AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0043131-69.2013.8.19.0000"

Transcrição

1 TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA TERCEIRA CÂMARA CÍVEL AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº AGRAVANTE: ESTADO DO RIO DE JANEIRO réu AGRAVADO: WLADIMIR DAVID LOPES autor RELATORA DESIGNADA: DES. SIRLEY ABREU BIONDI Agravo de Instrumento. Tutela antecipatória deferida em Ação de Obrigação de Fazer. Agravante que possui aparelho auditivo coclear, visando à preservação da sua audição, implantado no Estado de São Paulo. Necessidade de manutenção do aparelho. Entendimento do Juízo a quo, no sentido de que presentes a verossimilhança das alegações do autor e o receio de dano irreparável ou de difícil reparação que autorizam a concessão de antecipação de tutela requerida. Direito à saúde protegido constitucionalmente. Observância à Súmula nº 59 do Tribunal de Justiça, de modo a prevalecer a decisão guerreada. DESPROVIMENTO DO RECURSO. Vistos, relatados e discutidos os recursos de AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº , em que figura, como agravante o ESTADO DO RIO DE JANEIRO, e agravado WLADIMIR DAVID LOPES, ACORDAM os Desembargadores que compõem a Décima Terceira Câmara Cível do Tribunal de

2 2 Justiça do Estado do Rio de Janeiro, POR MAIORIA, em NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO, nos termos do voto da Desembargadora Relatora designada. RELATÓRIO Insurge-se o agravante contrariamente à decisão acostada às fls. 102/103 que DEFERIU pedido de antecipação de tutela nos seguintes termos: Trata-se de pedido de antecipação de tutela formulado em AÇÃO DE OBRIGAÇÃO DE FAZER, visando compelir os réus a custear a manutenção de seu aparelho coclear, objetivando a preservação de sua audição. O aparelho já esta instalado e o pedido é tão somente para a sua manutenção. Mediante análise dos fatos e dos documentos acostados aos autos, vislumbra-se a prova inequívoca e a verossimilhança das alegações, nos termos do art. 273 do C.P.C. que autorizam a concessão da tutela antecipada, pois além da existência de prova documental consistente em laudos médicos que atestam a necessidade de utilização do aparelho, e da hipossuficiência não afastada pelos réus, é indiscutível o dever do Poder Público em fornecer tratamento médico e hospitalar eficiente a qualquer cidadão. Isto exposto, defiro a tutela antecipada determinando aos réus que procedam ao custeio da manutenção do aparelho auditivo do autor, em instalação pública de saúde, no prazo de 20 (dias), sob pena de multa única no valor de R$ 3.000,00. Intimem-se, pessoalmente, os secretários de saúde para o cumprimento da liminar deferida. Certifique-se a resposta do MRJ. Após, às partes em provas. O agravante sustenta, em apertada síntese, que: a) os requisitos para a antecipação de tutela não estão presentes, já que não há periculum in mora, uma vez que a vida do autor não está ameaçada nem há riscos à sua integridade física; b) o aparelho não devolve a audição normal, mas apenas proporciona a percepção de sons de qualidade diferente, logo, não há urgência na medida pleiteada, já que a enfermidade sofrida permanecerá; c) a

3 3 manutenção da r. decisão agravada esgotará o objeto da ação sem que seja dada oportunidade ao Estado do Rio de Janeiro de produção de provas aptas a elucidar o caso, em flagrante violação aos princípios do contraditório e ampla defesa; d) o implante coclear é procedimento de alta complexidade e, por esta razão, de obrigação da União, sendo certo que a manutenção dos equipamentos utilizados no procedimento não se encontra nas listas de procedimentos do Ministério da Saúde de assistência terapêutica a ser prestada pelo SUS, nos termos da Lei n /2011, sendo de responsabilidade da União a inserção de novos procedimentos terapêuticos na tabela do SUS e o repasse de verba correspondente; e) os insumos necessários para a manutenção do equipamento, como baterias, não se enquadram na categoria de medicamento, logo, seu eventual fornecimento não pode ser fundamentado no dispositivo constitucional que assegura o direito à saúde, mas sim na área de assistência social; f) o Poder Judiciário não pode determinar através de decisões judiciais como o orçamento público deve ser gasto; g) a multa cominada para o caso de descumprimento no valor de R$ 3.000,00 (três mil reais) fere os princípios da proporcionalidade e razoabilidade À fl. 31 consta decisão da Relatoria do Des. Fernando Fernandy Fernandes deferindo pedido de concessão de efeito suspensivo ao presente recurso. O agravado apresentou contrarrazões às fls. 39/44, pugnando pelo desprovimento do recurso. Parecer da douta Procuradoria de Justiça às fls. 46/54, pelo desprovimento do recurso. O Juízo de Primeira Instância trouxe as informações de fls. 59/58, comunicando que o agravante cumpriu o disposto no art. 526 do CPC e que a decisão hostilizada foi mantida. É o sucinto relatório.

4 4 VOTO Da análise dos autos e dos documentos que o instruem, depreende-se o total inconformismo do agravante com a decisão que deferiu o pedido de antecipação da tutela de mérito. Ocorre que a decisão encontra-se embasada na prova constante dos autos, somente cabendo reforma da referida decisão em Segunda Instância, se esta for contrária à lei ou à prova dos autos ou teratológica, o que não ocorreu. Mais uma vez deve ser lembrado que o direito à saúde é constitucionalmente assegurado a todos os cidadãos, sendo responsabilidade do Estado (gênero) prover os meios para atender a todos. Eventuais divisões de atribuição não poderão ser opostas aos cidadãos de modo que União, Estados e Municípios se esquivem de suas responsabilidades. A Jurisprudência é remansa ao reconhecer a solidariedade e responsabilidade de todos os entes da Federação no que concerne ao Direito à Saúde. Para ilustrar, trago o verbete nº 65 da súmula do TJRJ: Deriva-se dos mandamentos dos artigos 6. e 196 da Constituição Federal de 1988 e da Lei n /90, a responsabilidade solidaria da União, Estados e Municípios, garantindo o fundamental direito a saúde e conseqüente antecipação da respectiva tutela. No que tange à antecipação os efeitos da tutela, há muito tempo é figura plenamente aceita pelos Tribunais, não havendo que se falar em inconstitucionalidade ou ofensa aos princípios do devido processo legal, contraditório ou ampla defesa. O Direito à saúde, constitucionalmente assegurado, quando fundamento para a concessão de tutela

5 5 de urgência não se submete a tais parâmetros ante a premência de sua natureza. Não há como postergar a prestação de saúde a uma pessoa que corre o risco de morrer hoje para o final de uma demanda judicial. O direito à vida é inegociável. Este eg. Tribunal não é insensível à questão e comunga do mesmo entendimento, como se depreende dos julgados das diversas Câmaras deste Sodalício que ora colaciono (grifei): AGRAVO LEGAL - FORNECIMENTO DE MEDICAMENTO TUTELA ANTECIPADA - MANUTENÇÃO DA DECISÃO Possível o deferimento de liminar contra Fazenda Pública, na forma de súmula 60 deste Tribunal. Choque dialético o princípio da separação dos poderes com o princípio do acesso universal e igualitário às ações e serviços de proteção da saúde. Prevalece a tutela jurisdicional quanto ao dever do Estado em prestar todo o auxílio possível aos cidadãos atingidos por qualquer mazela de saúde, restando em segundo plano quaisquer outras distinções teóricas que se possam suscitar no que se refere à estrutura organizatória do Estado. A existência de normas regulando a prestação da saúde não afasta a responsabilidade concorrente entre os entes da Federação no sentido de garantir o fornecimento dos medicamentos necessários ao restabelecimento da saúde da demandante. Decisão que não merece reforma, pois se reveste de absoluta juridicidade, sabido que a súmula 59 deste Tribunal somente aconselha modificação de decisões concessivas ou denegatórias de pleito liminar nos casos de teratologia ou afronta à lei ou à prova dos autos. Negado provimento ao recurso ( Agravo de Instrumento- Des. Edson Vasconcelos - Julgamento: 18/12/ Decima Sétima Câmara Cível). AGRAVO DE INSTRUMENTO. REITERADO DESCUMPRIMENTO DE MEDIDA ANTECIPATÓRIA DOS EFEITOS DA TUTELA. FORNECIMENTO DE MEDICAMENTOS. ACESSO À SAÚDE. DIREITO SOCIAL FUNDAMENTAL.

