Título: Sistema de Apoio à Análise Automática de Comportamento Animal em Laboratório

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Título: Sistema de Apoio à Análise Automática de Comportamento Animal em Laboratório"

Transcrição

1 TOPOLINO - Sistema de Apoio à Análise Automática de Comportamento Animal em Laboratório Albert Schiaveto de Souza 1, Hemerson Pistori 2, João José Neto 3 1 Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, CCBS 2 Grupo de Pesquisa em Engenharia e Computação, GPEC Universidade Católica Dom Bosco, UCDB, Av. Tamandaré, 6000, Jardim Seminário, Campo Grande, MS, Brasil, Laboratório de Linguagens e Técnicas Adaptativas, LTA Universidade de São Paulo, USP, Av. Prof. Luciano Gualberto. Trav. 3 N. 158, São Paulo, SP, MS, Brasil, Resumo Uma fase importante no desenvolvimento de um novo fármaco consiste na avaliação de seu efeito no comportamento de ratos e camundongos. Experimentos com ratos e camundongos exigem a observação visual desses animais em ambientes controlados e a extração de informações relacionadas, por exemplo, com a trajetória, velocidade e o tipo dos movimentos realizados. Esse projeto tem por objetivo o desenvolvimento de um software livre capaz de processar as imagens capturadas através de um dispositivo de captura de baixo custo, como uma webcam, e extrair automaticamente as informações relevantes para a análise de determinados comportamentos. 1 Dados do Projeto Sigla: TOPOLINO Título: Sistema de Apoio à Análise Automática de Comportamento Animal em Laboratório 1

2 Área de concentração (CNPq), Alternativa I: Engenharias, Engenharia Elétrica, Medidas Elétricas, Magnéticas e Eletrônicas; Instrumentação, Sistemas Eletrônicos de Medida e de Controle. Área de concentração (CNPq), Alternativa II: Ciências Exatas e da Terra, Ciência da Computação, Sistemas de Computação, Software Básico. Duração 24 meses. 2 Antecedentes e Justificativa O estudo do comportamento de animais é de suma importância para responder questões etológicas básicas [1]. Além disso, um dos passos no desenvolvimento de novos fármacos ou terapias consiste na avaliação destes tratamentos sobre o comportamento de animais de laboratório, antes que eles sejam testados clinicamente em seres humanos. A observação visual e o registro manual do comportamento têm sido amplamente utilizados, pois eles podem ser implementados com um investimento relativamente baixo, além de que para alguns comportamentos, esta pode ser a única maneira de documentar a sua ocorrência. Todavia, por causa das diferenças inter-observadores, os resultados obtidos por este método de estudo nem sempre são suficientemente reprodutíveis. Outro problema freqüentemente observado é que o registro manual dos comportamentos pode, em alguns casos, demandar um grande período de tempo e exigir um trabalho exaustivo do pesquisador. Embora existam no mercado alguns softwares para ajudar o pesquisador na sumarização dos resultados, as anotações dos comportamentos de interesse permanecem sendo um trabalho quase que totalmente manual, além de que esta análise pode apresentar vários problemas. Primeiro, a documentação do comportamento pode continuar sendo um trabalho exaustivo. Além disso, mesmo com a ajuda de algum software mais recente, o observador deve ainda decidir na classificação de cada comportamento. Por causa disso, um outro problema é adicionado, o componente subjetividade ou viés, que pode ocorrer quando vários indivíduos classificam o comportamento [2]. Por outro lado, sistemas de observação totalmente automatizados podem freqüentemente prover muitas vantagens. Entre elas, o sistema não sofre de fadiga do observador, assim, as observações podem ser mantidas por tempo indefinido [3, 4], além de que os eventos são registrados de forma mais fidedigna, pois os algoritmos sempre trabalham da mesma forma, sem qualquer influência da subjetividade do observador. Portanto, desde que foram inicialmente introduzidos no início de 1990, os sistemas de rastreamento computadorizado de animais de laboratório, oferecem grandes vantagens de flexibilidade, 2

3 resolução espacial e precisão temporal em estudos etológicos e de análise comportamental em resposta a novos tratamentos ou manipulações [4]. 3 Objetivos 3.1 Geral Desenvolvimento de um sistema computadorizado de segmentação e rastreamento de animais de laboratório, em ambientes controlados, utilizando técnicas de visão computacional, por meio de um software livre capaz de processar as imagens capturadas e de extrair automaticamente as informações relevantes para a análise de comportamentos específicos. 3.2 Específicos 1. Determinar parâmetros qualitativos e quantitativos, em experimentos com camundongos, cuja extração e cálculo sejam passíveis de automatização através de técnicas de visão computacional. 2. Desenvolver sistemas automáticos para rastreamento de camundongos em ambientes controlados. 3. Implementar módulos de extração e cálculo de parâmetros para análise comportamental de camundongos. 4. Desenvolver sistema de controle de experimentos e laboratórios. 5. Capacitar recursos humanos na área em estudo. 4 Revisão de Literatura A análise computadorizada do comportamento animal tem sido baseada nos trabalhos pioneiros de estudo do movimento (para uma revisão, veja [5, 6]). Os fundamentos de tal sistema são que os animais se relacionam com o seu ambiente tanto espacial quanto temporalmente [7]. Segundo Fentress [7] e Golani & Fentress [8], tais sistemas computadorizados de registro do comportamento facilitam estudos quantitativos do comportamento animal, contanto que os padrões do comportamento normal e anormal estejam bem estruturados. A tecnologia para detecção automatizada e registro do comportamento animal e movimento tem evoluído dramaticamente na última década [9]. Entre os vários métodos desenvolvidos pode-se citar aquele em que o movimento animal é detectado por uma trama de raios infravermelhos ou por uma série de transdutores de pressão sob a arena para estimar a posição do animal [10]. O movimento do animal pode ainda ser estimado, dentre muitos métodos disponíveis, usando vários tipos de detectores sensíveis ao toque, medindo a quantidade de giros em uma roda de exercícios, avaliando a capacitância de uma placa de quando o animal está próximo a ela [11] ou até mesmo mensurando a 3

4 resistência elétrica do corpo do animal [12]. Outros métodos de detecção comparáveis incluem o uso de ultra-som [13] e de microondas [14]. Os sistemas desenvolvidos mais recentemente são baseados em softwares mais flexíveis e podem rastrear múltiplos animais simultaneamente em uma variedade de superfícies complexas [9]. A aplicação de rastreamento por vídeo é particularmente apropriada para medir três tipos de comportamentos: comportamentos que ocorrem de forma breve e então são sucedidos por longos períodos de inanição (comportamentos raros [15]), comportamentos que ocorrem por várias horas (análise da variação diurna de determinado comportamento [16, 17]), e de medidas espaciais (por exemplo, distância, velocidade, giros, etc. [18, 19]) que o observador humano é incapaz de estimar exatamente. Portanto, se um comportamento puder automaticamente ser detectado, o uso do rastreamento por vídeo pode reduzir em muito o esforço humano requerido [17]. Isto reduz não somente custos, mas permite uma replicação maior das respostas, com menor variação interindivíduos, o que poupa tempo e reduz o número total dos animais a serem utilizados em uma pesquisa (porque cada rato pode ser usado muito mais eficientemente). Uma grande vantagem do rastreamento automatizado é que ele força que os investigadores definam exatamente o que significa um determinado comportamento, permite assim uma padronização das metodologias [3], que é uma das maiores necessidades dos estudos etológicos [20 22]. 5 Metodologia A metodologia básica de desenvolvimento do Sistema de Apoio à Análise Automática do Comportamento Animal em Laboratório (TOPOLINO) é a de projeto e programação orientada a objetos. O reaproveitamento de códigos livres também é uma outra característica central da metodologia. Dois pacotes livres, com fontes em linguagem Java, serão intensivamente utilizados: o ImageJ, para processamento digital de sinais e o SIGUS, para implementação de sistemas de visão computacional 1. A linguagem Java foi escolhida por ser altamente portável e por possuir boas ferramentas automáticas, livres e gratuitas, que facilitam a geração de documentação de programas-fonte. Definimos abaixo as etapas metodológicas relacionadas com cada um dos objetivos específicos definidos na seção 3.2. As siglas AS, HP e PM, entre colchetes, referem-se aos pesquisadores Albert Schiaveto [AS], Hemerson Pistori [HP] e João José Neto [JJ], e estão sendo utilizadas para indicar os responsáveis pela tarefa. 1. Determinar parâmetros qualitativos e quantitativos, em experimentos com camundongos, cuja extração e cálculo sejam passíveis de automatização através de técnicas de visão computacional. (a) Entrevistas com especialistas e revisão de literatura para identificação dos principais parâmetros, visualmente identificáveis, utilizados na análise do comportamento de camundongos. [AS] 1 O pacote SIGUS está sendo desenvolvido pelos pesquisadores do grupo de pesquisa em engenharia e computação da UCDB, o GPEC 4

