O USO DA TECNOLOGIA DENSE STEREO MATCHING PARA LEVANTAMENTO DE EDIFICAÇÕES EXISTENTES

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O USO DA TECNOLOGIA DENSE STEREO MATCHING PARA LEVANTAMENTO DE EDIFICAÇÕES EXISTENTES"

Transcrição

1 O USO DA TECNOLOGIA DENSE STEREO MATCHING PARA LEVANTAMENTO DE EDIFICAÇÕES EXISTENTES RESUMO Bruno Leão de Brito (a) Universidade Federal da Bahia (UFBA) Natalie Johanna Groetelaars (b) Universidade Federal da Bahia (UFBA) Arivaldo Leão de Amorim (c) Universidade Federal da Bahia (UFBA) (a) (b) (c) Este artigo discute o levantamento cadastral realizado em uma edificação existente com uso da tecnologia Dense Stereo Matching (DSM). O DSM baseia-se na associação de fotos paralelas ou com pequena inclinação entre si, visando a correlação entre os conjuntos de pixeis das fotos para obtenção do modelo geométrico de nuvem de pontos do objeto. Foram realizados experimentos de geração de nuvem de pontos da Casa Rosa (da FAUFBA) através do software Autodesk 123D Catch. Para aferir a precisão do modelo, a nuvem de pontos foi comparada com um levantamento cadastral realizado anteriormente, através da medição direta. Foi possível perceber que as menores diferenças ocorreram nas regiões mais fotografadas. Nas regiões com menor quantidade de fotos ou com texturas mais uniformes, a diferença entre os métodos de levantamento foi significativamente maior. Ao final, pôde-se concluir que o DSM constitui uma técnica promissora para o cadastro de monumentos históricos devido à rapidez na coleta de grande quantidade de informações, meios automatizados de processamento, além da possibilidade de obtenção de diversos produtos, e do baixo custo operacional. Palavras-chave: Dense Stereo Matching. Nuvem de pontos. Levantamento cadastral. Modelo BIM. Documentação Arquitetônica. ABSTRACT This article discusses the cadastral survey carried out in an existing building with the use of Dense Stereo Matching (DSM) technology. DSM is based on image matching, with parallel photos or with small inclination angles, aiming the correlation between the sets of pixels to obtain point cloud model. Some experiments of point cloud generation of Casa Rosa (in FAUFBA) were performed in Autodesk 123D Catch software. In order to verify the accuracy of the model, the point cloud was compared with a cadastral survey conducted earlier by direct measurement. It could be observed that the smallest differences occurred in the most photographed regions. In the regions with less pictures or with more uniform textures, the difference between survey methods was significantly higher. Finally, we could conclude that DSM is a promising technique for the register of historical monuments due to the speed in collecting large amounts of information, automated processes, and the possibility to obtain several products, and the low operating cost. Keywords: Dense Stereo Matching. Point cloud. Cadastral survey; BIM model. Architectural documentation. 1. INTRODUÇÃO Os avanços tecnológicos modificam os vários aspectos do mundo cotidiano, beneficiando aplicações práticas e técnico-científicas. A área de documentação arquitetônica não é diferente. 1

2 Os sistemas de varredura representam o estado da arte em relação às técnicas de levantamento cadastral, permitindo gerar o modelo geométrico chamado de nuvem de pontos. As nuvens de pontos podem ser obtidas de duas maneiras, pela varredura do objeto de interesse por feixes de raios laser, ou por cobertura de fotografias tomadas segundo critérios específicos. O processo de obtenção das nuvens de pontos por fotografias é conhecido como Dense Stereo Matching (DSM), sendo uma técnica ainda mais recente do que o 3D Laser Scanning. O sistema de varredura a laser requer o uso de um equipamento especifico, o 3D Laser Scanner, o qual, devido ao seu elevado custo, pode tornar inviável sua utilização em determinadas situações, particularmente na documentação arquitetônica onde os recursos são escassos. Já o DSM, apresenta um custo operacional muito menor, uma vez que o equipamento básico necessário é uma câmera digital (podendo ser até mesmo de um celular) e um programa específico para processamento das fotografias. O modelo de nuvem de pontos representa o produto básico gerado por essa tecnologia. Cada um dos pontos que formam a nuvem de pontos, é representado por suas coordenadas cartesianas (x, y e z) e mais um atributo, como os componentes RGB que estão associados à cor visível no ponto, registrados pelas fotografias. Geralmente, é possível obter subprodutos da nuvem de pontos, como malhas poligonais tridimensionais e ortofotos, diretamente nos programas que trabalham com DSM. No entanto, para a maioria das aplicações, é necessário realizar o pós-processamento para geração de produtos derivados, como por exemplo: desenhos, modelos geométricos (superfícies ou sólidos, paramétricos ou não), modelos BIM, animações, etc. Este artigo trata de um experimento realizado com uso da tecnologia DSM para o levantamento cadastral de uma edificação, destacando a metodologia empregada e a avaliação da precisão das nuvens de pontos geradas, tomando-se como referência um cadastro realizado através da técnica de medição direta (com trena). Finalizando o trabalho são discutidas as potencialidades desse processo e os principais desafios a serem superados. 2. MATERIAIS E MÉTODOS Este artigo discute um experimento realizado no Laboratório de Computação Gráfica Aplicada à Arquitetura e Desenho (LCAD) da Faculdade de Arquitetura da Universidade Federal da Bahia, no desenvolvimento de um plano de trabalho de iniciação científica, no período Inicialmente, foi feita a revisão bibliográfica sobre Dense Stereo Matching, para entendimento dos conceitos e fundamentos da tecnologia. Depois foram selecionadas e 2

3 estudadas ferramentas para DSM, visando realizar experimentos e testar metodologias de trabalho DSM: conceituação e etapas de processamento A técnica de obtenção de nuvem de pontos por fotografias, nomeada por vários autores como Dense Stereo Matching (HULLO et al., 2009) ou Photo-based Scanning (WALFORD, 2009), desenvolveu-se principalmente devido a avanços conjuntos de duas áreas: a Fotogrametria Digital e a Visão computacional, o que permitiu aliar o rigor geométrico da primeira com a correlação automática de fotografias da segunda. Utilizando um programa específico para DSM, como o 123D Catch da Autodesk, é possível realizar a associação de fotos paralelas ou com pouca inclinação entre si para obter a localização dos pontos homólogos nas fotografias, criando assim, o modelo geométrico de nuvem de pontos (Figura 1). Tais fotografias podem ser capturadas com uma câmera digital comum, mas deve-se levar em consideração que câmeras de alta resolução permitem a obtenção de modelos mais precisos. Figura 1: Correlação dos pontos homologos nas fotografias. Fonte: Walford, O processo de geração do modelo de nuvem de pontos, geralmente segue as etapas descritas abaixo. a) Planejamento do levantamento Inicialmente, analisa-se o ambiente em que o objeto a ser documentado está inserido, definindo previamente as posições da câmera para aquisição das fotos. Deve-se observar a relação B/L, onde B é a distância entre as estações na tomada fotográfica, e L a distância entre a câmera e o objeto de interesse (Figura 2). Alguns autores recomendam que essa relação deva estar entre 0,1 e 0,5, ou seja, se a câmera estiver a 10 metros do objeto, a distância entre as estações consecutivas pode variar de 1 a 5 metros. 3

