Quando a vida perde a coesão O câncer é cada vez mais comum, mas sabemos cada vez mais sobre como diagnosticá-lo e combatê-lo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Quando a vida perde a coesão O câncer é cada vez mais comum, mas sabemos cada vez mais sobre como diagnosticá-lo e combatê-lo"

Transcrição

1 Publicação Interna da Rede VITA // Ano XIV // 4º Trimestre 2014 Quando a vida perde a coesão O câncer é cada vez mais comum, mas sabemos cada vez mais sobre como diagnosticá-lo e combatê-lo Mitos e verdades sobre antibióticos Prêmio Diamante VITA homenageia colaboradores

2 Capa A ilustração de capa desta edição lembra o quanto a vida é bela e, ao mesmo tempo, frágil. Expediente Publicação Interna da Rede VITA // Ano XIV // 4º Trimestre Opinião Luz, por Francisco Balestrin 06 Qualidade Assistencial Cuidados de Enfermagem e qualidade assistencial, por Claudimeri Dadas 08 Saúde A família toda pode emagrecer Os homens e a cirurgia de nariz Antibióticos: mitos e verdades Não subestime seu risco cardíaco Dedo em gatilho, um síndrome comum Barreiras contra o vírus Ebola 16 Artigo Médico-Hospitalar Myrna Mascarenhas explica o que é gastrite 18 Ping-Pong Entrevista com o oncologista Fernando Cotait Maluf, que defende a realização de exames preventivos 20 Capa Sob o signo de câncer Entenda um pouco mais sobre essa tão temida doença, em termos de prevenção, diagnóstico e tratamento 26 Túnel do Tempo Como surgiu a Radioterapia 28 Bem-Estar notas sobre saúde: meditação, carne suína, óculos escuros e mais 32 Acontece no VITA Serviço de Oncologia no VITA Curitiba Lideranças se aprimoram com coaching Prêmio Diamante em Volta Redonda Desenvolvimento de novos medicamentos Semana da Qualidade e Segurança Assistencial 38 Perfil Sabrina Yumi, Gerente de Logística, está no perfil desta edição 39 Vida Digital Videogame ajuda a avaliar risco de Alzheimer; teclados alternativos para celular e tablet; Facebook planeja incluir informações sobre saúde 40 Histórias para Nossa VITA Desde ontem a cidade mudou, a crônica de Ligia Piola 42 Campanha Outubro Rosa e Novembro Azul, campanhas de prevenção no Hospital VITA Volta Redonda Mais uma quarta edição. Mais um final de ano. Mas poderemos pensar de outra maneira: que a próxima será mais uma Primeira Edição. E que iniciaremos um Novo Ano. E que tudo poderá Recomeçar como o raiar de um Novo Dia. Um dia ensolarado de Verão, por que não? O importante é o Começar de Novo. Tem um poema de Fernando Pessoa que diz em uma de suas estrofes: Toda a manhã que raia, raia sempre no mesmo lugar. Não há manhãs sobre cidades, ou manhãs sobre o campo. A hora em que o dia raia, em que a luz estremece a erguer-se todos os lugares são o mesmo lugar, todas as terras são a mesma e é eterna e de todos os lugares a frescura que sobe por tudo. O Novo Ano chegará assim. Brilhando de maneira igual sobre todos e todos os lugares. A equipe da VITAL passou por aqui para lembrar que caberá a cada um de nós saber compartilhar a terra, a luz e a sensação de renascimento a cada raiar da manhã. Vital é uma publicação interna da Rede VITA. VITA Hospital VITA Batel (41) ; Hospital VITA Curitiba (41) ; Hospital VITA Volta Redonda (24) ; Grupo VITA (11) ; Editor: Francisco Balestrin Conselho Editorial: Ligia Piola, Viviane Linzmeyer, Ygor Rodrigues Salgueiro. Apoio Curitiba: Bruna de Costa e Central Press Fotos Curitiba: Rafael Danielewicz Produção: Headline Publicações e Assessoria Presidente: Edson Santos Vice-Presidente Executivo: Francisco Balestrin Diretor de Operações: José Mauro Rezende Diretora Financeira: Fernanda Terracini Diretor de Controladoria: Ernesto Fonseca Superintendente Administrativo e Financeiro dos Hospitais VITA Batel e Curitiba: José Octávio Leme Superintendente Operacional dos Hospitais VITA Batel e VITA Curitiba: Neidamar Fugaça Superintendente Hospital VITA Volta Redonda: Deumy Rabelo Jornalista responsável: João Carlos de Brito Mtb Projeto gráfico: Circulado Design Estratégico. Diagramação: Comunicação Assertiva Revisão: Ligia Piola. Tiragem: exemplares. Impressão: Dorte Gráfica / 1723 Grupo VITA Av. Pedroso de Moraes, 1788 São Paulo SP Cep

3 Existe um conjunto interessante de temas que estão conectados na frase de um de nossos grandes escritores contemporâneos, Luís Fernando Veríssimo. Em primeiro lugar, demonstra que nem sempre nossas práticas usuais e feitas repetitivas vezes ainda estão corretas. O mundo e, consequentemente, suas teses e práticas estão em constante evolução. E, claro, exigem diferentes ações de nossa parte. O fato de termos acertado no passado, não garante que fazendo a mesma coisa do mesmo jeito hoje ou amanhã também estejamos acertando. Aliás, provavelmente não. Opinião 4 Outro aspecto entre muitos que podemos abordar, mas ficando no âmbito das páginas de nossa revista VITAL, tem a ver com nossa saúde. Os hábitos de ontem, que nos davam a sensação de bem estar e saúde, provavelmente hoje já não nos garantem o mesmo status. Quando procuramos não respeitar nossos limites orgânicos e mentais muitas vezes entramos em fadiga de material, o que em si não indica peremptoriamente um resultado objetivo de doença, mas, certamente, amplia em muito esta avenida rumo à perda da saúde. Luz Quando você pensa que sabe todas as respostas, vem a vida e muda todas as perguntas (Luis F. Veríssimo) Francisco Balestrin - Editor Repetir fórmulas passadas darão os mesmos resultados passados. Mas será que estes são aqueles que se espera hoje? O Sistema de Saúde sofre mundialmente uma grande discussão sobre seus novos modelos de atenção e de remuneração. Quando falamos em modelo de atenção nos referimos principalmente aos resultados clínicos que deverão ser apurados nas intervenções de saúde em nossos clientes. Não basta só atender: é necessário atenção com resultado satisfatório, com muita qualidade percebida e checada e num ambiente de segurança. Afinal, ninguém quer ir ao hospital para piorar. Quando falamos em remuneração também precisamos relacionar os custos de saúde, o quanto pagamos com os resultados obtidos. E neste terreno teremos grandes discussões nos próximos anos. De novo, relacionado ao pagamento há que se ter uma relação de consumo muito clara entre o que se paga e o que se recebe, seja durante o processo de cuidado, seja com os desfechos alcançados. Nunca vi nestes anos todos de VITAL um exemplar com tantos temas importantes. Não é para menos, pois tratamos desde temas atuais relacionados à promoção de saúde, peso, exercícios, hábitos, até cuidados preventivos com patologias cardiovasculares. Coisas do dia a dia que nos passam despercebidas também são, cuidadosamente, abordadas. Leia a matéria sobre o dedo em gatilho e sobre a gastrite. Falamos ainda sobre o sintoma mais democrático da saúde ou a falta dela. As dores nas costas que, em algum momento da vida, todos vamos sentir com mais ou menos intensidade. Este número da VITAL é particularmente notável, pois temos uma densa discussão sobre uma das enfermidades que mais ocasionam temor do diagnóstico e exige daqueles que, em algum momento, a contraem, uma maior dedicação e participação na cura. Sim, na cura, pois vamos ver e abordar o tema sobre vários pontos de vista. Peço primeiro que leiam a esclarecedora e informativa seção Ping-Pong com um dos maiores especialistas em oncologia em nosso País: o Dr. Fernando Maluf, que muito nos abrilhanta com seus ensinamentos e conselhos. Nossa matéria principal procura ser didática e trata desde a prevenção, o diagnóstico e principalmente da cura deste mal. Historicamente também trazemos um tema bem interessante sobre os primórdios da radioterapia (em nosso numero anterior falamos sobre a quimioterapia). Enfim, há uma luz enorme no fim deste túnel e, nós da VITAL, temos o privilégio de poder compartilhar com nossos leitores este mundo que se abre para novos entendimentos sobre o Câncer. Boa leitura!

4 Cuidados de Enfermagem e Qualidade Assistencial Claudimeri Dadas Para que se possa desenvolver uma cultura de avaliação da qualidade prestada, é necessário atuar com base em parâmetros alcançáveis e adequados a cada realidade Qualidade Assistencial 7 A Organização Mundial de Saúde (OMS) definiu qualidade da assistência à saúde em função de um conjunto de elementos que incluem: um alto grau de competência profissional, a eficiência na utilização de recursos, um mínimo de riscos e um elevado grau de satisfação dos pacientes. A preocupação em estabelecer uma normatização de cuidados individualizados e com qualidade vem sendo percebida pela enfermagem há décadas. O enfermeiro, ao planejar a assistência, garante sua responsabilidade junto ao paciente, uma vez que o planejamento permite diagnosticar as necessidades individualizadas, garantindo a prescrição adequada dos cuidados. O movimento pela qualidade nos serviços de enfermagem é hoje uma necessidade incorporada à gestão destas áreas a fim de assegurar a assistência livre de riscos ao paciente, família e comunidade. A sistematização da assistência permite a transferência das informações de forma completa e segura para o paciente, garantindo a continuidade terapêutica. Na enfermagem, onde o cuidado é a essência da profissão, a concentração de esforços em direção aos objetivos propostos leva à melhoria contínua desta assistência. Isso implica na conscientização de toda a equipe quanto à sua importância e ao valor de suas ações. Dessa forma, comprometimento, cooperação, dedicação e aprimoramento têm como finalidade obter os maiores benefícios, juntamente com menores riscos. Para que se possa desenvolver uma cultura de avaliação da qualidade prestada, é necessário atuar com base em parâmetros alcançáveis e adequados a cada realidade e a mensuração destes parâmetros pode se dar na forma de indicadores. Os indicadores devem ser utilizados como instrumento para os profissionais de enfermagem, visando a melhoria da assistência prestada e, ao mesmo tempo, funciona como uma das formas de compreender a qualidade desse cuidado. Para garantir um alto nível de qualidade, os Hospitais VITA têm investido em ampliação da infraestrutura, tratamento com equipes multidisciplinares, modernização dos equipamentos, humanização no atendimento, qualificação dos profissionais e segurança assistencial, o que possibilita oferecer maior qualidade nos serviços prestados aos pacientes. O processo de enfermagem e o gerenciamento de riscos têm seu início a partir da entrada do paciente na Instituição. Gerenciamos os seguintes riscos: úlcera por pressão, queda, flebite, sangramento, broncoaspiração e medicamentoso. Estes riscos são avaliados diariamente para todos os pacientes internados, possibilitando uma sistematização mais completa que contribui para a qualidade e segurança assistencial. A Educação Permanente na enfermagem procura promover o desenvolvimento integral da pessoa, levantando problemas e situações do trabalho como instrumentos que visam proporcionar aprendizagem. O enfermeiro desempenha as funções de planejar, dar suporte e executar os treinamentos técnicos levados aos diversos colaboradores da área, visando a padronização e a melhoria da assistência de enfermagem, além de auxiliar no desenvolvimento das melhores práticas assistenciais. Todas as ações realizadas pelo enfermeiro, desde a entrada até a saída do paciente no Hospital, fazem parte de uma sistematização da assistência de enfermagem, para proporcionar um atendimento com qualidade e segurança. Elas estão implantadas de forma a otimizar o trabalho diário do profissional enfermeiro, com o objetivo final de oferecer uma melhor assistência ao paciente e garantindo segurança ao profissional que a executa. Claudimeri Dadas é Gerente de Enfermagem dos Hospitais VITA Curitiba e VITA Batel

5 Pais e filhos devem perder peso juntos Se o filho está gordinho é altamente provável que os pais também estejam acima do peso, por isso é importante que a família inteira participe do esforço para entrar na linha O problema são os hábitos, que a família inteira precisa corrigir Atividade para você e suas crianças Fazer atividades junto com seu filho pode ser ótimo para ele e para você também. Pais e mães que acompanham os filhos em atividades ao ar livre e no esporte também desfrutam, juntamente com eles, dos benefícios da atividade física, e inclusive prevenir ou combater o excesso de peso. Existem muitas coisas que podem ser feitas por pais e filhos junto: andar de bicicleta, passear a pé, jogar futebol, vôlei, basquete, brincar em parques e praças. Dados da OMS apontam que a prática da atividade física regular reduz o risco de mortes prematuras, acidente vascular cerebral, doenças do coração, câncer de cólon e mama, diabetes tipo 2, e outros. Além disso, crianças sedentárias tendem a se tornar adultos sedentários; por isso é tão importante incentivar as crianças, desde cedo, à atividade física. Saúde 9 A obesidade acarreta muitas enfermidades, e os pediatras têm visto crianças com problemas de saúde de adultos devido ao excesso de peso. Uma série de fatores levou ao fenômeno do ganho de peso, em todas as faixas de idade, no mundo inteiro. Assim, crianças gordinhas são hoje quase a regra, e não a exceção; além disso, é bem provável que os pais estejam acima do peso também. Os médicos são bastante claros nisto: dificilmente uma criança engorda sozinha, isto é, se o ambiente familiar em que vive não lhe proporcionar as condições para que esse ganho de peso aconteça. A família toda Assim como não engordou sozinha, a criança também dificilmente emagrecerá sem a participação de toda a família. O passo mais importante, e também o mais difícil, é conseguir envolver a família inteira, diz Patrícia Lima, endocrinologista pediátrica do Hospital VITA Volta Redonda. Ela costuma receber pai, mãe e filhos, junto, no consultório: Faço até os pais subirem na balança na frente da criança, para que ela perceba que não está sozinha na questão do excesso de peso, conta Patrícia. Para Patrícia, os pais devem deixar de achar que o problema é a criança: O problema são os hábitos, que a família inteira precisa corrigir, explica. Felizmente, é muito mais fácil para uma criança perder peso do que para um adulto, e existem muitas coisas que podem ser feitas a respeito, desde mudança nos hábitos alimentares até aumentar a atividade física para todos. Um quadro de peso Nas duas últimas décadas, a obesidade entre crianças de 5 a 9 anos saltou de 4,1% para 16,6% entre os meninos e de 2,4% para 11,8% entre as meninas. É um quadro grave, que sugere um problema de saúde pública - em 2012, o Ministério da Saúde criou uma campanha contra a obesidade voltada para a população jovem. A endocrinologista Danielle Zaninelli, do Hospital VITA Curitiba, é testemunha do aumento da obesidade entre as crianças, e lamenta que os pais demorem muito para perceberem que se trata de um problema: Quando os pais procuram ajuda, é que a criança já chegou ao grau de obesidade, diz Danielle. Além das diversas enfermidades que o excesso de peso provoca (veja box), também pode causar problemas de autoestima e aprendizado à criança. Negação e sedentarismo Existem duas dificuldades muito importantes quando se trata de obesidade infantil: a primeira é a dificuldade dos pais em reconhecerem que o filho está acima do peso ideal, e a segunda é o crescente sedentarismo das crianças, devido principalmente ao uso excessivo de computadores e videogames. Os pediatras recomendam que uma criança de até 3 anos fique no máximo uma hora por dia na frente de uma tela, e as demais, até os 14 anos, no máximo duas horas por dia - esse limite serve para os adultos também. O maior desafio? Sua própria agenda e a dos seus filhos. São muitos compromissos? Então avalie as suas prioridades. Deve haver alguma coisa que vocês possam mudar e abrir espaço para a atividade física junto. Sem falar no prazer que é estar com seus filhos e poder vê-los crescendo e se desenvolvendo. O vilão é o sedentarismo Uma pesquisa publicada este ano mostra que foi o estilo de vida sedentário, e não uma mudança no consumo de calorias, o responsável pelo aumento da obesidade nos EUA. O estudo da Universidade de Stanford mostra que nos últimos 20 anos ocorre um forte declínio no exercício físico acompanhado de aumento no Índice de Massa Corporal (IMC) médio, mas o consumo de calorias permaneceu estável. Os pesquisadores supõem que uma queda nas atividades físicas a que a população se dedica no tempo livre, principalmente para mulheres jovens, possa ser o principal responsável pelo aumento dos níveis de obesidade. Porcentagem de americanos que relatam não praticar atividade física durante o tempo de lazer Homens Mulheres ,4% 19,1% ,5% 51,7% Fonte: American Journal of Medicine Os Riscos A obesidade eleva as chances da ocorrência de diversas doenças. Em geral é um processo que demora muito tempo para acontecer, mas quanto mais cedo a pessoa se torna obesa, mais cedo as consequências podem surgir. Entre as enfermidades (não todas) que podem ser desencadeadas pelo excesso de peso estão: Infarto AVC Hipertensão Trombose Dor e desgaste articular Apneia Esteatose hepática Diabetes tipo 2

