APLICABILIDADE DA GESTÃO EM MARKETING DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO NORTE E NOROESTE DO PARANÁ RESUMO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "APLICABILIDADE DA GESTÃO EM MARKETING DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO NORTE E NOROESTE DO PARANÁ RESUMO"

Transcrição

1 APLICABILIDADE DA GESTÃO EM MARKETING DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO NORTE E NOROESTE DO PARANÁ Pedro Henrique Coelho de Farias - FAFIJAN Marilei Kroll - FAFIJAN Geise Barbosa Correa - FAFIJAN José Antonio Fernandes Filho - FAFIJAN Daiana Ribeiro - FAFIJAN Nelson Alessandro Alves - FAFIJAN Carlos Lima - FAFIJAN Marisa Zanini - FAFIJAN RESUMO Em um mundo cada vez mais complexo e dinâmico, as empresas buscam adaptar-se continuamente na procura da competitividade, usando e abusando do marketing em suas estratégias. O marketing é essencial em uma empresa, nele se concentra a inteligência competitiva e estratégica, analisando as ameaças, oportunidades, pontos fortes e fracos, buscando atender as necessidades e desejos dos clientes. Através do marketing a empresa descobre o que é mais importante para ela, focando assim o produto ou serviço oferecido, valor, a conveniência e a forma que é feita a comunicação. O objetivo do trabalho é caracterizar o perfil das micro e pequenas empresas a partir da utilização da gestão em Marketing. A metodologia utilizada consiste em coleta de dados primários por meio de pesquisa quantitativa de natureza descritiva juntamente com análise estatística. Os resultados obtidos com o questionário se observa que as maiorias das empresas não realiza um plano de marketing estruturado, porém elas buscam melhorias para criar valor em seus produtos e serviços para manter uma vantagem competitiva em relação aos seus concorrentes. Quando questionadas sobre o preço diferenciado para conseguir clientes, algumas empresas não utilizam nenhuma estratégia, pois optam pela qualidade como um diferencial nos serviços prestados, já outras oferecem descontos para conseguir atrair os clientes. Dentre as empresas pesquisadas a maioria delas procura fidelizar os seus clientes através do marketing de relacionamento. Palavras-chave: Marketing, Composto de marketing, Segmentação de mercado.

2 2 1 INTRODUÇÃO Hoje em dia, com o mundo capitalista, em que as empresas estão cada dia mais competitivas no mercado, há uma grande necessidade de mudança devido à alta velocidade da globalização, assim, estão tendo que tomar um rumo de inovação e buscar uma enorme interação com a sociedade, além de precisar ser visível e atenta aos costumes de cada região. Com essa expectativa, é necessária a interação constante da área de marketing, da qual exige um acompanhamento de toda a estrutura e sua formação deverá passar por várias mudanças para acompanhar e manter os seus clientes. Essa área terá a capacidade de identificar as diferenças entre seus clientes, tratá-los com a devida exigência e necessidade de cada um para que ela possa atender seu público-alvo. E para que essas empresas que desejam estar competitivas no mercado devem estar atentas a essas mudanças, traçando seus planos de marketing para divulgação de seus produtos e/ou serviços, alcançando uma maior segmentação de mercado. Diante do exposto, apresenta-se o problema de pesquisa que norteou o trabalho: Qual a aplicabilidade da gestão em marketing pelas micro e pequenas empresas? Como forma de responder o problema de pesquisa o objetivo é caracterizar o perfil das micro e pequenas empresas a partir da utilização da gestão em Marketing. As empresas pesquisadas foram das seguintes cidades: Cambira, Marumbi, Kaloré, Borrazópolis, Jandaia do Sul, Mauá da Serra, São Pedro do Ivaí, Bom Sucesso, Mandaguari e Apucarana, tendo um total de 53 questionários aplicados. A região pesquisada é o eixo de ligações entre várias cidades grandes e pode ser considerada como referência pelo conforto e comodidade. As empresas pesquisadas podem apresentar dados que identificam o seu plano de marketing e que possam estar correspondendo de acordo com sua aplicação, as expectativas futuras podem satisfazer as necessidades de seus clientes. Todas essas questões foram abordadas para que mostrem a real situação das empresas e identifiquem as possíveis falhas ou até mesmo as ideias onde possam ser repassadas a outras organizações. As informações obtidas servem para identificar suas vantagens e desvantagens, levando assim a conhecer melhor o cliente, satisfazendo suas necessidades, atrair mais público, quais os meios de divulgação da empresa, seus hábitos, costumes e todas as maneiras de se comunicar.

3 3 2 REFERENCIAL TEÓRICO O referencial teórico abordou discussões sobre marketing. Em seguida, apontou sobre o composto de marketing, segmentação de mercado, sistema de informação de marketing e pesquisa e plano de marketing MARKETING O marketing tem como finalidade identificar quais são os desejos do mercado, e a partir disso buscar satisfazer seus clientes oferecendo produtos e serviços que tendem a satisfazer as necessidades (HONORATO, 2004). Churchill (2005, p. 4) menciona que de acordo com a American Marketing Association, marketing é o processo de planejar e executar a concepção, estabelecimento de preços, promoção e distribuição de idéias, produtos e serviços a fim de criar trocas que satisfaçam metas individuais e organizacionais. Com o marketing se desenvolvem a forma de vender os produtos e serviços trazendo retorno às organizações. Para Skacel (1992), o marketing pode ser definido a partir de como a empresa fará para atrair os consumidores de maneira que eles comprem os produtos ou utilizem os serviços para satisfazer as necessidades mais comuns. O grande objetivo do marketing é atender a demanda do mercado, desta forma identificando o que as pessoas estão procurando, ou seja, oferecer produtos ou serviços que atendam as necessidades desses consumidores no momento em que eles precisam. Mas para isso é necessário um plano estratégico que atrai esses consumidores, e um dos meios mais importantes são o preço e a promoção que são de grande importância no momento da compra do produto (HONORATO, 2004). O marketing tem sua essência focada em ações de troca que tragam voluntariamente benefícios à organização e seus clientes. Podendo ter lucros como lojas e empresas, ou obter retorno apenas para sua existência como as organizações sem fins lucrativos, porém o marketing não lucrativo tem seu conhecimento menos desenvolvido que o lucrativo (CHURCHILL, 2005). Segundo McCarthy e Perreault (1997, p.19), Se a maioria das pessoas for forçada a definir marketing, inclusive alguns gerentes de empresas, eles afirmarão que Marketing significa

4 4 venda ou propaganda. É verdade que são partes de Marketing, mas Marketing é muito mais do que venda e propaganda. O marketing ao contrário do que muitos pensam tem mais funções que apenas divulgar produtos. As funções de marketing se baseiam em duas finalidades que são: (1) identificar as oportunidades de demanda já existentes que não estão atendendo as necessidades dos consumidores, tanto da sua empresa, quanto a dos concorrentes, (2) e a outra vai buscar satisfazer essas insatisfações com o menor custo, atraindo seus consumidores (RICHERS, 2000). Para que o marketing tenha sucesso são fundamentais três elementos em qualquer trabalho mercadológico: (1) atender as necessidades e desejos dos clientes, (2) eficiência ao colocar o produto para o consumidor, (3) traçar estrategicamente programas para atingir resultados desejados. É fundamental que esses três elementos sejam eficientes para alcançar o sucesso (SKACEL, 1992). Marketing é o processo de planejamento e execução da concepção, preço, promoção e distribuição de idéias, bens e serviços, organizações e eventos para criar trocas que venham a satisfazer objetivos individuais e organizacionais (HONORATO, 2004, p 11). Portanto, observa-se que o planejamento do marketing abrange o composto ou mix de marketing, que será tratado no próximo item COMPOSTO DE MARKETING O composto de marketing também pode ser chamado de mix de marketing ou composto mercadológico é um conjunto de ferramentas ou instrumentos que o gerente utiliza para alcançar o melhor nivelamento entre a oferta que sua organização oferece ao mercado e a demanda que existe no momento, com isso a empresa busca melhor posição do seu produto ou serviço no mercado (SILVA, 2005). Para Vilha (2002), o composto de marketing é o conjunto de quatro variáveis controladas pelo marketing, sendo elas: produto, preço, praça e promoção, ele representa a forma como o ambiente interno e externo interage: a) Produto deverá atender as necessidades do consumidor; b) Preço estabelecido a partir da análise de uma série de fatores, tais como o custo e concorrência;

5 5 c) Promoção dispõe de todas as informações sobre o produto, visando persuadir o público- alvo adquirido no presente ou no futuro; d) Praça está intimamente ligada aos mecanismos disponíveis para que o consumidor tenha acesso ao produto. Gomes (2005) considera produto como um bem tangível ou intangível, cujo bem tangível será o produto e o bem intangível será o serviço, que é ofertado por meio de uma transação comercial e deverá atender as necessidades do consumidor. Para que a empresa consiga diferenciar seu produto de outros a mesma agrega valores ao produto como entrega gratuita, instalação gratuita etc. Preço é o que cobre os gastos que terá com o produto ou serviço e ainda proporcionará o retorno que a empresa deseja. O preço será quanto o produto ou serviço valerá para os consumidores Gomes (2005). A empresa deve levar em conta quanto o cliente está disposto a pagar e avaliar se o valor mencionado está compatível com aquele vigente no mercado. Praça ou canais de distribuição é como será colocado o produto a disposição dos clientes, o tipo de negócio deverá determinar todos os aspectos relevantes como a localização, estrutura e os fornecedores os canais de distribuição são muitos e poderá ser efetivada diretamente para o usuário final ou por meio de representantes ou varejistas, a escolha do canal de distribuição dependerá da agilidade de distribuição dos produtos para os clientes (GOMES, 2005). Promoção tem a função de estimular a demanda para se obter sucesso, a empresa deverá buscar meios em que o consumidor se sinta atraído por aquele determinado produto, ou seja, deverá basear- se nas necessidades dos clientes, Gomes (2005) diz que promoção possui três objetivos: 1. O cliente deverá ser informado sobre a existência do produto ou serviço e das vantagens que o beneficiará; 2. Informar o consumidor onde e como obter o produto ou serviço; 3. Lembrar o público alvo a existência do produto ou serviço. Para Silva (2005) a partir do momento que a organização formula o composto de marketing ela está buscando melhor posicionamento no mercado competitivo em relação aos seus concorrentes, oferecendo produto bom, com preço adequado, utilizando os melhores canais de distribuição, e com boas promoções para seus clientes.