4 Figura 2: Relação da distância da câmera para o objeto (L) e o deslocamento das estações (B). Fonte: Bruno Brito, LCAD, Com o planejamento adequado, diminuem-se as chances de haver problemas no modelo gerado, como a baixa densidade da nuvem de pontos e existência de regiões sem informações (oclusões), além de evitar a necessidade de retorno ao campo para a captura de novas fotos. b) Aquisição de dados Esta etapa consiste na tomada fotográfica e no levantamento de medidas em campo. Além de seguir todos os passos já determinados no planejamento, há a preocupação de se tirar fotos em um mesmo horário, evitando mudanças de iluminação do ambiente, o que prejudicaria a identificação e correlação automática dos pixeis entre as fotos, criando um modelo não condizente com a realidade. O levantamento de algumas medidas é necessário para a correção da escala do modelo para a escala real (1:1), e para permitir verificar a precisão do produto gerado. c) Processamento de dados Nessa etapa, inicia-se o processamento digital para a obtenção do modelo de nuvem de pontos, apresentando particularidades que variam de acordo com o programa utilizado. De forma geral, deve-se inserir as fotos no programa e escolher a densidade da malha ou da nuvem de pontos desejada. No caso do 123D Catch, software utilizado, o processamento é realizado de forma remota (via internet). As fotos são carregadas no programa visualizador, são enviadas (upload) para os servidores da Autodesk, e após alguns minutos obtém-se o modelo geométrico em malha triangular irregular (TIN - Triangular Irregular Network) do objeto fotografado. d) Pós-processamento Com o modelo de nuvem de pontos (ou da malha TIN) é possível exportá-lo para diversos programas, para a geração de outros tipos de produtos, como modelos paramétricos em programas específicos de manipulação de nuvens de pontos, como os programas de última 4

5 geração Geomagic Studio e Rapidform, ou em ferramentas BIM, como o Revit Architecture, para a obtenção de Modelos de Informação da Construção. No que tange o processo de geração de modelos paramétricos a partir de nuvens de pontos em programas como o Geomagic Studio e o Rapidform, pode-se dividi-lo em quatro partes (Figura 3): (1) triangulação (conversão da nuvem de pontos em um modelo TIN); (2) segmentação das faces (separação dos polígonos em regiões baseada em sistemas de classificação); (3) a geração dos modelos paramétricos; (4) exportação do modelo para outros programas (CHAN CHEN, 2011). Figura 3: Processo de criação de modelos paramétricos a partir da nuvem de pontos. Fonte: Chang; Chen, Em relação ao Revit, o processo é bastante interativo, mesmo havendo ferramentas que ajudem na identificação da nuvem de pontos e na modelagem dos elementos construtivos, como o programa Scan to BIM (plug-in do Revit) Experimento realizado A edificação escolhida para a realização do experimento foi a Casa Rosa (Figura 4), antiga diretoria da Faculdade de Arquitetura da UFBA, por estar situada em um local de fácil acesso, sem edificações próximas ou vegetação, que pudessem inviabilizar a tomada fotográfica. Figura 4: Fachada norte da Casa Rosa. Fonter: Bruno Brito, LCAD,

6 Foi feita a tomada fotográfica ao redor de toda a edificação (exterior), em curto intervalo de tempo (cerca de 10 minutos). Utilizou-se com a câmera Nikon D300, com resolução máxima de 4288 x 2848 pixeis, com objetiva de distância focal nominal de 12 mm. Ao total, foram capturadas 189 fotos, tendo cada arquivo de imagem, o tamanho aproximado de 6 Mb. A distância entre as estações foi de aproximadamente um metro, enquanto que a distância até a edificação ficou em torno dos quatro metros, respeitando assim a relação B/L. Foram colocados na fachada da casa alvos impressos em papel (Figura 5) alinhados horizontal e verticalmente, permitindo um controle maior das distâncias medidas. Figura 5: Tipo de alvo fixado na parede da edificação. Fonte: Bruno Brito, LCAD, Para o processamento no 123D Catch, dividiu-se as fotos em quatro conjuntos (com sobreposições entre eles), uma vez que o programa apresenta uma limitação de envio e processamento de 80 fotos por lote. Vale ressaltar que o processo de geração da malha TIN nesse programa é bastante automatizado, requerendo pouca interação do usuário, dispensando inclusive a etapa de calibração da câmera (etapa essencial em outros programas como o Photomodeler Scanner), uma vez que se obtém os parâmetros básicos da mesma, como resolução e distância focal nominal, através do arquivo EXIF (Exchangeable Image File Format) das fotografias digitais. Uma vez processados, foram criados quatro modelos parciais de nuvem de pontos (Figuras 6 e 7), que foram registrados posteriormente. 6

7 Figura 6: Modelos parciais da Casa Rosa gerados no 123D Catch. Fonte: Bruno Brito, LCAD, Figura 7: Detalhe da malha triangular gerada no 123D Catch. Fonte: Bruno Brito, LCAD, Posteriormente houve a necessidade de retorno ao campo para se obter mais medidas, visando à atribuição da escala real (1:1) para cada um dos quatro modelos, separadamente. Em seguida, os modelos foram exportados para o Revit Architecture onde foram registrados. A união desses modelos foi realizada manualmente, tomando como base feições naturais da edificação (como quinas de paredes, janelas, portas, dentre outros), formando assim o modelo de nuvem de pontos final da Casa Rosa (Figura 8). 7

8 Figura 8: Modelo de nuvem de pontos da Casa Rosa no Revit Architecture. Fonte: Bruno Brito, LCAD, No ambiente do Revit verificou-se que a distância média entre os pontos era de aproximadamente 2 cm, em locais mais fotografados (paredes externas), porém esse valor aumentava em locais com poucas informações para a geração do modelo (em torno de 5 cm). O passo seguinte foi a confecção do modelo BIM da Casa Rosa tendo como base a nuvem de pontos (Figura 9). Mesmo havendo ferramentas para o Revit Architecture (plug-ins) que auxiliam na identificação dos pontos para criação de elementos construtivos, todo o processo foi feito de forma interativa. Figura 9: Modelo de BIM parcial criado a partir da nuvem de pontos. Fonte: Bruno Brito, LCAD, RESULTADOS E DISCUSSÕES Para aferir a precisão do modelo, o mesmo foi comparado com um levantamento cadastral realizado anteriormente por alunos da FAUFBA com finalidade de servir como base para uma futura reforma na edificação. Nesse momento, foram comparadas a planta baixa (Figura 10) e a fachada norte (Figura 11). 8

9 Figura 10: Comparação da planta baixa (medição direta) com a nuvem de pontos. Fonte: Bruno Brito, LCAD, Figura 11: Comparação da fachada norte (medição direta) com a nuvem de pontos. Fonte: Bruno Brito, LCAD, Foi possível perceber que a diferença entre a nuvem de pontos e o cadastro foi menor nas regiões mais fotografadas (paredes externas e janelas), em média 4 a 5 cm. Nas regiões com menor quantidade de fotos (principalmente nas paredes voltadas para as varandas, que ficavam ocultas em muitas fotos) ou com texturas mais uniformes (janelas abertas ou paredes com pintura mais homogênea) a diferença entre os métodos de levantamento foi significantemente maior. A pior situação foi nas paredes internas das varandas onde não se teve um grande número de fotos, aumentando consideravelmente o erro (Figura 12). Devido à dificuldade de se fotografar a edificação de pontos elevados, a cobertura não pôde ser devidamente registrada, o que influenciou, consequentemente, na falta de informação do telhado no modelo de nuvem de pontos. 9

10 Figura 12: Trecho com maior diferença entre nuvem de pontos e cadastro. Fonte: Bruno Brito, LCAD, CONCLUSÕES A partir dos estudos e experimentos realizados, pode-se afirmar que o Dense Stereo Matching se apresenta como uma técnica promissora para o cadastro de edificações e monumentos históricos devido à rapidez na coleta de grande quantidade de informações confiáveis, e ao uso de meios automatizados de processamento, não necessitando do contato direto com os objetos a serem levantados, salvo a necessidade da tomada de algumas dimensões para a correção da escala do modelo. Além disso, destaca-se o baixo custo operacional da técnica e a possibilidade de geração de diversos produtos derivados das nuvens de pontos. Vale ressaltar que são necessários mais experimentos, visando aprimorar os métodos para geração das nuvens de pontos por fotografias e obter produtos mais completos, precisos e de maior qualidade. AGRADECIMENTOS Os autores agradecem ao CNPq pela bolsa de iniciação científica concedida. À FINEP, pelo apoio financeiro referente ao projeto TIC-HIS, elaborado em resposta à CHAMADA PÚBLICA MCT / FINEP / Ação Transversal 7 / E à equipe que realizou o levantamento cadastral (por medição direta) da Casa Rosa, pela concessão dos arquivos digitais, usados na avaliação da precisão da nuvem de pontos. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS CHANG, K. H.; CHEN, C. 3D Shape Engineering and Design Parameterization. Computer-Aided Design and Applications, 8(5), 2011, p Disponível em: < pdf>. Acesso em: 5 set HULLO, J. F. et al. Photogrammetry and Dense Stereo Matching approach applied to the documentation of the cultural heritage site of Kilwa (Saudi Arabia). In: CIPA SYMPOSIUM, 22., 10