5 (b) Classificação dos parâmetros quanto ao tipo de métricas ou características utilizadas em sua medição ou determinação (e.g. distâncias, quantidades, localizações, formas, etc). [AS] (c) Identificação das técnicas computacionais que deverão ser utilizadas na extração dos diferentes tipos de parâmetros. [HP] (d) Criação de um banco de imagens digitais, manualmente rotuladas, para identificar os principais parâmetros a serem extraídos pelo sistema automático. [HP] 2. Desenvolver sistemas automáticos para rastreamento de camundongos em ambientes controlados. (a) Identificação dos filtros de processamento digital de imagens, como por exemplo, filtros de eliminação de ruído e melhoria de contraste, que serão utilizados para pré-processar as imagens que alimentarão o sistema TOPOLINO.[HP] (b) Projeto, implementação e teste dos filtros. [HP] (c) Projeto, implementação e teste de um módulo para segmentar imagens contendo camundongos.[hp,jj] (d) Projeto, implementação e teste de um módulo para rastrear o camundongo em seqüências de imagens.[hp,jj] (e) Integração dos filtros com os módulos de segmentação e rastreamento.[hp] (f) Teste com os módulos integrados. [HP] (g) Produção de documentação para os módulos implementados.[hp] 3. Implementar módulos de extração e cálculo de parâmetros para análise comportamental de camundongos. (a) Projeto, implementação e teste dos algoritmos de extração de parâmetros que exigem a análise de movimento.[hp,jj] (b) Projeto, implementação e teste dos algoritmos de extração de parâmetros atemporais.[hp,jj] (c) Integração dos módulos de extração com o módulo de rastreamento.[hp] (d) Identificação, a partir de experimentos em campo, das condições em que o sistema de extração de atributos obtem o melhor desempenho. [AS] (e) Produção de documentação para os módulos. [AS] 4. Desenvolver um sistema de controle de experimentos e laboratórios. (a) Projeto, implementação e teste do banco de dados contendo informações sobre experimentos com animais. [AS] (b) Projeto da interface do sistema TOPOLINO com base em entrevistas com usuários e análise de sistemas similares. [AS] 5

6 (c) Implementação e testes da interface [AS] (d) Integração da interface com o banco de dados e com os módulos de rastreamento e extração de atributos. [AS] (e) Testes do sistema TOPOLINO com o experimento do campo aberto. [AS] (f) Testes com o experimento do labirinto em cruz. [AS] (g) Realização de ajustes com base nos resultados dos testes. [AS] (h) Produção de documentação técnica para o sistema TOPOLINO. [AS] (i) Produção do manual de utilização do sistema TOPOLINO. [AS] 5. Capacitar recursos humanos na área em estudo. (a) Criação e manutenção de um Website dedicado aos assuntos relacionados com o projeto. [AS,HP] (b) Produção de material didático para a área de visão computacional aplicada à automatização de análise comportamental de animais. [AS,HP] (c) Realização de minicursos e cursos de extensão sobre o tema do projeto. [AS,HP] (d) Elaboração e apresentação de artigos técnicos/científicos com resultados intermediários. [AS,JJ,HP] (e) Elaboração e apresentação de artigos técnicos/científicos com resultados finais. [AS,JJ,HP] 6

7 6 Cronograma Ano I Ano II Etapa a X 1.b X X 1.c X X 1.d X X X 2.a X 2.b X X X X 2.c X X X 2.d X X X X 2.e X X X X 2.f X X X 2.g X X X 3.a X X X X X X 3.b X X X X X 3.c X X X 3.d X X X 3.e X X X 4.a X X X 4.b X X X X X X 4.c X X X X X 4.d X X X X 4.e X X X X 4.f X X X 4.g X X X 4.h X X X 4.i X X X 5.a X X X X X X X X X X X X 5.b X X X X X X 5.c X X 5.d X X 5.e X X 5.f X X 7 Resultados Esperados Desenvolvimento de um sistema de visão computacional que: Seja flexível e permita a análise de vários aspectos relevantes do comportamento locomotor de animais de laboratório; Tenha uma resolução tal que produza resultados fidedignos e com alta reprodutibilidade; 7

8 Possa rastrear e registrar o comportamento dos animais por tempo prolongado; Tenha uma linguagem operacional simples e de fácil manuseio aos pesquisadores; Seja apresentado na forma de um software livre; Seja de baixo custo; 8 Impactos 8.1 Tecnológico Permitir a quantificação de comportamentos de medidas espaciais (por exemplo, distância, velocidade, giros, etc.) que o observador humano é incapaz de estimar exatamente na observação apenas visual; 8.2 Científico Permitir em laboratório uma análise mais reprodutível do comportamento motor de animais de laboratório em estudos etológicos ou no desenvolvimento de novos fármacos e terapias; Poupar tempo e trabalho aos pesquisadores na análise do comportamento animal, principalmente em estudos em que a observação do animal deve ser feita por períodos prolongados; 8.3 Econômico Prover aos pesquisadores locais e externos um sistema de rastreamento de animais de laboratório flexível, o qual permita a análise de vários aspectos do comportamento locomotor animal, a um custo razoavelmente baixo, quando comparado com outros sistemas existentes no mercado, desenvolvidos fora do país; Viabilizar a criação de laboratórios regionais para terceirização das fases de testes de fármacos. A própria Universidade Católica Dom Bosco poderá vir a ser tornar uma prestadora de serviços nessa área. 8.4 Social A redução de custos, mesmo com aumento de qualidade, na fase de testes de novos fármacos, poderá se refletir em remédios mais baratos para a população. Além disso, um novo nicho de mercado poderá começar a ser explorado em nossa região, gerando novas possibilidades de negócio e oportunidades de emprego. 8

9 8.5 Ambiental A automatização e a coleta de imagens digitais, que podem ser reavaliadas sempre que necessário, implicará em uma redução na quantidade de experimentos aos quais os animais deverão ser submetidos. Extensões do sistema que será implementado poderão vir a permitir a automatização de experimentos realizados em campo, envolvendo observação de animais em seu habitat natural. A utilização de filmadoras digitais, acopladas a um sistema computacional de reconhecimento de comportamentos de interesse para uma determinada pesquisa, poderá melhorar a qualidade das observações, ao diminuir o impacto da inserção de seres humanos no local dos experimentos. 9 Estratégias de Difusão dos Conhecimentos Gerados 1. Os resultados deste projeto serão disponibilizados através de um endereço na Internet. 2. Também será criada uma lista de discussão específica para o sistema TOPOLINO, incluindo os desenvolvedores do software, que poderão, através da Internet, esclarecer dúvidas e trocar informações. 3. A equipe deverá participar de eventos, em áreas relacionadas ao projeto, para divulgar os resultados obtidos. 4. Um mini-curso sobre o TOPOLINO deverá ser criado e oferecido. 10 Possíveis Parceiros Universidades e centros de pesquisa que desenvolvem trabalhos em biológica básica, e que hoje utilizam equipamentos importados, de alto custo, ou realizam os experimentos manualmente. Indústria farmacêutica. Órgãos governamentais que tratam de questões relacionadas ao meio ambiente e de cuidados com animais. Referências 1 MORROW-TESCH, J.; DAILEY, J. W.; JIANG, H. A video data base system for studying animal behavior. Journal of Animal Science, v. 76, n. 10, p , NOLDUS, L. P.; SPINK, A. J.; A.J, R. Tegelenbosch computerised video tracking, movement analysis and behaviour recognition in insects. Computers and Electronics in Agriculture, v. 35, p ,