6 6 SEQUESTRO ON LINE DE VERBAS PÚBLICAS. CABIMENTO. Deferimento da antecipação dos efeitos da tutela, sob o fundamento de estarem presentes os seus pressupostos. Garantia constitucional de acesso à saúde. Obrigação solidária dos entes estaduais e municipais. Jurisprudência consolidada no verbete nº. 65, da súmula deste Tribunal de Justiça. Impossibilidade de limitar-se o rol dos medicamentos e tratamentos de que poderá necessitar o paciente. Matéria que foi objeto de amplo debate no Supremo Tribunal Federal, com a realização de audiência pública própria. Ponderação de interesses a justificar a prevalência do direito à vida e à saúde. Reiterado descumprimento da medida antecipada concedida. Ponderação de interesses a justificar a prevalência do direito à vida e à saúde. Inexistência de violação das normas do artigo 100 da Constituição Federal e do artigo 730 do Código de Processo Civil. Medida excepcional de sequestro de verba pública para fornecimento de medicamentos que se justifica no caso dos autos diante do reiterado descumprimento da obrigação. Negativa de seguimento do recurso, com base no caput do artigo 557 do CPC ( Agravo de Instrumento - Des. Denise Levy Tredler - Julgamento: 17/12/ Vigésima Primeira Câmara Cível). AGRAVO DE INSTRUMENTO. DIREITO CONSTITUCIONAL. FORNECIMENTO DE MEDICAMENTOS À PESSOA IDOSA. RENITÊNCIA DOS ENTES PÚBLICOS AO CUMPRIMENTO DA DECISÃO JUDICIAL. BLOQUEIO DA QUANTIA REFERENTE AOS MEDICAMENTOS REQUERIDOS. POSSIBILIDADE. MEDIDA JUDICIAL PROPORCIONAL ÀOS INTERESSES EM JOGO E À RELUTÂNCIA ILEGAL DO ESTADO. MANUTENÇÃO DA DECISÃO. É facultado ao juiz, ao constatar a relutância dos demandados em cumprir a obrigação de fazer determinada, impor as medidas necessárias à efetivação da tutela específica ou da obtenção do resultado prático equivalente. Pessoa idosa e debilitada em sua saúde que espera há mais de seis meses o fornecimento dos medicamentos necessários à preservação de sua vida. Bloqueio dos valores referentes

7 7 ao custeio dos medicamentos que se mostra proporcional aos interesses fundamentais em jogo e à omissão inconstitucional dos estes públicos envolvidos. Manutenção da decisão. Conhecimento e negativa de seguimento ao recurso ( Agravo de Instrumento - Des. Rogerio de Oliveira Souza - Julgamento: 16/12/ Vigésima Segunda Câmara Cível). A necessidade do autor em usar o implante resta comprovada pelo simples fato de ter ele sido aprovado para se submeter ao implante coclear, cuja indicação terapêutica depende de longa avaliação multidisciplinar, haja vista que não é indicado para todo e qualquer caso de perda auditiva. E não há que se falar que a manutenção do aparelho não se enquadra na categoria de medicamento, uma vez que é imprescindível para o bom funcionamento deste e, consequentemente, para que a reabilitação auditiva do paciente possa se dar de forma contínua. Entender o contrário seria dizer que a colocação de um marca-passo se enquadra em na categoria medicamento, mas a troca de sua bateria, não! Ou receber um órgão transplantado e não receber o remédio contra a rejeição! De acordo com informações obtidas no sítio eletrônico do Grupo de Implante Coclear do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (www.implantecoclear.org.br), o aparelho de implante coclear não amplifica os sons como um aparelho auditivo convencional. Ele é um estimulador elétrico, que substitui toda a estrutura do ouvido, papel que consiste na captação do som, transformação do mesmo em estímulo elétrico e estimulação do nervo auditivo diretamente. Portanto é importante compreender que o implante coclear não devolve a audição normal à pessoa e que a qualidade do som percebido é diferente, mas a pessoa com uma

8 8 reabilitação adequada feita depois da cirurgia vai aprendendo a compreender os novos sons. Se a pessoa já escutou antes provavelmente se lembra dos sons. Eles serão diferentes, porém ela poderá associá-los aos sons escutados e então relacionar. Desta forma percebemos que a cirurgia que coloca o implante é apenas o primeiro passo de um longo período de reabilitação auditiva. Ora, se a reabilitação, que irá devolver ao paciente um sentido perdido a audição - depende deste longo processo de aprendizado, é óbvio que a interrupção do processo em razão de defeito ou falta de bateria do aparelho que leve ao seu não funcionamento poderá por a perder anos de trabalho, importando em grave prejuízo na qualidade de vida do autor. Logo, percebe-se que a manutenção do aparelho está englobada pelo processo de reabilitação, uma vez que a colocação da prótese não encerra o tratamento necessário para a recuperação da audição pelo paciente. Por fim, no que tange à multa cominada, não se vislumbra qualquer ofensa aos princípios da razoabilidade e proporcionalidade, não havendo justificativa para a sua minoração. Assim, resta cristalino que os argumentos do agravante não se sustentam, não havendo fundamento para que a decisão vergastada seja reformada. Diante de tudo o que foi exposto, voto no sentido de NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO, mantendo-se integralmente a decisão objurgada. RJ, 19/02/2014. SIRLEY ABREU BIONDI DES. RELATORA

TRIBUNAL DE JUSTIÇA VIGÉSIMA SÉTIMA CAMARA CIVEL/ CONSUMIDOR JDS RELATOR: DES. JOÃO BATISTA DAMASCENO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA VIGÉSIMA SÉTIMA CAMARA CIVEL/ CONSUMIDOR JDS RELATOR: DES. JOÃO BATISTA DAMASCENO TRIBUNAL DE JUSTIÇA VIGÉSIMA SÉTIMA CAMARA CIVEL/ CONSUMIDOR JDS RELATOR: DES. JOÃO BATISTA DAMASCENO AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº. 0017303-37.2014.8.19.0000 AGVTE : UNIMED DE VOLTA REDONDA COOP. TRABALHO

Leia mais

DECISÃO. em processo em trâmite na 3ª Vara de Fazenda Pública da Comarca da Capital,

DECISÃO. em processo em trâmite na 3ª Vara de Fazenda Pública da Comarca da Capital, AGRAVO DE INSTRUMENTO N.º 0000875-77.2014.8.19.0000 AGRAVANTE: ESTADO DO RIO DE JANEIRO AGRAVADA: ÂNGELA MARIA MONTEIRO DA TRINDADE RELATOR: DESEMBARGADOR ALEXANDRE FREITAS CÂMARA Direito Constitucional.