6 Questões nasais Mitos sobre antibióticos Saúde 10 Os homens preocupam-se mais com seus narizes do que você pode, ingenuamente, supor: cirurgia plástica de nariz é a segunda mais procurada, logo depois da lipoaspiração São os narizes o segundo principal motivo que leva homens a consultórios de cirurgiões plásticos. Seja um nariz pequeno demais, grande demais, torto ou comprido, esses pacientes pedem modificações de um traço que define toda a feição. Segundo Mirella Oliveira, cirurgiã plástica do Hospital VITA Volta Redonda, a cada ano aumenta a procura por essa cirurgia. Um nariz masculino é bem diferente de um feminino: em geral homens preferem narizes com dorso retilíneo e com um ângulo nasal mais fechado. No procedimento pode-se reduzir ou aumentar o tamanho do nariz, alterar a forma da ponta e do dorso, diminuir o tamanho das narinas, refinar a ponta e alterar o ângulo entre o nariz e o lábio superior. Também existem cirurgias de nariz para corrigir problemas respiratórios (veja box). Não existe um modelo padrão de nariz, a cirurgia deve ser individualizada para cada pessoa, é importante não mudar completamente a aparência do paciente, diz Mirella. Ela busca um resultado que atenda o pedido do paciente e que seja harmônico com seus traços. Também é essencial que o resultado seja funcional, que não interfira na respiração. Uma rinoplastia dura em média de duas a três horas, e o paciente pode ter alta até no mesmo dia do procedimento. Ele em geral passa uma semana com curativo e pontos, que depois desse período são retirados. Com dois a três meses o inchaço diminui e já se pode ter ideia do resultado; mas a aparência definitiva, mesmo, só se alcança depois de um ano da cirurgia. Problemas respiratórios Além de todo o destaque que tem no rosto, o nariz é uma peça do sistema respiratório, que serve para filtrar, aquecer e umidificar o ar que inalamos. As enfermidades mais frequentes que podem ser corrigidos com uma cirurgia de nariz são as seguintes: Desvio de septo: O septo nasal é como uma parede de cartilagem que separa as narinas; quando essa estrutura está deformada (o que é bastante comum), pode causar dificuldades para respirar. Um medicamento eficaz e precioso, o antibiótico é indicado para muitas doenças, mas não deve ser usado sem indicação médica; em geral as pessoas o tomam por conta própria e de maneira errada Se curou aquilo, deve curar isto também : essa é a lógica que faz com que muita gente se automedique com antibióticos. Fazer isso é quase certamente inútil, aumenta o risco para o paciente e ainda contribui para que esses medicamentos tenham, cada vez mais, sua eficácia comprometida. Por isso, nunca se deve tomar antibióticos sem prescrição médica, mesmo porque são medicamentos de uso controlado, que só se pode comprar com receita. Entrevistamos a médica epidemiologista Marta Fragoso, Gerente de Segurança Assistencial nos Hospitais VITA Curitiba e VITA Batel, para explicar os mitos e verdades sobre os antibióticos. A cura que veio do mofo Antibióticos são substâncias utilizadas no tratamento de infecções bacterianas. Eles agem interferindo na capacidade de desenvolvimento das bactérias, seja atacando-as diretamente ou impedindo que se multipliquem. São utilizados em infecções graves, como a meningite, e também leves, como amigdalites, furúnculos e espinhas. O primeiro antibiótico, a penicilina, foi descoberto em 1928, pelo cientista britânico Alexander Fleming. Ele percebeu que uma cultura de bactérias havia morrido na presença do mofo Penicillium notatum (foto), semelhante ao bolor de pão, e investigou porque isso acontec Antibiótico cura gripe? Não, porque a gripe é causada por um vírus. Entretanto, podem surgir outros quadros bacterianos (p. ex. pneumonia, otite e sinusite) juntamente com a gripe que, esses sim, podem ser tratados com antibióticos. Posso parar de tomar o antibiótico quando os sintomas desaparecem? De forma alguma, porque existe um tempo certo de tratamento. Se for interrompido, a doença pode retornar e ainda mais forte. Siga a indicação do médico e continue tomando o medicamento durante o tempo prescrito. Existem tratamentos com antibiótico que demoram meses Os antibióticos estragam os dentes? As tetraciclinas, um tipo de antibiótico, podem causar manchas nos dentes de crianças e adolescente, mas não os estragam. Se usadas por gestantes, podem manchar os dentes da criança. Só o médico pode avaliar a necessidade desse tipo de medicamento. Quem está tomando antibióticos pode consumir bebida alcoólica? Não deve. O álcool é um diurético, ou seja, ele estimula a pessoa a urinar mais, o que faz com que o medicamento seja eliminado. Além disso, misturado com álcool, o antibiótico pode se tornar mais tóxico para o fígado. Posso guardar o antibiótico para o caso de ficar doente de novo? Antibióticos têm tempo de validade, então não devem ser guardados. Além disso, dificilmente você terá uma enfermidade igual à que já teve. O ideal é, caso sobrem comprimidos depois do tratamento completo (veja nota acima), devolver na farmácia - algumas recebem medicamentos vencidos ou sem uso. Saúde 11 Segundo Mirella, em média os homens ficam tão satisfeitos com os resultados de uma rinoplastia quanto as mulheres. Ela adverte que para obter bons resultados, a cirurgia deve ser realizada por um cirurgião plástico especializado, com título de especialista e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Cornetos aumentados: Os cornetos são estruturas internas que modificam a aerodinâmica do nariz, para que o ar tenha mais contato com as mucosas; o aumento exagerado dos cornetos causa obstrução nasal. Colapso das válvulas nasais: A válvula nasal é a passagem mais estreita do nariz, e oferece resistência à passagem do ar. Devido à falta de sustentação das estruturas do nariz, as válvulas internas podem se fechar quando a pessoa inspira.

7 Mesmo confrontadas a um alto risco e à perspectiva de ter problemas cardíacos, a reação dos pacientes varia. Todos nós temos um estilo de vida, adquirido ao longo de déca- Risco cardíaco é maior do que se imagina Saúde 13 A chance de sofrer problemas cardiovasculares costuma ser muito mais elevada do que as pessoas imaginam; mesmo confrontadas com o risco, elas resistem a adotar hábitos saudáveis A maioria de nós costuma ser muito otimista em relação a nosso próprio risco cardíaco, ou seja, a chance de que venhamos a sofrer um evento cardiovascular, como um infarto ou acidente vascular cerebral. É natural e humano não querer se preocupar com essas coisas, mas o melhor a fazer, principalmente se você já passou dos 40 anos, é consultar um cardiologista para saber sua situação real, e o que você pode fazer a respeito. Segundo Thiago Matsuda, cardiologista do Hospital VITA Volta Redonda, existem tabelas para avaliar o risco cardíaco do paciente, que levam em consideração os fatores mais importantes para que a pessoa apresente problemas cardiovasculares (veja box). Quanto maior o número de fatores em que a pessoa se encaixa, maior o seu risco, diz Matsuda. Ele lembra que ainda assim é impossível prever quem vai ter ou não um infarto, mas que podemos buscar diminuir a chance de que aconteça conosco. Mudança de hábitos Faz parte da rotina de trabalho dos cardiologistas identificar riscos cardíacos nos pacientes e sugerir mudanças, principalmente na alimentação e atividade física, para reduzi-los. Essa é a parte difícil, diz José Eduardo Marquesini, cardiologista do Hospital VITA Batel e do Hospital do Coração; fazer com que as pessoas adotem hábitos saudáveis. Segundo ele, alguns poucos pacientes assimilam bem as recomendações, mas a maioria resiste. das, e é muito complicado pedir para modificar isso, diz Marquesini. Ele afirma que às vezes nem mesmo um infarto é suficiente para que a pessoa mude: Vejo infartados, que sofreram cirurgia cardíaca e continuam fumando. Também é comum que a pessoa mude os hábitos logo depois de um trauma, como um infarto, mas depois do susto começa a retornar lentamente aos antigos hábitos. Para alcançar uma mudança real, que diminua o risco cardíaco, Marquesini busca explicar aos pacientes os mecanismos de como as mudanças podem trazer benefícios, e também sugere apoio psicológico, por exemplo, para ajudar a abandonar o tabagismo. 30 minutos por dia Uma das formas mais eficientes e fáceis de seguir para reduzir o risco cardíaco é sair do sedentarismo absoluto, explica Matsuda, e para isso basta caminhar 30 minutos por dia, cinco vezes por semana. É o mínimo recomendado de atividade física, mas já ajuda muito, afirma. Ele também alerta que o fator de risco mais importante é a idade, portanto quanto mais idosa a pessoa, maior deve ser seu cuidado com a saúde. Os médicos admitem que esses pedidos de mudança na alimentação e nos hábitos são complicados, principalmente porque se pede um grande esforço e a recompensa é... não ter nada, ou seja, não desenvolver uma doença em potencial. Mas adotar hábitos saudáveis vale a pena, eles vêm acompanhados do bem estar que a atividade física e a redução de peso trazem, além de preparar a pessoa para aproveitar a terceira idade com mais saúde e independência. Principais fatores de risco Veja nesta tabela os principais fatores que podem elevar o seu risco cardíaco; alguns deles podem ser controlados, como sedentarismo e tabagismo, enquanto outros não, como a idade e o sexo. Idade (quanto mais idoso, maior o risco) Sedentarismo Obesidade Gênero (homens correm maior risco que mulheres) Hipertensão Diabetes Fatores hereditários Má alimentação Estresse Níveis de colesterol (avaliados pelo cardiologista) Estudo mostra que pessoas subestimam seu risco cardíaco Uma pesquisa realizada com pacientes da unidade de check-up do Hospital Albert Einstein, em São Paulo, mostrou que 91% dos pacientes que estavam em uma condição de alto risco cardíaco no momento da avaliação subestimavam essa situação. O estudo, coordenado pelo cardiologista Marcelo Katz e publicado no European Journal of Preventive Cardiology, buscou quantificar a percepção que as pessoas tinham de seu próprio risco cardíaco e comparar com o risco real de sofrer eventos cardiovasculares no futuro. Os participantes foram avaliados e classificados de acordo com padrões estabelecidos em três níveis: baixo, médio e alto risco. 72% das pessoas na faixa média também subestimaram sua condição. fonte: Folha de S. Paulo, 29/9/2014

8 Dedos da mão engatilhados Ebola, uma ameaça ainda distante Saúde 14 Dedo em gatilho é uma enfermidade comum que começa com estalidos nos dedos, depois evolui para uma dificuldade em esticá-los Dedo em gatilho é quando sentimos um ou mais dedos da mão travarem. É um problema comum, que costuma começar com uma crepitação, uns estalidos no dedo, principalmente no anelar, médio e polegar. Depois começa a ficar mais difícil esticar o dedo e finalmente, em casos mais avançados, a pessoa pode precisar usar a outra mão para esticar o dedo afetado. Devido à posição dobrada, o problema ganhou o nome de dedo em gatilho. O ortopedista Carlos Alberto Bidutte Cortez, do Hospital VITA Curitiba, explica que se trata de um problema causado pela inflamação do tendão flexor do dedo, que passa por um túnel nos ossos da mão. Quando o tendão inflama, ele incha e não passa mais pelo orifício, ou passa com dificuldade. No início, a pessoa sente como se seu dedo fizesse um cloc, diz Cortez. As principais queixas são a dor e a dificuldade para pegar objetos, diz o ortopedista Affonso Luiz Fonseca, do Hospital VITA Volta Redonda e da Ortosider. Segundo ele, o problema afeta principalmente pessoas que fazem movimentos repetitivos de apreensão. Antigamente acontecia muito às costureiras, devido ao movimento que faziam com a tesoura; hoje é comum nos trabalhadores de construção civil, que usam o alicate para fazer amarração de estruturas, explica. Embora as causas mais comuns sejam essas, nem sempre se pode determinar um culpado para o surgimento do problema, que é bastante frequente: na semana em que foi entrevistado, Fonseca havia atendido três casos. A maioria dos casos pode ser tratada com fisioterapia e medicação. Para os mais graves, pode-se fazer uma cirurgia que aumenta o diâmetro do túnel no osso e elimina o problema. Uma forma de tentar prevenir o dedo em gatilho é evitar o movimento que causou o problema e fazer alongamentos nas mãos: estender e contrair completamente os dedos. Fonseca acrescenta que digitação não provoca esse tipo de problema. Pelo menos por enquanto, a possibilidade de que a epidemia de Ebola chegue ao Brasil é muito remota, devido ao controle de fronteiras nos países afetados As notícias sobre a epidemia de Ebola em três países da África deixaram os brasileiros preocupados nos últimos meses: e se a doença chegar por aqui? O Ebola é causado por vírus e tem alta letalidade: cerca de 70% das pessoas infectadas morrem. Felizmente, as chances de que a doença chegue ao Brasil são pequenas e as autoridades sanitárias estão atentas a qualquer caso suspeito. Segundo Maria Cristina Pereira dos Santos, médica infectologista do Hospital VITA Volta Redonda, o vírus do Ebola não é transmitido pelo ar, mas por qualquer tipo de secreção corporal, como saliva, urina, fezes, sangue e suor. Por isso os profissionais de saúde usam roupa de envelopamento total, que os protege, por exemplo, no caso de o paciente tossir. O vírus continua ativo nas secreções por até dois meses. Apesar do quadro assustador, Maria Cristina tranquiliza os preocupados: É muito difícil que a doença chegue ao Brasil, porque existe um controle rígido para saída dos países onde ela está ocorrendo. Ela também destaca que a epidemia não atinge a África toda, apenas três países (veja box). A Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), ligada ao Ministério da Saúde, alertou o País todo sobre a doença, e qualquer caso suspeito deve ser comunicado para a Fundação, que está preparada para diagnosticar e tratar a doença, bem como tomar medidas de isolamento necessárias. Pessoas que tiveram contato com doentes devem ficar em quarentena por 21 dias. A Epidemia No início de novembro, a Organização Mundial de Saúde (OMS) divulgou um total de casos, com mortes. A atual epidemia começou no final de 2013 na Guiné (1.760 casos), e atingiu também a Libéria (6.619) e Serra Leoa (4.862), todos países do oeste africano. A Nigéria teve 20 casos e o Senegal, um - estes dois países foram retirados da lista de países afetados, o que ocorre após 42 dias sem novos casos. Os demais casos foram registrados fora da África (4 nos EUA e 1 na Espanha). Saúde 15 A Doença O vírus Ebola é encontrado em morcegos frutívoros na África, mas possivelmente também em gorilas, antílopes e porcos; supõe-se que a contaminação, inicialmente, tenha ocorrido pelo contato de pessoas com fluidos desses animais. Nos seres humanos, o período de incubação é de 2 a 21 dias. Inicialmente o doente sofre dores de cabeça muito fortes, fraqueza muscular e calafrios; depois náuseas, vômito e diarreia, entre outros sintomas; nos casos de óbito, este ocorre por hemorragia interna, entre 6 e 16 dias após os primeiros sintomas.

