Sumario de Assuntos por Boletim Epidemiológico NÚMERO DO BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sumario de Assuntos por Boletim Epidemiológico NÚMERO DO BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO"

Transcrição

1 Sumario de Assuntos por Boletim Epidemiológico AGRAVO NÚMERO DO BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO AIDS Cobertura Vacinal Dengue Doença Meningocócica Esquistossomose 6-11 Eventos adversos de vacinação Febre Amarela 39 Gestante HIV+ e Criança Exposta Gripe/Influenza Hanseníase Hepatite A Hepatite B Hepatite C Hepatites Virais Leishmaniose Leptospirose Meningites Paralisia Flácida e Aguda 3-10 Raiva Humana e Animal Rubéola Sarampo Sífilis Congênita Síndrome Respiratória Aguda Grave Tuberculose Varicela Zoonoses

2 XIV 48 Maio de 2012 Edição Dedicada à colega Márcia Calixto Teste Rápido para o HIV e a Sífilis, um enfrentamento à epidemia da AIDS em Porto Alegre; O Impacto do Sistema de Mortalidade na Vigilância Epidemiológica da Tuberculose em Porto Alegre; Novos Fluxos para o Atendimento das Hepatites Virais em Porto Alegre; Tolerância Zero para a Mortalidade por AIDS em Porto Alegre. XIV 47 Fevereiro de 2012 A Cobertura Vacinal no município de Porto Alegre, Rio Grande do Sul; Cobertura vacinal por Unidade em Menores de um ano em Porto Alegre, Janeiro a Dezembro de Oficina de Sensibilização na capacitação em Hanseníase; Campanhas de Vacinação no ano de XIII 46 Novembro de 2011 A Coqueluche em Porto Alegre após o Alerta Epidemiológico no ano de 2004; Atualização em Profilaxia da Raiva Humana em Porto Alegre; Prêmio Top of Mind: Campanha de Vacinação contra a Influenza; Campanha de Vacinação contra a Poliomielite; Campanha de Seguimento indiscriminada contra o Sarampo; Curso de Atualização em Sala de Vacina. XIII 45 Maio de 2011 ALERTA EPIDEMIOLÓGICO: Dengue 04 Casos Confirmados. ALERTA EPIDEMIOLÓGICO: Caso Confirmado de Sarampo em Porto Alegre/RS. AIDS em Porto Alegre; Comportamento da Doença Meningocócica no período de 1999 a 2010 em residentes no município de Porto Alegre; Tabela comparativa de casos notificados e investigados que constam no SINAN com diagnóstico de 2009 a XII 44 Outubro de 2010

3 EDIÇÃO ESPECIAL: POPULAÇÃO NEGRA Um Perfil das Condições de Saúde da População Negra de Porto Alegre; Declaração de Nascidos Vivos (DNV) por Raça/Cor em Porto Alegre; Declaração de Nascimento de 2001 a 2008 por Raça/Cor por tipo de Serviço SUS e Não-SUS; Proporção da População Negra na Declaração de Nascido Vivo por Gerência Distrital Porto Alegre 2001 a 2009; Infância: taxa de mortalidade infantil por raça/cor em Porto Alegre de 2001 a 2009; causas de mortalidade entre 01 e 04 anos de idade por raça/cor em Porto Alegre de 2001 a 2009; Adolescentes e Jovens: mortalidade proporcional por causa externa por raça/cor em Porto Alegre, 2008; taxa de incidência de mortalidade por causas externas de 15 a 24 anos por raça/cor em Porto Alegre de 2001 a 2009; Mulheres: mortalidade de mulheres em idade fértil por raça/cor; mortalidade materna óbitos maternos por 100 mil nascidos vivos de 2001 a 2008; HIV/AIDS: taxa de incidência de AIDS em maiores de 13 anos em 2009; casos AIDS em residentes de Porto Alegre, distribuição por sexo e raça no ano diagnóstico 2009; Sífilis Congênita: taxa de incidência de sífilis congênita por 1000 nascidos vivos por raça/cor no período de 2007 a 2009; Tuberculose: quesito raça/cor. XII 44 Novembro de 2010 Investigação de Leishmaniose Visceral Canina em Porto Alegre; Atual Situação Epidemiológica da Varicela em Porto Alegre; Nota Técnica sobre Ocorrência de Varicela no RS; Informações sobre a Vigilância de Gestantes HIV+ e Crianças Exposta pela Gestação/Parto em Porto Alegre; Gestante HIV+ e Criança Exposta 2007/2008 nas Unidades e Gerências de Saúde; Implantação de novas Vacinas no Calendário Vacinal da Criança. XII 43 Maio de 2010 Vigilância Epidemiológica da Dengue em Porto Alegre Atividades Pré-Epidêmicas 2010; Situação Epidemiológica Atual da Dengue; A Situação Atual da Sífilis Congênita em Porto Alegre; Estratégia de Vacinação contra o vírus Influenza Pandêmico H1N1, em Porto Alegre, XII 42 Fevereiro de 2010 ALERTA EPIDEMIOLÓGICO: Dengue. AIDS em Porto Alegre 2008; Uma Análise Histórica da Situação da Tuberculose em Porto Alegre; Segunda Edição do Projeto Amigo da Epidemiologia. XI 41 Outubro de 2009 EDIÇÃO ESPECIAL: Influenza A H1N1. Situação Epidemiológica em Porto Alegre;

4 Aspectos Clínicos, Diagnóstico e Tratamento da Infecção por Influenza A (H1N1); Análise dos Casos Graves e Óbitos; Resumo das Estratégias de Enfrentamento da Epidemia do Vírus Influenza A (H1N1) em Porto Alegre. XI 40 Fevereiro de 2009 Casos de Hepatite C Agudos: uma nova realidade para serviços de saúde; Avaliação da Atividade de Vigilância Epidemiológica Aprimorada da Tuberculose através de Visita Domiciliar, em Porto Alegre, no ano de 2007; Ações Prioritárias da EVDT para o ano de X 39 Novembro de 2008 ALERTA EPIDEMIOLÓGICO: Febre Amarela. NOTA TÉCNICA: Epizootias de Primatas não humanos por Febre Amarela no estado do RS Infestação de Aedes Aegypti em Porto Alegre: resultados dos Levantamentos de Índice Rápido (LIRA) em 2008; Monitoramento Entomológico dos Flebotomíneos (Díptera: psychodidal) do município de Porto Alegre/RS; A Vigilância Epidemiológica e a Vacinação em Clínicas Privadas. X 38 Agosto de 2008 ALERTA EPIDEMIOLÓGICO: Aspectos Relacionados à Ocorrência de Leptospirose em Porto Alegre no ano de O Abandono do Tratamento Anti-Rábico Humano Pós-Exposição em Porto Alegre/RS, Brasil; Os Caminhos da AIDS na cidade de Porto Alegre/RS. X 37 Maio de 2008 ALERTA EPIDEMIOLÓGICO: Síndrome da Rubéola Congênita em Porto Alegre. Descrição e Análise da Epidemia de Rubéola em Porto Alegre; Eventos Adversos Pós-Vacinais no Município de Porto Alegre entre 1999 e X 36 Fevereiro de 2008 AIDS Coeficiente da Incidência por Área de Atuação das UBS s de Porto Alegre, no ano de 2006; Tuberculose coeficiente de incidência e total de casos por área de atuação das UBS s em Porto Alegre no ano de 2006; Os Mapas das Taxas de Incidência da Tuberculose e AIDS por Gerências Distritais de Saúde de Porto Alegre. IX 35 Novembro de 2007