Leia mais

HIDROCEFALIA. LAUDO MÉDICO QUE COMPROVA A NECESSIDADE DO PROCEDIMENTO. DECISÃO DETERMINA A REALIZAÇÃO, SOB PENA DE MULTA

HIDROCEFALIA. LAUDO MÉDICO QUE COMPROVA A NECESSIDADE DO PROCEDIMENTO. DECISÃO DETERMINA A REALIZAÇÃO, SOB PENA DE MULTA DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0022741-44.2014.8.19.0000 AGRAVANTE: MUNICÍPIO DE ARRAIAL DO CABO AGRAVADO: BRYAN RODRIGUES ALVES PINTO REP/S/MÃE NATALY RODRIGUES ALVES DES. RELATOR:

Leia mais

Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro Sétima Câmara Cível

Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro Sétima Câmara Cível AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº: 0057782-77.2011.8.19.0000 AGRAVANTE: UNIMED RIO COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO DO RIO DE JANEIRO LTDA Advogado: Marcelo Neumann Moreiras Pessoa AGRAVADOS: DENISE DA MOTTA CARVALHO

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SEGUNDA CÂMARA CÍVEL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SEGUNDA CÂMARA CÍVEL TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SEGUNDA CÂMARA CÍVEL Agravo de Instrumento nº 0008525-78.2014.8.19.0000 Agravante: MUNICÍPIO DE RIO DAS OSTRAS Agravado: ROSÂNGELA FERREIRA SIMÕES Relatora:

Leia mais

ACÓRDÃO. Rio de Janeiro, 15 / 04 / 2014. Des. Cristina Tereza Gaulia. Relator

ACÓRDÃO. Rio de Janeiro, 15 / 04 / 2014. Des. Cristina Tereza Gaulia. Relator 5ª CÂMARA CÍVEL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº: 0004117-44.2014.8.19.0000 2ª VARA DE TRÊS RIOS Agravante: Município de Três Rios Agravado: Elimar Santos de Carvalho Juiz: Dra. Ana Carolina

Leia mais

P O D E R J U D I C I Á R I O

P O D E R J U D I C I Á R I O Número de Ordem Pauta Não informado Registro: 2011.0000035249 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Agravo de Instrumento nº 0565228-16.2010.8.26.0000, da Comarca de Monte Aprazível, em

Leia mais

AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0055626-48.2013.8.19.0000 AGRAVANTE: JAQUELINE MACIEL LOURENÇO DA SILVA

AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0055626-48.2013.8.19.0000 AGRAVANTE: JAQUELINE MACIEL LOURENÇO DA SILVA AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0055626-48.2013.8.19.0000 AGRAVANTE: JAQUELINE MACIEL LOURENÇO DA SILVA AGRAVADO: INSTITUTO ANALICE LTDA RELATOR: DES. AUGUSTO ALVES MOREIRA JUNIOR AGRAVO DE INSTRUMENTO. DIREITO

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa

ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa J ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa ACÓRDÃO AGRAVO DE INSTRUMENTO N. 200.2010.021029-9 / 001 Relator: Des. José Di Lorenzo Serpa. Agravante: Unimed João Pessoa.

Leia mais

Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro 23ª CÂMARA CÍVEL

Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro 23ª CÂMARA CÍVEL AGRAVO DE INSTRUMENTO n º 0009211-70.2014.8.19.0000 AGRAVANTE: RONALDO LIMA BUARQUE DE NAZARETH AGRAVADA: APPAI ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE DOS PROFESSORES PÚBLICOS ATIVOS E INATIVOS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL Agravo de Instrumento nº 0005022-49.2014.8.19.0000 Agravante: Município de Três Rios Agravado: Gabriel Estanislau da Rocha Alves

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SEXTA CÂMARA CÍVEL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SEXTA CÂMARA CÍVEL TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SEXTA CÂMARA CÍVEL Agravo de Instrumento nº 0005511-86.2014.8.19.0000 Agravante: ESTADO DO RIO DE JANEIRO Agravado: ROBERTO RIBEIRO BALTAZAR REPRESENTANTE:

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL TRIBUNAL DE JUSTIÇA DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL Apelação Cível nº. 0096526-41.2011.8.19.0001 Apelante: Amil Assistência Médica Internacional S/A Apelado: Raul Ricardo Raposo Filho Relator: Des. Elton M.

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR LUIZ SÍLVIO RAMALHO JÚNIOR

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR LUIZ SÍLVIO RAMALHO JÚNIOR PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR LUIZ SÍLVIO RAMALHO JÚNIOR Agravo de Instrumento n 2002008013858-5/001. Relator : Desembargador Luiz Silvio Ramalho Júnior.

Leia mais

Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro. Agravo de Instrumento: 0012915-91.2014.8.19.0000

Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro. Agravo de Instrumento: 0012915-91.2014.8.19.0000 FLS.1 Agravante: GLAUCO FIOROTT AMORIM Agravado: DIRETOR DO DEPARTAMENTO DE TRÂNSITO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - DETRAN AGRAVO DE INSTRUMENTO. MANDADO DE SEGURANÇA. LEI SECA. RECUSA AO TESTE DO BAFÔMETRO.

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA NONA CÂMARA CÍVEL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA NONA CÂMARA CÍVEL AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0012063-04.2013.8.19.0000 AGRAVANTE: MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO AGRAVADO: JULIANA SILVA DE OLIVEIRA RELATOR: Des. EDUARDO DE AZEVEDO PAIVA EMENTA AGRAVO DE INSTRUMENTO. FAZENDA

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO Registro: 2016.0000028181 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos de Agravo de Instrumento nº 2231820-97.2015.8.26.0000, da Comarca de São Paulo, em que é agravante FACEBOOK SERVIÇOS ONLINE

Leia mais

1.0317.10.007297-2/001

1.0317.10.007297-2/001 <CABBCDCAABBAACDAADDAAACDBADABCABACDAADDADAAAD> Acórdãos na Íntegra 146000101548 Tribunal: Tribunal De Justiça Do Estado De Minas Gerais Órgão Julgador: 1ª C.Cív. Tipo do Recurso: AI Nº Processo: 1.0317.10.007297-2/001 Relator(a): Rel. Armando Freire

Leia mais

: DESEMBARGADOR CARLOS AZEREDO DE ARAÚJO

: DESEMBARGADOR CARLOS AZEREDO DE ARAÚJO Relator : DESEMBARGADOR CARLOS AZEREDO DE ARAÚJO Agravante : WMS SUPERMERCADOS DO BRASIL LTDA Agravada : MINISTÉRIO PÚBLICO EMENTA AGRAVO DE INSTRUMENTO. AÇÃO CIL PÚBLICA. DEFERIMENTO DE TUTELA ANTECIPADA.