11 2009, Kyoto. Proceedings... Kyoto: CIPA, Disponível em: < Acesso em: 11 nov WALFORD, Alan. A New Way to 3D Scan: Photo-based Scanning Saves Time and Money Disponível em: < WhitePaper.pdf>. Acesso em: 10 out OUTRAS OBRAS CONSULTADAS GROETELAARS, Natalie Johanna; AMORIM, Arivaldo Leão de. Nuvem de pontos na criação de modelos BIM: aplicações em documentação arquitetônica. In: TIC ENCONTRO DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA CONSTRUÇÃO, 5., 2011, Salvador. Anais... Salvador: FAUFBA, CD-ROM. GROETELAARS, Natalie Johanna; AMORIM, Arivaldo Leão de. Tecnologia 3D Laser Scanning: características, processos e ferramentas para manipulação de nuvens de pontos. In: SIGRADI 2011, 15., 2011, Santa Fe. Proceedings... Santa Fe: UNL, LIMA, James Francis Silva; AMORIM, Arivaldo Leão de. Levantamento da portada das igrejas de São Francisco e do Rosário com nuvens de pontos. In: ARQ.DOC SEMINÁRIO NACIONAL: DOCUMENTAÇÃO DO PATRIMÔNIO ARQUITETÔNICO COM O USO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS, 1., 2010, Salvador. Anais eletrônicos... Salvador: FAUFBA,

Dense Stereo Matching (DSM): conceitos, processos e ferramentas para criação de nuvens de pontos por fotografias

Dense Stereo Matching (DSM): conceitos, processos e ferramentas para criação de nuvens de pontos por fotografias Dense Stereo Matching (DSM): conceitos, processos e ferramentas para criação de nuvens de pontos por fotografias Dense Stereo Matching (DSM): concepts, processes and tools to generate point cloud from

Leia mais

Reabilitação e Reforço de Estruturas

Reabilitação e Reforço de Estruturas Mestrado em Engenharia Civil 2011 / 2012 Reabilitação e Reforço de Estruturas Aula 06: Métodos de inspecção e diagnóstico. 6.2. Aplicação da tecnologia laser scanning à reabilitação do espaço construído.

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE FOTOGRAMETRIA TERRESTRE PARA MODELAGEM 3D DE IMÓVEIS NA CIDADE DE JOÃO PESSOA - PB.

UTILIZAÇÃO DE FOTOGRAMETRIA TERRESTRE PARA MODELAGEM 3D DE IMÓVEIS NA CIDADE DE JOÃO PESSOA - PB. p. 001-006 UTILIZAÇÃO DE FOTOGRAMETRIA TERRESTRE PARA MODELAGEM 3D DE IMÓVEIS NA CIDADE DE JOÃO PESSOA - PB. AYOBAMI IWA ZENABU BADIRU ANNA RAQUEL DIONÍSIO RAMOS LUCIANNY ROBERTA DAMASCENA DOS SANTOS GLAUCIENE

Leia mais

Natalie Johanna Groetelaars LCAD, Faculdade de Arquitetura, Universidade Federal da Bahia, Brasil natgroet@ufba.br

Natalie Johanna Groetelaars LCAD, Faculdade de Arquitetura, Universidade Federal da Bahia, Brasil natgroet@ufba.br Tecnologia 3D Laser Scanning: características, processos e ferramentas para manipulação de nuvens de pontos 3D Laser Scanning Technology: characteristics, processes and point cloud tools Natalie Johanna

Leia mais

CONSTRUÇÃO DE MODELOS GEOMÉTRICOS NUMÉRICOS DE CENTROS HISTÓRICOS

CONSTRUÇÃO DE MODELOS GEOMÉTRICOS NUMÉRICOS DE CENTROS HISTÓRICOS CONSTRUÇÃO DE MODELOS GEOMÉTRICOS NUMÉRICOS DE CENTROS HISTÓRICOS BASTIAN, ANDREA V. UFBA. Laboratório de estudos avançados em Cidade, Arquitetura e tecnologias Digitais da FAUFBA - LCAD ablago@uol.com.br

Leia mais

MODELAGEM BIM A PARTIR DE NUVEM DE PONTOS E RESTITUIÇÃO FOTOGRAMÉTRICA: ESTUDOS DE CASO PARA DOCUMENTAÇÃO ARQUITETÔNICA

MODELAGEM BIM A PARTIR DE NUVEM DE PONTOS E RESTITUIÇÃO FOTOGRAMÉTRICA: ESTUDOS DE CASO PARA DOCUMENTAÇÃO ARQUITETÔNICA MODELAGEM BIM A PARTIR DE NUVEM DE PONTOS E RESTITUIÇÃO FOTOGRAMÉTRICA: ESTUDOS DE CASO PARA DOCUMENTAÇÃO ARQUITETÔNICA Aline Lago Guimarães (a) Universidade Federal da Bahia (UFBA) Natalie Johanna Groetelaars

Leia mais

Dúvidas Freqüentes IMPLANTAÇÃO. 1- Como aderir à proposta AMQ?

Dúvidas Freqüentes IMPLANTAÇÃO. 1- Como aderir à proposta AMQ? Dúvidas Freqüentes IMPLANTAÇÃO 1- Como aderir à proposta AMQ? A adesão é realizada através do preenchimento e envio do Formulário de Cadastramento Municipal no site do projeto. O gestor municipal da saúde

Leia mais

IMPORTÂNCIA DE UM SISTEMA DE ACOMPANHAMENTO PARA A DIGITALIZAÇÃO DE OBJETOS UTILIZANDO SENSOR LASER

IMPORTÂNCIA DE UM SISTEMA DE ACOMPANHAMENTO PARA A DIGITALIZAÇÃO DE OBJETOS UTILIZANDO SENSOR LASER IMPORTÂNCIA DE UM SISTEMA DE ACOMPANHAMENTO PARA A DIGITALIZAÇÃO DE OBJETOS UTILIZANDO SENSOR LASER Werley Rocherter Borges Ferreira UFU, Universidade Federal de Uberlândia, Curso de Engenharia Mecatrônica,

Leia mais

A CIDADE EM MINIATURA: O USO DE TÉCNICAS DE PROTOTIPAGEM DIGITAL PARA A CONFECCÇÃO DE MAQUETES URBANAS

A CIDADE EM MINIATURA: O USO DE TÉCNICAS DE PROTOTIPAGEM DIGITAL PARA A CONFECCÇÃO DE MAQUETES URBANAS A CIDADE EM MINIATURA: O USO DE TÉCNICAS DE PROTOTIPAGEM DIGITAL PARA A CONFECCÇÃO DE MAQUETES URBANAS Juliana matsubara UNICAMP Universidade Estadual de Campinas Curso de graduação em Arquitetura e Urbanismo

Leia mais

CITYGML E FOTOGRAMETRIA DIGITAL NA DOCUMENTAÇÃO ARQUITETÔNICA: POTENCIALDIADES E LIMITAÇÕES 1

CITYGML E FOTOGRAMETRIA DIGITAL NA DOCUMENTAÇÃO ARQUITETÔNICA: POTENCIALDIADES E LIMITAÇÕES 1 CITYGML E FOTOGRAMETRIA DIGITAL NA DOCUMENTAÇÃO ARQUITETÔNICA: POTENCIALDIADES E LIMITAÇÕES 1 CITYGML AND DIGITAL PHOTOGRAMMETRY FOR ARCHITECTURAL HERITAGE DOCUMENTATION: POTENTIAL AND LIMITATIONS Andrea

Leia mais

MONITORAMENTO DE ÁREAS DE PROTEÇÃO PERMANENTE ATRAVÉS DE IMAGENS E ORTOFOTOS GERADAS POR VANTS E FOTOGRAMETRIA

MONITORAMENTO DE ÁREAS DE PROTEÇÃO PERMANENTE ATRAVÉS DE IMAGENS E ORTOFOTOS GERADAS POR VANTS E FOTOGRAMETRIA MONITORAMENTO DE ÁREAS DE PROTEÇÃO PERMANENTE ATRAVÉS DE IMAGENS E ORTOFOTOS GERADAS POR VANTS E FOTOGRAMETRIA Guilherme Sonntag Hoerlle*, Jaerton Santini, Nicole Becker Portela, Suane Wurlitzer Bonatto,