5 A Vigilância Epidemiológica da Tuberculose em Porto Alegre; Análise da Supervisão Realizada nas Salas de Vacinas da Rede Básica de Saúde de Porto Alegre em 2005; Algumas Informações Preliminares sobre a Ocorrência da Epidemia de Rubéola em Porto Alegre; Avaliação das Campanhas de Vacinação contra Poliomielite, primeira e segunda etapas, Porto Alegre, IX 34 Agosto de 2007 ALERTA EPIDEMIOLÓGICO: Surto de Rubéola em Porto Alegre. AIDS: epidemia em Porto Alegre; Perfil Epidemiológico das Agressões Animais aos Seres Humanos em Porto Alegre/RS, no segundo semestre de 2006; Relato de Bloqueio Vacinal de Cães e Gatos Contra Raiva no Bairro Santana; Viva Maria: 15 anos. IX 33 Maio de 2007 Dengue, Alerta Máximo em Porto Alegre: evitando a transmissão autóctone; Hanseníase; Projeto Tuberculose IX 32 Novembro de 2006 A História de Dez Anos da Vigilância Epidemiológica das Hepatites Virais do tipo B e C em Porto Alegre; O Perfil Epidemiológico da Co-Infecção TB/HIV em Porto Alegre; Capacitações Realizadas pela Equipe de Vigilância das Doenças Transmissíveis (EVDT) em IX 31 Agosto de 2006 Vigilância Epidemiológica de Influenza: uma breve atualização de casos e do fluxo; Doença Meningocócica no município de Porto Alegre no período de 2000 a 2006; Vacinação em Escolares contra Hepatite B - Campanha Verão Gaúcho; A situação do Vetor da Dengue em Porto Alegre Resultados do Levantamento de Índice Rápido para Aedes Aegypti Lira maio de 2006; Doenças Transmitidas por Alimentos: novos fluxos para investigação de surtos. IX 30 Maio de 2006 Avaliação da Campanha dos Idosos, em Porto Alegre, em 2006; Meningites Virais em Porto Alegre/RS: comportamento incomum em 2005, monitoramento e internação; Transmissão Materno-Infantil do HIV em Porto Alegre. Avaliação do Período de 2001 a 2005 e Reflexão sobre o papel dos atores no controle deste agravo; Implantação da Vacina contra o Rotavírus em Porto Alegre, em 2006.

6 IX 29 Fevereiro de 2006 Vigilância dos Eventos Adversos Pós-Vacinação; Controle de Surto de Hepatite A através da Educação Ambiental Associado a Bloqueio Vacinal: experiência na creche Jerusalém, Porto Alegre/RS; Análise da Monitorização das Doenças Diarréicas Agudas (MDDA) em Porto Alegre. VIII 28 Dezembro de 2005 Avaliação das Campanhas de Vacinação contra Poliomielite em Menores de 05 anos, Porto Alegre, ano de A Epidemia da AIDS em POA; Transmissão Vertical da Sífilis; Acessando Informações do Sistema de Informação dos Agravos de Notificação (SINAN); Intensificação das Ações de Vigilância da Febre Maculosa. VIII 27 Setembro de 2005 Supervisão Sala de Vacinas: função técnica de cunho pedagógico; Meningites Virais em Porto Alegre: comportamento incomum em 2005; Análise Comparativa do Ingresso de Casos Novos de Tuberculose Ocorrido na Rede de Ambulatório e Hospitalar de Porto Alegre nos anos de 2003 e 2004; Tabela Número de Casos Notificados e Investigados pela ECE no ano de 2005, Semana Epidemiológica 01 a 35; Portaria Nº 33 de 14 de julho de VIII 26 Abril de 2005 Repercussões em Porto Alegre do Surto da Doença de Chagas Aguda ocorrida em SC; Ocorrência de Casos de Hepatite Viral do tipo A em Porto Alegre nos anos de 2001 a 2005; Hanseníase em Porto Alegre; Situação Epidemiológica da Doença Meningocócica no município de Porto Alegre no ano de 2004; Confirmação Laboratorial de Vírus da Raiva em Morcegos Não Hematófagos no município de Porto Alegre. VIII 25 Janeiro de 2005 Análise das Coberturas Vacinais de Porto Alegre dos Últimos Seis Anos e sua Implicação à Saúde Pública; Atendimento Anti-Rábico Humano: acidente com morcegos; A Investigação Epidemiológica da Coqueluche em POA; A Educação Permanente dos Profissionais da Gerência Restinga Extremo Sul. VII 24 Agosto de 2004

7 Leptospirose: diagnóstico, sorologia e tratamento; Resultados dos Levantamentos de Índices de Infestação do Vetor da Dengue na cidade de Porto Alegre; Programa de Avaliação dos Serviços de Terapia Renal Substitutiva de Porto Alegre, no período de 2002 a 2004; Tabela do Número de Investigações Epidemiológicas Realizadas e Encerradas pela ECE até a SE 36, no período de 01 de janeiro a 11 de setembro de 2004; Incidência de Casos Agudos e Crônicos de Hepatite Viral do tipo B em Pacientes Investigados pela Secretaria Municipal de Porto Alegre no ano de VI 23 Maio de 2004 A Vigilância Epidemiológica da Gestante HIV+ e criança exposta; Análise das Coberturas Vacinais das Campanhas de Vacinação contra Influenza, Porto Alegre, 1999 a VI 22 Fevereiro de 2004 ALERTA EPIDEMIOLÓGICO: Coqueluche. Hepatite C: os caminhos para a assistência; A SIDA em Porto Alegre no ano de 2003; Doença Meningocócica: riscos e comportamento epidemiológico em Porto Alegre; Análise da Cobertura Vacinal 2003 e Recomendações. V 21 Novembro de 2003 Desafios do Programa Municipal de Prevenção à Dengue; Dengue, o desafio permanece; A Integração da Vigilância e Controle da Síndrome Respiratória Aguda Grave; Leishmaniose Tegumentar Americana em Porto Alegre; Identificação da Fauna de Flebotomíneos em Função de Casos Autóctones de LTA; Vigilância Epidemiológica da Sífilis Congênita em Porto Alegre; A Vigilância Epidemiológica das Infecções de Transmissão Sexual (ITS) e Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST); Os Encontros do Curso Básico de Vigilância Epidemiológica. V 20 Agosto de 2003 Avaliação da 2ª etapa da Campanha Nacional contra a Poliomielite; Implementando a Vigilância Epidemiológica da Raiva Humana e Animal em Porto Alegre; Determinando áreas prioritárias à Assistência Pré-Natal em Porto Alegre através do Georreferenciamento de Gestantes HIV+; O Controle de Acidentes por Animais Peçonhentos; Comportamento da Meningite Meningocócica em Porto Alegre e no Rio Grande do Sul; Abandono x Resgate de Faltosos no Tratamento da Tuberculose: um desafio aos serviços especializados.