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL Agravo de Instrumento nº 0052654-08.2013.8.19.0000 Agravante: Município de Armação de Búzios Agravado: Lidiany da Silva Mello

Leia mais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais Número do 1.0701.11.038426-3/001 Númeração 0384263- Relator: Relator do Acordão: Data do Julgamento: Data da Publicação: Des.(a) Versiani Penna Des.(a) Versiani Penna 14/11/2013 25/11/2013 EMENTA: APELAÇÃO

Leia mais

ACÓRDÃO. ALMEIDA ADVOGADOS ASSOCIADOS e agravado MESQUITA BARROS ADVOGADOS, ACORDAM

ACÓRDÃO. ALMEIDA ADVOGADOS ASSOCIADOS e agravado MESQUITA BARROS ADVOGADOS, ACORDAM AGRAVO INOMINADO NO AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0019225-16.2014.8.19.0000 AGTE. CAMARA DIBE E ALMEIDA ADVOGADOS ASSOCIADOS AGDO. MESQUITA BARROS ADVOGADOS RELATOR: DESEMBARGADOR MAURICIO CALDAS LOPES Ação

Leia mais

0803495-29.2015.4.05.8500 - AÇÃO CIVIL PÚBLICA MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL UNIÃO FEDERAL

0803495-29.2015.4.05.8500 - AÇÃO CIVIL PÚBLICA MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL UNIÃO FEDERAL PROCESSO Nº: 0803495-29.2015.4.05.8500 - AÇÃO CIVIL PÚBLICA AUTOR: MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL RÉU: UNIÃO FEDERAL (e outros) 3ª VARA FEDERAL - JUIZ FEDERAL TITULAR ADMINISTRATIVO. CONSTITUCIONAL. AÇÃO CIVIL

Leia mais

Direito Constitucional Peças e Práticas

Direito Constitucional Peças e Práticas PETIÇÃO INICIAL RECLAMAÇÃO CONSTITUCIONAL ASPECTOS JURÍDICOS E PROCESSUAIS DA RECLAMAÇÃO Trata-se de verdadeira AÇÃO CONSTITUCIONAL, a despeito da jurisprudência do STF a classificar como direito de petição

Leia mais

TERCEIRA TURMA RECURSAL JUIZADOS ESPECIAIS FEDERAIS SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ

TERCEIRA TURMA RECURSAL JUIZADOS ESPECIAIS FEDERAIS SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ Autos nº: 201070500120051 Recorrentes/Recorridos: União Federal, Estado do Paraná, Município de Curitiba e Ester Ulissea Klettenberg Relator: Juiz Federal Eduardo Appio V O T O 1. Trata-se de pedido de

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR JOÃO ALVES DA SILVA ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL N. 200.2011.007481-8/001 RELATORA : Vanda Elizabeth Marinho Juíza Convocada APELANTE : Adriano Damasceno

Leia mais

Nº 70011932688 COMARCA DE CACHOEIRINHA A C Ó R D Ã O

Nº 70011932688 COMARCA DE CACHOEIRINHA A C Ó R D Ã O ALIMENTOS. REVISÃO. PRINCÍPIO DA PROPORCIONALDIADE. COISA JULGADA. Fixados os alimentos desatendendo ao princípio da proporcionalidade, cabível sua revisão, ainda que não tenha ocorrido alteração no binômio

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SEXTA CÂMARA CIVEL APELAÇÃO CÍVEL Nº 0371286-11.2010.8.19.0001 APELANTE 1: BRADESCO SAÚDE S/A APELANTE 2: VALÉRIA MELLO DA SILVA APELADOS: OS MESMOS RELATOR: DESEMBARGADOR JOSÉ ROBERTO PORTUGAL

Leia mais

DECISÃO MONOCRÁTICA. A indenização deve ser compatível com a reprovabilidade da conduta e a gravidade do dano produzido.

DECISÃO MONOCRÁTICA. A indenização deve ser compatível com a reprovabilidade da conduta e a gravidade do dano produzido. DÉCIMA SEXTA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO Nº. 04239-85/2009.0209 APELANTE: AMIL ASSISTÊNCIA MÉDICA INTERNANCIONAL LTDA. APELADO: ILTON GAZANO RELATOR: DES. LINDOLPHO MORAIS MARINHO DECISÃO MONOCRÁTICA CONSUMIDOR.

Leia mais

ar, Poder Judiciário Tribunal de Justiça da Paraíba Gabinete do Desembargador Jorge Ribeiro Nábrega

ar, Poder Judiciário Tribunal de Justiça da Paraíba Gabinete do Desembargador Jorge Ribeiro Nábrega :._ * 190\' ar, Poder Judiciário Tribunal de Justiça da Paraíba Gabinete do Desembargador Jorge Ribeiro Nábrega ACÓRDÃO AGRAVO DE INSTRUMENTO N. 200.2004.0624948 Oriundo a 8a Vara Cível da Comarca da Capital

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE GOIÁS Gabinete do Desembargador Ney Teles de Paula

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE GOIÁS Gabinete do Desembargador Ney Teles de Paula AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 250603-48.2015.8.09.0000 (201592506038) COMARCA DE GOIÁS AGRAVANTE AGRAVADO RELATOR : BRASINEIDE CLEMENTE FERREIRA PIMENTA : DELEGADO GERAL DA POLÍCIA CIVIL DO ESTADO DE GOIÁS

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 4ª CÂMARA CÍVEL Relator: Desembargador SIDNEY HARTUNG

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 4ª CÂMARA CÍVEL Relator: Desembargador SIDNEY HARTUNG TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 4ª CÂMARA CÍVEL Relator: Desembargador SIDNEY HARTUNG Agravo Interno na APELAÇÃO N.º 0001126-86.2007.8.19.0050 Apelante: ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Apelado:

Leia mais

Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro Vigésima Primeira Câmara Cível

Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro Vigésima Primeira Câmara Cível M Poder Judiciário Apelação Cível nº. 0312090-42.2012.8.19.0001 Apelante: COMPANHIA ESTADUAL DE ÁGUAS E ESGOTOS CEDAE Advogado: Dr. Luiz Carlos Zveiter Apelado: ASSOCIAÇÃO DE OFICIAIS MILITARES ESTADUAIS

Leia mais

Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro 17ª Câmara Cível

Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro 17ª Câmara Cível Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro 17ª Câmara Cível APELAÇÃO CÍVEL Nº 0018776-5.2009.8.19.0206 APELANTE: ALENCAR DA SILVA NOGUEIRA FILHO APELADO 1: AMICO SAÚDE LTDA APELADO 2 : ASSOCIAÇÃO

Leia mais

Nº 222317/2015 - ASJTC/SAJ/PGR

Nº 222317/2015 - ASJTC/SAJ/PGR Nº 222317/2015 - ASJTC/SAJ/PGR Suspensão de Liminar 916 Relator: Ministro Presidente Requerente: Município de Barra do Garças Requerido: Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso Interessados: Sindicato

Leia mais

Os argumentos expostos pela banca foram: Não cabe mandado de segurança pelas seguintes razões: 1) É inviável a postulação de perdas e danos.

