POLYANA ROBERTA PEREIRA ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE A TI

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "POLYANA ROBERTA PEREIRA ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE A TI"

Transcrição

1 POLYANA ROBERTA PEREIRA ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE A TI EMPRESA: Sociedade Educacional de Santa Catarina SETOR: Instituto Superior Tupy SUPERVISOR: Edicarsia Barbiero Pillon ORIENTADOR: Maurício Aronne Pillon CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGIAS - CCT UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC JOINVILLE SANTA CATARINA - BRASIL NOVEMBRO

2 ii APROVADO EM.../.../... Professor Maurício Aronne Pillon Doutor em Ciência da Computação. Professor Orientador Professor Gilmário Barbosa dos Santos Doutor em Engenharia Elétrica Professor da banca avaliadora. Jackson Mallmann Bacharel em Ciência da Computação Professor da banca avaliadora. Edicarsia Barbiero Pillon Supervisora da CONCEDENTE

3 iii Carimbo da Empresa UNIDADE CONCEDENTE Razão Social: Sociedade Educacional de Santa Catarina CGC/MF: / Endereço: Rua Gothard Kaesemodel, 833 Bairro: Anita Garibaldi CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: (47) Supervisor: Edicarsia Barbiero Pillon Cargo: Coordenadora de Curso ESTAGIÁRIO Nome: Polyana Roberta Pereira Matrícula: Endereço: Rua Coelho Neto, 445 Bairro: Santo Antônio CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: (47) Curso de: Bacharelado em Ciência da Computação Título do Estágio: Suporte a TI Período: 03/09/2010 a 23/10/2010 Carga horária: 180h AVALIAÇÃO FINAL DO ESTÁGIO PELO CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS Representada pelo Professor da Disciplina ETG: Carlos Norberto Vetorazzi Júnior CONCEITO FINAL NOTA Rubrica do Professor da Disciplina ETG Excelente (9,1 a 10) Muito Bom (8,1 a 9,0) Bom (7,1 a 8,0) Regular (5,0 a 7,0) Reprovado (0,0 a 4,9) Joinville / / Nome do Estagiário: Polyana Roberta Pereira

4 iv QUADRO I AVALIAÇÃO NOS ASPECTOS PROFISSIONAIS QUALIDADE DO TRABALHO: Considerando o possível. ENGENHOSIDADE: Capacidade de sugerir, projetar, executar modificações ou inovações. CONHECIMENTO: Demonstrado no desenvolvimento das atividades programadas. CUMPRIMENTO DAS TAREFAS: Considerar o volume de atividades dentro do padrão razoável. ESPÍRITO INQUISITIVO: Disposição demonstrada para aprender. INICIATIVA: No desenvolvimento das atividades. SOMA Pontos QUADRO II AVALIAÇÃO DOS ASPECTOS HUMANOS ASSIDUIDADE: Cumprimento do horário e ausência de faltas. DISCIPLINA: Observância das normas internas da Empresa. SOCIABILIDADE: Facilidade de se integrar com os outros no ambiente de trabalho. COOPERAÇÃO: Disposição para cooperar com os demais para atender as atividades. SENSO DE RESPONSABILIDADE: Zelo pelo material, equipamentos e bens da empresa. SOMA Pontos PONTUAÇÃO PARA O QUADRO I E II Sofrível - 1 ponto, Regular - 2 pontos, Bom - 3 pontos, Muito Bom - 4 pontos, Excelente - 5 pontos LIMITES PARA CONCEITUAÇÃO AVALIAÇÃO FINAL Pontos De 57 a 101 SOFRÍVEL SOMA do Quadro I multiplicada por 7 De 102 a 147 REGULAR SOMA do Quadro II multiplicada por 3 De 148 a 194 BOM SOMA TOTAL De 195 a MUITO BOM De 241 a 285 EXCELENTE Nome da Empresa: Sociedade Educacional de Santa Catarina Representada pelo Supervisor: Edicarsia Barbiero Pillon CONCEITO CONFORME SOMA TOTAL Rubrica do Supervisor da Empresa Local: Data : Carimbo da Empresa

5 v UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS - CCT PLANO DE ESTÁGIO CURRICULAR II ESTAGIÁRIO Nome: Polyana Roberta Pereira Matrícula: Endereço (Em Jlle): Rua Coelho Neto, 445 Bairro: Santo Antônio CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: (47) Endereço (Local estágio): Rua Gothard Kaesemodel, 833 Bairro: Anita Garibaldi CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: (47) Regularmente matriculado no semestre: 8º Curso: Ciência da Computação Formatura (prevista) Semestre/Ano: 2011/1 UNIDADE CONCEDENTE Razão Social: Sociedade Educacional de Santa Catarina CGC/MF: / Endereço: Rua Gothard Kaesemodel, 833 Bairro: Anita Garibaldi CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: (47) Atividade Principal : Educação superior, pós-graduação e extensão Supervisor: Edicarsia Barbiero Pillon Cargo: Coordenadora de Curso DADOS DO ESTÁGIO Departamento de atuação: IST Fone: (47) Ramal: 517 Horário do estágio: Segunda a Sexta das 15:00-17:00 às 18:00 22:00. Total de horas do Estágio: 180 Total de horas semanais: 30 Período: 03/09/2010 a 23/10/2010 Nome do Professor Orientador: Maurício Aronne Pillon Departamento: Departamento de Ciência da Computação Disciplina(s) simultânea(s) com o estágio Quantas: 5 Quais: ETI - Ética em Informática TCC-II - Trabalho de Conclusão de Curso II TOCI-01 - Programação Paralela TOCI-09 - Interconexão de Redes de Computadores TOCI-11 - Processamento de Imagens OBJETIVO GERAL Estudo sobre sistemas de gestão de conteúdos para desenvolvimento de um portal e gerenciamento dos recursos dos laboratórios/servidor.

6 ATIVIDADES OBJETIVO ESPECÍFICO HORAS Estudo sobre CMS (Content Management System) para levantar os conceitos gerais 10 associados Estudo sobre sistemas de gestão de Realizar uma comparação entre as conteúdos funcionalidades existentes nos CMS estudados. 10 Modelar as funcionalidades necessárias do site. 10 Criar e configurar o portal com base no CMS escolhido. 20 Procurar alternativas para reduzir o tempo gasto na administração/manutenção dos softwares das máquinas existentes nos laboratórios, levando 20 em consideração os diferentes sistemas operacionais instalados. Levantar os requisitos necessários das máquinas utilizados nos laboratórios. 5 Administrar as máquinas dos Adquirir conhecimento sobre os procedimentos laboratórios de instalação em lote de máquinas. 10 Realizar um estudo sobre as diferentes ferramentas existentes (Norton Ghost, Clonezilla) e escolher a que melhor se enquadra 20 nos requisitos levantados. Treinamento dos funcionários do suporte para a aplicação da clonagem nos equipamentos. 10 Realizar o clone das máquinas. 35 Estudar alternativas para reduzir o uso do link Manutenção do servidor externo durante as atualizações das máquinas. 20 Efetuar a manutenção periódica do servidor. 10 vi Rubrica do Professor Orientador Aprovação do Membro do Comitê de Estágio Rubrica do Coordenador de Estágio Rubrica do Supervisor da Empresa Data: Data: Data: Prof César Malutta Data: Carimbo da Empresa

7 vii CRONOGRAMA FÍSICO E REAL PERÍODO (180 horas) PR ATIVIDADES Estudo sobre sistemas de gestão de conteúdos P R Administrar as máquinas dos laboratórios P R Manutenção do servidor P R Legenda: P - Planejado R - Realizado

8 viii FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS - CCT COORDENADORIA DE ESTÁGIOS TERMO DE COMPROMISSO PARA REALIZAÇÃO DE ESTÁGIOS (1) EMPRESA: SOCIEDADE EDUCACIONAL DE SANTA CATARINA Representada por Edicarsia Barbiero Pillon Cargo: Coordenadora de curso (2) ESTAGIÁRIO: Polyana Roberta Pereira Matrícula: Curso: Bacharelado em Ciência da Computação (3) Da Fundação Universidade do Estado de Santa Catarina, representada pelo Professor César Malutta. Acertam o seguinte, na forma da Lei nº , de 07/12/77, regulamentada pelo Decreto nº , de 18/08/82, tendo em vista Convênio nº.162/07 162/07, publicado em Diário Oficial nº de 03/03/2007. Art. 1º - O ALUNO desenvolverá Estágio: Obrigatório (X) Não obrigatório ( ) Art. 2º - O ESTAGIÁRIO desenvolverá atividades dentro de sua linha de formação. Art. 3º - A EMPRESA elaborará Programa de Atividades a ser cumprido pelo ESTAGIÁRIO, em conformidade com as disciplinas cursadas pelo mesmo, respeitados os horários de obrigações do ESTAGIÁRIO com a UDESC/CENTRO. Art. 4º - O Estágio será desenvolvido na Área de Suporte a TI no período de 03/09/2010 a 23/10/2010 durante o horário das 15:00-17:00 às 18:00 22:00 totalizando 180 horas. 1º - Este período poderá ser prorrogado mediante prévio entendimento entre as partes. 2º - Tanto a EMPRESA como o ESTAGIÁRIO poderão a qualquer momento dar por terminado o Estágio, mediante comunicação escrita.