10 3 SPRUIJT, B. M. et al. Automatic behavior recognition: what do we want to recognize and how do we measure it? In: Proceedings of Measuring Behavior. Groningen, Netherlands: [s.n.], p NOLDUS, L. P.; SPINK, A. J.; TEGELENBOSCH, R. A. Ethovision: a versatile video tracking system for automation of behavioral experiments. Behavior Research Methods, Instruments, & Computers, v. 33, n. 3, p , ESHKOL, N.; WACHMANN, A. Movement notation. Weiden & Nicholson, FENTRESS, J. C. Dynamic boundaries of patterned behaviour: Interaction and self-organization. In: P. P. Bateson and R. A. Hinde (Ed.) Growing Points in Ethology. Cambridge, U.K.: [s.n.], FENTRESS, J. C. Emergence of pattern in the development of mammalian movement sequences. Journal Neurobiol, v. 23, p , GOLANI, I.; FENTRESS, J. C. Early ontogeny of face groomingin mice. Developmental Psychobiol, v. 18, p , SPINK, A. J. et al. The ethovision video tracking system - a tool for behavioral phenotyping of transgenic mice. Physiology Behavior, v. 73, n. 5, p , GAPENNE, O.; SIMON, P.; LANNOU, J. A simple method for recording the path of a rat in an open field. Behavior Research Methods, Instruments, & Computers, v. 22, p , CLARKE, R. L.; SMITH, R. F.; JUSTESEN, D. R. A programmable proximitycontact sensor to detect location or locomotion of animals. Behavior Research Methods, Instruments, & Computers, v. 24, p , M.TARPY, R.; J.MURCEK, R. An electronic device for detecting activity in caged rodents. Behavior Research Methods, Instruments, & Computers, v. 16, p , AKAKA, W. H.; HOUCK, B. A. The use of an ultrasonic monitor for recording locomotor activity. Behavior Research Methods, Instruments, & Computers, v. 12, p , MARTIN, P. H.; UNWIN, D. M. A microwave doppler radar activity monitor. Behavior Research Methods, Instruments, & Computers, v. 20, p , MARTIN, B. R.; PRESCOTT, W. R.; ZHU, M. Quantification of rodent catalepsy by a computer-imaging technique. Pharmacology Biochemistry and Behavior, v. 43, p , DERRY, J. F.; ELLIOTT, J. H. Automated 3-d tracking of a video-captured movement using the example of an aquatic mollusk. Behavior Research Methods, Instruments, & Computers, v. 29, p ,

11 17 SPRUIJT, B. M.; GISPEN, W. H. Prolonged animal observations by use of digitized videodisplays. Pharmacol, Biochem Behav, v. 19, p , BURESOVA, O.; BOLHUIS, J. J.; BURES, J. Differential effects of cholinergic blockade on performance of rats in the water tank navigation task and in a radial water maze. Behavior Neuroscience, v. 100, p , SPRUIJT, B. M. et al. Org2766 improves performance of rats with unilateral lesions in the fimbria fornix in a spatial learning task. Brain Research, v. 527, p , WHALSTEN, D. Standardizing tests of mouse behavior: reasons, recommendations, and reality. Physiology & Behavior, v. 73, n. 5, p , BROWN, R. E.; STANFORD, L.; SCHELLINCK, H. M. Developing standardized behavioral tests for knockout and inbred mice. Institute for Laboratory Animal Research, v. 41, p , DRAI, D. et al. Phenotyping of mouse exploratory behavior. In: Proceedings of Measuring Behavior. Nijmegen, Amsterdam: [s.n.], p

12 11 Instituições Participantes Nome Completo da Instituição Sigla CGC/CNPJ Nome do Dirigente Telefone Universidade Católica Dom Bosco UCDB / José Marinoni (067) Universidade de São Paulo USP / Adolpho José Melfi (11) DighitoBrasil Dighito Wilson Silva Pinto 12 Equipe do Projeto 12.1 Pesquisadores 12 Nome completo Título CPF Inst./Unidade Função Albert Schiaveto de Souza Doutor xxx UCDB Pesquisador Hemerson Pistori Doutor xxx UCDB Coordenador João José Neto Doutor xxx USP Pesquisador 12.2 Bolsistas e Acadêmicos Nome CPF Instituição Situação Orientador Bruno Brandoli Machado xxx UCDB - EC. Bolsista CNPQ Hemerson Edy Alberth Kamiya xxx UCDB - EC TCC Hemerson João Bosco Oliveira Monteiro xxx UCDB - EC TCC Hemerson Jonathan Andrade Silva xxx UCDB - EC Bolsista CNPQ Albert Wesley Nunes Goncalves xxx UCDB - EC Bolsista CNPQ Hemerson

Universidade Católica Dom Bosco

Universidade Católica Dom Bosco Universidade Católica Dom Bosco Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Curso de Engenharia de Computação Técnicas de Visão Computacional para Rastreamento de Múltiplos Objetos João Bosco Oliveira Monteiro

Leia mais

Estudo de técnicas de rastreamento de objetos aplicadas à detecção de múltiplas larvas

Estudo de técnicas de rastreamento de objetos aplicadas à detecção de múltiplas larvas Estudo de técnicas de rastreamento de objetos aplicadas à detecção de múltiplas larvas Guilherme de Oliveira Vicente Orientador: Prof. Dr. Hemerson Pistori Coorientador: Prof. Me. Kleber Padovani de Souza

Leia mais

Desenvolvimento do Módulo de Pré-processamento e Geração de Imagens de. Imagens de Teste do Sistema DTCOURO

Desenvolvimento do Módulo de Pré-processamento e Geração de Imagens de. Imagens de Teste do Sistema DTCOURO Desenvolvimento do Módulo de Pré-processamento e Geração de Imagens de Teste do Sistema DTCOURO Willian Paraguassu Amorim 27 de julho de 2005 1 Título Desenvolvimento do Módulo de Pré-processamento e Geração

Leia mais

Rastreamento Dinâmico de Objetos: Um Experimento Didático Integrando Conceitos de Hardware e Software

Rastreamento Dinâmico de Objetos: Um Experimento Didático Integrando Conceitos de Hardware e Software Rastreamento Dinâmico de Objetos: Um Experimento Didático Integrando Conceitos de Hardware e Software Emerson G. Moretto 2, Markus Reichel 2, Hemerson Pistori 1 1 Grupo de Pesquisa em Engenharia e Computação

Leia mais

Extração de Atributos e Inferência Gramatical para Reconhecimento de Comportamentos em Animais

Extração de Atributos e Inferência Gramatical para Reconhecimento de Comportamentos em Animais Extração de Atributos e Inferência Gramatical para Reconhecimento de Comportamentos em Animais Bruno Brandoli Machado 1 1. Antecedentes e Justificativa O estudo do comportamento animal é extremamente importante

Leia mais

PRÊMIO FINEP DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA 2005

PRÊMIO FINEP DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA 2005 PRÊMIO FINEP DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA 25 TÍTULO DO PROJETO: GPEC - Grupo de Pesquisa em Engenharia e Computação da Universidade Católica Dom Bosco DADOS CADASTRAIS Porte da Organização Razão Social Responsável

Leia mais

UNIVERSIDADE F EDERAL DE P ERNAMBUCO ANÁLISE DE UM MÉTODO PARA DETECÇÃO DE PEDESTRES EM IMAGENS PROPOSTA DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO

UNIVERSIDADE F EDERAL DE P ERNAMBUCO ANÁLISE DE UM MÉTODO PARA DETECÇÃO DE PEDESTRES EM IMAGENS PROPOSTA DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO UNIVERSIDADE F EDERAL DE P ERNAMBUCO GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CENTRO DE INFORMÁTICA 2010.2 ANÁLISE DE UM MÉTODO PARA DETECÇÃO DE PEDESTRES EM IMAGENS PROPOSTA DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO Aluno!