8 V 19 Maio de 2003 Assunto: Síndrome Respiratória Aguda Grave; Doença Meningocócica e a Quimioprofilaxia dos Contatos: ainda um mito; Acompanhamento do Surto de Conjuntivite Viral em Porto Alegre, Março/abril 2003; Dados Epidemiológicos da Leptospirose em Porto Alegre; Avaliação da Campanha de Vacinação para os Idosos em Porto Alegre, em V 18 Fevereiro de 2003 Análise da Vigilância Epidemiológica da AIDS em Maiores de 13 anos; Estratificação de Risco para Transmissão Autóctone de Dengue em Porto Alegre; Transmissão Vertical de Hepatite C no Município de Porto Alegre; Análise da Cobertura Vacinal em Menores de 01 ano em Porto Alegre no ano de V 17 Novembro 2002 ALERTA EPIDEMIOLÓGICO: Transmissão Autóctone de Leishmaniose Cutâneo Mucosa no Município de Porto Alegre; Distribuição de Leishmaniose Tegumentar Americana no Brasil de 1994 a 1999; Visão de duas alunas de Enfermagem do Estágio Extracurricular na Vigilância Epidemiológica da AIDS; Campanha de Vacinação contra a Rubéola em Mulheres em Idade Fértil: gestantes vacinadas inadvertidamente; A Vigilância Epidemiológica da Gestante HIV+ e Criança Exposta em Porto Alegre. V 16 Agosto de 2002 Avaliação da Campanha Nacional contra a Poliomielite 2002; Perfil dos Serviços de Terapia Renal Substitutiva de Porto Alegre; Surtos de Doença de Transmissão Alimentar: a importância da notificação; Avaliação da Campanha de Vacinação contra a Gripe em 2002; Vacinação contra a Rubéola: risco teratogênico? O Impacto da Vacina Haemophilus Infuenzae do tipo B das Meningites Bacterianas em Porto Alegre; Doença Meningocócica; A Trajetória da Vigilância Epidemiológica da Hepatite Viral do tipo C em Porto Alegre. V 15 Maio de 2002 Campanha de Vacinação contra a Rubéola para mulheres em idade fértil; Priorizando áreas para ações preventivas à Leptospirose em Porto Alegre; Genótipos do vírus da Hepatite C; Os vetores da Dengue em Porto Alegre; Amigo da Epidemiologia. V 14 Fevereiro de 2002

9 Evitar o Dengue Autóctone: responsabilidade de todos; Análise da Cobertura Vacinal 2001; Vigilância Epidemiológica da AIDS em Porto Alegre; Vigilância Epidemiológica da Gestante HIV+ e Criança Exposta; O Comportamento das Meningites no ano de IV 13 Dezembro de 2001 Porto Alegre Saudável: afirmando a Vigilância da Saúde; Diagnóstico Etiológico das Meningites Bacterianas; Avaliação da Campanha Nacional contra a Poliomielite 2ª etapa ; Vigilância Epidemiológica da AIDS; Relato de possíveis casos agudos de Hepatite C; Mordedura de rato: por que notificar? Verão x mosquito x dengue; Vacina contra Hepatite B para Adolescentes. IV 12 Agosto de 2001 Comportamento das Meningites em Porto Alegre até 04 de agosto de 2001; Revisão sobre Eventos Adversos; Avaliação da Campanha Nacional de Vacinação contra a Paralisia Infantil; A Co-infecção Tuberculose/HIV no município de Porto Alegre; Combate ao transmissor do Dengue em Porto Alegre: o mosquito Aedes Aegypti; As escolas e os surtos de Hepatite A; IV 11 Maio de 2001 Combate ao Dengue, um novo e sério desafio em nosso meio; Campanha Nacional de Vacinação de Idosos; Continuando com a avaliação dos surtos de Hepatite A em Porto Alegre; A Situação da Esquistossomose do município de Porto Alegre; O que está sendo observado na Vigilância da Leptospirose em 2001; Tuberculose em Porto Alegre 2000; Análise da Doença Meningocócica em Porto Alegre no ano de IV 10 Fevereiro de 2001 Porque Vigiar as Paralisias Flácidas e Agudas? Análise da Cobertura Vacinal de Porto Alegre no ano de 2000; Meningites em Porto Alegre 2000; Diagnóstico Molecular do Vírus do HCV; Descrição da Prevalência dos Genótipos dos exames de PCR realizados pela Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre, no período de 01/99 a 12/00; Fluxo de Autorização do Exame de Polimerase em Cadeia (PCR); Programa de Prevenção a Dengue: resultados e perspectivas; A Vigilância da Leptospirose em Porto Alegre no ano de 2000.

10 III 09 Dezembro de 2000 A Epidemiologia e o Terceiro Milênio; Avaliação das Coberturas Vacinais contra a Poliomielite 2000; Avaliação dos Casos de Tuberculose do município de Porto Alegre 1º semestre de 2000 dados preliminares; Análise da Série Histórica dos Casos Notificados de Varicela em Porto Alegre, de 1995 a 2000 (dados parciais); Capacitação da Rede de Profissionais de Porto Alegre em Investigação de Hepatites Virais; Controle Epidemiológico da Rubéola; Análise Parcial do Comportamento da Doença Meningocócica em Porto Alegre até a SE 43. III 08 Agosto de 2000 A Vigilância Epidemiológica da Leptospirose em Porto Alegre; Diagnóstico Laboratorial da Leptospirose Ações de Controle de Roedores e Vigilância Ambiental da Leptospirose Análise do Comportamento da Doença Meningocócica em Porto Alegre 2000; Diagnóstico Laboratorial de Meningites Bacterianas; Alguns Dados Preliminares das Notificações SINAN Tuberculose no município de Porto Alegre, no primeiro semestre de II 07 Maio de 2000 Vacina contra Influenza; Avaliação da cobertura vacinal em Porto Alegre 1988 a 1989; Vacina DTP acelular; Eventos adversos ocorridos em 1998 e 1999 por tipo de vacina aplicada; Surtos de Hepatite A em Porto Alegre 1999; Histórico da Implantação do SINAN Tuberculose em Porto Alegre; II 06 Fevereiro de 2000 Situação Epidemiológica da Doença Meningocócica em Porto Alegre nas SE 01 a 03; Vigilância da Gripe; Infecções Emergentes no Rio Grande do Sul; Esquistossomose Mansônica; Relato preliminar de um Caso de Esquistossomose no Rio Grande do Sul; O Controle e a Vigilância Epidemiológica das Hepatites Virais em Porto Alegre; A mãe com Hepatite pode amamentar? II 05 Novembro de 1999 Situação Epidemiológica da Doença Meningocócica em Porto Alegre nas SE 01 a 46; Programa de Prevenção à Dengue; Avaliação da Campanha de Multivacinação (1ª Etapa );

11 Vacina contra Haemophilus Influenzae Tipo B (HIB); Ocorrência de Hepatite A em Porto Alegre; Erradicar o Sarampo: um compromisso solidário. I 04 Fevereiro de 1997 A Situação das Vacinas Tríplice Bacteriana e Contra o Sarampo; Sarampo...ainda uma ameaça? Situação Epidemiológica da Doença Meningocócica em Porto Alegre nas Semanas Epidemiológicas 01 a 14; Doença Meningocócica no município de Porto Alegre Dados Finais; Categorias de Transmissão Referidas nas Fichas de Investigação Epidemiológica dos Casos AIDS com domicílio em Porto Alegre; SINASC Sistema de Informação sobre Nascidos Vivos Porto Alegre ; Os Carrapatos e a Saúde Pública; Formas de Notificação; Rubéola Cura de Casos Notificados por SE, 1995 e 1996; Varicela - Cura de Casos Notificados por SE, 1995 e 1996; Caxumba - Cura de Casos Notificados por SE, 1995 e 1996; Avaliação dos Aerogramas/Boletins Semanais de Notificação Recebidos; Avaliação das Notificações Recebidas. I 03 Outubro de 1996 Hepatites Virais; A Tuberculose no Município de Porto Alegre; Distribuição da Incidência Mensal de Leptospirose para o Intervalo Cronológico de 1986 a 1995, no Município de Porto Alegre; Dia Nacional de Multivacinação; SIM Sistema de Informação sobre Mortalidade Porto Alegre 1995; Perfil Epidemiológico dos Casos de AIDS com Domicílio em Porto Alegre ( ); Poliomielite e Vigilância das Paralisias Flácidas e Agudas (PFA); Avaliação da Imunogenicidade e Reatogenicidade de Três Vacinas - Tríplice Viral. I 02 Julho de 1996 Novo Calendário Básico de Vacinação; A Notificação de Casos; Centro de Saúde Bom Jesus; Programa Prá-Viver; Situação Epidemiológica da Doença Meningocócica em Porto Alegre nas Semanas 01 a 25. I 01 Abril de 1996

12 Doença Meningocócica; Situação Epidemiológica da Doença Meningocócica em Porto Alegre nas semanas epidemiológicas 01 a 14; Vacinas contra Meningites; Hepatites Virais em Porto Alegre; Equipe de Controle de Zoonoses Centro de Controle de Zoonoses (CCZ); Equipe de Controle Sanitário da Qualidade da Água; Equipe de Informação em Saúde; Equipe de Produtos de Interesse à Saúde; Vigilância dos Estabelecimentos de Interesse à Saúde; Equipe de Vigilância de Alimentos; Avaliação dos Aerogramas Recebidos; Avaliação das Notificações Recebidas.