9 ix Art. 5º - Pelas reais e recíprocas vantagens técnicas e administrativas, a EMPRESA designará como Supervisor Interno de Estágios e avaliador a Senhora Edicarsia Barbiero Pillon. Art. 6º - O ESTAGIÁRIO declara concordar com as normas internas da EMPRESA, conduzir-se dentro da ética profissional e submeter-se a acompanhamento e avaliação de seu desempenho e aproveitamento. Art. 7º - O ESTAGIÁRIO se obriga a cumprir fielmente a programação de estágio. Art. 8º - O ESTAGIÁRIO responderá pelas perdas e danos conseqüentes da inobservância das normas internas da EMPRESA. Art. 9º - O ESTAGIÁRIO se compromete a elaborar Relatório sobre o Estágio realizado apresentando-o à EMPRESA através de seu Supervisor, e à Universidade através do Coordenador de Estágios respectivo. Art. 10º - A EMPRESA se responsabilizará por despesas relativas a atividades extras impostas ao ESTAGIÁRIO. Art. 11º - O ESTAGIÁRIO não terá para quaisquer efeitos, vínculo empregatício com a EMPRESA, ficando aquele segurado contra acidentes pessoais durante o estágio pela apólice nº. da Companhia Art. 12º - O ESTAGIÁRIO receberá uma bolsa no valor de: (estágio não remunerado). Art. 13º - Fica firmado o presente em 3 (três) vias de igual teor., de de (1) EMPRESA:... (2) ESTAGIÁRIO:... (3) INSTITUIÇÃO DE ENSINO:...

10 xi A minha família e noivo pelo apoio Ao IST pela oportunidade que me foi dada.

11 xii LISTA DE SIGLAS BIOS CAPES CMS DHCP DRBL EXT2 FAQ FAT GPL HD HTML IP ISO IST LDAP MBR NCHC NFS/NIS NTFS PHP PXE SOCIESC SSH TI UFPR USB Basic Input/Output System - Sistema Básico de Entrada/Saída Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Content Management Systems - Sistema de Gestão de Conteúdo Dynamic Host Configuration Protocol - Protocolo de configuração dinâmica de endereços de rede Diskless Remote Boot in Linux - Boot remoto sem disco no Linux Second Extended File System Frequently Asked Questions Perguntas Frequentes File Allocation Table General Public License - Licença Pública Geral Hard disk - Disco rígido HyperText Markup Language - Linguagem de Marcação de Hipertexto Internet Protocol International Organization for Standardization - Organização Internacional de Normalização Instituto Superior Tupy Lightweight Directory Access Master Boot Record National Center for High-Performance Computing Network File System / Network Information Service - Serviço de Informação de Rede New Technology File System Hypertext Preprocessor Preboot Execution Environment - Ambiente de Pré-execução Sociedade Educacional de Santa Catarina Secure Shell Tecnologia da Informação Universidade Federal do Paraná Universal Serial Bus

12 xiii SUMÁRIO LISTA DE SIGLAS... XII RESUMO... XIII INTRODUÇÃO OBJETIVOS Geral ORGANIZAÇÃO DO ESTUDO A EMPRESA HISTÓRICO PRINCIPAIS PRODUTOS CONSIDERAÇÕES GERAIS DESENVOLVIMENTO SISTEMA PARA GESTÃO DE CONTEÚDO JOOMLA FERRAMENTAS DE CLONAGEM/IMAGENS DE DISCO TRABALHOS DESENVOLVIDOS DURANTE O ESTÁGIO Criação e configuração do site dos cursos de Informática do IST Instalando e configurando um servidor Clonezilla SE Autenticação no Ubuntu e uso de repositórios da UFPR CONSIDERAÇÕES FINAIS REFERÊNCIAS... 20

13 xiii RESUMO Este relatório de estágio refere-se à disciplina de Estágio Curricular II, disciplina obrigatória do curso de Ciência da Computação da UDESC. O mesmo foi realizado na instituição de ensino Sociedade Educacional de Santa Catarina, com carga horária de 180 horas. Durante o período de estágio foram realizadas atividades introdutórias para a realização do mesmo, como: (1) o estudo e a utilização do CMS Joomla no desenvolvimento do novo site do IST, já que o antigo portal não se mostrava tão completo para as novas funcionalidades exigidas, (2) a solução para o gerenciamento/manutenção dos softwares dos laboratórios, uma vez que isto era realizado de máquina em máquina e muitos softwares desatualizados eram encontrados nos computadores, (3) a procura por maneiras de eliminar o problema de espaço em disco no repositório interno. No período deste estágio curricular, foi possível adquirir novos conhecimentos, como a clonagem de máquinas pela rede utilizando a ferramenta Clonezilla, que veio para contribuir com a redução do tempo levado para instalar/atualizar os 13 laboratórios da Instituição e a utilização da autenticação individual dos alunos no sistema Ubuntu.

14 1 INTRODUÇÃO A principal finalidade deste relatório de estágio é descrever as atividades desenvolvidas pela acadêmica durante o Estágio Supervisionado, disciplina obrigatória integrante do Currículo do Curso de Graduação em Ciência da Computação, do Centro de Ciências Tecnológicas da UDESC. O objetivo do estágio curricular é proporcionar ao aluno, mediante contato com o campo real do exercício de sua profissão, aquisição de conhecimentos e desenvolvimento de habilidades técnico-científicas complementando aquela recebida no curso acadêmico, visando uma melhor qualificação do futuro profissional. A experiência no campo profissional e de relacionamento humano, por meio da vivência prática, contato com o ambiente e a realidade do trabalho profissional também é um importante objetivo oferecido pela experiência do estágio curricular. Inicialmente foi desenvolvido um Plano de Estágio, onde foram expostas as atividades que seriam desenvolvidas durante este período de aprendizagem. 1.1 OBJETIVOS Geral Estudo sobre sistemas de gestão de conteúdos para desenvolvimento de um portal e gerenciamento dos recursos dos laboratórios/servidor Específicos Estudo sobre CMS para levantar os conceitos gerais associados; Realizar uma comparação entre as funcionalidades existentes nos CMS estudados; Criar e configurar o portal com base no CMS escolhido; Procurar alternativas para reduzir o tempo gasto na administração/manutenção dos softwares das máquinas existentes nos laboratórios, levando em consideração os diferentes sistemas operacionais instalados; Levantar os requisitos necessários das máquinas utilizados nos laboratórios;

15 2 Adquirir conhecimento sobre os procedimentos de instalação em lote de máquinas; Realizar um estudo sobre as diferentes ferramentas existentes (Norton Ghost, Clonezlla) e escolher a que melhor se enquadra nos requisitos levantados; Estudar alternativas para reduzir o uso do link externo durante as atualizações das máquinas; Efetuar a manutenção periódica do servidor ORGANIZAÇÃO DO ESTUDO O texto deste relatório de estágio está organizado em quatro partes principais. Na primeira é dada uma fomentação à leitura deste, além dos objetivos gerais e específicos. No capítulo 2 é apresentada a empresa onde foi realizado o estágio, dando uma breve explicação de seu histórico, bem como sua visão, valores compartilhados, missão e competência fundamental, além de seus produtos e considerações gerais. Uma breve introdução as tecnologias utilizadas é abordada no capítulo 3, bem como as atividades desenvolvidas durante o estágio. As considerações finais encontram-se no capítulo 4, onde se apresenta as principais dificuldades encontradas e a expectativa em relação aos objetivos estabelecidos no plano de estágio. Na finalização do relatório encontram-se as referências bibliográficas.