Leia mais

Benefícios da Utilização do BIM no desenvolvimento da Orçamentação na Construção Civil

Benefícios da Utilização do BIM no desenvolvimento da Orçamentação na Construção Civil Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Gerenciamento de Projetos/turma 149 29 de julho de 2015 Benefícios da Utilização do BIM no desenvolvimento da Orçamentação na Construção Civil Flávia Ciqueira

Leia mais

UMA DISCUSSÃO SOBRE TÉCNICAS BASEADAS EM IMAGENS PARA LEVANTAMENTO DE EDIFICAÇÕES

UMA DISCUSSÃO SOBRE TÉCNICAS BASEADAS EM IMAGENS PARA LEVANTAMENTO DE EDIFICAÇÕES UMA DISCUSSÃO SOBRE TÉCNICAS BASEADAS EM IMAGENS PARA LEVANTAMENTO DE EDIFICAÇÕES Andrea Verri Bastian PPG-AU Faculdade de Arquitetura UFBA, Mestranda ablago@uol.com.br Resumo A restituição de uma edificação

Leia mais

INFORMAÇÕES SOBRE O MATERIAL UTILIZADO NA OBTENÇÃO E NA ANÁLISE DOS VÍDEOS

INFORMAÇÕES SOBRE O MATERIAL UTILIZADO NA OBTENÇÃO E NA ANÁLISE DOS VÍDEOS INFORMAÇÕES SOBRE O MATERIAL UTILIZADO NA OBTENÇÃO E NA ANÁLISE DOS VÍDEOS 1 Material utilizado 1.1 Tracker: um programa de análise de imagens Para a execução da proposta foi utilizado o programa livre

Leia mais

Micro Mídia Informática Fevereiro/2009

Micro Mídia Informática Fevereiro/2009 Micro Mídia Informática Fevereiro/2009 1 UML Introdução Fases de Desenvolvimento Notação Visões Análise de Requisitos Casos de Uso StarUML Criando Casos de Uso Orientação a Objetos Diagrama de Classes

Leia mais

IMPACTOS DO USO X PERFIL DAS EMPRESAS E ANALISAR SEUS PROCESSOS DE GESTÃO DE PROJETOS

IMPACTOS DO USO X PERFIL DAS EMPRESAS E ANALISAR SEUS PROCESSOS DE GESTÃO DE PROJETOS IMPACTOS DO USO X PERFIL DAS EMPRESAS E ANALISAR SEUS PROCESSOS DE GESTÃO DE PROJETOS Vinicius Coutinho dos Santos BARBOSA (1); Michele Tereza Marques CARVALHO (2) (1) Campus Universitário Darcy Ribeiro

Leia mais

Modelação Tridimensional Exercício nº 1 - Relatório

Modelação Tridimensional Exercício nº 1 - Relatório FAUTL 2012/2013 2º semestre Curso e turma: Mestrado Integrado em Arquitectura TMIA 2BD Nome do Aluno: Naiara Maira Amorim Carvalho Número mecanográfico: 20128254 Modelação Tridimensional Exercício nº 1

Leia mais

Integração Laser Scanner - BIM

Integração Laser Scanner - BIM Fernando Cesar Ribeiro Toppar Engenharia de Levantamentos Marcelo Nepomuceno Uso da nuvem de pontos geradas em levantamentos por Laser Scanner para modelagem de geometria e informações para construção

Leia mais

AUBR-83 Dicas e Truques. Objetivos:

AUBR-83 Dicas e Truques. Objetivos: [AUBR-83] BIM na Prática: Implementação de Revit em Escritórios de Arquitetura e Engenharia Paulo Henrique Giungi Galvão Revenda TECGRAF Consultor técnico Revit da Revenda TECGRAF AUBR-83 Dicas e Truques

Leia mais

The use of 3D Laser Scanning for lifting facades of the historic center of Porto Nacional TO

The use of 3D Laser Scanning for lifting facades of the historic center of Porto Nacional TO 88 A utilização do 3D Laser Scanning para levantamento de fachadas do Centro Histórico de Porto Nacional TO The use of 3D Laser Scanning for lifting facades of the historic center of Porto Nacional TO

Leia mais

DATAGEOSIS EDUCACIONAL 2005

DATAGEOSIS EDUCACIONAL 2005 DATAGEOSIS EDUCACIONAL 2005 GUIA DE USO Aula 2 1. Abra o aplicativo clicando no atalho na área de trabalho. 2. Clique no botão Novo projeto ou clique o comando - (ctrl + N). 3. NA janela DADOS DO PROJETO,

Leia mais

NATUREZA DO TRABALHO : PERÍCIA DE ENGENHARIA O USO DE ORTOIMAGENS EM PERÍCIAS DE ENGENHARIA

NATUREZA DO TRABALHO : PERÍCIA DE ENGENHARIA O USO DE ORTOIMAGENS EM PERÍCIAS DE ENGENHARIA NATUREZA DO TRABALHO : PERÍCIA DE ENGENHARIA O USO DE ORTOIMAGENS EM PERÍCIAS DE ENGENHARIA Resumo Em lides que envolvem a apuração de áreas e divisas de imóveis, as atividades de conferência normalmente

Leia mais

ESTEREOSCOPIA INTRODUÇÃO. Conversão de um par de imagens (a)-(b) em um mapa de profundidade (c)

ESTEREOSCOPIA INTRODUÇÃO. Conversão de um par de imagens (a)-(b) em um mapa de profundidade (c) ESTEREOSCOPIA INTRODUÇÃO Visão estereoscópica se refere à habilidade de inferir informações da estrutura 3-D e de distâncias da cena de duas ou mais imagens tomadas de posições diferentes. Conversão de

Leia mais

BIM model in Heritage Conservation (FCT:PTDC/AUR/66476/2006) O modelo BIM na conservação do Património (FCT:PTDC/AUR/66476/2006)

BIM model in Heritage Conservation (FCT:PTDC/AUR/66476/2006) O modelo BIM na conservação do Património (FCT:PTDC/AUR/66476/2006) BIM model in Heritage Conservation (FCT:PTDC/AUR/66476/2006) O modelo BIM na conservação do Património (FCT:PTDC/AUR/66476/2006) Francisco Agostinho/Margarida Barbosa franc@fa.utl.pt / margarida.j.barbosa@gmail.com

Leia mais

PROCESSO DE REGISTRO E MODELAGEM DE PREEXISTÊNCIAS COM USO DE ESCANER LASER TERRESTRE 1 RESUMO ABSTRACT

PROCESSO DE REGISTRO E MODELAGEM DE PREEXISTÊNCIAS COM USO DE ESCANER LASER TERRESTRE 1 RESUMO ABSTRACT PROCESSO DE REGISTRO E MODELAGEM DE PREEXISTÊNCIAS COM USO DE ESCANER LASER TERRESTRE 1 SOUZA, Douglas L. Universidade Federal de Viçosa, douglas@ufv.br PINILLA, Sergio M. Universidad del Tolima, smosquerap@ut.edu.co

Leia mais

Sistema de Informação Geográfica para Planejamento de Eletrificação Rural em Grande Escala

Sistema de Informação Geográfica para Planejamento de Eletrificação Rural em Grande Escala 1/6 Título Sistema de Informação Geográfica para Planejamento de Eletrificação Rural em Nº de Registro (Resumen) 8 Empresa o Entidad CEMIG DISTRIBUIÇÃO S/A CEMIG-D Autores del Trabajo Nombre País e-mail

Leia mais

Para utilizar os recursos do Filiados online é necessário se identificar para isso entre com o login e a senha do seu sindicato nesta página.