Leia mais

5 Mecanismo de seleção de componentes

5 Mecanismo de seleção de componentes Mecanismo de seleção de componentes 50 5 Mecanismo de seleção de componentes O Kaluana Original, apresentado em detalhes no capítulo 3 deste trabalho, é um middleware que facilita a construção de aplicações

Leia mais

Automação de Bancada Pneumática

Automação de Bancada Pneumática Instituto Federal Sul-rio-grandense Campus Pelotas - Curso de Engenharia Elétrica Automação de Bancada Pneumática Disciplina: Projeto Integrador III Professor: Renato Allemand Equipe: Vinicius Obadowski,

Leia mais

11/3/2009. Software. Sistemas de Informação. Software. Software. A Construção de um programa de computador. A Construção de um programa de computador

11/3/2009. Software. Sistemas de Informação. Software. Software. A Construção de um programa de computador. A Construção de um programa de computador Sistemas de Informação Prof. Anderson D. Moura Um programa de computador é composto por uma seqüência de instruções, que é interpretada e executada por um processador ou por uma máquina virtual. Em um

Leia mais

Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas

Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas Aula 1 Ementa Fases do Ciclo de Vida do Desenvolvimento de Software, apresentando como os métodos, ferramentas e procedimentos da engenharia de software, podem

Leia mais

Modelagem e Simulação Material 02 Projeto de Simulação

Modelagem e Simulação Material 02 Projeto de Simulação Modelagem e Simulação Material 02 Projeto de Simulação Prof. Simão Sirineo Toscani Projeto de Simulação Revisão de conceitos básicos Processo de simulação Etapas de projeto Cuidados nos projetos de simulação

Leia mais

Sistemas de Informação Geográfica Prof. Tiago Eugenio de Melo, MSc.

Sistemas de Informação Geográfica Prof. Tiago Eugenio de Melo, MSc. Sistemas de Informação Geográfica Prof. Tiago Eugenio de Melo, MSc. SUMÁRIO Apresentação da ementa Introdução Conceitos Básicos de Geoinformação Arquitetura de SIGs Referências Bibliográficas APRESENTAÇÃO

Leia mais

Fornece novos benefícios para o mercado postal

Fornece novos benefícios para o mercado postal Entrega de Pacotes e Encomendas Classificação de correspondências e pacotes Vantage TM Sorting Solution Classificadora flexível e de alta velocidade Fornece novos benefícios para o mercado postal A classificadora

Leia mais

Pesquisa experimental

Pesquisa experimental 1 Aula 7 Interação Humano-Computador (com foco em métodos de pesquisa) Prof. Dr. Osvaldo Luiz de Oliveira 2 Pesquisa experimental Wilhelm Wundt (1832-1920), Pai da Psicologia Experimental. Leituras obrigatórias:

Leia mais

FDQ-TOOL UMA FERRAMENTA PARA A ANÁLISE DA QUALIDADE DA MÉTRICA DE ESFORÇO DO PDS

FDQ-TOOL UMA FERRAMENTA PARA A ANÁLISE DA QUALIDADE DA MÉTRICA DE ESFORÇO DO PDS 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 FDQ-TOOL UMA FERRAMENTA PARA A ANÁLISE DA QUALIDADE DA MÉTRICA DE ESFORÇO DO PDS Marcos Mitsuo Ashihara 1, Nelson Tenório Jr 2, Rita Cristina Galarraga

Leia mais

Reconhecimento de Dados Biométricos em Larga Escala

Reconhecimento de Dados Biométricos em Larga Escala Reconhecimento de Dados Biométricos em Larga Escala Profa. Fabíola Gonçalves Pereira Greve DCC - UFBA Departamento de Ciência da Computação Grupo de Algoritmos e Computação Distribuída http:// Equipe Profa.

Leia mais

CONTROLAR O PONTEIRO DO MOUSE UTILIZANDO O MOVIMENTO DE UM OLHO CAPTURADO ATRAVÉS DE UMA CÂMERA INFRAVERMELHA FIXA

CONTROLAR O PONTEIRO DO MOUSE UTILIZANDO O MOVIMENTO DE UM OLHO CAPTURADO ATRAVÉS DE UMA CÂMERA INFRAVERMELHA FIXA CONTROLAR O PONTEIRO DO MOUSE UTILIZANDO O MOVIMENTO DE UM OLHO CAPTURADO ATRAVÉS DE UMA CÂMERA INFRAVERMELHA FIXA Eduardo Henrique Sasse Acadêmico Paulo César Rodacki Gomes - Orientador Introdução Roteiro

Leia mais

Detecção e Rastreamento de Objetos coloridos em vídeo utilizando o OpenCV

Detecção e Rastreamento de Objetos coloridos em vídeo utilizando o OpenCV Detecção e Rastreamento de Objetos coloridos em vídeo utilizando o OpenCV Bruno Alberto Soares OLIVEIRA 1,3 ; Servílio Souza de ASSIS 1,3,4 ; Izadora Aparecida RAMOS 1,3,4 ; Marlon MARCON 2,3 1 Estudante

Leia mais

Cálculo de volume de objetos utilizando câmeras RGB-D

Cálculo de volume de objetos utilizando câmeras RGB-D Cálculo de volume de objetos utilizando câmeras RGB-D Servílio Souza de ASSIS 1,3,4 ; Izadora Aparecida RAMOS 1,3,4 ; Bruno Alberto Soares OLIVEIRA 1,3 ; Marlon MARCON 2,3 1 Estudante de Engenharia de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE MATEMÁTICA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO MATA62 - Engenharia de Software I Comparação entre Ferramentas de Gerência de Projeto Salvador 2009.1 MATA62

Leia mais

2 Engenharia de Software

2 Engenharia de Software 20 2 Engenharia de Software 2.1 Design de Sistemas Orientados a Objetos Os Sistemas Orientados a Objetos não são mais novidade hoje em dia já estando há muitos anos no mercado. A orientação a objetos permite

Leia mais

A Computação e as Classificações da Ciência

A Computação e as Classificações da Ciência A Computação e as Classificações da Ciência Ricardo de Almeida Falbo Metodologia de Pesquisa Departamento de Informática Universidade Federal do Espírito Santo Agenda Classificações da Ciência A Computação

Leia mais

REAL LACOS: CONTROLE DIGITAL EM TEMPO REAL

REAL LACOS: CONTROLE DIGITAL EM TEMPO REAL REAL LACOS: CONTROLE DIGITAL EM TEMPO REAL Andreya Prestes da Silva 1, Rejane de Barros Araújo 1, Rosana Paula Soares Oliveira 1 e Luiz Affonso Guedes 1 Universidade Federal do ParáB 1 Laboratório de Controle

Leia mais

As pesquisas podem ser agrupadas de acordo com diferentes critérios e nomenclaturas. Por exemplo, elas podem ser classificadas de acordo com:

As pesquisas podem ser agrupadas de acordo com diferentes critérios e nomenclaturas. Por exemplo, elas podem ser classificadas de acordo com: 1 Metodologia da Pesquisa Científica Aula 4: Tipos de pesquisa Podemos classificar os vários tipos de pesquisa em função das diferentes maneiras pelo qual interpretamos os resultados alcançados. Essa diversidade

Leia mais

Topolino: Software Livre para Automatização do Experimento do Campo Aberto

Topolino: Software Livre para Automatização do Experimento do Campo Aberto Topolino: Software Livre para Automatização do Experimento do Campo Aberto Bruno Brandoli Machado, Jonathan de Andrade Silva, Wesley Nunes Gonçalves, Hemerson Pistori, Albert Schiaveto de Souza 1 Universidade

Leia mais

STATGEN Plataforma web para análise de dados genéticos.