6 6 Para identificar a melhor forma de alocação dos 4 P's é necessário conhecer muito bem os clientes da organização, por meio da segmentação de mercado SEGMENTAÇÃO DE MERCADO A segmentação de mercado tem como objetivo dividir o mercado em grupos de consumidores que tenham características parecidas e que provavelmente terão compras parecidas (DIAS, 2006). Keegan (2005) descreve que a segmentação de mercado é O processo de subdividir um mercado em vários subconjuntos de clientes que se comportam de maneira semelhante ou que tenham necessidades similares. Cada subconjunto pode ser escolhido como um alvo de mercado a ser atingido com uma estratégia específica de marketing. Portanto a área de marketing terá que saber as diferenças entre seus clientes, sabendo as exigências e necessidades de cada um para assim poder atender o seu público. As autoras Rocha e Christensen (2008) ainda complementam que a segmentação deve seguir alguns critérios de definição para auxiliar no processo, geralmente estatísticos, que delimitam as ações, sendo cada um responsável por atender a uma necessidade. A segmentação pode se dar nas seguintes formas: Geográfica Demográfica Psicográfica Por benefício e Produto Existe uma vasta maneira para os profissionais de marketing segmentar mercados, que podem ir da idade dos consumidores, às atividades e comportamentos de compra dos mesmos (CHURCHILL, 2005). Os consumidores apresentam grandes diferenças ao consumirem um determinado produto, e para atender esse público é necessário analisar cada perfil de seus consumidores, levando em consideração idade, sexo, renda entre outros fatores, para assim saber quem compraria determinado produto (DIAS, 2006).

7 7 Pode-se citar também as variáveis de segmentação de mercado, que são: o comportamento na hora da compra, o uso dos produtos a serem adquiridos, quais os benefícios, preferências e fidelidade (KEEGAN, 2005). A segmentação de um mercado é o processo de separação de consumidores em grupos para que a necessidade de cada grupo seja trabalhada especificamente para grupos com semelhanças e diferentemente para grupos com características diferentes (ROCHA; CHRISTENSEN, 2008). Kotler e Keller (2006) destacam que os mercados não são homogêneos, assim uma empresa não pode satisfazer a todos os clientes nos diversos mercados existentes. As empresas buscam agrupá-los segundo uma ou mais características ou comportamentos. A segmentação é uma abordagem que fica entre o marketing de massa e marketing individual. Supõe-se que os compradores de determinados segmentos tenham preferências e necessidades muito similares (KOTLER, 2000, p. 278). O autor diz que os clientes de hoje tomam suas decisões com relação ao produto que irão comprar por meio das informações que chegam até eles e com isso estão avaliando a sua própria satisfação. Assim, o profissional de marketing deve examinar fatores de atratividade para atraí-los e exaltar as propriedades e qualidades do produto ofertado. A Figura 9 mostra os níveis de segmentação de mercado. Figura 1. Níveis de segmentação de mercado. Marketing de massa Marketing de segmento Marketing de nicho Micro marketing Fonte: Kotler e Armstrong (2003, p.173). Marketing de massa é onde se analisam os custos mais baixos do mercado, por sua vez, os profissionais de marketing obtêm uma renda bem maior e os custos são mais baixos. Os profissionais oferecem mais comodidade e satisfação para atrair os clientes para a empresa

8 8 com os preços e a empresa tem uma rentabilidade bem maior (KOTLER; ARMSTRONG, 2003). O autor diz ainda que marketing de segmento se adapta aos setores do mercado-alvo e procura satisfazer os clientes com uma precisão mais rápida, sendo que a empresa pode trabalhar com mais rapidez e eficiência, podendo assim ajustar seus produtos, preços e programas para satisfazer as necessidades dos clientes. O profissional analisa que se pode obter uma concorrência menor onde outro concorrente não está utilizando o marketing de segmento. Para Kotler; Armstrong (2003, p.174), Marketing de nicho concentra-se em subgrupos dentro dos segmentos. Um nicho é um grupo definido mais estreitamente geralmente identificado pela divisão de um segmento em subsegmentos ou pela definição de um grupo com um conjunto distinto de características (KOTLER; ARMSTRONG, 2003, p.174). Os autores afirmam que micro marketing é a prática em que se desenvolve um produto para melhor atender seus clientes e gostos. A segmentação geográfica é uma divisão no mercado em pontos geográficos, como: países, estados, regiões e cidades. Toda empresa define qual área vai atuar, sendo que se pode definir atender todas as áreas ou algumas somente, mas observando todas as diferenças geográficas para atender todas as necessidades e desejos do consumidor (KOTLER; ARMSTRONG, 2007). As vantagens da segmentação de mercado são inúmeras, podendo citar algumas, que são: conhecer melhor seus clientes e a partir disso atender melhor as suas necessidades, definir seu público-alvo mais potencial, saber quantos e onde estão seus clientes, qual o meio de comunicação para divulgação, quais são seus hábitos e costumes, entre outros (DIAS, 2006) SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE MARKETING E PESQUISA A pesquisa de marketing pode auxiliar a compreender o comportamento, hábitos de compras, estilo de vida e atitudes dos consumidores. Juntamente com o sistema de informações de marketing, que é o radar que ajuda as empresas a tornar alinhada a sua trajetória. O sistema de informações de marketing é um conjunto de procedimentos e métodos que buscam, numa base contínua e organizada, gerar, buscar, analisar, disseminar e armazenar

9 9 os dados para informações de marketing. Este sistema deve mapear as ameaças decorrentes dos mercados a serem enfrentados ou contornados e também identificar as oportunidades, por meios de entendimento do comportamento e das expectativas dos consumidores (DIAS, 2003). Dias (2003) fala que o sistema de informações de marketing busca identificar e analisar e distribuir informações importantes sobre o mercado e sobre os indicadores de desempenho da empresa de uma forma contínua e sistemática, de maneira que se detectem os problemas, identifique oportunidade e ajude no processo de decisão da empresa. Sandhusen (2003) fala de quatro subsistemas que integram o sistema de informações, que são: I. Contabilidade interna: são as informações contábeis da empresa que podem conter informações como lucro, gasto, compra e vendas por área, vendedor e cliente entre muitas outras informações possíveis de se encontrar. II. Inteligência de marketing: são as informações possíveis de se obter através de jornais, revistas, relatórios, exposições, feiras etc. III. Ciência de marketing: auxilia administradores para tomadas de decisões, utilizando modelos gráficos. IV. Pesquisa: esse é um método sistêmico de coleta, registro e análise de dados utilizados para encontrar problemas ou oportunidades de marketing. Podendo ser usado constantemente ou para algo específico. Hoje, quase todas as organizações utilizam o auxílio de computadores para coletar, classificar, armazenar e distribuir as informações a serem utilizadas, na tomada de decisão de marketing. Uma forma popular e muito utilizada no sistema computadorizado de informações de marketing é também o sistema de apoio a decisões de marketing (SADM), uma série coordenada de dados, ferramentas de sistema e técnicas com software e hardware de apoio, com os quais a empresa busca interpretar as informações relevantes na empresa e no seu ambiente, assim as transformam em referência para tomada de decisão gerencial. Contudo, o SADM não só proporciona informações, como as transforma em forma destinada a auxiliar os responsáveis durante todo o processo de tomada de decisão (CHURCHILL; PETER, 2005). Churchill e Peter (2005) relatam que as melhores fontes de informações para os profissionais de marketing podem ser encontradas dentro da própria empresa. Pode-se citar um exemplo a ser utilizado, os registros de vendas, esses registros armazenam quais são os produtos que vendem com maior facilidade e quem os está adquirindo. Os dados contábeis

10 10 podem indicar quais os produtos mais lucrativos para organização. Dados de estoque podem identificar a rapidez que os produtos são colocados nas prateleiras. Finalmente, por meio da criação de programas especiais que concedem descontos para compradores assíduos, o profissional da área de marketing pode ter dados básicos sobre o tipo da empresa e onde estão localizados. O sistema de informações de marketing (SIM) consiste na coleta, registro e análise sistêmica de dados relacionados a problemas na comercialização de bens e serviços (SANTÂNGELO, 2009) PLANO DE MARKETING Para Kloter e Keller, (2006, p. 58), "o plano de marketing é um dos produtos mais importantes do processo de marketing". O plano de marketing vai preparar a empresa para seguir um determinado caminho, estabelecendo objetivos, vai fornecer meios para saber o avanço, preparando ações corretivas caso precise, estabelecer um planejamento que deverá ser seguido com insistência, perseguindo a lucratividade (SKACEL, 1992). Para Branco (1998, p.70), "a existência de um plano de marketing é fundamental para que uma empresa possa caminhar em busca de objetivos concretos e pré-definidos [...]". O plano de marketing é o processo que irá organizar o planejamento estratégico de marketing, podendo ser como um roteiro. Quando o plano de marketing é seguido como um roteiro, ele deve ser descrito de modo que as pessoas do departamento saibam o que fazer, quando e quais os recursos que elas vão utilizar, o plano se for bem descrito evitará que algo seja esquecido (DIAS, 2006). O plano de marketing deve estar voltado para os seus clientes e concorrentes, hoje o plano está sendo mais elaborado e planejado que no passado. Para que seja mais bem desenvolvido, ele deve contar com pessoas de todos os setores da empresa, pois assim ele será mais completo e conter mais informações de todas as funções (KLOTER, KELLER, 2006). McCarthy e Perreaul (1997) descrevem o plano de marketing como um documento escrito de uma estratégia de marketing que contém um cronograma detalhado de sua implantação. O plano deve conter algumas informações, sendo que a primeira qual composto de marketing será oferecido, a quem e por quanto tempo; a segunda refere-se a que recursos serão necessários à empresa e em qual período; e terceiro, que resultados são esperados. No