16 3 2. A EMPRESA 2.1. HISTÓRICO A SOCIESC nasceu do desejo do Sr. Hans Dieter Schmidt, presidente da Fundição Tupy, quando este, em visita à Suíça, conheceu a empresa Georg Fischer e o aperfeiçoamento pessoal e profissional de seus funcionários. Em 1959, em Joinville, foi fundada a Escola Técnica Tupy. Uma escola feita para a comunidade e para os jovens que se viam cheios de planos com uma oportunidade de aperfeiçoamento educacional e profissional. Em 1967, um acordo entre o Brasil e a Alemanha trouxe para a Escola Técnica Tupy o conhecimento, a tradição e a cultura de um modelo educacional europeu baseado em valores como seriedade, competência, ética e cidadania. Alguns anos depois, engenheiros da Fundição Tupy, professores e especialistas enviados da Alemanha uniamse, criando a Sociedade Educacional Tupy. Em 1985, esta sociedade passa a ser dirigida por um conselho formado por presidentes das principais empresas de Joinville e ganha também um novo nome: Sociedade Educacional de Santa Catarina [SOCIESC 2010]. Visão Ser um centro de excelência e referência em educação e tecnologia. Valores compartilhados Crescimento e reconhecimento: crescer de forma significativa e sustentada, tendo como base o reconhecimento da comunidade onde está inserida (ser reconhecida como bem social). Responsabilidade social: atuar na Educação, Cultura e Consciência Ecológica para a ética e sustentabilidade, sob uma visão sistêmica do homem e da sua relação com a natureza. Valorização das pessoas: valorizar o crescimento do ser humano, despertando os talentos e criando um ambiente que favoreça a participação e o exercício da individualidade comprometido com a comunidade.

17 4 Missão Contribuir para o desenvolvimento humano e da comunidade através da educação e tecnologia. Competência fundamental Excelência na educação, capacidade de relacionamento com as empresas e competência tecnológica reconhecida, suportados pela nossa marca PRINCIPAIS PRODUTOS A SOCIESC atua no ensino fundamental, médio, técnico, graduação, cursos de extensão, pós-graduação e também na modalidade educação a distância. Os Mestrados em Engenharia Mecânica e Engenharia de Produção são recomendados pela CAPES. Além disso, tem o Museu de Fundição, único em seu gênero em Santa Catarina que preserva a história da indústria e é fonte de pesquisas nas diversas áreas do conhecimento. Entre as atividades atua com projetos de visitas monitoradas. A SOCIESC possui também a área de Serviços de Engenharia - presta serviços e consultoria de engenharia e desenvolvimento de novas tecnologias para empresas no Brasil e exterior. Desenvolve programas de extensão para a comunidade em três grandes eixos: Cultura e comunidade; Tecnologia; Educação e conhecimento. O processo de produção, socialização e difusão do conhecimento permite o estabelecimento de vínculos e diálogos com o meio científico, com os segmentos sociais e empresariais, os quais informam as principais necessidades à SOCIESC, gerando importantes parcerias e intercâmbios [SOCIESC 2010] CONSIDERAÇÕES GERAIS Hoje a SOCIESC tem unidades em Joinville, São Bento do Sul, Curitiba, Florianópolis, Blumenau e Itajaí e é referência em educação e tecnologia. Em seus 48 anos de existência, já formou mais de 30 mil profissionais entre técnicos, graduados e pósgraduados.

18 5 A SOCIESC possui certificação ISO 9001 no sistema de gestão da qualidade de todas as suas áreas. Um resultado que pode ser visto em sua contribuição efetiva na transformação da cidade de Joinville num dos maiores pólos industriais do sul do Brasil e na vida dos cidadãos das regiões onde atua. Para a SOCIESC, a comunidade e o conhecimento são os bens mais valiosos de uma nação. O estágio curricular obrigatório foi realizado no Instituto Superior Tupy IST que é uma Instituição de Ensino Superior mantido pela Sociedade Educacional de Santa Catarina SOCIESC. Criado em dezembro de 1997, o IST tem por finalidade: I. Estimular a criação cultural, o desenvolvimento do espírito científico e do pensamento reflexivo; II. Preparar profissionais com sólida formação e qualificação nas diferentes áreas do conhecimento; III. Promover e incentivar a formação integral do cidadão, estimulando a educação continuada; IV. Incentivar o trabalho de pesquisa, notadamente aplicada, visando ao desenvolvimento da ciência e da região, do conhecimento e da criação e difusão cultural e científica; V. Promover a divulgação de conhecimentos culturais, científicos e técnicos que constituem patrimônio da humanidade e comunicar o saber através do ensino, de publicações ou de outras formas de comunicação; VI. Suscitar o desejo permanente de aperfeiçoamento cultural e profissional e possibilitar a correspondente concretização, integrando os conhecimentos que vão sendo adquiridos numa estrutura intelectual sistematizadora do conhecimento de cada geração; VII. Implementar programas, projetos, ações extensionistas e de responsabilidade social, aberta à participação da população, visando à difusão das conquistas e benefícios resultantes da criação cultural e da pesquisa científica e tecnológica geradas na instituição; VIII. Estimular o conhecimento dos problemas do mundo presente, em particular os nacionais e regionais, prestar serviços especializados à comunidade e estabelecer com esta uma relação de reciprocidade; IX. Cooperar para o desenvolvimento sócio-econômico e cultural da comunidade, do Estado e do País;

19 6 X. Promover o intercâmbio com outros centros universitários, universidades e outras instituições educacionais, científicas e culturais, nacionais e estrangeiras. O IST possui a unidade Boa Vista e a unidade Marquês de Olinda, com cursos de graduação e capacitação empresarial.

20 7 3. DESENVOLVIMENTO Neste capítulo são descritas as principais tecnologias estudadas para que o estágio fosse realizado com êxito, além das principais atividades desenvolvidas durante o mesmo. 3.1 SISTEMA PARA GESTÃO DE CONTEÚDO JOOMLA Os atuais sistemas modernos de gestão de conteúdo fornecem as ferramentas necessárias para garantir as necessidade e preferências do usuário final [CMS 2003]. Um Sistema para Gestão de Conteúdo CMS - é um sistema gestor de ambientes Web que proporciona além da facilidade de utilização, inúmeros serviços disponíveis que podem ser adicionados gratuitamente [JOOMLA 2010]. Em um CMS ocorre a separação total entre o conteúdo das páginas da parte gráfica. Esta divisão faz com que seja mais fácil manter o site amplamente coerente no design e fácil de alterar. Os conteúdos visuais das páginas são colocados em arquivos chamados moldes (templates), enquanto que o restante é armazenado em banco de dados ou arquivos separados. Uma desvantagem do uso de um CMS é que eles podem ser muito complexos, a partir do momento que milhares de arquivos e scripts trabalham juntos e em conjunto com os bancos de dados para apresentar o website. Na maior parte das vezes, isto significa que um site CMS será modelado e criado por uma equipe técnica, e gerenciado e dirigido por usuários não-técnicos [JOOMLA1 2008]. Entre os diversos ambientes CMS existentes, pode-se citar alguns dos mais conhecidos, como o Wordpress, Xoops, Drupal e Joomla, todos eles com os mesmos princípios fundamentais de funcionamento [JOOMLA 2010]. Joomla é um framework flexível, pois permite que os desenvolvedores introduzam componentes próprios de modo bastante simples e funcional. O surgimento do Joomla ocorreu por meio do projeto Mambo, depois que seus líderes se dividiram para desenvolver um novo CMS, e é considerado mais difícil de utilizar que a maioria dos demais frameworks pelo fato de possibilitar uma maior flexibilidade de configuração e utilização. Esta flexibilidade traz como desvantagem a necessidade de uma maior habilidade em sua configuração [JOOMLA1 2008], visto que o Joomla disponibiliza muitas funcionalidades, configurações e atribuições aos administradores deste ambiente.