STATGEN Plataforma web para análise de dados genéticos. STATGEN Plataforma web para análise de dados genéticos. Diogo Gonçalves Neder 1 1 Introdução O melhoramento de plantas visa principalmente identificar combinações genotípicas com performance superior quando

Leia mais

Universidade Federal de Pernambuco

Universidade Federal de Pernambuco Universidade Federal de Pernambuco Graduação em Engenharia da Computação Centro de Informática 2D Feature Distance Estimation for Indoor Environments using 2D laser range data Proposta de Trabalho de Graduação

Leia mais

SISTEMA COMPUTACIONAL PARA ANÁLISES DE DADOS EM AGRICULTURA DE PRECISÃO

SISTEMA COMPUTACIONAL PARA ANÁLISES DE DADOS EM AGRICULTURA DE PRECISÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA PROJETO SISTEMA COMPUTACIONAL PARA ANÁLISES DE DADOS EM AGRICULTURA DE PRECISÃO ALUNO RICARDO CARDOSO TERZELLA

Leia mais

Arquitetura e Organização de Computadores Introdução à Organização do Computador

Arquitetura e Organização de Computadores Introdução à Organização do Computador 1 Arquitetura e Organização de Computadores Introdução à Organização do Computador Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Curso: Sistemas de Informação Introdução 2 O Computador é uma ferramenta que

Leia mais

Prof. Vitório Bruno Mazzola INE/CTC/UFSC 1. INTRODUÇÃO

Prof. Vitório Bruno Mazzola INE/CTC/UFSC 1. INTRODUÇÃO Capítulo 6 ENGENHARIA DE SOFTWARE CONCEITOS BÁSICOS Prof. Vitório Bruno Mazzola INE/CTC/UFSC 1. INTRODUÇÃO Nos anos 40, quando se iniciou a evolução dos sistemas computadorizados, grande parte dos esforços,

Leia mais

XXXVIII Reunião Anual da SBNeC

XXXVIII Reunião Anual da SBNeC XXXVIII Reunião Anual da SBNeC Introdução ao Armazenamento de Dados de Experimentos em Neurociência Parte 1: Estratégias para o armazenamento de dados de experimentos em Neurociência uma visão geral Amanda

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA MODALIDADE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (BOLSA PIC/FACIT/FAPEMIG)

PROJETO DE PESQUISA MODALIDADE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (BOLSA PIC/FACIT/FAPEMIG) PROJETO DE PESQUISA MODALIDADE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (BOLSA PIC/FACIT/FAPEMIG) MONTES CLAROS FEVEREIRO/2014 1 COORDENAÇÃO DE PESQUISA PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA RASTREAMENTO DE MOTOCICLETAS ORIENTADOR:

Leia mais

PROTÓTIPO DE ATENDIMENTO DOMICILIAR AUTOMATIZADO: HOME CARE DE BAIXO CUSTO

PROTÓTIPO DE ATENDIMENTO DOMICILIAR AUTOMATIZADO: HOME CARE DE BAIXO CUSTO PROTÓTIPO DE ATENDIMENTO DOMICILIAR AUTOMATIZADO: HOME CARE DE BAIXO CUSTO Wilker Luiz Machado Barros¹, Wyllian Fressatti¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil wilkermachado1@hotmail.com,

Leia mais

Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para:

Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para: INSTITUIÇÃO: IFRS CAMPUS BENTO GONÇALVES CNPJ: 94728821000192 ENDEREÇO: Avenida Osvaldo Aranha, 540. Bairro Juventude. CEP: 95700-000 TELEFONE: (0xx54) 34553200 FAX: (0xx54) 34553246 Curso de Educação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ UFPR Bacharelado em Ciência da Computação

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ UFPR Bacharelado em Ciência da Computação SOFT DISCIPLINA: Engenharia de Software AULA NÚMERO: 10 DATA: / / PROFESSOR: Andrey APRESENTAÇÃO O objetivo desta aula é apresentar e discutir os conceitos de coesão e acoplamento. DESENVOLVIMENTO Projetar

Leia mais

Intranets. FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO

Intranets. FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO Intranets FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO As intranets são redes internas às organizações que usam as tecnologias utilizadas na rede mundial

Leia mais

SEGMENTAÇÃO DE IMAGENS EM PLACAS AUTOMOTIVAS

SEGMENTAÇÃO DE IMAGENS EM PLACAS AUTOMOTIVAS SEGMENTAÇÃO DE IMAGENS EM PLACAS AUTOMOTIVAS André Zuconelli 1 ; Manassés Ribeiro 2 1. Aluno do Curso Técnico em Informática, turma 2010, Instituto Federal Catarinense, Câmpus Videira, andre_zuconelli@hotmail.com

Leia mais

Software para especificação de motores de indução trifásicos

Software para especificação de motores de indução trifásicos Instituto Federal Sul-riograndense Campus Pelotas - Curso de Engenharia Elétrica Software para especificação de motores de indução trifásicos Disciplina: Projeto Integrador III Professor: Renato Neves

Leia mais

INF1403 - Introdução a Interação Humano-Computador (IHC)

INF1403 - Introdução a Interação Humano-Computador (IHC) INF1403 - Introdução a Interação Humano-Computador (IHC) Turma 3WB Professor: Alberto Barbosa Raposo 09/04/2012 Departamento de Informática, PUC-Rio Testes com usuários Como avaliar? inspeção (por especialistas)

Leia mais

Janine Garcia 1 ; Adamo Dal Berto 2 ; Marli Fátima Vick Vieira 3

Janine Garcia 1 ; Adamo Dal Berto 2 ; Marli Fátima Vick Vieira 3 ENSINO A DISTÂNCIA: UMA ANÁLISE DO MOODLE COMO INSTRUMENTO NO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM DO ENSINO MÉDIO E SUPERIOR DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CATARINENSE (IFC) - CÂMPUS ARAQUARI

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia

Universidade Federal de Uberlândia EDITAL Nº05/ PROGRAD/ DIREN/2010 ANEXO II 1 Título do Projeto: Automação de Fluxo de Trabalho Administrativo 2- Nome do Orientador: Autran Macêdo 3 Unidade: FACOM 4- Curso: Bacharelado em Ciência da Computação

Leia mais

Sistema de mineração de dados para descobertas de regras e padrões em dados médicos

Sistema de mineração de dados para descobertas de regras e padrões em dados médicos Sistema de mineração de dados para descobertas de regras e padrões em dados médicos Pollyanna Carolina BARBOSA¹; Thiago MAGELA² 1Aluna do Curso Superior Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Leia mais

WHITEPAPER. Guia de compra para câmeras IP: tudo o que você precisa saber antes de adquirir a sua solução digital

WHITEPAPER. Guia de compra para câmeras IP: tudo o que você precisa saber antes de adquirir a sua solução digital WHITEPAPER Guia de compra para câmeras IP: tudo o que você precisa saber antes de adquirir a sua solução digital Câmera IP ou câmera analógica? Se você está em dúvida sobre a aquisição de uma solução analógica

Leia mais

JOSÉ AUGUSTO FABRI. Uma Proposta de Modelo para a Criação e a Organização de Processos de Produção em um Contexto de Fábrica de Software

JOSÉ AUGUSTO FABRI. Uma Proposta de Modelo para a Criação e a Organização de Processos de Produção em um Contexto de Fábrica de Software JOSÉ AUGUSTO FABRI Uma Proposta de Modelo para a Criação e a Organização de Processos de Produção em um Contexto de Fábrica de Software São Paulo 2007 JOSÉ AUGUSTO FABRI Uma Proposta de Modelo para a Criação