9 Gastrite Gastrite tem como definição a inflamação da mucosa do estômago, que pode ser aguda ou crônica. Myrna Mascarenhas As gastrites agudas, quaisquer que sejam suas causas, são de aparecimento súbito, têm curta duração e desaparecem na maioria das vezes sem deixar sequelas. Suas principais causas são estresse, ingestão de álcool, medicamentos (principalmente os anti-inflamatórios) e, menos comumente, agentes infecciosos. Na gastrite crônica os sintomas são mais prolongados e as causas principais são a infecção pela bactéria Helicobacter pylori, gastrites autoimunes, entre outras. Os principais sintomas são dor na região superior do abdome, náuseas e sensação de peso após se alimentar. Artigo Médico-Hospitalar 17 O diagnóstico, no caso das gastrites agudas, pode ser clínico ou endoscópico e, nas gastrites crônicas, endoscópico com biópsia da mucosa gástrica. O tratamento dever ser, em primeiro lugar, tentar eliminar os fatores causais, como os medicamentos, álcool e erradicação de agentes infecciosos. Em segundo lugar, uma dieta equilibrada, sempre orientada por médico ou nutricionista. Os medicamentos mais comuns para o seu tratamento são os inibidores de bomba de prótons, sendo os mais conhecidos Omeprazol, Lanzoprazol, Pantoprazol e Esomeprazol, responsáveis pela redução da acidez gástrica e controle de todos os sintomas, principalmente da dor. Outros medicamentos são os denominados procinéticos: Bromoprida, Domperidona e Metoclopramida, que atuam na melhora das náuseas e da sensação de peso no estômago. Myrna Mascarenhas é médica gastroenterologista do Hospital VITA Volta Redonda A bactéria da úlcera Os cientistas australianos Barry Marshall (esq.) e Robin Warren receberam o Prêmio Nobel de Medicina de 2005 pela descoberta de que gastrites e úlceras de estômago podem ser causadas por uma infecção bacteriana. Eles demonstraram que a bactéria Helicobacter pylori tem um importante papel no desenvolvimento de enfermidades de estômago e intestino. Graças às suas descobertas, o tratamento dessas infecções mudou radicalmente - até então o tratamento mais comum era o cirúrgico, e a doença era atribuída ao estresse e estilo de vida dos pacientes. A bactéria H. pylori é encontrada em cerca de metade da população. A contaminação costuma acontecer na infância, mas a maior parte das pessoas convive com a bactéria sem apresentar sintomas. Cerca de 10% a 15% das pessoas infectadas desenvolvem úlceras. Para vencer a resistência da comunidade médica a aceitar que uma bactéria poderia habitar o ambiente ácido do estômago e provocar enfermidades, Marshall tomou ele mesmo água contaminada com H. pylori - alguns dias depois, fez uma endoscopia que mostrou alterações gástricas. O trabalho de Warren e Marshall desafiou dogmas e provocou uma das mais importantes mudanças na Medicina ocorridas no século XX. Hoje a maioria das úlceras e gastrites pode ser tratada de forma medicamentosa. Helicobacter pylori Research laboratory

10 Quem procura acha; quem acha cura O médico Fernando Cotait Maluf, Diretor do Centro Oncológico Antônio Ermírio de Moraes, em São Paulo, é um dos oncologistas mais prestigiados do País. Nesta entrevista, ele fala sobre diagnóstico precoce e rastreamento, ou seja, a busca de tumores antes mesmo que apareça qualquer sintoma - o que é recomendado para pessoas que têm alto risco de desenvolver a doença. Maluf esteve presente à inauguração do Serviço de Oncologia do Hospital VITA Curitiba, em 28 de outubro. Na ocasião, autografou o livro Vencer o Câncer (veja box). No dia 24 de novembro ele participou do Jô na Rede Globo, falando sobre câncer de próstata (disponível no endereço VITAL - Você pode explicar por que devemos procurar um câncer que não se manifestou ainda? Diz o ditado, não se conserta o que não está quebrado. No caso do câncer, isso é verdade também? Até que ponto é razoável sugerir buscar algo que não deu o menor sinal de existência? Fernando Cotait Maluf - Isso é parcialmente verdade. Uma regra geral para todos os tumores do nosso corpo é que quanto mais precoce se faz o diagnóstico, maiores as chances de cura às custas de tratamentos menos complexos. Um ditado comum da população, refletindo o medo de se fazer o rastreamento, é de quem procura, acha. Eu completo esta frase dizendo quem acha, cura. Como exemplo, as taxas de cura de tumores de cabeça e pescoço, de mama, de pulmão, do aparelho digestivo, e do aparelho genitourinário quando diagnosticados precocemente, em geral através do rastreamento, podem chegar a até 95%. VITAL - Os casos de rastreamento (buscar algo que não deu sinal) de câncer mais conhecidos pela população são os de mama, colo uterino e próstata. Encontramos no seu site Vencer o câncer outras recomendações. Já existe uma cultura de rastreamento? Muita gente poderia ser salva se tivesse feito rastreamento? FCM - O rastreamento é estabelecido para alguns tumores cujos estudos demonstraram que, nesses casos, com exames regulares poder-se-iam diagnosticar precocemente tumores e salvar mais vidas. Para as mulheres, os tumores no qual o rastreamento mostrou benefício foram os de mama, colo de útero, cólon e de pulmão (caso tabagista de longa data). Segue abaixo a idade de início do rastreamento para cada um dos tumores a serem investigados e os respectivos exames a serem solicitados. Mama: avaliação anual a partir dos anos exame físico e mamografia/usg Colo de Útero: avaliação anual a partir dos 18 anos exame físico e papanicolau Cólon: avaliação a cada 3-5 anos partir dos 50 anos exame físico e colonoscopia Pulmão: avaliação a partir dos 60 anos exame físico e tomografia de tórax Para os homens, os tumores no qual o rastreamento mostrou benefício foram os de próstata, cólon e de pulmão (caso tabagista de longa data). Segue abaixo a idade de início do rastreamento para cada um dos tumores a serem investigados e os respectivos exames a serem solicitados. Próstata: avaliação a partir dos 50 anos toque retal e PSA Cólon: avaliação a cada 3-5 anos partir dos 50 anos exame físico e colonoscopia Pulmão: avaliação a partir dos 60 anos exame físico e tomografia de tórax VITAL - Em termos de saúde populacional, é razoável sugerir isso? O governo economizaria recursos oferecendo mais diagnóstico precoce? FCM - Estima-se que a redução da mortalidade dentre estes tumores poderia ser da ordem de pelo menos 50%. Baseados nestes números, vários países da Europa e os Estados Unidos adotaram o rastreamento destes tumores como parte dos programas populacionais de saúde por salvar mais vidas, à custa de menos gastos. VITAL - É comum ouvir as pessoas dizerem coisas como: Meu avô morreu com 120 anos de idade e fumava todos os dias. Como você responde a esse tipo de argumento? FCM - Fatores de risco ambientais são responsáveis por aproximadamente 90% dos tumores e alterações genéticas graves somente por 10%. No entanto, a presença de fatores de risco aumentam as chances de se desenvolver um tumor, e ausência deles conferem chances menores de isso ocorrer. Porém, não existe uma garantia absoluta de que pessoas que tenham fatores de risco vão desenvolver o câncer, e que aquelas que não tenham fatores de risco estejam 100% seguras. Isso se explica em parte porque, além do fator de agressor, no caso o fator de risco, existe uma resposta diferente de organismo para organismo às injúrias causadas por ele. Como exemplo, sempre cito tabagismo, um dos maiores males da humanidade. Alguns fumantes de longa data podem desenvolver um câncer de pulmão, outros enfisema pulmonar, outros infarto agudo do miocárdio, outros AVC. Ou seja, o mesmo fator agressor, porém respostas diferentes dos organismos das pessoas a esta injúria, manifestando-se pelo aparecimento de doenças diferentes. VITAL - Vemos muitas pessoas dizendo que o câncer está aumentando. Isso não seria apenas uma ilusão provocada pelo aumento dos diagnósticos e da longevidade? FCM - O câncer vem aumentando ao redor do mundo por várias causas incluindo maior longevidade da população, maior crescimento populacional, diagnósticos mais precisos, e mudanças no estilo de vida do homem moderno. Os dados mais atuais mostram que: O câncer teve um aumento de sua incidência em 20% nos últimos 5 anos Em 2020 o câncer será a maior causa de morte de mundo (ultrapassando doenças cardiovasculares) novos casos são diagnosticados por ano ao redor do mundo pessoas convivendo com o câncer ao redor do mundo Um dos principais motivos deste aumento significativo dos casos mundiais de câncer deve-se aos fatores ambientais, que em grande parte, poderiam ser controlados por nós mesmos em benefício próprio. VITAL - Quais são os principais fatores de risco e como podemos controlá-los a nosso favor? FCM Dieta: cuidado com carnes vermelhas, gordura, açúcar, condimentos e implementar dieta com carnes magras (particularmente peixe), verduras, legumes e frutas Falta de Exercícios Físicos: fazê-los de forma regular Obesidade: combate agressivo ao sobrepeso (dieta, exercício físico) Tabagismo: combate agressivo (medicações específicas, acompanhamento psiquiátrico) Álcool: consumo leve (vinho) Exposição ao sol: uso de protetor solar em particular quando pele mais clara e em horários de pico (entre 10hs e 16hs) O câncer vem aumentando ao redor do mundo por várias causas incluindo maior longevidade da população, maior crescimento populacional, diagnósticos mais precisos, e mudanças no estilo de vida do homem moderno Reposição hormonal: uso cauteloso em mulheres com fatores de risco para câncer de mama e ginecológicos Falta de vacinação: vacinação para hepatite B (homens e mulheres) e HPV (mulheres) VITAL - Que diferença faz a experiência acumulada de um centro no tratamento de câncer? O tratamento de câncer tende a se concentrar em centros especializados? FCM - Como regra geral o melhor momento para curar um câncer é o primeiro momento. Neste sentido, vários estudos sugerem que, para diferentes tipos de tumores, o tratamento em um centro especializado pode oferecer chances de cura de até 30% a mais em relação a hospitais gerais. O mesmo vale para as menores taxas de complicações decorrentes dos tratamentos cirúrgicos, radioterápicos e medicamentosos. Por outro lado, procurar um grande centro após a falha aos primeiros tratamentos ainda é válido. No entanto devemos estar cientes de que o impacto em termos de cura oferecido por um centro especializado é bem menor quando ocorre a recidiva de um tumor, quando comparado ao potencial benefício que poder-se-ia observar se o tratamento desde o início fosse realizado em um grande centro oncológico. Ping-Pong 19

11 Sob o signo de câncer Capa Segunda doença que mais mata no mundo, em breve o câncer deverá se tornar a primeira; informações de fontes seguras, mudanças no modo de vida e exames preventivos aumentam nossas chances de nos protegermos contra ela 21

12 Capa Vários indicadores têm apontado que a incidência de diversos tipos de câncer vem aumentando no mundo todo. A Organização Mundial de Saúde (OMS) divulgou no início de 2014 uma pesquisa em que prevê que os casos de câncer devem aumentar em aproximadamente 50% até 2030, isto é, para 22 milhões de casos diagnosticados, em comparação com os 14 milhões de E a quem ou a que se deve esse aumento? Em primeiro lugar, o aumento da expectativa de vida das pessoas: quanto mais vivemos, maior a chan ce de que venhamos a desenvolver um tumor. Outros fatores são hábitos de alimentação pouco saudáveis: tabagismo, sedentarismo, obesidade (sim, o excesso de peso também é um fator de risco para câncer) entre outras coisas. Esses fatores, separados ou reunidos, podem ser o gatilho que desencadeia um crescimento desordenado de células, que é o câncer (veja box). Mas tem uma porção de coisas que podemos fazer para tentar diminuir essas estatísticas, que se resumiriam em duas dicas: adote hábitos saudáveis e faça exames preventivos Enfim, o que é o câncer? O câncer pode ser definido como uma proliferação anormal e descontrolada de células oriundas de uma célula previamente normal, que sofreu uma ou mais mutações, e que tem a capacidade de se espalhar pelo organismo. Quando a mutação ocorre em geral ou ela é reparada ou a célula morre. Entretanto, a célula que se torna maligna não morre. Na maioria das vezes, acumula várias mutações que resultam em proliferação descontrolada e capacidade de se espalhar pelo corpo. Fonte: site Vencer o Câncer (www.vencerocancer.com.br) Incidência de câncer por gênero Pesquisa da OMS divulgada em 2014 aponta as diferenças de incidência dos diferentes tipos de câncer segundo o sexo do paciente. Homens Mulheres casos diagnosticados 53% 47% mortes 57% 43% Tipos de câncer mais comuns em homens Pulmões 16,7% Próstata 15% Colorretal 10% Estômago 8,5% Fígado 7,5% Tipos de câncer mais comuns em mulheres Mama 25,2% Colorretal 9,2% Pulmões 8,7% Útero 7,9% Estômago 4,8% regularmente. Pronto. Com isso você já estará fazendo a sua parte. Além disso, os diagnósticos evoluíram, os tratamentos também, e a reabilitação das pessoas que curaram ou controlaram tumores é cada vez melhor. Prevenção As mulheres ganham de goleada dos homens no quesito amor-próprio, porque elas se preocupam muito mais que eles com a própria saúde, e agem de acordo: vão periodicamente ao médico, fazem exames preventivos e com isso acabam detectando mais cedo qualquer sinal de um tumor. O resultado é que a expectativa de vida da mulher sempre foi e continua sendo mais elevada, 78,6 anos; para os homens é de 71,3 (IBGE 2014). Veja nesta matéria uma tabela que recomenda com que frequência e a partir de que idade devemos fazer exames preventivos. O oncologista Evanius Wiermann, do Hospital VITA Curitiba e Presidente Nacional da Sociedade Brasileira de Oncologia, lamenta que o diagnóstico do câncer de próstata no Brasil (cerca de caso por ano) aconteça tão tardiamente. Segundo ele, a chance de cura do câncer de próstata nos EUA é o dobro da que ocorre no Brasil. A doença é a mesma, a diferença é que os brasileiros não fazem exames preventivos e por isso chegam ao tratamento com a doença já avançada, diz Wiermann. É o segundo tipo de câncer mais perigoso para o homem, depois do câncer de pulmão. Ele alerta que, para a prevenção do câncer de próstata, os exames de toque e PSA são complementares, embora o de toque seja o mais importante. Caso os resultados indiquem uma suspeita de tumor, o médico pode solicitar uma biópsia para fazer um diagnóstico definitivo. Wiermann explica que nos últimos anos os tratamentos cirúrgicos e por radioterapia do câncer de próstata evoluíram muito e se tornaram bem mais seguros, com menos efeitos colaterais adversos. Diagnóstico Uma das maiores dificuldades no tratamento do câncer é que cada caso é diferente do outro: por ter origem em alterações do DNA, os tumores de dois pacientes nunca serão idênticos, mesmo que ocorram no mesmo órgão, em pessoas do mesmo sexo e idade. O câncer tem uma biologia muito diferenciada, diz Wiermann; é uma proliferação atípica de células, e com comportamentos diferentes em cada caso. Felizmente, o aumento do conhecimento biológico disponível no mundo, que inclui um Projeto Atlas Genômico do Câncer (TCGA), permite classificar tumores segundo seu material genético, o que possibilita tratamentos mais específicos e menos agressivos. É esse o momento da terapia do câncer hoje, diz Wiermann: buscar diagnósticos precisos que nos permitam escolher a melhor resposta terapêutica para cada pessoa. A doença varia conforme localização, célula de origem e alterações genômicas que promovem a oncogênese alterações cromossômicas, celulares e ou genéticas que culminam no desenvolvimento de um câncer Para uma doença que se apresenta de tantas formas, o diagnóstico também acontece utilizando variadas ferramentas. Exames preventivos são feitos de forma pouco invasiva, por inspeção visual, palpação, raios-x (inclusive mamografia), ecografias e testes laboratoriais. Quando esses exames indicam a suspeita de existência de um tumor, então se podem usar outras versões dessas mesmas ferramentas, e também Livros que trazem informações confiáveis O oncologista Fernando Cotait Maluf (veja entrevista nesta edição) lançou neste ano dois livros de informação sobre o câncer voltados para a população em geral: o primeiro, Vencer o Câncer, foi escrito em parceria com os também oncologistas Antonio Carlos Buzaid e Drauzio Varella. Lançado em maio, tem o objetivo de orientar e levar à população brasileira informação de qualidade sobre o câncer, fatores de risco para o seu desenvolvimento, prevenção, diagnóstico, tratamento, além de outros assuntos relacionado à doença, como medicina integrativa, dieta, direitos do paciente com câncer e atitudes que podem ajudar na recuperação do paciente. Para consultar parte do conteúdo do livro e notícias sobre o assunto, acesse o site oficial: O segundo livro é mais específico: Vencer o Câncer de Próstata Evitar, Tratar, Curar. Com linguagem dinâmica e clara, o livro descreve as características da doença, que é o segundo tumor mais frequente no Brasil entre os homens, as formas de tratamento, diagnóstico e esclarece dúvidas no formato de perguntas e respostas. Foi lançado em novembro, para coincidir com o Novembro Azul. Para Maluf, lançar livros sobre câncer em parceria com colegas oncologistas é uma forma de levar informações sobre câncer confiáveis e fáceis de entender para a população em geral - tentar pesquisar sobre a doença na Internet pode deixar as pessoas confusas e inseguras, diante de uma enorme quantidade de dados desconexos e, muitos, de qualidade duvidosa. Capa