21 8 É possível citar como algumas das características do Joomla: Registro do usuário e habilidade para restringir a visitação de páginas baseado no nível de usuário; Pesquisas; Formulários de contato simples; Site de estatísticas público; Detalhes privados de estatísticas de visitação do site; Sistema simples de classificação de conteúdo; Apresentação de notícias (newsfeeds) de outros sites. Para usufruir das vantagens oferecidas pelo Joomla, é necessário que o servidor web, ou o serviço de hospedagem, satisfaça os requisitos mínimos. PHP 4.3.x ou superior; MySQL 3.23.x ou acima; Apache ou superior. No Joomla, o conteúdo é organizado em uma hierarquia de três níveis: Seção, Categorias e Conteúdos [JOOMLA1 2008]. Uma seção é a camada mais alta da hierarquia e apresenta-se como uma coleção de categorias que se relacionam entre si. Uma seção pode ter um ou mais filhos, ou sem filhos, o que no caso não será visualizada pelos visitantes do site. A categoria é a camada do meio da hierarquia. Uma categoria só pode existir, se está estiver vinculada a uma seção e apresenta-se como uma coleção de artigos que se relacionam entre si. Ela pode ter um ou mais filhos, ou sem filhos, seguindo desta forma, a mesma lógica da seção: não será visualizada pelos visitantes do site. O artigo está na camada mais baixa e corresponde a parte mais importante do site. Ele é a página do site, ou seja, o artigo é criado para adicionar conteúdo e assim exibir aos visitantes do site. O WordPress é uma plataforma semântica para publicação pessoal, com foco na estética, nos padrões web e na usabilidade. É escrito em PHP e utilizado especialmente para a criação de blogs. As causas do seu rápido crescimento são, entre outras, seu tipo de licença (de código aberto), sua facilidade de uso e suas características como gerenciador de conteúdos. Criado por Ryan Boren e Matthew Mullenweg, é distribuído sob a GPL sendo gratuito [WORDPRESS 2010]. O Xoops possui como sua maior característica, a facilidade de instalação, operação e o fato de existirem uma infinidade de módulos que possibilitam agregar mais

22 9 funções ao portal que se deseja criar. É uma ferramenta flexível, pois os direitos de acesso e administração de um site Xoops, são configurados em um sistema de permissão baseado em "grupos de utilizadores" [XOOPS 2010]. O Drupal é uma plataforma de site dinâmica escrito em PHP e de código aberto, que permite aos usuários publicar, gerenciar e organizar uma grande variedade de conteúdo. Ele integra muitos dos recursos populares de sistemas gerenciadores de conteúdo, blogs, ferramentas colaborativas e software de comunidades baseada em discussões em um único pacote fácil de usar [DRUPAL 2010]. A escolha do Joomla como CMS para o desenvolvimento do novo portal da Computação IST foi aos layouts para site disponíveis na Web, à flexibilidade de adicionar e desenvolver novos componentes em PHP e a facilidade de uso FERRAMENTAS DE CLONAGEM/IMAGENS DE DISCO O Norton Ghost é uma ferramenta proprietária utilizada para a clonagem de máquinas onde a espera para clonar vários computadores simultaneamente é considerada longa. Os utilitários de alto desempenho ajudam na atualização da máquina, backups e recuperação de discos inteiros ou partições previamente selecionadas. A clonagem pode acontecer por meio da rede, USB ou conexão paralela [NORTON GHOST 2010]. Entre algumas das características do Norton Ghost podem ser citadas: Desempenho rápido: É baseado no Symantec Ghost Enterprise 7.0 com melhor desempenho; Arquivo de suporte do sistema: Ele possui suporte a arquivos FAT, NTFS e EXT2; Habilidade para escrever em um CD-R/RW: É possível gravar uma imagem diretamente em um CD-R/RW para fazer boot por este dispositivo. Clonezilla é uma ferramenta utilizada para salvar e restaurar imagens de disco. Ela surgiu em 2003 quando após a atualização de todos os computadores das salas de aula do NCHC - National Center for High-Performance Computing - ocorreu uma incompatibilidade do software de implantação com o hardware novo [CLONEZILLA 2010].

23 10 O Clonezilla usa alguns programas, incluindo o sfdisk, o partclone, o dd, o DRBL e outros que ajudam no trabalho de clonar ou criar imagens. Basicamente, ele processa a tabela de partições com o sfdisk, usa o partclone para salvar ou restaurar os dados das partições e salva ou restaura a MBR com o dd. O Clonezilla está incluído no DRBL, pois um servidor DRBL primeiro deve ser criado com o intuito de usar esta ferramenta para a realização dos clones (unicast, broadcast e multicast são suportados) [CLONEZILLA1 2010]. Além disso, há algumas opções no modo avançado que podem ser escolhidas para usar programas diferentes para a criação de imagens e para processar a partição. Existe a possibilidade, por exemplo, de utilizar o partimage, ntfsclone ou do dd para processar a partição [CLONEZILLA 2010]. Dois tipos de Clonezilla estão disponíveis, Clonezilla Live e Clonezilla SE (edição de servidor). O Clonezilla Live é adequado para o backup de máquinas simples e de restauração (unicast), enquanto que a versão SE é mais indicada na implantação em massa (multicast), como clonar 40 máquinas simultaneamente [CLONEZILLA1 2010]. A principal limitação desta ferramenta é que o disco de destino deve ser do mesmo tamanho ou maior do que o disco original. O Clonezilla possui uma interface simples e funcionamento interno eficiente, o que permite utilizá-lo em máquinas com menos de 256 MB de memória. Dada a natureza flexível do Linux e sua ampla oferta de drivers, o Clonezilla funciona em quase todo tipo de equipamento. Os arquivos de imagem que ele cria têm tamanhos razoáveis, com o mesmo tamanho da quantidade de dados do disco.

24 TRABALHOS DESENVOLVIDOS DURANTE O ESTÁGIO Criação e configuração do site dos cursos de Informática do IST O layout do site dos cursos de computação do IST (figura 1) serviu por muito tempo como centro de informações para os alunos dos três cursos nesta área. A escolha da ferramenta MediaWiki na época da concepção do antigo projeto deu-se ao fato de sua popularidade. A sugestão de mudança ocorreu devido ao surgimento de novas ferramentas para o desenvolvimento de sites e pelo fato de existir conflitos a partir do momento que duas pessoas estão editando o mesmo conteúdo, já que é uma ferramenta colaborativa. Além disso, era comum encontrar links quebrados e desatualizados já que a administração era feita por um grupo de professores, ou seja, descentralizada. Figura 1 Visual do antigo site da Computação A necessidade de reformular o site utilizando CMS e analisar as diferentes funcionalidades que poderiam ser inseridas devido aos problemas já citados foram vistos como a solução mais adequada. Entre os CMS estudados, Xoops, Drupal e Joomla, este último apresentou-se como a melhor ferramenta para a criação e configuração do novo site, devido principalmente a diversidade de extensões disponíveis criadas por inúmeros desenvolvedores não necessariamente do projeto. Com a reestruturação do site, somente algumas informações foram mantidas do antigo sistema, como os arquivos dos trabalhos de conclusão de cursos dos alunos e os

ESTÁGIO CURRICULAR I e II SISTEMA DE MONITORAMENTO DE TI EM SOFTWARE LIVRE

ESTÁGIO CURRICULAR I e II SISTEMA DE MONITORAMENTO DE TI EM SOFTWARE LIVRE FERNANDO RODRIGO NASCIMENTO GUSE i ESTÁGIO CURRICULAR I e II SISTEMA DE MONITORAMENTO DE TI EM SOFTWARE LIVRE EMPRESA: Globalmind Serviços em Tecnologia da Informação LTDA. SETOR: Infra Estrutura SUPERVISOR:

Leia mais

Mandriva Pulse - Especificações e recursos

Mandriva Pulse - Especificações e recursos Mandriva Pulse - Especificações e recursos Mandriva Brasil 2 de abril de 2015 Lista de Tabelas 1 Tabela resumo dos diferenciais do Pulse....................... 9 Lista de Figuras 1 Interface web do Mandriva

Leia mais

Sincronização do Catálogo de Endereços no MDaemon 6.x com o uso do ComAgent, LDAP, MAPI e WAB

Sincronização do Catálogo de Endereços no MDaemon 6.x com o uso do ComAgent, LDAP, MAPI e WAB Sincronização do Catálogo de Endereços no MDaemon 6.x com o uso do ComAgent, LDAP, MAPI e WAB Alt-N Technologies, Ltd 1179 Corporate Drive West, #103 Arlington, TX 76006 Tel: (817) 652-0204 2002 Alt-N

Leia mais

Librix...3. Software Livre...3. Manual Eletrônico...3. Opções de Suporte...3. Configuração de Dispositivos Básicos...4

Librix...3. Software Livre...3. Manual Eletrônico...3. Opções de Suporte...3. Configuração de Dispositivos Básicos...4 Índice Introdução Librix...3 Software Livre...3 Manual Eletrônico...3 Opções de Suporte...3 Dicas para a Instalação Configuração de Dispositivos Básicos...4 Teclado...4 Mouse...5 Vídeo...5 Rede...6 Configuração

Leia mais

NORMAS DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA

NORMAS DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA 2015 SUMÁRIO 1 - DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 3 2 - OBJETIVO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO... 3 3 - ACOMPANHAMENTO E ORGANIZAÇÃO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO... 4 4 - EXEMPLO DE ÁREAS PARA REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO...