11 11 plano de marketing é importante conter alguns procedimentos de controle, podendo assim indicar soluções para problemas inesperados. Plano de marketing é um documento escrito que detalha ações específicas de marketing dirigido a objetivos específicos no âmbito de certo ambiente de marketing (SKACEL, 1992, p.13). Segundo Nunes e Cavique (2008), plano de marketing são um instrumento de gestão que permite por a estratégia que foi realizada em ação, visando sempre atingir com sucesso o mercado e os objetivos da empresa. 3 METODOLOGIA O presente trabalho é de natureza quantitativa que é determinada em relação aos dados ou a proporção numérica, mas a atribuição numérica não deve ser feita ao acaso, porque junta a variação de uma propriedade não quantificada cientificamente (FACHIN, 2003, p. 79). Quanto ao tipo, o trabalho é descritivo, pois ele apresenta e avalia as enquetes que são conseguidas com propósito de fazer afirmações (RICHARDSON, 2011). Na coleta de dados, foi realizado um questionário. As informações obtidas permitem observar as características de um indivíduo ou de um grupo, os dados foram apurados por meio de questões estruturadas (RICHARDSON, 2011). A análise estatística é a ciência que se preocupa com a coleta, apresentação, organização, descrição, análise e interpretação de dados e sua utilização para tomada de decisões. A análise Estatística pode ser Descritiva e Indutiva. A Estatística Descritiva se preocupa com a coleta, apresentação, organização e descrição dos dados, enquanto a estatística Indutiva (ou Inferencial) cuida da análise e interpretação dos dados, permitindo a tomada de decisão. 4. DISCUSSÃO E ANÁLISE DOS DADOS Para a representação dos dados, foram aplicados 53 questionários em dez cidades da região Norte e Noroeste do Paraná, onde os entrevistados são empresas de distintos ramos de atuação, como comércios varejistas e prestação de serviços. Foram questionados em oito perguntas semiestruturadas e específicas da área de marketing, onde se adquiriu informações

12 12 com maior clareza sobre as diferentes formas de aplicabilidade do marketing nas variadas cidades pesquisadas. Figura 2: Representação dos Dados Empresas SEMPRE QUASE ÀS NUNCA NÃO SE SEMPRE VEZES APLICA A Empresa realiza algum tipo de Planejamento de marketing 23% 13% 34% 19% 11% A Empresa Realiza investimento em Marketing A Empresa Busca realizar melhorias ou criar algum diferencial em seus produtos ou serviços A Empresa utiliza estratégias de preço para atrair os consumidores (descontos) A Empresa busca organizar e controlar as entregas de produtos aos clientes A Empresa realiza liquidações, divulgações de rua, propagandas ou outras ações promocionais. A Empresa procura fidelizar deus clientes (marketing de Relacionamento) A Empresa realiza algum tipo de assistência pós venda 26% 17% 34% 8% 15% 55% 15% 23% 4% 4% 51% 17% 17% 9% 6% 72% 9% 9% 2% 8% 34% 19% 15% 15% 17% 42% 19% 26% 8% 6% 34% 23% 11% 17% 15% Fonte: Autores do Artigo Pode-se observar na tabela, que 11% das empresas não realizam nenhum planejamento de marketing estruturado, sendo que apenas 34% delas às vezes realizam o planejamento. Por meio destes dados, pode-se analisar que essas empresas que possuem o planejamento de marketing, favorece a empresa quanto a sua competitividade em relação aos seus concorrentes que não tem essa preocupação com o planejamento estruturado de marketing. Frente à questão se a empresa realiza investimentos em marketing, 34% das empresas pesquisadas às vezes realizam e 26% sempre realizam investimentos em marketing. Com base nessa análise grande parte das empresas ainda pode investir nessa área, para maior divulgação da sua imagem perante o mercado, aumentando assim a sua carteira de cliente.

13 13 Com relação se a empresa realiza melhorias para buscar um diferencial em relação aos seus produtos e ou serviço à maioria delas somando um total de 55% disseram que sim, apenas 8% disseram que não se aplica ou nunca realizam melhorias. Isto demonstra um ponto positivo, porque a maioria das empresas está sempre buscando um diferencial perante os seus concorrentes, investindo parte do seu capital em melhorias em seus produtos e ou serviços prestados. Referente às estratégias de preços utilizadas para atrair consumidores, 51% sempre aplica algum tipo de estratégias, como descontos para atrair os seus clientes, somente 6% não aplicam essas estratégias de preço como forma de fidelizar. Isso é bom, pois as empresas que oferecem como estratégias de preços os descontos possui um diferencial no ramo de atividade que atuam. A grande maioria que representam 72% das empresas busca agregarem valor na entrega de seus produtos, através da organização e controle, sendo que apenas 8% não possuí esse controle. Isso demonstra que a grande maioria das empresas está preocupada não somente na venda, mas sim agregando valor perante os seus clientes, oferecendo um diferencial na entrega desses produtos. Perante a questão que aborda se a empresa realiza algum tipo de liquidações ou divulgação e outras ações promocionais, 34% delas disseram que sempre realizam e 19% quase sempre realizam esse tipo de atividade, enquanto as empresas que às vezes e nunca realizam representam 30% das empresas pesquisadas. Analisando esses dados apesar de ter um índice positivo de empresas que fazem liquidações e divulgação de seus produtos e serviços, ainda há um percentual grande de empresas que não fazem esse tipo de atividade. Uma maneira de resolver e criar valor para elas serão investir em promoções e liquidações, dessa forma atraindo mais clientes para empresa. De um total de 53 empresas pesquisadas apenas 14% delas não busca de nenhuma maneira fidelizar os seus clientes, já a grande maioria correspondente a 86% que busca de alguma maneira fidelizar os seus clientes através do marketing de relacionamento. É importante para qualquer empresa fidelizar os clientes, isso considera se um ponto positivo nas empresas pesquisadas, para a preservação da marca e ou serviço, e os clientes são facilitadores do seu ambiente de convivência. Diante da questão se realiza algum tipo de assistência pós venda 57% delas sempre ou quase sempre buscam realizar essas atividades, sendo que 11% às vezes realizam a assistência. Analisando essa questão é possível afirmar que é um ponto positivo, pois mostra que a grande maioria das empresas busca como diferencial em relação a outras, a assistência

14 14 pós venda, porém analisou que existe uma minoria que precisa melhorar esse tipo de atividade. Diante dos expostos, considera se que a maioria das empresas por mais informal que seja estão investindo de alguma forma em marketing, fazendo divulgação de seus serviços ou produtos oferecidos, confiando que essa seja uma maneira ou diferencial perante os seus concorrentes no mercado de atividade em que atuam. 5 CONSIDERAÇÕES FINAIS Hoje, com a sociedade capitalista as empresas têm de investir em várias estratégias para ter vantagem competitiva diante da concorrência, dessa maneira vemos o marketing como ferramenta fundamental. Neste artigo foram abordadas estruturas que identificam o composto de marketing efetuado por empresas em um raio de 50 km. Organizações de vários ramos foram abordadas e constatadas que na atualidade as empresas não têm um plano de marketing formalizado, porém eles buscam de outras maneiras realizarem o marketing de maneira informal, fazendo propagandas e até patrocínios para shows regionais, ou seja, os administradores não realizam o marketing funcional, realizam um sistema de marketing simples e que possa trazer benefícios à empresa. Foram realizadas pesquisas quantitativas onde se identificou que as empresas prestadoras e vendedoras de serviços optam por estratégias voltadas para a qualidade, visam como diferencial para ter resposta rápida diante dos seus clientes, como exemplo disso podese destacar postos de combustíveis, autoescolas e academias, é feita uma segmentação de mercado para aplicar o marketing da melhor maneira. Dessa forma, podemos diferenciar como é a realidade das organizações, onde é feito o aprimoramento necessário a fim de ter o melhor relacionamento com o cliente. Do outro lado encontram-se os comércios, confecções, bares, açougues em que as estratégias são diferentes, essas empresas incitam o melhor relacionamento com o cliente, o poder de recompra, satisfação são peças chave que fidelizam o cliente, o marketing das publicidades, propagandas e liquidações são ferramentas que transformam o cliente como objeto de valor o que torna diferenciado a aplicação do marketing. Através do estudo realizado em Marketing, pode considerar como uma atividade chave para o futuro e a sobrevivência da empresa, a orientação da administração voltada aos que geram lucro. Pensar em marketing sem ganho não é adequado. As pessoas que enxergam o marketing como desprendimento, humanidade e outras coisas do gênero, estão equivocadas, o

15 15 marketing é oriundo do capitalismo e não pode abstrair do lucro. Como toda empresa, ainda que se enquadre na condição da organização que não visa ao lucro, tem que sobreviver, não pode abrir mão do lucro. E o marketing existe para ampliar o lucro das empresas e oferecer condições de concorrência proveitosa. Durante este trabalho foram abordados alguns conceitos de marketing e as condições para que uma empresa possa exercer as estratégias que podem ser empregadas e os melhoramentos que serão alcançados, com fundamentação nas micro e pequenas empresas do Norte e Noroeste do Paraná. Pode-se considerar o bom resultado na área de marketing, onde pode visar às empresas que mesmo independentemente do tamanho possa investir em marketing para obter uma grande lucratividade, por fim, o que se pode considerar é que pesquisa pode dar início a uma transformação a novos estudos que permitirão a adequação de novas estratégias de marketing que possam ser implantadas até quando forem necessárias. REFERÊNCIAS CHURCHILL JR, Gilbert A.; PETER, Paul J. Marketing: criando valor para os clientes. São Paulo: Saraiva, DIAS, Sergio Roberto. Gestão de marketing. São Paulo: Saraiva, Gestão de Marketing. São Paulo: Saraiva, FACHIN, Odília. Fundamento Metodológico. 4. ed. São Paulo: Saraiva, GOMES, Isabela Motta. Manual de como Elaborar um Plano de Marketing. Belo Horizonte: SEBRAE E/MG, HONORATO, Gilson. Conhecendo o marketing. Barueri, SP: Manole, Disponível em: <http://books.google.com.br>. Acesso em: 1 maio KOTLER, Philip; ARMSTRONG, Gary. Princípios de marketing. 12. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, KOTLER, Philip. KELLER, Kevin Lane. Administração de marketing. 12. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, MCCARTHY, Jerone E; PERRAULT JR, William D. Marketing essencial: uma abordagem gerencial e global. São Paulo: Atlas, RICHARDSON, Roberto Jarry. Pesquisa Social: Métodos e técnicas. Roberto Jarry Richardson; colaboradores José Augusto de Souza Peres (et al). 3. ed. São Paulo: Atlas, RICHERS, Raimar. Marketing. 12. ed. São Paulo: Elsevier, Disponível em: <http://books.google.com.br>. Acesso em: 1 maio 2014.