Leia mais

Capítulo 1 - Introdução 14

Capítulo 1 - Introdução 14 1 Introdução Em seu livro Pressman [22] define processo de software como um arcabouço para as tarefas que são necessárias para construir software de alta qualidade. Assim, é-se levado a inferir que o sucesso

Leia mais

Campo Grande - MS. Endereço: Sala C110 Bloco C - UCDB Fone: 0xx67 312-3502 Web Sit e: www.gp ec.ucdb.b r

Campo Grande - MS. Endereço: Sala C110 Bloco C - UCDB Fone: 0xx67 312-3502 Web Sit e: www.gp ec.ucdb.b r GPEC - Grupo de Pesquisa em Engenharia e Computação Prof. Dr. Hemerson Pistori Junho/2004 Campo Grande - MS SUMÁRIO Introdução Equipe Linhas de Pesquisa Projetos Parcerias Estrutura Publicações Conclusões

Leia mais

central de atendimento -> 55(11) 3807-0188 ou atendimento@grupotreinar.com.br

central de atendimento -> 55(11) 3807-0188 ou atendimento@grupotreinar.com.br Todos nossos cursos são preparados por mestres e profissionais reconhecidos no mercado de Segurança da Informação no Brasil e exterior. Os cursos são ministrados em português, espanhol ou inglês, atendendo

Leia mais

Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy

Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy Ricardo Caruso Vieira Aquarius Software Revista Cadware Ed.22 versão online 1. Introdução Há mais de duas décadas, a indústria investe intensamente

Leia mais

A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS. A decisão de automatizar

A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS. A decisão de automatizar A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS A decisão de automatizar 1 A decisão de automatizar Deve identificar os seguintes aspectos: Cultura, missão, objetivos da instituição; Características

Leia mais

Palestra sobre os softwares: AFSoft, GeoFieldere Sacam Desenvolvimento e aplicação de tecnologias.

Palestra sobre os softwares: AFSoft, GeoFieldere Sacam Desenvolvimento e aplicação de tecnologias. Palestra sobre os softwares: AFSoft, GeoFieldere Sacam Desenvolvimento e aplicação de tecnologias. Orientador: Lúcio A. C. Jorge Palestrante: Agostinho B. R. da Silva Introdução Embrapa Instrumentação

Leia mais

Curso Forense Computacional

Curso Forense Computacional Curso Forense Computacional Todos nossos cursos são preparados por mestres e profissionais reconhecidos no mercado de Segurança da Informação no Brasil e exterior. Os cursos são ministrados em português,

Leia mais

Objetivos. Engenharia de Software. O Estudo de Viabilidade. Fase do Estudo de Viabilidade. Idéias chave. O que Estudar? O que concluir?

Objetivos. Engenharia de Software. O Estudo de Viabilidade. Fase do Estudo de Viabilidade. Idéias chave. O que Estudar? O que concluir? Engenharia de Software O Estudo de Viabilidade Objetivos O que é um estudo de viabilidade? O que estudar e concluir? Benefícios e custos Análise de Custo/Benefício Alternativas de comparação 1 2 Idéias

Leia mais

QUALIDADE DE SOFTWARE. Ian Sommerville 2006 Engenharia de Software, 8ª. edição. Capítulo 27 Slide 1

QUALIDADE DE SOFTWARE. Ian Sommerville 2006 Engenharia de Software, 8ª. edição. Capítulo 27 Slide 1 QUALIDADE DE SOFTWARE Ian Sommerville 2006 Engenharia de Software, 8ª. edição. Capítulo 27 Slide 1 Objetivos Apresentar o processo de gerenciamento de qualidade e as atividades centrais da garantia de

Leia mais

SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS

SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS 769 SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS Mateus Neves de Matos 1 ; João Carlos Nunes Bittencourt 2 ; DelmarBroglio Carvalho 3 1. Bolsista PIBIC FAPESB-UEFS, Graduando em Engenharia de

Leia mais

Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy

Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy Ricardo Caruso Vieira Aquarius Software 1. Introdução Há mais de duas décadas, a indústria investe intensamente em sistemas ERP (Enterprise Resource

Leia mais

FORMULÁRIO-SÍNTESE DA PROPOSTA - SIGProj EDITAL EDITAL A QUALQUER TEMPO 01/2013 PARTE I - IDENTIFICAÇÃO

FORMULÁRIO-SÍNTESE DA PROPOSTA - SIGProj EDITAL EDITAL A QUALQUER TEMPO 01/2013 PARTE I - IDENTIFICAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO, CULTURA E COMUNIDADE FORMULÁRIO-SÍNTESE DA PROPOSTA - SIGProj EDITAL EDITAL A QUALQUER TEMPO 01/2013 Uso exclusivo da Pró-Reitoria (Decanato)

Leia mais

Palavras-chave: turbina eólica, gerador eólico, energia sustentável.

Palavras-chave: turbina eólica, gerador eólico, energia sustentável. Implementação do modelo de uma turbina eólica baseado no controle de torque do motor cc utilizando ambiente matlab/simulink via arduino Vítor Trannin Vinholi Moreira (UTFPR) E-mail: vitor_tvm@hotmail.com

Leia mais

15 Computador, projeto e manufatura

15 Computador, projeto e manufatura A U A UL LA Computador, projeto e manufatura Um problema Depois de pronto o desenho de uma peça ou objeto, de que maneira ele é utilizado na fabricação? Parte da resposta está na Aula 2, que aborda as

Leia mais

Resumo Sistema de registo de eventos em diário electrónico, implementado em telemóvel, para auxílio no diagnóstico de distúrbios do sono

Resumo Sistema de registo de eventos em diário electrónico, implementado em telemóvel, para auxílio no diagnóstico de distúrbios do sono Resumo Sistema de registo de eventos em diário electrónico, implementado em telemóvel, para auxílio no diagnóstico de distúrbios do sono O presente evento é um diário electrónico do sono para registo de

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (EAD) SISTEMAS PARA INTERNET INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 68 A disciplina estuda a área da informática como um todo e os conceitos fundamentais, abrangendo

Leia mais

Autor(es) BARBARA STEFANI RANIERI. Orientador(es) LUIZ EDUARDO GALVÃO MARTINS, ANDERSON BELGAMO. Apoio Financeiro PIBIC/CNPQ. 1.

Autor(es) BARBARA STEFANI RANIERI. Orientador(es) LUIZ EDUARDO GALVÃO MARTINS, ANDERSON BELGAMO. Apoio Financeiro PIBIC/CNPQ. 1. 19 Congresso de Iniciação Científica ESPECIFICAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO DE UMA FERRAMENTA AUTOMATIZADA DE APOIO AO GERSE: GUIA DE ELICITAÇÃO DE REQUISITOS PARA SISTEMAS EMBARCADOS Autor(es) BARBARA STEFANI

Leia mais

Biblioteca Digital da UNIVATES utilizando a ferramenta DSpace. Alexandre Stürmer Wolf, Ana Paula Lisboa Monteiro, Willian Valmorbida

Biblioteca Digital da UNIVATES utilizando a ferramenta DSpace. Alexandre Stürmer Wolf, Ana Paula Lisboa Monteiro, Willian Valmorbida Biblioteca Digital da UNIVATES utilizando a ferramenta DSpace Alexandre Stürmer Wolf, Ana Paula Lisboa Monteiro, Willian Valmorbida Roteiro Biblioteca Digital da UNIVATES Bibliotecas: Conceitos Metas da

Leia mais

Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid)

Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid) Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid) Sistemas Distribuídos Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência

Leia mais

O que são sistemas supervisórios?

