ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENAÇÃO DAS AÇÕES DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DIRETORIA DE ANÁLISE DA SITUAÇÃO DE SAÚDE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENAÇÃO DAS AÇÕES DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DIRETORIA DE ANÁLISE DA SITUAÇÃO DE SAÚDE"

Transcrição

1 ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENAÇÃO DAS AÇÕES DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DIRETORIA DE ANÁLISE DA SITUAÇÃO DE SAÚDE PACTO PELA SAÚDE - PACTUAÇÃO DO INDICADORES DA PROGRAMAÇÃO DAS AÇÕES PRIORITÁRIAS DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE MUNICÍPIO: OLHO D'ÁGUA DAS FLORES-AL INDICADORES DA Origem do Indicador Nível de pactuação RESULTADO 2006 Meta Notificação PROPORÇÃO DE MUNICÍPIOS COM NOTIFICAÇÃO DE CASOS DE SÍFILIS EM GESTANTE 65,7% 100% dos municípios PROPORÇÃO DE CASOS DE SÍFILIS EM GESTANTE NOTIFICADOS 27,03 50 N o. DE REMESSA REGULAR DE NOTIFICAÇÃO POSITIVA/NEGATIVA PARA SARAMPO IE Investigação PROPORÇÃO DE CASOS DE PFA DETECTADOS COM UMA AMOSTRA DE FEZES COLETADA ATÉ O 14º DIA DO INÍCIO DA DEFICIÊNCIA MOTORA 0 80% dos casos PROPORÇÃO DE MUNICÍPIOS COM MAIS DE 100 MIL HABITANTES NOTIFICANDO E INVESTIGANDO DOENÇAS TRANSMITIDAS POR ÁGUA E ALIMENTOS (DTA) IE 50% dos municípios 70% dos municípios PROPORÇÃO DE MUNICÍPIOS COM MENOS DE 100 MIL HABITANTES NOTIFICANDO DOENÇAS TRANSMITIDAS POR ÁGUA E ALIMENTOS (DTA). IE 20,2% dos municípios 70% dos municípios N o. DE REMESSAS REGULARES DE NOTIFICAÇÃO POSITIVA OU NEGATIVA E INVESTIGAÇÃO DE SURTOS DE DTA ( MUNICÍPIOS COM MAIS DE 100 MIL HABITANTES) IE N o. DE REMESSAS REGULARES DE NOTIFICAÇÃO POSITIVA OU NEGATIVA DE SURTOS DE DTA (MUNICÍPIOS COM MENOS DE 100 MIL HABITANTES) IE Diagnostico Laboratorial de agravos de saúde pública PROPORÇÃO DE CASOS SUSPEITOS DE SARAMPO E RUBÉOLA INVESTIGADOS LABORATORIALMENTE POR MEIO DE SOROLOGIA PROPORÇÃO DE CASOS DE MENINGITE BACTERIANA DIAGNOSTICADOS LABORATORIALMENTE POR MEIO DAS TÉCNICAS DE CULTURA, CONTRA-IMUNO-ELETROFORESE OU LÁTEX, VIGISUS 0 90% dos casos 41,7% 63,6%

2 INDICADORES DA Origem do Indicador Nível de pactuação RESULTADO 2006 Meta 2007 N o. DE CTA COM ACONSELHAMENTO E TESTAGEM SOROLÓGICA PARA HEPATITES B E C IMPLANTADO PROPORÇÃO DE GESTANTES COM TESTAGEM PARA SÍFILIS (VDRL) REALIZADO, NO MÍNIMO UM TESTE NO PARTO PROPORÇÃO DE LABORATORIOS PÚBLICOS IDENTIFICADOS PELO LACEN QUE REALIZAM DIAGNÓSTICO DE DOENÇAS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA E AGRAVOS DE INTERESSE SANITARIO SUPERVISIONADO - 100% dos laboratórios públicos 4. Vigilância Ambiental RELATÓRIO ANUAL DE CADASTRO DE ÁREA COM POPULAÇÃO EXPOSTAS A SOLO CONTAMINADO (VIGISOLO) DE MUNICÍPIOS COM POPULAÇÃO MAIOR OU IGUAL A 100 MIL HABITANTES RELATÓRIO SEMESTRAL DE VIGILÂNCIA DA ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO (VIGIÁGUA) DE MUNICÍPIOS COM POPULAÇÃO MAIOR OU IGUAL A 100 MIL HABITANTES E MUNICÍPIOS ELEGÍVEIS PARA O VIGISUS N o. DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO CADASTRADOS 1 1 N o. DE SOLUÇÕES ALTERNATIVAS CADASTRADAS N o. DE ANÁLISES DE CLORO RESIDUAL LIVRE PARA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA AGUA PARA CONSUMO HUMANO REALIZADA N o. DE ANÁLISES DE TURBIDEZ PARA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA AGUA PARA CONSUMO HUMANO REALIZADA N o. DE ANÁLISES MICROBIOLÓGICAS PARA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA AGUA PARA CONSUMO HUMANO REALIZADA N o. DE RELATÓRIO DE CONTROLE DA QUALIDADE DA ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO POR SISTEMA DE ABASTECIMENTO 12/anual 12/anual INSTRUMENTO DE IDENTIFICAÇÃO DOS MUNICÍPIOS DE RISCO RELACIONADO A QUALIDADE DO AR (VIGIAR) 5. Vigilância de Doenças Transmitidas por Vetores e Antropozoonoses 5.1 Vigilância entomológica PROPORÇÃO DE MUNICÍPIOS DE MÉDIO E ALTO RISCO PARA DOENÇAS DE CHAGAS COM PESQUISA REALIZADA % 100% N o. DE IMÓVEIS PESQUISADOS PARA IDENTIFICAÇÃO DE TRIATOMINIOS PROPORÇÃO DE MUNICÍPIOS COM VIGILÂNCIA ENTOMOLÓGICA DE FLEBOTOMÍNIOS REALIZADA 5.2 Vigilância de hospedeiros e reservatórios 32% 100% dos municípios (64 municípios)