16 16 ROCHA, Ângela da; CHRISTENSEN, Carl. Marketing: teoria e prática no Brasil. 2. ed. São Paulo: Atlas, SANDHUSEN, Richard L. Marketing básico.2 ed. São Paulo: Saraiva, SANTÂNGELO, Caio C. F. Os sistemas de informações de marketing (SIM) Disponível em: <http://www.administradores.com.br/artigos/marketing/os-sistemas-deinformacoes-de-marketing-sim/31415>. Acesso em: 08 Jun SILVA, André Luiz Carvalhal da, Introdução á analise de Dados. E papers Serviços Editoriais Ltda. Rio de Janeiro, SILVA, Severino Francisco da. Marketing de serviços: fundamentos, análises e práticas no setor de saúde. Maceió: EDUFAL, Disponível em: <http://books.google.com.br>. Acesso em: 22 jun SKACEL, Robert k. Plano de Marketing: como prepará-lo: o que deve conter. São Paulo: Nobel, Disponível em: <http://books.google.com.br>. Acesso em: 1 maio VILHA, Ana Patrícia Morales. E-Marketing para bens de consumo durável. Rio de Janeiro: Editora FGV, Disponível em: <http://books.google.com.br> acesso em: 28 de maio de 2014.

TÉCNICA DE VENDAS: UMA ABORDAGEM DIRETA

TÉCNICA DE VENDAS: UMA ABORDAGEM DIRETA 1 TÉCNICA DE VENDAS: UMA ABORDAGEM DIRETA Alan Nogueira de Carvalho 1 Sônia Sousa Almeida Rodrigues 2 Resumo Diversas entidades possuem necessidades e interesses de negociações em vendas, e através desses

Leia mais

ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO.

ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO. 1 ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO. Juliana da Silva RIBEIRO 1 RESUMO: O presente trabalho enfoca as estratégias das operadoras de telefonia móvel TIM,VIVO e CLARO

Leia mais

Palavras-chave: Comunicação Estratégica; Composto de Marketing e micro e pequenas empresas.

Palavras-chave: Comunicação Estratégica; Composto de Marketing e micro e pequenas empresas. A COMUNICAÇÃO ESTRATÉGICA E O COMPOSTO DE MARKETING: UMA INTEGRAÇÃO DE SUCESSO NA GESTÃO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE JOÃO PESSOA Evalena Lima Cabral (1) ; Patrícia Morais da Silva (3), Mitchell Figueiredo

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS. Causas de Fracasso:

PLANO DE NEGÓCIOS. Causas de Fracasso: PLANO DE NEGÓCIOS Causas de Fracasso: Falta de experiência profissional Falta de competência gerencial Desconhecimento do mercado Falta de qualidade dos produtos/serviços Localização errada Dificuldades

Leia mais

Anais da Jornada Científica Integração: Educação, Sociedade e Tecnologia

Anais da Jornada Científica Integração: Educação, Sociedade e Tecnologia MARKETING DE RELACIONAMENTO UTILIZADO COMO FERRAMENTA PARA APRIMORAR A RELAÇÃO ENTRE O PÚBLICO INTERNO: ESTUDO DE CASO REALIZADO NA EMPRESA DALCAR NA CIDADE DE BACABAL MA MOURA, Íthalo Bruno Grigório de

Leia mais

A MARCA: UM REGISTRO NÃO OBRIGATÓRIO, MAS NECESSÁRIO

A MARCA: UM REGISTRO NÃO OBRIGATÓRIO, MAS NECESSÁRIO A MARCA: UM REGISTRO NÃO OBRIGATÓRIO, MAS NECESSÁRIO Joatan Trade Alves Agente Local de Inovação atuante na região Noroeste de Goiás do Programa ALI (2013-2015), formado em Administração de Empresas atuante

Leia mais

O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE MARKETING

O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE MARKETING O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE MARKETING Mayara Sanches de Souza 1 Hiroshi Wilson Yonemoto 2 RESUMO: O estratégico de marketing é um processo de variáveis controláveis e incontroláveis que afetam as relações

Leia mais

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

TÍTULO: UTILIZAÇÃO DA INTELIGÊNCIA COMPETITIVA NA GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS

TÍTULO: UTILIZAÇÃO DA INTELIGÊNCIA COMPETITIVA NA GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS TÍTULO: UTILIZAÇÃO DA INTELIGÊNCIA COMPETITIVA NA GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE CENECISTA DE SETE LAGOAS

Leia mais

MARKETING DE VENDAS. Maiêutica - Curso de Processos Gerenciais

MARKETING DE VENDAS. Maiêutica - Curso de Processos Gerenciais MARKETING DE VENDAS Alcioni João Bernardi Prof. Ivanessa Felicetti Lazzari Centro Universitário Leonardo da Vinci - UNIASSELVI Processos Gerenciais (EMD0130) Prática do Módulo IV 27/11/12 RESUMO Este trabalho

Leia mais

Roteiro do Plano de Negócio

Roteiro do Plano de Negócio Roteiro do Plano de Negócio 1. Componentes do Plano de Negócios a) Resumo Executivo b) A organização Visão estratégica/modelo de negócio c) Análise de mercado d) Planejamento de marketing - produto ou

Leia mais

A PROGRAMAÇÃO DO ESFORÇO MERCADOLÓGICO

A PROGRAMAÇÃO DO ESFORÇO MERCADOLÓGICO A PROGRAMAÇÃO DO ESFORÇO MERCADOLÓGICO Luiz Carlos Bresser-Pereira Revista Marketing n. 7, vol. II, 1968: 24-32. Um programa mercadológico é um instrumento para se pensar com antecedência, para se estabelecer

Leia mais

ANÁLISE DA EXISTÊNCIA DE ESTRATÉGIAS DE MARKETING APLICADAS NOS MATERIAIS DE DIVULGAÇÃO TURÍSTICA DE PONTA GROSSA-PARANÁ

ANÁLISE DA EXISTÊNCIA DE ESTRATÉGIAS DE MARKETING APLICADAS NOS MATERIAIS DE DIVULGAÇÃO TURÍSTICA DE PONTA GROSSA-PARANÁ ANÁLISE DA EXISTÊNCIA DE ESTRATÉGIAS DE MARKETING APLICADAS NOS MATERIAIS DE DIVULGAÇÃO TURÍSTICA DE PONTA GROSSA-PARANÁ Camilla Moro Piekarski 1 RESUMO Dentro de uma nova ordem mundial, com meios cada

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: São José do Rio Pardo Código: 150 Município: São José do Rio Pardo Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnica de Nível

Leia mais

Universidade Federal do Pará. Centro Sócio Econômico. Curso Ciências Contábeis. Disciplina: Administração Financeira. Professor: Héber Lavor Moreira.

Universidade Federal do Pará. Centro Sócio Econômico. Curso Ciências Contábeis. Disciplina: Administração Financeira. Professor: Héber Lavor Moreira. Universidade Federal do Pará. Centro Sócio Econômico. Curso Ciências Contábeis. Disciplina: Administração Financeira. Professor: Héber Lavor Moreira. Silvanda de Jesus Aleixo Ferreira 0201002501 Belém-PA

Leia mais

TREINAMENTO SOBRE PRODUTOS PARA VENDEDORES DO VAREJO COMO ESTRATÉGIA PARA MAXIMIZAR AS VENDAS 1. Liane Beatriz Rotili 2, Adriane Fabrício 3.

TREINAMENTO SOBRE PRODUTOS PARA VENDEDORES DO VAREJO COMO ESTRATÉGIA PARA MAXIMIZAR AS VENDAS 1. Liane Beatriz Rotili 2, Adriane Fabrício 3. TREINAMENTO SOBRE PRODUTOS PARA VENDEDORES DO VAREJO COMO ESTRATÉGIA PARA MAXIMIZAR AS VENDAS 1 Liane Beatriz Rotili 2, Adriane Fabrício 3. 1 Pesquisa realizada no curso de Administração da Unijuí 2 Aluna

Leia mais

Orientações para elaborar um. Plano de Negócios

Orientações para elaborar um. Plano de Negócios Orientações para elaborar um Plano de Negócios Maio de 2010 www.nascente.cefetmg.br Página 1 Apresentação Este documento contém um roteiro básico de Plano de Negócios. O objetivo é permitir que o futuro

Leia mais

Satisfação dos consumidores: estudo de caso em um supermercado de Bambuí/MG

Satisfação dos consumidores: estudo de caso em um supermercado de Bambuí/MG Satisfação dos consumidores: estudo de caso em um supermercado de Bambuí/MG Ana Clara Rosado Silva (1) ; Daiane Oliveira Borges (2) ; Tatiana Morais Leite (3) ; Vanessa Oliveira Couto (4) ; Patrícia Carvalho

Leia mais

Fiorella Del Bianco. Tema: Estágios de introdução e crescimento do ciclo de vida do produto.