13 Rosa e Azul Câncer infantil No mundo todo, o Outubro Rosa marca a realização de campanhas de prevenção de câncer de mama. Esse movimento começou nos EUA em 13 de outubro de 1991, quando a Fundação Susan G. Komen de Câncer de Mama distribuiu laços cor de rosa para os participantes da primeira Corrida de Nova York para a Cura, um evento que tem o objetivo de levantar fundos para a instituição. Um impulso extra que reforçou o símbolo do laço cor de rosa ocorreu em 1992, quando a fabricante de cosméticos americana Estée Lauder distribuiu 1,5 milhão de laços cor de rosa, acompanhados por um cartão que descrevia um autoexame de mama. Menos comum, o câncer infantil já representa a segunda causa de mortalidade entre crianças e adolescentes, de 1 a 19 anos, para todas as regiões do País. Como a primeira causa são as relacionadas aos acidentes e à violência, podemos afirmar que o câncer é a primeira causa de mortes por doença, após um ano de idade, até o final da adolescência. É importante que os pais estejam sempre atentos, pois nem sempre a criança inventa sintomas. Ao sinal de alguma anormalidade, devem levar seus filhos ao pediatra para uma avaliação. Esses sintomas podem estar relacionados a doenças comuns na infância, o que não é motivo para que a visita ao médico seja descartada. Os principais sintomas são: surgimento de nódulos e caroços; 24 A ideia de relacionar campanhas de prevenção do câncer de mama ao mês de outubro e à cor rosa era realmente poderosa e disseminou-se inicialmente nos EUA e depois em outros países. No dia 2 de outubro de 2002, o obelisco do Ibirapuera, em São Paulo, foi iluminado de rosa, e desde então o Outubro Rosa ganhou força em todo o País. Vários monumentos são iluminados de rosa para marcar o mês em todo o país. O Novembro Azul é uma campanha criada na esteira do Outubro Rosa, para conscientizar os homens da importância de fazer exames preventivos de câncer de próstata. O movimento teria surgido na Austrália, em 2003, aproveitando as comemorações do Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, realizado em 17 de novembro. No exterior, a campanha é conhecida como Movember, e o símbolo é um bigode azul. palidez e falta de energia sem motivo aparente; surgimento de hematomas sem motivo aparente; sangramentos frequentes (nariz, ânus, vias urinárias); dor localizada e persistente; mancar sem razão aparente; febres sem motivo aparente; aumento do volume abdominal; dor abdominal prolongada; dores de cabeça frequentes, muitas vezes acompanhadas por vômitos; mudanças nos olhos ou na visão; perda de peso rápida; virilização em meninas ou puberdade precoce. 25 Capa Capa outras, mais sofisticadas, como endoscopia, colonoscopia, broncoscopia, mamografia digital, raios-x, ultrassonografia, tomografia computadorizada, ressonância magnética, cintilografia, densitometria, radiologia intervencionista e medicina nuclear. Finalmente, pode ser necessária a biópsia, que é o exame do tecido retirado do paciente, para assegurar, por exames laboratoriais, o tipo de tumor. É justamente no início desta maratona de exames que as mulheres levam vantagem: Elas vão oito vezes mais ao médico do que os homens, resume Wiermann. E por isso têm muito mais chance de conseguir encontrar um tumor no início do desenvolvimento, quando as chances de recuperação são maiores. Tratamento Ao contrário do que possamos supor, o oncologista raramente é o primeiro médico a tratar o paciente de câncer. Em geral, ele é chamado quando o diagnóstico já está estabelecido e já se tem uma biópsia que confirma a doença. O oncologista é o especialista que vai escolher qual tratamento utilizar e de que forma, sempre trocando informações com outros médicos e profissionais de saúde que acompanham o caso. Os Hospitais VITA Curitiba e VITA Volta Redonda dispõem de Serviços O inimigo continua aceso Caso você não se lembre, o maior aliado do câncer continua sendo o cigarro. O tabagismo é um fator de risco para câncer de pulmão, boca, laringe, bexiga, rins, estômago e pâncreas - pessoas que fumam têm um risco 10 vezes maior de desenvolver a doença do que as que não fumam. Como se não bastasse, eleva o risco para câncer de mama também: um estudo do Centro para Pesquisa em Câncer Fred Hutchinson em Seattle (EUA) mostrou que mulheres que consomem mais de um maço de cigarros por dia há pelo menos dez anos têm uma chance 60% maior que as outras de desenvolver câncer de mama. de Oncologia Clínica que oferecem justamente esse tipo de terapia (veja matéria na pág. 32). Rodrigo Leijoto, oncologista do Hospital VITA Volta Redonda, explica que muitas vezes o paciente até mesmo já passou por um tratamento cirúrgico do tumor: A oncologia faz o tratamento que a cirurgia não faz, diz Leijoto. Por exemplo: quimioterapia, hormonioterapia e imunoterapia. Ele menciona a radioterapia também, que é realizada por outro especialista. A quimioterapia utiliza compostos químicos chamados quimioterápicos. No caso do câncer, a quimioterapia é chamada de antineoplásica ou antiblástica. Os agentes utilizados no tratamento do câncer afetam tanto as células normais como as neoplásicas, porém causam maior dano às células malignas do que às dos tecidos normais. Esperança Os tempos mudaram, os tratamentos melhoraram e assim um diagnóstico de câncer nem sempre significa a mesma tragédia que costumava significar décadas atrás. Sim, é uma doença terrível, mas que podemos prevenir, diagnosticar e tratar. Eventualmente é possível até conviver com ela: Wiermann explica ser comum, ao diagnosticar um câncer de próstata de crescimento lento, decidir por não operá-lo, mas sim acompanhar e controlar seu desenvolvimento, principalmente em pacientes bastante idosos. Muitas mulheres acabam tirando uma vantagem estética de um tratamento de câncer de mama: pode-se na mesma intervenção em que se extrai o tumor, reconstruir a mama. No caso de mastectomia, ou seja, uma intervenção mais radical, o cirurgião plástico pode utilizar tecido do abdômen da paciente para a reconstrução da mama e, nesse caso, ela acaba passando por uma cirurgia de barriga também. Com isso, a resistência das mulheres ao tratamento do câncer de mama tem diminuído. Os tipos de câncer mais comuns na infância/adolescência são: leucemia: câncer mais comum, torna a criança mais sujeita a infecções. Palidez, sangramentos e dores ósseas são sintomas; retinoblastoma: surge como embranquecimento da pupila quando exposta à luz. Pode se manifestar através de fotofobia ou estrabismo, geralmente antes dos três anos de idade; tumor de Wilms: aumento do volume ou uma massa no abdome, pode afetar um rim ou ambos, é mais comum na faixa dos dois a três anos de idade. Representa de 5 a 10% dos tumores infantis; osteossarcoma: tumor no osso em crescimento, mais comum em adolescentes, são raros os casos; tumor de sistema nervoso central: dores de cabeça, vômitos, alterações motoras, de comportamento e paralisia de nervos são os sintomas. São os tumores malignos sólidos mais comuns em crianças, ficando atrás das leucemias e linfomas; neuroblastoma: tumor sólido extracraniano, isto é, fora do cérebro, mais comum nas crianças durante os dois primeiros anos de vida; linfomas: de Hodgkin ou não-hodgkin, câncer do sistema linfático. É raro antes dos cinco anos de idade, mas entre 10 e 15% dos casos ocorrem em adolescentes e crianças com menos de dezesseis anos. Exames preventivos Exames recomendados para prevenir o câncer, segundo faixa de idade. Mulheres Mama: avaliação anual a partir dos anos Colo de Útero: avaliação anual a partir dos 18 anos Homens Próstata: avaliação a partir dos 50 anos toque retal e PSA Ambos os sexos Cólon: avaliação a cada 3-5 anos a partir dos 50 anos Pulmão: avaliação a partir dos 60 anos Pele: autoavaliação constante

14 Raios que salvam Desde que a radiação foi descoberta, tentou-se utilizá-la no tratamento de tumores; as primeiras experiências foram bastante rudimentares, mas o método mostrou-se eficaz e evoluiu Em 1895, o físico alemão Wilhelm Röntgen estudava a passagem de corrente elétrica por tubos com gases rarefeitos. No dia 8 de novembro, ele cobriu o tubo com um cartão preto que bloqueava a passagem de luz, mas percebeu que uma placa recoberta de bário brilhava no escuro, mesmo a dois metros do tubo. Continuando suas experiências, ele notou que objetos de diferentes espessuras apresentavam diferentes transparências para os raios misteriosos. Finalmente, ele manteve a mão de sua esposa Anna Bertha imóvel por alguns momentos no trajeto dos raios e obteve uma imagem fotográfica que mostrava os ossos - era a primeira radiografia. Pouco tempo depois, a cientista Marie Curie (nascida na Polônia) isolou os primeiros elementos radioativos, que batizou de Polônio e Rádio. No ano seguinte à descoberta de Röntgen, o estudante de Medicina americano Emil Grubbé já utilizou radiação para tratar câncer. Após notar a descamação de suas mãos depois de expostas aos raios-x, Grubbé convenceu um de seus professores a irradiar uma paciente com câncer de mama, Rose Lee. O tratamento teve resultados positivos, demonstrando o potencial dos raios-x no tratamento de tumores. Também em 1896, o médico austríaco Leopold Freund tratou com sucesso um paciente de cinco anos sofrendo de Nevo Melanocítico, que cobria todas as costas. O caso foi tratado com sucesso. Braquiterapia Em 1901, o físico Pierre Curie sugeriu ao médico francês Henri-Alexandre Danlos a possibilidade de tratar um tumor inserindo nele uma fonte de radiação. Danlos testou a ideia e descobriu que a radiação fazia tumores diminuírem. Isso deu origem à braquiterapia, nome que vem do prefixo grego braqui, que significa próximo, devido ao fato de serem colocadas fontes de radiação próximas ao tumor. Entre os pioneiros da braquiterapia está a americana Margareta Cleaves, que a utilizou no tratamento de câncer cervical. Radioterapia fracionada No início, a radioterapia consistia apenas de uma dose maciça de radiação, com duração de aproximadamente uma hora, o que causava fortes efeitos colaterais. Em 1922, o médico Claudius Regaud demonstrou que o tratamento fracionado era tão eficiente quanto a dose única, e causava menos efeitos colaterais Acelerador A potência e precisão dos raios-x obtidos a partir de fontes naturais e das tecnologias da primeira metade do século XX impunham limites à radioterapia. Nos anos 1950, o médico Henry Kaplan construiu um acelerador de partículas para fins terapêuticos, uma máquina de 6 Megavolts que produzia um feixe mais potente e preciso de radiação. O primeiro paciente foi o menino Gordon Isaacs, em 1957, que aos dois anos de idade já havia perdido um dos olhos devido a um retinoblastoma, que ameaçava o outro olho também. O tratamento com o acelerador de partículas de Kaplan salvou a outra visão de Isaacs. Imagem da mão da esposa de Röntgen, Bertha, com um anel, é considerada a primeira radiografia Marie Curie identificou elementos radioativos e foi a primeira mulher a receber o Prêmio Nobel O médico francês Claudius Regaud diminuiu os danos da radioterapia ao fracionar o tratamento O menino Gordon Isaacs foi a primeira pessoa a receber radioterapia com acelerador linear, em 1957 A potência e precisão dos raios-x obtidos a partir de fontes naturais e das tecnologias da primeira metade do século XX impunham limites à radioterapia. imagens: Wikimedia Túnel do Tempo 27

15 Bem-Estar 28 Muito mais que um acessório Sim, um belo par de óculos escuros valorizam o visual: dão aquele ar viril para os homens, e aquele charme extra para as mulheres. Mas sabia que, além de bonitos, óculos escuros de boa qualidade são uma proteção para os seus olhos? É por isso que é importante, ao comprar um par, prestar atenção não só à cor e ao modelo, mas principalmente à presença do indispensável filtro ultravioleta (UV). Assim, cuidado com modelos muito baratos, de origem duvidosa, que podem não dispor dessa proteção - modelos falsificados nunca têm proteção UV. Suíno saudável A carne de porco enfrenta certa resistência por parte dos consumidores brasileiros. O Brasil é o quinto maior produtor de carne suína do mundo, mas o consumo por pessoa não está nem entre os dez maiores. Esse quadro vem mudando lentamente: de 2010 para 2013, a quantidade de carne suína que cada brasileiro come, em média, subiu de 13 kg/ano para 15,6 kg/ano. O médico nutrólogo Rafael Iazzetti, do Hospital VITA Volta Redonda, defende esse alimento. Ele afirma que não há nenhum fator nutricional que desabone a carne de porco, pelo contrário, há vários que a recomendam: É uma carne saborosa, saudável e de baixo custo, defende Iazzetti. Segundo ele, nos últimos anos a carne de porco ficou mais magra, e chega a apresentar menos gordura que o próprio frango, desde que o consumidor tenha o cuidado de separar a capa de gordura. O lombo de porco tem 3% a 5% de gordura, o mesmo que o peito de frango; o pernil, menos que a coxa de galinha, diz Iazzetti. Contanto que o alimento tenha origem controlada (certifique-se de que o produto tem o selo do SIF - Serviço de Inspeção Federal), não há risco de contrair parasitas e, portanto, não é necessário esturricar a carne suína. É comum as pessoas cozinharem excessivamente, o que faz a carne de porco perder o sabor e a textura, afirma. Ele próprio é fã de um belo lombo acompanhado de purê de maçã. Bem-Estar 29 O oftalmologista Roberto Bermudez, do Hospital VITA Batel, esclarece: Assim como passamos protetor solar na pele, também precisamos proteger nossos olhos dos raios ultravioleta, que podem levar ao aparecimento precoce da catarata, lesões de retina e até mesmo cegueira. Bermudez cita o caso dos pescadores, que costumam ter catarata mais cedo que as outras pessoas, devido à exposição constante e sem proteção à luz solar. Ele alerta que o mais importante ao comprar seus óculos escuros é tentar garantir a qualidade do que se está comprando. É impossível saber, só de olhar, se um óculos tem realmente proteção UV; então temos de confiar no estabelecimento onde estamos comprando, comenta. Bermudez sugere que usemos óculos escuros sempre que estivermos ao ar livre, para preservar nossa visão; isso se aplica principalmente às pessoas que trabalham expostas diretamente à luz solar.