3 INDICADORES DA Origem do Indicador Nível de pactuação RESULTADO 2006 Meta 2007 PROPORÇÃO DE SOROLOGIA DE CARNÍVOROS E ROEDORES RESISTENTES REALIZADA PARA DETECÇÃO DA CIRCULAÇÃO DE PESTE EM AREA FOCAIS PROPORÇÃO DE PESQUISA MALACOLÓGICA REALIZADA EM COLEÇÕES HÍDRICAS DE IMPORTÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA PARA ESQUISTOSSOMOSE 5.3 Controle vetorial PROPORÇÃO DE DOMICÍLIOS POSITIVOS PARA TRIATOMINEOS COM BORRIFAÇÃO REALIZADA 5.4 Imunização de reservatórios PROPORÇÃO DA POPULAÇÃO CANINA ESTIMADA VACINADA COM ANTI-RÁBICA 6. Controle de doenças - 10% dos municípios endêmicos (7 municípios) 88, ,92 80 NÚMERO DE EXAMES COPROSCÓPICOS REALIZADOS PARA CONTROLE DA ESQUISTOSSOMOSE EM ÁREA ENDÊMICAS PROPORÇÃO DE ESCOLARES (1º AO 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DE REDE PÚBLICA) COM EXAME OCULAR EXTERNO REALIZADO PARA DETECÇÃO DE PORTADORES DE INFECÇÃO TRACOMATOSA REALIZADO. - 10% dos escolares dos municípios com taxa de detecção >=5%, resultante do inquérito epidemiológico do tracoma (24 municípios) PROPORÇÃO DE CASOS DE LTA CURADOS Imunizações 7. 1 Vacinação PROPORÇÃO DE CRIANÇAS < DE 5 ANOS VACINADOS NA 1ª ETAPA DA CAMPANHA ANUAL DE POLIOMIELITE. PROPORÇÃO DE CRIANÇAS < 5 ANOS VACINADAS NA 2ª ETAPA DA CAMPANHA ANUAL DE POLIOMIELITE. PROPORÇÃO DA POPULAÇÃO IDOSA (60 ANOS E +) VACINADOS CONTRA INFLUENZA. PROPORÇÃO DE MUNICÍPIOS DO ESTADO COM COBERTURA VACINAL ADEQUADA PARA A TRÍPLICE VIRAL EM CRIANÇAS DE UM ANO PROPORÇÃO DE CRIANÇAS DE UM ANO COM COBERTURA VACINAL ADEQUADA PARA A TRÍPLICE VIRAL PROPORÇÃO DE CRIANÇAS MENORES DE UM ANO COM COBERTURA VACINAL ADEQUADA PARA A HEPATITE B 7.2. Vigilância de eventos adversos pós-vacinação PROPORÇÃO DE CASOS GRAVES DE EVENTOS ADVERSOS PÓS-VACINAÇÃO INVESTIGADOS 84,37 95% 83,81 95% 73,26 70% 70% dos municípios IE 112,28 95% IE 94,49 95% 0 100% 8. Monitorização de agravos de relevância epidemiológica PROPORÇÃO DE SURTOS DE DOENÇA DIARRÉICA AGUDA DETECTADOS POR MEIO DA MONITORIZAÇÃO DE DOENÇAS DIARREICAS AGUDAS (MDDA) IE 78% dos surtos 70% dos surtos N o. DE REMESSAS REGULAR DA MDDA IE Divulgação de informações epidemiológicas N o. DE INFORMES EPIDEMIOLÓGICOS ELABORADOS E PUBLICADOS 2 2

4 INDICADORES DA 10. Elaboração de estudos e pesquisas em epidemiologia N o. DE RELATÓRIO DE ANÁLISE DA SITUAÇÃO DE SAÚDE 11. Alimentação e manutenção de sistemas de informação PROPORÇÃO DA POPULAÇÃO RESIDENTE EM MUNICÍPIOS MENORES DE 50 MIL HAB E CGM PADRONIZADO < 4,4 E EM MUNICÍPIOS COM 50 MIL HAB OU MAIS E CGM PADRONIZADA < 5,3 POR 1000 HAB. Origem do Indicador IE Nível de pactuação RESULTADO 2006 Meta % da população residentes (39 municipios) Reduzir para menos de 20% N o. DE ÓBITOS CAPTADOS PELO SISTEMA DE INFORMAÇÃO SOBRE MORTALIDADE N O. DE NASCIMENTOS CAPTADOS PELO SISTEMA DE INFORMAÇÃO SOBRE NASCIDOS VIVOS N o. DE ENVIO REGULAR DO BANCO DE DADOS DO API DA VACINAÇÃO DE ROTINA remessas N o. DE ENVIO REGULAR DO BANCO DE DADOS DO API DA VACINAÇÃO DE CAMPANHA 3 3 remessas N o. DE ENVIO REGULAR DO BANCO DE DADOS DO SINAN remessas N o. DE ENVIO REGULAR DO BANCO DE DADOS DO SIM N o. DE ENVIO REGULAR DO BANCO DE DADOS DO SINASC 12. Acompanhamento da remessas remessas N o. DE SUPERVISÕES DA REALIZADAS EM MUNICÍPIOS COM POPULAÇÃO IGUAL OU SUPERIOR A 100 MIL HABITANTES 2 supervisões 2 supervisões N o. DE SUPERVISÕES DA REALIZADAS EM MUNICÍPIOS COM POPULAÇÃO INFERIOR A 100 MIL HABITANTES 25 supervisões 50 supervisões 13. Procedimentos de Vigilância Sanitária Elaboração de Plano de Ação N o. DE PLANOS DE AÇÃO, ELABORADO PARA IMPLEMENTAÇÃO DA VIGILÂNCIA SANITÁRIA, INTEGRADO AO PLANO DE SAÚDE, Expedição de alvará/licença sanitária para estabelecimento cadastrado PROPORÇÃO DE SERVIÇOS DE DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DE CÂNCER DE COLO E, DE ÚTERO E DE MAMA CADASTRADO COM ALVARÁ/LICENÇA SANITÁRIA ATUALIZADA N o. DE SERVIÇOS DE DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DE CÂNCER DE COLO E, DE ÚTERO E DE MAMA CADASTRADO E INSPECIONADO PELA VISA PROPORÇÃO DE SERVIÇOS HOSPITALARES (MATERNIDADES E UTI NEONATAL CADASTRADOS COM ALVARÁ/LICENÇA SANITÁRIA ATUALIZADA N o. DE SERVIÇOS HOSPITALARES (MATERNIDADES E UTI NEONATAL CADASTRADOS E INSPECIONADOS PELA VISA 100% PROPORÇÃO DE SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO CADASTRADOS COM ALVARÁ/LICENÇA SANITÁRIA ATUALIZADA N o. DE SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO CADASTRADOS E INSPECIONADOS PELA VISA 100% 100%