Leia mais

Virtualização - Montando uma rede virtual para testes e estudos de serviços e servidores

Virtualização - Montando uma rede virtual para testes e estudos de serviços e servidores Virtualização - Montando uma rede virtual para testes e estudos de serviços e servidores Este artigo demonstra como configurar uma rede virtual para ser usada em testes e estudos. Será usado o VirtualBox

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INFORMÁTICA

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INFORMÁTICA REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INFORMÁTICA Aprovado pela Resolução CONSUNI nº 31/13, de 21/08/13. CAPÍTULO I DAS CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Este regulamento dispõe especificamente do Núcleo de Informática

Leia mais

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial 2 1. O Sistema PrinterTux O Printertux é um sistema para gerenciamento e controle de impressões. O Produto consiste em uma interface web onde o administrador efetua o cadastro

Leia mais

Curso de Joomla na Prática

Curso de Joomla na Prática Curso de Joomla na Prática Joomla! (pronuncia-se djumla) é um CMS (Content Management System) desenvolvido a partir do Mambo. É escrito em PHP e roda no servidor web Apache ou IIS e banco de dados MySQL.

Leia mais

SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS

SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS 769 SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS Mateus Neves de Matos 1 ; João Carlos Nunes Bittencourt 2 ; DelmarBroglio Carvalho 3 1. Bolsista PIBIC FAPESB-UEFS, Graduando em Engenharia de

Leia mais

GLADIADOR INTERNET CONTROLADA v.1.2.3.9

GLADIADOR INTERNET CONTROLADA v.1.2.3.9 GLADIADOR INTERNET CONTROLADA v.1.2.3.9 Pela grande necessidade de controlar a internet de diversos clientes, a NSC Soluções em Informática desenvolveu um novo produto capaz de gerenciar todos os recursos

Leia mais

MANUAL PORTAL ACADÊMICO

MANUAL PORTAL ACADÊMICO MANUAL PORTAL ACADÊMICO Sumário Sumário... 2 1. Apresentação... 3 2. Navegação no site da Escola do Legislativo... 4 3. Ministrante... 6 3.1.Cadastro de ministrante... 6 3.2. Preencher os campos... 7 3.3

Leia mais

Sistema Operacional Unidade 4.2 - Instalando o Ubuntu Virtualizado

Sistema Operacional Unidade 4.2 - Instalando o Ubuntu Virtualizado Sistema Operacional Unidade 4.2 - Instalando o Ubuntu Virtualizado Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 CRIAÇÃO DA MÁQUINA VIRTUAL... 3 Mas o que é virtualização?... 3 Instalando o VirtualBox...

Leia mais

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO 1 ÍNDICE 1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO... 3 1.1 REQUISITOS BASICOS DE SOFTWARE... 3 1.2 REQUISITOS BASICOS DE HARDWARE... 3 2 EXECUTANDO O INSTALADOR... 3 2.1 PASSO 01... 3 2.2 PASSO

Leia mais

Instalando o Debian em modo texto

Instalando o Debian em modo texto Instalando o Debian em modo texto Por ser composto por um número absurdamente grande de pacotes, baixar os CDs de instalação do Debian é uma tarefa ingrata. Você pode ver uma lista dos mirrors disponíveis

Leia mais

Requisitos do Sistema

Requisitos do Sistema PJ8D - 017 ProJuris 8 Desktop Requisitos do Sistema PJ8D - 017 P á g i n a 1 Sumario Sumario... 1 Capítulo I - Introdução... 2 1.1 - Objetivo... 2 1.2 - Quem deve ler esse documento... 2 Capítulo II -

Leia mais

INTRODUÇÃO AO SISTEMA

INTRODUÇÃO AO SISTEMA MANUAL DE INSTALAÇÃO DE SOFTWARE PÚBLICO BRASILEIRO Nome do Software: Guarux Versão do Software: Guarux Educacional 4.0 INTRODUÇÃO AO SISTEMA O Guarux Educacional 4.0 é uma distribuição idealizada pela

Leia mais

Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas O conteúdo deste documento tem como objetivos geral introduzir conceitos mínimos sobre sistemas operacionais e máquinas virtuais para posteriormente utilizar

Leia mais

Tutorial para Instalação do Ubuntu Server 10.04

Tutorial para Instalação do Ubuntu Server 10.04 Tutorial para Instalação do Ubuntu Server 10.04 Autor: Alexandre F. Ultrago E-mail: ultrago@hotmail.com 1 Infraestrutura da rede Instalação Ativando o usuário root Instalação do Webmin Acessando o Webmin

Leia mais

Procedimentos para Instalação do Sisloc

Procedimentos para Instalação do Sisloc Procedimentos para Instalação do Sisloc Sumário: 1. Informações Gerais... 3 2. Instalação do Sisloc... 3 Passo a passo... 3 3. Instalação da base de dados Sisloc... 16 Passo a passo... 16 4. Instalação

Leia mais

Procedimentos para Reinstalação do Sisloc

Procedimentos para Reinstalação do Sisloc Procedimentos para Reinstalação do Sisloc Sumário: 1. Informações Gerais... 3 2. Criação de backups importantes... 3 3. Reinstalação do Sisloc... 4 Passo a passo... 4 4. Instalação da base de dados Sisloc...

Leia mais

Asset Inventory Service (AIS)

Asset Inventory Service (AIS) Asset Inventory Service (AIS) Última revisão feita em 02 de Setembro de 2008. Objetivo Neste artigo veremos detalhes sobre o Asset Inventory Service (AIS), um serviço disponível através do System Center

Leia mais

Clonando imagens de HD, com ou sem sistema operacional, via rede

Clonando imagens de HD, com ou sem sistema operacional, via rede Clonando imagens de HD, com ou sem sistema operacional, via rede André Luis Costa Barbieri¹, Rafael Rodrigues² ¹ Faculdade de Tecnologia SENAC Pelotas Rua Gonçalves Chaves, 602 96.015-560 Pelotas RS Brasil

Leia mais

Intranets. FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO

Intranets. FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO Intranets FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO As intranets são redes internas às organizações que usam as tecnologias utilizadas na rede mundial

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM PORTAL PARA ACESSO A PESQUISAS E DADOS ASTRONÔMICOS João Pedro Bresolin Ortigara 1 RESUMO

DESENVOLVIMENTO DE UM PORTAL PARA ACESSO A PESQUISAS E DADOS ASTRONÔMICOS João Pedro Bresolin Ortigara 1 RESUMO DESENVOLVIMENTO DE UM PORTAL PARA ACESSO A PESQUISAS E DADOS ASTRONÔMICOS João Pedro Bresolin Ortigara 1 RESUMO Ultimamente, ocorreu um grande salto tecnológico na instrumentação astronômica que fez crescer

Leia mais

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 02. Prof. André Lucio

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 02. Prof. André Lucio FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 02 Prof. André Lucio Competências da aula 2 Instalação e configuração dos sistemas operacionais proprietários Windows (7 e

Leia mais

Indicie. 1.Introdução...1. 2.Como Surgiu...2. 3.Para que serve...3. 4.Instalação...3. 5. Oque ele permite fazer...5. 6. Primeiro Cenário...

Indicie. 1.Introdução...1. 2.Como Surgiu...2. 3.Para que serve...3. 4.Instalação...3. 5. Oque ele permite fazer...5. 6. Primeiro Cenário... Artigo sobre Indicie 1.Introdução....1 2.Como Surgiu....2 3.Para que serve....3 4.Instalação....3 5. Oque ele permite fazer....5 6. Primeiro Cenário....6 7. Segundo Cenário....7 8. Conclusão....8 5. Referencias....9

Leia mais

Procedimentos para Instalação do SISLOC

Procedimentos para Instalação do SISLOC Procedimentos para Instalação do SISLOC Sumário 1. Informações Gerais...3 2. Instalação do SISLOC...3 Passo a passo...3 3. Instalação da Base de Dados SISLOC... 11 Passo a passo... 11 4. Instalação de

Leia mais

Desenvolvendo Websites com PHP

Desenvolvendo Websites com PHP Desenvolvendo Websites com PHP Aprenda a criar Websites dinâmicos e interativos com PHP e bancos de dados Juliano Niederauer 19 Capítulo 1 O que é o PHP? O PHP é uma das linguagens mais utilizadas na Web.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Estágio Curricular Tiago Silveira Sumário Identificação... 3 Estagiário... 3 Estágio... 3 Objeto de Estudo...