16 Bem-Estar Seja zen você também As democráticas dores nas costas Bem-Estar Meditação? Deve ser bom... para os budistas. Sim, certamente é bom para eles, mas pode ser bom para você também, não importa qual seja a sua religião. Ousemos afirmar que todas as religiões incluem algum tipo de meditação, ainda que não com esse nome - o terço, por exemplo, tem orações sequenciadas e repetitivas que podem ser consideradas um tipo de meditação do catolicismo. Mas muitos benefícios podem ser obtidos ao praticar meditação de uma forma desvinculada da religiosidade. De maneira muito simples, podemos dizer que a meditação é uma prática que nos treina para, voluntariamente, concentrarmos o foco de nossa atenção e assim reduzir o ruído que carregamos dentro de nossas mentes. O resultado é alcançar um estado de serenidade que nos ajuda a recuperar as energias, efeito que perdura ao longo do dia e nos permite enfrentar o caos do cotidiano com mais tranquilidade. Nos exercícios de meditação, em suas formas mais simples, alcança-se isso usando algo externo como ponto de concentração, seja uma imagem (a luz de uma vela), um som (o famoso oooooommmmmmmmmm é muito eficaz), contar a própria respiração, um movimento (andar lentamente, prestando atenção a cada mínima etapa de um passo) ou alguma outra coisa. Em uma sociedade cada vez mais ansiosa e desconectada, a meditação pode ser um hábito que lhe trará muitos benefícios. E não precisa ser no Tibete, nem precisa de guru, nem de manto ou posição de lótus. Esses poderão vir mais tarde, caso você queira. Uma receitinha de meditação, bem simples: 1. Separe cinco a dez minutos e vá para um lugar tranquilo, onde ninguém irá incomodar; 2. Sente-se em uma posição confortável, em uma poltrona ou no chão; a posição de lótus, se você for capaz de fazer, pode ajudar a entrar no clima, mas não é indispensável; 3. Preste atenção somente à sua respiração. Sem tentar controlar o ritmo da respiração, conte a cada expiração: inspira, expira, 1; inspira, expira, 2... Até 4 e depois recomece; 4. Procure prestar atenção apenas à respiração e à contagem; para você é a coisa mais importante do universo naquele momento; 5. Se você perceber que perdeu o foco, não se aflija nem se culpe; simplesmente reinicie a contagem, sem julgamentos; 6. Repita a contagem durante três a dez minutos, já é meditação mais que suficiente para um iniciante. Pronto, você meditou. Costuma-se recomendar que a meditação seja feita diariamente sempre no mesmo lugar e horário, mas fora isso você pode escolher outras técnicas, outros focos além da contagem da respiração, variar a forma de contar (de 1 a 10, até perder a conta, 2 inspirações e 3 expirações, etc.) e até mesmo meditar entre uma reunião e outra. Abaixo, alguns Exames links preventivos para você saber mais: Mitos e Verdades Sobre a Meditação (Natural Vibe) Formas Simples de Meditar (Estado Zen) -mais-zen Aprenda alguns exercícios simples de meditação e alcance equilíbrio emocional (UOL) ou Sim, democráticas porque quase todo mundo tem. Dados de 2008, levantados pela pesquisa Dor no Brasil, realizada pelo Ibope com patrocínio do laboratório Pfizer, mostram a dor nas costas como a segunda mais comum, atrás apenas da dor de cabeça; mas ela é considerada a mais incômoda e a mais prejudicial ao trabalho. A pesquisa estimou que 80% dos brasileiros afirmam conviver com alguma dor crônica. De acordo com o ortopedista e traumatologista Marco Antonio Maximo Jones, do Hospital VITA Volta Redonda, são as pessoas que trabalham longos períodos na mesma posição, seja em pé ou sentadas, as mais propensas a sofrerem de dores nas costas. Uma forma de tentar prevenir o incômodo é sair da imobilidade e caminhar alguns minutos a cada hora, para diminuir a pressão sobre os discos da coluna. A dor nas coisas pode ter várias origens, tanto mecânicas quanto patológicas, que só um diagnóstico será capaz de determinar, diz Jones. Ele sugere que as pessoas procurem logo o médico quando a dor se estender por mais que alguns dias: Quanto mais cedo iniciarmos o tratamento, melhor, recomenda. E acrescenta que mais de 80% das hérnias de disco são tratadas sem cirurgia. Jones alerta ainda que não se deve mascarar a dor nas costas com uso continuado de analgésicos, que pode levar, em pouquíssimo tempo, a problemas gástricos graves. Algumas pessoas podem não ter nada, mas já vi casos de hemorragia digestiva por uso de analgésicos, afirma.

17 Acontece no Vita VITA Curitiba inaugura serviço Acontece no Vita 32 de Oncologia 33 O Hospital oferece, desde outubro, o atendimento multidisciplinar de que os pacientes oncológicos necessitam; instalações para quimioterapia têm acesso independente Serviço de Oncologia do VITA Curitiba foi inaugurado no final de outubro Espaço oferece conforto e privacidade para os pacientes oncológicos O Hospital VITA Curitiba está ampliando os serviços prestados à população. No final de outubro inaugurou o Serviço de Oncologia. O setor é chefiado pelo médico Evanius Garcia Wiermann, presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC). Consultórios e instalações para aplicação de quimioterapia têm entrada e estacionamento independentes, para preservar a privacidade dos pacientes. Hoje o câncer é a segunda maior causa de mortes no Brasil e no mundo, depois das doenças cardiovasculares, então estamos ampliando nossa capacidade de atendimento para essa enfermidade, diz Evanius. Ele destaca o conforto e a segurança que a estrutura de um hospital com certificação de qualidade (Acreditação) oferece para os pacientes, que têm à sua disposição desde diagnósticos até uma equipe de médicos de plantão para qualquer emergência. Estiveram presentes à inauguração os médicos Antonio Carlos Buzaid, chefe geral do Centro de Oncologia Antônio Ermírio de Moraes, e Fernando Cotait Maluf, chefe do Serviço de Oncologia Clínica, ambos do Hospital São José da Beneficência Portuguesa, em São Paulo. Além de realizar palestra sobre o tema para os convidados, os especialistas participaram de uma sessão de autógrafos do livro Vencer o Câncer, escrito pelos dois, juntamente com Drauzio Varella, também oncologista (mais informações sobre o livro na pág.25). O Serviço de Oncologia do VITA Curitiba é composto por uma equipe multidisciplinar com corpo clínico, enfermagem, nutricionistas e psicólogos. Todas as especialidades são envolvidas para oferecer ao paciente um tratamento de suporte integral, desde a prevenção da doença até a cirurgia e o tratamento. O Serviço também conta com instalações para preparar as infusões destinadas a cada paciente. Diferenciais Luiz Fernando Kubrusly, Diretor Clínico dos Hospitais VITA Curitiba e VITA Batel, explica que o tratamento do câncer é essencialmente multidisciplinar, ou seja, envolve médicos de várias especialidades, além de outros profissionais de saúde. Em virtude disso, a tendência mundial é que o atendimento de oncologia clínica migre para os hospitais, como nós estamos fazendo, diz Kubrusly. No Hospital VITA Curitiba, o paciente oncológico conta com uma equipe médica diversificada, serviços de diagnóstico, uma equipe de enfermagem altamente treinada, apartamentos para internação e, na eventualidade de uma emergência, pronto-socorro 24 horas por dia. Isso dá muito mais segurança para o paciente, diz Kubrusly, porque ele sabe que, se precisar, no Hospital haverá médicos de plantão, com acesso às informações de seu histórico clínico. O tratamento do câncer é essencialmente multidisciplinar. Em virtude disso, a tendência mundial é que o atendimento de oncologia clínica migre para os hospitais. Oncologia em Volta Redonda O serviço de oncologia do Hospital VITA Volta Redonda está em pleno funcionamento desde março. Para o oncologista clínico Rodrigo Leijoto, do Hospital VITA Volta Redonda, existem grandes benefícios para o paciente por fazer a quimioterapia dentro do Hospital VITA Volta Redonda: trata-se de uma instituição em conformidade com as normas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e Acreditação. Dessa forma, o paciente tem mais segurança, já que recebe seu tratamento em um Hospital que dispõe de uma moderna estrutura de diagnóstico e atendimento, e ela é atendida por pessoal qualificado e treinado.

18 Acontece no Vita Coaching para líderes de equipe Diamantes são eternos Acontece no Vita 34 O desenvolvimento de lideranças nos Hospitais VITA Curitiba e VITA Batel inclui encontros quinzenais para simular situações de conflito 35 Os Hospitais VITA vêm investindo no desenvolvimento técnico e pessoal de suas equipes, e um dos principais pontos para isso é o desenvolvimento de competências emocionais e comportamentais de seus líderes, cuja atuação é determinante para o sucesso das equipes e para a qualidade do ambiente de trabalho. Há um ano aproximadamente acontece um trabalho de coaching (veja box) com os líderes de equipes dos Hospitais VITA Batel e VITA Curitiba, sob a supervisão da psicóloga clínica Raquel Pusch, Coordenadora do Serviço de Psicologia dos Hospitais. Segundo ela, a iniciativa partiu da Superintendência do Grupo VITA, que identificou uma necessidade de ajudar os gestores a aprimorarem suas habilidades. Foi um investimento em amabilidade e gentileza, e os resultados já são visíveis, conforme podemos perceber pelo retorno que as pessoas dão quanto às nossas atividades, diz Raquel. A psicóloga observa que a assistência à saúde é uma área onde conflitos fazem parte da rotina; então é preciso dar aos profissionais de Saúde recursos, não só técnicos, mas também emocionais e comportamentais para lidar com os problemas. Isso vale não só para o trabalho em equipe, como também para o atendimento de pacientes e familiares. É comum termos de lidar com famílias inconsoláveis, com múltiplas queixas, e precisamos estar preparados emocionalmente para isso, diz Raquel. Raquel Pusch também trabalha para a Associação de Medicina Intensiva Brasileira (AMIB), onde foi Presidente do Departamento de Psicologia e hoje integra o Comitê de Cuidados Paliativos. Segundo ela, a AMIB busca levar aos médicos intensivistas um preparo que lhes permita lidar melhor com as situações que ocorrem nas UTIs e também para o trato com familiares. A pós-graduação em Cuidados Intensivos que a Associação oferece já inclui um curso sobre cuidados paliativos, do qual Raquel foi uma das fundadoras, e estuda-se a inclusão de um módulo sobre Crew Relationship Management (Gerenciamento de Relacionamento de Equipe). O que é coaching Coach vem do inglês treinador, mas tem um significado bem mais amplo que apenas o de treinamento: trata-se de usar acontecimentos do dia a dia dos colaboradores para identificar soluções melhores nas adversidades. O coaching é um processo criativo, que provoca reflexão nos participantes e os inspira a maximizar seu potencial pessoal e profissional. Segundo Raquel, a evolução na resolução de conflitos passa por quatro etapas: 1 - Liderado e líder devem chegar a uma concordância mútua da existência do problema, ou seja, ambos devem reconhecer que aquela adversidade existe; 2 - A pessoa que trouxe a problemática precisa ela própria sugerir possíveis soluç ões para a questão; não basta reclamar, é preciso sugerir saídas; 3 - O líder busca alinhar as possíveis soluções e torná-las factíveis, além de criar um comprometimento de todos os envolvidos com a solução, que foi escolhida em conjunto; 4 - Finalmente, é preciso acompanhar se o que foi combinado está sendo realizado e qual o resultado obtido. Este processo ajuda os envolvidos a melhorarem significativamente suas perspectivas na vida e no trabalho, ao mesmo tempo de aperfeiçoam as habilidades de liderança e desbloqueiam potenciais represados. Palco da premiação Eles são a prata da casa, o que temos de mais belo e mais precioso: são os colaboradores que trabalham no Hospital VITA Volta Redonda há mais de dez anos. Por isso, para mostrar o valor de termos pessoas que seguem conosco há mais de uma década, o Hospital criou o Prêmio Diamante VITA para homenageá-los. A entrega do Prêmio Diamante VITA aconteceu no dia 29 de outubro de 2014, com uma festa para 200 pessoas no Villa Vetri, em Volta Redonda. 75 colaboradores foram homenageados, e também quatro membros da Diretoria do Hospital: José Mauro Rezende, Diretor de Operações; Deumy Rabelo, Superintendente; Rônel Mascarenhas, Diretor Clínico; e Francisco Balestrin, Vice-Presidente Executivo. Para Rosimare Cruz, do Setor de Faturamento e uma das homenageadas, foi uma premiação muito emocionante, que valoriza pessoas que dedicam a maior parte de suas vidas ao Hospital. Alberton Araújo Telles, da Gerência Financeira, destaca que trabalhar no Hospital VITA Volta Redonda foi seu primeiro emprego com carteira assinada, e que ele teve a oportunidade de crescer profissionalmente dentro da instituição. Elisaine Aurora da Silva, do Setor de Internações, trabalha há 21 anos no Hospital, desde que era da CSN: Isto hoje é uma família, diz Elisaine; já tive outras ofertas e emprego, mas gosto muito de trabalhar aqui. Para ela, os clientes percebem o clima positivo da instituição, que se reflete na qualidade do atendimento. Festa para 200 pessoas marcou a entrega do Prêmio Diamante VITA Prêmio Diamante VITA homenageou os colaboradores do Hospital VITA Volta Redonda com dez anos ou mais de casa Homenageados e colegas prestigiaram a entrega do Prêmio

19 Acontece no Vita 36 VITA sedia reunião da APARCIH A Associação Paranaense de Controle de Infecção Hospitalar - APARCIH - realizou sua reunião científica no Hospital VITA Curitiba; no evento foram discutidos os desafios do setor e as perspectivas de desenvolvimento de novos medicamentos Semana da Qualidade e Segurança Assistencial lota auditórios e os processos de todos. Acontece no Vita 37 O Hospital VITA Curitiba sediou no dia 26 de setembro a edição 2014 da Reunião Científica da Associação Paranaense de Controle de Infecção Hospitalar - APARCIH. No encontro o infectologista Jaime Rocha, do Hospital VITA Curitiba, deu uma palestra sobre Novos Antibióticos, na qual descreveu o estágio de desenvolvimento de medicamentos para combater as principais infecções hospitalares. Participaram do evento médicos infectologistas, enfermeiros e farmacêuticos dos Hospitais VITA e de outras instituições. Novos medicamentos Rocha explica que o desenvolvimento de um novo antibiótico pode demorar uma década, desde o descobrimento de uma proteína com potencial para ser base de um medicamento até que este esteja disponível para uso. São necessários milhões de dólares de investimento por parte dos laboratórios farmacêuticos, em um processo que começa com testes de centenas de proteínas em laboratório, que posteriormente são experimentadas em cobaias, depois, conforme seus resultados e segurança, em um número restrito de voluntários, até que finalmente seja comprovada sua eficácia para uso em geral - só então o novo medicamento passa a ser comercializado. Segundo Rocha, essa pipeline (ou linha de desenvolvimento) pode ser acelerada no caso de haver a iminência de uma epidemia. Foi o caso, nos anos 1980, do AZT (zidovudine) para tratamento da AIDS, uma droga criada originalmente para tratar câncer - os testes e a aprovação para uso nos EUA ocorreram em apenas 20 meses. Atualmente as drogas para cura do vírus Ebola também estão sendo desenvolvidas e testadas pela via rápida. Rocha alerta que vivemos uma situação preocupante, já que o uso inadequado e irracional de antibióticos tem proporcionado condições para que bactérias ganhem resistência aos medicamentos existentes. A necessidade de novas opções é enorme, porém, para um futuro breve, não há muitas novidades; por isso, é necessário utilizarmos e aperfeiçoarmos os antibióticos que já estão no mercado, diz Rocha. Eventos IVEP O Grupo VITA coordena suas atividades acadêmicas através do Instituto VITA de Ensino e Pesquisa (IVEP). Um dos destaques do IVEP no próximo ano será o Curso de Planejamento Pré-Operatório em Correção de Deformidades e Alongamento Ósseo - Sulbrafix Trata-se de um evento científico concebido para o treinamento intensivo de cirurgiões interessados em técnicas de correção de deformidades e alongamento ósseo. Desde sua primeira edição em 2007, mais de 800 pessoas já foram treinadas. O curso é coordenado pelo médico ortopedista Richard Luzzi, do Hospital VITA Curitiba. O IVEP também é responsável pelo treinamento, capacitação e implantação do Método 5s nos Hospitais VITA Curitiba e Batel. Trata-se de uma filosofia de trabalho que busca promover a disciplina na organização através da consciência e responsabilidade de todos, de forma a tornar o ambiente de trabalho agradável, seguro e produtivo. Tem como objetivo melhorar a qualidade de vida das pessoas, a partir da promoção de um ambiente saudável e acolhedor. Encerramento com palestra do infectologista Felipe Tuon A Semana da Gestão da Qualidade e Segurança Assistencial 2014 dos Hospitais VITA Curitiba e VITA Batel foi um sucesso, com grande participação não só dos colaboradores, mas também de médicos e de prestadores de serviço terceirizados. Foi a segunda edição da Semana em que foram reunidos os temas Qualidade e Segurança Assistencial, que anteriormente eram tratados separadamente. No total, foram 539 participantes no VITA Curitiba e 362 no VITA Batel. O evento aconteceu entre os dias 6 e 10 de outubro. A abertura foi no auditório do VITA Batel, com palestras de Neidamar Fugaça, Superintendente Operacional de ambos os Hospitais, e palestra de Marta Fragoso, Coordenadora do NGSA, que falou sobre profilaxia e antibióticos. O encerramento foi no auditório do VITA Curitiba, com palestra do infectologista Felipe Tuon, sobre bactérias gran positivas e infecção hospitalar. Em algumas palestras foi preciso até colocar cadeiras extras no auditório.houve sorteio de prêmios, inclusive tablets digitais e uma bicicleta. A enfermeira Vanusa Lucas, Chefe do Controle de Infecção Hospitalar do Hospital VITA Curitiba, destaca que a participação das equipes assistencial e operacional juntas permite que os colaboradores compreendam melhor as necessidades A Semana é um evento multiprofissional, em que discutimos as políticas de segurança do paciente que norteiam todas as nossas ações durante o ano todo, diz Alexandre Raicherth, Coordenador do Escritório da Qualidade dos Hospitais VITA Curitiba e VITA Batel. A programação teve palestras pela manhã e tarde todos os dias em ambos os hospitais, e também dinâmicas in loco, no local de trabalho, para os colaboradores que não podiam deixar seus postos para participar. Uma das dinâmicas buscou reforçar os conceitos de lixo infectante e lixo reciclável, diz Aline Paula, enfermeira do Núcleo de Epidemiologia Hospitalar; e com isso já conseguimos diminuir o volume de lixo infectante. Com muita informação e um ambiente descontraído, a Semana permitiu que os colaboradores trouxessem sugestões, propusessem melhorias e tivessem a oportunidade de conhecer melhor as práticas da instituição. Um dos destaques foi a apresentação dos trabalhos de conclusão de curso (TCCs) de cinco formandos em Administração Hospitalar. A organização da Semana foi resultado de muito esforço conjunto, que envolveu as equipes do Núcleo de Gestão de Segurança Assistencial (Marta Fragoso, Vanusa Lucas, Ane Guenca, Aline Paula e Solange Matsumoto) e do Escritório da Qualidade (Alexandre Raicherth, Rosana Cruz, Daniel Rodrigues e Emilene Piasecki). Com uma programação intensa e clima descontraído, a edição de 2014 conseguiu motivar e envolver os colaboradores