Índice dos Boletins Epidemiológicos de Porto Alegre de 2014 a 1996

Índice dos Boletins Epidemiológicos de Porto Alegre de 2014 a 1996 Índice dos Boletins Epidemiológicos de Porto Alegre de 2014 a 1996 XV 55 Novembro de 2014 Especial Vigilância Ambiental da Dengue em Porto Alegre XV 54 Fevereiro de 2014 Atual Cenário Epidemiológica da

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DAS AÇÕES DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE - 2008/2009

PROGRAMAÇÃO DAS AÇÕES DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE - 2008/2009 PROGRAMAÇÃO DAS AÇÕES DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE - 2008/2009 1.Notificação AÇÃO 1.1 Realizar notificação dos casos de sífilis em gestante 48.950 casos de sífilis em gestantes notificados. 1.2 Definir Unidades

Leia mais

VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA

VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA Manual das ações programáticas 1 M o d e l o S a ú d e T o d o D i a PROGRAMA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DE AGRAVOS TRANSMISSÍVEIS INDICE INTRODUÇÃO... 5 FLUXOGRAMA DO ENVIO

Leia mais

Alcançado (b) Número total de casos notificados. Número total de notificações negativas recebidas

Alcançado (b) Número total de casos notificados. Número total de notificações negativas recebidas INSTRUTIVO PARA PREENCHIMENTO DO ROTEIRO DE ACOMPANHAMENTO DA PROGRAMAÇÃO PACTUADA INTEGRADA DE EPIDEMIOLOGIA E CONTROLE DE DOENÇAS PPI-ECD - NAS UNIDADES FEDERADAS 1 2 Este instrutivo contém informações

Leia mais

NÚCLEO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA HOSPITALAR

NÚCLEO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA HOSPITALAR NÚCLEO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA HOSPITALAR Enfª Dda. Verginia Rossato Enfª Danieli Bandeira Santa Maria, 2012 Portaria GM/MS nº 2529, de 23 de novembro de 2004 Institui o Subsistema Nacional de Vigilância

Leia mais

Vigilância Epidemiológica: Informar para conhecer

Vigilância Epidemiológica: Informar para conhecer Vigilância Epidemiológica: Informar para conhecer Vigilância epidemiológica no Brasil 1990: Sistema de Informação de Agravos de Notificação SINAN 2007 SINAN Net - http://dtr2004.saude.gov.br/sinanweb/

Leia mais

As Ações de Imunizações e o Programa de Saúde da Família

As Ações de Imunizações e o Programa de Saúde da Família As Ações de Imunizações e o Programa de Saúde da Família 1º. a 3 de junho de 2004 lourdes.maia@funasa.gov.br PNI. Dados Históricos No Brasil, vacina-se desde 1804. 1973 foi criado um Programa Nacional

Leia mais

PORTARIA MS Nº 1.271, DE 6 DE JUNHO DE 2014

PORTARIA MS Nº 1.271, DE 6 DE JUNHO DE 2014 PORTARIA MS Nº 1.271, DE 6 DE JUNHO DE 2014 Define a Lista Nacional de Notificação Compulsória de doenças, agravos e eventos de saúde pública nos serviços de saúde públicos e privados em todo o território

Leia mais

ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENAÇÃO DAS AÇÕES DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DIRETORIA DE ANÁLISE DA SITUAÇÃO DE SAÚDE

ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENAÇÃO DAS AÇÕES DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DIRETORIA DE ANÁLISE DA SITUAÇÃO DE SAÚDE ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENAÇÃO DAS AÇÕES DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DIRETORIA DE ANÁLISE DA SITUAÇÃO DE SAÚDE PACTO PELA SAÚDE - PACTUAÇÃO DO INDICADORES DA PROGRAMAÇÃO DAS AÇÕES

Leia mais

ANEXO I - Lista de Doenças e Agravos de Notificação Compulsória (LDNC). 1. Acidente com exposição a material biológico relacionado ao trabalho;

ANEXO I - Lista de Doenças e Agravos de Notificação Compulsória (LDNC). 1. Acidente com exposição a material biológico relacionado ao trabalho; ANEXO I - Lista de Doenças e Agravos de Notificação Compulsória (LDNC). 1 Caso suspeito ou confirmado de: 1. Acidente com exposição a material biológico relacionado ao trabalho; 2. Acidente de Trabalho

Leia mais

Epidemiologia Hospitalar

Epidemiologia Hospitalar Epidemiologia Hospitalar Construindo um novo pensar na Vigilância Epidemiológica... Secretaria da Saúde A implantação dos NHE Márcia Sampaio Sá SESAB/SUVISA/DIVEP Setembro-2009 I Encontro Nacional de Vigilância

Leia mais

NORMA PROCEDIMENTAL REALIZAÇÃO DE EXAMES LABORATORIAIS

NORMA PROCEDIMENTAL REALIZAÇÃO DE EXAMES LABORATORIAIS 10.03.002 1/09 1. FINALIDADE Estabelecer procedimentos e disciplinar o processo para realização de exames laboratoriais no Hospital de Clínicas - HC. 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO Todas as unidades do HC, em

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ SECRETARIA MUNICIPAL DA CIDADANIA

ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ SECRETARIA MUNICIPAL DA CIDADANIA 1 ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ SECRETARIA MUNICIPAL DA CIDADANIA GERÊNCIA EXECUTIVA DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA À SAÚDE ASSUNTOS DESTE INFORME Agravos notificados

Leia mais

CALENDÁRIOS VACINAIS. Renato de Ávila Kfouri Sociedade Brasileira de Imunizações SBIM

CALENDÁRIOS VACINAIS. Renato de Ávila Kfouri Sociedade Brasileira de Imunizações SBIM CALENDÁRIOS VACINAIS Renato de Ávila Kfouri Sociedade Brasileira de Imunizações SBIM VACINA É PARA A VIDA TODA... Oportunidades para a Vacinação criança adolescente adulto Programa infantil Catch up (repescagem)

Leia mais

Política de Vacinação

Política de Vacinação Rol de s cobertas por esta Política Catapora ou Varicela contra Varicela Biken Crianças de 1 a 12 anos: esquema vacinal em dose única. Pacientes imunocomprometidos: portadores de leucemia linfóide aguda

Leia mais

VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA. Conceito: Forma tradicional de utilização da Epidemiologia nos serviços de saúde.

VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA. Conceito: Forma tradicional de utilização da Epidemiologia nos serviços de saúde. VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA Conceito: Forma tradicional de utilização da Epidemiologia nos serviços de saúde. Vigilância: (1) Observação de pessoas (2) Observação de doenças ou danos à saúde - VE Com vistas

Leia mais

Informe Técnico - SARAMPO nº2 /2010 Atualização da Situação Epidemiológica

Informe Técnico - SARAMPO nº2 /2010 Atualização da Situação Epidemiológica 1 SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DE CONTROLE DE DOENÇAS CENTRO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA PROF. ALEXANDRE VRANJAC Av. Dr. Arnaldo, 351-6º andar SP/SP CEP: 01246-000 Fone: (11)3082-0957 Fax:

Leia mais

BENTO GONÇALVES SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE SERVIÇO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA PRINCIPAIS ATRIBUIÇÕES

BENTO GONÇALVES SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE SERVIÇO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA PRINCIPAIS ATRIBUIÇÕES BENTO GONÇALVES SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE SERVIÇO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA PRINCIPAIS ATRIBUIÇÕES Serviço de Vigilância em Saúde (SVS) A partir da criação do SVS, em junho de 2003, todas as ações

Leia mais

Ações de Vigilância Epidemiológica, Perspectivas e Desafios para o enfrentamento de uma nova epidemia

Ações de Vigilância Epidemiológica, Perspectivas e Desafios para o enfrentamento de uma nova epidemia Superintendência de Vigilância em Saúde Gerência de Vigilância Epidemiológica das Doenças Transmissíveis Coordenação de Dengue e Febre Amarela Ações de Vigilância Epidemiológica, Perspectivas e Desafios

Leia mais

Instrumento Administrativo Política Institucional Nº 02.03 Política de Vacinação

Instrumento Administrativo Política Institucional Nº 02.03 Política de Vacinação Rev: 03 Data: 19/07/2010 Página 1 de 5 Anexo I - Rol de Vacinas cobertas por esta Política Vacina Nome da Droga Pré-requisitos para cobertura Documentação necessária Observação Crianças de 1 a 12 anos:

Leia mais

Boletim Epidemiológico Julho/2015

Boletim Epidemiológico Julho/2015 GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE PÚBLICA COORDENADORIA DE PROMOÇÃO À SAÚDE SUBCOORDENADORIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA CENTRO DE INFORMAÇÃO ESTRATÉGICA EM VIGILANCIA

Leia mais

Programa para seleção pública do AGENTE DE COMBATE A ENDEMIAS I - 2008

Programa para seleção pública do AGENTE DE COMBATE A ENDEMIAS I - 2008 Programa para seleção pública do AGENTE DE COMBATE A ENDEMIAS I - 2008 Conteúdo Saúde Pública Lei 8080 de 19/09/1990; Lei 8142 de 28/12/1990; ABC do SUS Doutrinas e Princípios - Ministério da Saúde; Avanços

Leia mais

Pacto de Atenção Básica 2002 Notas Técnicas

Pacto de Atenção Básica 2002 Notas Técnicas Pacto de Atenção Básica 2002 Notas Técnicas Estão disponíveis, nestas páginas, os indicadores do Pacto de Atenção Básica 2002, estabelecidos a partir da portaria 1.121, de 17 de junho de 2002, calculados

Leia mais

Palavras- chave: Vigilância epidemiológica, Dengue, Enfermagem

Palavras- chave: Vigilância epidemiológica, Dengue, Enfermagem ANÁLISE DAS NOTIFICAÇÕES DE DENGUE APÓS ATUAÇÃO DO SERVIÇO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA HOSPITALAR INTRODUÇÃO: A Dengue é uma doença infecciosa febril aguda de amplo espectro clínico e de grande importância

Leia mais

Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de respostas.

Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de respostas. Prezado(a) candidato(a): Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de respostas. Nº de Inscrição Nome ASSINALE A RESPOSTA

Leia mais

Serviço de Epidemiologia Hospitalar: Hospital de Clínicas/UFPR

Serviço de Epidemiologia Hospitalar: Hospital de Clínicas/UFPR Serviço de Epidemiologia Hospitalar: Hospital de Clínicas/UFPR Comunicações: 1. Vigilância da Coqueluche; 2. Vigilância das Síndromes Respiratórias Agudas Graves; 3. Liberação de tratamento para tuberculose

Leia mais

ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS INTEGRANTES DO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA

ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS INTEGRANTES DO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS INTEGRANTES DO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA ATRIBUIÇÕES DO MÉDICO I- Realizar consultas clínicas aos usuários de sua área adstrita; II- Participar das atividades de grupos de controle

Leia mais

Fed Estado DF O cálculo da União não X possui percentual de aplicada em saúde

Fed Estado DF O cálculo da União não X possui percentual de aplicada em saúde Anexo RELATÓRIO DE INDICADORES DE MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DO PACTO PELA SAÚDE - 2007 A. INDICADORES PRINCIPAIS Denominação Método de Cálculo Fonte Parâmetro/Meta Nacional/ Referência Situação Local Meta

Leia mais

ANO: 02 Nº 01 SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE SANTANA DO IPANEMA AL JANEIRO Á JUNHO - 2008

ANO: 02 Nº 01 SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE SANTANA DO IPANEMA AL JANEIRO Á JUNHO - 2008 ANO: 02 Nº 01 SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE SANTANA DO IPANEMA AL JANEIRO Á JUNHO - 2008 Informe Este informe tem como objetivo fornecer informação semestral sobre a ocorrência de doenças de notificação

Leia mais

Sistema Nacional de Vigilância Ambiental em Saúde. Ministério da Saúde Fundação Nacional de Saúde

Sistema Nacional de Vigilância Ambiental em Saúde. Ministério da Saúde Fundação Nacional de Saúde Sistema Nacional de Vigilância Ambiental em Saúde Ministério da Saúde Fundação Nacional de Saúde 1 FLUXO DA VIGILÂNCIA SISTEMAS SETORIAIS RELACIONADOS COM SAÚDE E AMBIENTE (Saúde, Educação, Des. Urbano,

Leia mais

DOENÇAS OU AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA IMEDIATA

DOENÇAS OU AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA IMEDIATA DOENÇAS OU AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA IMEDIATA NÚCLEO HOSPITALAR DE EPIDEMIOLOGIA HNSC/HCC A Portaria do Ministério da Saúde Nº 1.271, de 06 de Junho de 2014 atualizou a Portaria Nº 104, de 25

Leia mais

Profª.Drª.Sybelle de Souza Castro Coordenadora do Núcleo de Vigilância Epidemiológica do HC_UFTM

Profª.Drª.Sybelle de Souza Castro Coordenadora do Núcleo de Vigilância Epidemiológica do HC_UFTM ATUALIZAÇÃO EM VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA Profª.Drª.Sybelle de Souza Castro Coordenadora do Núcleo de Vigilância Epidemiológica do HC_UFTM Vigilância Epidemiológica Pressupõe a coleta e análise de todas

Leia mais

Secretaria Municipal de Saúde Coordenação de Saúde Ambiental Subcoordenação de Vigilância Epidemiológica Setor de Agravos Imunopreveníveis

Secretaria Municipal de Saúde Coordenação de Saúde Ambiental Subcoordenação de Vigilância Epidemiológica Setor de Agravos Imunopreveníveis Secretaria Municipal de Saúde Coordenação de Saúde Ambiental Subcoordenação de Vigilância Epidemiológica Setor de Agravos Imunopreveníveis Agosto - 2012 APRESENTAÇÃO O Sistema Único de Saúde (SUS) altera

Leia mais

Epidemiologia Vigilância Epidemiológica Conceitos Básicos. Nara Melo SMS - Recife