Fiorella Del Bianco. Tema: Estágios de introdução e crescimento do ciclo de vida do produto. Fiorella Del Bianco Tema: Estágios de introdução e crescimento do ciclo de vida do produto. Objetivo: Nesta aula, o aluno conhecerá os estágios iniciais do ciclo de vida do produto (CVP), que são de introdução

Leia mais

A IMPORTANCIA DO CUSTEIO NA CADEIA DE SUPRIMENTOS COMO VANTAGEM COMPETITIVA: CASO LOGÍSTICO EM MORRINHOS/CE.

A IMPORTANCIA DO CUSTEIO NA CADEIA DE SUPRIMENTOS COMO VANTAGEM COMPETITIVA: CASO LOGÍSTICO EM MORRINHOS/CE. A IMPORTANCIA DO CUSTEIO NA CADEIA DE SUPRIMENTOS COMO VANTAGEM COMPETITIVA: CASO LOGÍSTICO EM MORRINHOS/CE. Jander Neves 1 Resumo: Este artigo foi realizado na empresa Comercial Alkinda, tendo como objetivo

Leia mais

PLANO DE MARKETING PARA A MICRO E PEQUENA EMPRESA DURALFLEX COMÉRCIO E REPRESENTAÇÕES LTDA

PLANO DE MARKETING PARA A MICRO E PEQUENA EMPRESA DURALFLEX COMÉRCIO E REPRESENTAÇÕES LTDA PLANO DE MARKETING PARA A MICRO E PEQUENA EMPRESA DURALFLEX COMÉRCIO E REPRESENTAÇÕES LTDA Gisele Michele Panini 1 Michael Samir Dalfovo 2 RESUMO Nos dias atuais, para sobreviver no mercado torna-se essencial

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos carlos@oficinadapesquisa.com.br www.oficinadapesquisa.com.br Organizações Nenhuma organização existe

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA DAS QUESTÕES DISCURSIVAS PROFISSIONAL BÁSICO COMUNICAÇÃO SOCIAL

PADRÃO DE RESPOSTA DAS QUESTÕES DISCURSIVAS PROFISSIONAL BÁSICO COMUNICAÇÃO SOCIAL Questão n o 1 a) O candidato deverá apresentar seis dentre as seguintes vantagens: Domínio de tecnologia capaz de produzir bens preferidos por certas classes de compradores Aumento dos índices de qualidade

Leia mais

OS 5 P S DO MARKETING NO SETOR HOTELEIRO NA CIDADE DE BAMBUÍ-MG

OS 5 P S DO MARKETING NO SETOR HOTELEIRO NA CIDADE DE BAMBUÍ-MG 1 OS 5 P S DO MARKETING NO SETOR HOTELEIRO NA CIDADE DE BAMBUÍ-MG Camila Alves Teles 1 Maria Solange dos Santos 2 Rodrigo Honório Silva 3 Romenique José Avelar 4 Myriam Angélica Dornelas 5 RESUMO O presente

Leia mais

CÓDIGO CRÉDITOS PERÍODO PRÉ-REQUISITO TURMA ANO INTRODUÇÃO

CÓDIGO CRÉDITOS PERÍODO PRÉ-REQUISITO TURMA ANO INTRODUÇÃO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS ESCOLA DE GESTÃO E NEGÓCIOS CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS, ADMINISTRAÇÃO E ECONOMIA DISCIPLINA: ESTRUTURA E ANÁLISE DE CUSTO CÓDIGO CRÉDITOS PERÍODO PRÉ-REQUISITO

Leia mais

Gestão da qualidade em serviços: um estudo de caso em microempresas do ramo de oficinas mecânicas

Gestão da qualidade em serviços: um estudo de caso em microempresas do ramo de oficinas mecânicas Gestão da qualidade em serviços: um estudo de caso em microempresas do ramo de oficinas mecânicas Eunice Zucchi (CESCAGE) eunicezucchi@gmail.com Balduir Carletto (CESCAGE) bcarletto@uol.com.br Camila Lopes

Leia mais

NOME DA DISCIPLINA: QUALIDADE E PRODUTIVIDADE NOME DO CURSO: SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PETRÓLEO E GÁS

NOME DA DISCIPLINA: QUALIDADE E PRODUTIVIDADE NOME DO CURSO: SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PETRÓLEO E GÁS 1- IDENTIFICAÇÃO CARGA HORÁRIA SEMANAL: 2 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 40 PERÍODO: NOTURNO NOME DA DISCIPLINA: QUALIDADE E PRODUTIVIDADE NOME DO CURSO: SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PETRÓLEO E GÁS 2- EMENTA Analisar,

Leia mais

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Gerenciamento de Marketing e Vendas

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Gerenciamento de Marketing e Vendas Universidade Cruzeiro do Sul Campus Virtual Unidade I: Unidade: Gerenciamento de Marketing e Vendas 2010 0 Unidade: Gerenciamento de Marketing e Vendas É necessário o entendimento de como os produtos chegam

Leia mais

Titulo do projeto: O USO DAS REDES SOCIAIS COMO FERRAMENTA DE MARKETING DE VAREJO E INSTITUCIONAL NAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

Titulo do projeto: O USO DAS REDES SOCIAIS COMO FERRAMENTA DE MARKETING DE VAREJO E INSTITUCIONAL NAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS IMESB NÚCLEO DE ETENSÃO E PESQUISA (NUPES) Identificação da Faculdade: IMESB Titulo do projeto: O USO DAS REDES SOCIAIS COMO FERRAMENTA DE MARKETING DE VAREJO E INSTITUCIONAL NAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

Leia mais

QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS!

QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS! QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS! 4 Introdução 5 Conheça seu público 5 Crie uma identidade para sua empresa 6 Construa um site responsivo 6 Seja direto, mas personalize o máximo possível

Leia mais

Unidade III MARKETING DE VAREJO E. Profa. Cláudia Palladino

Unidade III MARKETING DE VAREJO E. Profa. Cláudia Palladino Unidade III MARKETING DE VAREJO E NEGOCIAÇÃO Profa. Cláudia Palladino Compras, abastecimento e distribuição de mercadorias Os varejistas: Precisam garantir o abastecimento de acordo com as decisões relacionadas

Leia mais

DESAFIOS. (Autor desconhecido)

DESAFIOS. (Autor desconhecido) QUEM É O EMPREENDEDOR? POR QUE SER EMPRESÁRIO? DEFINIÇÕES DE EMPREENDEDORISMO O empreendedor é motivado pela autorealização, desejo de assumir responsabilidades e independência. Considera irresistível

Leia mais

Gestão de. O que é Marketing? Steven Albuquerque. Steven Albuquerque DISCIPLINA. Conceituação de Marketing. Conceituação de Marketing 15/02/2016

Gestão de. O que é Marketing? Steven Albuquerque. Steven Albuquerque DISCIPLINA. Conceituação de Marketing. Conceituação de Marketing 15/02/2016 2 Gestão de Mestre em Administração Univ. Federal de Pernambuco - UFPE Master em International Business Universidad de Barcelona MBA em Estratégico Univ. Federal de Pernambuco - UFPE Administrador Univ.

Leia mais

...estas abordagens contribuem para uma ação do nível operacional do design.

...estas abordagens contribuem para uma ação do nível operacional do design. Projetar, foi a tradução mais usada no Brasil para design, quando este se refere ao processo de design. Maldonado definiu que design é uma atividade de projeto que consiste em determinar as propriedades

Leia mais

Qualidade total em pequenas empresas

Qualidade total em pequenas empresas Qualidade total em pequenas empresas Frederico Cezar Capoletti Curi (UFOP) fredcuri2@yahoo.com.br Zirlene Alves da Silva Santos (UFOP) santoszirlene@em.ufop.br Resumo: As pequenas empresas vivem em um

Leia mais

Plano de Direcionamento. Conhecimento de Mercado

Plano de Direcionamento. Conhecimento de Mercado Plano de Direcionamento Conhecimento de Mercado Conhecimento de Mercado É necessário conhecer o mercado para que sejam desenvolvidos produtos que atendam as necessidades e expectativas dos clientes. Segmentação

Leia mais

ELEMENTOS DO PLANO DE NEGÓCIOS

ELEMENTOS DO PLANO DE NEGÓCIOS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PIAUÍ - CAMPUS DE PARNAÍBA CURSO: Técnico em Informática DISCIPLINA: Empreendedorismo PROFESSORA: CAROLINE PINTO GUEDES FERREIRA ELEMENTOS DO PLANO

Leia mais

Prof. Marcelo Mello. Unidade IV DISTRIBUIÇÃO E

Prof. Marcelo Mello. Unidade IV DISTRIBUIÇÃO E Prof. Marcelo Mello Unidade IV DISTRIBUIÇÃO E TRADE MARKETING Trade Marketing é confundido por algumas empresas como um conjunto de ferramentas voltadas para a promoção e a comunicação dos produtos. O

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS VOLTADA PARA RECRUTAMENTO E SELEÇÃO E CARGOS E SALÁRIOS.

GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS VOLTADA PARA RECRUTAMENTO E SELEÇÃO E CARGOS E SALÁRIOS. GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS VOLTADA PARA RECRUTAMENTO E SELEÇÃO E CARGOS E SALÁRIOS. BARBOSA, Roger Eduardo 1 Resumo Neste artigo analisaremos como o planejamento estratégico na gestão de pessoas nas

Leia mais

Plano de Marketing. Produto (Posicionamento) Preço. Artigos de PN Como fazer Plano de Marketing. josedornelas.com.br

Plano de Marketing. Produto (Posicionamento) Preço. Artigos de PN Como fazer Plano de Marketing. josedornelas.com.br Artigos de PN Como fazer Plano de Marketing Plano de Marketing Para traçar o plano de marketing do plano de negócios, deve-se atentar à estratégia que será seguida pela empresa. A estratégia pode ser definida

Leia mais

VALOR AGREGADO PELAS EMBALAGENS: um estudo de caso o Boticário

VALOR AGREGADO PELAS EMBALAGENS: um estudo de caso o Boticário 92 VALOR AGREGADO PELAS EMBALAGENS: um estudo de caso o Boticário Cirlene de Oliveira; Leandro Dias Pereira; Lilian Castro de Oliveira; Pablo Rodrigues Dias; Taís Ferreira Gonçalves; Thalize Santos Costa;

Leia mais

QUALIDADE NO ATENDIMENTO E GRAU DE SATISFAÇÃO ATRIBUÍDO PELO CONSUMIDOR AO COMÉRCIO VAREJISTA DE TRÊS LAGOAS/MS

QUALIDADE NO ATENDIMENTO E GRAU DE SATISFAÇÃO ATRIBUÍDO PELO CONSUMIDOR AO COMÉRCIO VAREJISTA DE TRÊS LAGOAS/MS 1 QUALIDADE NO ATENDIMENTO E GRAU DE SATISFAÇÃO ATRIBUÍDO PELO CONSUMIDOR AO COMÉRCIO VAREJISTA DE TRÊS LAGOAS/MS Elisângela de Aguiar Alcalde (Docente MSc. das Faculdades Integradas de Três Lagoas-AEMS)

Leia mais

DECISÃO DE COMPRAR OU PRODUZIR: UM ESTUDO REALIZADO EM UMA EMPRESA NA ÁREA TÊXTIL

DECISÃO DE COMPRAR OU PRODUZIR: UM ESTUDO REALIZADO EM UMA EMPRESA NA ÁREA TÊXTIL DECISÃO DE COMPRAR OU PRODUZIR: UM ESTUDO REALIZADO EM UMA EMPRESA NA ÁREA TÊXTIL Edzana Roberta Ferreira Da Cunha Vieira Lucena UFRN Jefferson Douglas Barbosa UFRN (84) 99932-3975 jeffersondouglasg3hotmail.com

Leia mais

FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA: UMA ANÁLISE DO SETOR DE MATERIAL DE CONSTRUÇÃO

FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA: UMA ANÁLISE DO SETOR DE MATERIAL DE CONSTRUÇÃO FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA: UMA ANÁLISE DO SETOR DE MATERIAL DE CONSTRUÇÃO Leandro Azevedo Da Silva Rosadas Marcelo Alvaro Da Silva Macedo Resumo: A questão da formação do preço de venda de produtos e

Leia mais

TÍTULO: LOGISTICA INTEGRADA COM FOCO EM DISTRIBUIÇÃO: UM ESTUDO BIBLIOGRÁFICO

TÍTULO: LOGISTICA INTEGRADA COM FOCO EM DISTRIBUIÇÃO: UM ESTUDO BIBLIOGRÁFICO TÍTULO: LOGISTICA INTEGRADA COM FOCO EM DISTRIBUIÇÃO: UM ESTUDO BIBLIOGRÁFICO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR PRESIDENTE

Leia mais

CUSTOS DA QUALIDADE EM METALURGICAS DO SEGMENTOS DE ELEVADORES PARA OBRAS CÍVIS - ESTUDO DE CASO

CUSTOS DA QUALIDADE EM METALURGICAS DO SEGMENTOS DE ELEVADORES PARA OBRAS CÍVIS - ESTUDO DE CASO CUSTOS DA QUALIDADE EM METALURGICAS DO SEGMENTOS DE ELEVADORES PARA OBRAS CÍVIS - ESTUDO DE CASO José Roberto Santana Alexandre Ripamonti Resumo: Com a globalização da economia, as empresas, enfrentam

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO MARKETING (PROPAGANDA E PUBLICIDADE) EM PERÍODOS DE CRISE:

A IMPORTÂNCIA DO MARKETING (PROPAGANDA E PUBLICIDADE) EM PERÍODOS DE CRISE: A IMPORTÂNCIA DO MARKETING (PROPAGANDA E PUBLICIDADE) EM PERÍODOS DE CRISE: um caso de sucesso na empresa Jota Print Comunicação Visual na cidade de Muritiba Bahia Jamylle Carvalho Cardoso Correia 1 Jorge

Leia mais

ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE NEGÓCIOS PARA UMA EMPRESA DE TRANSPORTE COLETIVO DE PASSAGEIROS 1

ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE NEGÓCIOS PARA UMA EMPRESA DE TRANSPORTE COLETIVO DE PASSAGEIROS 1 ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE NEGÓCIOS PARA UMA EMPRESA DE TRANSPORTE COLETIVO DE PASSAGEIROS 1 Jéssica Schreiber Boniati 2, Eusélia Pavéglio Vieira 3. 1 Trabalho de conclusão de curso apresentado ao curso

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES. Tecnologia da Informação; Pesquisa de mercado; Inovação.

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES. Tecnologia da Informação; Pesquisa de mercado; Inovação. TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES Bruno Correia Souza Universidade Estácio de Sá/ RJ brunoc.souza@yahoo.com.br Orientador: José Carlos Beker Universidade Estácio de Sá/ RJ beker@wb.com.br Viviane

Leia mais

Endomarketing: um estudo de caso em uma agência de uma instituição financeira de Bambuí- MG

Endomarketing: um estudo de caso em uma agência de uma instituição financeira de Bambuí- MG Endomarketing: um estudo de caso em uma agência de uma instituição financeira de Bambuí- MG Bruna Jheynice Silva Rodrigues 1 ; Lauriene Teixeira Santos 2 ; Augusto Chaves Martins 3 ; Afonso Régis Sabino

Leia mais

COMPONENTES DA ESTRUTURA DO PLANO DE NEGÓCIO

COMPONENTES DA ESTRUTURA DO PLANO DE NEGÓCIO COMPONENTES DA ESTRUTURA DO PLANO DE NEGÓCIO No Modelo de Plano de Negócio, disponível no seu ambiente do Concurso você terá um passo a passo para elaborar o seu Plano, bem como todo o conteúdo necessário

Leia mais

FORMAÇÃO DE PREÇO DE SERVIÇO

FORMAÇÃO DE PREÇO DE SERVIÇO CONTEÚDO DO CURSO DE FORMAÇÃO DE PREÇO DE SERVIÇO PROMOVIDO PELA www.administrabrasil.com.br - CONCEITO DE PREÇO NOS SERVIÇOS - FATORES DETERMINANTES DOS PREÇOS - ESTRATÉGIAS E ASPECTOS IMPORTANTES PARA

Leia mais

DENIZE DIETER NICHTERWITZ SATISFAÇÃO DOS CLIENTES NA ÓPTICA MIRIAN

DENIZE DIETER NICHTERWITZ SATISFAÇÃO DOS CLIENTES NA ÓPTICA MIRIAN 0 UNIJUÍ Universidade Regional do Noroeste do Rio Grande do Sul DACEC Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação Curso de Administração Bacharelado modalidade presencial

Leia mais

LOGÍSTICA INTEGRADA: SATISFAÇÃO DOS CLIENTES E REDUÇÃO DE CUSTOS RESUMO

LOGÍSTICA INTEGRADA: SATISFAÇÃO DOS CLIENTES E REDUÇÃO DE CUSTOS RESUMO LOGÍSTICA INTEGRADA: SATISFAÇÃO DOS CLIENTES E REDUÇÃO DE CUSTOS RESUMO Este trabalho tem por objetivo a discussão do conceito de logística integrada e de roteirização. Tem como objetivo também mostrar

Leia mais

APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL NA INDÚSTRIA MOVELEIRA NAS REGIÕES FRONTEIRA NOROESTE E CELEIRO RS, NO ÂMBITO DO PROJETO EXTENSÃO PRODUTIVA E INOVAÇÃO.

APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL NA INDÚSTRIA MOVELEIRA NAS REGIÕES FRONTEIRA NOROESTE E CELEIRO RS, NO ÂMBITO DO PROJETO EXTENSÃO PRODUTIVA E INOVAÇÃO. APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL NA INDÚSTRIA MOVELEIRA NAS REGIÕES FRONTEIRA NOROESTE E CELEIRO RS, NO ÂMBITO DO PROJETO EXTENSÃO PRODUTIVA E INOVAÇÃO. 1 Maria Aparecida Da Silva Buss 2, Pedro Luís Büttenbender

Leia mais

FINOM- FACULDADE DO NOROESTE DE MINAS WOLTER FRANCISCO NEVES LIBERATO DE MATOS JUNIOR

FINOM- FACULDADE DO NOROESTE DE MINAS WOLTER FRANCISCO NEVES LIBERATO DE MATOS JUNIOR FINOM- FACULDADE DO NOROESTE DE MINAS WOLTER FRANCISCO NEVES LIBERATO DE MATOS JUNIOR QUALIDADE DO ATENDIMENTO NO SISTEMA BANCÁRIO BRASILEIRO Wolter Francisco Neves Liberato de Matos Júnior ESPERA FELIZ

Leia mais

A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1

A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1 A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1 Tatiana Pereira da Silveira 1 RESUMO O objetivo deste trabalho é apresentar os resultados da

Leia mais

FACULDADE FAMA ALEXSANDRA SOARES DA SILVA

FACULDADE FAMA ALEXSANDRA SOARES DA SILVA FACULDADE FAMA ALEXSANDRA SOARES DA SILVA A NECESSIDADE DE CONSULTORIA NAS EMPRESAS RECIFE DEZ/2014 ALEXSANDRA SOARES DA SILVA A NECESSIDADE DE CONSULTORIA NAS EMPRESAS Artigo científico apresentado em

Leia mais

APLICAÇÃO DOS MÉTODOS DE CUSTEIO: VARIÁVEL E POR ABSORÇÃO, PARA O PROCESSO DECISÓRIO GERENCIAL DOS CUSTOS

APLICAÇÃO DOS MÉTODOS DE CUSTEIO: VARIÁVEL E POR ABSORÇÃO, PARA O PROCESSO DECISÓRIO GERENCIAL DOS CUSTOS APLICAÇÃO DOS MÉTODOS DE CUSTEIO: VARIÁVEL E POR ABSORÇÃO, PARA O PROCESSO DECISÓRIO GERENCIAL DOS CUSTOS ANACLETO G. 1 1. INTRODUÇÃO Este estudo tem a finalidade de apuração dos resultados aplicados pelos

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATEGICO NAS EMPRESAS DA AMAZÔNIA: O CASO DE CRUZEIRO DO SUL/AC.