20 Perfil 38 A intensidade em pessoa Ela é superocupada, mas adora conversar; é superprática, mas adora se maquiar; é superdedicada ao trabalho mas adora se divertir; ah, e é superprotetora também. Conheça a Sabrina Yumi, uma mulher intensa que acredita que tudo é possível quando se quer de verdade Todos os dias, antes de sair para o trabalho, Sabrina tem de cumprir um ritual: ela escova os cabelos e, principalmente, passa a maquiagem. Depois escolhe uma roupa bonita e, aí sim, Sabrina Yumi Matumoto está pronta para o expediente. Ela é Gerente de Logística dos Hospitais VITA Curitiba e VITA Batel, e vai enfrentar um dia recheado de pedidos e conflitos com o apoio de sua equipe. Além de ter muitas (e põe muitas nisso) responsabilidades, a Sabrina adora gente e adora conversar, e assim cada minutinho do seu expediente fica ocupado, porque ela está sempre resolvendo coisas ou conversando com os colegas. Sabrina nasceu em Curitiba, no bairro Cristo Rei. Seu pai, Artur, é mineiro e descendente de japoneses, e a mãe, Dilvete, é curitibana, descendente de poloneses. Ela tem três irmãos: o mais velho é o Rhilton e os mais novos, gêmeos, são o Fernando e a Fernanda. Começou a trabalhar cedo: aos 14 anos já vendia bijuterias, cuidava de crianças, dava aulas particulares de matemática. Seu primeiro emprego, aos 18 anos, foi na área de suprimentos de um hospital; depois passou por outros cargos, sempre na área administrativa de hospitais. Ela é formada em Ciências Contábeis e tem pós-graduação em Administração em Saúde. Sabrina entrou no Grupo VITA em outubro de 2008, como Coordenadora do Pronto Socorro do Hospital VITA Batel. Em março do ano seguinte, uma surpresa: ela descobriu que estava grávida da Júlia, que nasceu em outubro. Depois da licença-maternidade, Sabrina retornou para ser Executiva de Contas da área comercial do Hospital. Depois passou a Coordenadora de Contas dos dois Hospitais. Atua como Gerente de Logística desde julho de Toda a área de apoio dos Hospitais está sob responsabilidade de Sabrina, o que inclui hotelaria, manutenção e nutrição, ou seja, toda atividade não ligada diretamente à assistência de saúde. Ela também é responsável pelos contratos. Sabrina não economiza elogios para sua equipe: São profissionais maravilhosos, e é graças a eles que consigo dar conta de tanta coisa. Em pouco tempo a equipe conseguiu implementar obras e mudanças importantes, que significaram desafios administrativos. Para Sabrina, a melhor forma de manter o equilíbrio emocional diante da carga de responsabilidades é conseguir separar claramente as esferas Sabrina Yumi Matumoto Mania: Maquiagem Qualidade: bom humor Defeito: superprotetora Estilo: casual, mas elegante Time: o Coxa, mas não é torcedora fanática Esporte: está escolhendo, mas adora dançar Viagem predileta: praias do nordeste da vida, principalmente o trabalho e a família: Quando saio do Hospital, eu me desligo completamente das preocupações profissionais, para poder dar atenção completa a minha família, meus amigos e divertir-me. Gostar de gente é uma característica que Sabrina acabou incorporando ao trabalho: Gosto muito de escutar as pessoas, e quando surgem problemas procuro ouvir atentamente os argumentos e as sugestões de cada um, para encontrar a melhor solução, diz Sabrina. Ela incentiva sua equipe a fazer o mesmo, escutarem o cliente, se colocarem no lugar dele. Para mim é gratificante quando conseguimos envolver todos para resolver um desafio. Costuma dizer à equipe que é preciso entender o que se está fazendo, para poder fazer direito e enxergar possíveis problemas e soluções. Fora do trabalho Sabrina é absolutamente festeira: adora happy hour com os amigos, festas e sair para dançar: Não paro em casa, garante. Como contamos no início do texto, ela adora se maquiar, e as colegas insistem para que ela dê um curso de Introdução ao Makeup. Além disso, curte escolher e comprar roupas e sapatos novos. Em qualquer lugar que frequente, Sabrina logo cria um grupo de amigos: na escola da filha, no trabalho, na faculdade. Adoro falar, confessa. Sabrina acredita que nada é impossível de se realizar, contanto que a pessoa tenha energia: Quando a gente quer, a gente faz, diz Sabrina, e acrescenta: Mas se você quiser realmente, vai ter de arregaçar as mangas e se jogar de corpo e alma. Videogame e Alzheimer A empresa americana Akili Interactive Labs fez um acordo com a Pfizer Inc. para testar seu jogo Project EVO na detecção de diferenças cognitivas em pessoas idosas saudáveis, mas que têm risco significativo de desenvolver a doença de Alzheimer.É a primeira vez que uma grande companhia farmacêutica está testando o uso de um videogame como ferramenta clínica para determinar os sinais iniciais de uma patologia neurodegenerativa. O jogo roda em tablets. Para jogar, o usuário controla um alienígena amarelo, que desliza por um rio, e deve tocar na tela para reagir a objetos que vêm em sua direção. Quanto mais avança no percurso, mais difícil o jogo se torna. A Akili pretende determinar se a performance no jogo pode dar alguma indicação de desenvolvimento da doença. QWERTY não deve ir embora Conhece essas letrinhas? No teclado do seu computador ou do seu telefone são as seis primeiras letras do lado esquerdo: QWERTY. Por serem vagamente legíveis, dão o nome que descreve o formato de teclado mais popular do mundo. Ocorre que essa organização das teclas, maciçamente utilizada, tem uma origem mecânica que não faz mais sentido: quando as máquinas de escrever foram inventadas, por volta de 1860, seus criadores colocaram as teclas mais usadas o mais longe possível umas das outras, para evitar que os tipos enroscassem uns nos outros com muita frequência. Assim, a letra A, uma das mais frequentes, é acionada, vejam só, com o mindinho, em vez do forte e ágil dedo indicador. O teclado QWERTY é uma tradição que se autoperpetua, porque diariamente mais pessoas aprendem a usá-lo e, por isso, mais equipamentos são fabricados seguindo esse padrão. Com a chegada dos tablets e dos smartphones, entretanto, existe uma grande chance de que isso mude. Conheça algumas formas alternativas para digitar, com QWERTY e sem: Swype Familiar para os usuários de celulares Android, Swype é um teclado QWERTY onde não se ergue o dedo da tela, em vez disso desliza-se para a letra até formar a palavra. Software de previsão de palavras ajuda a completá-las. Voz Os programas de reconhecimento de voz evoluíram muito e hoje é possível usá-los em qualquer smartphone. 8pen Esse teclado apresenta uma forma bastante diferente de digitar: as letras estão organizadas em quadrantes, com as mais usadas próximas do centro. Para digitar, coloque o dedo no centro dos quadrantes e desenhe um anel até alcançar a letra desejada. Minuum Esse teclado comprime o QWERTY em uma barra com três letras sobrepostas, e completa as palavras automaticamente. MessagEase O teclado MessagEase muda a forma como você digita. As letras mais usadas são estrategicamente posicionadas em nove teclas grandes, as outras são acionadas deslizando. Um jogo acompanha o teclado para você treinar. Facebook quer saber como vai a sua saúde Além de saber quase tudo sobre a sua vida social, o Facebook agora também pretende incluir informações sobre sua saúde. A rede social estaria desenvolvendo, segundo a agência Reuters, a criação de comunidades de apoio online, que reuniriam usuários com os mesmos tipos de enfermidades e tratamentos. Isso seria desenvolvido com o apoio de grandes empresas do setor médico e farmacêutico. A iniciativa, contudo, depende de extensas avaliações quanto às questões de privacidade que envolvam a saúde dos usuários. Vida Digital 39

Idade, ela pesa 07/07/ 2015. Minhavida.com.br

Idade, ela pesa 07/07/ 2015. Minhavida.com.br Todo mundo quer viver muitos anos, não é mesmo? Mas você já se questionou se está somando mais pontos contra do que a favor na busca pela longevidade? Por isso mesmo, um estudo da Universidade da Califórnia,

Leia mais

Vamos falar sobre câncer?

Vamos falar sobre câncer? Vamos falar sobre câncer? O SIEMACO sempre está ao lado dos trabalhadores, seja na luta por melhores condições de trabalho, lazer e educação ou na manutenção da saúde, visando a promoção e ascensão social.

Leia mais

azul NOVEMBRO azul Saúde também é coisa de homem. Doenças Cardiovasculares (DCV)

azul NOVEMBRO azul Saúde também é coisa de homem. Doenças Cardiovasculares (DCV) Doenças Cardiovasculares (DCV) O que são as Doenças Cardiovasculares? De um modo geral, são o conjunto de doenças que afetam o aparelho cardiovascular, designadamente o coração e os vasos sanguíneos. Quais

Leia mais

Tome uma injeção de informação. Diabetes

Tome uma injeção de informação. Diabetes Tome uma injeção de informação. Diabetes DIABETES O diabetes é uma doença crônica, em que o pâncreas não produz insulina em quantidade suficiente, ou o organismo não a utiliza da forma adequada. Tipos

Leia mais

Saúde Naval MANUAL DE SAÚDE

Saúde Naval MANUAL DE SAÚDE Saúde Naval MANUAL DE SAÚDE IDOSO DOENÇAS MAIS COMUNS Com a chegada da terceira idade, alguns problemas de saúde começam a aparecer, conheça alguns dos mais comuns e saiba como se prevenir: 1 2 DIABETES

Leia mais

Componente Curricular: Patologia e Profilaxia Módulo I Profª Mônica I. Wingert Turma 101E TUMORES

Componente Curricular: Patologia e Profilaxia Módulo I Profª Mônica I. Wingert Turma 101E TUMORES TUMORES Tumores, também chamados de neoplasmas, ou neoplasias, são alterações celulares que provocam o aumento anormal dos tecidos corporais envolvidos. BENIGNO: são considerados benignos quando são bem

Leia mais

Você sabe os fatores que interferem na sua saúde?

Você sabe os fatores que interferem na sua saúde? DICAS DE SAÚDE 2 Promova a sua saúde. Você sabe os fatores que interferem na sua saúde? Veja o gráfico : 53% ao estilo de vida 17% a fatores hereditários 20% a condições ambientais 10% à assistência médica

Leia mais

PREVINA O CÂNCER DO COLO DO ÚTERO

PREVINA O CÂNCER DO COLO DO ÚTERO SENADO FEDERAL PREVINA O CÂNCER DO COLO DO ÚTERO SENADOR CLÉSIO ANDRADE 2 Previna o câncer do colo do útero apresentação O câncer do colo do útero continua matando muitas mulheres. Especialmente no Brasil,

Leia mais

SENADO FEDERAL PRESSÃO CONTROLADA SENADOR CLÉSIO ANDRADE

SENADO FEDERAL PRESSÃO CONTROLADA SENADOR CLÉSIO ANDRADE SENADO FEDERAL PRESSÃO CONTROLADA SENADOR CLÉSIO ANDRADE 2 Pressão controlada apresentação Chamada popularmente de pressão alta, a hipertensão é grave por dois motivos: não apresenta sintomas, ou seja,

Leia mais

Apesar de ser um tumor maligno, é uma doença curável se descoberta a tempo, o que nem sempre é possível, pois o medo do diagnóstico é muito grande,

Apesar de ser um tumor maligno, é uma doença curável se descoberta a tempo, o que nem sempre é possível, pois o medo do diagnóstico é muito grande, Cancêr de Mama: É a causa mais frequente de morte por câncer na mulher, embora existam meios de detecção precoce que apresentam boa eficiência (exame clínico e auto-exame, mamografia e ultrassonografia).

Leia mais

é a vez dos homens câncer.

é a vez dos homens câncer. Agora é a vez dos homens falarem sobre câncer. Agora é a vez dos homens falarem sobre câncer Uma publicação do SIEMACO Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Prestação de Serviços de Asseio e Conservação

Leia mais

De 30% a 60% dos casos de câncer poderiam ser evitados com uma boa. alimentação

De 30% a 60% dos casos de câncer poderiam ser evitados com uma boa. alimentação De 30% a 60% dos casos de câncer poderiam ser evitados com uma boa alimentação Mudança na alimentação é apontada como uma das medidas mais importantes de prevenção ao câncer, dizem institutos Foto: Gonza

Leia mais

sobre pressão alta Dr. Decio Mion

sobre pressão alta Dr. Decio Mion sobre pressão alta Dr. Decio Mion 1 2 Saiba tudo sobre pressão alta Dr. Decio Mion Chefe da Unidade de Hipertensão do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP)

Leia mais

Diagnóstico do câncer

Diagnóstico do câncer UNESC FACULDADES ENFERMAGEM - ONCOLOGIA FLÁVIA NUNES Diagnóstico do câncer Evidenciado: Investigação diagnóstica por suspeita de câncer e as intervenções de enfermagem no cuidado ao cliente _ investigação

Leia mais

www.cpsol.com.br TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO

www.cpsol.com.br TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO 1/8 O inverno chegou e junto com ele maiores problemas com as doenças respiratórias entre outras Isso não ocorre por acaso já que pé nesta estação onde

Leia mais

4. Câncer no Estado do Paraná

4. Câncer no Estado do Paraná 4. Câncer no Estado do Paraná Situação Epidemiológica do Câncer Doenças e Agravos Não Transmissíveis no Estado do Paraná Uma das principais causas de morte nos dias atuais, o câncer é um nome genérico

Leia mais

FEBRE AMARELA: Informações Úteis

FEBRE AMARELA: Informações Úteis FEBRE AMARELA: Informações Úteis Quando aparecem os sintomas? Os sintomas da febre amarela, em geral, aparecem entre o terceiro e o sexto dia após a picada do mosquito. Quais os sintomas? Os sintomas são:

Leia mais

CÂNCER DE MAMA: é preciso falar disso. Ministério da Saúde Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva

CÂNCER DE MAMA: é preciso falar disso. Ministério da Saúde Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva CÂNCER DE MAMA: é preciso falar disso Ministério da Saúde Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva 2014 Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva/ Ministério da Saúde. Esta

Leia mais

NOVEMBRO AZUL: COMBATE E PREVENÇÃO AO CÂNCER DE PRÓSTATA

NOVEMBRO AZUL: COMBATE E PREVENÇÃO AO CÂNCER DE PRÓSTATA COMBATE E PREVENÇÃO AO ÍNDICE 03 04 07 12 19 24 Introdução Novembro Azul O câncer Você precisa se importar! Prevenção: Vencendo o preconceito Bons hábitos e Diagnóstico precoce são a melhor prevenção 27

Leia mais

Prevenção em dobro. Eixo de Prevenção do Câncer ganha segunda Unidade Móvel CAPA

Prevenção em dobro. Eixo de Prevenção do Câncer ganha segunda Unidade Móvel CAPA Prevenção em dobro Eixo de Prevenção do Câncer ganha segunda Unidade Móvel O eixo de Prevenção do Câncer do Programa Cuide-se+ acaba de ganhar um importante reforço no atendimento aos trabalhadores das

Leia mais

CÂNCER DE MAMA: é preciso falar disso. Ministério da Saúde Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva

CÂNCER DE MAMA: é preciso falar disso. Ministério da Saúde Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva CÂNCER DE MAMA: é preciso falar disso Ministério da Saúde Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva 2014 Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva/ Ministério da Saúde. Esta

Leia mais

CÂNCER DE MAMA: é preciso falar disso. Ministério da Saúde Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva

CÂNCER DE MAMA: é preciso falar disso. Ministério da Saúde Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva CÂNCER DE MAMA: é preciso falar disso Ministério da Saúde Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva Cartilha_Outubro Rosa_Mitos_26-09-2014.indd 1 08/10/2014 14:24:37 2014 Instituto Nacional

Leia mais

III EGEPUB/COPPE/UFRJ

III EGEPUB/COPPE/UFRJ Luiz Otávio Zahar III EGEPUB/COPPE/UFRJ 27/11/2014 O que é a próstata? A próstata é uma glândula pequena que fica abaixo da bexiga e envolve o tubo (chamado uretra) pelo qual passam a urina e o sêmen.