Os argumentos expostos pela banca foram: Não cabe mandado de segurança pelas seguintes razões: 1) É inviável a postulação de perdas e danos. FUNDAMENTOS PARA O CABIMENTO DE MANDADO DE SEGURANÇA NA PROVA DE 2º FASE DE DIREITO CONSTITUCIONAL DO IX EXAME DA OAB. A sempre justa banca de Direito Constitucional cometeu, ao meu ver, um grande equivoco

Leia mais

Poder Judiciário da União Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios

Poder Judiciário da União Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios Poder Judiciário da União Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios Órgão 1ª Turma Cível Processo N. Agravo de Instrumento 20130020241390AGI Agravante(s) GOLDEN CROSS ASSISTENCIA INTERNACIONAL

Leia mais

26ª Câmara Cível / Consumidor Apelação Cível Processo nº 0165330-90.2013.8.19.0001

26ª Câmara Cível / Consumidor Apelação Cível Processo nº 0165330-90.2013.8.19.0001 VIGÉSIMA SEXTA CÂMARA CÍVEL / CONSUMIDOR APELAÇÃO CÍVEL PROCESSO Nº 0165330-90.2013.8.19.0001 APELANTE: MASTERCARD BRASIL SOLUÇÕES DE PAGAMENTO LTDA APELANTE: THEREZA ZETTEL CARNEIRO APELADOS: OS MESMOS

Leia mais

1005895-57.2016.8.26.0100 - lauda 1

1005895-57.2016.8.26.0100 - lauda 1 fls. 372 SENTENÇA Processo Digital nº: 1005895-57.2016.8.26.0100 Classe - Assunto Procedimento Comum - Planos de Saúde Requerente: Requerido: UNIMED PAULISTANA SOCIEDADE COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL Agravo de Instrumento nº 0010478-77.2014.8.19.0000 Agravante: Othelo Fernando Schaefer Agravado: Levinda Fernandes de Souza Pinto

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA SEGUNDA CÂMARA CÍVEL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA SEGUNDA CÂMARA CÍVEL TRIBUNAL DE JUSTIÇA SEGUNDA CÂMARA CÍVEL Apelação Cível nº. 0120754-14.2010.8.19.0002 Apelante: UNIMED SÃO GONÇALO NITERÓI SOCIEDADE COOPERATIVA DE SERVIÇOS MÉDICOS E HOSPITALARES LTDA Apelado: MARIA EMÍLIA

Leia mais

Poder Judiciário da União Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios

Poder Judiciário da União Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios Poder Judiciário da União Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios Órgão 1ª Turma Cível Processo N. Agravo de Instrumento 20130020182952AGI Agravante(s) ISABEL SILVA SOUSA rep. por NAGILA

Leia mais

ESTADO DO PIAUÍ PODER JUDICIÁRIO COMARCA DE PAULISTANA

ESTADO DO PIAUÍ PODER JUDICIÁRIO COMARCA DE PAULISTANA ESTADO DO PIAUÍ PODER JUDICIÁRIO COMARCA DE PAULISTANA AÇÃO CIVIL PÚBLICA PROCESSO Nº 00000064-20.2012.8.18.000064 AUTOR: MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PIAUI RÉUS: MUNICÍPIO DE PAULISTANA/PI e OUTRO

Leia mais

AC no 001.2010.024808-5/001 1

AC no 001.2010.024808-5/001 1 1 Poder Judiciário da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves do Egito de A. D. Ferreira ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL No 001.2010.024808-5/001 - CAMPINA GRANDE RELATOR: Juiz Marcos

Leia mais

OITAVA CÂMARA CÍVEL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

OITAVA CÂMARA CÍVEL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO OITAVA CÂMARA CÍVEL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO APELAÇÃO CÍVEL Nº 2008.001.56923 APELANTE: BRADESCO SAÚDE S/A APELADA: VÂNIA FERREIRA TAVARES RELATORA: DES. MÔNICA MARIA COSTA APELAÇÃO

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA OITAVA CÂMARA CÍVEL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA OITAVA CÂMARA CÍVEL TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA OITAVA CÂMARA CÍVEL Agravo de Instrumento nº 0005243-32.2014.8.19.0000 5ª Vara de Fazenda Pública da Comarca da Capital Agravante: Fundo Único de

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO. Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO. Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo ACÓRDÃO ACÓRDÃO Registro: 2013.0000251389 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 0128060-36.2010.8.26.0100, da Comarca de São Paulo, em que é apelante AGÊNCIA ESTADO LTDA, é apelado IGB ELETRÔNICA

Leia mais

VIGÉSIMA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL

VIGÉSIMA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL VIGÉSIMA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL AGRAVO REGIMENTAL APELAÇÃO CÍVEL Nº 0040369-87.2007.8.19.0001 AGRAVANTE: DEPARTAMENTO DE TRÂNSITO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DETRAN/RJ AGRAVADA: UNIÃO DAS CLÍNICAS DE TRÂNSITO

Leia mais

PROCESSO Nº: 0800340-07.2015.4.05.0000 - AGRAVO DE INSTRUMENTO RELATÓRIO

PROCESSO Nº: 0800340-07.2015.4.05.0000 - AGRAVO DE INSTRUMENTO RELATÓRIO RELATÓRIO O DESEMBARGADOR FEDERAL ÉLIO SIQUEIRA (RELATOR CONVOCADO): Agravo de Instrumento manejado em face da decisão que deferiu o pedido de antecipação dos efeitos de tutela, determinando que a União

Leia mais

Relator: JARBAS GOMES Órgão Julgador: 11ª CÂMARA DE DIREITO PÚBLICO

Relator: JARBAS GOMES Órgão Julgador: 11ª CÂMARA DE DIREITO PÚBLICO fls. 104 Relator: JARBAS GOMES Órgão Julgador: 11ª CÂMARA DE DIREITO PÚBLICO Vistos. Trata-se de agravo de instrumento interposto por GRACEDES DO CARMO BONIZIOLI, contra a r. decisão que, em sede de ação

Leia mais

A C Ó R D Ã O Nº 70067495689 (Nº CNJ: 0434946-98.2015.8.21.7000) COMARCA DE PORTO ALEGRE AGRAVANTE LUIS FERNANDO MARTINS OLIVEIRA

A C Ó R D Ã O Nº 70067495689 (Nº CNJ: 0434946-98.2015.8.21.7000) COMARCA DE PORTO ALEGRE AGRAVANTE LUIS FERNANDO MARTINS OLIVEIRA AGRAVO DE INSTRUMENTO. MANDADO DE SEGURANÇA. SERVIDOR PÚBLICO. DELEGADO DE POLÍCIA. AFASTAMENTO PREVENTIVO DO CARGO. REQUISITOS PARA A MEDIDA LIMINAR. 1. A concessão de medida liminar em mandado de segurança

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO fls. 1 ACÓRDÃO Registro: 2012.0000649470 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Agravo de Instrumento nº 0184665-40.2012.8.26.0000, da Comarca de São Paulo, em que é agravante são agravados (NÃO

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DÉCIMA NONA CÂMARA CÍVEL RELATOR: DES. MARCOS ALCINO DE AZEVEDO TORRES

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DÉCIMA NONA CÂMARA CÍVEL RELATOR: DES. MARCOS ALCINO DE AZEVEDO TORRES TRIBUNAL DE JUSTIÇA DÉCIMA NONA CÂMARA CÍVEL RELATOR: DES. MARCOS ALCINO DE AZEVEDO TORRES APELAÇÃO CÍVEL Nº. 0373149-36.2009.8.19.0001 APTE: VIVO S.A. APDO: MINISTERIO PUBLICO Apelação Cível. Ação civil