5 INDICADORES DA Origem do Indicador Nível de pactuação RESULTADO 2006 Meta 2007 PROPORÇÃO DE SERVIÇOS DE HEMOTERAPIA, DIÁLISE E NEFROLOGIA CADASTRADOS COM ALVARÁ/LICENÇA SANITÁRIA ATUALIZADA N o. DE SERVIÇOS DE HEMOTERAPIA, DIÁLISE E NEFROLOGIA CADASTRADOS E INSPECIONADOS PELA VISA PROPORÇÃO DE ESTABELECIMENTO FARMACEUTICO CADASTRADOS COM ALVARÁ/LICENÇA SANITÁRIA ATUALIZADA N o.de ESTABELECIMENTO FARMACEUTICO CADASTRADO E INSPECIONADO PELA VISA 100,00% 100% Local: O.A.Flores-Al, 14 de junho de 2007 Secretário de Saúde *O resultado de 2006, encontra-se disponível no CD (PPI-VS Avaliação Anual 2006 (CONSOLIDADA). XLS)

6 2

7

8

9

10

PROGRAMAÇÃO DAS AÇÕES DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE - 2008/2009

PROGRAMAÇÃO DAS AÇÕES DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE - 2008/2009 PROGRAMAÇÃO DAS AÇÕES DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE - 2008/2009 1.Notificação AÇÃO 1.1 Realizar notificação dos casos de sífilis em gestante 48.950 casos de sífilis em gestantes notificados. 1.2 Definir Unidades

Leia mais

Alcançado (b) Número total de casos notificados. Número total de notificações negativas recebidas

Alcançado (b) Número total de casos notificados. Número total de notificações negativas recebidas INSTRUTIVO PARA PREENCHIMENTO DO ROTEIRO DE ACOMPANHAMENTO DA PROGRAMAÇÃO PACTUADA INTEGRADA DE EPIDEMIOLOGIA E CONTROLE DE DOENÇAS PPI-ECD - NAS UNIDADES FEDERADAS 1 2 Este instrutivo contém informações

Leia mais

Índice dos Boletins Epidemiológicos de Porto Alegre de 2014 a 1996

Índice dos Boletins Epidemiológicos de Porto Alegre de 2014 a 1996 Índice dos Boletins Epidemiológicos de Porto Alegre de 2014 a 1996 XV 55 Novembro de 2014 Especial Vigilância Ambiental da Dengue em Porto Alegre XV 54 Fevereiro de 2014 Atual Cenário Epidemiológica da

Leia mais

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Santa Catarina. 2ª edição. Brasília/DF

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Santa Catarina. 2ª edição. Brasília/DF C Ministério da Saúde Sistema Nacional de Vigilância em Saúde Relatório de Situação Santa Catarina 2ª edição Brasília/DF Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Sistema Nacional de Vigilância

Leia mais

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Mato Grosso. 2ª edição. Brasília/DF

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Mato Grosso. 2ª edição. Brasília/DF Ministério da Saúde Sistema Nacional de Vigilância em Saúde Relatório de Situação Mato Grosso 2ª edição Brasília/DF Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Sistema Nacional de Vigilância

Leia mais

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Distrito Federal. Brasília / DF

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Distrito Federal. Brasília / DF Ministério da Saúde Sistema Nacional de Vigilância em Saúde Relatório de Situação Distrito Federal Brasília / DF Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Sistema Nacional de Vigilância em

Leia mais

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Rio Grande do Sul. Brasília / DF

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Rio Grande do Sul. Brasília / DF Ministério da Saúde Sistema Nacional de Vigilância em Saúde Relatório de Situação Rio Grande do Sul Brasília / DF Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Sistema Nacional de Vigilância em

Leia mais

Pacto de Atenção Básica 2002 Notas Técnicas

Pacto de Atenção Básica 2002 Notas Técnicas Pacto de Atenção Básica 2002 Notas Técnicas Estão disponíveis, nestas páginas, os indicadores do Pacto de Atenção Básica 2002, estabelecidos a partir da portaria 1.121, de 17 de junho de 2002, calculados

Leia mais

Sumario de Assuntos por Boletim Epidemiológico NÚMERO DO BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO

Sumario de Assuntos por Boletim Epidemiológico NÚMERO DO BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO Sumario de Assuntos por Boletim Epidemiológico AGRAVO NÚMERO DO BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO AIDS 3-4 - 13-14 - 17-18 - 28-34 - 36-38 - 42-44 - 45 Cobertura Vacinal 7-8 - 9-10 - 12-14 - 16-18 - 19-22 - 23-25

Leia mais

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Amazonas. 2ª edição. Brasília/DF

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Amazonas. 2ª edição. Brasília/DF M Ministério da Saúde Sistema Nacional de Vigilância em Saúde Relatório de Situação Amazonas 2ª edição Brasília/DF Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Sistema Nacional de Vigilância em

Leia mais

Fed Estado DF O cálculo da União não X possui percentual de aplicada em saúde

Fed Estado DF O cálculo da União não X possui percentual de aplicada em saúde Anexo RELATÓRIO DE INDICADORES DE MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DO PACTO PELA SAÚDE - 2007 A. INDICADORES PRINCIPAIS Denominação Método de Cálculo Fonte Parâmetro/Meta Nacional/ Referência Situação Local Meta

Leia mais

Aspectos Clínicos Relevantes da infecção

Aspectos Clínicos Relevantes da infecção Superintendência de Vigilância em Saúde Gerência de Vigilância Epidemiológica de Doenças Transmissíveis Coordenação de Controle de Doenças de Transmissão Hídrica e Alimentar Rotavírus ROTAVÍRUS O VÍRUS

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ SECRETARIA MUNICIPAL DA CIDADANIA GERÊNCIA EXECUTIVA DA SAÚDE

ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ SECRETARIA MUNICIPAL DA CIDADANIA GERÊNCIA EXECUTIVA DA SAÚDE ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ SECRETARIA MUNICIPAL DA CIDADANIA GERÊNCIA EXECUTIVA DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA À SAÚDE TEMAS DESTE INFORME Entendendo um pouco mais

Leia mais

VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA. Conceito: Forma tradicional de utilização da Epidemiologia nos serviços de saúde.

VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA. Conceito: Forma tradicional de utilização da Epidemiologia nos serviços de saúde. VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA Conceito: Forma tradicional de utilização da Epidemiologia nos serviços de saúde. Vigilância: (1) Observação de pessoas (2) Observação de doenças ou danos à saúde - VE Com vistas

Leia mais

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Rio Grande do Norte. 2ª edição. Brasília/DF

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Rio Grande do Norte. 2ª edição. Brasília/DF N Ministério da Saúde Sistema Nacional de Vigilância em Saúde Relatório de Situação Rio Grande do Norte 2ª edição Brasília/DF Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Sistema Nacional de Vigilância

Leia mais

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DAS AÇÕES DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE (PQA-VS) FICHAS DE QUALIFICAÇÃO DOS INDICADORES

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DAS AÇÕES DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE (PQA-VS) FICHAS DE QUALIFICAÇÃO DOS INDICADORES PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DAS AÇÕES DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE (PQA-VS) FICHAS DE QUALIFICAÇÃO DOS INDICADORES Setembro de 2013 Brasília - DF 2 Sumário Apresentação...3 Rol de Indicadores do Programa de Qualificação

Leia mais

Nota Técnica dos valores absolutos utilizados na construção dos indicadores do rol de Diretrizes, Objetivos, Metas e Indicadores 2014-2015

Nota Técnica dos valores absolutos utilizados na construção dos indicadores do rol de Diretrizes, Objetivos, Metas e Indicadores 2014-2015 Nota Técnica dos valores absolutos utilizados na construção dos indicadores do rol de Diretrizes, Objetivos, Metas e Indicadores 2014-2015 Contém os valores absolutos numeradores e denominadores utilizados

Leia mais

Serviço de Epidemiologia Hospitalar: Hospital de Clínicas/UFPR

Serviço de Epidemiologia Hospitalar: Hospital de Clínicas/UFPR Serviço de Epidemiologia Hospitalar: Hospital de Clínicas/UFPR Comunicações: 1. Vigilância da Coqueluche; 2. Vigilância das Síndromes Respiratórias Agudas Graves; 3. Liberação de tratamento para tuberculose

Leia mais

ANEXO I TERMO DE COMPROMISSO DE GESTÃO MUNICIPAL

ANEXO I TERMO DE COMPROMISSO DE GESTÃO MUNICIPAL ANEXO I TERMO DE COMPROMISSO DE GESTÃO MUNICIPAL Termo de Compromisso de Gestão que firma a Secretaria Municipal de Saúde de XX, representada pelo seu Secretário Municipal de Saúde, com o objetivo de pactuar

Leia mais

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Espírito Santo

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Espírito Santo Ministério da Saúde Sistema Nacional de Vigilância em Saúde Relatório de Situação Espírito Santo Brasília/DF 5ª edição Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Sistema Nacional de Vigilância

Leia mais

Papiloma Vírus Humano - HPV

Papiloma Vírus Humano - HPV VACINAÇÃO HPV 2015 Papiloma Vírus Humano - HPV O vírus HPV é altamente contagioso, sendo possível contaminar-se com uma única exposição. A sua transmissão se dá por contato direto com a pele ou mucosa

Leia mais

O ESTADO DO PARÁ 8 m acrorregiões macrorregiões d e de saúde 23 regiões de saúde

O ESTADO DO PARÁ 8 m acrorregiões macrorregiões d e de saúde 23 regiões de saúde Governo do Estado do Pará Secretaria de Estado de Saúde Pública Diretoria de Políticas de Atenção Integral a Saúde Oficina de Trabalho "Troca de Experiências em Carreiras, Remuneração por Desempenho e

Leia mais

ANO: 02 Nº 01 SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE SANTANA DO IPANEMA AL JANEIRO Á JUNHO - 2008

ANO: 02 Nº 01 SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE SANTANA DO IPANEMA AL JANEIRO Á JUNHO - 2008 ANO: 02 Nº 01 SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE SANTANA DO IPANEMA AL JANEIRO Á JUNHO - 2008 Informe Este informe tem como objetivo fornecer informação semestral sobre a ocorrência de doenças de notificação

Leia mais

ANEXO IV INDICADORES ESTRATÉGICOS PARA A REDE CEGONHA

ANEXO IV INDICADORES ESTRATÉGICOS PARA A REDE CEGONHA ANEXO IV INDICADORES ESTRATÉGICOS PARA A REDE CEGONHA OBJETIVO: MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DA IMPLANTAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DA REDE CEGONHA NOME DO INDICADOR DEFINIÇÃO INTERPRETAÇÃO MÉTODO DE CÁLCULO cadastradas

Leia mais

Memória de cálculo dos indicadores do Pacto de Atenção Básica 2004

Memória de cálculo dos indicadores do Pacto de Atenção Básica 2004 Memória de cálculo dos indicadores do Pacto de Atenção Básica 2004 Fontes de informação: A. População Todos os dados de população foram obtidos a partir do existente no site do Datasus www.datasus.gov.br/cgi/ibge/popmap.htm.

Leia mais

Exercícios de Revisão Epidemiologia II. Rafael Assumpção de Sá

Exercícios de Revisão Epidemiologia II. Rafael Assumpção de Sá Exercícios de Revisão Epidemiologia II Rafael Assumpção de Sá 1- A realização de procedimentos como o teste do pezinho é uma forma de prevenção que atua, durante a história natural da doença, no período:

Leia mais

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Alagoas. Brasília / DF

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Alagoas. Brasília / DF Ministério da Saúde Sistema Nacional de Vigilância em Saúde Relatório de Situação Alagoas Brasília / DF Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Sistema Nacional de Vigilância em Saúde Relatório

Leia mais

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Piauí. Brasília / DF

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Piauí. Brasília / DF Ministério da Saúde Sistema Nacional de Vigilância em Saúde Relatório de Situação Piauí Brasília / DF Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Sistema Nacional de Vigilância em Saúde Relatório

Leia mais

VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA

VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA Manual das ações programáticas 1 M o d e l o S a ú d e T o d o D i a PROGRAMA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DE AGRAVOS TRANSMISSÍVEIS INDICE INTRODUÇÃO... 5 FLUXOGRAMA DO ENVIO

Leia mais

Boletim Epidemiológico Julho/2015

Boletim Epidemiológico Julho/2015 GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE PÚBLICA COORDENADORIA DE PROMOÇÃO À SAÚDE SUBCOORDENADORIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA CENTRO DE INFORMAÇÃO ESTRATÉGICA EM VIGILANCIA

Leia mais

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Paraná. 2ª edição. Brasília/DF

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Paraná. 2ª edição. Brasília/DF R Ministério da Saúde Sistema Nacional de Vigilância em Saúde Relatório de Situação Paraná 2ª edição Brasília/DF Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Sistema Nacional de Vigilância em

Leia mais

UTILIZAÇÃO DOS INDICADORES DA PAVS PARA MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DA VIGILÂNCIA EM SAÚDE.