PLANEJAMENTO ESTRATEGICO NAS EMPRESAS DA AMAZÔNIA: O CASO DE CRUZEIRO DO SUL/AC. PLANEJAMENTO ESTRATEGICO NAS EMPRESAS DA AMAZÔNIA: O CASO DE CRUZEIRO DO SUL/AC. César Gomes de Freitas, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre, Campus Cruzeiro do Sul/Acre, Brasil

Leia mais

CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Autorizado pela Portaria no 1.399 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 PLANO DE CURSO

CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Autorizado pela Portaria no 1.399 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 PLANO DE CURSO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Autorizado pela Portaria no 1.399 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: Marketing Aplicado à Engenharia Código: ENGP - 587 Pré-requisito: ----- Período Letivo:

Leia mais

O SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS (S.I.G.) APLICADO EM SUPRIMENTOS E PROCESSOS DECISÓRIOS

O SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS (S.I.G.) APLICADO EM SUPRIMENTOS E PROCESSOS DECISÓRIOS O SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS (S.I.G.) APLICADO EM SUPRIMENTOS E PROCESSOS DECISÓRIOS Hugo Bianchi BOSSOLANI 1 RESUMO: Sistema de Informações Gerenciais (S.I.G.) é o processo de transformação de

Leia mais

Sistemas de Informação Gerencial

Sistemas de Informação Gerencial Sistemas de Informação Gerencial Ao longo da historia da administração ocorreram muitas fases. Sendo que, seus princípios sempre foram semelhantes, mudando apenas o enfoque conforme a visão do pesquisador.

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO DE ESTOQUES EX-PROJECT RESUMO INTRODUÇÃO

SISTEMAS DE GESTÃO DE ESTOQUES EX-PROJECT RESUMO INTRODUÇÃO SISTEMAS DE GESTÃO DE ESTOQUES EX-PROJECT Antonio Evangelino de Carvalho Soares Cintia Silvia Victor dos Santos Claudinei Candido Vieira Érica Natália Martins Silva Kátia Ribeiro dos Santos Marco Túlio

Leia mais

ANÁLISE DA QUALIDADE DE SERVIÇO PERCEBIDA: aplicação do modelo SERVQUAL em uma Instituição de Ensino.

ANÁLISE DA QUALIDADE DE SERVIÇO PERCEBIDA: aplicação do modelo SERVQUAL em uma Instituição de Ensino. 1 ANÁLISE DA QUALIDADE DE SERVIÇO PERCEBIDA: aplicação do modelo SERVQUAL em uma Instituição de Ensino. RESUMO Camila Rezende Bambirra 1 Ronaldo Maciel Guimarães 2 Este artigo tem como objetivo Identificar

Leia mais

SATISFAÇÃO DO CLIENTE: Um estudo de caso em uma loja de roupa de Castilho/SP.

SATISFAÇÃO DO CLIENTE: Um estudo de caso em uma loja de roupa de Castilho/SP. SATISFAÇÃO DO CLIENTE: Um estudo de caso em uma loja de roupa de Castilho/SP. Andressa Caroline Pereira Rufino Discente do 2º ano do curso de Administração FITL/AEMS Patrícia de Oliveira Docente das Faculdades

Leia mais

CONTABILIDADE GERENCIAL

CONTABILIDADE GERENCIAL PROF. EDENISE AP. DOS ANJOS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 5º PERÍODO CONTABILIDADE GERENCIAL As empresas devem ser dirigidas como organismos vivos, como entidades em continuidade, cujo objetivo é a criação de

Leia mais

Varejo: será que o foco está mesmo no cliente?

Varejo: será que o foco está mesmo no cliente? Revista da ESPM -101 Varejo: será que o foco está mesmo no cliente? FÁTIMA MOTTA Graduada em Administração de Empresas (FMU) e Comunicação (ECA/USP) Pós -Graduada em Administração de Empresas (PUC/SP)

Leia mais

CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Autorizado pela Portaria no 1.399 de 04/07/01 DOU de 09/07/01

CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Autorizado pela Portaria no 1.399 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Autorizado pela Portaria no 1.399 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: MARKETING APLICADO A ENGENHARIA Código: ENGP - 587 Pré-requisito: ----- Período Letivo:

Leia mais

Esse estágio é chamado de Implementação.

Esse estágio é chamado de Implementação. A empresa, após realizar o Planejamento Estratégico, Tático e Operacional, deve gerar o produto designado, definir seu preço, distribuí-lo e promovê-lo. Esse estágio é chamado de Implementação. Todas as

Leia mais

ENDOMARKETING COMO ESTRATÉGIA DE COMUNICAÇÃO EM UMA USINA DE AÇÚCAR E ALCOOL EM CASTILHO/SP

ENDOMARKETING COMO ESTRATÉGIA DE COMUNICAÇÃO EM UMA USINA DE AÇÚCAR E ALCOOL EM CASTILHO/SP ENDOMARKETING COMO ESTRATÉGIA DE COMUNICAÇÃO EM UMA USINA DE AÇÚCAR E ALCOOL EM CASTILHO/SP FERNANDA THAMIRES ULISSES BACURAU Discente do Curso de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos das Faculdades

Leia mais

Roteiro para elaboração do Relatório de Estágio Supervisionado do Curso de Bacharelado em Administração da AJES

Roteiro para elaboração do Relatório de Estágio Supervisionado do Curso de Bacharelado em Administração da AJES Roteiro para elaboração do Relatório de Estágio Supervisionado do da AJES A - APRESENTAÇÃO 1. A empresa 1.1. Aspectos Gerais 1.1.1. História da empresa (da fundação a atualidade) 1.1.2. Visão, Missão e

Leia mais

Palavras-chaves: Empresa Júnior da Fadergs, Critérios PGPK, site, divulgação.

Palavras-chaves: Empresa Júnior da Fadergs, Critérios PGPK, site, divulgação. 1 Estudo de caso: aplicação dos critérios do PGPK com a implantação do site da Empresa Júnior da Fadergs Melissa Schiavon Lima RESUMO Este estudo em andamento apresenta um estudo de caso relacionando os

Leia mais

A QUALIDADE DOS SERVIÇOS BANCÁRIOS NO BRASIL

A QUALIDADE DOS SERVIÇOS BANCÁRIOS NO BRASIL A QUALIDADE DOS SERVIÇOS BANCÁRIOS NO BRASIL RESUMO O setor bancário sofre crescente modificação no que tange aos seus canais de vendas e comunicação com os clientes. O atendimento, que era feito através

Leia mais

ANÁLISE ORGANIZACIONAL DE UMA EMPRESA DO SETOR DE MÓVEIS PLANEJADOS EM SANTA MARIA (RS) Lúcia dos Santos Albanio 1 Ezequiel Redin 2

ANÁLISE ORGANIZACIONAL DE UMA EMPRESA DO SETOR DE MÓVEIS PLANEJADOS EM SANTA MARIA (RS) Lúcia dos Santos Albanio 1 Ezequiel Redin 2 ANÁLISE ORGANIZACIONAL DE UMA EMPRESA DO SETOR DE MÓVEIS PLANEJADOS EM SANTA MARIA (RS) Lúcia dos Santos Albanio 1 Ezequiel Redin 2 1 INTRODUÇÃO As empresas do setor moveleiro foram impulsionadas, nos

Leia mais

TÍTULO: RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE PESSOAS ESTUDO DE CASO NO RAMO VAREJISTA DE SUPERMERCADOS NA CIDADE DE SANTA ALBERTINA/SP

TÍTULO: RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE PESSOAS ESTUDO DE CASO NO RAMO VAREJISTA DE SUPERMERCADOS NA CIDADE DE SANTA ALBERTINA/SP TÍTULO: RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE PESSOAS ESTUDO DE CASO NO RAMO VAREJISTA DE SUPERMERCADOS NA CIDADE DE SANTA ALBERTINA/SP CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Prof. Wilson Real ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING

Prof. Wilson Real ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING Prof. Wilson Real ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING MARKETING Marketing vem da palavra MARKET que significa mercado. Logo, Marketing é a ação de comprar, vender ou produzir artigos para mercados específicos.