Leia mais

Doc.: 2305. Pag.: 1 1ª VARA DO TRABALHO DE BELO HORIZONTE MG PROCESSO Nº 0001153-71.2014.503.0001

Doc.: 2305. Pag.: 1 1ª VARA DO TRABALHO DE BELO HORIZONTE MG PROCESSO Nº 0001153-71.2014.503.0001 1ª VARA DO TRABALHO DE BELO HORIZONTE MG PROCESSO Nº 0001153-71.2014.503.0001 Pag.: 1 Aos 02 dias do mês de outubro de 2015, às 17h44 na sala de audiência desta Vara, por determinação da MMª Juíza do Trabalho

Leia mais

A requerente sustenta, mais, em síntese:

A requerente sustenta, mais, em síntese: A Agência Nacional de Transportes Terrestres - ANTT, com fundamento no art. 4º da Lei 4.348/64, requer a suspensão da execução da medida liminar concedida pelo relator do Mandado de Segurança nº 2006.01.00.043354-2

Leia mais

QUINTA CÂMARA CÍVEL Apelação Cível nº 0362045-42.2012.8.19.0001 Relator: DES. HENRIQUE CARLOS DE ANDRADE FIGUEIRA

QUINTA CÂMARA CÍVEL Apelação Cível nº 0362045-42.2012.8.19.0001 Relator: DES. HENRIQUE CARLOS DE ANDRADE FIGUEIRA QUINTA CÂMARA CÍVEL Apelação Cível nº 0362045-42.2012.8.19.0001 Relator: DES. HENRIQUE CARLOS DE ANDRADE FIGUEIRA ADMINISTRATIVO. RESPONSABILIDADE CIVIL DO ESTADO. AÇÃO DE COBRANÇA. TRATAMENTO MÉDICO PRESTADO

Leia mais

Nº 70053391546 COMARCA DE FELIZ CONSTRUTORA SC LTDA A C Ó R D Ã O

Nº 70053391546 COMARCA DE FELIZ CONSTRUTORA SC LTDA A C Ó R D Ã O APELAÇÃO CÍVEL. LICITAÇÃO. MULTA APLICADA EM RAZÃO DE ATRASO NA EXECUÇÃO DE OBJETO DO CONTRATO. NECESSIDADE DE ABERTURA DE PRAZO PARA DEFESA PRÉVIA. A imposição de qualquer das penalidades previstas nos

Leia mais

DESENVOLVIMENTO VÁLIDO E REGULAR DO PROCESSO - QUESTÃO DE ORDEM PÚBLICA - EXTINÇÃO DO FEITO SEM JULGAMENTO DO MÉRITO - ART. 557, DO CPC.

DESENVOLVIMENTO VÁLIDO E REGULAR DO PROCESSO - QUESTÃO DE ORDEM PÚBLICA - EXTINÇÃO DO FEITO SEM JULGAMENTO DO MÉRITO - ART. 557, DO CPC. AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 929977-6, DO FORO REGIONAL DE FAZENDA RIO GRANDE DA COMARCA DA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA - VARA CÍVEL E ANEXOS AGRAVANTE : ROBERTO GOMES DA SILVA AGRAVADO : BANCO SANTANDER

Leia mais

Trata-se de recurso apelatório (fls. 121/131) interposto

Trata-se de recurso apelatório (fls. 121/131) interposto I) ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa APELAÇÃO CÍVEL N. 200.2008.032017-5/001. Relator: Dr. Marcos William de Oliveira Juiz de Direito convocado em substituição

Leia mais

367 PROCESSO ELETRÔNICO

367 PROCESSO ELETRÔNICO DÉCIMA SEXTA CÂMARA CÍVEL PROCESSO ELETRÔNICO (kl) APELAÇÃO Nº. 195804-83/2009-0001 APELANTE: GAMA SAÚDE S. A. APELADO: ALBANO DE SOUZA MARQUES APELANTE: RELATOR: DES. LINDOLPHO MORAIS MARINHO DECISÃO

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA R E L A T O R D E C I S Ã O

TRIBUNAL DE JUSTIÇA R E L A T O R D E C I S Ã O 1 TRIBUNAL DE JUSTIÇA R E L A T O R AGRAVO N. : 0007135-73.2014.8.19.0000-4ª CÂMARA CÍVEL AGRAVANTE : BEGONIA ENTERPRISES INC AGRAVADO : CONDOMÍNIO WATERWAYS RESIDENCIAL AÇÃO : RITO ORDINÁRIO ORIGEM :

Leia mais

D E C I S Ã O. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 4ª CÂMARA CÍVEL Relator: Desembargador SIDNEY HARTUNG

D E C I S Ã O. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 4ª CÂMARA CÍVEL Relator: Desembargador SIDNEY HARTUNG TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 4ª CÂMARA CÍVEL Relator: Desembargador SIDNEY HARTUNG APELAÇÃO CÍVEL Nº 0193026-72.2011.8.19.0001 Apelante (Autor): AMANDA PEIXOTO MARINHO DOS SANTOS Apelado

Leia mais

Decisão. Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro Gabinete da Desembargadora Denise Levy Tredler

Decisão. Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro Gabinete da Desembargadora Denise Levy Tredler VIGÉSIMA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL ORIGEM: 35ª VARA CÍVEL DA COMARCA DA CAPITAL APELAÇÃO CÍVEL Nº: 0177784-10.2010.8.190001 APELANTE: CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO PRAIA GUINLE APELADOS: ADÃO CARVALHO RIBEIRO E OUTROS

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo fls. 35 Registro: 2016.0000031880 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0003042-68.2011.8.26.0003, da Comarca de, em que é apelante/apelado JOSUÉ ALEXANDRE ALMEIDA (JUSTIÇA

Leia mais

149 º 0384698-38.2012.8.19.0001

149 º 0384698-38.2012.8.19.0001 CONSELHO DA MAGISTRATURA Processo nº 0384698-38.2012.8.19.0001 Interessado: VILMA PUGLIESE SEIXAS Suscitante: CARTÓRIO DO 5 OFICIO DE REGISTRO DE IMÓVEIS RELATORA: DES. MARIA SANDRA KAYAT DIREITO Reexame

Leia mais

SENTENÇA. 1004424-84.2015.8.26.0053 Procedimento Ordinário - Anulação de Débito Fiscal L Fazenda Publica do Estado de São Paulo

SENTENÇA. 1004424-84.2015.8.26.0053 Procedimento Ordinário - Anulação de Débito Fiscal L Fazenda Publica do Estado de São Paulo fls. 134 SENTENÇA Processo nº: Classe - Assunto Requerente: Requerido: 1004424-84.2015.8.26.0053 Procedimento Ordinário - Anulação de Débito Fiscal L Fazenda Publica do Estado de São Paulo Juiz(a) de Direito:

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal Ementa e Acórdão Inteiro Teor do Acórdão - Página 1 de 10 16/04/2013 SEGUNDA TURMA AG.REG. NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO 667.692 SÃO PAULO RELATOR : MIN. RICARDO LEWANDOWSKI AGTE.(S) :SUDARCY SANSAO

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA VIGÉSIMA QUINTA CÂMARA CÍVEL/CONSUMIDOR

TRIBUNAL DE JUSTIÇA VIGÉSIMA QUINTA CÂMARA CÍVEL/CONSUMIDOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA VIGÉSIMA QUINTA CÂMARA CÍVEL/CONSUMIDOR APELAÇÃO CÍVEL Nº 0489078-15.2012.8.19.0001 APELANTE: SKY BRASIL SERVIÇOS LTDA. APELADO: MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO RELATORA:

Leia mais

QUARTACÂMARA CÍVEL REEXAME NECESSÁRIO Nº 33071/2012 - CLASSE CNJ - 199 - COMARCA CAPITAL ESTADO DE MATO GROSSO

QUARTACÂMARA CÍVEL REEXAME NECESSÁRIO Nº 33071/2012 - CLASSE CNJ - 199 - COMARCA CAPITAL ESTADO DE MATO GROSSO INTERESSADOS: JOAO LIVALDA ESTADO DE MATO GROSSO Número do Protocolo: 33071/2012 Data de Julgamento: 18-09-2012 E M E N T A REEXAME NECESSÁRIO DE SENTENÇA AÇÃO DE OBRIGAÇÃO DE FAZER TRATAMENTO DE SAÚDE

Leia mais

Visros, relatados e discutidos os presentes autos acima. APELANTE : Banco do Brasil S/A - Adv. Francisco Ari de Oliveira

Visros, relatados e discutidos os presentes autos acima. APELANTE : Banco do Brasil S/A - Adv. Francisco Ari de Oliveira :f 4 ovuei e - ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. MARCOS CAVALCANTI DE ALBUQUERQUE ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL N. 200.2005.065.107-0/001 RELATOR Desembargador Marcos Cavalcanti

Leia mais

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores VICE PRESIDENTE (Presidente sem voto), MARTINS PINTO E ROBERTO SOLIMENE.

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores VICE PRESIDENTE (Presidente sem voto), MARTINS PINTO E ROBERTO SOLIMENE. Registro: 2012.0000194821 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0000885-74.2011.8.26.0019, da Comarca de Americana, em que é apelante FAZENDA DO ESTADO DE SÃO PAULO sendo apelado

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO. Gabinete Desembargador Walter Carlos Lemes AC n. 158325-97 DM

PODER JUDICIÁRIO. Gabinete Desembargador Walter Carlos Lemes AC n. 158325-97 DM APELAÇÃO CÍVEL N. 158325-97.2012.8.09.0011 (201291583254) COMARCA DE APARECIDA DE GOIÂNIA APELANTE : ADÃO MARTINS DE ALMEIDA E OUTRO(S) APELADA : VERA CRUZ S/A 1º INTERES.: MUNICÍPIO DE APARECIDA DE GOIÂNIA

Leia mais

Tribunal Regional Federal da 5ª Região. Gabinete do Desembargador Federal Vladimir Souza Carvalho. PJe-AGRAVO DE INSTRUMENTO 0804097-43.2014.4.05.

Tribunal Regional Federal da 5ª Região. Gabinete do Desembargador Federal Vladimir Souza Carvalho. PJe-AGRAVO DE INSTRUMENTO 0804097-43.2014.4.05. Tribunal Regional Federal da 5ª Região Gabinete do Desembargador Federal Vladimir Souza Carvalho PJe-AGRAVO DE INSTRUMENTO 0804097-43.2014.4.05.0000 AGRTE REPTE ADV AGRDO ORIGEM RELATOR : TIHAGO PEREIRA

Leia mais

Nº 70018581652 COMARCA DE NOVO HAMBURGO A C Ó R D Ã O

Nº 70018581652 COMARCA DE NOVO HAMBURGO A C Ó R D Ã O LEI MARIA DA PENHA. MEDIDAS PROTETIVAS DE URGÊNCIA. AFASTAMENTO DO AGRESSOR DO LOCAL DE TRABALHO DA VÍTIMA. Em boa hora, a Lei 11.340/2006, chamada de Lei Maria da Penha, inseriu no ordenamento jurídico

Leia mais

QUINTA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO Nº 22290/2010 - CLASSE CNJ - 198 - COMARCA CAPITAL WANIA APARECIDA OLIVEIRA BRAGA - ME APELADO: BANCO ITAÚ S. A.

QUINTA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO Nº 22290/2010 - CLASSE CNJ - 198 - COMARCA CAPITAL WANIA APARECIDA OLIVEIRA BRAGA - ME APELADO: BANCO ITAÚ S. A. APELANTE: WANIA APARECIDA OLIVEIRA BRAGA - ME APELADO: BANCO ITAÚ S. A. Número do Protocolo: 22290/2010 Data de Julgamento: 9-6-2010 EMENTA APELAÇÃO CÍVEL - AÇÃO DECLARATÓRIA - CONSIGNAÇÃO EXTRAJUDICIAL

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PODER JUDICIÁRIO

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PODER JUDICIÁRIO SEXTA CÂMARA CÍVEL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Agravo de Instrumento nº 0030022-85.2013.8.19.0000 Agravante: LUCIENE FERREIRA DA SILVA Agravado: LEASING PANAMÁ EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS LTDA Relatora: DES.

Leia mais

AG no 200.2010.043.951-8/001 1. ~jr t ' 1891

AG no 200.2010.043.951-8/001 1. ~jr t ' 1891 e AG no 200.2010.043.951-8/001 1 ACÓRDÃO ~jr t ' 1891 egirr, X1.0 gin-1151% Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves do Egito de A. D. Ferreira

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa

ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL N. 078.2009.000134-4/001. Relator: Des. José Di Lorenzo Serpa. Apelante: BSE S/A Claro (Adv. Rossana

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO Registro: 2016.0000057498 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos de Agravo de Instrumento nº 2206951-70.2015.8.26.0000, da Comarca de São Paulo, em que é agravante FACEBOOK SERVIÇOS ONLINE

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO - 4ª REGIÃO RIO GRANDE DO SUL Fl. 1. 22ª Vara do Trabalho de Porto Alegre

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO - 4ª REGIÃO RIO GRANDE DO SUL Fl. 1. 22ª Vara do Trabalho de Porto Alegre Fl. 1 Autor: Ministério Público do Trabalho Réu: Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio Grande do Sul VISTOS, ETC. Ministério Público do Trabalho ajuíza ação trabalhista contra Sindicato

Leia mais

MEDIDA CAUTELAR Nº 256656-16.2013.8.09.0000 (201392566568) COMARCA DE GOIÂNIA

MEDIDA CAUTELAR Nº 256656-16.2013.8.09.0000 (201392566568) COMARCA DE GOIÂNIA MEDIDA CAUTELAR Nº 256656-16.2013.8.09.0000 (201392566568) COMARCA DE GOIÂNIA REQUERENTE : GUILHERME COSTA CABRAL REQUERIDA : SOCIEDADE GOIANA DE CULTURA PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS - PUC/GO

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal MEDIDA CAUTELAR NA RECLAMAÇÃO 19.511 DISTRITO FEDERAL RELATOR : MIN. GILMAR MENDES RECLTE.(S) :SINDICATO ESTADUAL DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO DO RIO DE JANEIRO - SEPE/RJ ADV.(A/S) :ITALO PIRES AGUIAR

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa

ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa ; ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa AGRAVO DE INSTRUMENTO N 2 001.2009.023327-9 / 001 Relator: Des. José Di Lorenzo Serpa Agravante: Johnson de Lima ME Advogado:

Leia mais

APELAÇÃO/REEXAME NECESSÁRIO Nº 5017968-34.2014.4.04.7205/SC

APELAÇÃO/REEXAME NECESSÁRIO Nº 5017968-34.2014.4.04.7205/SC APELAÇÃO/REEXAME NECESSÁRIO Nº 5017968-34.2014.4.04.7205/SC RELATORA : Des. Federal VIVIAN JOSETE PANTALEÃO CAMINHA APELANTE : UNIÃO - ADVOCACIA GERAL DA UNIÃO APELADO : AUTORA ADVOGADO : FABIANE ELOISA

Leia mais

APELAÇÃO CÍVEL. PROCEDIMENTO ORDINÁRIO. AÇÃO DE COBRANÇA C/C INDENIZAÇÃO SECURITÁRIA. BENEFICIÁRIO DO

APELAÇÃO CÍVEL. PROCEDIMENTO ORDINÁRIO. AÇÃO DE COBRANÇA C/C INDENIZAÇÃO SECURITÁRIA. BENEFICIÁRIO DO (AÇÃO DE COBRANÇA) APELANTE: FERNANDA DE OLIVEIRA PORTO (AUTORA) APELADO: BRADESCO VIDA E PREVIDÊNCIA S.A. (RÉU) DESEMBARGADORA RELATORA: MARCIA FERREIRA ALVARENGA APELAÇÃO CÍVEL. PROCEDIMENTO ORDINÁRIO.