Epidemiologia Vigilância Epidemiológica Conceitos Básicos. Nara Melo SMS - Recife Epidemiologia Vigilância Epidemiológica Conceitos Básicos Nara Melo SMS - Recife Epidemiologia Histórico Grécia antiga (ano 400 a.c.) Hipócrates Dos Ares, Águas e Lugares Era Moderna (século XVII) Meados

Leia mais

ANEXO IV INDICADORES ESTRATÉGICOS PARA A REDE CEGONHA

ANEXO IV INDICADORES ESTRATÉGICOS PARA A REDE CEGONHA ANEXO IV INDICADORES ESTRATÉGICOS PARA A REDE CEGONHA OBJETIVO: MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DA IMPLANTAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DA REDE CEGONHA NOME DO INDICADOR DEFINIÇÃO INTERPRETAÇÃO MÉTODO DE CÁLCULO cadastradas

Leia mais

Sucessos, Desafios e Perspectivas

Sucessos, Desafios e Perspectivas Sucessos, Desafios e Perspectivas Carla Magda A. S. Domingues Coordenação Geral do Programa Nacional de Imunizações Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Cenário Epidemiológico 1970 Doença

Leia mais

Febre amarela no Brasil: recomendações para a vigilância, prevenção e controle doi: 10.5123/S1679-49742011000100011

Febre amarela no Brasil: recomendações para a vigilância, prevenção e controle doi: 10.5123/S1679-49742011000100011 Nota Técnica Febre amarela no Brasil: recomendações para a vigilância, prevenção e controle doi: 10.5123/S1679-49742011000100011 Yellow Fever in Brazil: Recommendations for Surveillance, Prevention and

Leia mais

Plano de Qualificação das Linhas de Cuidados da Transmissão Vertical do HIV e da Sífilis nos Estados do Semiárido e Amazônia Legal

Plano de Qualificação das Linhas de Cuidados da Transmissão Vertical do HIV e da Sífilis nos Estados do Semiárido e Amazônia Legal Plano de Qualificação das Linhas de Cuidados da Transmissão Vertical do HIV e da Sífilis nos Estados do Semiárido e Amazônia Legal O que é Transmissão Vertical HIV e Sífilis? A transmissão vertical do

Leia mais

PROVA PRÁTICA ACS CONCURSO PÚBLICO PREFEITURA MUNICIPAL DE MARACANAÚ

PROVA PRÁTICA ACS CONCURSO PÚBLICO PREFEITURA MUNICIPAL DE MARACANAÚ QUESTÃO 01 O Agente Comunitário de Saúde tem como objetivo principal contribuir para a qualidade de vida das pessoas e da comunidade. Analise as opções abaixo e marque a alternativa incorreta: A) Conhecer

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA REFERENTE AO CALENDÁRIO NACIONAL DE VACINAÇÃO POVOS INDÍGENAS

INSTRUÇÃO NORMATIVA REFERENTE AO CALENDÁRIO NACIONAL DE VACINAÇÃO POVOS INDÍGENAS INSTRUÇÃO NORMATIVA REFERENTE AO CALENDÁRIO NACIONAL DE VACINAÇÃO POVOS INDÍGENAS O presente instrumento estabelece as normatizações técnicas do Programa Nacional de Imunizações referentes ao Calendário

Leia mais

VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA. Lisiane Morelia Weide Acosta Mestre em Epidemiologia/UFRGS

VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA. Lisiane Morelia Weide Acosta Mestre em Epidemiologia/UFRGS VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA Lisiane Morelia Weide Acosta Mestre em Epidemiologia/UFRGS Vigilância Epidemiológica VIGILÂNCIA EM SAÚDE: Mais do que a soma das VIGILÂNCIA SANITÁRIA VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância Epidemiológica Centro de Informações Estratégias e Resposta em

Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância Epidemiológica Centro de Informações Estratégias e Resposta em Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância Epidemiológica Centro de Informações Estratégias e Resposta em Vigilância em Saúde Gerência Técnica do SINAN FLUXO DE RETORNO

Leia mais

Raiva humana VS Componente Epidemiológico

Raiva humana VS Componente Epidemiológico GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal Subsecretaria de Vigilância à Saúde Diretoria de Vigilância Epidemiológica Gerência de Vigilância Epidemiológica e Imunização

Leia mais

Febre Amarela Silvestre, Brasil, 2009.

Febre Amarela Silvestre, Brasil, 2009. Febre Amarela Silvestre, Brasil, 2009. BOLETIM DE ATUALIZAÇÃO Dezembro/2009 Emergências em Saúde Pública de Importância Nacional (ESPIN) de Febre Amarela Silvestre em São Paulo e no Rio Grande do Sul e

Leia mais

PORTARIA Nº 1.946, DE 19 DE JULHO DE 2010

PORTARIA Nº 1.946, DE 19 DE JULHO DE 2010 MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 1.946, DE 19 DE JULHO DE 2010 Institui, em todo o território nacional, o Calendário de vacinação para os Povos Indígenas. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE,

Leia mais

Boletim Epidemiológico

Boletim Epidemiológico Página 1 / 8 1. Situação Epidemiológica do Sarampo Diferentes regiões do mundo estão definindo metas para a eliminação do sarampo e da rubéola até o ano de 2015. No entanto, surtos recentes de sarampo

Leia mais

ANEXO I. Lista de Notificação Compulsória

ANEXO I. Lista de Notificação Compulsória 1. Acidentes por animais peçonhentos; 2. Atendimento antirrábico; 3. Botulismo; 4. Carbúnculo ou Antraz; 5. Cólera; 6. Coqueluche; 7. Dengue; 8. Difteria; 9. Doença de Creutzfeldt-Jakob; ANEXO I Lista

Leia mais

UPE Campus Petrolina PROGRAMA DA DISCIPLINA

UPE Campus Petrolina PROGRAMA DA DISCIPLINA UPE Campus Petrolina PROGRAMA DA DISCIPLINA Curso: Enfermagem Disciplina: Saúde Coletiva II Carga Horária: 90 h Teórica: 60 h Prática: 30 h Semestre: 2013.1 Professores: Maria Campos, Marta Guimarães,

Leia mais

Projeto Redução da Mortalidade Infantil e Materna em Minas Gerais Outubro 2013. Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais

Projeto Redução da Mortalidade Infantil e Materna em Minas Gerais Outubro 2013. Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais Projeto Redução da Mortalidade Infantil e Materna em Minas Gerais Outubro 2013 Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais Mortalidade Minas Gerais Janeiro a Outubro 2013 1 Óbitos fetais 2076 Óbitos

Leia mais

Resumo do Perfil epidemiológico por regiões. HIV e Aids no Município de São Paulo 2014 SAÚDE 1

Resumo do Perfil epidemiológico por regiões. HIV e Aids no Município de São Paulo 2014 SAÚDE 1 Resumo do Perfil epidemiológico por regiões HIV e Aids no Município de São Paulo 2014 Resumo do perfil epidemiológico por regiões SAÚDE 1 HIV e Aids no Município de São Paulo 2014 APRESENTAçÃO Hoje, no

Leia mais

PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE - PAS (ANO)

PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE - PAS (ANO) PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE - PAS (ANO) Mês e Ano de elaboração MODELO PARA ELABORAÇÃO DA PAS 2014: Gerência de Programação em Saúde- DEPLAN/SUSAM 1 SUMÁRIO IDENTIFICAÇÃO DO MUNICÍPIO...3 ELABORAÇÃO...4

Leia mais

HIV/aids no Brasil - 2012

HIV/aids no Brasil - 2012 HIV/aids no Brasil - 2012 Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Novembro de 2012 HIV Dados gerais Prevalência do HIV maior entre homens (15