O que são sistemas supervisórios? O que são sistemas supervisórios? Ana Paula Gonçalves da Silva, Marcelo Salvador ana-paula@elipse.com.br, marcelo@elipse.com.br RT 025.04 Criado: 10/09/2004 Atualizado: 20/12/2005 Palavras-chave: sistemas

Leia mais

Relações mais harmoniosas de convívio com a natureza; O mundo como um modelo real que necessita de abstrações para sua descrição; Reconhecimento de

Relações mais harmoniosas de convívio com a natureza; O mundo como um modelo real que necessita de abstrações para sua descrição; Reconhecimento de Relações mais harmoniosas de convívio com a natureza; O mundo como um modelo real que necessita de abstrações para sua descrição; Reconhecimento de padrões espaciais; Controle e ordenação do espaço. Técnicas

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE EXPERIMENTOS LABORATORIAIS PARA O ENSINO DE AUTOMAÇÃO DA MEDIÇÃO NO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA

DESENVOLVIMENTO DE EXPERIMENTOS LABORATORIAIS PARA O ENSINO DE AUTOMAÇÃO DA MEDIÇÃO NO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA DESENVOLVIMENTO DE EXPERIMENTOS LABORATORIAIS PARA O ENSINO DE AUTOMAÇÃO DA MEDIÇÃO NO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA Gilva Altair Rossi gilva@demec.ufmg.br José Maria Galvez jmgalvez@ufmg.br Universidade

Leia mais

TÍTULO DO PROJETO: A PERCEPÇÃO DO CONCEITO DE INOVAÇÃO PELOS EMPRESÁRIOS DO SETOR TÊXTIL DA REGIÃO DE AMERICANA/SP

TÍTULO DO PROJETO: A PERCEPÇÃO DO CONCEITO DE INOVAÇÃO PELOS EMPRESÁRIOS DO SETOR TÊXTIL DA REGIÃO DE AMERICANA/SP PROJETOS INICIAÇÃO CIENTÍFICA 1 SEMESTRE DE 2014 162 A Fatec Americana promove o Programa de Iniciação Científica para seus alunos oferecendo semestralmente projetos que estimulem a essência do saber fazer

Leia mais

Comparação entre Ferramentas CASE para gerenciamento de Projeto e Métricas de Software no Curso de Sistemas da Informação do UniFOA

Comparação entre Ferramentas CASE para gerenciamento de Projeto e Métricas de Software no Curso de Sistemas da Informação do UniFOA Comparação entre Ferramentas CASE para gerenciamento de Projeto e Métricas de Software no Curso de Sistemas da Informação do UniFOA Professor Doutor Jason Paulo Tavares Faria Junior (Sistemas da Informação

Leia mais

Projeto de controle e Automação de Antena

Projeto de controle e Automação de Antena Projeto de controle e Automação de Antena Wallyson Ferreira Resumo expandido de Iniciação Tecnológica PUC-Campinas RA: 13015375 Lattes: K4894092P0 wallysonbueno@gmail.com Omar C. Branquinho Sistemas de

Leia mais

Estratégias de Pesquisa

Estratégias de Pesquisa Estratégias de Pesquisa Ricardo de Almeida Falbo Metodologia de Pesquisa Departamento de Informática Universidade Federal do Espírito Santo Agenda Survey Design e Criação Estudo de Caso Pesquisa Ação Experimento

Leia mais

APRENDENDO LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO VIA WEB

APRENDENDO LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO VIA WEB APRENDENDO LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO VIA WEB Romero Tori Universidade de São Paulo Escola Politécnica INTERLAB Laboratório de Tecnologias Interativas-USP Instituto Sumaré de Educação Superior rometori@usp.br

Leia mais

PROJETO Pró-INFRA/CAMPUS

PROJETO Pró-INFRA/CAMPUS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS AVANÇADO DE ARACATI PROJETO Pró-INFRA/CAMPUS IMPLEMENTAÇÃO DE SOLUÇÃO PARA AUTOMATIZAR O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE UTILIZANDO A LINGUAGEM C#.NET

Leia mais

PLATAFORMA URBANMOB Aplicativo para captura de trajetórias urbanas de objetos móveis

PLATAFORMA URBANMOB Aplicativo para captura de trajetórias urbanas de objetos móveis PLATAFORMA URBANMOB Aplicativo para captura de trajetórias urbanas de objetos móveis Gabriel Galvão da Gama 1 ; Reginaldo Rubens da Silva 2 ; Angelo Augusto Frozza 3 RESUMO Este artigo descreve um projeto

Leia mais

1. INTRODUÇÃO... 3 2. AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS... 3. 2.1. Objetivos... 3. 2.2. Escopo... 4 3. VALORAÇÃO DE TECNOLOGIAS... 5. 3.1. Objetivo...

1. INTRODUÇÃO... 3 2. AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS... 3. 2.1. Objetivos... 3. 2.2. Escopo... 4 3. VALORAÇÃO DE TECNOLOGIAS... 5. 3.1. Objetivo... 1 ÍNDICE ANALÍTICO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS... 3 2.1. Objetivos... 3 2.2. Escopo... 4 3. VALORAÇÃO DE TECNOLOGIAS... 5 3.1. Objetivo... 5 3.1.1. Negociação para comercialização e

Leia mais

Doenças cardiovasculares constituem um dos maiores problemas que afligem a

Doenças cardiovasculares constituem um dos maiores problemas que afligem a 18 1 INTRODUÇÃO Doenças cardiovasculares constituem um dos maiores problemas que afligem a população dos países industrializados. Essas doenças são responsáveis por mais de cinco milhões de pessoas hospitalizadas

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE INTERFACE WEB MULTIUSUÁRIO PARA SISTEMA DE GERAÇÃO AUTOMÁTICA DE QUADROS DE HORÁRIOS ESCOLARES. Trabalho de Graduação

DESENVOLVIMENTO DE INTERFACE WEB MULTIUSUÁRIO PARA SISTEMA DE GERAÇÃO AUTOMÁTICA DE QUADROS DE HORÁRIOS ESCOLARES. Trabalho de Graduação DESENVOLVIMENTO DE INTERFACE WEB MULTIUSUÁRIO PARA SISTEMA DE GERAÇÃO AUTOMÁTICA DE QUADROS DE HORÁRIOS ESCOLARES Trabalho de Graduação Orientando: Vinicius Stein Dani vsdani@inf.ufsm.br Orientadora: Giliane

Leia mais

Veículo de Diagnóstico de Rodovias (VDR)

Veículo de Diagnóstico de Rodovias (VDR) Veículo de Diagnóstico de Rodovias (VDR) Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) Ministério dos Transportes (MT) Para cobrir os 55 mil km de rodovias federais eram precisos 18 meses

Leia mais

UM LABORATÓRIO WEB PARA ENSINO ORIENTADO A AUTOMAÇÃO E CONTROLE

UM LABORATÓRIO WEB PARA ENSINO ORIENTADO A AUTOMAÇÃO E CONTROLE UM LABORATÓRIO WEB PARA ENSINO ORIENTADO A AUTOMAÇÃO E CONTROLE Cleonilson Protásio de Souza 1 e José Tarcísio Costa Filho 2 Universidade Federal do Maranhão 1 Departamento de Engenharia de Eletricidade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA E COMPUTAÇÃO Programa de Pós-Graduação em Informática

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA E COMPUTAÇÃO Programa de Pós-Graduação em Informática UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA E COMPUTAÇÃO Programa de Pós-Graduação em Informática Estudo e aperfeiçoamento da técnica de steering behaviors na simulação física de fluidos

Leia mais

Geração do Portal CPCX - UFMS pelo UNION: Um Estudo de Caso

Geração do Portal CPCX - UFMS pelo UNION: Um Estudo de Caso Geração do Portal CPCX - UFMS pelo UNION: Um Estudo de Caso Lourival dos Santos Pires Júnior, Tony Carlos Bignardi dos Santos, Amaury Antônio de Castro Junior, Carlos Alberto da Silva, Leila Lisiane Rossi