Para utilizar os recursos do Filiados online é necessário se identificar para isso entre com o login e a senha do seu sindicato nesta página. Para utilizar os recursos do Filiados online é necessário se identificar para isso entre com o login e a senha do seu sindicato nesta página. Esta é a página Inicial do sistema nela estarão expostas notícias

Leia mais

Portal do Projeto Tempo de Ser

Portal do Projeto Tempo de Ser Sumário Portal do Projeto Tempo de Ser O que é um Wiki?...2 Documentos...2 Localizando documentos...3 Links...3 Criando um Documento...4 Criando um link...4 Editando um Documento...5 Sintaxe Básica...5

Leia mais

PATRIMÔNIO HISTÓRICO DIGITAL: DOCUMENTAÇÃO DO PELOURINHO, SALVADOR BAHIA, BRAZIL, COM TECNOLOGIA 3D LASER SCANNING

PATRIMÔNIO HISTÓRICO DIGITAL: DOCUMENTAÇÃO DO PELOURINHO, SALVADOR BAHIA, BRAZIL, COM TECNOLOGIA 3D LASER SCANNING PATRIMÔNIO HISTÓRICO DIGITAL: DOCUMENTAÇÃO DO PELOURINHO, SALVADOR BAHIA, BRAZIL, COM TECNOLOGIA 3D LASER SCANNING Arivaldo Leão de Amorim Universidade Federal da Bahia Faculdade de Arquitetura LCAD Laboratório

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA FACULDADE DE ARQUITETURA Programa de Documentação do Patrimônio Arquitetônico do Estado da Bahia

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA FACULDADE DE ARQUITETURA Programa de Documentação do Patrimônio Arquitetônico do Estado da Bahia UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA FACULDADE DE ARQUITETURA Programa de Documentação do Patrimônio Arquitetônico do Estado da Bahia Curso de extensão: Introdução à Fotogrametria Arquitetônica Digital 1 CURSO

Leia mais

Melhoria da Gestão Municipal com o Uso de Cidades Digitais e BIM

Melhoria da Gestão Municipal com o Uso de Cidades Digitais e BIM Melhoria da Gestão Municipal com o Uso de Cidades Digitais e BIM Wagner Bersani Frazillio & Ferroni É possível, de forma simples, aproveitar bases de dados vetoriais 2D com informações de elevação e profundidade

Leia mais

Análise da produção científica nacional sobre Sistema de Informação Gerencial nos principais eventos nacionais em Engenharia de Produção

Análise da produção científica nacional sobre Sistema de Informação Gerencial nos principais eventos nacionais em Engenharia de Produção Análise da produção científica nacional sobre Sistema de Informação Gerencial nos principais eventos nacionais em Engenharia de Produção Tanise Fuckner de Oliveira (UTFPR) taniseoliveira@yahoo.com.br Antonio

Leia mais

Acerca da representação do projeto de arquitetura, julgue o item seguinte.

Acerca da representação do projeto de arquitetura, julgue o item seguinte. 52.(UEAP/FGV/2014) Segundo Neves (1989), as informações básicas conceituais são o embasamento sobre o qual se assentam todas as ideias do partido arquitetônico e podem ser sintetizadas em cinco tópicos,

Leia mais

A EVOLUÇÃO DOS MÉTODOS DE VISUALIZAÇÃO DO ESPAÇO URBANO COM BASE NA FOTOGRAFIA

A EVOLUÇÃO DOS MÉTODOS DE VISUALIZAÇÃO DO ESPAÇO URBANO COM BASE NA FOTOGRAFIA A EVOLUÇÃO DOS MÉTODOS DE VISUALIZAÇÃO DO ESPAÇO URBANO COM BASE NA FOTOGRAFIA Fabiana Silva de Garcia Ricardo Brod Méndez UCPEL - Universidade Católica de Pelotas, Escola de Engenharia e Arquitetura,

Leia mais

Manual do Usuário CMS WordPress Versão atual: 3.0

Manual do Usuário CMS WordPress Versão atual: 3.0 Manual do Usuário CMS WordPress Versão atual: 3.0 1 - Introdução O Centro de Gestão do Conhecimento Organizacional, CGCO, criou, em março de 2008, uma equipe para atender à demanda de criação de novos

Leia mais

DELIMITAÇÃO E PLANEJAMENTO DE DEMARCAÇÃO DO PARQUE ESTADUAL DA SERRA DO TABULEIRO

DELIMITAÇÃO E PLANEJAMENTO DE DEMARCAÇÃO DO PARQUE ESTADUAL DA SERRA DO TABULEIRO PROJETO DE PROTEÇÃO DA MATA ATLÂNTICA EM SANTA CATARINA (PPMA/SC) DELIMITAÇÃO E PLANEJAMENTO DE DEMARCAÇÃO DO PARQUE ESTADUAL DA SERRA DO TABULEIRO RELATÓRIO TÉCNICO DE DELIMITAÇÃO 03FAT0206R00 CURITIBA

Leia mais

Boas práticas do uso da técnica de Structure from Motion. Bruna Lopes de Paoli 1 Carlos Alberto Trindade 2

Boas práticas do uso da técnica de Structure from Motion. Bruna Lopes de Paoli 1 Carlos Alberto Trindade 2 Boas práticas do uso da técnica de Structure from Motion Bruna Lopes de Paoli 1 Carlos Alberto Trindade 2 1 Universidade FUMEC Rua Cobre, 200, Cruzeiro, Belo Horizonte MG brunadepaoli@gmail.com 2 Setor

Leia mais

15º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental. Sensoriamento Terrestre Aplicado a Realização de Scanlines

15º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental. Sensoriamento Terrestre Aplicado a Realização de Scanlines 15º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental Sensoriamento Terrestre Aplicado a Realização de Scanlines Rafael Bugs 1 ; Cassiano Raad 2 ; Daniel Costa 3 ; André Zingano 4 ; Rafael Ribeiro

Leia mais

Topografia de Alto Desempenho

Topografia de Alto Desempenho Topografia de Alto Desempenho Estações de Alta Tecnologia Eng. Rodrigo Eger Gerente de Produtos Santiago & Cintra www.santiagoecintra.com.br Introdução A Topografia Hoje... Cada vez mais necessitamos:

Leia mais

Restituição Fotogramétrica Digital Das Fachadas Do Pelourinho, Salvador Bahia, Brasil / Digital Photogram-

Restituição Fotogramétrica Digital Das Fachadas Do Pelourinho, Salvador Bahia, Brasil / Digital Photogram- Restituição Fotogramétrica Digital Das Fachadas Do Pelourinho, Salvador Bahia, Brasil / Digital Photogram- in Salvador - Bahia, Brazil metric Restitution of the Pelourinho s Façades, Marta Amorim Côrtes

Leia mais

PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Projeto 914 BRA5065 - PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 03

PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Projeto 914 BRA5065 - PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 03 PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL Diretrizes e Estratégias para Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil Projeto 914 BRA5065 - PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 03 RELATÓRIO TÉCNICO CONCLUSIVO

Leia mais

Fotogrametria aplicada à análise de homologia harmônica de frontispícios de templo com valor histórico e artístico

Fotogrametria aplicada à análise de homologia harmônica de frontispícios de templo com valor histórico e artístico Fotogrametria aplicada à análise de homologia harmônica de frontispícios de templo com valor histórico e artístico Betânia Queiroz da Silva 1 Carlos Alberto Borba Schuler 2 Universidade Federal de Pernambuco

Leia mais

Diretrizes Geométricas de Auxílio ao Processo de Projeto de Edifícios Residenciais

Diretrizes Geométricas de Auxílio ao Processo de Projeto de Edifícios Residenciais 243 Introdução Este artigo apresenta alguns princípios básicos de um método geométrico de auxílio ao processo de projeto de edifícios residenciais em altura. Tem como base uma pesquisa feita em edifícios

Leia mais

Visibilidade, Criação e Aplicação de Modelos de Vistas, Organização do Browser

Visibilidade, Criação e Aplicação de Modelos de Vistas, Organização do Browser Visibilidade, Criação e Aplicação de Modelos de Vistas, Organização do Browser Miriam Castanho Contier Arquitetura Esta palestra lhe mostrará: Como controlar a expressão gráfica do REVIT a partir do controle

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA OS AUTORES DOS ARTIGOS: ATENDE AS NORMAS DA ABNT

INSTRUÇÕES PARA OS AUTORES DOS ARTIGOS: ATENDE AS NORMAS DA ABNT INSTRUÇÕES PARA OS AUTORES DOS ARTIGOS: ATENDE AS NORMAS DA ABNT Janete Ribeiro Loureiro * Mestre em Educação RESUMO Estas instruções descrevem o estilo a ser usado na elaboração de artigos para publicação

Leia mais

DO CARTA GERAL AO SIRGAS-2000, A EVOLUÇÃO DO MAPEAMENTO EM PORTO ALEGRE.