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABINETE DO DES. SAULO HENRIQUES DE SÁ E BENE VIDES

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABINETE DO DES. SAULO HENRIQUES DE SÁ E BENE VIDES ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABINETE DO DES. SAULO HENRIQUES DE SÁ E BENE VIDES DECISÃO TERMINATIVA Agravo de Instrumento 200.2011.026679-4/001 2 1' Vara Civel da Capital. Relator : Des. Saulo Henriciues

Leia mais

Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba Gabinete do Desembargador José Ricardo Porto

Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba Gabinete do Desembargador José Ricardo Porto Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba Gabinete do Desembargador José Ricardo Porto DECISÃO MONOCRÁTICA AGRAVO DE INSTRUMENTO N 200.2011.047193-1/001 Capital. itelator : Desembargador

Leia mais

DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0009461-06.2014.8.19.0000 RELATORA: DES

DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0009461-06.2014.8.19.0000 RELATORA: DES DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0009461-06.2014.8.19.0000 RELATORA: DES. MARIA INÊS DA PENHA GASPAR AGRAVANTE: JORGE LUIZ GOMES AGRAVADO: ROSANE GONÇALVES DO NASCIMENTO AGRAVO DE INSTRUMENTO.

Leia mais

EMBARGOS DECLARATÓRIOS - EDCL.

EMBARGOS DECLARATÓRIOS - EDCL. 1. Conceito EMBARGOS DECLARATÓRIOS - EDCL. Os embargos de declaração ou embargos declaratórios, doravante denominados EDcl., visam aperfeiçoar as decisões judiciais, propiciando uma tutela jurisdicional

Leia mais

Foram apresentadas as contrarrazões pela agravada dentro do prazo legal.

Foram apresentadas as contrarrazões pela agravada dentro do prazo legal. PROCESSO Nº: 0803405-44.2014.4.05.0000 - AGRAVO DE INSTRUMENTO RELATÓRIO Trata-se de agravo de instrumento manejado pelo ESTADO DE SERGIPE contra decisão proferida pelo Juízo da 1ª Vara Federal da Seção

Leia mais

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DESEMB - CARLOS SIMÕES FONSECA 11 de dezembro de 2012

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DESEMB - CARLOS SIMÕES FONSECA 11 de dezembro de 2012 ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DESEMB - CARLOS SIMÕES FONSECA 11 de dezembro de 2012 AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0902402-16.2012.8.08.0000 (048129002084) - SERRA - 4ª VARA

Leia mais

Poder Judiciário TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO Gabinete do Desembargador Federal Geraldo Apoliano RELATÓRIO

Poder Judiciário TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO Gabinete do Desembargador Federal Geraldo Apoliano RELATÓRIO Poder Judiciário RELATÓRIO O DESEMBARGADOR FEDERAL GERALDO APOLIANO (RELATOR): Trata-se de Petição em Habeas Corpus, impetrado em favor de José Dias Monteiro Neto, pugnando pela suspensão da imposição

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 12 a CÂMARA CÍVEL Desembargador Mario Guimarães Neto APELAÇÃO CÍVEL Nº 0000496-11.2007..19.0024 ORIGEM: 2 a VARA CÍVEL DA COMARCA DE ITAGUAÍ APELANTE: GRUPO

Leia mais

devolutivo. Ao apelado. Transcorrido o prazo, com ou sem contrarrazões, subam ao Eg. Tribunal de Justiça..

devolutivo. Ao apelado. Transcorrido o prazo, com ou sem contrarrazões, subam ao Eg. Tribunal de Justiça.. AGRAVO DE INSTRUMENTO 0064220-51.2013.8.19.0000 AGRAVANTE: MERIDIANO FUNDO DE INVESTIMENTO EM DIREITOS CREDITÓRIOS MULTISEGMENTOS AGRAVADO: CELMO HITLER DOS SANTOS OLIVEIRA RELATORA: DES. MARIA LUIZA DE

Leia mais

Nº 70046035176 COMARCA DE VIAMÃO

Nº 70046035176 COMARCA DE VIAMÃO APELAÇÃO CÍVEL. ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE. AÇÃO CIVIL PÚBLICA. INTERNAÇÃO COMPULSÓRIA. TRATAMENTO CONTRA DROGADIÇÃO. OBRIGAÇÃO DO PODER PÚBLICO. O Estado, em todas as suas esferas de poder,

Leia mais

RECURSOS IMPROVIDOS.

RECURSOS IMPROVIDOS. 1 APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO ORDINÁRIA. COMPRA E VENDA DE IMÓVEL NA PLANTA. ENTREGUE DA UNIDADE DENTRO DO PRAZO PREVISTO. DANO MORAL. ALTERAÇÃO DA PLANTA DO IMÓVEL, SEM O CONSENTIMENTO DOS COMPRADORES. MODIFICAÇÃO

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR JOSÉ RICARDO PORTO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR JOSÉ RICARDO PORTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR JOSÉ RICARDO PORTO ACÓRDÃO AGRAVO DE INSTRUMENTO N 200.2012.082386-5/001 CAPITAL. Relator :Des. José Ricardo Porto. Agravante

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no MANDADO DE SEGURANÇA Nº 14.450 - DF (2009/0121835-8) RELATOR : MINISTRO ARNALDO ESTEVES LIMA AGRAVANTE : VERA LÚCIA DE ARAÚJO COSTA ADVOGADO : PEDRO ULISSES COELHO TEIXEIRA AGRAVADO : MINISTRO

Leia mais

tf) - PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAIBA GABINETE DO DES. MÁRCIO MURILO DA CUNHA RAMOS

tf) - PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAIBA GABINETE DO DES. MÁRCIO MURILO DA CUNHA RAMOS tf) - PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAIBA GABINETE DO DES. MÁRCIO MURILO DA CUNHA RAMOS AGRAVO DE INSTRUMENTO N 200.2011.007112-9/001 8" Vara da Fazenda Pública da Comarca da Capital. RELATOR:

Leia mais

R E L A T Ó R I O RELATEI.

R E L A T Ó R I O RELATEI. R E L A T Ó R I O O Desembargador Federal JOSÉ MARIA LUCENA (Relator): Trata-se de apelação da sentença que CONCEDOU A SEGURANÇA pleiteada, para que a autoridade coatora tome as providências necessárias

Leia mais