Leia mais

A SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE-SVS e o DECRETO n 7.508/2011

A SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE-SVS e o DECRETO n 7.508/2011 A SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE-SVS e o DECRETO n 7.508/2011 Departamento de Gestão da Vigilância em Saúde-DAGVS Secretaria de Vigilância em Saúde dagvs@saude.gov.br 06/03/2012 IMPLEMENTAÇÃO DO DECRETO

Leia mais

Distrito Estadual de Fernando de Noronha Processo Seletivo Simplificado 2006 COMPONENTE 1

Distrito Estadual de Fernando de Noronha Processo Seletivo Simplificado 2006 COMPONENTE 1 COMPONENTE 1 Não consta, como propósito basilar da Portaria 1395/1999, do Ministério da Saúde, que aprova a Política Nacional do Idoso: A) a promoção do envelhecimento saudável. B) a manutenção e a melhoria,

Leia mais

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Alagoas. Brasília / DF

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Alagoas. Brasília / DF Ministério da Saúde Sistema Nacional de Vigilância em Saúde Relatório de Situação Alagoas Brasília / DF Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Sistema Nacional de Vigilância em Saúde Relatório

Leia mais

DOENÇAS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSORIA E AS COMISSÕES DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR

DOENÇAS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSORIA E AS COMISSÕES DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR INFORME TÉCNICO XV Outubro 06 DOENÇAS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSORIA E AS COMISSÕES DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR As doenças de notificação compulsória são assim designadas por constarem da Lista de Doenças

Leia mais

II INFORME MUNICIPAL DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE 2º TRIMESTRE DE 2013

II INFORME MUNICIPAL DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE 2º TRIMESTRE DE 2013 1 INDICADORES MUNICIPAIS DE SAÚDE II INFORME MUNICIPAL DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE 2º TRIMESTRE DE 2013 Ago/2013 2 INTRODUÇÃO A Vigilância em Saúde tem como objetivo a análise permanente da situação de saúde

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ SECRETARIA MUNICIPAL DA CIDADANIA GERÊNCIA EXECUTIVA DA SAÚDE

ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ SECRETARIA MUNICIPAL DA CIDADANIA GERÊNCIA EXECUTIVA DA SAÚDE ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ SECRETARIA MUNICIPAL DA CIDADANIA GERÊNCIA EXECUTIVA DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA À SAÚDE TEMAS DESTE INFORME Entendendo um pouco mais

Leia mais

INDICADORES BÁSICOS PARA A SAÚDE NO BRASIL:

INDICADORES BÁSICOS PARA A SAÚDE NO BRASIL: INDICADORES BÁSICOS PARA A SAÚDE NO BRASIL: CONCEITOS E APLICAÇÕES Brasilia, 2008 2008 Organização Pan-Americana da Saúde Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução total ou parcial desta obra,

Leia mais

DOENÇAS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIAS

DOENÇAS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIAS DOENÇAS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIAS DEFINIÇÃO São doenças cuja gravidade, magnitude, transcendência, capacidade de disseminação do agente causador e potencial de causar surtos e epidemias exigem medidas

Leia mais

Calendário de Vacinas 2011

Calendário de Vacinas 2011 Calendário de Vacinas 2011 Untitled-2 1 4/4/11 4:59 PM Atualizações + atualizações_arquivo.indd 1 2 Atualizações Calendário Básico de Vacinação 2011 Idade Vacina Dose Doenças evitadas Ao nascer BCG-ID

Leia mais

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Distrito Federal. Brasília / DF

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Distrito Federal. Brasília / DF Ministério da Saúde Sistema Nacional de Vigilância em Saúde Relatório de Situação Distrito Federal Brasília / DF Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Sistema Nacional de Vigilância em

Leia mais

CALENDÁRIO BÁSICO DE VACINAÇÃO DA CRIANÇA

CALENDÁRIO BÁSICO DE VACINAÇÃO DA CRIANÇA CALENDÁRIO BÁSICO DE VACINAÇÃO DA CRIANÇA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DO PARANÁ SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE CENTRO DE EPIDEMIOLÓGICA DO PARANÁ PROGRAMA ESTADUAL DE IMUNIZAÇÃO TODO DIA É DIA

Leia mais

Hélio Vasconcellos Lopes

Hélio Vasconcellos Lopes HIV/AIDS no Município de Santos e dados brasileiros Hélio Vasconcellos Lopes Coordenador do Programa Municipal DST/AIDS/Hepatites da Secretaria Municipal de Saúde Professor titular da Faculdade de Medicina

Leia mais

Vigilância em Saúde. Perfil do Tétano em Alagoas de 2007 a 2014. Nesta Edição: ANO 4 Nº 01 ANUAL JANEIRO 15

Vigilância em Saúde. Perfil do Tétano em Alagoas de 2007 a 2014. Nesta Edição: ANO 4 Nº 01 ANUAL JANEIRO 15 Diretoria de Epidemiológica Gerência de Doenças Imunopreveníveis e Programa de Imunizações ANO 4 Nº 01 ANUAL JANEIRO 15 Nesta Edição: 1. Perfil do Tétano em Alagoas de 2007 a 2. Intensificação das Ações

Leia mais

UNIMED GOIÂNIA. Centro de Vacinação

UNIMED GOIÂNIA. Centro de Vacinação UNIMED GOIÂNIA COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO PROCESSO SELETIVO 2013 PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS NOS RECURSOS E SERVIÇOS PRÓPRIOS 20 de outubro de 2012 Centro de Vacinação SÓ ABRA ESTE CADERNO QUANDO AUTORIZADO

Leia mais

Política de Introdução de Novas Vacinas no Brasil

Política de Introdução de Novas Vacinas no Brasil Política de Introdução de Novas Vacinas no Brasil Ana Goretti Kalume Maranhão Programa Nacional de Imunização/Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde ana.goretti@saude.gov.br Programa Nacional

Leia mais

Incentivo às Ações de Vigilância, Prevenção e Controle das DST, Aids e Hepatites Virais

Incentivo às Ações de Vigilância, Prevenção e Controle das DST, Aids e Hepatites Virais Incentivo às Ações de Vigilância, Prevenção e Controle das DST, Aids e Hepatites Virais Departamento DST, Aids e Hepatites Virais Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde www.aids.gov.br Maio/2014

Leia mais

DESAFIOS E INOVAÇÕES NO CONTROLE DA DENGUE

DESAFIOS E INOVAÇÕES NO CONTROLE DA DENGUE PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE / Secretaria Municipal de Saúde Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde DESAFIOS E INOVAÇÕES NO CONTROLE DA DENGUE Vigilância epidemiológica e controle vetorial

Leia mais

Capacitação. em Eventos. Situação Epidemiológica das. Meningites no Brasil. Área de Produção Editorial e Gráfica Núcleo de Comunicação

Capacitação. em Eventos. Situação Epidemiológica das. Meningites no Brasil. Área de Produção Editorial e Gráfica Núcleo de Comunicação Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância Epidemiológica Coordenação Geral de Doenças Transmissíveis Unidade Técnica de Doenças de Transmissão Respiratória e Imunopreveníveis Capacitação

Leia mais

PREVENÇÃO DE DST/AIDS APÓS VIOLÊNCIA SEXUAL AVALIAÇÃO DOS CASOS NOTIFICADOS À SES/RS.

PREVENÇÃO DE DST/AIDS APÓS VIOLÊNCIA SEXUAL AVALIAÇÃO DOS CASOS NOTIFICADOS À SES/RS. PREVENÇÃO DE DST/AIDS APÓS VIOLÊNCIA SEXUAL AVALIAÇÃO DOS CASOS NOTIFICADOS À SES/RS. Introdução e método: A violência física em especial a violência sexual é, sem dúvida, um problema de saúde pública.