DO CARTA GERAL AO SIRGAS-2000, A EVOLUÇÃO DO MAPEAMENTO EM PORTO ALEGRE. DO CARTA GERAL AO SIRGAS-2000, A EVOLUÇÃO DO MAPEAMENTO EM PORTO ALEGRE. INTRODUÇÃO A cidade de Porto Alegre está realizando um novo mapeamento, utilizando as mais modernas tecnologias empregadas na cartografia.

Leia mais

Anexo III Funcionamento detalhado do Sistema Montador de Autoria

Anexo III Funcionamento detalhado do Sistema Montador de Autoria 1 Sumário Anexo III Funcionamento detalhado do Sistema Montador de Autoria Anexo III Funcionamento detalhado do Sistema Montador de Autoria... 1 1 Sumário... 1 2 Lista de Figuras... 5 3 A Janela principal...

Leia mais

Configurando o estilo de Camada (Layer) no AutoCAD 2007

Configurando o estilo de Camada (Layer) no AutoCAD 2007 Configurando o estilo de Camada (Layer) no AutoCAD 2007 1 - Inicialmente, na Barra de Camadas clique no ícone (Gerenciador de Propriedades da Camada), para configurar o estilo de camada: 2 - Na caixa de

Leia mais

Tutorial: Geração de PDF da Documentação Digitalizada

Tutorial: Geração de PDF da Documentação Digitalizada Tutorial: Geração de PDF da Documentação Digitalizada Última Atualização: 21/12/2012 1 Índice 1. Visão Geral...4 2. Digitalizar Documento...4 3. Gerar PDF utilizando LibreOffice...4 3.1 Gerar PDF utilizando

Leia mais

3. O projeto fornecido para a modelagem paramétrica 3D

3. O projeto fornecido para a modelagem paramétrica 3D 3. O projeto fornecido para a modelagem paramétrica 3D Com finalidade de avaliar alguns aspectos da metodologia BIM e algumas das ferramentas computacionais envolvidas, buscou-se um projeto de engenharia

Leia mais

Modelagem Digital do Terreno

Modelagem Digital do Terreno Geoprocessamento: Geração de dados 3D Modelagem Digital do Terreno Conceito Um Modelo Digital de Terreno (MDT) representa o comportamento de um fenômeno que ocorre em uma região da superfície terrestre

Leia mais

Desenvolvimento de uma Etapa

Desenvolvimento de uma Etapa Desenvolvimento de uma Etapa A Fase Evolutiva do desenvolvimento de um sistema compreende uma sucessão de etapas de trabalho. Cada etapa configura-se na forma de um mini-ciclo que abrange as atividades

Leia mais

Coordenadas absolutas e relativas

Coordenadas absolutas e relativas Coordenadas absolutas e relativas O QUE SÃO COORDENADAS Coordenadas são pontos contidos no Plano Cartesiano e são formadas no mínimo por pontos em dois eixos, quando falamos de desenhos bidimensionais

Leia mais

CRIAÇÃO DE UMA MAQUETE VIRTUAL 3D DO CAMPUS HIGIENÓPOLIS DA UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE

CRIAÇÃO DE UMA MAQUETE VIRTUAL 3D DO CAMPUS HIGIENÓPOLIS DA UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CRIAÇÃO DE UMA MAQUETE VIRTUAL 3D DO CAMPUS HIGIENÓPOLIS DA UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE 1. INTRODUÇÃO Devido ao rápido desenvolvimento da tecnologia e a influência da mesma em todas as áreas de

Leia mais

Auditando e criando relatório de análise de vulnerabilidades com Nessus

Auditando e criando relatório de análise de vulnerabilidades com Nessus Auditando e criando relatório de análise de vulnerabilidades com Nessus Ciência Hacker 8 de novembro de 2015 Deixe um comentário Nessus é uma das ferramentas mais recomendadas para fazer análise de vulnerabilidade,

Leia mais

ESTIMATIVA DE VARIÁVEIS FLORESTAIS COM DADOS DO PERFILAMENTO A LASER (LiDAR)

ESTIMATIVA DE VARIÁVEIS FLORESTAIS COM DADOS DO PERFILAMENTO A LASER (LiDAR) ESTIMATIVA DE VARIÁVEIS FLORESTAIS COM DADOS DO PERFILAMENTO A LASER (LiDAR) Patrick dos Santos Bastos 1 ; Jessica Nepomuceno Patriota 2 ; Marcos Giongo 3 1 Aluno do Curso de Engenharia Florestal; PIBIC/CNPq,

Leia mais

A Cidade que Nunca. Introdução

A Cidade que Nunca. Introdução 381 Introdução desenvolvimento do modelo, analisando diversas maravilhas, mas as respostas que as cidades nos oferecem às nossas perguntas, ou as perguntas artigo descrevia seu desapontamento com o compõem

Leia mais

CAR Cadastro Ambiental Rural

CAR Cadastro Ambiental Rural Secretaria de Meio Ambiente CAR Cadastro Ambiental Rural E SUA IMPORTÂNCIA PARA O PRODUTOR RURAL C R I S T I N A A Z E V E D O C O O R D E N A D O R A D E B I O D I V E R S I D A D E E R E C U R S O S

Leia mais

Forma de Captura de Imagens Digitais:

Forma de Captura de Imagens Digitais: Forma de Captura de Imagens Digitais: - Câmaras Digitais. -Videografia. - Scanner Normal. - Scanner plano B/P (tons de cinza). - Scanner plano Colorido. - Scanner plano profissional. - Scanner de tambor.

Leia mais

1. REGISTRO DE PROJETOS

1. REGISTRO DE PROJETOS 1. REGISTRO DE PROJETOS Nesta aplicação será feito o registro dos projetos/ ações de extensão, informando os dados iniciais do projeto, as classificações cabíveis, os participantes, a definição da região

Leia mais

Programação do Curso

Programação do Curso Programação do Curso Introdução à Fotografia Digital Aula 2 Equipamentos acessórios; Composição Disponível em www.ecoclics.com/wp- content/pdf/aula_ifd_2.pdf Roteiro da Aula Acessórios Ø Tripés Ø Filtros

Leia mais

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil James Gustavo Black Rebelato Geraldo Cezar Correa Joao Henrique Gross Companhia Paranaense

Leia mais

(A) I, III e IV. (B) II, III e IV. (C) I e IV. (D) I, II e III. (E) I, II, III e IV.

(A) I, III e IV. (B) II, III e IV. (C) I e IV. (D) I, II e III. (E) I, II, III e IV. Técnico de Laboratório / Área: Engenharia Civil/Projetos ==Questão 26==================== Analise a perspectiva isométrica apresentada abaixo: Assinale a alternativa que contém as vistas ortográficas correspondentes:

Leia mais

Universidade do Vale do Rio dos Sinos Programa de Pós-Graduação em Geologia Laboratório de Sensoriamento Remoto e Cartografia Digital

Universidade do Vale do Rio dos Sinos Programa de Pós-Graduação em Geologia Laboratório de Sensoriamento Remoto e Cartografia Digital Universidade do Vale do Rio dos Sinos Programa de Pós-Graduação em Geologia Laboratório de Sensoriamento Remoto e Cartografia Digital Diagnóstico Ambiental do Município de São Leopoldo (Relatório da Implantação

Leia mais

TUTORIAL ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS

TUTORIAL ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS TUTORIAL ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS Brasília/DF Agosto/2015 3 4 Sumário 1 Menu Cadastro.... 8 1.1 Cadastro de Entidade... 9 1.2 Cadastro de Atividade... 10 1.3 Cadastro de Participante... 15 2 Menu Execução...