UTILIZAÇÃO DOS INDICADORES DA PAVS PARA MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DA VIGILÂNCIA EM SAÚDE. Secretaria de Saúde do Estado de Pernambuco Secretaria Executiva de Vigilância em Saúde Diretoria Geral de Promoção, Monitoramento e Avaliação da Situação de Saúde UTILIZAÇÃO DOS INDICADORES DA PAVS PARA

Leia mais

Informe Técnico SARAMPO nº 5 Sarampo no Estado de São Paulo

Informe Técnico SARAMPO nº 5 Sarampo no Estado de São Paulo GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DE CONTROLE DE DOENÇAS CENTRO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA PROF. ALEXANDRE VRANJAC DIVISÃO DE DOENÇAS DE TRANSMISSÃO RESPIRATÓRIA

Leia mais

Panoramas e Desafios da Vigilância em Saúde

Panoramas e Desafios da Vigilância em Saúde Panoramas e Desafios da Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância de Doenças e Agravos não Transmissíveis e Promoção da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Cheila Marina de

Leia mais

DOENÇAS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIAS

DOENÇAS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIAS DOENÇAS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIAS DEFINIÇÃO São doenças cuja gravidade, magnitude, transcendência, capacidade de disseminação do agente causador e potencial de causar surtos e epidemias exigem medidas

Leia mais

Dengue, Chikungunya e Zika

Dengue, Chikungunya e Zika SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DA PARAÍBA GERENCIA EXECUTIVA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Dengue, Chikungunya e Zika Nº 01/2016 Situação epidemiológica De 01 a 25 de janeiro de 2016 ( 4ª* semana epidemiológica

Leia mais

Plano de Qualificação das Linhas de Cuidados da Transmissão Vertical do HIV e da Sífilis nos Estados do Semiárido e Amazônia Legal

Plano de Qualificação das Linhas de Cuidados da Transmissão Vertical do HIV e da Sífilis nos Estados do Semiárido e Amazônia Legal Plano de Qualificação das Linhas de Cuidados da Transmissão Vertical do HIV e da Sífilis nos Estados do Semiárido e Amazônia Legal O que é Transmissão Vertical HIV e Sífilis? A transmissão vertical do

Leia mais

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Rio de Janeiro. 2ª edição. Brasília/DF

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Rio de Janeiro. 2ª edição. Brasília/DF Ministério da Saúde Sistema Nacional de Vigilância em Saúde Relatório de Situação Rio de Janeiro 2ª edição Brasília/DF Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Sistema Nacional de Vigilância

Leia mais

SUP E RINT E NDÊ NCIA DE VIG IL ÂNCIA E M SAÚDE

SUP E RINT E NDÊ NCIA DE VIG IL ÂNCIA E M SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Gerência de Vigilância Epidemiológica Coordenação de Controle das Doenças Hídricas e Alimentares Av. 136, s/nº, Qd.F44, Lt 22 a 24, Edf. César Sebba, Setor Sul,

Leia mais

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Bahia. 2ª edição. Brasília/DF

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Bahia. 2ª edição. Brasília/DF A Ministério da Saúde Sistema Nacional de Vigilância em Saúde Relatório de Situação Bahia 2ª edição Brasília/DF Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Sistema Nacional de Vigilância em Saúde

Leia mais

Programa de Controle da Dengue/SC

Programa de Controle da Dengue/SC Programa de Controle da Dengue/SC Estratégia operacional de prevenção e controle da dengue para municípios não infestados por Aedes aegypti, infestados por Aedes aegypti sem circulação viral e infestados

Leia mais

DOENÇAS DE VEICULAÇÃO HÍDRICA E ALIMENTAR RESPONSÁVEIS: Jaqueline Ourique L. A. Picoli Simone Dias Rodrigues Solange Aparecida C.

DOENÇAS DE VEICULAÇÃO HÍDRICA E ALIMENTAR RESPONSÁVEIS: Jaqueline Ourique L. A. Picoli Simone Dias Rodrigues Solange Aparecida C. ESQUISTOSSOMOSE CID 10: B 65 a B 65.9 DOENÇAS DE VEICULAÇÃO HÍDRICA E ALIMENTAR RESPONSÁVEIS: Jaqueline Ourique L. A. Picoli Simone Dias Rodrigues Solange Aparecida C. Marcon CARACTERÍSTICAS GERAIS DESCRIÇÃO

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Mato Grosso. 3ª edição. Brasília/DF

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Mato Grosso. 3ª edição. Brasília/DF MINISTÉRIO DA SAÚDE Sistema Nacional de Vigilância em Saúde Relatório de Situação Mato Grosso 3ª edição Brasília/DF MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Vigilância em Saúde Sistema Nacional de Vigilância

Leia mais

ANEXO. Relatório de Indicadores de Monitoramento e Avaliação do Pacto pela Saúde

ANEXO. Relatório de Indicadores de Monitoramento e Avaliação do Pacto pela Saúde ANEXO Relatório de Indicadores de Monitoramento e Avaliação do Pacto pela Saúde PACTO PELA VIDA 2008. PRIORIDADE OBJETIVO META FÓRMULA DE CÁLCULO FONTE I. Atenção à Saúde do Idoso. i. Identificar pessoas

Leia mais

TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV E SÍFILIS: ESTRATÉGIAS PARA REDUÇÃO E ELIMINAÇÃO

TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV E SÍFILIS: ESTRATÉGIAS PARA REDUÇÃO E ELIMINAÇÃO Ministério da Saúde TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV E SÍFILIS: ESTRATÉGIAS PARA REDUÇÃO E ELIMINAÇÃO Brasília - DF 2014 Ministério da Saúde TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV E SÍFILIS: ESTRATÉGIAS PARA REDUÇÃO

