Apoio Gerenciais Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos,

Leia mais

FORMAS E ARMADURAS. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

FORMAS E ARMADURAS. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I FORMAS E ARMADURAS Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I CUSTO DA ESTRUTURA (SABBATINI, et. Al, 2007) CUSTO DOS ELEMENTOS DA ESTRUTURA

Leia mais

Quarta 04/11 14:45-16:25. Quinta 05/11 13:50-15:30. Sexta 06/11 14:10-15:30. Edificações, Infraestrutura e Cidade: do BIM ao CIM

Quarta 04/11 14:45-16:25. Quinta 05/11 13:50-15:30. Sexta 06/11 14:10-15:30. Edificações, Infraestrutura e Cidade: do BIM ao CIM 1A Tic Em Apoio A Projeto 1 1 A Realidade Virtual Imersiva Como Tecnologia De Suporte À Compreensão De Modelos Computacionais 37 O Uso De Tecnologias De Realidade Aumentada Como Estratégia De Empoderamento

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS PARA A INOVAÇÃO

GESTÃO DE PROJETOS PARA A INOVAÇÃO GESTÃO DE PROJETOS PARA A INOVAÇÃO Indicadores e Diagnóstico para a Inovação Primeiro passo para implantar um sistema de gestão nas empresas é fazer um diagnóstico da organização; Diagnóstico mapa n-dimensional

Leia mais