Leia mais

DIAGNÓSTICO MÉDICO DADOS EPIDEMIOLÓGICOS FATORES DE RISCO FATORES DE RISCO 01/05/2015

DIAGNÓSTICO MÉDICO DADOS EPIDEMIOLÓGICOS FATORES DE RISCO FATORES DE RISCO 01/05/2015 01/05/2015 CÂNCER UTERINO É o câncer que se forma no colo do útero. Nessa parte, há células que podem CÂNCER CERVICAL se modificar produzindo um câncer. Em geral, é um câncer de crescimento lento, e pode

Leia mais

Câncer: mais 500 mil casos

Câncer: mais 500 mil casos Página 1 de 5 Quarta, 18 de Maio de 2011 ENTREVISTA Câncer: mais 500 mil casos O oncologista afirma que o Brasil não tem estrutura física e médica para tratar outro meio milhão de pessoas com câncer em

Leia mais

Prof.: Luiz Fernando Alves de Castro

Prof.: Luiz Fernando Alves de Castro Prof.: Luiz Fernando Alves de Castro Dia Nacional de Combate ao Câncer O Dia 27 de Novembro, Dia Nacional de Combate ao Câncer, é uma data que deve ser lembrada não para comemorarmos e, sim, para alertarmos

Leia mais

O que é câncer de estômago?

O que é câncer de estômago? Câncer de Estômago O que é câncer de estômago? O câncer de estômago, também denominado câncer gástrico, pode ter início em qualquer parte do estômago e se disseminar para os linfonodos da região e outras

Leia mais

Câncer de Pulmão. Prof. Dr. Luis Carlos Losso Medicina Torácica Cremesp 18.186

Câncer de Pulmão. Prof. Dr. Luis Carlos Losso Medicina Torácica Cremesp 18.186 Câncer de Pulmão Todos os tipos de câncer podem se desenvolver em nossas células, as unidades básicas da vida. E para entender o câncer, precisamos saber como as células normais tornam-se cancerosas. O

Leia mais

VACINE-SE A PARTIR DE 1 DE OUTUBRO CONSULTE O SEU MÉDICO

VACINE-SE A PARTIR DE 1 DE OUTUBRO CONSULTE O SEU MÉDICO VACINE-SE A PARTIR DE 1 DE OUTUBRO CONSULTE O SEU MÉDICO Perguntas frequentes sobre a gripe sazonal O que é a gripe? É uma doença infecciosa aguda das vias respiratórias, causada pelo vírus da gripe. Em

Leia mais

OUTUBRO ROSA UMA CAMPANHA DE CONSCIENTIZAÇÃO DA SOFIS TECNOLOGIA

OUTUBRO ROSA UMA CAMPANHA DE CONSCIENTIZAÇÃO DA SOFIS TECNOLOGIA C A R T I L H A OUTUBRO ROSA UMA CAMPANHA DE CONSCIENTIZAÇÃO DA SOFIS TECNOLOGIA OOUTUBRO ROSA é um movimento mundial pela prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama. Com suas ações especialmente

Leia mais

Informativo Mensal da Faculdade de Medicina do ABC Ano I - Nº 5 - novembro de 2015

Informativo Mensal da Faculdade de Medicina do ABC Ano I - Nº 5 - novembro de 2015 Informativo Mensal da Faculdade de Medicina do ABC Ano I - Nº 5 - novembro de 2015 O mês de novembro é azul! E por essa razão, a Revista MedABC preparou capa especial, que tem por objetivo chamar a atenção

Leia mais

Câncer de Próstata. Fernando Magioni Enfermeiro do Trabalho

Câncer de Próstata. Fernando Magioni Enfermeiro do Trabalho Câncer de Próstata Fernando Magioni Enfermeiro do Trabalho O que é próstata? A próstata é uma glândula que só o homem possui e que se localiza na parte baixa do abdômen. Ela é um órgão muito pequeno, tem

Leia mais

DOENÇAS DA PRÓSTATA. Prof. João Batista de Cerqueira Adjunto DSAU - UEFS

DOENÇAS DA PRÓSTATA. Prof. João Batista de Cerqueira Adjunto DSAU - UEFS DOENÇAS DA PRÓSTATA Prof. João Batista de Cerqueira Adjunto DSAU - UEFS O QUE É A PRÓSTATA? A próstata é uma glândula que tem o tamanho de uma noz, e se localiza abaixo da bexiga, envolvendo a uretra masculina.

Leia mais

Manual Educativo de PaciEntEs E FaMiliarEs

Manual Educativo de PaciEntEs E FaMiliarEs Manual Educativo de Pacientes e Familiares 1 ÍNDICE MANUAL EDUCATIVO DE PACIENTES E FAMILIARES O MANUAL... 04 1. O QUE É CÂNCER?... 05 2. SINAIS DE ALERTA PARA O CÂNCER... 10 3. RECOMENDAÇÕES PARA EVITAR

Leia mais

Viva Bem! Cuide da Sua Saúde!

Viva Bem! Cuide da Sua Saúde! Viva Bem! Cuide da Sua Saúde! O Serviço Social da Construção Alimentação Saudável Quanto mais colorida for a sua alimentação, maior a presença de nutrientes no seu corpo e melhor será a sua saúde. 50%

Leia mais

DECLARAÇÃO PESSOAL DE SAÚDE

DECLARAÇÃO PESSOAL DE SAÚDE 1 A presente declaração, deverá ser preenchida de próprio punho, pelo proponente, de forma clara e objetiva, respondendo SIM ou NÃO, conforme o caso. MUITO IMPORTANTE Chamamos a atenção de V.S.a. para

Leia mais

Influenza. João Pedro Marins Brum Brito da Costa (Instituto ABEL) Orientador: André Assis (UFRJ Medicina)

Influenza. João Pedro Marins Brum Brito da Costa (Instituto ABEL) Orientador: André Assis (UFRJ Medicina) Influenza João Pedro Marins Brum Brito da Costa (Instituto ABEL) Orientador: André Assis (UFRJ Medicina) O que éinfluenza Também conhecida como gripe, a influenza éuma infecção do sistema respiratório

Leia mais

MEMÓRIA DA REUNIÃO 1. PAUTA

MEMÓRIA DA REUNIÃO 1. PAUTA Assunto: Reunião/Palestra saúde para orientar e esclarecer as dúvidas da população sobre as ações preventivas na área da saúde pública em virtude da construção da UHE Belo Monte. Redator: Juliana Lima

Leia mais

Câncer de Mama COMO SÃO AS MAMAS:

Câncer de Mama COMO SÃO AS MAMAS: Câncer de Mama COMO SÃO AS MAMAS: As mamas (ou seios) são glândulas e sua função principal é a produção de leite. Elas são compostas de lobos que se dividem em porções menores, os lóbulos, e ductos, que

Leia mais

Entenda o que é o câncer de mama e os métodos de prevenção. Fonte: Instituto Nacional de Câncer (Inca)

Entenda o que é o câncer de mama e os métodos de prevenção. Fonte: Instituto Nacional de Câncer (Inca) Entenda o que é o câncer de mama e os métodos de prevenção Fonte: Instituto Nacional de Câncer (Inca) O que é? É o tipo de câncer mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do de pele não

Leia mais

Pâncreas. Pancreatite aguda. Escolha uma das opções abaixo para ler mais detalhes.

Pâncreas. Pancreatite aguda. Escolha uma das opções abaixo para ler mais detalhes. Pâncreas Escolha uma das opções abaixo para ler mais detalhes. Pancreatite aguda Pancreatite crônica Cistos pancreáticos Câncer de Pancrêas Pancreatite aguda O pâncreas é um órgão com duas funções básicas:

Leia mais

DIA MUNDIAL DO CÂNCER 08 DE ABRIL

DIA MUNDIAL DO CÂNCER 08 DE ABRIL DIA MUNDIAL DO CÂNCER 08 DE ABRIL Enviado por LINK COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL 04-Abr-2016 PQN - O Portal da Comunicação LINK COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL - 04/04/2016 Que tal aproveitar o Dia Mundial do Câncer

Leia mais

Em pleno novo milênio nossa sociedade aparece com uma

Em pleno novo milênio nossa sociedade aparece com uma 8 Epidemiologia da Atividade Física & Doenças Crônicas: Diabetes Dênis Marcelo Modeneze Graduado em Educação Física Mestre em Educação Física na Área de Atividade Física, Adaptação e Saúde-UNICAMP Em pleno

Leia mais

-Os Papiloma Vírus Humanos (HPV) são vírus da família Papovaviridae.

-Os Papiloma Vírus Humanos (HPV) são vírus da família Papovaviridae. -Os Papiloma Vírus Humanos (HPV) são vírus da família Papovaviridae. -Chamado de HPV, aparece na forma de doenças como condiloma acuminado, verruga genital ou crista de galo. -Há mais de 200 subtipos do

Leia mais

SUMÁRIO OBESIDADE...4 OBESIDADE EM ADULTOS...5 PREVENÇÃO...6 EM BUSCA DO PESO SAUDÁVEL...7 TRATAMENTO...9 CUIDADOS DIÁRIOS COM A ALIMENTAÇÃO...

SUMÁRIO OBESIDADE...4 OBESIDADE EM ADULTOS...5 PREVENÇÃO...6 EM BUSCA DO PESO SAUDÁVEL...7 TRATAMENTO...9 CUIDADOS DIÁRIOS COM A ALIMENTAÇÃO... 2 SUMÁRIO OBESIDADE...4 OBESIDADE EM ADULTOS...5 PREVENÇÃO...6 EM BUSCA DO PESO SAUDÁVEL...7 TRATAMENTO...9 CUIDADOS DIÁRIOS COM A ALIMENTAÇÃO...12 OUTROS HÁBITOS SAUDÁVEIS...14 ATIVIDADE FÍSICA...14 CUIDADOS

Leia mais

Histórico. O Outubro Rosaéum movimento popular dedicado a alertar as mulheres para a importância da prevenção e da detecção precoce do câncer de mama.

Histórico. O Outubro Rosaéum movimento popular dedicado a alertar as mulheres para a importância da prevenção e da detecção precoce do câncer de mama. Histórico O Outubro Rosaéum movimento popular dedicado a alertar as mulheres para a importância da prevenção e da detecção precoce do câncer de mama. Iniciado na década de 90 nos EUA, a campanha derrubou

Leia mais

CARTILHA ELETRÔNICA INFLUENZA A (H1N1) INFORMAÇÃO E PREVENÇÃO PARA AS ESCOLAS

CARTILHA ELETRÔNICA INFLUENZA A (H1N1) INFORMAÇÃO E PREVENÇÃO PARA AS ESCOLAS CARTILHA ELETRÔNICA INFLUENZA A (H1N1) INFORMAÇÃO E PREVENÇÃO PARA AS ESCOLAS ORIENTAÇÃO AOS PEDAGOGOS Todas as informações constantes nesta cartilha devem ser levadas ao conhecimento de todos os alunos,

Leia mais

Instituto Nacional de Amparo à Pesquisa Tecnológica, Inovação na Gestão Pública - INTS

Instituto Nacional de Amparo à Pesquisa Tecnológica, Inovação na Gestão Pública - INTS Instituto Nacional de Amparo à Pesquisa Tecnológica, Inovação na Gestão Pública - INTS Metodologia Pesquisa de opinião com a finalidade de avaliar demandas, anseios e a qualidade dos serviços prestados

Leia mais

Doenças Crônicas. uma nova transição. Paulo A. Lotufo. FMUSP Coordenador do Centro de Pesquisa Clínica e Epidemiológica da USP

Doenças Crônicas. uma nova transição. Paulo A. Lotufo. FMUSP Coordenador do Centro de Pesquisa Clínica e Epidemiológica da USP Doenças Crônicas uma nova transição Paulo A. Lotufo Professor Titular de Clínica Médica FMUSP Coordenador do Centro de Pesquisa Clínica e Epidemiológica da USP esclarecimentos O termo doença crônica pode

Leia mais

AULA DO PRODUTO. Curso inicial & Integração Novos Representantes

AULA DO PRODUTO. Curso inicial & Integração Novos Representantes AULA DO PRODUTO Curso inicial & Integração Novos Representantes 1 HELICOBACTER PYLORI A bactéria Helicobacter pylori foi descoberta em 1982 pelos australianos Barry J. Marshall e J. Robin Warren. Até então,

Leia mais

CARTILHA BEM-ESTAR PATROCÍNIO EXECUÇÃO

CARTILHA BEM-ESTAR PATROCÍNIO EXECUÇÃO CARTILHA BEM-ESTAR PATROCÍNIO EXECUÇÃO Cartilha Informativa Alimentação saudável e atividade física: as bases essenciais para a construção de um organismo saudável Alimentos saudáveis associados à atividade

Leia mais

Questionário: Risco de ter diabetes

Questionário: Risco de ter diabetes Questionário: Risco de ter diabetes ATENÇÃO! Este questionário não deve ser aplicado a gestantes e pessoas menores de 18 anos. Preencha o formulário abaixo. Idade: anos Sexo: ( ) Masculino ( ) Feminino

Leia mais

DOENÇAS CARDÍACAS NA INSUFICIÊNCIA RENAL

DOENÇAS CARDÍACAS NA INSUFICIÊNCIA RENAL DOENÇAS CARDÍACAS NA INSUFICIÊNCIA RENAL As doenças do coração são muito freqüentes em pacientes com insuficiência renal. Assim, um cuidado especial deve ser tomado, principalmente, na prevenção e no controle

Leia mais

Doença do Refluxo Gastroesofágico o que significa?

Doença do Refluxo Gastroesofágico o que significa? Hérnia de Hiato e Refluxo Gastroesofágico. Atualmente cresce o número de pessoas que estão apresentando sintomas relativas ao aparelho digestivo, como má digestão ou sensação de queimação no estômago entre

Leia mais

CARTILHA DA GRÁVIDA 1

CARTILHA DA GRÁVIDA 1 CARTILHA DA GRÁVIDA 1 2 SUMÁRIO SOBRE A FEBRASGO 4 PRIMEIROS SINTOMAS 5 ETAPAS DA GESTAÇÃO 6 IMPORTÂNCIA DO PRÉ-NATAL 8 OBJETIVOS DO PRÉ-NATAL JUNTO À MÃE 9 OBJETIVOS DO PRÉ-NATAL JUNTO AO BEBÊ 10 OBJETIVOS

Leia mais

Meus amigos... A saúde tem pressa! da sua amiga, Flávia Morais

Meus amigos... A saúde tem pressa! da sua amiga, Flávia Morais 4ª Edição Meus amigos... Quando surgiu a ideia de criar o programa Saúde em Movimento, em parceria com o Lions Club e a LBV, acreditávamos que conseguiríamos reduzir em parte a distância que separa as

Leia mais

PREVENÇÃO DE DOENÇAS

PREVENÇÃO DE DOENÇAS Page 1 of 7 PREVENÇÃO DE DOENÇAS (Adaptação baseada nas condutas propostas pela Academia Norte-Americana de Médicos de Família/Clínica Mayo, USA) O que a medicina atual preconiza em termos de prevenção

Leia mais

Respire aliviado! Tuberculose tem cura

Respire aliviado! Tuberculose tem cura Respire aliviado! Tuberculose tem cura O que é tuberculose? A tuberculose é uma doença infecciosa causada por um micróbio visível apenas ao microscópio, chamado Bacilo de Koch (Mycobacterium tuberculosis).

Leia mais

Homeopatia. Copyrights - Movimento Nacional de Valorização e Divulgação da Homeopatia mnvdh@terra.com.br 2

Homeopatia. Copyrights - Movimento Nacional de Valorização e Divulgação da Homeopatia mnvdh@terra.com.br 2 Homeopatia A Homeopatia é um sistema terapêutico baseado no princípio dos semelhantes (princípio parecido com o das vacinas) que cuida e trata de vários tipos de organismos (homem, animais e plantas) usando

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL PARA O TRABALHO EM SAÚDE PET / SVS MS NOVEMBRO AZUL

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL PARA O TRABALHO EM SAÚDE PET / SVS MS NOVEMBRO AZUL Universidade Federal do Acre Centro de Ciências da Saúde e do Desporto PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL PARA O TRABALHO EM SAÚDE PET / SVS MS PROF. DR. CRESO MACHADO LOPES Tutor NOVEMBRO AZUL CAMPANHA DE

Leia mais

Situação Epidemiológica

Situação Epidemiológica 9. Tabagismo Situação Epidemiológica Doenças e Agravos Não Transmissíveis no Estado do Paraná O tabagismo é a segunda maior causa de morte no planeta, responsável por 8,8% do total de óbitos. São cerca

Leia mais

A hepatite aguda causa menos danos ao fígado que a hepatite crônica.