Leia mais

PRINCIPAIS FUNCIONALIDADES DO SOFTWARE GLOBAL MAPPER

PRINCIPAIS FUNCIONALIDADES DO SOFTWARE GLOBAL MAPPER PRINCIPAIS FUNCIONALIDADES DO SOFTWARE GLOBAL MAPPER Além das novas implementações na versão 15, ressaltamos a seguir as principais funções que fazem do Global Mapper um dos melhores softwares para a visualização

Leia mais

Métodos de Avaliação para Sites de Entretenimento. Fabricio Aparecido Breve Prof. Orientador Daniel Weller

Métodos de Avaliação para Sites de Entretenimento. Fabricio Aparecido Breve Prof. Orientador Daniel Weller Métodos de Avaliação para Sites de Entretenimento Fabricio Aparecido Breve Prof. Orientador Daniel Weller 1 Introdução O objetivo deste trabalho é verificar a eficiência da Avaliação com o Usuário e da

Leia mais

www.efoto.eng.uerj.br PROJETO E-FOTO: UMA ESTAÇÃ EDUCACIONAL EM AMBIENTE DE SOFTWARE LIVRE

www.efoto.eng.uerj.br PROJETO E-FOTO: UMA ESTAÇÃ EDUCACIONAL EM AMBIENTE DE SOFTWARE LIVRE Autores: Grupo de Pesquisa Multidisciplinar em Geomática: Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) Programa de Mestrado Acadêmico em Engenharia de Computação Área de Concentração: GEOMÁTICA (Departamento

Leia mais

Capítulo 3. Avaliação de Desempenho. 3.1 Definição de Desempenho

Capítulo 3. Avaliação de Desempenho. 3.1 Definição de Desempenho 20 Capítulo 3 Avaliação de Desempenho Este capítulo aborda como medir, informar e documentar aspectos relativos ao desempenho de um computador. Além disso, descreve os principais fatores que influenciam

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores I. de Computadores

Organização e Arquitetura de Computadores I. de Computadores Universidade Federal de Campina Grande Unidade Acadêmica de Sistemas e Computação Curso de Bacharelado em Ciência da Computação Organização e Arquitetura de Computadores I Organização Básica B de Computadores

Leia mais

REALIDADE AUMENTADA APLICADA NA EDUCAÇÃO: ESTUDOS DOS SEUS BENEFÍCIOS

REALIDADE AUMENTADA APLICADA NA EDUCAÇÃO: ESTUDOS DOS SEUS BENEFÍCIOS REALIDADE AUMENTADA APLICADA NA EDUCAÇÃO: ESTUDOS DOS SEUS BENEFÍCIOS Kelly Cristina de Oliveira 1, Júlio César Pereira 1. 1 Universidade Paranaense (UNIPAR) Paranavaí PR Brasil kristhinasi@gmail.com,

Leia mais

Introdução. à Linguagem JAVA. Prof. Dr. Jesus, Edison O. Instituto de Matemática e Computação. Laboratório de Visão Computacional

Introdução. à Linguagem JAVA. Prof. Dr. Jesus, Edison O. Instituto de Matemática e Computação. Laboratório de Visão Computacional Introdução à Linguagem JAVA Prof. Dr. Jesus, Edison O. Instituto de Matemática e Computação Laboratório de Visão Computacional Vantagens do Java Independência de plataforma; Sintaxe semelhante às linguagens

Leia mais

Controle para Motores de Passo usando módulo USB-6008

Controle para Motores de Passo usando módulo USB-6008 Departamento de Física e Ciência dos Materiais Caixa Postal 369-13560-970 São Carlos SP Brasil e-mail : andretec@ifsc.usp.br Controle para Motores de Passo usando módulo USB-6008 Introdução Neste projeto

Leia mais

CONSULTA AO MERCADO RFP REQUEST FOR PROPOSAL ÍNDICE

CONSULTA AO MERCADO RFP REQUEST FOR PROPOSAL ÍNDICE CONSULTA AO MERCADO RFP REQUEST FOR PROPOSAL ÍNDICE 1. Introdução 2. Objetivo 3. Termos e Condições 3.1 Publicidade 3.2 Responsabilidades 4. Cronograma e Contato 4.1 Cronograma 4.2 Contato 5. Entrega da

Leia mais

BRAlarmExpert. Software para Gerenciamento de Alarmes. BENEFÍCIOS obtidos com a utilização do BRAlarmExpert:

BRAlarmExpert. Software para Gerenciamento de Alarmes. BENEFÍCIOS obtidos com a utilização do BRAlarmExpert: BRAlarmExpert Software para Gerenciamento de Alarmes A TriSolutions conta com um produto diferenciado para gerenciamento de alarmes que é totalmente flexível e amigável. O software BRAlarmExpert é uma

Leia mais

Engenharia de Sistemas Computacionais

Engenharia de Sistemas Computacionais Engenharia de Sistemas Detalhes no planejamento UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS Curso de Ciência da Computação Engenharia de Software I Prof. Rômulo Nunes de Oliveira Introdução Na aplicação de um sistema

Leia mais

Estratégia de Manutenção em Oficinas utilizando Caminho Critico

Estratégia de Manutenção em Oficinas utilizando Caminho Critico SEGeT Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia 1 Estratégia de Manutenção em Oficinas utilizando Caminho Critico RESUMO Entre as estratégias gerenciais em empresas de médio e grande porte existe o

Leia mais

Auditoria de Sistemas. UNIPAC Ipatinga Segurança e Auditoria de Sistemas Prof. Thiago Lopes Lima

Auditoria de Sistemas. UNIPAC Ipatinga Segurança e Auditoria de Sistemas Prof. Thiago Lopes Lima Auditoria de Sistemas UNIPAC Ipatinga Segurança e Auditoria de Sistemas Prof. Thiago Lopes Lima Auditoria É uma atividade que engloba o exame das operações, processos, sistemas e responsabilidades gerenciais

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Requisitos Cap. 06 e 07 Sommerville 8 ed. REQUISITOS DE SOFTWARE» Requisitos são descrições de serviços fornecidos pelo sistema e suas restrições operacionais. REQUISITOS DE USUÁRIOS: São

Leia mais

Redes de Computadores. Prof. Késsia Marchi

Redes de Computadores. Prof. Késsia Marchi Redes de Computadores Prof. Késsia Marchi Redes de Computadores Redes de Computadores Possibilita a conexão entre vários computadores Troca de informação Acesso de múltiplos usuários Comunicação de dados

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Faculdade de Computação Curso de Introdução à Informática Prof: Anilton Joaquim da Silva / Ezequiel Roberto Zorzal

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Faculdade de Computação Curso de Introdução à Informática Prof: Anilton Joaquim da Silva / Ezequiel Roberto Zorzal UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Faculdade de Computação Curso de Introdução à Informática Prof: Anilton Joaquim da Silva / Ezequiel Roberto Zorzal AULA Informática: Aplicações e Benefícios Advocacia

Leia mais

MEDWARE Sistemas Médicos Ltda

MEDWARE Sistemas Médicos Ltda A Empresa MEDWARE Sistemas Médicos Ltda A Medware Sistemas Médicos é uma empresa de desenvolvimento de sistemas voltada para a criação de soluções de informática para a área médica. Criada em meados da

Leia mais

Utilização de Análise de Características Dinâmicas em analises estáticas.

Utilização de Análise de Características Dinâmicas em analises estáticas. Utilização de Análise de Características Dinâmicas em analises estáticas. Felipe A. Miziara 1, Marcelo A. Maia 1 1 Departamento de pós-graduação em Ciências da Computação Universidade Federal de Uberlândia

Leia mais

Novos Negócios Farma

Novos Negócios Farma Novos Negócios Farma *Estudos Pré-Clínicos no Brasil: atual cenário e oportunidades *P&D de Novas Moléculas no Brasil *Parcerias ICTs & Empresas: barreiras e oportunidades *Oportunidades e desafios do

Leia mais