Leia mais

3 Gerenciamento de Projetos

3 Gerenciamento de Projetos 34 3 Gerenciamento de Projetos Neste capítulo, será abordado o tema de gerenciamento de projetos, iniciando na seção 3.1 um estudo de bibliografia sobre a definição do tema e a origem deste estudo. Na

Leia mais

A METODOLOGIA DA PESQUISA DE MERCADOAPLICADA À PRODUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS ALIMENTÍCIOS

A METODOLOGIA DA PESQUISA DE MERCADOAPLICADA À PRODUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS ALIMENTÍCIOS 1 A METODOLOGIA DA PESQUISA DE MERCADOAPLICADA À PRODUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS ALIMENTÍCIOS Maria Lúcia Ribeiro Da COSTA 1 João Cezario Giglio MARQUES 2 RESUMO: O estudo e a pesquisa de mercado

Leia mais

TCC: PESQUISA MERCADOLÓGICA SHOPPING VIA DIRETA 1

TCC: PESQUISA MERCADOLÓGICA SHOPPING VIA DIRETA 1 TCC: PESQUISA MERCADOLÓGICA SHOPPING VIA DIRETA 1 Juliana Brancaglioni CASCIATORI 2 Letícia Prado dos SANTOS 3 Bruno Monteiro ZONATTO³ Joyce VIEIRA³ Jakeline CASARIN³ Paulo CRISP³ Rodolfo BASSETO³ Weder

Leia mais

FACULDADE DE VIÇOSA MOSTRA ACADÊMICA 2009 PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO DE UM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO NA EMPRESA NUTREMINAS RESUMO

FACULDADE DE VIÇOSA MOSTRA ACADÊMICA 2009 PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO DE UM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO NA EMPRESA NUTREMINAS RESUMO FACULDADE DE VIÇOSA MOSTRA ACADÊMICA 2009 PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO DE UM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO NA EMPRESA NUTREMINAS RESUMO Gustavo Cremonezi [1] Camila Costa Vitarelli [2] Este artigo visa destacar

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING Prof. Gilson B. Feitosa

ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING Prof. Gilson B. Feitosa ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING Prof. Gilson B. Feitosa FATORES QUE INFLUENCIAM A ESTRATÉGIA DE MARKETING DA EMPRESA. COMO SE DIVIDE? MACROAMBIENTE Tecnologia Economia MICROAMBIENTE Clientes Concorrentes Intermediários

Leia mais

APLICABILIDADE DA CONTABILIDADE GERENCIAL COMO FERRAMENTA DE GESTÃO PARA TOMADA DE DECISÕES NAS INDÚSTRIAS ASSOCIADAS À ACIP DE PINHALZINHO/SC

APLICABILIDADE DA CONTABILIDADE GERENCIAL COMO FERRAMENTA DE GESTÃO PARA TOMADA DE DECISÕES NAS INDÚSTRIAS ASSOCIADAS À ACIP DE PINHALZINHO/SC VIII CIAEC 043 APLICABILIDADE DA CONTABILIDADE GERENCIAL COMO FERRAMENTA DE GESTÃO PARA TOMADA DE DECISÕES NAS INDÚSTRIAS ASSOCIADAS À ACIP DE PINHALZINHO/SC Alex Fabiano Bertollo Santana Centro Universitário

Leia mais

Marcelo Bruno de Araújo Lacerda. O papel do propagandista como agente operacional das estratégias de marketing no segmento cardiovascular em Salvador.

Marcelo Bruno de Araújo Lacerda. O papel do propagandista como agente operacional das estratégias de marketing no segmento cardiovascular em Salvador. Marcelo Bruno de Araújo Lacerda O papel do propagandista como agente operacional das estratégias de marketing no segmento cardiovascular em Salvador. Artigo científico apresentado para conclusão do curso

Leia mais

PLANO DE MARKETING: PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO NA EMPRESA PAULA MODAS ESPERANÇA -PB.

PLANO DE MARKETING: PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO NA EMPRESA PAULA MODAS ESPERANÇA -PB. PLANO DE MARKETING: PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO NA EMPRESA PAULA MODAS ESPERANÇA -PB. Monailza de Sousa Oliveira monailza@hotmail.com UEPB Nara Cristina da Silva Costa naracristina.sc@hotmail.com UEPB Suzane

Leia mais

FMU - FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS E-COMMERCE, SOCIAL COMMERCE, MOBILE MARKETING E MARKETING DE PERMISSÃO.

FMU - FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS E-COMMERCE, SOCIAL COMMERCE, MOBILE MARKETING E MARKETING DE PERMISSÃO. FMU - FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS E-COMMERCE, SOCIAL COMMERCE, MOBILE MARKETING E MARKETING DE PERMISSÃO. São Paulo - SP 2016 RENAN ROCHA ALVES - RA: 6448758 E-COMMERCE, SOCIAL COMMERCE, MOBILE MARKETING

Leia mais

GERENCIAMENTO FINANCEIRO: um estudo em micro e pequenas empresas do Norte e Noroeste Paranaense RESUMO

GERENCIAMENTO FINANCEIRO: um estudo em micro e pequenas empresas do Norte e Noroeste Paranaense RESUMO GERENCIAMENTO FINANCEIRO: um estudo em micro e pequenas empresas do Norte e Noroeste Paranaense Roberson Chaves Vitor - FAFIJAN Gislaine Oliveira Souza - FAFIJAN Jocimar Aparecido Dutra - FAFIJAN Eliane

Leia mais

A FORMAÇÃO DOS ENGENHEIROS E ADMINISTRADORES DA GRANDE FLORIANÓPOLIS DIRIGIDA A PRÁTICA DA GESTÃO PARTICIPATIVA

A FORMAÇÃO DOS ENGENHEIROS E ADMINISTRADORES DA GRANDE FLORIANÓPOLIS DIRIGIDA A PRÁTICA DA GESTÃO PARTICIPATIVA ! "#$ " %'&)(*&)+,.- /10.2*&4365879&4/1:.+58;.2*=?5.@A2*3B;.- C)D 5.,.5FE)5.G.+ &4- (IHJ&?,.+ /?=)5.KA:.+5MLN&OHJ5F&4E)2*EOHJ&)(IHJ/)G.- D - ;./);.& A FORMAÇÃO DOS ENGENHEIROS E ADMINISTRADORES DA

Leia mais

Q u al i f i c a ç ã o f o r m al d o s r e s p o n s á v e i s P ó s g r a d u a d o s

Q u al i f i c a ç ã o f o r m al d o s r e s p o n s á v e i s P ó s g r a d u a d o s Justificativa do trabalho As Empresas, com fim lucrativo ou não, enfrentam dificuldades para determinar o preço de seus produtos ou serviços, visto que o preço sofre grande influência do mercado, levando

Leia mais

MARKETING PARA A CLASSE C: UM NOVO PERFIL PARA CONSUMIDORAS DE VESTUÁRIOS EM FRANCA

MARKETING PARA A CLASSE C: UM NOVO PERFIL PARA CONSUMIDORAS DE VESTUÁRIOS EM FRANCA 1 MARKETING PARA A CLASSE C: UM NOVO PERFIL PARA CONSUMIDORAS DE VESTUÁRIOS EM FRANCA Aline Marques Pereira Lopes Roberta Clara Pires Ferreira Cherioni Orientador: Prof. Ms. Clésio Antônio Dourado Resumo:

Leia mais

Plano de Negócios PLANEJAMENTO DO PROJETO FINAL. Sumário

Plano de Negócios PLANEJAMENTO DO PROJETO FINAL. Sumário Plano de Negócios Plano de Negócios Sumário Introdução... 3 Plano de Negócios... 3 Etapas do Plano de Negócio... 3 Fase 1... 3 Fase 2... 8 Orientação para entrega da Atividade de Avaliação... 12 Referências

Leia mais

Marcas: Um Estudo do Marketing Promocional da Fisk de Alegre

Marcas: Um Estudo do Marketing Promocional da Fisk de Alegre Marcas: Um Estudo do Marketing Promocional da Fisk de Alegre Danilo Rocha Gomes UVV/FACULDADE DE GUAÇUÍ danulio@hotmail.com Marcos Ferreira Santos UVV/FACULDADE DE GUAÇUÍ marcos.santos@uvv.br Marinete

Leia mais

Sejam bem-vindos. Como Elaborar um Plano de Negócios. Educação Sebrae. Unidade de Educação e Desenvolvimento da Cultura Empreendedora 1

Sejam bem-vindos. Como Elaborar um Plano de Negócios. Educação Sebrae. Unidade de Educação e Desenvolvimento da Cultura Empreendedora 1 Sejam bem-vindos Unidade de Educação e Desenvolvimento da Cultura Empreendedora 1 Curso 5 dias 1º 2º 3º 4º 5º Curso 10 dias OBJETIVOS 1º Apresentação do curso, empreendedorismo e CCE's 2º Cenário macroeconômico,

Leia mais

O QUE FAZER PARA MELHORAR O PROCESSO DE COMPRAS 1

O QUE FAZER PARA MELHORAR O PROCESSO DE COMPRAS 1 O QUE FAZER PARA MELHORAR O PROCESSO DE COMPRAS 1 Matheus Alberto Cônsoli* Lucas Sciência do Prado* Marcos Fava Neves* As revendas agropecuárias devem considerar não apenas preços, mas também as oportunidades

Leia mais

10 Minutos. sobre práticas de gestão de projetos. Capacidade de executar projetos é essencial para a sobrevivência das empresas

10 Minutos. sobre práticas de gestão de projetos. Capacidade de executar projetos é essencial para a sobrevivência das empresas 10 Minutos sobre práticas de gestão de projetos Capacidade de executar projetos é essencial para a sobrevivência das empresas Destaques Os CEOs de setores que enfrentam mudanças bruscas exigem inovação

Leia mais

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro.

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. PLANO DE MARKETING Andréa Monticelli Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. 1. CONCEITO Marketing é

Leia mais

A CULTURA ORGANIZACIONAL PODE INFLUENCIAR NO PROCESSO DE AGREGAR PESSOAS

A CULTURA ORGANIZACIONAL PODE INFLUENCIAR NO PROCESSO DE AGREGAR PESSOAS A CULTURA ORGANIZACIONAL PODE INFLUENCIAR NO PROCESSO DE AGREGAR PESSOAS Juliana da Silva, RIBEIRO 1 Roberta Cavalcante, GOMES 2 Resumo: Como a cultura organizacional pode influenciar no processo de agregar

Leia mais

Gestão de pessoas: revisão de conceitos

Gestão de pessoas: revisão de conceitos Glaucia Falcone Fonseca Chegamos ao final de nosso curso e vale a pena fazer uma retrospectiva sobre os principais aspectos da gestão de pessoas, algo tão importante no atual mundo do trabalho, caracterizado

Leia mais

Núcleo Comum. Gestão Empresarial. Administração Estratégica Planejamento e o BSC. Prof. Me. Achiles Batista Ferreira Junior

Núcleo Comum. Gestão Empresarial. Administração Estratégica Planejamento e o BSC. Prof. Me. Achiles Batista Ferreira Junior Núcleo Comum Gestão Empresarial Administração Estratégica Planejamento e o BSC Prof. Me. Achiles Batista Ferreira Junior INTRODUÇÃO O ato de planejar e gerenciar pertence ao cotidiano de grande parte dos

Leia mais