Leia mais

Projeto Redução da Mortalidade Infantil e Materna em Minas Gerais Outubro 2013. Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais

Projeto Redução da Mortalidade Infantil e Materna em Minas Gerais Outubro 2013. Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais Projeto Redução da Mortalidade Infantil e Materna em Minas Gerais Outubro 2013 Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais Mortalidade Minas Gerais Janeiro a Outubro 2013 1 Óbitos fetais 2076 Óbitos

Leia mais

Secretaria de Saúde do Estado da Bahia Superintendência de Vigilância em Saúde Diretoria de I nformação em Saúde. outubro/2007

Secretaria de Saúde do Estado da Bahia Superintendência de Vigilância em Saúde Diretoria de I nformação em Saúde. outubro/2007 Secretaria de Saúde do Estado da Bahia Superintendência de Vigilância em Saúde Diretoria de I nformação em Saúde Monitoramento dos dados do Sistema de I nformações sobre N ascidos Vivos outubro/2007 Histórico

Leia mais

BLOCO 13 VIGILÂNCIA SANITÁRIA (Continua)

BLOCO 13 VIGILÂNCIA SANITÁRIA (Continua) 1 - O órgão responsável pela Vigilância Sanitária no município caracteriza-se como: Setor é a parte organizacional da prefeitura sem status de secretaria. 1 Setor da secretaria municipal de saúde Setor

Leia mais

Pernambuco (62), Santa Catarina (01) e Paraíba (02). O genótipo D8 foi identificado em 50 amostras e o D4 em uma amostra.

Pernambuco (62), Santa Catarina (01) e Paraíba (02). O genótipo D8 foi identificado em 50 amostras e o D4 em uma amostra. ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE GERÊNCIA EXECUTIVA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Informe Epidemiológico Sarampo - Setembro/2013 O sarampo é uma doença altamente transmissível e que pode evoluir

Leia mais

ANEXO I. Lista de Notificação Compulsória

ANEXO I. Lista de Notificação Compulsória 1. Acidentes por animais peçonhentos; 2. Atendimento antirrábico; 3. Botulismo; 4. Carbúnculo ou Antraz; 5. Cólera; 6. Coqueluche; 7. Dengue; 8. Difteria; 9. Doença de Creutzfeldt-Jakob; ANEXO I Lista

Leia mais

Programa Estadual de Controle da Tuberculose. Coordenadora: Nardele Maria Juncks Equipe: Márcia Aparecida Silva Sônia Maura Coelho Mariana Hoffelder

Programa Estadual de Controle da Tuberculose. Coordenadora: Nardele Maria Juncks Equipe: Márcia Aparecida Silva Sônia Maura Coelho Mariana Hoffelder SANTA CATARINA Programa Estadual de Controle da Tuberculose Coordenadora: Nardele Maria Juncks Equipe: Márcia Aparecida Silva Sônia Maura Coelho Mariana Hoffelder tuberculose@saude.sc.gov.br SECRETARIA

Leia mais

Vigilância Epidemiológica: Informar para conhecer

Vigilância Epidemiológica: Informar para conhecer Vigilância Epidemiológica: Informar para conhecer Vigilância epidemiológica no Brasil 1990: Sistema de Informação de Agravos de Notificação SINAN 2007 SINAN Net - http://dtr2004.saude.gov.br/sinanweb/

Leia mais

Informe Técnico sobre o vírus Influenza A (H7N9)

Informe Técnico sobre o vírus Influenza A (H7N9) Informe Técnico sobre o vírus Influenza A (H7N9) SOBRE O VÍRUS INFLUENZA A (H7N9) O vírus influenza A (H7N9) é um subtipo de vírus influenza A de origem aviária. Esse subtipo viral A (H7N9) não havia sido

Leia mais

ANEXO I - Lista de Doenças e Agravos de Notificação Compulsória (LDNC). 1. Acidente com exposição a material biológico relacionado ao trabalho;

ANEXO I - Lista de Doenças e Agravos de Notificação Compulsória (LDNC). 1. Acidente com exposição a material biológico relacionado ao trabalho; ANEXO I - Lista de Doenças e Agravos de Notificação Compulsória (LDNC). 1 Caso suspeito ou confirmado de: 1. Acidente com exposição a material biológico relacionado ao trabalho; 2. Acidente de Trabalho

Leia mais

Ações de Vigilância Epidemiológica, Perspectivas e Desafios para o enfrentamento de uma nova epidemia

Ações de Vigilância Epidemiológica, Perspectivas e Desafios para o enfrentamento de uma nova epidemia Superintendência de Vigilância em Saúde Gerência de Vigilância Epidemiológica das Doenças Transmissíveis Coordenação de Dengue e Febre Amarela Ações de Vigilância Epidemiológica, Perspectivas e Desafios

Leia mais

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Mato Grosso. Brasília / DF

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Mato Grosso. Brasília / DF Ministério da Saúde Sistema Nacional de Vigilância em Saúde Relatório de Situação Mato Grosso Brasília / DF Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Sistema Nacional de Vigilância em Saúde

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES DA VIGILÂNCIA EM SAÚDE E ANÁLISE DE SITUAÇÃO DE SAÚDE

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES DA VIGILÂNCIA EM SAÚDE E ANÁLISE DE SITUAÇÃO DE SAÚDE 8 SISTEMAS DE INFORMAÇÕES DA VIGILÂNCIA EM SAÚDE E ANÁLISE DE SITUAÇÃO DE SAÚDE 8.1 Introdução Uma das ferramentas de trabalho mais importantes para a vigilância em saúde é a informação. A tríade informação-decisão-ação

Leia mais

O seu filho quer a segunda dose da sua atenção

O seu filho quer a segunda dose da sua atenção INFORME TÉCNICO SEGUNDA FASE DA CAMPANHA NACIONAL DE VACINAÇÃO CONTRA A POLIOMIELITE O seu filho quer a segunda dose da sua atenção 1. Introdução No dia 26 de agosto, realizaremos a segunda fase da 27

Leia mais

INFORME TECNICO - Junho 2015

INFORME TECNICO - Junho 2015 GOVERNO DO ESTADO SECRETARIA DA SAÚDE COORDENADORIA DE CONTROLE DE DOENÇAS CENTRO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA PROF. ALEXANDRE VRANJAC DIVISÃO DE DOENÇAS DE TRANSMISSÃO RESPIRATÓRIA INFORME TECNICO - Junho

Leia mais

Revista de Saúde Pública ISSN: 0034-8910 revsp@usp.br Universidade de São Paulo Brasil

Revista de Saúde Pública ISSN: 0034-8910 revsp@usp.br Universidade de São Paulo Brasil Revista de Saúde Pública ISSN: 0034-8910 revsp@usp.br Universidade de São Paulo Brasil Secretaria de Estado da Saúde Vigilância Epidemiológica em âmbito hospitalar Revista de Saúde Pública, vol. 41, núm.