Leia mais

ÍNDICE Parte I Instalação do Software Tela Laje IBTS v. 5.0 Parte II Registro para Utilização do Software Tela Laje IBTS v 5.0

ÍNDICE Parte I Instalação do Software Tela Laje IBTS v. 5.0 Parte II Registro para Utilização do Software Tela Laje IBTS v 5.0 ÍNDICE Parte I Instalação do Software Tela Laje IBTS v. 5.0... 4 1 Configurações mínimas para o funcionamento do software... 4 2 Instalar o software... 5 3 Desinstalar o software... 5 Parte II Registro

Leia mais

RESUMO RESUMEN UM CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO DO PATRIMÔNIO ARQUITETÔNICO

RESUMO RESUMEN UM CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO DO PATRIMÔNIO ARQUITETÔNICO UM CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO DO PATRIMÔNIO ARQUITETÔNICO ARIVALDO L. AMORIM i alamorim@ufba.br NATALIE J. GROETELAARS ii natgroet@ufba.br EUGÊNIO DE A. LINS iii euglins@ufba.br RESUMO O presente trabalho

Leia mais

Neste tópico, você aprenderá a criar facilmente um banco de dados para uma nova empresa e a definir configurações comuns de uma empresa no SAP

Neste tópico, você aprenderá a criar facilmente um banco de dados para uma nova empresa e a definir configurações comuns de uma empresa no SAP Neste tópico, você aprenderá a criar facilmente um banco de dados para uma nova empresa e a definir configurações comuns de uma empresa no SAP Business One, em apenas uma etapa usando um assistente guiado.

Leia mais

Tutorial Gerenciador de Conteúdo Site FCASA

Tutorial Gerenciador de Conteúdo Site FCASA Tutorial Gerenciador de Conteúdo Site FCASA Versão 1.0* Bolt Brasil Comunicação Digital Tel: 31 3335 7100 www.bolt.com.br Rua Santa Catarina, 1627 15 andar Lourdes Belo Horizonte / MG CEP: 30170-081 *

Leia mais

8 DE NOVEMBRO DE 2015

8 DE NOVEMBRO DE 2015 Auditando e criando relatório de análise de vulnerabilidades com Nessus 8 DE NOVEMBRO DE 2015 Nessus é uma das ferramentas mais recomendadas para fazer análise de vulnerabilidade, devido apresentar uma

Leia mais

EXPORTAÇÃO E IMPRESSÃO DE DADOS NO DATAGEOSIS 2.3

EXPORTAÇÃO E IMPRESSÃO DE DADOS NO DATAGEOSIS 2.3 GUIA PRÁTICO DataGeosis Versão 2.3 EXPORTAÇÃO E IMPRESSÃO DE DADOS NO DATAGEOSIS 2.3 Paulo Augusto Ferreira Borges Engenheiro Agrimensor Treinamento e Suporte Técnico ÍNDICE: 1. INTRODUÇÃO... 3 2. EXPORTAÇÃO

Leia mais

AÇÕES PARA ORGANIZAÇÃO DE ARTIGO TEXTO RETIRADO E ADAPTADO DO MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO LA SALLE.

AÇÕES PARA ORGANIZAÇÃO DE ARTIGO TEXTO RETIRADO E ADAPTADO DO MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO LA SALLE. AÇÕES PARA ORGANIZAÇÃO DE ARTIGO TEXTO RETIRADO E ADAPTADO DO MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO LA SALLE. CANOAS/2014 A estrutura deste manual foi elaborada com base

Leia mais

Em busca de uma Metodologia para Atualização Cadastral Urbana com Tecnologias Alternativas: um Estudo de Caso

Em busca de uma Metodologia para Atualização Cadastral Urbana com Tecnologias Alternativas: um Estudo de Caso 368 Em busca de uma Metodologia para Atualização Cadastral Urbana com Tecnologias Alternativas: um Estudo de Caso Arivaldo Leão de Amorim bino7@terra.com.br natgroet@yahoo.com.br Universidade Federal da

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO 1 UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA CIVIL CAMPUS CAMPO MOURÃO ENGENHARIA CIVIL DIOGO DANILO DE ALMEIDA PEREIRA RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO Relatório de

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA MANUAL DE JUNTADA DE AR'S NO SISTEMA PROJUDI

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA MANUAL DE JUNTADA DE AR'S NO SISTEMA PROJUDI TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA MANUAL DE JUNTADA DE AR'S NO SISTEMA PROJUDI AUTOR: JONATHAS COSTA DE CARVALHO Salvador BA 2012 SUMÁRIO 1 CONFIGURANDO O ESCÂNER PARA A DIGITALIZAÇÃO SIMULTÂNEA DOS

Leia mais

Escreva aqui o título do trabalho com no máximo 15 palavras

Escreva aqui o título do trabalho com no máximo 15 palavras Escreva aqui o título do trabalho com no máximo 15 palavras Nome Completo Primeiro Autor 1, Nome Completo Segundo Autor 2, Nome Completo Terceiro Autor 1 1 Departamento de Informática, Universidade Estadual

Leia mais

O INVENTÁRIO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO DE QUALIDADE PARA CENTROS URBANOS DE INTERESSE DE PRESERVAÇÃO. Inventário do Sítio Urbano da Praça XV

O INVENTÁRIO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO DE QUALIDADE PARA CENTROS URBANOS DE INTERESSE DE PRESERVAÇÃO. Inventário do Sítio Urbano da Praça XV O INVENTÁRIO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO DE QUALIDADE PARA CENTROS URBANOS DE INTERESSE DE PRESERVAÇÃO. Inventário do Sítio Urbano da Praça XV Rosina Trevisan M. RIBEIRO Arquiteta, D. Sc., Professora do

Leia mais

OFICINA DE POWER POINT

OFICINA DE POWER POINT OFICINA DE POWER POINT Barra de Ferramentas Padrão Barra de Ferramentas Formatação Barra de Menus Modos de Visualização Painéis de Tarefas Barra de Ferramentas Desenho Profª. Maria Adelina Raupp Sganzerla

Leia mais

12.1 - Inserção de Ponto de Entrada. Autoenge Módulo Automação Página 1

12.1 - Inserção de Ponto de Entrada. Autoenge Módulo Automação Página 1 12 - Módulo Automação Residencial - Autopower Manual de utilização Módulo Automação Residencial Para maiores informações, acesse www.autoenge.com.br ou por email suporte@autoenge.com.br 12.1 - Inserção

Leia mais

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Autorizado plea Portaria nº 1.205 de 27/08/10 DOU de 30/08/10 PLANO DE CURSO

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Autorizado plea Portaria nº 1.205 de 27/08/10 DOU de 30/08/10 PLANO DE CURSO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Autorizado plea Portaria nº 1.205 de 27/08/10 DOU de 30/08/10 Faculdade Independente do Nordeste Componente Curricular: COMPUTAÇÃO GRÁF. APLICADA À ARQUITETURA I Código:

Leia mais

9º ENTEC Encontro de Tecnologia: 23 a 28 de novembro de 2015

9º ENTEC Encontro de Tecnologia: 23 a 28 de novembro de 2015 VERIFICAÇÃO DO PÉ DIREITO COMO TÉCNICA DE CONFORTO TÉRMICO Mariana Ferreira Martins Garcia 1 ;Phelippe Mendonça de Paiva 2 ; Diogo Humberto Muniz 3 ;Adriana Pereira Resende Martins 4 ; Daniela Satie Kodama

Leia mais

DIRETORIA DE EXTENSÃO ORIENTAÇÕES AOS COORDENADORES DE PROJETOS/PROGRAMAS PARA UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ON-LINE DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA

DIRETORIA DE EXTENSÃO ORIENTAÇÕES AOS COORDENADORES DE PROJETOS/PROGRAMAS PARA UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ON-LINE DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA ORIENTAÇÕES AOS COORDENADORES DE PROJETOS/PROGRAMAS PARA UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ON-LINE DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Acesse o SGUWeb com seu usuário e senha. Entre na opção Projetos Minhas Propostas Escolha

Leia mais

WEBGIS Sistema Informativo Territorial

WEBGIS Sistema Informativo Territorial PREFEITURA MUNICIPAL DE PONTA GROSSA WEBGIS Sistema Informativo Territorial MANUAL DE UTILIZAÇÃO Autor: Rony Camargo de Brito Primeira edição: 20-06-2008 Atualizado: 08-10-2008 Todos os Direitos Reservados

Leia mais

Manual e Documentação

Manual e Documentação Manual e Documentação A nova versão 2007 do E-Port teve um aumento na segurança e integridade do sistema de controle de portarias, porém ainda conta com o mesmo visual fácil, acessível e funcional de sempre.