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Manual de Instalação Produto: n-mf Xerox Versão do produto: 4.7 Autor: Bárbara Vieira Souza Versão do documento: 1 Versão do template: Data: 09/04/01 Documento destinado a: Parceiros NDDigital, técnicos

Leia mais

Por: Rafael Nink de Carvalho www.linuxeducacional.com www.rafaelnink.com

Por: Rafael Nink de Carvalho www.linuxeducacional.com www.rafaelnink.com L I N2 U0 X0 9 Manual de Instalação do Linux Educacional 3.0 Por: Rafael Nink de Carvalho ü Configurando o SETUP do computador ü Rodando a versão Live CD ü Instalando o Linux www.linuxeducacional.com Educacional

Leia mais

Manual de Instalação Corporate

Manual de Instalação Corporate Manual de Instalação Corporate Sumário 1. Sobre este documento...3 2. Suporte técnico...3 3. Requisitos de hardware...3 3.1. Estação...3 3.2. Servidor...4 4. Instalação...4 4.1. Instalação do Imobiliária21

Leia mais

MANUAL DE ADMINISTRAÇÃO DO SOFTWARE E COMUNIDADES DO PORTAL DO SOFTWARE PÚBLICO BRASILEIRO. Em construção

MANUAL DE ADMINISTRAÇÃO DO SOFTWARE E COMUNIDADES DO PORTAL DO SOFTWARE PÚBLICO BRASILEIRO. Em construção MANUAL DE ADMINISTRAÇÃO DO SOFTWARE E COMUNIDADES DO PORTAL DO SOFTWARE PÚBLICO BRASILEIRO Em construção Índice 1. Introdução 2. Cadastrar e Logar no Portal 3. Plataforma de redes Sociais Noosfero 3.1.

Leia mais

Guia de instalação UEG Linux 14.04 LTS

Guia de instalação UEG Linux 14.04 LTS 1. Apresentação O UEG Linux 14.04 LTS é um sistema operacional baseado em Linux e derivado do Ubuntu, customizado pela Gerência de Núcleo de Inovação Tecnológica da Universidade Estadual de Goiás para

Leia mais

FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU - BRASIL REGULAMENTO DO PROCESSO SELETIVO Nº 42.15

FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU - BRASIL REGULAMENTO DO PROCESSO SELETIVO Nº 42.15 REGULAMENTO DO PROCESSO SELETIVO Nº 42.15 A FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU BRASIL (FPTI-BR) torna público que serão recebidas as inscrições para o Processo Seletivo nº 42.15 sob contratação em regime

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO BRASQUID

MANUAL DO USUÁRIO BRASQUID MANUAL DO USUÁRIO BRASQUID Saulo Marques FATEC FACULDADE DE TECNOLOGIA DE CARAPICUIBA Sumário 1 Instalação... 4 2 Configuração inicial... 6 2.1 Scripts e Arquivos Auxiliares... 10 2.2 O Squid e suas configurações...

Leia mais

Manual de Instalação. Instalação via apt-get. SIGA-ADM versão 12.02

Manual de Instalação. Instalação via apt-get. SIGA-ADM versão 12.02 Manual de Instalação Instalação via apt-get SIGA-ADM versão 12.02 Índice de capítulos 1 - Pré-requisitos para instalação..................................................... 05 2 - Instalando o SIGA-ADM..............................................................

Leia mais

http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Prof. Ricardo César de Carvalho

http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Prof. Ricardo César de Carvalho vi http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Administração de Redes de Computadores Resumo de Serviços em Rede Linux Controlador de Domínio Servidor DNS

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Manual de Instalação Sumário 1. Sobre este documento...3 2. Suporte técnico...3 3. Requisitos de hardware...3 3.1. Estação...3 3.2. Servidor...4 4. Instalação...4 4.1. Instalação do Group Folha no servidor...6

Leia mais

Mais recursos para professores. Maior controle para TI.

Mais recursos para professores. Maior controle para TI. Acronus System Mais recursos para professores. Maior controle para TI. Características do produto Controle de hardware Permite desligar a internet, pen drive, teclado, mouse e monitor. Transferência de

Leia mais

Conteúdo. Curso de Introdução ao Plone. O que é Plone. Parte I Conceitos básicos

Conteúdo. Curso de Introdução ao Plone. O que é Plone. Parte I Conceitos básicos Curso de Introdução ao Plone Conteúdo Parte I - Conceitos básicos Parte II - Interface do Plone Parte III - Gerenciamento de usuários Modulo A Instrutores Carlos Alberto Alves Meira Laurimar Gonçalves

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE EDUCAÇÃO LABORATÓRIO DE CULTURA DIGITAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE EDUCAÇÃO LABORATÓRIO DE CULTURA DIGITAL A coordenadoria do projeto Laboratório de Cultura Digital, vinculado ao Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná, torna pública a seleção de equipe para o referido projeto, conforme previsto

Leia mais

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1 MANUAL DO USUÁRIO Índice 1. Introdução... 3 2. Acesso ao Sistema... 4 2.1. Instalação... 4 2.1.1. Servidor - Computador Principal... 4 2.1.2. Estação - Computador na Rede... 6 2.1.3. Estação - Mapeamento

Leia mais

LUCAS DA SILVA, LUCAS TUCHTENHAGEN, LUCAS NUNES HIREN S BOOT CD

LUCAS DA SILVA, LUCAS TUCHTENHAGEN, LUCAS NUNES HIREN S BOOT CD Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial E.E.P. Senac Pelotas Centro Histórico Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego Curso Técnico em Informática LUCAS DA SILVA, LUCAS TUCHTENHAGEN,

Leia mais

Preparando o Ambiente e Instalando o System Center Configuration Manager 2012 R2

Preparando o Ambiente e Instalando o System Center Configuration Manager 2012 R2 Preparando o Ambiente e Instalando o System Center Configuration Manager 2012 R2 Artigo escrito por Walter Teixeira wteixeira.wordpress.com Sumário Cenário Proposto... 3 Preparação do Servidor SQL Server

Leia mais

Autoria Web Apresentação e Visão Geral sobre a Web

Autoria Web Apresentação e Visão Geral sobre a Web Apresentação e Visão Geral sobre a Web Apresentação Thiago Miranda Email: mirandathiago@gmail.com Site: www.thiagomiranda.net Objetivos da Disciplina Conhecer os limites de atuação profissional em Web

Leia mais

: LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA : OTIMIZANDO RECURSOS

: LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA : OTIMIZANDO RECURSOS Título: LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA : OTIMIZANDO RECURSOS Área Temática: Educação e Comunicação / Tec. Educacionais Autores: FREDERICO HENRIQUE GOLDSCHMIDT NETO e EDEMILSON JORGE BRANDÃO Instituição: Universidade

Leia mais

Servidor de OpenLAB Data Store A.02.01 Lista de Preparação do Local. Objetivo do Procedimento. Responsabilidades do cliente

Servidor de OpenLAB Data Store A.02.01 Lista de Preparação do Local. Objetivo do Procedimento. Responsabilidades do cliente Servidor Lista de Preparação de OpenLAB do Data Local Store A.02.01 Objetivo do Procedimento Assegurar que a instalação do Servidor de OpenLAB Data Store pode ser concluída com sucesso por meio de preparação

Leia mais

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider Ferramenta: Spider-CL Manual do Usuário Versão da Ferramenta: 1.1 www.ufpa.br/spider Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 14/07/2009 1.0 15/07/2009 1.1 16/07/2009 1.2 20/05/2010 1.3 Preenchimento

Leia mais

Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter

Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter Índice Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter............... 1 Sobre a Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter................ 1 Requisitos de

Leia mais

Construindo sítios profissionais com Mambo

Construindo sítios profissionais com Mambo 23/09/06 Construindo sítios profissionais com Mambo Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org 1 Sumário Software Livre Conceitos de CMS Mambo Configuração do Mambo Novidades Referências 2 O que é software

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DO CESUBE

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DO CESUBE REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DO CESUBE Considerando o significado e a importância do Estágio como parte fundamental da formação profissional, define-se

Leia mais

TUTORIAL VMWARE WORKSTATION 8. Aprenda a instalar e configurar corretamente uma máquina virtual utilizando VMware Workstation com este tutorial