A hepatite aguda causa menos danos ao fígado que a hepatite crônica. Hepatites Virais O FÍGADO E SUAS FUNÇÕES. O fígado é o maior órgão do corpo humano, está localizado no lado superior direito do abdômen, protegido pelas costelas (gradio costal). É responsável por aproximadamente

Leia mais

PROJETO PROMOÇÃO DA SAÚDE E EDUCAÇÃO SEXUAL EM MEIO ESCOLAR

PROJETO PROMOÇÃO DA SAÚDE E EDUCAÇÃO SEXUAL EM MEIO ESCOLAR PROJETO PROMOÇÃO DA SAÚDE E EDUCAÇÃO SEXUAL EM MEIO ESCOLAR A Diabetes afeta cerca de 366 milhões de pessoas em todo o mundo e cerca de 1 milhão de Portugueses. A cada 7 segundos morre no Planeta Terra

Leia mais

Programa Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) Campanha de Prevenção e Controle de Hipertensão e Diabetes

Programa Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) Campanha de Prevenção e Controle de Hipertensão e Diabetes Programa Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) Campanha de Prevenção e Controle de Hipertensão e Diabetes Objetivos: - Desenvolver uma visão biopsicossocial integrada ao ambiente de trabalho, considerando

Leia mais

TABAGISMO. O tema deste informe foi sugerido pelo Laboratorista Edmund Cox

TABAGISMO. O tema deste informe foi sugerido pelo Laboratorista Edmund Cox Informativo Semanal O tema deste informe foi sugerido pelo Laboratorista Edmund Cox O tabagismo é considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a principal causa de morte evitável em todo o mundo.

Leia mais

Cartilha. pela Saúde da Mulher

Cartilha. pela Saúde da Mulher Cartilha pela Saúde da Mulher Cólica Menstrual Excesso de Gorduras no Sangue A cólica menstrual ou dismenorreia é uma dor abdominal provocada pelas contrações uterinas que ocorrem durante a menstruação.

Leia mais

D I R E T O R I A D E S A Ú D E

D I R E T O R I A D E S A Ú D E Saúde In Forma Junho/2013 Dia 26 de Junho Dia Nacional do Diabetes Diabetes é uma doença metabólica caracterizada por um aumento anormal da glicose ou açúcar no sangue. A glicose é a principal fonte de

Leia mais

O desafio de deixar de fumar

O desafio de deixar de fumar O desafio de deixar de fumar O uso do cigarro tem como objetivo a busca por efeitos prazerosos desencadeados pela nicotina, melhora ime - diata do raciocínio e do humor, diminuição da ansiedade e ajuda

Leia mais

PREVENÇÃO DAS DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS PREVENIR É PRECISO MANUAL DE ORIENTAÇÕES AOS SERVIDORES VIGIAS DA PREFEITURA DE MONTES CLAROS

PREVENÇÃO DAS DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS PREVENIR É PRECISO MANUAL DE ORIENTAÇÕES AOS SERVIDORES VIGIAS DA PREFEITURA DE MONTES CLAROS PREVENÇÃO DAS DOENÇAS MANUAL DE ORIENTAÇÕES AOS SERVIDORES CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS VIGIAS DA PREFEITURA DE MONTES CLAROS design ASCOM-PMMC PREVENIR É PRECISO DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS No

Leia mais

Gripe Proteja-se! Faça Chuva ou faça Sol, vacine-se a partir de Outubro e até ao final do Inverno. Consulte o seu médico

Gripe Proteja-se! Faça Chuva ou faça Sol, vacine-se a partir de Outubro e até ao final do Inverno. Consulte o seu médico Gripe Proteja-se! Faça Chuva ou faça Sol, vacine-se a partir de Outubro e até ao final do Inverno. Consulte o seu médico Gripe Perguntas Frequentes Perguntas frequentes sobre a gripe sazonal O que é a

Leia mais

O que é câncer de mama?

O que é câncer de mama? Câncer de Mama O que é câncer de mama? O câncer de mama é a doença em que as células normais da mama começam a se modificar, multiplicando-se sem controle e deixando de morrer, formando uma massa de células

Leia mais

Azul. Novembro. cosbem. Mergulhe nessa onda! A cor da coragem é azul. Mês de Conscientização, Preveção e Combate ao Câncer De Próstata.

Azul. Novembro. cosbem. Mergulhe nessa onda! A cor da coragem é azul. Mês de Conscientização, Preveção e Combate ao Câncer De Próstata. cosbem COORDENAÇÃO DE SAÚDE E BEM-ESTAR Novembro Azul Mês de Conscientização, Preveção e Combate ao Câncer De Próstata. Mergulhe nessa onda! A cor da coragem é azul. NOVEMBRO AZUL Mês de Conscientização,

Leia mais

NOVEMBRO DOURADO VIVA ESTA IDEIA! VENHA PARTICIPAR!

NOVEMBRO DOURADO VIVA ESTA IDEIA! VENHA PARTICIPAR! NOVEMBRO DOURADO VIVA ESTA IDEIA! VENHA PARTICIPAR! Serviço de OncoHematologia do HIJG DIA NACIONAL DE COMBATE AO CÂNCER NA CRIANÇA E NO ADOLESCENTE O Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantojuvenil (lei

Leia mais

Um pouco sobre nós. Tecnologia e modernas instalações

Um pouco sobre nós. Tecnologia e modernas instalações Um pouco sobre nós. Referência em Medicina Ocupacional, Saúde do Trabalhador em Uberlândia e Região. Nosso objetivo é solucionar os problemas ligados à preservação da saúde e segurança do trabalhador,

Leia mais

FGV GV Saúde. Condições Crônicas Fatores de risco e prevenção. Centro de Medicina Preventiva Hospital Israelita Albert Einstein Março de 2013

FGV GV Saúde. Condições Crônicas Fatores de risco e prevenção. Centro de Medicina Preventiva Hospital Israelita Albert Einstein Março de 2013 FGV GV Saúde Condições Crônicas Fatores de risco e prevenção Centro de Medicina Preventiva Hospital Israelita Albert Einstein Março de 2013 A Revisão Continuada de Saúde Revisão Continuada de Saúde (RCS)

Leia mais

O que são varizes? IX Semana Estadual de Saúde Vascular

O que são varizes? IX Semana Estadual de Saúde Vascular O que são varizes? Varizes são veias que se tornaram dilatadas e tortuosas ao longo das pernas. Algumas varizes são calibrosas e evidentes na pele. Outras, de menor calibre, chamadas de microvarizes ou

Leia mais

Hepatites Virais 27/07/2011

Hepatites Virais 27/07/2011 SOCIEDADE DIVINA PROVIDÊNCIA Hospital Nossa Senhora da Conceição Educação Semana Continuada de Luta Contra em CCIH as Hepatites Virais 27/07/2011 Enfº Rodrigo Cascaes Theodoro Enfº CCIH Rodrigo Cascaes

Leia mais

CANCER DE MAMA FERNANDO CAMILO MAGIONI ENFERMEIRO DO TRABALHO

CANCER DE MAMA FERNANDO CAMILO MAGIONI ENFERMEIRO DO TRABALHO CANCER DE MAMA FERNANDO CAMILO MAGIONI ENFERMEIRO DO TRABALHO OS TIPOS DE CANCER DE MAMA O câncer de mama ocorre quando as células deste órgão passam a se dividir e se reproduzir muito rápido e de forma

Leia mais

Saadi. Depois de 17 anos, o Congresso Brasileiro de Cirurgia ENTREVISTA

Saadi. Depois de 17 anos, o Congresso Brasileiro de Cirurgia ENTREVISTA Por Aline de Melo Pires Felicidade Saadi é a receita de Natural de Porto Alegre, 49 anos, o cirurgião Eduardo Saadi, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular (SBCC) fala das causas das

Leia mais

Clipping Eletrônico Quinta-feira dia 16/07/2015

Clipping Eletrônico Quinta-feira dia 16/07/2015 Clipping Eletrônico Quinta-feira dia 16/07/2015 Jornal Acrítica Cidades Pág. C4 16 de Julho de 2015. Jornal Acrítica Política Pág. A7 16 de Julho de 2015. Av. Mário Ypiranga, 1695 Adrianópolis Jornal

Leia mais

Informação pode ser o melhor remédio. Hepatite

Informação pode ser o melhor remédio. Hepatite Informação pode ser o melhor remédio. Hepatite HEPATITE A hepatite é uma inflamação do fígado provocada na maioria das vezes por um vírus. Diferentes tipos de vírus podem provocar hepatite aguda, que se

Leia mais

Gastrite e Dispepsia Funcional

Gastrite e Dispepsia Funcional Gastrite e Dispepsia Funcional Este assunto caiu de bandeja pra você! Comer é uma coisa gostosa, e ninguém precisa sofrer com disgestão difícil, náuseas, saciedade precoce, desconforto ou dor de estômago.

Leia mais

Tabagismo Patologia relacionada com o tabaco

Tabagismo Patologia relacionada com o tabaco Tabagismo Patologia relacionada com o tabaco Comissão de Tabagismo da SociedadePortuguesa de Pneumologia > 4.000 compostos Monóxido de carbono Hipóxia no sangue e tecidos Benzopireno cancerígeno FUMO DO

Leia mais

Veículo: Jornal da Comunidade Data: 24 a 30/07/2010 Seção: Comunidade Vip Pág.: 4 Assunto: Diabetes

Veículo: Jornal da Comunidade Data: 24 a 30/07/2010 Seção: Comunidade Vip Pág.: 4 Assunto: Diabetes Veículo: Jornal da Comunidade Data: 24 a 30/07/2010 Seção: Comunidade Vip Pág.: 4 Assunto: Diabetes Uma vida normal com diabetes Obesidade, histórico familiar e sedentarismo são alguns dos principais fatores

Leia mais

Informe sobre a gripe causada pelo novo vírus Influenza A/H1N1

Informe sobre a gripe causada pelo novo vírus Influenza A/H1N1 Informe sobre a gripe causada pelo novo vírus Influenza A/H1N1 DOCUMENTO PARA O PÚBLICO EM GERAL Coordenação: Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) Associação Médica Brasileira (AMB) Apoio e participação:

Leia mais

Seminário Anual de Saúde 2010: Cultura de Saúde e Dividendos para o Negócio Uma Visão Estratégica. Setembro/2010

Seminário Anual de Saúde 2010: Cultura de Saúde e Dividendos para o Negócio Uma Visão Estratégica. Setembro/2010 Seminário Anual de Saúde 2010: Cultura de Saúde e Dividendos para o Negócio Uma Visão Estratégica Setembro/2010 Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein Instituição de Saúde composta

Leia mais

Bem-estar. após os40. aprenda como colocar. você em primeiro lugar

Bem-estar. após os40. aprenda como colocar. você em primeiro lugar Bem-estar após os40 aprenda como colocar você em primeiro lugar Sumário.. Introdução. 02 A mulher aos 40: menos insegurança, maior bem-estar. 03 Você em primeiro lugar: mente sã. 04 Corpo são: a importância

Leia mais

MORTALIDADE POR CÂNCER COLORRETAL NO ESTADO: 2º ENTRE AS MULHERES E 4º ENTRE OS HOMENS

MORTALIDADE POR CÂNCER COLORRETAL NO ESTADO: 2º ENTRE AS MULHERES E 4º ENTRE OS HOMENS Resenha de Estatísticas Vitais do Estado de São Paulo Ano 7 nº 1 Março 2006 MORTALIDADE POR CÂNCER COLORRETAL NO ESTADO: 2º ENTRE AS MULHERES E 4º ENTRE OS HOMENS Com o aumento da expectativa de vida,

Leia mais

AUDIENCIA PÚBLICA SENADO FEDERAL COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS. Dr. Aguinaldo Nardi Presidente da SBU

AUDIENCIA PÚBLICA SENADO FEDERAL COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS. Dr. Aguinaldo Nardi Presidente da SBU AUDIENCIA PÚBLICA SENADO FEDERAL COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS Dr. Aguinaldo Nardi Presidente da SBU Senado Federal, 16 de maio de 2013 PNAISH - Primórdios. 1988 Criação do SUS Constituição Federal - Art.

Leia mais

Colesterol O que é Isso? Trabalhamos pela vida

Colesterol O que é Isso? Trabalhamos pela vida Colesterol O que é Isso? X O que é o Colesterol? Colesterol é uma gordura encontrada apenas nos animais Importante para a vida: Estrutura do corpo humano (células) Crescimento Reprodução Produção de vit

Leia mais

Redações vencedoras I Concurso de Redação

Redações vencedoras I Concurso de Redação Redações vencedoras I Concurso de Redação 1 Lugar Aluno: Julia Stefani Moraes Professora: Regina M. Macedo de Melo Castro Informação: A melhor maneira de combater o câncer Penso que falar sobre este assunto

Leia mais

Cancro Gástrico. Prevenção, Diagnóstico e Tratamento. Cancro Digestivo. 30 de Setembro 2006. Organização. Sponsor. Apoio.

Cancro Gástrico. Prevenção, Diagnóstico e Tratamento. Cancro Digestivo. 30 de Setembro 2006. Organização. Sponsor. Apoio. Organização Sponsor Cancro Gástrico Prevenção, Diagnóstico e Tratamento Apoio Secretariado Central Park R. Alexandre Herculano, Edf. 1-4º C 2795-240 Linda-a-Velha Telefones: 21 430 77 40/1/2/3/4 Fax: 21

Leia mais

O Câncer de Próstata. O que é a Próstata

O Câncer de Próstata. O que é a Próstata O Câncer de Próstata O câncer de próstata é o segundo tumor mais comum no sexo masculino, acometendo um em cada seis homens. Se descoberto no início, as chances de cura são de 95%. O que é a Próstata A

Leia mais

DOENÇAS RELACIONADAS COM O TABACO

DOENÇAS RELACIONADAS COM O TABACO DOENÇAS RELACIONADAS COM O TABACO BOCA E FARINGE Cancro CÉREBRO Acidente vascular cerebral LARINGE E TRAQUEIA Cancro Inflamação CORAÇÃO Doença coronária/ Enfarte ESÓFAGO E ESTÔMAGO Cancro Úlcera PÂNCREAS

Leia mais

A pessoa dependente do álcool, além de prejudicar a sua própria vida, acaba afetando a sua família, amigos e colegas de trabalho.

A pessoa dependente do álcool, além de prejudicar a sua própria vida, acaba afetando a sua família, amigos e colegas de trabalho. O que é Alcoolismo? Alcoolismo é a dependência do indivíduo ao álcool, considerada doença pela Organização Mundial da Saúde. O uso constante, descontrolado e progressivo de bebidas alcoólicas pode comprometer

Leia mais

UNILAB no Outubro Rosa Essa luta também é nossa. CUIDAR DA SAÚDE É UM GESTO DE AMOR À VIDA. cosbem COORDENAÇÃO DE SAÚDE E BEM-ESTAR www.unilab.edu.

UNILAB no Outubro Rosa Essa luta também é nossa. CUIDAR DA SAÚDE É UM GESTO DE AMOR À VIDA. cosbem COORDENAÇÃO DE SAÚDE E BEM-ESTAR www.unilab.edu. UNILAB no Outubro Rosa Essa luta também é nossa. CUIDAR DA SAÚDE É UM GESTO DE AMOR À VIDA. cosbem COORDENAÇÃO DE SAÚDE E BEM-ESTAR www.unilab.edu.br CUIDAR DA SUA SAÚDE É UM GESTO DE AMOR À VIDA. As mamas

Leia mais

ATCHIM!! Gripe Suína. Influenza A. Conheça essa doença que está assustando todo mundo...

ATCHIM!! Gripe Suína. Influenza A. Conheça essa doença que está assustando todo mundo... ATCHIM!! Gripe Suína Influenza A Conheça essa doença que está assustando todo mundo... Coordenadoria de Assistência Social da Universidade de São Paulo Divisão de Promoção Social Educação em Saúde São

Leia mais