Leia mais

ESTUDO DE CASOS DAS DOENÇAS EXANTEMÁTICAS

ESTUDO DE CASOS DAS DOENÇAS EXANTEMÁTICAS SECRETARIA DE SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA E PROTEÇÃO DA SAÚDE DIRETORIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA DAS DOENÇAS IMUNOPREVENÍVEIS ESTUDO DE CASOS DAS

Leia mais

Portaria nº91/gm de 10 de janeiro de 2007.

Portaria nº91/gm de 10 de janeiro de 2007. MINISTÉRIO DA SAÚDE Portaria nº91/gm de 10 de janeiro de 2007. Regulamenta a unificação do processo de pactuação de indicadores e estabelece os indicadores do Pacto pela Saúde, a serem pactuados por Municípios,

Leia mais

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Paraná. Brasília / DF

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Paraná. Brasília / DF Ministério da Saúde Sistema Nacional de Vigilância em Saúde Relatório de Situação Paraná Brasília / DF Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Sistema Nacional de Vigilância em Saúde Relatório

Leia mais

NOTA TÉCNICA N o 014/2012

NOTA TÉCNICA N o 014/2012 NOTA TÉCNICA N o 014/2012 Brasília, 28 de agosto de 2012. ÁREA: Área Técnica em Saúde TÍTULO: Alerta sobre o vírus H1N1 REFERÊNCIA(S): Protocolo de Vigilância Epidemiológica da Influenza Pandêmica (H1N1)

Leia mais

Aplicativo SISPACTO DIPRO/SUREGS

Aplicativo SISPACTO DIPRO/SUREGS Aplicativo SISPACTO DIPRO/SUREGS Secretaria da Saúde do Estado da Bahia SESAB Superintendência de Gestão dos Sistemas de Regulação da Atenção à Saúde SUREGS Diretoria de Programação e Desenvolvimento de

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO SinanNET - Versão 4.0 Patch 4.2. Diretoria de Informação em Saúde

SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO SinanNET - Versão 4.0 Patch 4.2. Diretoria de Informação em Saúde SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO - Versão 4.0 Patch 4.2 Diretoria de Informação em Saúde Objetivo Facilitar a formulação e avaliação das políticas, planos e programas de saúde, subsidiando

Leia mais

Gerenciamento dos Dados e Processos de Negócio na Modelagem de um Padrão de Workflow para Inferência sobre Indicadores de Saúde Pública

Gerenciamento dos Dados e Processos de Negócio na Modelagem de um Padrão de Workflow para Inferência sobre Indicadores de Saúde Pública UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS INSTITUTO DE COMPUTAÇÃO PROGRAMA DE MESTRADO EM MODELAGEM COMPUTACIONAL DO CONHECIMENTO Gerenciamento dos Dados e Processos de Negócio na Modelagem de um Padrão de Workflow

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA REFERENTE AO CALENDÁRIO NACIONAL DE VACINAÇÃO

INSTRUÇÃO NORMATIVA REFERENTE AO CALENDÁRIO NACIONAL DE VACINAÇÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA REFERENTE AO CALENDÁRIO NACIONAL DE VACINAÇÃO O presente instrumento estabelece as normatizações técnicas do Programa Nacional de Imunizações referentes ao Calendário Nacional de Vacinação,

Leia mais

Situação da. prevenção e. controle das. doenças. transmissíveis. no Brasil

Situação da. prevenção e. controle das. doenças. transmissíveis. no Brasil 6 Situação da prevenção e controle das doenças transmissíveis no Brasil SAÚDE BRASIL 2004 UMA ANÁLISE DA SITUAÇÃO DE SAÚDE INTRODUÇÃO O CONTEXTO EPIDEMIOLÓGICO ATUAL DAS DOENÇAS INFECCIOSAS E TRANSMISSÍVEIS

Leia mais

FICHA DE SOLICITAÇÃO DE IMUNOBIOLÓGICOS ESPECIAIS CENTRO DE REFERÊNCIA PARA IMUNOBIOLÓGICOS ESPECIAIS

FICHA DE SOLICITAÇÃO DE IMUNOBIOLÓGICOS ESPECIAIS CENTRO DE REFERÊNCIA PARA IMUNOBIOLÓGICOS ESPECIAIS SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE - SUVISA GERÊNCIA DE IMUNIZAÇÕES E REDE DE FRIO GIRF COORDENAÇÃO DE EAPV/CRIE FICHA DE SOLICITAÇÃO DE IMUNOBIOLÓGICOS ESPECIAIS CENTRO DE REFERÊNCIA PARA IMUNOBIOLÓGICOS

Leia mais

Coinfecção TB HIV Recomendações. Marli Marques Gerente Técnica do PCT/PCH/SES/MS

Coinfecção TB HIV Recomendações. Marli Marques Gerente Técnica do PCT/PCH/SES/MS Coinfecção TB HIV Recomendações Marli Marques Gerente Técnica do PCT/PCH/SES/MS Tuberculose no Brasil 70 mil casos novos de TB notificados em 2011 4,6 mil mortes em 2010 17º país em número de casos entre

Leia mais

PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE 2013

PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE 2013 Prefeitura Municipal de Trindade Secretaria Municipal de Saúde PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE 2013 Trindade / 2012 Rua Monsenhor Gonçalo, 67-Centro-Trindade / PE - Telefone: (87) 3870-1794. CEP:56250-000 CNPJ:11.040.912/0001-03

Leia mais

FACULDADE PERNAMBUCANA - FAPE CLÍNICA DE ENFERMAGEM PROGRAMA DE IMUNIZAÇÃO

FACULDADE PERNAMBUCANA - FAPE CLÍNICA DE ENFERMAGEM PROGRAMA DE IMUNIZAÇÃO PROGRAMA DE IMUNIZAÇÃO 1 INTRODUÇÃO A atenção à saúde de um indivíduo e da população está focada em quatro importantes áreas assistenciais: a promoção e proteção da saúde, a prevenção de doenças, o diagnóstico