TUTORIAL VMWARE WORKSTATION 8. Aprenda a instalar e configurar corretamente uma máquina virtual utilizando VMware Workstation com este tutorial TUTORIAL VMWARE WORKSTATION 8 Aprenda a instalar e configurar corretamente uma máquina virtual utilizando VMware Workstation com este tutorial INTRODUÇÃO O uso de máquinas virtuais pode ser adequado tanto

Leia mais

Sistema Operacional Saber Gnu/Linux Prefeitura de São Paulo

Sistema Operacional Saber Gnu/Linux Prefeitura de São Paulo Sistema Operacional Saber Gnu/Linux Prefeitura de São Paulo Descrição Sistema operacional baseado na distribuição Debian-Linux. Otimizado para o ambiente de terminais gráficos remotos. Customizado para

Leia mais

6 Aplicações Ricas para Internet

6 Aplicações Ricas para Internet 6 Aplicações Ricas para Internet DESENVOLVIMENTO WEB II - 7136 6.1. Evolução das aplicações para web O crescente número de pessoas que usufruem da informatização das tarefas cotidianas, viabilizadas na

Leia mais

22:59:36. Introdução à Informática com Software Livre

22:59:36. Introdução à Informática com Software Livre 22:59:36 Introdução à Informática com Software Livre 1 22:59:36 O Debian é uma distribuição GNU/Linux desenvolvida abertamente por um grupo mundial de voluntários, no esforço de se produzir um sistema

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás. Disciplina: Gerenciamento de Rede de Computadores. Goiânia, 16 de novembro de 2014.

Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás. Disciplina: Gerenciamento de Rede de Computadores. Goiânia, 16 de novembro de 2014. Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás Disciplina: Gerenciamento de Rede de Computadores : Goiânia, 16 de novembro de 2014. Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás Professor: Marissol Martins Alunos: Edy Laus,

Leia mais

Prefeitura de Belo Horizonte. Sistema de Controle de Protocolo

Prefeitura de Belo Horizonte. Sistema de Controle de Protocolo Prefeitura de Belo Horizonte Sistema de Controle de Protocolo Relatório apresentado para concorrer ao 2º Prêmio Inovar BH conforme Edital SMARH nº 001/2014 Belo Horizonte Julho de 2014 Resumo Sendo grande

Leia mais

Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual

Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual Escritório de Gestão de Projetos em EAD Unisinos http://www.unisinos.br/ead 2 A partir de agora,

Leia mais

Gerenciamento de Redes de Computadores. Pfsense Introdução e Instalação

Gerenciamento de Redes de Computadores. Pfsense Introdução e Instalação Pfsense Introdução e Instalação Introdução A utilização de um firewall em uma rede de computadores possui o objetivo básico de proteção relacionado a entrada e saída de dados. Introdução O pfsense é um

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 PERFIL ALUNO Versão 1.0 2014 NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE

Leia mais

Download e Instalação do GNU/Linux Elastix UCS VoIP 2.4.0 x64

Download e Instalação do GNU/Linux Elastix UCS VoIP 2.4.0 x64 Download e Instalação do GNU/Linux Elastix UCS VoIP 2.4.0 x64 Instalação Básica do GNU/Linux Elastix UCS VoIP Módulo - I versão: 1.3-25/07/2014 Professor do Curso de Elastix UCS VoIP Prof. Robson Vaamonde,

Leia mais

ROTEIRO: IMPLANTANDO O SISTEMA OPERACIONAL WINDOWS 7

ROTEIRO: IMPLANTANDO O SISTEMA OPERACIONAL WINDOWS 7 ROTEIRO: IMPLANTANDO O SISTEMA OPERACIONAL WINDOWS 7 OBJETIVO Conhecer as funcionalidades do software VMware Player implantando o sistema operacional Windows 7 e trabalhando em algumas ferramentas nativas

Leia mais

GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR II ANÁLISE E SUPORTE EM TI HOSPITALAR

GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR II ANÁLISE E SUPORTE EM TI HOSPITALAR GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR II ANÁLISE E SUPORTE EM TI HOSPITALAR EMPRESA: TRÍPLICE CONSULTORIA E SERVIÇOS LTDA. SETOR: INFORMÁTICA SUPERVISOR: RONALDO GUIZARDI ORIENTADOR: VILSON VIEIRA CURSO DE

Leia mais

Kerio Exchange Migration Tool

Kerio Exchange Migration Tool Kerio Exchange Migration Tool Versão: 7.3 2012 Kerio Technologies, Inc. Todos os direitos reservados. 1 Introdução Documento fornece orientações para a migração de contas de usuário e as pastas públicas

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais 7 Sistemas Operacionais 7.1 Fundamentos da ciência da computação Cengage Learning Objetivos 7.2 Compreender o papel do sistema operacional. Compreender o processo de inicialização para carregar o sistema

Leia mais

Manual de instalação. Manual de instalação. Liberdade. Liberdade. Versão 1.0.0-31/10/2002. Versão 1.0.0-31/10/2002

Manual de instalação. Manual de instalação. Liberdade. Liberdade. Versão 1.0.0-31/10/2002. Versão 1.0.0-31/10/2002 Liberdade Manual de instalação Liberdade Manual de instalação Versão 1.0.0-31/10/2002 Versão 1.0.0-31/10/2002 Praça dos Açorianos, s/n - CEP 90010-340 Porto Alegre, RS (051) 3210-3100 http:\\www.procergs.com.br

Leia mais

Sistema Gerenciador de Conteúdo OpenCms: um caso de sucesso no CEFET-MG

Sistema Gerenciador de Conteúdo OpenCms: um caso de sucesso no CEFET-MG Sistema Gerenciador de Conteúdo OpenCms: um caso de sucesso no CEFET-MG Marco T. A. Rodrigues*, Paulo E. M. de Almeida* *Departamento de Recursos em Informática Centro Federal de Educação Tecnológica de

Leia mais

1. Introdução. 2. Funcionamento básico dos componentes do Neteye

1. Introdução. 2. Funcionamento básico dos componentes do Neteye 1. Introdução Esse guia foi criado com o propósito de ajudar na instalação do Neteye. Para ajuda na utilização do Software, solicitamos que consulte os manuais da Console [http://www.neteye.com.br/help/doku.php?id=ajuda]

Leia mais

NetWare 6.5. Novell. Instalação e upgrade REQUISITOS MÍNIMOS DE SISTEMA REQUISITOS DE SISTEMA RECOMENDADOS. www.novell.

NetWare 6.5. Novell. Instalação e upgrade REQUISITOS MÍNIMOS DE SISTEMA REQUISITOS DE SISTEMA RECOMENDADOS. www.novell. Novell NetWare 6.5 www.novell.com INÍCIO RÁPIDO Instalação e upgrade Esta Introdução rápida fornece informações básicas sobre a instalação e o upgrade para um servidor NetWare 6.5. Para obter instruções

Leia mais

Manual Framework Daruma para ECF

Manual Framework Daruma para ECF Manual Framework Daruma para ECF DESENVOLVENDO SOLUÇÕES Autor: Leandro Doc. Vrs. 01 Revisão: Laila Maria Aprovado em: Março de 2015. Nota de copyright Copyright 2015 Teorema Informática, Guarapuava. Todos

Leia mais

Manual do Usuário 2013

Manual do Usuário 2013 Manual do Usuário 2013 MANUAL DO USUÁRIO 2013 Introdução Um ambiente virtual de aprendizagem é um programa para computador que permite que a sala de aula migre para a Internet. Simula muitos dos recursos

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC Ferramentas Online. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC Ferramentas Online. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

Curso de Introdução ao Plone. Instrutores Carlos Alberto Alves Meira Erick Gallani

Curso de Introdução ao Plone. Instrutores Carlos Alberto Alves Meira Erick Gallani Curso de Introdução ao Plone Instrutores Carlos Alberto Alves Meira Erick Gallani Conteúdo Parte I - Conceitos básicos Parte II - Interface do Plone Parte III - Gerenciamento de usuários Parte IV - Criação

Leia mais

MURILO TONELLI DE OLIVEIRA RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR I E II JOINVILLE - SC

MURILO TONELLI DE OLIVEIRA RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR I E II JOINVILLE - SC MURILO TONELLI DE OLIVEIRA RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR I E II JOINVILLE - SC 2011 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CCT DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO

Leia mais

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 04. Prof. André Lucio

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 04. Prof. André Lucio FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 04 Prof. André Lucio Competências da aula 3 Servidor de DHCP. Servidor de Arquivos. Servidor de Impressão. Aula 04 CONCEITOS

Leia mais

Everson Scherrer Borges João Paulo de Brito Gonçalves

Everson Scherrer Borges João Paulo de Brito Gonçalves Everson Scherrer Borges João Paulo de Brito Gonçalves 1 Introdução ao Linux e Instalação do Ubuntu Linux História Em 1973, um pesquisador da Bell Labs, Dennis Ritchie, reescreveu todo o sistema Unix numa

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL EM LINUX Campus Lages Junho/204 Parte (solicitante) DADOS DO CAMPUS PROPONENTE. Campus: Instituto Federal de Santa Catarina Campus Lages. 2. Endereço/CNPJ/Telefone

Leia mais

SolarWinds Kiwi Syslog Server

SolarWinds Kiwi Syslog Server SolarWinds Kiwi Syslog Server Monitoramento de syslog fácil de usar e econômico O Kiwi Syslog Server oferece aos administradores de TI o software de gerenciamento mais econômico do setor. Fácil de instalar

Leia mais

TUTORIAL DE AMBIENTAÇÃO AO SGUS

TUTORIAL DE AMBIENTAÇÃO AO SGUS TUTORIAL DE TUTORIAL DE Sumário APRESENTAÇÃO 6 OBJETIVOS 8 CAPÍTULO 1 CONHECENDO OS MENUS DE NAVEGAÇÃO 10 CAPÍTULO 2 O SGUS NA PRÁTICA DOS GESTORES 22 CONCLUSÃO 28 REFERÊNCIAS 30 TUTORIAL DE Apresentação

Leia mais

Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais.

Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais. Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais. Tales Henrique José MOREIRA 1 ; Gabriel da SILVA 2 ; 1 Estudante de Tecnologia em Sistemas para

Leia mais

Guia do Usuário do Gateway do Avigilon Control Center. Versão 5.4.2

Guia do Usuário do Gateway do Avigilon Control Center. Versão 5.4.2 Guia do Usuário do Gateway do Avigilon Control Center Versão 5.4.2 2006-2014 Avigilon Corporation. Todos os direitos reservados. A menos que seja expressamente concedido por escrito, nenhuma licença é

Leia mais

Universidade Tecnológica Federal do Paraná Gerencia de Ensino e Pesquisa Coordenação de Informática Estágio supervisionado curricular.

Universidade Tecnológica Federal do Paraná Gerencia de Ensino e Pesquisa Coordenação de Informática Estágio supervisionado curricular. Universidade Tecnológica Federal do Paraná Gerencia de Ensino e Pesquisa Coordenação de Informática Estágio supervisionado curricular Relatório Final João Pedro Cavasin Estagiário André Luis Schwerz Orientador

Leia mais

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO DESCRIÇÃO DO SIGAI O SIGAI (Sistema Integrado de Gestão do Acesso à Informação) é uma solução de software que foi desenvolvida para automatizar os processos administrativos e operacionais visando a atender

Leia mais

USB Creator. USBCreator. 1. Requerimentos. Página Imutável Informação Anexos Mais Acções. Ubuntu Brazil Entrar Help

USB Creator. USBCreator. 1. Requerimentos. Página Imutável Informação Anexos Mais Acções. Ubuntu Brazil Entrar Help 1 de 8 04/06/2013 18:02 Página Imutável Informação Anexos Mais Acções Ubuntu Brazil Entrar Help USBCreator USB Creator Hoje, também gravar o Ubuntu ou as várias distribuições Linux num pen drive nunca

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO. LSoft Ponto Eletrônico

MANUAL DE INSTALAÇÃO. LSoft Ponto Eletrônico MANUAL DE INSTALAÇÃO LSoft Ponto Eletrônico SUPORTE TÉCNICO AO USUÁRIO: Atendimento On-line: www.lsoft.com.br E-Mail: suporte@lsoft.com.br (37) 3237-8900 Versão 1.0-2014. Todos os direitos reservados.

Leia mais

Manual de Instalação do Linux Educacional 1.0

Manual de Instalação do Linux Educacional 1.0 2007 Manual de Instalação do Linux Educacional 1.0 Por: Rafael Nink de Carvalho Web site: 2 Manual de Instalação do Linux Educacional 1.0 Por: Rafael Nink de Carvalho Machadinho D Oeste RO Agosto 2007

Leia mais

Instalação do TOTVS ESB. Guia de Instalação do TOTVS ESB

Instalação do TOTVS ESB. Guia de Instalação do TOTVS ESB Guia de Instalação do TOTVS ESB Copyright 2011 TOTVS S.A. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste documento pode ser copiada, reproduzida, traduzida ou transmitida por qualquer meio eletrônico

Leia mais

Pós-Graduação em Educação: Novos Paradigmas GUIA DO ALUNO

Pós-Graduação em Educação: Novos Paradigmas GUIA DO ALUNO GUIA DO ALUNO Prezado(a) Aluno(a), O Guia do Aluno é um instrumento normativo que descreve os padrões de qualidade dos processos acadêmicos e administrativos necessários ao desenvolvimento dos cursos de

Leia mais

Uma poderosa ferramenta de monitoramento. Madson Santos - madson@pop-pi.rnp.br Técnico de Operação e Manutenção do PoP-PI/RNP

Uma poderosa ferramenta de monitoramento. Madson Santos - madson@pop-pi.rnp.br Técnico de Operação e Manutenção do PoP-PI/RNP Uma poderosa ferramenta de monitoramento Madson Santos - madson@pop-pi.rnp.br Técnico de Operação e Manutenção do PoP-PI/RNP Abril de 2008 O que é? Características Requisitos Componentes Visual O que é?

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL AMBIENTE VIRTUAL INSTITUCIONAL MOODLE/UFFS

UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL AMBIENTE VIRTUAL INSTITUCIONAL MOODLE/UFFS UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL AMBIENTE VIRTUAL INSTITUCIONAL MOODLE/UFFS Guia Inicial de Acesso e Utilização Para Docentes Versão 1.0b Outubro/2010 Acesso e utilização do Ambiente Virtual de Ensino

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE ENGENHARIA DE SOFTWARE, BACHARELADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das disposições gerais O presente

Leia mais

Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais

Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais Configurando e Implantando o Windows Server 2003 Fabricio Breve Requisitos de Hardware de Sistema Processador Mínimo: 266 MHz Mínimo ideal:

Leia mais

Personata Recorder. Manual de Instalação e Configuração

Personata Recorder. Manual de Instalação e Configuração Personata Recorder Manual de Instalação e Configuração Julho / 2013 1 Índice 1- Pré-requisitos......3 2 Verificação do Hardware......3 3 Instalação......5 4 Configuração Inicial......8 4.1 Localização......8

Leia mais

gladiador INTERNET CONTROLADA

gladiador INTERNET CONTROLADA gladiador INTERNET CONTROLADA funcionalidades do sistema gladiador sistema Gerenciamento de usuários, gerenciamento de discos, data e hora do sistema, backup gladiador. Estações de Trabalho Mapeamento

Leia mais

Aula 1 Windows Server 2003 Visão Geral

Aula 1 Windows Server 2003 Visão Geral Aula 1 Windows Server 2003 Visão Geral Windows 2003 Server Introdução Nessa Aula: É apresentada uma visão rápida e geral do Windows Server 2003. O Foco a partir da próxima aula, será no serviço de Diretórios

Leia mais

Índice. Mamut Gravador Telefônico Digital MGC Manual de Instalação Procedimento de Instalação do Gravador Digital Mamut. V 1.0

Índice. Mamut Gravador Telefônico Digital MGC Manual de Instalação Procedimento de Instalação do Gravador Digital Mamut. V 1.0 Procedimento de Instalação do Gravador Digital Mamut. V 1.0 Índice 1- Preparação da CPU para o funcionamento do Gravador Digital Mamut 1.1 - Preparação da CPU 1.2 - Instalação do Firebird 2 - Instalação

Leia mais

Sistema de Gestão de Recursos de Aprendizagem

Sistema de Gestão de Recursos de Aprendizagem Sistema de Gestão de Recursos de Aprendizagem Ambiente Virtual de Aprendizagem (Moodle) - - Atualizado em 29/07/20 ÍNDICE DE FIGURAS Figura Página de acesso ao SIGRA... 7 Figura 2 Portal de Cursos... 8

Leia mais