Leia mais

Sumário. 1. Instalando a Chave de Proteção 3. 2. Novas características da versão 1.3.8 3. 3. Instalando o PhotoFacil Álbum 4

Sumário. 1. Instalando a Chave de Proteção 3. 2. Novas características da versão 1.3.8 3. 3. Instalando o PhotoFacil Álbum 4 1 Sumário 1. Instalando a Chave de Proteção 3 2. Novas características da versão 1.3.8 3 3. Instalando o PhotoFacil Álbum 4 4. Executando o PhotoFacil Álbum 9 3.1. Verificação da Chave 9 3.1.1. Erro 0001-7

Leia mais

MEDIDAS MAGNÉTICAS DE PINTURAS A ÓLEO E ACRÍLICAS. Aluno: Paulo Leite Pinto Orientador: Paulo costa Ribeiro Co-orientador: Hélio Ricardo Carvalho

MEDIDAS MAGNÉTICAS DE PINTURAS A ÓLEO E ACRÍLICAS. Aluno: Paulo Leite Pinto Orientador: Paulo costa Ribeiro Co-orientador: Hélio Ricardo Carvalho MEDIDAS MAGNÉTICAS DE PINTURAS A ÓLEO E ACRÍLICAS Aluno: Paulo Leite Pinto Orientador: Paulo costa Ribeiro Co-orientador: Hélio Ricardo Carvalho Introdução A impressão digital magnética de pinturas é obtida

Leia mais

Nivelamento Desenho Técnico

Nivelamento Desenho Técnico Módulo: Nivelamento Desenho Técnico Natanael Gomes da Costa Júnior Curso: FTST - FORMAÇÃO TÉCNICA EM SEGURANÇA DO TRABALHO MÓDULO DE NIVELAMENTO DESENHO TÉCNICO Sumário Sumário...2 Competências a serem

Leia mais

ATIVIDADES INVESTIGATIVAS NO ENSINO DE MATEMÁTICA: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA

ATIVIDADES INVESTIGATIVAS NO ENSINO DE MATEMÁTICA: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA ATIVIDADES INVESTIGATIVAS NO ENSINO DE MATEMÁTICA: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA GT 01 - Educação Matemática no Ensino Fundamental: Anos Iniciais e Anos Finais Maria Gorete Nascimento Brum - UNIFRA- mgnb@ibest.com.br

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA FOTOGRAFAR AS OBRAS DE REFORMA, AMPLIAÇÃO E CONSTRUÇÃO DE UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE

MANUAL DE ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA FOTOGRAFAR AS OBRAS DE REFORMA, AMPLIAÇÃO E CONSTRUÇÃO DE UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE MANUAL DE ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA FOTOGRAFAR AS OBRAS DE REFORMA, AMPLIAÇÃO E CONSTRUÇÃO DE UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE APRESENTAÇÃO As informações descritas neste documento tem o objetivo de orientar os

Leia mais

AT073 INTRODUÇÃO EIM

AT073 INTRODUÇÃO EIM Engenharia Industrial Madeireira AT073 INTRODUÇÃO EIM MEDIÇÃO DA MADEIRA Prof. Dr. Umberto Klock Objetivo: Os acadêmicos de EIM devem estar aptos a determinar o volume de troncos, pilhas de lenha, de árvores

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO DE FERRAMENTAS COMPUTACIONAIS QUE UTILIZAM GEOPROCESSAMENTO E TECNOLOGIA BIM PARA DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE ENGENHARIA CIVIL

ESTUDO COMPARATIVO DE FERRAMENTAS COMPUTACIONAIS QUE UTILIZAM GEOPROCESSAMENTO E TECNOLOGIA BIM PARA DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE ENGENHARIA CIVIL ESTUDO COMPARATIVO DE FERRAMENTAS COMPUTACIONAIS QUE UTILIZAM GEOPROCESSAMENTO E TECNOLOGIA BIM PARA DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE ENGENHARIA CIVIL 1. INTRODUÇÃO E REFERENCIAL TEÓRICO A área de geoprocessamento

Leia mais

Astra ThinClient Manual de Configuração

Astra ThinClient Manual de Configuração 2011 www.astralab.com.br Astra ThinClient Manual de Configuração Guia para configuração do software Astra ThinClient. Equipe Documentação Astra AstraLab 20/07/2011 1 Sumário Configurando padrões... 3 Configurando

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO CONSELHO SUPERIOR DA JUSTIÇA DO TRABALHO

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO CONSELHO SUPERIOR DA JUSTIÇA DO TRABALHO PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO CONSELHO SUPERIOR DA JUSTIÇA DO TRABALHO Sumário 1. Apresentação... 3 2. Introdução... 4 3. Ferramenta... 5 3.1. Características da ferramenta... 5 3.2. Perfil de acesso...

Leia mais

RESUMO DAS NORMAS TÉCNICAS DA ABNT

RESUMO DAS NORMAS TÉCNICAS DA ABNT RESUMO DAS NORMAS TÉCNICAS DA ABNT A padronização ou normalização do desenho técnico tem como objetivo uniformizar o desenho por meio de um conjunto de regras ou recomendações que regulamentam a execução

Leia mais

CHAMADA DE TRABALHOS 2012 REGULAMENTO

CHAMADA DE TRABALHOS 2012 REGULAMENTO CHAMADA DE TRABALHOS 2012 REGULAMENTO O II Simpósio Nacional de Estratégias do Governo para Desenvolvimento e Aplicação da Biotecnologia no Brasil, cujo tema deste ano será Saúde Pública, é uma corealização

Leia mais

PADRÕES DE PARCELAMENTO DA CIDADE LESTE DE SANTA MARIA: APLICAÇÃO DA METODOLOGIA 1

PADRÕES DE PARCELAMENTO DA CIDADE LESTE DE SANTA MARIA: APLICAÇÃO DA METODOLOGIA 1 PADRÕES DE PARCELAMENTO DA CIDADE LESTE DE SANTA MARIA: APLICAÇÃO DA METODOLOGIA 1 CERVO, Fernanda 2, CHAGAS, Vinícius Westphalen 2, FALKOWSKI, Liz Carlize 2, VESCIA, Jenifer 2, POZZOBON, Bruna 2, SILVA,

Leia mais

Virtualização da Construção em Fase Orçamentária Construction Virtualization in Budget Phase

Virtualização da Construção em Fase Orçamentária Construction Virtualization in Budget Phase Virtualização da Construção em Fase Orçamentária Construction Virtualization in Budget Phase Morgana Braga Universidade de Brasília Obras Militares do Exército Brasileiro, Brasil morganabraga@yahoo.com.br

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO PATRIMONIAL SIGEP MANUAL

SISTEMA DE GESTÃO PATRIMONIAL SIGEP MANUAL SISTEMA DE GESTÃO PATRIMONIAL SIGEP MANUAL 1. Introdução O DECRETO Nº 2.807, de 9 de dezembro de 2009 estabelece a implantação, no âmbito dos órgãos da Administração Pública Estadual Direta, inclusive

Leia mais

Os mapas são a tradução da realidade numa superfície plana.

Os mapas são a tradução da realidade numa superfície plana. Cartografia Desde os primórdios o homem tentou compreender a forma e as características do nosso planeta, bem como representar os seus diferentes aspectos através de croquis, plantas e mapas. Desenhar

Leia mais

TUTORIAL DO ASSISTENTE VIRTUAL (QUICK START)

TUTORIAL DO ASSISTENTE VIRTUAL (QUICK START) TUTORIAL DO ASSISTENTE VIRTUAL (QUICK START) VERSÃO DO ASSISTENTE VIRTUAL: 1.3.1 POR ADS DIGITAL (WWW.ADSDIGITAL.COM.BR) 1 º Passo: Endereços do Assistente Virtual Para uso/perguntas código_cliente.adsdigital.com.br

Leia mais