Leia mais

PROVA FORMAÇÃO DE AGENTE DE COMBATE A ENDEMIAS Prefeitura Municipal de Ouro Preto 1- Assinale a alternativa que define o que é epidemiologia.

PROVA FORMAÇÃO DE AGENTE DE COMBATE A ENDEMIAS Prefeitura Municipal de Ouro Preto 1- Assinale a alternativa que define o que é epidemiologia. 1- Assinale a alternativa que define o que é epidemiologia. a) Estudo de saúde da população humana e o inter relacionamento com a saúde animal; b) Estudo de saúde em grupos de pacientes hospitalizados;

Leia mais

SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA- CALENDÁRIO VACINAL 2013

SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA- CALENDÁRIO VACINAL 2013 SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA- CALENDÁRIO VACINAL 2013 IDADE Ao 2m 3m 4m 5m 6m 7m 12m 15m 18m 4 a 6 11 14 a 16 Nascer anos anos anos BCG ID 1 Hepatite B 2 DTP / DTPa 3 dt/dtpa 4 Hib 5 VIP / VOP 6 Pneumo

Leia mais

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 Notas importantes: O Banco de dados (BD) do Sistema de Informação Nacional de Agravos de Notificação (SINAN) vem sofrendo nos últimos

Leia mais

ENFERMEIRO DO PSF - 40H

ENFERMEIRO DO PSF - 40H QUESTÃO 01 A Constituição Federal de 1988 na seção II dispõe sobre a Saúde, que descreve em artigo sobre a saúde ser direito de todos. Para tanto, no art. 198 as ações e serviços públicos de saúde integram

Leia mais

Calendário de Vacinação do Prematuro e da Criança

Calendário de Vacinação do Prematuro e da Criança Calendário de Vacinação do Prematuro e da Criança Central de Atendimento: (61) 3329-8000 Calendário de Vacinação do Prematuro Vacinas BCG ID (intradérmica) Hepatite B (HBV) Pneumocócica conjugada Recomendações

Leia mais

MORBIDADE. As tabelas foram feitas no software Excel, de forma a disponibilizar os dados utilizados na construção dos mapas e indicadores.

MORBIDADE. As tabelas foram feitas no software Excel, de forma a disponibilizar os dados utilizados na construção dos mapas e indicadores. MORBIDADE Os dados apresentados no tema Morbidade no Atlas de Saúde do Brasil tiveram origem no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) e Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM) da

Leia mais

ANO IX NÚMERO 33 MAIO DE

ANO IX NÚMERO 33 MAIO DE Equipe de Vigilância das Doenças Transmissíveis Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre ANO IX NÚMERO MAIO DE 7 E DITORIAL Neste ano, por motivos alheios

Leia mais

Boletim Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 29 de 2014

Boletim Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 29 de 2014 Boletim Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 29 de 2014 A vigilância da influenza no Brasil é composta pela vigilância

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA Secretaria da Saúde do Estado da Bahia Superintendência de Vigilância e Proteção da Saúde

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA Secretaria da Saúde do Estado da Bahia Superintendência de Vigilância e Proteção da Saúde GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA Secretaria da Saúde do Estado da Bahia Superintendência de Vigilância e Proteção da Saúde NOTA TÉCNICA Nº 03/2015 DIVEP/LACEN/SUVISA/SESAB Assunto: Casos de ZIKA Vírus e de Doença

Leia mais

Determinantes do Processo Saúde-Doença. Prevalência e Fatores de Risco. Vigilância Epidemiológica

Determinantes do Processo Saúde-Doença. Prevalência e Fatores de Risco. Vigilância Epidemiológica Determinantes do Processo Saúde-Doença Prevalência e Fatores de Risco Vigilância Epidemiológica Indicadores de Saúde É o que indica, ou seja, o que reflete uma particular característica (...) revela a

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO E SAÚDE

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO E SAÚDE VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO E SAÚDE Orientador Empresarial Vacinação - Calendário Básico - Criança, Adolescente, Adulto e Idoso Revogação da Portaria

Leia mais

B O L E T I M EPIDEMIOLÓGICO ISSN 1517 1159 AIDS DST. ano VIII nº 01

B O L E T I M EPIDEMIOLÓGICO ISSN 1517 1159 AIDS DST. ano VIII nº 01 B O L E T I M EPIDEMIOLÓGICO ISSN 1517 1159 AIDS DST ano VIII nº 01 27ª a 52ª semanas epidemiológicas - julho a dezembro de 2010 01ª a 26ª semanas epidemiológicas - janeiro a junho de 2011 2012. Ministério

Leia mais

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE GERÊNCIA DE IMUNIZAÇÕES E REDE FRIO GOIÁS EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO CAMPANHA DE MULTIVACINAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DA VACINA INATIVADA POLIOMIELITE

Leia mais

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Rio Grande do Sul. Brasília / DF

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Rio Grande do Sul. Brasília / DF Ministério da Saúde Sistema Nacional de Vigilância em Saúde Relatório de Situação Rio Grande do Sul Brasília / DF Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Sistema Nacional de Vigilância em

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DE MINAS GERAIS RESOLUÇÃO SES Nº 3244 DE 25 DE ABRIL DE 2012

SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DE MINAS GERAIS RESOLUÇÃO SES Nº 3244 DE 25 DE ABRIL DE 2012 RESOLUÇÃO SES Nº 3244 DE 25 DE ABRIL DE 2012 Acrescenta agravos estaduais a Lista Nacional de Doenças de Notificação Compulsória e dá outras providências. O SECRETÁRIO DE ESTADO DA SAÚDE, Gestor do Sistema

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande FURG VACINAS AULA II. Prof. Edison Luiz Devos Barlem ebarlem@gmail.com

Universidade Federal do Rio Grande FURG VACINAS AULA II. Prof. Edison Luiz Devos Barlem ebarlem@gmail.com Universidade Federal do Rio Grande FURG VACINAS AULA II Prof. Edison Luiz Devos Barlem ebarlem@gmail.com Calendário de Vacinação Infantil 2011 1. BCG (contra Tuberculose); 2. Vacina contra Hepatite B;

Leia mais

OBJETIVO REDUZIR A MORTALIDADE

OBJETIVO REDUZIR A MORTALIDADE pg44-45.qxd 9/9/04 15:40 Page 44 44 OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO BRASIL OBJETIVO REDUZIR A MORTALIDADE NA INFÂNCIA pg44-45.qxd 9/9/04 15:40 Page 45 45 4 " META 5 REDUZIR EM DOIS TERÇOS, ENTRE

Leia mais

Relatório Estadual de Acompanhamento - 2008. Relatório Estadual de Acompanhamento 2008 Objetivos de Desenvolvimento do Milênio

Relatório Estadual de Acompanhamento - 2008. Relatório Estadual de Acompanhamento 2008 Objetivos de Desenvolvimento do Milênio Relatório Estadual de Acompanhamento 2008 Objetivos de Desenvolvimento do Milênio 1- Erradicar a extrema pobreza e a fome Meta 1: Reduzir pela metade, entre 1990 e 2015, a proporção da população com renda

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições que lhe conferem os incisos I e II do parágrafo único do art. 87 da Constituição; e

O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições que lhe conferem os incisos I e II do parágrafo único do art. 87 da Constituição; e PORTARIA Nº- 3.318, DE 28 DE OUTUBRO DE 2010 Institui em todo o território nacional, o Calendário Básico de Vacinação da Criança, o Calendário do Adolescente e o Calendário do Adulto e Idoso. O MINISTRO

Leia mais