Leia mais

POLÍTICAS DE SAÚDE PARA A PRIMEIRA INFÂNCIA

POLÍTICAS DE SAÚDE PARA A PRIMEIRA INFÂNCIA Elsa Giugliani elsa.giugliani@saude.gov.br POLÍTICAS DE SAÚDE PARA A PRIMEIRA INFÂNCIA 3º FÓRUM DEBATE BRASIL POLÍTICAS PARA A PRIMEIRA INFÂNCIA: QUEBRANDO A CADEIA DA VIOLÊNCIA 28-29 Novembro 2007 Área

Leia mais

Vigilância Epidemiológica das Doenças Transmitidas por Alimentos VE-DTA

Vigilância Epidemiológica das Doenças Transmitidas por Alimentos VE-DTA MINISTÉRIO DA SAÚDE - MS SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE SVS DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA - DEVIT COORDENAÇÃO GERAL DE DOENÇAS TRANSMISSÍVEIS - CGDT Vigilância Epidemiológica das Doenças

Leia mais

Seminário estratégico de enfrentamento da. Janeiro PACTUAÇÃO COM GESTORES MUNICIPAIS. Maio, 2013

Seminário estratégico de enfrentamento da. Janeiro PACTUAÇÃO COM GESTORES MUNICIPAIS. Maio, 2013 Seminário estratégico de enfrentamento da Tuberculose e Aids no Estado do Rio de Janeiro PACTUAÇÃO COM GESTORES MUNICIPAIS Maio, 2013 1.Detecção de casos e tratamento da tuberculose 1.1. Descentralizar

Leia mais

Roteiro para uso do banco de dados do SINAN Online Dengue para análise de completitude e inconsistências

Roteiro para uso do banco de dados do SINAN Online Dengue para análise de completitude e inconsistências Roteiro para uso do banco de dados do SINAN Online Dengue para análise de completitude e inconsistências O Sistema de Informação de Agravos de Notificação Online (SINAN Online) tem por objetivo a notificação

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO DO MUNICÍPIO

1. IDENTIFICAÇÃO DO MUNICÍPIO Nome Secretaria Municipal de Saúde - PONTAL DO ARAGUAIA CNPJ: 12.265.816/0001-26 AVENIDA UNIVERSITARIA 120 Telefone: 6634017973 - E-mail: smspontal@hotmail.com 78698-000 - PONTAL DO ARAGUAIA - MT RELATÓRIO

Leia mais

Situação Epidemiológica da Dengue

Situação Epidemiológica da Dengue Boletim Epidemiológico Nº 03-2016 Situação Epidemiológica da Dengue Em 2016, foram notificados 510 casos suspeitos de dengue no estado do Acre até a semana epidemiológica 02(10/01/2016 a 16/01/2016). Sendo

Leia mais

Boletim Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 37 de 2015

Boletim Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 37 de 2015 Boletim Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 37 de 2015 A vigilância da influenza no Brasil é composta pela vigilância

Leia mais

PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE - PAS (ANO)

PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE - PAS (ANO) PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE - PAS (ANO) Mês e Ano de elaboração MODELO PARA ELABORAÇÃO DA PAS 2014: Gerência de Programação em Saúde- DEPLAN/SUSAM 1 SUMÁRIO IDENTIFICAÇÃO DO MUNICÍPIO...3 ELABORAÇÃO...4

Leia mais

Proposta de Plano Nacional de Saúde - PNS 2008/2009-2011

Proposta de Plano Nacional de Saúde - PNS 2008/2009-2011 Proposta de Plano Nacional de Saúde - PNS 2008/2009-2011 ELABORAÇÃO MS/SE/SPO/ PLANEJASUS EQUIPE PLANO NACIONAL DE SAÚDE cgpl@saude.gov.br - (61) 3315-2677 - www.saude.gov.br/planejasus Início do processo:

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 01. A Dengue é um problema sério de saúde pública, a sua eliminação depende muito da participação popular. Mas a população precisa ter conhecimento das ações de controle, realizadas

Leia mais

RAG 2010 RELATÓRIO GESTÃO

RAG 2010 RELATÓRIO GESTÃO RAG 2010 RELATÓRIO 2010 ANUAL DE GESTÃO APROVADO PELA RESOLUÇÃO CMS Nº 041/2011, DE 31 DE MAIO DE 2011 Secret aria de Sa de SECRETARIA DE SAÚDE Cachoeiro de Itapemirim ES Maio/2011 Secret aria de Sa de

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA COORDENAÇÃO GERAL DO PROGRAMA NACIONAL DE IMUNIZAÇÕES

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA COORDENAÇÃO GERAL DO PROGRAMA NACIONAL DE IMUNIZAÇÕES MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA COORDENAÇÃO GERAL DO PROGRAMA NACIONAL DE IMUNIZAÇÕES INFORME TÉCNICO CAMPANHA NACIONAL DE VACINAÇÃO CONTRA

Leia mais

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Pará. 2ª edição. Brasília/DF

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Pará. 2ª edição. Brasília/DF A Ministério da Saúde Sistema Nacional de Vigilância em Saúde Relatório de Situação Pará 2ª edição Brasília/DF Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Sistema Nacional de Vigilância em Saúde

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA REFERENTE AO CALENDÁRIO NACIONAL DE VACINAÇÃO POVOS INDÍGENAS

INSTRUÇÃO NORMATIVA REFERENTE AO CALENDÁRIO NACIONAL DE VACINAÇÃO POVOS INDÍGENAS INSTRUÇÃO NORMATIVA REFERENTE AO CALENDÁRIO NACIONAL DE VACINAÇÃO POVOS INDÍGENAS O presente instrumento estabelece as normatizações técnicas do Programa Nacional de Imunizações referentes ao Calendário

Leia mais

Estudo de Caso: Geocodificando dados do Ministério da Saúde.

Estudo de Caso: Geocodificando dados do Ministério da Saúde. Estudo de Caso: Geocodificando dados do Ministério da Saúde. José Eduardo Deboni deboni@sisgraph.com.br Marcos Alberto Stanischesk Molnar malberto@sisgraph.com.br Estudo de Caso Geocodificação de Dados

Leia mais